SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 5
Administração Farmacêutica
ProfªRita de CássiaFerminoOlimpio
GESTÃO DE CONTROLE DE LOGISTICA FARMACÊUTICA,
ANTONIO INACIO FERRAZ, ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM
CAMPINAS SP.
Conceito Logística
O processo de planejamento,implantação e controle do fluxoeficiente e eficazde
mercadorias, serviçose informações relativasdesde o ponto de origematé o consumidor
final,com o propósitode atenderas exigênciasdosclientes.
Através destas definiçõese enfoques,podemosentenderporque hoje aLogística é tratada
como um assunto estratégicopara as empresas,que procuram diminuiro tempoentre
compra de insumos,produção de bense/ou serviçose sua entrega no destinofinal,de
acordo com o desejodo cliente,levando-se emcontamenorcusto e maior qualidade.
A importância da Logística independe dotamanho da organização, seja uma micro, médiaou
grande empresa.
Objetivo :
Fazer com que as “coisas” (materiaise informações) se movimentemo mais rápido possível,
conseguindoassimotimizar os investimentosemativos(estoques);
ESTOQUE DE SEGURANÇA
Também conhecido por estoque mínimo ou estoque reserva, é uma quantidade
mínima de peças que tem que existirnoestoque com a função de cobrir as possíveis
variações do sistema, que podem ser: eventuais atrasos no tempo de
fornecimentopor nossofornecedor,rejeiçãodo lote de compra ou aumento na demanda do
produto.
Sua finalidade
Administração Farmacêutica
ProfªRita de CássiaFerminoOlimpio
é nãoafetar o processoprodutivoe,principalmente,nãoacarretartranstornosaos clientes
por faltade material e,consequentemente,atrasara entregade nossoprodutoao mercado.
 Um fato importante aser explanadoé referenteaovalordoestoque de segurança,
vistoque o ideal é termosesse estoqueigual azero,porém, sabemosque dentrode
uma organização,osmateriaissãoutilizadosemumataxauniforme, e que,também, o
tempode reposiçãoparaqualquerprodutonãoé fixoe garantidopornossos
fornecedoresemrazão dasvariáveisde mercado.
 Sob essesaspectos,ficamuitodifícilestabelecercomozerooestoque de segurança,
porémnão impossível.
 Então, como estamos envolvidoscom a realidade daeconomia e as variáveis
ambientais,necessitamosestabelecerumestoque de segurançaque garantaa
continuidade do processo produtivo em razão dos fatos anteriormente
enumerados.
 A situaçãomaiscômodaé adotar um estoque de segurançaque supratoda e
qualquervariaçãodosistema;porém, issoimplicarácustoselevadíssimose que talvez
a empresapoderánãosuportar.
 Então, a soluçãoé determinarumestoque de segurançaque possa otimizaros
recursosdisponíveise minimizaroscustosenvolvidos.Assim, teremosumestoque de
segurançaque irá atendera fatosprevisíveisdentrodoseuplanoglobal de
comercialização/produçãoe suapolíticade grau de atendimento.
 Para definirmoso nível de estoque de segurança,existemalgunsmodelos
matemáticosparaessafinalidade:
 1– Métododo grau de risco (MGR)
 Este é o modelo mais simples e fácil de utilizar, e não requer nenhum
conhecimento profundo da matemática. Tal modelo usa um fator de risco
dado emporcentagem, que é definido pelo administrador em função de
sua sensibilidade de mercadoe informaçõesque colhe juntoavendase a
suprimentos.
 ES = Estoque de segurança;
 C = Consumomédionoperíodo;
 K = Coeficientede graude atendimento
INÍCIO ARMAZENAMENTOOU ESTOQUE
1. Algunscuidados devemser tomados durante o projetodo layout de um estoque ou
almoxarifado,de forma que se possam obter as seguintescondições:
a) Máxima utilizaçãodo espaço;
b) Efetivautilização dos recursosdisponíveis (mãode obra e equipamentos);
c) Pronto acesso a todos os itens;
Administração Farmacêutica
ProfªRita de CássiaFerminoOlimpio
d) Máxima proteção aos itensestocados;
e) Boa organização;
f) Satisfação das necessidadesdosclientes.
2 .No projetode um almoxarifado/Estoque devemserverificadosos seguintesaspectos:
a) Itens a seremestocados (itensde grande circulação, grande pesoe volume);
b) Corredores(facilidadesde acesso);
c) Portas de acesso (altura, largura);
d) Prateleirase estruturas (altura x peso);
e) Piso (resistência).
Modelode Melhoraproveitamentodoespaçodisponívelparaarmazenamento,utilizando-se
totalmente doespaçovertical disponível,pormeiodoempilhamentomáximo;
2. Economianos custosde manuseiode materiais, pormeiodareduçãodocusto da mão-de-
obra e dotemponecessárioparaas operaçõesbraçais;
3. Possibilidade de utilizaçãode embalagensplásticasouamarração por meiode fitasde aço
da carga unitária,formandoumasóembalagemindividual;
4. Compatibilidade comtodososmeiosde transporte (marítimo,terrestre,aéreo);
5. Facilitaa carga, descarga e distribuiçãonoslocaisacessíveisaosequipamentosde manuseio
de materiais;
6. Permite adisposiçãouniforme de materiais,oque concorre para a desobstruçãodos
corredoresdoarmazéme dospátiosde descarga;
7. Os paletes podem ser manuseados por uma grande variedade de equipamentos,
como empilhadeiras, transportadores, elevadores de carga e até sistemas
automáticos de armazenagem.
INSTALAÇÃO
• LOCALIZAÇÃO
• IDENTIFICAÇÃOEXTERNA EINTERNA
• DIMENSIONAMENTO
• ACESSO
• COMUNICAÇÃO
• CONDIÇÕESAMBIENTAISEXTERNAS
• HIGIENIZAÇÃOESEGURANÇA
• PISO>PLANOE LISO
• PAREDES> COR DE TINTA CLARA,LAVAVEME SEMINFILTRAÇÃO
• TETO> EVITARTELHAS DE AMIENTO
Administração Farmacêutica
ProfªRita de CássiaFerminoOlimpio
• INSTALAÇÃOETÉTRICA>EVITARADAPADORESEEXTESÃO
• INSTALAÇÃOSANITÁRIA >SEMCONTATODIRETO
ELABORAÇÃO DE NORMAS E PROCEDIMENTOS
>>> PROCEDIMENTO OPERACIONALPADRÃO
PLACAS DE SEGURÇA
• EMPILHAMENTO
• NÃOFUMAR
• SINALIZADORADEQUADA
• EXTINTORDE INCÊNDIO
Recebimento:
Ato de conferênciaemque se verificase os medicamentosentreguesestãoem
conformidade com a especificação,quantidade e qualidade estabelecidaspreviamente na
embalagem.
É uma das etapas mais importantesdo armazenamentona gerência de estoques
1. Documentação fiscal Quantidade Prazos de entregaPreços (unitárioe total)
2. Especificaçõesdosprodutos
3. Registro sanitário do produto
4. Certificadode análise ou laudode controle de qualidade
5. Nome do responsável técniconas embalagens
6. Embalagem Lote/validade Transporte
7. Os medicamentossó devemserrecebidoscom documentação
8. Não escrevernem rasurar os documentos – documentoanexo - formulário
padronizado
9. Com exceçãode nota fiscal com problemas(vai para o Contador)
10. Toda documentaçãodeve ser arquivada
11. Conferirtodos os lotes(validade)
12. Cuidadoao atestar nota fiscal e documentos
13. Qualquerdeterminação de recebimentosuperiordeve vir com autorização por
escrito
14. Todas as ocorrências devemsernotificadas,datadas e assinadas
15. Todos os procedimentosdevemserregistrados por escrito
16. Devoluçãode medicamentos
Administração Farmacêutica
ProfªRita de CássiaFerminoOlimpio
ARMAZENAMENTO/ESTOCAGEM OUAUMOXARIFADO
Critériosde ArmazenagemDependendodascaracterísticas do material, a armazenagem
pode dar-se emfunção dos seguintesparâmetros:
a) Fragilidade;
b) Combustibilidade;
c) Volatilização;
d) Oxidação;
e) Explosividade;
b) Intoxicação;
c) Radiação;
d) Corrosão;
e) Inflamabilidade;
f) Volume;
g) Peso;h) Forma;
Os materiais sujeitosà armazenagemnão obedecemaregras taxativas que regulemo modo
como os materiais devemserdispostosno Almoxarifado.Por essarazão, devem-se analisar,
em Conjunto,os parâmetros citados Anteriormente,para depoisdecidir
pelotipo de arranjo físico maisconveniente,selecionandoaalternativaque melhoratenda
ao fluxo de materiais:
1. Armazenagempor tamanho: esse critériopermite bom aproveitamentodo espaço;
2. Armazenamentopor frequência:esse critérioimplicaarmazenar próximoda saída do
almoxarifado
Os materiais que tenham maior frequênciade movimento;
3. Armazenagemespecial,onde se destacam:
a) Os ambientesclimatizados;
b) Os produtos inflamáveis,que são armazenadossob rígidas normas de segurança;
c) Os produtos perecíveis

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Grupo Estoques[1]
Grupo Estoques[1]Grupo Estoques[1]
Grupo Estoques[1]fabrina29rs
 
ESTOQUES - GESTÃO DE ESTOQUE
ESTOQUES - GESTÃO DE ESTOQUEESTOQUES - GESTÃO DE ESTOQUE
ESTOQUES - GESTÃO DE ESTOQUEKamilla Lima
 
Sistema de estoque
Sistema de estoqueSistema de estoque
Sistema de estoqueElvis Bruno
 
Gestao estoques apresentação
Gestao estoques apresentaçãoGestao estoques apresentação
Gestao estoques apresentaçãoCharles Rebouças
 
REDUZA O DESPERDÍCIO DE MATERIAL - Aumente o controle de custos com a gestão...
REDUZA O DESPERDÍCIO DE MATERIAL -  Aumente o controle de custos com a gestão...REDUZA O DESPERDÍCIO DE MATERIAL -  Aumente o controle de custos com a gestão...
REDUZA O DESPERDÍCIO DE MATERIAL - Aumente o controle de custos com a gestão...Sienge
 
Inventário e acuracidade trabalho completo versão cleber
Inventário e acuracidade trabalho completo versão cleberInventário e acuracidade trabalho completo versão cleber
Inventário e acuracidade trabalho completo versão cleberCLEBER CÂNDIDO
 
Logística Aula 8
Logística Aula 8Logística Aula 8
Logística Aula 8robsonnasc
 
Apostila De Acuracidade De Estoques V6
Apostila De Acuracidade De Estoques   V6Apostila De Acuracidade De Estoques   V6
Apostila De Acuracidade De Estoques V6guest3d59
 
Aula de controle de estoques
Aula de controle de estoquesAula de controle de estoques
Aula de controle de estoquesMoises Ribeiro
 
064 pcp e os estoques
064 pcp e os estoques064 pcp e os estoques
064 pcp e os estoquesCarlos Nunes
 
Controle básico e administração de estoques
Controle básico e administração de estoquesControle básico e administração de estoques
Controle básico e administração de estoquesam3solucoes
 
O reflexo da política de estoque na necessidade de capital de giro
O reflexo da política de estoque na necessidade de capital de giroO reflexo da política de estoque na necessidade de capital de giro
O reflexo da política de estoque na necessidade de capital de giroRicardo Pinheiro
 
Logística Aula 4
Logística Aula 4Logística Aula 4
Logística Aula 4robsonnasc
 
Logística Aula 3
Logística Aula 3Logística Aula 3
Logística Aula 3robsonnasc
 

Mais procurados (20)

Grupo Estoques[1]
Grupo Estoques[1]Grupo Estoques[1]
Grupo Estoques[1]
 
02 aula cadeia de fornecimento
02 aula cadeia de fornecimento02 aula cadeia de fornecimento
02 aula cadeia de fornecimento
 
ESTOQUES - GESTÃO DE ESTOQUE
ESTOQUES - GESTÃO DE ESTOQUEESTOQUES - GESTÃO DE ESTOQUE
ESTOQUES - GESTÃO DE ESTOQUE
 
Sistema de estoque
Sistema de estoqueSistema de estoque
Sistema de estoque
 
Gestao estoques apresentação
Gestao estoques apresentaçãoGestao estoques apresentação
Gestao estoques apresentação
 
REDUZA O DESPERDÍCIO DE MATERIAL - Aumente o controle de custos com a gestão...
REDUZA O DESPERDÍCIO DE MATERIAL -  Aumente o controle de custos com a gestão...REDUZA O DESPERDÍCIO DE MATERIAL -  Aumente o controle de custos com a gestão...
REDUZA O DESPERDÍCIO DE MATERIAL - Aumente o controle de custos com a gestão...
 
Aula 5 fornecimento
Aula 5   fornecimentoAula 5   fornecimento
Aula 5 fornecimento
 
Inventário e acuracidade trabalho completo versão cleber
Inventário e acuracidade trabalho completo versão cleberInventário e acuracidade trabalho completo versão cleber
Inventário e acuracidade trabalho completo versão cleber
 
Logística Aula 8
Logística Aula 8Logística Aula 8
Logística Aula 8
 
Apostila De Acuracidade De Estoques V6
Apostila De Acuracidade De Estoques   V6Apostila De Acuracidade De Estoques   V6
Apostila De Acuracidade De Estoques V6
 
Aula de controle de estoques
Aula de controle de estoquesAula de controle de estoques
Aula de controle de estoques
 
064 pcp e os estoques
064 pcp e os estoques064 pcp e os estoques
064 pcp e os estoques
 
Planejamento de Estoque
Planejamento de EstoquePlanejamento de Estoque
Planejamento de Estoque
 
Adm estoque
Adm  estoqueAdm  estoque
Adm estoque
 
Controle básico e administração de estoques
Controle básico e administração de estoquesControle básico e administração de estoques
Controle básico e administração de estoques
 
Unidade 3 custo
Unidade 3 custoUnidade 3 custo
Unidade 3 custo
 
O reflexo da política de estoque na necessidade de capital de giro
O reflexo da política de estoque na necessidade de capital de giroO reflexo da política de estoque na necessidade de capital de giro
O reflexo da política de estoque na necessidade de capital de giro
 
2 slides - gestão de estoques
2   slides - gestão de estoques2   slides - gestão de estoques
2 slides - gestão de estoques
 
Logística Aula 4
Logística Aula 4Logística Aula 4
Logística Aula 4
 
Logística Aula 3
Logística Aula 3Logística Aula 3
Logística Aula 3
 

Semelhante a Logística farmacêutica e gestão de estoques

Gestão de Sup e Logística - Material Suplementar 2019.pptx
Gestão de Sup e Logística - Material Suplementar 2019.pptxGestão de Sup e Logística - Material Suplementar 2019.pptx
Gestão de Sup e Logística - Material Suplementar 2019.pptxandrikazi
 
102571136 planejamento-e-controle-de-processos-e-producao
102571136 planejamento-e-controle-de-processos-e-producao102571136 planejamento-e-controle-de-processos-e-producao
102571136 planejamento-e-controle-de-processos-e-producaoEnock Viana
 
Controlar estoques, uma necessidade
Controlar estoques, uma necessidadeControlar estoques, uma necessidade
Controlar estoques, uma necessidadePedro Palma
 
Unidade ii.3 estrategias e terceirização
Unidade ii.3 estrategias e terceirizaçãoUnidade ii.3 estrategias e terceirização
Unidade ii.3 estrategias e terceirizaçãoDaniel Moura
 
fluig Webinar #8 - Como aumentar a margem do seu Supermercado
fluig Webinar #8 - Como aumentar a margem do seu Supermercadofluig Webinar #8 - Como aumentar a margem do seu Supermercado
fluig Webinar #8 - Como aumentar a margem do seu SupermercadoFluig
 
Gestao stock4º trabalho
Gestao stock4º trabalhoGestao stock4º trabalho
Gestao stock4º trabalhojorgecs6
 
132724191 sebenta-operador-de-armazem-parte-1
132724191 sebenta-operador-de-armazem-parte-1132724191 sebenta-operador-de-armazem-parte-1
132724191 sebenta-operador-de-armazem-parte-1Maria Silva
 
Gerenciamento no planejamento logístico de estoques
Gerenciamento no planejamento logístico de estoquesGerenciamento no planejamento logístico de estoques
Gerenciamento no planejamento logístico de estoquesAgnaldo Cruz
 
Sistema de Planejamento e Controle da Produção - PCP
Sistema de Planejamento e Controle da Produção - PCPSistema de Planejamento e Controle da Produção - PCP
Sistema de Planejamento e Controle da Produção - PCPMauro Enrique
 
A logistica estoques net
A logistica   estoques netA logistica   estoques net
A logistica estoques netFernando santos
 
Projeto integrador iii 01-09-20
Projeto integrador iii   01-09-20Projeto integrador iii   01-09-20
Projeto integrador iii 01-09-20JANAINA ALVES
 
Logsticacarolinyalves -phpapp02
Logsticacarolinyalves -phpapp02Logsticacarolinyalves -phpapp02
Logsticacarolinyalves -phpapp02Karoliny Alvees
 
Webinar "Reduzindo Perdas No Canal Farma" - 18 set 2014
Webinar "Reduzindo Perdas No Canal Farma" - 18 set 2014Webinar "Reduzindo Perdas No Canal Farma" - 18 set 2014
Webinar "Reduzindo Perdas No Canal Farma" - 18 set 2014Gunnebo Brasil
 
Logística Aula 2
Logística Aula 2Logística Aula 2
Logística Aula 2robsonnasc
 
Apresentação programa de Prevenção de Perdas para supermercados
Apresentação programa de Prevenção de Perdas para supermercados Apresentação programa de Prevenção de Perdas para supermercados
Apresentação programa de Prevenção de Perdas para supermercados José Eduardo Marra
 
Artigo gestao_de_estoques
Artigo gestao_de_estoquesArtigo gestao_de_estoques
Artigo gestao_de_estoquesAntonio Branco
 
AudiXpress - Oferta Murah Technologies
AudiXpress - Oferta Murah TechnologiesAudiXpress - Oferta Murah Technologies
AudiXpress - Oferta Murah TechnologiesMurah Technologies
 

Semelhante a Logística farmacêutica e gestão de estoques (20)

Gestão de Sup e Logística - Material Suplementar 2019.pptx
Gestão de Sup e Logística - Material Suplementar 2019.pptxGestão de Sup e Logística - Material Suplementar 2019.pptx
Gestão de Sup e Logística - Material Suplementar 2019.pptx
 
102571136 planejamento-e-controle-de-processos-e-producao
102571136 planejamento-e-controle-de-processos-e-producao102571136 planejamento-e-controle-de-processos-e-producao
102571136 planejamento-e-controle-de-processos-e-producao
 
Aula 2 cã³pia
Aula 2   cã³piaAula 2   cã³pia
Aula 2 cã³pia
 
Controlar estoques, uma necessidade
Controlar estoques, uma necessidadeControlar estoques, uma necessidade
Controlar estoques, uma necessidade
 
Unidade ii.3 estrategias e terceirização
Unidade ii.3 estrategias e terceirizaçãoUnidade ii.3 estrategias e terceirização
Unidade ii.3 estrategias e terceirização
 
fluig Webinar #8 - Como aumentar a margem do seu Supermercado
fluig Webinar #8 - Como aumentar a margem do seu Supermercadofluig Webinar #8 - Como aumentar a margem do seu Supermercado
fluig Webinar #8 - Como aumentar a margem do seu Supermercado
 
Gestao stock4º trabalho
Gestao stock4º trabalhoGestao stock4º trabalho
Gestao stock4º trabalho
 
132724191 sebenta-operador-de-armazem-parte-1
132724191 sebenta-operador-de-armazem-parte-1132724191 sebenta-operador-de-armazem-parte-1
132724191 sebenta-operador-de-armazem-parte-1
 
Gerenciamento no planejamento logístico de estoques
Gerenciamento no planejamento logístico de estoquesGerenciamento no planejamento logístico de estoques
Gerenciamento no planejamento logístico de estoques
 
Sistema de Planejamento e Controle da Produção - PCP
Sistema de Planejamento e Controle da Produção - PCPSistema de Planejamento e Controle da Produção - PCP
Sistema de Planejamento e Controle da Produção - PCP
 
A logistica estoques net
A logistica   estoques netA logistica   estoques net
A logistica estoques net
 
REFRISAT NEWS 212
REFRISAT NEWS 212REFRISAT NEWS 212
REFRISAT NEWS 212
 
Projeto integrador iii 01-09-20
Projeto integrador iii   01-09-20Projeto integrador iii   01-09-20
Projeto integrador iii 01-09-20
 
Logsticacarolinyalves -phpapp02
Logsticacarolinyalves -phpapp02Logsticacarolinyalves -phpapp02
Logsticacarolinyalves -phpapp02
 
Webinar "Reduzindo Perdas No Canal Farma" - 18 set 2014
Webinar "Reduzindo Perdas No Canal Farma" - 18 set 2014Webinar "Reduzindo Perdas No Canal Farma" - 18 set 2014
Webinar "Reduzindo Perdas No Canal Farma" - 18 set 2014
 
Logística Aula 2
Logística Aula 2Logística Aula 2
Logística Aula 2
 
Apresentação programa de Prevenção de Perdas para supermercados
Apresentação programa de Prevenção de Perdas para supermercados Apresentação programa de Prevenção de Perdas para supermercados
Apresentação programa de Prevenção de Perdas para supermercados
 
Artigo gestao_de_estoques
Artigo gestao_de_estoquesArtigo gestao_de_estoques
Artigo gestao_de_estoques
 
AdministraçãO De Recursos Materiais 1
AdministraçãO De Recursos Materiais   1AdministraçãO De Recursos Materiais   1
AdministraçãO De Recursos Materiais 1
 
AudiXpress - Oferta Murah Technologies
AudiXpress - Oferta Murah TechnologiesAudiXpress - Oferta Murah Technologies
AudiXpress - Oferta Murah Technologies
 

Mais de ANTONIO INACIO FERRAZ

ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ
 
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZ
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZAULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZ
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZANTONIO INACIO FERRAZ
 
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZ
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZAULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZ
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ
 
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZ
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZAULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZ
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA-AGROTÓXICO.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA-AGROTÓXICO.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA-AGROTÓXICO.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA-AGROTÓXICO.ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ
 

Mais de ANTONIO INACIO FERRAZ (20)

ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZ
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZAULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZ
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZ
 
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZ
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZAULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZ
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZ
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZAULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZ
AULA 3-ANATOMIA SISTEMA TEGUMENTAR-ANTONIO INACIO FERRAZ
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA-AGROTÓXICO.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA-AGROTÓXICO.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA-AGROTÓXICO.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA-AGROTÓXICO.
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 

Último

Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfSistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfGustavoWallaceAlvesd
 
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptx
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptxENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptx
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptxcontatofelipearaujos
 
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástrico
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástricoAnatomopatologico HU UFGD sobre CA gástrico
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástricoMarianaAnglicaMirand
 
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASER
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASERTERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASER
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASERCarlaDaniela33
 
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdf
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdfManual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdf
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdfClivyFache
 
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOeMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOMayaraDayube
 
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjdMedicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjdClivyFache
 
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASAULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASArtthurPereira2
 
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.pptPSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.pptAlberto205764
 
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery  after surgery in neurosurgeryEnhanced recovery  after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery after surgery in neurosurgeryCarlos D A Bersot
 
Aula Saúde da Criança e do Adolescente.pptx
Aula Saúde da Criança e do Adolescente.pptxAula Saúde da Criança e do Adolescente.pptx
Aula Saúde da Criança e do Adolescente.pptxIgrejaBblica1
 
Primeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e AnatomiaPrimeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e AnatomiaCristianodaRosa5
 

Último (13)

Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfSistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
 
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptx
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptxENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptx
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptx
 
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástrico
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástricoAnatomopatologico HU UFGD sobre CA gástrico
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástrico
 
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASER
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASERTERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASER
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASER
 
Aplicativo aleitamento: apoio na palma das mãos
Aplicativo aleitamento: apoio na palma das mãosAplicativo aleitamento: apoio na palma das mãos
Aplicativo aleitamento: apoio na palma das mãos
 
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdf
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdfManual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdf
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdf
 
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOeMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
 
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjdMedicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
 
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASAULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
 
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.pptPSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
 
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery  after surgery in neurosurgeryEnhanced recovery  after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
 
Aula Saúde da Criança e do Adolescente.pptx
Aula Saúde da Criança e do Adolescente.pptxAula Saúde da Criança e do Adolescente.pptx
Aula Saúde da Criança e do Adolescente.pptx
 
Primeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e AnatomiaPrimeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
 

Logística farmacêutica e gestão de estoques

  • 1. Administração Farmacêutica ProfªRita de CássiaFerminoOlimpio GESTÃO DE CONTROLE DE LOGISTICA FARMACÊUTICA, ANTONIO INACIO FERRAZ, ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP. Conceito Logística O processo de planejamento,implantação e controle do fluxoeficiente e eficazde mercadorias, serviçose informações relativasdesde o ponto de origematé o consumidor final,com o propósitode atenderas exigênciasdosclientes. Através destas definiçõese enfoques,podemosentenderporque hoje aLogística é tratada como um assunto estratégicopara as empresas,que procuram diminuiro tempoentre compra de insumos,produção de bense/ou serviçose sua entrega no destinofinal,de acordo com o desejodo cliente,levando-se emcontamenorcusto e maior qualidade. A importância da Logística independe dotamanho da organização, seja uma micro, médiaou grande empresa. Objetivo : Fazer com que as “coisas” (materiaise informações) se movimentemo mais rápido possível, conseguindoassimotimizar os investimentosemativos(estoques); ESTOQUE DE SEGURANÇA Também conhecido por estoque mínimo ou estoque reserva, é uma quantidade mínima de peças que tem que existirnoestoque com a função de cobrir as possíveis variações do sistema, que podem ser: eventuais atrasos no tempo de fornecimentopor nossofornecedor,rejeiçãodo lote de compra ou aumento na demanda do produto. Sua finalidade
  • 2. Administração Farmacêutica ProfªRita de CássiaFerminoOlimpio é nãoafetar o processoprodutivoe,principalmente,nãoacarretartranstornosaos clientes por faltade material e,consequentemente,atrasara entregade nossoprodutoao mercado.  Um fato importante aser explanadoé referenteaovalordoestoque de segurança, vistoque o ideal é termosesse estoqueigual azero,porém, sabemosque dentrode uma organização,osmateriaissãoutilizadosemumataxauniforme, e que,também, o tempode reposiçãoparaqualquerprodutonãoé fixoe garantidopornossos fornecedoresemrazão dasvariáveisde mercado.  Sob essesaspectos,ficamuitodifícilestabelecercomozerooestoque de segurança, porémnão impossível.  Então, como estamos envolvidoscom a realidade daeconomia e as variáveis ambientais,necessitamosestabelecerumestoque de segurançaque garantaa continuidade do processo produtivo em razão dos fatos anteriormente enumerados.  A situaçãomaiscômodaé adotar um estoque de segurançaque supratoda e qualquervariaçãodosistema;porém, issoimplicarácustoselevadíssimose que talvez a empresapoderánãosuportar.  Então, a soluçãoé determinarumestoque de segurançaque possa otimizaros recursosdisponíveise minimizaroscustosenvolvidos.Assim, teremosumestoque de segurançaque irá atendera fatosprevisíveisdentrodoseuplanoglobal de comercialização/produçãoe suapolíticade grau de atendimento.  Para definirmoso nível de estoque de segurança,existemalgunsmodelos matemáticosparaessafinalidade:  1– Métododo grau de risco (MGR)  Este é o modelo mais simples e fácil de utilizar, e não requer nenhum conhecimento profundo da matemática. Tal modelo usa um fator de risco dado emporcentagem, que é definido pelo administrador em função de sua sensibilidade de mercadoe informaçõesque colhe juntoavendase a suprimentos.  ES = Estoque de segurança;  C = Consumomédionoperíodo;  K = Coeficientede graude atendimento INÍCIO ARMAZENAMENTOOU ESTOQUE 1. Algunscuidados devemser tomados durante o projetodo layout de um estoque ou almoxarifado,de forma que se possam obter as seguintescondições: a) Máxima utilizaçãodo espaço; b) Efetivautilização dos recursosdisponíveis (mãode obra e equipamentos); c) Pronto acesso a todos os itens;
  • 3. Administração Farmacêutica ProfªRita de CássiaFerminoOlimpio d) Máxima proteção aos itensestocados; e) Boa organização; f) Satisfação das necessidadesdosclientes. 2 .No projetode um almoxarifado/Estoque devemserverificadosos seguintesaspectos: a) Itens a seremestocados (itensde grande circulação, grande pesoe volume); b) Corredores(facilidadesde acesso); c) Portas de acesso (altura, largura); d) Prateleirase estruturas (altura x peso); e) Piso (resistência). Modelode Melhoraproveitamentodoespaçodisponívelparaarmazenamento,utilizando-se totalmente doespaçovertical disponível,pormeiodoempilhamentomáximo; 2. Economianos custosde manuseiode materiais, pormeiodareduçãodocusto da mão-de- obra e dotemponecessárioparaas operaçõesbraçais; 3. Possibilidade de utilizaçãode embalagensplásticasouamarração por meiode fitasde aço da carga unitária,formandoumasóembalagemindividual; 4. Compatibilidade comtodososmeiosde transporte (marítimo,terrestre,aéreo); 5. Facilitaa carga, descarga e distribuiçãonoslocaisacessíveisaosequipamentosde manuseio de materiais; 6. Permite adisposiçãouniforme de materiais,oque concorre para a desobstruçãodos corredoresdoarmazéme dospátiosde descarga; 7. Os paletes podem ser manuseados por uma grande variedade de equipamentos, como empilhadeiras, transportadores, elevadores de carga e até sistemas automáticos de armazenagem. INSTALAÇÃO • LOCALIZAÇÃO • IDENTIFICAÇÃOEXTERNA EINTERNA • DIMENSIONAMENTO • ACESSO • COMUNICAÇÃO • CONDIÇÕESAMBIENTAISEXTERNAS • HIGIENIZAÇÃOESEGURANÇA • PISO>PLANOE LISO • PAREDES> COR DE TINTA CLARA,LAVAVEME SEMINFILTRAÇÃO • TETO> EVITARTELHAS DE AMIENTO
  • 4. Administração Farmacêutica ProfªRita de CássiaFerminoOlimpio • INSTALAÇÃOETÉTRICA>EVITARADAPADORESEEXTESÃO • INSTALAÇÃOSANITÁRIA >SEMCONTATODIRETO ELABORAÇÃO DE NORMAS E PROCEDIMENTOS >>> PROCEDIMENTO OPERACIONALPADRÃO PLACAS DE SEGURÇA • EMPILHAMENTO • NÃOFUMAR • SINALIZADORADEQUADA • EXTINTORDE INCÊNDIO Recebimento: Ato de conferênciaemque se verificase os medicamentosentreguesestãoem conformidade com a especificação,quantidade e qualidade estabelecidaspreviamente na embalagem. É uma das etapas mais importantesdo armazenamentona gerência de estoques 1. Documentação fiscal Quantidade Prazos de entregaPreços (unitárioe total) 2. Especificaçõesdosprodutos 3. Registro sanitário do produto 4. Certificadode análise ou laudode controle de qualidade 5. Nome do responsável técniconas embalagens 6. Embalagem Lote/validade Transporte 7. Os medicamentossó devemserrecebidoscom documentação 8. Não escrevernem rasurar os documentos – documentoanexo - formulário padronizado 9. Com exceçãode nota fiscal com problemas(vai para o Contador) 10. Toda documentaçãodeve ser arquivada 11. Conferirtodos os lotes(validade) 12. Cuidadoao atestar nota fiscal e documentos 13. Qualquerdeterminação de recebimentosuperiordeve vir com autorização por escrito 14. Todas as ocorrências devemsernotificadas,datadas e assinadas 15. Todos os procedimentosdevemserregistrados por escrito 16. Devoluçãode medicamentos
  • 5. Administração Farmacêutica ProfªRita de CássiaFerminoOlimpio ARMAZENAMENTO/ESTOCAGEM OUAUMOXARIFADO Critériosde ArmazenagemDependendodascaracterísticas do material, a armazenagem pode dar-se emfunção dos seguintesparâmetros: a) Fragilidade; b) Combustibilidade; c) Volatilização; d) Oxidação; e) Explosividade; b) Intoxicação; c) Radiação; d) Corrosão; e) Inflamabilidade; f) Volume; g) Peso;h) Forma; Os materiais sujeitosà armazenagemnão obedecemaregras taxativas que regulemo modo como os materiais devemserdispostosno Almoxarifado.Por essarazão, devem-se analisar, em Conjunto,os parâmetros citados Anteriormente,para depoisdecidir pelotipo de arranjo físico maisconveniente,selecionandoaalternativaque melhoratenda ao fluxo de materiais: 1. Armazenagempor tamanho: esse critériopermite bom aproveitamentodo espaço; 2. Armazenamentopor frequência:esse critérioimplicaarmazenar próximoda saída do almoxarifado Os materiais que tenham maior frequênciade movimento; 3. Armazenagemespecial,onde se destacam: a) Os ambientesclimatizados; b) Os produtos inflamáveis,que são armazenadossob rígidas normas de segurança; c) Os produtos perecíveis