SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 45
JORGE SAMUEL
O QUE É O SUS ??? 
O QUE É SAÚDE ???
“A saúde é direito de todos e dever 
do Estado, garantido mediante 
políticas sociais e econômicas que 
visem à redução do risco de doença 
e de outros agravos e ao acesso 
universal e igualitário às ações e 
serviços para a promoção, proteção 
e recuperação”. 
Constituição Federal de 1988, 
artigo 196.
O SUS QUE TEMOS... O SUS QUE QUEREMOS! 
E O SUS QUE PRECISAMOS?
BREVE HISTORICO 
•Até a década 50 – Modelo do Sanitarismo (campanhas 
com objetivo de sanear as cidades e garantir exportações 
agrícolas) 
* Década 60 – Atendimento médico previdenciário 
(a economia migra do polo rural para industrial, 
necessidade de atendimento médico previdenciário) 
* Década 70 – Modelo médico-assistencial privatista 
(centralização da administração – época da ditadura – 
modelo dicotômico entre ações curativas e preventivas). 
Na segunda metade da década de 70 começa a expansão 
dos movimentos sociais e a formulação de propostas que 
atendessem os excluídos
* 1980 – 7° Conferência Nacional de Saúde: 
Programa Nacional de Serviços Básicos de Saúde 
(PREV-Saúde). Pela grave crise fiscal que o pais vive 
naquela época, cria-se órgãos para administrar melhor 
os poucos recursos. O Prev-saúde, por falta de apoio 
político, não é implementado. 
* 1983 - Ações Integradas de Saúde (AIS): 
AIS - Discussão entre reformistas com os setores do 
INAMPS tentando solucionar a crise previdenciária. 
Executadas pelos MS-INAMPS-Secretarias estaduais
1986 - 8° Conferência Nacional de Saúde: 
“...saúde é a resultante das condições de 
alimentação, habitação, educação, renda, 
meio ambiente, trabalho, transporte, 
emprego, lazer, liberdade, acesso e posse da 
terra e o acesso a serviços de saúde. É assim, 
antes de tudo, o resultado das formas de 
organização social da produção, as quais 
podem gerar grandes desigualdades nos 
níveis de vida...”
1988 - Constituição Federal – Artigo 196 
“ A saúde é direito de todos e dever do 
Estado, garantido mediante políticas 
sociais e econômicas que visem à 
redução do risco de doença e de outros 
agravos e ao acesso universal e 
igualitário às ações e serviços para sua 
promoção, proteção e recuperação.”
O lugar do SUS na Constituição 
1. O SUS faz parte das ações definidas na 
Constituição como sendo de “relevância pública”. 
2. A saúde faz parte de um sistema mais amplo, o 
Sistema da Seguridade Social. 
Seguridade Social 
Saúde 
Previdência 
Assistência 
Social
Legislação do SUS 
O SUS foi criado pela Constituição 
Federal de 1988 e regulamentado pelas 
Leis n. 8.080/90 e n. 8.142/90. A 
partir daí, vem sendo, socialmente, 
construído especialmente por meio de 
Normas Operacionais Básicas, feitas 
em consenso pelas três esferas de 
governo e materializadas em 
Portarias Ministeriais.
Constituição Federal 
• Constituição Federal de 1988: 
A “Constituição Cidadã” foi um marco 
fundamental na redefinição das prioridades da 
política do Estado na área da saúde pública. 
– Ela estabelece o conceito de saúde, 
incorporando novas dimensões; define 
o SUS como ação de “relevância pública”; 
estabelece seus princípios, diretrizes, 
competências e financiamento.
Leis Orgânicas da Saúde 
• Lei nº 8.080 e Lei nº 8.142, de 1990: 
– Detalharam os princípios, diretrizes gerais e 
condições para organização e funcionamento do 
sistema. Ou seja, definiram as competências do SUS: 
• Prestar assistência às pessoas por intermédio de 
ações de promoção, prevenção e recuperação da 
saúde; 
• Realização integrada das ações de vigilância 
sanitária, vigilância epidemiológica, saúde do 
trabalhador, assistência terapêutica integral, 
inclusive farmacêutica. 
• Direção única do SUS, exercida pelas três esferas do 
governo: União, estados e municípios.
Normas Operacionais Básicas 
• São instrumentos utilizados para a definição de 
estratégias e movimentos tático-operacionais que 
reorientam a operacionalidade do SUS, a partir da 
avaliação periódica de sua implantação e 
desempenho. 
• Tais normas definiram as competências de cada 
esfera de governo e as condições necessárias para 
que estados e municípios (descentralização) 
pudessem assumir as novas atribuições no processo 
de implantação do SUS. 
• Ex: NOB 01/93 e NOB 01/96 
• OUTRAS NORMATIZAÇÕES: NOAS(2000), PACTO 
PELA VIDA, COAP.
Gestores do SUS 
• FEDERAL 
– Ministério da Saúde 
• ESTADUAL 
– Secretaria de Estado da Saúde 
• MUNICIPAL 
– Secretaria Municipal de Saúde
Funções Gestoras na Saúde 
a) Formulação de políticas / planejamento 
b) Financiamento 
c) Coordenação, regulação, controle e 
avaliação 
d) Prestação direta de serviços de saúde
Princípios Básicos do SUS 
Universalidade 
Eqüidade Integralidade 
SUS
Universalidade 
• A saúde é direito de cidadania e dever do 
Estado; 
• Todas as pessoas têm direito ao atendimento 
independente de cor, raça, religião, local de 
moradia, situação de emprego ou renda, etc; 
Lei 8080 
O desenvolvimento do SUS: avanços , desafios e reafirmação dos seus princípios e diretrizes (MS e CNS, 2002)
Equidade 
• O SUS deve tratar desigualmente os desiguais 
• Os serviços de saúde devem identificar as 
diferenças da população e trabalhar para cada 
necessidade, oferecendo mais a quem mais 
precisa 
• Reduzir disparidades regionais e sociais 
Lei 8080 
O desenvolvimento do SUS: avanços , desafios e reafirmação dos seus princípios e diretrizes (MS e CNS, 2002)
Integralidade 
• “...entendida como conjunto articulado e contínuo das 
ações e serviços preventivos e curativos, individuais e 
coletivos, exigidos para cada caso em todos os níveis de 
complexidade do sistema.” (lei 8.080, 7°,II) 
• A visão do indivíduo como um todo 
• As ações de promoção, de prevenção e de recuperação 
• Necessidade da hierarquização do sistema de saúde 
Lei 8080 
O desenvolvimento do SUS: avanços , desafios e reafirmação dos seus princípios e diretrizes (MS e CNS, 2002)
Princípios éticos/doutrinários 
Universalidade 
Equidade Integralidade 
Regionalização e SUS 
Hierarquização 
Resolubilidade 
Descentralização 
Controle Social 
Participação complementar 
do Setor Privado 
Princípios organizacionais
Regionalização e Hierarquização 
Nível terciário de atenção a saúde – Hospitais de referência – 
Resolvem 5% dos problemas de saúde 
Nível secundário de atenção – Centros (ambulatórios) de 
referência – Resolvem 15% dos problemas de saúde 
Nível Primário de atenção - PSF e UBS 
- Responsáveis por 80% dos problemas de saúde 
Lei 8080 
O desenvolvimento do SUS: avanços , desafios e reafirmação dos seus princípios e diretrizes (MS e CNS, 2002)
Hosp. Especializado 
PSF PSF 
PSF 
PSF 
PSF 
PSF 
UBS 
UBS 
UBS 
Distrito Sanitário 
Amb. 
especializado 
exames
Participação dos Cidadãos: O Controle Social 
• Constituição 
– Garante a participação da população na formulação e controle da 
execução das políticas de saúde 
• Lei 8142 
– Conselho de Saúde 
• Paritário (gestores, profissionais de saúde e usuários) 
• Municipal, estadual e federal 
Lei 8142 e Conselho de Saúde: guia de referencias para a sua organização (MS) 1994
QUEM PAGA O 
SUS ???
Financiamento do SUS 
• Emenda Constitucional nº 29/2000: 
– União: limite mínimo de gasto foi estabelecido como o 
valor empenhado em 1999, acrescido de 5% e, nos anos 
subseqüentes, da variação nominal do Produto Interno 
Bruto (PIB); 
– Estados: terão que gastar, no mínimo, 12% das suas 
receitas próprias com a saúde; 
– Municípios: comprometem 15% de suas contas. 
Os recursos financeiros para o SUS têm sido 
insuficientes para dar suporte a um sistema 
público universal de qualidade.
Financiamento do SUS 
• Para receber os recursos federais, Estados e Municípios devem 
apresentar os requsitos: 
– Fundo de Saúde – conta especial onde serão depositados e 
movimentados os recursos financeiros do SUS, sob fiscalização do 
Conselho de Saúde; 
– Conselho de Saúde – órgão colegiado de caráter permanente 
e deliberativo, composto por representantes do governo - 
prestadores de serviço – (25%), profissionais de saúde (25%) e 
usuários (50%). Sua finalidade é exercer o controle social sobre a 
gestão e implantação do SUS; 
– Plano de Saúde – base das programações e atividades que 
serão desenvolvidas por cada nível de direção do SUS; 
– Relatórios de Gestão – mecanismo de acompanhamento da 
execução do plano de saúde e da aplicação dos recursos 
recebidos. 
– Contrapartida dos recursos para a saúde no respectivo 
orçamento; 
– Plano de Carreiras, Cargos e Salários elaborado por comissão.
BBllooccooss ddee FFiinnaanncciiaammeennttoo 
II -- AAtteennççããoo BBáássiiccaa 
IIII -- AAtteennççããoo ddee MMééddiiaa ee AAllttaa CCoommpplleexxiiddaaddee 
AAmmbbuullaattoorriiaall ee HHoossppiittaallaarr 
IIIIII -- VViiggiillâânncciiaa eemm SSaaúúddee 
IIVV -- AAssssiissttêênncciiaa FFaarrmmaaccêêuuttiiccaa 
VV -- GGeessttããoo ddoo SSUUSS
Piso da Atenção Básica Fixo – PAB FIXO 
Piso da Atenção Básica Variável - PAB Variável. 
I - Saúde da Família 
II - Agentes Comunitários de Saúde 
III - Saúde Bucal 
IV - Compensação de Especificidades Regionais 
V - Fator de Incentivo de Atenção Básica aos Povos Indígenas 
VI - Incentivo à Saúde no Sistema Penitenciário 
VII - Política de Atenção Integral à Saúde do Adolescente em conflito com a 
lei em regime de internação e internação provisória 
VIII - Outros que venham a ser instituídos por meio de ato normativo 
específico
O QUE VOCÊ ACHA DO SUS ??? 
AVANÇOU ??? 
EM QUE ???
Avanços a celebrar 
Aumento na quantidade de serviços: 
• Cobertura do PSF 
• Exames de imagem 
• Procedimentos de hemodiálise 
• Nº de consultas de pré-natal 
• Cobertura vacinal por DPT 
• Consultas médicas por internação 
• Procedimentos de quimioterapia 
• Cirurgias cardíacas
Avanços a celebrar 
Melhoria na qualidade de serviços: 
• Programa Nacional de Imunização 
– cobertura vacinal e erradicação de doenças 
• Sistema Nacional de Transplantes 
– número de transplantados 
• Programa de Controle do HIV/Aids 
– tratamento e prevenção da doença 
• Saúde Mental 
– desospotalização e humanização dos serviços
Números anuais do SUS 
• 12 milhões de internações hospitalares 
• + de 1 bilhão de procedimentos em atenção 
primária à saúde 
• 50 milhões de consultas médicas 
• 2 milhões de partos 
• 300 milhões de exames laboratoriais 
• 1 milhão de tomografias computadorizadas 
• 9 milhões de exames de ultra-sonografia 
• 140 milhões de doses de vacina 
• + de 15 mil transplantes de órgãos
Percepção do SUS 
“O SUS não deve ser visto como um 
problema sem solução, mas como uma 
solução com problemas.” 
• As percepções negativas estão fortemente associadas 
ao tempo de espera: demora em ser atendido, espera 
em filas, tempo perdido na recepção. 
• Mas o nível de conhecimento acerca do SUS da 
população em geral é muito pequeno. 
• E o SUS vem perdendo a batalha da comunicação com 
a sociedade brasileira: mídia.
São princípios do Sistema Único de Saúde (SUS) 
que constam na Lei 8080/90: 
a) centralização, universalidade e integralidade. 
b) hierarquização, centralização e integralidade. 
c) universalidade, igualdade e integralidade. 
d) universalidade, participação popular e 
autonomia. 
e) integralidade, participação popular e 
autonomia.
As ações e serviços de saúde no âmbito do SUS devem ser 
desenvolvidos de acordo com os princípios e diretrizes 
previstos na Constituição Federal e na Lei n° 8.080/90. Em 
relação a estes princípios e diretrizes, é INCORRETO afirmar 
que: 
a) a universalidade de acesso aos serviços de saúde deve 
ocorrer em níveis específicos da assistência. 
b) a epidemiologia deve ser usada para o estabelecimento de 
prioridades, alocação de recursos e orientação programática. 
c) a igualdade da assistência à saúde deve se dar sem 
preconceitos ou privilégios de qualquer espécie. 
d) os serviços públicos devem ser organizados de modo a 
evitar duplicidade de meios para fins idênticos. 
e) a regionalização e hierarquização da rede de serviços de 
saúde faz parte da descentralização político-administrativa.
No que diz respeito à participação da comunidade na 
gestão do Sistema Único de Saúde (SUS), é correto 
afirmar que: 
a) os líderes comunitários devem promover eleições 
locais para escolher quem representará a comunidade 
na gestão do SUS. 
b) dar-se-á através dos Conselhos e das Conferências 
de Saúde e será paritária em relação ao conjunto dos 
demais segmentos. 
c) os representantes da comunidade serão nomeados 
pelas autoridades constituídas. 
d) não é relevante já que não está prevista na 
Constituição e não tem respaldo legal. 
e) dar-se-á por meio dos comitês permanentes mediante 
a ocorrência de um fato relevante para a saúde pública. 
•
As entidades privadas filantrópicas, dentro do Sistema Único de 
Saúde – SUS, têm a função de: 
a) integrar complementarmente a rede de serviços de 
assistência 
b) organizar a atenção a desempregados e população de rua 
c) garantir disponibilidade de leitos para cuidados prolongados e 
internações sociais 
d) orientar a captação de recursos para a universalização da 
atenção 
•
De acordo com a Emenda Constitucional 29, os recursos 
municipais destinados às ações e serviços de saúde serão 
aplicados através: 
a) da Assembleia Legislativa 
b) do Conselho de Saúde 
c) do Plano de Saúde 
d) do Fundo de Saúde
SISTEMA UNICO DE SAUDE - RESUMAO
SISTEMA UNICO DE SAUDE - RESUMAO
SISTEMA UNICO DE SAUDE - RESUMAO

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Política Nacional de Atenção básica
Política Nacional de Atenção básicaPolítica Nacional de Atenção básica
Política Nacional de Atenção básicaRenata Cadidé
 
Lei nº 8.142
Lei nº 8.142Lei nº 8.142
Lei nº 8.142dantispam
 
Saude da familia
Saude da familiaSaude da familia
Saude da familiakarensuelen
 
Estrutura organizacional dos serviços de saúde - Redes de Atenção à Saúde (RAS)
Estrutura organizacional dos serviços de saúde - Redes de Atenção à Saúde (RAS)Estrutura organizacional dos serviços de saúde - Redes de Atenção à Saúde (RAS)
Estrutura organizacional dos serviços de saúde - Redes de Atenção à Saúde (RAS)Patrícia Cruz Rodrigues Marion
 
POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE
POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE  POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE
POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE Valdirene1977
 
Rede de Atenção à Saúde
Rede de Atenção à SaúdeRede de Atenção à Saúde
Rede de Atenção à Saúdeferaps
 
Aula 1 saúde coletiva i slides aula - cópia
Aula 1 saúde coletiva i   slides aula - cópiaAula 1 saúde coletiva i   slides aula - cópia
Aula 1 saúde coletiva i slides aula - cópiaKarla Toledo
 
Curso Introduorio ESF - Conteudo teorico modulo 2 - Aula 2
Curso Introduorio ESF - Conteudo teorico modulo 2 - Aula 2Curso Introduorio ESF - Conteudo teorico modulo 2 - Aula 2
Curso Introduorio ESF - Conteudo teorico modulo 2 - Aula 2eadsantamarcelina
 
Aula promoao a saude
Aula promoao a saudeAula promoao a saude
Aula promoao a saudedavinci ras
 
Aula nasf
Aula nasfAula nasf
Aula nasfenfgabi
 

Mais procurados (20)

Historico sus
Historico susHistorico sus
Historico sus
 
Aula Introdutória de Saúde Coletiva
Aula Introdutória de Saúde ColetivaAula Introdutória de Saúde Coletiva
Aula Introdutória de Saúde Coletiva
 
Política Nacional de Atenção básica
Política Nacional de Atenção básicaPolítica Nacional de Atenção básica
Política Nacional de Atenção básica
 
Aula 3 - SUS
Aula 3 - SUSAula 3 - SUS
Aula 3 - SUS
 
Lei nº 8.142
Lei nº 8.142Lei nº 8.142
Lei nº 8.142
 
Redes de atenção à saúde
Redes de atenção à saúdeRedes de atenção à saúde
Redes de atenção à saúde
 
Modelo de atenção à saúde
Modelo de atenção à saúdeModelo de atenção à saúde
Modelo de atenção à saúde
 
SUS
SUSSUS
SUS
 
Saude da familia
Saude da familiaSaude da familia
Saude da familia
 
Estrutura organizacional dos serviços de saúde - Redes de Atenção à Saúde (RAS)
Estrutura organizacional dos serviços de saúde - Redes de Atenção à Saúde (RAS)Estrutura organizacional dos serviços de saúde - Redes de Atenção à Saúde (RAS)
Estrutura organizacional dos serviços de saúde - Redes de Atenção à Saúde (RAS)
 
POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE
POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE  POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE
POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE
 
Atenção Primária à Saúde
Atenção Primária à SaúdeAtenção Primária à Saúde
Atenção Primária à Saúde
 
Slides sus
Slides susSlides sus
Slides sus
 
Rede de Atenção à Saúde
Rede de Atenção à SaúdeRede de Atenção à Saúde
Rede de Atenção à Saúde
 
Aula de sus
Aula de susAula de sus
Aula de sus
 
Aula 1 saúde coletiva i slides aula - cópia
Aula 1 saúde coletiva i   slides aula - cópiaAula 1 saúde coletiva i   slides aula - cópia
Aula 1 saúde coletiva i slides aula - cópia
 
Curso Introduorio ESF - Conteudo teorico modulo 2 - Aula 2
Curso Introduorio ESF - Conteudo teorico modulo 2 - Aula 2Curso Introduorio ESF - Conteudo teorico modulo 2 - Aula 2
Curso Introduorio ESF - Conteudo teorico modulo 2 - Aula 2
 
Aula promoao a saude
Aula promoao a saudeAula promoao a saude
Aula promoao a saude
 
Sistema unico de saude[1]
Sistema unico de saude[1]Sistema unico de saude[1]
Sistema unico de saude[1]
 
Aula nasf
Aula nasfAula nasf
Aula nasf
 

Destaque

Apresentação sus
Apresentação susApresentação sus
Apresentação susismar26
 
2. sistema único de saúde (SUS)
2. sistema único de saúde (SUS)2. sistema único de saúde (SUS)
2. sistema único de saúde (SUS)Leonardo Savassi
 
O Sistema Único de Saúde Brasileiro
O Sistema Único de Saúde BrasileiroO Sistema Único de Saúde Brasileiro
O Sistema Único de Saúde Brasileiroloirissimavivi
 
Histórico da Saúde Publica no Brasil
Histórico  da Saúde Publica no BrasilHistórico  da Saúde Publica no Brasil
Histórico da Saúde Publica no BrasilAdriano Maffessoni
 
Aula - SUS Princípios Doutrinários e Organizacionais
Aula - SUS Princípios Doutrinários e OrganizacionaisAula - SUS Princípios Doutrinários e Organizacionais
Aula - SUS Princípios Doutrinários e OrganizacionaisRogério de Mesquita Spínola
 
Principais Leis e Normas do SUS desde sua criaçao
Principais Leis e Normas do SUS desde sua criaçaoPrincipais Leis e Normas do SUS desde sua criaçao
Principais Leis e Normas do SUS desde sua criaçaoFlavio Salomao-Miranda
 
sus - cf, princípios, leis orgânicas.
sus - cf, princípios, leis orgânicas.sus - cf, princípios, leis orgânicas.
sus - cf, princípios, leis orgânicas.Liz Cavalcante
 
Sistema Único de Saúde
Sistema Único de SaúdeSistema Único de Saúde
Sistema Único de Saúdeferaps
 
SUS e Política Nacional da Saúde integral da População Negra – PNSIPN
SUS e  Política Nacional da Saúde integral da População Negra – PNSIPNSUS e  Política Nacional da Saúde integral da População Negra – PNSIPN
SUS e Política Nacional da Saúde integral da População Negra – PNSIPNRegina M F Gomes
 
Autocuidado, alimentação e saúde integrais
Autocuidado, alimentação e saúde integraisAutocuidado, alimentação e saúde integrais
Autocuidado, alimentação e saúde integraisSandro Friedland
 
5ª aula nob 91, 93 e 96
5ª aula   nob 91, 93 e 965ª aula   nob 91, 93 e 96
5ª aula nob 91, 93 e 96Rose Manzioli
 
Material esquematizado n 1 lei 8080 e 8142 - esquematizadas + 200 questões.
Material esquematizado n  1   lei 8080 e 8142 - esquematizadas + 200 questões.Material esquematizado n  1   lei 8080 e 8142 - esquematizadas + 200 questões.
Material esquematizado n 1 lei 8080 e 8142 - esquematizadas + 200 questões.Rogério C. Furtado
 
Acolhimento acesso na_rede_basica_-_prof_dr_tulio_franco
Acolhimento acesso na_rede_basica_-_prof_dr_tulio_francoAcolhimento acesso na_rede_basica_-_prof_dr_tulio_franco
Acolhimento acesso na_rede_basica_-_prof_dr_tulio_francojorge luiz dos santos de souza
 

Destaque (20)

O que é o SUS?
O que é o SUS?O que é o SUS?
O que é o SUS?
 
Apresentação sus
Apresentação susApresentação sus
Apresentação sus
 
2. sistema único de saúde (SUS)
2. sistema único de saúde (SUS)2. sistema único de saúde (SUS)
2. sistema único de saúde (SUS)
 
O Sistema Único de Saúde Brasileiro
O Sistema Único de Saúde BrasileiroO Sistema Único de Saúde Brasileiro
O Sistema Único de Saúde Brasileiro
 
Sistema unico de Saúde
Sistema unico de SaúdeSistema unico de Saúde
Sistema unico de Saúde
 
A construção do sus
A construção do susA construção do sus
A construção do sus
 
Histórico da Saúde Publica no Brasil
Histórico  da Saúde Publica no BrasilHistórico  da Saúde Publica no Brasil
Histórico da Saúde Publica no Brasil
 
Aula - SUS Princípios Doutrinários e Organizacionais
Aula - SUS Princípios Doutrinários e OrganizacionaisAula - SUS Princípios Doutrinários e Organizacionais
Aula - SUS Princípios Doutrinários e Organizacionais
 
Principais Leis e Normas do SUS desde sua criaçao
Principais Leis e Normas do SUS desde sua criaçaoPrincipais Leis e Normas do SUS desde sua criaçao
Principais Leis e Normas do SUS desde sua criaçao
 
sus - cf, princípios, leis orgânicas.
sus - cf, princípios, leis orgânicas.sus - cf, princípios, leis orgânicas.
sus - cf, princípios, leis orgânicas.
 
Sistema Único de Saúde
Sistema Único de SaúdeSistema Único de Saúde
Sistema Único de Saúde
 
SUS e Política Nacional da Saúde integral da População Negra – PNSIPN
SUS e  Política Nacional da Saúde integral da População Negra – PNSIPNSUS e  Política Nacional da Saúde integral da População Negra – PNSIPN
SUS e Política Nacional da Saúde integral da População Negra – PNSIPN
 
SUS
SUSSUS
SUS
 
Autocuidado, alimentação e saúde integrais
Autocuidado, alimentação e saúde integraisAutocuidado, alimentação e saúde integrais
Autocuidado, alimentação e saúde integrais
 
SUS para Concursos
SUS para ConcursosSUS para Concursos
SUS para Concursos
 
5ª aula nob 91, 93 e 96
5ª aula   nob 91, 93 e 965ª aula   nob 91, 93 e 96
5ª aula nob 91, 93 e 96
 
SAÚDE COLETIVA
SAÚDE COLETIVASAÚDE COLETIVA
SAÚDE COLETIVA
 
Resumo Lei 8080 para Concursos
Resumo Lei 8080 para ConcursosResumo Lei 8080 para Concursos
Resumo Lei 8080 para Concursos
 
Material esquematizado n 1 lei 8080 e 8142 - esquematizadas + 200 questões.
Material esquematizado n  1   lei 8080 e 8142 - esquematizadas + 200 questões.Material esquematizado n  1   lei 8080 e 8142 - esquematizadas + 200 questões.
Material esquematizado n 1 lei 8080 e 8142 - esquematizadas + 200 questões.
 
Acolhimento acesso na_rede_basica_-_prof_dr_tulio_franco
Acolhimento acesso na_rede_basica_-_prof_dr_tulio_francoAcolhimento acesso na_rede_basica_-_prof_dr_tulio_franco
Acolhimento acesso na_rede_basica_-_prof_dr_tulio_franco
 

Semelhante a SISTEMA UNICO DE SAUDE - RESUMAO

POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE DO SUS (1).pdf
POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE DO SUS (1).pdfPOLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE DO SUS (1).pdf
POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE DO SUS (1).pdfclodoveujose7
 
Slides sus [salvo automaticamente]
Slides sus [salvo automaticamente]Slides sus [salvo automaticamente]
Slides sus [salvo automaticamente]Fisioterapeuta
 
Slides sus aspectos historicos
Slides sus aspectos historicos Slides sus aspectos historicos
Slides sus aspectos historicos Chico Douglas
 
Aula sobreo Sistema Único de Saúde slides_SUS.pptx
Aula sobreo Sistema Único de Saúde slides_SUS.pptxAula sobreo Sistema Único de Saúde slides_SUS.pptx
Aula sobreo Sistema Único de Saúde slides_SUS.pptxprofwilberthlincoln1
 
SUS - Dos Aspectos Históricos à Rrealidade
SUS - Dos Aspectos Históricos à RrealidadeSUS - Dos Aspectos Históricos à Rrealidade
SUS - Dos Aspectos Históricos à RrealidadePLATAFORMA1CURSOS
 
idoc.pub_constituiao-federal-art-196-a-200-sus-principios-e-diretrizes.pdf
idoc.pub_constituiao-federal-art-196-a-200-sus-principios-e-diretrizes.pdfidoc.pub_constituiao-federal-art-196-a-200-sus-principios-e-diretrizes.pdf
idoc.pub_constituiao-federal-art-196-a-200-sus-principios-e-diretrizes.pdfLuziannyDias
 
Power Point Aula 4 - Histórico e Princípios do SUS.ppt
Power Point Aula 4 - Histórico e Princípios do SUS.pptPower Point Aula 4 - Histórico e Princípios do SUS.ppt
Power Point Aula 4 - Histórico e Princípios do SUS.pptWilberthLincoln1
 
Aula-1-História-da-Saúde-Pública-no-Brasil.pdf
Aula-1-História-da-Saúde-Pública-no-Brasil.pdfAula-1-História-da-Saúde-Pública-no-Brasil.pdf
Aula-1-História-da-Saúde-Pública-no-Brasil.pdfUNEMAT
 
Introdução aula gestão dos serviços de saúde
Introdução aula gestão dos serviços de saúdeIntrodução aula gestão dos serviços de saúde
Introdução aula gestão dos serviços de saúdeElizabeth- Ceut Monteiro
 
AULA 2 - POLÍTICAS PUBLICAS.pptx
AULA 2 - POLÍTICAS PUBLICAS.pptxAULA 2 - POLÍTICAS PUBLICAS.pptx
AULA 2 - POLÍTICAS PUBLICAS.pptxCarlaAlves362153
 
HISTÓRIA DA SAÚDE PÚBLICA NO BRASIL AULA 01.ppt
HISTÓRIA DA SAÚDE PÚBLICA NO BRASIL AULA 01.pptHISTÓRIA DA SAÚDE PÚBLICA NO BRASIL AULA 01.ppt
HISTÓRIA DA SAÚDE PÚBLICA NO BRASIL AULA 01.pptssuser1b1803
 
saúde do Trabalhador do Sus CEREST
saúde do Trabalhador do Sus CERESTsaúde do Trabalhador do Sus CEREST
saúde do Trabalhador do Sus CERESTMidiam Quirino Lopes
 
Apostila de sus do professor juremir abrunhosa
Apostila de sus do professor  juremir abrunhosaApostila de sus do professor  juremir abrunhosa
Apostila de sus do professor juremir abrunhosaCurso Atryo
 

Semelhante a SISTEMA UNICO DE SAUDE - RESUMAO (20)

POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE DO SUS (1).pdf
POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE DO SUS (1).pdfPOLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE DO SUS (1).pdf
POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE DO SUS (1).pdf
 
Sus pas-2013
Sus pas-2013Sus pas-2013
Sus pas-2013
 
Slides sus [salvo automaticamente]
Slides sus [salvo automaticamente]Slides sus [salvo automaticamente]
Slides sus [salvo automaticamente]
 
Sus
SusSus
Sus
 
Slides sus aspectos historicos
Slides sus aspectos historicos Slides sus aspectos historicos
Slides sus aspectos historicos
 
Aula 8 e 9 SUS
Aula 8 e 9   SUSAula 8 e 9   SUS
Aula 8 e 9 SUS
 
Aula sobreo Sistema Único de Saúde slides_SUS.pptx
Aula sobreo Sistema Único de Saúde slides_SUS.pptxAula sobreo Sistema Único de Saúde slides_SUS.pptx
Aula sobreo Sistema Único de Saúde slides_SUS.pptx
 
Slides sus
Slides sus   Slides sus
Slides sus
 
Apostila sus
Apostila susApostila sus
Apostila sus
 
SUS - Dos Aspectos Históricos à Rrealidade
SUS - Dos Aspectos Históricos à RrealidadeSUS - Dos Aspectos Históricos à Rrealidade
SUS - Dos Aspectos Históricos à Rrealidade
 
idoc.pub_constituiao-federal-art-196-a-200-sus-principios-e-diretrizes.pdf
idoc.pub_constituiao-federal-art-196-a-200-sus-principios-e-diretrizes.pdfidoc.pub_constituiao-federal-art-196-a-200-sus-principios-e-diretrizes.pdf
idoc.pub_constituiao-federal-art-196-a-200-sus-principios-e-diretrizes.pdf
 
Power Point Aula 4 - Histórico e Princípios do SUS.ppt
Power Point Aula 4 - Histórico e Princípios do SUS.pptPower Point Aula 4 - Histórico e Princípios do SUS.ppt
Power Point Aula 4 - Histórico e Princípios do SUS.ppt
 
Aula-1-História-da-Saúde-Pública-no-Brasil.pdf
Aula-1-História-da-Saúde-Pública-no-Brasil.pdfAula-1-História-da-Saúde-Pública-no-Brasil.pdf
Aula-1-História-da-Saúde-Pública-no-Brasil.pdf
 
Introdução aula gestão dos serviços de saúde
Introdução aula gestão dos serviços de saúdeIntrodução aula gestão dos serviços de saúde
Introdução aula gestão dos serviços de saúde
 
AULA 2 - POLÍTICAS PUBLICAS.pptx
AULA 2 - POLÍTICAS PUBLICAS.pptxAULA 2 - POLÍTICAS PUBLICAS.pptx
AULA 2 - POLÍTICAS PUBLICAS.pptx
 
HISTÓRIA DA SAÚDE PÚBLICA NO BRASIL AULA 01.ppt
HISTÓRIA DA SAÚDE PÚBLICA NO BRASIL AULA 01.pptHISTÓRIA DA SAÚDE PÚBLICA NO BRASIL AULA 01.ppt
HISTÓRIA DA SAÚDE PÚBLICA NO BRASIL AULA 01.ppt
 
Sus sistema unico de saude
Sus   sistema unico de saudeSus   sistema unico de saude
Sus sistema unico de saude
 
saúde do Trabalhador do Sus CEREST
saúde do Trabalhador do Sus CERESTsaúde do Trabalhador do Sus CEREST
saúde do Trabalhador do Sus CEREST
 
Apostila de sus do professor juremir abrunhosa
Apostila de sus do professor  juremir abrunhosaApostila de sus do professor  juremir abrunhosa
Apostila de sus do professor juremir abrunhosa
 
Sus
SusSus
Sus
 

SISTEMA UNICO DE SAUDE - RESUMAO

  • 2. O QUE É O SUS ??? O QUE É SAÚDE ???
  • 3. “A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para a promoção, proteção e recuperação”. Constituição Federal de 1988, artigo 196.
  • 4. O SUS QUE TEMOS... O SUS QUE QUEREMOS! E O SUS QUE PRECISAMOS?
  • 5. BREVE HISTORICO •Até a década 50 – Modelo do Sanitarismo (campanhas com objetivo de sanear as cidades e garantir exportações agrícolas) * Década 60 – Atendimento médico previdenciário (a economia migra do polo rural para industrial, necessidade de atendimento médico previdenciário) * Década 70 – Modelo médico-assistencial privatista (centralização da administração – época da ditadura – modelo dicotômico entre ações curativas e preventivas). Na segunda metade da década de 70 começa a expansão dos movimentos sociais e a formulação de propostas que atendessem os excluídos
  • 6. * 1980 – 7° Conferência Nacional de Saúde: Programa Nacional de Serviços Básicos de Saúde (PREV-Saúde). Pela grave crise fiscal que o pais vive naquela época, cria-se órgãos para administrar melhor os poucos recursos. O Prev-saúde, por falta de apoio político, não é implementado. * 1983 - Ações Integradas de Saúde (AIS): AIS - Discussão entre reformistas com os setores do INAMPS tentando solucionar a crise previdenciária. Executadas pelos MS-INAMPS-Secretarias estaduais
  • 7. 1986 - 8° Conferência Nacional de Saúde: “...saúde é a resultante das condições de alimentação, habitação, educação, renda, meio ambiente, trabalho, transporte, emprego, lazer, liberdade, acesso e posse da terra e o acesso a serviços de saúde. É assim, antes de tudo, o resultado das formas de organização social da produção, as quais podem gerar grandes desigualdades nos níveis de vida...”
  • 8. 1988 - Constituição Federal – Artigo 196 “ A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação.”
  • 9.
  • 10. O lugar do SUS na Constituição 1. O SUS faz parte das ações definidas na Constituição como sendo de “relevância pública”. 2. A saúde faz parte de um sistema mais amplo, o Sistema da Seguridade Social. Seguridade Social Saúde Previdência Assistência Social
  • 11. Legislação do SUS O SUS foi criado pela Constituição Federal de 1988 e regulamentado pelas Leis n. 8.080/90 e n. 8.142/90. A partir daí, vem sendo, socialmente, construído especialmente por meio de Normas Operacionais Básicas, feitas em consenso pelas três esferas de governo e materializadas em Portarias Ministeriais.
  • 12. Constituição Federal • Constituição Federal de 1988: A “Constituição Cidadã” foi um marco fundamental na redefinição das prioridades da política do Estado na área da saúde pública. – Ela estabelece o conceito de saúde, incorporando novas dimensões; define o SUS como ação de “relevância pública”; estabelece seus princípios, diretrizes, competências e financiamento.
  • 13. Leis Orgânicas da Saúde • Lei nº 8.080 e Lei nº 8.142, de 1990: – Detalharam os princípios, diretrizes gerais e condições para organização e funcionamento do sistema. Ou seja, definiram as competências do SUS: • Prestar assistência às pessoas por intermédio de ações de promoção, prevenção e recuperação da saúde; • Realização integrada das ações de vigilância sanitária, vigilância epidemiológica, saúde do trabalhador, assistência terapêutica integral, inclusive farmacêutica. • Direção única do SUS, exercida pelas três esferas do governo: União, estados e municípios.
  • 14. Normas Operacionais Básicas • São instrumentos utilizados para a definição de estratégias e movimentos tático-operacionais que reorientam a operacionalidade do SUS, a partir da avaliação periódica de sua implantação e desempenho. • Tais normas definiram as competências de cada esfera de governo e as condições necessárias para que estados e municípios (descentralização) pudessem assumir as novas atribuições no processo de implantação do SUS. • Ex: NOB 01/93 e NOB 01/96 • OUTRAS NORMATIZAÇÕES: NOAS(2000), PACTO PELA VIDA, COAP.
  • 15.
  • 16. Gestores do SUS • FEDERAL – Ministério da Saúde • ESTADUAL – Secretaria de Estado da Saúde • MUNICIPAL – Secretaria Municipal de Saúde
  • 17. Funções Gestoras na Saúde a) Formulação de políticas / planejamento b) Financiamento c) Coordenação, regulação, controle e avaliação d) Prestação direta de serviços de saúde
  • 18. Princípios Básicos do SUS Universalidade Eqüidade Integralidade SUS
  • 19. Universalidade • A saúde é direito de cidadania e dever do Estado; • Todas as pessoas têm direito ao atendimento independente de cor, raça, religião, local de moradia, situação de emprego ou renda, etc; Lei 8080 O desenvolvimento do SUS: avanços , desafios e reafirmação dos seus princípios e diretrizes (MS e CNS, 2002)
  • 20. Equidade • O SUS deve tratar desigualmente os desiguais • Os serviços de saúde devem identificar as diferenças da população e trabalhar para cada necessidade, oferecendo mais a quem mais precisa • Reduzir disparidades regionais e sociais Lei 8080 O desenvolvimento do SUS: avanços , desafios e reafirmação dos seus princípios e diretrizes (MS e CNS, 2002)
  • 21. Integralidade • “...entendida como conjunto articulado e contínuo das ações e serviços preventivos e curativos, individuais e coletivos, exigidos para cada caso em todos os níveis de complexidade do sistema.” (lei 8.080, 7°,II) • A visão do indivíduo como um todo • As ações de promoção, de prevenção e de recuperação • Necessidade da hierarquização do sistema de saúde Lei 8080 O desenvolvimento do SUS: avanços , desafios e reafirmação dos seus princípios e diretrizes (MS e CNS, 2002)
  • 22. Princípios éticos/doutrinários Universalidade Equidade Integralidade Regionalização e SUS Hierarquização Resolubilidade Descentralização Controle Social Participação complementar do Setor Privado Princípios organizacionais
  • 23. Regionalização e Hierarquização Nível terciário de atenção a saúde – Hospitais de referência – Resolvem 5% dos problemas de saúde Nível secundário de atenção – Centros (ambulatórios) de referência – Resolvem 15% dos problemas de saúde Nível Primário de atenção - PSF e UBS - Responsáveis por 80% dos problemas de saúde Lei 8080 O desenvolvimento do SUS: avanços , desafios e reafirmação dos seus princípios e diretrizes (MS e CNS, 2002)
  • 24.
  • 25. Hosp. Especializado PSF PSF PSF PSF PSF PSF UBS UBS UBS Distrito Sanitário Amb. especializado exames
  • 26. Participação dos Cidadãos: O Controle Social • Constituição – Garante a participação da população na formulação e controle da execução das políticas de saúde • Lei 8142 – Conselho de Saúde • Paritário (gestores, profissionais de saúde e usuários) • Municipal, estadual e federal Lei 8142 e Conselho de Saúde: guia de referencias para a sua organização (MS) 1994
  • 27. QUEM PAGA O SUS ???
  • 28. Financiamento do SUS • Emenda Constitucional nº 29/2000: – União: limite mínimo de gasto foi estabelecido como o valor empenhado em 1999, acrescido de 5% e, nos anos subseqüentes, da variação nominal do Produto Interno Bruto (PIB); – Estados: terão que gastar, no mínimo, 12% das suas receitas próprias com a saúde; – Municípios: comprometem 15% de suas contas. Os recursos financeiros para o SUS têm sido insuficientes para dar suporte a um sistema público universal de qualidade.
  • 29. Financiamento do SUS • Para receber os recursos federais, Estados e Municípios devem apresentar os requsitos: – Fundo de Saúde – conta especial onde serão depositados e movimentados os recursos financeiros do SUS, sob fiscalização do Conselho de Saúde; – Conselho de Saúde – órgão colegiado de caráter permanente e deliberativo, composto por representantes do governo - prestadores de serviço – (25%), profissionais de saúde (25%) e usuários (50%). Sua finalidade é exercer o controle social sobre a gestão e implantação do SUS; – Plano de Saúde – base das programações e atividades que serão desenvolvidas por cada nível de direção do SUS; – Relatórios de Gestão – mecanismo de acompanhamento da execução do plano de saúde e da aplicação dos recursos recebidos. – Contrapartida dos recursos para a saúde no respectivo orçamento; – Plano de Carreiras, Cargos e Salários elaborado por comissão.
  • 30. BBllooccooss ddee FFiinnaanncciiaammeennttoo II -- AAtteennççããoo BBáássiiccaa IIII -- AAtteennççããoo ddee MMééddiiaa ee AAllttaa CCoommpplleexxiiddaaddee AAmmbbuullaattoorriiaall ee HHoossppiittaallaarr IIIIII -- VViiggiillâânncciiaa eemm SSaaúúddee IIVV -- AAssssiissttêênncciiaa FFaarrmmaaccêêuuttiiccaa VV -- GGeessttããoo ddoo SSUUSS
  • 31. Piso da Atenção Básica Fixo – PAB FIXO Piso da Atenção Básica Variável - PAB Variável. I - Saúde da Família II - Agentes Comunitários de Saúde III - Saúde Bucal IV - Compensação de Especificidades Regionais V - Fator de Incentivo de Atenção Básica aos Povos Indígenas VI - Incentivo à Saúde no Sistema Penitenciário VII - Política de Atenção Integral à Saúde do Adolescente em conflito com a lei em regime de internação e internação provisória VIII - Outros que venham a ser instituídos por meio de ato normativo específico
  • 32. O QUE VOCÊ ACHA DO SUS ??? AVANÇOU ??? EM QUE ???
  • 33. Avanços a celebrar Aumento na quantidade de serviços: • Cobertura do PSF • Exames de imagem • Procedimentos de hemodiálise • Nº de consultas de pré-natal • Cobertura vacinal por DPT • Consultas médicas por internação • Procedimentos de quimioterapia • Cirurgias cardíacas
  • 34. Avanços a celebrar Melhoria na qualidade de serviços: • Programa Nacional de Imunização – cobertura vacinal e erradicação de doenças • Sistema Nacional de Transplantes – número de transplantados • Programa de Controle do HIV/Aids – tratamento e prevenção da doença • Saúde Mental – desospotalização e humanização dos serviços
  • 35. Números anuais do SUS • 12 milhões de internações hospitalares • + de 1 bilhão de procedimentos em atenção primária à saúde • 50 milhões de consultas médicas • 2 milhões de partos • 300 milhões de exames laboratoriais • 1 milhão de tomografias computadorizadas • 9 milhões de exames de ultra-sonografia • 140 milhões de doses de vacina • + de 15 mil transplantes de órgãos
  • 36. Percepção do SUS “O SUS não deve ser visto como um problema sem solução, mas como uma solução com problemas.” • As percepções negativas estão fortemente associadas ao tempo de espera: demora em ser atendido, espera em filas, tempo perdido na recepção. • Mas o nível de conhecimento acerca do SUS da população em geral é muito pequeno. • E o SUS vem perdendo a batalha da comunicação com a sociedade brasileira: mídia.
  • 37.
  • 38. São princípios do Sistema Único de Saúde (SUS) que constam na Lei 8080/90: a) centralização, universalidade e integralidade. b) hierarquização, centralização e integralidade. c) universalidade, igualdade e integralidade. d) universalidade, participação popular e autonomia. e) integralidade, participação popular e autonomia.
  • 39. As ações e serviços de saúde no âmbito do SUS devem ser desenvolvidos de acordo com os princípios e diretrizes previstos na Constituição Federal e na Lei n° 8.080/90. Em relação a estes princípios e diretrizes, é INCORRETO afirmar que: a) a universalidade de acesso aos serviços de saúde deve ocorrer em níveis específicos da assistência. b) a epidemiologia deve ser usada para o estabelecimento de prioridades, alocação de recursos e orientação programática. c) a igualdade da assistência à saúde deve se dar sem preconceitos ou privilégios de qualquer espécie. d) os serviços públicos devem ser organizados de modo a evitar duplicidade de meios para fins idênticos. e) a regionalização e hierarquização da rede de serviços de saúde faz parte da descentralização político-administrativa.
  • 40. No que diz respeito à participação da comunidade na gestão do Sistema Único de Saúde (SUS), é correto afirmar que: a) os líderes comunitários devem promover eleições locais para escolher quem representará a comunidade na gestão do SUS. b) dar-se-á através dos Conselhos e das Conferências de Saúde e será paritária em relação ao conjunto dos demais segmentos. c) os representantes da comunidade serão nomeados pelas autoridades constituídas. d) não é relevante já que não está prevista na Constituição e não tem respaldo legal. e) dar-se-á por meio dos comitês permanentes mediante a ocorrência de um fato relevante para a saúde pública. •
  • 41. As entidades privadas filantrópicas, dentro do Sistema Único de Saúde – SUS, têm a função de: a) integrar complementarmente a rede de serviços de assistência b) organizar a atenção a desempregados e população de rua c) garantir disponibilidade de leitos para cuidados prolongados e internações sociais d) orientar a captação de recursos para a universalização da atenção •
  • 42. De acordo com a Emenda Constitucional 29, os recursos municipais destinados às ações e serviços de saúde serão aplicados através: a) da Assembleia Legislativa b) do Conselho de Saúde c) do Plano de Saúde d) do Fundo de Saúde

Notas do Editor

  1. O SUS faz parte das ações definidas na Constituição como sendo de “relevância pública”, ou seja, é atribuída ao poder público a regulamentação, a fiscalização e o controle das ações e dos serviços de saúde, independentemente da execução direta do mesmo. A saúde faz parte de um sistema mais amplo, o Sistema da Seguridade Social. Seguridade Social “compreende um conjunto integrado de ações de iniciativa dos poderes públicos e da sociedade destinada a assegurar os direitos relativos à saúde, à previdência e à assistência social”.
  2. Antes da criação do Sistema Único de Saúde (SUS), o Ministério da Saúde (MS), com o apoio de estados e municípios, desenvolvia quase que exclusivamente ações de promoção da saúde e prevenção de doenças, com destaque para as campanhas de vacinação e controle de endemias. Todas essas ações eram desenvolvidas com caráter universal, ou seja, sem nenhum tipo de discriminação em relação à população beneficiária (SOUZA, 2002).
  3. O segundo principio o da Eqüidade muitas vezes é confundido com igualdade Todo cidadão é igual perante o Sistema Único de Saúde e será atendido conforme as suas necessidades. O SUS não pode oferecer o mesmo atendimento à todas as pessoas, da mesma maneira, em todos os lugares. Se isto ocorrer, algumas pessoas vão ter o que não necessitam e outras não serão atendidas naquilo que necessitam. Reduzir...significa a busca de um maior equilíbrio Os serviços de saúde devem considerar que em cada população existem grupos que vivem de forma diferente, ou seja, cada grupo ou classe social ou regiãotem seus problemas específicos, tem diferenças no modo de viver, de adoecer e de ter oportunidades de satisfazer suas necessidades de vida.
  4. apenas 35% dos brasileiros souberam citar, espontaneamente e com precisão, o que significa SUS