Saude do homem

3.884 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

Saude do homem

  1. 1. INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PARÁ CAMPUS TUCURUÍ. CURSO TÉCNICO EM AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE SAÚDE DO HOMEM TUCURUÍ-PARÁ 21/04/2013
  2. 2. O PERCURSO DA POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DOS HOMENS (PNAISH), DESDE A SUA FORMULAÇÃO ATÉ SUA IMPLEMENTAÇÃO NOS SERVIÇOS PÚBLICOS LOCAIS DE ATENÇÃO À SAÚDE
  3. 3. INTRODUÇÃO  O artigo estudado tem como objetivo compreender como a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde dos Homens (PNAISH) chega aos serviços da Atenção Básica, considerada a porta de entrada do Sistema Único de Saúde (SUS), a partir do ponto de vista dos seus profissionais e observando as suas práticas cotidianas.
  4. 4. MÉTODOS  Estudo realizado de 2010 a 2012 com coleta de dados como: Análise de documentos; Técnicas de narrativa e entrevista e; Observação etnográfica; Pretende-se analisar a relação entre o que é preconizado na política e as práticas geradas (ou legitimadas) em contextos particulares, por aqueles que são responsáveis por implementar a Política.
  5. 5. DA CONSTRUÇÃO DE UM DOCUMENTO QUE ENUNCIA PRINCÍPIOS E DIRETRIZES DA PNAISH  Na primeira década do século XXI, ganha força a discussão de que homens devem ser pensados não como categoria humana, mas como uma categoria generificada, ganhando força, assim, uma discussão da abordagem relacional de gênero.  A partir daí houve o anúncio de uma política de saúde voltada para homens, como o Programa Mais Saúde.  Formulação de políticas e programas, visando reduzir as desigualdades entre homens e mulheres.
  6. 6. A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE AÇÃO NOS MUNICÍPIOS  Ao todo são 26 Planos de Ação (PA) de municípios diferentes, que são selecionados como Pilotos para analisados, com metas: A primeira meta é a implantação da PNAISH. Nem todos os PA apresentaram a segunda meta que é de atender pelo menos um quinto dos homens com idade entre 40 e 59 anos. A terceira meta se relaciona à realização de cirurgias, as prostatectomias suprapúbicas.
  7. 7. A PNAISH CHEGA AOS MUNICÍPIOS, AOS GESTORES E AOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE  Os profissionais que atuam nas unidades apontam que não receberam capacitação (formal ou informal) para conhecer a PNAISH ou para o atendimento de homens.  “Sensibilização" ou uma "capacitação", em que os profissionais são convidados a se engajem na implementação da PNAISH.  As sensibilizações e as capacitações foram ofertadas em geral aos profissionais de nível superior que atuam nos serviços de saúde.
  8. 8. GÊNERO  O conceito de gênero se encontra no centro da PNAISH.  Os homens são vistos pelos profissionais da saúde como um acompanhante ou como um mediador.
  9. 9. EQUIPES SOBRECARREGADAS Acréscimo de tarefas; A falta de habilidade para motivar os profissionais a participarem; O profissional de saúde que tem a iniciativa de promover ações no serviço recebe pouco apoio material e financeiro, contando apenas com a boa vontade dos colegas ou com recursos próprios.
  10. 10. A PNAISH E OS HOMENS NOS SERVIÇOS Divulgação da PNAISH através de entrevistas na mídia, campanhas, rádios, outdoor, e em unidades de saúde, para a população em geral, estimulando a procura dos serviços de saúde por parte dos homens. Tanto gestores quanto profissionais referem como uma barreira para o atendimento dos homens o horário de funcionamento dos serviços de saúde, explicando que os serviços da Atenção Básica funcionam nos mesmos horários em que a maioria dos homens de 20 a 59 anos trabalha. Nesse sentido, em algumas localidades foram ofertados horários alternativos e ampliados de atendimento para homens, como uma ação vinculada à implementação da PNAISH; tal ampliação implica, do ponto de vista administrativo, disponibilização de recursos humanos e financeiros.
  11. 11. CONSIDERAÇÕES FINAIS Constatamos, assim, que há uma falta de estrutura para receber o homem nos serviços de saúde e de incentivos para os mesmos buscarem esses serviços, bem como a capacitação dos profissionais de saúde para receber esses homens.  E que precisa ser trabalhado a questão cultural e fazer uma reeducação na sociedade para que o homem não venha a usar os serviços de saúde só um casos emergenciais.
  12. 12. O B R I G A D O !

×