Tc58 renato vila nova - contabilidade geral - aula 9 .:. www.tc58n.wordpress.com

1.801 visualizações

Publicada em

www.tc58n.wordpress.com

Publicada em: Educação
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.801
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
362
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tc58 renato vila nova - contabilidade geral - aula 9 .:. www.tc58n.wordpress.com

  1. 1. Aula 09 Dia 09/09/2013 Renato Vila Nova CONTABILIDADE GERAL
  2. 2. Circulante e Não Circulante: ATIVO: Conforme determina a Lei n°6.404/76, as contas do Ativo devem estar dispostas em ordem decrescente de grau de liquidez dos elementos nela registrados, isto é, do elemento mais líquido para o menos líquido. O MOMENTO DA LIQUIDEZ E REALIZAÇÃO!
  3. 3. Circulante e Não Circulante: PASSIVO: Conforme determina a Lei n°6.404/76, as contas do Passivo devem estar dispostas em ordem decrescente de grau de exigibilidade dos elementos nela registrados, do mais exigível para menos exigível. O MOMENTO DA EXIGIBILIDADE!
  4. 4. Circulante e Não Circulante: “No Ativo Circulante e no Passivo Circulante, classificam-se contas que representam direitos e obrigações, respectivamente, e cujos vencimentos ocorram durante o exercício social seguinte ao do Balanço que estiver sendo elaborado.”
  5. 5. Circulante e Não Circulante: “No Ativo Não Circulante e no Passivo Não Circulante, classificam-se contas que representam direitos e obrigações, respectivamente, e cujos vencimentos ocorram após o término do exercício social seguinte ao do Balanço que estiver sendo elaborado.”
  6. 6. Circulante e Não Circulante:
  7. 7. Circulante e Não Circulante:
  8. 8. Regime de Caixa de Competência: Regime de Competência: “Devemos confrontar as Receitas e Despesas que realmente competem ao período, em função do seu FATO GERADOR, isto é, que devemos apropriar (reconhecer) as Receitas e Despesas no período que são geradas, e não quando forem recebidas e pagas respectivamente.”
  9. 9. Regime de Caixa de Competência: Regime de Caixa: “Pelo Regime de Caixa as Receitas e Despesas são reconhecidas em função do seu Recebimento (receitas) e Pagamento (despesas), respectivamente.”
  10. 10. Regime de Caixa de Competência: Exemplo: A empresa presta serviço no mês de Maio/11 a todos seus clientes, no valor de R$ 20.000, todos esses são faturados neste mesmo mês, porém só serão recebidos dentro de 60 dias, ou seja, no mês Julho/11. A empresa paga seus empregados no quinto dia útil do mês seguinte, ou seja os salários de Maio/11 serão pagos em Junho/11, no valor de R$ 9.000.
  11. 11. Regime de Caixa de Competência: Exemplo: Como ficaria em cada Regime?
  12. 12. Regime de Caixa de Competência: REGIME DE COMPETÊNCIA!!
  13. 13. EXERCÍCIOS: Considere a seguinte relação de contas: Ações em Tesouraria. Adiantamentos a Fornecedores. Adiantamentos de Clientes. Capital a Realizar. Depreciação Acumulada. Despesas com Aluguéis. Despesas de Depreciação. Receita de Comissões. O número de contas credoras é de: a) três. b) quatro. c) cinco. d) seis.
  14. 14. EXERCÍCIOS: Assinale a opção que apresenta apenas contas integrantes do Patrimônio Líquido. a) Ações em Tesouraria, Reserva Legal e Custo das Mercadorias Vendidas. b) Capital Subscrito, Prejuízos Acumulados e Reserva de Lucros. c) Lucros Acumulados, Ações em Tesouraria e Despesas Antecipadas. d) Reserva Legal, Dividendos a Pagar e Capital a Integralizar.
  15. 15. EXERCÍCIOS: Os adiantamentos de clientes são registrados como: a) crédito em conta de Receitas . b) crédito em conta de Passivo. c) débito em conta de Ativo. d) débito em conta de Passivo.
  16. 16. EXERCÍCIOS: Uma empresa comercial varejista adquiriu mercadorias para pagamento em 15 dias por R$10.500,00, neste valor incluídos ICMS e IPI nos valores de R$1.000,00 e R$500,00, respectivamente. Desconsiderando a existência de PIS e COFINS, a contabilização que corresponde ao registro da aquisição de mercadorias é: a) Débito: Estoque de Mercadorias R$9.500,00 Débito: ICMS a Recuperar R$1.000,00 Crédito: Fornecedores R$10.500,00 b) Débito: Estoque de Mercadorias R$9.000,00 Débito: IPI a Recuperar R$500,00 Débito: ICMS a Recuperar R$1.000,00 Crédito: Fornecedores R$10.500,00
  17. 17. EXERCÍCIOS: c) Débito: Estoque de Mercadorias R$10.500,00 Crédito: IPI a Recuperar R$500,00 Crédito: ICMS a Recuperar R$1.000,00 Crédito: Fornecedores R$9.000,00 d) Débito: Estoque de Mercadorias R$10.500,00 Crédito: Fornecedores R$10.500,00
  18. 18. Princípios: Princípios Fundamentais da Contabilidade (Resolução CFC n°750, atualizada pela n°1282), passa a se chamar Princípios de Contabilidade: Da Entidade; Da Continuidade; Da Oportunidade; Do Registro Pelo Valor Original; Da Competência; Da Prudência.
  19. 19. Princípios: Princípios de Contabilidade (Resolução CFC n°750, atualizada pela n°1282): Da Entidade: “O Princípio da ENTIDADE reconhece o Patrimônio como objeto da Contabilidade e afirma a autonomia patrimonial, a necessidade da diferenciação de um Patrimônio particular no universo dos patrimônios existentes, independentemente de pertencer a uma pessoa, um conjunto de pessoas, uma sociedade ou instituição de qualquer natureza ou finalidade, com ou sem fins lucrativos. Por consequência, nesta acepção, o Patrimônio não se confunde com aqueles dos seus sócios ou proprietários, no caso de sociedade ou instituição.”
  20. 20. Princípios: Princípios de Contabilidade (Resolução CFC n°750, atualizada pela n°1282): Da Continuidade: “O Princípio da Continuidade pressupõe que a Entidade continuará em operação no futuro e, portanto, a mensuração e a apresentação dos componentes do patrimônio levam em conta esta circunstância.”
  21. 21. Princípios: Princípios de Contabilidade (Resolução CFC n°750, atualizada pela n°1282): Da Oportunidade: “O Princípio da Oportunidade refere-se ao processo de mensuração e apresentação dos componentes patrimoniais para produzir informações íntegras e tempestivas. Parágrafo único. A falta de integridade e tempestividade na produção e na divulgação da informação contábil pode ocasionar a perda de sua relevância, por isso é necessário ponderar a relação entre a oportunidade e a confiabilidade da informação .”
  22. 22. Princípios: Princípios de Contabilidade (Resolução CFC n°750, atualizada pela n°1282): Do Registro pelo Valor Original: “O Princípio do Registro pelo Valor Original determina que os componentes do patrimônio devem ser inicialmente registrados pelos valores originais das transações, expressos em moeda nacional.”
  23. 23. Princípios: Princípios de Contabilidade (Resolução CFC n°750, atualizada pela n°1282): Da Competência: “O Princípio da Competência determina que os efeitos das transações e outros eventos sejam reconhecidos nos períodos a que se referem, independentemente do recebimento ou pagamento. Parágrafo único. O Princípio da Competência pressupõe a simultaneidade da confrontação de receitas e de despesas correlatas.”
  24. 24. Princípios: Princípios de Contabilidade (Resolução CFC n°750, atualizada pela n°1282): Da Prudência: “O Princípio da PRUDÊNCIA determina a adoção do menor valor para os componentes do ATIVO e do maior para os do PASSIVO, sempre que se apresentem alternativas igualmente válidas para a quantificação das mutações patrimoniais que alterem o patrimônio líquido. O Princípio da Prudência pressupõe o emprego de certo grau de precaução no exercício dos julgamentos necessários às estimativas em certas condições de incerteza, no sentido de que ativos e receitas não sejam superestimados e que passivos e despesas não sejam subestimados, atribuindo maior confiabilidade ao processo de mensuração e apresentação dos componentes patrimoniais.”
  25. 25. Características Qualitativas das Demonstrações Contábeis: CPC - PRONUNCIAMENTO CONCEITUAL BÁSICO - Compreensibilidade - Relevância - Confiabilidade - Comparabilidade
  26. 26. Características Qualitativas das Demonstrações Contábeis: CPC - PRONUNCIAMENTO CONCEITUAL BÁSICO
  27. 27. Características Qualitativas das Demonstrações Contábeis: CPC - PRONUNCIAMENTO CONCEITUAL BÁSICO
  28. 28. Características Qualitativas das Demonstrações Contábeis: CPC - PRONUNCIAMENTO CONCEITUAL BÁSICO
  29. 29. Características Qualitativas das Demonstrações Contábeis: CPC - PRONUNCIAMENTO CONCEITUAL BÁSICO
  30. 30. Limitações na Relevância e na Confiabilidade das Informações: CPC - PRONUNCIAMENTO CONCEITUAL BÁSICO
  31. 31. Limitações na Relevância e na Confiabilidade das Informações: CPC - PRONUNCIAMENTO CONCEITUAL BÁSICO
  32. 32. Características Qualitativas das Demonstrações Contábeis: CPC - PRONUNCIAMENTO CONCEITUAL BÁSICO
  33. 33. 28. A descrição “Pressupõe que a Entidade continuará em operação no futuro e, portanto, a mensuração e a apresentação dos componentes do patrimônio levam em conta esta circunstância.” refere-se ao Princípio da: a) Competência. b) Continuidade. c) Entidade. d) Oportunidade.
  34. 34. 29. Uma empresa perdeu um processo de licitação por sua escrituração contábil não apresentar informações íntegras e tempestivas, na produção e na divulgação da informação contábil, ocasionando a perda da relevância das informações contábeis deixando-as sem confiabilidade. Essa empresa foi penalizada por descumprir o Princípio da: a) Competência. b) Continuidade. c) Entidade. d) Oportunidade.
  35. 35. 34. Com base na Resolução CFC n.º 750/93 e alterações posteriores, que trata dos Princípios de Contabilidade, assinale a opção CORRETA: a) O Princípio da Continuidade reconhece o patrimônio como objeto da contabilidade e diferencia o patrimônio particular no universo dos patrimônios existentes. b) O Princípio da Oportunidade refere-se ao processo de mensuração e apresentação dos componentes patrimoniais para produzir informações íntegras e tempestivas. c) O Princípio da Prudência exige integridade e tempestividade na produção e na divulgação da informação contábil para não ocasionar perda de relevância. d) O Princípio do Conservadorismo determina que os componentes do patrimônio devem ser inicialmente registrados pelos valores originais das transações, expressos em moeda nacional.

×