Fi ti- aula 2

2.326 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.326
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
575
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
83
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fi ti- aula 2

  1. 1. Finanças emProjetos de TIProfa. Liliam SakamotoAula 2
  2. 2. Finanças em Projetos de TI- Aula 2Análise de Risco e Financiamento• Trabalhar em um projeto de TI;• Projetos diversos;• Dificuldades podem surgir: novas tecnologias, novos concorrentes, atrasos, greves, falta de materiais, falta de recursos, catástrofes, etc...
  3. 3. Finanças em Projetos de TI- Aula 2Risco• “É fundamental às sociedades contemporâneas. A administração do risco é o guia que conduz a uma ampla gama de toma de decisões. A forma de administrar o risco e a vontade de com ele fazer ou não opções ousadas são elementos-chaves da energia que impulsiona o sistema econômico. Não são poucas as dificuldades e controvérsias que envolvem a mensuração de risco e retorno”, Minussi (2002).
  4. 4. Finanças em Projetos de TI- Aula 1Fundamentos de risco e retorno• Se todos soubessem com antecedência qual seria o preço futuro de uma ação, o investimento seria uma tarefa simples.• Infelizmente, é difícil – se não impossível – fazer tais predições com qualquer grau de certeza.• Em conseqüência, os investidores muitas vezes usam o passado para fazer predições futuras.
  5. 5. Finanças em Projetos de TI- Aula 2 Definição de risco• Em administração e finanças, risco é a possibilidade de perda financeira.• Os ativos (reais ou financeiros) que apresentam maior probabilidade de perda são considerados mais arriscados do que os ativos com probabilidades menores de perda.• Risco e incerteza podem ser usados como sinônimos em relação à variabilidade de retornos associada a um ativo.• Outras fontes de risco são indicadas no próximo slide.
  6. 6. Finanças em Projetos de TI- Aula 2
  7. 7. Finanças em Projetos de TI- Aula 2Risco é A propabilidade de acontecer uma situação adversa, problema ou dano e as consequencia destes.
  8. 8. Finanças em Projetos de TI- Aula 2Gerência de Riscos – PMBOK(Rouiller,2003)  “Objetiva maximizar os resultados de ocorrências positivas e minimizar as consequências de ocorrências negativas. Consiste na identificação, quantificação, tratamento e controle dos riscos de projeto... Inclui os seguintes processos principais:  Identificação dos riscos;  Quantificação dos riscos;  Desenvolvimento de respostas aos riscos;  Controle das respostas aos riscos.
  9. 9. Finanças em Projetos de TI- Aula 2 Identificação dos riscos  Determinar quais os riscos são mais prováveis de afetar o projeto e documentar as características de cada um.
  10. 10. Finanças em Projetos de TI- Aula 2 Quantificação dos riscos:  Avaliar os riscos, suas interações e possíveis consequencias.
  11. 11. Finanças em Projetos de TI- Aula 2 Desenvolvimento de respostas aos riscos:  Definir as melhorias necessárias para o aproveitamento de oportunidades e respostas às ameaças.
  12. 12. Finanças em Projetos de TI- Aula 2 Controle das respostas aos riscos:  Responder às mudanças nos riscos do decorrer do projeto.
  13. 13. Finanças em Projetos de TI- Aula 2 PMBOK orienta que designe um ou mais gestores de risco do projeto; Estes gestores conduzem a análise de risco:  Decidem se a avaliação de risco é necessária para resolver um problema e ajudam os avaliadores de riscos a realizarem seu trabalho. Para administrar os riscos é preciso primeiro saber identificá-los.
  14. 14. Finanças em Projetos de TI- Aula 2 Avaliação dos Riscos  Estima o risco e compreende os fatores que intervêm de forma positiva ou negativa sobre o risco;  Um risco pode estimar se em termos absolutos e não relativos e esta avaliação segue uma abordagem estruturada.
  15. 15. Finanças em Projetos de TI- Aula 2 Para se avaliar riscos, principalmente no financiamento de projetos de TI, isto é, recursos financeiros para a realização dos projetos; Possuir a análise de riscos para decisões de investimentos alinhados com o negócio; Avaliação geralmente é realizada por meio de um checklist:  Criado conforme as necessidades de cada empresa ou projeto, objetos da tomada de decisão.
  16. 16. Finanças em Projetos de TI- Aula 2 Muitas vezes a avaliação do risco é realizada com referência no mercado, por esse motivo vamos conhecer um pouco sobre este assunto.
  17. 17. Finanças em Projetos de TI- Aula 2 Todos os dias estamos atuando em algum mercado:  Profissional (no trabalho);  Educacional (na faculdade);  Nacional (dentro do país);  Internacional (fora do país);  Entre outros...
  18. 18. Finanças em Projetos de TI- Aula 2 Mercado  é o ambiente no qual ocorrem as trocas comerciais;  Nele ocorre a oferta de bens ou serviços e a procura ou demanda pelos mesmos.
  19. 19. Finanças em Projetos de TI- Aula 2 Mercado  é o ambiente no qual ocorrem as trocas comerciais;  Nele ocorre a oferta de bens ou serviços e a procura ou demanda pelos mesmos;  É por meio dele que contratamos profissionais, buscamos cotações de preços de fornecedores, buscamos recursos de financiamento de projetos, compramos e vendemos produtos e serviços.
  20. 20. Finanças em Projetos de TI- Aula 2 Teoria do Mercado Eficiente  Ensina que os agentes financeiros tem o mesmo conjunto de informações disponíveis simultaneamente, ou seja, as informações e expectativas se refletem corretamente e imediatamente nos preços dos ativos;  Para esta teoria, não existem distorções nos preços de ativos, já que estes preços refletem todas as variáveis disponíveis, e nenhum investidor é capaz de obter rendimentos acima da média de mercado;  Observações práticas, reais ou empíricas, porém tendem a confirmar que o mercado não age de forma eficiente.
  21. 21. Finanças em Projetos de TI- Aula 2 O conceito de mercado perfeito baseia-se em quatro condições:  Atomicidade;  Homogeniedade;  Fluidez;  transparência.
  22. 22. Finanças em Projetos de TI- Aula 2 Atomicidade:  Cada agente econômico age como se o preço fosse fixo, ou seja, nenhum comprador ou vendedor é suficientemente forte para exercer uma influência significativa nos preços.
  23. 23. Finanças em Projetos de TI- Aula 2 Homogeneidade:  O produto é homogêneo, ou seja tem o mesmo significado para todos envolvidos, e deve ser identificável na ausência do vendedor.
  24. 24. Finanças em Projetos de TI- Aula 2 Fluidez :  Liberdade para compradores e vendedores entrarem ou saírem do mercado.
  25. 25. Finanças em Projetos de TI- Aula 2 Transparência :  Os agentes econômicos têm perfeito conhecimento da quantidade, qualidade e preço dos produtos em oferta.
  26. 26. Finanças em Projetos de TI- Aula 2 Mercado imperfeito:  É aquele no qual um dos “players” consegue de alguma forma manipular os preços a seu favor.
  27. 27. Finanças em Projetos de TI- Aula 2 Fontes de financiamento:  Capital de giro (ativo circulante);  Capital próprio se refere às fontes e financiamentos de projetos, com o dinheiro ou recursos da própria empresa. Consiste no capital dos sócios (Patrimônio líquido, lucros acumulados e reservas);  Capital de terceiros representa recursos originários de terceiros que são usados para aquisição de ativos de propriedade da entidade.
  28. 28. Finanças em Projetos de TI- Aula 2 Custo Médio Ponderado de Capital – CMPC  Quando proprietários ou terceiros investem ou aplicam recursos numa organização, empresa, instituição ou entidade, em geral, exigem um retorno mínimo a título de remuneração do seu capital;  A remuneração gera o custo do capital, e este gera um efeito sobre as operações da empresa que, subsequentemente, afeta a sua lucratividade;  Este custo também é obtido considerando-se todas as fontes dos recursos postos à disposição da empresa, de acordo com a participação percentual do capital próprio e de terceiros.
  29. 29. Finanças em Projetos de TI- Aula 2 Custo Médio Ponderado de Capital (CMPC)  É calculado pelo custo de cada fonte de capital ponderado pela sua respectiva participação na estrutura de financiamento da empresa. Proporção do capital próprio no capital investido Custo do Capital Próprio X = CMPC Custo do Capital de Terceiros Proporção do capital de terceiros no capital investido (considerar o benefício fiscal do IR sobre as juros e encargos financeiros) X
  30. 30. Finanças em Projetos de TI- Aula 2 Custo Médio Ponderado de Capital (CMPC) Proporção do capital próprio no capital investido Custo do Capital Próprio X 20% 0,6 = CMPC Custo do Capital de Terceiros Proporção do capital de terceiros 16% no capital investido X 10% 0,4 Exemplo para forma de cálculo: vamos calcular o valor do CMPC da empresa, financiada pelo Patrimônio Líquido (PL) de R$ 600.000 e dívidas de R$ 400.000. Portanto, há 60% de capital próprio e 40% de capital de terceiros. A remuneração requerida pelos acionistas é de 20% e o custo da dívida é de 10%. CMPC = (20% x 0,6) + (10% x 0,4) = 16%
  31. 31. Finanças em Projetos de TI- Aula 2 Representação Gráfica da Estrutura Ótima de Capital, baseada no Máximo Valor da Empresa VALOR DA EMPRESA ALAVANCADA Incerteza na estrutura ótima Custo de rebalanceamento da estrutura de capital Faixa da estrutura ótima de capital ENDIVIDAMENTO .
  32. 32. Finanças em Projetos de TI- Aula 2 Endividamento e Benefício Fiscal  Endividamento:  É o nível de uso de recursos de terceiros  Tem como objetivo o aumento das possibilidades de lucro, entretanto, por outro lado aumento o grau de risco da operação;  No setor empresarial, grau de endividamento identifica também o grau de alavancagem de um negócio.
  33. 33. Finanças em Projetos de TI- Aula 2 Exercícios:1. Calcular o valor do CMPC da empresa ABC, que possui financiamento pelo Patrimônio Líquido de R$ 1.000.000,00 e dívidas no valor de R$ 200.000,00. Calculando-se que possui 80% de capital próprio e 20% de capital de terceiros. A remuneração requerida pelos acionistas é de 30% e o custo da dívida é de 20%.2. Observamos que existe uma empresa XYZ que possui 50% de capital próprio e 50% de capital de terceiros. Verificar qual o valor do CMPC sendo que esta apresenta remuneração pelos acionistas de 15% e o custo da dívida é de 30%. Calcular também quanto é o valor das dívidas se o Patrimônio Líquido é de R$ 300.000,00.3. Qual o valor da dívida de uma empresa CCC que possui CMPC de 20%, sabendo-se que possui um Patrimônio Líquido de R$ 800.000 e que o capital de terceiros refere-se à 30%.4. Qual o valor do Patrimônio Líquido da empresa VVV se o valor do capital de terceiro é avaliado em 40% e perfaz o montante de R$400.000,00.

×