SlideShare uma empresa Scribd logo
INTRODUÇÃO Á
AQUACULTURA E PESCA
Introdução ao estudo da aquacultura
e pesca
 No dia 12 de Outubro de 1999No dia 12 de Outubro de 1999
nasceu o ser humano nnasceu o ser humano noo
seis biliões.seis biliões.
Este novo habitante começa a suaEste novo habitante começa a sua
existência num mundo com váriosexistência num mundo com vários
problemas de difícil solução dentreproblemas de difícil solução dentre
eles aeles a pobrezapobreza,, exclusãoexclusão,, doençadoença,,
injustiça socialinjustiça social,, violênciaviolência ee fomefome..
 Daqui a 50 anos, este mesmo ser, seDaqui a 50 anos, este mesmo ser, se
é que os problemas enfrentados nãoé que os problemas enfrentados não
cheguem a matá-lo, terá quecheguem a matá-lo, terá que
procurar sobreviver no meio de umaprocurar sobreviver no meio de uma
população já não mais de 6, e simpopulação já não mais de 6, e sim
de 11 biliões de habitantes.de 11 biliões de habitantes.
Como as nações do 3ºComo as nações do 3º
mundo vão fazer paramundo vão fazer para
alimentaralimentar esta enormeesta enorme
quantidade de pessoas??quantidade de pessoas??
Introdução ao estudo da aquacultura
e pesca
AQUACULTURAAQUACULTURA
Poderá ser o grande aliado da agricultura e continuaráPoderá ser o grande aliado da agricultura e continuará
a desempenhar um papel muito importante nosa desempenhar um papel muito importante nos
próximos anos no que refere à mitigação dos problemaspróximos anos no que refere à mitigação dos problemas
acima referenciados.acima referenciados.
FOME = POBREZAFOME = POBREZA,,
ExclusãoExclusão,,
DoençaDoença,,
Injustiça socialInjustiça social,,
Violência.Violência.
Introdução ao estudo da aquacultura
e pesca
PESCAPESCA
É o acto de capturarÉ o acto de capturar peixespeixes ou outros animais aquáticos nos rios,ou outros animais aquáticos nos rios,
lagos ou nos mares com propósitos comerciais, de subsistência,lagos ou nos mares com propósitos comerciais, de subsistência,
desportivos ou outros.desportivos ou outros.
A captura deA captura de algasalgas designa-se por “apanha” e a captura dedesigna-se por “apanha” e a captura de
mamíferosmamíferos, como a baleia, é normalmente designada de “caça, como a baleia, é normalmente designada de “caça
Introdução ao estudo da aquacultura
e pesca
Do lantimDo lantim
Uma actividadeUma actividade multidisciplinarmultidisciplinar, referente ao, referente ao
cultivo de organismos aquáticos, incluindo peixes,cultivo de organismos aquáticos, incluindo peixes,
moluscos, crustáceos, anfíbios, répteis e plantasmoluscos, crustáceos, anfíbios, répteis e plantas
aquáticas.aquáticas.
Conceitos básicos sobre aquacultura
Vantagens da aquaculturaVantagens da aquacultura
 De todos os animais domesticados, o peixe é queDe todos os animais domesticados, o peixe é que
oferece:oferece:
 Melhor produtividadeMelhor produtividade
 Custos de produção baixosCustos de produção baixos
 Aproveitamento de sub-produtos (uso de restosAproveitamento de sub-produtos (uso de restos
agro-pecuários).agro-pecuários).
Vantagens da AquaculturaVantagens da Aquacultura
Vantagens da AquaculturaVantagens da Aquacultura
 EmpregoEmprego
 Proteína, ácidos gordos, vitaminas eProteína, ácidos gordos, vitaminas e
mineraisminerais
 Produto fresco onde os produtos de pescaProduto fresco onde os produtos de pesca
não estão disponíveisnão estão disponíveis
 Aumento dos rendimentos da população.Aumento dos rendimentos da população.
Importância económicaImportância económica
 A aquacultura está crescendo mais rápido do queA aquacultura está crescendo mais rápido do que
qualquer sector de produção animal.qualquer sector de produção animal.
 A contribuição mundial da aquacultura é de 8-A contribuição mundial da aquacultura é de 8-
10% com tendência a crescer10% com tendência a crescer
Actividade Taxa de crescimento
Piscicultura 8.8 %
Pesca 1.2%
Pecuária 2.8%
99
Importância económicaImportância económica
 Europa produz espécies de maior valorEuropa produz espécies de maior valor
económicoeconómico
 Asia usa métodos extensivosAsia usa métodos extensivos
Continente Volume de
produção
Valor da
produção
Asia cerca de 90% 82%
Europa Cerca de 6% 10%
América Cerca de 4% 7%
Africa Quase 0% 1%
1010
ProblemasProblemas
 Lançamento para o ambiente de efluentes comLançamento para o ambiente de efluentes com
contaminantescontaminantes (antibióticos, excesso de(antibióticos, excesso de
nutrientes, doenças)nutrientes, doenças)
 Disseminação de espécies invasivas indesejadosDisseminação de espécies invasivas indesejados
(Carpa em Massingir,(Carpa em Massingir, OO.. niloticusniloticus em Cahoraem Cahora
Bassa)Bassa)

Disseminação de parasitas e pragasDisseminação de parasitas e pragas..
1111
 Para criar organismosPara criar organismos
aquáticos, não basta teraquáticos, não basta ter
somente água cercada por terrasomente água cercada por terra
para nela tentar fazerpara nela tentar fazer
aquacultura;aquacultura;
 A criação de organismosA criação de organismos
aquáticos deve ser feita emaquáticos deve ser feita em
local apropriado, seguindolocal apropriado, seguindo
certas premissas e obedecendocertas premissas e obedecendo
alguns critérios técnicos paraalguns critérios técnicos para
poder aproveitar ao máximo ospoder aproveitar ao máximo os
recursos disponíveis erecursos disponíveis e
rentabilizar o investimento.rentabilizar o investimento.
Instalações para aquacultura
Podem ser de natureza:Podem ser de natureza:
IndustrialIndustrial
Instalações para aquacultura
 RuralRural
 Uma instalação de aquacultura de natureza industrial deve ser compostaUma instalação de aquacultura de natureza industrial deve ser composta
basicamente de compartimentos de serviços de apoio e logística (escritórios,basicamente de compartimentos de serviços de apoio e logística (escritórios,
armazém, processamento e etc.) e por duas zonas distintas de produção:armazém, processamento e etc.) e por duas zonas distintas de produção:
 Zona de reprodução/laboratórioZona de reprodução/laboratório
 Tanques de reprodutores e maneio de matrizes/acasalamento;Tanques de reprodutores e maneio de matrizes/acasalamento;
 Tanques de larvicultura/berçário;Tanques de larvicultura/berçário;
 Tanques de estocagem das PL's e alevinos.Tanques de estocagem das PL's e alevinos.
 Zona de recriaZona de recria
 Viveiros da pré-engorda;Viveiros da pré-engorda;
 Viveiros da engorda (tanques–rede);Viveiros da engorda (tanques–rede);
 Tanques/viveiros de fluxo intensivo“Raceways”Tanques/viveiros de fluxo intensivo“Raceways”
Instalações para aquacultura
Aula 1 2-introdução à aquacultura
 Tanques de larvicultura/berçárioTanques de larvicultura/berçário
Classificação dos tanques
 Tanques de pré-engorda/estocagem de alevinos eTanques de pré-engorda/estocagem de alevinos e
plspls
Classificação dos tanques
Classificação dos tanques
Classificação dos tanques
 Tanques para reprodutoresTanques para reprodutores
 O solo é uma mistura complexa de organismos vivos,
matéria orgânica, minerais, água e ar.
 Tipo de solo;
 Preferência solos argilosos (15 a 50% argila) e baixaPreferência solos argilosos (15 a 50% argila) e baixa
permeabilidade.permeabilidade.
 Permeabilidade – (Capacidade de deixar passar água).
Condições edáficas e ambietais na
aquacultura
Topografia de ser plana para facilitar a remoção eTopografia de ser plana para facilitar a remoção e
baixar os custos de escavação.baixar os custos de escavação.
Deve ter um declive suficiente para encher osDeve ter um declive suficiente para encher os
tanques/viveiros por gravidade, e captar a águatanques/viveiros por gravidade, e captar a água
na parte mais acima do terreno em relação aosna parte mais acima do terreno em relação aos
tanque.tanque.
Condições pedológicas e ambietais na
aquacultura
 Testes de soloTestes de solo
Teste de renteção da água
Teste de barraTeste de apertar
Condições ambientais na Aquacultura
FÍSICAS
Temperatura
Salinidade
Sólidos em suspensão
Cor da água
Transparência
Luz (qualidade e quantidade)
QUÍMICAS
pH e alcalinidade
Gases dissolvidos
Nutrientes
Oxigenio
Compostos orgânicos
Compostos inorgânicos
Poluentes
BIOLÓGICAS
Vírus
Bactérias
Fungos
Protozoários
Plâncton
TECNOLÓGICAS
Densidade
Taxa de renovação
Biomassa
Carga
Alimentação
 Recursos HídricosRecursos Hídricos
Condições ambietais na aquacultura
• Qualidade;
• Quantidade.
• Fontes de água:
• Rio;
• Oceano;
• Lagos;
• Estuário;
• Fontes subterrânea;
• Nascente.
 Oxigênio e nutrientesOxigênio e nutrientes
 Ausência ou baixos níveis deAusência ou baixos níveis de
NHNH33, NO, NO22
--
, H, H22SS
 Pouca matéria orgânicaPouca matéria orgânica
 pH próximo da neutralidadepH próximo da neutralidade
 Pouca poluiçãoPouca poluição
 Condições ecológicasCondições ecológicas
 1 Recolha de informação:1 Recolha de informação:
 2 Finanças:2 Finanças:
Planificação em Aquacultura
 3 Construção:3 Construção:
 4 Unidades populacionais (ou stock) de peixe:4 Unidades populacionais (ou stock) de peixe:
Planificação em Aquacultura
 5 Produção:5 Produção:
 6 Colheita:6 Colheita:
 7 Consumo e Venda:7 Consumo e Venda:
 As principais espécies são:As principais espécies são:
1. Tilápias1. Tilápias
Espécies de exploração aquícola em
Moçambique
Tilápia Mozambique
Oreochromis mossambicus
Tilápia do Nilo
Oreochromis niloticus
2. Carpa comum2. Carpa comum
3. Peixe gato africano
Espécies de exploração aquícola em
Moçambique
5. Camarão de água doce
6. Moluscos/Ostras
7. Algas Marinhas
4. Camarão tigre
8. Crocodilos
THE ENDTHE END

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Instalações rurais (Bem estar animal)
Instalações rurais (Bem estar animal)Instalações rurais (Bem estar animal)
Instalações rurais (Bem estar animal)
Jacqueline Gomes
 
BIOLOGIA: Os peixes (COMPLETO)
BIOLOGIA: Os peixes (COMPLETO)BIOLOGIA: Os peixes (COMPLETO)
BIOLOGIA: Os peixes (COMPLETO)
Ana Maciel
 
Sistemas de criação
Sistemas de criaçãoSistemas de criação
Sistemas de criação
IASSON LIMA DE ALMEIDA JUNIOR
 
Peixe seco aula
Peixe seco aulaPeixe seco aula
Peixe seco aula
sueide
 
Sistemas de cultivo em piscicultura
Sistemas de cultivo em pisciculturaSistemas de cultivo em piscicultura
Sistemas de cultivo em piscicultura
Anderson Santana
 
Produção de ovinos e caprinos de corte
Produção de ovinos e caprinos de corteProdução de ovinos e caprinos de corte
Produção de ovinos e caprinos de corte
Rômulo Alexandrino Silva
 
Cap 2 principais ramos da aquacultura
Cap 2  principais ramos da aquaculturaCap 2  principais ramos da aquacultura
Cap 2 principais ramos da aquacultura
Ivaristo Americo
 
Noções de anatomia das aves i semestre 2014
Noções de anatomia  das aves i semestre 2014Noções de anatomia  das aves i semestre 2014
Noções de anatomia das aves i semestre 2014
Tiago Merlo
 
Instalações de aves
Instalações de avesInstalações de aves
Instalações de aves
Layane Ribeiro Mascarenhas
 
Manual de Criação de Peixes em Viveiros
Manual de Criação de Peixes em ViveirosManual de Criação de Peixes em Viveiros
Manual de Criação de Peixes em Viveiros
Sérgio Amaral
 
Producao de suinos
Producao de suinosProducao de suinos
Producao de suinos
Felisberto Fmuandissa
 
Slide suínos
Slide suínosSlide suínos
Slide suínos
Larissa Lobo
 
Sistema Digestivo Nos Animais
Sistema Digestivo Nos AnimaisSistema Digestivo Nos Animais
Sistema Digestivo Nos Animais
Rosa Pereira
 
Aula 2 Tanque Rede
Aula 2   Tanque RedeAula 2   Tanque Rede
Aula 2 Tanque Rede
Humberto Tavares de Carvalho
 
Aula 4 bioclimatologia animal ecologia animal
Aula 4 bioclimatologia animal ecologia animalAula 4 bioclimatologia animal ecologia animal
Aula 4 bioclimatologia animal ecologia animal
James Pinho Ladislau Pinho
 
Andamento de Equinos
Andamento de EquinosAndamento de Equinos
Andamento de Equinos
Killer Max
 
1 introdução à zootecnia
1 introdução à zootecnia1 introdução à zootecnia
1 introdução à zootecnia
gepaunipampa
 
Zootecnia Geral - Coelhos
Zootecnia Geral - CoelhosZootecnia Geral - Coelhos
Zootecnia Geral - Coelhos
Bruno Anacleto
 
Bubalinocultura
BubalinoculturaBubalinocultura
Bubalinocultura
Amanda Souza
 
Raças bovinas 01
Raças bovinas 01Raças bovinas 01
Raças bovinas 01
Glaucia Barbosa Coelho
 

Mais procurados (20)

Instalações rurais (Bem estar animal)
Instalações rurais (Bem estar animal)Instalações rurais (Bem estar animal)
Instalações rurais (Bem estar animal)
 
BIOLOGIA: Os peixes (COMPLETO)
BIOLOGIA: Os peixes (COMPLETO)BIOLOGIA: Os peixes (COMPLETO)
BIOLOGIA: Os peixes (COMPLETO)
 
Sistemas de criação
Sistemas de criaçãoSistemas de criação
Sistemas de criação
 
Peixe seco aula
Peixe seco aulaPeixe seco aula
Peixe seco aula
 
Sistemas de cultivo em piscicultura
Sistemas de cultivo em pisciculturaSistemas de cultivo em piscicultura
Sistemas de cultivo em piscicultura
 
Produção de ovinos e caprinos de corte
Produção de ovinos e caprinos de corteProdução de ovinos e caprinos de corte
Produção de ovinos e caprinos de corte
 
Cap 2 principais ramos da aquacultura
Cap 2  principais ramos da aquaculturaCap 2  principais ramos da aquacultura
Cap 2 principais ramos da aquacultura
 
Noções de anatomia das aves i semestre 2014
Noções de anatomia  das aves i semestre 2014Noções de anatomia  das aves i semestre 2014
Noções de anatomia das aves i semestre 2014
 
Instalações de aves
Instalações de avesInstalações de aves
Instalações de aves
 
Manual de Criação de Peixes em Viveiros
Manual de Criação de Peixes em ViveirosManual de Criação de Peixes em Viveiros
Manual de Criação de Peixes em Viveiros
 
Producao de suinos
Producao de suinosProducao de suinos
Producao de suinos
 
Slide suínos
Slide suínosSlide suínos
Slide suínos
 
Sistema Digestivo Nos Animais
Sistema Digestivo Nos AnimaisSistema Digestivo Nos Animais
Sistema Digestivo Nos Animais
 
Aula 2 Tanque Rede
Aula 2   Tanque RedeAula 2   Tanque Rede
Aula 2 Tanque Rede
 
Aula 4 bioclimatologia animal ecologia animal
Aula 4 bioclimatologia animal ecologia animalAula 4 bioclimatologia animal ecologia animal
Aula 4 bioclimatologia animal ecologia animal
 
Andamento de Equinos
Andamento de EquinosAndamento de Equinos
Andamento de Equinos
 
1 introdução à zootecnia
1 introdução à zootecnia1 introdução à zootecnia
1 introdução à zootecnia
 
Zootecnia Geral - Coelhos
Zootecnia Geral - CoelhosZootecnia Geral - Coelhos
Zootecnia Geral - Coelhos
 
Bubalinocultura
BubalinoculturaBubalinocultura
Bubalinocultura
 
Raças bovinas 01
Raças bovinas 01Raças bovinas 01
Raças bovinas 01
 

Semelhante a Aula 1 2-introdução à aquacultura

AULA 1 Introdução a Piscicultura 2022.pptx
AULA 1 Introdução a Piscicultura 2022.pptxAULA 1 Introdução a Piscicultura 2022.pptx
AULA 1 Introdução a Piscicultura 2022.pptx
BRENDACARLALUQUETTI
 
Cap 3 - tecnicas de cultivo e instrumentos
Cap 3 - tecnicas de cultivo e instrumentosCap 3 - tecnicas de cultivo e instrumentos
Cap 3 - tecnicas de cultivo e instrumentos
Ivaristo Americo
 
Biodiversidade um bem necessário
Biodiversidade um bem necessárioBiodiversidade um bem necessário
Biodiversidade um bem necessário
Cristina Miranda
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
Rita Cunha
 
Funda+º+úo riozoo
Funda+º+úo riozooFunda+º+úo riozoo
Funda+º+úo riozoo
GuiaDidatico
 
Espécies em-via-de-extinção-o-que1
Espécies em-via-de-extinção-o-que1Espécies em-via-de-extinção-o-que1
Espécies em-via-de-extinção-o-que1
ana_pontenova
 
Recursos Naturais
Recursos NaturaisRecursos Naturais
Recursos Naturais
Sandra Semedo
 
Ameaças à Biodiversidade
Ameaças à BiodiversidadeAmeaças à Biodiversidade
Ameaças à Biodiversidade
Ednaldo Monteiro
 
Filo annelida
Filo annelidaFilo annelida
Filo annelida
André Valuz
 
ABC Cultivo de peixes
ABC Cultivo de peixesABC Cultivo de peixes
ABC Cultivo de peixes
Lenildo Araujo
 
Aula 1 - Importância do esgotamento sanitário.pdf
Aula 1 - Importância do esgotamento sanitário.pdfAula 1 - Importância do esgotamento sanitário.pdf
Aula 1 - Importância do esgotamento sanitário.pdf
LilianeLili11
 
Manejo animais silvestres
Manejo animais silvestresManejo animais silvestres
Manejo animais silvestres
claudioyudi
 
2aqui
2aqui2aqui
Minhocultura
MinhoculturaMinhocultura
Minhocultura
Alexandre Panerai
 
Criação e manejo de peixes
Criação e manejo de peixesCriação e manejo de peixes
Criação e manejo de peixes
Rafael Soares Dias
 
2. impactes e_solucoes_-pesca_fil_eminimizer_
2. impactes e_solucoes_-pesca_fil_eminimizer_2. impactes e_solucoes_-pesca_fil_eminimizer_
2. impactes e_solucoes_-pesca_fil_eminimizer_
Gonçalo Simões
 
Pontal Verde-Azul
Pontal Verde-AzulPontal Verde-Azul
Pontal Verde-Azul
pontalverdeazul
 
Aula 1 - Biodiversidade e os Recursos Genéticos [Salvo automaticamente].pptx
Aula 1 - Biodiversidade e os Recursos Genéticos [Salvo automaticamente].pptxAula 1 - Biodiversidade e os Recursos Genéticos [Salvo automaticamente].pptx
Aula 1 - Biodiversidade e os Recursos Genéticos [Salvo automaticamente].pptx
UERGS
 
Apresentação aquicultura para escoteiros
Apresentação aquicultura para escoteirosApresentação aquicultura para escoteiros
Apresentação aquicultura para escoteiros
Gabriel Fontes
 
Moluscos de importância médica - Parasitologia
Moluscos de importância médica - ParasitologiaMoluscos de importância médica - Parasitologia
Moluscos de importância médica - Parasitologia
Colégio Estadual Padre Fernando Gomes de Melo
 

Semelhante a Aula 1 2-introdução à aquacultura (20)

AULA 1 Introdução a Piscicultura 2022.pptx
AULA 1 Introdução a Piscicultura 2022.pptxAULA 1 Introdução a Piscicultura 2022.pptx
AULA 1 Introdução a Piscicultura 2022.pptx
 
Cap 3 - tecnicas de cultivo e instrumentos
Cap 3 - tecnicas de cultivo e instrumentosCap 3 - tecnicas de cultivo e instrumentos
Cap 3 - tecnicas de cultivo e instrumentos
 
Biodiversidade um bem necessário
Biodiversidade um bem necessárioBiodiversidade um bem necessário
Biodiversidade um bem necessário
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
 
Funda+º+úo riozoo
Funda+º+úo riozooFunda+º+úo riozoo
Funda+º+úo riozoo
 
Espécies em-via-de-extinção-o-que1
Espécies em-via-de-extinção-o-que1Espécies em-via-de-extinção-o-que1
Espécies em-via-de-extinção-o-que1
 
Recursos Naturais
Recursos NaturaisRecursos Naturais
Recursos Naturais
 
Ameaças à Biodiversidade
Ameaças à BiodiversidadeAmeaças à Biodiversidade
Ameaças à Biodiversidade
 
Filo annelida
Filo annelidaFilo annelida
Filo annelida
 
ABC Cultivo de peixes
ABC Cultivo de peixesABC Cultivo de peixes
ABC Cultivo de peixes
 
Aula 1 - Importância do esgotamento sanitário.pdf
Aula 1 - Importância do esgotamento sanitário.pdfAula 1 - Importância do esgotamento sanitário.pdf
Aula 1 - Importância do esgotamento sanitário.pdf
 
Manejo animais silvestres
Manejo animais silvestresManejo animais silvestres
Manejo animais silvestres
 
2aqui
2aqui2aqui
2aqui
 
Minhocultura
MinhoculturaMinhocultura
Minhocultura
 
Criação e manejo de peixes
Criação e manejo de peixesCriação e manejo de peixes
Criação e manejo de peixes
 
2. impactes e_solucoes_-pesca_fil_eminimizer_
2. impactes e_solucoes_-pesca_fil_eminimizer_2. impactes e_solucoes_-pesca_fil_eminimizer_
2. impactes e_solucoes_-pesca_fil_eminimizer_
 
Pontal Verde-Azul
Pontal Verde-AzulPontal Verde-Azul
Pontal Verde-Azul
 
Aula 1 - Biodiversidade e os Recursos Genéticos [Salvo automaticamente].pptx
Aula 1 - Biodiversidade e os Recursos Genéticos [Salvo automaticamente].pptxAula 1 - Biodiversidade e os Recursos Genéticos [Salvo automaticamente].pptx
Aula 1 - Biodiversidade e os Recursos Genéticos [Salvo automaticamente].pptx
 
Apresentação aquicultura para escoteiros
Apresentação aquicultura para escoteirosApresentação aquicultura para escoteiros
Apresentação aquicultura para escoteiros
 
Moluscos de importância médica - Parasitologia
Moluscos de importância médica - ParasitologiaMoluscos de importância médica - Parasitologia
Moluscos de importância médica - Parasitologia
 

Mais de Ivaristo Americo

Gmzr aula 7
Gmzr   aula 7Gmzr   aula 7
Gmzr aula 7
Ivaristo Americo
 
Gmzr aula 6
Gmzr   aula 6Gmzr   aula 6
Gmzr aula 6
Ivaristo Americo
 
Gmzr aula 5
Gmzr   aula 5Gmzr   aula 5
Gmzr aula 5
Ivaristo Americo
 
Gmzr aula 3
Gmzr   aula 3Gmzr   aula 3
Gmzr aula 3
Ivaristo Americo
 
Gmr aula 1
Gmr  aula 1Gmr  aula 1
Gmr aula 1
Ivaristo Americo
 
Gmzr aula 4
Gmzr   aula 4Gmzr   aula 4
Gmzr aula 4
Ivaristo Americo
 
Slaide vaca louca
Slaide vaca loucaSlaide vaca louca
Slaide vaca louca
Ivaristo Americo
 
Nossos slides de epidemiologia
Nossos slides de epidemiologiaNossos slides de epidemiologia
Nossos slides de epidemiologia
Ivaristo Americo
 
Iv doencas das aves
Iv doencas das avesIv doencas das aves
Iv doencas das aves
Ivaristo Americo
 
Iii doenca dos suinos
Iii doenca dos suinosIii doenca dos suinos
Iii doenca dos suinos
Ivaristo Americo
 
Febre aftose
Febre aftoseFebre aftose
Febre aftose
Ivaristo Americo
 
Coccidiose aviaria
Coccidiose aviariaCoccidiose aviaria
Coccidiose aviaria
Ivaristo Americo
 
Iii doenca dos suinos
Iii doenca dos suinosIii doenca dos suinos
Iii doenca dos suinos
Ivaristo Americo
 
Brucelose 01
Brucelose 01Brucelose 01
Brucelose 01
Ivaristo Americo
 
Aula 1-epidemiologia
Aula 1-epidemiologiaAula 1-epidemiologia
Aula 1-epidemiologia
Ivaristo Americo
 
Aula 1 tipos de epidemiologia
Aula 1 tipos de epidemiologiaAula 1 tipos de epidemiologia
Aula 1 tipos de epidemiologia
Ivaristo Americo
 
Aula 2 brucelose doencas em bovinos
Aula 2  brucelose doencas em bovinosAula 2  brucelose doencas em bovinos
Aula 2 brucelose doencas em bovinos
Ivaristo Americo
 
Meios didacticos iv
Meios didacticos   ivMeios didacticos   iv
Meios didacticos iv
Ivaristo Americo
 
Formadores
FormadoresFormadores
Formadores
Ivaristo Americo
 
Estratégia de aprendizagem
Estratégia de aprendizagemEstratégia de aprendizagem
Estratégia de aprendizagem
Ivaristo Americo
 

Mais de Ivaristo Americo (20)

Gmzr aula 7
Gmzr   aula 7Gmzr   aula 7
Gmzr aula 7
 
Gmzr aula 6
Gmzr   aula 6Gmzr   aula 6
Gmzr aula 6
 
Gmzr aula 5
Gmzr   aula 5Gmzr   aula 5
Gmzr aula 5
 
Gmzr aula 3
Gmzr   aula 3Gmzr   aula 3
Gmzr aula 3
 
Gmr aula 1
Gmr  aula 1Gmr  aula 1
Gmr aula 1
 
Gmzr aula 4
Gmzr   aula 4Gmzr   aula 4
Gmzr aula 4
 
Slaide vaca louca
Slaide vaca loucaSlaide vaca louca
Slaide vaca louca
 
Nossos slides de epidemiologia
Nossos slides de epidemiologiaNossos slides de epidemiologia
Nossos slides de epidemiologia
 
Iv doencas das aves
Iv doencas das avesIv doencas das aves
Iv doencas das aves
 
Iii doenca dos suinos
Iii doenca dos suinosIii doenca dos suinos
Iii doenca dos suinos
 
Febre aftose
Febre aftoseFebre aftose
Febre aftose
 
Coccidiose aviaria
Coccidiose aviariaCoccidiose aviaria
Coccidiose aviaria
 
Iii doenca dos suinos
Iii doenca dos suinosIii doenca dos suinos
Iii doenca dos suinos
 
Brucelose 01
Brucelose 01Brucelose 01
Brucelose 01
 
Aula 1-epidemiologia
Aula 1-epidemiologiaAula 1-epidemiologia
Aula 1-epidemiologia
 
Aula 1 tipos de epidemiologia
Aula 1 tipos de epidemiologiaAula 1 tipos de epidemiologia
Aula 1 tipos de epidemiologia
 
Aula 2 brucelose doencas em bovinos
Aula 2  brucelose doencas em bovinosAula 2  brucelose doencas em bovinos
Aula 2 brucelose doencas em bovinos
 
Meios didacticos iv
Meios didacticos   ivMeios didacticos   iv
Meios didacticos iv
 
Formadores
FormadoresFormadores
Formadores
 
Estratégia de aprendizagem
Estratégia de aprendizagemEstratégia de aprendizagem
Estratégia de aprendizagem
 

Último

Concreto_atualização_descobertas_100.pptx
Concreto_atualização_descobertas_100.pptxConcreto_atualização_descobertas_100.pptx
Concreto_atualização_descobertas_100.pptx
BuscaApto
 
Terraplanagem e Pavimentação parte 3 um cursso pratico
Terraplanagem e Pavimentação parte 3 um cursso praticoTerraplanagem e Pavimentação parte 3 um cursso pratico
Terraplanagem e Pavimentação parte 3 um cursso pratico
Vias & Rodovias
 
POLICORTE.pptx treinamento de policorte.
POLICORTE.pptx treinamento de policorte.POLICORTE.pptx treinamento de policorte.
POLICORTE.pptx treinamento de policorte.
YgorRodrigues11
 
Terraplanagem e Pavimentação parte 2 um curso pratico
Terraplanagem e Pavimentação parte 2 um curso praticoTerraplanagem e Pavimentação parte 2 um curso pratico
Terraplanagem e Pavimentação parte 2 um curso pratico
Vias & Rodovias
 
Terraplenagem e Pavimentação um Curso Pratico
Terraplenagem e Pavimentação um Curso PraticoTerraplenagem e Pavimentação um Curso Pratico
Terraplenagem e Pavimentação um Curso Pratico
Vias & Rodovias
 
Purificador Grau D Ar Respirável para Espaços Confinados.pdf
Purificador Grau D Ar Respirável para Espaços Confinados.pdfPurificador Grau D Ar Respirável para Espaços Confinados.pdf
Purificador Grau D Ar Respirável para Espaços Confinados.pdf
Claudinei Machado
 
Apostila M1002-2 BR - Parker - Eletropneumática.pdf
Apostila M1002-2 BR - Parker - Eletropneumática.pdfApostila M1002-2 BR - Parker - Eletropneumática.pdf
Apostila M1002-2 BR - Parker - Eletropneumática.pdf
Elpidiotapejara
 

Último (7)

Concreto_atualização_descobertas_100.pptx
Concreto_atualização_descobertas_100.pptxConcreto_atualização_descobertas_100.pptx
Concreto_atualização_descobertas_100.pptx
 
Terraplanagem e Pavimentação parte 3 um cursso pratico
Terraplanagem e Pavimentação parte 3 um cursso praticoTerraplanagem e Pavimentação parte 3 um cursso pratico
Terraplanagem e Pavimentação parte 3 um cursso pratico
 
POLICORTE.pptx treinamento de policorte.
POLICORTE.pptx treinamento de policorte.POLICORTE.pptx treinamento de policorte.
POLICORTE.pptx treinamento de policorte.
 
Terraplanagem e Pavimentação parte 2 um curso pratico
Terraplanagem e Pavimentação parte 2 um curso praticoTerraplanagem e Pavimentação parte 2 um curso pratico
Terraplanagem e Pavimentação parte 2 um curso pratico
 
Terraplenagem e Pavimentação um Curso Pratico
Terraplenagem e Pavimentação um Curso PraticoTerraplenagem e Pavimentação um Curso Pratico
Terraplenagem e Pavimentação um Curso Pratico
 
Purificador Grau D Ar Respirável para Espaços Confinados.pdf
Purificador Grau D Ar Respirável para Espaços Confinados.pdfPurificador Grau D Ar Respirável para Espaços Confinados.pdf
Purificador Grau D Ar Respirável para Espaços Confinados.pdf
 
Apostila M1002-2 BR - Parker - Eletropneumática.pdf
Apostila M1002-2 BR - Parker - Eletropneumática.pdfApostila M1002-2 BR - Parker - Eletropneumática.pdf
Apostila M1002-2 BR - Parker - Eletropneumática.pdf
 

Aula 1 2-introdução à aquacultura

  • 2. Introdução ao estudo da aquacultura e pesca  No dia 12 de Outubro de 1999No dia 12 de Outubro de 1999 nasceu o ser humano nnasceu o ser humano noo seis biliões.seis biliões. Este novo habitante começa a suaEste novo habitante começa a sua existência num mundo com váriosexistência num mundo com vários problemas de difícil solução dentreproblemas de difícil solução dentre eles aeles a pobrezapobreza,, exclusãoexclusão,, doençadoença,, injustiça socialinjustiça social,, violênciaviolência ee fomefome..  Daqui a 50 anos, este mesmo ser, seDaqui a 50 anos, este mesmo ser, se é que os problemas enfrentados nãoé que os problemas enfrentados não cheguem a matá-lo, terá quecheguem a matá-lo, terá que procurar sobreviver no meio de umaprocurar sobreviver no meio de uma população já não mais de 6, e simpopulação já não mais de 6, e sim de 11 biliões de habitantes.de 11 biliões de habitantes.
  • 3. Como as nações do 3ºComo as nações do 3º mundo vão fazer paramundo vão fazer para alimentaralimentar esta enormeesta enorme quantidade de pessoas??quantidade de pessoas?? Introdução ao estudo da aquacultura e pesca
  • 4. AQUACULTURAAQUACULTURA Poderá ser o grande aliado da agricultura e continuaráPoderá ser o grande aliado da agricultura e continuará a desempenhar um papel muito importante nosa desempenhar um papel muito importante nos próximos anos no que refere à mitigação dos problemaspróximos anos no que refere à mitigação dos problemas acima referenciados.acima referenciados. FOME = POBREZAFOME = POBREZA,, ExclusãoExclusão,, DoençaDoença,, Injustiça socialInjustiça social,, Violência.Violência. Introdução ao estudo da aquacultura e pesca
  • 5. PESCAPESCA É o acto de capturarÉ o acto de capturar peixespeixes ou outros animais aquáticos nos rios,ou outros animais aquáticos nos rios, lagos ou nos mares com propósitos comerciais, de subsistência,lagos ou nos mares com propósitos comerciais, de subsistência, desportivos ou outros.desportivos ou outros. A captura deA captura de algasalgas designa-se por “apanha” e a captura dedesigna-se por “apanha” e a captura de mamíferosmamíferos, como a baleia, é normalmente designada de “caça, como a baleia, é normalmente designada de “caça Introdução ao estudo da aquacultura e pesca
  • 6. Do lantimDo lantim Uma actividadeUma actividade multidisciplinarmultidisciplinar, referente ao, referente ao cultivo de organismos aquáticos, incluindo peixes,cultivo de organismos aquáticos, incluindo peixes, moluscos, crustáceos, anfíbios, répteis e plantasmoluscos, crustáceos, anfíbios, répteis e plantas aquáticas.aquáticas. Conceitos básicos sobre aquacultura
  • 7. Vantagens da aquaculturaVantagens da aquacultura  De todos os animais domesticados, o peixe é queDe todos os animais domesticados, o peixe é que oferece:oferece:  Melhor produtividadeMelhor produtividade  Custos de produção baixosCustos de produção baixos  Aproveitamento de sub-produtos (uso de restosAproveitamento de sub-produtos (uso de restos agro-pecuários).agro-pecuários). Vantagens da AquaculturaVantagens da Aquacultura
  • 8. Vantagens da AquaculturaVantagens da Aquacultura  EmpregoEmprego  Proteína, ácidos gordos, vitaminas eProteína, ácidos gordos, vitaminas e mineraisminerais  Produto fresco onde os produtos de pescaProduto fresco onde os produtos de pesca não estão disponíveisnão estão disponíveis  Aumento dos rendimentos da população.Aumento dos rendimentos da população.
  • 9. Importância económicaImportância económica  A aquacultura está crescendo mais rápido do queA aquacultura está crescendo mais rápido do que qualquer sector de produção animal.qualquer sector de produção animal.  A contribuição mundial da aquacultura é de 8-A contribuição mundial da aquacultura é de 8- 10% com tendência a crescer10% com tendência a crescer Actividade Taxa de crescimento Piscicultura 8.8 % Pesca 1.2% Pecuária 2.8% 99
  • 10. Importância económicaImportância económica  Europa produz espécies de maior valorEuropa produz espécies de maior valor económicoeconómico  Asia usa métodos extensivosAsia usa métodos extensivos Continente Volume de produção Valor da produção Asia cerca de 90% 82% Europa Cerca de 6% 10% América Cerca de 4% 7% Africa Quase 0% 1% 1010
  • 11. ProblemasProblemas  Lançamento para o ambiente de efluentes comLançamento para o ambiente de efluentes com contaminantescontaminantes (antibióticos, excesso de(antibióticos, excesso de nutrientes, doenças)nutrientes, doenças)  Disseminação de espécies invasivas indesejadosDisseminação de espécies invasivas indesejados (Carpa em Massingir,(Carpa em Massingir, OO.. niloticusniloticus em Cahoraem Cahora Bassa)Bassa)  Disseminação de parasitas e pragasDisseminação de parasitas e pragas.. 1111
  • 12.  Para criar organismosPara criar organismos aquáticos, não basta teraquáticos, não basta ter somente água cercada por terrasomente água cercada por terra para nela tentar fazerpara nela tentar fazer aquacultura;aquacultura;  A criação de organismosA criação de organismos aquáticos deve ser feita emaquáticos deve ser feita em local apropriado, seguindolocal apropriado, seguindo certas premissas e obedecendocertas premissas e obedecendo alguns critérios técnicos paraalguns critérios técnicos para poder aproveitar ao máximo ospoder aproveitar ao máximo os recursos disponíveis erecursos disponíveis e rentabilizar o investimento.rentabilizar o investimento. Instalações para aquacultura
  • 13. Podem ser de natureza:Podem ser de natureza: IndustrialIndustrial Instalações para aquacultura
  • 15.  Uma instalação de aquacultura de natureza industrial deve ser compostaUma instalação de aquacultura de natureza industrial deve ser composta basicamente de compartimentos de serviços de apoio e logística (escritórios,basicamente de compartimentos de serviços de apoio e logística (escritórios, armazém, processamento e etc.) e por duas zonas distintas de produção:armazém, processamento e etc.) e por duas zonas distintas de produção:  Zona de reprodução/laboratórioZona de reprodução/laboratório  Tanques de reprodutores e maneio de matrizes/acasalamento;Tanques de reprodutores e maneio de matrizes/acasalamento;  Tanques de larvicultura/berçário;Tanques de larvicultura/berçário;  Tanques de estocagem das PL's e alevinos.Tanques de estocagem das PL's e alevinos.  Zona de recriaZona de recria  Viveiros da pré-engorda;Viveiros da pré-engorda;  Viveiros da engorda (tanques–rede);Viveiros da engorda (tanques–rede);  Tanques/viveiros de fluxo intensivo“Raceways”Tanques/viveiros de fluxo intensivo“Raceways” Instalações para aquacultura
  • 17.  Tanques de larvicultura/berçárioTanques de larvicultura/berçário Classificação dos tanques
  • 18.  Tanques de pré-engorda/estocagem de alevinos eTanques de pré-engorda/estocagem de alevinos e plspls Classificação dos tanques
  • 20. Classificação dos tanques  Tanques para reprodutoresTanques para reprodutores
  • 21.  O solo é uma mistura complexa de organismos vivos, matéria orgânica, minerais, água e ar.  Tipo de solo;  Preferência solos argilosos (15 a 50% argila) e baixaPreferência solos argilosos (15 a 50% argila) e baixa permeabilidade.permeabilidade.  Permeabilidade – (Capacidade de deixar passar água). Condições edáficas e ambietais na aquacultura
  • 22. Topografia de ser plana para facilitar a remoção eTopografia de ser plana para facilitar a remoção e baixar os custos de escavação.baixar os custos de escavação. Deve ter um declive suficiente para encher osDeve ter um declive suficiente para encher os tanques/viveiros por gravidade, e captar a águatanques/viveiros por gravidade, e captar a água na parte mais acima do terreno em relação aosna parte mais acima do terreno em relação aos tanque.tanque. Condições pedológicas e ambietais na aquacultura
  • 23.  Testes de soloTestes de solo Teste de renteção da água Teste de barraTeste de apertar
  • 24. Condições ambientais na Aquacultura FÍSICAS Temperatura Salinidade Sólidos em suspensão Cor da água Transparência Luz (qualidade e quantidade) QUÍMICAS pH e alcalinidade Gases dissolvidos Nutrientes Oxigenio Compostos orgânicos Compostos inorgânicos Poluentes BIOLÓGICAS Vírus Bactérias Fungos Protozoários Plâncton TECNOLÓGICAS Densidade Taxa de renovação Biomassa Carga Alimentação
  • 25.  Recursos HídricosRecursos Hídricos Condições ambietais na aquacultura • Qualidade; • Quantidade. • Fontes de água: • Rio; • Oceano; • Lagos; • Estuário; • Fontes subterrânea; • Nascente.
  • 26.  Oxigênio e nutrientesOxigênio e nutrientes  Ausência ou baixos níveis deAusência ou baixos níveis de NHNH33, NO, NO22 -- , H, H22SS  Pouca matéria orgânicaPouca matéria orgânica  pH próximo da neutralidadepH próximo da neutralidade  Pouca poluiçãoPouca poluição  Condições ecológicasCondições ecológicas
  • 27.  1 Recolha de informação:1 Recolha de informação:  2 Finanças:2 Finanças: Planificação em Aquacultura
  • 28.  3 Construção:3 Construção:  4 Unidades populacionais (ou stock) de peixe:4 Unidades populacionais (ou stock) de peixe: Planificação em Aquacultura
  • 29.  5 Produção:5 Produção:  6 Colheita:6 Colheita:  7 Consumo e Venda:7 Consumo e Venda:
  • 30.  As principais espécies são:As principais espécies são: 1. Tilápias1. Tilápias Espécies de exploração aquícola em Moçambique Tilápia Mozambique Oreochromis mossambicus Tilápia do Nilo Oreochromis niloticus
  • 31. 2. Carpa comum2. Carpa comum 3. Peixe gato africano Espécies de exploração aquícola em Moçambique
  • 32. 5. Camarão de água doce 6. Moluscos/Ostras 7. Algas Marinhas 4. Camarão tigre 8. Crocodilos