SlideShare uma empresa Scribd logo
Circunferência
Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 1
Circunferência
Proposta de sequência de tarefas para o 9.º ano - 3.º ciclo
Junho de 2011
Autores: Professores das turmas piloto do 9º ano de escolaridade
Ano Lectivo 2010 / 2011
Circunferência
Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 2
Introdução
Tópico:
Circunferência
- Lugares geométricos
- Circunferência inscrita e circunferência circunscrita a um triângulo
- Ângulo ao centro, ângulo inscrito e ângulo excêntrico
- Polígono regular inscrito numa circunferência
De acordo com o programa, neste tópico damos especial importância à “...visualização e
compreensão de propriedades de figuras geométricas no plano, …”, desenvolvendo a
“compreensão das transformações geométricas e da noção de demonstração.” bem como à
“utilização dos novos conhecimentos e capacidades para resolver problemas”. O trabalho em AGD
(Ambientes de Geometria Dinâmica) permite realizar construções dinâmicas que são um recurso
importante nas actividades de exploração pois facilitam a elaboração de estratégias construtivas,
apoiam a formulação de conjecturas e a descrição dos processos. Estas actividades de exploração
possibilitam que os alunos elaborem justificações sob a forma de cadeias dedutivas o que os
começa a familiarizar com os processos de demonstração.
Para atingir esses fins ou propósitos de ensino, propomos uma cadeia de tarefas que explora
definições elementares de certos lugares geométricos, já introduzidos em anteriores abordagens.
Pretende-se melhorar a compreensão das propriedades de figuras e das relações entre os seus
elementos, como por exemplo posição relativa de pontos, rectas, segmentos e ângulos
relativamente à circunferência.
A cadeia de tarefas começa por abordar a mediatriz de um segmento, a bissectriz de um ângulo, a
circunferência e o círculo como lugares geométricos, usando a noção de distância entre pontos e
entre pontos e rectas. A tarefa 2 aborda a construção de uma circunferência definida por 3 pontos e
a sua relação com triângulos. A tarefa 3 introduz cordas, arcos e tangentes. Já na tarefa 4 explora-
se a relação entre arcos de circunferência e ângulos ao centro. As tarefas 5 e 6 tratam da relação
entre arcos de circunferência e ângulos inscritos na circunferência, no interior ou no exterior do
círculo.
Finalmente, as tarefas 7 e 8 abordam os ângulos externos e internos de polígonos, com especial
relevância para o estudo dos polígonos inscritos em circunferências.
Circunferência
Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 3
Proposta de planificação
Blocos
previstos
Tópico Objectivos específicos Notas Tarefas Instrumentos
2
Circunferência
Lugares
geométricos
Circunferência
inscrita e
circunferência
circunscrita a um
triângulo
 Identificar e construir circunferência,
círculo, bissectriz e mediatriz.
 Identificar superfície esférica e plano
mediador.
 Construir a circunferência inscrita e a
circunferência circunscrita a um
triângulo dado.
 Resolver problemas envolvendo a
circunferência e outros lugares
geométricos.
Tarefa 1
Lugares geométricos
Tarefa 2
Circunferências e
triângulos
Material de
Desenho
4
Ângulo ao centro
Ângulo inscrito
Ângulo excêntrico
 Estabelecer relações entre ângulos,
arcos, cordas e tangentes.
 Relacionar a amplitude de um ângulo
ao centro com a do arco
correspondente e determinar a área do
sector circular.
 Relacionar a amplitude de um ângulo
inscrito e de um ângulo excêntrico com
a dos arcos associados.
 Resolver problemas envolvendo a
circunferência e outros lugares
geométricos.
Propor como exemplos de
relações:
- a tangente à circunferência é
perpendicular ao raio no ponto
de tangência;
- a perpendicular a uma corda
que passa pelo centro da
circunferência bissecta a
corda.
Considerar o vértice do ângulo
na circunferência e no exterior
e interior do círculo.
Nas construções geométricas
recorrer a software de
Geometria Dinâmica.
Tarefa 3
Cordas, arcos e
tangentes
Tarefa 4
Ângulos e arcos
Tarefa 5
Ângulos inscritos
Tarefa 6
Ângulos excêntricos
Material de
desenho
AGD
Circunferência
Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 4
2
Polígono regular
inscrito numa
circunferência
 Determinar a amplitude de um ângulo
interno e de um ângulo externo de um
polígono regular
 Inscrever um polígono regular numa
circunferência (conhecidos o centro da
circunferência e um vértice do
polígono).
Tarefas 7A e 7B
Ângulos externos e
internos de polígonos
Tarefa 8
Polígonos inscritos.
Material de
desenho
AGD
Circunferência
Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 5
Tarefa 1- Lugares geométricos
Com a realização desta tarefa pretende-se que os alunos usem lugares geométricos para
resolver problemas, reforçando as noções de mediatriz, bissectriz, círculo e circunferência.
Tema matemático: Geometria
Nível de ensino: 3º ciclo
Tópico matemático: Circunferência
Subtópicos matemáticos:
Lugares geométricos
Capacidades transversais:
Raciocínio matemático: formulação de conjecturas.
Comunicação matemática: interpretação, representação, expressão e discussão.
Resolução de problemas: compreensão do problema; concepção, aplicação e justificação
de estratégias.
Conhecimentos prévios dos alunos:
Círculo e circunferência: propriedades e construção.
Bissectriz de um ângulo.
Mediatriz de um segmento de recta.
Aprendizagens visadas:
Identificar e construir circunferências, círculos, bissectriz e mediatriz.
Identificar superfície esférica e plano mediador.
Cadeia: 1ª tarefa de “Circunferência”
Recursos: material de desenho.
Duração prevista: 1 bloco de 90 minutos
Notas para o professor:
Espera-se que os alunos resolvam as situações propostas, desencadeando mecanismos de
aplicação dos seus conhecimentos quanto às propriedades e construção da circunferência,
do círculo, da mediatriz e da bissectriz.
O conceito de lugar geométrico deve ser construído nesta aula.
Se os alunos não tiverem presente a noção de bissectriz pode-se recorrer ao facto da
bissectriz ser o eixo de simetria do ângulo.
Circunferência
Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 6
No momento da aula que o professor considerar oportuno deve definir superfície esférica e
plano mediador generalizando para o espaço a noção de circunferência e de mediatriz
como lugares geométricos.
Poderá referir, por exemplo que as bolinhas de
sabão, se forem perfeitas, são superfícies
esféricas.
Todos os pontos da superfície esférica estão à
mesma distância do centro.
Se a bola estivesse “cheia”, obteríamos um
sólido que se chama esfera.
Um plano situado entre dois pontos A e B, que contém o ponto médio do segmento AB e é
perpendicular a este segmento chama-se plano mediador do segmento de recta AB.
Todos os pontos desse plano são equidistantes de A e de B.
Palavras chave: lugar geométrico; circunferência; círculo; bissectriz; mediatriz; superfície esférica;
esfera; plano mediador.
Circunferência
Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 7
Distância de um ponto a uma
recta é a medida do comprimento
do segmento de recta
perpendicular à recta que tem por
extremos o ponto dado e o ponto
da recta.
Tarefa 1- Lugares geométricos
1. O sinal sonoro
Do Hospital (ponto H), foi emitido um sinal sonoro às
11:32:04, o qual foi ouvido na Rua da Pega (ponto A)
às 11:32:05, ou seja, passado 1 segundo.
Para responderes às questões seguintes ignora as condições atmosféricas e as barreiras
arquitectónicas e de demografia do terreno.
1.1. Marca no mapa, todos os pontos onde o sinal sonoro foi ouvido ao mesmo tempo que em A.
Que figura geométrica (lugar geométrico) obtiveste?
1.2. Pensa, agora, em todos os pontos onde o sinal sonoro foi ouvido antes das 11:32:05.
Representa-os. Que lugar geométrico obtiveste?
1.3. Qual é a distância do ponto A à Estrada Nacional
N109?
1.4. Determinaste a distância do ponto A à estrada N109.
Assinala no mapa todos os pontos que estão a essa
distância da estrada N109. Que lugar geométrico obtiveste?
1.5. Assinala no mapa todos os pontos que estão à mesma distância (equidistantes) de A e de B.
Que lugar geométrico obtiveste?
Lugar geométrico é um conjunto
de pontos do espaço que gozam de
uma propriedade comum.
Circunferência
Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 8
2. Bissectriz de um ângulo
Na figura estão representadas duas semi-rectas que se intersectam no ponto G.
2.1. Constrói a bissectriz do ângulo desenhado.
2.2. Escolhe um ponto P da bissectriz e determina a sua distância a cada um dos lados do ângulo.
2.3. Repete a alínea anterior para outros pontos.
2.4. Qual a propriedade comum a todos os pontos da bissectriz.
Nota:
Um processo de construção:
- Encontra dois pontos (X e Y), nos lados do ângulo, à mesma distância do vértice (ponto G);
- Encontra um ponto Z equidistante de X e Y;
- A semi-recta GZ é a bissectriz do ângulo XGY.
Bissectriz de um ângulo é o lugar geométrico dos pontos que estão à
mesma distância dos lados desse ângulo.
A bissectriz AE, do ângulo BAC, é a semi-recta tal que os ângulos BAE e
EAC são congruentes.
Mediatriz de um segmento de recta é o lugar geométrico dos pontos do
plano equidistantes dos extremos do segmento.
A mediatriz m, do segmento de recta XY, é a recta perpendicular a XY no
seu ponto médio.
Circunferência é o lugar geométrico dos pontos do plano que estão à mesma distância de um
ponto fixo que é o centro da circunferência.
Círculo é o lugar geométrico dos pontos do plano cuja distância a um ponto fixo (centro do
círculo) é menor ou igual a um número dado (raio).
X y
m
A
B
C
E
Circunferência
Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 9
3. Tesouro perdido
Há muito que se sabia de um tesouro escondido algures num
certo local, mas durante séculos todas as tentativas para o
encontrar falharam.
Contudo, há alguns anos foi descoberto um mapa que foi a
chave para a localização do tesouro.
Se não fossem seguidas escrupulosamente as instruções o
tesouro jamais seria localizado.
De acordo com as seguintes instruções, descobre no mapa o local do tesouro.
Passo 1: Encontra dois pontos A e B do rio à distância de 40 metros de G;
Passo 2: Encontra os pontos equidistantes de A e B;
Passo 3: Encontra os pontos que estão à mesma distância das linhas e e f;
Passo 4: Encontra os pontos que verificam, ao mesmo tempo, as condições dos
passos 2 e 3.
Passo 5: O tesouro encontrava-se enterrado num desses pontos situado a mais
de 40 metros do ponto G.
Circunferência
Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 10
Tarefa 2 – Circunferências e triângulos
Com a realização desta tarefa pretende-se construir as circunferências inscrita e circunscrita a
um triângulo dado.
Tema matemático: Geometria
Nível de ensino: 3º ciclo
Tópico matemático: Circunferência
Subtópicos matemáticos:
Circunferência inscrita e circunferência circunscrita a um triângulo.
Capacidades transversais:
Raciocínio matemático: formulação de conjecturas.
Comunicação matemática: interpretação, representação, expressão e discussão.
Resolução de problemas: compreensão do problema; concepção, aplicação e justificação
de estratégias.
Conhecimentos prévios dos alunos:
Construção e identificação dos lugares geométricos - circunferência, bissectriz de um
ângulo e mediatriz de um segmento de recta – pelas suas propriedades.
Identificação e construção dos diversos tipos de triângulos.
Aprendizagens visadas:
Construir a circunferência inscrita e a circunferência circunscrita a um triângulo dado.
Cadeia: 2ª tarefa de “Circunferência”
Recursos:
Material de desenho.
Computadores com software de geometria dinâmica.
Duração prevista: 1 bloco de 90 minutos
Notas para o professor:
Nos itens 1 e 2, os alunos devem trabalhar com material de desenho. Vão utilizar os
conhecimentos apreendidos sobre lugares geométricos para obterem as circunferências
inscrita e circunscrita a um triângulo dado.
O item 3 poderá ser realizado num ambiente de geometria dinâmica ou usando material de
desenho e pode ser deixado para um momento de resolução de problemas. Este item
destina-se a aplicar os conhecimentos que o aluno adquiriu e tem um carácter exploratório.
No caso de este item ser realizado em ambiente de geometria dinâmica, pode dar-se-lhe
outra redacção sugerindo que se considere apenas um triângulo, se encontre o circuncentro
e o incentro e, por arrastamento dos vértices do triângulo, identificar a posição destes
pontos nos diversos tipos de triângulos.
Palavras chave: circunferência, triângulos, incentro, circuncentro, inscrita, circunscrita.
Circunferência
Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 11
Tarefa 2 – Circunferências e triângulos
1. Desenha um triângulo XYZ.
1.1. Determina o ponto que está à mesma distância dos três vértices do triângulo.
1.2. Desenha a circunferência que passa pelos três vértices do triângulo.
A circunferência que passa pelos três vértices de um triângulo diz-se circunferência circunscrita
ao triângulo e o seu centro é o circuncentro do triângulo.
2. Desenha um triângulo ABC.
2.1. Encontra o conjunto de pontos que:
2.1.1. estão à mesma distância dos lados AB e AC do triângulo;
2.1.2. estão à mesma distância dos lados AB e BC do triângulo;
2.1.3. estão à mesma distância dos três lados do triângulo.
2.2. Desenha a circunferência que é tangente a todos os lados do triângulo.
A circunferência que é tangente aos três lados de um triângulo diz-se circunferência inscrita no
triângulo e o seu centro tem o nome de incentro do triângulo.
3. Desenha três triângulos à tua escolha, sendo um rectângulo, um obtusângulo e outro
acutângulo.
3.1. Encontra para cada caso o circuncentro
3.2. Em cada caso, qual é a posição do ponto encontrado relativamente ao triângulo?
3.3. E o incentro? Pode ser um ponto exterior ao triângulo?
Circunferência
Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 12
Tarefa 3 – Cordas, arcos e tangentes
Com a realização desta tarefa pretende-se que os alunos estabeleçam algumas relações entre
ângulos, cordas, arcos e tangentes numa circunferência.
Tema matemático: Geometria
Nível de ensino: 3º ciclo
Tópicos matemáticos: Circunferência
Subtópicos matemáticos:
Cordas, arcos e tangentes à circunferência
Capacidades transversais:
Resolução de problemas: compreensão do problema e concepção, aplicação e justificação
de estratégias.
Raciocínio matemático: formulação de conjecturas e argumentação.
Comunicação matemática: interpretação, representação, expressão e discussão.
Conhecimentos prévios dos alunos:
Mediatriz de um segmento de recta
Transformações geométricas
Soma dos ângulos internos de um quadrilátero
Aprendizagens visadas:
Estabelecer relações entre ângulos, arcos, cordas e tangentes numa circunferência
Resolver problemas envolvendo a circunferência e outros lugares geométricos.
Cadeia: 3ª tarefa de “Circunferência”
Recursos: Material de desenho.
Duração prevista: 1 bloco de 90 minutos
Notas para o professor:
Utilizando material de desenho pretende-se que os alunos estabeleçam relações entre
cordas, arcos e tangentes numa circunferência. Na questão 1 pretende-se explorar o facto
da mediatriz de qualquer corda passar pelo centro da circunferência a que pertence. No
item 1.2 o professor poderá explorar também na discussão que fizer em grande grupo os
teoremas recíprocos.
Na pergunta 2 a justificação de que cordas e arcos compreendidos entre cordas paralelas
são geometricamente iguais, poderá ser feito utilizando reflexões. Este é um bom momento
para recordar o estudo que foi realizado no tópico isometrias.
Já na questão 3 trabalha-se a relação de perpendicularidade entre uma tangente à
circunferência e o raio que lhe corresponde no ponto de tangência.
Por fim, esta tarefa termina com três problemas em que está subjacente a aplicação das
propriedades estudadas nas alíneas anteriores.
Palavras chave: Circunferência, cordas, arcos, tangentes, resolução de problemas, material de
desenho, mediatriz
Circunferência
Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 13
Tarefa 3 – Cordas, arcos e tangentes
1. Desenha um segmento de recta AB.
1.1. Traça duas circunferências diferentes que contenham a corda AB. Explica o modo como
procedeste.
1.2. Justifica as seguintes afirmações:
- Existe uma infinidade de circunferências que passam por A e B.
- Os centros das circunferências que passam por A e B estão sobre a mediatriz do segmento de
recta AB.
- Uma recta perpendicular ao meio de qualquer corda de uma circunferência passa pelo seu centro.
Corda de uma circunferência é um
segmento de recta cujos extremos
são pontos da circunferência.
Arco de uma circunferência é uma
porção de circunferência
compreendida entre dois pontos da
circunferência.
Circunferência
Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 14
2. Considera a figura em baixo onde AB e DC são cordas da circunferência paralelas entre si. EF é
a mediatriz das cordas AB e DC.
2.1. Justifica que a recta EF passa pelo centro da circunferência.
2.2. Qual a imagem do segmento de recta AD na reflexão de eixo EF?
2.3. Indica pares de segmentos de recta geometricamente iguais.
2.4. Indica pares de arcos de circunferência geometricamente iguais.
2.5. Encontra uma justificação para a seguinte afirmação:
“Os arcos compreendidos entre duas cordas paralelas são geometricamente iguais, bem como as
cordas que lhes correspondem”
3. Na figura está representada a circunferência de
centro A e a recta tangente a essa circunferência no
ponto T (ponto de tangência).
3.1. Traça o raio AT e verifica com a ajuda de um
transferidor que a amplitude do ângulo formado por
esse raio e a recta tangente representada é de 90º.
3.2. Considera um ponto S da circunferência. Traça o
raio AS. Como obterias a tangente à circunferência no
ponto S? Desenha-a.
3.3. Com base nas alíneas anteriores enuncia uma
propriedade das tangentes à circunferência?
Uma recta é tangente a uma circunferência
se tem apenas um ponto comum com a
circunferência (ponto de tangencia).
Circunferência
Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 15
4. Na figura ao lado as rectas BC e CD são tangentes à
circunferência de centro A. Sem utilizares o transferidor calcula a
amplitude do ângulo BCD.
5. Na figura seguinte está representada uma circunferência e duas cordas. Não se sabe onde está
o centro desta circunferência. Com a ajuda de um compasso e de uma régua encontra-o e explica
como procedeste.
6. Na figura em baixo, queremos traçar uma circunferência que passa por A e B e tenha o centro
na recta r. Como havemos de proceder?
Circunferência
Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 16
Tarefa 4 – Ângulos e arcos
Com a realização desta tarefa pretende-se que os alunos relacionem a amplitude de um ângulo
ao centro com a do arco correspondente e determinem a área de um sector circular.
Tema matemático: Geometria
Nível de ensino: 3º ciclo
Tópicos matemáticos: Circunferência
Subtópicos matemáticos:
Ângulo ao centro
Capacidades transversais:
Resolução de problemas: compreensão do problema e concepção, aplicação e justificação
de estratégias.
Raciocínio matemático: formulação de conjecturas e argumentação.
Comunicação matemática: interpretação, representação, expressão e discussão.
Conhecimentos prévios dos alunos:
Comprimento de uma circunferência
Área de um círculo
Área de um trapézio.
Aprendizagens visadas:
Relacionar a amplitude de um ângulo ao centro com a do arco correspondente
Determinar a área de um sector circular.
Cadeia: 4ª tarefa de “Circunferência”
Recursos: Computadores com software de geometria dinâmica.
Duração prevista: 1 bloco de 90 minutos
Notas para o professor:
Usando um ambiente de geometria dinâmica pretende-se, com as primeiras três perguntas
desta tarefa, que os alunos compreendam que a ângulos ao centro geometricamente iguais
só correspondem arcos também geometricamente iguais se pertencerem a circunferências
com o mesmo raio e que a amplitude de um arco é igual à amplitude do ângulo ao centro
correspondente.
Na questão 4 pretende-se explorar a relação de proporcionalidade directa entre amplitude
dos ângulos ao centro e a área do sector circular correspondente.
Por último, propõem-se dois problemas para a determinação de áreas e perímetros de
figuras planas.
Palavras chave: Ângulo ao centro, arco, sector circular, áreas, perímetros
Circunferência
Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 17
Tarefa 4 – Ângulos e arcos
Os ângulos que têm o vértice no centro de uma circunferência chamam-se ângulos ao centro.
1. Usando o Geogebra traça duas circunferências com raios diferentes
1.1. Em cada uma delas traça ângulos ao centro com 60º de amplitude.
1.2. Marca os arcos correspondentes a esses ângulos. Têm o mesmo comprimento?
1.3. Qual o comprimento de cada uma das circunferências?
1.4. Como sabemos uma circunferência corresponde a um arco de 360º, calcula a amplitude, em
graus, de cada um dos arcos marcados na alínea 1.2..
2. Constrói uma figura que tenha 3 arcos com a mesma amplitude, mas que não sejam
geometricamente iguais
3. Comenta as seguintes frases:
- A amplitude de um ângulo ao centro é igual à amplitude do arco correspondente.
- A ângulos ao centro geometricamente iguais correspondem arcos também geometricamente
iguais.
4. Considera a figura abaixo em que está representada uma circunferência de raio igual a 5cm e
um sector circular a sombreado. Sabendo que o ângulo ao centro AOB tem de amplitude 80º:
4.1. Qual o comprimento do arco AB.
4.2. Qual a área do sector circular AOB.
Circunferência
Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 18
5. Considera a figura em que está representado o quadrado ABCD de lado 3 cm. Sabendo que
ADE e CBF são sectores circulares determina a área e o perímetro desta figura.
6. Na figura seguinte estão representados o trapézio rectângulo ABCD e o sector circular BFC.
Tendo em conta os dados apresentados determina o perímetro e a área da figura.
Circunferência
Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 19
Tarefa 5 – Ângulos inscritos
Com a realização desta tarefa pretende-se que os alunos relacionem a amplitude de um ângulo
inscrito com a amplitude do arco compreendido entre os seus lados.
Tema matemático: Geometria
Nível de ensino: 3º ciclo
Tópicos matemáticos: Circunferência
Subtópicos matemáticos:
Ângulo inscrito.
Capacidades transversais:
Resolução de problemas: compreensão do problema e concepção, aplicação e justificação
de estratégias.
Raciocínio matemático: formulação, teste e demonstração de conjecturas. Argumentação.
Comunicação matemática: interpretação, representação, expressão e discussão.
Conhecimentos prévios dos alunos:
Ângulo ao centro
Tangentes à circunferência
Soma dos ângulos internos de um triângulo
Aprendizagens visadas:
Relacionar a amplitude de um ângulo inscrito com a amplitude do arco compreendido entre
os seus lados
Resolver problemas envolvendo a amplitude de um ângulo inscrito numa semi-
circunferência.
Cadeia: 5ª tarefa de “Circunferência”
Recursos: Computadores com software de geometria dinâmica e material de desenho.
Duração prevista: 1 bloco de 90 minutos
Notas para o professor:
Através da primeira questão pretende-se, num ambiente de geometria dinâmica, que os
alunos conjecturem sobre a relação entre a amplitude de um ângulo inscrito e a amplitude
do arco compreendido entre os seus lados. Na segunda questão propõe-se a demonstração
desta relação no caso particular em que um dos lados do ângulo inscrito contém um
diâmetro da circunferência. O professor poderá propor a demonstração envolvendo outros
ângulos inscritos, desde que o considere adequado ao nível dos seus alunos.
Na questão 3 pretende-se que os alunos conjecturem e justifiquem que qualquer ângulo
inscrito numa semi-circunferência é recto.
As questões seguintes são diversos problemas que pressupõem a aplicação dos resultados
estudados anteriormente.
Palavras chave: Ângulo inscrito, arcos, amplitudes de ângulos, tangentes à circunferência,
geometria dinâmica, material de desenho, resolução de problemas.
Circunferência
Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 20
Tarefa 5 – Ângulos inscritos
Os ângulos que têm o vértice sobre a circunferência e cujos lados contêm cordas chamam-se
ângulos inscritos.
1. Usando o Geogebra traça uma circunferência e marca-lhe um ângulo inscrito como a figura
abaixo.
1.1. Mede a amplitude do ângulo CDE.
1.2. Arrasta o ponto D pela circunferência e constata o que se passa com a amplitude do ângulo
CDE.
1.3. Qual a amplitude do arco CE?
1.4. O arco CE está compreendido entre os lados do ângulo CDE. Que relação existe entre a
amplitude do ângulo CDE e a amplitude do arco CE?
1.5. Será que a relação que encontraste em 1.4. se verifica para todos os ângulos inscritos?
Experimenta.
2. Considera a seguinte figura em que AOB é um ângulo ao centro e AVB é um ângulo inscrito.
2.1. Classifica o triângulo OBV quanto aos lados, justificando a tua
resposta.
2.2. Demonstra que a amplitude do ângulo AVB é metade da
amplitude do arco AB.
Circunferência
Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 21
3. Observa a figura seguinte:
3.1. Determina as amplitudes dos ângulos inscritos assinalados.
3.2. Justifica a seguinte afirmação:
“Qualquer triângulo inscrito numa circunferência em que um dos lados é um diâmetro é um
triângulo rectângulo”.
4. Na figura baixo está representada uma circunferência da qual não se conhece o centro. Usando
somente um esquadro e um lápis, descobre onde se situa o centro dessa circunferência. Explica o
modo como procedeste.
Circunferência
Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 22
5. Na figura está uma circunferência de centro O e um ponto P exterior à circunferência. Queremos
traçar duas tangentes à circunferência que passem por P, como havemos de proceder?
Sugestão:
I. Encontra o ponto médio do segmento de recta PO e chama-lhe M.
II. Traça uma circunferência de centro em M e raio MP.
III. Os pontos de intersecção das duas circunferências são os pontos de tangencia que
pretendíamos encontrar.
IV. Traça as tangentes à circunferência.
Justifica porque é que este procedimento é adequado para traçar tangentes à circunferência.
6. Considera a figura em que está representada a circunferência de centro A. Sabendo que DE tem
o comprimento igual ao raio da circunferência e a amplitude do ângulo AED é 20º, determina a
amplitude do ângulo CAF.
Circunferência
Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 23
Tarefa 6 – Ângulos excêntricos
Com a realização desta tarefa pretende-se que os alunos relacionem a amplitude de ângulos
excêntricos, nomeadamente com o vértice no interior e no exterior do círculo, com as
amplitudes dos arcos que lhes estão associados.
Tema matemático: Geometria
Nível de ensino: 3º ciclo
Tópicos matemáticos: Circunferência
Subtópicos matemáticos:
Ângulo excêntrico
Capacidades transversais:
Raciocínio matemático: formulação de conjecturas e argumentação.
Comunicação matemática: interpretação, representação, expressão e discussão.
Conhecimentos prévios dos alunos:
Soma dos ângulos internos de um triângulo
Soma dos ângulos internos de um pentágono
Amplitude de arco
Aprendizagens visadas:
Relacionar a amplitude de um ângulo com o vértice no interior do círculo com s amplitude
dos arcos que lhe estão associados.
Relacionar a amplitude de um ângulo com o vértice no exterior do círculo com a amplitude
dos arcos que lhe estão associados.
Cadeia: 6ª tarefa de “Circunferência”
Recursos: Papel e lápis
Duração prevista: 1 bloco de 90 minutos
Notas para o professor:
Com esta tarefa pretende-se estudar a relação entre as amplitudes dos ângulos com o
vértice no interior e no exterior do círculo com as amplitudes dos arcos compreendidos entre
os seus lados e os seus prolongamentos.
Os alunos são colocados perante duas situações e a partir da regularidade das figuras,
espera-se que conjecturem sobre a relação entre as amplitudes dos ângulos e dos arcos
correspondentes, em estudo.
Palavras chave: Circunferência, ângulos excêntricos, arcos, amplitudes de ângulos
Circunferência
Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 24
Tarefa 6 – Ângulos excêntricos
1. A figura representa um pentágono regular estrelado inscrito numa circunferência.
1.1. Qual é a amplitude do ângulo FDG?
Repara que este ângulo não é um ângulo inscrito, nem um ângulo ao centro. É um ângulo com o
vértice no interior da circunferência. Tem em conta que o pentágono ABCDE é regular.
1.2. Qual a amplitude do arco compreendido entre os lados do ângulo FDG (arco FG)?
1.3. Qual a amplitude do arco compreendido entre os prolongamentos dos lados do ângulo FDG
(arco HJ)?
1.4. Encontras alguma relação entre a amplitude do ângulo FDG e as amplitudes dos arcos
compreendidos entre os seus lados e os seus prolongamentos?
1.5. Será que esta propriedade se verifica para todos os ângulos com o vértice no interior duma
circunferência?
Nesta figura, experimenta com outros ângulos. Por exemplo com o ângulo FCG.
Circunferência
Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 25
2. Na figura seguinte o pentágono ABCDE é regular:
2.1. Qual é a amplitude do ângulo IFJ?
Repara que o ângulo IFJ é um ângulo com o vértice no
exterior da circunferência. O ângulo pedido é um dos
ângulos internos do triângulo EFD.
2.2. O ângulo IFJ tem dois arcos compreendidos entre os
seus lados (arco ED e arco AC). Determina a amplitude
desses dois arcos.
2.3. Encontras alguma relação entre a amplitude do ângulo IFJ e as amplitudes dos arcos
compreendidos entre os seus lados?
2.4. Será que esta propriedade se verifica para todos os ângulos com o vértice no exterior duma
circunferência?
3. Considera a figura seguinte em que DC é um diâmetro e os arcos DE, EB e BC têm a mesma
amplitude:
Calcula a amplitude do ângulo DAC de duas maneiras:
1: tendo em conta que é um ângulo interno do triângulo ADC;
2: utilizando a regra que descobriste na alínea 2.3. para determinares a amplitude de ângulos com
o vértice no exterior da circunferência.
Circunferência
Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 26
Tarefas 7A e 7B – Ângulos internos e externos de polígonos
Com a realização desta tarefa pretende-se resolver problemas que envolvam a determinação
das amplitudes de ângulos internos e externos de um polígono.
Tema matemático: Geometria
Nível de ensino: 3º ciclo
Tópicos matemáticos: Circunferência
Subtópicos matemáticos:
Ângulos internos e externos de polígonos
Capacidades transversais:
Resolução de problemas: compreensão do problema; concepção, aplicação e justificação
de estratégias.
Raciocínio matemático: formulação, teste e demonstração de conjecturas.
Comunicação matemática: Interpretação, representação, expressão e discussão.
Conhecimentos prévios dos alunos:
Polígonos regulares.
Resolução de equações do 1º grau com uma incógnita.
Aprendizagens visadas:
Resolver problemas.
Determinar a amplitude de um ângulo interno e de um ângulo externo de um polígono
regular
Cadeia: 7ª tarefa de “Circunferência”
Recursos: Papel e lápis (tarefa 7A) e computadores com software de geometria dinâmica
(tarefa 7B)
Duração prevista: 1 bloco de 90 minutos
Notas para o professor:
Para abordar este assunto são apresentadas duas tarefas. A tarefa 7A para os alunos que
no 7º ano de escolaridade, no tópico triângulos e quadriláteros, deduziram a soma das
amplitudes dos ângulos internos e dos ângulos externos de um qualquer polígono convexo.
A tarefa 7B é sugerida para os alunos que ainda não abordaram este assunto
anteriormente. Com esta proposta de trabalho pretende-se que os alunos deduzam as
somas referidas e façam demonstrações simples. Para quem opte por esta segunda tarefa
é aconselhável que os alunos resolvam também alguns problemas apresentados na tarefa
7A.
Palavras chave: ângulos internos, ângulos externos, soma, polígono convexo.
Circunferência
Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 27
Tarefa 7A – Ângulos internos e externos de polígonos
Recorda que:
A soma das amplitudes dos ângulos internos de um polígono de n lados é igual a:
(n - 2) x 180º
A soma das amplitudes dos ângulos externos de qualquer polígono convexo é 360º
1. Considera um decágono regular:
1.1. Qual a soma das amplitudes dos seus ângulos internos?
1.2. Qual a soma das amplitudes dos seus ângulos externos?
1.3. Qual a amplitude de cada ângulo interno?
1.4. Qual a amplitude de cada ângulo externo?
2.
2.1. Quantos lados tem um polígono cujas amplitudes dos ângulos internos somam 1980º?
2.2. Existirá algum polígono convexo cujas amplitudes dos ângulos internos somem 7500º?
3. Num certo polígono regular, cada ângulo externo mede 30º.
3.1. Quantos lados tem esse polígono?
3.2. Quanto mede cada ângulo interno?
3.3. Qual é a soma das medidas das amplitudes dos ângulos internos desse polígono?
3.4. Num polígono regular com o dobro do número de lados do anterior, quanto medirá cada ângulo
interno?
4. Qual é o número mínimo de lados que um polígono convexo deve ter para que a soma das
amplitudes dos seus ângulos internos seja superior a 3000º?
Circunferência
Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 28
5. Considera a figura em que ABCDEFGH é um octógono regular e GHI é um triângulo equilátero:
5.1. Determina a amplitude dos ângulos EDC e FGI.
5.2. Mostra que o triângulo DCJ é um triângulo rectângulo isósceles.
6. Tendo em conta os dados da figura determina o valor de a.
Circunferência
Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 29
Tarefa 7B – Ângulos internos e externos de polígonos
1.
1.1. Constrói um triângulo.
1.2. Mede as amplitudes dos seus ângulos internos e adiciona as medidas obtidas.
1.3. Arrasta um vértice qualquer do triângulo de modo a obter um novo triângulo e verifica o que se
passa com as amplitudes dos ângulos e com a respectiva soma.
1.4. Escreve uma conjectura sobre o que observas.
2.
2.1. Procede de igual modo para outros polígonos convexos
(quadrilátero, pentágono,…) e preenche a seguinte tabela.
Na terceira coluna deves colocar o número de triângulos que se
obtém traçando todas as diagonais possíveis a partir de um vértice;
por exemplo, no pentágono, obtém-se 3 triângulos.
Nome do polígono Número de lados
Número de triângulos
que se obtém
Soma dos ângulos
internos
Triângulo
Quadrilátero
Pentágono
Hexágono
Polígono de n lados
2.2. Num pequeno texto sintetiza as justificações e a conclusão.
Circunferência
Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 30
3. Os polígonos também têm ângulos externos.
No triângulo ABC, em baixo, um dos ângulos externos é o ângulo DAB que se obtém
construindo a semi-recta CA (prolongando o lado AC) e o ponto D exterior ao segmento de recta
AC.
São igualmente ângulos externos os ângulos EBC e FCA.
3.1. Mede e adiciona as amplitudes dos ângulos DAB, EBC e ACF.
3.2. Arrasta um dos vértices do triângulo e escreve uma conjectura sobre o valor da soma dos
ângulos externos de um triângulo.
3.3. Considera o triângulo ABC da figura.
3.3.1. Qual é o valor da soma DAB BAC EBC ABC ACF BCA ?
3.3.2. Tendo em atenção que a soma dos ângulos internos de um triângulo é 180º, é possível
saber o valor da soma dos ângulos externos de um triângulo?
3.3.3. A conclusão que tiraste na alínea anterior permanece válida se considerarmos outro
triângulo? Porquê?
4.
4.1. Procede de modo análogo para outros polígonos convexos e preenche a tabela seguinte
Nome do polígono Número de lados
Soma dos ângulos
externos
Triângulo
Quadrilátero
Pentágono
Hexágono
Polígono de n lados
4.2. Num pequeno texto sintetiza as justificações e a conclusão.
A
C
B
D
E
F
Circunferência
Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 31
Tarefa 8 – Polígonos inscritos
Com a realização desta tarefa pretende-se inscrever polígonos regulares numa circunferência.
Tema matemático: Geometria
Nível de ensino: 3º ciclo
Tópicos matemáticos: Circunferência
Subtópicos matemáticos:
Polígono regular inscrito numa circunferência
Capacidades transversais:
Resolução de problemas: compreensão do problema; concepção, aplicação e justificação
de estratégias.
Raciocínio matemático: formulação, teste e demonstração de conjecturas.
Comunicação matemática: interpretação, expressão e discussão.
Conhecimentos prévios dos alunos:
Noção de polígono inscrito numa circunferência.
Polígono regular
Aprendizagens visadas:
Inscrever um polígono regular numa circunferência.
Conceber e pôr em prática estratégias de resolução de problemas, verificando a adequação
dos resultados obtidos e dos processos utilizados.
Cadeia: 8ª tarefa de “Circunferência”
Recursos: material de desenho e computadores com software de geometria dinâmica.
Duração prevista: 1 bloco de 90 minutos
Notas para o professor:
Esta tarefa é constituída por duas partes. Na primeira pretende-se que o aluno, usando
material de desenho, inscreva polígonos regulares e o triângulo rectângulo numa
circunferência dada.
O segundo item é uma tarefa de índole exploratória. Não esquecendo que o programa
apenas prevê a inscrição de polígonos regulares em circunferências, o objectivo é que o
aluno, apoiado num software de geometria dinâmica, faça conjecturas e as teste.
Palavras chave: polígono inscrito, circunferência, quadrilátero
Circunferência
Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 32
Tarefa 8 – Polígonos inscritos
1. Desenha quatro circunferências e em cada uma delas inscreve um dos seguintes polígonos:
1.1. quadrado;
1.2. pentágono regular;
1.3. hexágono regular;
1.4. triângulo rectângulo.
2. Já inscreveste um quadrado numa circunferência Será possível inscrever qualquer quadrilátero
numa circunferência?
Tenta inscrever numa circunferência
 Um rectângulo que não seja um quadrado
 Um losango que não seja quadrado
 Um paralelogramo obliquângulo
 Outros quadriláteros
Descobre uma condição que garanta que um quadrilátero pode ser inscrito numa circunferência.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Pontos NotáVeis Do TriâNgulo1
Pontos NotáVeis Do TriâNgulo1Pontos NotáVeis Do TriâNgulo1
Pontos NotáVeis Do TriâNgulo1
ISJ
 
Circunferencias
CircunferenciasCircunferencias
Circunferencias
con_seguir
 
Ângulos em uma circunferência
Ângulos em uma circunferênciaÂngulos em uma circunferência
Ângulos em uma circunferência
André Aleixo
 
Angulos na circunferência
Angulos na circunferênciaAngulos na circunferência
Angulos na circunferência
Clauzir Paiva Nascim Paiva
 
Poligonos inscritos
Poligonos inscritosPoligonos inscritos
Poligonos inscritos
Antonio Carneiro
 
Circunferência
CircunferênciaCircunferência
Circunferência
marmorei
 
Apostila de geometria analítica
Apostila de geometria analíticaApostila de geometria analítica
Apostila de geometria analítica
Robson Franklin Aguiar Couto
 
ângulos na circunferência
ângulos na circunferênciaângulos na circunferência
ângulos na circunferência
Luiza Meneses
 
Triângulos
TriângulosTriângulos
Triângulos
tendasilva
 
Circunferências, arcos e ângulos
Circunferências, arcos e ângulosCircunferências, arcos e ângulos
Circunferências, arcos e ângulos
Neil Azevedo
 
Circunferências
CircunferênciasCircunferências
Circunferências
joanasfmorais
 
Ef constucoes geometricas
Ef constucoes geometricasEf constucoes geometricas
Ef constucoes geometricas
Uclatandariel Uclatandariel
 
Poliígonos inscritos exercícios resolvidos
Poliígonos inscritos   exercícios resolvidosPoliígonos inscritos   exercícios resolvidos
Poliígonos inscritos exercícios resolvidos
Celso do Rozário Brasil Gonçalves
 
Apresentação circulo e circunferência
Apresentação circulo e circunferênciaApresentação circulo e circunferência
Apresentação circulo e circunferência
Luis
 
Polígonos Regulares
Polígonos RegularesPolígonos Regulares
Polígonos Regulares
marlizestampe
 
PosiçãO Relativa Entre Reta E CircunferêNcia
PosiçãO Relativa Entre Reta E CircunferêNciaPosiçãO Relativa Entre Reta E CircunferêNcia
PosiçãO Relativa Entre Reta E CircunferêNcia
ISJ
 
Figuras Geometricas
Figuras GeometricasFiguras Geometricas
Figuras Geometricas
guest2d4a73f
 
Circunferência
CircunferênciaCircunferência
Circunferência
Adriana Araujo
 
Ângulos internos e ângulos externos de um polígono
Ângulos internos e ângulos externos de um polígonoÂngulos internos e ângulos externos de um polígono
Ângulos internos e ângulos externos de um polígono
Filipa Guerreiro
 
Geometria analítica
Geometria analíticaGeometria analítica
Geometria analítica
Kaline Andreza
 

Mais procurados (20)

Pontos NotáVeis Do TriâNgulo1
Pontos NotáVeis Do TriâNgulo1Pontos NotáVeis Do TriâNgulo1
Pontos NotáVeis Do TriâNgulo1
 
Circunferencias
CircunferenciasCircunferencias
Circunferencias
 
Ângulos em uma circunferência
Ângulos em uma circunferênciaÂngulos em uma circunferência
Ângulos em uma circunferência
 
Angulos na circunferência
Angulos na circunferênciaAngulos na circunferência
Angulos na circunferência
 
Poligonos inscritos
Poligonos inscritosPoligonos inscritos
Poligonos inscritos
 
Circunferência
CircunferênciaCircunferência
Circunferência
 
Apostila de geometria analítica
Apostila de geometria analíticaApostila de geometria analítica
Apostila de geometria analítica
 
ângulos na circunferência
ângulos na circunferênciaângulos na circunferência
ângulos na circunferência
 
Triângulos
TriângulosTriângulos
Triângulos
 
Circunferências, arcos e ângulos
Circunferências, arcos e ângulosCircunferências, arcos e ângulos
Circunferências, arcos e ângulos
 
Circunferências
CircunferênciasCircunferências
Circunferências
 
Ef constucoes geometricas
Ef constucoes geometricasEf constucoes geometricas
Ef constucoes geometricas
 
Poliígonos inscritos exercícios resolvidos
Poliígonos inscritos   exercícios resolvidosPoliígonos inscritos   exercícios resolvidos
Poliígonos inscritos exercícios resolvidos
 
Apresentação circulo e circunferência
Apresentação circulo e circunferênciaApresentação circulo e circunferência
Apresentação circulo e circunferência
 
Polígonos Regulares
Polígonos RegularesPolígonos Regulares
Polígonos Regulares
 
PosiçãO Relativa Entre Reta E CircunferêNcia
PosiçãO Relativa Entre Reta E CircunferêNciaPosiçãO Relativa Entre Reta E CircunferêNcia
PosiçãO Relativa Entre Reta E CircunferêNcia
 
Figuras Geometricas
Figuras GeometricasFiguras Geometricas
Figuras Geometricas
 
Circunferência
CircunferênciaCircunferência
Circunferência
 
Ângulos internos e ângulos externos de um polígono
Ângulos internos e ângulos externos de um polígonoÂngulos internos e ângulos externos de um polígono
Ângulos internos e ângulos externos de um polígono
 
Geometria analítica
Geometria analíticaGeometria analítica
Geometria analítica
 

Destaque

Atividades da aula de apoio - 2 de março
Atividades da aula de apoio - 2 de marçoAtividades da aula de apoio - 2 de março
Atividades da aula de apoio - 2 de março
Lúcio Aguiar
 
Proposição
ProposiçãoProposição
Proposição
Paula Oliveira Cruz
 
9.ppt.s.circulatorio.sangue
9.ppt.s.circulatorio.sangue9.ppt.s.circulatorio.sangue
9.ppt.s.circulatorio.sangue
Lúcio Aguiar
 
Voz passiva em inglês
Voz passiva em inglêsVoz passiva em inglês
Voz passiva em inglês
Lúcio Aguiar
 
1 9ºano o sangue
1 9ºano o sangue1 9ºano o sangue
1 9ºano o sangue
Maria Rocha R
 
9ºano 5.2 vasos sanguíneos
9ºano 5.2 vasos sanguíneos9ºano 5.2 vasos sanguíneos
9ºano 5.2 vasos sanguíneos
Maria Rocha R
 
Análise de Os Lusíadas
Análise de Os Lusíadas Análise de Os Lusíadas
Análise de Os Lusíadas
Lurdes Augusto
 
Contrastes de desenvolvimento (...)
Contrastes de desenvolvimento (...)Contrastes de desenvolvimento (...)
Contrastes de desenvolvimento (...)
Rosária Zamith
 

Destaque (8)

Atividades da aula de apoio - 2 de março
Atividades da aula de apoio - 2 de marçoAtividades da aula de apoio - 2 de março
Atividades da aula de apoio - 2 de março
 
Proposição
ProposiçãoProposição
Proposição
 
9.ppt.s.circulatorio.sangue
9.ppt.s.circulatorio.sangue9.ppt.s.circulatorio.sangue
9.ppt.s.circulatorio.sangue
 
Voz passiva em inglês
Voz passiva em inglêsVoz passiva em inglês
Voz passiva em inglês
 
1 9ºano o sangue
1 9ºano o sangue1 9ºano o sangue
1 9ºano o sangue
 
9ºano 5.2 vasos sanguíneos
9ºano 5.2 vasos sanguíneos9ºano 5.2 vasos sanguíneos
9ºano 5.2 vasos sanguíneos
 
Análise de Os Lusíadas
Análise de Os Lusíadas Análise de Os Lusíadas
Análise de Os Lusíadas
 
Contrastes de desenvolvimento (...)
Contrastes de desenvolvimento (...)Contrastes de desenvolvimento (...)
Contrastes de desenvolvimento (...)
 

Semelhante a 062 cadeia circunferência

Cônicas
CônicasCônicas
Cônicas
Adriana Araujo
 
Tarefa 7 ApresentaçãO
Tarefa 7   ApresentaçãOTarefa 7   ApresentaçãO
Tarefa 7 ApresentaçãO
RFBH2910
 
Geometria analítica
Geometria analíticaGeometria analítica
Geometria analítica
Kaline Andreza
 
oi
oioi
Area de um poligono regular e do círculo.ppt
Area de um poligono regular e do círculo.pptArea de um poligono regular e do círculo.ppt
Area de um poligono regular e do círculo.ppt
ApoenaAlencar1
 
Sessões Cônicas
 Sessões Cônicas Sessões Cônicas
Sessões Cônicas
Antonio Carneiro
 
Projeto Execucao - Luis Alberto - 20 out 2012 - VF
Projeto Execucao - Luis Alberto - 20 out 2012 - VFProjeto Execucao - Luis Alberto - 20 out 2012 - VF
Projeto Execucao - Luis Alberto - 20 out 2012 - VF
luisadr
 
Sequência didática circunferência
Sequência didática circunferênciaSequência didática circunferência
Sequência didática circunferência
eduardabotelho
 
Geometria Analítica I (AP 01)
Geometria Analítica I (AP 01)Geometria Analítica I (AP 01)
Geometria Analítica I (AP 01)
Secretaria de Estado de Educação do Pará
 
Lei dos-senos-e-lei-dos-cossenos-aula-07
Lei dos-senos-e-lei-dos-cossenos-aula-07Lei dos-senos-e-lei-dos-cossenos-aula-07
Lei dos-senos-e-lei-dos-cossenos-aula-07
André Luís Nogueira
 
Trabalho%20de%20matemática,%20 ana%20sofia%20chin,%20nº2%2010ºb[1]
Trabalho%20de%20matemática,%20 ana%20sofia%20chin,%20nº2%2010ºb[1]Trabalho%20de%20matemática,%20 ana%20sofia%20chin,%20nº2%2010ºb[1]
Trabalho%20de%20matemática,%20 ana%20sofia%20chin,%20nº2%2010ºb[1]
bibliotecaesla
 
Poligonos
PoligonosPoligonos
Poligonos
afpinto
 
Izabel leal vieira aperibé1
Izabel leal vieira aperibé1Izabel leal vieira aperibé1
Izabel leal vieira aperibé1
jnrm
 
O que estuda a trigonometria
O que estuda a trigonometriaO que estuda a trigonometria
O que estuda a trigonometria
isabelrorig
 
Tarefa Semana 5 6 InformáTica Educativa Ii Areas De Figuras GeoméTricas Espac...
Tarefa Semana 5 6 InformáTica Educativa Ii Areas De Figuras GeoméTricas Espac...Tarefa Semana 5 6 InformáTica Educativa Ii Areas De Figuras GeoméTricas Espac...
Tarefa Semana 5 6 InformáTica Educativa Ii Areas De Figuras GeoméTricas Espac...
claudio51
 
Tarefa Semana 3 E 4 Grupo Iluminados
Tarefa Semana 3 E 4 Grupo IluminadosTarefa Semana 3 E 4 Grupo Iluminados
Tarefa Semana 3 E 4 Grupo Iluminados
RFBH2910
 
Sequências 7º Ano 2010
Sequências 7º Ano 2010Sequências 7º Ano 2010
Sequências 7º Ano 2010
Jani Miranda
 
Plano de trabalho – Razões trigonométricas
Plano de trabalho – Razões trigonométricasPlano de trabalho – Razões trigonométricas
Plano de trabalho – Razões trigonométricas
Luciane Oliveira
 
expresao grafica i eng civil
expresao grafica i eng civil expresao grafica i eng civil
expresao grafica i eng civil
danieltonfd9
 
Geometria anali circ
Geometria anali circGeometria anali circ
Geometria anali circ
con_seguir
 

Semelhante a 062 cadeia circunferência (20)

Cônicas
CônicasCônicas
Cônicas
 
Tarefa 7 ApresentaçãO
Tarefa 7   ApresentaçãOTarefa 7   ApresentaçãO
Tarefa 7 ApresentaçãO
 
Geometria analítica
Geometria analíticaGeometria analítica
Geometria analítica
 
oi
oioi
oi
 
Area de um poligono regular e do círculo.ppt
Area de um poligono regular e do círculo.pptArea de um poligono regular e do círculo.ppt
Area de um poligono regular e do círculo.ppt
 
Sessões Cônicas
 Sessões Cônicas Sessões Cônicas
Sessões Cônicas
 
Projeto Execucao - Luis Alberto - 20 out 2012 - VF
Projeto Execucao - Luis Alberto - 20 out 2012 - VFProjeto Execucao - Luis Alberto - 20 out 2012 - VF
Projeto Execucao - Luis Alberto - 20 out 2012 - VF
 
Sequência didática circunferência
Sequência didática circunferênciaSequência didática circunferência
Sequência didática circunferência
 
Geometria Analítica I (AP 01)
Geometria Analítica I (AP 01)Geometria Analítica I (AP 01)
Geometria Analítica I (AP 01)
 
Lei dos-senos-e-lei-dos-cossenos-aula-07
Lei dos-senos-e-lei-dos-cossenos-aula-07Lei dos-senos-e-lei-dos-cossenos-aula-07
Lei dos-senos-e-lei-dos-cossenos-aula-07
 
Trabalho%20de%20matemática,%20 ana%20sofia%20chin,%20nº2%2010ºb[1]
Trabalho%20de%20matemática,%20 ana%20sofia%20chin,%20nº2%2010ºb[1]Trabalho%20de%20matemática,%20 ana%20sofia%20chin,%20nº2%2010ºb[1]
Trabalho%20de%20matemática,%20 ana%20sofia%20chin,%20nº2%2010ºb[1]
 
Poligonos
PoligonosPoligonos
Poligonos
 
Izabel leal vieira aperibé1
Izabel leal vieira aperibé1Izabel leal vieira aperibé1
Izabel leal vieira aperibé1
 
O que estuda a trigonometria
O que estuda a trigonometriaO que estuda a trigonometria
O que estuda a trigonometria
 
Tarefa Semana 5 6 InformáTica Educativa Ii Areas De Figuras GeoméTricas Espac...
Tarefa Semana 5 6 InformáTica Educativa Ii Areas De Figuras GeoméTricas Espac...Tarefa Semana 5 6 InformáTica Educativa Ii Areas De Figuras GeoméTricas Espac...
Tarefa Semana 5 6 InformáTica Educativa Ii Areas De Figuras GeoméTricas Espac...
 
Tarefa Semana 3 E 4 Grupo Iluminados
Tarefa Semana 3 E 4 Grupo IluminadosTarefa Semana 3 E 4 Grupo Iluminados
Tarefa Semana 3 E 4 Grupo Iluminados
 
Sequências 7º Ano 2010
Sequências 7º Ano 2010Sequências 7º Ano 2010
Sequências 7º Ano 2010
 
Plano de trabalho – Razões trigonométricas
Plano de trabalho – Razões trigonométricasPlano de trabalho – Razões trigonométricas
Plano de trabalho – Razões trigonométricas
 
expresao grafica i eng civil
expresao grafica i eng civil expresao grafica i eng civil
expresao grafica i eng civil
 
Geometria anali circ
Geometria anali circGeometria anali circ
Geometria anali circ
 

Mais de Lúcio Aguiar

Educar desde-conflicto
Educar desde-conflictoEducar desde-conflicto
Educar desde-conflicto
Lúcio Aguiar
 
Unesco educação física de qualidade
Unesco   educação física de qualidadeUnesco   educação física de qualidade
Unesco educação física de qualidade
Lúcio Aguiar
 
Ti fq9 abr2013_el15 (2)
Ti fq9 abr2013_el15 (2)Ti fq9 abr2013_el15 (2)
Ti fq9 abr2013_el15 (2)
Lúcio Aguiar
 
Caderno diário de ingles
Caderno diário de  inglesCaderno diário de  ingles
Caderno diário de ingles
Lúcio Aguiar
 
Tese laurentina santos tutoria centrada no processo de autoregulação
Tese laurentina santos   tutoria centrada no processo de autoregulaçãoTese laurentina santos   tutoria centrada no processo de autoregulação
Tese laurentina santos tutoria centrada no processo de autoregulação
Lúcio Aguiar
 
O meu caderno diário de matemática do 8º ano - 3º P - monómios e polinómios
O meu caderno diário de matemática do 8º ano - 3º P - monómios e polinómiosO meu caderno diário de matemática do 8º ano - 3º P - monómios e polinómios
O meu caderno diário de matemática do 8º ano - 3º P - monómios e polinómios
Lúcio Aguiar
 
Os doze de inglaterra - ficha de trabalho
Os doze de inglaterra - ficha de trabalho Os doze de inglaterra - ficha de trabalho
Os doze de inglaterra - ficha de trabalho
Lúcio Aguiar
 
Activite physique efeitos sobre a saúde
Activite physique efeitos sobre a saúdeActivite physique efeitos sobre a saúde
Activite physique efeitos sobre a saúdeLúcio Aguiar
 
Modelo de estrutura do conhecimento de badminton
Modelo de estrutura do conhecimento de badmintonModelo de estrutura do conhecimento de badminton
Modelo de estrutura do conhecimento de badminton
Lúcio Aguiar
 
Escolar
EscolarEscolar
Escolar
Lúcio Aguiar
 
Relatório do Instituto de Medicina - recomendação de mais educação física nas...
Relatório do Instituto de Medicina - recomendação de mais educação física nas...Relatório do Instituto de Medicina - recomendação de mais educação física nas...
Relatório do Instituto de Medicina - recomendação de mais educação física nas...
Lúcio Aguiar
 
plano integral para a educação física e desporto - relatório espanhol
plano integral para a educação física e desporto - relatório espanholplano integral para a educação física e desporto - relatório espanhol
plano integral para a educação física e desporto - relatório espanhol
Lúcio Aguiar
 
AlimentaçãO Em Tempos De Gripe
AlimentaçãO Em Tempos De GripeAlimentaçãO Em Tempos De Gripe
AlimentaçãO Em Tempos De Gripe
Lúcio Aguiar
 
AlimentaçãO Em Tempos De Gripe
AlimentaçãO Em Tempos De GripeAlimentaçãO Em Tempos De Gripe
AlimentaçãO Em Tempos De Gripe
Lúcio Aguiar
 
Formar Professores em contextos em mudança - prática reflexiva - Perrenoud
Formar Professores em contextos em mudança - prática reflexiva - PerrenoudFormar Professores em contextos em mudança - prática reflexiva - Perrenoud
Formar Professores em contextos em mudança - prática reflexiva - Perrenoud
Lúcio Aguiar
 
Poesia Actividade Com Os Alunos Profª Clara Dias
Poesia   Actividade Com Os Alunos   Profª Clara DiasPoesia   Actividade Com Os Alunos   Profª Clara Dias
Poesia Actividade Com Os Alunos Profª Clara DiasLúcio Aguiar
 
Gripe A Recomendacoes Escolas
Gripe A Recomendacoes EscolasGripe A Recomendacoes Escolas
Gripe A Recomendacoes Escolas
Lúcio Aguiar
 
Professores versus ministra educação
Professores versus ministra educaçãoProfessores versus ministra educação
Professores versus ministra educação
Lúcio Aguiar
 
anedota de espanhóis
anedota de espanhóisanedota de espanhóis
anedota de espanhóis
Lúcio Aguiar
 

Mais de Lúcio Aguiar (19)

Educar desde-conflicto
Educar desde-conflictoEducar desde-conflicto
Educar desde-conflicto
 
Unesco educação física de qualidade
Unesco   educação física de qualidadeUnesco   educação física de qualidade
Unesco educação física de qualidade
 
Ti fq9 abr2013_el15 (2)
Ti fq9 abr2013_el15 (2)Ti fq9 abr2013_el15 (2)
Ti fq9 abr2013_el15 (2)
 
Caderno diário de ingles
Caderno diário de  inglesCaderno diário de  ingles
Caderno diário de ingles
 
Tese laurentina santos tutoria centrada no processo de autoregulação
Tese laurentina santos   tutoria centrada no processo de autoregulaçãoTese laurentina santos   tutoria centrada no processo de autoregulação
Tese laurentina santos tutoria centrada no processo de autoregulação
 
O meu caderno diário de matemática do 8º ano - 3º P - monómios e polinómios
O meu caderno diário de matemática do 8º ano - 3º P - monómios e polinómiosO meu caderno diário de matemática do 8º ano - 3º P - monómios e polinómios
O meu caderno diário de matemática do 8º ano - 3º P - monómios e polinómios
 
Os doze de inglaterra - ficha de trabalho
Os doze de inglaterra - ficha de trabalho Os doze de inglaterra - ficha de trabalho
Os doze de inglaterra - ficha de trabalho
 
Activite physique efeitos sobre a saúde
Activite physique efeitos sobre a saúdeActivite physique efeitos sobre a saúde
Activite physique efeitos sobre a saúde
 
Modelo de estrutura do conhecimento de badminton
Modelo de estrutura do conhecimento de badmintonModelo de estrutura do conhecimento de badminton
Modelo de estrutura do conhecimento de badminton
 
Escolar
EscolarEscolar
Escolar
 
Relatório do Instituto de Medicina - recomendação de mais educação física nas...
Relatório do Instituto de Medicina - recomendação de mais educação física nas...Relatório do Instituto de Medicina - recomendação de mais educação física nas...
Relatório do Instituto de Medicina - recomendação de mais educação física nas...
 
plano integral para a educação física e desporto - relatório espanhol
plano integral para a educação física e desporto - relatório espanholplano integral para a educação física e desporto - relatório espanhol
plano integral para a educação física e desporto - relatório espanhol
 
AlimentaçãO Em Tempos De Gripe
AlimentaçãO Em Tempos De GripeAlimentaçãO Em Tempos De Gripe
AlimentaçãO Em Tempos De Gripe
 
AlimentaçãO Em Tempos De Gripe
AlimentaçãO Em Tempos De GripeAlimentaçãO Em Tempos De Gripe
AlimentaçãO Em Tempos De Gripe
 
Formar Professores em contextos em mudança - prática reflexiva - Perrenoud
Formar Professores em contextos em mudança - prática reflexiva - PerrenoudFormar Professores em contextos em mudança - prática reflexiva - Perrenoud
Formar Professores em contextos em mudança - prática reflexiva - Perrenoud
 
Poesia Actividade Com Os Alunos Profª Clara Dias
Poesia   Actividade Com Os Alunos   Profª Clara DiasPoesia   Actividade Com Os Alunos   Profª Clara Dias
Poesia Actividade Com Os Alunos Profª Clara Dias
 
Gripe A Recomendacoes Escolas
Gripe A Recomendacoes EscolasGripe A Recomendacoes Escolas
Gripe A Recomendacoes Escolas
 
Professores versus ministra educação
Professores versus ministra educaçãoProfessores versus ministra educação
Professores versus ministra educação
 
anedota de espanhóis
anedota de espanhóisanedota de espanhóis
anedota de espanhóis
 

Último

ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
Crisnaiara
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
AlessandraRibas7
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
Manuais Formação
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
MarceloMonteiro213738
 
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdfAula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Marília Pacheco
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
AdrianoMontagna1
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
HelenStefany
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
vitorreissouzasilva
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
erssstcontato
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
Manuais Formação
 
A importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino MédioA importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino Médio
nunesly
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 

Último (20)

ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
 
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdfAula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
 
A importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino MédioA importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino Médio
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 

062 cadeia circunferência

  • 1. Circunferência Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 1 Circunferência Proposta de sequência de tarefas para o 9.º ano - 3.º ciclo Junho de 2011 Autores: Professores das turmas piloto do 9º ano de escolaridade Ano Lectivo 2010 / 2011
  • 2. Circunferência Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 2 Introdução Tópico: Circunferência - Lugares geométricos - Circunferência inscrita e circunferência circunscrita a um triângulo - Ângulo ao centro, ângulo inscrito e ângulo excêntrico - Polígono regular inscrito numa circunferência De acordo com o programa, neste tópico damos especial importância à “...visualização e compreensão de propriedades de figuras geométricas no plano, …”, desenvolvendo a “compreensão das transformações geométricas e da noção de demonstração.” bem como à “utilização dos novos conhecimentos e capacidades para resolver problemas”. O trabalho em AGD (Ambientes de Geometria Dinâmica) permite realizar construções dinâmicas que são um recurso importante nas actividades de exploração pois facilitam a elaboração de estratégias construtivas, apoiam a formulação de conjecturas e a descrição dos processos. Estas actividades de exploração possibilitam que os alunos elaborem justificações sob a forma de cadeias dedutivas o que os começa a familiarizar com os processos de demonstração. Para atingir esses fins ou propósitos de ensino, propomos uma cadeia de tarefas que explora definições elementares de certos lugares geométricos, já introduzidos em anteriores abordagens. Pretende-se melhorar a compreensão das propriedades de figuras e das relações entre os seus elementos, como por exemplo posição relativa de pontos, rectas, segmentos e ângulos relativamente à circunferência. A cadeia de tarefas começa por abordar a mediatriz de um segmento, a bissectriz de um ângulo, a circunferência e o círculo como lugares geométricos, usando a noção de distância entre pontos e entre pontos e rectas. A tarefa 2 aborda a construção de uma circunferência definida por 3 pontos e a sua relação com triângulos. A tarefa 3 introduz cordas, arcos e tangentes. Já na tarefa 4 explora- se a relação entre arcos de circunferência e ângulos ao centro. As tarefas 5 e 6 tratam da relação entre arcos de circunferência e ângulos inscritos na circunferência, no interior ou no exterior do círculo. Finalmente, as tarefas 7 e 8 abordam os ângulos externos e internos de polígonos, com especial relevância para o estudo dos polígonos inscritos em circunferências.
  • 3. Circunferência Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 3 Proposta de planificação Blocos previstos Tópico Objectivos específicos Notas Tarefas Instrumentos 2 Circunferência Lugares geométricos Circunferência inscrita e circunferência circunscrita a um triângulo  Identificar e construir circunferência, círculo, bissectriz e mediatriz.  Identificar superfície esférica e plano mediador.  Construir a circunferência inscrita e a circunferência circunscrita a um triângulo dado.  Resolver problemas envolvendo a circunferência e outros lugares geométricos. Tarefa 1 Lugares geométricos Tarefa 2 Circunferências e triângulos Material de Desenho 4 Ângulo ao centro Ângulo inscrito Ângulo excêntrico  Estabelecer relações entre ângulos, arcos, cordas e tangentes.  Relacionar a amplitude de um ângulo ao centro com a do arco correspondente e determinar a área do sector circular.  Relacionar a amplitude de um ângulo inscrito e de um ângulo excêntrico com a dos arcos associados.  Resolver problemas envolvendo a circunferência e outros lugares geométricos. Propor como exemplos de relações: - a tangente à circunferência é perpendicular ao raio no ponto de tangência; - a perpendicular a uma corda que passa pelo centro da circunferência bissecta a corda. Considerar o vértice do ângulo na circunferência e no exterior e interior do círculo. Nas construções geométricas recorrer a software de Geometria Dinâmica. Tarefa 3 Cordas, arcos e tangentes Tarefa 4 Ângulos e arcos Tarefa 5 Ângulos inscritos Tarefa 6 Ângulos excêntricos Material de desenho AGD
  • 4. Circunferência Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 4 2 Polígono regular inscrito numa circunferência  Determinar a amplitude de um ângulo interno e de um ângulo externo de um polígono regular  Inscrever um polígono regular numa circunferência (conhecidos o centro da circunferência e um vértice do polígono). Tarefas 7A e 7B Ângulos externos e internos de polígonos Tarefa 8 Polígonos inscritos. Material de desenho AGD
  • 5. Circunferência Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 5 Tarefa 1- Lugares geométricos Com a realização desta tarefa pretende-se que os alunos usem lugares geométricos para resolver problemas, reforçando as noções de mediatriz, bissectriz, círculo e circunferência. Tema matemático: Geometria Nível de ensino: 3º ciclo Tópico matemático: Circunferência Subtópicos matemáticos: Lugares geométricos Capacidades transversais: Raciocínio matemático: formulação de conjecturas. Comunicação matemática: interpretação, representação, expressão e discussão. Resolução de problemas: compreensão do problema; concepção, aplicação e justificação de estratégias. Conhecimentos prévios dos alunos: Círculo e circunferência: propriedades e construção. Bissectriz de um ângulo. Mediatriz de um segmento de recta. Aprendizagens visadas: Identificar e construir circunferências, círculos, bissectriz e mediatriz. Identificar superfície esférica e plano mediador. Cadeia: 1ª tarefa de “Circunferência” Recursos: material de desenho. Duração prevista: 1 bloco de 90 minutos Notas para o professor: Espera-se que os alunos resolvam as situações propostas, desencadeando mecanismos de aplicação dos seus conhecimentos quanto às propriedades e construção da circunferência, do círculo, da mediatriz e da bissectriz. O conceito de lugar geométrico deve ser construído nesta aula. Se os alunos não tiverem presente a noção de bissectriz pode-se recorrer ao facto da bissectriz ser o eixo de simetria do ângulo.
  • 6. Circunferência Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 6 No momento da aula que o professor considerar oportuno deve definir superfície esférica e plano mediador generalizando para o espaço a noção de circunferência e de mediatriz como lugares geométricos. Poderá referir, por exemplo que as bolinhas de sabão, se forem perfeitas, são superfícies esféricas. Todos os pontos da superfície esférica estão à mesma distância do centro. Se a bola estivesse “cheia”, obteríamos um sólido que se chama esfera. Um plano situado entre dois pontos A e B, que contém o ponto médio do segmento AB e é perpendicular a este segmento chama-se plano mediador do segmento de recta AB. Todos os pontos desse plano são equidistantes de A e de B. Palavras chave: lugar geométrico; circunferência; círculo; bissectriz; mediatriz; superfície esférica; esfera; plano mediador.
  • 7. Circunferência Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 7 Distância de um ponto a uma recta é a medida do comprimento do segmento de recta perpendicular à recta que tem por extremos o ponto dado e o ponto da recta. Tarefa 1- Lugares geométricos 1. O sinal sonoro Do Hospital (ponto H), foi emitido um sinal sonoro às 11:32:04, o qual foi ouvido na Rua da Pega (ponto A) às 11:32:05, ou seja, passado 1 segundo. Para responderes às questões seguintes ignora as condições atmosféricas e as barreiras arquitectónicas e de demografia do terreno. 1.1. Marca no mapa, todos os pontos onde o sinal sonoro foi ouvido ao mesmo tempo que em A. Que figura geométrica (lugar geométrico) obtiveste? 1.2. Pensa, agora, em todos os pontos onde o sinal sonoro foi ouvido antes das 11:32:05. Representa-os. Que lugar geométrico obtiveste? 1.3. Qual é a distância do ponto A à Estrada Nacional N109? 1.4. Determinaste a distância do ponto A à estrada N109. Assinala no mapa todos os pontos que estão a essa distância da estrada N109. Que lugar geométrico obtiveste? 1.5. Assinala no mapa todos os pontos que estão à mesma distância (equidistantes) de A e de B. Que lugar geométrico obtiveste? Lugar geométrico é um conjunto de pontos do espaço que gozam de uma propriedade comum.
  • 8. Circunferência Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 8 2. Bissectriz de um ângulo Na figura estão representadas duas semi-rectas que se intersectam no ponto G. 2.1. Constrói a bissectriz do ângulo desenhado. 2.2. Escolhe um ponto P da bissectriz e determina a sua distância a cada um dos lados do ângulo. 2.3. Repete a alínea anterior para outros pontos. 2.4. Qual a propriedade comum a todos os pontos da bissectriz. Nota: Um processo de construção: - Encontra dois pontos (X e Y), nos lados do ângulo, à mesma distância do vértice (ponto G); - Encontra um ponto Z equidistante de X e Y; - A semi-recta GZ é a bissectriz do ângulo XGY. Bissectriz de um ângulo é o lugar geométrico dos pontos que estão à mesma distância dos lados desse ângulo. A bissectriz AE, do ângulo BAC, é a semi-recta tal que os ângulos BAE e EAC são congruentes. Mediatriz de um segmento de recta é o lugar geométrico dos pontos do plano equidistantes dos extremos do segmento. A mediatriz m, do segmento de recta XY, é a recta perpendicular a XY no seu ponto médio. Circunferência é o lugar geométrico dos pontos do plano que estão à mesma distância de um ponto fixo que é o centro da circunferência. Círculo é o lugar geométrico dos pontos do plano cuja distância a um ponto fixo (centro do círculo) é menor ou igual a um número dado (raio). X y m A B C E
  • 9. Circunferência Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 9 3. Tesouro perdido Há muito que se sabia de um tesouro escondido algures num certo local, mas durante séculos todas as tentativas para o encontrar falharam. Contudo, há alguns anos foi descoberto um mapa que foi a chave para a localização do tesouro. Se não fossem seguidas escrupulosamente as instruções o tesouro jamais seria localizado. De acordo com as seguintes instruções, descobre no mapa o local do tesouro. Passo 1: Encontra dois pontos A e B do rio à distância de 40 metros de G; Passo 2: Encontra os pontos equidistantes de A e B; Passo 3: Encontra os pontos que estão à mesma distância das linhas e e f; Passo 4: Encontra os pontos que verificam, ao mesmo tempo, as condições dos passos 2 e 3. Passo 5: O tesouro encontrava-se enterrado num desses pontos situado a mais de 40 metros do ponto G.
  • 10. Circunferência Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 10 Tarefa 2 – Circunferências e triângulos Com a realização desta tarefa pretende-se construir as circunferências inscrita e circunscrita a um triângulo dado. Tema matemático: Geometria Nível de ensino: 3º ciclo Tópico matemático: Circunferência Subtópicos matemáticos: Circunferência inscrita e circunferência circunscrita a um triângulo. Capacidades transversais: Raciocínio matemático: formulação de conjecturas. Comunicação matemática: interpretação, representação, expressão e discussão. Resolução de problemas: compreensão do problema; concepção, aplicação e justificação de estratégias. Conhecimentos prévios dos alunos: Construção e identificação dos lugares geométricos - circunferência, bissectriz de um ângulo e mediatriz de um segmento de recta – pelas suas propriedades. Identificação e construção dos diversos tipos de triângulos. Aprendizagens visadas: Construir a circunferência inscrita e a circunferência circunscrita a um triângulo dado. Cadeia: 2ª tarefa de “Circunferência” Recursos: Material de desenho. Computadores com software de geometria dinâmica. Duração prevista: 1 bloco de 90 minutos Notas para o professor: Nos itens 1 e 2, os alunos devem trabalhar com material de desenho. Vão utilizar os conhecimentos apreendidos sobre lugares geométricos para obterem as circunferências inscrita e circunscrita a um triângulo dado. O item 3 poderá ser realizado num ambiente de geometria dinâmica ou usando material de desenho e pode ser deixado para um momento de resolução de problemas. Este item destina-se a aplicar os conhecimentos que o aluno adquiriu e tem um carácter exploratório. No caso de este item ser realizado em ambiente de geometria dinâmica, pode dar-se-lhe outra redacção sugerindo que se considere apenas um triângulo, se encontre o circuncentro e o incentro e, por arrastamento dos vértices do triângulo, identificar a posição destes pontos nos diversos tipos de triângulos. Palavras chave: circunferência, triângulos, incentro, circuncentro, inscrita, circunscrita.
  • 11. Circunferência Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 11 Tarefa 2 – Circunferências e triângulos 1. Desenha um triângulo XYZ. 1.1. Determina o ponto que está à mesma distância dos três vértices do triângulo. 1.2. Desenha a circunferência que passa pelos três vértices do triângulo. A circunferência que passa pelos três vértices de um triângulo diz-se circunferência circunscrita ao triângulo e o seu centro é o circuncentro do triângulo. 2. Desenha um triângulo ABC. 2.1. Encontra o conjunto de pontos que: 2.1.1. estão à mesma distância dos lados AB e AC do triângulo; 2.1.2. estão à mesma distância dos lados AB e BC do triângulo; 2.1.3. estão à mesma distância dos três lados do triângulo. 2.2. Desenha a circunferência que é tangente a todos os lados do triângulo. A circunferência que é tangente aos três lados de um triângulo diz-se circunferência inscrita no triângulo e o seu centro tem o nome de incentro do triângulo. 3. Desenha três triângulos à tua escolha, sendo um rectângulo, um obtusângulo e outro acutângulo. 3.1. Encontra para cada caso o circuncentro 3.2. Em cada caso, qual é a posição do ponto encontrado relativamente ao triângulo? 3.3. E o incentro? Pode ser um ponto exterior ao triângulo?
  • 12. Circunferência Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 12 Tarefa 3 – Cordas, arcos e tangentes Com a realização desta tarefa pretende-se que os alunos estabeleçam algumas relações entre ângulos, cordas, arcos e tangentes numa circunferência. Tema matemático: Geometria Nível de ensino: 3º ciclo Tópicos matemáticos: Circunferência Subtópicos matemáticos: Cordas, arcos e tangentes à circunferência Capacidades transversais: Resolução de problemas: compreensão do problema e concepção, aplicação e justificação de estratégias. Raciocínio matemático: formulação de conjecturas e argumentação. Comunicação matemática: interpretação, representação, expressão e discussão. Conhecimentos prévios dos alunos: Mediatriz de um segmento de recta Transformações geométricas Soma dos ângulos internos de um quadrilátero Aprendizagens visadas: Estabelecer relações entre ângulos, arcos, cordas e tangentes numa circunferência Resolver problemas envolvendo a circunferência e outros lugares geométricos. Cadeia: 3ª tarefa de “Circunferência” Recursos: Material de desenho. Duração prevista: 1 bloco de 90 minutos Notas para o professor: Utilizando material de desenho pretende-se que os alunos estabeleçam relações entre cordas, arcos e tangentes numa circunferência. Na questão 1 pretende-se explorar o facto da mediatriz de qualquer corda passar pelo centro da circunferência a que pertence. No item 1.2 o professor poderá explorar também na discussão que fizer em grande grupo os teoremas recíprocos. Na pergunta 2 a justificação de que cordas e arcos compreendidos entre cordas paralelas são geometricamente iguais, poderá ser feito utilizando reflexões. Este é um bom momento para recordar o estudo que foi realizado no tópico isometrias. Já na questão 3 trabalha-se a relação de perpendicularidade entre uma tangente à circunferência e o raio que lhe corresponde no ponto de tangência. Por fim, esta tarefa termina com três problemas em que está subjacente a aplicação das propriedades estudadas nas alíneas anteriores. Palavras chave: Circunferência, cordas, arcos, tangentes, resolução de problemas, material de desenho, mediatriz
  • 13. Circunferência Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 13 Tarefa 3 – Cordas, arcos e tangentes 1. Desenha um segmento de recta AB. 1.1. Traça duas circunferências diferentes que contenham a corda AB. Explica o modo como procedeste. 1.2. Justifica as seguintes afirmações: - Existe uma infinidade de circunferências que passam por A e B. - Os centros das circunferências que passam por A e B estão sobre a mediatriz do segmento de recta AB. - Uma recta perpendicular ao meio de qualquer corda de uma circunferência passa pelo seu centro. Corda de uma circunferência é um segmento de recta cujos extremos são pontos da circunferência. Arco de uma circunferência é uma porção de circunferência compreendida entre dois pontos da circunferência.
  • 14. Circunferência Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 14 2. Considera a figura em baixo onde AB e DC são cordas da circunferência paralelas entre si. EF é a mediatriz das cordas AB e DC. 2.1. Justifica que a recta EF passa pelo centro da circunferência. 2.2. Qual a imagem do segmento de recta AD na reflexão de eixo EF? 2.3. Indica pares de segmentos de recta geometricamente iguais. 2.4. Indica pares de arcos de circunferência geometricamente iguais. 2.5. Encontra uma justificação para a seguinte afirmação: “Os arcos compreendidos entre duas cordas paralelas são geometricamente iguais, bem como as cordas que lhes correspondem” 3. Na figura está representada a circunferência de centro A e a recta tangente a essa circunferência no ponto T (ponto de tangência). 3.1. Traça o raio AT e verifica com a ajuda de um transferidor que a amplitude do ângulo formado por esse raio e a recta tangente representada é de 90º. 3.2. Considera um ponto S da circunferência. Traça o raio AS. Como obterias a tangente à circunferência no ponto S? Desenha-a. 3.3. Com base nas alíneas anteriores enuncia uma propriedade das tangentes à circunferência? Uma recta é tangente a uma circunferência se tem apenas um ponto comum com a circunferência (ponto de tangencia).
  • 15. Circunferência Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 15 4. Na figura ao lado as rectas BC e CD são tangentes à circunferência de centro A. Sem utilizares o transferidor calcula a amplitude do ângulo BCD. 5. Na figura seguinte está representada uma circunferência e duas cordas. Não se sabe onde está o centro desta circunferência. Com a ajuda de um compasso e de uma régua encontra-o e explica como procedeste. 6. Na figura em baixo, queremos traçar uma circunferência que passa por A e B e tenha o centro na recta r. Como havemos de proceder?
  • 16. Circunferência Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 16 Tarefa 4 – Ângulos e arcos Com a realização desta tarefa pretende-se que os alunos relacionem a amplitude de um ângulo ao centro com a do arco correspondente e determinem a área de um sector circular. Tema matemático: Geometria Nível de ensino: 3º ciclo Tópicos matemáticos: Circunferência Subtópicos matemáticos: Ângulo ao centro Capacidades transversais: Resolução de problemas: compreensão do problema e concepção, aplicação e justificação de estratégias. Raciocínio matemático: formulação de conjecturas e argumentação. Comunicação matemática: interpretação, representação, expressão e discussão. Conhecimentos prévios dos alunos: Comprimento de uma circunferência Área de um círculo Área de um trapézio. Aprendizagens visadas: Relacionar a amplitude de um ângulo ao centro com a do arco correspondente Determinar a área de um sector circular. Cadeia: 4ª tarefa de “Circunferência” Recursos: Computadores com software de geometria dinâmica. Duração prevista: 1 bloco de 90 minutos Notas para o professor: Usando um ambiente de geometria dinâmica pretende-se, com as primeiras três perguntas desta tarefa, que os alunos compreendam que a ângulos ao centro geometricamente iguais só correspondem arcos também geometricamente iguais se pertencerem a circunferências com o mesmo raio e que a amplitude de um arco é igual à amplitude do ângulo ao centro correspondente. Na questão 4 pretende-se explorar a relação de proporcionalidade directa entre amplitude dos ângulos ao centro e a área do sector circular correspondente. Por último, propõem-se dois problemas para a determinação de áreas e perímetros de figuras planas. Palavras chave: Ângulo ao centro, arco, sector circular, áreas, perímetros
  • 17. Circunferência Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 17 Tarefa 4 – Ângulos e arcos Os ângulos que têm o vértice no centro de uma circunferência chamam-se ângulos ao centro. 1. Usando o Geogebra traça duas circunferências com raios diferentes 1.1. Em cada uma delas traça ângulos ao centro com 60º de amplitude. 1.2. Marca os arcos correspondentes a esses ângulos. Têm o mesmo comprimento? 1.3. Qual o comprimento de cada uma das circunferências? 1.4. Como sabemos uma circunferência corresponde a um arco de 360º, calcula a amplitude, em graus, de cada um dos arcos marcados na alínea 1.2.. 2. Constrói uma figura que tenha 3 arcos com a mesma amplitude, mas que não sejam geometricamente iguais 3. Comenta as seguintes frases: - A amplitude de um ângulo ao centro é igual à amplitude do arco correspondente. - A ângulos ao centro geometricamente iguais correspondem arcos também geometricamente iguais. 4. Considera a figura abaixo em que está representada uma circunferência de raio igual a 5cm e um sector circular a sombreado. Sabendo que o ângulo ao centro AOB tem de amplitude 80º: 4.1. Qual o comprimento do arco AB. 4.2. Qual a área do sector circular AOB.
  • 18. Circunferência Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 18 5. Considera a figura em que está representado o quadrado ABCD de lado 3 cm. Sabendo que ADE e CBF são sectores circulares determina a área e o perímetro desta figura. 6. Na figura seguinte estão representados o trapézio rectângulo ABCD e o sector circular BFC. Tendo em conta os dados apresentados determina o perímetro e a área da figura.
  • 19. Circunferência Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 19 Tarefa 5 – Ângulos inscritos Com a realização desta tarefa pretende-se que os alunos relacionem a amplitude de um ângulo inscrito com a amplitude do arco compreendido entre os seus lados. Tema matemático: Geometria Nível de ensino: 3º ciclo Tópicos matemáticos: Circunferência Subtópicos matemáticos: Ângulo inscrito. Capacidades transversais: Resolução de problemas: compreensão do problema e concepção, aplicação e justificação de estratégias. Raciocínio matemático: formulação, teste e demonstração de conjecturas. Argumentação. Comunicação matemática: interpretação, representação, expressão e discussão. Conhecimentos prévios dos alunos: Ângulo ao centro Tangentes à circunferência Soma dos ângulos internos de um triângulo Aprendizagens visadas: Relacionar a amplitude de um ângulo inscrito com a amplitude do arco compreendido entre os seus lados Resolver problemas envolvendo a amplitude de um ângulo inscrito numa semi- circunferência. Cadeia: 5ª tarefa de “Circunferência” Recursos: Computadores com software de geometria dinâmica e material de desenho. Duração prevista: 1 bloco de 90 minutos Notas para o professor: Através da primeira questão pretende-se, num ambiente de geometria dinâmica, que os alunos conjecturem sobre a relação entre a amplitude de um ângulo inscrito e a amplitude do arco compreendido entre os seus lados. Na segunda questão propõe-se a demonstração desta relação no caso particular em que um dos lados do ângulo inscrito contém um diâmetro da circunferência. O professor poderá propor a demonstração envolvendo outros ângulos inscritos, desde que o considere adequado ao nível dos seus alunos. Na questão 3 pretende-se que os alunos conjecturem e justifiquem que qualquer ângulo inscrito numa semi-circunferência é recto. As questões seguintes são diversos problemas que pressupõem a aplicação dos resultados estudados anteriormente. Palavras chave: Ângulo inscrito, arcos, amplitudes de ângulos, tangentes à circunferência, geometria dinâmica, material de desenho, resolução de problemas.
  • 20. Circunferência Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 20 Tarefa 5 – Ângulos inscritos Os ângulos que têm o vértice sobre a circunferência e cujos lados contêm cordas chamam-se ângulos inscritos. 1. Usando o Geogebra traça uma circunferência e marca-lhe um ângulo inscrito como a figura abaixo. 1.1. Mede a amplitude do ângulo CDE. 1.2. Arrasta o ponto D pela circunferência e constata o que se passa com a amplitude do ângulo CDE. 1.3. Qual a amplitude do arco CE? 1.4. O arco CE está compreendido entre os lados do ângulo CDE. Que relação existe entre a amplitude do ângulo CDE e a amplitude do arco CE? 1.5. Será que a relação que encontraste em 1.4. se verifica para todos os ângulos inscritos? Experimenta. 2. Considera a seguinte figura em que AOB é um ângulo ao centro e AVB é um ângulo inscrito. 2.1. Classifica o triângulo OBV quanto aos lados, justificando a tua resposta. 2.2. Demonstra que a amplitude do ângulo AVB é metade da amplitude do arco AB.
  • 21. Circunferência Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 21 3. Observa a figura seguinte: 3.1. Determina as amplitudes dos ângulos inscritos assinalados. 3.2. Justifica a seguinte afirmação: “Qualquer triângulo inscrito numa circunferência em que um dos lados é um diâmetro é um triângulo rectângulo”. 4. Na figura baixo está representada uma circunferência da qual não se conhece o centro. Usando somente um esquadro e um lápis, descobre onde se situa o centro dessa circunferência. Explica o modo como procedeste.
  • 22. Circunferência Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 22 5. Na figura está uma circunferência de centro O e um ponto P exterior à circunferência. Queremos traçar duas tangentes à circunferência que passem por P, como havemos de proceder? Sugestão: I. Encontra o ponto médio do segmento de recta PO e chama-lhe M. II. Traça uma circunferência de centro em M e raio MP. III. Os pontos de intersecção das duas circunferências são os pontos de tangencia que pretendíamos encontrar. IV. Traça as tangentes à circunferência. Justifica porque é que este procedimento é adequado para traçar tangentes à circunferência. 6. Considera a figura em que está representada a circunferência de centro A. Sabendo que DE tem o comprimento igual ao raio da circunferência e a amplitude do ângulo AED é 20º, determina a amplitude do ângulo CAF.
  • 23. Circunferência Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 23 Tarefa 6 – Ângulos excêntricos Com a realização desta tarefa pretende-se que os alunos relacionem a amplitude de ângulos excêntricos, nomeadamente com o vértice no interior e no exterior do círculo, com as amplitudes dos arcos que lhes estão associados. Tema matemático: Geometria Nível de ensino: 3º ciclo Tópicos matemáticos: Circunferência Subtópicos matemáticos: Ângulo excêntrico Capacidades transversais: Raciocínio matemático: formulação de conjecturas e argumentação. Comunicação matemática: interpretação, representação, expressão e discussão. Conhecimentos prévios dos alunos: Soma dos ângulos internos de um triângulo Soma dos ângulos internos de um pentágono Amplitude de arco Aprendizagens visadas: Relacionar a amplitude de um ângulo com o vértice no interior do círculo com s amplitude dos arcos que lhe estão associados. Relacionar a amplitude de um ângulo com o vértice no exterior do círculo com a amplitude dos arcos que lhe estão associados. Cadeia: 6ª tarefa de “Circunferência” Recursos: Papel e lápis Duração prevista: 1 bloco de 90 minutos Notas para o professor: Com esta tarefa pretende-se estudar a relação entre as amplitudes dos ângulos com o vértice no interior e no exterior do círculo com as amplitudes dos arcos compreendidos entre os seus lados e os seus prolongamentos. Os alunos são colocados perante duas situações e a partir da regularidade das figuras, espera-se que conjecturem sobre a relação entre as amplitudes dos ângulos e dos arcos correspondentes, em estudo. Palavras chave: Circunferência, ângulos excêntricos, arcos, amplitudes de ângulos
  • 24. Circunferência Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 24 Tarefa 6 – Ângulos excêntricos 1. A figura representa um pentágono regular estrelado inscrito numa circunferência. 1.1. Qual é a amplitude do ângulo FDG? Repara que este ângulo não é um ângulo inscrito, nem um ângulo ao centro. É um ângulo com o vértice no interior da circunferência. Tem em conta que o pentágono ABCDE é regular. 1.2. Qual a amplitude do arco compreendido entre os lados do ângulo FDG (arco FG)? 1.3. Qual a amplitude do arco compreendido entre os prolongamentos dos lados do ângulo FDG (arco HJ)? 1.4. Encontras alguma relação entre a amplitude do ângulo FDG e as amplitudes dos arcos compreendidos entre os seus lados e os seus prolongamentos? 1.5. Será que esta propriedade se verifica para todos os ângulos com o vértice no interior duma circunferência? Nesta figura, experimenta com outros ângulos. Por exemplo com o ângulo FCG.
  • 25. Circunferência Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 25 2. Na figura seguinte o pentágono ABCDE é regular: 2.1. Qual é a amplitude do ângulo IFJ? Repara que o ângulo IFJ é um ângulo com o vértice no exterior da circunferência. O ângulo pedido é um dos ângulos internos do triângulo EFD. 2.2. O ângulo IFJ tem dois arcos compreendidos entre os seus lados (arco ED e arco AC). Determina a amplitude desses dois arcos. 2.3. Encontras alguma relação entre a amplitude do ângulo IFJ e as amplitudes dos arcos compreendidos entre os seus lados? 2.4. Será que esta propriedade se verifica para todos os ângulos com o vértice no exterior duma circunferência? 3. Considera a figura seguinte em que DC é um diâmetro e os arcos DE, EB e BC têm a mesma amplitude: Calcula a amplitude do ângulo DAC de duas maneiras: 1: tendo em conta que é um ângulo interno do triângulo ADC; 2: utilizando a regra que descobriste na alínea 2.3. para determinares a amplitude de ângulos com o vértice no exterior da circunferência.
  • 26. Circunferência Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 26 Tarefas 7A e 7B – Ângulos internos e externos de polígonos Com a realização desta tarefa pretende-se resolver problemas que envolvam a determinação das amplitudes de ângulos internos e externos de um polígono. Tema matemático: Geometria Nível de ensino: 3º ciclo Tópicos matemáticos: Circunferência Subtópicos matemáticos: Ângulos internos e externos de polígonos Capacidades transversais: Resolução de problemas: compreensão do problema; concepção, aplicação e justificação de estratégias. Raciocínio matemático: formulação, teste e demonstração de conjecturas. Comunicação matemática: Interpretação, representação, expressão e discussão. Conhecimentos prévios dos alunos: Polígonos regulares. Resolução de equações do 1º grau com uma incógnita. Aprendizagens visadas: Resolver problemas. Determinar a amplitude de um ângulo interno e de um ângulo externo de um polígono regular Cadeia: 7ª tarefa de “Circunferência” Recursos: Papel e lápis (tarefa 7A) e computadores com software de geometria dinâmica (tarefa 7B) Duração prevista: 1 bloco de 90 minutos Notas para o professor: Para abordar este assunto são apresentadas duas tarefas. A tarefa 7A para os alunos que no 7º ano de escolaridade, no tópico triângulos e quadriláteros, deduziram a soma das amplitudes dos ângulos internos e dos ângulos externos de um qualquer polígono convexo. A tarefa 7B é sugerida para os alunos que ainda não abordaram este assunto anteriormente. Com esta proposta de trabalho pretende-se que os alunos deduzam as somas referidas e façam demonstrações simples. Para quem opte por esta segunda tarefa é aconselhável que os alunos resolvam também alguns problemas apresentados na tarefa 7A. Palavras chave: ângulos internos, ângulos externos, soma, polígono convexo.
  • 27. Circunferência Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 27 Tarefa 7A – Ângulos internos e externos de polígonos Recorda que: A soma das amplitudes dos ângulos internos de um polígono de n lados é igual a: (n - 2) x 180º A soma das amplitudes dos ângulos externos de qualquer polígono convexo é 360º 1. Considera um decágono regular: 1.1. Qual a soma das amplitudes dos seus ângulos internos? 1.2. Qual a soma das amplitudes dos seus ângulos externos? 1.3. Qual a amplitude de cada ângulo interno? 1.4. Qual a amplitude de cada ângulo externo? 2. 2.1. Quantos lados tem um polígono cujas amplitudes dos ângulos internos somam 1980º? 2.2. Existirá algum polígono convexo cujas amplitudes dos ângulos internos somem 7500º? 3. Num certo polígono regular, cada ângulo externo mede 30º. 3.1. Quantos lados tem esse polígono? 3.2. Quanto mede cada ângulo interno? 3.3. Qual é a soma das medidas das amplitudes dos ângulos internos desse polígono? 3.4. Num polígono regular com o dobro do número de lados do anterior, quanto medirá cada ângulo interno? 4. Qual é o número mínimo de lados que um polígono convexo deve ter para que a soma das amplitudes dos seus ângulos internos seja superior a 3000º?
  • 28. Circunferência Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 28 5. Considera a figura em que ABCDEFGH é um octógono regular e GHI é um triângulo equilátero: 5.1. Determina a amplitude dos ângulos EDC e FGI. 5.2. Mostra que o triângulo DCJ é um triângulo rectângulo isósceles. 6. Tendo em conta os dados da figura determina o valor de a.
  • 29. Circunferência Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 29 Tarefa 7B – Ângulos internos e externos de polígonos 1. 1.1. Constrói um triângulo. 1.2. Mede as amplitudes dos seus ângulos internos e adiciona as medidas obtidas. 1.3. Arrasta um vértice qualquer do triângulo de modo a obter um novo triângulo e verifica o que se passa com as amplitudes dos ângulos e com a respectiva soma. 1.4. Escreve uma conjectura sobre o que observas. 2. 2.1. Procede de igual modo para outros polígonos convexos (quadrilátero, pentágono,…) e preenche a seguinte tabela. Na terceira coluna deves colocar o número de triângulos que se obtém traçando todas as diagonais possíveis a partir de um vértice; por exemplo, no pentágono, obtém-se 3 triângulos. Nome do polígono Número de lados Número de triângulos que se obtém Soma dos ângulos internos Triângulo Quadrilátero Pentágono Hexágono Polígono de n lados 2.2. Num pequeno texto sintetiza as justificações e a conclusão.
  • 30. Circunferência Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 30 3. Os polígonos também têm ângulos externos. No triângulo ABC, em baixo, um dos ângulos externos é o ângulo DAB que se obtém construindo a semi-recta CA (prolongando o lado AC) e o ponto D exterior ao segmento de recta AC. São igualmente ângulos externos os ângulos EBC e FCA. 3.1. Mede e adiciona as amplitudes dos ângulos DAB, EBC e ACF. 3.2. Arrasta um dos vértices do triângulo e escreve uma conjectura sobre o valor da soma dos ângulos externos de um triângulo. 3.3. Considera o triângulo ABC da figura. 3.3.1. Qual é o valor da soma DAB BAC EBC ABC ACF BCA ? 3.3.2. Tendo em atenção que a soma dos ângulos internos de um triângulo é 180º, é possível saber o valor da soma dos ângulos externos de um triângulo? 3.3.3. A conclusão que tiraste na alínea anterior permanece válida se considerarmos outro triângulo? Porquê? 4. 4.1. Procede de modo análogo para outros polígonos convexos e preenche a tabela seguinte Nome do polígono Número de lados Soma dos ângulos externos Triângulo Quadrilátero Pentágono Hexágono Polígono de n lados 4.2. Num pequeno texto sintetiza as justificações e a conclusão. A C B D E F
  • 31. Circunferência Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 31 Tarefa 8 – Polígonos inscritos Com a realização desta tarefa pretende-se inscrever polígonos regulares numa circunferência. Tema matemático: Geometria Nível de ensino: 3º ciclo Tópicos matemáticos: Circunferência Subtópicos matemáticos: Polígono regular inscrito numa circunferência Capacidades transversais: Resolução de problemas: compreensão do problema; concepção, aplicação e justificação de estratégias. Raciocínio matemático: formulação, teste e demonstração de conjecturas. Comunicação matemática: interpretação, expressão e discussão. Conhecimentos prévios dos alunos: Noção de polígono inscrito numa circunferência. Polígono regular Aprendizagens visadas: Inscrever um polígono regular numa circunferência. Conceber e pôr em prática estratégias de resolução de problemas, verificando a adequação dos resultados obtidos e dos processos utilizados. Cadeia: 8ª tarefa de “Circunferência” Recursos: material de desenho e computadores com software de geometria dinâmica. Duração prevista: 1 bloco de 90 minutos Notas para o professor: Esta tarefa é constituída por duas partes. Na primeira pretende-se que o aluno, usando material de desenho, inscreva polígonos regulares e o triângulo rectângulo numa circunferência dada. O segundo item é uma tarefa de índole exploratória. Não esquecendo que o programa apenas prevê a inscrição de polígonos regulares em circunferências, o objectivo é que o aluno, apoiado num software de geometria dinâmica, faça conjecturas e as teste. Palavras chave: polígono inscrito, circunferência, quadrilátero
  • 32. Circunferência Novo Programa de Matemática do Ensino Básico - 3º Ciclo 32 Tarefa 8 – Polígonos inscritos 1. Desenha quatro circunferências e em cada uma delas inscreve um dos seguintes polígonos: 1.1. quadrado; 1.2. pentágono regular; 1.3. hexágono regular; 1.4. triângulo rectângulo. 2. Já inscreveste um quadrado numa circunferência Será possível inscrever qualquer quadrilátero numa circunferência? Tenta inscrever numa circunferência  Um rectângulo que não seja um quadrado  Um losango que não seja quadrado  Um paralelogramo obliquângulo  Outros quadriláteros Descobre uma condição que garanta que um quadrilátero pode ser inscrito numa circunferência.