éTica comunitária

437 visualizações

Publicada em

éTica comunitária

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
437
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

éTica comunitária

  1. 1. Ética Eclesial Comunitária Ser humano: ser ético em face do outro Pessoa, Comunidade e Sociedade A constituição do sujeito ético na fé cristã
  2. 2. A crise...
  3. 3. Abordagens  A partir da antropologia e de si mesmo: o ser humano, criatura e imagem de Deus;  A partir da práxis e voltado para ela: como estão agindo os cristãos e o que devo fazer como crente em Jesus cristo?  A partir da comunidade cristã: o que devemos fazer como comunidade que confessa Jesus Cristo como Senhor?  A partir de uma filosofia interpretada no horizonte da fé cristã;
  4. 4. Abordagens  A partir da sociedade: como as atuais práticas e estruturas sociais nos desafiam como cristãos e cristãs?  A partir de todos esses aspectos contemplados na Bíblia como Palavra de Deus;  A partir dos valores bíblicos e humanos  A partir das relações existenciais com o mundo (natureza, sociedade, o outro);
  5. 5. Abordagens  A partir dos novos e grandes desafios colocados pela ciência e tecnologia à fé cristã;  A partir de mandamentos e princípios da Bíblia;  A partir das motivações profundas do ser humano e em diálogo com a Bíblia;  A partir do valor pessoa;
  6. 6. cristã que envolve a responsabilidade  O tema de fundo da teologia bíblica é a interpelação de Deus e a resposta humana:  Evento e Palavra  Teologia é responsiva  É da responsividade que se constitui o sujeito da fé e da ética cristã  Ser de resposta e de palavra
  7. 7. A máquina global
  8. 8. Contexto  Máquina global  Individualismo  Violência  Guerra  Empobrecimento  Fome
  9. 9. Pós-modernidade  Ceticismo face às “grandes narrativas”  Estruturas e organizações mais importantes que pessoas  Encobrimento da responsabilidade face ao aparato maquinal anônimo  Relativismo e crise dos paradigmas  Permissivismo extremo  Niilismo
  10. 10. Ética da Comunidade Cristã  Êthos e Éthos  Ética cristã como o estudo de nossa ação apropriada enquanto resposta à presença de Cristo e de seu Reino nas situações concretas que a Igreja vive no mundo. PRAXIS INTERPELAÇÃO E RESPOSTA: movimento de constituição do sujeito TESTEMUNHO
  11. 11. Alter e a alteridade  O outro e o próximo  O outro e Cristo  O outro e Deus Só sou “eu” porque assim fui constituído diante de um “tu” e em resposta a esse outro/a que não eu. Nossa gênese é solidariamente dependente do outro. Sociedade e comunidade: sentidos sociológicos e éticos.
  12. 12. PRAXIS E VALORES  Vida e validades  Sentimentos e validades  Comunidade e validades  Pessoa e validades  VALOR ÉTICO: valor originário que dá forma e sentido a outros valores
  13. 13. Vida cotidiana e ética  A vida cotidiana como fundo e não como superfície  Princípio da vida vivida e da subjetividade atuante  Nossos “mundos” entrelaçados
  14. 14. VALORES FORMADORES DE VALORES Amor estudo Justiça dinheiro Fidelidade conforto Graça trabalho Paz família Pessoa saúde Fé amizade compaixão Uma circunstância pode alterar uma escala de valores
  15. 15. Praxis do Reino Atuar com o outro no horizonte de Cristo e do Reino Relação “Agápe” e força da Graça A comunidade como sal e fermento O Reino como critério e como instância crítica : transcendência e utopia
  16. 16. Pensar as validades Valor e valor ético Aspectos do valor ético O valor ético e a responsabilidade da Igreja Ética da Igreja: o tempo e o Reino de Deus
  17. 17. Ética da Comunidade Cristã Ser cristão: pessoa na comunidade de Cristo como sujeito ético A Igreja como sujeito ético A Igreja responsável pela criação no horizonte da Nova Criação Dimensão pública da ética cristã comunitária
  18. 18. Bíblia: responsabilidade face a face O ser humano como Imago Dei: Imago natural Imago política Imago ética A Nova Criação e a Imago Christi
  19. 19. Pecado Apropriação indébita e dominadora da criação e do outro/a Formas de relacionamento idolátrica e fetichizada O pecado social : conexão social para o mal A crise humana, a crise do mundo, a morte,
  20. 20. Moral social e ética comunitária Moral vigente: necessidade, ambigüidade, opressão, dissipação Carne, mundo, século Consciência moral e responsabilidade ética cristã
  21. 21. O princípio Babilônia Estrutura e ordem opressora; “Egito”. Uma ordem opressora sacrifica valores mais altos a valores mais baixos e justifica a inversão. Estruturação que replica o mal. Pode fazer o mal virar bem e o bem virar mal.  A Máquina: Matrix
  22. 22. Transformação em Cristo  Transformação da pessoa  Transformação comunitária  Transformação social  As novas validades sob a ótica da Graça  As novas validades e a força do Espírito  As novas validades do Reino e da Nova Criação
  23. 23. O princípio Nova Jerusalém  Ética e escatologia  O Sermão do Monte e sua significação para a ética comunitária  Amor, Poder e Justiça em perspectiva escatológica
  24. 24. Responsabilidade ética e mundo atual  A crise  As respostas da Igreja como responsabilidade diante de si mesma, diante do outro e diante de Deus  Por que a Igreja tem falhado?

×