SlideShare uma empresa Scribd logo
Curso de Extensão
Aula 2 - Revisão da Lei 9656/98
17/05/2013
ANS – Saúde Suplementar
No Brasil
Art. 1o Submetem-se às disposições desta Lei
as pessoas jurídicas de direito privado que
operam planos de assistência à saúde, sem
prejuízo do cumprimento da legislação
específica que rege a sua atividade, adotando-
se, para fins de aplicação das normas aqui
estabelecidas.
LEI NR 9656 DE 03 DE JUNHO DE 1998
MODALIDADES DO CONTRATO
* Ambulatorial
* Hospitalar
* Com Obstetrícia ou sem Obstetrícia
* Odontológico
* Padrão de acomodação
* UTI móvel e UTI no ar
Plano Ambulatorial
Compreende a cobertura de consultas em
Número ilimitado, exames complementares e
outros procedimentos realizados
em ambulatórios, consultórios e clínicas. Cobre
também atendimentos e procedimentos
caracterizados como urgência e emergência até
as primeiras 12 horas. Não abrange internações.
Plano Hospitalar sem Obstetrícia – compreende
atendimento em unidade hospitalar com
número ilimitado de diárias, inclusive em UTI,
transfusões, quimioterapia e radioterapia entre
outros, necessários durante o período de
internação. Inclui também os atendimentos
caracterizados como de urgência e emergência
que evoluírem para internação ou que sejam
necessários à preservação da vida, órgãos e
funções.
Plano Hospitalar com Obstetrícia – Acresce ao
Plano Hospitalar sem Obstetrícia, a cobertura de
consultas, exames e procedimentos relativos ao
pré-natal, assistência ao parto e ao recém-
nascido durante os primeiros 30 dias de vida.
Garante também a inscrição do recém-nascido
como dependente, isento do cumprimento de
carência, desde que a sua inscrição ocorra no
prazo máximo de 30 dias após o nascimento.
Plano Odontológico - Compreende a cobertura
de procedimentos odontológicos realizados em
consultório, incluindo endodontia, periodontia,
exames radiológicos e cirurgias orais menores
realizadas em nível ambulatorial sob anestesia
local.
Procedimentos cobertos
Consultas, Exames, Internações e cirurgias de
acordo com o plano de contratado.
Para conhecer a listagem completa de
procedimentos com cobertura obrigatória para os
consumidores de Planos Novos e Adaptados, você
pode consultar o Rol de Procedimentos Médicos,
que está disponível no Disque-ANS (0800-701-9656)
e em www.ans.gov.br/legislação.
EXCLUSÕES PARA TODOS OS TIPOS DE PLANOS
Procedimentos que, de acordo com a Lei 9656/98, não são obrigatoriamente
cobertos pelas operadoras de planos de saúde:
* transplantes, à exceção de córnea e rim;
* tratamento clínico ou cirúrgico experimental;
* procedimentos clínicos ou cirúrgicos para fins estéticos;
* fornecimento de órteses, próteses e seus acessórios, não ligados ao ato cirúrgico ou
para fins estéticos;
* fornecimento de medicamentos importados, não nacionalizados (fabricados e
embalados no exterior);
* fornecimento de medicamentos para tratamento domiciliar;
* inseminação artificial;
* tratamentos ilícitos, antiéticos ou não reconhecidos pelas autoridades competentes;
casos de cataclismos, guerras e comoções internas declaradas pelas autoridades
competentes.
Modalidade Geográfica de Cobertura
Cobertura:
• Local
(Município e Estado)
• Nacional
• Internacional
• Regional
Tipos de Contratação:
Com base no tipo de contratação, um plano de
saúde é coletivo ou individual. Os planos de
contratos coletivos são destinados a grupos
determinados, através de pessoas jurídicas
(empresas, associações e sindicatos) e têm
algumas regras diferenciadas dos planos de
contratos individuais, como por exemplo, o
aumento de mensalidade e a rescisão
contratual.
• Coletivo Empresarial;
• Coletivo por Adesão;
(carência zero p/ mais de 30 pessoas, cobertura para parto
obrigatória)
• Plano Individual e plano familiar.
Vigência do Contrato
O início da vigência do contrato será a partir da
data da adesão, ou da assinatura do contrato, ou
da data de pagamento da mensalidade inicial, o
que ocorrer em primeiro lugar.
Carência
Carência é o período de tempo em que o
consumidor, mesmo após a contratação do
plano, não tem direito ao atendimento a
algumas coberturas. Quando a operadora exigir
cumprimento de carência, este deve estar
obrigatoriamente expresso, de forma clara, no
contrato.
Os prazos máximos de carência estabelecidos na
legislação são:
• urgência e emergência - 24 horas;
• parto a termo - 300 dias;
• demais casos (consultas, exames,
internações, cirurgias) - 180 dias.
• Doenças e Lesões pré-existentes – 24 meses
É expressamente proibida a recontagem de
carência, numa mesma operadora, para os procedimentos
que o consumidor já tenha cumprido
carência.
COMPRA DE CARÊNCIA
Em uma nova contratação, o aproveitamento
dos períodos de carência já cumpridos pelo
consumidor em outra operadora dependerá de
negociação entre as partes. Portanto, se for
oferecida a “compra de carência”, exija que a
redução ou isenção esteja prevista em contrato
ou aditivo contratual. Deve-se observar que as
“compras” de carência, em geral, não excluem a
exigência da cobertura parcial temporária para
as doenças e lesões preexistentes.
Doenças e lesões preexistentes
Doenças e lesões preexistentes - DLP – são aquelas que
o consumidor ou seu responsável saiba ser portador ou
sofredor, à época da contratação do plano de saúde.
No momento da contratação, quando solicitado, O
consumidor deve informar à operadora sobre as
doenças e lesões de seu conhecimento, para que lhe
possam ser oferecidas opções de acordo com as regras
legais.
É importante ressaltar que a omissão de informações
pode levar ao cancelamento do contrato por parte da
operadora.
Para saber se o consumidor é portador de doenças ou
lesões preexistentes, a operadora poderá exigir, no
momento da contratação, o preenchimento de uma
declaração de saúde. Esta consiste em um formulário,
elaborado pela operadora, para registro de informações
sobre as doenças ou lesões que o consumidor seja
portador ou sofredor, e das quais tenha conhecimento
no momento da contratação, com relação a si e a todos
os dependentes integrantes de seu contrato.
Fraude no Preenchimento da
Declaração de Saúde
No ato da contratação, o consumidor fica obrigado a informar
à operadora, quando expressamente solicitado por meio da
declaração de saúde, as doenças ou lesões preexistentes de
que saiba ser portador. A omissão da informação é
considerada fraude e poderá acarretar a suspensão ou
rescisão do contrato.
As opções para o Consumidor com
Doenças ou Lesões Preexistentes
Agravo
É um acréscimo no valor da mensalidade do
plano de saúde do portador de DLP. Esse
acréscimo será proporcional à cobertura de
eventos cirúrgicos, leitos de alta tecnologia e
procedimentos de alta complexidade
relacionados à doença ou lesão preexistente
Cobertura Parcial Temporária
Caracteriza-se por um período de até 24 meses,
estabelecido em contrato, durante o qual as
doenças e lesões preexistentes declaradas pelo
consumidor não têm cobertura integral. Neste
período, pode haver exclusão da cobertura de
eventos cirúrgicos, leitos de alta tecnologia e
procedimentos de alta complexidade relacionados
diretamente às doenças ou lesões preexistentes.
Crianças Nascidas de Partos Cobertos pela Operadora
Às crianças nascidas de parto coberto pela operadora, não
caberá qualquer alegação de doença ou lesão preexistente,
sendo-lhes garantida a assistência
durante os 30 primeiros
dias de vida dentro da cobertura
do plano do titular, assim
como estará garantida a sua
inscrição na operadora sem
a necessidade de cumprimento
de qualquer período de carência ou de cobertura parcial
temporária ou agravo.
Reembolso de Despesas
É garantido o reembolso de despesas efetuadas
pelo consumidor , quando não for possível a
utilização dos serviços oferecidos pela operadora,
nos limites das obrigações contratuais. O reembolso
deverá ser efetuado no prazo máximo de 30 dias
após a entrega da documentação adequada. O
valor a ser reembolsado ao consumidor deverá ser,
no mínimo, aquele que a operadora pagaria para a
rede credenciada se esta fosse utilizada.
CBHPM
Remoção do Paciente
A operadora deverá garantir a cobertura de
remoção, após realizados os atendimentos
classificados como de urgência e emergência,
quando caracterizada, pelo médico assistente, a
falta de recursos oferecidos pelo hospital para a
continuidade do atendimento ao consumidor.
Formação de Preço
• Registro na ANS do plano e autorização de
valor a ser cobrado. (garantias financeiras)
• Autorização de correção de valor anual
(reajuste do plano antigo)
• Obedecer as faixas etárias, as regras de cada
grupo, e as modalidades;
Faixas etárias
0 a 18 anos
19 a 23 anos
24 a 28 anos
29 a 33 anos
34 a 38 anos
39 a 43 anos
44 a 48 anos
49 a 53 anos
54 a 58 anos
59 anos ou mais
Normativa (RN 63), publicada pela ANS em
dezembro de 2003, determina, ainda, que o
valor fixado para a última faixa etária (59 anos
ou mais) não pode ser superior a seis vezes o
valor da primeira faixa (0 a 18).
A ANS E O EQUILÍBRIO DO SETOR
A ANS foi constituída com a missão de promover a defesa do interesse
público na assistência suplementar à saúde pela regulação e fiscalização do
setor, das relações das operadoras setoriais com prestadores de serviços de
saúde e com usuários de planos de saúde, para o desenvolvimento das ações
de saúde no país.
Intervalo ????
Prof. Marcelo Vermudt
Curso de Extensão
Aula 1 - 17/05/2013
Noções Básicas em Administração
de Plano de Saúde
Bombeiro, PM, PAF ...
Plano de Acre e as modalidades
credenciadas.
• Plano referência;
• Cobertura Total;
• Com participação; (fator)
• Cartão de Desconto (sem registro na ANS)
Padrão de acomodação e modalidade de
atendimento. (ambulatorial e hospitalar)
Credenciamento Médico
Área Administrativa responsável em credenciar
novos médicos e realizar o relacionamento com
os mesmos, resolver problemas no contrato,
atendimento e negociações.
A maioria dos contratos são realizados com base
na Tabela CBHPM.
As pessoas físicas necessitam encaminhar currículo
atualizado, diploma de nível superior e alvará de
funcionamento do consultório. Já as pessoas
jurídicas que quiserem se credenciar devem
apresentar o relatório da vistoria técnica da
entidade (hospital, clínica ou consultório), a
inscrição no Cadastro Nacional de Estabelecimento
de Saúde (CNES), o alvará de vigilância sanitária e
de funcionamento, dentre outros documentos.
Também é levada em conta, ainda, a
disponibilidade de outros profissionais da mesma
especialidade já credenciados, na mesma região.
CBHPM – Classificação Brasileira
Hierarquizada de Procedimentos Médicos
Quem fez?
• FIPE – Fundação de Pesquisa Econômica da
USP
• AMB – Associação Médica Brasileira
• CFM – Conselho Federal de Medicina
• FENAM – Federação nacional de Médicos
Para quê fez?
• Substituir a tabela AMB 92 e LPM de 1996
• Relacionar procedimentos
• Incorporar novas tecnologias
• Estabelecer parâmetro de pagamento por portes levando
em consideração a complexidade, técnica e tecnologia
empregadas
• Corrigir discrepância entre atos médicos e
especialidades.
Procedimentos médicos - Pontuação
• Identificação dos procedimentos: 14 portes e
3 subportes (A, B e C)
– 1A; 1B; 3C;
• Identificação dos procedimentos anestésicos:8
portes
Codificação
• 7 dígitos + dígito verificador
• C. GG. PP. SS – D
– C = CAPÍTULO
– GG = GRUPO ou MACRO REGIÃO
– PP = SUBGRUPO OU MICRO REGIÃO
– SS = SERVIÇO
– D = DÍGITO
Capítulos
• 1 – Procedimentos gerais
• 2 – Procedimentos clínicos
• 3 – Procedimentos cirúrgicos invasivos
• 4 – Procedimentos intervencionistas
(diagnósticos e terapêuticos)
Capítulo 1 – Procedimentos gerais
C. GG. PP. SS – D
Cap. Grupo. Subgrupo
• Em consultório
• Em Pronto Socorro
• Domiciliar
• Visita hospitalar
– Escolha voluntária de acomodação superior = negociação
– Operadora oferta plano com acomodação individual = 2x
• Intensivista (diarista)
• Intensivista (plantonista)
• Pediatra na sala de parto e berçário
Cap 1 –
C. GG. PP. SS – D
Cap. Grupo. Subgrupo (1. 01. ....)
• Procedimento Geral = Cap. 1
• GG = Grupo (consulta 01) = 1.01
• PP = Subgrupo (serviços)
– 1.01.01..... = Consultas
– 1.01.02..... = Visitas
– 1.01.03..... = Recém nascido
– 1.01.04..... = UTI
– 1.01.05..... = Remoção
– 1.01.06..... = Outros
Capítulo 2 – Procedimentos clínicos
C. GG. PP. SS – D
Cap. Grupo. Subgrupo
• 2. 01. ... Procedimentos ambulatoriais
– 01 – Avaliações/Acompanhamentos: avaliação dieta enteral, parenteral,
avaliação nutricional
– 02 – Monitorizações: Holter, MAPA
– 03 – Reabilitação (Fisioterapia)
– 04 – Terapêuticos: curativos, cerume, QT, cateterismo vesical
• 2. 02. ... Procedimentos hospitalares
– 01 - Avaliações/Acompanhamentos
– 02 - Monitorizações
– 03 - Reabilitação (Fisioterapia)
– 04 – Terapêuticos: QT, cardioversão elétrica, tratamento de suporte à QT
VALORES REFERENCIAIS DE PORTES
DA 5a. EDIÇÃO DA CBHPM
FONTE: ASSOCIAÇÃO MÉDICA
BRASILEIRA - REF. Outubro/2009
Como CALCULAR ?
VALOR DO PORTE + CUSTO UCO
A UCO-Unidade de Custo Operacional, ela é uma
referência para remuneração ao prestador
(laboratório, hospital ou clínica) dos custos de
execução dos procedimentos, que incorpora, entre
outros custos, depreciação de equipamentos,
manutenção, mobiliário, imóvel, aluguéis e folha de
pagamento sendo o seu valor correspondente em
Reais estipulado pelo convênio
CONSULTAR A EDIÇÃO ATUAL DA
CBHPM

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula qualidade
Aula qualidadeAula qualidade
Aula qualidade
Ramos, Luiz Ramos
 
Departamento legal
Departamento legalDepartamento legal
Departamento legal
HS CONTÁBIL LTDA
 
Exercícios de terminologia cirúrgica
Exercícios de terminologia cirúrgicaExercícios de terminologia cirúrgica
Exercícios de terminologia cirúrgica
joselene beatriz
 
Analgesia multimodal 2013
Analgesia multimodal 2013Analgesia multimodal 2013
Analgesia multimodal 2013
Smith & Nephew
 
Jose_Clemente_PTS
Jose_Clemente_PTSJose_Clemente_PTS
Jose_Clemente_PTS
comunidadedepraticas
 
Aula do centro cirurgico
Aula do centro cirurgicoAula do centro cirurgico
Aula do centro cirurgico
Zeca Ribeiro
 
Cipe versão 2.0 - enfermagem
Cipe versão 2.0 - enfermagem Cipe versão 2.0 - enfermagem
Cipe versão 2.0 - enfermagem
André Fidelis
 
Desafios do SUS
Desafios do SUS Desafios do SUS
Aerossolterapia
AerossolterapiaAerossolterapia
Aerossolterapia
Alexandre Donha
 
Introducao a farmacologia
Introducao a farmacologiaIntroducao a farmacologia
Introducao a farmacologia
Regia Taline
 
Programa melhor em casa
Programa melhor em casaPrograma melhor em casa
Programa melhor em casa
Anielle Alves
 
Anestesia sedacao
Anestesia   sedacaoAnestesia   sedacao
Apresentação sus
Apresentação susApresentação sus
Apresentação sus
ismar26
 
Aula saude do idoso
Aula saude do idosoAula saude do idoso
Aula saude do idoso
morgausesp
 
Aula Hipertensão Arterial Paab VI
Aula Hipertensão Arterial Paab VIAula Hipertensão Arterial Paab VI
Aula Hipertensão Arterial Paab VI
Professor Robson
 
Breve trabalho sobre medicamentos
Breve trabalho sobre medicamentosBreve trabalho sobre medicamentos
Breve trabalho sobre medicamentos
Maria Freitas
 
Paciente Critico 1.ppt
Paciente Critico 1.pptPaciente Critico 1.ppt
Paciente Critico 1.ppt
tuttitutti1
 
Especializações em Enfermagem
Especializações em EnfermagemEspecializações em Enfermagem
Especializações em Enfermagem
Renan Guerra
 
Redes de atenção à saúde
Redes de atenção à saúdeRedes de atenção à saúde
Redes de atenção à saúde
Felipe Assan Remondi
 
Terminologia cirúrgica
Terminologia cirúrgicaTerminologia cirúrgica
Terminologia cirúrgica
Fernando de Oliveira Dutra
 

Mais procurados (20)

Aula qualidade
Aula qualidadeAula qualidade
Aula qualidade
 
Departamento legal
Departamento legalDepartamento legal
Departamento legal
 
Exercícios de terminologia cirúrgica
Exercícios de terminologia cirúrgicaExercícios de terminologia cirúrgica
Exercícios de terminologia cirúrgica
 
Analgesia multimodal 2013
Analgesia multimodal 2013Analgesia multimodal 2013
Analgesia multimodal 2013
 
Jose_Clemente_PTS
Jose_Clemente_PTSJose_Clemente_PTS
Jose_Clemente_PTS
 
Aula do centro cirurgico
Aula do centro cirurgicoAula do centro cirurgico
Aula do centro cirurgico
 
Cipe versão 2.0 - enfermagem
Cipe versão 2.0 - enfermagem Cipe versão 2.0 - enfermagem
Cipe versão 2.0 - enfermagem
 
Desafios do SUS
Desafios do SUS Desafios do SUS
Desafios do SUS
 
Aerossolterapia
AerossolterapiaAerossolterapia
Aerossolterapia
 
Introducao a farmacologia
Introducao a farmacologiaIntroducao a farmacologia
Introducao a farmacologia
 
Programa melhor em casa
Programa melhor em casaPrograma melhor em casa
Programa melhor em casa
 
Anestesia sedacao
Anestesia   sedacaoAnestesia   sedacao
Anestesia sedacao
 
Apresentação sus
Apresentação susApresentação sus
Apresentação sus
 
Aula saude do idoso
Aula saude do idosoAula saude do idoso
Aula saude do idoso
 
Aula Hipertensão Arterial Paab VI
Aula Hipertensão Arterial Paab VIAula Hipertensão Arterial Paab VI
Aula Hipertensão Arterial Paab VI
 
Breve trabalho sobre medicamentos
Breve trabalho sobre medicamentosBreve trabalho sobre medicamentos
Breve trabalho sobre medicamentos
 
Paciente Critico 1.ppt
Paciente Critico 1.pptPaciente Critico 1.ppt
Paciente Critico 1.ppt
 
Especializações em Enfermagem
Especializações em EnfermagemEspecializações em Enfermagem
Especializações em Enfermagem
 
Redes de atenção à saúde
Redes de atenção à saúdeRedes de atenção à saúde
Redes de atenção à saúde
 
Terminologia cirúrgica
Terminologia cirúrgicaTerminologia cirúrgica
Terminologia cirúrgica
 

Destaque

Cbhpm 5 edicao
Cbhpm 5 edicaoCbhpm 5 edicao
Cbhpm 5 edicao
Arlindo Carvalho
 
Apresentação módulo saúde suplementar bsmn
Apresentação módulo saúde suplementar bsmnApresentação módulo saúde suplementar bsmn
Apresentação módulo saúde suplementar bsmn
nilsonpazjr
 
Noções Básicas em Administração de Plano de Saúde - Aula 2
Noções Básicas em Administração de Plano de Saúde - Aula 2Noções Básicas em Administração de Plano de Saúde - Aula 2
Noções Básicas em Administração de Plano de Saúde - Aula 2
Marcelo VERMUDT
 
Saúde suplementar tendências regulação_desafios_oportunidades_alfredo cardoso
Saúde suplementar tendências regulação_desafios_oportunidades_alfredo cardosoSaúde suplementar tendências regulação_desafios_oportunidades_alfredo cardoso
Saúde suplementar tendências regulação_desafios_oportunidades_alfredo cardoso
Joaquim Wilmar
 
Amb92
Amb92Amb92
28 agendando procedimentos - meu prontuario
28   agendando procedimentos  - meu prontuario28   agendando procedimentos  - meu prontuario
28 agendando procedimentos - meu prontuario
Leonardo Alves
 
Cbhpm2010
Cbhpm2010Cbhpm2010
Os 100 maiores economistas
Os 100 maiores economistas Os 100 maiores economistas
Os 100 maiores economistas
Bongane Duvane
 
Flagrante delito e fiança
Flagrante delito e fiançaFlagrante delito e fiança
Flagrante delito e fiança
Jonathan Reginnie
 
Palestra banco de dados oab
Palestra banco de dados   oabPalestra banco de dados   oab
Palestra banco de dados oab
Nayron Toledo
 
Cuidados ao comprar um carro usado e direitos do consumidor após a compra
Cuidados ao comprar um carro usado e direitos do consumidor após a compraCuidados ao comprar um carro usado e direitos do consumidor após a compra
Cuidados ao comprar um carro usado e direitos do consumidor após a compra
Personal Car Auto
 
Aula responsabilidade planos de saúde
Aula responsabilidade planos de saúdeAula responsabilidade planos de saúde
Aula responsabilidade planos de saúde
Elaine Ribeiro
 
Manual prático do faturista – 1ª edição
Manual prático do faturista – 1ª edição Manual prático do faturista – 1ª edição
Manual prático do faturista – 1ª edição
IOB News
 
Apresentação sobre DPVAT
Apresentação sobre DPVATApresentação sobre DPVAT
Apresentação sobre DPVAT
Sincor-ES
 
Faturamento Hospitalar
Faturamento HospitalarFaturamento Hospitalar
Faturamento Hospitalar
B&R Consultoria Empresarial
 
Direito e relações de consumo - MBA UniBrasil
Direito e relações de consumo - MBA UniBrasilDireito e relações de consumo - MBA UniBrasil
Direito e relações de consumo - MBA UniBrasil
Ney Azevedo
 
Manual sobre planos de saúde
Manual sobre planos de saúdeManual sobre planos de saúde
Manual sobre planos de saúde
Ministério da Justiça
 
Recall - Guia Prático do Fornecedor
Recall - Guia Prático do FornecedorRecall - Guia Prático do Fornecedor
Recall - Guia Prático do Fornecedor
Ministério da Justiça
 
Prisão
PrisãoPrisão
Aula sobre consórcios públicos
Aula sobre consórcios públicosAula sobre consórcios públicos
Aula sobre consórcios públicos
Fernando S. Marcato
 

Destaque (20)

Cbhpm 5 edicao
Cbhpm 5 edicaoCbhpm 5 edicao
Cbhpm 5 edicao
 
Apresentação módulo saúde suplementar bsmn
Apresentação módulo saúde suplementar bsmnApresentação módulo saúde suplementar bsmn
Apresentação módulo saúde suplementar bsmn
 
Noções Básicas em Administração de Plano de Saúde - Aula 2
Noções Básicas em Administração de Plano de Saúde - Aula 2Noções Básicas em Administração de Plano de Saúde - Aula 2
Noções Básicas em Administração de Plano de Saúde - Aula 2
 
Saúde suplementar tendências regulação_desafios_oportunidades_alfredo cardoso
Saúde suplementar tendências regulação_desafios_oportunidades_alfredo cardosoSaúde suplementar tendências regulação_desafios_oportunidades_alfredo cardoso
Saúde suplementar tendências regulação_desafios_oportunidades_alfredo cardoso
 
Amb92
Amb92Amb92
Amb92
 
28 agendando procedimentos - meu prontuario
28   agendando procedimentos  - meu prontuario28   agendando procedimentos  - meu prontuario
28 agendando procedimentos - meu prontuario
 
Cbhpm2010
Cbhpm2010Cbhpm2010
Cbhpm2010
 
Os 100 maiores economistas
Os 100 maiores economistas Os 100 maiores economistas
Os 100 maiores economistas
 
Flagrante delito e fiança
Flagrante delito e fiançaFlagrante delito e fiança
Flagrante delito e fiança
 
Palestra banco de dados oab
Palestra banco de dados   oabPalestra banco de dados   oab
Palestra banco de dados oab
 
Cuidados ao comprar um carro usado e direitos do consumidor após a compra
Cuidados ao comprar um carro usado e direitos do consumidor após a compraCuidados ao comprar um carro usado e direitos do consumidor após a compra
Cuidados ao comprar um carro usado e direitos do consumidor após a compra
 
Aula responsabilidade planos de saúde
Aula responsabilidade planos de saúdeAula responsabilidade planos de saúde
Aula responsabilidade planos de saúde
 
Manual prático do faturista – 1ª edição
Manual prático do faturista – 1ª edição Manual prático do faturista – 1ª edição
Manual prático do faturista – 1ª edição
 
Apresentação sobre DPVAT
Apresentação sobre DPVATApresentação sobre DPVAT
Apresentação sobre DPVAT
 
Faturamento Hospitalar
Faturamento HospitalarFaturamento Hospitalar
Faturamento Hospitalar
 
Direito e relações de consumo - MBA UniBrasil
Direito e relações de consumo - MBA UniBrasilDireito e relações de consumo - MBA UniBrasil
Direito e relações de consumo - MBA UniBrasil
 
Manual sobre planos de saúde
Manual sobre planos de saúdeManual sobre planos de saúde
Manual sobre planos de saúde
 
Recall - Guia Prático do Fornecedor
Recall - Guia Prático do FornecedorRecall - Guia Prático do Fornecedor
Recall - Guia Prático do Fornecedor
 
Prisão
PrisãoPrisão
Prisão
 
Aula sobre consórcios públicos
Aula sobre consórcios públicosAula sobre consórcios públicos
Aula sobre consórcios públicos
 

Semelhante a ANS - Aula 2

Idec Aberto - Planos de Saúde
Idec Aberto - Planos de SaúdeIdec Aberto - Planos de Saúde
Idec aberto Planos de saúde 26 de julho de 2011
Idec aberto Planos de saúde 26 de julho de 2011Idec aberto Planos de saúde 26 de julho de 2011
Idec aberto Planos de saúde 26 de julho de 2011
IDEC - Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor
 
Aula Saúde Suplementar Pós-Graduação Auditoria INDEP
Aula Saúde Suplementar Pós-Graduação Auditoria INDEPAula Saúde Suplementar Pós-Graduação Auditoria INDEP
Aula Saúde Suplementar Pós-Graduação Auditoria INDEP
Adriana Pirollo
 
Planos de saúde
Planos de saúdePlanos de saúde
Planos de saúde
Isaias Garcêz
 
declaracao_usuario_junho.pdf
declaracao_usuario_junho.pdfdeclaracao_usuario_junho.pdf
declaracao_usuario_junho.pdf
SaraCarolina37
 
Declaracao de saude_amil
Declaracao de saude_amilDeclaracao de saude_amil
Declaracao de saude_amil
Edward Lange
 
Declaracao1 saude unimed
Declaracao1 saude unimedDeclaracao1 saude unimed
Declaracao1 saude unimed
Edward Lange
 
Rol da ANS
Rol da ANSRol da ANS
Rol da ANS
Samuel Santos
 
A oferta de serviços
A oferta de serviços    A oferta de serviços
Modelo de contrato com operadoras de planos de saúde
Modelo de contrato com operadoras de planos de saúdeModelo de contrato com operadoras de planos de saúde
Modelo de contrato com operadoras de planos de saúde
Capacite1
 
Como Contratar Planos de Saúde
Como Contratar Planos de SaúdeComo Contratar Planos de Saúde
Como Contratar Planos de Saúde
WebPlanos
 
Como Contratar seu Plano de Saúde
Como Contratar seu Plano de SaúdeComo Contratar seu Plano de Saúde
Como Contratar seu Plano de Saúde
WebPlanos
 
Plano de saude tudo o que voce precisa saber antes de contratar
Plano de saude tudo o que voce precisa saber antes de contratarPlano de saude tudo o que voce precisa saber antes de contratar
Plano de saude tudo o que voce precisa saber antes de contratar
Segmental - Seguros e Planos de Saúde BH
 
Manual padrao pos-lei_876
Manual padrao pos-lei_876Manual padrao pos-lei_876
Manual padrao pos-lei_876
José Norberto Monteiro Neto
 
Ficha de produto +saude familiar
Ficha de produto +saude familiarFicha de produto +saude familiar
Ficha de produto +saude familiar
Baavarick
 
A Judicialização da Saúde na área da saúde suplementar
A Judicialização da Saúde na área da saúde suplementarA Judicialização da Saúde na área da saúde suplementar
A Judicialização da Saúde na área da saúde suplementar
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
2º Fórum da Saúde Suplementar - Ney Weidemann Neto
2º Fórum da Saúde Suplementar - Ney Weidemann Neto2º Fórum da Saúde Suplementar - Ney Weidemann Neto
2º Fórum da Saúde Suplementar - Ney Weidemann Neto
CNseg
 
O Potencial do Resseguro na Área de Saúde (Helton Freitas)
O Potencial do Resseguro na Área de Saúde (Helton Freitas)O Potencial do Resseguro na Área de Saúde (Helton Freitas)
O Potencial do Resseguro na Área de Saúde (Helton Freitas)
CNseg
 
Guia do membro_Platina (1).pptx
Guia do membro_Platina (1).pptxGuia do membro_Platina (1).pptx
Guia do membro_Platina (1).pptx
manuelantonioOuane
 
Saúde suplementar - Martha Oliveira
Saúde suplementar - Martha OliveiraSaúde suplementar - Martha Oliveira
Saúde suplementar - Martha Oliveira
Oncoguia
 

Semelhante a ANS - Aula 2 (20)

Idec Aberto - Planos de Saúde
Idec Aberto - Planos de SaúdeIdec Aberto - Planos de Saúde
Idec Aberto - Planos de Saúde
 
Idec aberto Planos de saúde 26 de julho de 2011
Idec aberto Planos de saúde 26 de julho de 2011Idec aberto Planos de saúde 26 de julho de 2011
Idec aberto Planos de saúde 26 de julho de 2011
 
Aula Saúde Suplementar Pós-Graduação Auditoria INDEP
Aula Saúde Suplementar Pós-Graduação Auditoria INDEPAula Saúde Suplementar Pós-Graduação Auditoria INDEP
Aula Saúde Suplementar Pós-Graduação Auditoria INDEP
 
Planos de saúde
Planos de saúdePlanos de saúde
Planos de saúde
 
declaracao_usuario_junho.pdf
declaracao_usuario_junho.pdfdeclaracao_usuario_junho.pdf
declaracao_usuario_junho.pdf
 
Declaracao de saude_amil
Declaracao de saude_amilDeclaracao de saude_amil
Declaracao de saude_amil
 
Declaracao1 saude unimed
Declaracao1 saude unimedDeclaracao1 saude unimed
Declaracao1 saude unimed
 
Rol da ANS
Rol da ANSRol da ANS
Rol da ANS
 
A oferta de serviços
A oferta de serviços    A oferta de serviços
A oferta de serviços
 
Modelo de contrato com operadoras de planos de saúde
Modelo de contrato com operadoras de planos de saúdeModelo de contrato com operadoras de planos de saúde
Modelo de contrato com operadoras de planos de saúde
 
Como Contratar Planos de Saúde
Como Contratar Planos de SaúdeComo Contratar Planos de Saúde
Como Contratar Planos de Saúde
 
Como Contratar seu Plano de Saúde
Como Contratar seu Plano de SaúdeComo Contratar seu Plano de Saúde
Como Contratar seu Plano de Saúde
 
Plano de saude tudo o que voce precisa saber antes de contratar
Plano de saude tudo o que voce precisa saber antes de contratarPlano de saude tudo o que voce precisa saber antes de contratar
Plano de saude tudo o que voce precisa saber antes de contratar
 
Manual padrao pos-lei_876
Manual padrao pos-lei_876Manual padrao pos-lei_876
Manual padrao pos-lei_876
 
Ficha de produto +saude familiar
Ficha de produto +saude familiarFicha de produto +saude familiar
Ficha de produto +saude familiar
 
A Judicialização da Saúde na área da saúde suplementar
A Judicialização da Saúde na área da saúde suplementarA Judicialização da Saúde na área da saúde suplementar
A Judicialização da Saúde na área da saúde suplementar
 
2º Fórum da Saúde Suplementar - Ney Weidemann Neto
2º Fórum da Saúde Suplementar - Ney Weidemann Neto2º Fórum da Saúde Suplementar - Ney Weidemann Neto
2º Fórum da Saúde Suplementar - Ney Weidemann Neto
 
O Potencial do Resseguro na Área de Saúde (Helton Freitas)
O Potencial do Resseguro na Área de Saúde (Helton Freitas)O Potencial do Resseguro na Área de Saúde (Helton Freitas)
O Potencial do Resseguro na Área de Saúde (Helton Freitas)
 
Guia do membro_Platina (1).pptx
Guia do membro_Platina (1).pptxGuia do membro_Platina (1).pptx
Guia do membro_Platina (1).pptx
 
Saúde suplementar - Martha Oliveira
Saúde suplementar - Martha OliveiraSaúde suplementar - Martha Oliveira
Saúde suplementar - Martha Oliveira
 

Último

socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 mateasocialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
ILDISONRAFAELBARBOSA
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
andressacastro36
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
Giovana Gomes da Silva
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
Escola Municipal Jesus Cristo
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
CarinaSoto12
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Mary Alvarenga
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
djincognito
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Mary Alvarenga
 

Último (20)

socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 mateasocialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
 

ANS - Aula 2

  • 1. Curso de Extensão Aula 2 - Revisão da Lei 9656/98 17/05/2013 ANS – Saúde Suplementar No Brasil
  • 2. Art. 1o Submetem-se às disposições desta Lei as pessoas jurídicas de direito privado que operam planos de assistência à saúde, sem prejuízo do cumprimento da legislação específica que rege a sua atividade, adotando- se, para fins de aplicação das normas aqui estabelecidas. LEI NR 9656 DE 03 DE JUNHO DE 1998
  • 3. MODALIDADES DO CONTRATO * Ambulatorial * Hospitalar * Com Obstetrícia ou sem Obstetrícia * Odontológico * Padrão de acomodação * UTI móvel e UTI no ar
  • 4. Plano Ambulatorial Compreende a cobertura de consultas em Número ilimitado, exames complementares e outros procedimentos realizados em ambulatórios, consultórios e clínicas. Cobre também atendimentos e procedimentos caracterizados como urgência e emergência até as primeiras 12 horas. Não abrange internações.
  • 5. Plano Hospitalar sem Obstetrícia – compreende atendimento em unidade hospitalar com número ilimitado de diárias, inclusive em UTI, transfusões, quimioterapia e radioterapia entre outros, necessários durante o período de internação. Inclui também os atendimentos caracterizados como de urgência e emergência que evoluírem para internação ou que sejam necessários à preservação da vida, órgãos e funções.
  • 6. Plano Hospitalar com Obstetrícia – Acresce ao Plano Hospitalar sem Obstetrícia, a cobertura de consultas, exames e procedimentos relativos ao pré-natal, assistência ao parto e ao recém- nascido durante os primeiros 30 dias de vida. Garante também a inscrição do recém-nascido como dependente, isento do cumprimento de carência, desde que a sua inscrição ocorra no prazo máximo de 30 dias após o nascimento.
  • 7. Plano Odontológico - Compreende a cobertura de procedimentos odontológicos realizados em consultório, incluindo endodontia, periodontia, exames radiológicos e cirurgias orais menores realizadas em nível ambulatorial sob anestesia local.
  • 8. Procedimentos cobertos Consultas, Exames, Internações e cirurgias de acordo com o plano de contratado. Para conhecer a listagem completa de procedimentos com cobertura obrigatória para os consumidores de Planos Novos e Adaptados, você pode consultar o Rol de Procedimentos Médicos, que está disponível no Disque-ANS (0800-701-9656) e em www.ans.gov.br/legislação.
  • 9. EXCLUSÕES PARA TODOS OS TIPOS DE PLANOS Procedimentos que, de acordo com a Lei 9656/98, não são obrigatoriamente cobertos pelas operadoras de planos de saúde: * transplantes, à exceção de córnea e rim; * tratamento clínico ou cirúrgico experimental; * procedimentos clínicos ou cirúrgicos para fins estéticos; * fornecimento de órteses, próteses e seus acessórios, não ligados ao ato cirúrgico ou para fins estéticos; * fornecimento de medicamentos importados, não nacionalizados (fabricados e embalados no exterior); * fornecimento de medicamentos para tratamento domiciliar; * inseminação artificial; * tratamentos ilícitos, antiéticos ou não reconhecidos pelas autoridades competentes; casos de cataclismos, guerras e comoções internas declaradas pelas autoridades competentes.
  • 10. Modalidade Geográfica de Cobertura Cobertura: • Local (Município e Estado) • Nacional • Internacional • Regional
  • 11. Tipos de Contratação: Com base no tipo de contratação, um plano de saúde é coletivo ou individual. Os planos de contratos coletivos são destinados a grupos determinados, através de pessoas jurídicas (empresas, associações e sindicatos) e têm algumas regras diferenciadas dos planos de contratos individuais, como por exemplo, o aumento de mensalidade e a rescisão contratual.
  • 12. • Coletivo Empresarial; • Coletivo por Adesão; (carência zero p/ mais de 30 pessoas, cobertura para parto obrigatória) • Plano Individual e plano familiar. Vigência do Contrato O início da vigência do contrato será a partir da data da adesão, ou da assinatura do contrato, ou da data de pagamento da mensalidade inicial, o que ocorrer em primeiro lugar.
  • 13. Carência Carência é o período de tempo em que o consumidor, mesmo após a contratação do plano, não tem direito ao atendimento a algumas coberturas. Quando a operadora exigir cumprimento de carência, este deve estar obrigatoriamente expresso, de forma clara, no contrato.
  • 14. Os prazos máximos de carência estabelecidos na legislação são: • urgência e emergência - 24 horas; • parto a termo - 300 dias; • demais casos (consultas, exames, internações, cirurgias) - 180 dias. • Doenças e Lesões pré-existentes – 24 meses É expressamente proibida a recontagem de carência, numa mesma operadora, para os procedimentos que o consumidor já tenha cumprido carência.
  • 15. COMPRA DE CARÊNCIA Em uma nova contratação, o aproveitamento dos períodos de carência já cumpridos pelo consumidor em outra operadora dependerá de negociação entre as partes. Portanto, se for oferecida a “compra de carência”, exija que a redução ou isenção esteja prevista em contrato ou aditivo contratual. Deve-se observar que as “compras” de carência, em geral, não excluem a exigência da cobertura parcial temporária para as doenças e lesões preexistentes.
  • 16. Doenças e lesões preexistentes Doenças e lesões preexistentes - DLP – são aquelas que o consumidor ou seu responsável saiba ser portador ou sofredor, à época da contratação do plano de saúde. No momento da contratação, quando solicitado, O consumidor deve informar à operadora sobre as doenças e lesões de seu conhecimento, para que lhe possam ser oferecidas opções de acordo com as regras legais. É importante ressaltar que a omissão de informações pode levar ao cancelamento do contrato por parte da operadora.
  • 17. Para saber se o consumidor é portador de doenças ou lesões preexistentes, a operadora poderá exigir, no momento da contratação, o preenchimento de uma declaração de saúde. Esta consiste em um formulário, elaborado pela operadora, para registro de informações sobre as doenças ou lesões que o consumidor seja portador ou sofredor, e das quais tenha conhecimento no momento da contratação, com relação a si e a todos os dependentes integrantes de seu contrato.
  • 18. Fraude no Preenchimento da Declaração de Saúde No ato da contratação, o consumidor fica obrigado a informar à operadora, quando expressamente solicitado por meio da declaração de saúde, as doenças ou lesões preexistentes de que saiba ser portador. A omissão da informação é considerada fraude e poderá acarretar a suspensão ou rescisão do contrato.
  • 19. As opções para o Consumidor com Doenças ou Lesões Preexistentes Agravo É um acréscimo no valor da mensalidade do plano de saúde do portador de DLP. Esse acréscimo será proporcional à cobertura de eventos cirúrgicos, leitos de alta tecnologia e procedimentos de alta complexidade relacionados à doença ou lesão preexistente
  • 20. Cobertura Parcial Temporária Caracteriza-se por um período de até 24 meses, estabelecido em contrato, durante o qual as doenças e lesões preexistentes declaradas pelo consumidor não têm cobertura integral. Neste período, pode haver exclusão da cobertura de eventos cirúrgicos, leitos de alta tecnologia e procedimentos de alta complexidade relacionados diretamente às doenças ou lesões preexistentes.
  • 21. Crianças Nascidas de Partos Cobertos pela Operadora Às crianças nascidas de parto coberto pela operadora, não caberá qualquer alegação de doença ou lesão preexistente, sendo-lhes garantida a assistência durante os 30 primeiros dias de vida dentro da cobertura do plano do titular, assim como estará garantida a sua inscrição na operadora sem a necessidade de cumprimento de qualquer período de carência ou de cobertura parcial temporária ou agravo.
  • 22. Reembolso de Despesas É garantido o reembolso de despesas efetuadas pelo consumidor , quando não for possível a utilização dos serviços oferecidos pela operadora, nos limites das obrigações contratuais. O reembolso deverá ser efetuado no prazo máximo de 30 dias após a entrega da documentação adequada. O valor a ser reembolsado ao consumidor deverá ser, no mínimo, aquele que a operadora pagaria para a rede credenciada se esta fosse utilizada. CBHPM
  • 23. Remoção do Paciente A operadora deverá garantir a cobertura de remoção, após realizados os atendimentos classificados como de urgência e emergência, quando caracterizada, pelo médico assistente, a falta de recursos oferecidos pelo hospital para a continuidade do atendimento ao consumidor.
  • 24. Formação de Preço • Registro na ANS do plano e autorização de valor a ser cobrado. (garantias financeiras) • Autorização de correção de valor anual (reajuste do plano antigo) • Obedecer as faixas etárias, as regras de cada grupo, e as modalidades;
  • 25. Faixas etárias 0 a 18 anos 19 a 23 anos 24 a 28 anos 29 a 33 anos 34 a 38 anos 39 a 43 anos 44 a 48 anos 49 a 53 anos 54 a 58 anos 59 anos ou mais
  • 26. Normativa (RN 63), publicada pela ANS em dezembro de 2003, determina, ainda, que o valor fixado para a última faixa etária (59 anos ou mais) não pode ser superior a seis vezes o valor da primeira faixa (0 a 18).
  • 27. A ANS E O EQUILÍBRIO DO SETOR A ANS foi constituída com a missão de promover a defesa do interesse público na assistência suplementar à saúde pela regulação e fiscalização do setor, das relações das operadoras setoriais com prestadores de serviços de saúde e com usuários de planos de saúde, para o desenvolvimento das ações de saúde no país.
  • 29. Curso de Extensão Aula 1 - 17/05/2013 Noções Básicas em Administração de Plano de Saúde
  • 31. Plano de Acre e as modalidades credenciadas. • Plano referência; • Cobertura Total; • Com participação; (fator) • Cartão de Desconto (sem registro na ANS) Padrão de acomodação e modalidade de atendimento. (ambulatorial e hospitalar)
  • 32. Credenciamento Médico Área Administrativa responsável em credenciar novos médicos e realizar o relacionamento com os mesmos, resolver problemas no contrato, atendimento e negociações. A maioria dos contratos são realizados com base na Tabela CBHPM.
  • 33. As pessoas físicas necessitam encaminhar currículo atualizado, diploma de nível superior e alvará de funcionamento do consultório. Já as pessoas jurídicas que quiserem se credenciar devem apresentar o relatório da vistoria técnica da entidade (hospital, clínica ou consultório), a inscrição no Cadastro Nacional de Estabelecimento de Saúde (CNES), o alvará de vigilância sanitária e de funcionamento, dentre outros documentos. Também é levada em conta, ainda, a disponibilidade de outros profissionais da mesma especialidade já credenciados, na mesma região.
  • 34. CBHPM – Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos
  • 35. Quem fez? • FIPE – Fundação de Pesquisa Econômica da USP • AMB – Associação Médica Brasileira • CFM – Conselho Federal de Medicina • FENAM – Federação nacional de Médicos
  • 36. Para quê fez? • Substituir a tabela AMB 92 e LPM de 1996 • Relacionar procedimentos • Incorporar novas tecnologias • Estabelecer parâmetro de pagamento por portes levando em consideração a complexidade, técnica e tecnologia empregadas • Corrigir discrepância entre atos médicos e especialidades.
  • 37. Procedimentos médicos - Pontuação • Identificação dos procedimentos: 14 portes e 3 subportes (A, B e C) – 1A; 1B; 3C; • Identificação dos procedimentos anestésicos:8 portes
  • 38. Codificação • 7 dígitos + dígito verificador • C. GG. PP. SS – D – C = CAPÍTULO – GG = GRUPO ou MACRO REGIÃO – PP = SUBGRUPO OU MICRO REGIÃO – SS = SERVIÇO – D = DÍGITO
  • 39. Capítulos • 1 – Procedimentos gerais • 2 – Procedimentos clínicos • 3 – Procedimentos cirúrgicos invasivos • 4 – Procedimentos intervencionistas (diagnósticos e terapêuticos)
  • 40. Capítulo 1 – Procedimentos gerais C. GG. PP. SS – D Cap. Grupo. Subgrupo • Em consultório • Em Pronto Socorro • Domiciliar • Visita hospitalar – Escolha voluntária de acomodação superior = negociação – Operadora oferta plano com acomodação individual = 2x • Intensivista (diarista) • Intensivista (plantonista) • Pediatra na sala de parto e berçário
  • 41. Cap 1 – C. GG. PP. SS – D Cap. Grupo. Subgrupo (1. 01. ....) • Procedimento Geral = Cap. 1 • GG = Grupo (consulta 01) = 1.01 • PP = Subgrupo (serviços) – 1.01.01..... = Consultas – 1.01.02..... = Visitas – 1.01.03..... = Recém nascido – 1.01.04..... = UTI – 1.01.05..... = Remoção – 1.01.06..... = Outros
  • 42. Capítulo 2 – Procedimentos clínicos C. GG. PP. SS – D Cap. Grupo. Subgrupo • 2. 01. ... Procedimentos ambulatoriais – 01 – Avaliações/Acompanhamentos: avaliação dieta enteral, parenteral, avaliação nutricional – 02 – Monitorizações: Holter, MAPA – 03 – Reabilitação (Fisioterapia) – 04 – Terapêuticos: curativos, cerume, QT, cateterismo vesical • 2. 02. ... Procedimentos hospitalares – 01 - Avaliações/Acompanhamentos – 02 - Monitorizações – 03 - Reabilitação (Fisioterapia) – 04 – Terapêuticos: QT, cardioversão elétrica, tratamento de suporte à QT
  • 43. VALORES REFERENCIAIS DE PORTES DA 5a. EDIÇÃO DA CBHPM FONTE: ASSOCIAÇÃO MÉDICA BRASILEIRA - REF. Outubro/2009
  • 44. Como CALCULAR ? VALOR DO PORTE + CUSTO UCO A UCO-Unidade de Custo Operacional, ela é uma referência para remuneração ao prestador (laboratório, hospital ou clínica) dos custos de execução dos procedimentos, que incorpora, entre outros custos, depreciação de equipamentos, manutenção, mobiliário, imóvel, aluguéis e folha de pagamento sendo o seu valor correspondente em Reais estipulado pelo convênio
  • 45. CONSULTAR A EDIÇÃO ATUAL DA CBHPM