SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 21
Aula 2: Sistema Linfóide: Os Órgãos Linfóides Secundários Maio de 2003
LINFONODO
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Seios sub- capsulares Trabécula Cápsula fibrosa Vasos linfáticos eferentes Centro germinativo Vasos linfáticos aferentes Cordões medulares Seio peritrabecular Seios medulares Paracórtex Nos linfonodos:  Córtex: externo (folículos – zona B) e interno (paracór- tex – zona T). Medula: seios e cordões.
Agora apresentando uma visão histológica geral: C: córtex; S: seio; F: folículo; Cx: córtex; T: trabécula; MC: cordão medular P: paracórtex; T: trabécula, H: hilo Wheater, R., Histologia Funcional, 1a. ed., Ed. Guanabara Koogan, 2001.
Resumindo: Cápsula Seios subcapsulares Trabéculas Seios peritrabeculares Folículos (F) Paracórtex (P) Seios medulares  Cordões medulares (MC) Wheater, R., Histologia Funcional, 1a. ed., Ed. Guanabara Koogan, 2001.
Veja imagens de microscopia de varredura do linfonodo. Visão geral Detalhe de um seio Cápsula Córtex externo Paracórtex Medula Kessel, R., Histologia Médica Básica, 1a. ed., Ed Guanabara Koogan, 2001.
Resumindo o caminho da linfa e do sangue nos linfonodos Stevens, A. e Lowe, J., Histologia Humana, 1a. ed., Ed. Manole, 2001.
Os nódulos ou folículos, como já afirmado, são áreas de  linfócitos  B. Eles se formam  a partir da presença de antígenos, apresentados pelas células dendríticas, do tipo folicular, aí presentes. A camada  paracortical apresenta um predomínio de linfócitos T. Nesta camada são observadas numerosas vênulas de endotélio alto, que são os locais de chegada de linfócitos para este órgão.
A camada medular apresenta os seios medulares, que  como os seios subcapsulares e peritrabeculares, são  compostos por um emaranhado de células mononu- cleares fagocíticas e atravessados pela linfa que chega pelos vasos linfáticos aferentes e sai pelos vasos linfá- ticos eferentes. Entre os seios, encontramos os cordões medulares, onde além de linfócitos existem outros tipos celulares, como plasmócitos.  seios cordões
BAÇO
.  O  baço  é  irrigado pela  artéria esplênica, que penetra no  hilo e se divide em ramos progressivamente  menores (cápsula, septos, parênquima).  Veja: C: cápsula; T: trabéculas; WP: polpa branca; RP: polpa vermelha. Wheater, R., Histologia Funcional, 1a. ed., Ed. Guanabara Koogan, 2001.
Polpa branca, polpa vermelha e distribuição das células imunocompetentes Divide-se o baço nas polpas branca e vermelha polpa branca polpa vermelha área deLinfócitos B área de Linfócitos T área de células reti- culares/macrófagos hemácias
bainha periarteriolar (zona T) polpa vermelha folículo com centro germinativo área B polpa branca: folículo bainha polpa vermelha: seios (com hemácias) cordões de Bilroth O baço está interposto na circulação sangüínea, interagindo e respondendo aos antígenos aí presentes. É um órgão hemocitopóiético na vida fetal, além de fazer hemocaterese . Enfatizando Esquematizando a figura anterior:
A polpa vermelha vista em microscopia de varredura: as setas indicam o arcabouço de células reticulares
Veja um seio, também através de microscopia de varredura:
OUTROS TECIDOS  LINFÓIDES PERIFÉRICOS
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],TONSILA APÊNDICE O apêndice cecal abriga um grande número de linfócitos e centros germinativos (CG), que aparecem como  áreas mais claras na figura ao lado. A tonsila palatina é limitada por uma camada de con- juntivo internamente e por um epitélio na superfície lu- minal. Possui criptas. Veja os centros germinativos (CG). CG Veja com mais detalhes no próximo  slide. CG
“ MALT” – tecido linfóide associado às mucosas –  Tonsilas : palatina lingual faríngea
Ainda “MALT”: placas de Peyer e apêndice cecal placas de Peyer epitélio sobre as placas de Peyer apêndice cecal Sobota, Histologia, 5a. ed., 1997, Ed. Guanabara Koogan.
O epitélio  intestinal  acima  da  placa de  Peyer  é especializado de modo a permitir o transporte  de antígenos para o tecido linfóide. Existem  no epitélio células especializadas  em  capturar  e  apresentar  os  antígenos  aos  linfócitos:  são  chamadas células M. Estas células possuem reen- trâncias na face abluminal (“bolsos”), que permi- tem ao íntimo contato das mesmas  com  linfóci-tos e macrófagos. As placas de Peyer  são grupos de tecido  linfóide difuso sob o epitélio do intestino, particularmente do íleo. Centro germinativo Epitélio intestinal Célula M CG Manto
FIM

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A organização do tecido linfóide
A organização do tecido linfóideA organização do tecido linfóide
A organização do tecido linfóideLABIMUNO UFBA
 
Celulas do sistema imunológico[1]
Celulas do sistema imunológico[1]Celulas do sistema imunológico[1]
Celulas do sistema imunológico[1]Gildo Crispim
 
Resumo histologia veterinária sistema imunológico
Resumo histologia veterinária sistema imunológicoResumo histologia veterinária sistema imunológico
Resumo histologia veterinária sistema imunológicoMonique Colombo
 
Sistema linfático e imune_Antônio
Sistema linfático e imune_AntônioSistema linfático e imune_Antônio
Sistema linfático e imune_AntônioMarcia Regina
 
Sistema linfático
Sistema linfáticoSistema linfático
Sistema linfáticoURCA
 
Constituintes Do Sistema ImunitáRio (ApresentaçãO Nr
Constituintes Do Sistema ImunitáRio (ApresentaçãO NrConstituintes Do Sistema ImunitáRio (ApresentaçãO Nr
Constituintes Do Sistema ImunitáRio (ApresentaçãO NrNuno Correia
 
Monitoria – Lâminas Histológicas 03
Monitoria – Lâminas Histológicas 03Monitoria – Lâminas Histológicas 03
Monitoria – Lâminas Histológicas 03Luciano
 
Constituintes Do Sistema ImunitáRio (ApresentaçãO Nr. 2)
Constituintes Do Sistema ImunitáRio (ApresentaçãO Nr. 2)Constituintes Do Sistema ImunitáRio (ApresentaçãO Nr. 2)
Constituintes Do Sistema ImunitáRio (ApresentaçãO Nr. 2)Nuno Correia
 
1195246600 sistema linfatico
1195246600 sistema linfatico1195246600 sistema linfatico
1195246600 sistema linfaticoPelo Siro
 
aula sist linfático
aula sist linfáticoaula sist linfático
aula sist linfáticocarlotabuchi
 
Sistema imunologico
Sistema imunologicoSistema imunologico
Sistema imunologicoGelma Rocha
 
Aula 02 hematologia - slides 2
Aula 02   hematologia - slides 2Aula 02   hematologia - slides 2
Aula 02 hematologia - slides 2Higina Aliice
 
Relatório Histologia
Relatório HistologiaRelatório Histologia
Relatório HistologiaIlana Moura
 

Mais procurados (20)

A organização do tecido linfóide
A organização do tecido linfóideA organização do tecido linfóide
A organização do tecido linfóide
 
Celulas do sistema imunológico[1]
Celulas do sistema imunológico[1]Celulas do sistema imunológico[1]
Celulas do sistema imunológico[1]
 
Resumo histologia veterinária sistema imunológico
Resumo histologia veterinária sistema imunológicoResumo histologia veterinária sistema imunológico
Resumo histologia veterinária sistema imunológico
 
Sistema linfático e imune_Antônio
Sistema linfático e imune_AntônioSistema linfático e imune_Antônio
Sistema linfático e imune_Antônio
 
Sistema linfático
Sistema linfáticoSistema linfático
Sistema linfático
 
Sistema Linfático
Sistema LinfáticoSistema Linfático
Sistema Linfático
 
Sistema linfático
Sistema linfáticoSistema linfático
Sistema linfático
 
Constituintes Do Sistema ImunitáRio (ApresentaçãO Nr
Constituintes Do Sistema ImunitáRio (ApresentaçãO NrConstituintes Do Sistema ImunitáRio (ApresentaçãO Nr
Constituintes Do Sistema ImunitáRio (ApresentaçãO Nr
 
Trabalho de sistema linfático
Trabalho de sistema linfáticoTrabalho de sistema linfático
Trabalho de sistema linfático
 
Monitoria – Lâminas Histológicas 03
Monitoria – Lâminas Histológicas 03Monitoria – Lâminas Histológicas 03
Monitoria – Lâminas Histológicas 03
 
Sistema linfático
Sistema linfáticoSistema linfático
Sistema linfático
 
Constituintes Do Sistema ImunitáRio (ApresentaçãO Nr. 2)
Constituintes Do Sistema ImunitáRio (ApresentaçãO Nr. 2)Constituintes Do Sistema ImunitáRio (ApresentaçãO Nr. 2)
Constituintes Do Sistema ImunitáRio (ApresentaçãO Nr. 2)
 
1195246600 sistema linfatico
1195246600 sistema linfatico1195246600 sistema linfatico
1195246600 sistema linfatico
 
Bioq histo
Bioq histoBioq histo
Bioq histo
 
aula sist linfático
aula sist linfáticoaula sist linfático
aula sist linfático
 
Sistema imunologico
Sistema imunologicoSistema imunologico
Sistema imunologico
 
Histo copy
Histo copyHisto copy
Histo copy
 
Aula 02 hematologia - slides 2
Aula 02   hematologia - slides 2Aula 02   hematologia - slides 2
Aula 02 hematologia - slides 2
 
Sistema imunológico
Sistema imunológicoSistema imunológico
Sistema imunológico
 
Relatório Histologia
Relatório HistologiaRelatório Histologia
Relatório Histologia
 

Semelhante a Ap2 - Sistema Linfóide Os orgãos linfóides secundários

Sistema circulatório 2015
Sistema circulatório 2015Sistema circulatório 2015
Sistema circulatório 2015ReginaReiniger
 
ICS – A46 Imunologia Básica - 2010-1
ICS – A46 Imunologia Básica - 2010-1ICS – A46 Imunologia Básica - 2010-1
ICS – A46 Imunologia Básica - 2010-1LABIMUNO UFBA
 
ICS – A46 Imunologia Básica - 2010-1
ICS – A46 Imunologia Básica - 2010-1ICS – A46 Imunologia Básica - 2010-1
ICS – A46 Imunologia Básica - 2010-1LABIMUNO UFBA
 
Células do Sistema Imune
Células do Sistema ImuneCélulas do Sistema Imune
Células do Sistema ImuneLys Duarte
 
Tecidos e células.pdf
Tecidos e células.pdfTecidos e células.pdf
Tecidos e células.pdfLeandroAllocca
 
Semiologia das Linfadenopatias
Semiologia das LinfadenopatiasSemiologia das Linfadenopatias
Semiologia das Linfadenopatiaspauloalambert
 
Sistema Linfático aula 1.ppt
Sistema Linfático aula 1.pptSistema Linfático aula 1.ppt
Sistema Linfático aula 1.pptAndriellyFernanda1
 
Histologia Animal
Histologia AnimalHistologia Animal
Histologia Animalarvoredenoz
 
Sistema Respiratorio - Histologia.pptx
Sistema Respiratorio - Histologia.pptxSistema Respiratorio - Histologia.pptx
Sistema Respiratorio - Histologia.pptxAnaCarolinaGaldino1
 
Sistema respiratório - med vet
Sistema respiratório - med vetSistema respiratório - med vet
Sistema respiratório - med vetgabriela pinto
 
TECIDO EPITELIAL - PATOLOGIA ODONTOLOGIA
TECIDO EPITELIAL - PATOLOGIA ODONTOLOGIATECIDO EPITELIAL - PATOLOGIA ODONTOLOGIA
TECIDO EPITELIAL - PATOLOGIA ODONTOLOGIAiteroscanservice
 
Histologia respiratória
Histologia respiratóriaHistologia respiratória
Histologia respiratóriaFlávia Salame
 

Semelhante a Ap2 - Sistema Linfóide Os orgãos linfóides secundários (20)

Sistema circulatório 2015
Sistema circulatório 2015Sistema circulatório 2015
Sistema circulatório 2015
 
ICS – A46 Imunologia Básica - 2010-1
ICS – A46 Imunologia Básica - 2010-1ICS – A46 Imunologia Básica - 2010-1
ICS – A46 Imunologia Básica - 2010-1
 
ICS – A46 Imunologia Básica - 2010-1
ICS – A46 Imunologia Básica - 2010-1ICS – A46 Imunologia Básica - 2010-1
ICS – A46 Imunologia Básica - 2010-1
 
Células do Sistema Imune
Células do Sistema ImuneCélulas do Sistema Imune
Células do Sistema Imune
 
Sistema VentilatóRio
Sistema VentilatóRioSistema VentilatóRio
Sistema VentilatóRio
 
Tecidos e células.pdf
Tecidos e células.pdfTecidos e células.pdf
Tecidos e células.pdf
 
Meninges e lcr
Meninges e lcrMeninges e lcr
Meninges e lcr
 
Semiologia das Linfadenopatias
Semiologia das LinfadenopatiasSemiologia das Linfadenopatias
Semiologia das Linfadenopatias
 
Sistema Linfático aula 1.ppt
Sistema Linfático aula 1.pptSistema Linfático aula 1.ppt
Sistema Linfático aula 1.ppt
 
Manual de hematologia
Manual de hematologiaManual de hematologia
Manual de hematologia
 
Células e tecidos do
Células e tecidos doCélulas e tecidos do
Células e tecidos do
 
Trato respiratório
Trato respiratórioTrato respiratório
Trato respiratório
 
Histologia Animal
Histologia AnimalHistologia Animal
Histologia Animal
 
Derrame pleural
Derrame pleuralDerrame pleural
Derrame pleural
 
Sistema Respiratorio - Histologia.pptx
Sistema Respiratorio - Histologia.pptxSistema Respiratorio - Histologia.pptx
Sistema Respiratorio - Histologia.pptx
 
Sistema respiratório - med vet
Sistema respiratório - med vetSistema respiratório - med vet
Sistema respiratório - med vet
 
Baço
BaçoBaço
Baço
 
TECIDO EPITELIAL - PATOLOGIA ODONTOLOGIA
TECIDO EPITELIAL - PATOLOGIA ODONTOLOGIATECIDO EPITELIAL - PATOLOGIA ODONTOLOGIA
TECIDO EPITELIAL - PATOLOGIA ODONTOLOGIA
 
TECIDO EPITELIAL
TECIDO EPITELIALTECIDO EPITELIAL
TECIDO EPITELIAL
 
Histologia respiratória
Histologia respiratóriaHistologia respiratória
Histologia respiratória
 

Mais de LABIMUNO UFBA

Aspectos da resposta imune a tumores
Aspectos da resposta imune a tumoresAspectos da resposta imune a tumores
Aspectos da resposta imune a tumoresLABIMUNO UFBA
 
Resposta imune infecções
Resposta imune infecçõesResposta imune infecções
Resposta imune infecçõesLABIMUNO UFBA
 
Hipersensibilidade tipo I
Hipersensibilidade tipo IHipersensibilidade tipo I
Hipersensibilidade tipo ILABIMUNO UFBA
 
Imunidades das mucosas
Imunidades das mucosasImunidades das mucosas
Imunidades das mucosasLABIMUNO UFBA
 
Hipersensibilidade II ,III e IV
Hipersensibilidade II ,III e IVHipersensibilidade II ,III e IV
Hipersensibilidade II ,III e IVLABIMUNO UFBA
 
Critérios de Validação
Critérios de ValidaçãoCritérios de Validação
Critérios de ValidaçãoLABIMUNO UFBA
 
Resposta imune celular
Resposta imune celularResposta imune celular
Resposta imune celularLABIMUNO UFBA
 
Processamento antigênico células apresentadoras de antígenos
Processamento antigênico células apresentadoras de antígenosProcessamento antigênico células apresentadoras de antígenos
Processamento antigênico células apresentadoras de antígenosLABIMUNO UFBA
 
Ativação das células T
Ativação das células TAtivação das células T
Ativação das células TLABIMUNO UFBA
 

Mais de LABIMUNO UFBA (20)

Resposta inata
Resposta inataResposta inata
Resposta inata
 
Aspectos da resposta imune a tumores
Aspectos da resposta imune a tumoresAspectos da resposta imune a tumores
Aspectos da resposta imune a tumores
 
Vacinas
VacinasVacinas
Vacinas
 
Ri virus helmintos
Ri virus helmintosRi virus helmintos
Ri virus helmintos
 
Resposta imune infecções
Resposta imune infecçõesResposta imune infecções
Resposta imune infecções
 
Hipersensibilidade tipo I
Hipersensibilidade tipo IHipersensibilidade tipo I
Hipersensibilidade tipo I
 
Tolerância
TolerânciaTolerância
Tolerância
 
Imunidades das mucosas
Imunidades das mucosasImunidades das mucosas
Imunidades das mucosas
 
Hipersensibilidade II ,III e IV
Hipersensibilidade II ,III e IVHipersensibilidade II ,III e IV
Hipersensibilidade II ,III e IV
 
Imunofluorescencia
ImunofluorescenciaImunofluorescencia
Imunofluorescencia
 
Critérios de Validação
Critérios de ValidaçãoCritérios de Validação
Critérios de Validação
 
Citometria de fluxo
Citometria de fluxoCitometria de fluxo
Citometria de fluxo
 
Autoimunidade
AutoimunidadeAutoimunidade
Autoimunidade
 
Resposta imune celular
Resposta imune celularResposta imune celular
Resposta imune celular
 
Processamento antigênico células apresentadoras de antígenos
Processamento antigênico células apresentadoras de antígenosProcessamento antigênico células apresentadoras de antígenos
Processamento antigênico células apresentadoras de antígenos
 
MHC
MHCMHC
MHC
 
Linfócitos B
Linfócitos BLinfócitos B
Linfócitos B
 
Ativação das células T
Ativação das células TAtivação das células T
Ativação das células T
 
Sistema complemento
Sistema complementoSistema complemento
Sistema complemento
 
Anticorpos
AnticorposAnticorpos
Anticorpos
 

Último

eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOeMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOMayaraDayube
 
Primeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e AnatomiaPrimeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e AnatomiaCristianodaRosa5
 
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástrico
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástricoAnatomopatologico HU UFGD sobre CA gástrico
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástricoMarianaAnglicaMirand
 
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASAULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASArtthurPereira2
 
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.pptPSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.pptAlberto205764
 
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdf
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdfO mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdf
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdfNelmo Pinto
 
ParasitosesDeformaResumida.finalissima.ppt
ParasitosesDeformaResumida.finalissima.pptParasitosesDeformaResumida.finalissima.ppt
ParasitosesDeformaResumida.finalissima.pptAlberto205764
 
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfSistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfGustavoWallaceAlvesd
 
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery  after surgery in neurosurgeryEnhanced recovery  after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery after surgery in neurosurgeryCarlos D A Bersot
 

Último (10)

eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOeMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
 
Aplicativo aleitamento: apoio na palma das mãos
Aplicativo aleitamento: apoio na palma das mãosAplicativo aleitamento: apoio na palma das mãos
Aplicativo aleitamento: apoio na palma das mãos
 
Primeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e AnatomiaPrimeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
 
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástrico
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástricoAnatomopatologico HU UFGD sobre CA gástrico
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástrico
 
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASAULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
 
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.pptPSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
 
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdf
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdfO mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdf
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdf
 
ParasitosesDeformaResumida.finalissima.ppt
ParasitosesDeformaResumida.finalissima.pptParasitosesDeformaResumida.finalissima.ppt
ParasitosesDeformaResumida.finalissima.ppt
 
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfSistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
 
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery  after surgery in neurosurgeryEnhanced recovery  after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
 

Ap2 - Sistema Linfóide Os orgãos linfóides secundários

  • 1. Aula 2: Sistema Linfóide: Os Órgãos Linfóides Secundários Maio de 2003
  • 3.
  • 4. Agora apresentando uma visão histológica geral: C: córtex; S: seio; F: folículo; Cx: córtex; T: trabécula; MC: cordão medular P: paracórtex; T: trabécula, H: hilo Wheater, R., Histologia Funcional, 1a. ed., Ed. Guanabara Koogan, 2001.
  • 5. Resumindo: Cápsula Seios subcapsulares Trabéculas Seios peritrabeculares Folículos (F) Paracórtex (P) Seios medulares Cordões medulares (MC) Wheater, R., Histologia Funcional, 1a. ed., Ed. Guanabara Koogan, 2001.
  • 6. Veja imagens de microscopia de varredura do linfonodo. Visão geral Detalhe de um seio Cápsula Córtex externo Paracórtex Medula Kessel, R., Histologia Médica Básica, 1a. ed., Ed Guanabara Koogan, 2001.
  • 7. Resumindo o caminho da linfa e do sangue nos linfonodos Stevens, A. e Lowe, J., Histologia Humana, 1a. ed., Ed. Manole, 2001.
  • 8. Os nódulos ou folículos, como já afirmado, são áreas de linfócitos B. Eles se formam a partir da presença de antígenos, apresentados pelas células dendríticas, do tipo folicular, aí presentes. A camada paracortical apresenta um predomínio de linfócitos T. Nesta camada são observadas numerosas vênulas de endotélio alto, que são os locais de chegada de linfócitos para este órgão.
  • 9. A camada medular apresenta os seios medulares, que como os seios subcapsulares e peritrabeculares, são compostos por um emaranhado de células mononu- cleares fagocíticas e atravessados pela linfa que chega pelos vasos linfáticos aferentes e sai pelos vasos linfá- ticos eferentes. Entre os seios, encontramos os cordões medulares, onde além de linfócitos existem outros tipos celulares, como plasmócitos. seios cordões
  • 10. BAÇO
  • 11. . O baço é irrigado pela artéria esplênica, que penetra no hilo e se divide em ramos progressivamente menores (cápsula, septos, parênquima). Veja: C: cápsula; T: trabéculas; WP: polpa branca; RP: polpa vermelha. Wheater, R., Histologia Funcional, 1a. ed., Ed. Guanabara Koogan, 2001.
  • 12. Polpa branca, polpa vermelha e distribuição das células imunocompetentes Divide-se o baço nas polpas branca e vermelha polpa branca polpa vermelha área deLinfócitos B área de Linfócitos T área de células reti- culares/macrófagos hemácias
  • 13. bainha periarteriolar (zona T) polpa vermelha folículo com centro germinativo área B polpa branca: folículo bainha polpa vermelha: seios (com hemácias) cordões de Bilroth O baço está interposto na circulação sangüínea, interagindo e respondendo aos antígenos aí presentes. É um órgão hemocitopóiético na vida fetal, além de fazer hemocaterese . Enfatizando Esquematizando a figura anterior:
  • 14. A polpa vermelha vista em microscopia de varredura: as setas indicam o arcabouço de células reticulares
  • 15. Veja um seio, também através de microscopia de varredura:
  • 16. OUTROS TECIDOS LINFÓIDES PERIFÉRICOS
  • 17.
  • 18. “ MALT” – tecido linfóide associado às mucosas – Tonsilas : palatina lingual faríngea
  • 19. Ainda “MALT”: placas de Peyer e apêndice cecal placas de Peyer epitélio sobre as placas de Peyer apêndice cecal Sobota, Histologia, 5a. ed., 1997, Ed. Guanabara Koogan.
  • 20. O epitélio intestinal acima da placa de Peyer é especializado de modo a permitir o transporte de antígenos para o tecido linfóide. Existem no epitélio células especializadas em capturar e apresentar os antígenos aos linfócitos: são chamadas células M. Estas células possuem reen- trâncias na face abluminal (“bolsos”), que permi- tem ao íntimo contato das mesmas com linfóci-tos e macrófagos. As placas de Peyer são grupos de tecido linfóide difuso sob o epitélio do intestino, particularmente do íleo. Centro germinativo Epitélio intestinal Célula M CG Manto
  • 21. FIM