SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 16
Baixar para ler offline
The Evolution of Cognition: a 4E
Perspective (Barrett, L., 2018 - The
Oxford Handbook of 4E Cognition)
Raquel Salcedo Gomes
PGIE/UFRGS
T
ext Summary
Whats is cognition anyway?
Cognition as coordination
The Skin-Brain Thesis
Behavioral flexibility, the elaboration of
nervous systems and the umwelt
Going Radical and getting out Continuity
Right
O que é cognição, afinal?
Neisser, 1967: processos pelos quais as entradas sensoriais são
transformadas, manipuladas, aumentadas e usadas para dar origem a
saídas motoras, assumindo implicitamente que esses processos ocorrem
apenas no cérebro.
Visão antropogênica: modelar e recriar a inteligência humana com o uso
de computadores.
Processos concebidos como cognitivos: formação de conceito,
raciocínio, habilidades de solução de problemas, teoria da mente,
linguagem natural, memória, planejamento e a habilidade de representar
objetos em sua ausência -> tipicamente humanos.
Psicologia comparativa: traços comuns em diferentes espécies,
flexibilidade ou instinto. Darwin: diferença de grau, não de tipo.
Abordagens ecológicas.
Shettleworth, 1999: “qualquer processo em que animais adquirem,
processam, armazenam e agem sobre qualquer informação do
ambiente".
Pouco consenso: explicações mentalistas e não-mentalistas.
T
amanho do cérebro; capacidade cognitiva (flexibilidade); ter ou
não ter cérebro.
Mas as bactérias são muitos espertas. E muitos animais com
cérebros minúsculos também.
Cognição 4E - embodied, embedded, enactive, extended
(corporificada, situada, enativa, estendida): inconsistências do
cognitivismo -> cérebros não podem ser divorciados do resto do
corpo e dos contextos ambientais.
Perspectiva biogênica: princípios da organização biológica e
adaptação. Questionamento da antropogenia do
representacionalismo cognitivista.
Cognição como coordenação
Anderson, 2003: "capacidade de inferir relações entre circunstâncias externas
e necessidade interna de facilitar a agência, cuja função é permitir ações e
interações bem-sucedidas em um nicho” - definição funcional -> atividade
situada
Brook (1991, 1999): entrelaçamento estreito entre percepção e ação -
embedded or situated cognition
Inteligência como propriedade relacional: surge através da posse de uma
constituição física específica, operando dentro de um ambiente específico
Evolução: milhares de anos desenvolvendo mecanismos perceptivo-ativos de
inteligência, sendo a função simbólica bem mais recente.
Problema do enativismo clássico: se tudo é cognitivo, então nada é
cognitivo -> é preciso haver uma distinção entre organismos vivos
cognitivos e não cognitivos
Hipótese: organismos cognitivos possuem sistema nervoso.
Problema: as bactérias são muito espertas, elas têm funções meta-
metabólicas
Cognição, portanto, é coordenação sensório-motora adaptativa à
vida: surge para manter os processos metabólicos dentro de limites
aceitáveis
Cérebro
Sistema nervoso
Coordenação sensório-motora adaptativa
Perspectiva Antropogênica
Origens da cognição
HELIOCENTRISMO
GEOCENTRISMO
Perspectiva Biogênica
A tese do cérebro-pele
Evolução do sistema nervoso
Hipótese: sistemas nervosos evoluíram para possibilitar
comportamento muscular, não para permitir um comportamento
mais inteligente
Sistemas nervosos como sistemas de coordenação: redes nervosas
difusas que se espalhavam por grande parte do corpo do animal
(como nas medusas) e não como sistemas de entrada e saída
Keijzer et al., 2013 -> processo evolutivo em duas fases: 1)
superfícies musculares com propriedades contráteis conduzindo
atividade elétrica capaz de transmissão química entre as células,
devido à necessidade de mobilidade: “superfícies de Pantin”; 2)
um número pequeno de células de sinalização mais especializadas
evoluiu, com processos axodendríticos alongados (isto é,
neurônios), o que lhes permitiu sinalizar para células não
adjacentes, dando origem a uma rede nervosa espalhada por
todo o corpo, permitindo maior flexibilidade de movimento e
forma, e possibilitando um corpo de tamanho menor.
Flexibilidade de conduta, elaboração do
sistema nervo e umwelt
evolução cognitiva como processo pelo qual os organismos se
tornaram mais bem equipados para rastrear e lidar com
contingências imprevisíveis em tempo real em ambientes mutáveis
Da coordenação adaptativa ao sistema nervoso e ao cérebro
Importância da longevidade -> experiência e mudanças
ambientais
Parte da razão pela qual o cérebro humano é tão grande é ajudar a
controlar e coordenar nosso aparato sensorial e motor, o que
gerou níveis altos de flexibilidade comportamental, a qual, por sua
vez, expandiu nosso “umwelt” - termo usado por Uexküll (2014)
para capturar a noção de que os organismos são sensíveis apenas
àqueles aspectos do ambiente que têm significado para sua
sobrevivência e reprodução.
A abordagem 4E coloca o corpo e o ambiente do organismo em
um foco claro, de maneira a permitir que os vieses
antropocêntricos da posição cognitivista sejam contornados.
Radicalizando e buscando a continuidade certa
CEC - Conservative Embodied Cognition: representações
orientadas à ação -> T
op-down
REC - Radical Embodied Cognition: anti-representacionalismo
-> Bottom-up
Lógica da continuidade evolutiva: o conhecimento humano,
tipicamente representacional (simbólico) e pleno de conteúdo,
não pode ter surgido do nada
Wittgenstein: a ação (experiência) está na base do nosso
conhecimento - é preciso acertar na continuidade
"Mentes linguísticas, socioculturalmente estruturadas, como as nossas,
lidam claramente com regras e representações (caso contrário, você
não seria capaz de ler e compreender as palavras desta página ...), e é
bastante claro que algumas das questões interessantes da psicologia
humana são melhor entendidas usando uma estrutura
representacional. É um erro, no entanto, supor que, dado esse estado
de coisas pertencer à espécie humana, esse pensamento deve,
portanto, caracterizar a cognição em todo o reino animal.” (p. 10)
Continuidade e discontinuidade
Há também uma clara descontinuidade entre nossa espécie e as demais:
humanos ocupam um nicho sociocultural único.
REC: o conteúdo surge com o domínio das práticas e artefatos
socioculturais nesse tipo específico de nicho = as representações existem
primeiro publicamente e externamente e depois são “internalizadas", como
argumentou Vygotsky (1997).
Práticas públicas, como a transmissão de alta fidelidade de
comportamentos culturais, juntamente com o ensino, podem ser cruciais
para gerar mentes humanas.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Neurofisiologia TDAH
Neurofisiologia   TDAHNeurofisiologia   TDAH
Neurofisiologia TDAHMary Psol
 
Reflexão liberdade e responsabilidade democráticas
Reflexão liberdade e responsabilidade democráticasReflexão liberdade e responsabilidade democráticas
Reflexão liberdade e responsabilidade democráticasPcbabalu
 
79361331 barreiras-comunicacao
79361331 barreiras-comunicacao79361331 barreiras-comunicacao
79361331 barreiras-comunicacaoAnabela Silva
 
Comunicação: O Processo De Comunicação
Comunicação: O Processo De ComunicaçãoComunicação: O Processo De Comunicação
Comunicação: O Processo De ComunicaçãoAdm Pub
 
Ficha de trabalho nº11 exercicios atendimento - escuta
Ficha de trabalho nº11    exercicios atendimento - escutaFicha de trabalho nº11    exercicios atendimento - escuta
Ficha de trabalho nº11 exercicios atendimento - escutaLeonor Alves
 
Aula percepção atenção fig
Aula percepção atenção figAula percepção atenção fig
Aula percepção atenção figNathalia Fuga
 
46175896 manual-exercicios
46175896 manual-exercicios46175896 manual-exercicios
46175896 manual-exerciciospccorreia
 
Exercícios de programação neuro-linguistica
Exercícios de programação neuro-linguisticaExercícios de programação neuro-linguistica
Exercícios de programação neuro-linguisticamarcelosilveirazero1
 
Lae Comunicação Interna e Externa
Lae Comunicação Interna e ExternaLae Comunicação Interna e Externa
Lae Comunicação Interna e ExternaFrederico Marques
 
Psicologia comunicação
Psicologia   comunicaçãoPsicologia   comunicação
Psicologia comunicaçãoArlane
 
Linguagem e Pensamento
Linguagem e Pensamento Linguagem e Pensamento
Linguagem e Pensamento Rosana Leite
 

Mais procurados (20)

aprendizagem
aprendizagemaprendizagem
aprendizagem
 
Neurofisiologia TDAH
Neurofisiologia   TDAHNeurofisiologia   TDAH
Neurofisiologia TDAH
 
Comunicacao
ComunicacaoComunicacao
Comunicacao
 
Neuroplasticidade
 Neuroplasticidade Neuroplasticidade
Neuroplasticidade
 
Reflexão liberdade e responsabilidade democráticas
Reflexão liberdade e responsabilidade democráticasReflexão liberdade e responsabilidade democráticas
Reflexão liberdade e responsabilidade democráticas
 
Processos de Comunicação
Processos de ComunicaçãoProcessos de Comunicação
Processos de Comunicação
 
Princípios da neuropsicologia
Princípios da neuropsicologiaPrincípios da neuropsicologia
Princípios da neuropsicologia
 
79361331 barreiras-comunicacao
79361331 barreiras-comunicacao79361331 barreiras-comunicacao
79361331 barreiras-comunicacao
 
Comunicação: O Processo De Comunicação
Comunicação: O Processo De ComunicaçãoComunicação: O Processo De Comunicação
Comunicação: O Processo De Comunicação
 
Ficha de trabalho nº11 exercicios atendimento - escuta
Ficha de trabalho nº11    exercicios atendimento - escutaFicha de trabalho nº11    exercicios atendimento - escuta
Ficha de trabalho nº11 exercicios atendimento - escuta
 
Linguagem e comunicação I
Linguagem e comunicação ILinguagem e comunicação I
Linguagem e comunicação I
 
Comunicação Empresarial
Comunicação EmpresarialComunicação Empresarial
Comunicação Empresarial
 
Freud e o inconsciente
Freud e o inconscienteFreud e o inconsciente
Freud e o inconsciente
 
Aula percepção atenção fig
Aula percepção atenção figAula percepção atenção fig
Aula percepção atenção fig
 
46175896 manual-exercicios
46175896 manual-exercicios46175896 manual-exercicios
46175896 manual-exercicios
 
Exercícios de programação neuro-linguistica
Exercícios de programação neuro-linguisticaExercícios de programação neuro-linguistica
Exercícios de programação neuro-linguistica
 
Lae Comunicação Interna e Externa
Lae Comunicação Interna e ExternaLae Comunicação Interna e Externa
Lae Comunicação Interna e Externa
 
Fundamentos da Neurociência
Fundamentos da NeurociênciaFundamentos da Neurociência
Fundamentos da Neurociência
 
Psicologia comunicação
Psicologia   comunicaçãoPsicologia   comunicação
Psicologia comunicação
 
Linguagem e Pensamento
Linguagem e Pensamento Linguagem e Pensamento
Linguagem e Pensamento
 

Semelhante a A evolução da cognição: uma perspectiva 4E

neurociência-aplicada-a-educação.pptx
neurociência-aplicada-a-educação.pptxneurociência-aplicada-a-educação.pptx
neurociência-aplicada-a-educação.pptxSidney Silva
 
Aula 01 - Introdução à Psicologia Cognitiva.pdf
Aula 01 - Introdução à Psicologia Cognitiva.pdfAula 01 - Introdução à Psicologia Cognitiva.pdf
Aula 01 - Introdução à Psicologia Cognitiva.pdfJssicaPitombeira
 
Didática e aprendizagem da inteligencia
Didática e aprendizagem da inteligenciaDidática e aprendizagem da inteligencia
Didática e aprendizagem da inteligenciaHebert Balieiro
 
Seminário prof. dra. daniela barros
Seminário prof. dra. daniela barrosSeminário prof. dra. daniela barros
Seminário prof. dra. daniela barrostvf
 
O espirito e o cerebro matheus kielek
O espirito e o cerebro   matheus kielekO espirito e o cerebro   matheus kielek
O espirito e o cerebro matheus kielekMatheus Kielek
 
Fundamentos psic aplicados a educação
Fundamentos psic aplicados a educaçãoFundamentos psic aplicados a educação
Fundamentos psic aplicados a educaçãoSimoneHelenDrumond
 
As bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
As bases neurologicas  dos disturbios e dificuldades de aprendizagemAs bases neurologicas  dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
As bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagemglauciacorreaperes
 
As bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
As bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagemAs bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
As bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagemglauciacorreaperes
 
Reencarnação sob a ótica da evolução
Reencarnação sob a ótica da evoluçãoReencarnação sob a ótica da evolução
Reencarnação sob a ótica da evoluçãoCibele Carvalho
 
Pós - Ensino e Aprendizagem na Educação
Pós - Ensino e Aprendizagem na EducaçãoPós - Ensino e Aprendizagem na Educação
Pós - Ensino e Aprendizagem na EducaçãoÉrica Paula
 

Semelhante a A evolução da cognição: uma perspectiva 4E (20)

Etapa 5
Etapa 5Etapa 5
Etapa 5
 
Slides de neuro
Slides de neuroSlides de neuro
Slides de neuro
 
neurociência-aplicada-a-educação.pptx
neurociência-aplicada-a-educação.pptxneurociência-aplicada-a-educação.pptx
neurociência-aplicada-a-educação.pptx
 
Apostila neuropsicanálise atual
Apostila neuropsicanálise atualApostila neuropsicanálise atual
Apostila neuropsicanálise atual
 
Cérebro x Mente
Cérebro x MenteCérebro x Mente
Cérebro x Mente
 
Pensamento
PensamentoPensamento
Pensamento
 
Aula 01 - Introdução à Psicologia Cognitiva.pdf
Aula 01 - Introdução à Psicologia Cognitiva.pdfAula 01 - Introdução à Psicologia Cognitiva.pdf
Aula 01 - Introdução à Psicologia Cognitiva.pdf
 
Didática e aprendizagem da inteligencia
Didática e aprendizagem da inteligenciaDidática e aprendizagem da inteligencia
Didática e aprendizagem da inteligencia
 
Seminário prof. dra. daniela barros
Seminário prof. dra. daniela barrosSeminário prof. dra. daniela barros
Seminário prof. dra. daniela barros
 
O espirito e o cerebro matheus kielek
O espirito e o cerebro   matheus kielekO espirito e o cerebro   matheus kielek
O espirito e o cerebro matheus kielek
 
Fundamentos psic aplicados a educação
Fundamentos psic aplicados a educaçãoFundamentos psic aplicados a educação
Fundamentos psic aplicados a educação
 
As bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
As bases neurologicas  dos disturbios e dificuldades de aprendizagemAs bases neurologicas  dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
As bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
 
As bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
As bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagemAs bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
As bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
 
Reencarnação sob a ótica da evolução
Reencarnação sob a ótica da evoluçãoReencarnação sob a ótica da evolução
Reencarnação sob a ótica da evolução
 
Pós - Ensino e Aprendizagem na Educação
Pós - Ensino e Aprendizagem na EducaçãoPós - Ensino e Aprendizagem na Educação
Pós - Ensino e Aprendizagem na Educação
 
Terezinha Lindino
Terezinha LindinoTerezinha Lindino
Terezinha Lindino
 
Iemag ieducar bases neurologicas da aprendizagem
Iemag   ieducar bases neurologicas da aprendizagem Iemag   ieducar bases neurologicas da aprendizagem
Iemag ieducar bases neurologicas da aprendizagem
 
Atributo consciencial
Atributo consciencialAtributo consciencial
Atributo consciencial
 
Aula 4_SFC (1).ppt
Aula 4_SFC (1).pptAula 4_SFC (1).ppt
Aula 4_SFC (1).ppt
 
Percepção
PercepçãoPercepção
Percepção
 

Mais de Raquel Salcedo Gomes

Trajetórias de aprendizagem para navegar o século XXI.pdf
Trajetórias de aprendizagem para navegar o século XXI.pdfTrajetórias de aprendizagem para navegar o século XXI.pdf
Trajetórias de aprendizagem para navegar o século XXI.pdfRaquel Salcedo Gomes
 
Trajetórias de Aprendizagem Visível em Ambiente Informatizado
Trajetórias de Aprendizagem Visível em Ambiente InformatizadoTrajetórias de Aprendizagem Visível em Ambiente Informatizado
Trajetórias de Aprendizagem Visível em Ambiente InformatizadoRaquel Salcedo Gomes
 
Cultura digital ou digitalização da cultura
Cultura digital ou digitalização da culturaCultura digital ou digitalização da cultura
Cultura digital ou digitalização da culturaRaquel Salcedo Gomes
 
Trajetórias de aprendizagem e os 20 princípios da APA sobre ensino e aprendiz...
Trajetórias de aprendizagem e os 20 princípios da APA sobre ensino e aprendiz...Trajetórias de aprendizagem e os 20 princípios da APA sobre ensino e aprendiz...
Trajetórias de aprendizagem e os 20 princípios da APA sobre ensino e aprendiz...Raquel Salcedo Gomes
 
História das tecnologias cognitivas e suas implicações educacionais
História das tecnologias cognitivas e suas implicações educacionaisHistória das tecnologias cognitivas e suas implicações educacionais
História das tecnologias cognitivas e suas implicações educacionaisRaquel Salcedo Gomes
 
Desafios da educação na pandemia
Desafios da educação na pandemiaDesafios da educação na pandemia
Desafios da educação na pandemiaRaquel Salcedo Gomes
 
What happened to cognitive science? O que aconteceu com a ciência cognitiva?
What happened to cognitive science? O que aconteceu com a ciência cognitiva?What happened to cognitive science? O que aconteceu com a ciência cognitiva?
What happened to cognitive science? O que aconteceu com a ciência cognitiva?Raquel Salcedo Gomes
 
Benjamin Bloom, Mastery Learning, Objetivos Educacionais
Benjamin Bloom, Mastery Learning, Objetivos EducacionaisBenjamin Bloom, Mastery Learning, Objetivos Educacionais
Benjamin Bloom, Mastery Learning, Objetivos EducacionaisRaquel Salcedo Gomes
 
Pesquisa em informática na educação e ciências cognitivas
Pesquisa em informática na educação e ciências cognitivasPesquisa em informática na educação e ciências cognitivas
Pesquisa em informática na educação e ciências cognitivasRaquel Salcedo Gomes
 
Fechamento Pierre Lévy - O que é o virtual?
Fechamento Pierre Lévy - O que é o virtual?Fechamento Pierre Lévy - O que é o virtual?
Fechamento Pierre Lévy - O que é o virtual?Raquel Salcedo Gomes
 
Inteligência Coletiva - Pierre Lévy
Inteligência Coletiva - Pierre Lévy Inteligência Coletiva - Pierre Lévy
Inteligência Coletiva - Pierre Lévy Raquel Salcedo Gomes
 
Pierre Lévy e as humanidades digitais
Pierre Lévy e as humanidades digitaisPierre Lévy e as humanidades digitais
Pierre Lévy e as humanidades digitaisRaquel Salcedo Gomes
 
Informática na educação baseada em evidências
Informática na educação baseada em evidênciasInformática na educação baseada em evidências
Informática na educação baseada em evidênciasRaquel Salcedo Gomes
 
Pervasive Computing: Vision and Challenges
Pervasive Computing: Vision and ChallengesPervasive Computing: Vision and Challenges
Pervasive Computing: Vision and ChallengesRaquel Salcedo Gomes
 
Mobilidade e tecnocultura: q linguajar é esse?
Mobilidade e tecnocultura: q linguajar é esse?Mobilidade e tecnocultura: q linguajar é esse?
Mobilidade e tecnocultura: q linguajar é esse?Raquel Salcedo Gomes
 

Mais de Raquel Salcedo Gomes (20)

Trajetórias de aprendizagem para navegar o século XXI.pdf
Trajetórias de aprendizagem para navegar o século XXI.pdfTrajetórias de aprendizagem para navegar o século XXI.pdf
Trajetórias de aprendizagem para navegar o século XXI.pdf
 
Trajetórias de Aprendizagem Visível em Ambiente Informatizado
Trajetórias de Aprendizagem Visível em Ambiente InformatizadoTrajetórias de Aprendizagem Visível em Ambiente Informatizado
Trajetórias de Aprendizagem Visível em Ambiente Informatizado
 
Cultura digital ou digitalização da cultura
Cultura digital ou digitalização da culturaCultura digital ou digitalização da cultura
Cultura digital ou digitalização da cultura
 
Trajetórias de aprendizagem e os 20 princípios da APA sobre ensino e aprendiz...
Trajetórias de aprendizagem e os 20 princípios da APA sobre ensino e aprendiz...Trajetórias de aprendizagem e os 20 princípios da APA sobre ensino e aprendiz...
Trajetórias de aprendizagem e os 20 princípios da APA sobre ensino e aprendiz...
 
História das tecnologias cognitivas e suas implicações educacionais
História das tecnologias cognitivas e suas implicações educacionaisHistória das tecnologias cognitivas e suas implicações educacionais
História das tecnologias cognitivas e suas implicações educacionais
 
Desafios da educação na pandemia
Desafios da educação na pandemiaDesafios da educação na pandemia
Desafios da educação na pandemia
 
What happened to cognitive science? O que aconteceu com a ciência cognitiva?
What happened to cognitive science? O que aconteceu com a ciência cognitiva?What happened to cognitive science? O que aconteceu com a ciência cognitiva?
What happened to cognitive science? O que aconteceu com a ciência cognitiva?
 
Cognição enativa e linguagem
Cognição enativa e linguagemCognição enativa e linguagem
Cognição enativa e linguagem
 
Benjamin Bloom, Mastery Learning, Objetivos Educacionais
Benjamin Bloom, Mastery Learning, Objetivos EducacionaisBenjamin Bloom, Mastery Learning, Objetivos Educacionais
Benjamin Bloom, Mastery Learning, Objetivos Educacionais
 
Educação na cultura digital
Educação na cultura digitalEducação na cultura digital
Educação na cultura digital
 
Pesquisa em informática na educação e ciências cognitivas
Pesquisa em informática na educação e ciências cognitivasPesquisa em informática na educação e ciências cognitivas
Pesquisa em informática na educação e ciências cognitivas
 
Fechamento Pierre Lévy - O que é o virtual?
Fechamento Pierre Lévy - O que é o virtual?Fechamento Pierre Lévy - O que é o virtual?
Fechamento Pierre Lévy - O que é o virtual?
 
O que é o virtual? Pierre Lévy
O que é o virtual? Pierre LévyO que é o virtual? Pierre Lévy
O que é o virtual? Pierre Lévy
 
Inteligência Coletiva - Pierre Lévy
Inteligência Coletiva - Pierre Lévy Inteligência Coletiva - Pierre Lévy
Inteligência Coletiva - Pierre Lévy
 
Pierre Lévy e as humanidades digitais
Pierre Lévy e as humanidades digitaisPierre Lévy e as humanidades digitais
Pierre Lévy e as humanidades digitais
 
Informática na educação baseada em evidências
Informática na educação baseada em evidênciasInformática na educação baseada em evidências
Informática na educação baseada em evidências
 
Pervasive Computing: Vision and Challenges
Pervasive Computing: Vision and ChallengesPervasive Computing: Vision and Challenges
Pervasive Computing: Vision and Challenges
 
Bergson e Maturana em minha tese
Bergson e Maturana em minha teseBergson e Maturana em minha tese
Bergson e Maturana em minha tese
 
Poesia - Modernistas (1945-1960)
Poesia - Modernistas (1945-1960)Poesia - Modernistas (1945-1960)
Poesia - Modernistas (1945-1960)
 
Mobilidade e tecnocultura: q linguajar é esse?
Mobilidade e tecnocultura: q linguajar é esse?Mobilidade e tecnocultura: q linguajar é esse?
Mobilidade e tecnocultura: q linguajar é esse?
 

Último

Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfEyshilaKelly1
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoMary Alvarenga
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfdio7ff
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 

Último (20)

Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
 
Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 

A evolução da cognição: uma perspectiva 4E

  • 1. The Evolution of Cognition: a 4E Perspective (Barrett, L., 2018 - The Oxford Handbook of 4E Cognition) Raquel Salcedo Gomes PGIE/UFRGS
  • 2. T ext Summary Whats is cognition anyway? Cognition as coordination The Skin-Brain Thesis Behavioral flexibility, the elaboration of nervous systems and the umwelt Going Radical and getting out Continuity Right
  • 3. O que é cognição, afinal? Neisser, 1967: processos pelos quais as entradas sensoriais são transformadas, manipuladas, aumentadas e usadas para dar origem a saídas motoras, assumindo implicitamente que esses processos ocorrem apenas no cérebro. Visão antropogênica: modelar e recriar a inteligência humana com o uso de computadores. Processos concebidos como cognitivos: formação de conceito, raciocínio, habilidades de solução de problemas, teoria da mente, linguagem natural, memória, planejamento e a habilidade de representar objetos em sua ausência -> tipicamente humanos.
  • 4. Psicologia comparativa: traços comuns em diferentes espécies, flexibilidade ou instinto. Darwin: diferença de grau, não de tipo. Abordagens ecológicas. Shettleworth, 1999: “qualquer processo em que animais adquirem, processam, armazenam e agem sobre qualquer informação do ambiente". Pouco consenso: explicações mentalistas e não-mentalistas. T amanho do cérebro; capacidade cognitiva (flexibilidade); ter ou não ter cérebro.
  • 5. Mas as bactérias são muitos espertas. E muitos animais com cérebros minúsculos também. Cognição 4E - embodied, embedded, enactive, extended (corporificada, situada, enativa, estendida): inconsistências do cognitivismo -> cérebros não podem ser divorciados do resto do corpo e dos contextos ambientais. Perspectiva biogênica: princípios da organização biológica e adaptação. Questionamento da antropogenia do representacionalismo cognitivista.
  • 6. Cognição como coordenação Anderson, 2003: "capacidade de inferir relações entre circunstâncias externas e necessidade interna de facilitar a agência, cuja função é permitir ações e interações bem-sucedidas em um nicho” - definição funcional -> atividade situada Brook (1991, 1999): entrelaçamento estreito entre percepção e ação - embedded or situated cognition Inteligência como propriedade relacional: surge através da posse de uma constituição física específica, operando dentro de um ambiente específico Evolução: milhares de anos desenvolvendo mecanismos perceptivo-ativos de inteligência, sendo a função simbólica bem mais recente.
  • 7. Problema do enativismo clássico: se tudo é cognitivo, então nada é cognitivo -> é preciso haver uma distinção entre organismos vivos cognitivos e não cognitivos Hipótese: organismos cognitivos possuem sistema nervoso. Problema: as bactérias são muito espertas, elas têm funções meta- metabólicas Cognição, portanto, é coordenação sensório-motora adaptativa à vida: surge para manter os processos metabólicos dentro de limites aceitáveis
  • 8. Cérebro Sistema nervoso Coordenação sensório-motora adaptativa Perspectiva Antropogênica Origens da cognição HELIOCENTRISMO GEOCENTRISMO Perspectiva Biogênica
  • 9. A tese do cérebro-pele Evolução do sistema nervoso Hipótese: sistemas nervosos evoluíram para possibilitar comportamento muscular, não para permitir um comportamento mais inteligente Sistemas nervosos como sistemas de coordenação: redes nervosas difusas que se espalhavam por grande parte do corpo do animal (como nas medusas) e não como sistemas de entrada e saída
  • 10. Keijzer et al., 2013 -> processo evolutivo em duas fases: 1) superfícies musculares com propriedades contráteis conduzindo atividade elétrica capaz de transmissão química entre as células, devido à necessidade de mobilidade: “superfícies de Pantin”; 2) um número pequeno de células de sinalização mais especializadas evoluiu, com processos axodendríticos alongados (isto é, neurônios), o que lhes permitiu sinalizar para células não adjacentes, dando origem a uma rede nervosa espalhada por todo o corpo, permitindo maior flexibilidade de movimento e forma, e possibilitando um corpo de tamanho menor.
  • 11. Flexibilidade de conduta, elaboração do sistema nervo e umwelt evolução cognitiva como processo pelo qual os organismos se tornaram mais bem equipados para rastrear e lidar com contingências imprevisíveis em tempo real em ambientes mutáveis Da coordenação adaptativa ao sistema nervoso e ao cérebro Importância da longevidade -> experiência e mudanças ambientais
  • 12. Parte da razão pela qual o cérebro humano é tão grande é ajudar a controlar e coordenar nosso aparato sensorial e motor, o que gerou níveis altos de flexibilidade comportamental, a qual, por sua vez, expandiu nosso “umwelt” - termo usado por Uexküll (2014) para capturar a noção de que os organismos são sensíveis apenas àqueles aspectos do ambiente que têm significado para sua sobrevivência e reprodução. A abordagem 4E coloca o corpo e o ambiente do organismo em um foco claro, de maneira a permitir que os vieses antropocêntricos da posição cognitivista sejam contornados.
  • 13.
  • 14. Radicalizando e buscando a continuidade certa CEC - Conservative Embodied Cognition: representações orientadas à ação -> T op-down REC - Radical Embodied Cognition: anti-representacionalismo -> Bottom-up Lógica da continuidade evolutiva: o conhecimento humano, tipicamente representacional (simbólico) e pleno de conteúdo, não pode ter surgido do nada
  • 15. Wittgenstein: a ação (experiência) está na base do nosso conhecimento - é preciso acertar na continuidade "Mentes linguísticas, socioculturalmente estruturadas, como as nossas, lidam claramente com regras e representações (caso contrário, você não seria capaz de ler e compreender as palavras desta página ...), e é bastante claro que algumas das questões interessantes da psicologia humana são melhor entendidas usando uma estrutura representacional. É um erro, no entanto, supor que, dado esse estado de coisas pertencer à espécie humana, esse pensamento deve, portanto, caracterizar a cognição em todo o reino animal.” (p. 10)
  • 16. Continuidade e discontinuidade Há também uma clara descontinuidade entre nossa espécie e as demais: humanos ocupam um nicho sociocultural único. REC: o conteúdo surge com o domínio das práticas e artefatos socioculturais nesse tipo específico de nicho = as representações existem primeiro publicamente e externamente e depois são “internalizadas", como argumentou Vygotsky (1997). Práticas públicas, como a transmissão de alta fidelidade de comportamentos culturais, juntamente com o ensino, podem ser cruciais para gerar mentes humanas.