SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 19
Cristiane Almeida Nº 07
E.M.E.F. PLÁCIDO DE CASTRO
DIRETOR: NERIVALDO LOPES
VICE-DIRETORA: ELIANA
PROFESSOR: João Marcos
SÉRIE/TURMA: 8ª B
OS ANOS DE
CHUMBO
A ditadura militar no Brasil
(1964/1985)
INTRODUÇÃO
 Os Anos de Chumbo foram o período mais repressivo da ditadura
militar no Brasil, estendendo-se basicamente do fim de1968, com a edição
do AI-5 em dezembro daquele ano, até o final do governo Médici, em
março de 1974.
 Foram, provavelmente, os anos de maior progresso econômico
da história recente do Brasil, apesar do avanço da inflação que ocasionava
o aumento da pobreza e da grande desigualdade social, além do elevado
grau de repressão política. Alguns, entretanto, reservam a expressão “anos
de chumbo” especificamente para o governo Médici.
DITADURA
 Governos marcados pelo autoritarismo;
– Indispostos a dialogar com os diversos setores da sociedade.
 Utilização dos Atos Institucionais (AI):
– Conjunto de normas superiores até mesmo à constituição.
 Os militares restringiram as instituições democráticas e
impuseram censura aos meios de comunicação.
– Os brasileiros que se opunham a essa situação foram perseguidos,
exilados, torturados ou mortos.
Os pilares do desenvolvimento econômico
 Burocracia técnica estatal (militar e civil);
 Os grandes empresários estrangeiros;
 Os grandes empresários nacionais.
 Este modelo modernizou a economia, mas
concentrou a riqueza nas classes altas e médias
marginalizando as classes baixas.
Instalação dos militares
 Em 31 de março de 1964, civis e militares fizeram
com que o presidente João Goulart se retirasse do
país.
 Assumiu provisoriamente o Pres. da Câmara de
Deputados Renieri Mazzili.
ATOS INSTITUCIONAIS
 Para se manter no poder, os militares
desrespeitaram a Constituição e o Congresso
Nacional.
 AI1 = 09 de Abril de 1964
– Eleições indiretas para Presidente,
– Autorizou a cassação de mandatos,
– Suspendeu direitos políticos por 10 anos.
– Suspendeu por seis meses as garantias constitucionais.
Marechal Castelo Branco
 De Abril de 1964 a março de 1967.
 era líder do “grupo da sorbonne”, ligado à Escola
Superior de Guerra (ESG).
 Cassou e suspendeu os direitos: JK, Jânio
Quadros e João Goulart).
 Rompeu relações com CUBA;
 Foi extinta a lei de Remessa de Lucros;
 Foi o idealizador de mecanismos da repressão, como o SNI
(Serviço Nacional de Informações).
ECONOMIA: Programa de Ação
Econômica do Governo (PAEG)
 Combater a inflação favorecendo a entrada de capital
estrangeiro consolidando uma fórmula tipicamente
exportadora – altas na balança comercial.
 Controle nas linhas de crédito para o setor privado.
 Redução dos gastos públicos.
 Contenção dos salários e criação do FGTS que faz “girar”
os financiamentos no BNH.
 Redução do salário dos trabalhadores (que também
perderam a estabilidade no emprego).
PROTESTOS
UNE e sindicatos foram duramente reprimidos
 Instituiu o AI2:
– Adoção do bipartidarismo (ARENA X MDB)
 (Aliança Renovadora Nacional) era o partido do governo.
 (Movimento Democrático Brasileiro) era o partido da oposição
consentida.
– Lei de Segurança Nacional, instrumento jurídico para enquadrar os
“inimigos da pátria”.
 AI3 (1966).
 Eleições indiretas para governadores e vice-governadores e nomeação
dos prefeitos das capitais pelos governadores.
 AI4
– Definiu a criação de uma nova constituição. Promulgada em 1967
reforçou o poder Executivo (autoritarismo).
ARENA e MDB
Marechal Costa e Silva
 A partir de 15 de março de 1967 até 1969.
 General linha-dura.
– Tratou de pôr fim às manifestaçõespopulares que se
intensificaram em 1968.
 Morte do Estudante Edson Luís de Lima Souto, no Rio de
Janeiro em 28 de março de 1968.
– Gerou um passeata com mais de 50 mil pessoas em
protesto.
 O aumento das manifestações gerava maior repressão.
– Políticos do MDB protestavam na câmara contra os
abusos do governo.
 Ex: Márcio Moreira Alves propôs o boicote dos desfile
da independência
1968: O ANO QUE NÃO TERMINOU
• Caetano Veloso,
• Gilberto Gil,
• Geraldo Vandré e Chico Buarque na música,
• Hélio Oiticica e Lygia Clark nas artes plásticas,
• Glauber Rocha e Rogério Sganzerla no cinema,
• Ferreira Gullar na poesia, Augusto Boal e José Celso
Martinez Corrêa no teatro.
 Esses foram apenas alguns dos nomes presentes até
hoje na cultura brasileira que deram “o rosto” ao
movimento da contracultura no país.
Repletos de criatividade, esses vanguardistas driblaram e enfrentaram a censura para
cantar, representar e escrever. O ano de 1968 foi “emblemático”, passou para o Brasil como o
período de maior e melhor produção de conteúdo artístico, ao mesmo tempo que é
lembrado pelo lado mais obscuro da política nacional.
30º CONGRESSO DA UNE
Os estudantes foram definitivamente reprimidos no
30º Congresso da UNE, marcado para ocorrer em
Ibiúna, São Paulo, em outubro de 1968.
Fazendo marcação serrada contra os estudantes, a polícia
descobriu o local onde se realizaria o Congresso, e, como
resultado, todos os delegados presentes foram presos.
Ato Institucional n°5
 Decretado em 13 de dezembro de 1968.
 Aumentava ainda mais o poder do presidente, era permitido:
– Fechar o Congresso Nacional, as Assembleias Legislativas e as
Câmaras de Vereadores.
– Intervir em Estados, territórios e Municípios.
– Cassar mandatos eletivos por 10 anos.
– Decretar o confisco de bens.
– Decretar o estado de sítio.
– Suspender garantias constitucionais referentes às liberdades de
reunião e associação.
– Censurar a Imprensa, correspondências, telecomunicações e
diversões públicas, etc..
Gen. Garrastazu Médice
 Governo (1969 – 1974).
 ANOS DE CHUMBO!
 Surgiram Guerrilhas Urbanas e Rurais.
– Guerrilha do Araguaia: se refugiaram no interior (rios Tocantins e
Araguaia).
– Líderes guerrilheiros Carlos Marighela e Carlos Lamarca foram
mortos e seus grupos dominados.
– Militares acabaram com a luta armada: (+) tortura, (+) repressão.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Governo Humberto de Alencar Castelo Branco - 1964 - 1967 - Prof. Altair Aguilar
Governo Humberto de Alencar Castelo Branco - 1964 - 1967 - Prof. Altair AguilarGoverno Humberto de Alencar Castelo Branco - 1964 - 1967 - Prof. Altair Aguilar
Governo Humberto de Alencar Castelo Branco - 1964 - 1967 - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Os Atos Institucionais e a Ditadura Militar no Brasil
Os Atos Institucionais e a Ditadura Militar no BrasilOs Atos Institucionais e a Ditadura Militar no Brasil
Os Atos Institucionais e a Ditadura Militar no Brasil
Janayna Lira
 
Inicio e fim ditadura
Inicio e fim ditadura Inicio e fim ditadura
Inicio e fim ditadura
escola
 
Início e fim da ditadura militar
Início e fim da  ditadura militar Início e fim da  ditadura militar
Início e fim da ditadura militar
escola
 
Regime militar no brasil novo
Regime militar no brasil novoRegime militar no brasil novo
Regime militar no brasil novo
davincipatos
 

Mais procurados (20)

Governos de castello branco e costa e silva
Governos de castello branco e costa e silvaGovernos de castello branco e costa e silva
Governos de castello branco e costa e silva
 
Governo Humberto de Alencar Castelo Branco - 1964 - 1967 - Prof. Altair Aguilar
Governo Humberto de Alencar Castelo Branco - 1964 - 1967 - Prof. Altair AguilarGoverno Humberto de Alencar Castelo Branco - 1964 - 1967 - Prof. Altair Aguilar
Governo Humberto de Alencar Castelo Branco - 1964 - 1967 - Prof. Altair Aguilar
 
Governos Geisel e Figueiredo
Governos Geisel e FigueiredoGovernos Geisel e Figueiredo
Governos Geisel e Figueiredo
 
Os Atos Institucionais e a Ditadura Militar no Brasil
Os Atos Institucionais e a Ditadura Militar no BrasilOs Atos Institucionais e a Ditadura Militar no Brasil
Os Atos Institucionais e a Ditadura Militar no Brasil
 
Governo de geisel
Governo de geiselGoverno de geisel
Governo de geisel
 
Brasil ditadura militar 1964 a 1985 pdf
Brasil ditadura militar 1964 a 1985   pdfBrasil ditadura militar 1964 a 1985   pdf
Brasil ditadura militar 1964 a 1985 pdf
 
Ditadura Militar no Brasil - Prof. Altair Aguilar
Ditadura Militar no Brasil - Prof. Altair AguilarDitadura Militar no Brasil - Prof. Altair Aguilar
Ditadura Militar no Brasil - Prof. Altair Aguilar
 
Ditadura Militar
Ditadura MilitarDitadura Militar
Ditadura Militar
 
Ditadura Militar
Ditadura MilitarDitadura Militar
Ditadura Militar
 
Regime Militar no Brasil - Prof. Altair Aguilar
Regime Militar no Brasil - Prof. Altair AguilarRegime Militar no Brasil - Prof. Altair Aguilar
Regime Militar no Brasil - Prof. Altair Aguilar
 
Governo de geisel
Governo de geiselGoverno de geisel
Governo de geisel
 
Inicio e fim ditadura
Inicio e fim ditadura Inicio e fim ditadura
Inicio e fim ditadura
 
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
 
Início e fim da ditadura militar
Início e fim da  ditadura militar Início e fim da  ditadura militar
Início e fim da ditadura militar
 
Ditadura Militar
Ditadura MilitarDitadura Militar
Ditadura Militar
 
Regime militar no brasil novo
Regime militar no brasil novoRegime militar no brasil novo
Regime militar no brasil novo
 
Ditadura militar brasileira 1964 1985
Ditadura militar brasileira 1964   1985Ditadura militar brasileira 1964   1985
Ditadura militar brasileira 1964 1985
 
Marcelismo
MarcelismoMarcelismo
Marcelismo
 
Regime militar
Regime militarRegime militar
Regime militar
 
30 anos de Democracia no Brasil
30 anos de Democracia no Brasil30 anos de Democracia no Brasil
30 anos de Democracia no Brasil
 

Semelhante a ANOS DE CHUMBO DITADURA MILITAR

3ano ditaduramilitareredemocratizao-121108141325-phpapp01
3ano ditaduramilitareredemocratizao-121108141325-phpapp013ano ditaduramilitareredemocratizao-121108141325-phpapp01
3ano ditaduramilitareredemocratizao-121108141325-phpapp01
Daiane Ramalho
 
Ditadura militar disma
Ditadura militar dismaDitadura militar disma
Ditadura militar disma
Dismael Sagás
 
Ditadura militar no brasil
Ditadura militar no brasilDitadura militar no brasil
Ditadura militar no brasil
Jainny F.
 
Escravidao republica estado novo_ditadura
Escravidao republica estado novo_ditaduraEscravidao republica estado novo_ditadura
Escravidao republica estado novo_ditadura
Katia Silva
 
A Ditadura Militar No Brasil
A Ditadura Militar No BrasilA Ditadura Militar No Brasil
A Ditadura Militar No Brasil
brunourbino
 

Semelhante a ANOS DE CHUMBO DITADURA MILITAR (20)

3ano ditaduramilitareredemocratizao-121108141325-phpapp01
3ano ditaduramilitareredemocratizao-121108141325-phpapp013ano ditaduramilitareredemocratizao-121108141325-phpapp01
3ano ditaduramilitareredemocratizao-121108141325-phpapp01
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
 
21 Regime Militar
21  Regime  Militar21  Regime  Militar
21 Regime Militar
 
Ditadura Militar no Brasil
Ditadura Militar no BrasilDitadura Militar no Brasil
Ditadura Militar no Brasil
 
Ditadura civil-Militar.pptx
Ditadura civil-Militar.pptxDitadura civil-Militar.pptx
Ditadura civil-Militar.pptx
 
A ditadura militar e a educacao no brasil revisado
A ditadura militar e a educacao no brasil revisadoA ditadura militar e a educacao no brasil revisado
A ditadura militar e a educacao no brasil revisado
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
 
Ditadura militar disma
Ditadura militar dismaDitadura militar disma
Ditadura militar disma
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
 
Regime Militar Brasileiro - 1964
Regime Militar Brasileiro - 1964Regime Militar Brasileiro - 1964
Regime Militar Brasileiro - 1964
 
Ditadura militar no brasil
Ditadura militar no brasilDitadura militar no brasil
Ditadura militar no brasil
 
O circuito de produção e o espaço industrial
O circuito de produção e  o espaço industrialO circuito de produção e  o espaço industrial
O circuito de produção e o espaço industrial
 
Médici e a Ditadura Militar.
Médici e a Ditadura Militar.Médici e a Ditadura Militar.
Médici e a Ditadura Militar.
 
A Ditadura Militar no Brasil
A Ditadura Militar no Brasil A Ditadura Militar no Brasil
A Ditadura Militar no Brasil
 
Escravidao republica estado novo_ditadura
Escravidao republica estado novo_ditaduraEscravidao republica estado novo_ditadura
Escravidao republica estado novo_ditadura
 
Ditadura militar parte 2-6
Ditadura militar   parte 2-6Ditadura militar   parte 2-6
Ditadura militar parte 2-6
 
A ditadura militar
A ditadura militarA ditadura militar
A ditadura militar
 
A Ditadura Militar No Brasil
A Ditadura Militar No BrasilA Ditadura Militar No Brasil
A Ditadura Militar No Brasil
 

Mais de Raimund M Souza

Mais de Raimund M Souza (17)

Roma antiga Cristianismo Reino Franco e Império Bizantino
Roma antiga Cristianismo Reino Franco e Império Bizantino Roma antiga Cristianismo Reino Franco e Império Bizantino
Roma antiga Cristianismo Reino Franco e Império Bizantino
 
Roma antiga arlete
Roma antiga arleteRoma antiga arlete
Roma antiga arlete
 
LIXO URBANO E POLUIÇÃO: AMBIENTAL, SONORA E VISUAL
LIXO URBANO E POLUIÇÃO: AMBIENTAL, SONORA E VISUAL LIXO URBANO E POLUIÇÃO: AMBIENTAL, SONORA E VISUAL
LIXO URBANO E POLUIÇÃO: AMBIENTAL, SONORA E VISUAL
 
Sistema métrico Decimal
Sistema métrico Decimal Sistema métrico Decimal
Sistema métrico Decimal
 
União soviética URSS
União soviética  URSSUnião soviética  URSS
União soviética URSS
 
Sistema digestivo ou digestório
Sistema digestivo ou digestórioSistema digestivo ou digestório
Sistema digestivo ou digestório
 
Saude do homem
Saude do homemSaude do homem
Saude do homem
 
Pandemias
PandemiasPandemias
Pandemias
 
GORDURA TANS
GORDURA TANSGORDURA TANS
GORDURA TANS
 
CONFLITOS NA EUROPA
CONFLITOS NA EUROPACONFLITOS NA EUROPA
CONFLITOS NA EUROPA
 
ANOS DE CHUMBO DITADURA MILITAR
ANOS DE CHUMBO DITADURA MILITARANOS DE CHUMBO DITADURA MILITAR
ANOS DE CHUMBO DITADURA MILITAR
 
China , historia da china
China , historia da chinaChina , historia da china
China , historia da china
 
Alca
AlcaAlca
Alca
 
Alca
AlcaAlca
Alca
 
Curriculum 10
Curriculum 10Curriculum 10
Curriculum 10
 
As civilizações ameríndias
As civilizações ameríndiasAs civilizações ameríndias
As civilizações ameríndias
 
Ciclos e carbono
Ciclos e carbonoCiclos e carbono
Ciclos e carbono
 

Último

História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
GisellySobral
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Kelly Mendes
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
WelitaDiaz1
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
azulassessoria9
 

Último (20)

SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
Atividades adaptada de matemática (Adição pop )
Atividades adaptada de matemática (Adição pop )Atividades adaptada de matemática (Adição pop )
Atividades adaptada de matemática (Adição pop )
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
Projeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.docProjeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.doc
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
 

ANOS DE CHUMBO DITADURA MILITAR

  • 1. Cristiane Almeida Nº 07 E.M.E.F. PLÁCIDO DE CASTRO DIRETOR: NERIVALDO LOPES VICE-DIRETORA: ELIANA PROFESSOR: João Marcos SÉRIE/TURMA: 8ª B
  • 2. OS ANOS DE CHUMBO A ditadura militar no Brasil (1964/1985)
  • 3. INTRODUÇÃO  Os Anos de Chumbo foram o período mais repressivo da ditadura militar no Brasil, estendendo-se basicamente do fim de1968, com a edição do AI-5 em dezembro daquele ano, até o final do governo Médici, em março de 1974.  Foram, provavelmente, os anos de maior progresso econômico da história recente do Brasil, apesar do avanço da inflação que ocasionava o aumento da pobreza e da grande desigualdade social, além do elevado grau de repressão política. Alguns, entretanto, reservam a expressão “anos de chumbo” especificamente para o governo Médici.
  • 4. DITADURA  Governos marcados pelo autoritarismo; – Indispostos a dialogar com os diversos setores da sociedade.  Utilização dos Atos Institucionais (AI): – Conjunto de normas superiores até mesmo à constituição.  Os militares restringiram as instituições democráticas e impuseram censura aos meios de comunicação. – Os brasileiros que se opunham a essa situação foram perseguidos, exilados, torturados ou mortos.
  • 5. Os pilares do desenvolvimento econômico  Burocracia técnica estatal (militar e civil);  Os grandes empresários estrangeiros;  Os grandes empresários nacionais.  Este modelo modernizou a economia, mas concentrou a riqueza nas classes altas e médias marginalizando as classes baixas.
  • 6. Instalação dos militares  Em 31 de março de 1964, civis e militares fizeram com que o presidente João Goulart se retirasse do país.  Assumiu provisoriamente o Pres. da Câmara de Deputados Renieri Mazzili.
  • 7. ATOS INSTITUCIONAIS  Para se manter no poder, os militares desrespeitaram a Constituição e o Congresso Nacional.  AI1 = 09 de Abril de 1964 – Eleições indiretas para Presidente, – Autorizou a cassação de mandatos, – Suspendeu direitos políticos por 10 anos. – Suspendeu por seis meses as garantias constitucionais.
  • 8. Marechal Castelo Branco  De Abril de 1964 a março de 1967.  era líder do “grupo da sorbonne”, ligado à Escola Superior de Guerra (ESG).  Cassou e suspendeu os direitos: JK, Jânio Quadros e João Goulart).  Rompeu relações com CUBA;  Foi extinta a lei de Remessa de Lucros;  Foi o idealizador de mecanismos da repressão, como o SNI (Serviço Nacional de Informações).
  • 9. ECONOMIA: Programa de Ação Econômica do Governo (PAEG)  Combater a inflação favorecendo a entrada de capital estrangeiro consolidando uma fórmula tipicamente exportadora – altas na balança comercial.  Controle nas linhas de crédito para o setor privado.  Redução dos gastos públicos.  Contenção dos salários e criação do FGTS que faz “girar” os financiamentos no BNH.  Redução do salário dos trabalhadores (que também perderam a estabilidade no emprego).
  • 10. PROTESTOS UNE e sindicatos foram duramente reprimidos  Instituiu o AI2: – Adoção do bipartidarismo (ARENA X MDB)  (Aliança Renovadora Nacional) era o partido do governo.  (Movimento Democrático Brasileiro) era o partido da oposição consentida. – Lei de Segurança Nacional, instrumento jurídico para enquadrar os “inimigos da pátria”.  AI3 (1966).  Eleições indiretas para governadores e vice-governadores e nomeação dos prefeitos das capitais pelos governadores.  AI4 – Definiu a criação de uma nova constituição. Promulgada em 1967 reforçou o poder Executivo (autoritarismo).
  • 12. Marechal Costa e Silva  A partir de 15 de março de 1967 até 1969.  General linha-dura. – Tratou de pôr fim às manifestaçõespopulares que se intensificaram em 1968.  Morte do Estudante Edson Luís de Lima Souto, no Rio de Janeiro em 28 de março de 1968. – Gerou um passeata com mais de 50 mil pessoas em protesto.  O aumento das manifestações gerava maior repressão. – Políticos do MDB protestavam na câmara contra os abusos do governo.  Ex: Márcio Moreira Alves propôs o boicote dos desfile da independência
  • 13.
  • 14.
  • 15.
  • 16. 1968: O ANO QUE NÃO TERMINOU • Caetano Veloso, • Gilberto Gil, • Geraldo Vandré e Chico Buarque na música, • Hélio Oiticica e Lygia Clark nas artes plásticas, • Glauber Rocha e Rogério Sganzerla no cinema, • Ferreira Gullar na poesia, Augusto Boal e José Celso Martinez Corrêa no teatro.  Esses foram apenas alguns dos nomes presentes até hoje na cultura brasileira que deram “o rosto” ao movimento da contracultura no país. Repletos de criatividade, esses vanguardistas driblaram e enfrentaram a censura para cantar, representar e escrever. O ano de 1968 foi “emblemático”, passou para o Brasil como o período de maior e melhor produção de conteúdo artístico, ao mesmo tempo que é lembrado pelo lado mais obscuro da política nacional.
  • 17. 30º CONGRESSO DA UNE Os estudantes foram definitivamente reprimidos no 30º Congresso da UNE, marcado para ocorrer em Ibiúna, São Paulo, em outubro de 1968. Fazendo marcação serrada contra os estudantes, a polícia descobriu o local onde se realizaria o Congresso, e, como resultado, todos os delegados presentes foram presos.
  • 18. Ato Institucional n°5  Decretado em 13 de dezembro de 1968.  Aumentava ainda mais o poder do presidente, era permitido: – Fechar o Congresso Nacional, as Assembleias Legislativas e as Câmaras de Vereadores. – Intervir em Estados, territórios e Municípios. – Cassar mandatos eletivos por 10 anos. – Decretar o confisco de bens. – Decretar o estado de sítio. – Suspender garantias constitucionais referentes às liberdades de reunião e associação. – Censurar a Imprensa, correspondências, telecomunicações e diversões públicas, etc..
  • 19. Gen. Garrastazu Médice  Governo (1969 – 1974).  ANOS DE CHUMBO!  Surgiram Guerrilhas Urbanas e Rurais. – Guerrilha do Araguaia: se refugiaram no interior (rios Tocantins e Araguaia). – Líderes guerrilheiros Carlos Marighela e Carlos Lamarca foram mortos e seus grupos dominados. – Militares acabaram com a luta armada: (+) tortura, (+) repressão.