SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 115
O Iluminismo
• O que é liberdade de pensamento?
• Podemos afirmar que temos liberdade de
pensamento atualmente?
• Será que temos liberdade de pensamento em
todos os lugares do Brasil e do mundo?
• O Renascimento ao incentivar a separação entre o
pensamento baseado na fé (religioso) e o
pensamento baseado na razão (ciência) determinou
profundas transformações no modo de pensar e agir
do homem.
• A isso se seguiu um movimento intelectual
que abalaria as estruturas sociais da Europa e
do mundo Ocidental, o Iluminismo.
• O Movimento Iluminista representava a
ascensão dos ideais de uma classe específica:
a Burguesia.
• No inicio do século XVIII, a burguesia
europeia já havia se transformado numa
classe social forte e rica. Mas, ainda não tinha
acesso ao poder político que continuava nas
mãos dos reis.
• As idéias iluministas surgiram neste contexto
como resposta aos problemas concretos
enfrentados pela burguesia, tais como a
intervenção do Estado na economia e os
limites de sua atuação política.
• Inspirados no Renascimento, os iluministas
propuseram uma sociedade centralizada no
homem, e para isso, pregavam que este
homem necessitava de direitos que lhe
garantissem acesso à liberdade.
• Defendiam a democracia, o liberalismo
econômico e a liberdade de culto e
pensamento. Na verdade, o Iluminismo foi um
processo longo do qual as transformações
culturais iniciadas no Renascimento
prosseguiram e se estenderam pelo século XVII
e século XVIII.
• As idéias iluministas influenciaram
movimentos como a Independência dos
Estados Unidos, a Inconfidência Mineira e a
Revolução Francesa.
• O Iluminismo iniciou-se na Inglaterra, mais
foi na França, que atingiu seu maior
desenvolvimento. Foi na França que viveram
os maiores pensadores iluministas, Voltaire,
Montesquieu, Rousseau, Diderot e D
´Alembert.
René Descartes:
• René Descartes (1596-1650) – partia do
princípio de que tudo deveria ser questionado
e que somente aquilo que a razão poderia
explicar era verdadeiro. Descartes acreditava
que o conhecimento deveria partir de idéias
que estavam no interior do próprio homem. A
frase “Penso, logo existo” sintetiza seu
pensamento.
John Locke
John Locke
• John Locke (1632-1704): filósofo inglês,
Considerado o “pai do Iluminismo”. Sua
principal obra foi “Ensaio sobre o
entendimento humano”, aonde Locke defende
a razão . Defendeu a liberdade dos cidadãos e
condenou o absolutismo.
• Locke acreditava que o conhecimento era
adquirido somente pela experiência, porque
ao nascer o homem era como uma “tabula
rasa”. ( ou seja, não tinha nenhum
conhecimento).
Voltaire
• Voltaire (1694-1778): François-Marie Arouet,
escritor francês, crítico do absolutismo e dos
privilégios da Igreja e da nobreza. Por suas críticas,
foi preso duas vezes, mudou-se da França e foi morar
na Inglaterra. Atraído pelas idéias de John Locke,
escreveu as Cartas Inglesas, nas quais exalta a
liberdade de pensamento, de religião e às
instituições inglesas, criticando indiretamente a
França.
Montesquieu
• Montesquieu (1689-1755): Charles Louis de
Secondant, barão de Montesquieu. Considerado o
pai do liberalismo burguês foi jurista, filósofo e
escritor. Em sua principal obra O Espírito das Leis,
expôs sua teoria da divisão do poder político em
Poder Legislativo – elabora e aprova as leis; Poder
Executivo – executa as leis e administra o país; Poder
Judiciário – fiscaliza o cumprimento das leis. Suas
idéias influenciaram a organização de praticamente
todos os governos pós-Revolução Francesa.
Rousseau:
• Jean-Jacques Rousseau (1712-1778): filósofo
francês, Foi o mais radical dos iluministas.
Criticava tanto a monarquia quanto a
sociedade burguesa, sua posição era de
defesa às classes populares. Pregava uma
sociedade justa onde todos seriam iguais. Essa
sociedade seria governada pela soberania do
povo.
• Ao contrário dos outros iluministas, Rousseau
acreditava que a propriedade privada
corrompia o homem. Segundo Rousseau, esta
era a raiz da infelicidade humana, pois trazia
consigo a desigualdade e a opressão do mais
forte sobre o mais fraco.
• Suas principais obras foram: Discurso sobre a
Origem da Desigualdade entre os Homens e
Contrato Social.
• Democrata, defendeu a igualdade entre os
homens; afirmava que o poder político emana
do povo; exerceu grande influência na
Revolução Francesa e na filosofia dos séculos
posteriores.
• Denis Diderot (1713-1784) e Jean Le Rond D
´Alembert (1717-1783): Diderot organizou a
Enciclopédia, auxiliado pelo matemático D´Alembert,
onde foram reunidos todos os conhecimentos da
época. Transformou-se, por isso, em veículo das
idéias do Iluminismo. Proibida pelas autoridades, por
criticar os poderes estabelecidos, a Enciclopédia
circulou clandestinamente, sua elaboração, iniciada
em 1751, foi concluída em 1772.
Denis Diderot:
Jean Le Rond D’Alembert:
Página da Enciclopédia:
Fábrica de Vidro:
Enciclopédia:
• A principal arma de divulgação dos ideais
iluministas foi a literatura
impressa, principalmente a “Enciclopédia”
editada por Denis Diderot e Jean D’Alembert,
esta obra contou com a participação de vários
intelectuais da época que tinham em comum
a oposição ao Absolutismo e à Igreja.
A Economia no Iluminismo:
• Além dos filósofos, o Iluminismo foi
representado pelos economistas, que
atacaram a intervenção do Estado nos
assuntos econômicos, defendendo, portanto,
a liberdade total nas atividades econômicas.
Essa teoria econômica foi chamada de
Fisiocracia.
• Também conhecidos como fisiocratas, os
economistas iluministas defendiam a
liberdade econômica, ou seja, que a economia
pudesse se movimentar de acordo com suas
próprias leis. A frase do economista Gournay
exemplifica bem estas ideias: “Deixai fazer,
deixai passar, que o mundo anda por si
mesmo”.
• Portanto, estes economistas eram críticos do
mercantilismo, sistema onde o monarca
intervinha profundamente em todas as áreas
da economia.
• Os economistas iluministas fisiocratas
também eram contrários ao metalismo, forma
de desenvolvimento econômico baseado no
acumulo de metais preciosos, principalmente
o ouro.
• Outra ideia muito defendida pelos fisiocratas
era a de que a terra era a principal fonte de
riquezas. Para eles, a indústria e o comércio
eram setores que tinham apenas a função de
fazer a transformação e circulação da riqueza.
Robert Turgot:
• Anne Robert Jacques Turgot – defensor do
livre comércio e de medidas para racionalizar
a economia.
Robert Turgot:
François Quesnay:
• Um dos principais representantes da
fisiocracia. Defensor da agricultura como
principal fonte de riquezas de uma nação e da
retirada das barreiras estatais que
dificultavam a produção e circulação de
mercadorias.
Vincent Gournay:
• Ao contrário de grande parte dos economistas
iluministas, Gournay defendia a indústria
como importante fonte de riqueza de uma
nação. Defendia também a liberdade de
comércio entre países (sem barreiras
alfandegárias) e a liberdade de funcionamento
de indústrias.
David Ricardo (1772-1823).
• Economista inglês nascido em Londres,
criador da teoria da lei de ferro dos salários.
• David Ricardo tornou-se conhecido por suas
teorias, entre elas destacam-se: “a teoria das
vantagens comparativas”, que constituem a
base essencial da teoria do comércio
internacional
• onde demonstrou que duas nações podem
beneficiar-se mutuamente do comércio livre,
mesmo que uma delas seja menos eficiente
na produção de todos os tipos de bens do que
o seu parceiro comercial.
O Liberalismo Econômico:
• O criador da teoria mais aceita na economia
moderna foi Adam Smith, economista Escocês,
que desenvolveu a teoria do liberalismo,
apontando como as nações poderiam prosperar.
Ele dizia que a desejada prosperidade econômica
e a acumulação de riquezas não são concebidas
pela atividade rural e nem comercial, para Smith
o elemento de geração de riqueza está no
trabalho, no trabalho livre sem ter, logicamente,
o estado como regulador e interventor.
Adam Smith:
• Adam Smith foi o principal representante de
um conjunto de idéias denominado
liberalismo econômico, o qual é composto
pelo seguinte:
- o Estado é legitimamente poderoso se for
rico;
• - para enriquecer, o Estado necessita expandir
as atividades econômicas capitalistas;
- para expandir as atividades capitalistas, o
Estado deve dar liberdade econômica e
política para os grupos particulares.
• A principal obra de Smith foi “A riqueza das
nações”, na qual ele defende que a economia
deveria ser conduzida pelo livre jogo da oferta
e da procura.
Isaac Newton:
Casa onde Newton nasceu:
• Isaac Newton nasceu em Londres, no ano de
1643, e viveu até o ano de 1727.
• Newton veio de uma família de agricultores,
mas seu pai morreu antes de seu nascimento.
Ele foi criado por sua avó. Um tio o enviou
para o Trinity College, Cambridge, em Junho
de 1661.
Trinity College – Cambridge:
Cambridge:
• O objetivo inicial de Newton em Cambridge
era o direito. Em Cambridge ele estudou a
filosofia de Aristóteles (384aC-322ac),
Descartes (René Descartes, 1596-1650),
Gassendi (Pierre Gassendi, 1592-1655), e
Boyle (Robert Boyle, 1627-1691), a nova
álgebra e geometria analítica de Viète
(François Vite 1540-1603), Descartes, e Wallis
(John Wallis, 1616-1703)
• A mecânica da astronomia de Copérnico e
Galileu, e a ótica de Kepler o atraíram.
• Seu gênio científico despertou quando uma
epidemia de peste fechou a Universidade no
verão de 1665, e ele retornou a Lincolnshire.
Só em Londres, a peste matou mais 70.000
pessoas.
• Lá, em um período de menos de dois anos,
Newton que ainda não tinha completado 25
anos, iniciou a revolução da matemática,
óptica, física e astronomia. Durante sua
estada em casa, ele lançou a base do cálculo
diferencial e integral.
• Ele procurou dar uma explicação científica a
toda natureza. Para ele todos os fenômenos
da natureza eram regidos por leis próprias
(Leis da Física) e o papel da ciência era o de
descobrir essas leis.
Experiência com decomposição da luz:
• Seu trabalho mais importante foi em
mecânica celeste, que culminou com a Teoria
da Gravitação Universal. Em 1666 Newton
tinha versões preliminares de suas três leis do
movimento.
Lei da Gravitação:
• A idéia genial de Newton em 1666 foi
imaginar que a força centrípeta na Lua era
proporcionada pela atração gravitacional da
Terra. Com sua lei para a força centrípeta e a
terceira Lei de Kepler, Newton deduziu a lei da
atração gravitacional.
• Depois de sofrer um colapso nervoso em
1693, Newton abandonou a pesquisa para
uma posição no governo em Londres,
tornando-se Guardião da Casa da Moeda Real
(1696) e Mestre(1699).
• Em 1703 foi eleito presidente da Sociedade
real, e foi reeleito a cada ano até sua morte.
Foi agraciado com o título de cavalheiro (Sir)
em 1708 pela Rainha Anne, o primeiro
cientista a receber esta honra.
• Morreu em 31 de março de 1727 em Londres,
Inglaterra.
Abadia de Westminster:
Túmulo de Newton:
O iluminismo   2017

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
O Iluminismo
 
O iluminismo
O iluminismoO iluminismo
O iluminismo
 
Roteiro de Aula - Iluminismo
Roteiro de Aula - IluminismoRoteiro de Aula - Iluminismo
Roteiro de Aula - Iluminismo
 
Iluminismo desenho
Iluminismo desenhoIluminismo desenho
Iluminismo desenho
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
O Iluminismo
 
www.ensinofundamental.net.br - História - Iluminismo
www.ensinofundamental.net.br - História -  Iluminismowww.ensinofundamental.net.br - História -  Iluminismo
www.ensinofundamental.net.br - História - Iluminismo
 
Iluminismo 8° ano
Iluminismo 8° anoIluminismo 8° ano
Iluminismo 8° ano
 
Filósofos iluministas
Filósofos iluministasFilósofos iluministas
Filósofos iluministas
 
O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
O Iluminismo
 
Rev científica sec xvii e iluminismo
Rev científica sec xvii e iluminismoRev científica sec xvii e iluminismo
Rev científica sec xvii e iluminismo
 
Resumo o iluminismo
Resumo   o iluminismoResumo   o iluminismo
Resumo o iluminismo
 
Iluminismo e Revolução Francesa
Iluminismo e Revolução FrancesaIluminismo e Revolução Francesa
Iluminismo e Revolução Francesa
 
O iluminismo
O iluminismoO iluminismo
O iluminismo
 
Iluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecidoIluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecido
 
33 - O iluminismo
33  - O iluminismo33  - O iluminismo
33 - O iluminismo
 
O ILUMINISMO
O ILUMINISMOO ILUMINISMO
O ILUMINISMO
 
Iluminismo cruzadinhas 8º ano
Iluminismo cruzadinhas 8º anoIluminismo cruzadinhas 8º ano
Iluminismo cruzadinhas 8º ano
 

Semelhante a O iluminismo 2017

Semelhante a O iluminismo 2017 (20)

2 iluminismo e despotismo
2   iluminismo e despotismo2   iluminismo e despotismo
2 iluminismo e despotismo
 
O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
O Iluminismo
 
iluminismo-.pptx
iluminismo-.pptxiluminismo-.pptx
iluminismo-.pptx
 
ILUMINISMO.pptx
ILUMINISMO.pptxILUMINISMO.pptx
ILUMINISMO.pptx
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Iluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecido  Iluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecido
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Iluminismo.melissa
Iluminismo.melissaIluminismo.melissa
Iluminismo.melissa
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Iluminismo e despotismo
Iluminismo e  despotismoIluminismo e  despotismo
Iluminismo e despotismo
 
Iluminismo
Iluminismo Iluminismo
Iluminismo
 
Iluminismo e revoluções inglesas
Iluminismo e revoluções inglesasIluminismo e revoluções inglesas
Iluminismo e revoluções inglesas
 
Aula 1 - Introdução ao século das luzes - Iluminismo
Aula 1 - Introdução ao século das luzes - IluminismoAula 1 - Introdução ao século das luzes - Iluminismo
Aula 1 - Introdução ao século das luzes - Iluminismo
 
Iluminismo1107
Iluminismo1107Iluminismo1107
Iluminismo1107
 
Módulo 7 contexto histórico
Módulo 7   contexto históricoMódulo 7   contexto histórico
Módulo 7 contexto histórico
 
O ILUMINISMO
O ILUMINISMOO ILUMINISMO
O ILUMINISMO
 
História 8º ano aula 2
História 8º ano   aula 2História 8º ano   aula 2
História 8º ano aula 2
 
Filósofos Iluministas
Filósofos IluministasFilósofos Iluministas
Filósofos Iluministas
 
ILUMINISMO
ILUMINISMOILUMINISMO
ILUMINISMO
 

Mais de Nelia Salles Nantes

A ditadura militar no brasil 2017
A ditadura militar no brasil   2017A ditadura militar no brasil   2017
A ditadura militar no brasil 2017Nelia Salles Nantes
 
A vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasilA vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasilNelia Salles Nantes
 
2 guerra japão e estados unidos - 2017
2 guerra   japão e estados unidos - 20172 guerra   japão e estados unidos - 2017
2 guerra japão e estados unidos - 2017Nelia Salles Nantes
 
2ª guerra em imagens do dia d ao fim da guerra na europa -2017
2ª guerra em imagens   do dia d ao fim da guerra na europa -20172ª guerra em imagens   do dia d ao fim da guerra na europa -2017
2ª guerra em imagens do dia d ao fim da guerra na europa -2017Nelia Salles Nantes
 
2ª guerra áfrica italia e alemanha
2ª guerra    áfrica italia e alemanha2ª guerra    áfrica italia e alemanha
2ª guerra áfrica italia e alemanhaNelia Salles Nantes
 
A vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasilA vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasilNelia Salles Nantes
 
Os regimes totalitários na europa
Os regimes totalitários na europaOs regimes totalitários na europa
Os regimes totalitários na europaNelia Salles Nantes
 
A crise de 1929 e o new deal 2017
A crise de 1929 e o new deal   2017A crise de 1929 e o new deal   2017
A crise de 1929 e o new deal 2017Nelia Salles Nantes
 

Mais de Nelia Salles Nantes (20)

A ditadura militar no brasil 2017
A ditadura militar no brasil   2017A ditadura militar no brasil   2017
A ditadura militar no brasil 2017
 
O período regencial 2017
O período regencial   2017O período regencial   2017
O período regencial 2017
 
Brasil 1945 1964 -
Brasil 1945   1964 -Brasil 1945   1964 -
Brasil 1945 1964 -
 
O 1º reinado
O 1º reinadoO 1º reinado
O 1º reinado
 
A independência do brasil
A independência do brasilA independência do brasil
A independência do brasil
 
A vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasilA vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasil
 
2 guerra japão e estados unidos - 2017
2 guerra   japão e estados unidos - 20172 guerra   japão e estados unidos - 2017
2 guerra japão e estados unidos - 2017
 
2ª guerra em imagens do dia d ao fim da guerra na europa -2017
2ª guerra em imagens   do dia d ao fim da guerra na europa -20172ª guerra em imagens   do dia d ao fim da guerra na europa -2017
2ª guerra em imagens do dia d ao fim da guerra na europa -2017
 
2ª guerra 1942 a 1945 imagens
2ª guerra 1942 a 1945   imagens2ª guerra 1942 a 1945   imagens
2ª guerra 1942 a 1945 imagens
 
2ª guerra áfrica italia e alemanha
2ª guerra    áfrica italia e alemanha2ª guerra    áfrica italia e alemanha
2ª guerra áfrica italia e alemanha
 
A vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasilA vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasil
 
A 2ª guerra mundial 2017
A 2ª guerra mundial   2017A 2ª guerra mundial   2017
A 2ª guerra mundial 2017
 
A era napoleônica 2017
A era napoleônica   2017A era napoleônica   2017
A era napoleônica 2017
 
A era napoleônica 2017
A era napoleônica   2017A era napoleônica   2017
A era napoleônica 2017
 
A revolução francesa
A revolução francesaA revolução francesa
A revolução francesa
 
Os regimes totalitários na europa
Os regimes totalitários na europaOs regimes totalitários na europa
Os regimes totalitários na europa
 
A crise de 1929 e o new deal 2017
A crise de 1929 e o new deal   2017A crise de 1929 e o new deal   2017
A crise de 1929 e o new deal 2017
 
O despotismo esclarecido 2017
O despotismo esclarecido   2017O despotismo esclarecido   2017
O despotismo esclarecido 2017
 
A república velha 2017
A república velha   2017A república velha   2017
A república velha 2017
 
Trabalho daniel
Trabalho danielTrabalho daniel
Trabalho daniel
 

Último

Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfmaria794949
 
Poema - Reciclar é preciso
Poema            -        Reciclar é precisoPoema            -        Reciclar é preciso
Poema - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalcarlamgalves5
 
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
Atividade com a música Xote  da  Alegria    -   FalamansaAtividade com a música Xote  da  Alegria    -   Falamansa
Atividade com a música Xote da Alegria - FalamansaMary Alvarenga
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxMartin M Flynn
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfcarloseduardogonalve36
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Rosana Andrea Miranda
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfssuserbb4ac2
 
Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaanapsuls
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdfdanielagracia9
 
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.pptAula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.pptParticular
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteLeonel Morgado
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorialNeuroppIsnayaLciaMar
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 

Último (20)

Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
Poema - Reciclar é preciso
Poema            -        Reciclar é precisoPoema            -        Reciclar é preciso
Poema - Reciclar é preciso
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
Atividade com a música Xote  da  Alegria    -   FalamansaAtividade com a música Xote  da  Alegria    -   Falamansa
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
 
Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola pública
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.pptAula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
 

O iluminismo 2017

  • 2.
  • 3.
  • 4.
  • 5. • O que é liberdade de pensamento? • Podemos afirmar que temos liberdade de pensamento atualmente? • Será que temos liberdade de pensamento em todos os lugares do Brasil e do mundo?
  • 6.
  • 7.
  • 8.
  • 9.
  • 10.
  • 11. • O Renascimento ao incentivar a separação entre o pensamento baseado na fé (religioso) e o pensamento baseado na razão (ciência) determinou profundas transformações no modo de pensar e agir do homem.
  • 12. • A isso se seguiu um movimento intelectual que abalaria as estruturas sociais da Europa e do mundo Ocidental, o Iluminismo. • O Movimento Iluminista representava a ascensão dos ideais de uma classe específica: a Burguesia.
  • 13. • No inicio do século XVIII, a burguesia europeia já havia se transformado numa classe social forte e rica. Mas, ainda não tinha acesso ao poder político que continuava nas mãos dos reis.
  • 14. • As idéias iluministas surgiram neste contexto como resposta aos problemas concretos enfrentados pela burguesia, tais como a intervenção do Estado na economia e os limites de sua atuação política.
  • 15.
  • 16.
  • 17. • Inspirados no Renascimento, os iluministas propuseram uma sociedade centralizada no homem, e para isso, pregavam que este homem necessitava de direitos que lhe garantissem acesso à liberdade.
  • 18.
  • 19. • Defendiam a democracia, o liberalismo econômico e a liberdade de culto e pensamento. Na verdade, o Iluminismo foi um processo longo do qual as transformações culturais iniciadas no Renascimento prosseguiram e se estenderam pelo século XVII e século XVIII.
  • 20.
  • 21. • As idéias iluministas influenciaram movimentos como a Independência dos Estados Unidos, a Inconfidência Mineira e a Revolução Francesa.
  • 22. • O Iluminismo iniciou-se na Inglaterra, mais foi na França, que atingiu seu maior desenvolvimento. Foi na França que viveram os maiores pensadores iluministas, Voltaire, Montesquieu, Rousseau, Diderot e D ´Alembert.
  • 24. • René Descartes (1596-1650) – partia do princípio de que tudo deveria ser questionado e que somente aquilo que a razão poderia explicar era verdadeiro. Descartes acreditava que o conhecimento deveria partir de idéias que estavam no interior do próprio homem. A frase “Penso, logo existo” sintetiza seu pensamento.
  • 25.
  • 28. • John Locke (1632-1704): filósofo inglês, Considerado o “pai do Iluminismo”. Sua principal obra foi “Ensaio sobre o entendimento humano”, aonde Locke defende a razão . Defendeu a liberdade dos cidadãos e condenou o absolutismo.
  • 29. • Locke acreditava que o conhecimento era adquirido somente pela experiência, porque ao nascer o homem era como uma “tabula rasa”. ( ou seja, não tinha nenhum conhecimento).
  • 30.
  • 31.
  • 33. • Voltaire (1694-1778): François-Marie Arouet, escritor francês, crítico do absolutismo e dos privilégios da Igreja e da nobreza. Por suas críticas, foi preso duas vezes, mudou-se da França e foi morar na Inglaterra. Atraído pelas idéias de John Locke, escreveu as Cartas Inglesas, nas quais exalta a liberdade de pensamento, de religião e às instituições inglesas, criticando indiretamente a França.
  • 34.
  • 36. • Montesquieu (1689-1755): Charles Louis de Secondant, barão de Montesquieu. Considerado o pai do liberalismo burguês foi jurista, filósofo e escritor. Em sua principal obra O Espírito das Leis, expôs sua teoria da divisão do poder político em Poder Legislativo – elabora e aprova as leis; Poder Executivo – executa as leis e administra o país; Poder Judiciário – fiscaliza o cumprimento das leis. Suas idéias influenciaram a organização de praticamente todos os governos pós-Revolução Francesa.
  • 37.
  • 38.
  • 40. • Jean-Jacques Rousseau (1712-1778): filósofo francês, Foi o mais radical dos iluministas. Criticava tanto a monarquia quanto a sociedade burguesa, sua posição era de defesa às classes populares. Pregava uma sociedade justa onde todos seriam iguais. Essa sociedade seria governada pela soberania do povo.
  • 41. • Ao contrário dos outros iluministas, Rousseau acreditava que a propriedade privada corrompia o homem. Segundo Rousseau, esta era a raiz da infelicidade humana, pois trazia consigo a desigualdade e a opressão do mais forte sobre o mais fraco.
  • 42. • Suas principais obras foram: Discurso sobre a Origem da Desigualdade entre os Homens e Contrato Social. • Democrata, defendeu a igualdade entre os homens; afirmava que o poder político emana do povo; exerceu grande influência na Revolução Francesa e na filosofia dos séculos posteriores.
  • 43.
  • 44.
  • 45. • Denis Diderot (1713-1784) e Jean Le Rond D ´Alembert (1717-1783): Diderot organizou a Enciclopédia, auxiliado pelo matemático D´Alembert, onde foram reunidos todos os conhecimentos da época. Transformou-se, por isso, em veículo das idéias do Iluminismo. Proibida pelas autoridades, por criticar os poderes estabelecidos, a Enciclopédia circulou clandestinamente, sua elaboração, iniciada em 1751, foi concluída em 1772.
  • 47. Jean Le Rond D’Alembert:
  • 48.
  • 51.
  • 53.
  • 54.
  • 55. • A principal arma de divulgação dos ideais iluministas foi a literatura impressa, principalmente a “Enciclopédia” editada por Denis Diderot e Jean D’Alembert, esta obra contou com a participação de vários intelectuais da época que tinham em comum a oposição ao Absolutismo e à Igreja.
  • 56.
  • 57.
  • 58.
  • 59. A Economia no Iluminismo: • Além dos filósofos, o Iluminismo foi representado pelos economistas, que atacaram a intervenção do Estado nos assuntos econômicos, defendendo, portanto, a liberdade total nas atividades econômicas. Essa teoria econômica foi chamada de Fisiocracia.
  • 60. • Também conhecidos como fisiocratas, os economistas iluministas defendiam a liberdade econômica, ou seja, que a economia pudesse se movimentar de acordo com suas próprias leis. A frase do economista Gournay exemplifica bem estas ideias: “Deixai fazer, deixai passar, que o mundo anda por si mesmo”.
  • 61. • Portanto, estes economistas eram críticos do mercantilismo, sistema onde o monarca intervinha profundamente em todas as áreas da economia.
  • 62. • Os economistas iluministas fisiocratas também eram contrários ao metalismo, forma de desenvolvimento econômico baseado no acumulo de metais preciosos, principalmente o ouro.
  • 63. • Outra ideia muito defendida pelos fisiocratas era a de que a terra era a principal fonte de riquezas. Para eles, a indústria e o comércio eram setores que tinham apenas a função de fazer a transformação e circulação da riqueza.
  • 64.
  • 65.
  • 66. Robert Turgot: • Anne Robert Jacques Turgot – defensor do livre comércio e de medidas para racionalizar a economia.
  • 69. • Um dos principais representantes da fisiocracia. Defensor da agricultura como principal fonte de riquezas de uma nação e da retirada das barreiras estatais que dificultavam a produção e circulação de mercadorias.
  • 71. • Ao contrário de grande parte dos economistas iluministas, Gournay defendia a indústria como importante fonte de riqueza de uma nação. Defendia também a liberdade de comércio entre países (sem barreiras alfandegárias) e a liberdade de funcionamento de indústrias.
  • 73. • Economista inglês nascido em Londres, criador da teoria da lei de ferro dos salários. • David Ricardo tornou-se conhecido por suas teorias, entre elas destacam-se: “a teoria das vantagens comparativas”, que constituem a base essencial da teoria do comércio internacional
  • 74. • onde demonstrou que duas nações podem beneficiar-se mutuamente do comércio livre, mesmo que uma delas seja menos eficiente na produção de todos os tipos de bens do que o seu parceiro comercial.
  • 75. O Liberalismo Econômico: • O criador da teoria mais aceita na economia moderna foi Adam Smith, economista Escocês, que desenvolveu a teoria do liberalismo, apontando como as nações poderiam prosperar. Ele dizia que a desejada prosperidade econômica e a acumulação de riquezas não são concebidas pela atividade rural e nem comercial, para Smith o elemento de geração de riqueza está no trabalho, no trabalho livre sem ter, logicamente, o estado como regulador e interventor.
  • 76.
  • 78. • Adam Smith foi o principal representante de um conjunto de idéias denominado liberalismo econômico, o qual é composto pelo seguinte: - o Estado é legitimamente poderoso se for rico;
  • 79. • - para enriquecer, o Estado necessita expandir as atividades econômicas capitalistas; - para expandir as atividades capitalistas, o Estado deve dar liberdade econômica e política para os grupos particulares.
  • 80. • A principal obra de Smith foi “A riqueza das nações”, na qual ele defende que a economia deveria ser conduzida pelo livre jogo da oferta e da procura.
  • 81.
  • 83. Casa onde Newton nasceu:
  • 84. • Isaac Newton nasceu em Londres, no ano de 1643, e viveu até o ano de 1727. • Newton veio de uma família de agricultores, mas seu pai morreu antes de seu nascimento. Ele foi criado por sua avó. Um tio o enviou para o Trinity College, Cambridge, em Junho de 1661.
  • 85. Trinity College – Cambridge:
  • 86.
  • 88.
  • 89.
  • 90. • O objetivo inicial de Newton em Cambridge era o direito. Em Cambridge ele estudou a filosofia de Aristóteles (384aC-322ac), Descartes (René Descartes, 1596-1650), Gassendi (Pierre Gassendi, 1592-1655), e Boyle (Robert Boyle, 1627-1691), a nova álgebra e geometria analítica de Viète (François Vite 1540-1603), Descartes, e Wallis (John Wallis, 1616-1703)
  • 91. • A mecânica da astronomia de Copérnico e Galileu, e a ótica de Kepler o atraíram. • Seu gênio científico despertou quando uma epidemia de peste fechou a Universidade no verão de 1665, e ele retornou a Lincolnshire. Só em Londres, a peste matou mais 70.000 pessoas.
  • 92. • Lá, em um período de menos de dois anos, Newton que ainda não tinha completado 25 anos, iniciou a revolução da matemática, óptica, física e astronomia. Durante sua estada em casa, ele lançou a base do cálculo diferencial e integral.
  • 93.
  • 94. • Ele procurou dar uma explicação científica a toda natureza. Para ele todos os fenômenos da natureza eram regidos por leis próprias (Leis da Física) e o papel da ciência era o de descobrir essas leis.
  • 96.
  • 97.
  • 98. • Seu trabalho mais importante foi em mecânica celeste, que culminou com a Teoria da Gravitação Universal. Em 1666 Newton tinha versões preliminares de suas três leis do movimento.
  • 100.
  • 101. • A idéia genial de Newton em 1666 foi imaginar que a força centrípeta na Lua era proporcionada pela atração gravitacional da Terra. Com sua lei para a força centrípeta e a terceira Lei de Kepler, Newton deduziu a lei da atração gravitacional.
  • 102.
  • 103.
  • 104.
  • 105.
  • 106.
  • 107. • Depois de sofrer um colapso nervoso em 1693, Newton abandonou a pesquisa para uma posição no governo em Londres, tornando-se Guardião da Casa da Moeda Real (1696) e Mestre(1699).
  • 108.
  • 109. • Em 1703 foi eleito presidente da Sociedade real, e foi reeleito a cada ano até sua morte. Foi agraciado com o título de cavalheiro (Sir) em 1708 pela Rainha Anne, o primeiro cientista a receber esta honra. • Morreu em 31 de março de 1727 em Londres, Inglaterra.
  • 110.
  • 112.
  • 113.