SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 30
Rácios
O que são rácios? Os rácios expressam a relação entre duas quantidades São normalmente expressos sob a forma de quociente e apresentados em percentagem.   MACH =Velocidade de um objectoVelocidade do som  
Porquê utilizar rácios? Os rácios proporcionam e facilitam comparações: Entre rubricas Históricas Entre rácios Com orçamentos Com médias da indústria ,[object Object]
Comparado com quê?,[object Object]
Rácios de rendibilidade Medem a capacidade da empresa para gerar lucros. Ou seja, para gerar rendimentos e controlar gastos.
% Resultado Bruto % Resultado Bruto= Resultado brutoVendas e serviços prestados Indica quanto é preciso dispender em gastos directos para obter um euro de rendimento. A evolução da % Resultado Bruto é um indicador extremamente importante.   GROSS MARGIN * MARGEM BRUTA * RENDIBILIDADE BRUTA DAS VENDAS
% Resultado Operacional % Resultado Operacional=Resultado operacionalVendas e serviços prestados Indica a totalidade do desempenho operacional da empresa. A evolução da % Resultado Operacional é um indicador extremamente importante.   OPERATING MARGIN * MARGEM OPERACIONAL * RENDIBILIDADE OPERACIONAL DAS  VENDAS
% Resultado Líquido % Resultado Líquido=Resultado líquido do períodoVendas e serviços prestados Indica a totalidade do desempenho da empresa, incluindo gastos de financiamento e impostos. Taxas de juro e de imposto são variáveis que a empresa não controla. Deve-se atentar à sua evolução histórica e comparar com os valores da indústria.   NET PROFIT % * % LUCRO LÍQUIDO * MARGEM LÍQUIDA * RENDIBILIDADE LÍQUIDA
Rendibilidade do Activo Rendibilidade do Activo=Resultado líquido do períodoTotal do Activo Indica qual a percentagem do dinheiro investido na empresa que se transforma em lucro. Deve-se atentar à sua evolução histórica e comparar com os valores da indústria. Um valor demasiado elevado pode indicar subinvestimento ou “criatividade”.   RETURN ON ASSETS * ROA
Rendibilidade do Investimento Originalmente idêntico à Rendibilidade do Activo hoje em dia pode ter vários significados: Rendibilidade de um dado investimento Rendibilidade de um equipamento Rendibilidade de um programa de formação Rendibilidade de uma aquisição RETURN ON INVESTMENT * ROI
Rendibilidade do Capital Próprio Rendibilidade do Capital Próprio=Resultado líquido do períodoTotal do Capital Próprio Indica qual a percentagem do dinheiro investido pelos proprietários que se transforma em lucro. Deve-se atentar à sua evolução histórica e comparar com os valores da indústria. Um valor demasiado elevado pode indicar demasiada alavancagem financeira.   RETURN ON EQUITY * ROE
Rácios de alavancagem Medem a utilização de dívida pela empresa. A dívida permite a uma empresa utilizar mais activos do que seria possivel apenas com o capital próprio nela investido.
Tipos de alavancagem Alavancagem operacional Rácio entre custos fixos e variáveis. Aumenta-se a A.Operacional para reduzir os custos variáveis.  Alavancagem financeira A proporção dos activos financiada através de dívida. Em qualquer caso quanto maior a alavancagem maior o risco.
Rácio de Endividamento Rácio de endividamento=Total do PassivoTotal do Capital Próprio Indica quanta dívida há por cada euro de capital próprio. Deve-se comparar com os valores da indústria. Muitas vezes superior a 1. A fiscalidade torna atractiva a utilização de dívida.   Não expresso em % DEBTO-TO-EQUITY
Rácio de Autonomia Financeira Rácio de autonomia financeira=Total do Capital PróprioTotal do Activo Indica a proporção dos activos que são financiados com capital próprio. Deve-se atender à evolução histórica e comparar com os valores da indústria.   Não expresso em %
Rácio de Cobertura de Juros Cobertura de Juros=Resultado líquido do períodoGastos de Financiamento Mostra a facilidade com que a empresa pode pagar os juros. Quanto mais próximo de 1 mais difícil a situação da empresa.   Não expresso em % INTEREST COVERAGE
Rácios de liquidez Medem a capacidade da empresa para pagar todas as suas obrigações: Empréstimos Remunerações Fornecedores Impostos Etc.
Liquidez corrente Liquidez corrente=Activo correntePassivo corrente Quanto mais se aproxima de 1 mais fraco está o indicador. Abaixo de 1 indica crise de tesouraria. Muito acima de 1 pode indicar demasiado dinheiro por aplicar.   Não expresso em % CURRENT RATIO * LIQUIDEZ GERAL
Teste ácido Teste ácido=Activo corrente −InventáriosPassivo corrente Retiram-se os inventários porque estes são os menos líquidos dos activos correntes. É desejável um valor acima de 1.   Não expresso em % QUICK RATIO * ACID TEST * LIQUIDEZ REDUZIDA
Rácios de eficiência Indicam a eficiência com que estão a ser geridas alguns dos itens chave do balanço: Inventários Clientes Etc
Dias em inventário Dias em inventário=Inventário MédioCusto das vendas diário Indica o número de dias que o inventário permanece na empresa. O inventário médio é a soma do inventário inicial e final dividido por 2 (há quem use apenas o inventário final). O custo diário das vendas é o custo das vendas dividido por 360. O valor que se obtém dever ser comparado com a média da indústria.   Resultado= Nr. dias DII * INVENTORY DAYS
Rotação do inventário Rotação do inventário=360Dias em inventário Indica quantas vezes num ano se roda o inventário. Tanto este como o anterior são rácios que indicam a eficiência na gestão de inventários. Quanto mais elevada a rotação – ou menor o número de dias em inventário – mais eficiente a gestão e melhor a posição de tesouraria.   Não expresso em % STOCK TURNOVER
Prazo médio de recebimento Prazo médio de recebimento=Clientes sem IVAVendas diárias Indica o tempo médio de conversão de vendas em dinheiro. É um rácio crítico para a gestão de tesouraria. Difere muito consoante a actividade, região, época do ano, conjuntura económica. Pode revelar insatisfação de clientes, atraso na facturação, falta de esforço de cobrança, demasiada agressividade comercial.   Resultado= Nr. dias PRAZO MÉDIO DE COBRANÇA * DAYS SALES OUTSTANDING * AVERAGE COLLECTION PERIOD
Prazo médio de pagamento Prazo médio de pagamento = Fornecedores sem IVACusto diário das vendas e fornecimentos e serviços externos Indica o tempo médio de pagamento a fornecedores. É um rácio crítico para a gestão de tesouraria. Difere muito consoante a actividade, região, época do ano, conjuntura económica. Pode afectar prazos de entrega, preços, linhas de crédito.   Resultado= Nr. dias PRAZO MÉDIO DE COBRANÇA * DAYS PAYABLE OUTSTANDING * AVERAGE COLLECTION PERIOD
Rotação do activo fixo tangível Rotação do AFT =Vendas e serviços prestadosActivo fixo tangível Indica quantos euros em vendas se obtêm por cada euro investido em activos fixos tangíveis. Mede a eficiência da exploração destes activos. Comparar com a indústria e valores históricos. Não é um rácio significativo para a maioria das empresas de serviços.   Resultado= € PPE TURNOVER * PLANT PROPERTY & EQUIPMENT TURNOVER
Rotação do activo Rotação do activo =Vendas e serviços prestadosTotal do activo Indica quantos euros em vendas se obtêm por cada euro investido em activos. Comparar com a indústria e valores históricos. É sempre um rácio importante para a gestão.   Resultado= € TOTAL ASSET TURNOVER
Vendas por empregado Vendas por empregado =Vendas e serviços prestadosNúmero médio de empregados Indica quantos euros em vendas se obtêm por cada pessoa ao serviço da empresa. Comparar com a indústria e valores históricos. Pode ser um rácio crítico para a gestão.   Resultado= € SALES PER EMPLOYEE
DR em % das Vendas Uma forma comum e eficaz para analisar rapidamente a demonstração de resultados de uma empresa é expressar as suas rubricas em termos de percentagem das vendas...
Rácios há muitos... Há muito mais rácios para além destes por exemplo rácios bolsistas Price to Earnings = Cotação / Resultados por acção Market-to-book =Cotação / Valor contabilístico por acção É importante ter rácios relevantes para a indústria em que a empresa se insere e/ou desenvolver rácios pertinentes para a especificidade da empresa.
Central de Balanços do Banco de Portugal O Banco de Portugal começou em 2010 a enviar por email um conjunto de indicadores da empresa, indústria e europeus que incluem: Rácios de rendibilidade, liquidez, actividade. Valores de balanço, demonstração de resultados e fluxos de caixa.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Capitulo 5 custo padrão
Capitulo 5   custo padrãoCapitulo 5   custo padrão
Capitulo 5 custo padrãoDaniel Moura
 
Aula 1- Analise de Investimento
Aula 1- Analise de InvestimentoAula 1- Analise de Investimento
Aula 1- Analise de InvestimentoLuciano Rodrigues
 
Capitulo 3 sistemas de custos
Capitulo 3   sistemas de custosCapitulo 3   sistemas de custos
Capitulo 3 sistemas de custosDaniel Moura
 
Exercicios resolvidos contabilidade aula 05
Exercicios resolvidos contabilidade   aula 05Exercicios resolvidos contabilidade   aula 05
Exercicios resolvidos contabilidade aula 05contacontabil
 
Balanço patrimonial
Balanço patrimonialBalanço patrimonial
Balanço patrimonialcontacontabil
 
Avliavalicao de estoques
Avliavalicao de estoquesAvliavalicao de estoques
Avliavalicao de estoquesDma Cursos
 
Apontamentos documentação comercial e administrativa
Apontamentos documentação comercial e administrativaApontamentos documentação comercial e administrativa
Apontamentos documentação comercial e administrativaleticiaferreira
 
Sebenta contabilidade analitica i 2014 2015 (1)
Sebenta contabilidade analitica i  2014 2015 (1)Sebenta contabilidade analitica i  2014 2015 (1)
Sebenta contabilidade analitica i 2014 2015 (1)Brígida Oliveira
 
Aula 8 - Ponto de Equilíbrio e Alavancagem Operacional
Aula 8 - Ponto de Equilíbrio e Alavancagem Operacional Aula 8 - Ponto de Equilíbrio e Alavancagem Operacional
Aula 8 - Ponto de Equilíbrio e Alavancagem Operacional MestredaContabilidade
 
Custos de produção - microeconomia
Custos de produção - microeconomiaCustos de produção - microeconomia
Custos de produção - microeconomiaCamila Carvalho
 
Aula 7 - Fundamentos de Custos e Métodos de Custeio
Aula 7 - Fundamentos de Custos e Métodos de CusteioAula 7 - Fundamentos de Custos e Métodos de Custeio
Aula 7 - Fundamentos de Custos e Métodos de CusteioMestredaContabilidade
 

Mais procurados (20)

Capitulo 5 custo padrão
Capitulo 5   custo padrãoCapitulo 5   custo padrão
Capitulo 5 custo padrão
 
Aula 1- Analise de Investimento
Aula 1- Analise de InvestimentoAula 1- Analise de Investimento
Aula 1- Analise de Investimento
 
Capitulo 3 sistemas de custos
Capitulo 3   sistemas de custosCapitulo 3   sistemas de custos
Capitulo 3 sistemas de custos
 
Aula 4 produção e custos
Aula 4   produção e custosAula 4   produção e custos
Aula 4 produção e custos
 
Exercicios resolvidos contabilidade aula 05
Exercicios resolvidos contabilidade   aula 05Exercicios resolvidos contabilidade   aula 05
Exercicios resolvidos contabilidade aula 05
 
Alavancagem alunos (1)
Alavancagem alunos (1)Alavancagem alunos (1)
Alavancagem alunos (1)
 
Balanço patrimonial
Balanço patrimonialBalanço patrimonial
Balanço patrimonial
 
Racios financeiros e economicos
Racios financeiros e economicosRacios financeiros e economicos
Racios financeiros e economicos
 
Avliavalicao de estoques
Avliavalicao de estoquesAvliavalicao de estoques
Avliavalicao de estoques
 
Apontamentos documentação comercial e administrativa
Apontamentos documentação comercial e administrativaApontamentos documentação comercial e administrativa
Apontamentos documentação comercial e administrativa
 
Sebenta contabilidade analitica i 2014 2015 (1)
Sebenta contabilidade analitica i  2014 2015 (1)Sebenta contabilidade analitica i  2014 2015 (1)
Sebenta contabilidade analitica i 2014 2015 (1)
 
Rendimentos à escala
Rendimentos à escalaRendimentos à escala
Rendimentos à escala
 
Calculo Financeiro Mi
Calculo Financeiro MiCalculo Financeiro Mi
Calculo Financeiro Mi
 
Literacia financeira digital
Literacia financeira digitalLiteracia financeira digital
Literacia financeira digital
 
Aula 8 - Ponto de Equilíbrio e Alavancagem Operacional
Aula 8 - Ponto de Equilíbrio e Alavancagem Operacional Aula 8 - Ponto de Equilíbrio e Alavancagem Operacional
Aula 8 - Ponto de Equilíbrio e Alavancagem Operacional
 
Custos de produção - microeconomia
Custos de produção - microeconomiaCustos de produção - microeconomia
Custos de produção - microeconomia
 
Aula 7 - Fundamentos de Custos e Métodos de Custeio
Aula 7 - Fundamentos de Custos e Métodos de CusteioAula 7 - Fundamentos de Custos e Métodos de Custeio
Aula 7 - Fundamentos de Custos e Métodos de Custeio
 
Noções de fiscalidade
Noções de fiscalidadeNoções de fiscalidade
Noções de fiscalidade
 
Custo de capital - finanças
Custo de capital - finançasCusto de capital - finanças
Custo de capital - finanças
 
Contabilidade patrimônio 2
Contabilidade patrimônio 2Contabilidade patrimônio 2
Contabilidade patrimônio 2
 

Destaque

Análise Económica - Conceitos e Exercícios Resolvidos
Análise Económica - Conceitos e Exercícios ResolvidosAnálise Económica - Conceitos e Exercícios Resolvidos
Análise Económica - Conceitos e Exercícios ResolvidosLuís Carlos Cardoso
 
Caderno - Análise Financeira
Caderno - Análise FinanceiraCaderno - Análise Financeira
Caderno - Análise FinanceiraCadernos PPT
 
Nocoes basicas de_financas_para_nao_financeiros
Nocoes basicas de_financas_para_nao_financeirosNocoes basicas de_financas_para_nao_financeiros
Nocoes basicas de_financas_para_nao_financeirosRicardoPassosVieira
 
iOS Developers MeetUp
iOS Developers MeetUpiOS Developers MeetUp
iOS Developers MeetUpRatio
 
Analise das Demonstrações Financeiras
Analise das Demonstrações FinanceirasAnalise das Demonstrações Financeiras
Analise das Demonstrações FinanceirasIsabel Castilho
 
A ANÁLISE DINÂMICA SEGUNDO O MODELO DE MICHEL FLEURIET: O CASO DA EMPRESA CEM...
A ANÁLISE DINÂMICA SEGUNDO O MODELO DE MICHEL FLEURIET: O CASO DA EMPRESA CEM...A ANÁLISE DINÂMICA SEGUNDO O MODELO DE MICHEL FLEURIET: O CASO DA EMPRESA CEM...
A ANÁLISE DINÂMICA SEGUNDO O MODELO DE MICHEL FLEURIET: O CASO DA EMPRESA CEM...Paulo Jose
 
Indicadores macro económicos e financeiros 2013
Indicadores macro económicos e financeiros 2013Indicadores macro económicos e financeiros 2013
Indicadores macro económicos e financeiros 2013arlindo_veiga
 
Estratégia de preços final
Estratégia de preços finalEstratégia de preços final
Estratégia de preços finalEmanuel Campos
 
Cap 5 gestão de tesouraria
Cap 5   gestão de tesourariaCap 5   gestão de tesouraria
Cap 5 gestão de tesourariaFEARP/USP
 
Técnicas de Vendas - Análise de Vendas
Técnicas de Vendas - Análise de VendasTécnicas de Vendas - Análise de Vendas
Técnicas de Vendas - Análise de VendasPreOnline
 
Cálculo VPL, TIR e TIRM
Cálculo VPL, TIR e TIRMCálculo VPL, TIR e TIRM
Cálculo VPL, TIR e TIRMTailine Silva
 
Modulo 6 trabalho powerpoint Engenharia da ementa diogo
Modulo 6 trabalho powerpoint Engenharia da ementa diogoModulo 6 trabalho powerpoint Engenharia da ementa diogo
Modulo 6 trabalho powerpoint Engenharia da ementa diogoDiogo Justino
 
Analise De DemonstraçõEs Financeiras
Analise De DemonstraçõEs FinanceirasAnalise De DemonstraçõEs Financeiras
Analise De DemonstraçõEs Financeirasadmfape
 
Viabilidade de Projetos
Viabilidade de ProjetosViabilidade de Projetos
Viabilidade de ProjetosVinícius Luiz
 
Métodos de análise de investimentos – valor presente líquido [modo de compati...
Métodos de análise de investimentos – valor presente líquido [modo de compati...Métodos de análise de investimentos – valor presente líquido [modo de compati...
Métodos de análise de investimentos – valor presente líquido [modo de compati...Daniel Moura
 
Margem de seguranca teoria
Margem de seguranca  teoriaMargem de seguranca  teoria
Margem de seguranca teoriaClaudio Parra
 

Destaque (20)

Análise Económica - Conceitos e Exercícios Resolvidos
Análise Económica - Conceitos e Exercícios ResolvidosAnálise Económica - Conceitos e Exercícios Resolvidos
Análise Económica - Conceitos e Exercícios Resolvidos
 
Caderno - Análise Financeira
Caderno - Análise FinanceiraCaderno - Análise Financeira
Caderno - Análise Financeira
 
Nocoes basicas de_financas_para_nao_financeiros
Nocoes basicas de_financas_para_nao_financeirosNocoes basicas de_financas_para_nao_financeiros
Nocoes basicas de_financas_para_nao_financeiros
 
iOS Developers MeetUp
iOS Developers MeetUpiOS Developers MeetUp
iOS Developers MeetUp
 
Analise das Demonstrações Financeiras
Analise das Demonstrações FinanceirasAnalise das Demonstrações Financeiras
Analise das Demonstrações Financeiras
 
A ANÁLISE DINÂMICA SEGUNDO O MODELO DE MICHEL FLEURIET: O CASO DA EMPRESA CEM...
A ANÁLISE DINÂMICA SEGUNDO O MODELO DE MICHEL FLEURIET: O CASO DA EMPRESA CEM...A ANÁLISE DINÂMICA SEGUNDO O MODELO DE MICHEL FLEURIET: O CASO DA EMPRESA CEM...
A ANÁLISE DINÂMICA SEGUNDO O MODELO DE MICHEL FLEURIET: O CASO DA EMPRESA CEM...
 
Exercicio 9 a
Exercicio 9 aExercicio 9 a
Exercicio 9 a
 
Indicadores macro económicos e financeiros 2013
Indicadores macro económicos e financeiros 2013Indicadores macro económicos e financeiros 2013
Indicadores macro económicos e financeiros 2013
 
Riscos financeiros
Riscos financeirosRiscos financeiros
Riscos financeiros
 
Estratégia de preços final
Estratégia de preços finalEstratégia de preços final
Estratégia de preços final
 
Cap 5 gestão de tesouraria
Cap 5   gestão de tesourariaCap 5   gestão de tesouraria
Cap 5 gestão de tesouraria
 
Técnicas de Vendas - Análise de Vendas
Técnicas de Vendas - Análise de VendasTécnicas de Vendas - Análise de Vendas
Técnicas de Vendas - Análise de Vendas
 
Cálculo VPL, TIR e TIRM
Cálculo VPL, TIR e TIRMCálculo VPL, TIR e TIRM
Cálculo VPL, TIR e TIRM
 
TIR, VAL, PAYBACK
TIR, VAL, PAYBACKTIR, VAL, PAYBACK
TIR, VAL, PAYBACK
 
Modulo 6 trabalho powerpoint Engenharia da ementa diogo
Modulo 6 trabalho powerpoint Engenharia da ementa diogoModulo 6 trabalho powerpoint Engenharia da ementa diogo
Modulo 6 trabalho powerpoint Engenharia da ementa diogo
 
Analise De DemonstraçõEs Financeiras
Analise De DemonstraçõEs FinanceirasAnalise De DemonstraçõEs Financeiras
Analise De DemonstraçõEs Financeiras
 
Etapas da Fixação de Preços
Etapas da Fixação de PreçosEtapas da Fixação de Preços
Etapas da Fixação de Preços
 
Viabilidade de Projetos
Viabilidade de ProjetosViabilidade de Projetos
Viabilidade de Projetos
 
Métodos de análise de investimentos – valor presente líquido [modo de compati...
Métodos de análise de investimentos – valor presente líquido [modo de compati...Métodos de análise de investimentos – valor presente líquido [modo de compati...
Métodos de análise de investimentos – valor presente líquido [modo de compati...
 
Margem de seguranca teoria
Margem de seguranca  teoriaMargem de seguranca  teoria
Margem de seguranca teoria
 

Semelhante a Ratios

Aula14 analisedeindices
Aula14 analisedeindicesAula14 analisedeindices
Aula14 analisedeindicesfontouramail
 
Indices de liquidez analise
Indices de liquidez analiseIndices de liquidez analise
Indices de liquidez analiseGleidbraga
 
Glossario financeiro indices
Glossario financeiro indicesGlossario financeiro indices
Glossario financeiro indicessimuladocontabil
 
2° análise de balanço
2° análise de balanço2° análise de balanço
2° análise de balançoJeferson Souza
 
Plano de negóciosgrastiscriativo.superdinamico.pdf
Plano de negóciosgrastiscriativo.superdinamico.pdfPlano de negóciosgrastiscriativo.superdinamico.pdf
Plano de negóciosgrastiscriativo.superdinamico.pdfAnderEkauni
 
A rendabilidade da empresa
A rendabilidade da empresaA rendabilidade da empresa
A rendabilidade da empresabelchio01
 
Analise das demonstr finance
Analise das demonstr financeAnalise das demonstr finance
Analise das demonstr financeapostilacontabil
 
Analise das demonstr finance
Analise das demonstr financeAnalise das demonstr finance
Analise das demonstr financeadmcontabil
 
Eng. economica análise de custo, volume, lucro e formação de preço
Eng. economica   análise de custo, volume, lucro e formação de preçoEng. economica   análise de custo, volume, lucro e formação de preço
Eng. economica análise de custo, volume, lucro e formação de preçoPaulo Ricardo Matos
 
APRESENTAÇÃO b.pptx
APRESENTAÇÃO b.pptxAPRESENTAÇÃO b.pptx
APRESENTAÇÃO b.pptxLucia393648
 
Plano de negócios aula 11
Plano de negócios aula 11Plano de negócios aula 11
Plano de negócios aula 11Allyne Keyth
 
Indicadores financeiros (2)( apenas para estudo e consultas(sem valor para av...
Indicadores financeiros (2)( apenas para estudo e consultas(sem valor para av...Indicadores financeiros (2)( apenas para estudo e consultas(sem valor para av...
Indicadores financeiros (2)( apenas para estudo e consultas(sem valor para av...CEZAR MACHADO
 
Valuation Insigne 26 03 2007 Lucas Ferreira
Valuation Insigne 26 03 2007 Lucas FerreiraValuation Insigne 26 03 2007 Lucas Ferreira
Valuation Insigne 26 03 2007 Lucas Ferreiraguest395377
 

Semelhante a Ratios (20)

Aula14 analisedeindices
Aula14 analisedeindicesAula14 analisedeindices
Aula14 analisedeindices
 
Administração financeira
Administração financeiraAdministração financeira
Administração financeira
 
Aspectos de controladoria
Aspectos de controladoriaAspectos de controladoria
Aspectos de controladoria
 
Indices de liquidez analise
Indices de liquidez analiseIndices de liquidez analise
Indices de liquidez analise
 
Glossario financeiro indices
Glossario financeiro indicesGlossario financeiro indices
Glossario financeiro indices
 
2° análise de balanço
2° análise de balanço2° análise de balanço
2° análise de balanço
 
Plano de negóciosgrastiscriativo.superdinamico.pdf
Plano de negóciosgrastiscriativo.superdinamico.pdfPlano de negóciosgrastiscriativo.superdinamico.pdf
Plano de negóciosgrastiscriativo.superdinamico.pdf
 
A rendabilidade da empresa
A rendabilidade da empresaA rendabilidade da empresa
A rendabilidade da empresa
 
Analise das demonstr finance
Analise das demonstr financeAnalise das demonstr finance
Analise das demonstr finance
 
Analise das demonstr finance
Analise das demonstr financeAnalise das demonstr finance
Analise das demonstr finance
 
Curso controlando as finanças
Curso controlando as finançasCurso controlando as finanças
Curso controlando as finanças
 
Financas
FinancasFinancas
Financas
 
Eng. economica análise de custo, volume, lucro e formação de preço
Eng. economica   análise de custo, volume, lucro e formação de preçoEng. economica   análise de custo, volume, lucro e formação de preço
Eng. economica análise de custo, volume, lucro e formação de preço
 
APRESENTAÇÃO b.pptx
APRESENTAÇÃO b.pptxAPRESENTAÇÃO b.pptx
APRESENTAÇÃO b.pptx
 
Plano de negócios aula 11
Plano de negócios aula 11Plano de negócios aula 11
Plano de negócios aula 11
 
Indicadores econômico passo 3
Indicadores econômico passo 3Indicadores econômico passo 3
Indicadores econômico passo 3
 
Indicadores financeiros (2)( apenas para estudo e consultas(sem valor para av...
Indicadores financeiros (2)( apenas para estudo e consultas(sem valor para av...Indicadores financeiros (2)( apenas para estudo e consultas(sem valor para av...
Indicadores financeiros (2)( apenas para estudo e consultas(sem valor para av...
 
Analise financeira
Analise financeiraAnalise financeira
Analise financeira
 
Valuation Insigne 26 03 2007 Lucas Ferreira
Valuation Insigne 26 03 2007 Lucas FerreiraValuation Insigne 26 03 2007 Lucas Ferreira
Valuation Insigne 26 03 2007 Lucas Ferreira
 
Indicadores Financeiros
Indicadores FinanceirosIndicadores Financeiros
Indicadores Financeiros
 

Ratios

  • 2. O que são rácios? Os rácios expressam a relação entre duas quantidades São normalmente expressos sob a forma de quociente e apresentados em percentagem. MACH =Velocidade de um objectoVelocidade do som  
  • 3.
  • 4.
  • 5. Rácios de rendibilidade Medem a capacidade da empresa para gerar lucros. Ou seja, para gerar rendimentos e controlar gastos.
  • 6. % Resultado Bruto % Resultado Bruto= Resultado brutoVendas e serviços prestados Indica quanto é preciso dispender em gastos directos para obter um euro de rendimento. A evolução da % Resultado Bruto é um indicador extremamente importante.   GROSS MARGIN * MARGEM BRUTA * RENDIBILIDADE BRUTA DAS VENDAS
  • 7. % Resultado Operacional % Resultado Operacional=Resultado operacionalVendas e serviços prestados Indica a totalidade do desempenho operacional da empresa. A evolução da % Resultado Operacional é um indicador extremamente importante.   OPERATING MARGIN * MARGEM OPERACIONAL * RENDIBILIDADE OPERACIONAL DAS VENDAS
  • 8. % Resultado Líquido % Resultado Líquido=Resultado líquido do períodoVendas e serviços prestados Indica a totalidade do desempenho da empresa, incluindo gastos de financiamento e impostos. Taxas de juro e de imposto são variáveis que a empresa não controla. Deve-se atentar à sua evolução histórica e comparar com os valores da indústria.   NET PROFIT % * % LUCRO LÍQUIDO * MARGEM LÍQUIDA * RENDIBILIDADE LÍQUIDA
  • 9. Rendibilidade do Activo Rendibilidade do Activo=Resultado líquido do períodoTotal do Activo Indica qual a percentagem do dinheiro investido na empresa que se transforma em lucro. Deve-se atentar à sua evolução histórica e comparar com os valores da indústria. Um valor demasiado elevado pode indicar subinvestimento ou “criatividade”.   RETURN ON ASSETS * ROA
  • 10. Rendibilidade do Investimento Originalmente idêntico à Rendibilidade do Activo hoje em dia pode ter vários significados: Rendibilidade de um dado investimento Rendibilidade de um equipamento Rendibilidade de um programa de formação Rendibilidade de uma aquisição RETURN ON INVESTMENT * ROI
  • 11. Rendibilidade do Capital Próprio Rendibilidade do Capital Próprio=Resultado líquido do períodoTotal do Capital Próprio Indica qual a percentagem do dinheiro investido pelos proprietários que se transforma em lucro. Deve-se atentar à sua evolução histórica e comparar com os valores da indústria. Um valor demasiado elevado pode indicar demasiada alavancagem financeira.   RETURN ON EQUITY * ROE
  • 12. Rácios de alavancagem Medem a utilização de dívida pela empresa. A dívida permite a uma empresa utilizar mais activos do que seria possivel apenas com o capital próprio nela investido.
  • 13. Tipos de alavancagem Alavancagem operacional Rácio entre custos fixos e variáveis. Aumenta-se a A.Operacional para reduzir os custos variáveis. Alavancagem financeira A proporção dos activos financiada através de dívida. Em qualquer caso quanto maior a alavancagem maior o risco.
  • 14. Rácio de Endividamento Rácio de endividamento=Total do PassivoTotal do Capital Próprio Indica quanta dívida há por cada euro de capital próprio. Deve-se comparar com os valores da indústria. Muitas vezes superior a 1. A fiscalidade torna atractiva a utilização de dívida.   Não expresso em % DEBTO-TO-EQUITY
  • 15. Rácio de Autonomia Financeira Rácio de autonomia financeira=Total do Capital PróprioTotal do Activo Indica a proporção dos activos que são financiados com capital próprio. Deve-se atender à evolução histórica e comparar com os valores da indústria.   Não expresso em %
  • 16. Rácio de Cobertura de Juros Cobertura de Juros=Resultado líquido do períodoGastos de Financiamento Mostra a facilidade com que a empresa pode pagar os juros. Quanto mais próximo de 1 mais difícil a situação da empresa.   Não expresso em % INTEREST COVERAGE
  • 17. Rácios de liquidez Medem a capacidade da empresa para pagar todas as suas obrigações: Empréstimos Remunerações Fornecedores Impostos Etc.
  • 18. Liquidez corrente Liquidez corrente=Activo correntePassivo corrente Quanto mais se aproxima de 1 mais fraco está o indicador. Abaixo de 1 indica crise de tesouraria. Muito acima de 1 pode indicar demasiado dinheiro por aplicar.   Não expresso em % CURRENT RATIO * LIQUIDEZ GERAL
  • 19. Teste ácido Teste ácido=Activo corrente −InventáriosPassivo corrente Retiram-se os inventários porque estes são os menos líquidos dos activos correntes. É desejável um valor acima de 1.   Não expresso em % QUICK RATIO * ACID TEST * LIQUIDEZ REDUZIDA
  • 20. Rácios de eficiência Indicam a eficiência com que estão a ser geridas alguns dos itens chave do balanço: Inventários Clientes Etc
  • 21. Dias em inventário Dias em inventário=Inventário MédioCusto das vendas diário Indica o número de dias que o inventário permanece na empresa. O inventário médio é a soma do inventário inicial e final dividido por 2 (há quem use apenas o inventário final). O custo diário das vendas é o custo das vendas dividido por 360. O valor que se obtém dever ser comparado com a média da indústria.   Resultado= Nr. dias DII * INVENTORY DAYS
  • 22. Rotação do inventário Rotação do inventário=360Dias em inventário Indica quantas vezes num ano se roda o inventário. Tanto este como o anterior são rácios que indicam a eficiência na gestão de inventários. Quanto mais elevada a rotação – ou menor o número de dias em inventário – mais eficiente a gestão e melhor a posição de tesouraria.   Não expresso em % STOCK TURNOVER
  • 23. Prazo médio de recebimento Prazo médio de recebimento=Clientes sem IVAVendas diárias Indica o tempo médio de conversão de vendas em dinheiro. É um rácio crítico para a gestão de tesouraria. Difere muito consoante a actividade, região, época do ano, conjuntura económica. Pode revelar insatisfação de clientes, atraso na facturação, falta de esforço de cobrança, demasiada agressividade comercial.   Resultado= Nr. dias PRAZO MÉDIO DE COBRANÇA * DAYS SALES OUTSTANDING * AVERAGE COLLECTION PERIOD
  • 24. Prazo médio de pagamento Prazo médio de pagamento = Fornecedores sem IVACusto diário das vendas e fornecimentos e serviços externos Indica o tempo médio de pagamento a fornecedores. É um rácio crítico para a gestão de tesouraria. Difere muito consoante a actividade, região, época do ano, conjuntura económica. Pode afectar prazos de entrega, preços, linhas de crédito.   Resultado= Nr. dias PRAZO MÉDIO DE COBRANÇA * DAYS PAYABLE OUTSTANDING * AVERAGE COLLECTION PERIOD
  • 25. Rotação do activo fixo tangível Rotação do AFT =Vendas e serviços prestadosActivo fixo tangível Indica quantos euros em vendas se obtêm por cada euro investido em activos fixos tangíveis. Mede a eficiência da exploração destes activos. Comparar com a indústria e valores históricos. Não é um rácio significativo para a maioria das empresas de serviços.   Resultado= € PPE TURNOVER * PLANT PROPERTY & EQUIPMENT TURNOVER
  • 26. Rotação do activo Rotação do activo =Vendas e serviços prestadosTotal do activo Indica quantos euros em vendas se obtêm por cada euro investido em activos. Comparar com a indústria e valores históricos. É sempre um rácio importante para a gestão.   Resultado= € TOTAL ASSET TURNOVER
  • 27. Vendas por empregado Vendas por empregado =Vendas e serviços prestadosNúmero médio de empregados Indica quantos euros em vendas se obtêm por cada pessoa ao serviço da empresa. Comparar com a indústria e valores históricos. Pode ser um rácio crítico para a gestão.   Resultado= € SALES PER EMPLOYEE
  • 28. DR em % das Vendas Uma forma comum e eficaz para analisar rapidamente a demonstração de resultados de uma empresa é expressar as suas rubricas em termos de percentagem das vendas...
  • 29. Rácios há muitos... Há muito mais rácios para além destes por exemplo rácios bolsistas Price to Earnings = Cotação / Resultados por acção Market-to-book =Cotação / Valor contabilístico por acção É importante ter rácios relevantes para a indústria em que a empresa se insere e/ou desenvolver rácios pertinentes para a especificidade da empresa.
  • 30. Central de Balanços do Banco de Portugal O Banco de Portugal começou em 2010 a enviar por email um conjunto de indicadores da empresa, indústria e europeus que incluem: Rácios de rendibilidade, liquidez, actividade. Valores de balanço, demonstração de resultados e fluxos de caixa.