SlideShare uma empresa Scribd logo
UFCD 6684 – Anatomia
Formadora: Maria Correia
Formanda:Adriana Alves, Adriana Tavares, Isa Paula, Victoria Sula
ENZIMAS
O QUE SÃO?
Enzimas sao biocatalizadores que promovem as milhares de reações
químicas ocorrentes dentro de uma célula.
Aceleram a velocidade de uma reação, sem a consumir, durante o
processo das reações bioquimicas dos seres vivos. Considerados
biocatalisadores, enzima, hormonas e vitaminas. Atuam para o aumento
da energia reactiva de uma reação quimica, afetando a velocidade de
reação.
O QUE SÃO?
A combinação das duas estruturas forma uma Holoenzima/enzima.
• O bom funcionamento do organismo deve-se há possibilidade de separação da apoenzima e
coenzima para fins específicos.
Duas constituições independentes:
Parte proteíca, apoenzima
Parte não-proteíca, coenzima.
Apoenzima
+
Cofactor
= Enzima
Proteíca (Inactiva)
Não proteica
(Inativa)
FUNÇÃO ENZIMÁTICA
Anabolismo:
Reação Endoenergética - As moléculas absorvem energia para
realizar a síntese de moléculas simples em moléculas compostas.
Catalizadores que sintetizam e degradam moléculas.
Atuam com o metabolismo designado por Anabolismo e Catabolismo.
Catabolismo:
Reação Exoenergética - Moléculas compostas degradam-se e libertam energia.
• Num conjunto de reações elas funcionam como uma cadeia enzimática formando uma via metabólica.
• Estas biomoléculas apresentam especificidade de ação, ou seja, especifidade absoluta quando o centro
de ativação se encaixa no substrato; e especifidade relativa quando o centro de ativação se molda ao
substrato. Assim cresceram dois modelos: Modelo chave-fechadura e Modelo de encaixe induzido.
MODELOS DE LIGAÇÃO ENZIMA-SUBSTRATO
• Modelo chave-fechadura:
O centro activo tem de ter a mesma forma do substrato, para que
este encaixe na enzima facilmente. E assim resulta o produto final.
Tendo esta especifidade absoluta.
• Modelo encaixe induzido:
O centro de activação tende a adaptar-se ao sbstrato pretendido
FATORES INFLUENTES
Temperatura
As enzimas tornam-se inativas perante baixas temperaturas devido à compactação das moléculas. Com o
aumento da temperatura a sua velocidade de reação aumenta também até à sua temperatura ideal que
são (37°C), pois temperaturas superiores a esta provocam uma diminuição da sua velocidade de reação
até a mesma se anular, as temperaturas altas provocam uma alteração no seu centro activo.
pH
Pode provocar o destruimento da enzima, uma vez que, altera o centro ativo da mesma.
Para além de existir enzimas que têm uma atividade assídua para cada tipo de pH, existem
ainda enzimas em que o pH não interfere.
FATORES INFLUENTES
Concentração de Substrato
A velocidade da reação é proporcional à concentração do substrato, isto é, o valor máximo da velocidade
aumenta até esta estabilizar. O mesmo efeito só acontece quando todas as enzimas presentes estiverem
ocupadas na catálise.
Concentração da enzima
A velocidade da reação é diretamente proporcional à concentração de enzimas, isto é, quando existe
uma grande concentração de substrato para pouca quantidade de enzimas.
VISIONAMENTO DE “O QUE SÃO AS ENZIMAS?”
TESTA QUE SABES...TESTA QUE SABES...
TESTA QUE SABES...
1º pergunta:
O que são as enzimas e qual a função principal?
Resposta:As enzimas são
biocatalizadores que
promovem as milhares de
reações químicas que ocorrem
dentro de uma célula, essas
aceleram essas reações.
TESTA QUE SABES...
2ºpergunta: Qual a sua constituição?
Moléculas Proteicas
+
Moléculas não
proteicas
= ?????
(Ativa)
????? ?????
(Inactiva) (Inativa)
Enzima
(Ativa)
Apoenzima
+
Cofactor
=
Proteíca (Inactiva)
Não proteica
(Inativa)
Resposta:
TESTA QUE SABES...
• 3ºpergunta: No processo de anabolismo, a reação
utilizada é exoenergética.
Falso
Verdadeiro
Resposta: Falso-A reação utilizada no processo anabolismo é a endoenergética, neste processo a molécula
absorve energia.
TESTA QUE SABES...
4ºpergunta:
Quais os fatores que influenciam a atividade enzimática?
Temperatura Concentração do substrato
Sal Concentração de Apoezima
Ph Concentração de Enzima
Resposta: Os fatores que influenciam na atividade enzimática são a temperatura, ph, concentração
do substrato e concentração de enzima.
CONCLUÇÃO
• Com a realização deste trabalho passamos a conhecer melhor, de forma mais profunda as enzimas, o
que são, o que fazem ou como constituídas. De fácil realização e bom método de trabalho não existiram
problemas na resolução deste. Os conhecimentos foram aumentados e a prestação de informação à
turma fora de todo essencial. De forma simples tentamos realizar um trabalho muito leve apenas com o
extremo importante.
Obrigado!!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Enzimas
EnzimasEnzimas
Enzimas
EnzimasEnzimas
Enzimas
igoraps
 
Enzimas
Enzimas Enzimas
Enzimas
krirocha
 
Enzimas bioquimica
Enzimas bioquimicaEnzimas bioquimica
Enzimas bioquimica
Vanessa Rodrigues De Amorim
 
Enzimas
EnzimasEnzimas
Enzimas
EnzimasEnzimas
Enzimas
Sandro Marcio
 
Estrutura das enzimas
Estrutura das enzimasEstrutura das enzimas
Estrutura das enzimas
orlandonunes
 
Enzimas
EnzimasEnzimas
Enzimas
UERGS
 
Enzimas
EnzimasEnzimas
41.act.enzimas13
41.act.enzimas1341.act.enzimas13
41.act.enzimas13
Leonor Vaz Pereira
 
Enzimas parte I
Enzimas parte IEnzimas parte I
Enzimas parte I
Ricardo Stefani
 
A Biologia E Os Desafios De Actualidade (Enzimas)
A Biologia E Os Desafios De Actualidade (Enzimas)A Biologia E Os Desafios De Actualidade (Enzimas)
A Biologia E Os Desafios De Actualidade (Enzimas)
Nuno Correia
 
Enzima
EnzimaEnzima
Enzimas parte 2
Enzimas parte 2Enzimas parte 2
Enzimas parte 2
Ricardo Stefani
 
Características e funções Gerais Enzimática
Características e funções Gerais EnzimáticaCaracterísticas e funções Gerais Enzimática
Características e funções Gerais Enzimática
Aline Paiva
 
Proteínas enzimas
Proteínas  enzimasProteínas  enzimas
Proteínas enzimas
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Enzimas 2015 alunos
Enzimas 2015 alunosEnzimas 2015 alunos
Enzimas 2015 alunos
Seta Trevisan
 
Enzimas (powerpoint)
Enzimas (powerpoint)Enzimas (powerpoint)
Enzimas (powerpoint)
isabelalexandrapinto
 
Enzimas
EnzimasEnzimas

Mais procurados (19)

Enzimas
EnzimasEnzimas
Enzimas
 
Enzimas
EnzimasEnzimas
Enzimas
 
Enzimas
Enzimas Enzimas
Enzimas
 
Enzimas bioquimica
Enzimas bioquimicaEnzimas bioquimica
Enzimas bioquimica
 
Enzimas
EnzimasEnzimas
Enzimas
 
Enzimas
EnzimasEnzimas
Enzimas
 
Estrutura das enzimas
Estrutura das enzimasEstrutura das enzimas
Estrutura das enzimas
 
Enzimas
EnzimasEnzimas
Enzimas
 
Enzimas
EnzimasEnzimas
Enzimas
 
41.act.enzimas13
41.act.enzimas1341.act.enzimas13
41.act.enzimas13
 
Enzimas parte I
Enzimas parte IEnzimas parte I
Enzimas parte I
 
A Biologia E Os Desafios De Actualidade (Enzimas)
A Biologia E Os Desafios De Actualidade (Enzimas)A Biologia E Os Desafios De Actualidade (Enzimas)
A Biologia E Os Desafios De Actualidade (Enzimas)
 
Enzima
EnzimaEnzima
Enzima
 
Enzimas parte 2
Enzimas parte 2Enzimas parte 2
Enzimas parte 2
 
Características e funções Gerais Enzimática
Características e funções Gerais EnzimáticaCaracterísticas e funções Gerais Enzimática
Características e funções Gerais Enzimática
 
Proteínas enzimas
Proteínas  enzimasProteínas  enzimas
Proteínas enzimas
 
Enzimas 2015 alunos
Enzimas 2015 alunosEnzimas 2015 alunos
Enzimas 2015 alunos
 
Enzimas (powerpoint)
Enzimas (powerpoint)Enzimas (powerpoint)
Enzimas (powerpoint)
 
Enzimas
EnzimasEnzimas
Enzimas
 

Destaque

Trabalho de enzimas biologia-ionara
Trabalho de enzimas   biologia-ionaraTrabalho de enzimas   biologia-ionara
Trabalho de enzimas biologia-ionara
CotucaEldez
 
Artigo tratamento térmico do amido de batata-doce microondas .. r ev. cien...
Artigo   tratamento térmico do amido de batata-doce  microondas .. r ev. cien...Artigo   tratamento térmico do amido de batata-doce  microondas .. r ev. cien...
Artigo tratamento térmico do amido de batata-doce microondas .. r ev. cien...
Silvana Licodiedoff
 
204 638-1-pb
204 638-1-pb204 638-1-pb
204 638-1-pb
Silvana Licodiedoff
 
Carboidratos alunos
Carboidratos alunosCarboidratos alunos
Carboidratos alunos
Silvana Licodiedoff
 
Arroz doce
Arroz doceArroz doce
Queijo minas artesanal_da_serra_da_canastra_influencia_da_altitude_e_
Queijo minas artesanal_da_serra_da_canastra_influencia_da_altitude_e_Queijo minas artesanal_da_serra_da_canastra_influencia_da_altitude_e_
Queijo minas artesanal_da_serra_da_canastra_influencia_da_altitude_e_
Silvana Licodiedoff
 
2011 l vtrigonobrasil-cap15
2011 l vtrigonobrasil-cap152011 l vtrigonobrasil-cap15
2011 l vtrigonobrasil-cap15
Silvana Licodiedoff
 
18222 97226-1-pb
18222 97226-1-pb18222 97226-1-pb
18222 97226-1-pb
Silvana Licodiedoff
 
Cerveja ipa
Cerveja ipaCerveja ipa
Cerveja ipa
Emanuel Chiofi
 
Tese amido nativo e modificado
Tese   amido nativo e modificadoTese   amido nativo e modificado
Tese amido nativo e modificado
Silvana Licodiedoff
 
Amido de mandioca
Amido de mandiocaAmido de mandioca
Amido de mandioca
Silvana Licodiedoff
 
Aula4 cinetica
Aula4   cineticaAula4   cinetica
Aula4 cinetica
Silvana Licodiedoff
 
3398 11579-1-pb
3398 11579-1-pb3398 11579-1-pb
3398 11579-1-pb
Silvana Licodiedoff
 
Aula 1-carneos fermentados
Aula 1-carneos fermentadosAula 1-carneos fermentados
Aula 1-carneos fermentados
Silvana Licodiedoff
 
Queijo minas artesanal_da_serra_da_canastra_influencia_da_altitude_e_
Queijo minas artesanal_da_serra_da_canastra_influencia_da_altitude_e_Queijo minas artesanal_da_serra_da_canastra_influencia_da_altitude_e_
Queijo minas artesanal_da_serra_da_canastra_influencia_da_altitude_e_
Silvana Licodiedoff
 
2014 duarteestudo
2014 duarteestudo2014 duarteestudo
2014 duarteestudo
Silvana Licodiedoff
 
25444 37422-1-sm
25444 37422-1-sm25444 37422-1-sm
25444 37422-1-sm
Silvana Licodiedoff
 
20328 23949-1-pb
20328 23949-1-pb20328 23949-1-pb
20328 23949-1-pb
Silvana Licodiedoff
 
Dissertacao efeito dos tratamento alcalino, ácido e oxidativo nas prop. amido...
Dissertacao efeito dos tratamento alcalino, ácido e oxidativo nas prop. amido...Dissertacao efeito dos tratamento alcalino, ácido e oxidativo nas prop. amido...
Dissertacao efeito dos tratamento alcalino, ácido e oxidativo nas prop. amido...
Silvana Licodiedoff
 
Catálogo de equipamentos
Catálogo de equipamentosCatálogo de equipamentos
Catálogo de equipamentos
Fazatuapropriacerveja
 

Destaque (20)

Trabalho de enzimas biologia-ionara
Trabalho de enzimas   biologia-ionaraTrabalho de enzimas   biologia-ionara
Trabalho de enzimas biologia-ionara
 
Artigo tratamento térmico do amido de batata-doce microondas .. r ev. cien...
Artigo   tratamento térmico do amido de batata-doce  microondas .. r ev. cien...Artigo   tratamento térmico do amido de batata-doce  microondas .. r ev. cien...
Artigo tratamento térmico do amido de batata-doce microondas .. r ev. cien...
 
204 638-1-pb
204 638-1-pb204 638-1-pb
204 638-1-pb
 
Carboidratos alunos
Carboidratos alunosCarboidratos alunos
Carboidratos alunos
 
Arroz doce
Arroz doceArroz doce
Arroz doce
 
Queijo minas artesanal_da_serra_da_canastra_influencia_da_altitude_e_
Queijo minas artesanal_da_serra_da_canastra_influencia_da_altitude_e_Queijo minas artesanal_da_serra_da_canastra_influencia_da_altitude_e_
Queijo minas artesanal_da_serra_da_canastra_influencia_da_altitude_e_
 
2011 l vtrigonobrasil-cap15
2011 l vtrigonobrasil-cap152011 l vtrigonobrasil-cap15
2011 l vtrigonobrasil-cap15
 
18222 97226-1-pb
18222 97226-1-pb18222 97226-1-pb
18222 97226-1-pb
 
Cerveja ipa
Cerveja ipaCerveja ipa
Cerveja ipa
 
Tese amido nativo e modificado
Tese   amido nativo e modificadoTese   amido nativo e modificado
Tese amido nativo e modificado
 
Amido de mandioca
Amido de mandiocaAmido de mandioca
Amido de mandioca
 
Aula4 cinetica
Aula4   cineticaAula4   cinetica
Aula4 cinetica
 
3398 11579-1-pb
3398 11579-1-pb3398 11579-1-pb
3398 11579-1-pb
 
Aula 1-carneos fermentados
Aula 1-carneos fermentadosAula 1-carneos fermentados
Aula 1-carneos fermentados
 
Queijo minas artesanal_da_serra_da_canastra_influencia_da_altitude_e_
Queijo minas artesanal_da_serra_da_canastra_influencia_da_altitude_e_Queijo minas artesanal_da_serra_da_canastra_influencia_da_altitude_e_
Queijo minas artesanal_da_serra_da_canastra_influencia_da_altitude_e_
 
2014 duarteestudo
2014 duarteestudo2014 duarteestudo
2014 duarteestudo
 
25444 37422-1-sm
25444 37422-1-sm25444 37422-1-sm
25444 37422-1-sm
 
20328 23949-1-pb
20328 23949-1-pb20328 23949-1-pb
20328 23949-1-pb
 
Dissertacao efeito dos tratamento alcalino, ácido e oxidativo nas prop. amido...
Dissertacao efeito dos tratamento alcalino, ácido e oxidativo nas prop. amido...Dissertacao efeito dos tratamento alcalino, ácido e oxidativo nas prop. amido...
Dissertacao efeito dos tratamento alcalino, ácido e oxidativo nas prop. amido...
 
Catálogo de equipamentos
Catálogo de equipamentosCatálogo de equipamentos
Catálogo de equipamentos
 

Semelhante a As Enzimas

Enzimas.
Enzimas.Enzimas.
Enzimas.
jessicaanjos
 
Metabolismo de construção ii aulas 16 e 17
Metabolismo de construção ii   aulas 16 e 17Metabolismo de construção ii   aulas 16 e 17
Metabolismo de construção ii aulas 16 e 17
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Unidade 4
Unidade 4Unidade 4
Unidade 4
guest5d7719
 
2 aula- enzimas.pdf
2 aula- enzimas.pdf2 aula- enzimas.pdf
2 aula- enzimas.pdf
ThaynaChampedaSilva1
 
Enzimas
EnzimasEnzimas
Enzimas
URCA
 
Enzimas, Catalisadores biológicos que aumentam a velocidade de uma reacção
Enzimas, Catalisadores biológicos que aumentam a velocidade de uma reacçãoEnzimas, Catalisadores biológicos que aumentam a velocidade de uma reacção
Enzimas, Catalisadores biológicos que aumentam a velocidade de uma reacção
FeridoZitoJonas
 
Enzimas
EnzimasEnzimas
Enzimas
Aline Tonin
 
Microbiol e ind alimentar 2-enzimas-1
Microbiol e ind alimentar 2-enzimas-1Microbiol e ind alimentar 2-enzimas-1
Microbiol e ind alimentar 2-enzimas-1
Madalena_Bio12
 
ENZIMAS.pdf
ENZIMAS.pdfENZIMAS.pdf
Enzimas
EnzimasEnzimas
Enzimas
EnzimasEnzimas
Enzimas
EnzimasEnzimas
Enzimas
EnzimasEnzimas
Enzimas
Rodrigo
 
1633818.ppt
1633818.ppt1633818.ppt
1633818.ppt
ThalesVinicius5
 
Enzimas
Enzimas Enzimas
Enzimas
Isabel Lopes
 
PROTEASE
PROTEASEPROTEASE
PROTEASE
Ivanise Queiroz
 
Enzimas
EnzimasEnzimas
Portfolio enzimas
Portfolio enzimasPortfolio enzimas
Portfolio enzimas
Amade Zambujal
 
Enzimas em Ac
Enzimas em AcEnzimas em Ac
Enzimas em Ac
Isabel Lopes
 
Metabolismo celular e reações enzimáticas
Metabolismo celular e reações enzimáticasMetabolismo celular e reações enzimáticas
Metabolismo celular e reações enzimáticas
Felipe Haeberlin
 

Semelhante a As Enzimas (20)

Enzimas.
Enzimas.Enzimas.
Enzimas.
 
Metabolismo de construção ii aulas 16 e 17
Metabolismo de construção ii   aulas 16 e 17Metabolismo de construção ii   aulas 16 e 17
Metabolismo de construção ii aulas 16 e 17
 
Unidade 4
Unidade 4Unidade 4
Unidade 4
 
2 aula- enzimas.pdf
2 aula- enzimas.pdf2 aula- enzimas.pdf
2 aula- enzimas.pdf
 
Enzimas
EnzimasEnzimas
Enzimas
 
Enzimas, Catalisadores biológicos que aumentam a velocidade de uma reacção
Enzimas, Catalisadores biológicos que aumentam a velocidade de uma reacçãoEnzimas, Catalisadores biológicos que aumentam a velocidade de uma reacção
Enzimas, Catalisadores biológicos que aumentam a velocidade de uma reacção
 
Enzimas
EnzimasEnzimas
Enzimas
 
Microbiol e ind alimentar 2-enzimas-1
Microbiol e ind alimentar 2-enzimas-1Microbiol e ind alimentar 2-enzimas-1
Microbiol e ind alimentar 2-enzimas-1
 
ENZIMAS.pdf
ENZIMAS.pdfENZIMAS.pdf
ENZIMAS.pdf
 
Enzimas
EnzimasEnzimas
Enzimas
 
Enzimas
EnzimasEnzimas
Enzimas
 
Enzimas
EnzimasEnzimas
Enzimas
 
Enzimas
EnzimasEnzimas
Enzimas
 
1633818.ppt
1633818.ppt1633818.ppt
1633818.ppt
 
Enzimas
Enzimas Enzimas
Enzimas
 
PROTEASE
PROTEASEPROTEASE
PROTEASE
 
Enzimas
EnzimasEnzimas
Enzimas
 
Portfolio enzimas
Portfolio enzimasPortfolio enzimas
Portfolio enzimas
 
Enzimas em Ac
Enzimas em AcEnzimas em Ac
Enzimas em Ac
 
Metabolismo celular e reações enzimáticas
Metabolismo celular e reações enzimáticasMetabolismo celular e reações enzimáticas
Metabolismo celular e reações enzimáticas
 

Último

responder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdfresponder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdf
marcos oliveira
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Os Profetas do Velho Testamento: Cronologia
Os Profetas do Velho Testamento: CronologiaOs Profetas do Velho Testamento: Cronologia
Os Profetas do Velho Testamento: Cronologia
Renato Henriques
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdfquadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
marcos oliveira
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
EsterGabriiela1
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
AntHropológicas Visual PPGA-UFPE
 

Último (20)

responder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdfresponder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdf
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Os Profetas do Velho Testamento: Cronologia
Os Profetas do Velho Testamento: CronologiaOs Profetas do Velho Testamento: Cronologia
Os Profetas do Velho Testamento: Cronologia
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdfquadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
 

As Enzimas

  • 1. UFCD 6684 – Anatomia Formadora: Maria Correia Formanda:Adriana Alves, Adriana Tavares, Isa Paula, Victoria Sula ENZIMAS
  • 2. O QUE SÃO? Enzimas sao biocatalizadores que promovem as milhares de reações químicas ocorrentes dentro de uma célula. Aceleram a velocidade de uma reação, sem a consumir, durante o processo das reações bioquimicas dos seres vivos. Considerados biocatalisadores, enzima, hormonas e vitaminas. Atuam para o aumento da energia reactiva de uma reação quimica, afetando a velocidade de reação.
  • 3. O QUE SÃO? A combinação das duas estruturas forma uma Holoenzima/enzima. • O bom funcionamento do organismo deve-se há possibilidade de separação da apoenzima e coenzima para fins específicos. Duas constituições independentes: Parte proteíca, apoenzima Parte não-proteíca, coenzima. Apoenzima + Cofactor = Enzima Proteíca (Inactiva) Não proteica (Inativa)
  • 4. FUNÇÃO ENZIMÁTICA Anabolismo: Reação Endoenergética - As moléculas absorvem energia para realizar a síntese de moléculas simples em moléculas compostas. Catalizadores que sintetizam e degradam moléculas. Atuam com o metabolismo designado por Anabolismo e Catabolismo. Catabolismo: Reação Exoenergética - Moléculas compostas degradam-se e libertam energia. • Num conjunto de reações elas funcionam como uma cadeia enzimática formando uma via metabólica. • Estas biomoléculas apresentam especificidade de ação, ou seja, especifidade absoluta quando o centro de ativação se encaixa no substrato; e especifidade relativa quando o centro de ativação se molda ao substrato. Assim cresceram dois modelos: Modelo chave-fechadura e Modelo de encaixe induzido.
  • 5. MODELOS DE LIGAÇÃO ENZIMA-SUBSTRATO • Modelo chave-fechadura: O centro activo tem de ter a mesma forma do substrato, para que este encaixe na enzima facilmente. E assim resulta o produto final. Tendo esta especifidade absoluta. • Modelo encaixe induzido: O centro de activação tende a adaptar-se ao sbstrato pretendido
  • 6. FATORES INFLUENTES Temperatura As enzimas tornam-se inativas perante baixas temperaturas devido à compactação das moléculas. Com o aumento da temperatura a sua velocidade de reação aumenta também até à sua temperatura ideal que são (37°C), pois temperaturas superiores a esta provocam uma diminuição da sua velocidade de reação até a mesma se anular, as temperaturas altas provocam uma alteração no seu centro activo. pH Pode provocar o destruimento da enzima, uma vez que, altera o centro ativo da mesma. Para além de existir enzimas que têm uma atividade assídua para cada tipo de pH, existem ainda enzimas em que o pH não interfere.
  • 7. FATORES INFLUENTES Concentração de Substrato A velocidade da reação é proporcional à concentração do substrato, isto é, o valor máximo da velocidade aumenta até esta estabilizar. O mesmo efeito só acontece quando todas as enzimas presentes estiverem ocupadas na catálise. Concentração da enzima A velocidade da reação é diretamente proporcional à concentração de enzimas, isto é, quando existe uma grande concentração de substrato para pouca quantidade de enzimas.
  • 8. VISIONAMENTO DE “O QUE SÃO AS ENZIMAS?”
  • 9. TESTA QUE SABES...TESTA QUE SABES...
  • 10. TESTA QUE SABES... 1º pergunta: O que são as enzimas e qual a função principal? Resposta:As enzimas são biocatalizadores que promovem as milhares de reações químicas que ocorrem dentro de uma célula, essas aceleram essas reações.
  • 11. TESTA QUE SABES... 2ºpergunta: Qual a sua constituição? Moléculas Proteicas + Moléculas não proteicas = ????? (Ativa) ????? ????? (Inactiva) (Inativa) Enzima (Ativa) Apoenzima + Cofactor = Proteíca (Inactiva) Não proteica (Inativa) Resposta:
  • 12. TESTA QUE SABES... • 3ºpergunta: No processo de anabolismo, a reação utilizada é exoenergética. Falso Verdadeiro Resposta: Falso-A reação utilizada no processo anabolismo é a endoenergética, neste processo a molécula absorve energia.
  • 13. TESTA QUE SABES... 4ºpergunta: Quais os fatores que influenciam a atividade enzimática? Temperatura Concentração do substrato Sal Concentração de Apoezima Ph Concentração de Enzima Resposta: Os fatores que influenciam na atividade enzimática são a temperatura, ph, concentração do substrato e concentração de enzima.
  • 14. CONCLUÇÃO • Com a realização deste trabalho passamos a conhecer melhor, de forma mais profunda as enzimas, o que são, o que fazem ou como constituídas. De fácil realização e bom método de trabalho não existiram problemas na resolução deste. Os conhecimentos foram aumentados e a prestação de informação à turma fora de todo essencial. De forma simples tentamos realizar um trabalho muito leve apenas com o extremo importante. Obrigado!!