SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 10
Empreenderorismo
Aula 05:
poupadores. Estes mobilizam recursos junto aos poupadores e os
41
Custo de capital – o preço pago (juros) pelos recursos obtidos junto
ao mercado financeiro pela empresa para aplicar em um
investimento.
Taxa de retorno – é o ganho esperado com o investimento realizado.
Este ganho deverá cobrir os custos e ainda gerar fundos positivos.
Risco econômico – é um grau de incerteza quanto ao resultado
positivo esperado com o investimento realizado, não gerando
fundos positivos ou nem mesmo suficientes para cobrir o custo de
capital.
7.10 Financiamentos
Uma empresa para funcionar geralmente começa com recursos
próprios de seu criador. É o capital social dos sócios
proprietários. Obviamente, com o decorrer do tempo, há
necessidade de mais capital para crescimento das operações
ou para socorrer momentos de falta de caixa para
cumprir compromissos financeiros. O financiamento é uma
operação que a empresa pega no mercado capital de terceiros
para aplicar na sua atividade. A questão básica aqui é quanto
vai custar o uso desse capital e por quanto tempo. Para isso, a
empresa recorre ao mercado financeiro, representado
pelos bancos, para captação de recursos. Opções como
empréstimos bancários e financiamento de compras são
exemplos de produtos disponíveis.
Outra forma de captação seria venda de ações no mercado
acionário. Essa opção requer que a empresa seja uma S/A -
sociedade anônima e nesse caso as pessoas que compram as
ações passam a ser sócias da empresa, dividindo o lucro da
operação com os proprietários.
É bom esclarecer que o fato de uma empresa pegar dinheiro
emprestado no mercado não quer dizer que ela esteja
em dificuldades financeiras ou que a empresa não esteja
dando lucro. O uso de capital de terceiros pode ser altamente
vantajoso para empresa, desde que aplicado corretamente, como
vemos no item 7.11 da alavancagem financeira.
O mercado financeiro, compreendido
poupadores de recursos, é
representado financeiros que fazem
a intermediação
por
pelos
entre
tomadores e
intermediários
tomadores e
como instituição, que chamamos empresa, para realizar
42
oferecem no mercado para os necessitados. Por fazerem esse
serviço, são remunerados pelos juros. O mercado financeiro é
um
importante instrumento para crescimento da economia e
desenvolvimento de um país por possibilitar meios pelos quais as
empresas podem obter recursos para investimentos, ampliação
de sua atividade no mercado, ofertar mais empregos, ou seja,
gerar mais riquezas para a economia. Dessa forma, é altamente
necessário que exista esse mercado, desde que seu foco seja a
aplicação do dinheiro para promover a atividade produtiva.
Se o foco for a especulação financeira, ou seja, gerar dinheiro
pelo dinheiro, estará indo contra o principio fundamental de
sua existência e o resultado, como já vimos na história, é uma
crise onde muitos perdem seus grandes lucros adquiridos pela
roda financeira improdutiva.
7.11 Alavancagem Financeira
É o efeito de captar e aplicar capital de terceiros na empresa
a um custo x, sendo que o retorno (lucro) da operação da
empresa será y. Sendo y maior que x, o lucro do proprietário é
aumentado, pois ele ganhou dinheiro na operação da sua
empresa usando dinheiro de outros (terceiros), mesmo
pagando pelo uso desse dinheiro.
Os Fundamentos de Negócios
Para ter sucesso no que faz, seja o que for, é preciso entender
dos fundamentos, entender o mecanismo de funcionamento do
que se vai fazer. O mundo dos negócios é muito dinâmico, seja
pela dinâmica de evolução natural de uma empresa, seja
pela dinâmica dos mercados que estão sempre em
movimento em busca de renovação e expansão. O mundo dos
negócios requer amplos conhecimentos e quanto mais bem
informado e expert no seu ramo de negócio, mais chances
de sucesso para o empreendedor.
8.1 O que é uma empresa?
Uma empresa é um grupo de pessoas que se reúne e existe
43
coletivamente algo que não seriam capazes de realizar
individualmente, para atender a uma necessidade do cliente
e visam ter um retorno financeiro com essa atividade.
Uma empresa é composta por 5 elementos citados abaixo e a
combinação ideal dos elementos é a função principal do
empresário. A melhor combinação possível em termos de custo,
melhor aproveitamento dos recursos possível, satisfação dos
envolvidos (funcionários, fornecedores e clientes) e de
desempenho financeiro (lucro) e econômico (crescimento do
patrimônio e aumento de valor da empresa).
O grande desafio do empreendedor ao iniciar uma empresa
é justamente achar a combinação ideal desses elementos
para minimizar seu custo e maximizar seu lucro porque
essa combinação pode ser um grande diferencial
competitivo, se conseguir uma combinação melhor do que
o concorrente e colocar a empresa numa situação de vantagem
competitiva sobre vários aspectos como:
-Menor custo da operação,
- Maior qualidade do produto,
- Menor uso de capital, ou uso a um custo menor,
- Maior agilidade de atendimento do cliente e entrega do produto,
- Melhor atendimento do cliente em todos os aspectos,
-Maior satisfação dos funcionários no trabalho e possibilidades
de realização e crescimento profissional,
-Melhor uso dos recursos produtivos, maximizando o uso
do capital investido
-Maior e mais eficiente uso da tecnologia, modernizando
e facilitando as operações da empresa,
-Melhor imagem da empresa (da Marca) no mercado como
uma empresa eficiente, confiável e com produto de
qualidade desejado por todos.
Os 5 Elementos que Compõem uma Empresa:
1.Estrutura – a forma de organização da empresa em termo de
cargos, hierarquia, e órgãos funcionais,
2. Pessoas – os funcionários que irão desenvolver as atividades
necessárias dentro da empresa,
3. Processos – a forma de execução das atividades dentro da
empresa,
44
4. Capital – o dinheiro envolvido na operação, como estoque,
fluxo de caixa e investimentos, 5. Tecnologia – a tecnologia
usada tanto na produção quanto no desenvolvimento dos
processos da empresa e também a tecnologia da informação (TI),
a informática necessária em todas as atividades da empresa.
O diferencial hoje buscado por todas as empresas é como se
destacar no mercado diante da acirrada concorrência e
projetar sua marca/produto para que não entre na briga do preço
baixo ou para que seu produto não fique ultrapassado pelas
inovações tecnológicas.
A longevidade das empresas é medida
combinação dos 5 elementos e da busca
dessa eficiente
do diferencial
competitivo. O empreendedor ao iniciar um novo negócio tem a
oportunidade de começar diferente, de propor uma
combinação diferenciada para enfrentar os concorrentes já
posicionados no
mercado, mas com combinações também já estabelecidas e às
vezes de difícil re-combinação por envolver muitos interesses,
quebra de status quo, quebra de paradigmas e mudança de
toda uma cultura há anos estabelecida.
Visão empresa-máquina – a empresa máquina, como toda máquina, é
insensível, operada e controlada, repetitiva e previsível e nela reina
a cultura organizacional de eficiência máxima. Daí vem a expressão
usada para dizer que um funcionário é importante:
“você é uma peça fundamental da nossa engrenagem”.Visão organismo vivo – como todo organismo vivo, o bom
funcionamento da empresa depende vitalmente da interação com
os ambientes interno e externo. O homem deixa de ser uma peça
da engrenagem para ser um indivíduo autônomo, sensível e criativo
capaz de transferir para a organização essas características.
Capacitar a organização para um comportamento sensível, ágil e
inovador requer redesenhar a empresa para que ela perceba as
mudanças do cenário, processe essa mudança internamente e volte
ao mercado com uma nova proposta para manter sua
competitividade.
Assim a empresa do século XXI tem um novo desenho onde o
papel do líder, a aprendizagem continuada, o Branding, o
trabalho em equipe, a gestão do conhecimento, a gestão e
criação de valor para o cliente e um desenho flexível da estrutura
45
serão elementos definitivos para se terda empresa
competitividade.
8.2 A economia (macro-ambiente)
O empreendedor ao se lançar na iniciativa empresarial deverá
entender da dinâmica da economia do seu país. Como seu
negócio é afetado pelas condições econômicas de mercado.
Um ambiente econômico saudável é condição básica para
estimular investimentos na criação de empresas. O Governo tem
um papel fundamental nesse processo por ser um importante
agente de controle e regulamentação dos mercados e
também um agente fomentador de desenvolvimento da
economia.
O crescimento econômico influência diretamente o
desempenho das empresas devido o impacto sobre a
demanda de seus produtos ou serviços. A forma mais
comum de medir esse crescimento é o PIB (produto interno
bruto) que é o valor de mercado de todos os bens e
serviços produzidos em uma economia em dado período de
tempo. Outro elemento indicador importante da atividade
econômica é o índice de desemprego da economia que sinaliza
a entrada e saída de funcionários nas empresas e por
conseqüência, a entrada e saída de consumidores, já
que uma pessoa desempregada e sem renda irá consumir
menos.
As condições do ambiente econômico são afetadas por
elementos como:
-Taxa de juros – representa o custo do empréstimo do dinheiro que
o empresário pode precisar para financiar seus investimentos,
para levantar recursos para situações momentâneas de caixa
deficitário e também para financiar as compras a prazo de seus
clientes,
-Inflação – é o aumento dos preços de uma economia que afetam
todos os envolvidos à medida que um aumento no custo da
matéria-prima acarretará no aumento do preço de venda e
com preços da economia aumentando estimula o aumento
dos salários, que por sua vez, sendo um custo da empresa,
afetará novamente o preço de venda, - Impostos – para
manter sua estrutura funcionando e fazer investimentos em
obras públicas, o Governo arrecada impostos,
46
sua principal fonte de renda. Os impostos vêm principalmente do
consumo dos bens da economia, pois o preço de venda contém
um percentual de impostos que as empresas repassam ao
Governo mensalmente quando fecham seu faturamento no fim do
mês. A carga tributária afeta os preços dos produtos e também a
demanda, sendo muito alta eleva também o preços dos produtos
da economia. - Renda – o dinheiro que os consumidores têm para
compras vem principalmente dos salários por eles recebidos em
seus empregos. Quanto melhor o nível salarial dos trabalhadores,
mais condições de consumo eles terão e isso faz aumentar as
vendas das empresas e o nível da atividade econômica, -
Regulamentação Governamental – o Governo tem poder e autonomia
para interferir na economia como bem entender, respeitando
logicamente o poder Legislativo, mas mesmo assim tem poderes
de ação. Ele pode intervir em situações de desequilíbrio,
regulamentar certas atividades econômicas, favorecer com leis o
capital nacional em detrimento da concorrência estrangeira, coibir
ou incentivar importações de produtos que concorrem com a
produção nacional e outras mais, - Investimento Governamental – o
Governo através de seus gastos de custeio (despesas para
funcionamento de toda sua estrutura) e gastos de investimentos
(obras públicas que beneficiam a comunidade) incentiva a
atividade econômica uma vez que gastando dinheiro coloca-
o para circular na economia, gerando empregos e sendo
um grande consumidor para as empresas que aumentam
suas vendas diretamente, quando vendem ou prestam
serviços ao Governo, e indiretamente quando as pessoas que
conseguiram empregos pelo o aumento da atividade
econômica promovida pelo Governo são consumidores também
para as empresas,
- Globalização do mercado – o empreendedor ao abrir seu negócio
deverá pensar não somente no mercado local, onde sua
empresa está situada, mas no mercado global. O efeito
globalização tem mudado a forma de fazer negócios e
principalmente o nível de concorrência entre as empresas.
Dependendo da empresa, seus concorrentes podem estar não
somente no mercado local (a cidade ou país que está
situada), mas em qualquer lugar do mundo utilizando dos
meios de comunicação, principalmente a Internet, a logística de
empresas que atuam globalmente como os Correios, Fedex e
outras que entregam qualquer produto em
47
qualquer lugar. Outra questão da globalização é a expansão das
empresas em busca de novos mercados e clientes que estão se
instalando em outros países constituindo filiais ou comprando
empresas locais que já estão estabelecidas no mercado e
entendem a cultura local. Existe hoje uma forte movimentação de
aquisição ou fusão de empresas concorrentes buscando uma
melhor posição competitiva nos mercados que atuam.
8.3 Lei da Oferta e Demanda
A oferta é a quantidade de produtos que as empresas podem ou
estão dispostas a vender a determinado preço de mercado.
Quanto maior o preço, mais dispostas vão estar para vendas.
A demanda é a quantidade de produtos que os consumidores
podem ou estão dispostos a comprar a determinado preço de
mercado. Quanto menor o preço, mais dispostas ao consumo
eles estarão.
O mercado está sempre em busca do preço de equilíbrio, onde
o preço de venda seja interessante tanto para empresas como
para consumidores. A esse preço dito justo o mercado
estaria em equilíbrio. Mas dificilmente isso é conseguido, pois
numa situaçãode concorrência perfeita onde os produtos
vendedores e compradores são inúmeros
são iguais e os
a ponto de não
influenciarem os preços que propiciaria esse equilíbrio,
dificilmente ocorre. Diversas variáveis podem afetar os preços,
não permitindo tal controle. Do lado do vendedor, um produto
novo e inovador lhe permite cobrar o preço que desejar, pois os
consumidores estão dispostos a comprar pela novidade, pelo
status ou pelo modismo. Pelo lado do comprador, ele pode estar
disposto a comprar um produto de seu gosto e preferência,
mesmo que haja no mercado outros produtos similares a um
preço mais baixo.
8.4 Ciclo de vida (produto e negócio)
Todo produto ao ser lançado no mercado terá um nível de
aceitação e ao longo de sua vida sofrerá algumas
modificações, incrementações para continuar atendendo a
necessidade dos clientes. Alguns ficarão obsoletos pela
inovação tecnológica e serão eliminados. Outros modernizados
ou lançados em diversas
48
versões para atingir uma gama maior de consumidores. O ciclo
de vida de um produto no mercado pode ser dividido em
quatro fases:
(1)Introdução - O produto foi lançado no mercado e o
crescimento das vendas é lento;
(2)Crescimento - Há uma explosão da procura, uma melhoria
dos lucros e o produto tende a massificar-se. Chegam novos
competidores;
(3)Maturidade - O ritmo de crescimento das vendas dá sinais de
abrandamento. É uma fase em que as empresas tendem a entrar
em guerras de preço e aumentar a publicidade;
(4)Declínio - A procura entra em derrapagem, os lucros sofrem
uma rápida erosão em direção ao ponto zero. Grande parte
dos competidores começa a abandonar o mercado.
8.5 Forças competitivas
A análise e o acompanhamento constante das estratégias da
concorrência, tanto no aspecto financeiro quanto mercadológico,
são essências para o negócio. Uma questão básica, mas muitas
vezes de difícil resposta é quem são os concorrentes? Muitas
vezes ações são realizadas equivocamente por não saber quem
é o concorrente, fazendo a empresa perder tempo e dinheiro
desnecessariamente.
A organização está inserida num ambiente competitivo que é o
setor em que ela atua.
A estrutura de um setor de negócios é determinada pela
interação de 5 forças competitivas, segundo o autor Michael
Porter em seu livro Estratégia Competitiva.
As 5 forças são:
1. Nível de rivalidade;
2. Ameaça de entrantes;
3. Ameaça de substitutos;
4. Poder de compra do cliente;
5. Poder de negociação do fornecedor.
Fatores que Afetam a Competitividade
· Melhor acesso a fatores de produção;
· Maior disponibilidade de capital;
· Melhor captação de capital de terceiros;
49
· Melhor tecnologia;
· Maior acesso às informações dos consumidores;
· Aumento de players globais;
· Maturação de mercados – busca de novos mercados;
· Aumento de canais de distribuição.
8.6 Estratégia empresarial
A estratégia é uma concepção ou esquema delineado para que
os objetivos possam ser alcançados.
É a escolha da alternativa que melhor combine tempo, risco,
habilidades e recursos da empresa e deve assegurar a
consecução da missão e busca da visão.
A idéia de estratégia está ligada à questão “como” na definição
de objetivos.
A estratégia diz respeito a como a empresa vai realizar a visão
que foi proposta.
A formulação de uma estratégia requer:
1.Uma avaliação e compreensão do ambiente externo –
mercado, concorrentes e relacionamentos;
2.Conhecimento profundo do ambiente interno – pontos fortes e
fracos, estrutura, capital intelectual, recursos financeiros e
tecnologia;
3. Detectar ou criar a vantagem competitiva
Vantagem competitiva é como a empresa se
da empresa.
diferencia da
concorrência e como essa diferenciação é percebida em
termos de valor pelos clientes.
As organizações desenvolvem planos para seu futuro e também
extraem padrões de seu passado. Temos então estratégia
pretendida e estratégia realizada. Nem sempre a estratégia
realizada será a pretendida, pois o mundo real exige pensar à
frente e também alguma adaptação durante o processo.
A estratégia pretendida plenamente realizada é chamada de
deliberada. Já aquela realizada, mas que não era pretendida,
é chamada de emergente.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Portifolio finanças empresariais
Portifolio finanças empresariaisPortifolio finanças empresariais
Portifolio finanças empresariaisLeandro Souza
 
Trabalhomodelodegesto 20150411000033
Trabalhomodelodegesto 20150411000033Trabalhomodelodegesto 20150411000033
Trabalhomodelodegesto 20150411000033Headri Zaus
 
134756615 processos-administrativos
134756615 processos-administrativos134756615 processos-administrativos
134756615 processos-administrativosEduardo Felix
 
Aprendendo a empreender com o Sebrae
Aprendendo a empreender com o SebraeAprendendo a empreender com o Sebrae
Aprendendo a empreender com o SebraeÓscar Curros
 
Empresa de assistência técnica em informática
Empresa de assistência técnica em informáticaEmpresa de assistência técnica em informática
Empresa de assistência técnica em informáticaClebson Romano Cardozo
 
Planejamento orçamentário na pequena empresa, para que serve?
Planejamento orçamentário na pequena empresa, para que serve?Planejamento orçamentário na pequena empresa, para que serve?
Planejamento orçamentário na pequena empresa, para que serve?Elisângela Oliveira
 
Plano de negócios Penelope Autopeças
Plano de negócios Penelope AutopeçasPlano de negócios Penelope Autopeças
Plano de negócios Penelope AutopeçasAndré Xavier
 
Plano De Negócios Para Empresas Na Internet
Plano De Negócios Para Empresas Na InternetPlano De Negócios Para Empresas Na Internet
Plano De Negócios Para Empresas Na InternetLuiz Piovesana
 
Managing Innovation - 3rd edition – Capítulos 10 e 11
Managing Innovation - 3rd edition – Capítulos 10 e 11Managing Innovation - 3rd edition – Capítulos 10 e 11
Managing Innovation - 3rd edition – Capítulos 10 e 11Pedro de Vasconcellos
 
2 plano de negócios dornelas
2 plano de negócios dornelas2 plano de negócios dornelas
2 plano de negócios dornelasMateus Monte
 
Gerenciando seu empreendimento e10
Gerenciando seu empreendimento   e10Gerenciando seu empreendimento   e10
Gerenciando seu empreendimento e10silviofsouza
 
Exercicio%20de%20estrategia%20empresarial
Exercicio%20de%20estrategia%20empresarialExercicio%20de%20estrategia%20empresarial
Exercicio%20de%20estrategia%20empresarialGil Francisco
 
Apostila 01 planejamento estratégico
Apostila 01   planejamento estratégicoApostila 01   planejamento estratégico
Apostila 01 planejamento estratégicokatiagomide
 

Mais procurados (20)

Portifolio finanças empresariais
Portifolio finanças empresariaisPortifolio finanças empresariais
Portifolio finanças empresariais
 
Trabalhomodelodegesto 20150411000033
Trabalhomodelodegesto 20150411000033Trabalhomodelodegesto 20150411000033
Trabalhomodelodegesto 20150411000033
 
134756615 processos-administrativos
134756615 processos-administrativos134756615 processos-administrativos
134756615 processos-administrativos
 
Fundamentos de finanças coorporativas
Fundamentos de finanças coorporativasFundamentos de finanças coorporativas
Fundamentos de finanças coorporativas
 
Valuation
ValuationValuation
Valuation
 
Cap08
Cap08Cap08
Cap08
 
Aprendendo a empreender com o Sebrae
Aprendendo a empreender com o SebraeAprendendo a empreender com o Sebrae
Aprendendo a empreender com o Sebrae
 
O Seu Negócio no Caminho Apropriado
O Seu Negócio no Caminho ApropriadoO Seu Negócio no Caminho Apropriado
O Seu Negócio no Caminho Apropriado
 
Empresa de assistência técnica em informática
Empresa de assistência técnica em informáticaEmpresa de assistência técnica em informática
Empresa de assistência técnica em informática
 
Curso sebrae
Curso sebraeCurso sebrae
Curso sebrae
 
GPME - O planejamento estratégico
GPME - O planejamento estratégicoGPME - O planejamento estratégico
GPME - O planejamento estratégico
 
Planejamento orçamentário na pequena empresa, para que serve?
Planejamento orçamentário na pequena empresa, para que serve?Planejamento orçamentário na pequena empresa, para que serve?
Planejamento orçamentário na pequena empresa, para que serve?
 
Plano de negócios Penelope Autopeças
Plano de negócios Penelope AutopeçasPlano de negócios Penelope Autopeças
Plano de negócios Penelope Autopeças
 
Plano De Negócios Para Empresas Na Internet
Plano De Negócios Para Empresas Na InternetPlano De Negócios Para Empresas Na Internet
Plano De Negócios Para Empresas Na Internet
 
Managing Innovation - 3rd edition – Capítulos 10 e 11
Managing Innovation - 3rd edition – Capítulos 10 e 11Managing Innovation - 3rd edition – Capítulos 10 e 11
Managing Innovation - 3rd edition – Capítulos 10 e 11
 
2 plano de negócios dornelas
2 plano de negócios dornelas2 plano de negócios dornelas
2 plano de negócios dornelas
 
Plano de negocios
Plano de negociosPlano de negocios
Plano de negocios
 
Gerenciando seu empreendimento e10
Gerenciando seu empreendimento   e10Gerenciando seu empreendimento   e10
Gerenciando seu empreendimento e10
 
Exercicio%20de%20estrategia%20empresarial
Exercicio%20de%20estrategia%20empresarialExercicio%20de%20estrategia%20empresarial
Exercicio%20de%20estrategia%20empresarial
 
Apostila 01 planejamento estratégico
Apostila 01   planejamento estratégicoApostila 01   planejamento estratégico
Apostila 01 planejamento estratégico
 

Destaque (14)

Aula 07 recursos humano
Aula 07 recursos humanoAula 07 recursos humano
Aula 07 recursos humano
 
Aula 13 auxiliar de contabilidade
Aula 13 auxiliar de contabilidadeAula 13 auxiliar de contabilidade
Aula 13 auxiliar de contabilidade
 
Aula 17 recursos humano
Aula 17 recursos humanoAula 17 recursos humano
Aula 17 recursos humano
 
Aula 07 auxiliar de contabilidade
Aula 07 auxiliar de contabilidadeAula 07 auxiliar de contabilidade
Aula 07 auxiliar de contabilidade
 
Aula 08 auxiliar de contabilidade
Aula 08 auxiliar de contabilidadeAula 08 auxiliar de contabilidade
Aula 08 auxiliar de contabilidade
 
Aula 19 recursos humano
Aula 19 recursos humanoAula 19 recursos humano
Aula 19 recursos humano
 
Aula 03 auxiliar de contabilidade
Aula 03 auxiliar de contabilidadeAula 03 auxiliar de contabilidade
Aula 03 auxiliar de contabilidade
 
Aula 06 empreendedorismo
Aula 06 empreendedorismoAula 06 empreendedorismo
Aula 06 empreendedorismo
 
Conteúdo programático recursos humano
Conteúdo programático recursos humanoConteúdo programático recursos humano
Conteúdo programático recursos humano
 
Aula 06 auxiliar de contabilidade
Aula 06 auxiliar de contabilidadeAula 06 auxiliar de contabilidade
Aula 06 auxiliar de contabilidade
 
Aula 04 auxiliar de contabilidade
Aula 04 auxiliar de contabilidadeAula 04 auxiliar de contabilidade
Aula 04 auxiliar de contabilidade
 
Aula 06 recursos humano
Aula 06 recursos humanoAula 06 recursos humano
Aula 06 recursos humano
 
Conteúdo programático auxiliar de contabilidade
Conteúdo programático auxiliar de contabilidadeConteúdo programático auxiliar de contabilidade
Conteúdo programático auxiliar de contabilidade
 
Aula 11 auxiliar de contabilidade
Aula 11 auxiliar de contabilidadeAula 11 auxiliar de contabilidade
Aula 11 auxiliar de contabilidade
 

Semelhante a Aula 05 empreendedorismo

Administração de marketing
Administração de marketingAdministração de marketing
Administração de marketingLiliane Ennes
 
Projetos Web - Ambiente empresarial
Projetos Web - Ambiente empresarialProjetos Web - Ambiente empresarial
Projetos Web - Ambiente empresarialOdair Cavichioli
 
Gestao Industrial
Gestao IndustrialGestao Industrial
Gestao IndustrialSônia Dias
 
Termo de Conclusão de Curso - Empreendedorismo e Plano de Negócios
Termo de Conclusão de Curso - Empreendedorismo e Plano de NegóciosTermo de Conclusão de Curso - Empreendedorismo e Plano de Negócios
Termo de Conclusão de Curso - Empreendedorismo e Plano de NegóciosCarmem Maria Mendes Barros
 
O plano de negócio - visão geral.pptx
O plano de negócio - visão geral.pptxO plano de negócio - visão geral.pptx
O plano de negócio - visão geral.pptxRicardo Santos
 
Gestão financeira
Gestão financeiraGestão financeira
Gestão financeirajjjdiscovery
 
Planejamento de negocios 2013 apostila.3
Planejamento de negocios 2013   apostila.3Planejamento de negocios 2013   apostila.3
Planejamento de negocios 2013 apostila.3Silvina Ramal
 
Apontamentos (1)
Apontamentos (1)Apontamentos (1)
Apontamentos (1)beta2001
 
1653331893702-Livro-G4Fundamentosemfinanças.Livro+-+G4+Fundamentos+em+Finança...
1653331893702-Livro-G4Fundamentosemfinanças.Livro+-+G4+Fundamentos+em+Finança...1653331893702-Livro-G4Fundamentosemfinanças.Livro+-+G4+Fundamentos+em+Finança...
1653331893702-Livro-G4Fundamentosemfinanças.Livro+-+G4+Fundamentos+em+Finança...PedroLuis216164
 
Guia prático de Gestão Financeira para Pequenos Negocios
Guia prático de Gestão Financeira para Pequenos NegociosGuia prático de Gestão Financeira para Pequenos Negocios
Guia prático de Gestão Financeira para Pequenos Negocioscomunicacao6
 
Plano de Negócios - Parte fundamental do empreendedor
Plano de Negócios - Parte fundamental do empreendedorPlano de Negócios - Parte fundamental do empreendedor
Plano de Negócios - Parte fundamental do empreendedorRoney Vasconcellos
 

Semelhante a Aula 05 empreendedorismo (20)

Atps administração financeira.doc
Atps administração financeira.docAtps administração financeira.doc
Atps administração financeira.doc
 
Aula 03 empreendedorismo
Aula 03 empreendedorismoAula 03 empreendedorismo
Aula 03 empreendedorismo
 
Aula 04 empreendedorismo
Aula 04 empreendedorismoAula 04 empreendedorismo
Aula 04 empreendedorismo
 
Administração de marketing
Administração de marketingAdministração de marketing
Administração de marketing
 
Atps ricardo (1)
Atps ricardo (1)Atps ricardo (1)
Atps ricardo (1)
 
Projetos Web - Ambiente empresarial
Projetos Web - Ambiente empresarialProjetos Web - Ambiente empresarial
Projetos Web - Ambiente empresarial
 
Apostila afo
Apostila afoApostila afo
Apostila afo
 
Gestao Industrial
Gestao IndustrialGestao Industrial
Gestao Industrial
 
Termo de Conclusão de Curso - Empreendedorismo e Plano de Negócios
Termo de Conclusão de Curso - Empreendedorismo e Plano de NegóciosTermo de Conclusão de Curso - Empreendedorismo e Plano de Negócios
Termo de Conclusão de Curso - Empreendedorismo e Plano de Negócios
 
O plano de negócio - visão geral.pptx
O plano de negócio - visão geral.pptxO plano de negócio - visão geral.pptx
O plano de negócio - visão geral.pptx
 
13.gest o_financeira
13.gest  o_financeira13.gest  o_financeira
13.gest o_financeira
 
Gestão financeira
Gestão financeiraGestão financeira
Gestão financeira
 
Planejamento de negocios 2013 apostila.3
Planejamento de negocios 2013   apostila.3Planejamento de negocios 2013   apostila.3
Planejamento de negocios 2013 apostila.3
 
Apontamentos (1)
Apontamentos (1)Apontamentos (1)
Apontamentos (1)
 
1653331893702-Livro-G4Fundamentosemfinanças.Livro+-+G4+Fundamentos+em+Finança...
1653331893702-Livro-G4Fundamentosemfinanças.Livro+-+G4+Fundamentos+em+Finança...1653331893702-Livro-G4Fundamentosemfinanças.Livro+-+G4+Fundamentos+em+Finança...
1653331893702-Livro-G4Fundamentosemfinanças.Livro+-+G4+Fundamentos+em+Finança...
 
Guia prático de Gestão Financeira para Pequenos Negocios
Guia prático de Gestão Financeira para Pequenos NegociosGuia prático de Gestão Financeira para Pequenos Negocios
Guia prático de Gestão Financeira para Pequenos Negocios
 
AdA_empresa.pptx
AdA_empresa.pptxAdA_empresa.pptx
AdA_empresa.pptx
 
Contabilidade Custos.pdf
Contabilidade Custos.pdfContabilidade Custos.pdf
Contabilidade Custos.pdf
 
Plano de Negócios - Parte fundamental do empreendedor
Plano de Negócios - Parte fundamental do empreendedorPlano de Negócios - Parte fundamental do empreendedor
Plano de Negócios - Parte fundamental do empreendedor
 
1519678804ebook_plano_de_negocios_smallv3.pdf
1519678804ebook_plano_de_negocios_smallv3.pdf1519678804ebook_plano_de_negocios_smallv3.pdf
1519678804ebook_plano_de_negocios_smallv3.pdf
 

Mais de Homero Alves de Lima

Aula 01 curso de administração de hotel
Aula 01 curso de administração de hotelAula 01 curso de administração de hotel
Aula 01 curso de administração de hotelHomero Alves de Lima
 
Livro completo de administração de empresa
Livro completo de administração de empresaLivro completo de administração de empresa
Livro completo de administração de empresaHomero Alves de Lima
 
Simulado de matemática e suas tecnologias
Simulado de matemática e suas tecnologiasSimulado de matemática e suas tecnologias
Simulado de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Simulado de linguagens, códigos e suas tecnologias
Simulado de linguagens, códigos e suas tecnologiasSimulado de linguagens, códigos e suas tecnologias
Simulado de linguagens, códigos e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Simulado de ciências humanas e suas tecnologias
Simulado de ciências humanas e suas tecnologiasSimulado de ciências humanas e suas tecnologias
Simulado de ciências humanas e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Simulado de ciências da natureza e suas tecnologias
Simulado de ciências da natureza e suas tecnologiasSimulado de ciências da natureza e suas tecnologias
Simulado de ciências da natureza e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Caderno de ecercícios de redação
Caderno de ecercícios de redaçãoCaderno de ecercícios de redação
Caderno de ecercícios de redaçãoHomero Alves de Lima
 
Caderno de exercícios de matemática e suas tecnologias
Caderno de exercícios de matemática e suas tecnologiasCaderno de exercícios de matemática e suas tecnologias
Caderno de exercícios de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Aula 09 de matemática e suas tecnologias
Aula 09 de matemática e suas tecnologiasAula 09 de matemática e suas tecnologias
Aula 09 de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Aula 08 de matemática e suas tecnologias
Aula 08 de matemática e suas tecnologiasAula 08 de matemática e suas tecnologias
Aula 08 de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Aula 07 de matemática e suas tecnologias
Aula 07 de matemática e suas tecnologiasAula 07 de matemática e suas tecnologias
Aula 07 de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Aula 06 de matemática e suas tecnologias
Aula 06 de matemática e suas tecnologiasAula 06 de matemática e suas tecnologias
Aula 06 de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Aula 05 de matemática e suas tecnologias
Aula 05 de matemática e suas tecnologiasAula 05 de matemática e suas tecnologias
Aula 05 de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Aula 04 de matemática e suas tecnologias
Aula 04 de matemática e suas tecnologiasAula 04 de matemática e suas tecnologias
Aula 04 de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Aula 03 de matemática e suas tecnologias
Aula 03 de matemática e suas tecnologiasAula 03 de matemática e suas tecnologias
Aula 03 de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Aula 02 de matemática e suas tecnologias
Aula 02 de matemática e suas tecnologiasAula 02 de matemática e suas tecnologias
Aula 02 de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 

Mais de Homero Alves de Lima (20)

Aula 01 curso de administração de hotel
Aula 01 curso de administração de hotelAula 01 curso de administração de hotel
Aula 01 curso de administração de hotel
 
Livro completo de administração de empresa
Livro completo de administração de empresaLivro completo de administração de empresa
Livro completo de administração de empresa
 
Sumulando uma prova do enem
Sumulando uma prova do enemSumulando uma prova do enem
Sumulando uma prova do enem
 
Simulado de matemática e suas tecnologias
Simulado de matemática e suas tecnologiasSimulado de matemática e suas tecnologias
Simulado de matemática e suas tecnologias
 
Simulado de linguagens, códigos e suas tecnologias
Simulado de linguagens, códigos e suas tecnologiasSimulado de linguagens, códigos e suas tecnologias
Simulado de linguagens, códigos e suas tecnologias
 
Simulado de ciências humanas e suas tecnologias
Simulado de ciências humanas e suas tecnologiasSimulado de ciências humanas e suas tecnologias
Simulado de ciências humanas e suas tecnologias
 
Simulado de ciências da natureza e suas tecnologias
Simulado de ciências da natureza e suas tecnologiasSimulado de ciências da natureza e suas tecnologias
Simulado de ciências da natureza e suas tecnologias
 
Caderno de ecercícios de redação
Caderno de ecercícios de redaçãoCaderno de ecercícios de redação
Caderno de ecercícios de redação
 
Aula 02 redação
Aula 02 redaçãoAula 02 redação
Aula 02 redação
 
Aula 01 redação
Aula 01 redaçãoAula 01 redação
Aula 01 redação
 
Conteúdo programático redação
Conteúdo programático redaçãoConteúdo programático redação
Conteúdo programático redação
 
Caderno de exercícios de matemática e suas tecnologias
Caderno de exercícios de matemática e suas tecnologiasCaderno de exercícios de matemática e suas tecnologias
Caderno de exercícios de matemática e suas tecnologias
 
Aula 09 de matemática e suas tecnologias
Aula 09 de matemática e suas tecnologiasAula 09 de matemática e suas tecnologias
Aula 09 de matemática e suas tecnologias
 
Aula 08 de matemática e suas tecnologias
Aula 08 de matemática e suas tecnologiasAula 08 de matemática e suas tecnologias
Aula 08 de matemática e suas tecnologias
 
Aula 07 de matemática e suas tecnologias
Aula 07 de matemática e suas tecnologiasAula 07 de matemática e suas tecnologias
Aula 07 de matemática e suas tecnologias
 
Aula 06 de matemática e suas tecnologias
Aula 06 de matemática e suas tecnologiasAula 06 de matemática e suas tecnologias
Aula 06 de matemática e suas tecnologias
 
Aula 05 de matemática e suas tecnologias
Aula 05 de matemática e suas tecnologiasAula 05 de matemática e suas tecnologias
Aula 05 de matemática e suas tecnologias
 
Aula 04 de matemática e suas tecnologias
Aula 04 de matemática e suas tecnologiasAula 04 de matemática e suas tecnologias
Aula 04 de matemática e suas tecnologias
 
Aula 03 de matemática e suas tecnologias
Aula 03 de matemática e suas tecnologiasAula 03 de matemática e suas tecnologias
Aula 03 de matemática e suas tecnologias
 
Aula 02 de matemática e suas tecnologias
Aula 02 de matemática e suas tecnologiasAula 02 de matemática e suas tecnologias
Aula 02 de matemática e suas tecnologias
 

Último

Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfpaulafernandes540558
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOBiatrizGomes1
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino FundamentalCartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamentalgeone480617
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira partecoletivoddois
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESPRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESpatriciasofiacunha18
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdfDemetrio Ccesa Rayme
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfAnaGonalves804156
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 

Último (20)

Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino FundamentalCartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESPRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 

Aula 05 empreendedorismo

  • 2. poupadores. Estes mobilizam recursos junto aos poupadores e os 41 Custo de capital – o preço pago (juros) pelos recursos obtidos junto ao mercado financeiro pela empresa para aplicar em um investimento. Taxa de retorno – é o ganho esperado com o investimento realizado. Este ganho deverá cobrir os custos e ainda gerar fundos positivos. Risco econômico – é um grau de incerteza quanto ao resultado positivo esperado com o investimento realizado, não gerando fundos positivos ou nem mesmo suficientes para cobrir o custo de capital. 7.10 Financiamentos Uma empresa para funcionar geralmente começa com recursos próprios de seu criador. É o capital social dos sócios proprietários. Obviamente, com o decorrer do tempo, há necessidade de mais capital para crescimento das operações ou para socorrer momentos de falta de caixa para cumprir compromissos financeiros. O financiamento é uma operação que a empresa pega no mercado capital de terceiros para aplicar na sua atividade. A questão básica aqui é quanto vai custar o uso desse capital e por quanto tempo. Para isso, a empresa recorre ao mercado financeiro, representado pelos bancos, para captação de recursos. Opções como empréstimos bancários e financiamento de compras são exemplos de produtos disponíveis. Outra forma de captação seria venda de ações no mercado acionário. Essa opção requer que a empresa seja uma S/A - sociedade anônima e nesse caso as pessoas que compram as ações passam a ser sócias da empresa, dividindo o lucro da operação com os proprietários. É bom esclarecer que o fato de uma empresa pegar dinheiro emprestado no mercado não quer dizer que ela esteja em dificuldades financeiras ou que a empresa não esteja dando lucro. O uso de capital de terceiros pode ser altamente vantajoso para empresa, desde que aplicado corretamente, como vemos no item 7.11 da alavancagem financeira. O mercado financeiro, compreendido poupadores de recursos, é representado financeiros que fazem a intermediação por pelos entre tomadores e intermediários tomadores e
  • 3. como instituição, que chamamos empresa, para realizar 42 oferecem no mercado para os necessitados. Por fazerem esse serviço, são remunerados pelos juros. O mercado financeiro é um importante instrumento para crescimento da economia e desenvolvimento de um país por possibilitar meios pelos quais as empresas podem obter recursos para investimentos, ampliação de sua atividade no mercado, ofertar mais empregos, ou seja, gerar mais riquezas para a economia. Dessa forma, é altamente necessário que exista esse mercado, desde que seu foco seja a aplicação do dinheiro para promover a atividade produtiva. Se o foco for a especulação financeira, ou seja, gerar dinheiro pelo dinheiro, estará indo contra o principio fundamental de sua existência e o resultado, como já vimos na história, é uma crise onde muitos perdem seus grandes lucros adquiridos pela roda financeira improdutiva. 7.11 Alavancagem Financeira É o efeito de captar e aplicar capital de terceiros na empresa a um custo x, sendo que o retorno (lucro) da operação da empresa será y. Sendo y maior que x, o lucro do proprietário é aumentado, pois ele ganhou dinheiro na operação da sua empresa usando dinheiro de outros (terceiros), mesmo pagando pelo uso desse dinheiro. Os Fundamentos de Negócios Para ter sucesso no que faz, seja o que for, é preciso entender dos fundamentos, entender o mecanismo de funcionamento do que se vai fazer. O mundo dos negócios é muito dinâmico, seja pela dinâmica de evolução natural de uma empresa, seja pela dinâmica dos mercados que estão sempre em movimento em busca de renovação e expansão. O mundo dos negócios requer amplos conhecimentos e quanto mais bem informado e expert no seu ramo de negócio, mais chances de sucesso para o empreendedor. 8.1 O que é uma empresa? Uma empresa é um grupo de pessoas que se reúne e existe
  • 4. 43 coletivamente algo que não seriam capazes de realizar individualmente, para atender a uma necessidade do cliente e visam ter um retorno financeiro com essa atividade. Uma empresa é composta por 5 elementos citados abaixo e a combinação ideal dos elementos é a função principal do empresário. A melhor combinação possível em termos de custo, melhor aproveitamento dos recursos possível, satisfação dos envolvidos (funcionários, fornecedores e clientes) e de desempenho financeiro (lucro) e econômico (crescimento do patrimônio e aumento de valor da empresa). O grande desafio do empreendedor ao iniciar uma empresa é justamente achar a combinação ideal desses elementos para minimizar seu custo e maximizar seu lucro porque essa combinação pode ser um grande diferencial competitivo, se conseguir uma combinação melhor do que o concorrente e colocar a empresa numa situação de vantagem competitiva sobre vários aspectos como: -Menor custo da operação, - Maior qualidade do produto, - Menor uso de capital, ou uso a um custo menor, - Maior agilidade de atendimento do cliente e entrega do produto, - Melhor atendimento do cliente em todos os aspectos, -Maior satisfação dos funcionários no trabalho e possibilidades de realização e crescimento profissional, -Melhor uso dos recursos produtivos, maximizando o uso do capital investido -Maior e mais eficiente uso da tecnologia, modernizando e facilitando as operações da empresa, -Melhor imagem da empresa (da Marca) no mercado como uma empresa eficiente, confiável e com produto de qualidade desejado por todos. Os 5 Elementos que Compõem uma Empresa: 1.Estrutura – a forma de organização da empresa em termo de cargos, hierarquia, e órgãos funcionais, 2. Pessoas – os funcionários que irão desenvolver as atividades necessárias dentro da empresa, 3. Processos – a forma de execução das atividades dentro da empresa,
  • 5. 44 4. Capital – o dinheiro envolvido na operação, como estoque, fluxo de caixa e investimentos, 5. Tecnologia – a tecnologia usada tanto na produção quanto no desenvolvimento dos processos da empresa e também a tecnologia da informação (TI), a informática necessária em todas as atividades da empresa. O diferencial hoje buscado por todas as empresas é como se destacar no mercado diante da acirrada concorrência e projetar sua marca/produto para que não entre na briga do preço baixo ou para que seu produto não fique ultrapassado pelas inovações tecnológicas. A longevidade das empresas é medida combinação dos 5 elementos e da busca dessa eficiente do diferencial competitivo. O empreendedor ao iniciar um novo negócio tem a oportunidade de começar diferente, de propor uma combinação diferenciada para enfrentar os concorrentes já posicionados no mercado, mas com combinações também já estabelecidas e às vezes de difícil re-combinação por envolver muitos interesses, quebra de status quo, quebra de paradigmas e mudança de toda uma cultura há anos estabelecida. Visão empresa-máquina – a empresa máquina, como toda máquina, é insensível, operada e controlada, repetitiva e previsível e nela reina a cultura organizacional de eficiência máxima. Daí vem a expressão usada para dizer que um funcionário é importante: “você é uma peça fundamental da nossa engrenagem”.Visão organismo vivo – como todo organismo vivo, o bom funcionamento da empresa depende vitalmente da interação com os ambientes interno e externo. O homem deixa de ser uma peça da engrenagem para ser um indivíduo autônomo, sensível e criativo capaz de transferir para a organização essas características. Capacitar a organização para um comportamento sensível, ágil e inovador requer redesenhar a empresa para que ela perceba as mudanças do cenário, processe essa mudança internamente e volte ao mercado com uma nova proposta para manter sua competitividade. Assim a empresa do século XXI tem um novo desenho onde o papel do líder, a aprendizagem continuada, o Branding, o trabalho em equipe, a gestão do conhecimento, a gestão e criação de valor para o cliente e um desenho flexível da estrutura
  • 6. 45 serão elementos definitivos para se terda empresa competitividade. 8.2 A economia (macro-ambiente) O empreendedor ao se lançar na iniciativa empresarial deverá entender da dinâmica da economia do seu país. Como seu negócio é afetado pelas condições econômicas de mercado. Um ambiente econômico saudável é condição básica para estimular investimentos na criação de empresas. O Governo tem um papel fundamental nesse processo por ser um importante agente de controle e regulamentação dos mercados e também um agente fomentador de desenvolvimento da economia. O crescimento econômico influência diretamente o desempenho das empresas devido o impacto sobre a demanda de seus produtos ou serviços. A forma mais comum de medir esse crescimento é o PIB (produto interno bruto) que é o valor de mercado de todos os bens e serviços produzidos em uma economia em dado período de tempo. Outro elemento indicador importante da atividade econômica é o índice de desemprego da economia que sinaliza a entrada e saída de funcionários nas empresas e por conseqüência, a entrada e saída de consumidores, já que uma pessoa desempregada e sem renda irá consumir menos. As condições do ambiente econômico são afetadas por elementos como: -Taxa de juros – representa o custo do empréstimo do dinheiro que o empresário pode precisar para financiar seus investimentos, para levantar recursos para situações momentâneas de caixa deficitário e também para financiar as compras a prazo de seus clientes, -Inflação – é o aumento dos preços de uma economia que afetam todos os envolvidos à medida que um aumento no custo da matéria-prima acarretará no aumento do preço de venda e com preços da economia aumentando estimula o aumento dos salários, que por sua vez, sendo um custo da empresa, afetará novamente o preço de venda, - Impostos – para manter sua estrutura funcionando e fazer investimentos em obras públicas, o Governo arrecada impostos,
  • 7. 46 sua principal fonte de renda. Os impostos vêm principalmente do consumo dos bens da economia, pois o preço de venda contém um percentual de impostos que as empresas repassam ao Governo mensalmente quando fecham seu faturamento no fim do mês. A carga tributária afeta os preços dos produtos e também a demanda, sendo muito alta eleva também o preços dos produtos da economia. - Renda – o dinheiro que os consumidores têm para compras vem principalmente dos salários por eles recebidos em seus empregos. Quanto melhor o nível salarial dos trabalhadores, mais condições de consumo eles terão e isso faz aumentar as vendas das empresas e o nível da atividade econômica, - Regulamentação Governamental – o Governo tem poder e autonomia para interferir na economia como bem entender, respeitando logicamente o poder Legislativo, mas mesmo assim tem poderes de ação. Ele pode intervir em situações de desequilíbrio, regulamentar certas atividades econômicas, favorecer com leis o capital nacional em detrimento da concorrência estrangeira, coibir ou incentivar importações de produtos que concorrem com a produção nacional e outras mais, - Investimento Governamental – o Governo através de seus gastos de custeio (despesas para funcionamento de toda sua estrutura) e gastos de investimentos (obras públicas que beneficiam a comunidade) incentiva a atividade econômica uma vez que gastando dinheiro coloca- o para circular na economia, gerando empregos e sendo um grande consumidor para as empresas que aumentam suas vendas diretamente, quando vendem ou prestam serviços ao Governo, e indiretamente quando as pessoas que conseguiram empregos pelo o aumento da atividade econômica promovida pelo Governo são consumidores também para as empresas, - Globalização do mercado – o empreendedor ao abrir seu negócio deverá pensar não somente no mercado local, onde sua empresa está situada, mas no mercado global. O efeito globalização tem mudado a forma de fazer negócios e principalmente o nível de concorrência entre as empresas. Dependendo da empresa, seus concorrentes podem estar não somente no mercado local (a cidade ou país que está situada), mas em qualquer lugar do mundo utilizando dos meios de comunicação, principalmente a Internet, a logística de empresas que atuam globalmente como os Correios, Fedex e outras que entregam qualquer produto em
  • 8. 47 qualquer lugar. Outra questão da globalização é a expansão das empresas em busca de novos mercados e clientes que estão se instalando em outros países constituindo filiais ou comprando empresas locais que já estão estabelecidas no mercado e entendem a cultura local. Existe hoje uma forte movimentação de aquisição ou fusão de empresas concorrentes buscando uma melhor posição competitiva nos mercados que atuam. 8.3 Lei da Oferta e Demanda A oferta é a quantidade de produtos que as empresas podem ou estão dispostas a vender a determinado preço de mercado. Quanto maior o preço, mais dispostas vão estar para vendas. A demanda é a quantidade de produtos que os consumidores podem ou estão dispostos a comprar a determinado preço de mercado. Quanto menor o preço, mais dispostas ao consumo eles estarão. O mercado está sempre em busca do preço de equilíbrio, onde o preço de venda seja interessante tanto para empresas como para consumidores. A esse preço dito justo o mercado estaria em equilíbrio. Mas dificilmente isso é conseguido, pois numa situaçãode concorrência perfeita onde os produtos vendedores e compradores são inúmeros são iguais e os a ponto de não influenciarem os preços que propiciaria esse equilíbrio, dificilmente ocorre. Diversas variáveis podem afetar os preços, não permitindo tal controle. Do lado do vendedor, um produto novo e inovador lhe permite cobrar o preço que desejar, pois os consumidores estão dispostos a comprar pela novidade, pelo status ou pelo modismo. Pelo lado do comprador, ele pode estar disposto a comprar um produto de seu gosto e preferência, mesmo que haja no mercado outros produtos similares a um preço mais baixo. 8.4 Ciclo de vida (produto e negócio) Todo produto ao ser lançado no mercado terá um nível de aceitação e ao longo de sua vida sofrerá algumas modificações, incrementações para continuar atendendo a necessidade dos clientes. Alguns ficarão obsoletos pela inovação tecnológica e serão eliminados. Outros modernizados ou lançados em diversas
  • 9. 48 versões para atingir uma gama maior de consumidores. O ciclo de vida de um produto no mercado pode ser dividido em quatro fases: (1)Introdução - O produto foi lançado no mercado e o crescimento das vendas é lento; (2)Crescimento - Há uma explosão da procura, uma melhoria dos lucros e o produto tende a massificar-se. Chegam novos competidores; (3)Maturidade - O ritmo de crescimento das vendas dá sinais de abrandamento. É uma fase em que as empresas tendem a entrar em guerras de preço e aumentar a publicidade; (4)Declínio - A procura entra em derrapagem, os lucros sofrem uma rápida erosão em direção ao ponto zero. Grande parte dos competidores começa a abandonar o mercado. 8.5 Forças competitivas A análise e o acompanhamento constante das estratégias da concorrência, tanto no aspecto financeiro quanto mercadológico, são essências para o negócio. Uma questão básica, mas muitas vezes de difícil resposta é quem são os concorrentes? Muitas vezes ações são realizadas equivocamente por não saber quem é o concorrente, fazendo a empresa perder tempo e dinheiro desnecessariamente. A organização está inserida num ambiente competitivo que é o setor em que ela atua. A estrutura de um setor de negócios é determinada pela interação de 5 forças competitivas, segundo o autor Michael Porter em seu livro Estratégia Competitiva. As 5 forças são: 1. Nível de rivalidade; 2. Ameaça de entrantes; 3. Ameaça de substitutos; 4. Poder de compra do cliente; 5. Poder de negociação do fornecedor. Fatores que Afetam a Competitividade · Melhor acesso a fatores de produção; · Maior disponibilidade de capital; · Melhor captação de capital de terceiros;
  • 10. 49 · Melhor tecnologia; · Maior acesso às informações dos consumidores; · Aumento de players globais; · Maturação de mercados – busca de novos mercados; · Aumento de canais de distribuição. 8.6 Estratégia empresarial A estratégia é uma concepção ou esquema delineado para que os objetivos possam ser alcançados. É a escolha da alternativa que melhor combine tempo, risco, habilidades e recursos da empresa e deve assegurar a consecução da missão e busca da visão. A idéia de estratégia está ligada à questão “como” na definição de objetivos. A estratégia diz respeito a como a empresa vai realizar a visão que foi proposta. A formulação de uma estratégia requer: 1.Uma avaliação e compreensão do ambiente externo – mercado, concorrentes e relacionamentos; 2.Conhecimento profundo do ambiente interno – pontos fortes e fracos, estrutura, capital intelectual, recursos financeiros e tecnologia; 3. Detectar ou criar a vantagem competitiva Vantagem competitiva é como a empresa se da empresa. diferencia da concorrência e como essa diferenciação é percebida em termos de valor pelos clientes. As organizações desenvolvem planos para seu futuro e também extraem padrões de seu passado. Temos então estratégia pretendida e estratégia realizada. Nem sempre a estratégia realizada será a pretendida, pois o mundo real exige pensar à frente e também alguma adaptação durante o processo. A estratégia pretendida plenamente realizada é chamada de deliberada. Já aquela realizada, mas que não era pretendida, é chamada de emergente.