A organização do tecido linfóide

14.309 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
14.309
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
56
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
214
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A organização do tecido linfóide

  1. 1. A organização do tecido linfóide 11-12, 16-17/03/2009
  2. 2. o tecido linfóide: linfócitos e os diferentes tipos de fagócitos mononucleares, aí incluindo as diversas populações de células apresentado- ras de antígeno, estão compondo o tecido linfóide, que pode ser frouxo, denso e nodular. Veja: frouxo denso mais células mono- nuleares fagocíticas, menos linfócitos bastante linfócitos, menos células mono- nucleares fagocíticas nodular nódulo em formação nódulo bem desenvolvido, evidenciando o manto e o centro germinativo o nodular tem celula- ridade do denso, or- ganizado, porém, em nódulos (= folículos) frouxo denso centro germinativo manto
  3. 3. O principal cenário dos mecanismos de defesa: os órgãos linfóides
  4. 4. órgãos linfóides primários ou centrais: . medula óssea, timo e bursa órgãos linfóides secundários ou periféricos: . linfonodos, baço e MALT
  5. 5. órgãos linfóides A medula óssea hematogênica no indivíduo adulto é encontrada nas cristas ilíacas e no esterno O timo A medula óssea Linfonodos Uma cadeia como exemplo. O baço “ MALT”: apêndice, placas de Peyer, tonsilas... GRANT, 1993
  6. 6. <ul><li>A medula óssea vai gradualmente assumindo essa função e, por volta da puberdade, a hematopoiese </li></ul><ul><li>ocorre principalmente no esterno, vértebras, ossos ilíacos e nas costelas. Nesses ossos é encontrada a </li></ul><ul><li>medula vermelha. </li></ul>A medula é uma estrutura reticular semelhante a uma esponja, localizada entre longas trabéculas. TRABÉCULA órgãos linfóides primários: a medula óssea
  7. 7. <ul><li>O timo é um órgão bilobado, situado no mediastino anterior. Cada lobo é dividido em </li></ul><ul><li>múltiplos lóbulos por septos fibrosos. Cada lóbulo consiste de um córtex e uma medula. </li></ul>órgãos linfóides primários: o timo Localização e estrutura do timo
  8. 8. veja a estrutura histológica do timo com mais detalhes: - novamente o lóbulo tímico córtex medula córtex medula córtex: tecido linfóide denso medula: tecido linfóide frouxo corpúsculo de Hassall células reticulares epiteliais linfócitos
  9. 9. A Bursa de Fabricius está presente nas aves. Está localizada na parede do intes- tino grosso, na cloaca. É responsável pela maturação dos linfócitos B. A Bursa de Fabricius possui estrutura histológica semelhante ao Timo. Tam- bém é dividida em lóbulos (nódulos, para alguns autores). órgãos linfóides primários: a bursa Luz intestinal Epitélio intestinal Lóbulo Córtex Medula
  10. 10. o caminho da linfa e do sangue nos linfonodos órgãos linfóides secundários: linfonodos
  11. 11. uma visão histológica geral: Cortical externa Cortical interna Medular
  12. 12. os nódulos ou folículos, como já afirmado, são áreas de linfócitos B. Eles se formam a partir da presença de antígenos, apresentados pelas células dendríticas, do tipo folicular, aí presentes. a camada paracortical apresenta um predomínio de linfócitos T. Nesta camada são observadas numerosas vênulas de endotélio alto, que são os locais de chegada de linfócitos para este órgão.
  13. 13. . o baço é irrigado pela artéria esplênica, que penetra no hilo e se divide em ramos progressivamente menores (cápsula, septos, parênquima). Veja: C: cápsula; T: trabéculas; WP: polpa branca; RP: polpa vermelha. órgãos linfóides secundários: o baço
  14. 14. Polpa branca, polpa vermelha e distribuição das células imunocompetentes o baço é dividido nas polpas branca e vermelha polpa branca polpa vermelha área deLinfócitos B área de Linfócitos T área de células reti- culares/macrófagos hemácias
  15. 15. “ MALT” – tecido linfóide associado às mucosas – Tonsilas : palatina lingual faríngea órgãos linfóides secundários: o “MALT”
  16. 16. ainda “MALT”: placas de Peyer e apêndice cecal placas de Peyer epitélio sobre as placas de Peyer apêndice cecal Sobota, Histologia, 5a. ed., 1997, Ed. Guanabara Koogan.

×