Imunologia e imunonutrição - Aula de Pós Graduação - Professor Claudio Novelli

432 visualizações

Publicada em

Conceitos de imunologia, sistema imunitário (imune). Nutrição e sistema imunitário. Aspectos da imunonutrição. Alimentos funcionais. Terapia alimentar funcional.
Nutrição parenteral. Nutrição hospitalar. Dieta e saúde. Dieta e riscos à saúde.

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
432
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
16
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Imunologia e imunonutrição - Aula de Pós Graduação - Professor Claudio Novelli

  1. 1. IMUNOLOGIA E IMUNONUTRIÇÃO Prof. Claudio Novelli CREF 35.946-G/SP novelli.claudio@gmail.com
  2. 2. IMUNOLOGIA Conjunto de processos fisiológicos que permite ao organismo reconhecer corpos estranhos ou anormais. Os marcadores celulares individuais atuam no sentido de tolerância ou não tolerância a substâncias estranhas. Em caso de não tolerância, ocorre a eliminação ou neutralização, designando-se a imunidade individual.
  3. 3. INTERAÇÕES COM ATIVIDADE FÍSICA • COMPENSAÇÃO • SUPERCOMPENSAÇÃO • OVERTRAINING • REPOUSO / RECUPERAÇÃO • PERIODIZAÇÃO • PATOLOGIAS BACTERIANAS E VIRAIS • INFLAMAÇÕES PATOLÓGICAS (IVAS)
  4. 4. Treinamento físico Recuperação
  5. 5. Platô Estímulo forte passa a ser fraco Aptidão física 1 1 1 1,x Supercompensação Tempo de treinamento
  6. 6. Estímulo Forte EvoluçãodaForçaMuscular Tempo de treinamento Estímulo Muito Forte Estímulo Fraco OVERTRAINING
  7. 7. Erros na modulação do treinamento ↓ ↓ ↓ ↓ Recuperação
  8. 8. Sintomas do overtraining Sono (dia) Insônia (noite) Dores idiopáticas Tonturas Cansaço constante Patamar físico Queda de cabelos
  9. 9. Sintomas do overtraining Dores de cabeça Irritabilidade ↓ Apetite Desequilíbrio hormonal ↓ Impulso e potência sexuais Tríade ♀ atleta
  10. 10. Periodização Planejamento Ações organizadas de treinamento físico visando o máximo desempenho conforme exigências, capacidades e calendário.
  11. 11. Periodização Preparação de longos anos Ciclo olímpico Ciclo anual Macrociclo (semestral) Mesociclo (bimestral ou mensal) Microciclo (semanal) Dia ou sessão de treino (diário)
  12. 12. Periodização Linear ou Clássica (Matveev) Básica Intermediária Competição Transição Preparação Geral Preparação Específica I Preparação Específica II Refinamento Técnico "Férias“ Reprogramação V I
  13. 13. Componentes imunitários Vasos e tecidos linfáticos Órgão linfoides - Primários - medula e timo (diferenciação e maturação dos linfócitos) - Periféricos – baço, gânglios linfáticos e amídalas (locais da resposta imunitária) Células - Linfócitos T, B  plasmócitos - Fagócitos, neutrófilos, monócitosmacrófagos
  14. 14. Equilíbrio bioquímico Transporte de íons e moléculas Dissolução de compostos pela angulação magnética da molécula Preservação da função imune Amortecedor mecânico Preenchimento de tecidos Termorregulação Sudorese, convecção e volação Manutenção do esforço cardíaco Preservação do volume sistólico
  15. 15. Alimentos e movimento Alimentação  Produção E (E mecânica + E térmica) 25% = movimento 75% = calor
  16. 16. Sem termorregulação ↑ temperatura corporal em até 5oC/min Balanço térmico inviável Hipertermia Desnaturação proteica Colapso funcional Morte Principal via termorregulatória = sudorese (mão única) 15 – 20x > repouso
  17. 17. Água da sudorese Grande parte (90%) vem do plasma  do volume plasmático = comprometimento cardiovascular
  18. 18. Ação inflamatória imunitária
  19. 19. Sinais inflamatórios
  20. 20. Sempre há benefício na inflamação?
  21. 21. FASE IRRITATIVA -PARTICIPAÇÃO DE PLAQUETAS, NEUTRÓFILOS, MONÓCITOS / MACRÓFAGOS, MASTÓCITOS -LIBERAÇÃO DE HISTAMINA
  22. 22. Sistemas de coagulação
  23. 23. Metabólitos do ácido aracdônico
  24. 24. Processo inflamatório
  25. 25. FASE VASCULAR - EDEMA, RUBOR E CALOR - DILATAÇÃO ARTERIOLAR ↑ FLUXO SANGUÍNEO ↑ DENSIDADE CAPILAR ↑ VOLEMIA LOCAL ↑ PERMEABILIDADE VASCULAR - HEMOCONCENTRAÇÃO ↑ FLUXO LEUCOCITÁRIO
  26. 26. FASE EXUDATIVA EXTRAVASAMENTO LÍQUIDOS, PROTEÍNAS E CÉLULAS SANGUÍNEAS PARA A REGIÃO INTERSTICIAL OU CAVIDADES CORPORAIS
  27. 27. FASE EXUDATIVA
  28. 28. FASE DEGENERATIVA / NECRÓTICA ALTERAÇÕES DEGENERATIVAS REVERSÍVEIS OU IRREVERSÍVEIS, DERIVADAS DA AÇÃO DIRETA DO AGENTE AGRESSOR
  29. 29. FASE REPRODUTIVA / REPARATÓRIA REGENERAÇÃO -Substituição por células do mesmo tipo de tecido -ALTO POTENCIAL (células lábeis, como o epitélio superficial) -POTENCIAL LATENTE (células estáveis, como o parênquima visceral) -POTENCIAL NULO (células permanentes, como os neurônios e fibras musculares) CICATRIZAÇÃO -Substituição por tecido conjuntivo fibroso -Cicatriz permanente -Angiogênese, migração e proliferação de fibroblastos
  30. 30. CICATRIZAÇÃO
  31. 31. Processo inflamatório no microtrauma
  32. 32. Mediadores do processo inflamatório
  33. 33. Recuperação de microtrauma no miócito = hipertrofia muscular
  34. 34. Sarcômeros alinhados pré-treino Sarcômeros desalinhados pós-treino
  35. 35. Microlesão(estímuloforte)=>processoregenerativo- supercompensação
  36. 36. Microlesão= perda funcionalda fibramuscular
  37. 37. Efeitos do exercício físico no sistema imunológico Physical exercise effects in the immunological system Kleverton Krinski, Hassan Mohamed Elsangedy, Heriberto Colombo, Cosme Franklim Buzzachera, Izabel Aparecida Soares, Wagner de Campos, Sérgio Gregório da Silva RBM Jul 2010 V 67 N 7, Indexado LILACS: S0034-72642010004500002 Mattehews et al., (547 adultos)  redução de 20% do risco de infecção das vias aérea superiores em indivíduos que se exercitam regularmente numa intensidade moderada em comparação a praticantes de atividades físicas vigorosas.  processo de reparação do tecido muscular força uma dívida temporária de glutamina
  38. 38. Efeitos do exercício físico no sistema imunológico Physical exercise effects in the immunological system Kleverton Krinski, Hassan Mohamed Elsangedy, Heriberto Colombo, Cosme Franklim Buzzachera, Izabel Aparecida Soares, Wagner de Campos, Sérgio Gregório da Silva RBM Jul 2010 V 67 N 7, Indexado LILACS: S0034-72642010004500002 “...exercício moderado, de intensidade < 60 % do Vo2máx com duração < 60 min, é associado a menores perturbações no sistema imune.”
  39. 39. Leucina + CHO • Alternativa de baixo custo ao whey protein para promover a síntese de mTOR, favorecendo o ambiente catabólico. (apresentado por Marcelo Ferro, 9º Congresso Internacional GSSI, São Paulo, 2015) CORTISOL X TESTOSTERONA AO FINAL DO TREINO E NO PÓS TREINO

×