SlideShare uma empresa Scribd logo
METODOLOGIA DA PESQUISA
CIENTÍFICA
Prof. Ms.A.J.A.S. Junior
E-mail: atletcpower@hotmail.com
http://www.facebook.com/dimitry.junior
 https://twitter.com/atletcpower
Conhecimento comum X científico
Conhecimento comum (popular)
• Agricultor
• Dona de casa
“Senso comum”
Conhecimento científico
• Real factual lida com o ocorrências e fatos
• pesquisa
Comum (popular) Científico
Valorativo Real/factual
Reflexivo Contingente
Assistemático Sistemático
Verificável Verificabilidade
Falível Falível
Inexato Aproximadamente
exato
Características
Conhecimento Comum:
 Valorativo: fundamentado numa seleção
operada com base em estados de ânimo e
emoções (valores do sujeito)
 Real/factual: ocorrências ou fatos – forma de
existência que se manifesta de algum modo –
“impessoal”
Conhecimento Científico:
Conhecimento Comum:
 Reflexivo: mas limitado pela familiaridade com
o objeto – não apresenta formulação geral
 Contingente: proposições e hipóteses –
veracidade ou falsidade conhecida:
EXPERIMENTAÇÃO e não razão!
Conhecimento Científico:
Conhecimento Comum:
 Assistemático:“organização” das experiências
próprias – não apresenta sistematização de
ideias.
 Sistemático: saber ordenado logicamente,
formando um sistema de ideias: TEORIA
Conhecimento Científico:
Conhecimento Comum:
 Verificável: porém limitado ao âmbito da vida
diária – o que é percebido no dia-a-dia
 Verificável: afirmações (hipóteses) que não
podem ser comprovadas não pertencem ao
âmbito da ciência
Conhecimento Científico:
Conhecimento Comum:
 Falível: conforma com o que se ouviu dizer a
respeito do objeto
 Falível: não é definitivo, absoluto, final e,
portanto, pode ser alterado
Conhecimento Científico:
Conhecimento Comum:
 Inexato: não permite a formulação de
hipóteses sobre a existência de fenômenos
situados além das percepções objetivas
 Aproximadamente exato: novas proposições e
o desenvolvimento de técnicas podem
reformular o acervo de teoria existente
Conhecimento Científico:
O que é ciência?
 Conhecimento certo do real pelas suas causas;
 Conhecimento sistemático dos fenômenos da
natureza e das leis que o regem, obtido pela
investigação, raciocínio e pela experimentação
intensiva;
 Conjunto de enunciados lógica e
dedutivamente justificados por outro
enunciados;
 Conjunto de conclusões certas e gerais,
metodicamente demonstrados e relacionadas
com objeto determinado;
 Estudo de problemas solúveis, mediante
método científico;
 Forma sistematicamente organizada de
pensamento objetivo.
O que é ciência?
... sistematização de conhecimentos, conjunto
de preposições logicamente correlacionados
sobre o comportamento de certos fenômenos
que se deseja estudar.
Marconi & Lakatos (2006)
O que é ciência?
É dinâmica onde uma verdade dita hoje, não
necessariamente será dita amanhã
Ciência
Kuhn,T.S, (2011)
Nossa prática profissional ...
Conhecimento Científico
 deve fornecer subsídios para
nossa atuação;
 conhecimento próprio;
 métodos e prática;
 corpo de conhecimento.
Classificação das Ciências
 Características das Ciências:
 Complexidade
 Diversidade de fenômenos
 Ordem de complexidade
 Conteúdo
 Objeto de estudo
 Enunciados
 metodologia
Classificação das Ciências
Ciências
 Lógica
 Matemática
 Física
 Química
 Biologia ...
 Antropologia
 Direito
 Economia
 Psicologia
 Sociologia
Factuais
Naturais
Sociais
Formais
(Estudo de
idéias)
(Estudo de
fatos)
Classificação das Ciências em pedagogia e
artes visuais (onde estamos?)
Ciências
 Lógica
 Matemática
 Física
 Química
 Biologia ...
 Antropologia
 Direito
 Economia
 Psicologia
 Sociologia
Factuais
Naturais
Sociais
Formais
Ciência e pedagogia e artes visuais
... Educação Física tem característica
MULTIDISCIPLINAR ...
2) Quais são as “Ciências” ou áreas que
contribuem para o corpo de
conhecimento na pedagogia e artes
visuais?
1) Qual é o objeto de estudo da pedagogia
e artes visuais?
Natureza da pesquisa
 Pesquisa básica
 Pesquisa aplicada
 Pesquisa que acumula conhecimentos e
informações que podem eventualmente levar a
resultados acadêmicos ou aplicados importantes,
mas sem fazê-lo diretamente
 Pesquisa que tem um resultado prático visível
em termos econômicos ou de utilidade que
não seja o próprio conhecimento
Conhecimento
... Conhecimento tem sido obtido pela humanidade
utilizando diversas formas de atuação:
 Métodos não-científicos
 Método científico
Métodos não-científicos
 Tenacidade
 Intuição
 Autoridade
 Método racionalista
 Método empírico
Thomas & Nelson (2007)
Métodos não-científicos
 Tenacidade
 Atitudes baseadas em crenças, mesmo que nenhuma
evidência apoie o comportamento realizado;
 Exemplo: vestir mesma camisa no jogo; passar pelo
mesmo ritual no aquecimento; pisar em quadra ou em
campo com o “pé direito” ...
Métodos não-científicos
 Intuitivo (tácito)
 senso-comum ou conhecimento baseado em
evidências que não comprovadas ou comprováveis
 Homem não conseguiria correr os 100 m abaixo de 10
segundos
Métodos não-científicos
 Autoridade
 Conhecimento baseado em alguma
autoridade/instituição
 Exemplo é o conhecimento emanado pela Igreja –
Galileu teve que rever sua posição favorável que a
Terra girava ao redor do Sol ...
 Criacionismo e Evolução das espécies
Métodos não-científicos
 Racionalista
 Conhecimento é baseado em alguma raciocínio lógico
(premissas)
Jogadores de basquetebol são altos (premissa principal)
Janete é jogadora de basquete (premissa secundária)
Então, Janete é alta (conclusão)
Primeiro passo para o método científico ...
Métodos não-científicos
 Empírico
 “Empírico” significa experiência e a obtenção de
dados;
 Esta característica também é parte do método
científico. Entretanto, há a necessidade de buscar
explicações coerentes para as observações realizadas
 Exemplo: crianças que não engatinharam terão
dificuldades em aprender a ler e escrever!!!
passo importante no método científico ...
Métodos não-científicos (problemas)
 Carecem de objetividade
 Definição de um propósito definido que seria resolvido
ou observado
... Método Científico resolveria estes problemas ...
 Carecem de controle
 São realizados sem a definição clara de
procedimentos tanto de obtenção de dados
quanto de análise dos mesmos
Método ...
Representa o conjunto de procedimentos
racionais, baseados em regras, que visam
atingir um objetivo determinado
... resolução de problemas ...
Japiassú & Marcondes (1996)
Método Científico
 Caminho para se chegar a determinado fim;
... resolução de problemas ...
Gil (1999)
 Conjunto de procedimentos intelectuais
e técnicas para se atingir o
conhecimento
Método Científico
Neutralidade
 Representa isenção, imparcialidade do
pesquisador;
 Imune a juízos de valor;
 O olhar do pesquisador não deve ser
“contaminado” por posições políticas,
ideológicas – preferências pessoais;
Método Científico
 Caracterizados por etapas (passos):
 Desenvolvimento do problema;
 Formulação da(s) hipótese(s);
 Obtenção dos dados;
 Análise e interpretação dos resultados
... resolução de problemas ...
Thomas & Nelson (2007)
Conjunto de procedimentos
Método Científico – PASSO 1
 Desenvolvimento do problema:
 O que será estudado;
 Qual a profundidade do estudo;
DEFINIÇÃO DO PROBLEMA
DELIMITAÇÃO DO PROBLEMA
Qualquer questão não solucionada e que
pode ser discutida em alguma área de
conhecimento
Método Científico – PASSO 2
 Formulação da(s) hipótese(s) :
 O que é esperado como resultado
HIPÓTESE é o
resultado esperado ... a
resposta antecipada
para o problema
apresentado
Hipótese(s) deve(m) estar
baseada(s) em alguma
construção teórica, nos
resultados dos estudo anteriores
(revisão de literatura)
Método Científico –
Características das Hipóteses
 Hipótese:
 Tem que serTESTÁVEL
Hipótese Experimental:
resultado esperado para
cada problema (pergunta)
do estudo
Hipótese 1 Hipótese 2
Hipótese 3
 Hipótese:
 TESTÁVEL
Corroborada (aceita,
sustentada):
resultados confirmam o
enunciado que o
pesquisador sugeriu antes
do estudo
Refutada (rejeitada):
resultados não confirmam
o enunciado que o
pesquisador sugeriu antes
do estudo
Método Científico – Características das
Hipóteses
Método Científico – PASSO 3
 Obtenção dos dados (coleta de dados):
 Normalmente é a etapa mais fácil ... o pesquisador já
realizou diversas vezes ... (rotina)
Entretanto antes:
- Decisão sobre os métodos;
- Fidegnidade dos instrumentos de medida;
- Objetividade e precisão.
Fidegnidade:
consistência ou a
possibilidade de
repetição de uma
medida
Objetividade:
testes realmente
medem ou avaliam o
que eles são supostos
a medir
O que é, o que é?
Monografia x Artigo científico
Os trabalhos monográficos se dividem em:
•Trabalho de Conclusão de Curso - TCC para graduação
•Monografia para pós-graduação
•Dissertação para mestrado
•Tese para doutorado
A diferença clara entre eles é:
MONOGRAFIA - mais detalhada
ARTIGO – mais sintético.
Estrutura do artigo científico
Estrutura do artigo científico
Monografia x artigo científico
E pra que serve uma
Monografia?
É uma dissertação cujo
objetivo é demonstrar,
mediante argumentos, uma
tese que é uma proposta
de solução para um
problema relativo a
determinado tema.
Monografia x artigo científico
Para quem fez 2 cursos
Sugestão:
-Uma monografia com o tema principal de um
dos cursos
- Um artigo científico que, dependendo do caso,
pode ser um resumo da sua monografia
Monografia
Escolha do tema
Selecione um tema que você goste ou precise
trabalhar
Escolha um objeto de estudo que mereça ser
investigado
A escolha do tema deve responder a pergunta:
O que será explorado?
Escolha do tema
1- Afinidade – escolha um assunto que desperte seu
interesse
2 - Tempo – escolha um escopo não muito grande
3 – Relação – procure fazer algo que tenha a ver com o
seu trabalho atual ou com o que você pretende fazer no
futuro
4 – Relevância – procure um tema que seja importante na
sua área
5 – Bibliografia – antes de começar, veja se existe
bibliografia em quantidade suficiente
Defina seu problema de pesquisa
Problema de pesquisa é uma dificuldade – teórica ou
prática – de real importância, e para a qual se deve
encontrar uma solução
O problema deve ser claro, preciso e específico – quanto
mais abrangente, mais complexa será a pesquisa
Tudo o que for questionado no problema, deverá ser
respondido.
Como delimitar o problema de pesquisa
Exemplo:
Pergunta da pesquisa:
• Quais as tendências educacionais do curso XYZ ao longo
da história da educação à distância?
Desdobramentos sobre como fazer:
• Informações a coletar
• Fontes de coleta
• Instrumentos de coleta
• Procedimentos de análise
Escolha do tema
A monografia deve ser fundamentada em teorias,
mas sempre propondo conclusões originais
sobre o tema abordado, obtidas depois de
muita pesquisa e experimentação prática.
Ao escolher o tema de sua pesquisa acadêmica,
certifique-se de que existem autores que já
estudaram essa questão e que podem
fornecer uma boa base conceitual, porém,
tome muito cuidado para não apresentar um
raciocínio já previamente discutido
Escolha do tema
Uma monografia bem elaborada é aquela que
contém opiniões bem fundamentadas e não
necessariamente a que tem mais páginas
Monografia
Estrutura
da
Monografia
Estrutura da Monografia
Elementos pré-textuais
Capa, agradecimentos, resumo...
Elementos textuais
É o trabalho em si
Elementos pós-textuais
Apêndices, anexos...
Estrutura da Monografia
Capa
Folha de Rosto
Resumo
Sumário
Pré-textual
Estrutura da Monografia
Introdução
Contextualização
Situação-Problema
Objetivos
Justificativa
RevisãoTeórica
Método de Pesquisa
Análise dos Resultados
Considerações Finais
Textual
Estrutura da Monografia
Referências
Apêndices
Anexos
Pós-textual ou Referencial
Estrutura da Monografia
Capa
Folha de Rosto
Dedicatória
Agradecimento
Resumo
Sumário
Introdução
Contextualização
Situação-Problema
Objetivos
Justificativa
RevisãoTeórica
Método de Pesquisa
Análise dos Resultados
Considerações Finais
Referências
Apêndices
Anexos
Pré-textual
Pós-textual
Textual
Anexo X Apêndice
ANEXO – Documento ou texto não elaborado pelo autor
APÊNDICE – Documento ou texto elaborado pelo autor
Estrutura da Monografia
Para quem quiser saber
sobre o que se trata o seu trabalho
Resumo
 O resumo é um texto que serve para quem quer conhecer o trabalho, saber do
que se trata, de como foi feito e a que conclusões de chegou.
 É a última coisa a ser escrita em um TCC
 Tem em média 250 palavras
Contém 4 pontos:
•O QUE – diz sobre o que o trabalho trata (título)
•PORQUE – os MOTIVOS de se ter escolhido esse tema
•COMO – é o MÉTODO utilizado, ou seja, qual foi o tipo de pesquisa elaborada
(quantitativa ou qualitativa) e as técnicas utilizadas, e ainda, quais foram os meios
utilizados para o levantamento do material adequado
•RESULTADOS – Os resultados obtidos na pesquisa
•CONCLUSÃO - a verificação ou constatação sobre tudo o que foi lido, analisado e
desenvolvido ao longo do seu texto
Exemplo - Resumo
CRUVINEL, Miriam e BORUCHOVITCH, Evely. Sintomas depressivos,
estratégias de aprendizagem e rendimento escolar de alunos do ensino
fundamental. Psicol. estud. [online]. 2004, vol.9, n.3, pp. 369-378. ISSN 1413-
7372. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-73722004000300005.
Tendo-se em vista que a incidência de sintomas depressivos tem aumentado e
conhecendo os efeitos negativos desses sintomas na aprendizagem, o presente
estudo tem como objetivo avaliar a relação entre sintomas de depressão e
rendimento escolar e estratégias de aprendizagem de alunos do ensino fundamental.
Participaram desta pesquisa 169 alunos de 3ª, 4ª e 5ª séries de uma escola pública da
cidade de Campinas. Os alunos eram, em sua maioria, não-repetentes, de ambos os
sexos e com idade variando de 8 a 15 anos. Os resultados sugeriram a existência
de diferenças significativas entre rendimento escolar em matemática e sintomas
depressivos, bem como entre rendimento escolar tanto em português quanto em
matemática e o repertório de estratégias de aprendizagem dos participantes. Uma
correlação significativa e negativa foi também encontrada entre os sintomas de
depressão e o repertório de estratégias de aprendizagem dos participantes.
Palavras-chave : depressão infantil; estratégia de aprendizagem; rendimento
escolar.
Resumo
Visão geral sobre o seu trabalho
Introdução
•Contextualização (introdução ao tema)
•Situação Problema (pergunta de pesquisa)
•Objetivos (objetivo geral e objetivos específicos)
•Justificativa (relevância e contribuição do trabalho
para a comunidade científica/acadêmica)
Autores em que se baseia o seu trabalho
Revisão Teórica
•Revisão da literatura utilizada na pesquisa
•Livros, revistas, artigos, sites utilizados na pesquisa
•Quais áreas de conhecimento estão relacionadas
• com sua pergunta de pesquisa?
•Quais os principais conceitos sobre o assunto?
Detalhes sobre como você
desenvolveu a sua pesquisa
Método de Pesquisa
Detalhar ao máximo o passo-á-passo (receita de bolo)
•Tipo de pesquisa (revisão de literatura ou de campo
•Amostra: quem, quantos, por que?
•Coleta de dados: como?
•Período da coleta
Método de Pesquisa
Experimentação humana ou animal
• Termo de consentimento
• Livre e esclarecido
• Remunerado
Direitos autorais sobre os informes, imagens
ou dados de uma pessoa
Autorização do responsável legal
Detalhes sobre os resultados obtidos na
pesquisa
Análise dos Resultados
•Subtópicos são permitidos
•Resultados pode ser apresentados em
texto corrido, gráficos, quadros, etc.
•Todo quadro/gráfico/figura precisa de
um texto explicativo
Análise Estatística
•Análise matemática dos resultados obtidos
•Cuidado com o tratamento de dados
• Atentar ao melhor programa de analises
•Visualização gráfica, estética e projeção das analises
Análise dos Resultados
• INSTAT
• SPSS 10.0 Statistical Package for the
Social Sciences.
• Teste a ser utilizado
• Nível de significância p< 0,05 p< 0,001
• ORIGIN 6.0 plotagem dos gráficos
• Excel
C0 CIA C2 C24 -- DM0 DMIA DM2 DM24 --
100
150
200
250
300
350
400
450
500
Glicemia(mg/dL)
P= 0,0001
Glicemia dos grupos
0 IA 2 24
105
120
135
150
165
glicemia(mg/dL
*
DM = 255% que C
DM2 = 24% que DMIA, porem 218% que C2 O exercício físico promove aumento da
atividade dos glicotransportadores
intracelulares (TABATA et al, 1999)
0 IA 2 24
3
6
9
12
15
#
%demacrofagosemnecrose
0 IA 2 24
8
10
12
%demacrofagosemnecrose
Grupo diabético
Necrose P=0,03 (r=0,9)
DM apresenta aumento de necrose gradual
Morte Celular por Necrose
Resposta ao problema da pesquisa
Conclusão
•Discutir os objetivos (fechar)
•Responder o problema de pesquisa
•Deixar claro as limitações
•Sugerir pesquisas futuras
Dica: comparar teoria x prática
Cuidados na escrita do trabalho
Escreva em terceira pessoa
Ao invés de escrever
• Objetivamos com esta pesquisa...
Escreva
• Esta pesquisa objetiva...
Cuidado com textos vagos
“realizou uma série de entrevistas”
“foram realizadas visitas às escolas da região”
... nem todos...
... praticamente todos...
... vários deles ...
Metáforas, analogias, gírias
O norte da pesquisa...
O combustível da pesquisa...
Caminho a percorrer...
Maré fraca nas matrículas...
Os resultados deixam a desejar...
Número um no coração dos alunos...
...a nível de...
...estourar como uma bomba...
...fechar com chave de ouro...
Metáforas, analogias, gírias
O norte da pesquisa...
O combustível da pesquisa...
Caminho a percorrer...
Maré fraca nas matrículas...
Os resultados deixam a desejar...
Número um no coração dos alunos...
...a nível de...
...estourar como uma bomba...
...fechar com chave de ouro...
Evite palavras muito enfáticas
Adjetivos: magnífico, maravilhoso, sensacional,
espetacular,esplêndido, genial...
Superlativos: competentíssimo, extremamente importante...
Verbos fortes: infernizar, enfurecer, maravilhar...
Temos plena convicção que...
Todo pesquisador... Todo profissional...
Certamente...
Sem dúvida alguma...
Nunca/Sempre
Cuidado com as pérolas
•“o desempenho tem sido calamitoso...”
•“dezenas de milhões de brasileiros galgaram...”
•“de olho neste filão,...”
•“eles são mais pé-no-chão...”
•“o principal surto de crescimento...”
•“X% de evasão escolar não chegam a assustar...”
•“colocou a classe sob a luz dos holofotes...”
•“enorme público”
•“foi feita uma grande observação”
Pérolas na Metodologia
• “Foram diversas conversas informais com educadores...”
• “Foi utilizada a pesquisa qualitativa, observacional e de estudo
de caso”
• “Foram feitas posteriormente entrevistas com a equipe...”
• Este trabalho tem o objetivo de ser um projeto único e
holístico...”
• “Foi utilizado o primeiro e único estudo acerca dessa teoria no
Brasil”
• “Entrevistas com pacientes reais...”
• “Através da coleta de dados internos da escola estudada...”
Problemas mais comuns
• Aluno se “apodera” da informação e não cita a fonte
• Gráficos sem a informação da fonte ou do ano da publicação
• Referencial bibliográfico pobre ou incompleto
• Siglas sem explicação
• Método confuso
• Linguagem coloquial em excesso
• Não segue a estrutura informada
• Objetivo pouco delimitado / falta de clareza
• Conclusão que ultrapassa os dados ou que não alcança os
objetivos
Check List
I. Estrutura:
1. O trabalho possui a estrutura mínima: capa, resumo, abstract
, sumário, introdução, desenvolvimento, conclusão e bibliografia?
2. A capa identifica a universidade, faculdade, curso, título do trabalho, tipo do trabalho,
nomes completos dos componentes do grupo, nome do orientador, local e data?
3. O resumo possui no final as palavras-chaves?
4. O abstract possui no final as keywords?
5. Se o trabalho possui figuras, existe uma Lista de Figuras?
6. Se o trabalho possui tabelas, existe uma Lista de Tabelas?
7. Se o trabalho possui abreviaturas ou siglas, existe uma Lista de Abreviaturas?
8. Os capítulos, subcapítulos, seções, subseções e itens possuem numeração sucessiva
consistente?
9. Cada capítulo começa em uma nova página?
10. As páginas que aparecem no sumário realmente correspondem as do texto?
11. Todas as páginas (exceto capa) estão numeradas?
Check List
II. Conteúdo:
1. Palavras e termos estrangeiros possuem grafia em itálico?
2. O texto possui concordância gramatical de grau, gênero e número?
3. O texto está escrito em forma impessoal (3ª pessoa)?
4. O tipo de letra (fonte utilizada) está consistente durante todo o texto?
5. O tamanho das letras está consistente durante todo o texto?
6. O espaçamento vertical (entre parágrafos) está consistente durante todo o trabalho?
7. O alinhamento horizontal está consistente durante todo o trabalho?
8. A formatação de nomes de capítulos, subcapítulos, seções, subseções e itens estão
consistentes durante todo o texto?
9. Foi realizada uma verificação ortográfica no texto?
(Por exemplo: no editor de textos MS-Word basta
pressionar a tecla F7)
Check List
II. Conteúdo:
10. Todas as figuras e tabelas possuem legenda, com numeração e texto explicativo
resumido?
11. Todas as figuras e tabelas que não são de sua autoria, indicam a fonte?
12. O tamanho da figura está adequado (o seu conteúdo é legível)?
13. O posicionamento da figura ou tabela está adequado (não provocou “buracos em
branco” no texto)?
14. A numeração das figuras e tabelas possui a forma núm1.núm2 (onde: núm1
representa o número do capítulo, núm2 representa o número sequencial da figura no
capítulo. Exemplo: Figura 2.5)?
15. Todas as figuras e tabelas estão referenciadas no texto?
16. As figuras e tabelas estão próximas as suas referências no texto?
17. Todas as figuras estão referenciadas na Lista de Figuras?
18. Todas as tabelas estão referenciadas na Lista de Tabelas?
19. Toda abreviatura ou sigla, a primeira vez que aparece no texto, está escrita por
extenso?
20. Todas as abreviaturas e siglas estão referenciadas na Lista de Abreviaturas?
21. Todas as abreviaturas e siglas estão referenciadas no texto?
Check List
III. Bibliografia:
1. Todas as referências estão no padrão ABNT (NBR 6024/2003 e NBR 6027/2003)?
2. Todas as referências indicadas na bibliografia aparecem no texto?
3. Todas as referências que aparecem no texto estão indicas na bibliografia?
4. As referências estão ordenadas alfabeticamente (padrão autor, data)?
Critérios de avaliação
• Clareza nos objetivos da pesquisa
• Suporte teórico relevante
• Método de pesquisa adequado e detalhado
• Respeito a estrutura de capítulos
• Coerência do conteúdo com cada capítulo/tópico
• Apresentação e análise dos resultados
• Consistência das conclusões
• Clareza e precisão de linguagem
• Referências citadas adequadamente - ABNT
Regras da ABNT – NBR 14724
Formatação
•Papel A4
• Fontes: Arial ouTimes New Roman – tamanho 12 com
espaçamento 1,5.
• Citações com mais de 3 linhas, notas de rodapé, paginação e
legendas, espaçamento simples e fonte 11 ou 10
• Impressão frente e verso
• Margens esquerda e superior 3 cm, direita e inferior 2 cm.
• Numeração de páginas
• Uso de cores deve ser restrito ao logo, gráficos, fotos e
ilustrações – o texto deve estar em preto
• Entrega do trabalho em papel e também em meio eletrônico
(CD)
Paginação
Paginação
Citações
São transcrições literais de trechos da obra de um autor consultado. Indica
que a citação foi extraída de uma fonte à qual se teve acesso direto.
As citações diretas de até 3 linhas devem estar contidas entre aspas duplas.
Exemplo:
“A expressão ‘furiosa’ dessa estátua de que fala Rabelais, corresponde
também à realidade (BAKHTIN, 1987, P. 388)
Segundo Prunes (2000, v. 2, p. 647-648) “a inconformidade dos demendantes,
sustentado laudo pericial técnico *...+”.
Citações
As citações diretas com mais de 3 linhas devem constituir um parágrafo
independente, com recuo de 4 cm da margem esquerda, com letra menor que
a do texto principal, e sem aspas. O espacejamento das linhas deve ser
simples.
Exemplo
Citações - Internet
Citações de documentos disponíveis na internet devem conter
necessariamente as informações
Disponível em (endereço do site entre parêntesis)
Acesso em (indicar dia e hora em que o documento foi acessado
por você)
Incluir somente fontes reconhecidas e confiáveis
Wikipedia não pode ser referenciada
Links úteis
Dicas sobre TCC
http://noticias.universia.com.br/tag/especial-monografia/
Normas ABNT
https://www.youtube.com/watch?v=zSE05nQ9ZmY
Formatando do Word
https://www.youtube.com/watch?v=4nyRfo12QYM
Manual
http://www.utfpr.edu.br/dibib/normas-para-elaboracao-de-trabalhos-academicos/normas_trabalhos_utfpr.pdf
Links úteis
Monografando
Plataforma que formata trabalhos acadêmicos
http://www.baixaki.com.br/download/monografando.htm
Formatação de textos acadêmicos
http://fastformat.co/
Cite This for Me (em inglês)
Resolve os problemas de citação e coloca no formato ABNT
https://www.citethisforme.com/
Links úteis
Teses USP - http://www.teses.usp.br
Scielo - http://scielo.br/
Mais Monografia
http://www.maismonografia.com.br/como-fazer-tcc.htm
Slideshare
http://pt.slideshare.net
A sabedoria é o principal; adquire, pois,
a sabedoria: sim com tudo o que
possuis, adquire o conhecimento
(Provérbios 4.7).
Avaliação
Elaborar uma proposta de tema, com
metodologia, objetivos e hipóteses.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Como Elaborar Um Projeto De Pesquisa
Como Elaborar Um Projeto De PesquisaComo Elaborar Um Projeto De Pesquisa
Como Elaborar Um Projeto De Pesquisamauricio aquino
 
Aula Sobre MéTodos E TéCnicas De Pesquisa
Aula Sobre MéTodos E TéCnicas De PesquisaAula Sobre MéTodos E TéCnicas De Pesquisa
Aula Sobre MéTodos E TéCnicas De PesquisaJonathas Carvalho
 
Metodologia - Aula 1 (A pesquisa científica)
Metodologia - Aula 1 (A pesquisa científica)Metodologia - Aula 1 (A pesquisa científica)
Metodologia - Aula 1 (A pesquisa científica)Nicolau Chaud
 
Lista de verbos para projeto de pesquisa
Lista de verbos para projeto de pesquisaLista de verbos para projeto de pesquisa
Lista de verbos para projeto de pesquisamarildabacana
 
Ética na pesquisa científica
Ética na pesquisa científicaÉtica na pesquisa científica
Ética na pesquisa científicaCassio Meira Jr.
 
Metodologia cientifica
Metodologia cientificaMetodologia cientifica
Metodologia cientificajaddy xavier
 
Aula 2 elaboração trabalhos científicos
Aula 2   elaboração trabalhos científicosAula 2   elaboração trabalhos científicos
Aula 2 elaboração trabalhos científicosRodrigo Abreu
 
Pesquisa Qualitativa: Uma Introdução. Profa. Rilva
Pesquisa Qualitativa: Uma Introdução. Profa. RilvaPesquisa Qualitativa: Uma Introdução. Profa. Rilva
Pesquisa Qualitativa: Uma Introdução. Profa. RilvaRilva Lopes de Sousa Muñoz
 
Metodologia Científica - Tipos de Pesquisa
Metodologia Científica - Tipos de PesquisaMetodologia Científica - Tipos de Pesquisa
Metodologia Científica - Tipos de PesquisaKarlandrade26
 
Metodologia científica introdução e conceitos gerais
Metodologia científica introdução e conceitos geraisMetodologia científica introdução e conceitos gerais
Metodologia científica introdução e conceitos geraisJuliana Sarieddine
 
Pesquisa Bibliografica
Pesquisa BibliograficaPesquisa Bibliografica
Pesquisa BibliograficaLeticia Strehl
 
Métodos e Técnicas de Pesquisa: O Estudo de Caso
Métodos e Técnicas de Pesquisa: O Estudo de CasoMétodos e Técnicas de Pesquisa: O Estudo de Caso
Métodos e Técnicas de Pesquisa: O Estudo de CasoJoão Uchôa
 

Mais procurados (20)

Tipos de-pesquisa
Tipos de-pesquisaTipos de-pesquisa
Tipos de-pesquisa
 
Como Elaborar Um Projeto De Pesquisa
Como Elaborar Um Projeto De PesquisaComo Elaborar Um Projeto De Pesquisa
Como Elaborar Um Projeto De Pesquisa
 
Aula Sobre MéTodos E TéCnicas De Pesquisa
Aula Sobre MéTodos E TéCnicas De PesquisaAula Sobre MéTodos E TéCnicas De Pesquisa
Aula Sobre MéTodos E TéCnicas De Pesquisa
 
metodologia científica da pesquisa
 metodologia científica da pesquisa metodologia científica da pesquisa
metodologia científica da pesquisa
 
Apresentação metodologia científica
Apresentação metodologia científicaApresentação metodologia científica
Apresentação metodologia científica
 
Introdução à Metodologia
Introdução à MetodologiaIntrodução à Metodologia
Introdução à Metodologia
 
Metodologia - Aula 1 (A pesquisa científica)
Metodologia - Aula 1 (A pesquisa científica)Metodologia - Aula 1 (A pesquisa científica)
Metodologia - Aula 1 (A pesquisa científica)
 
Lista de verbos para projeto de pesquisa
Lista de verbos para projeto de pesquisaLista de verbos para projeto de pesquisa
Lista de verbos para projeto de pesquisa
 
Ética na pesquisa científica
Ética na pesquisa científicaÉtica na pesquisa científica
Ética na pesquisa científica
 
Tipos de pesquisa
Tipos de pesquisaTipos de pesquisa
Tipos de pesquisa
 
Estudo de Caso
Estudo de CasoEstudo de Caso
Estudo de Caso
 
Metodologia cientifica
Metodologia cientificaMetodologia cientifica
Metodologia cientifica
 
Aula 2 elaboração trabalhos científicos
Aula 2   elaboração trabalhos científicosAula 2   elaboração trabalhos científicos
Aula 2 elaboração trabalhos científicos
 
Pesquisa Qualitativa: Uma Introdução. Profa. Rilva
Pesquisa Qualitativa: Uma Introdução. Profa. RilvaPesquisa Qualitativa: Uma Introdução. Profa. Rilva
Pesquisa Qualitativa: Uma Introdução. Profa. Rilva
 
Metodos e tecnicas de pesquisa
Metodos e tecnicas de pesquisaMetodos e tecnicas de pesquisa
Metodos e tecnicas de pesquisa
 
Metodologia Científica - Tipos de Pesquisa
Metodologia Científica - Tipos de PesquisaMetodologia Científica - Tipos de Pesquisa
Metodologia Científica - Tipos de Pesquisa
 
Metodologia científica introdução e conceitos gerais
Metodologia científica introdução e conceitos geraisMetodologia científica introdução e conceitos gerais
Metodologia científica introdução e conceitos gerais
 
Pesquisa Bibliografica
Pesquisa BibliograficaPesquisa Bibliografica
Pesquisa Bibliografica
 
Métodos e Técnicas de Pesquisa: O Estudo de Caso
Métodos e Técnicas de Pesquisa: O Estudo de CasoMétodos e Técnicas de Pesquisa: O Estudo de Caso
Métodos e Técnicas de Pesquisa: O Estudo de Caso
 
Tipos de pesquisa
Tipos de pesquisaTipos de pesquisa
Tipos de pesquisa
 

Semelhante a Apresentação metodologia da pesquisa

apresentao-metodologiadapesquisa-161126010107_1.pptx
apresentao-metodologiadapesquisa-161126010107_1.pptxapresentao-metodologiadapesquisa-161126010107_1.pptx
apresentao-metodologiadapesquisa-161126010107_1.pptxAllas Jony da Silva Oliveira
 
apresentao-metodologiadapesquisa-161126010107.pptx
apresentao-metodologiadapesquisa-161126010107.pptxapresentao-metodologiadapesquisa-161126010107.pptx
apresentao-metodologiadapesquisa-161126010107.pptxMayaraPereira87
 
Ateliê de pesquisa i slides
Ateliê de pesquisa i slidesAteliê de pesquisa i slides
Ateliê de pesquisa i slidesgadelhabrito
 
DIFERENTES FORMAS CONHECIMENTO CIENTIFICO.pdf
DIFERENTES FORMAS CONHECIMENTO CIENTIFICO.pdfDIFERENTES FORMAS CONHECIMENTO CIENTIFICO.pdf
DIFERENTES FORMAS CONHECIMENTO CIENTIFICO.pdfAteliAryPersonalizad
 
Aula1 metodologia de pesquisa aplicada
Aula1  metodologia de pesquisa aplicadaAula1  metodologia de pesquisa aplicada
Aula1 metodologia de pesquisa aplicadaMarcos Sérgio
 
Apresentacao_Aula_01.pdf
Apresentacao_Aula_01.pdfApresentacao_Aula_01.pdf
Apresentacao_Aula_01.pdfDibanguDibo
 
Fazendo ciência
Fazendo ciênciaFazendo ciência
Fazendo ciênciaunesp
 
Metodologia aula 1 .ppt
Metodologia aula 1 .pptMetodologia aula 1 .ppt
Metodologia aula 1 .pptssuserd97722
 
Introduçao texto 1
Introduçao   texto 1Introduçao   texto 1
Introduçao texto 1UNICEP
 
TCC- Capacitação de Treinamento Físico Militar
TCC- Capacitação de Treinamento Físico MilitarTCC- Capacitação de Treinamento Físico Militar
TCC- Capacitação de Treinamento Físico MilitarHudson Junior
 
O que é pesquisa?
O que é pesquisa?O que é pesquisa?
O que é pesquisa?Lucila Pesce
 
Metodologia da pesquisa e do trabalho científico
Metodologia da pesquisa e do trabalho científicoMetodologia da pesquisa e do trabalho científico
Metodologia da pesquisa e do trabalho científicoEdy Bast
 
Filosofia 2
Filosofia 2Filosofia 2
Filosofia 2Zeffy
 

Semelhante a Apresentação metodologia da pesquisa (20)

apresentao-metodologiadapesquisa-161126010107_1.pptx
apresentao-metodologiadapesquisa-161126010107_1.pptxapresentao-metodologiadapesquisa-161126010107_1.pptx
apresentao-metodologiadapesquisa-161126010107_1.pptx
 
Apresentação metodologia da pesquisa
Apresentação   metodologia da pesquisaApresentação   metodologia da pesquisa
Apresentação metodologia da pesquisa
 
apresentao-metodologiadapesquisa-161126010107.pptx
apresentao-metodologiadapesquisa-161126010107.pptxapresentao-metodologiadapesquisa-161126010107.pptx
apresentao-metodologiadapesquisa-161126010107.pptx
 
Ateliê de pesquisa i slides
Ateliê de pesquisa i slidesAteliê de pesquisa i slides
Ateliê de pesquisa i slides
 
1 ciência e conhecimento
1 ciência e conhecimento1 ciência e conhecimento
1 ciência e conhecimento
 
DIFERENTES FORMAS CONHECIMENTO CIENTIFICO.pdf
DIFERENTES FORMAS CONHECIMENTO CIENTIFICO.pdfDIFERENTES FORMAS CONHECIMENTO CIENTIFICO.pdf
DIFERENTES FORMAS CONHECIMENTO CIENTIFICO.pdf
 
Seminários integrados aula #1
Seminários integrados aula #1Seminários integrados aula #1
Seminários integrados aula #1
 
Aula1 metodologia de pesquisa aplicada
Aula1  metodologia de pesquisa aplicadaAula1  metodologia de pesquisa aplicada
Aula1 metodologia de pesquisa aplicada
 
Apresentacao_Aula_01.pdf
Apresentacao_Aula_01.pdfApresentacao_Aula_01.pdf
Apresentacao_Aula_01.pdf
 
Fazendo ciência
Fazendo ciênciaFazendo ciência
Fazendo ciência
 
Metodologia aula 1 .ppt
Metodologia aula 1 .pptMetodologia aula 1 .ppt
Metodologia aula 1 .ppt
 
Introduçao texto 1
Introduçao   texto 1Introduçao   texto 1
Introduçao texto 1
 
TCC- Capacitação de Treinamento Físico Militar
TCC- Capacitação de Treinamento Físico MilitarTCC- Capacitação de Treinamento Físico Militar
TCC- Capacitação de Treinamento Físico Militar
 
Apoio aula1
Apoio   aula1Apoio   aula1
Apoio aula1
 
O que é pesquisa?
O que é pesquisa?O que é pesquisa?
O que é pesquisa?
 
Aula 08 remota
Aula 08 remotaAula 08 remota
Aula 08 remota
 
Aula 01 e 02
Aula 01 e 02Aula 01 e 02
Aula 01 e 02
 
Metodologia da pesquisa e do trabalho científico
Metodologia da pesquisa e do trabalho científicoMetodologia da pesquisa e do trabalho científico
Metodologia da pesquisa e do trabalho científico
 
Metodologia científica
Metodologia científicaMetodologia científica
Metodologia científica
 
Filosofia 2
Filosofia 2Filosofia 2
Filosofia 2
 

Mais de Faculdade Metropolitanas Unidas - FMU

Tecnologias educacionais e tecnologias da informação e comunicação
Tecnologias educacionais e tecnologias da informação e comunicaçãoTecnologias educacionais e tecnologias da informação e comunicação
Tecnologias educacionais e tecnologias da informação e comunicaçãoFaculdade Metropolitanas Unidas - FMU
 
Tecnologias educacionais e tecnologias da informação e comunicação
Tecnologias educacionais e tecnologias da informação e comunicaçãoTecnologias educacionais e tecnologias da informação e comunicação
Tecnologias educacionais e tecnologias da informação e comunicaçãoFaculdade Metropolitanas Unidas - FMU
 
Aprendizagem e cognição neuroanatomia em necessidades especiais revisado
Aprendizagem e cognição neuroanatomia em necessidades especiais revisadoAprendizagem e cognição neuroanatomia em necessidades especiais revisado
Aprendizagem e cognição neuroanatomia em necessidades especiais revisadoFaculdade Metropolitanas Unidas - FMU
 

Mais de Faculdade Metropolitanas Unidas - FMU (20)

Atletismo introdução
Atletismo  introduçãoAtletismo  introdução
Atletismo introdução
 
Doping
DopingDoping
Doping
 
Aula mini atletismo
Aula mini atletismoAula mini atletismo
Aula mini atletismo
 
Atletismo integrado
Atletismo integradoAtletismo integrado
Atletismo integrado
 
Principios gerais da corrida e saltos
Principios gerais da corrida e saltosPrincipios gerais da corrida e saltos
Principios gerais da corrida e saltos
 
Manual de treinamento de atletismo
Manual de treinamento de atletismoManual de treinamento de atletismo
Manual de treinamento de atletismo
 
Atletismo
Atletismo  Atletismo
Atletismo
 
Neurociências e aprendizagem
Neurociências e aprendizagem   Neurociências e aprendizagem
Neurociências e aprendizagem
 
Formas de intervenção psicomotora
Formas de intervenção psicomotoraFormas de intervenção psicomotora
Formas de intervenção psicomotora
 
Tecnologias educacionais
Tecnologias educacionais Tecnologias educacionais
Tecnologias educacionais
 
Tecnologias educacionais e tecnologias da informação e comunicação
Tecnologias educacionais e tecnologias da informação e comunicaçãoTecnologias educacionais e tecnologias da informação e comunicação
Tecnologias educacionais e tecnologias da informação e comunicação
 
Fundamentos da avaliação neurológica
Fundamentos da avaliação neurológicaFundamentos da avaliação neurológica
Fundamentos da avaliação neurológica
 
Tecnologias educacionais e tecnologias da informação e comunicação
Tecnologias educacionais e tecnologias da informação e comunicaçãoTecnologias educacionais e tecnologias da informação e comunicação
Tecnologias educacionais e tecnologias da informação e comunicação
 
Bases neurais da memória e aprendizagem
Bases neurais da memória e aprendizagem  Bases neurais da memória e aprendizagem
Bases neurais da memória e aprendizagem
 
Aprendizagem e cognição neuroanatomia em necessidades especiais revisado
Aprendizagem e cognição neuroanatomia em necessidades especiais revisadoAprendizagem e cognição neuroanatomia em necessidades especiais revisado
Aprendizagem e cognição neuroanatomia em necessidades especiais revisado
 
Tecnologias educacionais
Tecnologias educacionais Tecnologias educacionais
Tecnologias educacionais
 
Estagio supervisionado
Estagio supervisionado Estagio supervisionado
Estagio supervisionado
 
Prática pedagógica, didática geral e inovação tecnológica
Prática pedagógica, didática geral e inovação tecnológicaPrática pedagógica, didática geral e inovação tecnológica
Prática pedagógica, didática geral e inovação tecnológica
 
Metodologia do ensino de artes visuais e linguagem do corpo
Metodologia do ensino de artes visuais e linguagem do corpoMetodologia do ensino de artes visuais e linguagem do corpo
Metodologia do ensino de artes visuais e linguagem do corpo
 
Estágio e metodologia da pesquisa
Estágio e metodologia da pesquisaEstágio e metodologia da pesquisa
Estágio e metodologia da pesquisa
 

Último

Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...LuizHenriquedeAlmeid6
 
AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptx
AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptxAULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptx
AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptxGraycyelleCavalcanti
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
O carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
O carteiro chegou - Janet & Allan AhlbergO carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
O carteiro chegou - Janet & Allan AhlbergBrenda Fritz
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-carloseduardogonalve36
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"Ilda Bicacro
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdfARIANAMENDES11
 
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdfedjailmax
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfPastor Robson Colaço
 
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfGRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfrarakey779
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....LuizHenriquedeAlmeid6
 
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroBrenda Fritz
 
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
Atividade com a música Xote  da  Alegria    -   FalamansaAtividade com a música Xote  da  Alegria    -   Falamansa
Atividade com a música Xote da Alegria - FalamansaMary Alvarenga
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Mary Alvarenga
 
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco LeiteOs Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leiteprofesfrancleite
 
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaclubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaLuanaAlves940822
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assisbrunocali007
 

Último (20)

Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptx
AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptxAULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptx
AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptx
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
 
O carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
O carteiro chegou - Janet & Allan AhlbergO carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
O carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
 
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfGRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
 
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
Atividade com a música Xote  da  Alegria    -   FalamansaAtividade com a música Xote  da  Alegria    -   Falamansa
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco LeiteOs Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
 
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaclubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
 

Apresentação metodologia da pesquisa

  • 1. METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA Prof. Ms.A.J.A.S. Junior E-mail: atletcpower@hotmail.com http://www.facebook.com/dimitry.junior  https://twitter.com/atletcpower
  • 2.
  • 3. Conhecimento comum X científico Conhecimento comum (popular) • Agricultor • Dona de casa “Senso comum” Conhecimento científico • Real factual lida com o ocorrências e fatos • pesquisa
  • 4. Comum (popular) Científico Valorativo Real/factual Reflexivo Contingente Assistemático Sistemático Verificável Verificabilidade Falível Falível Inexato Aproximadamente exato Características
  • 5. Conhecimento Comum:  Valorativo: fundamentado numa seleção operada com base em estados de ânimo e emoções (valores do sujeito)  Real/factual: ocorrências ou fatos – forma de existência que se manifesta de algum modo – “impessoal” Conhecimento Científico:
  • 6. Conhecimento Comum:  Reflexivo: mas limitado pela familiaridade com o objeto – não apresenta formulação geral  Contingente: proposições e hipóteses – veracidade ou falsidade conhecida: EXPERIMENTAÇÃO e não razão! Conhecimento Científico:
  • 7. Conhecimento Comum:  Assistemático:“organização” das experiências próprias – não apresenta sistematização de ideias.  Sistemático: saber ordenado logicamente, formando um sistema de ideias: TEORIA Conhecimento Científico:
  • 8. Conhecimento Comum:  Verificável: porém limitado ao âmbito da vida diária – o que é percebido no dia-a-dia  Verificável: afirmações (hipóteses) que não podem ser comprovadas não pertencem ao âmbito da ciência Conhecimento Científico:
  • 9. Conhecimento Comum:  Falível: conforma com o que se ouviu dizer a respeito do objeto  Falível: não é definitivo, absoluto, final e, portanto, pode ser alterado Conhecimento Científico:
  • 10. Conhecimento Comum:  Inexato: não permite a formulação de hipóteses sobre a existência de fenômenos situados além das percepções objetivas  Aproximadamente exato: novas proposições e o desenvolvimento de técnicas podem reformular o acervo de teoria existente Conhecimento Científico:
  • 11. O que é ciência?  Conhecimento certo do real pelas suas causas;  Conhecimento sistemático dos fenômenos da natureza e das leis que o regem, obtido pela investigação, raciocínio e pela experimentação intensiva;  Conjunto de enunciados lógica e dedutivamente justificados por outro enunciados;
  • 12.  Conjunto de conclusões certas e gerais, metodicamente demonstrados e relacionadas com objeto determinado;  Estudo de problemas solúveis, mediante método científico;  Forma sistematicamente organizada de pensamento objetivo. O que é ciência?
  • 13. ... sistematização de conhecimentos, conjunto de preposições logicamente correlacionados sobre o comportamento de certos fenômenos que se deseja estudar. Marconi & Lakatos (2006) O que é ciência?
  • 14. É dinâmica onde uma verdade dita hoje, não necessariamente será dita amanhã Ciência Kuhn,T.S, (2011)
  • 15. Nossa prática profissional ... Conhecimento Científico  deve fornecer subsídios para nossa atuação;  conhecimento próprio;  métodos e prática;  corpo de conhecimento.
  • 16. Classificação das Ciências  Características das Ciências:  Complexidade  Diversidade de fenômenos  Ordem de complexidade  Conteúdo  Objeto de estudo  Enunciados  metodologia
  • 17. Classificação das Ciências Ciências  Lógica  Matemática  Física  Química  Biologia ...  Antropologia  Direito  Economia  Psicologia  Sociologia Factuais Naturais Sociais Formais (Estudo de idéias) (Estudo de fatos)
  • 18. Classificação das Ciências em pedagogia e artes visuais (onde estamos?) Ciências  Lógica  Matemática  Física  Química  Biologia ...  Antropologia  Direito  Economia  Psicologia  Sociologia Factuais Naturais Sociais Formais
  • 19. Ciência e pedagogia e artes visuais ... Educação Física tem característica MULTIDISCIPLINAR ... 2) Quais são as “Ciências” ou áreas que contribuem para o corpo de conhecimento na pedagogia e artes visuais? 1) Qual é o objeto de estudo da pedagogia e artes visuais?
  • 20. Natureza da pesquisa  Pesquisa básica  Pesquisa aplicada  Pesquisa que acumula conhecimentos e informações que podem eventualmente levar a resultados acadêmicos ou aplicados importantes, mas sem fazê-lo diretamente  Pesquisa que tem um resultado prático visível em termos econômicos ou de utilidade que não seja o próprio conhecimento
  • 21. Conhecimento ... Conhecimento tem sido obtido pela humanidade utilizando diversas formas de atuação:  Métodos não-científicos  Método científico
  • 22. Métodos não-científicos  Tenacidade  Intuição  Autoridade  Método racionalista  Método empírico Thomas & Nelson (2007)
  • 23. Métodos não-científicos  Tenacidade  Atitudes baseadas em crenças, mesmo que nenhuma evidência apoie o comportamento realizado;  Exemplo: vestir mesma camisa no jogo; passar pelo mesmo ritual no aquecimento; pisar em quadra ou em campo com o “pé direito” ...
  • 24. Métodos não-científicos  Intuitivo (tácito)  senso-comum ou conhecimento baseado em evidências que não comprovadas ou comprováveis  Homem não conseguiria correr os 100 m abaixo de 10 segundos
  • 25. Métodos não-científicos  Autoridade  Conhecimento baseado em alguma autoridade/instituição  Exemplo é o conhecimento emanado pela Igreja – Galileu teve que rever sua posição favorável que a Terra girava ao redor do Sol ...  Criacionismo e Evolução das espécies
  • 26. Métodos não-científicos  Racionalista  Conhecimento é baseado em alguma raciocínio lógico (premissas) Jogadores de basquetebol são altos (premissa principal) Janete é jogadora de basquete (premissa secundária) Então, Janete é alta (conclusão) Primeiro passo para o método científico ...
  • 27. Métodos não-científicos  Empírico  “Empírico” significa experiência e a obtenção de dados;  Esta característica também é parte do método científico. Entretanto, há a necessidade de buscar explicações coerentes para as observações realizadas  Exemplo: crianças que não engatinharam terão dificuldades em aprender a ler e escrever!!! passo importante no método científico ...
  • 28. Métodos não-científicos (problemas)  Carecem de objetividade  Definição de um propósito definido que seria resolvido ou observado ... Método Científico resolveria estes problemas ...  Carecem de controle  São realizados sem a definição clara de procedimentos tanto de obtenção de dados quanto de análise dos mesmos
  • 29. Método ... Representa o conjunto de procedimentos racionais, baseados em regras, que visam atingir um objetivo determinado ... resolução de problemas ... Japiassú & Marcondes (1996)
  • 30. Método Científico  Caminho para se chegar a determinado fim; ... resolução de problemas ... Gil (1999)  Conjunto de procedimentos intelectuais e técnicas para se atingir o conhecimento
  • 31. Método Científico Neutralidade  Representa isenção, imparcialidade do pesquisador;  Imune a juízos de valor;  O olhar do pesquisador não deve ser “contaminado” por posições políticas, ideológicas – preferências pessoais;
  • 32. Método Científico  Caracterizados por etapas (passos):  Desenvolvimento do problema;  Formulação da(s) hipótese(s);  Obtenção dos dados;  Análise e interpretação dos resultados ... resolução de problemas ... Thomas & Nelson (2007) Conjunto de procedimentos
  • 33. Método Científico – PASSO 1  Desenvolvimento do problema:  O que será estudado;  Qual a profundidade do estudo; DEFINIÇÃO DO PROBLEMA DELIMITAÇÃO DO PROBLEMA Qualquer questão não solucionada e que pode ser discutida em alguma área de conhecimento
  • 34. Método Científico – PASSO 2  Formulação da(s) hipótese(s) :  O que é esperado como resultado HIPÓTESE é o resultado esperado ... a resposta antecipada para o problema apresentado Hipótese(s) deve(m) estar baseada(s) em alguma construção teórica, nos resultados dos estudo anteriores (revisão de literatura)
  • 35. Método Científico – Características das Hipóteses  Hipótese:  Tem que serTESTÁVEL Hipótese Experimental: resultado esperado para cada problema (pergunta) do estudo Hipótese 1 Hipótese 2 Hipótese 3
  • 36.  Hipótese:  TESTÁVEL Corroborada (aceita, sustentada): resultados confirmam o enunciado que o pesquisador sugeriu antes do estudo Refutada (rejeitada): resultados não confirmam o enunciado que o pesquisador sugeriu antes do estudo Método Científico – Características das Hipóteses
  • 37. Método Científico – PASSO 3  Obtenção dos dados (coleta de dados):  Normalmente é a etapa mais fácil ... o pesquisador já realizou diversas vezes ... (rotina) Entretanto antes: - Decisão sobre os métodos; - Fidegnidade dos instrumentos de medida; - Objetividade e precisão. Fidegnidade: consistência ou a possibilidade de repetição de uma medida Objetividade: testes realmente medem ou avaliam o que eles são supostos a medir
  • 38. O que é, o que é?
  • 39. Monografia x Artigo científico Os trabalhos monográficos se dividem em: •Trabalho de Conclusão de Curso - TCC para graduação •Monografia para pós-graduação •Dissertação para mestrado •Tese para doutorado A diferença clara entre eles é: MONOGRAFIA - mais detalhada ARTIGO – mais sintético.
  • 40. Estrutura do artigo científico
  • 41. Estrutura do artigo científico
  • 42. Monografia x artigo científico E pra que serve uma Monografia? É uma dissertação cujo objetivo é demonstrar, mediante argumentos, uma tese que é uma proposta de solução para um problema relativo a determinado tema.
  • 43. Monografia x artigo científico
  • 44. Para quem fez 2 cursos Sugestão: -Uma monografia com o tema principal de um dos cursos - Um artigo científico que, dependendo do caso, pode ser um resumo da sua monografia
  • 46. Escolha do tema Selecione um tema que você goste ou precise trabalhar Escolha um objeto de estudo que mereça ser investigado A escolha do tema deve responder a pergunta: O que será explorado?
  • 47. Escolha do tema 1- Afinidade – escolha um assunto que desperte seu interesse 2 - Tempo – escolha um escopo não muito grande 3 – Relação – procure fazer algo que tenha a ver com o seu trabalho atual ou com o que você pretende fazer no futuro 4 – Relevância – procure um tema que seja importante na sua área 5 – Bibliografia – antes de começar, veja se existe bibliografia em quantidade suficiente
  • 48. Defina seu problema de pesquisa Problema de pesquisa é uma dificuldade – teórica ou prática – de real importância, e para a qual se deve encontrar uma solução O problema deve ser claro, preciso e específico – quanto mais abrangente, mais complexa será a pesquisa Tudo o que for questionado no problema, deverá ser respondido.
  • 49. Como delimitar o problema de pesquisa Exemplo: Pergunta da pesquisa: • Quais as tendências educacionais do curso XYZ ao longo da história da educação à distância? Desdobramentos sobre como fazer: • Informações a coletar • Fontes de coleta • Instrumentos de coleta • Procedimentos de análise
  • 50. Escolha do tema A monografia deve ser fundamentada em teorias, mas sempre propondo conclusões originais sobre o tema abordado, obtidas depois de muita pesquisa e experimentação prática. Ao escolher o tema de sua pesquisa acadêmica, certifique-se de que existem autores que já estudaram essa questão e que podem fornecer uma boa base conceitual, porém, tome muito cuidado para não apresentar um raciocínio já previamente discutido
  • 51. Escolha do tema Uma monografia bem elaborada é aquela que contém opiniões bem fundamentadas e não necessariamente a que tem mais páginas
  • 54. Estrutura da Monografia Elementos pré-textuais Capa, agradecimentos, resumo... Elementos textuais É o trabalho em si Elementos pós-textuais Apêndices, anexos...
  • 55. Estrutura da Monografia Capa Folha de Rosto Resumo Sumário Pré-textual
  • 58. Estrutura da Monografia Capa Folha de Rosto Dedicatória Agradecimento Resumo Sumário Introdução Contextualização Situação-Problema Objetivos Justificativa RevisãoTeórica Método de Pesquisa Análise dos Resultados Considerações Finais Referências Apêndices Anexos Pré-textual Pós-textual Textual
  • 59. Anexo X Apêndice ANEXO – Documento ou texto não elaborado pelo autor APÊNDICE – Documento ou texto elaborado pelo autor
  • 61. Para quem quiser saber sobre o que se trata o seu trabalho
  • 62. Resumo  O resumo é um texto que serve para quem quer conhecer o trabalho, saber do que se trata, de como foi feito e a que conclusões de chegou.  É a última coisa a ser escrita em um TCC  Tem em média 250 palavras Contém 4 pontos: •O QUE – diz sobre o que o trabalho trata (título) •PORQUE – os MOTIVOS de se ter escolhido esse tema •COMO – é o MÉTODO utilizado, ou seja, qual foi o tipo de pesquisa elaborada (quantitativa ou qualitativa) e as técnicas utilizadas, e ainda, quais foram os meios utilizados para o levantamento do material adequado •RESULTADOS – Os resultados obtidos na pesquisa •CONCLUSÃO - a verificação ou constatação sobre tudo o que foi lido, analisado e desenvolvido ao longo do seu texto
  • 63. Exemplo - Resumo CRUVINEL, Miriam e BORUCHOVITCH, Evely. Sintomas depressivos, estratégias de aprendizagem e rendimento escolar de alunos do ensino fundamental. Psicol. estud. [online]. 2004, vol.9, n.3, pp. 369-378. ISSN 1413- 7372. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-73722004000300005. Tendo-se em vista que a incidência de sintomas depressivos tem aumentado e conhecendo os efeitos negativos desses sintomas na aprendizagem, o presente estudo tem como objetivo avaliar a relação entre sintomas de depressão e rendimento escolar e estratégias de aprendizagem de alunos do ensino fundamental. Participaram desta pesquisa 169 alunos de 3ª, 4ª e 5ª séries de uma escola pública da cidade de Campinas. Os alunos eram, em sua maioria, não-repetentes, de ambos os sexos e com idade variando de 8 a 15 anos. Os resultados sugeriram a existência de diferenças significativas entre rendimento escolar em matemática e sintomas depressivos, bem como entre rendimento escolar tanto em português quanto em matemática e o repertório de estratégias de aprendizagem dos participantes. Uma correlação significativa e negativa foi também encontrada entre os sintomas de depressão e o repertório de estratégias de aprendizagem dos participantes. Palavras-chave : depressão infantil; estratégia de aprendizagem; rendimento escolar.
  • 65. Visão geral sobre o seu trabalho
  • 66. Introdução •Contextualização (introdução ao tema) •Situação Problema (pergunta de pesquisa) •Objetivos (objetivo geral e objetivos específicos) •Justificativa (relevância e contribuição do trabalho para a comunidade científica/acadêmica)
  • 67. Autores em que se baseia o seu trabalho
  • 68. Revisão Teórica •Revisão da literatura utilizada na pesquisa •Livros, revistas, artigos, sites utilizados na pesquisa •Quais áreas de conhecimento estão relacionadas • com sua pergunta de pesquisa? •Quais os principais conceitos sobre o assunto?
  • 69. Detalhes sobre como você desenvolveu a sua pesquisa
  • 70. Método de Pesquisa Detalhar ao máximo o passo-á-passo (receita de bolo) •Tipo de pesquisa (revisão de literatura ou de campo •Amostra: quem, quantos, por que? •Coleta de dados: como? •Período da coleta
  • 71. Método de Pesquisa Experimentação humana ou animal • Termo de consentimento • Livre e esclarecido • Remunerado Direitos autorais sobre os informes, imagens ou dados de uma pessoa Autorização do responsável legal
  • 72. Detalhes sobre os resultados obtidos na pesquisa
  • 73. Análise dos Resultados •Subtópicos são permitidos •Resultados pode ser apresentados em texto corrido, gráficos, quadros, etc. •Todo quadro/gráfico/figura precisa de um texto explicativo
  • 74. Análise Estatística •Análise matemática dos resultados obtidos •Cuidado com o tratamento de dados • Atentar ao melhor programa de analises •Visualização gráfica, estética e projeção das analises
  • 75. Análise dos Resultados • INSTAT • SPSS 10.0 Statistical Package for the Social Sciences. • Teste a ser utilizado • Nível de significância p< 0,05 p< 0,001 • ORIGIN 6.0 plotagem dos gráficos • Excel
  • 76. C0 CIA C2 C24 -- DM0 DMIA DM2 DM24 -- 100 150 200 250 300 350 400 450 500 Glicemia(mg/dL) P= 0,0001 Glicemia dos grupos 0 IA 2 24 105 120 135 150 165 glicemia(mg/dL * DM = 255% que C DM2 = 24% que DMIA, porem 218% que C2 O exercício físico promove aumento da atividade dos glicotransportadores intracelulares (TABATA et al, 1999)
  • 77. 0 IA 2 24 3 6 9 12 15 # %demacrofagosemnecrose 0 IA 2 24 8 10 12 %demacrofagosemnecrose Grupo diabético Necrose P=0,03 (r=0,9) DM apresenta aumento de necrose gradual Morte Celular por Necrose
  • 78. Resposta ao problema da pesquisa
  • 79. Conclusão •Discutir os objetivos (fechar) •Responder o problema de pesquisa •Deixar claro as limitações •Sugerir pesquisas futuras Dica: comparar teoria x prática
  • 80. Cuidados na escrita do trabalho
  • 81. Escreva em terceira pessoa Ao invés de escrever • Objetivamos com esta pesquisa... Escreva • Esta pesquisa objetiva...
  • 82. Cuidado com textos vagos “realizou uma série de entrevistas” “foram realizadas visitas às escolas da região” ... nem todos... ... praticamente todos... ... vários deles ...
  • 83. Metáforas, analogias, gírias O norte da pesquisa... O combustível da pesquisa... Caminho a percorrer... Maré fraca nas matrículas... Os resultados deixam a desejar... Número um no coração dos alunos... ...a nível de... ...estourar como uma bomba... ...fechar com chave de ouro...
  • 84. Metáforas, analogias, gírias O norte da pesquisa... O combustível da pesquisa... Caminho a percorrer... Maré fraca nas matrículas... Os resultados deixam a desejar... Número um no coração dos alunos... ...a nível de... ...estourar como uma bomba... ...fechar com chave de ouro...
  • 85. Evite palavras muito enfáticas Adjetivos: magnífico, maravilhoso, sensacional, espetacular,esplêndido, genial... Superlativos: competentíssimo, extremamente importante... Verbos fortes: infernizar, enfurecer, maravilhar... Temos plena convicção que... Todo pesquisador... Todo profissional... Certamente... Sem dúvida alguma... Nunca/Sempre
  • 86. Cuidado com as pérolas •“o desempenho tem sido calamitoso...” •“dezenas de milhões de brasileiros galgaram...” •“de olho neste filão,...” •“eles são mais pé-no-chão...” •“o principal surto de crescimento...” •“X% de evasão escolar não chegam a assustar...” •“colocou a classe sob a luz dos holofotes...” •“enorme público” •“foi feita uma grande observação”
  • 87. Pérolas na Metodologia • “Foram diversas conversas informais com educadores...” • “Foi utilizada a pesquisa qualitativa, observacional e de estudo de caso” • “Foram feitas posteriormente entrevistas com a equipe...” • Este trabalho tem o objetivo de ser um projeto único e holístico...” • “Foi utilizado o primeiro e único estudo acerca dessa teoria no Brasil” • “Entrevistas com pacientes reais...” • “Através da coleta de dados internos da escola estudada...”
  • 88. Problemas mais comuns • Aluno se “apodera” da informação e não cita a fonte • Gráficos sem a informação da fonte ou do ano da publicação • Referencial bibliográfico pobre ou incompleto • Siglas sem explicação • Método confuso • Linguagem coloquial em excesso • Não segue a estrutura informada • Objetivo pouco delimitado / falta de clareza • Conclusão que ultrapassa os dados ou que não alcança os objetivos
  • 89. Check List I. Estrutura: 1. O trabalho possui a estrutura mínima: capa, resumo, abstract , sumário, introdução, desenvolvimento, conclusão e bibliografia? 2. A capa identifica a universidade, faculdade, curso, título do trabalho, tipo do trabalho, nomes completos dos componentes do grupo, nome do orientador, local e data? 3. O resumo possui no final as palavras-chaves? 4. O abstract possui no final as keywords? 5. Se o trabalho possui figuras, existe uma Lista de Figuras? 6. Se o trabalho possui tabelas, existe uma Lista de Tabelas? 7. Se o trabalho possui abreviaturas ou siglas, existe uma Lista de Abreviaturas? 8. Os capítulos, subcapítulos, seções, subseções e itens possuem numeração sucessiva consistente? 9. Cada capítulo começa em uma nova página? 10. As páginas que aparecem no sumário realmente correspondem as do texto? 11. Todas as páginas (exceto capa) estão numeradas?
  • 90. Check List II. Conteúdo: 1. Palavras e termos estrangeiros possuem grafia em itálico? 2. O texto possui concordância gramatical de grau, gênero e número? 3. O texto está escrito em forma impessoal (3ª pessoa)? 4. O tipo de letra (fonte utilizada) está consistente durante todo o texto? 5. O tamanho das letras está consistente durante todo o texto? 6. O espaçamento vertical (entre parágrafos) está consistente durante todo o trabalho? 7. O alinhamento horizontal está consistente durante todo o trabalho? 8. A formatação de nomes de capítulos, subcapítulos, seções, subseções e itens estão consistentes durante todo o texto? 9. Foi realizada uma verificação ortográfica no texto? (Por exemplo: no editor de textos MS-Word basta pressionar a tecla F7)
  • 91. Check List II. Conteúdo: 10. Todas as figuras e tabelas possuem legenda, com numeração e texto explicativo resumido? 11. Todas as figuras e tabelas que não são de sua autoria, indicam a fonte? 12. O tamanho da figura está adequado (o seu conteúdo é legível)? 13. O posicionamento da figura ou tabela está adequado (não provocou “buracos em branco” no texto)? 14. A numeração das figuras e tabelas possui a forma núm1.núm2 (onde: núm1 representa o número do capítulo, núm2 representa o número sequencial da figura no capítulo. Exemplo: Figura 2.5)? 15. Todas as figuras e tabelas estão referenciadas no texto? 16. As figuras e tabelas estão próximas as suas referências no texto? 17. Todas as figuras estão referenciadas na Lista de Figuras? 18. Todas as tabelas estão referenciadas na Lista de Tabelas? 19. Toda abreviatura ou sigla, a primeira vez que aparece no texto, está escrita por extenso? 20. Todas as abreviaturas e siglas estão referenciadas na Lista de Abreviaturas? 21. Todas as abreviaturas e siglas estão referenciadas no texto?
  • 92. Check List III. Bibliografia: 1. Todas as referências estão no padrão ABNT (NBR 6024/2003 e NBR 6027/2003)? 2. Todas as referências indicadas na bibliografia aparecem no texto? 3. Todas as referências que aparecem no texto estão indicas na bibliografia? 4. As referências estão ordenadas alfabeticamente (padrão autor, data)?
  • 93. Critérios de avaliação • Clareza nos objetivos da pesquisa • Suporte teórico relevante • Método de pesquisa adequado e detalhado • Respeito a estrutura de capítulos • Coerência do conteúdo com cada capítulo/tópico • Apresentação e análise dos resultados • Consistência das conclusões • Clareza e precisão de linguagem • Referências citadas adequadamente - ABNT
  • 94. Regras da ABNT – NBR 14724
  • 95. Formatação •Papel A4 • Fontes: Arial ouTimes New Roman – tamanho 12 com espaçamento 1,5. • Citações com mais de 3 linhas, notas de rodapé, paginação e legendas, espaçamento simples e fonte 11 ou 10 • Impressão frente e verso • Margens esquerda e superior 3 cm, direita e inferior 2 cm. • Numeração de páginas • Uso de cores deve ser restrito ao logo, gráficos, fotos e ilustrações – o texto deve estar em preto • Entrega do trabalho em papel e também em meio eletrônico (CD)
  • 98. Citações São transcrições literais de trechos da obra de um autor consultado. Indica que a citação foi extraída de uma fonte à qual se teve acesso direto. As citações diretas de até 3 linhas devem estar contidas entre aspas duplas. Exemplo: “A expressão ‘furiosa’ dessa estátua de que fala Rabelais, corresponde também à realidade (BAKHTIN, 1987, P. 388) Segundo Prunes (2000, v. 2, p. 647-648) “a inconformidade dos demendantes, sustentado laudo pericial técnico *...+”.
  • 99. Citações As citações diretas com mais de 3 linhas devem constituir um parágrafo independente, com recuo de 4 cm da margem esquerda, com letra menor que a do texto principal, e sem aspas. O espacejamento das linhas deve ser simples. Exemplo
  • 100. Citações - Internet Citações de documentos disponíveis na internet devem conter necessariamente as informações Disponível em (endereço do site entre parêntesis) Acesso em (indicar dia e hora em que o documento foi acessado por você) Incluir somente fontes reconhecidas e confiáveis Wikipedia não pode ser referenciada
  • 101. Links úteis Dicas sobre TCC http://noticias.universia.com.br/tag/especial-monografia/ Normas ABNT https://www.youtube.com/watch?v=zSE05nQ9ZmY Formatando do Word https://www.youtube.com/watch?v=4nyRfo12QYM Manual http://www.utfpr.edu.br/dibib/normas-para-elaboracao-de-trabalhos-academicos/normas_trabalhos_utfpr.pdf
  • 102. Links úteis Monografando Plataforma que formata trabalhos acadêmicos http://www.baixaki.com.br/download/monografando.htm Formatação de textos acadêmicos http://fastformat.co/ Cite This for Me (em inglês) Resolve os problemas de citação e coloca no formato ABNT https://www.citethisforme.com/
  • 103. Links úteis Teses USP - http://www.teses.usp.br Scielo - http://scielo.br/ Mais Monografia http://www.maismonografia.com.br/como-fazer-tcc.htm Slideshare http://pt.slideshare.net
  • 104. A sabedoria é o principal; adquire, pois, a sabedoria: sim com tudo o que possuis, adquire o conhecimento (Provérbios 4.7).
  • 105. Avaliação Elaborar uma proposta de tema, com metodologia, objetivos e hipóteses.