SlideShare uma empresa Scribd logo
ARTE EGÍPCIA
Professor: Sandro Bottene
ARTE EGÍPCIA
sandro.bottene@hotmail.com
lattes.cnpq.br/9367634204406259
Mestre em Artes Visuais (2015/PPGART/CE/UFSM)
Especialistaem Artes Visuais Cultura e Criação (2011/SENAC)
Bacharel em Artes Visuais (2012/DHE/UNIJUÍ)
Licenciadoem Artes Visuais (2009/DELAC/UNIJUÍ)
MAPA
do Egito
LOCALIZAÇÃO
Percurso do Rio Nilo
ARTE NO EGITO
As manifestações artísticas da civilização egípcia
foram as mais constantes e conservadoras de todas
as culturas mantidas por um longo período de tempo.
A arte no Egito, vinculada à religiosidade, pode ser
definida como utilitária (materialista), hierático
(sagrada) áulico (da corte – reis/faraós) e funerária
(morte). A civilização egípcia forma-se por volta de
5.000 a.C. e sua cultura que faz parte da Arte Antiga
(dividida em fases: Antigo, Médio e Novo Império),
sofre um declínio devido diversas invasões de povos
até ser dominada pelos romanos em 30 a.C.
PINTURA
Possui um estilo único e inconfundível. Em relação às cores predominam os tons
avermelhados e o marrom (óxido de ferro), o preto (carbono) e o branco (gesso),
além do verde e do azul (pigmentos de pedras semi-preciosas). A pintura egípcia
foi produzida em maior número sobre o papiro (tipo de papel) e nas paredes
(parietal).
TEMA
Na pintura eram retratadas diversas
temáticas construídas em forma de
narrativas ou histórias apresentando:
- Cenas do cotidiano;
- Trabalho de artesões e escravos;
- Imagens de divindades;
- Os faraós e sua família;
- Conquistas e feitos heróicos;
- Cenas de caça e de animais.
- Representação bidimensional;
- Uniformidade da cor (sem claro-escuro);
- Perspectiva hierárquica;
- Falta de profundidade;
- Lei da Frontalidade:
Representação da figura humana retratada
frontalmente, enquanto cabeça, pernas e pés eram
vistos de perfil.
CARACTERÍSTICAS
PINTURA EM RELEVO
Técnica produzida através de pequenas escavações ou saliências que não
passavam de um centímetro que, por sua vez eram coloridos com pigmentos. De
acordo com o grau de projeção são classificados como alto (alto-relevo), médios
(médio-relevo) e baixos (baixo-relevo).
ARQUITETURA
As construções egípcias são caracterizadas pelo aspecto de solidez e
durabilidade simbolizando a eternidade. Apresentam-se através de duas
espécies: templos construídos à direita do Nilo (nascente) dedicado aos deuses e
os túmulos (tumbas dos faraós) a oeste do rio (poente).
Tipos de tumbas:
- Pirâmide (forma piramidal com cume);
- Mastaba (forma piramidal corta ao meio);
- Hipogeu (sepulturas subterrâneas).
OBELISCO
Coluna de pedra de corte retangular
com vértice piramidal.
COLUNA
Usada na sustentação de templos
possui diferentes capiteis.
KARNAK e LUXOR
Templos ou santuários construídos pelos faraós dedicados aos deuses.
Tumbas
1. Mastaba
2. Hipogeu
3. Pirâmide
1 2
3
ESCULTURA
Representação de reis (faraós) e dos deuses
com posição calma e serena, quase sempre
de frente sem demonstrar emoção (ilusão de
imortalidade). As estátuas-retratos eram
produzidas através de basalto, granito,
calcário e madeira. Além disso há exemplos
de bustos e baixo-relevo portáteis.
ESFINGE
Monumento composto com
corpo de leão e cabeça humana.
OBJETOS
(artes menores)
Diversos objetos reais como jóias (brincos,
colares, pulseiras, braceletes) possuíam temas
religiosos (imagens de deuses ou animais
sagrados) fabricados com ouro, prata, lápis-
lazúli, pedras semi-preciosas e vidro colorido.
MUMIFICAÇÃO
(credo na vida após a morte)
O corpo do faraó era desidratado com sal após a
retirada das vísceras que eram colocadas
separadamente dentro de recipientes chamados
canopos. De acordo com a religião egípcia o corpo
preservado servia para abrigar a alma do faraó
morto na vida eterna. A múmia era enfaixada com
linho e embalsamada no sarcófago (decorado com
traços do faraó) sepultado em uma tumba.
ESCRITA
(hieróglifo)
Escrita sagrada constituída com sinais ou
caracteres pictóricos projetando imagens de
pássaros, insetos e objetos. A grafia estava dividida
em três sistemas: hieróglifo (sagrada), hierático
(simples) e demótico (popular no uso). O enigma da
escrita foi decifrada em 1822 pelo francês
Champollion através da “Pedra de Roseta”.
PAPIRO
Planta utilizada pelos egípcios na
fabricação de um tipo de papel
artesanal. É o suporte (material)
utilizado pelos escribas na
documentação de ações.
CALABRIA, Carla Paula Brondi. Arte, história e produção 2: mundo. São Paulo: FTD,
2009. 206p. (Coleção arte, história e produção)
______. Arte, história e produção 1: arte Brasil. São Paulo: FTD, 2009. 143p. (Coleção
arte, história e produção)
COTRIM, Gilberto. História global: Brasil e geral. v. 1. São Paulo: Saraiva, 2010. 320p.
Enciclopédia Multimídia da Arte Universal: arte pré-histórica, mesopotâmica e egípcia –
o nascimento da civilização. v. 1. São Paulo: Alphabetum, 1997. (Coleção caras)
PRETTE, Maria Carla. Para entender a arte: história, linguagem, época, estilo. São Paulo:
Globo, 2008. 382p.
PROENÇA, Graça. História da arte. 17. ed. São Paulo: Ática, 2009. 448p.
STRICKLAND, Carol. Arte comentada: da pré-história ao pós-moderno. 13. ed. Rio de
Janeiro: Ediouro, 2004. 198p.
REFERÊNCIAS

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A arte na Pré-História
A arte na Pré-HistóriaA arte na Pré-História
A arte na Pré-História
Edenilson Morais
 
Arte e sociedade - Instalações Artísticas
Arte e sociedade - Instalações ArtísticasArte e sociedade - Instalações Artísticas
Arte e sociedade - Instalações Artísticas
Junior Onildo
 
Arte grega texto para atividade
Arte grega texto para atividadeArte grega texto para atividade
Arte grega texto para atividade
Casiris Crescencio
 
Arte Grega
Arte GregaArte Grega
Arte Grega
Andrea Dressler
 
Arte Barroca no Brasil
Arte Barroca no BrasilArte Barroca no Brasil
Arte Barroca no Brasil
Andrea Dressler
 
Arte pre historia
Arte pre historiaArte pre historia
Arte pre historia
Aline Raposo
 
Arte romana
Arte romanaArte romana
Arte romana
Sandro Bottene
 
Artes Visuais
Artes VisuaisArtes Visuais
Artes Visuais
Júnior Maciel
 
Arte e corpo
Arte e corpoArte e corpo
Arte e corpo
gєαทє ℓiмα
 
Linha do tempo história da arte
Linha do tempo história da arteLinha do tempo história da arte
Linha do tempo história da arte
Malu Rosan
 
Linha do Tempo - História da Arte
Linha do Tempo - História da ArteLinha do Tempo - História da Arte
Linha do Tempo - História da Arte
Jesrayne Nascimento
 
Arte renascentista
Arte renascentistaArte renascentista
Arte renascentista
Anna Caroline
 
Arte na Pré História
Arte na Pré HistóriaArte na Pré História
Arte na Pré História
Arnaldo Szlachta
 
Aula arte egipicia
Aula arte egipiciaAula arte egipicia
Aula arte egipicia
Mariaprofessora
 
A arte egípcia
A arte egípciaA arte egípcia
A arte egípcia
Rainha Maga
 
6o. ano - Arte no Egito
6o. ano - Arte no Egito6o. ano - Arte no Egito
6o. ano - Arte no Egito
ArtesElisa
 
Arte contemporânea
Arte contemporâneaArte contemporânea
Arte contemporânea
VIVIAN TROMBINI
 
Aula de arte urbana
Aula de arte urbanaAula de arte urbana
Aula de arte urbana
CLEBER LUIS DAMACENO
 
Arte na mesopotamia e Egito
Arte na mesopotamia e EgitoArte na mesopotamia e Egito
Arte na mesopotamia e Egito
Silmara Nogueira
 
Arte na antiguidade
Arte na antiguidadeArte na antiguidade
Arte na antiguidade
Rafael Lucas da Silva
 

Mais procurados (20)

A arte na Pré-História
A arte na Pré-HistóriaA arte na Pré-História
A arte na Pré-História
 
Arte e sociedade - Instalações Artísticas
Arte e sociedade - Instalações ArtísticasArte e sociedade - Instalações Artísticas
Arte e sociedade - Instalações Artísticas
 
Arte grega texto para atividade
Arte grega texto para atividadeArte grega texto para atividade
Arte grega texto para atividade
 
Arte Grega
Arte GregaArte Grega
Arte Grega
 
Arte Barroca no Brasil
Arte Barroca no BrasilArte Barroca no Brasil
Arte Barroca no Brasil
 
Arte pre historia
Arte pre historiaArte pre historia
Arte pre historia
 
Arte romana
Arte romanaArte romana
Arte romana
 
Artes Visuais
Artes VisuaisArtes Visuais
Artes Visuais
 
Arte e corpo
Arte e corpoArte e corpo
Arte e corpo
 
Linha do tempo história da arte
Linha do tempo história da arteLinha do tempo história da arte
Linha do tempo história da arte
 
Linha do Tempo - História da Arte
Linha do Tempo - História da ArteLinha do Tempo - História da Arte
Linha do Tempo - História da Arte
 
Arte renascentista
Arte renascentistaArte renascentista
Arte renascentista
 
Arte na Pré História
Arte na Pré HistóriaArte na Pré História
Arte na Pré História
 
Aula arte egipicia
Aula arte egipiciaAula arte egipicia
Aula arte egipicia
 
A arte egípcia
A arte egípciaA arte egípcia
A arte egípcia
 
6o. ano - Arte no Egito
6o. ano - Arte no Egito6o. ano - Arte no Egito
6o. ano - Arte no Egito
 
Arte contemporânea
Arte contemporâneaArte contemporânea
Arte contemporânea
 
Aula de arte urbana
Aula de arte urbanaAula de arte urbana
Aula de arte urbana
 
Arte na mesopotamia e Egito
Arte na mesopotamia e EgitoArte na mesopotamia e Egito
Arte na mesopotamia e Egito
 
Arte na antiguidade
Arte na antiguidadeArte na antiguidade
Arte na antiguidade
 

Destaque

História da Arte - Arte egipcia
História da Arte - Arte egipciaHistória da Arte - Arte egipcia
História da Arte - Arte egipcia
Geraldo Mellado
 
Modernismo 1
Modernismo 1Modernismo 1
Modernismo 1
Walace Cestari
 
Artes 03 gênesis 1º ano mesopotâmia - egito - grécia e roma antiga
Artes 03 gênesis 1º ano  mesopotâmia - egito - grécia e roma antigaArtes 03 gênesis 1º ano  mesopotâmia - egito - grécia e roma antiga
Artes 03 gênesis 1º ano mesopotâmia - egito - grécia e roma antiga
hbilinha
 
A pintura e escultura.egito
A pintura e escultura.egitoA pintura e escultura.egito
A pintura e escultura.egito
ceufaias
 
ARTE EGÍPCIA - 2ª PARTE - ESTATUÁRIA E TEMPLOS - PROF. ANTONIO RIBEIRO
ARTE EGÍPCIA - 2ª PARTE - ESTATUÁRIA E TEMPLOS - PROF. ANTONIO RIBEIROARTE EGÍPCIA - 2ª PARTE - ESTATUÁRIA E TEMPLOS - PROF. ANTONIO RIBEIRO
ARTE EGÍPCIA - 2ª PARTE - ESTATUÁRIA E TEMPLOS - PROF. ANTONIO RIBEIRO
Antonio Ribeiro
 
Egito Antigo
Egito AntigoEgito Antigo
Egito Antigo
Lutero Ramos
 
A arte no período Neolítico.
A arte no período Neolítico.A arte no período Neolítico.
A arte no período Neolítico.
Michael Alexandre
 
A Arte Egípcia
A Arte EgípciaA Arte Egípcia
A Arte Egípcia
jorgefmsilva
 
Narrativas Visuais | Progressão Visual | Contraste e Afinidade
Narrativas Visuais | Progressão Visual | Contraste e AfinidadeNarrativas Visuais | Progressão Visual | Contraste e Afinidade
Narrativas Visuais | Progressão Visual | Contraste e Afinidade
angelicaferraz
 
A arte no egito
A arte no egitoA arte no egito
A arte no egito
Giorgia Marrone
 
Arquitetura Egipcia
Arquitetura EgipciaArquitetura Egipcia
Arquitetura Egipcia
antonio050291
 
Arte egípcia
Arte egípciaArte egípcia
Arte egípcia
Marcioveras
 
Egito 6 ano
Egito 6 anoEgito 6 ano
Egito 6 ano
Escolacsm
 
Arte Egípcia
Arte EgípciaArte Egípcia
Arte Egípcia
Alexandre Gonçalves
 
O Antigo Egipto
O Antigo EgiptoO Antigo Egipto
O Antigo Egipto
cattonia
 
Arte Egipcia Prof Antonio Ribeiro Parte 1 Com Tut
Arte Egipcia Prof Antonio Ribeiro Parte 1 Com TutArte Egipcia Prof Antonio Ribeiro Parte 1 Com Tut
Arte Egipcia Prof Antonio Ribeiro Parte 1 Com Tut
Antonio Ribeiro
 
Egito slide
Egito slideEgito slide
Egito slide
Isabel Aguiar
 
0 arte pra que
0 arte pra que0 arte pra que
0 arte pra que
denise lugli
 

Destaque (18)

História da Arte - Arte egipcia
História da Arte - Arte egipciaHistória da Arte - Arte egipcia
História da Arte - Arte egipcia
 
Modernismo 1
Modernismo 1Modernismo 1
Modernismo 1
 
Artes 03 gênesis 1º ano mesopotâmia - egito - grécia e roma antiga
Artes 03 gênesis 1º ano  mesopotâmia - egito - grécia e roma antigaArtes 03 gênesis 1º ano  mesopotâmia - egito - grécia e roma antiga
Artes 03 gênesis 1º ano mesopotâmia - egito - grécia e roma antiga
 
A pintura e escultura.egito
A pintura e escultura.egitoA pintura e escultura.egito
A pintura e escultura.egito
 
ARTE EGÍPCIA - 2ª PARTE - ESTATUÁRIA E TEMPLOS - PROF. ANTONIO RIBEIRO
ARTE EGÍPCIA - 2ª PARTE - ESTATUÁRIA E TEMPLOS - PROF. ANTONIO RIBEIROARTE EGÍPCIA - 2ª PARTE - ESTATUÁRIA E TEMPLOS - PROF. ANTONIO RIBEIRO
ARTE EGÍPCIA - 2ª PARTE - ESTATUÁRIA E TEMPLOS - PROF. ANTONIO RIBEIRO
 
Egito Antigo
Egito AntigoEgito Antigo
Egito Antigo
 
A arte no período Neolítico.
A arte no período Neolítico.A arte no período Neolítico.
A arte no período Neolítico.
 
A Arte Egípcia
A Arte EgípciaA Arte Egípcia
A Arte Egípcia
 
Narrativas Visuais | Progressão Visual | Contraste e Afinidade
Narrativas Visuais | Progressão Visual | Contraste e AfinidadeNarrativas Visuais | Progressão Visual | Contraste e Afinidade
Narrativas Visuais | Progressão Visual | Contraste e Afinidade
 
A arte no egito
A arte no egitoA arte no egito
A arte no egito
 
Arquitetura Egipcia
Arquitetura EgipciaArquitetura Egipcia
Arquitetura Egipcia
 
Arte egípcia
Arte egípciaArte egípcia
Arte egípcia
 
Egito 6 ano
Egito 6 anoEgito 6 ano
Egito 6 ano
 
Arte Egípcia
Arte EgípciaArte Egípcia
Arte Egípcia
 
O Antigo Egipto
O Antigo EgiptoO Antigo Egipto
O Antigo Egipto
 
Arte Egipcia Prof Antonio Ribeiro Parte 1 Com Tut
Arte Egipcia Prof Antonio Ribeiro Parte 1 Com TutArte Egipcia Prof Antonio Ribeiro Parte 1 Com Tut
Arte Egipcia Prof Antonio Ribeiro Parte 1 Com Tut
 
Egito slide
Egito slideEgito slide
Egito slide
 
0 arte pra que
0 arte pra que0 arte pra que
0 arte pra que
 

Semelhante a Arte egípcia

48787715 apostila-de-arte
48787715 apostila-de-arte48787715 apostila-de-arte
Portefólio de Historia
Portefólio de HistoriaPortefólio de Historia
Portefólio de Historia
Rita Cavalheiro
 
Egito Antigo.pptx
Egito Antigo.pptxEgito Antigo.pptx
Egito Antigo.pptx
Raquel299452
 
Revisão de História da Arte (01)
Revisão de História da Arte (01)Revisão de História da Arte (01)
Revisão de História da Arte (01)
Carlos Benjoino Bidu
 
ARTE EGÍPCIA
ARTE EGÍPCIAARTE EGÍPCIA
ARTE EGÍPCIA
Cristiane Seibt
 
História da Arte (PaleoLítico, Mesolítico, Neolítico, Arte Egípsia, Arte Greg...
História da Arte (PaleoLítico, Mesolítico, Neolítico, Arte Egípsia, Arte Greg...História da Arte (PaleoLítico, Mesolítico, Neolítico, Arte Egípsia, Arte Greg...
História da Arte (PaleoLítico, Mesolítico, Neolítico, Arte Egípsia, Arte Greg...
Anita Rink
 
Arte Grega
Arte Grega Arte Grega
Arte Grega
Filipa Silva
 
Arte.egipcia
Arte.egipciaArte.egipcia
Arte.egipcia
Scriba Digital
 
2 arte egito 2020
2 arte egito 20202 arte egito 2020
2 arte egito 2020
CLEBER LUIS DAMACENO
 
EGITO ANTIGO
EGITO ANTIGOEGITO ANTIGO
EGITO ANTIGO
Beatriz Pirola
 
A Arte Egípcia.pptx
A Arte Egípcia.pptxA Arte Egípcia.pptx
A Arte Egípcia.pptx
ClariceLuizaGomesDeF
 
Arte grega
Arte gregaArte grega
Arte grega
Sandro Bottene
 
02-EGITO-MESOPOTAMIA.pptx
02-EGITO-MESOPOTAMIA.pptx02-EGITO-MESOPOTAMIA.pptx
02-EGITO-MESOPOTAMIA.pptx
Renata Damus
 
Arte egípcia e influencia da religião aula dia 10-04.pdf
Arte egípcia e influencia da religião aula dia 10-04.pdfArte egípcia e influencia da religião aula dia 10-04.pdf
Arte egípcia e influencia da religião aula dia 10-04.pdf
MarizeSilva4
 
Historia da arte - período da antiguidade - resumo
Historia da arte - período da antiguidade - resumoHistoria da arte - período da antiguidade - resumo
Historia da arte - período da antiguidade - resumo
Andrea Dressler
 
A arte no egito
A arte no egitoA arte no egito
A arte no egito
Daniella Cincoetti
 
Aartenoegito
AartenoegitoAartenoegito
Aartenoegito
Meire Santana
 
Civilização Egípcia
Civilização EgípciaCivilização Egípcia
Civilização Egípcia
Jorge Almeida
 
História da arte
História da arteHistória da arte
História da arte
Ana Cristina D Assumpcão
 
Egito história da arte 7º ano
Egito história da arte 7º anoEgito história da arte 7º ano
Egito história da arte 7º ano
josivaldopassos
 

Semelhante a Arte egípcia (20)

48787715 apostila-de-arte
48787715 apostila-de-arte48787715 apostila-de-arte
48787715 apostila-de-arte
 
Portefólio de Historia
Portefólio de HistoriaPortefólio de Historia
Portefólio de Historia
 
Egito Antigo.pptx
Egito Antigo.pptxEgito Antigo.pptx
Egito Antigo.pptx
 
Revisão de História da Arte (01)
Revisão de História da Arte (01)Revisão de História da Arte (01)
Revisão de História da Arte (01)
 
ARTE EGÍPCIA
ARTE EGÍPCIAARTE EGÍPCIA
ARTE EGÍPCIA
 
História da Arte (PaleoLítico, Mesolítico, Neolítico, Arte Egípsia, Arte Greg...
História da Arte (PaleoLítico, Mesolítico, Neolítico, Arte Egípsia, Arte Greg...História da Arte (PaleoLítico, Mesolítico, Neolítico, Arte Egípsia, Arte Greg...
História da Arte (PaleoLítico, Mesolítico, Neolítico, Arte Egípsia, Arte Greg...
 
Arte Grega
Arte Grega Arte Grega
Arte Grega
 
Arte.egipcia
Arte.egipciaArte.egipcia
Arte.egipcia
 
2 arte egito 2020
2 arte egito 20202 arte egito 2020
2 arte egito 2020
 
EGITO ANTIGO
EGITO ANTIGOEGITO ANTIGO
EGITO ANTIGO
 
A Arte Egípcia.pptx
A Arte Egípcia.pptxA Arte Egípcia.pptx
A Arte Egípcia.pptx
 
Arte grega
Arte gregaArte grega
Arte grega
 
02-EGITO-MESOPOTAMIA.pptx
02-EGITO-MESOPOTAMIA.pptx02-EGITO-MESOPOTAMIA.pptx
02-EGITO-MESOPOTAMIA.pptx
 
Arte egípcia e influencia da religião aula dia 10-04.pdf
Arte egípcia e influencia da religião aula dia 10-04.pdfArte egípcia e influencia da religião aula dia 10-04.pdf
Arte egípcia e influencia da religião aula dia 10-04.pdf
 
Historia da arte - período da antiguidade - resumo
Historia da arte - período da antiguidade - resumoHistoria da arte - período da antiguidade - resumo
Historia da arte - período da antiguidade - resumo
 
A arte no egito
A arte no egitoA arte no egito
A arte no egito
 
Aartenoegito
AartenoegitoAartenoegito
Aartenoegito
 
Civilização Egípcia
Civilização EgípciaCivilização Egípcia
Civilização Egípcia
 
História da arte
História da arteHistória da arte
História da arte
 
Egito história da arte 7º ano
Egito história da arte 7º anoEgito história da arte 7º ano
Egito história da arte 7º ano
 

Mais de Sandro Bottene

A identidade cultural na pós-modernidade
A identidade cultural na pós-modernidadeA identidade cultural na pós-modernidade
A identidade cultural na pós-modernidade
Sandro Bottene
 
Por um corpo contemporâneo
Por um corpo contemporâneoPor um corpo contemporâneo
Por um corpo contemporâneo
Sandro Bottene
 
Apresentações na Plataforma SlideShare
Apresentações na Plataforma SlideShareApresentações na Plataforma SlideShare
Apresentações na Plataforma SlideShare
Sandro Bottene
 
Romero Britto
Romero BrittoRomero Britto
Romero Britto
Sandro Bottene
 
Marcel Duchamp
Marcel DuchampMarcel Duchamp
Marcel Duchamp
Sandro Bottene
 
Arte Conceitual
Arte ConceitualArte Conceitual
Arte Conceitual
Sandro Bottene
 
A linguagem do cinema
A linguagem do cinema A linguagem do cinema
A linguagem do cinema
Sandro Bottene
 
Estudo da cor
Estudo da corEstudo da cor
Estudo da cor
Sandro Bottene
 
Hubert duprat
Hubert dupratHubert duprat
Hubert duprat
Sandro Bottene
 
Leitura de Imagem: releituras de Mona Lisa
Leitura de Imagem: releituras de Mona LisaLeitura de Imagem: releituras de Mona Lisa
Leitura de Imagem: releituras de Mona Lisa
Sandro Bottene
 
Arte Minimalista
Arte MinimalistaArte Minimalista
Arte Minimalista
Sandro Bottene
 
Leitura Dinâmica
Leitura DinâmicaLeitura Dinâmica
Leitura Dinâmica
Sandro Bottene
 
Gêneros Artísticos
Gêneros ArtísticosGêneros Artísticos
Gêneros Artísticos
Sandro Bottene
 
Elementos básicos do desenho
Elementos básicos do desenhoElementos básicos do desenho
Elementos básicos do desenho
Sandro Bottene
 
Introdução ao Componente Curricular de Arte
Introdução ao Componente Curricular de ArteIntrodução ao Componente Curricular de Arte
Introdução ao Componente Curricular de Arte
Sandro Bottene
 
Vincent Van Gogh
Vincent Van GoghVincent Van Gogh
Vincent Van Gogh
Sandro Bottene
 
Arte Gótica
Arte GóticaArte Gótica
Arte Gótica
Sandro Bottene
 
Arte bizantina
Arte bizantinaArte bizantina
Arte bizantina
Sandro Bottene
 
Semana de Arte Moderna
Semana de Arte ModernaSemana de Arte Moderna
Semana de Arte Moderna
Sandro Bottene
 
Arte indígena
Arte indígenaArte indígena
Arte indígena
Sandro Bottene
 

Mais de Sandro Bottene (20)

A identidade cultural na pós-modernidade
A identidade cultural na pós-modernidadeA identidade cultural na pós-modernidade
A identidade cultural na pós-modernidade
 
Por um corpo contemporâneo
Por um corpo contemporâneoPor um corpo contemporâneo
Por um corpo contemporâneo
 
Apresentações na Plataforma SlideShare
Apresentações na Plataforma SlideShareApresentações na Plataforma SlideShare
Apresentações na Plataforma SlideShare
 
Romero Britto
Romero BrittoRomero Britto
Romero Britto
 
Marcel Duchamp
Marcel DuchampMarcel Duchamp
Marcel Duchamp
 
Arte Conceitual
Arte ConceitualArte Conceitual
Arte Conceitual
 
A linguagem do cinema
A linguagem do cinema A linguagem do cinema
A linguagem do cinema
 
Estudo da cor
Estudo da corEstudo da cor
Estudo da cor
 
Hubert duprat
Hubert dupratHubert duprat
Hubert duprat
 
Leitura de Imagem: releituras de Mona Lisa
Leitura de Imagem: releituras de Mona LisaLeitura de Imagem: releituras de Mona Lisa
Leitura de Imagem: releituras de Mona Lisa
 
Arte Minimalista
Arte MinimalistaArte Minimalista
Arte Minimalista
 
Leitura Dinâmica
Leitura DinâmicaLeitura Dinâmica
Leitura Dinâmica
 
Gêneros Artísticos
Gêneros ArtísticosGêneros Artísticos
Gêneros Artísticos
 
Elementos básicos do desenho
Elementos básicos do desenhoElementos básicos do desenho
Elementos básicos do desenho
 
Introdução ao Componente Curricular de Arte
Introdução ao Componente Curricular de ArteIntrodução ao Componente Curricular de Arte
Introdução ao Componente Curricular de Arte
 
Vincent Van Gogh
Vincent Van GoghVincent Van Gogh
Vincent Van Gogh
 
Arte Gótica
Arte GóticaArte Gótica
Arte Gótica
 
Arte bizantina
Arte bizantinaArte bizantina
Arte bizantina
 
Semana de Arte Moderna
Semana de Arte ModernaSemana de Arte Moderna
Semana de Arte Moderna
 
Arte indígena
Arte indígenaArte indígena
Arte indígena
 

Último

OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AntonioVieira539017
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Centro Jacques Delors
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 

Último (20)

OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 

Arte egípcia

  • 1. ARTE EGÍPCIA Professor: Sandro Bottene ARTE EGÍPCIA sandro.bottene@hotmail.com lattes.cnpq.br/9367634204406259 Mestre em Artes Visuais (2015/PPGART/CE/UFSM) Especialistaem Artes Visuais Cultura e Criação (2011/SENAC) Bacharel em Artes Visuais (2012/DHE/UNIJUÍ) Licenciadoem Artes Visuais (2009/DELAC/UNIJUÍ)
  • 4. ARTE NO EGITO As manifestações artísticas da civilização egípcia foram as mais constantes e conservadoras de todas as culturas mantidas por um longo período de tempo. A arte no Egito, vinculada à religiosidade, pode ser definida como utilitária (materialista), hierático (sagrada) áulico (da corte – reis/faraós) e funerária (morte). A civilização egípcia forma-se por volta de 5.000 a.C. e sua cultura que faz parte da Arte Antiga (dividida em fases: Antigo, Médio e Novo Império), sofre um declínio devido diversas invasões de povos até ser dominada pelos romanos em 30 a.C.
  • 5. PINTURA Possui um estilo único e inconfundível. Em relação às cores predominam os tons avermelhados e o marrom (óxido de ferro), o preto (carbono) e o branco (gesso), além do verde e do azul (pigmentos de pedras semi-preciosas). A pintura egípcia foi produzida em maior número sobre o papiro (tipo de papel) e nas paredes (parietal).
  • 6. TEMA Na pintura eram retratadas diversas temáticas construídas em forma de narrativas ou histórias apresentando: - Cenas do cotidiano; - Trabalho de artesões e escravos; - Imagens de divindades; - Os faraós e sua família; - Conquistas e feitos heróicos; - Cenas de caça e de animais.
  • 7.
  • 8.
  • 9.
  • 10. - Representação bidimensional; - Uniformidade da cor (sem claro-escuro); - Perspectiva hierárquica; - Falta de profundidade; - Lei da Frontalidade: Representação da figura humana retratada frontalmente, enquanto cabeça, pernas e pés eram vistos de perfil. CARACTERÍSTICAS
  • 11. PINTURA EM RELEVO Técnica produzida através de pequenas escavações ou saliências que não passavam de um centímetro que, por sua vez eram coloridos com pigmentos. De acordo com o grau de projeção são classificados como alto (alto-relevo), médios (médio-relevo) e baixos (baixo-relevo).
  • 12. ARQUITETURA As construções egípcias são caracterizadas pelo aspecto de solidez e durabilidade simbolizando a eternidade. Apresentam-se através de duas espécies: templos construídos à direita do Nilo (nascente) dedicado aos deuses e os túmulos (tumbas dos faraós) a oeste do rio (poente). Tipos de tumbas: - Pirâmide (forma piramidal com cume); - Mastaba (forma piramidal corta ao meio); - Hipogeu (sepulturas subterrâneas).
  • 13. OBELISCO Coluna de pedra de corte retangular com vértice piramidal. COLUNA Usada na sustentação de templos possui diferentes capiteis.
  • 14. KARNAK e LUXOR Templos ou santuários construídos pelos faraós dedicados aos deuses.
  • 16. ESCULTURA Representação de reis (faraós) e dos deuses com posição calma e serena, quase sempre de frente sem demonstrar emoção (ilusão de imortalidade). As estátuas-retratos eram produzidas através de basalto, granito, calcário e madeira. Além disso há exemplos de bustos e baixo-relevo portáteis.
  • 17.
  • 18.
  • 19. ESFINGE Monumento composto com corpo de leão e cabeça humana.
  • 20. OBJETOS (artes menores) Diversos objetos reais como jóias (brincos, colares, pulseiras, braceletes) possuíam temas religiosos (imagens de deuses ou animais sagrados) fabricados com ouro, prata, lápis- lazúli, pedras semi-preciosas e vidro colorido.
  • 21. MUMIFICAÇÃO (credo na vida após a morte) O corpo do faraó era desidratado com sal após a retirada das vísceras que eram colocadas separadamente dentro de recipientes chamados canopos. De acordo com a religião egípcia o corpo preservado servia para abrigar a alma do faraó morto na vida eterna. A múmia era enfaixada com linho e embalsamada no sarcófago (decorado com traços do faraó) sepultado em uma tumba.
  • 22.
  • 23. ESCRITA (hieróglifo) Escrita sagrada constituída com sinais ou caracteres pictóricos projetando imagens de pássaros, insetos e objetos. A grafia estava dividida em três sistemas: hieróglifo (sagrada), hierático (simples) e demótico (popular no uso). O enigma da escrita foi decifrada em 1822 pelo francês Champollion através da “Pedra de Roseta”.
  • 24. PAPIRO Planta utilizada pelos egípcios na fabricação de um tipo de papel artesanal. É o suporte (material) utilizado pelos escribas na documentação de ações.
  • 25. CALABRIA, Carla Paula Brondi. Arte, história e produção 2: mundo. São Paulo: FTD, 2009. 206p. (Coleção arte, história e produção) ______. Arte, história e produção 1: arte Brasil. São Paulo: FTD, 2009. 143p. (Coleção arte, história e produção) COTRIM, Gilberto. História global: Brasil e geral. v. 1. São Paulo: Saraiva, 2010. 320p. Enciclopédia Multimídia da Arte Universal: arte pré-histórica, mesopotâmica e egípcia – o nascimento da civilização. v. 1. São Paulo: Alphabetum, 1997. (Coleção caras) PRETTE, Maria Carla. Para entender a arte: história, linguagem, época, estilo. São Paulo: Globo, 2008. 382p. PROENÇA, Graça. História da arte. 17. ed. São Paulo: Ática, 2009. 448p. STRICKLAND, Carol. Arte comentada: da pré-história ao pós-moderno. 13. ed. Rio de Janeiro: Ediouro, 2004. 198p. REFERÊNCIAS