SlideShare uma empresa Scribd logo
REFORMA
       PROTESTANTE




No início do século XVI, a mudança na mentalidade
 das sociedades europeias repercutiu também no
campo religioso. A Igreja, tão onipotente na Europa
         medieval, foi duramente criticada.
05   reforma protestante
O QUE FOI A REFORMA?
A Reforma Protestante foi um movimento
 que começou no século XVI com uma série
 de tentativas de reformar a Igreja Católica
 Romana, e que culminou com a divisão e o
 estabelecimento de várias igrejas cristãs, das
 quais se destacam o Luteranismo (de
 Martinho Lutero), as igrejas reformadas e os
 Anabatistas.
Causas da Reforma
Novas interpretações da Bíblia – com a difusão da imprensa
um maior número de pessoas passaram a ler a Bíblia.
Corrupção do clero – a prática da simonia (venda de objetos
santos: espinhos, objetos pessoais de santos...) e a venda de
indulgências (carta emitida pela igreja que dava perdão aos
mortos e vivos: claro que mediante um pagamento)
Crítica à moral dos padres – muitos eram envolvidos em
escândalos amorosos, bebiam, vendiam os sacramentos, etc...
Sentimento nacionalista – com o fortalecimento das
monarquias nacionais, os reis passaram a ver a Igreja, como
entidade estrangeira que interferia em seus países.
O descontentamento do povo – tolhido por uma série de
impostos devido à Igreja, favoreceu a insatisfação espiritual e o
apoio à atuação dos reis.
A desmoralização do poder papal – O Cisma do Ocidente
(Cativeiro de Avignon) - Transferência do papado para Avignon
(França), em 1307 - conflito entre o rei Felipe IV e o papa Bonifácio
VIII - em 1417 Roma voltou a ser a única sede do papado.
Os precursores da Reforma
 Antes de Lutero, John Wycliff (professor da
 universidade de Oxford, na Inglaterra) e Jan
 Huss (prof. Da Universidade de Praga)
 propuseram mudanças radicais na organização
 da Igreja, diminuindo a importância do clero.
 Wycliff foi excomungado pela igreja e punido
 mesmo depois de morto: seu corpo foi
 desenterrado e queimado. Huss foi condenado
 e morto na fogueira como herege, em 1415.
A REFORMA NA ALEMANHA
   O monge alemão Martinho Lutero foi um dos
    primeiros a contestar fortemente os dogmas da Igreja
    Católica. Afixou na porta da Igreja de Wittenberg as
    95 teses que criticavam vários pontos da doutrina
    católica.
   As 95 teses de Martinho Lutero
    condenava a venda de indulgências
    e propunha a fundação do
    luteranismo (religião luterana). De
    acordo com Lutero, a salvação do
    homem ocorria pelos pela fé, e não
    pelas obras.
Consequências...
   Lutero foi excomungado pelo papa Leão X em 1521.
   Como também não quis se retratar ao imperador Carlos V, foi
    expulso do Sacro Império Romano-Germânico. Refugiou-se
    num palácio e traduziu a Bíblia para o alemão.
REVOLTA DOS ANABATISTAS

   As ideias luteranas influenciaram       a revolta
    camponesa (anabatistas) - procuravam confiscar as
    terras senhoriais e as da Igreja.
   Lutero opôs-se aos anabatistas, contando com o
    apoio dos príncipes e nobres.
   Muitos príncipes deram proteção a Lutero, pois
    tinham interesses econômicos no rompimento com a
    Igreja. Esse apoio foi decisivo para poupá-lo da
    punição, consolidar a Reforma Protestante e formar
    a Igreja Luterana.
O termo protestante...
 Em   1529, Carlos V convocou nova Dieta
  (assembleia), em Spira e decidiu que a
  doutrina luterana passaria a ser tolerada nas
  regiões convertidas, mas proibida no restante
  da Alemanha.
 Os luteranos protestaram e daí nasceu o termo
  protestante.
A Liga de Smalkade
   Para enfrentar o imperador, os luteranos organizaram
    a Liga de Smalkade, que só conseguiria vitória em
    1555, com a Paz de Augsburg.
   Com isso cada príncipe tinha o direito de escolher a
    sua religião e as de seus súditos.
   É importante saber: se Lutero tivesse se revoltado
    com a Igreja Católica um século antes, seria
    queimado. No momento em que Lutero se revoltou os
    tempos eram outros: nova mentalidade, o
    descontentamento com a Igreja era grande e havia
    pessoas poderosas dispostas a mudar de religião e
    proteger quem o fizesse.
Fundamentos da Doutrina
           Luterana
 LivroSagrado: A Bíblia é a única fonte de fé.
 Salvação Humana: pela fé em Deus
 Sacramentos: Eucaristia e Batismo

 Rito  religioso: culto
  simples        (língua
  nacional)
 Áreas               de
  influência: Norte da
  Alemanha, Dinamarca,
  Noruega,      Suécia,
A Reforma Calvinista
   Foi Ulrich Zwinglio (1484-1531), um padre suíço radical que
    forneceu as bases para a Reforma Calvinista. Com suas ideias
    e conversões provocou uma guerra civil e acabou perdendo a
    vida.
   Na França, João Calvino começou a Reforma Luterana no
    ano de 1534. De acordo com Calvino cada pessoa nasce com
    o destino traçado (predestinação) e há alguns sinais (o
    trabalho justo e honesto) . Essa ideia calvinista, atraiu
    muitos burgueses e banqueiros para o calvinismo. Muitos
    trabalhadores também viram nesta nova religião uma forma de
    ficar em paz com sua religiosidade.
Fundamentos da Doutrina
           Calvinista
 Livro  Sagrado: A Bíblia é a única fonte de fé.
 Salvação Humana: pela fé em Deus.
  Predestinação
 Sacramentos: Eucaristia e Batismo
 Rito religioso: culto simples (língua nacional)
 Áreas de influência: Suíça, Países Baixos,
  parte da França (huguenotes), Inglaterra
  (puritanos), Escócia (presbiterianos).
A Reforma Anglicana
   Na Inglaterra, o rei Henrique VIII rompeu com o papado, após
    este se recusar a cancelar o casamento do rei. Henrique VIII
    funda o anglicanismo e aumenta seu poder e suas posses, já
    que retirou da Igreja Católica uma grande quantidade de terras.
   Livro Sagrado : A Bíblia é a única fonte de fé.
   Salvação Humana : pela fé em Deus.
   Sacramentos : Eucaristia e Batismo
   Rito religioso : Culto conservando a forma católica (liturgia,
                                                            (
    hierarquia da Igreja). Uso da língua nacional (inglês).
   Áreas de influência : Inglaterra
A Contrarreforma
   Com o avanço das ideias protestantes, ganhou força um amplo
    movimento de moralização do clero e reorganização das
    estruturas administrativas da Igreja Católica, que ficou
    conhecido como Contrarreforma.




   Um conjunto de medidas foram adotadas: Criação da
    Companhia de Jesus (jesuítas)- expansão do catolicismo;
    criação de escolas religiosas - Concílio de Trento (1545-1563).
No Concílio de Trento ficou definido :
   A salvação humana – depende da fé e das boas obras.
   A fonte da fé – a Bíblia (melhor interpretada pela Igreja)
    e a tradição religiosa.
   A missa e a presença de Cristo – a Igreja reafirmou
    que no ato da eucaristia ocorria a presença real de Jesus
    no pão e no vinho.
   Determinou ainda:
   - Retomada do Tribunal do Santo Ofício -
    Inquisição : punir e condenar os acusados de heresias
   - Criação do Index Librorium Proibitorium (Índice
    de Livros Proibidos) : evitar a propagação de ideias
    contrárias à Igreja Católica.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Revoluções Burguesas - Inglaterra
Revoluções Burguesas -  InglaterraRevoluções Burguesas -  Inglaterra
Revoluções Burguesas - Inglaterra
Daniel Alves Bronstrup
 
Igreja Católica na Idade Média
Igreja Católica na Idade MédiaIgreja Católica na Idade Média
Igreja Católica na Idade Média
Fernando Cesar Gouveia
 
As Reformas Protestantes e a Contra-reforma
As Reformas Protestantes e a Contra-reformaAs Reformas Protestantes e a Contra-reforma
As Reformas Protestantes e a Contra-reforma
Douglas Barraqui
 
1º ano - Reforma Religiosa
1º ano - Reforma Religiosa1º ano - Reforma Religiosa
1º ano - Reforma Religiosa
Daniel Alves Bronstrup
 
A contrarreforma
A contrarreformaA contrarreforma
A contrarreforma
Fatima Freitas
 
Reforma protestante
Reforma protestanteReforma protestante
Reforma protestante
Guilherme Marsola
 
Ideologias políticas do século xix
Ideologias políticas do século xixIdeologias políticas do século xix
Ideologias políticas do século xix
Privada
 
Reforma
ReformaReforma
Reforma
luizmourao23
 
A Reforma protestante
A Reforma protestanteA Reforma protestante
A Reforma protestante
Luiz Angelo
 
A Contra-Reforma Católica
A Contra-Reforma CatólicaA Contra-Reforma Católica
A Contra-Reforma Católica
profhistoria
 
Reforma Protestante
Reforma ProtestanteReforma Protestante
Reforma Protestante
seixasmarianas
 
Reforma religiosa
Reforma religiosaReforma religiosa
Reforma religiosa
Kerol Brombal
 
As Reformas Religiosas
As Reformas ReligiosasAs Reformas Religiosas
As Reformas Religiosas
Carlos Vieira
 
A Reforma Protestante
A Reforma Protestante A Reforma Protestante
A Reforma Protestante
Isabella Neves Silva
 
Monarquias nacionais
Monarquias nacionaisMonarquias nacionais
Monarquias nacionais
Rodrigo HistóriaGeografia
 
Reforma Protestante
Reforma ProtestanteReforma Protestante
Reforma Protestante
Manuel Pereira Gonçalves
 
Reforma religiosa
Reforma religiosaReforma religiosa
Reforma religiosa
Daniel Alves Bronstrup
 
Revolução Russa
Revolução RussaRevolução Russa
Revolução Russa
Douglas Barraqui
 
o absolutismo na inglaterra
 o absolutismo na inglaterra o absolutismo na inglaterra
o absolutismo na inglaterra
Colégio Basic e Colégio Imperatrice
 
Reforma Protestante
Reforma ProtestanteReforma Protestante
Reforma Protestante
josepinho
 

Mais procurados (20)

Revoluções Burguesas - Inglaterra
Revoluções Burguesas -  InglaterraRevoluções Burguesas -  Inglaterra
Revoluções Burguesas - Inglaterra
 
Igreja Católica na Idade Média
Igreja Católica na Idade MédiaIgreja Católica na Idade Média
Igreja Católica na Idade Média
 
As Reformas Protestantes e a Contra-reforma
As Reformas Protestantes e a Contra-reformaAs Reformas Protestantes e a Contra-reforma
As Reformas Protestantes e a Contra-reforma
 
1º ano - Reforma Religiosa
1º ano - Reforma Religiosa1º ano - Reforma Religiosa
1º ano - Reforma Religiosa
 
A contrarreforma
A contrarreformaA contrarreforma
A contrarreforma
 
Reforma protestante
Reforma protestanteReforma protestante
Reforma protestante
 
Ideologias políticas do século xix
Ideologias políticas do século xixIdeologias políticas do século xix
Ideologias políticas do século xix
 
Reforma
ReformaReforma
Reforma
 
A Reforma protestante
A Reforma protestanteA Reforma protestante
A Reforma protestante
 
A Contra-Reforma Católica
A Contra-Reforma CatólicaA Contra-Reforma Católica
A Contra-Reforma Católica
 
Reforma Protestante
Reforma ProtestanteReforma Protestante
Reforma Protestante
 
Reforma religiosa
Reforma religiosaReforma religiosa
Reforma religiosa
 
As Reformas Religiosas
As Reformas ReligiosasAs Reformas Religiosas
As Reformas Religiosas
 
A Reforma Protestante
A Reforma Protestante A Reforma Protestante
A Reforma Protestante
 
Monarquias nacionais
Monarquias nacionaisMonarquias nacionais
Monarquias nacionais
 
Reforma Protestante
Reforma ProtestanteReforma Protestante
Reforma Protestante
 
Reforma religiosa
Reforma religiosaReforma religiosa
Reforma religiosa
 
Revolução Russa
Revolução RussaRevolução Russa
Revolução Russa
 
o absolutismo na inglaterra
 o absolutismo na inglaterra o absolutismo na inglaterra
o absolutismo na inglaterra
 
Reforma Protestante
Reforma ProtestanteReforma Protestante
Reforma Protestante
 

Destaque

Exercícios de vestibular sobre reformas religiosas
Exercícios de vestibular sobre reformas religiosasExercícios de vestibular sobre reformas religiosas
Exercícios de vestibular sobre reformas religiosas
Zé Knust
 
Era Vargas
Era VargasEra Vargas
Era Vargas
Elaine Bogo Pavani
 
Revolucao Americana Power Point
Revolucao Americana Power PointRevolucao Americana Power Point
Revolucao Americana Power Point
secretaria estadual de educação
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
A revolução americana
A revolução americanaA revolução americana
A revolução americana
cattonia
 
A Revolução Americana
A Revolução Americana   A Revolução Americana
A Revolução Americana
Susana Simões
 
Revolução Americana
Revolução AmericanaRevolução Americana
Revolução Americana
Valéria Shoujofan
 
Revolução americana
Revolução americanaRevolução americana
Revolução americana
diogovalesousa8
 
Era Vargas – 1937-1945 – O Estado Novo
Era Vargas – 1937-1945 – O Estado Novo Era Vargas – 1937-1945 – O Estado Novo
Era Vargas – 1937-1945 – O Estado Novo
Valéria Shoujofan
 
Extrativismo vegetal e mineral
Extrativismo vegetal e mineralExtrativismo vegetal e mineral
Extrativismo vegetal e mineral
RATHES SILVA
 
Guía nº8 causas de la reforma protestante
Guía nº8  causas de la reforma protestanteGuía nº8  causas de la reforma protestante
Guía nº8 causas de la reforma protestante
vsalazarp
 

Destaque (11)

Exercícios de vestibular sobre reformas religiosas
Exercícios de vestibular sobre reformas religiosasExercícios de vestibular sobre reformas religiosas
Exercícios de vestibular sobre reformas religiosas
 
Era Vargas
Era VargasEra Vargas
Era Vargas
 
Revolucao Americana Power Point
Revolucao Americana Power PointRevolucao Americana Power Point
Revolucao Americana Power Point
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
A revolução americana
A revolução americanaA revolução americana
A revolução americana
 
A Revolução Americana
A Revolução Americana   A Revolução Americana
A Revolução Americana
 
Revolução Americana
Revolução AmericanaRevolução Americana
Revolução Americana
 
Revolução americana
Revolução americanaRevolução americana
Revolução americana
 
Era Vargas – 1937-1945 – O Estado Novo
Era Vargas – 1937-1945 – O Estado Novo Era Vargas – 1937-1945 – O Estado Novo
Era Vargas – 1937-1945 – O Estado Novo
 
Extrativismo vegetal e mineral
Extrativismo vegetal e mineralExtrativismo vegetal e mineral
Extrativismo vegetal e mineral
 
Guía nº8 causas de la reforma protestante
Guía nº8  causas de la reforma protestanteGuía nº8  causas de la reforma protestante
Guía nº8 causas de la reforma protestante
 

Semelhante a 05 reforma protestante

Reforma protestante reforma_e_contra-reforma
Reforma protestante reforma_e_contra-reformaReforma protestante reforma_e_contra-reforma
Reforma protestante reforma_e_contra-reforma
rakeloliveiraborges
 
A reforma protestante h.c.a.
A reforma protestante   h.c.a.A reforma protestante   h.c.a.
A reforma protestante h.c.a.
luis reis
 
A reforma protestante h.c.a.
A reforma protestante   h.c.a.A reforma protestante   h.c.a.
A reforma protestante h.c.a.
luis reis
 
Reforma protestante
Reforma protestanteReforma protestante
Reforma protestante
Alexandre Guanaes Buongermino
 
Aula reforma e contra-reforma religiosa2
Aula  reforma e contra-reforma religiosa2Aula  reforma e contra-reforma religiosa2
Aula reforma e contra-reforma religiosa2
Janete Garcia de Freitas
 
Reforma e contrarreforma
Reforma e contrarreforma   Reforma e contrarreforma
Reforma e contrarreforma
Valkuiria Andrade
 
Reformas religiosas
Reformas religiosasReformas religiosas
Reformas religiosas
Jordana Pereira
 
Reformas 1 serie
Reformas   1 serieReformas   1 serie
_REFORMA RELIGIOSA e a contra reforma católica
_REFORMA RELIGIOSA e a contra reforma católica_REFORMA RELIGIOSA e a contra reforma católica
_REFORMA RELIGIOSA e a contra reforma católica
enzolivia00
 
_REFORMA RELIGIOSA 2.ppt
_REFORMA RELIGIOSA 2.ppt_REFORMA RELIGIOSA 2.ppt
_REFORMA RELIGIOSA 2.ppt
Christier Gomes
 
Luteranismo, calvinismo, anglicanismo e a contrarreforma
Luteranismo, calvinismo, anglicanismo e a contrarreformaLuteranismo, calvinismo, anglicanismo e a contrarreforma
Luteranismo, calvinismo, anglicanismo e a contrarreforma
Guilherme Cardozo
 
Reforma protestante
Reforma protestanteReforma protestante
Reforma protestante
harlissoncarvalho
 
Reforma Protestante
Reforma Protestante Reforma Protestante
Reforma Protestante
Allan Almeida de Araújo
 
As reformas-religiosas-ildete-3
As reformas-religiosas-ildete-3As reformas-religiosas-ildete-3
As reformas-religiosas-ildete-3
adalbertovha
 
Reforma e contrarreforma1
Reforma e contrarreforma1Reforma e contrarreforma1
Reforma e contrarreforma1
Valkuiria Andrade
 
Luteranismo
LuteranismoLuteranismo
Luteranismo
nanasimao
 
Reforma religiosa contrarreforma
Reforma religiosa contrarreformaReforma religiosa contrarreforma
Reforma religiosa contrarreforma
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
Hh8 powerpoint e2_reforma_contrarreforma
Hh8 powerpoint e2_reforma_contrarreformaHh8 powerpoint e2_reforma_contrarreforma
Hh8 powerpoint e2_reforma_contrarreforma
Luisa Jesus
 
A Reforma Prostestante - 7º Ano (2016)
A Reforma Prostestante - 7º Ano (2016)A Reforma Prostestante - 7º Ano (2016)
A Reforma Prostestante - 7º Ano (2016)
Nefer19
 
03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf
03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf
03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf
Vítor Santos
 

Semelhante a 05 reforma protestante (20)

Reforma protestante reforma_e_contra-reforma
Reforma protestante reforma_e_contra-reformaReforma protestante reforma_e_contra-reforma
Reforma protestante reforma_e_contra-reforma
 
A reforma protestante h.c.a.
A reforma protestante   h.c.a.A reforma protestante   h.c.a.
A reforma protestante h.c.a.
 
A reforma protestante h.c.a.
A reforma protestante   h.c.a.A reforma protestante   h.c.a.
A reforma protestante h.c.a.
 
Reforma protestante
Reforma protestanteReforma protestante
Reforma protestante
 
Aula reforma e contra-reforma religiosa2
Aula  reforma e contra-reforma religiosa2Aula  reforma e contra-reforma religiosa2
Aula reforma e contra-reforma religiosa2
 
Reforma e contrarreforma
Reforma e contrarreforma   Reforma e contrarreforma
Reforma e contrarreforma
 
Reformas religiosas
Reformas religiosasReformas religiosas
Reformas religiosas
 
Reformas 1 serie
Reformas   1 serieReformas   1 serie
Reformas 1 serie
 
_REFORMA RELIGIOSA e a contra reforma católica
_REFORMA RELIGIOSA e a contra reforma católica_REFORMA RELIGIOSA e a contra reforma católica
_REFORMA RELIGIOSA e a contra reforma católica
 
_REFORMA RELIGIOSA 2.ppt
_REFORMA RELIGIOSA 2.ppt_REFORMA RELIGIOSA 2.ppt
_REFORMA RELIGIOSA 2.ppt
 
Luteranismo, calvinismo, anglicanismo e a contrarreforma
Luteranismo, calvinismo, anglicanismo e a contrarreformaLuteranismo, calvinismo, anglicanismo e a contrarreforma
Luteranismo, calvinismo, anglicanismo e a contrarreforma
 
Reforma protestante
Reforma protestanteReforma protestante
Reforma protestante
 
Reforma Protestante
Reforma Protestante Reforma Protestante
Reforma Protestante
 
As reformas-religiosas-ildete-3
As reformas-religiosas-ildete-3As reformas-religiosas-ildete-3
As reformas-religiosas-ildete-3
 
Reforma e contrarreforma1
Reforma e contrarreforma1Reforma e contrarreforma1
Reforma e contrarreforma1
 
Luteranismo
LuteranismoLuteranismo
Luteranismo
 
Reforma religiosa contrarreforma
Reforma religiosa contrarreformaReforma religiosa contrarreforma
Reforma religiosa contrarreforma
 
Hh8 powerpoint e2_reforma_contrarreforma
Hh8 powerpoint e2_reforma_contrarreformaHh8 powerpoint e2_reforma_contrarreforma
Hh8 powerpoint e2_reforma_contrarreforma
 
A Reforma Prostestante - 7º Ano (2016)
A Reforma Prostestante - 7º Ano (2016)A Reforma Prostestante - 7º Ano (2016)
A Reforma Prostestante - 7º Ano (2016)
 
03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf
03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf
03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf
 

Mais de Ciências Humanas e Suas Tecnologias

Terras emersas
Terras emersasTerras emersas
Oceanos e mares
Oceanos e maresOceanos e mares
áGua nos continentes
áGua nos continentesáGua nos continentes
Análise do capitalismo por karl marx
Análise do capitalismo por karl marxAnálise do capitalismo por karl marx
Análise do capitalismo por karl marx
Ciências Humanas e Suas Tecnologias
 
A Consciência pode conhecer tudo?
A Consciência pode conhecer tudo?A Consciência pode conhecer tudo?
A Consciência pode conhecer tudo?
Ciências Humanas e Suas Tecnologias
 
Razao
RazaoRazao
Comte
ComteComte
Silogismo
SilogismoSilogismo
Silogismo
SilogismoSilogismo
A verdade
A verdadeA verdade
01 os primeiros habitantes da américa
01   os primeiros habitantes da américa01   os primeiros habitantes da américa
01 os primeiros habitantes da américa
Ciências Humanas e Suas Tecnologias
 
02 mesopotâmia
02   mesopotâmia02   mesopotâmia
02 fenícios, persas e hebreus
02   fenícios, persas e hebreus02   fenícios, persas e hebreus
02 fenícios, persas e hebreus
Ciências Humanas e Suas Tecnologias
 
02 egito antigo
02   egito antigo02   egito antigo
01 pré-história
01   pré-história01   pré-história

Mais de Ciências Humanas e Suas Tecnologias (16)

Terras emersas
Terras emersasTerras emersas
Terras emersas
 
Oceanos e mares
Oceanos e maresOceanos e mares
Oceanos e mares
 
áGua nos continentes
áGua nos continentesáGua nos continentes
áGua nos continentes
 
Análise do capitalismo por karl marx
Análise do capitalismo por karl marxAnálise do capitalismo por karl marx
Análise do capitalismo por karl marx
 
A Consciência pode conhecer tudo?
A Consciência pode conhecer tudo?A Consciência pode conhecer tudo?
A Consciência pode conhecer tudo?
 
Razao
RazaoRazao
Razao
 
Comte
ComteComte
Comte
 
Silogismo
SilogismoSilogismo
Silogismo
 
Silogismo
SilogismoSilogismo
Silogismo
 
O mito da caverna
O mito da cavernaO mito da caverna
O mito da caverna
 
A verdade
A verdadeA verdade
A verdade
 
01 os primeiros habitantes da américa
01   os primeiros habitantes da américa01   os primeiros habitantes da américa
01 os primeiros habitantes da américa
 
02 mesopotâmia
02   mesopotâmia02   mesopotâmia
02 mesopotâmia
 
02 fenícios, persas e hebreus
02   fenícios, persas e hebreus02   fenícios, persas e hebreus
02 fenícios, persas e hebreus
 
02 egito antigo
02   egito antigo02   egito antigo
02 egito antigo
 
01 pré-história
01   pré-história01   pré-história
01 pré-história
 

05 reforma protestante

  • 1. REFORMA PROTESTANTE No início do século XVI, a mudança na mentalidade das sociedades europeias repercutiu também no campo religioso. A Igreja, tão onipotente na Europa medieval, foi duramente criticada.
  • 3. O QUE FOI A REFORMA? A Reforma Protestante foi um movimento que começou no século XVI com uma série de tentativas de reformar a Igreja Católica Romana, e que culminou com a divisão e o estabelecimento de várias igrejas cristãs, das quais se destacam o Luteranismo (de Martinho Lutero), as igrejas reformadas e os Anabatistas.
  • 4. Causas da Reforma Novas interpretações da Bíblia – com a difusão da imprensa um maior número de pessoas passaram a ler a Bíblia. Corrupção do clero – a prática da simonia (venda de objetos santos: espinhos, objetos pessoais de santos...) e a venda de indulgências (carta emitida pela igreja que dava perdão aos mortos e vivos: claro que mediante um pagamento) Crítica à moral dos padres – muitos eram envolvidos em escândalos amorosos, bebiam, vendiam os sacramentos, etc... Sentimento nacionalista – com o fortalecimento das monarquias nacionais, os reis passaram a ver a Igreja, como entidade estrangeira que interferia em seus países. O descontentamento do povo – tolhido por uma série de impostos devido à Igreja, favoreceu a insatisfação espiritual e o apoio à atuação dos reis. A desmoralização do poder papal – O Cisma do Ocidente (Cativeiro de Avignon) - Transferência do papado para Avignon (França), em 1307 - conflito entre o rei Felipe IV e o papa Bonifácio VIII - em 1417 Roma voltou a ser a única sede do papado.
  • 5. Os precursores da Reforma  Antes de Lutero, John Wycliff (professor da universidade de Oxford, na Inglaterra) e Jan Huss (prof. Da Universidade de Praga) propuseram mudanças radicais na organização da Igreja, diminuindo a importância do clero. Wycliff foi excomungado pela igreja e punido mesmo depois de morto: seu corpo foi desenterrado e queimado. Huss foi condenado e morto na fogueira como herege, em 1415.
  • 6. A REFORMA NA ALEMANHA  O monge alemão Martinho Lutero foi um dos primeiros a contestar fortemente os dogmas da Igreja Católica. Afixou na porta da Igreja de Wittenberg as 95 teses que criticavam vários pontos da doutrina católica.  As 95 teses de Martinho Lutero condenava a venda de indulgências e propunha a fundação do luteranismo (religião luterana). De acordo com Lutero, a salvação do homem ocorria pelos pela fé, e não pelas obras.
  • 7. Consequências...  Lutero foi excomungado pelo papa Leão X em 1521.  Como também não quis se retratar ao imperador Carlos V, foi expulso do Sacro Império Romano-Germânico. Refugiou-se num palácio e traduziu a Bíblia para o alemão.
  • 8. REVOLTA DOS ANABATISTAS  As ideias luteranas influenciaram a revolta camponesa (anabatistas) - procuravam confiscar as terras senhoriais e as da Igreja.  Lutero opôs-se aos anabatistas, contando com o apoio dos príncipes e nobres.  Muitos príncipes deram proteção a Lutero, pois tinham interesses econômicos no rompimento com a Igreja. Esse apoio foi decisivo para poupá-lo da punição, consolidar a Reforma Protestante e formar a Igreja Luterana.
  • 9. O termo protestante...  Em 1529, Carlos V convocou nova Dieta (assembleia), em Spira e decidiu que a doutrina luterana passaria a ser tolerada nas regiões convertidas, mas proibida no restante da Alemanha.  Os luteranos protestaram e daí nasceu o termo protestante.
  • 10. A Liga de Smalkade  Para enfrentar o imperador, os luteranos organizaram a Liga de Smalkade, que só conseguiria vitória em 1555, com a Paz de Augsburg.  Com isso cada príncipe tinha o direito de escolher a sua religião e as de seus súditos.  É importante saber: se Lutero tivesse se revoltado com a Igreja Católica um século antes, seria queimado. No momento em que Lutero se revoltou os tempos eram outros: nova mentalidade, o descontentamento com a Igreja era grande e havia pessoas poderosas dispostas a mudar de religião e proteger quem o fizesse.
  • 11. Fundamentos da Doutrina Luterana  LivroSagrado: A Bíblia é a única fonte de fé.  Salvação Humana: pela fé em Deus  Sacramentos: Eucaristia e Batismo  Rito religioso: culto simples (língua nacional)  Áreas de influência: Norte da Alemanha, Dinamarca, Noruega, Suécia,
  • 12. A Reforma Calvinista  Foi Ulrich Zwinglio (1484-1531), um padre suíço radical que forneceu as bases para a Reforma Calvinista. Com suas ideias e conversões provocou uma guerra civil e acabou perdendo a vida.  Na França, João Calvino começou a Reforma Luterana no ano de 1534. De acordo com Calvino cada pessoa nasce com o destino traçado (predestinação) e há alguns sinais (o trabalho justo e honesto) . Essa ideia calvinista, atraiu muitos burgueses e banqueiros para o calvinismo. Muitos trabalhadores também viram nesta nova religião uma forma de ficar em paz com sua religiosidade.
  • 13. Fundamentos da Doutrina Calvinista  Livro Sagrado: A Bíblia é a única fonte de fé.  Salvação Humana: pela fé em Deus. Predestinação  Sacramentos: Eucaristia e Batismo  Rito religioso: culto simples (língua nacional)  Áreas de influência: Suíça, Países Baixos, parte da França (huguenotes), Inglaterra (puritanos), Escócia (presbiterianos).
  • 14. A Reforma Anglicana  Na Inglaterra, o rei Henrique VIII rompeu com o papado, após este se recusar a cancelar o casamento do rei. Henrique VIII funda o anglicanismo e aumenta seu poder e suas posses, já que retirou da Igreja Católica uma grande quantidade de terras.  Livro Sagrado : A Bíblia é a única fonte de fé.  Salvação Humana : pela fé em Deus.  Sacramentos : Eucaristia e Batismo  Rito religioso : Culto conservando a forma católica (liturgia, ( hierarquia da Igreja). Uso da língua nacional (inglês).  Áreas de influência : Inglaterra
  • 15. A Contrarreforma  Com o avanço das ideias protestantes, ganhou força um amplo movimento de moralização do clero e reorganização das estruturas administrativas da Igreja Católica, que ficou conhecido como Contrarreforma.  Um conjunto de medidas foram adotadas: Criação da Companhia de Jesus (jesuítas)- expansão do catolicismo; criação de escolas religiosas - Concílio de Trento (1545-1563).
  • 16. No Concílio de Trento ficou definido :  A salvação humana – depende da fé e das boas obras.  A fonte da fé – a Bíblia (melhor interpretada pela Igreja) e a tradição religiosa.  A missa e a presença de Cristo – a Igreja reafirmou que no ato da eucaristia ocorria a presença real de Jesus no pão e no vinho.  Determinou ainda:  - Retomada do Tribunal do Santo Ofício - Inquisição : punir e condenar os acusados de heresias  - Criação do Index Librorium Proibitorium (Índice de Livros Proibidos) : evitar a propagação de ideias contrárias à Igreja Católica.