SlideShare uma empresa Scribd logo
A Era Napoleônica:
1799 - 1815
Napoleão Bonaparte:
• Desde 1794, após a derrubada de
Robespierre, a burguesia havia retomado o
controle da revolução, no entanto o novo
governo - o Diretório - enfrentava sucessivas
revoltas internas, organizadas por grupos
populares de tendência jacobina, assim como
a ameaça externa, representada
principalmente pela Áustria.
A era napoleônica   2017
• Essa situação não representava apenas uma
ameaça ao poder da burguesia, mas
principalmente às suas conquistas sociais e
econômicas.
• Os movimentos populares representavam uma
ameaça direta aos privilégios burgueses,
enquanto que a Áustria pretendia recolocar no
poder um rei com poderes absolutos na França.
A era napoleônica   2017
A era napoleônica   2017
• Napoleão Bonaparte, líder do golpe, nasceu
na Córsega, em 1769 e ficou conhecido pela
sua invejável habilidade militar e sua
capacidade de vencer batalhas que pareciam
estar praticamente perdidas. Em pouco
tempo, a população francesa reconheceu em
sua imagem a figura de um herói defensor do
ideal revolucionário.
Córsega:
A era napoleônica   2017
• Castigada pelas crises internas, a burguesia viu
em Napoleão a oportunidade perfeita para
que os problemas políticos acabassem
houvesse desenvolvimento econômico. Por
isso, em 1799, Bonaparte teve o apoio político
necessário para derrubar o Diretório e
organizar o Consulado.
Napoleão no Egito:
A era napoleônica   2017
O Consulado - 1799 a 1804 :
• O governo do consulado foi instalado depois
da queda do Diretório. O consulado possuía
caráter republicano e militar. No poder
Executivo, três pessoas eram responsáveis:
dois cônsules e o próprio Napoleão
(Napoleão, Roger Ducos e Sieyés).
A era napoleônica   2017
• Apesar da presença de outros dois cônsules,
quem mais dispunha de influência e poder era
o próprio Napoleão, que foi eleito primeiro-
cônsul da República.
• No consulado, a burguesia detinha o poder e
assim, foi consolidada com o grupo central da
França. A forte censura à imprensa, a ação
violenta dos órgãos policiais e a repressão à
oposição ao governo colocaram em dúvida os
ideais de “liberdade, igualdade e
fraternidade” características da Revolução
Francesa.
A era napoleônica   2017
• Entre as realizações de Napoleão (na época),
podemos citar:
Economia – Criação do Banco da França, em
1800, controlando a emissão de moeda e a
inflação; criação de tarifas protecionistas,
fortalecendo a economia nacional.
• Logo em seguida, reatou as relações do
Estado com a Igreja, que passou a reconhecer
a perda de suas propriedades e todas as
demais satisfações que os clérigos deviam ao
regime republicano.
• Religião – Elaboração da Concordata entre a
Igreja Católica e o Estado, o qual dava o
direito do governo francês de confiscar as
propriedades da Igreja, e em troca, o governo
teria de amparar o clero e não poderia
interferir nas questões religiosas.
A era napoleônica   2017
• Direito – Criação do Código Napoleônico em
1804, representando em grande parte os
interesses dos burgueses, como casamento
civil (separado do religioso), respeito à
propriedade privada, direito à liberdade
individual e igualdade de todos perante à lei,
etc.
• Educação – Reorganização e prioridades para
a educação e formação do cidadão francês.
• Os resultados obtidos neste período do
governo de Napoleão agradaram à elite
francesa. Com o apoio da burguesia, Napoleão
foi elevado ao nível de cônsul vitalício, em
1802.
O Império Napoleônico:
• Um plebiscito realizado em 1804, a nova fase
da era napoleônica foi aprovada com quase
60% dos votos, e a monarquia foi
restabelecido na França, Napoleão foi
indicado para ocupar o trono. Em 2 de
Dezembro foi oficializado Napoleão I, na
Catedral de Notre Dame.
Notre-Dame:
A era napoleônica   2017
A era napoleônica   2017
A era napoleônica   2017
Napoleão coroa sua esposa:
Josefine Bonaparte:
• Nesse período, podemos destacar o grande
número de batalhas de Napoleão para a
conquista de novos territórios para a França.
O exército francês se tornou o mais poderoso
de toda a Europa.
Arco do Triunfo:
Europa no Período Napoleônico:
• O principal e mais poderoso inimigo francês,
na época, era a Inglaterra. Os ingleses se
opunham a expansão francesa, e vendo a
força do exército francês, formaram alianças
com Áustria, Rússia e Prússia.
• O governo francês tinha o melhor exército da
Europa, mas a Inglaterra era a maior potência
naval da época.
• Em 1805 a França tentou invadir a Inglaterra,
mas foi derrotada na Batalha de Trafalgar. Por
causa desta derrota, Napoleão tentou
enfraquecer a Inglaterra de outras maneiras.
Batalha de Trafalgar:
Localização da Batalha de
Trafalgar:
A era napoleônica   2017
A era napoleônica   2017
A era napoleônica   2017
A era napoleônica   2017
A era napoleônica   2017
Almirante Lord Nelson:
Praça Trafalgar – Londres:
O Bloqueio Continental:
• O Bloqueio Continental foi um decreto de 21
de novembro de 1806, que impedia o acesso a
portos dos países dominados pelo Império
Francês a navios do Reino Unido da Grã
Bretanha (Inglaterra) e Irlanda. Com isso, o
principal objetivo era isolar economicamente
a Inglaterra, sufocando suas relações
comerciais.
• Em contraste aos ganhos militares, o governo francês
tinha enormes dificuldades para melhorar sua
economia. O principal e mais poderoso inimigo
francês, na época, era a Inglaterra; além disso o
domínio industrial britânico era o seu principal
obstáculo para o desenvolvimento da economia
francesa e os ingleses se opunham a expansão
militar francesa.
A era napoleônica   2017
• Todo o país que desobedecesse este tratado,
seria implacavelmente invadido pelas tropas
francesas. Em pouco tempo, não resistindo à
dependência com relação aos produtos
ingleses, várias nações desobedeceram ao
acordo e foram invadidas por Napoleão. Aliás,
a invasão das tropas napoleônicas em
Portugal foi o que levou à fuga da família real
para o Brasil.
A era napoleônica   2017
A era napoleônica   2017
A Fuga da Família Real Portuguesa:
Exército Napoleônico:
A era napoleônica   2017
Invasão francesa à Espanha:
A era napoleônica   2017
A era napoleônica   2017
• Em 1812, a Rússia descumpriu o Bloqueio
Continental e Napoleão preparou uma grande
investida militar que contava com seiscentos
mil soldados.
A era napoleônica   2017
Território percorrido pelos
franceses na Rússia:
• Os generais franceses acostumados com
grandes vitórias conduziam suas tropas pelo
imenso território russo, enquanto as tropas
czaristas recuavam colocando fogo nas
plantações e em tudo que servisse aos
invasores.
A era napoleônica   2017
A era napoleônica   2017
Palácio Imperial Russo – Krenlim:
A era napoleônica   2017
• Em Moscou as tropas russas começaram a
enfrentar as tropas francesas que estavam
mal-alimentadas e cansadas, por isso,
Napoleão não teve outra escolha a não ser em
ir embora.
• Surpreendido pela tática de terra arrasada e o
rigor do inverno siberiano, Napoleão perdeu
milhares de soldados. Calcula-se que dos 600
mil soldados franceses que foram para a
Rússia, só 40 mil voltaram à França. Existem
alguns historiadores que falam em 55 mil ou
37 mil sobreviventes. Mas, qualquer que
sejam a quantidade de mortos, foi uma perda
muito grande e enfraqueceu Napoleão.
A era napoleônica   2017
A era napoleônica   2017
A era napoleônica   2017
A era napoleônica   2017
A era napoleônica   2017
A era napoleônica   2017
• A desastrosa campanha militar na Rússia
encorajou outros países europeus a reagirem
contra a supremacia francesa. Em 6 de Abril
de 1814 um exército formado por ingleses,
austríacos, russos e prussianos tomaram Paris
e capturaram Napoleão enviando-o para a Ilha
de Elba. O trono francês foi entregue a Luís
XVIII, irmão de Luís XVI (que foi morto na
Revolução).
Luís XVIII:
Ilha de Elba:
A era napoleônica   2017
Casa de Napoleão na Ilha de Elba:
A era napoleônica   2017
• Assim que assumiu o trono, Luís XVIII tentou
restabelecer o absolutismo na França, o que
desagradou a população da França e encorajou
soldados leais a Napoleão a irem até a ilha de
Elba, libertá-lo e trazê-lo de volta à França,
onde foi recebido com festa pela população de
Paris, aos gritos de “Viva o Imperador” e “Viva
Napoleão”, em março de 1815.
A era napoleônica   2017
Governo dos cem dias:
• Napoleão reassumiu o governo da França e
Luís XVIII e sua família fugiram do país. Este
novo governo de Napoleão durou apenas Cem
dias, porque pouco tempo depois, a
Inglaterra, Prússia, Áustria e Rússia decidiram
recomeçar a guerra contra Napoleão.
• O imperador francês aproveitou o entusiasmo
na França para organizar um novo exército e,
em seguida, marchou com 125 mil homens e
25 mil cavalos para a Bélgica, para impedir a
união dos exércitos da Inglaterra e da Prússia.
• Napoleão vai para a Bélgica com seu exército
e vence os prussianos, comandados por
Blucher, em Ligny. Mas, em 18 de junho, em
Waterloo, o exército de Napoleão foi
definitivamente derrotado pelo Duque de
Wellington e pelo general Blucher, que
comandavam um exército coligado.
A era napoleônica   2017
Batalha de Waterloo:
A era napoleônica   2017
A era napoleônica   2017
A era napoleônica   2017
A era napoleônica   2017
• No dia 21 de junho, Napoleão renunciou pela
segunda vez e foi deportado para a ilha de
Santa Helena,que fica no meio do Oceano
Atlântico (entre Brasil e África). Ele
permaneceu em Santa Helena até a sua morte
em 5 de maio de 1821. Alguns historiadores.
Afiram que Napoleão morreu de câncer no
estômago ou de úlcera.
• Há quem diga que ele foi envenenado com
chumbo acidentalmente. Alguns afirmam que
o envenenamento foi proposital. Ele tinha 52
anos quando morreu.
• Depois que Napoleão foi deposto em 1815,
Luís XVIII voltou a reinar na França. Era o fim
da Era Napoleônica.
Ilha de Santa Helena:
A era napoleônica   2017
A era napoleônica   2017
A era napoleônica   2017
A era napoleônica   2017
Residência de Napoleão em Santa
Helena:
A era napoleônica   2017
A era napoleônica   2017
A era napoleônica   2017
A era napoleônica   2017
Túmulo de Napoleão:
Túmulo de Napoleão:
O Congresso de Viena e a "Santa"
Aliança
• Assim que o Império Napoleônico acabou
Áustria, Prússia, Rússia, Inglaterra, Suécia ,se
reuniram no Congresso de Viena para
reorganizar o mapa político da Europa.
A era napoleônica   2017
• Dois princípios básicos orientaram as
resoluções do Congresso de Viena :
• A restauração das dinastias destituídas pela
Revolução e consideradas "legítimas" ;
• A restauração do equilíbrio entre as grandes
potências, evitando a hegemonia de qualquer
uma delas ;
• Para garantir, em termos práticos, a aplicação
das medidas conservadoras do Congresso de
Viena, o Czar da Rússia propôs a criação da
Santa Aliança . Esta servia de ajuda mútua das
monarquias européias em nome "da religião,
da paz e da justiça" .
• Seu objetivo era estabelecer o direito de
intervenção em qualquer região européia em
que se iniciasse um movimento liberal ou uma
revolução burguesa . Porém após a
independência das Colônias Latino-
Americanas, a Santa Aliança se enfraquece e a
Inglaterra por motivos econômicos se retira
da Santa Aliança .
O Mapa da Europa depois do
Congresso de Viena:
A Santa Aliança:

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Período regencial (1831 1840)
Período regencial (1831  1840)Período regencial (1831  1840)
Período regencial (1831 1840)
Marilia Pimentel
 
História Geral: idade média
História Geral: idade médiaHistória Geral: idade média
História Geral: idade média
Rafael Lucas da Silva
 
Baixa Idade Media - Prof Iair
Baixa Idade Media - Prof IairBaixa Idade Media - Prof Iair
Baixa Idade Media - Prof Iair
Tricia Carnevale
 
Revolução de 30 e era vargas
Revolução de 30 e era vargasRevolução de 30 e era vargas
Revolução de 30 e era vargas
Fernando Sergio Leão Castilho
 
As revoluções inglesas
As revoluções inglesasAs revoluções inglesas
As revoluções inglesas
Janaina Flavia Santos Azevedo
 
O império napoleônico
O império napoleônicoO império napoleônico
O império napoleônico
Edenilson Morais
 
Revolução Inglesa
Revolução InglesaRevolução Inglesa
Revolução Inglesa
Marcos Mamute
 
Conjuração Mineira
Conjuração MineiraConjuração Mineira
Conjuração Mineira
Renan Rodrigues
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Debora Barros
 
Ditadura Militar
Ditadura MilitarDitadura Militar
Ditadura Militar
Paulo Alexandre
 
Revolucao francesa
Revolucao francesaRevolucao francesa
Revolucao francesa
luizmourao23
 
Movimento luddista e cartista
Movimento luddista e cartistaMovimento luddista e cartista
Movimento luddista e cartista
Marlon Barros Cardozo
 
História Geral: revolução inglesa
História Geral: revolução inglesaHistória Geral: revolução inglesa
História Geral: revolução inglesa
Rafael Lucas da Silva
 
Primeiro Reinado
Primeiro ReinadoPrimeiro Reinado
Primeiro Reinado
Claudenilson da Silva
 
Baixa idade média
Baixa idade médiaBaixa idade média
Baixa idade média
marcos ursi
 
Revolucao industrial
Revolucao industrialRevolucao industrial
Revolucao industrial
luizmourao23
 
Imperialismo e Primeira Guerra
Imperialismo e Primeira GuerraImperialismo e Primeira Guerra
Imperialismo e Primeira Guerra
Alan
 
Nova República
Nova RepúblicaNova República
Nova República
Portal do Vestibulando
 
Revolução Francesa - Daniel Silva
Revolução Francesa - Daniel SilvaRevolução Francesa - Daniel Silva
Revolução Francesa - Daniel Silva
Turma Olímpica
 
Governos poplistas no brasil
Governos poplistas no brasilGovernos poplistas no brasil
Governos poplistas no brasil
Rodrigo Luiz
 

Mais procurados (20)

Período regencial (1831 1840)
Período regencial (1831  1840)Período regencial (1831  1840)
Período regencial (1831 1840)
 
História Geral: idade média
História Geral: idade médiaHistória Geral: idade média
História Geral: idade média
 
Baixa Idade Media - Prof Iair
Baixa Idade Media - Prof IairBaixa Idade Media - Prof Iair
Baixa Idade Media - Prof Iair
 
Revolução de 30 e era vargas
Revolução de 30 e era vargasRevolução de 30 e era vargas
Revolução de 30 e era vargas
 
As revoluções inglesas
As revoluções inglesasAs revoluções inglesas
As revoluções inglesas
 
O império napoleônico
O império napoleônicoO império napoleônico
O império napoleônico
 
Revolução Inglesa
Revolução InglesaRevolução Inglesa
Revolução Inglesa
 
Conjuração Mineira
Conjuração MineiraConjuração Mineira
Conjuração Mineira
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Ditadura Militar
Ditadura MilitarDitadura Militar
Ditadura Militar
 
Revolucao francesa
Revolucao francesaRevolucao francesa
Revolucao francesa
 
Movimento luddista e cartista
Movimento luddista e cartistaMovimento luddista e cartista
Movimento luddista e cartista
 
História Geral: revolução inglesa
História Geral: revolução inglesaHistória Geral: revolução inglesa
História Geral: revolução inglesa
 
Primeiro Reinado
Primeiro ReinadoPrimeiro Reinado
Primeiro Reinado
 
Baixa idade média
Baixa idade médiaBaixa idade média
Baixa idade média
 
Revolucao industrial
Revolucao industrialRevolucao industrial
Revolucao industrial
 
Imperialismo e Primeira Guerra
Imperialismo e Primeira GuerraImperialismo e Primeira Guerra
Imperialismo e Primeira Guerra
 
Nova República
Nova RepúblicaNova República
Nova República
 
Revolução Francesa - Daniel Silva
Revolução Francesa - Daniel SilvaRevolução Francesa - Daniel Silva
Revolução Francesa - Daniel Silva
 
Governos poplistas no brasil
Governos poplistas no brasilGovernos poplistas no brasil
Governos poplistas no brasil
 

Semelhante a A era napoleônica 2017

A era napoleônica 2014
A era napoleônica   2014A era napoleônica   2014
A era napoleônica 2014
Nelia Salles Nantes
 
A era napoleônica 2012
A era napoleônica   2012A era napoleônica   2012
A era napoleônica 2012
historiando
 
A era napoleônica 2013
A era napoleônica   2013A era napoleônica   2013
A era napoleônica 2013
historiando
 
a era napolenica-.pptx
a era napolenica-.pptxa era napolenica-.pptx
a era napolenica-.pptx
ocg50
 
A era napoleônica
A era napoleônicaA era napoleônica
A era napoleônica
Fatima Freitas
 
Periodo napoleonico
Periodo napoleonicoPeriodo napoleonico
Periodo napoleonico
profabiorodrigues
 
Europa antes-e-depois-de-napoleão-bonaparte
Europa antes-e-depois-de-napoleão-bonaparteEuropa antes-e-depois-de-napoleão-bonaparte
Europa antes-e-depois-de-napoleão-bonaparte
alvaro0015
 
Era napoleonica
Era napoleonicaEra napoleonica
Era napoleonica
Isabel Aguiar
 
2º ano capítulo 2 a era napoleonica e seus desdobramentos
2º ano capítulo 2 a era napoleonica e seus desdobramentos2º ano capítulo 2 a era napoleonica e seus desdobramentos
2º ano capítulo 2 a era napoleonica e seus desdobramentos
Gustavo Cuin
 
2º ano capítulo 2 a era napoleonica e seus desdobramentos(1)
2º ano capítulo 2 a era napoleonica e seus desdobramentos(1)2º ano capítulo 2 a era napoleonica e seus desdobramentos(1)
2º ano capítulo 2 a era napoleonica e seus desdobramentos(1)
Gustavo Cuin
 
Cap. 2 Era Napoleonica E Seus Desdobramentos
Cap. 2 Era Napoleonica E Seus DesdobramentosCap. 2 Era Napoleonica E Seus Desdobramentos
Cap. 2 Era Napoleonica E Seus Desdobramentos
Laguat
 
A era napoleônica
A era napoleônicaA era napoleônica
A era napoleônica
Wellersonln
 
Era napoleônica
Era napoleônicaEra napoleônica
Era napoleônica
Adriana Gomes Messias
 
Era napoleonica 2013
Era napoleonica 2013Era napoleonica 2013
Era napoleonica 2013
Isabel Aguiar
 
Era napoleônica
Era napoleônica Era napoleônica
Era napoleônica
Carlos Zaranza
 
A era napoleônica
A era napoleônicaA era napoleônica
A era napoleônica
Carlos Zaranza
 
Idade contemporânea revolução francesa e napoleão
Idade contemporânea   revolução francesa e napoleão Idade contemporânea   revolução francesa e napoleão
Idade contemporânea revolução francesa e napoleão
Wendell Leonardo .
 
Era napoleônica primavera dos povos
Era napoleônica   primavera dos povosEra napoleônica   primavera dos povos
Era napoleônica primavera dos povos
Osmar Oliver
 
Revolução francesa e o governo napoleônico luis augusto e joao vitor fernande...
Revolução francesa e o governo napoleônico luis augusto e joao vitor fernande...Revolução francesa e o governo napoleônico luis augusto e joao vitor fernande...
Revolução francesa e o governo napoleônico luis augusto e joao vitor fernande...
alunoitv
 
Revolução francesa 8° b
Revolução francesa 8° bRevolução francesa 8° b
Revolução francesa 8° b
alunoitv
 

Semelhante a A era napoleônica 2017 (20)

A era napoleônica 2014
A era napoleônica   2014A era napoleônica   2014
A era napoleônica 2014
 
A era napoleônica 2012
A era napoleônica   2012A era napoleônica   2012
A era napoleônica 2012
 
A era napoleônica 2013
A era napoleônica   2013A era napoleônica   2013
A era napoleônica 2013
 
a era napolenica-.pptx
a era napolenica-.pptxa era napolenica-.pptx
a era napolenica-.pptx
 
A era napoleônica
A era napoleônicaA era napoleônica
A era napoleônica
 
Periodo napoleonico
Periodo napoleonicoPeriodo napoleonico
Periodo napoleonico
 
Europa antes-e-depois-de-napoleão-bonaparte
Europa antes-e-depois-de-napoleão-bonaparteEuropa antes-e-depois-de-napoleão-bonaparte
Europa antes-e-depois-de-napoleão-bonaparte
 
Era napoleonica
Era napoleonicaEra napoleonica
Era napoleonica
 
2º ano capítulo 2 a era napoleonica e seus desdobramentos
2º ano capítulo 2 a era napoleonica e seus desdobramentos2º ano capítulo 2 a era napoleonica e seus desdobramentos
2º ano capítulo 2 a era napoleonica e seus desdobramentos
 
2º ano capítulo 2 a era napoleonica e seus desdobramentos(1)
2º ano capítulo 2 a era napoleonica e seus desdobramentos(1)2º ano capítulo 2 a era napoleonica e seus desdobramentos(1)
2º ano capítulo 2 a era napoleonica e seus desdobramentos(1)
 
Cap. 2 Era Napoleonica E Seus Desdobramentos
Cap. 2 Era Napoleonica E Seus DesdobramentosCap. 2 Era Napoleonica E Seus Desdobramentos
Cap. 2 Era Napoleonica E Seus Desdobramentos
 
A era napoleônica
A era napoleônicaA era napoleônica
A era napoleônica
 
Era napoleônica
Era napoleônicaEra napoleônica
Era napoleônica
 
Era napoleonica 2013
Era napoleonica 2013Era napoleonica 2013
Era napoleonica 2013
 
Era napoleônica
Era napoleônica Era napoleônica
Era napoleônica
 
A era napoleônica
A era napoleônicaA era napoleônica
A era napoleônica
 
Idade contemporânea revolução francesa e napoleão
Idade contemporânea   revolução francesa e napoleão Idade contemporânea   revolução francesa e napoleão
Idade contemporânea revolução francesa e napoleão
 
Era napoleônica primavera dos povos
Era napoleônica   primavera dos povosEra napoleônica   primavera dos povos
Era napoleônica primavera dos povos
 
Revolução francesa e o governo napoleônico luis augusto e joao vitor fernande...
Revolução francesa e o governo napoleônico luis augusto e joao vitor fernande...Revolução francesa e o governo napoleônico luis augusto e joao vitor fernande...
Revolução francesa e o governo napoleônico luis augusto e joao vitor fernande...
 
Revolução francesa 8° b
Revolução francesa 8° bRevolução francesa 8° b
Revolução francesa 8° b
 

Mais de Nelia Salles Nantes

A ditadura militar no brasil 2017
A ditadura militar no brasil   2017A ditadura militar no brasil   2017
A ditadura militar no brasil 2017
Nelia Salles Nantes
 
O período regencial 2017
O período regencial   2017O período regencial   2017
O período regencial 2017
Nelia Salles Nantes
 
Brasil 1945 1964 -
Brasil 1945   1964 -Brasil 1945   1964 -
Brasil 1945 1964 -
Nelia Salles Nantes
 
O 1º reinado
O 1º reinadoO 1º reinado
O 1º reinado
Nelia Salles Nantes
 
A independência do brasil
A independência do brasilA independência do brasil
A independência do brasil
Nelia Salles Nantes
 
A vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasilA vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasil
Nelia Salles Nantes
 
2 guerra japão e estados unidos - 2017
2 guerra   japão e estados unidos - 20172 guerra   japão e estados unidos - 2017
2 guerra japão e estados unidos - 2017
Nelia Salles Nantes
 
2ª guerra em imagens do dia d ao fim da guerra na europa -2017
2ª guerra em imagens   do dia d ao fim da guerra na europa -20172ª guerra em imagens   do dia d ao fim da guerra na europa -2017
2ª guerra em imagens do dia d ao fim da guerra na europa -2017
Nelia Salles Nantes
 
2ª guerra 1942 a 1945 imagens
2ª guerra 1942 a 1945   imagens2ª guerra 1942 a 1945   imagens
2ª guerra 1942 a 1945 imagens
Nelia Salles Nantes
 
2ª guerra áfrica italia e alemanha
2ª guerra    áfrica italia e alemanha2ª guerra    áfrica italia e alemanha
2ª guerra áfrica italia e alemanha
Nelia Salles Nantes
 
A vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasilA vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasil
Nelia Salles Nantes
 
A 2ª guerra mundial 2017
A 2ª guerra mundial   2017A 2ª guerra mundial   2017
A 2ª guerra mundial 2017
Nelia Salles Nantes
 
A era napoleônica 2017
A era napoleônica   2017A era napoleônica   2017
A era napoleônica 2017
Nelia Salles Nantes
 
A revolução francesa
A revolução francesaA revolução francesa
A revolução francesa
Nelia Salles Nantes
 
Os regimes totalitários na europa
Os regimes totalitários na europaOs regimes totalitários na europa
Os regimes totalitários na europa
Nelia Salles Nantes
 
A crise de 1929 e o new deal 2017
A crise de 1929 e o new deal   2017A crise de 1929 e o new deal   2017
A crise de 1929 e o new deal 2017
Nelia Salles Nantes
 
O despotismo esclarecido 2017
O despotismo esclarecido   2017O despotismo esclarecido   2017
O despotismo esclarecido 2017
Nelia Salles Nantes
 
O iluminismo 2017
O iluminismo   2017O iluminismo   2017
O iluminismo 2017
Nelia Salles Nantes
 
A república velha 2017
A república velha   2017A república velha   2017
A república velha 2017
Nelia Salles Nantes
 
Trabalho daniel
Trabalho danielTrabalho daniel
Trabalho daniel
Nelia Salles Nantes
 

Mais de Nelia Salles Nantes (20)

A ditadura militar no brasil 2017
A ditadura militar no brasil   2017A ditadura militar no brasil   2017
A ditadura militar no brasil 2017
 
O período regencial 2017
O período regencial   2017O período regencial   2017
O período regencial 2017
 
Brasil 1945 1964 -
Brasil 1945   1964 -Brasil 1945   1964 -
Brasil 1945 1964 -
 
O 1º reinado
O 1º reinadoO 1º reinado
O 1º reinado
 
A independência do brasil
A independência do brasilA independência do brasil
A independência do brasil
 
A vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasilA vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasil
 
2 guerra japão e estados unidos - 2017
2 guerra   japão e estados unidos - 20172 guerra   japão e estados unidos - 2017
2 guerra japão e estados unidos - 2017
 
2ª guerra em imagens do dia d ao fim da guerra na europa -2017
2ª guerra em imagens   do dia d ao fim da guerra na europa -20172ª guerra em imagens   do dia d ao fim da guerra na europa -2017
2ª guerra em imagens do dia d ao fim da guerra na europa -2017
 
2ª guerra 1942 a 1945 imagens
2ª guerra 1942 a 1945   imagens2ª guerra 1942 a 1945   imagens
2ª guerra 1942 a 1945 imagens
 
2ª guerra áfrica italia e alemanha
2ª guerra    áfrica italia e alemanha2ª guerra    áfrica italia e alemanha
2ª guerra áfrica italia e alemanha
 
A vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasilA vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasil
 
A 2ª guerra mundial 2017
A 2ª guerra mundial   2017A 2ª guerra mundial   2017
A 2ª guerra mundial 2017
 
A era napoleônica 2017
A era napoleônica   2017A era napoleônica   2017
A era napoleônica 2017
 
A revolução francesa
A revolução francesaA revolução francesa
A revolução francesa
 
Os regimes totalitários na europa
Os regimes totalitários na europaOs regimes totalitários na europa
Os regimes totalitários na europa
 
A crise de 1929 e o new deal 2017
A crise de 1929 e o new deal   2017A crise de 1929 e o new deal   2017
A crise de 1929 e o new deal 2017
 
O despotismo esclarecido 2017
O despotismo esclarecido   2017O despotismo esclarecido   2017
O despotismo esclarecido 2017
 
O iluminismo 2017
O iluminismo   2017O iluminismo   2017
O iluminismo 2017
 
A república velha 2017
A república velha   2017A república velha   2017
A república velha 2017
 
Trabalho daniel
Trabalho danielTrabalho daniel
Trabalho daniel
 

Último

UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Instituto Walter Alencar
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
orquestrasinfonicaam
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 

Último (20)

UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 

A era napoleônica 2017

  • 3. • Desde 1794, após a derrubada de Robespierre, a burguesia havia retomado o controle da revolução, no entanto o novo governo - o Diretório - enfrentava sucessivas revoltas internas, organizadas por grupos populares de tendência jacobina, assim como a ameaça externa, representada principalmente pela Áustria.
  • 5. • Essa situação não representava apenas uma ameaça ao poder da burguesia, mas principalmente às suas conquistas sociais e econômicas. • Os movimentos populares representavam uma ameaça direta aos privilégios burgueses, enquanto que a Áustria pretendia recolocar no poder um rei com poderes absolutos na França.
  • 8. • Napoleão Bonaparte, líder do golpe, nasceu na Córsega, em 1769 e ficou conhecido pela sua invejável habilidade militar e sua capacidade de vencer batalhas que pareciam estar praticamente perdidas. Em pouco tempo, a população francesa reconheceu em sua imagem a figura de um herói defensor do ideal revolucionário.
  • 11. • Castigada pelas crises internas, a burguesia viu em Napoleão a oportunidade perfeita para que os problemas políticos acabassem houvesse desenvolvimento econômico. Por isso, em 1799, Bonaparte teve o apoio político necessário para derrubar o Diretório e organizar o Consulado.
  • 14. O Consulado - 1799 a 1804 : • O governo do consulado foi instalado depois da queda do Diretório. O consulado possuía caráter republicano e militar. No poder Executivo, três pessoas eram responsáveis: dois cônsules e o próprio Napoleão (Napoleão, Roger Ducos e Sieyés).
  • 16. • Apesar da presença de outros dois cônsules, quem mais dispunha de influência e poder era o próprio Napoleão, que foi eleito primeiro- cônsul da República.
  • 17. • No consulado, a burguesia detinha o poder e assim, foi consolidada com o grupo central da França. A forte censura à imprensa, a ação violenta dos órgãos policiais e a repressão à oposição ao governo colocaram em dúvida os ideais de “liberdade, igualdade e fraternidade” características da Revolução Francesa.
  • 19. • Entre as realizações de Napoleão (na época), podemos citar: Economia – Criação do Banco da França, em 1800, controlando a emissão de moeda e a inflação; criação de tarifas protecionistas, fortalecendo a economia nacional.
  • 20. • Logo em seguida, reatou as relações do Estado com a Igreja, que passou a reconhecer a perda de suas propriedades e todas as demais satisfações que os clérigos deviam ao regime republicano.
  • 21. • Religião – Elaboração da Concordata entre a Igreja Católica e o Estado, o qual dava o direito do governo francês de confiscar as propriedades da Igreja, e em troca, o governo teria de amparar o clero e não poderia interferir nas questões religiosas.
  • 23. • Direito – Criação do Código Napoleônico em 1804, representando em grande parte os interesses dos burgueses, como casamento civil (separado do religioso), respeito à propriedade privada, direito à liberdade individual e igualdade de todos perante à lei, etc.
  • 24. • Educação – Reorganização e prioridades para a educação e formação do cidadão francês. • Os resultados obtidos neste período do governo de Napoleão agradaram à elite francesa. Com o apoio da burguesia, Napoleão foi elevado ao nível de cônsul vitalício, em 1802.
  • 26. • Um plebiscito realizado em 1804, a nova fase da era napoleônica foi aprovada com quase 60% dos votos, e a monarquia foi restabelecido na França, Napoleão foi indicado para ocupar o trono. Em 2 de Dezembro foi oficializado Napoleão I, na Catedral de Notre Dame.
  • 33. • Nesse período, podemos destacar o grande número de batalhas de Napoleão para a conquista de novos territórios para a França. O exército francês se tornou o mais poderoso de toda a Europa.
  • 35. Europa no Período Napoleônico:
  • 36. • O principal e mais poderoso inimigo francês, na época, era a Inglaterra. Os ingleses se opunham a expansão francesa, e vendo a força do exército francês, formaram alianças com Áustria, Rússia e Prússia.
  • 37. • O governo francês tinha o melhor exército da Europa, mas a Inglaterra era a maior potência naval da época. • Em 1805 a França tentou invadir a Inglaterra, mas foi derrotada na Batalha de Trafalgar. Por causa desta derrota, Napoleão tentou enfraquecer a Inglaterra de outras maneiras.
  • 39. Localização da Batalha de Trafalgar:
  • 47. O Bloqueio Continental: • O Bloqueio Continental foi um decreto de 21 de novembro de 1806, que impedia o acesso a portos dos países dominados pelo Império Francês a navios do Reino Unido da Grã Bretanha (Inglaterra) e Irlanda. Com isso, o principal objetivo era isolar economicamente a Inglaterra, sufocando suas relações comerciais.
  • 48. • Em contraste aos ganhos militares, o governo francês tinha enormes dificuldades para melhorar sua economia. O principal e mais poderoso inimigo francês, na época, era a Inglaterra; além disso o domínio industrial britânico era o seu principal obstáculo para o desenvolvimento da economia francesa e os ingleses se opunham a expansão militar francesa.
  • 50. • Todo o país que desobedecesse este tratado, seria implacavelmente invadido pelas tropas francesas. Em pouco tempo, não resistindo à dependência com relação aos produtos ingleses, várias nações desobedeceram ao acordo e foram invadidas por Napoleão. Aliás, a invasão das tropas napoleônicas em Portugal foi o que levou à fuga da família real para o Brasil.
  • 53. A Fuga da Família Real Portuguesa:
  • 59. • Em 1812, a Rússia descumpriu o Bloqueio Continental e Napoleão preparou uma grande investida militar que contava com seiscentos mil soldados.
  • 62. • Os generais franceses acostumados com grandes vitórias conduziam suas tropas pelo imenso território russo, enquanto as tropas czaristas recuavam colocando fogo nas plantações e em tudo que servisse aos invasores.
  • 65. Palácio Imperial Russo – Krenlim:
  • 67. • Em Moscou as tropas russas começaram a enfrentar as tropas francesas que estavam mal-alimentadas e cansadas, por isso, Napoleão não teve outra escolha a não ser em ir embora.
  • 68. • Surpreendido pela tática de terra arrasada e o rigor do inverno siberiano, Napoleão perdeu milhares de soldados. Calcula-se que dos 600 mil soldados franceses que foram para a Rússia, só 40 mil voltaram à França. Existem alguns historiadores que falam em 55 mil ou 37 mil sobreviventes. Mas, qualquer que sejam a quantidade de mortos, foi uma perda muito grande e enfraqueceu Napoleão.
  • 75. • A desastrosa campanha militar na Rússia encorajou outros países europeus a reagirem contra a supremacia francesa. Em 6 de Abril de 1814 um exército formado por ingleses, austríacos, russos e prussianos tomaram Paris e capturaram Napoleão enviando-o para a Ilha de Elba. O trono francês foi entregue a Luís XVIII, irmão de Luís XVI (que foi morto na Revolução).
  • 79. Casa de Napoleão na Ilha de Elba:
  • 81. • Assim que assumiu o trono, Luís XVIII tentou restabelecer o absolutismo na França, o que desagradou a população da França e encorajou soldados leais a Napoleão a irem até a ilha de Elba, libertá-lo e trazê-lo de volta à França, onde foi recebido com festa pela população de Paris, aos gritos de “Viva o Imperador” e “Viva Napoleão”, em março de 1815.
  • 83. Governo dos cem dias: • Napoleão reassumiu o governo da França e Luís XVIII e sua família fugiram do país. Este novo governo de Napoleão durou apenas Cem dias, porque pouco tempo depois, a Inglaterra, Prússia, Áustria e Rússia decidiram recomeçar a guerra contra Napoleão.
  • 84. • O imperador francês aproveitou o entusiasmo na França para organizar um novo exército e, em seguida, marchou com 125 mil homens e 25 mil cavalos para a Bélgica, para impedir a união dos exércitos da Inglaterra e da Prússia.
  • 85. • Napoleão vai para a Bélgica com seu exército e vence os prussianos, comandados por Blucher, em Ligny. Mas, em 18 de junho, em Waterloo, o exército de Napoleão foi definitivamente derrotado pelo Duque de Wellington e pelo general Blucher, que comandavam um exército coligado.
  • 92. • No dia 21 de junho, Napoleão renunciou pela segunda vez e foi deportado para a ilha de Santa Helena,que fica no meio do Oceano Atlântico (entre Brasil e África). Ele permaneceu em Santa Helena até a sua morte em 5 de maio de 1821. Alguns historiadores. Afiram que Napoleão morreu de câncer no estômago ou de úlcera.
  • 93. • Há quem diga que ele foi envenenado com chumbo acidentalmente. Alguns afirmam que o envenenamento foi proposital. Ele tinha 52 anos quando morreu. • Depois que Napoleão foi deposto em 1815, Luís XVIII voltou a reinar na França. Era o fim da Era Napoleônica.
  • 94. Ilha de Santa Helena:
  • 99. Residência de Napoleão em Santa Helena:
  • 106. O Congresso de Viena e a "Santa" Aliança • Assim que o Império Napoleônico acabou Áustria, Prússia, Rússia, Inglaterra, Suécia ,se reuniram no Congresso de Viena para reorganizar o mapa político da Europa.
  • 108. • Dois princípios básicos orientaram as resoluções do Congresso de Viena : • A restauração das dinastias destituídas pela Revolução e consideradas "legítimas" ; • A restauração do equilíbrio entre as grandes potências, evitando a hegemonia de qualquer uma delas ;
  • 109. • Para garantir, em termos práticos, a aplicação das medidas conservadoras do Congresso de Viena, o Czar da Rússia propôs a criação da Santa Aliança . Esta servia de ajuda mútua das monarquias européias em nome "da religião, da paz e da justiça" .
  • 110. • Seu objetivo era estabelecer o direito de intervenção em qualquer região européia em que se iniciasse um movimento liberal ou uma revolução burguesa . Porém após a independência das Colônias Latino- Americanas, a Santa Aliança se enfraquece e a Inglaterra por motivos econômicos se retira da Santa Aliança .
  • 111. O Mapa da Europa depois do Congresso de Viena: