SlideShare uma empresa Scribd logo
PROCESSOS CRIATIVOS EM ARTES VISUAIS
 O quadro “O belo pássaro decifrando o
desconhecido a um casal de amantes “ é apena
um de um grupo célebre de vinte e quatro
desenhos, coletivamente chamados de série
Constelação, que foi executado durante um
período de crise pessoal para Miró
desencadeada pela Guerra Civil Espanhola e a
Segunda Guerra Mundial. Preso na França
1936-1940, o artista iniciou estas obras
obsessivamente meticulosa no papel em uma
tentativa de comungar com a natureza e
escapar as tragédias de eventos atuais. Apesar
de seus formatos modestos, eles
representavam as obras mais importantes de
sua carreira até aquele momento. A técnica
utilizada foi Guache, pintura a aguarrás e
carvão, com dimensões 45,7 x 38,1 cm.
Atualmente está no Museu de Arte Moderna de
Nova York, Estados Unidos
ELEMENTOS DA LINGUAGEM VISUAL
 O ponto é a unidade mínima da
comunicação visual. Considera-se como
ponto qualquer elemento que funcione
como centro de atração visual numa
composição. É a partir do ponto que
surgem todas as outras formas
PERCEBA O PONTO DE ATENÇÃO CRIADO NA PINTURA "CRIAÇÃO DE ADÃO" DE
MICHELANGELO, NA CAPELA SISTINA
NA SÉRIE CRIANÇAS DE AÇÚCAR( FILHAS DE TRABALHADORES DE UMA PLANTAÇÃO DE AÇÚCAR EM ST. KITTS) QUE FOTOGRAFOU, UTILIZANDO PARA TANTO, PAPEL PRETO E
VÁRIOS TIPOS DIFERENTES DE AÇÚCAR), DE VIK MUNIZ, PODEMOS RELACIONAR CADA GRÃOZINHO DE AÇÚCAR A UM PONTINHO NA
TELA. JUNTOS ELES FORMAM A UNIDADE DA IMAGEM
YAKOI KUSAMA
Processos criativos em artes  visuais
Processos criativos em artes  visuais
ELEMENTOS DA LINGUAGEM VISUAL

A linha conforma e delineia os
objetos. Além disso, define o
movimento direcional. Sejam
linhas dinâmicas, como
diagonais e curvas, ou
estáticas, como horizontais e
verticais
1º OBRA TARSILA DO AMARAL E A 2º OBRA DE KANDINSKY
GERALDO DE BARROS - FOI UM DOS PIONEIROS DA FOTOGRAFIA ABSTRATA E DO
MODERNISMO NO BRASIL, ALÉM DE SER CONSIDERADO UM DOS MAIS IMPORTANTES ARTISTAS
DO MOVIMENTO CONCRETISTA BRASILEIRO.
Fotoformas é um conjunto diversificado de procedimentos, apresentando imagens que podem ser vinculadas tanto ao
Construtivismo e Cubismo, bem como a poéticas ligadas à revitalização do Expressionismo; além disso, também apresenta
ideias de vanguarda da fotografia moderna como a Nova Visão, entre outros movimentos. É um verdadeiro convite à
reflexão sobre a luz e sombra, sobre o espaço (plano e bidimensional), conceitual e geometral, bem como sobre o espaço
profundo (representado pela profundidade de campo na foto) uma metáfora para o mundo real, sensível e possível de ser
inteligível
ELEMENTOS DA LINGUAGEM VISUAL
 COR – Elemento fundamental na
linguagem visual. Podem transmitir
mensagens e sensações
A obra "O Mágico" (2001) de Beatriz Milhazes
FRIDA KAYLO
OSWALDO GOELDI - XILOGRAVURA
OBRAS DE BASQUIAT - RETRATANDO CORES
JEAN MICHEL BASQUIAT
 Jean Michel Basquiat viveu na caótica Nova Iorque do
final dos anos 70 e início dos anos 80. A economia estava
próxima a um colapso, o que barateou o custo de vida de
Manhattan, propiciando o encontro de muitos jovens
talentosos que tinham poucos recursos. O caldo cultural
resultante era muito rico, permitindo o nascimento de
artistas brilhantes como Basquiat. Neste ambiente, a
pintura, outrora desvalorizada, reganhava força, e a
liberdade de expressão era total. As pinceladas de
Basquiat eram dotadas de emoção, energia, e liberdade de
criação. Ele foi influenciado pelo grafite, o que pode ser
visto no dinamismo dos seus movimentos, e no aspecto
inacabado de suas obras. Basquiat, inclusive, dizia que
sabia desenhar, mas que lutava contra isso, pois ele
entendia que podia extrair mais força e energia das suas
obras, através de desenhos inacabados. Ele usava uma
linguagem rica e vasta, misturando pinturas, palavras,
colagens e sentimentos. Sinceramente, as vezes não
sabíamos direito quando um quadro virava desenho e
quando um desenho se tornava um quadro, mas o fato é
que fomos fortemente impactados por sua obra. Basquiat
era negro, em uma época de mundo artístico
predominantemente branco, o que lhe influencia
sobremaneira, trazendo contradição e crítica à sua obra.
Ele chamou a atenção do mundo para a falta de
diversidade no mundo artístico, e não raro homenageou
artistas negros em seus quadros, expondo a dor e as
dificuldades vividos pelos negros nos EUA. Outro
elemento significativo para o desenvolvimento do artista
foi sua amizade com Andy Warhol. Expoente do
neoexpressionismo dos anos 80 abusa no uso de texturas
e cores em diferentes linguagens, criando uma arte
provocativa, instigante, intensa, realista e cheia de
contradições que nos mostra o porquê do pintor norte-
americano de ascendência afrocaribenha, ter sido tão
cultuado em sua época, a despeito de ter falecido tão
jovem, aos 27 anos.
BASQUIAT E MOVIMENTO ARTÍSTICO
 Jean-Michel Basquiat, no entanto, veio a
desempenhar um papel importante e histórico na
ascensão do Punk Art e do Neo-Expressionismo no
cenário artístico de Nova York. Enquanto a maior
parte do público se apegou ao exotismo superficial
de seu trabalho e foi cativado por sua celebridade
instantânea, sua arte, freqüentemente descrita
imprecisamente como “ingênua”, possuía conexões
importantes e teve precursores expressivos, como
Jean Dubuffet e Cy. Twombly.
 Basquiat tinha muito medo da realidade racial
desfavorável nos Estados Unidos. Esse sentimento
freqüentemente se apresentava em suas obras, que
eram tipicamente sociais e politicamente
carregadas. Suas pinturas eram altamente
simbólicas por natureza e muitas vezes focalizavam
no que ele via como dicotomias intrínsecas, como
os ricos versus os pobre ou integração versus
segregação. Os trabalhos de Basquiat incluíam
tipicamente palavras ou frases curtas e, de fato
algumas peças consistiam apenas da palavra
escrita.
ARTISTA EDUARDO KOBRA
Processos criativos em artes  visuais
KAITH HARING
KAITH HARING/ BASQUIAT / ROY LICHTENSTEIN
ARAQUÉM ALCÂNTARA - FOTOGRAFIA
Processos criativos em artes  visuais
Processos criativos em artes  visuais
FOTODESENHOS - Ben Heine reparou na transparência do papel e decidiu criar uma série
de imagens que colocassem em justaposição fotografias e desenhos. O resultado é a
estranha harmonia de cenários fotográficos e desenhos com elementos surreais.
ELEMENTOS DA LINGUAGEM VISUAL - FORMA
 As formas nascem da junção de linhas.
Podem ser geométricas, como o quadrado, o
círculo, o triângulo e os poliedros, e também
abstratas ou figurativas. Podem ser formas
orgânicas, como aquelas que não têm uma
aparência precisa e representam ou lembram
figuras de seres vivos. Podem ser
bidimensionais, com altura e comprimento,
ou tridimensionais, com altura, comprimento
e profundidade – ou seja, ter duas ou três
dimensões, respectivamente.
 Mo Piet Mondrian
ARQUITETURA – OSCAR NIEMEYER
Processos criativos em artes  visuais
CUBISMO: A ARTE BIDIMENSIONAL QUE FEZ SUCESSO
PELAS SUAS FORMAS
 Les Demoiselles d’Avignon, pintada por
Picasso em 1907, que proporcionou
notoriedade e inaugurou o novo estilo.
Neste quadro, as formas de cinco nus
femininos se tornam formas angulares e
fraturadas. Como na arte de Cézanne, a
perspectiva dada através da cor, com os
marrons avermelhados quentes
avançando e os azuis frios retrocedendo.
 Nessa obra, Pablo Picasso também foi
inspirado pelas máscaras tribais
africanas, altamente estilizadas ou não
naturalistas, mas que, no entanto,
apresentam uma imagem humana vívida.
“Uma cabeça”, disse Picasso, “é uma
questão de olhos, nariz, boca, que podem
ser distribuídos da maneira que você
quiser”.
QUESTÃO
 O quadro Les Demoiselles d’Avignon (1907), de
Pablo Picasso, representa o rompimento com a
estética clássica e a revolução da arte no início
do século XX. Essa nova tendência se
caracteriza pela
a) pintura de modelos em planos irregulares
b) mulher como temática central da obra.
c) cena representada por vários modelos.
d) oposição entre tons claros e escuros.
e nudez explorada como objeto de arte.
ORIGEM DO TERMO “CUBISMO”
 O cubismo derivou seu nome
das observações feitas pelo
crítico Louis Vauxcelles, que
descreveu ironicamente a obra
de Braque de 1908, Houses at
L’Estaque, como sendo
composta de cubos.
A ilusão de espaço
Desde o Renascimento, no século XV,
os artistas europeus pretendiam criar a
ilusão do espaço tridimensional em
seus desenhos e pinturas. Eles queriam
que a experiência de olhar para uma
pintura fosse como olhar através de
uma janela para uma paisagem, interior,
pessoa ou objeto real.
Mas como os artistas cubistas faziam
as coisas parecerem tridimensionais em
uma superfície bidimensional? Técnicas
como perspectiva linear e gradação de
tons eram usadas. A perspectiva
envolve tornar as coisas maiores e mais
claras quando estão próximas, e
menores e menos claras quando estão
mais distantes. Ao fazer isso, os artistas
criavam a ilusão de espaço.
 Eles também começaram a usar tons (sombras)
para criar a ilusão de objetos tridimensionais,
alterando gradualmente a escuridão da sombra
para fazer com que algo pareça sólido.
 Esses desenhos de J.M.W Turner mostram como
perspectiva e tom (ou sombra) eram usados para
criar a ilusão de objetos tridimensionais sólidos
e reais.
JUAN GRIS | STILL LIFE WITH OPEN WINDOW, RUE RAVIGNAN
(1915)
 O trabalho de Juan Gris é
frequentemente
considerado o mais
próximo do de Picasso e
Braque, artistas proximos
de Gris desde 1911. Em
1914, Gris havia
desenvolvido técnicas de
colagem nas quais colava
elementos de jornais e
revistas desconstruídas,
cenas abstratas.
QUESTÃO
 O movimento artístico denominado cubismo desenvolveu-
se na primeira década do século XX, liderado pelo
espanhol Pablo Picasso e pelo francês Georges Braque. A
partir da figura ao lado, assinale a opção correta com
relação às características desse movimento.
 A. Nas obras cubistas, os objetos são representados de
forma realista.
 B. Os cubistas procuravam representar em suas obras o
movimento, sugerindo velocidade.
 C. Por meio das imagens fragmentadas, os pintores
cubistas procuravam passar uma ideia de profundidade.
 D. As obras desse movimento são marcadas pela
decomposição e geometrização das formas naturais.
ALFREDO VOLPI
GERALDO DE BARROS - FOTOFORMA
 Pioneiro em fotografia abstrata no Brasil, Geraldo
de Barros atuou nesse campo entre 1947 e 1951.
Com sua série “Fotoforma”, o artista renovou a
criação fotográfica em seu país e hoje é exibido
mundialmente.

Desde 2014, o fundo da Fotoforma é de propriedade
do Instituto Moreira Salles, no Rio de Janeiro.
Marcado por um caráter ousado e inovador, esse
conjunto emprega de forma pioneira o processo da
intervenção e manipulação direta nos negativos,
obtendo efeitos abstratos, expressionistas e
construtivistas nas obras. A arte de Geraldo de
Barros esteve inserida no âmbito do ‘marginal’,
visto que, o artista buscou de várias formas
transgredir as normas e regras tradicionais vigentes
naquele contexto e estabelecer os seus próprios
modelos baseados na experimentação. A série
Fotoformas representou esse momento de ruptura e
experimentalismo ligados à ‘marginalidade’
artística, cujo objetivo principal era romper com o
tradicionalismo e estabelecer novas técnicas uma
linguagem inovadora na fotografia.
Processos criativos em artes  visuais
ELEMENTOS DA LINGUAGEM VISUAL - TEXTURA
 Aspecto de uma superfície que nos
permite identificar o objeto. Podendo ser
lisa, rugosa, áspera, ondulado, etc..
Fotoforma – Geraldo de Barros
GERALDO DE BARROS / ARAQUÉM ALCÂNTARA
OBRAS DO ARTISTA IBERÊ CAMARGO
OBRAS VIK MUNIZ
Processos criativos em artes  visuais
ENEM 2010
 O modernismo brasileiro teve forte influência das
vanguardas europeias. A partir da Semana de Arte
Moderna, esses conceitos passaram a fazer parte da
arte brasileira definitivamente. Tomando como
referência o quadro O mamoeiro, identifica-se que,
nas artes plásticas, a
 a) imagem passa a valer mais que as formas
vanguardistas.
 b) forma estética ganha linhas retas e valoriza o
cotidiano.
 c) natureza passa a ser admirada como um espaço
utópico.
 d) imagem privilegia uma ação moderna e
industrializada.
 e) forma apresenta contornos e detalhes humanos
 Tendo como referência a pintura da Tarsila, a questão pede uma
característica do movimento artístico, no caso o Modernismo, que
se aplica ao elemento visual linha - no caso, linhas retas. Então
aqui foi preciso conhecer a história da arte e os elementos
visuais. Eu recomendo também conhecer bem o trabalho dos
outros modernistas Anita Malfatti, Di Cavalcanti, Vicente do Rego
Monteiro, etc.
ENEM
O modernismo trouxe uma fuga da arte que tinha no "belo", na
representação mimética da realidade a sua primazia, ou seja, a arte
moderna distorceu, mudou cores e formas. O encontro desta proposta
com as artes de culturas estranhas à cultura europeia foi um dos
achados do modernismo, em particular o cubismo, que simplificou
formas, mas não só isso: tentou mostrar a realidade por diferentes
ângulos ao mesmo tempo. Como a arte modernista distorce, a letra "A"
está fora, pois as proporções não são preservadas. A letra "B" cita
movimento, o que não pode ser considerado, pois apenas os futuristas
italianos remetiam a isso na pintura, tentando exatamente fugir das
estruturas "primitivas". "C" não é de todo incorreto, pois a simetria
(ambos os lados proporcionais e iguais) não era um comprometimento
modernista. A grande certeza é a letra "D", na qual a sintetização das
formas foi um dos carros-chefe da representação modernista. Por fim,
em "E", a valorização estética (remetendo ao "belo" novamente) está fora
da proposta moderna.
QUESTÃO AVA
OS GÊNEROS ARTÍSTICOS
Eles foram definidos pelas academias
de arte europeias, a partir mais ou
menos do renascimento, e estas
academias definiram uma hierarquia
entre esses gêneros artísticos. Os
gêneros artísticos foram classificados
em categorias, com características
próprias. O importante é saber que as
academias determinaram uma
hierarquia ente essas
categorias/gêneros artísticos. E a
categoria principal, também chamada
de grande gênero, é à pintura histórica,
a mais importante deles.
1º - Pintura histórica ( são pinturas de
narrativas, de fatos históricos, temas
bíblicos, mitológicos, literários e
alegóricos) – Uma confusão que ás
pessoas fazem, o gênero chama
Pintura histórica, mas essa pintura
histórica se refere à pintura de
narrativas visuais, ou seja, histórias.
Mas, também, a representações
pinturas que retrata passagens
históricas, fatos históricos. Feita por
encomenda, reis, burgueses
1º GRANDE GÊNERO
O Rapto das Sabinas, do pintor francês
Nicolas Poussin, cheia de simetria e
equilíbrio, conforme as regras do classicismo,
mostra o momento em que as mulheres
Sabinas estão sendo raptadas, numa praça
romana, o que gera um grande tumulto,
sendo visível o horror delas, que tentam se
livrar de seus agressores. Este mito faz parte
da história da fundação de Roma. Rômulo, o
fundador, encontra-se na parte esquerda da
composição, ao alto, num pedestal, vestindo
uma armadura, e usando uma coroa, ele
levanta seu manto de cor púrpura.
VÍCTOR MEIRELLES
 O seu quadro “Primeira
Missa no Brasil” se tornou
uma das mais conhecidas
e populares telas do país.
Feita entre os anos 1859 e
1861, essa obra-prima é
uma pintura de óleo sobre
tela e está exposta no
Museu e Biblioteca
Nacional do Rio de
Janeiro.
2 º PINTURA DE GÊNERO OU PEQUENO GÊNERO
 2º - Pintura de gênero ou pequeno
gênero (Cenas do cotidiano de
pessoas anônimas, desenvolveu no
século XVII na Holanda, foi um país
que rompeu com o catolicismo,
através da reforma protestante e aí
os pintores eles deixaram de produzir
essencialmente para igreja. Então,
esses pintores tiveram que se
adaptar a essa nova fase, e
começaram a produzir para
burguesia local. Cria uma certa
confusão por causa do nome.
Retrata pessoas simples. Definição e
popularização desse pequeno
gênero
 Obra Velha Fritando Ovos, de 1618, do
pintor Espanhol Diego Velázquez
3 º RETRATO
 Gênero muito famoso, temos retratos
desde à antiguidade mas a partir da idade
média, principalmente no renascimento,
os retratos ganharam uma importância
enorme, principalmente por retratar ás
pessoas poderosas
 Obra: O homem Desesperado – Gustave
Coubert.
4 º PAISAGEM
 Representação do espaço geográfico
 Obra : Paisagem com
São Jerônimo –
Joachim Patnir , 1520
5º NATUREZA-MORTA
 Representação de objetos inanimados,
ela servia muito para o aprendizado
dos pintores. Usado muito para
artistas que estavam em processo de
aprendizado nas academias
 Um pintor de história era super
valorizado, pois ele sabia pintar todos
os gêneros
 Obra: Cézanne - Natureza-morta com
maçãs e laranjas, 1895-1900
MOVIMENTOS, TÉCNICAS, E ESTILOS ARTÍSTICOS. QUAL É A DIFERENÇA?
 Movimento artístico tem como característica a introdução de
uma novidade artística, com a utilização de ideias, temas e
técnicas definidas para esse tipo de arte. Oficialmente eles
surgem no século XX, e o primeiro deles, com todas as
características de movimento artístico, é o Realismo.
 Técnica artística é um jeito de pintar um quadro. Por
exemplo, Leonardo Da Vinci, com seus estudos sobre
ciências como geometria, óptica, anatomia etc, utilizou uma
técnica chamada de claro-escuro, com outra técnica
chamada de sfumato. Ele introduziu sombras mais realistas
e sutis nas suas pinturas.
As sombras são naturais, e o sfumato criam essas expressões humanas sutis para o observador,
que é uma das característica dos quadros de Leonardo da Vinci. Sfumato é uma técnica que cria
um degradê sutil de cores, em vez de pintar a pele humana e expressões usando um tom e
pinceladas definidas. Leonardo da Vinci cria uma espécie. Embaixo temos o quadro Davi e Golias
de Caravaggio, e a direita uma obra de Leonardo da Vinci. A expressão no rosto de Golias é
marcante, enquanto a da mulher e do bebê é mais suave.
A técnica claro e escuro é vista na parte do bebê e a fonte, as mãos da mulher e o vestido, no
quadro de da Vinci. Caravaggio utiliza em toda sua obra Davi e Golias.de Blur (photoshop).
Estilo Artístico é a arte produzida durante um período histórico. É um conceito
retirado de um movimento histórico maior, por exemplo, o Renascimento.
O período Renascentista não teve impacto somente na arte, mas em todos os
aspectos da sociedade na época, o movimento artístico é mais restrito a produção de
arte, o histórico influência todo um período geralmente longo, dura cem, duzentos,
trezentos anos. Por isso o Renascimento não é um movimento artístico, e a arte
produzida é classificada como estilo ou período artístico.
São manifestações estéticas e formais comuns a determinados grupos, havendo ou
não variação nacional e/ou geográfica de estilo.
Estilo do Artista
As características permanentes de determinado artista.
Podem alterar-se ou não ao longo do tempo.
O estilo relaciona a forma com técnica e a escolha de expressão do artista.
Alguns exemplos
Van Gogh
Usa linhas marcadas com pinceladas intensas ao longo de toda a sua carreira. Estas
são definidoras do seu “estilo” próprio e único.
MOVIMENTOS ARTÍSTICOS

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Arte e corpo
Arte e corpoArte e corpo
Arte e corpo
gєαทє ℓiмα
 
Semana de arte moderna
Semana de arte modernaSemana de arte moderna
Semana de arte moderna
Lucas Nascimento
 
Retrato e auto retrato
Retrato e auto retratoRetrato e auto retrato
Retrato e auto retrato
luciliapereira
 
TEATRO (Conceito; História; Gêneros e principais atores e atrizes)
TEATRO (Conceito; História; Gêneros e principais atores e atrizes)  TEATRO (Conceito; História; Gêneros e principais atores e atrizes)
TEATRO (Conceito; História; Gêneros e principais atores e atrizes)
Wellinton Augusto
 
Arte conceitual
Arte conceitualArte conceitual
Arte conceitual
Cristiano Acosta
 
Instalação Artística
Instalação ArtísticaInstalação Artística
Instalação Artística
Enzo Berger
 
História da arte - Romantismo e Realismo - resumo
História da arte - Romantismo e Realismo - resumoHistória da arte - Romantismo e Realismo - resumo
História da arte - Romantismo e Realismo - resumo
Andrea Dressler
 
Arte indígena
Arte indígenaArte indígena
Arte indígena
Sandro Bottene
 
O que é a arte
O que é a arteO que é a arte
O que é a arte
Ana Barreiros
 
Concretismo
ConcretismoConcretismo
Concretismo
Fábio Oliveira
 
Arte contemporanea
Arte contemporaneaArte contemporanea
Arte contemporanea
Denise Lugli
 
Arte e sociedade - Instalações Artísticas
Arte e sociedade - Instalações ArtísticasArte e sociedade - Instalações Artísticas
Arte e sociedade - Instalações Artísticas
Junior Onildo
 
Pop art trabalho
Pop art   trabalhoPop art   trabalho
Pop art trabalho
Mário Sérgio
 
Arte urbana
Arte urbana Arte urbana
Arte urbana
Turmasthera
 
Releitura de uma obra de arte (2)
Releitura de uma obra de arte (2)Releitura de uma obra de arte (2)
Releitura de uma obra de arte (2)
cleberton10
 
Arte abstrata
Arte abstrataArte abstrata
Arte abstrata
Ana Barreiros
 
A arte na pré história
A arte na pré históriaA arte na pré história
A arte na pré história
Daniella Cincoetti
 
Arte moderna
Arte modernaArte moderna
Arte moderna
Ana Paula Silva
 
Arte e artesanato
Arte e artesanatoArte e artesanato
Arte e artesanato
Paulo Henrique Breda
 
Land Art
Land ArtLand Art

Mais procurados (20)

Arte e corpo
Arte e corpoArte e corpo
Arte e corpo
 
Semana de arte moderna
Semana de arte modernaSemana de arte moderna
Semana de arte moderna
 
Retrato e auto retrato
Retrato e auto retratoRetrato e auto retrato
Retrato e auto retrato
 
TEATRO (Conceito; História; Gêneros e principais atores e atrizes)
TEATRO (Conceito; História; Gêneros e principais atores e atrizes)  TEATRO (Conceito; História; Gêneros e principais atores e atrizes)
TEATRO (Conceito; História; Gêneros e principais atores e atrizes)
 
Arte conceitual
Arte conceitualArte conceitual
Arte conceitual
 
Instalação Artística
Instalação ArtísticaInstalação Artística
Instalação Artística
 
História da arte - Romantismo e Realismo - resumo
História da arte - Romantismo e Realismo - resumoHistória da arte - Romantismo e Realismo - resumo
História da arte - Romantismo e Realismo - resumo
 
Arte indígena
Arte indígenaArte indígena
Arte indígena
 
O que é a arte
O que é a arteO que é a arte
O que é a arte
 
Concretismo
ConcretismoConcretismo
Concretismo
 
Arte contemporanea
Arte contemporaneaArte contemporanea
Arte contemporanea
 
Arte e sociedade - Instalações Artísticas
Arte e sociedade - Instalações ArtísticasArte e sociedade - Instalações Artísticas
Arte e sociedade - Instalações Artísticas
 
Pop art trabalho
Pop art   trabalhoPop art   trabalho
Pop art trabalho
 
Arte urbana
Arte urbana Arte urbana
Arte urbana
 
Releitura de uma obra de arte (2)
Releitura de uma obra de arte (2)Releitura de uma obra de arte (2)
Releitura de uma obra de arte (2)
 
Arte abstrata
Arte abstrataArte abstrata
Arte abstrata
 
A arte na pré história
A arte na pré históriaA arte na pré história
A arte na pré história
 
Arte moderna
Arte modernaArte moderna
Arte moderna
 
Arte e artesanato
Arte e artesanatoArte e artesanato
Arte e artesanato
 
Land Art
Land ArtLand Art
Land Art
 

Semelhante a Processos criativos em artes visuais

Apresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e Abstracionismo
Apresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e AbstracionismoApresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e Abstracionismo
Apresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e Abstracionismo
Gabriel Ferraciolli
 
Arte moderna
Arte modernaArte moderna
Arte moderna
Lú Carvalho
 
Ismos arte moderna- CBG
Ismos  arte moderna- CBGIsmos  arte moderna- CBG
Ismos arte moderna- CBG
Aline Raposo
 
Primeira metade do século XX
Primeira metade do século XXPrimeira metade do século XX
Primeira metade do século XX
CEF16
 
Ruptura e inovação nas artes e na literatura inês modesto
Ruptura e inovação nas artes e na literatura inês modestoRuptura e inovação nas artes e na literatura inês modesto
Ruptura e inovação nas artes e na literatura inês modesto
ceufaias
 
Vanguardaseuropeiasslides 130727130748-phpapp02
Vanguardaseuropeiasslides 130727130748-phpapp02Vanguardaseuropeiasslides 130727130748-phpapp02
Vanguardaseuropeiasslides 130727130748-phpapp02
carlos germano pereira de souza
 
Vanguardas europeias slides
Vanguardas europeias slidesVanguardas europeias slides
Vanguardas europeias slides
Eline Lima
 
Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
ggmota93
 
Artes - Trabalho de história e EV
Artes - Trabalho de história e EVArtes - Trabalho de história e EV
Artes - Trabalho de história e EV
ammarahmonteiro
 
CUBISMO
CUBISMOCUBISMO
A arte da 1ª metade do séc beatriz
A arte da 1ª metade do séc   beatrizA arte da 1ª metade do séc   beatriz
A arte da 1ª metade do séc beatriz
Bioquinha
 
Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
Anacrislinda
 
A arte no Século XX
A arte no Século XXA arte no Século XX
A arte no Século XX
bia139
 
[HA2012] 06 - Cubismo
[HA2012] 06 - Cubismo[HA2012] 06 - Cubismo
[HA2012] 06 - Cubismo
Eduardo Novais
 
História da arte - Arte Moderna
História da arte  - Arte ModernaHistória da arte  - Arte Moderna
História da arte - Arte Moderna
Lú Carvalho
 
A cultura no espaço visual
A cultura no espaço visualA cultura no espaço visual
A cultura no espaço visual
Rita Lampreia
 
Fauvismo
FauvismoFauvismo
Fauvismo
Junior Onildo
 
História da arte arte moderna
História da arte   arte modernaHistória da arte   arte moderna
História da arte arte moderna
Lú Carvalho
 
Cubismo - 7º ano!
Cubismo - 7º ano!Cubismo - 7º ano!
Cubismo - 7º ano!
Lu Rebordosa
 
100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf
100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf
100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf
eduardoalves354978
 

Semelhante a Processos criativos em artes visuais (20)

Apresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e Abstracionismo
Apresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e AbstracionismoApresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e Abstracionismo
Apresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e Abstracionismo
 
Arte moderna
Arte modernaArte moderna
Arte moderna
 
Ismos arte moderna- CBG
Ismos  arte moderna- CBGIsmos  arte moderna- CBG
Ismos arte moderna- CBG
 
Primeira metade do século XX
Primeira metade do século XXPrimeira metade do século XX
Primeira metade do século XX
 
Ruptura e inovação nas artes e na literatura inês modesto
Ruptura e inovação nas artes e na literatura inês modestoRuptura e inovação nas artes e na literatura inês modesto
Ruptura e inovação nas artes e na literatura inês modesto
 
Vanguardaseuropeiasslides 130727130748-phpapp02
Vanguardaseuropeiasslides 130727130748-phpapp02Vanguardaseuropeiasslides 130727130748-phpapp02
Vanguardaseuropeiasslides 130727130748-phpapp02
 
Vanguardas europeias slides
Vanguardas europeias slidesVanguardas europeias slides
Vanguardas europeias slides
 
Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
 
Artes - Trabalho de história e EV
Artes - Trabalho de história e EVArtes - Trabalho de história e EV
Artes - Trabalho de história e EV
 
CUBISMO
CUBISMOCUBISMO
CUBISMO
 
A arte da 1ª metade do séc beatriz
A arte da 1ª metade do séc   beatrizA arte da 1ª metade do séc   beatriz
A arte da 1ª metade do séc beatriz
 
Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
 
A arte no Século XX
A arte no Século XXA arte no Século XX
A arte no Século XX
 
[HA2012] 06 - Cubismo
[HA2012] 06 - Cubismo[HA2012] 06 - Cubismo
[HA2012] 06 - Cubismo
 
História da arte - Arte Moderna
História da arte  - Arte ModernaHistória da arte  - Arte Moderna
História da arte - Arte Moderna
 
A cultura no espaço visual
A cultura no espaço visualA cultura no espaço visual
A cultura no espaço visual
 
Fauvismo
FauvismoFauvismo
Fauvismo
 
História da arte arte moderna
História da arte   arte modernaHistória da arte   arte moderna
História da arte arte moderna
 
Cubismo - 7º ano!
Cubismo - 7º ano!Cubismo - 7º ano!
Cubismo - 7º ano!
 
100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf
100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf
100022681-Semana-de-Arte-Moderna.pdf
 

Processos criativos em artes visuais

  • 1. PROCESSOS CRIATIVOS EM ARTES VISUAIS  O quadro “O belo pássaro decifrando o desconhecido a um casal de amantes “ é apena um de um grupo célebre de vinte e quatro desenhos, coletivamente chamados de série Constelação, que foi executado durante um período de crise pessoal para Miró desencadeada pela Guerra Civil Espanhola e a Segunda Guerra Mundial. Preso na França 1936-1940, o artista iniciou estas obras obsessivamente meticulosa no papel em uma tentativa de comungar com a natureza e escapar as tragédias de eventos atuais. Apesar de seus formatos modestos, eles representavam as obras mais importantes de sua carreira até aquele momento. A técnica utilizada foi Guache, pintura a aguarrás e carvão, com dimensões 45,7 x 38,1 cm. Atualmente está no Museu de Arte Moderna de Nova York, Estados Unidos
  • 2. ELEMENTOS DA LINGUAGEM VISUAL  O ponto é a unidade mínima da comunicação visual. Considera-se como ponto qualquer elemento que funcione como centro de atração visual numa composição. É a partir do ponto que surgem todas as outras formas
  • 3. PERCEBA O PONTO DE ATENÇÃO CRIADO NA PINTURA "CRIAÇÃO DE ADÃO" DE MICHELANGELO, NA CAPELA SISTINA
  • 4. NA SÉRIE CRIANÇAS DE AÇÚCAR( FILHAS DE TRABALHADORES DE UMA PLANTAÇÃO DE AÇÚCAR EM ST. KITTS) QUE FOTOGRAFOU, UTILIZANDO PARA TANTO, PAPEL PRETO E VÁRIOS TIPOS DIFERENTES DE AÇÚCAR), DE VIK MUNIZ, PODEMOS RELACIONAR CADA GRÃOZINHO DE AÇÚCAR A UM PONTINHO NA TELA. JUNTOS ELES FORMAM A UNIDADE DA IMAGEM
  • 8. ELEMENTOS DA LINGUAGEM VISUAL  A linha conforma e delineia os objetos. Além disso, define o movimento direcional. Sejam linhas dinâmicas, como diagonais e curvas, ou estáticas, como horizontais e verticais
  • 9. 1º OBRA TARSILA DO AMARAL E A 2º OBRA DE KANDINSKY
  • 10. GERALDO DE BARROS - FOI UM DOS PIONEIROS DA FOTOGRAFIA ABSTRATA E DO MODERNISMO NO BRASIL, ALÉM DE SER CONSIDERADO UM DOS MAIS IMPORTANTES ARTISTAS DO MOVIMENTO CONCRETISTA BRASILEIRO. Fotoformas é um conjunto diversificado de procedimentos, apresentando imagens que podem ser vinculadas tanto ao Construtivismo e Cubismo, bem como a poéticas ligadas à revitalização do Expressionismo; além disso, também apresenta ideias de vanguarda da fotografia moderna como a Nova Visão, entre outros movimentos. É um verdadeiro convite à reflexão sobre a luz e sombra, sobre o espaço (plano e bidimensional), conceitual e geometral, bem como sobre o espaço profundo (representado pela profundidade de campo na foto) uma metáfora para o mundo real, sensível e possível de ser inteligível
  • 11. ELEMENTOS DA LINGUAGEM VISUAL  COR – Elemento fundamental na linguagem visual. Podem transmitir mensagens e sensações A obra "O Mágico" (2001) de Beatriz Milhazes
  • 13. OSWALDO GOELDI - XILOGRAVURA
  • 14. OBRAS DE BASQUIAT - RETRATANDO CORES
  • 15. JEAN MICHEL BASQUIAT  Jean Michel Basquiat viveu na caótica Nova Iorque do final dos anos 70 e início dos anos 80. A economia estava próxima a um colapso, o que barateou o custo de vida de Manhattan, propiciando o encontro de muitos jovens talentosos que tinham poucos recursos. O caldo cultural resultante era muito rico, permitindo o nascimento de artistas brilhantes como Basquiat. Neste ambiente, a pintura, outrora desvalorizada, reganhava força, e a liberdade de expressão era total. As pinceladas de Basquiat eram dotadas de emoção, energia, e liberdade de criação. Ele foi influenciado pelo grafite, o que pode ser visto no dinamismo dos seus movimentos, e no aspecto inacabado de suas obras. Basquiat, inclusive, dizia que sabia desenhar, mas que lutava contra isso, pois ele entendia que podia extrair mais força e energia das suas obras, através de desenhos inacabados. Ele usava uma linguagem rica e vasta, misturando pinturas, palavras, colagens e sentimentos. Sinceramente, as vezes não sabíamos direito quando um quadro virava desenho e quando um desenho se tornava um quadro, mas o fato é que fomos fortemente impactados por sua obra. Basquiat era negro, em uma época de mundo artístico predominantemente branco, o que lhe influencia sobremaneira, trazendo contradição e crítica à sua obra. Ele chamou a atenção do mundo para a falta de diversidade no mundo artístico, e não raro homenageou artistas negros em seus quadros, expondo a dor e as dificuldades vividos pelos negros nos EUA. Outro elemento significativo para o desenvolvimento do artista foi sua amizade com Andy Warhol. Expoente do neoexpressionismo dos anos 80 abusa no uso de texturas e cores em diferentes linguagens, criando uma arte provocativa, instigante, intensa, realista e cheia de contradições que nos mostra o porquê do pintor norte- americano de ascendência afrocaribenha, ter sido tão cultuado em sua época, a despeito de ter falecido tão jovem, aos 27 anos.
  • 16. BASQUIAT E MOVIMENTO ARTÍSTICO  Jean-Michel Basquiat, no entanto, veio a desempenhar um papel importante e histórico na ascensão do Punk Art e do Neo-Expressionismo no cenário artístico de Nova York. Enquanto a maior parte do público se apegou ao exotismo superficial de seu trabalho e foi cativado por sua celebridade instantânea, sua arte, freqüentemente descrita imprecisamente como “ingênua”, possuía conexões importantes e teve precursores expressivos, como Jean Dubuffet e Cy. Twombly.  Basquiat tinha muito medo da realidade racial desfavorável nos Estados Unidos. Esse sentimento freqüentemente se apresentava em suas obras, que eram tipicamente sociais e politicamente carregadas. Suas pinturas eram altamente simbólicas por natureza e muitas vezes focalizavam no que ele via como dicotomias intrínsecas, como os ricos versus os pobre ou integração versus segregação. Os trabalhos de Basquiat incluíam tipicamente palavras ou frases curtas e, de fato algumas peças consistiam apenas da palavra escrita.
  • 20. KAITH HARING/ BASQUIAT / ROY LICHTENSTEIN
  • 21. ARAQUÉM ALCÂNTARA - FOTOGRAFIA
  • 24. FOTODESENHOS - Ben Heine reparou na transparência do papel e decidiu criar uma série de imagens que colocassem em justaposição fotografias e desenhos. O resultado é a estranha harmonia de cenários fotográficos e desenhos com elementos surreais.
  • 25. ELEMENTOS DA LINGUAGEM VISUAL - FORMA  As formas nascem da junção de linhas. Podem ser geométricas, como o quadrado, o círculo, o triângulo e os poliedros, e também abstratas ou figurativas. Podem ser formas orgânicas, como aquelas que não têm uma aparência precisa e representam ou lembram figuras de seres vivos. Podem ser bidimensionais, com altura e comprimento, ou tridimensionais, com altura, comprimento e profundidade – ou seja, ter duas ou três dimensões, respectivamente.  Mo Piet Mondrian
  • 28. CUBISMO: A ARTE BIDIMENSIONAL QUE FEZ SUCESSO PELAS SUAS FORMAS  Les Demoiselles d’Avignon, pintada por Picasso em 1907, que proporcionou notoriedade e inaugurou o novo estilo. Neste quadro, as formas de cinco nus femininos se tornam formas angulares e fraturadas. Como na arte de Cézanne, a perspectiva dada através da cor, com os marrons avermelhados quentes avançando e os azuis frios retrocedendo.  Nessa obra, Pablo Picasso também foi inspirado pelas máscaras tribais africanas, altamente estilizadas ou não naturalistas, mas que, no entanto, apresentam uma imagem humana vívida. “Uma cabeça”, disse Picasso, “é uma questão de olhos, nariz, boca, que podem ser distribuídos da maneira que você quiser”.
  • 29. QUESTÃO  O quadro Les Demoiselles d’Avignon (1907), de Pablo Picasso, representa o rompimento com a estética clássica e a revolução da arte no início do século XX. Essa nova tendência se caracteriza pela a) pintura de modelos em planos irregulares b) mulher como temática central da obra. c) cena representada por vários modelos. d) oposição entre tons claros e escuros. e nudez explorada como objeto de arte.
  • 30. ORIGEM DO TERMO “CUBISMO”  O cubismo derivou seu nome das observações feitas pelo crítico Louis Vauxcelles, que descreveu ironicamente a obra de Braque de 1908, Houses at L’Estaque, como sendo composta de cubos.
  • 31. A ilusão de espaço Desde o Renascimento, no século XV, os artistas europeus pretendiam criar a ilusão do espaço tridimensional em seus desenhos e pinturas. Eles queriam que a experiência de olhar para uma pintura fosse como olhar através de uma janela para uma paisagem, interior, pessoa ou objeto real. Mas como os artistas cubistas faziam as coisas parecerem tridimensionais em uma superfície bidimensional? Técnicas como perspectiva linear e gradação de tons eram usadas. A perspectiva envolve tornar as coisas maiores e mais claras quando estão próximas, e menores e menos claras quando estão mais distantes. Ao fazer isso, os artistas criavam a ilusão de espaço.  Eles também começaram a usar tons (sombras) para criar a ilusão de objetos tridimensionais, alterando gradualmente a escuridão da sombra para fazer com que algo pareça sólido.  Esses desenhos de J.M.W Turner mostram como perspectiva e tom (ou sombra) eram usados para criar a ilusão de objetos tridimensionais sólidos e reais.
  • 32. JUAN GRIS | STILL LIFE WITH OPEN WINDOW, RUE RAVIGNAN (1915)  O trabalho de Juan Gris é frequentemente considerado o mais próximo do de Picasso e Braque, artistas proximos de Gris desde 1911. Em 1914, Gris havia desenvolvido técnicas de colagem nas quais colava elementos de jornais e revistas desconstruídas, cenas abstratas.
  • 33. QUESTÃO  O movimento artístico denominado cubismo desenvolveu- se na primeira década do século XX, liderado pelo espanhol Pablo Picasso e pelo francês Georges Braque. A partir da figura ao lado, assinale a opção correta com relação às características desse movimento.  A. Nas obras cubistas, os objetos são representados de forma realista.  B. Os cubistas procuravam representar em suas obras o movimento, sugerindo velocidade.  C. Por meio das imagens fragmentadas, os pintores cubistas procuravam passar uma ideia de profundidade.  D. As obras desse movimento são marcadas pela decomposição e geometrização das formas naturais.
  • 35. GERALDO DE BARROS - FOTOFORMA  Pioneiro em fotografia abstrata no Brasil, Geraldo de Barros atuou nesse campo entre 1947 e 1951. Com sua série “Fotoforma”, o artista renovou a criação fotográfica em seu país e hoje é exibido mundialmente.  Desde 2014, o fundo da Fotoforma é de propriedade do Instituto Moreira Salles, no Rio de Janeiro. Marcado por um caráter ousado e inovador, esse conjunto emprega de forma pioneira o processo da intervenção e manipulação direta nos negativos, obtendo efeitos abstratos, expressionistas e construtivistas nas obras. A arte de Geraldo de Barros esteve inserida no âmbito do ‘marginal’, visto que, o artista buscou de várias formas transgredir as normas e regras tradicionais vigentes naquele contexto e estabelecer os seus próprios modelos baseados na experimentação. A série Fotoformas representou esse momento de ruptura e experimentalismo ligados à ‘marginalidade’ artística, cujo objetivo principal era romper com o tradicionalismo e estabelecer novas técnicas uma linguagem inovadora na fotografia.
  • 37. ELEMENTOS DA LINGUAGEM VISUAL - TEXTURA  Aspecto de uma superfície que nos permite identificar o objeto. Podendo ser lisa, rugosa, áspera, ondulado, etc.. Fotoforma – Geraldo de Barros
  • 38. GERALDO DE BARROS / ARAQUÉM ALCÂNTARA
  • 39. OBRAS DO ARTISTA IBERÊ CAMARGO
  • 42. ENEM 2010  O modernismo brasileiro teve forte influência das vanguardas europeias. A partir da Semana de Arte Moderna, esses conceitos passaram a fazer parte da arte brasileira definitivamente. Tomando como referência o quadro O mamoeiro, identifica-se que, nas artes plásticas, a  a) imagem passa a valer mais que as formas vanguardistas.  b) forma estética ganha linhas retas e valoriza o cotidiano.  c) natureza passa a ser admirada como um espaço utópico.  d) imagem privilegia uma ação moderna e industrializada.  e) forma apresenta contornos e detalhes humanos  Tendo como referência a pintura da Tarsila, a questão pede uma característica do movimento artístico, no caso o Modernismo, que se aplica ao elemento visual linha - no caso, linhas retas. Então aqui foi preciso conhecer a história da arte e os elementos visuais. Eu recomendo também conhecer bem o trabalho dos outros modernistas Anita Malfatti, Di Cavalcanti, Vicente do Rego Monteiro, etc.
  • 43. ENEM
  • 44. O modernismo trouxe uma fuga da arte que tinha no "belo", na representação mimética da realidade a sua primazia, ou seja, a arte moderna distorceu, mudou cores e formas. O encontro desta proposta com as artes de culturas estranhas à cultura europeia foi um dos achados do modernismo, em particular o cubismo, que simplificou formas, mas não só isso: tentou mostrar a realidade por diferentes ângulos ao mesmo tempo. Como a arte modernista distorce, a letra "A" está fora, pois as proporções não são preservadas. A letra "B" cita movimento, o que não pode ser considerado, pois apenas os futuristas italianos remetiam a isso na pintura, tentando exatamente fugir das estruturas "primitivas". "C" não é de todo incorreto, pois a simetria (ambos os lados proporcionais e iguais) não era um comprometimento modernista. A grande certeza é a letra "D", na qual a sintetização das formas foi um dos carros-chefe da representação modernista. Por fim, em "E", a valorização estética (remetendo ao "belo" novamente) está fora da proposta moderna.
  • 46. OS GÊNEROS ARTÍSTICOS Eles foram definidos pelas academias de arte europeias, a partir mais ou menos do renascimento, e estas academias definiram uma hierarquia entre esses gêneros artísticos. Os gêneros artísticos foram classificados em categorias, com características próprias. O importante é saber que as academias determinaram uma hierarquia ente essas categorias/gêneros artísticos. E a categoria principal, também chamada de grande gênero, é à pintura histórica, a mais importante deles. 1º - Pintura histórica ( são pinturas de narrativas, de fatos históricos, temas bíblicos, mitológicos, literários e alegóricos) – Uma confusão que ás pessoas fazem, o gênero chama Pintura histórica, mas essa pintura histórica se refere à pintura de narrativas visuais, ou seja, histórias. Mas, também, a representações pinturas que retrata passagens históricas, fatos históricos. Feita por encomenda, reis, burgueses
  • 47. 1º GRANDE GÊNERO O Rapto das Sabinas, do pintor francês Nicolas Poussin, cheia de simetria e equilíbrio, conforme as regras do classicismo, mostra o momento em que as mulheres Sabinas estão sendo raptadas, numa praça romana, o que gera um grande tumulto, sendo visível o horror delas, que tentam se livrar de seus agressores. Este mito faz parte da história da fundação de Roma. Rômulo, o fundador, encontra-se na parte esquerda da composição, ao alto, num pedestal, vestindo uma armadura, e usando uma coroa, ele levanta seu manto de cor púrpura.
  • 48. VÍCTOR MEIRELLES  O seu quadro “Primeira Missa no Brasil” se tornou uma das mais conhecidas e populares telas do país. Feita entre os anos 1859 e 1861, essa obra-prima é uma pintura de óleo sobre tela e está exposta no Museu e Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro.
  • 49. 2 º PINTURA DE GÊNERO OU PEQUENO GÊNERO  2º - Pintura de gênero ou pequeno gênero (Cenas do cotidiano de pessoas anônimas, desenvolveu no século XVII na Holanda, foi um país que rompeu com o catolicismo, através da reforma protestante e aí os pintores eles deixaram de produzir essencialmente para igreja. Então, esses pintores tiveram que se adaptar a essa nova fase, e começaram a produzir para burguesia local. Cria uma certa confusão por causa do nome. Retrata pessoas simples. Definição e popularização desse pequeno gênero  Obra Velha Fritando Ovos, de 1618, do pintor Espanhol Diego Velázquez
  • 50. 3 º RETRATO  Gênero muito famoso, temos retratos desde à antiguidade mas a partir da idade média, principalmente no renascimento, os retratos ganharam uma importância enorme, principalmente por retratar ás pessoas poderosas  Obra: O homem Desesperado – Gustave Coubert.
  • 51. 4 º PAISAGEM  Representação do espaço geográfico  Obra : Paisagem com São Jerônimo – Joachim Patnir , 1520
  • 52. 5º NATUREZA-MORTA  Representação de objetos inanimados, ela servia muito para o aprendizado dos pintores. Usado muito para artistas que estavam em processo de aprendizado nas academias  Um pintor de história era super valorizado, pois ele sabia pintar todos os gêneros  Obra: Cézanne - Natureza-morta com maçãs e laranjas, 1895-1900
  • 53. MOVIMENTOS, TÉCNICAS, E ESTILOS ARTÍSTICOS. QUAL É A DIFERENÇA?  Movimento artístico tem como característica a introdução de uma novidade artística, com a utilização de ideias, temas e técnicas definidas para esse tipo de arte. Oficialmente eles surgem no século XX, e o primeiro deles, com todas as características de movimento artístico, é o Realismo.  Técnica artística é um jeito de pintar um quadro. Por exemplo, Leonardo Da Vinci, com seus estudos sobre ciências como geometria, óptica, anatomia etc, utilizou uma técnica chamada de claro-escuro, com outra técnica chamada de sfumato. Ele introduziu sombras mais realistas e sutis nas suas pinturas.
  • 54. As sombras são naturais, e o sfumato criam essas expressões humanas sutis para o observador, que é uma das característica dos quadros de Leonardo da Vinci. Sfumato é uma técnica que cria um degradê sutil de cores, em vez de pintar a pele humana e expressões usando um tom e pinceladas definidas. Leonardo da Vinci cria uma espécie. Embaixo temos o quadro Davi e Golias de Caravaggio, e a direita uma obra de Leonardo da Vinci. A expressão no rosto de Golias é marcante, enquanto a da mulher e do bebê é mais suave. A técnica claro e escuro é vista na parte do bebê e a fonte, as mãos da mulher e o vestido, no quadro de da Vinci. Caravaggio utiliza em toda sua obra Davi e Golias.de Blur (photoshop).
  • 55. Estilo Artístico é a arte produzida durante um período histórico. É um conceito retirado de um movimento histórico maior, por exemplo, o Renascimento. O período Renascentista não teve impacto somente na arte, mas em todos os aspectos da sociedade na época, o movimento artístico é mais restrito a produção de arte, o histórico influência todo um período geralmente longo, dura cem, duzentos, trezentos anos. Por isso o Renascimento não é um movimento artístico, e a arte produzida é classificada como estilo ou período artístico. São manifestações estéticas e formais comuns a determinados grupos, havendo ou não variação nacional e/ou geográfica de estilo.
  • 56. Estilo do Artista As características permanentes de determinado artista. Podem alterar-se ou não ao longo do tempo. O estilo relaciona a forma com técnica e a escolha de expressão do artista. Alguns exemplos Van Gogh Usa linhas marcadas com pinceladas intensas ao longo de toda a sua carreira. Estas são definidoras do seu “estilo” próprio e único.