SlideShare uma empresa Scribd logo
COMO ELABORAR UM ARTIGO 
CIENTÍFICO 
Profª LUDMILA DE MOURA 
2014
 “Artigo científico é parte de uma publicação com autoria 
declarada, que apresenta e discute ideias, métodos, 
técnicas, processos e resultados nas diversas áreas do 
conhecimento.” (ABNT. NBR 6022, 2003, p. 2) 
 Para Lakatos e Marconi (1991) os artigos científicos têm 
as seguintes características: 
 não se constituem em matéria de um livro; 
 são publicados em revistas ou periódicos especializados; 
 permitem ao leitor, por serem completos, repetir a 
experiência.
ESTRUTURA DE UM ARTIGO CIENTÍFICO 
TÍTULO (e subtítulo, se houver) 
AUTOR(ES) 
RESUMO 
PALAVRAS-CHAVE 
Identificação breve do(s) autor(es), como nome, email e 
instituição, em nota(s) de rodapé. 
- RESUMO EM LÍNGUA ESTRANGEIRA: Abstract (inglês 
- obrigatório). Conforme a revista, pode exigir também 
em Espanhol e/ou Francês.
RESUMO 
 Deve ser o último tópico a ser redigido, quando não 
vai haver mais alteração no texto. 
 Pode ser feito copiando-se frases já escritas no 
corpo do artigo. 
 Procure escrevê-lo de forma a que o leitor 
interesse-se por ler o texto completo. 
 “É mera apresentação condensada do texto de 
uma publicação ou suas principais ideias, sem 
emissão de juízo de valor” (SALVADOR, 1980, p. 
16).
RESUMO 
 Deve conter frases de todas os tópicos e subdivisões do 
artigo, de modo a tornar claro o assunto estudado, como 
Introdução, Objetivo(s), Método, Resultados, Discussão, 
(ou Resultados e Discussão), Considerações finais (ou 
Conclusões). 
 Não deve conter citações. 
 Esses termos podem ou não vir escritos no Resumo, 
dependendo da norma da Revista. 
 Escrito em um parágrafo único. 
 Em torno de 250 palavras, de acordo com a norma da 
Revista.
PALAVRAS-CHAVE 
 Palavras que representam o conteúdo do texto. 
 De 3 a 5 palavras (depende da Revista), separadas 
por ponto. 
 Também chamadas de Descritores. 
 Escolha palavras que você já encontra na 
literatura. 
 Observe os termos usados nos artigos 
pesquisados. 
 Servem para que os artigos do mesmo tema sejam 
encontrados quando da busca na internet.
CORPO DO ARTIGO 
 INTRODUÇÃO: apresentação do assunto, objetivo, 
método, limitações e proposição. 
 TEXTO: exposição, explicação e demonstração do 
material; avaliação dos resultados e comparação 
com obras anteriores. 
 CONSIDERAÇÕES FINAIS (ou Conclusões): 
dedução lógica, baseada e fundamentada no texto, 
de forma resumida.
ARTIGO DE REVISÃO (EXEMPLO) 
 TÍTULO 
 Sentimentos e experiências na vida das mulheres com câncer de mama 
 Autor(es) 
 Carolina Pasquote Vieira, Maria Helena Baena de Moraes Lopes2, Antonieta Keiko Kakuda 
Shimo3 
 RESUMO 
 Identificar os sentimentos e as experiências relaciona dos ao câncer de mama torna-se 
importante para que as pessoas de seu convívio social compreendam essa etapa da vida da 
mulher. Uma revisão da literatura foi realizada buscando identificar quais são os pensamentos 
e os sentimentos mais comuns experimentados pelas mulheres depois do diagnóstico de 
câncer de mama. Foi realizada por meio de busca bibliográfica no LILACS e MEDLINE, e as 
palavras-chave utilizadas foram: breast, câncer, feeling, female, representações, sentimentos. 
Conteúdos do câncer foram abordados, como o significado da doença e suas implicações para 
a vida emocional e social da mulher. Concluiu-se que as experiências relacionadas ao câncer 
de mama têm um âmbito muito individual, tendo representações diferenciadas para cada 
mulher. 
 Palavras-chave (ou Descritores): Neoplasias mamárias. Emoções. Relações interpessoais. 
 1 Instituição; e-mail: 
 2 Instituição; e-mail: 
 3 Instituição; e-mail:
INTRODUÇÃO 
 Para que o leitor tenha uma visão geral do tema 
abordado, de modo geral, deve apresentar: 
 o assunto objeto de estudo; 
 o ponto de vista sob o qual o assunto foi abordado; 
 trabalhos anteriores que abordam o mesmo tema; 
 as justificativas que levaram a escolha do tema, 
 o problema de pesquisa, 
 a hipótese de estudo, 
 (GUSMÃO; MIRANDA 1997 apud RELATÓRIO... 
[2011]). 
 Tamanho de mais ou menos 6 parágrafos.
INTRODUÇÃO 
 Compreender as representações que as mulheres acometidas pelo câncer de mama têm acerca de sua 
doença é algo considerado extremamente relevante. Esta revisão bibliográfica é parte constituinte de 
um projeto de mestrado, de maior amplitude, que está sendo realizado com o objetivo de entender as 
crenças que uma equipe de enfermagem tem sobre o cuidado com mulheres com câncer. Portanto, 
para uma melhor apreensão destas crenças, e dos comportamentos das enfermeiras, inicialmente se 
faz necessário compreender o perfil das mulheres acometidas pelo câncer de mama, o que sentem 
acerca de seu diagnóstico e os aspectos psicossociais envolvidos nesse processo. Como o câncer 
feminino pode se manifestar em diferentes órgãos, foi necessário optar por apenas uma de suas 
categorias para que este trabalho pudesse ser realizado com êxito. 
 [...] 
 Portanto, o câncer de mama precisa ser pensado em toda essa amplitude. A mulher acometida por 
essa doença não tem apenas o seu corpo modificado, mas também a sua imagem corporal e diferentes 
aspectos da sua vida social e afetiva.
OBJETIVOS 
 Iniciar sempre com verbo no infinitivo: 
 - analisar, investigar, levantar, 
 Pode vir como parágrafo no final da Introdução ou em tópico 
separado. 
 Identificar quais são os pensamentos e os sentimentos mais 
comuns vivenciados por mulheres depois do diagnóstico de 
câncer de mama.
MÉTODO 
 Trata-se de uma revisão da literatura acerca dos aspectos emocionais e sociais que envolvem desde a descoberta 
do câncer de mama até a possível vivência da mastectomia. 
 DEVE INCLUIR: 
 PERÍODO PESQUISADO; 
 As buscas bibliográficas foram realizadas privilegiando os últimos cinco anos (1999-2003), porém três artigos 
científicos encontrados fora deste período foram utilizados por serem de grande relevância para a elaboração do 
texto. 
 BANCO DE DADOS (SITES) E LIVROS OU CAPÍTULOS DE LIVROS 
 As referências encontram-se indexadas na LILACS e MEDLINE, tendo sido incluídas apenas as apresentadas na 
língua portuguesa, inglesa e espanhola. 
 PALAVRAS-CHAVE (DESCRITORES) 
 As palavras–chave utilizadas foram: “breast”, “câncer”, “feeling”, “female”, câncer, mama, representações, 
sentimentos. 
 CRITÉRIOS DE INCLUSÃO E DE EXCLUSÃO DE ARTIGOS 
 Quatro textos utilizados não estão indexados nas bases citadas acima, mas encontram-se disponíveis no acervo 
da biblioteca da UNICAMP, tendo sido encontrados através de buscas na página eletrônica da universidade. 
 Duzentos e cinquenta e seis artigos foram encontrados, adotando-se, portanto, alguns critérios de exclusão. Os 
textos que se referiam a algum lugar específico foram desconsiderados, devido à relevância dada aos aspectos 
culturais envolvidos (ex: mulheres de Berlim), bem como aqueles que se referiam a uma etnia específica (ex: 
mulheres negras). Aqueles em que o enfoque era sobre a família também foram desconsiderados, já que o 
objetivo é compreender a mulher acometida pela doença. Cento e trinta artigos da literatura médica foram 
encontrados, com explicações sobre a doença, algumas alternativas de tratamentos e medidas preventivas, como 
exames mamários e práticas de terapias alternativas. Estes, bem como os textos de prevenção e ações de 
controle foram excluídos. Artigos que continham relatos apenas de uma determinada faixa etária (ex: mulheres 
idosas) também foram desconsiderados, já que as análises dos mesmos faziam referência a aspectos específicos 
das etapas de vida, com características muito peculiares.Alguns artigos inicialmente selecionados não foram 
incluídos devido à dificuldade de acesso, por não serem localizados pelo COMUT e também não estarem 
disponíveis em sua íntegra na BIREME.
MÉTODO 
 Somente foram analisados os textos disponíveis nas 
bibliotecas da UNICAMP e aqueles que se encontram 
disponíveis na Internet. Foram encontrados disponíveis 
por estes recursos (on-line e biblioteca da universidade) 
29 textos, e destes, 16 foram selecionados para a 
elaboração do presente trabalho. Dois livros foram 
utilizados devido à sua importância para a elaboração 
de alguns conceitos específicos, e ambos encontram-se 
disponíveis na biblioteca da universidade. 
 Durante a leitura dos artigos, pôde-se identificar alguns 
aspectos sobre o câncer de mama sendo tratados sob 
diferentes enfoques. Os textos foram analisados e as 
categorias seguintes puderam ser elaboradas, a fim de 
facilitar a compreensão e apreensão dos conteúdos 
relevantes.
RESULTADOS E DISCUSSÃO 
 Os textos encontrados na revisão devem vir apresentados e analisados 
após o Método, pois são os “resultados” de seu trabalho. 
 É como se seus “sujeitos” da pesquisa fossem os autores dos artigos 
encontrados. 
 ATENÇÃO: 
 O subtítulo Resultados e Discussão pode ser omitido, quando se trata 
de artigo de revisão de literatura, indo diretamente às categorias 
analisadas. 
 Estar doente 
 Quando se pensa em doença, independente do órgão acometido e dos 
efeitos causados no organismo pela mesma, há um conjunto de 
sentimentos que se encontram diretamente associados. O momento em 
que uma pessoa recebe um diagnóstico geralmente é decisivo em sua 
vida, porque a partir de então, tem a possibilidade de reformular 
aspectos importantes de sua vida(5). 
 [...]
RESULTADOS E DISCUSSÃO 
 O câncer de mama: questões da identidade feminina 
 Quando se descobre com câncer de mama, a mulher adquire uma nova identidade(8). Isso porque o seio 
é o órgão do corpo feminino que está associado ao prazer e à vida. É ele que fornece leite após a 
gestação, sendo fonte de alimento para seu bebê. Normalmente, é um símbolo de valor, sendo 
insubstituível nos caso em que ocorrem perdas(9). O seio é também um símbolo de fertilidade e saúde e 
durante todas as etapas da vida da mulher, desde a infância, puberdade, até a vida adulta, é o órgãoque 
está mais relacionado à questão da feminilidade(10). 
 [...] 
 Sentimentos mais frequentes 
 O fato de o próprio indivíduo ser responsável pelo desenvolvimento do câncer é algo diretamente 
associado às suas vivências, e à qualidade das experiências de vida que estabelece(10). 
 [...] 
 Os aspectos psicossociais do câncer de mama 
 Muitas construções culturais acerca do diagnóstico da doença ainda fazem com que a mulher sinta que 
está recebendo uma sentença de morte. Surgem então o medo de ser mutilada, o medo de rejeição, 
dentre outros. As representações associadas ao câncer são, na sua grande maioria negativas, e 
associadas a algo cruel, destrutivo. As diferenças sentidas pela mulher não são apenas no nível corporal, 
mas também no convívio social, abrangendo família, amigos e trabalho(10). Por isso, é importante para a 
mulher sentir que tem uma rede de apoio social, que não a permite desistir, e que torna mais fácil o 
enfrentamento da doença. Normalmente 
 a família ocupa esse lugar(8). 
 [...]
CONSIDERAÇÕES FINAIS 
 as conclusões devem responder às questões da 
pesquisa, correspondentes aos objetivos e 
hipóteses; 
 devem ser breve podendo apresentar 
recomendações e sugestões para trabalhos 
futuros;
CONSIDERAÇÕES FINAIS 
 Constatou-se que há, na literatura nacional e internacional uma quantidade vasta de 
artigos científicos publicados a respeito do câncer de mama. No entanto, quando se 
busca a abordagem emocional e os aspectos sociais envolvidos neste processo, os 
estudos tornam-se menos frequentes e mais difíceis de serem encontrados. Vê-se uma 
grande necessidade do desenvolvimento maior do tema, já que para se obter uma 
compreensão acerca das mulheres com câncer de mama, estas precisam ser 
consideradas em sua integralidade. A doença tem que ser compreendida em sua 
amplitude, levando-se em consideração que todo ser humano é um ser biopsicossocial. 
É necessário que mais estudos sejam realizados sob outros enfoques da doença, além 
da abordagem médica. Os aspectos emocionais envolvidos em todo o processo da 
doença, desde a descoberta, até a decisão e realização dos tratamentos, são muito 
importantes na compreensão do que está acontecendo fisicamente na mulher. 
 [...]
REFERÊNCIAS 
 ABNT. NBR 14724: informação e documentação: 
trabalhos acadêmicos: apresentação. Rio de Janeiro, 
2002. 6 p. 
 LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. 
Fundamentos de metodologia cientÍfica. 3. ed. rev. e 
ampl. São Paulo: Atlas, 1991. 270 p. 
 RELATÓRIO final de projetos de pesquisa: modelo de 
apresentação de artigo científico. Disponível em: 
<http://www.cav.udesc.br/anexoI.doc.>. Acesso em: 
14/10/2011.
APÊNDICE(S) 
 Elemento opcional. 
 “Texto ou documentoelaborado pelo autor a fim de 
complementar o texto principal” (NBR 14724, 2002, 
p. 2).
ANEXO(S) 
 h) anexos: Elemento opcional, “texto ou documento 
não 
 elaborado pelo autor, que serve de fundamentação, 
 comprovação e ilustração.” (NBR 14724, 2002, p. 
2);
 Agradecimentos 
 Data de entrega dos originais para publicação.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Leitura e produção textual
Leitura e produção textualLeitura e produção textual
Leitura e produção textual
Jose Arnaldo Silva
 
Como Elaborar Um Projeto De Pesquisa
Como Elaborar Um Projeto De PesquisaComo Elaborar Um Projeto De Pesquisa
Como Elaborar Um Projeto De Pesquisa
mauricio aquino
 
Normas Abnt
Normas AbntNormas Abnt
Normas Abnt
verafurlan
 
Gêneros e tipos textuais
Gêneros e tipos textuaisGêneros e tipos textuais
Gêneros e tipos textuais
marlospg
 
Compreensão e Interpretação de Textos
Compreensão e Interpretação de Textos Compreensão e Interpretação de Textos
Compreensão e Interpretação de Textos
Professor Rômulo Viana
 
Slide sobre artigo cientifico
Slide sobre artigo cientificoSlide sobre artigo cientifico
Slide sobre artigo cientifico
Carlos Eugenio Lima Silva
 
Métodos e tipos de pesquisa
Métodos e tipos de pesquisaMétodos e tipos de pesquisa
Métodos e tipos de pesquisa
Isabella Marra
 
redação - dissertativa argumentativa
redação - dissertativa argumentativa redação - dissertativa argumentativa
redação - dissertativa argumentativa
Luciene Gomes
 
Aula ABNT finalizada.pptx
Aula ABNT finalizada.pptxAula ABNT finalizada.pptx
Aula ABNT finalizada.pptx
EvanderMarcosFreitas
 
Modelo de artigo cientifico
Modelo de artigo cientificoModelo de artigo cientifico
Português instrumental I
Português instrumental IPortuguês instrumental I
Português instrumental I
Sinara Lustosa
 
Tipologia textual
Tipologia textualTipologia textual
Tipologia textual
Ana Claudia André
 
Resenha acadêmica
Resenha acadêmicaResenha acadêmica
Resenha acadêmica
megainfoin
 
Metodologia cientifica
Metodologia cientificaMetodologia cientifica
Metodologia cientifica
jaddy xavier
 
Aula 04 - O Projeto de Pesquisa
Aula 04 - O Projeto de PesquisaAula 04 - O Projeto de Pesquisa
Aula 04 - O Projeto de Pesquisa
Ghiordanno Bruno
 
Apresentação abnt citações
Apresentação abnt citaçõesApresentação abnt citações
Apresentação abnt citações
Diogo Maxwell
 
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURAAULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
Marcelo Cordeiro Souza
 
Resenha crítica modelo
Resenha crítica   modeloResenha crítica   modelo
Resenha crítica modelo
taise_paz
 
Passos para a redação do enem
Passos para a redação do enemPassos para a redação do enem
Passos para a redação do enem
Luciene Gomes
 
Estrutura+do+ensaio
Estrutura+do+ensaioEstrutura+do+ensaio
Estrutura+do+ensaio
Adriele Leal
 

Mais procurados (20)

Leitura e produção textual
Leitura e produção textualLeitura e produção textual
Leitura e produção textual
 
Como Elaborar Um Projeto De Pesquisa
Como Elaborar Um Projeto De PesquisaComo Elaborar Um Projeto De Pesquisa
Como Elaborar Um Projeto De Pesquisa
 
Normas Abnt
Normas AbntNormas Abnt
Normas Abnt
 
Gêneros e tipos textuais
Gêneros e tipos textuaisGêneros e tipos textuais
Gêneros e tipos textuais
 
Compreensão e Interpretação de Textos
Compreensão e Interpretação de Textos Compreensão e Interpretação de Textos
Compreensão e Interpretação de Textos
 
Slide sobre artigo cientifico
Slide sobre artigo cientificoSlide sobre artigo cientifico
Slide sobre artigo cientifico
 
Métodos e tipos de pesquisa
Métodos e tipos de pesquisaMétodos e tipos de pesquisa
Métodos e tipos de pesquisa
 
redação - dissertativa argumentativa
redação - dissertativa argumentativa redação - dissertativa argumentativa
redação - dissertativa argumentativa
 
Aula ABNT finalizada.pptx
Aula ABNT finalizada.pptxAula ABNT finalizada.pptx
Aula ABNT finalizada.pptx
 
Modelo de artigo cientifico
Modelo de artigo cientificoModelo de artigo cientifico
Modelo de artigo cientifico
 
Português instrumental I
Português instrumental IPortuguês instrumental I
Português instrumental I
 
Tipologia textual
Tipologia textualTipologia textual
Tipologia textual
 
Resenha acadêmica
Resenha acadêmicaResenha acadêmica
Resenha acadêmica
 
Metodologia cientifica
Metodologia cientificaMetodologia cientifica
Metodologia cientifica
 
Aula 04 - O Projeto de Pesquisa
Aula 04 - O Projeto de PesquisaAula 04 - O Projeto de Pesquisa
Aula 04 - O Projeto de Pesquisa
 
Apresentação abnt citações
Apresentação abnt citaçõesApresentação abnt citações
Apresentação abnt citações
 
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURAAULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
 
Resenha crítica modelo
Resenha crítica   modeloResenha crítica   modelo
Resenha crítica modelo
 
Passos para a redação do enem
Passos para a redação do enemPassos para a redação do enem
Passos para a redação do enem
 
Estrutura+do+ensaio
Estrutura+do+ensaioEstrutura+do+ensaio
Estrutura+do+ensaio
 

Semelhante a Aula como elaborar um artigo científico

Aula de Como elaborar Artigo Cientifico.pptx
Aula de Como elaborar  Artigo Cientifico.pptxAula de Como elaborar  Artigo Cientifico.pptx
Aula de Como elaborar Artigo Cientifico.pptx
Pedro Luis Moraes
 
Finalidade de textos - 1 ANO.pptx
Finalidade de textos - 1 ANO.pptxFinalidade de textos - 1 ANO.pptx
Finalidade de textos - 1 ANO.pptx
ANNECAROLINEMORAESDE1
 
Artigo 1 leitura
Artigo 1 leituraArtigo 1 leitura
Artigo 1 leitura
madeixas1
 
Como elaborar trabalhos academicos
Como elaborar trabalhos academicosComo elaborar trabalhos academicos
Como elaborar trabalhos academicos
Sissa Siqueira
 
Artigo gislene bioenergética tcc temporário fevereiro 2013
Artigo gislene bioenergética tcc temporário fevereiro 2013Artigo gislene bioenergética tcc temporário fevereiro 2013
Artigo gislene bioenergética tcc temporário fevereiro 2013
Professora Gislene
 
812 1515-1-pb
812 1515-1-pb812 1515-1-pb
812 1515-1-pb
OTutorial2
 
Manual de generos_academicos_resenha_fic
Manual de generos_academicos_resenha_ficManual de generos_academicos_resenha_fic
Manual de generos_academicos_resenha_fic
Josane Souza
 
Resenha critica
Resenha criticaResenha critica
Resenha critica
andre pereira
 
Resenha critica
Resenha criticaResenha critica
Resenha critica
Marcelo Rony
 
Ao1375
Ao1375Ao1375
52150697 resenha-critica-abnt-o-trabalho-thau1
52150697 resenha-critica-abnt-o-trabalho-thau152150697 resenha-critica-abnt-o-trabalho-thau1
52150697 resenha-critica-abnt-o-trabalho-thau1
Péricles Oliveira
 
Tcc helena
Tcc helenaTcc helena
Tcc helena
Helena
 
Tipologia textual – noções básicas descrição,
Tipologia textual – noções básicas   descrição,Tipologia textual – noções básicas   descrição,
Tipologia textual – noções básicas descrição,
marcusunitau
 
Fichamento
FichamentoFichamento
Fichamento
Lxa Alx
 
1 artigo luis r oficio antrop
1  artigo luis r oficio antrop1  artigo luis r oficio antrop
1 artigo luis r oficio antrop
Ligia Soares
 
Como escrever um artigo cientifico - a estrutura do artigo científico
Como escrever um artigo cientifico - a estrutura do artigo científicoComo escrever um artigo cientifico - a estrutura do artigo científico
Como escrever um artigo cientifico - a estrutura do artigo científico
Cleberson Moura
 
psicopatologia-e-semiologia-dos-transtornos-mentais-paulo-dalgalarrondo.pdf
psicopatologia-e-semiologia-dos-transtornos-mentais-paulo-dalgalarrondo.pdfpsicopatologia-e-semiologia-dos-transtornos-mentais-paulo-dalgalarrondo.pdf
psicopatologia-e-semiologia-dos-transtornos-mentais-paulo-dalgalarrondo.pdf
AdrianaCirino
 
Saúde e doença: um olhar antropológico
Saúde e doença: um olhar antropológicoSaúde e doença: um olhar antropológico
Saúde e doença: um olhar antropológico
Flávia Rodrigues
 
Curso de Pós-Graduação em Adjunto de Medicina Estética
Curso de Pós-Graduação em Adjunto de Medicina EstéticaCurso de Pós-Graduação em Adjunto de Medicina Estética
Curso de Pós-Graduação em Adjunto de Medicina Estética
Elomar Barilli
 
Como nao escrever um artigo engenharia
Como nao escrever um artigo engenhariaComo nao escrever um artigo engenharia
Como nao escrever um artigo engenharia
Dionísio Carmo-Neto
 

Semelhante a Aula como elaborar um artigo científico (20)

Aula de Como elaborar Artigo Cientifico.pptx
Aula de Como elaborar  Artigo Cientifico.pptxAula de Como elaborar  Artigo Cientifico.pptx
Aula de Como elaborar Artigo Cientifico.pptx
 
Finalidade de textos - 1 ANO.pptx
Finalidade de textos - 1 ANO.pptxFinalidade de textos - 1 ANO.pptx
Finalidade de textos - 1 ANO.pptx
 
Artigo 1 leitura
Artigo 1 leituraArtigo 1 leitura
Artigo 1 leitura
 
Como elaborar trabalhos academicos
Como elaborar trabalhos academicosComo elaborar trabalhos academicos
Como elaborar trabalhos academicos
 
Artigo gislene bioenergética tcc temporário fevereiro 2013
Artigo gislene bioenergética tcc temporário fevereiro 2013Artigo gislene bioenergética tcc temporário fevereiro 2013
Artigo gislene bioenergética tcc temporário fevereiro 2013
 
812 1515-1-pb
812 1515-1-pb812 1515-1-pb
812 1515-1-pb
 
Manual de generos_academicos_resenha_fic
Manual de generos_academicos_resenha_ficManual de generos_academicos_resenha_fic
Manual de generos_academicos_resenha_fic
 
Resenha critica
Resenha criticaResenha critica
Resenha critica
 
Resenha critica
Resenha criticaResenha critica
Resenha critica
 
Ao1375
Ao1375Ao1375
Ao1375
 
52150697 resenha-critica-abnt-o-trabalho-thau1
52150697 resenha-critica-abnt-o-trabalho-thau152150697 resenha-critica-abnt-o-trabalho-thau1
52150697 resenha-critica-abnt-o-trabalho-thau1
 
Tcc helena
Tcc helenaTcc helena
Tcc helena
 
Tipologia textual – noções básicas descrição,
Tipologia textual – noções básicas   descrição,Tipologia textual – noções básicas   descrição,
Tipologia textual – noções básicas descrição,
 
Fichamento
FichamentoFichamento
Fichamento
 
1 artigo luis r oficio antrop
1  artigo luis r oficio antrop1  artigo luis r oficio antrop
1 artigo luis r oficio antrop
 
Como escrever um artigo cientifico - a estrutura do artigo científico
Como escrever um artigo cientifico - a estrutura do artigo científicoComo escrever um artigo cientifico - a estrutura do artigo científico
Como escrever um artigo cientifico - a estrutura do artigo científico
 
psicopatologia-e-semiologia-dos-transtornos-mentais-paulo-dalgalarrondo.pdf
psicopatologia-e-semiologia-dos-transtornos-mentais-paulo-dalgalarrondo.pdfpsicopatologia-e-semiologia-dos-transtornos-mentais-paulo-dalgalarrondo.pdf
psicopatologia-e-semiologia-dos-transtornos-mentais-paulo-dalgalarrondo.pdf
 
Saúde e doença: um olhar antropológico
Saúde e doença: um olhar antropológicoSaúde e doença: um olhar antropológico
Saúde e doença: um olhar antropológico
 
Curso de Pós-Graduação em Adjunto de Medicina Estética
Curso de Pós-Graduação em Adjunto de Medicina EstéticaCurso de Pós-Graduação em Adjunto de Medicina Estética
Curso de Pós-Graduação em Adjunto de Medicina Estética
 
Como nao escrever um artigo engenharia
Como nao escrever um artigo engenhariaComo nao escrever um artigo engenharia
Como nao escrever um artigo engenharia
 

Mais de Ludmila Moura

RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS
RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAISRELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS
RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS
Ludmila Moura
 
Tribos urbanas
Tribos urbanasTribos urbanas
Tribos urbanas
Ludmila Moura
 
Aula 1 antropologia
Aula 1   antropologiaAula 1   antropologia
Aula 1 antropologia
Ludmila Moura
 
Aula 2 evolucionismo
Aula 2   evolucionismoAula 2   evolucionismo
Aula 2 evolucionismo
Ludmila Moura
 
Aula 3 cultura e etnocentrismo
Aula 3   cultura e etnocentrismoAula 3   cultura e etnocentrismo
Aula 3 cultura e etnocentrismo
Ludmila Moura
 
Aula 4 cultura e comunicação simbólica
Aula 4  cultura e comunicação simbólicaAula 4  cultura e comunicação simbólica
Aula 4 cultura e comunicação simbólica
Ludmila Moura
 
O líder e sua equipe - um caso de amor
O líder e sua equipe - um caso de amorO líder e sua equipe - um caso de amor
O líder e sua equipe - um caso de amor
Ludmila Moura
 
Tomada de decisão, planejamento, negociação e delegação
Tomada de decisão, planejamento, negociação e delegaçãoTomada de decisão, planejamento, negociação e delegação
Tomada de decisão, planejamento, negociação e delegação
Ludmila Moura
 
A psicologia da Gestalt - histórico e princípios
A psicologia da Gestalt - histórico e princípiosA psicologia da Gestalt - histórico e princípios
A psicologia da Gestalt - histórico e princípios
Ludmila Moura
 
Gestão de equipes e sistema de Liderança
Gestão de equipes e sistema de LiderançaGestão de equipes e sistema de Liderança
Gestão de equipes e sistema de Liderança
Ludmila Moura
 
Gestão de equipes e sistema de Liderança
Gestão de equipes e sistema de LiderançaGestão de equipes e sistema de Liderança
Gestão de equipes e sistema de Liderança
Ludmila Moura
 
TEORIAS DA MOTIVAÇÃO
TEORIAS DA MOTIVAÇÃOTEORIAS DA MOTIVAÇÃO
TEORIAS DA MOTIVAÇÃO
Ludmila Moura
 
Aula INTRODUÇÃO À PSICANÁLISE
Aula  INTRODUÇÃO À PSICANÁLISEAula  INTRODUÇÃO À PSICANÁLISE
Aula INTRODUÇÃO À PSICANÁLISE
Ludmila Moura
 
Aula 2 O Behaviorismo - uma proposta de estudo do comportamento
Aula 2   O Behaviorismo - uma proposta de estudo do comportamentoAula 2   O Behaviorismo - uma proposta de estudo do comportamento
Aula 2 O Behaviorismo - uma proposta de estudo do comportamento
Ludmila Moura
 
Aula 3 behaviorismos
Aula 3   behaviorismosAula 3   behaviorismos
Aula 3 behaviorismos
Ludmila Moura
 
A representação de brinquedoteca por alunos de Psicologia
A representação de brinquedoteca por alunos de PsicologiaA representação de brinquedoteca por alunos de Psicologia
A representação de brinquedoteca por alunos de Psicologia
Ludmila Moura
 
A hora de jogo diagnóstica
A hora de jogo diagnósticaA hora de jogo diagnóstica
A hora de jogo diagnóstica
Ludmila Moura
 
Adoção fatores de risco e proteção
Adoção  fatores de risco e proteçãoAdoção  fatores de risco e proteção
Adoção fatores de risco e proteção
Ludmila Moura
 
Estilos parentais e práticas educativas
Estilos parentais e práticas educativasEstilos parentais e práticas educativas
Estilos parentais e práticas educativas
Ludmila Moura
 

Mais de Ludmila Moura (19)

RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS
RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAISRELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS
RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS
 
Tribos urbanas
Tribos urbanasTribos urbanas
Tribos urbanas
 
Aula 1 antropologia
Aula 1   antropologiaAula 1   antropologia
Aula 1 antropologia
 
Aula 2 evolucionismo
Aula 2   evolucionismoAula 2   evolucionismo
Aula 2 evolucionismo
 
Aula 3 cultura e etnocentrismo
Aula 3   cultura e etnocentrismoAula 3   cultura e etnocentrismo
Aula 3 cultura e etnocentrismo
 
Aula 4 cultura e comunicação simbólica
Aula 4  cultura e comunicação simbólicaAula 4  cultura e comunicação simbólica
Aula 4 cultura e comunicação simbólica
 
O líder e sua equipe - um caso de amor
O líder e sua equipe - um caso de amorO líder e sua equipe - um caso de amor
O líder e sua equipe - um caso de amor
 
Tomada de decisão, planejamento, negociação e delegação
Tomada de decisão, planejamento, negociação e delegaçãoTomada de decisão, planejamento, negociação e delegação
Tomada de decisão, planejamento, negociação e delegação
 
A psicologia da Gestalt - histórico e princípios
A psicologia da Gestalt - histórico e princípiosA psicologia da Gestalt - histórico e princípios
A psicologia da Gestalt - histórico e princípios
 
Gestão de equipes e sistema de Liderança
Gestão de equipes e sistema de LiderançaGestão de equipes e sistema de Liderança
Gestão de equipes e sistema de Liderança
 
Gestão de equipes e sistema de Liderança
Gestão de equipes e sistema de LiderançaGestão de equipes e sistema de Liderança
Gestão de equipes e sistema de Liderança
 
TEORIAS DA MOTIVAÇÃO
TEORIAS DA MOTIVAÇÃOTEORIAS DA MOTIVAÇÃO
TEORIAS DA MOTIVAÇÃO
 
Aula INTRODUÇÃO À PSICANÁLISE
Aula  INTRODUÇÃO À PSICANÁLISEAula  INTRODUÇÃO À PSICANÁLISE
Aula INTRODUÇÃO À PSICANÁLISE
 
Aula 2 O Behaviorismo - uma proposta de estudo do comportamento
Aula 2   O Behaviorismo - uma proposta de estudo do comportamentoAula 2   O Behaviorismo - uma proposta de estudo do comportamento
Aula 2 O Behaviorismo - uma proposta de estudo do comportamento
 
Aula 3 behaviorismos
Aula 3   behaviorismosAula 3   behaviorismos
Aula 3 behaviorismos
 
A representação de brinquedoteca por alunos de Psicologia
A representação de brinquedoteca por alunos de PsicologiaA representação de brinquedoteca por alunos de Psicologia
A representação de brinquedoteca por alunos de Psicologia
 
A hora de jogo diagnóstica
A hora de jogo diagnósticaA hora de jogo diagnóstica
A hora de jogo diagnóstica
 
Adoção fatores de risco e proteção
Adoção  fatores de risco e proteçãoAdoção  fatores de risco e proteção
Adoção fatores de risco e proteção
 
Estilos parentais e práticas educativas
Estilos parentais e práticas educativasEstilos parentais e práticas educativas
Estilos parentais e práticas educativas
 

Último

Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 

Último (20)

Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 

Aula como elaborar um artigo científico

  • 1. COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO Profª LUDMILA DE MOURA 2014
  • 2.  “Artigo científico é parte de uma publicação com autoria declarada, que apresenta e discute ideias, métodos, técnicas, processos e resultados nas diversas áreas do conhecimento.” (ABNT. NBR 6022, 2003, p. 2)  Para Lakatos e Marconi (1991) os artigos científicos têm as seguintes características:  não se constituem em matéria de um livro;  são publicados em revistas ou periódicos especializados;  permitem ao leitor, por serem completos, repetir a experiência.
  • 3. ESTRUTURA DE UM ARTIGO CIENTÍFICO TÍTULO (e subtítulo, se houver) AUTOR(ES) RESUMO PALAVRAS-CHAVE Identificação breve do(s) autor(es), como nome, email e instituição, em nota(s) de rodapé. - RESUMO EM LÍNGUA ESTRANGEIRA: Abstract (inglês - obrigatório). Conforme a revista, pode exigir também em Espanhol e/ou Francês.
  • 4. RESUMO  Deve ser o último tópico a ser redigido, quando não vai haver mais alteração no texto.  Pode ser feito copiando-se frases já escritas no corpo do artigo.  Procure escrevê-lo de forma a que o leitor interesse-se por ler o texto completo.  “É mera apresentação condensada do texto de uma publicação ou suas principais ideias, sem emissão de juízo de valor” (SALVADOR, 1980, p. 16).
  • 5. RESUMO  Deve conter frases de todas os tópicos e subdivisões do artigo, de modo a tornar claro o assunto estudado, como Introdução, Objetivo(s), Método, Resultados, Discussão, (ou Resultados e Discussão), Considerações finais (ou Conclusões).  Não deve conter citações.  Esses termos podem ou não vir escritos no Resumo, dependendo da norma da Revista.  Escrito em um parágrafo único.  Em torno de 250 palavras, de acordo com a norma da Revista.
  • 6. PALAVRAS-CHAVE  Palavras que representam o conteúdo do texto.  De 3 a 5 palavras (depende da Revista), separadas por ponto.  Também chamadas de Descritores.  Escolha palavras que você já encontra na literatura.  Observe os termos usados nos artigos pesquisados.  Servem para que os artigos do mesmo tema sejam encontrados quando da busca na internet.
  • 7. CORPO DO ARTIGO  INTRODUÇÃO: apresentação do assunto, objetivo, método, limitações e proposição.  TEXTO: exposição, explicação e demonstração do material; avaliação dos resultados e comparação com obras anteriores.  CONSIDERAÇÕES FINAIS (ou Conclusões): dedução lógica, baseada e fundamentada no texto, de forma resumida.
  • 8. ARTIGO DE REVISÃO (EXEMPLO)  TÍTULO  Sentimentos e experiências na vida das mulheres com câncer de mama  Autor(es)  Carolina Pasquote Vieira, Maria Helena Baena de Moraes Lopes2, Antonieta Keiko Kakuda Shimo3  RESUMO  Identificar os sentimentos e as experiências relaciona dos ao câncer de mama torna-se importante para que as pessoas de seu convívio social compreendam essa etapa da vida da mulher. Uma revisão da literatura foi realizada buscando identificar quais são os pensamentos e os sentimentos mais comuns experimentados pelas mulheres depois do diagnóstico de câncer de mama. Foi realizada por meio de busca bibliográfica no LILACS e MEDLINE, e as palavras-chave utilizadas foram: breast, câncer, feeling, female, representações, sentimentos. Conteúdos do câncer foram abordados, como o significado da doença e suas implicações para a vida emocional e social da mulher. Concluiu-se que as experiências relacionadas ao câncer de mama têm um âmbito muito individual, tendo representações diferenciadas para cada mulher.  Palavras-chave (ou Descritores): Neoplasias mamárias. Emoções. Relações interpessoais.  1 Instituição; e-mail:  2 Instituição; e-mail:  3 Instituição; e-mail:
  • 9. INTRODUÇÃO  Para que o leitor tenha uma visão geral do tema abordado, de modo geral, deve apresentar:  o assunto objeto de estudo;  o ponto de vista sob o qual o assunto foi abordado;  trabalhos anteriores que abordam o mesmo tema;  as justificativas que levaram a escolha do tema,  o problema de pesquisa,  a hipótese de estudo,  (GUSMÃO; MIRANDA 1997 apud RELATÓRIO... [2011]).  Tamanho de mais ou menos 6 parágrafos.
  • 10. INTRODUÇÃO  Compreender as representações que as mulheres acometidas pelo câncer de mama têm acerca de sua doença é algo considerado extremamente relevante. Esta revisão bibliográfica é parte constituinte de um projeto de mestrado, de maior amplitude, que está sendo realizado com o objetivo de entender as crenças que uma equipe de enfermagem tem sobre o cuidado com mulheres com câncer. Portanto, para uma melhor apreensão destas crenças, e dos comportamentos das enfermeiras, inicialmente se faz necessário compreender o perfil das mulheres acometidas pelo câncer de mama, o que sentem acerca de seu diagnóstico e os aspectos psicossociais envolvidos nesse processo. Como o câncer feminino pode se manifestar em diferentes órgãos, foi necessário optar por apenas uma de suas categorias para que este trabalho pudesse ser realizado com êxito.  [...]  Portanto, o câncer de mama precisa ser pensado em toda essa amplitude. A mulher acometida por essa doença não tem apenas o seu corpo modificado, mas também a sua imagem corporal e diferentes aspectos da sua vida social e afetiva.
  • 11. OBJETIVOS  Iniciar sempre com verbo no infinitivo:  - analisar, investigar, levantar,  Pode vir como parágrafo no final da Introdução ou em tópico separado.  Identificar quais são os pensamentos e os sentimentos mais comuns vivenciados por mulheres depois do diagnóstico de câncer de mama.
  • 12. MÉTODO  Trata-se de uma revisão da literatura acerca dos aspectos emocionais e sociais que envolvem desde a descoberta do câncer de mama até a possível vivência da mastectomia.  DEVE INCLUIR:  PERÍODO PESQUISADO;  As buscas bibliográficas foram realizadas privilegiando os últimos cinco anos (1999-2003), porém três artigos científicos encontrados fora deste período foram utilizados por serem de grande relevância para a elaboração do texto.  BANCO DE DADOS (SITES) E LIVROS OU CAPÍTULOS DE LIVROS  As referências encontram-se indexadas na LILACS e MEDLINE, tendo sido incluídas apenas as apresentadas na língua portuguesa, inglesa e espanhola.  PALAVRAS-CHAVE (DESCRITORES)  As palavras–chave utilizadas foram: “breast”, “câncer”, “feeling”, “female”, câncer, mama, representações, sentimentos.  CRITÉRIOS DE INCLUSÃO E DE EXCLUSÃO DE ARTIGOS  Quatro textos utilizados não estão indexados nas bases citadas acima, mas encontram-se disponíveis no acervo da biblioteca da UNICAMP, tendo sido encontrados através de buscas na página eletrônica da universidade.  Duzentos e cinquenta e seis artigos foram encontrados, adotando-se, portanto, alguns critérios de exclusão. Os textos que se referiam a algum lugar específico foram desconsiderados, devido à relevância dada aos aspectos culturais envolvidos (ex: mulheres de Berlim), bem como aqueles que se referiam a uma etnia específica (ex: mulheres negras). Aqueles em que o enfoque era sobre a família também foram desconsiderados, já que o objetivo é compreender a mulher acometida pela doença. Cento e trinta artigos da literatura médica foram encontrados, com explicações sobre a doença, algumas alternativas de tratamentos e medidas preventivas, como exames mamários e práticas de terapias alternativas. Estes, bem como os textos de prevenção e ações de controle foram excluídos. Artigos que continham relatos apenas de uma determinada faixa etária (ex: mulheres idosas) também foram desconsiderados, já que as análises dos mesmos faziam referência a aspectos específicos das etapas de vida, com características muito peculiares.Alguns artigos inicialmente selecionados não foram incluídos devido à dificuldade de acesso, por não serem localizados pelo COMUT e também não estarem disponíveis em sua íntegra na BIREME.
  • 13. MÉTODO  Somente foram analisados os textos disponíveis nas bibliotecas da UNICAMP e aqueles que se encontram disponíveis na Internet. Foram encontrados disponíveis por estes recursos (on-line e biblioteca da universidade) 29 textos, e destes, 16 foram selecionados para a elaboração do presente trabalho. Dois livros foram utilizados devido à sua importância para a elaboração de alguns conceitos específicos, e ambos encontram-se disponíveis na biblioteca da universidade.  Durante a leitura dos artigos, pôde-se identificar alguns aspectos sobre o câncer de mama sendo tratados sob diferentes enfoques. Os textos foram analisados e as categorias seguintes puderam ser elaboradas, a fim de facilitar a compreensão e apreensão dos conteúdos relevantes.
  • 14. RESULTADOS E DISCUSSÃO  Os textos encontrados na revisão devem vir apresentados e analisados após o Método, pois são os “resultados” de seu trabalho.  É como se seus “sujeitos” da pesquisa fossem os autores dos artigos encontrados.  ATENÇÃO:  O subtítulo Resultados e Discussão pode ser omitido, quando se trata de artigo de revisão de literatura, indo diretamente às categorias analisadas.  Estar doente  Quando se pensa em doença, independente do órgão acometido e dos efeitos causados no organismo pela mesma, há um conjunto de sentimentos que se encontram diretamente associados. O momento em que uma pessoa recebe um diagnóstico geralmente é decisivo em sua vida, porque a partir de então, tem a possibilidade de reformular aspectos importantes de sua vida(5).  [...]
  • 15. RESULTADOS E DISCUSSÃO  O câncer de mama: questões da identidade feminina  Quando se descobre com câncer de mama, a mulher adquire uma nova identidade(8). Isso porque o seio é o órgão do corpo feminino que está associado ao prazer e à vida. É ele que fornece leite após a gestação, sendo fonte de alimento para seu bebê. Normalmente, é um símbolo de valor, sendo insubstituível nos caso em que ocorrem perdas(9). O seio é também um símbolo de fertilidade e saúde e durante todas as etapas da vida da mulher, desde a infância, puberdade, até a vida adulta, é o órgãoque está mais relacionado à questão da feminilidade(10).  [...]  Sentimentos mais frequentes  O fato de o próprio indivíduo ser responsável pelo desenvolvimento do câncer é algo diretamente associado às suas vivências, e à qualidade das experiências de vida que estabelece(10).  [...]  Os aspectos psicossociais do câncer de mama  Muitas construções culturais acerca do diagnóstico da doença ainda fazem com que a mulher sinta que está recebendo uma sentença de morte. Surgem então o medo de ser mutilada, o medo de rejeição, dentre outros. As representações associadas ao câncer são, na sua grande maioria negativas, e associadas a algo cruel, destrutivo. As diferenças sentidas pela mulher não são apenas no nível corporal, mas também no convívio social, abrangendo família, amigos e trabalho(10). Por isso, é importante para a mulher sentir que tem uma rede de apoio social, que não a permite desistir, e que torna mais fácil o enfrentamento da doença. Normalmente  a família ocupa esse lugar(8).  [...]
  • 16. CONSIDERAÇÕES FINAIS  as conclusões devem responder às questões da pesquisa, correspondentes aos objetivos e hipóteses;  devem ser breve podendo apresentar recomendações e sugestões para trabalhos futuros;
  • 17. CONSIDERAÇÕES FINAIS  Constatou-se que há, na literatura nacional e internacional uma quantidade vasta de artigos científicos publicados a respeito do câncer de mama. No entanto, quando se busca a abordagem emocional e os aspectos sociais envolvidos neste processo, os estudos tornam-se menos frequentes e mais difíceis de serem encontrados. Vê-se uma grande necessidade do desenvolvimento maior do tema, já que para se obter uma compreensão acerca das mulheres com câncer de mama, estas precisam ser consideradas em sua integralidade. A doença tem que ser compreendida em sua amplitude, levando-se em consideração que todo ser humano é um ser biopsicossocial. É necessário que mais estudos sejam realizados sob outros enfoques da doença, além da abordagem médica. Os aspectos emocionais envolvidos em todo o processo da doença, desde a descoberta, até a decisão e realização dos tratamentos, são muito importantes na compreensão do que está acontecendo fisicamente na mulher.  [...]
  • 18. REFERÊNCIAS  ABNT. NBR 14724: informação e documentação: trabalhos acadêmicos: apresentação. Rio de Janeiro, 2002. 6 p.  LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos de metodologia cientÍfica. 3. ed. rev. e ampl. São Paulo: Atlas, 1991. 270 p.  RELATÓRIO final de projetos de pesquisa: modelo de apresentação de artigo científico. Disponível em: <http://www.cav.udesc.br/anexoI.doc.>. Acesso em: 14/10/2011.
  • 19. APÊNDICE(S)  Elemento opcional.  “Texto ou documentoelaborado pelo autor a fim de complementar o texto principal” (NBR 14724, 2002, p. 2).
  • 20. ANEXO(S)  h) anexos: Elemento opcional, “texto ou documento não  elaborado pelo autor, que serve de fundamentação,  comprovação e ilustração.” (NBR 14724, 2002, p. 2);
  • 21.  Agradecimentos  Data de entrega dos originais para publicação.