SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 35
Facilitadores
QUEM SÃO OS OBREIROS DA IGREJA
• Abrange uma área muito grande dentro da
Igreja.
• OBREIRO é aquele que coopera no
desenvolvimento de uma empresa ou de
uma ideia (enciclopédia bíblica).
• No entanto, consideramos todos aqueles
que exercem funções dentro da casa de
Deus, um obreiro. Seja ele porteiro,
instrumentista, diácono, presbítero, líder de
rede ou até o Pastor.
MINISTÉRIO OU PROFISSÃO
O médico pode ser médico mesmo sem
vocação para a medicina, más um Obreiro sem
vocação para o ministério é um desastre em
todos os sentidos. O que faz um Obreiro ser um
autêntico Obreiro é primeiramente suas
chamadas divinas, recebidas de DEUS.
QUANTO AO PRÓPRIO
MINISTÉRIO
• A nossa atitude deve ser
glorificar o nosso ministério.
Rm 11,13
• Dedicarmos a ele.
• Resguardarmos o nosso
ministério.
• Cumpri-lo integralmente
DEUS CHAMA PESSOAS OCUPADAS, PESSOAS
QUE TRABALHAM.
Ociosos só atrapalham a Obra. Os homens a quem DEUS
chamou estavam todos ocupados, trabalhando.
DAVI - trabalhava no campo com ovelhas quando DEUS o
chamou (1Sm 16:11).
SAUL – procurava jumentos perdidos, extraviados,
cumprindo ordens de seu pai. (1Sm 9:3)
GIDEÃO – malhava trigo Jz 6:11, 12.
ELIZEU – arava o campo (1Rs 19: 19).
MATEUS trabalhava na coletoria (Mt 9:9).
MOISÉS – trabalhava no deserto (Ex 3: 1, 10).
OS PRIMEIROS APOSTOLOS – Estavam ocupados,
pescando. Uns estavam LANÇANDO REDES. Outros
estavam CONSERTANDO REDES (Mt 4: 18, 21)
O OBREIRO E A CHAMADA PARA O
MINISTÉRIO
Tipos de chamada :
Em todas as questões do ministério, a
primeira de todas as perguntas que se
faz, é se o obreiro foi realmente chamado
por Deus para o ministério. Muitas
pessoas têm experimentado o “caos
espiritual” porque se fizeram
simplesmente “obreiros profissionais”.
CHAMADA DIVINA - é DEUS quem chama, Ele o
faz de modo inconfundível.
CHAMADA HUMANA – do tipo “vem pra cá”, um
simples convite humano, sem DEUS ter qualquer
participação no caso. (claro que DEUS também
pode chamar através de uma pessoa).
A CHAMADA PRÓPRIA - A pessoa que se
oferece, sem DEUS ter qualquer participação no
caso.
Modo da Chamada
Como pode alguém saber que está sendo
chamado por Deus para o ministério? Como
evitar o erro de Aimaás “o corredor” (2Sam
18:19-33), Nadabe e Abiu (Lev 10:1-2)?
Como não se tornar um empecilho para os
outros? A chamada divina se caracteriza
pelos seguintes aspectos:
O Conceito espiritual –
ICo 2.14; Is 30.21
O Iniciativa divina – Jo
15.16;
O Direção do Espírito
Santo – At 16.6-10
O Aptidões naturais –
eloquência,
desenvoltura, etc.
O Sensibilidade
espiritual – IICo 3.5
O Reconhecimento
pelos outros –
colegas e líderes, etc.
Modo da Chamada
Qualificações para a Chamada
1. Novo Nascimento – Jo 3.3; ICo 2.14-16
2. Revestimento de poder – Lc 24.47-49
3. Andar com Deus – At 3.12
4. Educação – At 7.22
5. A Escola da experiência – IICo 1.4,5
6. Humildade – ICo 1.27-29
7. Conhecimento bíblico – Mt 2.7
O OBREIRO E AS SUAS ATIVIDADES
Obreiros (IITm 2.15) - são servos escolhidos
segundo os critérios da Palavra de Deus,
consagrados pelo Ministério da Igreja, mediante
prévia aprovação do mesmo. A exemplo dos
líderes, conforme preconiza a Bíblia, devem se
consagrar ao serviço dos santos, sendo bons
cooperadores na obra (ICo 16.15,16), suprindo
as necessidades que surgirem em qualquer área
da Igreja que necessite da atuação dos mesmos
(ICo 16.17).
O obreiro deve ser:
a) Conservador do
mistério da fé;
b) Experimentado;
c) Governar bem a
sua casa;
d) Irrepreensível;
e) Não cobiçoso de
sórdida ganância;
f) Não maldizente;
g) Portador de uma
consciência limpa;
h) Responsável;
i) Ser dizimista e
ofertante;
j) Ser fiel em tudo;
k) Ser temperante;
l) Sincero (de uma só
palavra)
O obreiro Aprovado
TEXTO: 2 TM. 2.15
“Procura apresentar-te a Deus
aprovado, como obreiro que não
tem de que se envergonhar, que
maneja bem a palavra da
verdade.” 2 Timóteo 2:15
1 - PROCURA APRESENTAR- TE A DEUS
O OBREIRO de DEUS deve conversar com DEUS
todos os dias, esta comunhão diária proporcionará o
aperfeiçoamento do servo de DEUS.
Existem “obreiros” que não oram, que quase não
estudam a bíblia, não se apresentam a Deus, como
pode esta pessoa ser bem sucedida na obra de
DEUS, que se caracteriza pelas lutas espirituais com
as forças do mal?
Paulo diz que o OBREIRO deve se apresentar a
DEUS , mas diz também de que maneira este obreiro
deve se apresentar a DEUS.
2 - OBREIRO APROVADO
Obreiro deve se apresentar a DEUS APROVADO. O
que isto significa? Significa que temos que ter a
aprovação de DEUS e da Bíblia para o que
fazemos. Um obreiro de DEUS deve cumprir as
exigências que a Apóstolo Paulo recomendou ao seu
filho na fé, Timóteo.
Características do Obreiro Aprovado.
• Não é egoísta, ele transmite o que aprendeu 2. Tm. 2.2
• Reparte o sofrimento com os companheiros (participa das
aflições dos outros) 2. Tm. 2.3
• Não se embaraça com negócio desta vida. 2 Tm. 2.4
• Nada impede que ele transmita a verdade das escrituras
2 Tm. 2.9
• Não participa de contendas. 2 Tm. 2.14
• Evita falatórios profanos. 2 Tm. 2.16
• Foge das paixões da mocidade 2 Tm. 2.22
• Rejeita as questões loucas. 2 Tm. 2.23
• Ensina com mansidão 2 Tm. 2.24
• Desperta os companheiros dos laços do diabo 2. Tm. 2.
25-26
3. COMO OBREIRO QUE NÃO TEM DO QUE SE
ENVERGONHAR
Ah! Como seria bom se os crentes de hoje fossem
como aqueles homens da cidade de Beréia, os quais
só confiavam na Palavra.
Eram tão zelosos dEla que, mesmo se Paulo quisesse,
não conseguiria enganá-los. (At 17,10-12).
Um obreiro de DEUS não deveria ter do que se
envergonhar, mas não é isto o que acontece na
prática, nós os verdadeiros e sérios obreiros nos
envergonhamos de muitas coisas. MUITOS ESTÃO
ENVERGONHANDO O EVANGELHO.
4 - QUE MANEJA BEM A PALAVRA DA
VERDADE
O obreiro de DEUS deve conhecer bem o instrumento
que ele usa (bíblia). Todos os profissionais tem o
cuidado de conhecer bem o seu instrumento de
trabalho para depois executá-lo em serviço. Ninguém
contrataria um profissional que não soubesse usar o
seu instrumento de trabalho, imaginemos o obreiro de
Deus que vai ao púlpito, todos esperam que ele faça o
uso do instrumento (a bíblia) com propriedade,
provando que foi habilidade para aquele serviço.
Infelizmente temos vistos muitos obreiros
despreparados envergonhando o púlpito sagrado por
(MANEJAR MAL) a palavra da verdade.
BONS OBREIROS
DEMÉTRIO – um bom Obreiro (3 Jo 12)) Todos dão
testemunho de Demétrio (os líderes da igreja davam
testemunho de Demétrio). Que Obreiro admirável.
*Abraão –obediência Gn 22: 2, 10
*José – retidão Gn 39: 9
*Moisés – administração da casa de DEUS Hb 3: 5;
Nm 12: 7)
*Josué, Daniel, Micaias, Azarias, Jeremias, João
Batista, Tíquico – todos
destacavam-se pela sua fidelidade e perseverança
MAUS OBREIROS
O assunto: Maus Obreiros não é novo; a Bíblia
menciona muitos maus Obreiros:
Diótrefes – (3 Jo 9,10). Era egoísta, indelicado,
maledicente, falava mal dos outros, autoritário,
dominante e perseguidor.
Aimaaz – (2Sm 18: 19: 23, 29). Era filho do
Sacerdote Zadoque, Aimaaz tinha nome, tinha
pressa. Más Aimaaz não tinha mensagem .
Que fará um Obreiro do Senhor sem mensagem para
o povo? Aimaaz é o tipo do Obreiro separado antes
do tempo, enviado antes do tempo. Que vai se
chamado; que vai sem ser chamado.
CAUSAS DE MAUS OBREIROS
1.Não tem chamada divina;
2. Não tem direção divina,
3. Separados para o trabalho antes do tempo.
4. Imaturidade espiritual crônica.
5. Nunca se desenvolveram.
6. Nunca amadureceram.
7. Nunca crescem, trabalham somente com a
capa dos outros.
8. Admitidos no ministério com defeitos morais e
espirituais.
Perigos e tentações do Obreiro
É preciso cuidado e
vigilância com a:
• POPULARIDADE
• BAJULAÇÃO
• AMBIÇÃO POR
POSIÇÃO
Tipos de ovelhas no Rebanho
A ovelha BOA não
apresenta problemas pra
si, nem para a obra. Ela
requer apenas do seu
pastor:
• Alimentação
• Orientação
• Proteção
• Cuidado
• Contato
• Administração
A ovelha problemática
em má situação são:
• Ovelha franca
• Ovelha doente
• Ovelha quebrada
• Ovelha desgarrada
• Ovelha perdida
O sucesso do Obreiro no Ministério
Depende de quatro elementos:
1. ESPIRITUALIDE. É a vida cheia do Espirito Santo,
assim cultivada através de nossa constante e
crescente comunhão com Deus.
2. EXPERIENCIA COM DEUS. Vem pelo desempenho,
pela prática do trabalho do Senhor com Deus.
3. CONHECIMENTO. Vem pelo estudo, pela prática,
observação, pela espera.
4. MATURIDADE. É sabedoria pratica em nosso viver e
agir. Ela vem: pelo desenvolvimento e crescimento
espiritual, pela nossa autodisciplina, pelo trabalho que
realizamos, em grupo e sozinhos, pelas provações da
vida e experiências diversas.
D) Impedir a entrada de
animais, pessoas em
visível estado de
embriaguez, pessoas
que demonstrem a nítida
intenção de desviar a
atenção dos demais
presentes, ou pessoas
que demonstrem
explicitamente o desejo
de atrapalhar o bom
andamento do culto;
E) Coibir qualquer pessoa
que venha causar transtorno
na boa ordem do culto,
procurando, se for o caso,
retirá-la da nave principal do
templo, sempre da maneira
mais polida e discreta
possível;
F) Coibir pessoas, que
estejam sem motivo
justificado, do lado de fora do
templo durante os cultos, de
maneira cordial, porém,
enérgica, principalmente
quem se apresentar em
conduta que desabone o
testemunho como cristão;
G) Nos momentos de oração,
quer seja pelos que estão se
convertendo, ou pelos
membros da Igreja, deverão
dar a devida cobertura a
quem está à frente do
trabalho, impondo as mãos
sobre o público alvo e
conduzindo-os para o local
que lhes for determinado;
H) Auxiliar a administração
da Igreja no sentido de que
haja a maior economia
possível quando aos gastos
com água, energia elétrica,
bem como contribuir ativa e
passivamente com a
segurança do templo;
I)Deve ser alguém com
maturidade espiritual,
pronto a respeitar e acatar
ordens da liderança
superior.
J) Deve fazer bom uso da
comunicação de
informações;
K) Deve se limitar a decidir
dentro do poder e área
que lhe foram delegados,
sem criar conflitos com
outros departamentos ou
com os propósitos
explícitos da Igreja.
O OBREIRO COMO LÍDER
Princípios Específicos Características Básicas
– Planejamento: trabalho
– Organização: tempo e
recursos
– Integração: tarefas
– Motivação: equipe de
trabalho
– Avaliação: resultados
– Alvos: realistas para
atingir objetivos
– Interesse pelos outros
– Identificação com os
outros
– Perspectiva: visão dos
problemas
– Prioridades: a
importância do trabalho
– Propósitos: estabelecer
alvos para sua liderança
Perfil Social
– Integridade: caráter reto e
princípios morais
– Convicção: fundamentos da fé
em Deus para realizar a sua obra
– Lealdade: ao Senhor, superiores
e liderados;
– Estabilidade: confiabilidade e
capacidade de domínio de
circunstância
– Discernimento: conhecimento
dos fatos, consciência do que
precisa ser feito, e
desenvolvimento de plano de ação
– Tato: capacidade de lidar com
outros sem ofender
– Conhecimento: da tarefa, das
nossas forças e dos nossos
pontos fracos, procurando sempre
melhorar
OBREIRO E A ÉTICA MINISTERIAL
- Em Relação à Igreja
a) manter-se leal ou solicitar desligamento caso haja discórdia (Rm
14.22);
b) jamais fazer críticas à mesma publicamente (ICo 6.1-9);
c) esforçar-se para promover o seu desenvolvimento (At 2.41-47);
d) conhecer a história sua história e seus objetivos principais
e) como membro do Corpo de Cristo, tratá-la com estima (Ef 5.23);
f) não se deixar levar por indivíduos ou facções (IPe 5.1-3);
g) reconhecer o momento certo de se afastar de sua função quando
perceber tal necessidade (II Tm 4.7);
h) não fazer qualquer manobra política interna (I Co 10.23,31);
i) acatar as deliberações da mesma (I Pe 5.2,3);
j) ser cuidadoso no relacionamento com pessoas do sexo oposto,
revelando pureza em seus gestos (Ec 9.8);
l) manter o respeito para com os membros da mesma (Tg 3.2,8).
Em Relação à sua Função
a) ser fiel a Deus em tudo e em todo o seu
trabalho (Ap 2.11);
b) nos eventos fora da Igreja, portar-se com
discrição e absoluta dignidade cristã (I Tm 5.1-15);
c) não comentar com familiares assuntos
confidenciais cuja divulgação seja pejorativa para
a obra do Senhor (ITm 3.1-5);
d) zelar pelo decoro do púlpito e pelo seu próprio
preparo (IITm 2.15);
e) acatar orientações e projetos prioritários da
Igreja (Tg 4.6).
Em Relação aos Colegas
a) zelar pela reputação de seus colegas, não,
permitindo comentários desabonadores a seu respeito
(Jo 15.17);
b) não suscitar dúvidas no coração de seus colegas (Ef
4.13);
c) cultivar junto aos colegas o hábito da franqueza,
bondade, lealdade e da cooperação (Rm 12.9,17);
d) não prestar falso testemunho contra o colega (Pv
6.19);
e) restituir, quando prejudicar o colega não somente os
bens materiais, mas, também, os morais e espirituais;
f) perdoar ao colega ofensor, mesmo que lhe seja de
direito exigir justificação daquele que o ofende (Mt
6.12).
Conclusão
A Igreja pertence a Cristo, e nós, os obreiros,
somos os servidores desta grande
comunidade espalhada por Deus pela face
da terra. Que ouçamos o conselho do
apóstolo Pedro, e venhamos apascentar "o
rebanho de Deus [...], tendo cuidado dele,
não por força, mas voluntariamente; nem por
torpe ganância, mas de ânimo pronto; nem
como tendo domínio sobre a herança de
Deus, mas servindo de exemplo ao rebanho"
(1 Pe 5.2,3).
Conclusão
O Vídeo Chamado desconfinado
Alinhamentos Estratégicos
Dia 12/02 – Treinamento Ativação
de Ministérios: Os 5 Ministérios da
Igreja.
(Auxiliares, Obreiros e Diáconos)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Primeira apostila dos jovens - PDF
Primeira apostila dos jovens - PDFPrimeira apostila dos jovens - PDF
Primeira apostila dos jovens - PDF
Lucas Martins
 
Estudo para adolescentes
Estudo para adolescentesEstudo para adolescentes
Estudo para adolescentes
Edson_2012.A-F
 

Mais procurados (20)

Estudo biblico 22
Estudo biblico 22Estudo biblico 22
Estudo biblico 22
 
Doutrina de deus
Doutrina de deusDoutrina de deus
Doutrina de deus
 
Ministrações do encontro
Ministrações do  encontroMinistrações do  encontro
Ministrações do encontro
 
Os Perigos das Obras da Carne
Os Perigos das Obras da CarneOs Perigos das Obras da Carne
Os Perigos das Obras da Carne
 
Marcas De Uma Pessoa Madura
Marcas De Uma Pessoa MaduraMarcas De Uma Pessoa Madura
Marcas De Uma Pessoa Madura
 
Deus, nós e a nossa família
Deus, nós  e  a  nossa  famíliaDeus, nós  e  a  nossa  família
Deus, nós e a nossa família
 
TREINAMENTO PARA EVANGELISMO
TREINAMENTO PARA EVANGELISMOTREINAMENTO PARA EVANGELISMO
TREINAMENTO PARA EVANGELISMO
 
LIBERTAÇÃO
LIBERTAÇÃOLIBERTAÇÃO
LIBERTAÇÃO
 
Batismo nas águas
Batismo nas águasBatismo nas águas
Batismo nas águas
 
Seminário como ensinar crianças na igreja - marisa
Seminário   como ensinar crianças na igreja - marisaSeminário   como ensinar crianças na igreja - marisa
Seminário como ensinar crianças na igreja - marisa
 
Três campos de batalha espiritual
Três campos de batalha espiritualTrês campos de batalha espiritual
Três campos de batalha espiritual
 
A Vida do Apóstolo Paulo
A Vida do Apóstolo PauloA Vida do Apóstolo Paulo
A Vida do Apóstolo Paulo
 
O propósito dos dons espirituais
O propósito dos dons espirituaisO propósito dos dons espirituais
O propósito dos dons espirituais
 
O Professor Da Ebd, Seu Papel E Desafios
O Professor Da Ebd, Seu Papel E DesafiosO Professor Da Ebd, Seu Papel E Desafios
O Professor Da Ebd, Seu Papel E Desafios
 
Treinamento de professores Escola Bíblica Dominical -parte II
Treinamento de professores Escola Bíblica Dominical -parte IITreinamento de professores Escola Bíblica Dominical -parte II
Treinamento de professores Escola Bíblica Dominical -parte II
 
Primeira apostila dos jovens - PDF
Primeira apostila dos jovens - PDFPrimeira apostila dos jovens - PDF
Primeira apostila dos jovens - PDF
 
Slide Lição 03 - A maravilhosa e inefável graça de Deus
Slide Lição 03 - A maravilhosa e inefável graça de DeusSlide Lição 03 - A maravilhosa e inefável graça de Deus
Slide Lição 03 - A maravilhosa e inefável graça de Deus
 
A família e a igreja
A família e a igrejaA família e a igreja
A família e a igreja
 
Estudo para adolescentes
Estudo para adolescentesEstudo para adolescentes
Estudo para adolescentes
 
Liderança cristã apresentação
Liderança cristã apresentaçãoLiderança cristã apresentação
Liderança cristã apresentação
 

Destaque

Preparando Obreiros Para A úLtima Hora
Preparando Obreiros Para A úLtima HoraPreparando Obreiros Para A úLtima Hora
Preparando Obreiros Para A úLtima Hora
Catedral de Adoração
 
Obreiro aprovado
Obreiro aprovadoObreiro aprovado
Obreiro aprovado
shalonahr
 
O presbítero, bispo ou ancião
O presbítero, bispo ou anciãoO presbítero, bispo ou ancião
O presbítero, bispo ou ancião
Moisés Sampaio
 

Destaque (20)

Ministério do obreiro
Ministério do obreiroMinistério do obreiro
Ministério do obreiro
 
Preparando Obreiros Para A úLtima Hora
Preparando Obreiros Para A úLtima HoraPreparando Obreiros Para A úLtima Hora
Preparando Obreiros Para A úLtima Hora
 
Curso para obreiros
Curso para obreirosCurso para obreiros
Curso para obreiros
 
Etica crista-aulas-5-e-6
Etica crista-aulas-5-e-6Etica crista-aulas-5-e-6
Etica crista-aulas-5-e-6
 
A maçonaria pdf
A maçonaria pdfA maçonaria pdf
A maçonaria pdf
 
O presbítero, bispo ou ancião
O presbítero, bispo  ou anciãoO presbítero, bispo  ou ancião
O presbítero, bispo ou ancião
 
O diaconato
O diaconatoO diaconato
O diaconato
 
Lição 8 aprovados por deus em cristo jesus 3º trimestre de 2015
Lição 8   aprovados por deus em cristo jesus 3º trimestre de 2015Lição 8   aprovados por deus em cristo jesus 3º trimestre de 2015
Lição 8 aprovados por deus em cristo jesus 3º trimestre de 2015
 
Escola De Obreiros Tampa Fl Usa
Escola De Obreiros Tampa Fl UsaEscola De Obreiros Tampa Fl Usa
Escola De Obreiros Tampa Fl Usa
 
O chamado ministerial
O chamado ministerialO chamado ministerial
O chamado ministerial
 
Obreiro aprovado
Obreiro aprovadoObreiro aprovado
Obreiro aprovado
 
Estudos vocação e ministério
Estudos  vocação e ministérioEstudos  vocação e ministério
Estudos vocação e ministério
 
Vocação
VocaçãoVocação
Vocação
 
O presbítero, bispo ou ancião
O presbítero, bispo ou anciãoO presbítero, bispo ou ancião
O presbítero, bispo ou ancião
 
2 Coríntios Capítulo 10 - Paulo defende seu ministério
2 Coríntios Capítulo 10 - Paulo defende seu ministério2 Coríntios Capítulo 10 - Paulo defende seu ministério
2 Coríntios Capítulo 10 - Paulo defende seu ministério
 
O Chamado De Deus ok
O Chamado De Deus okO Chamado De Deus ok
O Chamado De Deus ok
 
O Chamado de Deus
O Chamado de DeusO Chamado de Deus
O Chamado de Deus
 
SERMÃO: Deus conhece o coração Humano - Marcos 12 38 44
SERMÃO: Deus conhece o coração Humano - Marcos 12 38 44 SERMÃO: Deus conhece o coração Humano - Marcos 12 38 44
SERMÃO: Deus conhece o coração Humano - Marcos 12 38 44
 
ÉTica cristã aula 01
ÉTica cristã aula 01ÉTica cristã aula 01
ÉTica cristã aula 01
 
introdução á psicanálise
introdução á psicanáliseintrodução á psicanálise
introdução á psicanálise
 

Semelhante a Treinamento obreiros e auxiliares

estudos-vocaoeministrio-160302141634 (1).pptx
estudos-vocaoeministrio-160302141634 (1).pptxestudos-vocaoeministrio-160302141634 (1).pptx
estudos-vocaoeministrio-160302141634 (1).pptx
Tiago Silva
 
A chamada e purifição do profeta
A chamada e purifição do profetaA chamada e purifição do profeta
A chamada e purifição do profeta
Monalisa Smith
 
Um estudo em ii timóteo 2:15
Um estudo em ii timóteo 2:15Um estudo em ii timóteo 2:15
Um estudo em ii timóteo 2:15
Pedro no Piel
 
lio4e5-livroopreparodoobreiroparaoministrio-160829130945 (1).pdf
lio4e5-livroopreparodoobreiroparaoministrio-160829130945 (1).pdflio4e5-livroopreparodoobreiroparaoministrio-160829130945 (1).pdf
lio4e5-livroopreparodoobreiroparaoministrio-160829130945 (1).pdf
Tiago Silva
 

Semelhante a Treinamento obreiros e auxiliares (20)

estudos-vocaoeministrio-160302141634 (1).pptx
estudos-vocaoeministrio-160302141634 (1).pptxestudos-vocaoeministrio-160302141634 (1).pptx
estudos-vocaoeministrio-160302141634 (1).pptx
 
Estudos vocação e ministério
Estudos  vocação e ministérioEstudos  vocação e ministério
Estudos vocação e ministério
 
Estudos vocação e ministério
Estudos  vocação e ministérioEstudos  vocação e ministério
Estudos vocação e ministério
 
LIÇÃO 08 - APROVADOS POR DEUS EM CRISTO JESUS
LIÇÃO 08 - APROVADOS POR DEUS EM CRISTO JESUSLIÇÃO 08 - APROVADOS POR DEUS EM CRISTO JESUS
LIÇÃO 08 - APROVADOS POR DEUS EM CRISTO JESUS
 
3º trimestre 2015 lição 12 adultos
3º trimestre 2015 lição 12 adultos3º trimestre 2015 lição 12 adultos
3º trimestre 2015 lição 12 adultos
 
3º trimestre 2015 lição 12 adultos
3º trimestre 2015 lição 12 adultos3º trimestre 2015 lição 12 adultos
3º trimestre 2015 lição 12 adultos
 
A chamada e purifição do profeta
A chamada e purifição do profetaA chamada e purifição do profeta
A chamada e purifição do profeta
 
2016 3 TRI LIÇÃO 7 - A CHAMADA E PURIFICAÇÃO DO PROFETA
2016 3 TRI LIÇÃO 7 - A CHAMADA E PURIFICAÇÃO DO PROFETA2016 3 TRI LIÇÃO 7 - A CHAMADA E PURIFICAÇÃO DO PROFETA
2016 3 TRI LIÇÃO 7 - A CHAMADA E PURIFICAÇÃO DO PROFETA
 
Aprovados por deus lição 8 - 3 trim 2015 - Prof. ELSON LOUREIRO
Aprovados por deus lição 8 -  3 trim 2015 - Prof.  ELSON LOUREIROAprovados por deus lição 8 -  3 trim 2015 - Prof.  ELSON LOUREIRO
Aprovados por deus lição 8 - 3 trim 2015 - Prof. ELSON LOUREIRO
 
2015 3º trimestre adultos lição 12.pptx
2015 3º trimestre adultos lição 12.pptx2015 3º trimestre adultos lição 12.pptx
2015 3º trimestre adultos lição 12.pptx
 
Um estudo em ii timóteo 2:15
Um estudo em ii timóteo 2:15Um estudo em ii timóteo 2:15
Um estudo em ii timóteo 2:15
 
Manual dos obreiros do Ministério IPCA
Manual dos obreiros do Ministério IPCAManual dos obreiros do Ministério IPCA
Manual dos obreiros do Ministério IPCA
 
CURSO DE FORMAÇÃO DE OBREIROS, DIÁCONOS E PRESBÍTEROS.pptx
CURSO DE FORMAÇÃO DE OBREIROS, DIÁCONOS E PRESBÍTEROS.pptxCURSO DE FORMAÇÃO DE OBREIROS, DIÁCONOS E PRESBÍTEROS.pptx
CURSO DE FORMAÇÃO DE OBREIROS, DIÁCONOS E PRESBÍTEROS.pptx
 
Treinamento para diáconos
Treinamento para diáconosTreinamento para diáconos
Treinamento para diáconos
 
Cooperador e Resp-4 aula.pptx
Cooperador e Resp-4 aula.pptxCooperador e Resp-4 aula.pptx
Cooperador e Resp-4 aula.pptx
 
3º Trimestre 2015 Lição 08 Adultos
3º Trimestre 2015 Lição 08 Adultos3º Trimestre 2015 Lição 08 Adultos
3º Trimestre 2015 Lição 08 Adultos
 
C1214 a voz_de_deus
C1214 a voz_de_deusC1214 a voz_de_deus
C1214 a voz_de_deus
 
lio4e5-livroopreparodoobreiroparaoministrio-160829130945 (1).pdf
lio4e5-livroopreparodoobreiroparaoministrio-160829130945 (1).pdflio4e5-livroopreparodoobreiroparaoministrio-160829130945 (1).pdf
lio4e5-livroopreparodoobreiroparaoministrio-160829130945 (1).pdf
 
Jovens Estudo 6 - Vocação
Jovens Estudo 6 - VocaçãoJovens Estudo 6 - Vocação
Jovens Estudo 6 - Vocação
 
O ministério do diácono (isa)
O ministério do diácono (isa)O ministério do diácono (isa)
O ministério do diácono (isa)
 

Mais de Carlos Cirleno Neves

Mais de Carlos Cirleno Neves (11)

Manual da visão
Manual da visão  Manual da visão
Manual da visão
 
Como estudar a bíblia
Como estudar a bíbliaComo estudar a bíblia
Como estudar a bíblia
 
Ativação ministerios
Ativação ministeriosAtivação ministerios
Ativação ministerios
 
Projeto de vida
Projeto de vidaProjeto de vida
Projeto de vida
 
Comunhão a inteligencia nos relacionamentos
Comunhão a inteligencia nos relacionamentosComunhão a inteligencia nos relacionamentos
Comunhão a inteligencia nos relacionamentos
 
Treinamento intercessão
Treinamento intercessãoTreinamento intercessão
Treinamento intercessão
 
Treinamento cura e libertação
Treinamento cura e libertaçãoTreinamento cura e libertação
Treinamento cura e libertação
 
Batalha espiritual
Batalha espiritualBatalha espiritual
Batalha espiritual
 
QUEM ESTÁ MANIPULANDO AS ESCRITURAS?
QUEM ESTÁ MANIPULANDO AS ESCRITURAS?QUEM ESTÁ MANIPULANDO AS ESCRITURAS?
QUEM ESTÁ MANIPULANDO AS ESCRITURAS?
 
Interpretando as escrituras modulo ***Teologia Inclusiva***
Interpretando as escrituras modulo ***Teologia Inclusiva***Interpretando as escrituras modulo ***Teologia Inclusiva***
Interpretando as escrituras modulo ***Teologia Inclusiva***
 
INTRODUÇÃO A TEOLOGIA INCLUSIVA
INTRODUÇÃO A TEOLOGIA INCLUSIVAINTRODUÇÃO A TEOLOGIA INCLUSIVA
INTRODUÇÃO A TEOLOGIA INCLUSIVA
 

Último

Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
StelaWilbert
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............
MilyFonceca
 

Último (10)

Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
 
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdfpdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
 
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para AutoconhecimentoHermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............
 
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxEspecialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
 

Treinamento obreiros e auxiliares

  • 2. QUEM SÃO OS OBREIROS DA IGREJA • Abrange uma área muito grande dentro da Igreja. • OBREIRO é aquele que coopera no desenvolvimento de uma empresa ou de uma ideia (enciclopédia bíblica). • No entanto, consideramos todos aqueles que exercem funções dentro da casa de Deus, um obreiro. Seja ele porteiro, instrumentista, diácono, presbítero, líder de rede ou até o Pastor.
  • 3. MINISTÉRIO OU PROFISSÃO O médico pode ser médico mesmo sem vocação para a medicina, más um Obreiro sem vocação para o ministério é um desastre em todos os sentidos. O que faz um Obreiro ser um autêntico Obreiro é primeiramente suas chamadas divinas, recebidas de DEUS.
  • 4. QUANTO AO PRÓPRIO MINISTÉRIO • A nossa atitude deve ser glorificar o nosso ministério. Rm 11,13 • Dedicarmos a ele. • Resguardarmos o nosso ministério. • Cumpri-lo integralmente
  • 5. DEUS CHAMA PESSOAS OCUPADAS, PESSOAS QUE TRABALHAM. Ociosos só atrapalham a Obra. Os homens a quem DEUS chamou estavam todos ocupados, trabalhando. DAVI - trabalhava no campo com ovelhas quando DEUS o chamou (1Sm 16:11). SAUL – procurava jumentos perdidos, extraviados, cumprindo ordens de seu pai. (1Sm 9:3) GIDEÃO – malhava trigo Jz 6:11, 12. ELIZEU – arava o campo (1Rs 19: 19). MATEUS trabalhava na coletoria (Mt 9:9). MOISÉS – trabalhava no deserto (Ex 3: 1, 10). OS PRIMEIROS APOSTOLOS – Estavam ocupados, pescando. Uns estavam LANÇANDO REDES. Outros estavam CONSERTANDO REDES (Mt 4: 18, 21)
  • 6. O OBREIRO E A CHAMADA PARA O MINISTÉRIO Tipos de chamada : Em todas as questões do ministério, a primeira de todas as perguntas que se faz, é se o obreiro foi realmente chamado por Deus para o ministério. Muitas pessoas têm experimentado o “caos espiritual” porque se fizeram simplesmente “obreiros profissionais”.
  • 7. CHAMADA DIVINA - é DEUS quem chama, Ele o faz de modo inconfundível. CHAMADA HUMANA – do tipo “vem pra cá”, um simples convite humano, sem DEUS ter qualquer participação no caso. (claro que DEUS também pode chamar através de uma pessoa). A CHAMADA PRÓPRIA - A pessoa que se oferece, sem DEUS ter qualquer participação no caso.
  • 8. Modo da Chamada Como pode alguém saber que está sendo chamado por Deus para o ministério? Como evitar o erro de Aimaás “o corredor” (2Sam 18:19-33), Nadabe e Abiu (Lev 10:1-2)? Como não se tornar um empecilho para os outros? A chamada divina se caracteriza pelos seguintes aspectos:
  • 9. O Conceito espiritual – ICo 2.14; Is 30.21 O Iniciativa divina – Jo 15.16; O Direção do Espírito Santo – At 16.6-10 O Aptidões naturais – eloquência, desenvoltura, etc. O Sensibilidade espiritual – IICo 3.5 O Reconhecimento pelos outros – colegas e líderes, etc. Modo da Chamada
  • 10. Qualificações para a Chamada 1. Novo Nascimento – Jo 3.3; ICo 2.14-16 2. Revestimento de poder – Lc 24.47-49 3. Andar com Deus – At 3.12 4. Educação – At 7.22 5. A Escola da experiência – IICo 1.4,5 6. Humildade – ICo 1.27-29 7. Conhecimento bíblico – Mt 2.7
  • 11. O OBREIRO E AS SUAS ATIVIDADES Obreiros (IITm 2.15) - são servos escolhidos segundo os critérios da Palavra de Deus, consagrados pelo Ministério da Igreja, mediante prévia aprovação do mesmo. A exemplo dos líderes, conforme preconiza a Bíblia, devem se consagrar ao serviço dos santos, sendo bons cooperadores na obra (ICo 16.15,16), suprindo as necessidades que surgirem em qualquer área da Igreja que necessite da atuação dos mesmos (ICo 16.17).
  • 12. O obreiro deve ser: a) Conservador do mistério da fé; b) Experimentado; c) Governar bem a sua casa; d) Irrepreensível; e) Não cobiçoso de sórdida ganância; f) Não maldizente; g) Portador de uma consciência limpa; h) Responsável; i) Ser dizimista e ofertante; j) Ser fiel em tudo; k) Ser temperante; l) Sincero (de uma só palavra)
  • 13. O obreiro Aprovado TEXTO: 2 TM. 2.15 “Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade.” 2 Timóteo 2:15
  • 14. 1 - PROCURA APRESENTAR- TE A DEUS O OBREIRO de DEUS deve conversar com DEUS todos os dias, esta comunhão diária proporcionará o aperfeiçoamento do servo de DEUS. Existem “obreiros” que não oram, que quase não estudam a bíblia, não se apresentam a Deus, como pode esta pessoa ser bem sucedida na obra de DEUS, que se caracteriza pelas lutas espirituais com as forças do mal? Paulo diz que o OBREIRO deve se apresentar a DEUS , mas diz também de que maneira este obreiro deve se apresentar a DEUS.
  • 15. 2 - OBREIRO APROVADO Obreiro deve se apresentar a DEUS APROVADO. O que isto significa? Significa que temos que ter a aprovação de DEUS e da Bíblia para o que fazemos. Um obreiro de DEUS deve cumprir as exigências que a Apóstolo Paulo recomendou ao seu filho na fé, Timóteo.
  • 16. Características do Obreiro Aprovado. • Não é egoísta, ele transmite o que aprendeu 2. Tm. 2.2 • Reparte o sofrimento com os companheiros (participa das aflições dos outros) 2. Tm. 2.3 • Não se embaraça com negócio desta vida. 2 Tm. 2.4 • Nada impede que ele transmita a verdade das escrituras 2 Tm. 2.9 • Não participa de contendas. 2 Tm. 2.14 • Evita falatórios profanos. 2 Tm. 2.16 • Foge das paixões da mocidade 2 Tm. 2.22 • Rejeita as questões loucas. 2 Tm. 2.23 • Ensina com mansidão 2 Tm. 2.24 • Desperta os companheiros dos laços do diabo 2. Tm. 2. 25-26
  • 17. 3. COMO OBREIRO QUE NÃO TEM DO QUE SE ENVERGONHAR Ah! Como seria bom se os crentes de hoje fossem como aqueles homens da cidade de Beréia, os quais só confiavam na Palavra. Eram tão zelosos dEla que, mesmo se Paulo quisesse, não conseguiria enganá-los. (At 17,10-12). Um obreiro de DEUS não deveria ter do que se envergonhar, mas não é isto o que acontece na prática, nós os verdadeiros e sérios obreiros nos envergonhamos de muitas coisas. MUITOS ESTÃO ENVERGONHANDO O EVANGELHO.
  • 18. 4 - QUE MANEJA BEM A PALAVRA DA VERDADE O obreiro de DEUS deve conhecer bem o instrumento que ele usa (bíblia). Todos os profissionais tem o cuidado de conhecer bem o seu instrumento de trabalho para depois executá-lo em serviço. Ninguém contrataria um profissional que não soubesse usar o seu instrumento de trabalho, imaginemos o obreiro de Deus que vai ao púlpito, todos esperam que ele faça o uso do instrumento (a bíblia) com propriedade, provando que foi habilidade para aquele serviço. Infelizmente temos vistos muitos obreiros despreparados envergonhando o púlpito sagrado por (MANEJAR MAL) a palavra da verdade.
  • 19. BONS OBREIROS DEMÉTRIO – um bom Obreiro (3 Jo 12)) Todos dão testemunho de Demétrio (os líderes da igreja davam testemunho de Demétrio). Que Obreiro admirável. *Abraão –obediência Gn 22: 2, 10 *José – retidão Gn 39: 9 *Moisés – administração da casa de DEUS Hb 3: 5; Nm 12: 7) *Josué, Daniel, Micaias, Azarias, Jeremias, João Batista, Tíquico – todos destacavam-se pela sua fidelidade e perseverança
  • 20. MAUS OBREIROS O assunto: Maus Obreiros não é novo; a Bíblia menciona muitos maus Obreiros: Diótrefes – (3 Jo 9,10). Era egoísta, indelicado, maledicente, falava mal dos outros, autoritário, dominante e perseguidor. Aimaaz – (2Sm 18: 19: 23, 29). Era filho do Sacerdote Zadoque, Aimaaz tinha nome, tinha pressa. Más Aimaaz não tinha mensagem . Que fará um Obreiro do Senhor sem mensagem para o povo? Aimaaz é o tipo do Obreiro separado antes do tempo, enviado antes do tempo. Que vai se chamado; que vai sem ser chamado.
  • 21. CAUSAS DE MAUS OBREIROS 1.Não tem chamada divina; 2. Não tem direção divina, 3. Separados para o trabalho antes do tempo. 4. Imaturidade espiritual crônica. 5. Nunca se desenvolveram. 6. Nunca amadureceram. 7. Nunca crescem, trabalham somente com a capa dos outros. 8. Admitidos no ministério com defeitos morais e espirituais.
  • 22. Perigos e tentações do Obreiro É preciso cuidado e vigilância com a: • POPULARIDADE • BAJULAÇÃO • AMBIÇÃO POR POSIÇÃO
  • 23. Tipos de ovelhas no Rebanho A ovelha BOA não apresenta problemas pra si, nem para a obra. Ela requer apenas do seu pastor: • Alimentação • Orientação • Proteção • Cuidado • Contato • Administração A ovelha problemática em má situação são: • Ovelha franca • Ovelha doente • Ovelha quebrada • Ovelha desgarrada • Ovelha perdida
  • 24. O sucesso do Obreiro no Ministério Depende de quatro elementos: 1. ESPIRITUALIDE. É a vida cheia do Espirito Santo, assim cultivada através de nossa constante e crescente comunhão com Deus. 2. EXPERIENCIA COM DEUS. Vem pelo desempenho, pela prática do trabalho do Senhor com Deus. 3. CONHECIMENTO. Vem pelo estudo, pela prática, observação, pela espera. 4. MATURIDADE. É sabedoria pratica em nosso viver e agir. Ela vem: pelo desenvolvimento e crescimento espiritual, pela nossa autodisciplina, pelo trabalho que realizamos, em grupo e sozinhos, pelas provações da vida e experiências diversas.
  • 25.
  • 26. D) Impedir a entrada de animais, pessoas em visível estado de embriaguez, pessoas que demonstrem a nítida intenção de desviar a atenção dos demais presentes, ou pessoas que demonstrem explicitamente o desejo de atrapalhar o bom andamento do culto; E) Coibir qualquer pessoa que venha causar transtorno na boa ordem do culto, procurando, se for o caso, retirá-la da nave principal do templo, sempre da maneira mais polida e discreta possível; F) Coibir pessoas, que estejam sem motivo justificado, do lado de fora do templo durante os cultos, de maneira cordial, porém, enérgica, principalmente quem se apresentar em conduta que desabone o testemunho como cristão;
  • 27. G) Nos momentos de oração, quer seja pelos que estão se convertendo, ou pelos membros da Igreja, deverão dar a devida cobertura a quem está à frente do trabalho, impondo as mãos sobre o público alvo e conduzindo-os para o local que lhes for determinado; H) Auxiliar a administração da Igreja no sentido de que haja a maior economia possível quando aos gastos com água, energia elétrica, bem como contribuir ativa e passivamente com a segurança do templo; I)Deve ser alguém com maturidade espiritual, pronto a respeitar e acatar ordens da liderança superior. J) Deve fazer bom uso da comunicação de informações; K) Deve se limitar a decidir dentro do poder e área que lhe foram delegados, sem criar conflitos com outros departamentos ou com os propósitos explícitos da Igreja.
  • 28. O OBREIRO COMO LÍDER Princípios Específicos Características Básicas – Planejamento: trabalho – Organização: tempo e recursos – Integração: tarefas – Motivação: equipe de trabalho – Avaliação: resultados – Alvos: realistas para atingir objetivos – Interesse pelos outros – Identificação com os outros – Perspectiva: visão dos problemas – Prioridades: a importância do trabalho – Propósitos: estabelecer alvos para sua liderança
  • 29. Perfil Social – Integridade: caráter reto e princípios morais – Convicção: fundamentos da fé em Deus para realizar a sua obra – Lealdade: ao Senhor, superiores e liderados; – Estabilidade: confiabilidade e capacidade de domínio de circunstância – Discernimento: conhecimento dos fatos, consciência do que precisa ser feito, e desenvolvimento de plano de ação – Tato: capacidade de lidar com outros sem ofender – Conhecimento: da tarefa, das nossas forças e dos nossos pontos fracos, procurando sempre melhorar
  • 30. OBREIRO E A ÉTICA MINISTERIAL - Em Relação à Igreja a) manter-se leal ou solicitar desligamento caso haja discórdia (Rm 14.22); b) jamais fazer críticas à mesma publicamente (ICo 6.1-9); c) esforçar-se para promover o seu desenvolvimento (At 2.41-47); d) conhecer a história sua história e seus objetivos principais e) como membro do Corpo de Cristo, tratá-la com estima (Ef 5.23); f) não se deixar levar por indivíduos ou facções (IPe 5.1-3); g) reconhecer o momento certo de se afastar de sua função quando perceber tal necessidade (II Tm 4.7); h) não fazer qualquer manobra política interna (I Co 10.23,31); i) acatar as deliberações da mesma (I Pe 5.2,3); j) ser cuidadoso no relacionamento com pessoas do sexo oposto, revelando pureza em seus gestos (Ec 9.8); l) manter o respeito para com os membros da mesma (Tg 3.2,8).
  • 31. Em Relação à sua Função a) ser fiel a Deus em tudo e em todo o seu trabalho (Ap 2.11); b) nos eventos fora da Igreja, portar-se com discrição e absoluta dignidade cristã (I Tm 5.1-15); c) não comentar com familiares assuntos confidenciais cuja divulgação seja pejorativa para a obra do Senhor (ITm 3.1-5); d) zelar pelo decoro do púlpito e pelo seu próprio preparo (IITm 2.15); e) acatar orientações e projetos prioritários da Igreja (Tg 4.6).
  • 32. Em Relação aos Colegas a) zelar pela reputação de seus colegas, não, permitindo comentários desabonadores a seu respeito (Jo 15.17); b) não suscitar dúvidas no coração de seus colegas (Ef 4.13); c) cultivar junto aos colegas o hábito da franqueza, bondade, lealdade e da cooperação (Rm 12.9,17); d) não prestar falso testemunho contra o colega (Pv 6.19); e) restituir, quando prejudicar o colega não somente os bens materiais, mas, também, os morais e espirituais; f) perdoar ao colega ofensor, mesmo que lhe seja de direito exigir justificação daquele que o ofende (Mt 6.12).
  • 33. Conclusão A Igreja pertence a Cristo, e nós, os obreiros, somos os servidores desta grande comunidade espalhada por Deus pela face da terra. Que ouçamos o conselho do apóstolo Pedro, e venhamos apascentar "o rebanho de Deus [...], tendo cuidado dele, não por força, mas voluntariamente; nem por torpe ganância, mas de ânimo pronto; nem como tendo domínio sobre a herança de Deus, mas servindo de exemplo ao rebanho" (1 Pe 5.2,3).
  • 35. Alinhamentos Estratégicos Dia 12/02 – Treinamento Ativação de Ministérios: Os 5 Ministérios da Igreja. (Auxiliares, Obreiros e Diáconos)