O imperialismo definições

485 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
485
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O imperialismo definições

  1. 1. O Imperialismo:
  2. 2. • O imperialismo ou neocolonialismo do século XIX foi o domínio, a conquista e a exploração política e econômica das nações industrializadas europeias (Inglaterra, França, Alemanha, Bélgica e Holanda) sobre os continentes africano e asiático.
  3. 3. • O desenvolvimento do capitalismo industrial na Europa criou a necessidade de buscar novos mercados de investimentos para o capital excedente gerado na Europa, garantindo mercado consumidor para a imensa produção industrial e o fornecimento de matéria-prima.
  4. 4. • Havia outros fatores que tornavam a política colonialista atraente para os governos europeus: a possibilidade de transferir colonos para as regiões conquistadas, resolvendo o problema de superpopulação na Europa. Além disso, a mão- de-obra barata das colônias interessava aos investidores, pois a classe trabalhadora européia, organizada em poderosos sindicatos e partidos políticos, tinha conseguido garantir bons salários e melhores condições de trabalho.
  5. 5. • A “partilha” da África e da Ásia aconteceu no século XIX (pelos europeus), mas continuou durante o século XX. Durante o século XX os Estados Unidos e o Japão aumentaram sua capacidade industrial e exerceram sua influência imperialista na América (EUA) e na Ásia (Japão).
  6. 6. • A corrida imperialista na África e na Ásia aconteceu por vários fatores: • 1º - A busca por mercados consumidores (para os produtos industrializados) • 2º - A exploração de matéria-prima (para produção de mercadorias nas indústrias). A industrialização européia aumentou principalmente após as inovações técnicas da 2ª fase da Revolução Industrial, por isso a necessidade de maior quantidade de matéria- prima.
  7. 7. • O domínio da África e da Ásia, exercido pelos países industrializados, teve duas principais formas: • 1ª - A dominação política e econômica direta (os próprios europeus governavam); • 2ª - A dominação política e econômica indireta (as elites nativas governavam).
  8. 8. • Mas como as potências imperialistas legitimaram o domínio, a conquista, a submissão e a exploração de dois continentes inteiros?
  9. 9. Europa:
  10. 10. Ásia:
  11. 11. África:
  12. 12. • A principal hipótese para a legitimação do domínio imperialista europeu sobre a África e a Ásia foi a utilização ideológica de teorias raciais europeias provenientes do século XIX. As que mais se destacaram foram o evolucionismo social e o darwinismo social. • Um dos discursos ideológicos que “legitimariam” o processo de domínio e exploração dos europeus sobre asiáticos e africanos seria o evolucionismo social. Tal teoria classificava as sociedades em três etapas evolutivas:
  13. 13. • Tal teoria classificava as sociedades em três etapas evolutivas: • 1ª - bárbara; • 2ª - primitiva; • 3ª - civilizada. • Os europeus se consideravam integrantes da 3ª etapa (civilizada) e classificavam os asiáticos como primitivos e os africanos como bárbaros.
  14. 14. • Portanto, restaria ao colonizador europeu a “missão civilizatória”, através da qual asiáticos e africanos tinham de ser dominados. Sendo assim, estariam aprendendo a cultura européia, podendo subir nas etapas de evolução da sociedade e alcançar o estágio de civilizados.
  15. 15. • O domínio colonial, a conquista e a submissão de continentes inteiros foram legal e moralmente aceitos. Desse modo, os europeus tinham o “dever” de fazer tais sociedades evoluírem.
  16. 16. • O darwinismo social se caracterizou como outra teoria que legitimou o discurso ideológico europeu para dominar outros continentes. O darwinismo social defendia a ideia de que a teoria da evolução das espécies (Darwin) poderia ser aplicada à sociedade. Tal teoria difundia o propósito de que na luta pela vida somente as nações e as raças mais fortes e capazes sobreviveriam.
  17. 17. Rudyard Kipling:
  18. 18. • A partir de então, os europeus espalharam a ideia de que o imperialismo, ou neocolonialismo, seria uma “missão civilizatória” de uma raça superior branca europeia que levaria a civilização (tecnologia, formas de governo, religião cristã, ciência) para outros lugares.
  19. 19. Colono inglês na Índia:
  20. 20. • Segundo o discurso ideológico dessas teorias raciais, o europeu era o modelo ideal de sociedade, no qual as outras sociedades deveriam se espelhar. Para a África e a Ásia conseguirem evoluir suas sociedades para a etapa civilizatória, seria imprescindível ter o contato com a civilização europeia.
  21. 21. • “O que me preocupa não é o grito dos maus. Mas, o silêncio dos bons.” Martin Luther King

×