Ética e Teologia

3.794 visualizações

Publicada em

Publicada em: Espiritual
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.794
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
104
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ética e Teologia

  1. 1. Ética e TeologiaProfessor Guilherme Burjack
  2. 2. Ética geral é de amplitudepara todos os SeresHumanos (Gn 1.26)Ética Cristã é de escopoExclusivo dos remidos(João 3.3)
  3. 3. Ética geral Ética Cristã(filosófica) (teológica) Ciências de Revelação da costumes e vontade hábitos divina Descritiva Normativa situacionista Absoluta subjetiva objetiva
  4. 4. Ética Cristã é o estudo sistemático eprático da vida moral do homemdeterminado por seu valor e suanorma cristã, como revelado nasSagradas Escrituras (REIFLER, 2009.p. 17)
  5. 5. Na prática para que serve a ética?
  6. 6. Posso?É Verdade?É Certo?É correto?É Justo?
  7. 7. O sujeito Ético
  8. 8. O Discurso ético afirma que somoslivres e responsáveis e assumimos emnós mesmos o ato ético e suasconsequências enquanto açõessignificativas. Por outro lado, comocristãos perguntamos até que pontopodemos ser éticos, livres eresponsáveis numa estrutura depecado e com a constituição desujeitos dentro dessa estrutura.(JOSGRILBERG, 2009)
  9. 9. Como se forma o sujeito ético:• A decisão ou atitude ética é um modo de ser humano da vida concreta entre pessoas;• O sujeito ético é parte de uma humanidade social que se constitui como individuo a partir dela e na representação dela.
  10. 10. Como se constitui o sujeito ético cristão?• O Sujeito ético cristão está envolvido numa trama de interpelação e resposta que possui seu fundamento na narrativa bíblica.
  11. 11. No mundo real (mundo-da-vida) encontra-se a arena de confronto do evangelho comas forças do não evangelho.A ética Cristã não pode ignorar que nocentro da estruturação da vida cotidianaopera uma estrutura de pecado, umaestrutura de dominação.A ética Cristã exige um outro tipo deformação de autonomia eresponsabilidade.A autonomia num mundo caído, somentepela graça de Deus.A ética e o sujeito cristão só se formam noambiente da gratuidade divina.
  12. 12. A ética cristã é o ensinosistemático da conduta eatitude em relação à vida para aqual Jesus Cristo nos chamou efez nascer de novo. Por isso, ela se preocupa com avontade de Deus realizada emnossa vida. Em últimaanálise, portanto, ética cristã éteologia, isto é, ensino deDeus, de Sua vontade e de suaação. (REIFLER, 2009)
  13. 13. A questão metodológica é oponto de partida paracompreensão do objeto deinvestigação. Este ponto de vista(metodologia) é a forma comoalguém observa o mundo, comquais ângulos ela vai verificar oque ocorre ao seu redor.Em termos metodológicos, onosso recorte éTEOLÓGICA/CRISTÃ/EVANGÉLICA
  14. 14. Teológica: Cristã Evangélica:Só se pode ser um Porque ela é A nossa reflexão éticaético cristão nascendo condicionada a parte do evangelho ede novo (João 3.3) Cristo, em quem das boas novas encontramos a pregadas por Cristo. AEla é teocêntrica e não revelação completa e base não é a igreja eantropocêntrica. perfeita da vontade de nem o que ela Deus. pensa, mas o evangelho que a ela foi confiado. As escrituras são a fonte de conduta.
  15. 15. A questão da ética é tema aglutinador dediversas temáticas, que alicerçam aperspectiva de que “um outro mundo épossível”, como tem sido enfatizado nasedições do Fórum Social Mundial. Vida emdignidade para todos os seres docosmo, que entendemos por fé comocriação de Deus, é tema de profundacontemporaneidade. Tem a ver com asobrevivência de todo o mundo criado ehabitado. Um dos eixos norteadores dasdiscussões deve ser a inclusão e a vida dignados elementos mais explorados e excluídosdentro do nosso mundo, isto é, as pessoaspobres e oprimidas e famintas e a próprianatureza-criação como um todo. Necessáriose faz uma postura ética de “tolerância zero”para com as estruturas e mecanismosgeradores de pobreza, fome e devastaçãoambiental. (REIMER, 2012)
  16. 16. A Bíblia comofonte deinspiração esabedoria emquestões deética, ecologia eespiritualidade
  17. 17. Valores éticos elevadosdos profetas:Isaías, 3.14,15Isaías 1.23Isaías 10.1Amós 4.1Amós 5.10,12Jeremias 22.13Amós 3.10
  18. 18. Os profetas elaboraram umacrítica muito elevadadesdobrando-se nosseguintes pontos:• Críticas ao poder por conta da opressão e exploração• Ênfase e respeito à ordem comunitária constituída• Respeito aos direitos dos empobrecidos como correspondente ético- moral da pertença a fé em YAHVEH.
  19. 19. Origem do elevado conceitoético dos profetas deriva:1. Do valor universal do ser humano nos profetas2. Da Experiência divino- revelatória pessoal dos profetas (Isaias 6.1,5)3. Da tradições Típicas do antigo Israel (Lv 19.2)
  20. 20. Consequências morais da conversão:Aristides de Atenas tinha como certa quequando a conversão se assemelhava comouma mudança de uma nação. Ele tem quese acostumar com os novos processoscomo uma criança. (MEEKS, 1997)
  21. 21. A igreja cristã primitiva viviaum paradoxo, o Mundo eraum inimigo a servencido, para se afastardele, ou participar de suatransformação?
  22. 22. A religião segundo, a sociologia dareligião, estabelece que esta é uma forma fundamental de coesão social, é uma expressão darealidade social. Para se conhecer a sociedade deve-se olhar para a suas expressões religiosas. (CROATTO 2001)
  23. 23. A religião tem que ver, por outra parte, com a ordemsocial, à qual pode legitimar ou criticar. O objetivo do sociólogo da religião é a manifestação social dos acontecimentos religiosos. (CROATTO 2001)
  24. 24. Como experiência humana, vaiem duas dimensões:I-RELACIONAL (que está divididaem duas):1. Uma em relação ao mundo(natureza, a vida e o que arealidade oferece);2. Com o grupo humano (todoser humano está socializado) (CROATTO, 2009)
  25. 25. Como experiência humana, vaiem duas dimensões:II – individualOnde estão os desejos, ossonhos, os projetos, dasrealizações as frustrações. (CROATTO, 2009)
  26. 26. Numa perspectivateológica, deveremosanalisar a nossa vivênciareligiosa a partir dosrecortes Teológico, Cristão eEvangélico. E tentarresponder a perguntacrucial:O Que Deus espera dasua Igreja e o que issosignifica na prática davida comum?
  27. 27. Gn 1.26Mt 28.19,20I Co 12.4-11
  28. 28. “A maioria dos cristãos imita o mundo.Geralmente sãoracistas, egocêntricos, sexualmentepromíscuos e materialistas, como seusamigos não-cristãos. Louvam aprosperidade, cometem adultério, sedivorciam e destroem o meioambiente, assim como seus vizinhos”(SIDER, 1999 p.31)
  29. 29. O Evangelho todopara todo homeme para o homemtodo.
  30. 30. Quando o discipulado bíblicoé relevante?Tiago 1.9-11; 5.1-11; Lucas 12.13-34; Lucas 18.18,30
  31. 31. O contexto histórico ajuda a compreender adimensão das exortações tanto de Tiago quantoa de Lucas. A violenta conquista da palestinapelos romanos em 63 a.C., seguida pelo governoindireto da casa de Herodes e pelaadministração direta de governadores romanoscomo Pilatos, significou para os camponesesjudeus uma pesada tributação de bem mais de40% de sua produção. (FRESTON, 1999)
  32. 32. Romanos 13.Em grupo leia o texto de Paul Freston(apostila: texto Fé Bíblica e CriseBrasileira p. 57), reflita e apresentesuas argumentações.
  33. 33. A ética social de Jesus:A. Podemos verificar os ensinamentos a respeito da vida social desejada por Cristo no Sermão do monte.B. Há uma forte evidência de prêmio celestial para os que praticam estas coisas, mas há também o forte viés de que é aqui que se materializa as ações.
  34. 34. O Político em Jesus Embora não se possa falar sobre partido político no sentido que compreendemos hoje, a sociedade judaica estava dividida a época de Cristo por partidos religiosos e cada um possuía sua opção política.FARISEUS: SADUCEUS: HERODIANOS:Eram contra a Aristocratas, não Eram minoritários.ocupação levavam muito a Estavamestrangeira e a sério a vida engajados na vidacontaminação religiosa e a pública e políticahelênica da moralidade. da época. Estavamcultura e Viviam ligados ao governoreligião judaica tranquilos com autônomo e o os invasores império romano. romanos.
  35. 35. O Político em Jesus Embora não se possa falar sobre partido político no sentido que compreendemos hoje, a sociedade judaica estava dividida a época de Cristo por partidos religiosos e cada um possuía sua opção política.ZELOTES: ESSÊNIOS:Remanescentes da revolta Piedosos edos Macabeus. místicos, optavam porUltranacionalistas , viam a vivem em pequenasobediência a um comunidades rurais.imperador pagão como Portavam-se comouma traição a Deus. uma sociedadeDefendiam a via violenta alternativa.para atingir o fimalmejado: a restauraçãode Israel.
  36. 36. A ética Social da igrejaprimitiva:A igreja não avança, fica emJerusalém e aprende asduras penas comoenfrentar os novos desafios(Atos 5, 6 e 7)
  37. 37. Um novo comportamento socialsegundo Paulo1. Não dependência externa. A igreja é autossustentável.2. As obras como marca de uma nova vida (Ef. 2);3. O trabalho é valorizado (Ef 4.28)4. Uma vida útil para si e para a comunidade (II ts 3.10)5. Ter um estilo de vida Simples (II Tm 6.10, 17-19)

×