Sarcoma Uterino

1.859 visualizações

Publicada em

Tudo sobre o Sarcoma Uterino

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.859
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
278
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sarcoma Uterino

  1. 1. Sarcoma Uterino
  2. 2. Sarcoma Uterino Os sarcomas são cânceres que começam a partir de tecidos como o músculo, gordura, osso e tecido fibroso. Os sarcomas uterinos são classificados conforme o tipo de célula onde se desenvolvem: • Sarcomas estromais do endométrio. • Sarcomas indiferenciados. • Leiomiossarcoma uterino - Começa no miométrio, parede muscular do útero e representam cerca de 2% dos tumores de útero. Outro tipo de câncer que começa no útero é o carcinossarcoma. Estes tumores se iniciam no endométrio e têm características tanto de sarcomas como de carcinomas.
  3. 3. Sinais e Sintomas Os principais sinais e sintomas do sarcoma uterino são: • Hemorragia ou perda de sangue anormal. • Corrimento vaginal. • Dor pélvica ou massa tumoral. Quando os sarcomas uterinos são diagnosticados, cerca de 10% das mulheres apresentam dor pélvica e/ou uma massa tumoral que pode ser sentida. Você ou seu médico podem sentir a massa em seu útero, ou você pode ter uma sensação de plenitude na pelve.
  4. 4. Diagnóstico do Sarcoma Uterino Os principais exames realizados para diagnóstico do sarcoma uterino são: • Amostragem e análise do tecido endometrial - Este procedimento permite encontrar sarcomas endometriais e indiferenciados, mas menos da metade dos leiomiossarcomas. • Biópsia endometrial – Consiste na inserção de um cateter no útero através do colo uterino, para retirar uma amostra do endométrio. • Histeroscopia - Permite ao médico examinar o interior do útero. • Dilatação e curetagem - Neste procedimento, o colo do útero é dilatado e um instrumento cirúrgico especial é utilizado para raspar o tecido do interior do útero. • Exame do tecido endometrial - As amostras obtidas nesse procedimento são analisadas pelo patologista, que determina o tipo de sarcoma uterino. • Cistoscopia e proctoscopia - Exames realizados quando existe suspeita de disseminação da doença para a bexiga ou reto.
  5. 5. Diagnóstico do Sarcoma Uterino: Imagem Os principais exames utilizados para o diagnóstico do sarcoma uterino são: • Ultrassom transvaginal. • Tomografia computadorizada. • Ressonância magnética. • Tomografia por emissão de pósitrons (PET scan). • Radiografia de tórax.
  6. 6. Estágios do Sarcoma Uterino Os sistemas utilizados para o estadiamento do sarcoma uterino são o sistema FIGO e o sistema TNM da AJCC, que são muito semelhantes: • Estágio I - T1, N0, M0. • Estágio - IA - T1a, N0, M0. • Estágio IB - T1b, N0, M0. • Estágio II - T2, N0, M0. • Estágio IIA - T2a, N0, M0. • Estágio IIB - T2b, N0, M0. • Estágio IIIA - T3a, N0, M0. • Estágio IIIB - T3b, N0, M0. • Estágio IIIC - T1 a T3, N1, M0. • Estágio IVA - T4, qualquer N, M0. • Estágio IVB - Qualquer T, qualquer N, M1.
  7. 7. Tratamento: Cirurgia A cirurgia é o principal tratamento para o sarcoma uterino, o que normalmente significa a retirada do útero, mas em alguns casos podem ser retiradas também as trompas de Falópio, ovários e parte da vagina. Os principais tipos de cirurgia utilizados são: • Histerectomia - Consiste na remoção do útero, preservando as estruturas próximas. • Salpingo-ooforectomia bilateral - Remoção dos ovários e as trompas de Falópio. • Linfadenectomia - Remoção dos gânglios linfáticos da pelve e em torno da aorta. • Omentectomia - Remoção do tecido gorduroso que cobre o conteúdo abdominal. • Biópsia peritoneal - Remoção de partes do revestimento do peritônio para verificar se há células cancerosas. • Lavagem pélvica - Lavagem da cavidade abdominal e pélvica com solução salina. • Redução do tumor - Se a doença se disseminou remove se o máximo possível do tumor.
  8. 8. Tratamento: Cirurgia Impacto Sexual Para as mulheres na pré-menopausa, a remoção do útero provoca hemorragia menstrual. Se os ovários forem removidos ocorrerá a menopausa. Isto pode levar à secura vaginal e dor durante a relação sexual. Estes sintomas podem ser melhorados com uso de medicamentos. Embora as mudanças físicas e emocionais possam afetar o desejo sexual, essas cirurgias não impedem uma mulher de sentir prazer sexual. Uma mulher não precisa de ovários ou um útero para fazer sexo ou atingir o orgasmo. A área em torno do clitóris e do revestimento da vagina permanecem tão sensíveis como antes da cirurgia.
  9. 9. Tratamento: Radioterapia Os tipos de tratamento radioterápicos são: • Radioterapia externa ou convencional - Consiste em irradiar o órgão alvo com doses fracionadas a partir de uma fonte externa. O tratamento é realizado cinco vezes na semana, durante um período de 4 a 6 semanas. • Braquiterapia - Na braquiterapia vaginal, um cilindro contendo uma fonte de radiação é inserido na área a ser tratada. Nesta técnica, a radiação atinge principalmente a área em contato com o cilindro. Estruturas vizinhas, como bexiga e reto recebem uma dose de radiação menor. Existem 2 tipos de braquiterapia utilizados: de baixa taxa de dose (LDR) e de alta taxa de dose (HDR).
  10. 10. Tratamento: Quimioterapia A quimioterapia utiliza medicamentos anticancerígenos para destruir as células tumorais. Por ser um tratamento sistêmico, a quimioterapia atinge não somente as células cancerígenas senão também as células sadias do organismo. Alguns dos medicamentos usados para tratar sarcomas uterinos são: doxorrubicina, ifosfamida, cisplatina, paclitaxel, gemcitabina e docetaxel. Existem muitos novos medicamentos promissores em estudo para o sarcoma uterino. A quimioterapia, pode ser administrada como uma combinação de alguns desses medicamentos.
  11. 11. Tratamento: Hormonioterapia É o uso de hormônios ou drogas bloqueadoras de hormônios para combater o câncer. É utilizada principalmente para tratar pacientes com sarcomas do endométrio: • Progestinas - Hormônios similares a progesterona, como o megestrol ou medroxiprogesterona. • Hormônio agonista liberador de gonadotrofina - Medicamentos são úteis na redução dos níveis de estrogênio em mulheres na pré-menopausa, por exemplo: goserelina e leuprolida. • Inibidores de aromatase - Medicamentos que podem impedir a produção de estrogênio. Exemplos de inibidores de aromatase: letrozol, anastrozol e exemestano. • Tamoxifeno - Medicamento antiestrogênio, usado para tratar o câncer de mama, mas que também pode ser usado para tratar o sarcoma endometrial.
  12. 12. Vivendo com Sarcoma Uterino O câncer é uma experiência de mudança de vida. E, embora não exista nenhuma maneira infalível de prevenir a recidiva, você pode tomar medidas para se sentir e se manter saudável. Comer frutas, legumes, grãos integrais e porções modestas de carne magra é um grande começo. Se você fuma, pare. Evite ou diminua o consumo de álcool. O exercício diário e exames regulares são importantes ajudam a sua saúde e dão paz de espírito.
  13. 13. Novos Tratamentos Muitas pesquisas sobre sarcoma uterino estão em desenvolvimento em diversos centros médicos no mundo inteiro, promovendo grandes avanços em prevenção, detecção precoce e tratamentos: • Patologia molecular - Sabe-se que mutações no DNA podem alterar genes importantes que regulam o crescimento celular. Se estes genes são danificados, pode resultar no aparecimento de câncer. A análise do DNA de sarcomas uterinos revelou várias alterações nos genes que controlam o crescimento celular. • Estudos clínicos - Novas drogas, bem como novas formas de administra-las estão sendo testadas. Temozolomida, aprovada para o tratamento de tumores cerebrais, também parece ajudar pacientes com leiomiossarcoma uterino.

×