Capítulo 5 instrumentos de pesquisa

21.700 visualizações

Publicada em

Instrumentos de Pesquisa

Publicada em: Educação
0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
21.700
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2.174
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
390
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Capítulo 5 instrumentos de pesquisa

  1. 1. Instrumentos de Pesquisa Professora Sandra Pereira
  2. 2. ETAPAS DA PESQUISA A) Reconhecimento e formulação do problema - Selecionar objeto de pesquisa. - Definição do problema/exploração inicial do tema. B) Planejamento da pesquisa - Definir objetivos e hipóteses. - Definir metodologia: - fontes de dados/ método de pesquisa. - técnica de coleta de dados/ população e amostra. - Planejar a coleta de dados.
  3. 3. ETAPAS DA PESQUISA C) Execução da pesquisa - Ir para o campo (coleta, conferencia, verificação, correção). - Processar e analisar os dados (digitação, análise, interpretação, conclusão e recomendação). D) Comunicação dos resultados - Redação de relatório e apresentação do resultado.
  4. 4. Tipos de pesquisa utilizados: Pesquisa qualitativa Pesquisa quantitativa Pesquisa bibliográfica Pesquisa exploratória
  5. 5. Antes: construção do projeto Pesquisa qualitativa: “Na pesquisa qualitativa, o pesquisador vai a campo buscando ‘captar’ o fenômeno em estudo a partir da perspectiva das pessoas nele envolvidas, considerando todos os pontos de vista relevantes” (GODOY, 1995, p. 21).
  6. 6. Antes: construção do projeto Pesquisa quantitativa: “considera que tudo pode ser quantificável, o que significa traduzir em números opiniões e informações para classificá-las e analisá-las” (MORESI, 2003, p. 08).
  7. 7. Antes: construção do projeto Pesquisa bibliográfica: “é o estudo sistematizado desenvolvido com base em material publicado em livros, revistas, jornais, redes eletrônicas, isto é, material acessível ao público em geral” (MORESI, 2003, p. 08).
  8. 8. Antes: construção do projeto Pesquisa exploratória: “É realizada em área na qual há pouco conhecimento acumulado e sistematizado” (MORESI, 2003, p. 10)
  9. 9. FORMAS DE ABORDAGEM Pesquisa Quantitativa: traduz em números opiniões e informações para classificá-los e organizá-los. Utiliza métodos estatísticos. Pesquisa Qualitativa: considera a existência de uma relação dinâmica entre mundo real e sujeito. É descritiva e o processo é o foco principal. TÉCNICAS DE COLETA DE DADOS • Observação • Entrevista • Questionário
  10. 10. OBSERVAÇÃO É uma técnica de coleta de dados para conseguir informações e utiliza os sentidos na obtenção de determinados aspectos da realidade. Não consiste apenas em ver e ouvir, mas também em examinar fatos ou ferramentas que se deseja estudar. A observação ajuda o pesquisador a identificar e a obter provas a respeito de objetivos sobre os quais os indivíduos não tem consciência, mas que orientam seu comportamento.
  11. 11. TIPOS DE OBSERVAÇÃO Na investigação científica são empregadas várias modalidades de observação, que variam de acordo com as circunstâncias. Segundo os meios utilizados: • Observação não estruturada: é a que se realiza sem planejamento e sem controle anteriormente elaborados, como decorrência de fenômenos que surgem de imprevisto. •Observação estruturada: é a que se realiza em condições controladas para se responder a propósitos, que foram anteriormente definidos. Requer planejamento e necessita de operações específicas para o seu desenvolvimento.
  12. 12. Segundo a participação do observador: • Participante: consiste na participação real do pesquisador com a comunidade ou grupo. Em geral são apontados duas formas:  Natural - o observador pertence à mesma comunidade ou grupo que investiga.  Artificial - o observador integra-se ao grupo com a finalidade de obter informações. • Não participante: o observador toma contato com a comunidade, grupo ou realidade estudada, mas sem integrar-se a ela - permanece de fora.
  13. 13. Segundo o número de observadores: • Individual: é a técnica de observação realizada por um pesquisador. Nesse caso, a personalidade dele se projeta sobre o observado, fazendo algumas inferências ou distorções, pela limitada possibilidade de controles. • Em equipe: é a mais aconselhável, pois o grupo pode observar a ocorrência por vários ângulos.
  14. 14. PONTOS À SEREM CONSIDERADOS NA OBSERVAÇÃO ESTRUTURADA Por que observar Para que observar Como observar Quem observar O que observar
  15. 15. PRINCIPAL PROBLEMA COM A TÉCNICA DA OBSERVAÇÃO O principal problema é que a presença do pesquisador pode provocar alterações no comportamento dos observados, destruindo a espontaneidade dos mesmos e produzindo resultados pouco confiáveis.
  16. 16. ENTREVISTA É um encontro entre duas pessoas, a fim de que uma delas obtenha informações a respeito de determinado assunto, mediante uma conversação de natureza profissional. TIPOS DE ENTREVISTAS • Estruturada: é aquela em que o entrevistador segue um roteiro previamente estabelecido. • Não estruturada: o entrevistado tem liberdade para desenvolver cada situação em qualquer direção que considere adequada. • Semi estruturada: o pesquisador elabora um roteiro prévio, mas não fica preso ao mesmo, tendo a possibilidade de inserir novas questões durante a entrevista, se achar pertinente.
  17. 17. MEDIDAS EXIGIDAS PARA A PREPARAÇÃO DA ENTREVISTA • Planejamento da entrevista. • Conhecimento prévio do entrevistado. • Oportunidade da entrevista. • Condições favoráveis. • Conhecimento prévio do campo. • Preparação específica.
  18. 18. PRINCIPAIS PROBLEMAS COM A TÉCNICA DA ENTREVISTA • Falta de motivação do entrevistado. • Inadequada compreensão do significado das perguntas. • Fornecimento de respostas falsas. • Inabilidade do entrevistado para responder. • Influência exercida pelo aspecto pessoal do entrevistado com o entrevistador.
  19. 19. QUESTIONÁRIO É um instrumento de coleta de dados constituído por uma série ordenada de perguntas, que devem ser respondidas por escrito, com ou sem a presença do entrevistador. CUIDADOS NO PROCESSO DE ELABORAÇÃO • Conhecer o assunto. • Cuidado na seleção das questões. • Codificadas para facilitar a tabulação. • Indicação da entidade organizadora. • Acompanhado por instruções. • Boa apresentação estética
  20. 20. CONSTRUÇÃO DO QUESTIONÁRIO Consiste em traduzir os objetivos da pesquisa em perguntas claras e objetivas. TIPOS DE QUESTÕES a) Aberta: são as que permitem ao informante responder livremente, usando linguagem própria e emitir opiniões. Entretanto, apresenta alguns inconvenientes:  Dificulta a resposta ao próprio informante, que deverá redigi-la.  O processo de tabulação.  O tratamento estatístico e a interpretação. A análise é difícil, complexa, cansativa e demorada.
  21. 21. b) Fechada: são aquelas em que o informante escolhe sua resposta entre duas opções. Este tipo de pergunta, embora restrinja a liberdade das respostas, facilita o trabalho do pesquisador e também a tabulação, pois as respostas são mais objetivas. c) Múltipla escolha: são perguntas fechadas mas que apresentam uma série de possíveis respostas, abrangendo várias facetas do mesmo assunto. A técnica da escolha múltipla é facilmente tabulável e proporciona uma exploração em profundidade quase tão boa quanto a de perguntas abertas. A combinação de respostas múltiplas com as respostas abertas possibilita mais informações sobre o assunto, sem prejudicar a tabulação.
  22. 22. SUGESTÕES DE LEITURA LUDKE, M. e ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986. FLICK, U. Uma introdução à pesquisa qualitativa. 2ed. Porto Alegre: Bookman, 2004 MARCONI, M. de A. e LAKATOS, E. M. Técnicas de Pesquisa. 6 ed. São Paulo: Atlas, 2006. SEVERINO, A. J. Metodologia do trabalho científico. 21 ed. São Paulo: Cortez, 2000. ALVES-MAZZOTTI, A. J. e GEWANDSZNAJDER, F. O método nas ciências naturais e sociais: pesquisa quantitativa e qualitativa. 2 ed. São Paulo: Pioneira, 1999.

×