Unidade 01 importância das sementes para a agricultura

2.814 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.814
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
145
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Unidade 01 importância das sementes para a agricultura

  1. 1. Importância das Sementes para a Agricultura
  2. 2. Histórico
  3. 3. Histórico Dez mil anos atrás o homem verificou que a semente, quando plantada em condições adequadas  origem a uma planta igual a àquela que a formou e que está multiplicaria dezenas, ou até centenas de vezes, a semente original. Na época  enormes modificações nos processos mentais dos seres humanos  as sementes passaram a ser material de grande importância para a tranqüilidade e prosperidade dos povos. Divisão do trabalho:  agricultores que só produzissem sementes,  enquanto outros produzissem grãos.
  4. 4. Histórico Relatos históricos de cerca de 10 mil anos:  As sementes passaram a desempenhar um papel cada vez mais importante para um número cada vez maior de populações humanas. • No Oriente Médio, transformação verificada entre 7500 e 6750 a.C., com o início da cultura dos cereais; • Na América do Sul, cerca de 5600 a.C., com o plantio do feijão; • Na América Central e na China (milho e arroz, respectivamente), por volta de 5000 a.C. • As gramíneas, constituíram-se na base de todas as civilizações do mundo: • O trigo, provavelmente a mais velha planta cultivada da Humanidade, serviu de sustento para as civilizações da Mesopotâmia e do Nilo, e para aquelas que se desenvolveram posteriormente na Europa; • O arroz foi e é a base de civilizações Asiáticas; • O sorgo, na África • O milho, nas Américas. • Ao lado dessas gramíneas, outras espécies serviram, para fornecer os complementos em proteínas e lipídios, destacando-se, entre elas, as leguminosas.
  5. 5. Histórico As sementes passaram por muitos processos de adaptação e sobrevivência ao longo destes milhares de anos de história. A produção de sementes teve impulso após a REVOLUÇÃO INDUSTRIAL. Mecanização dos meios de produção e transporte Maior concentração urbana e redução da população rural Aparecimento de novas cidades Maior produção de alimentos e matéria prima para a indústrias.
  6. 6. Histórico Objeto de fraudes: Desde os primórdios, mas a partir do século XIX foram tomadas as primeiras providências efetivas para tentar coibir abusos desse tipo. Em 1816, em Berna, Suíça, surgiu o primeiro decreto proibindo a venda de sementes de trevo adulteradas. Mistura de trevo + areia ou sementes de outra espécies mais baratas. Trevo com 50% de pureza e 18% de germinação A promulgação de uma lei para evitar fraude não chega a ser suficiente.  criar um órgão ou instituição que verifique, mediante critérios padronizados, e se a lei em questão está sendo ou não observada.
  7. 7. Histórico No caso de sementes esse órgão é um LABORATÓRIO no qual as sementes, que se propõem vender, sejam analisadas para verificar se enquadram nos padrões de qualidade impostos pela lei. Em 1869, na Alemanha  primeiro laboratório de análise de sementes do mundo, chefiado por Friederich Nobbe (botânico e geneticista alemão). - se tornava necessária a criação de regras para analisar sementes que fossem observadas por todos os laboratórios, com resultados próximos. Nobbe trabalhou durante 7 anos e em 1876, editou seu “Handbuch der Samenkund” com 631 páginas. - por 50 anos, o manual orientou trabalhos dos laboratórios de sementes.
  8. 8. Histórico Em 1897, norte-americano Jenkins lançou novo manual de regras para análise de sementes. Em 1893, só na Alemanha tinha registro de 40 laboratórios; e EUA, em 1905, 130 laboratórios. Produtores, compradores, analistas e pesquisadores de sementes, já estavam perfeitamente integrados. Talvez o fator mais importante para o comércio de sementes, era não somente uma rígida observação das regras mais sim sua observação completa.  Em 1908, nos EUA, uniram-se e fundaram a “Association of Official Seed Analysts” (AOSA).
  9. 9. Histórico No plano internacional, a organização do setor sementeiro demorou um pouco mais para acontecer em virtude das grandes dificuldades de comunicação da época. Em 1906, em Hamburgo, Alemanha  foi realizada a Conferência Européia para Análise de Sementes. Em 1921  Associação Européia. Em 1924, em Copenhague, Dinamarca, foi transformada na International Seed Testing Association (ISTA). A ISTA, em 1931, pela primeira vez, conseguiu editar regras internacionais para análise de sementes.
  10. 10. Histórico – no Brasil Apontam o ano de 1956 como sendo aquele em que, pela primeira vez, se organizou um manual de Regras para Análise de Sementes (RAS), por iniciativa da Divisão de Sementes e Mudas da Secretaria de Agricultura do Estado de são Paulo. (Eng. Agr. Oswaldo Bacchi). A partir da edição de 1967, por decisão do Ministério da Agricultura, as RAS passaram a ter validade nacional.
  11. 11. Histórico – no Brasil Evolução no Brasil 1957 - Manual de DISEM 1965 - Lei 4727 1977 - Lei 6507 1992 - RAS - ABRATES 1999 - SNPC Portaria – 215 / Soja transgênica – 293 2001 - ISO 17.025 2003 - 05/08 Nova Lei de sementes - 10.711
  12. 12. Importância das sementes Semente  dupla função em culturas de expressão econômica. 1. Material utilizado para a multiplicação de plantas (implantação da cultura) 2. Estrutura colhida para a comercialização (grãos para consumo) “SEMENTES” e “GRÃOS”   destinam à identificação das formas de utilização;  ponto de vista botânico não há distinção;  atributos de qualidade não são os mesmos, de modo que o manejo de uma cultura deve ser dirigido ao atendimento da finalidade de utilização do produto. Ex.: Sementes devem atingir requisitos mínimos de pureza varietal e de germinação >>> aspectos não considerados para grãos.
  13. 13. Importância das sementes 1. Como mecanismo de perpetuação da espécie  meio de sobrevivência da espécie.  difusão da vida. As sementes teriam surgido como extensão da heterosporia (esporos assexuais) com resposta a pressões ambientais. Sucesso da semente como órgão de perpetuação e disseminação das espécies vegetais deve-se: 1. Capacidade de distribuir a germinação no tempo  mecanismos da dormência. 2. Capacidade de distribuir a germinação no espaço  mecanismos de dispersão: espinhos, asas, pêlos, mucilagem, rugosidade, etc.
  14. 14. Importância das sementes 2. Como elemento modificador da história do homem  Nômade  Semente-planta-semente A semente é a “ pedra fundamental” da civilização.  Sedentária  Comunidade: organização social, econômica e política
  15. 15. Importância das sementes 3. Como alimento Tecidos básicos: meristemáticos (“eixo embrionário”); tecido de reserva (cotiledonar, endospermático ou perispermático); tecido de proteção mecânica (envoltório da semente, “casca”). Tecido de reserva: - carboidratos - lipídios - proteínas Na composição química das sementes – quantidade é variável.
  16. 16. Importância das sementes Tecido de reserva: sementes amiláceas  sementes oleaginosas  sementes protéicas Amido: substância de mais fácil obtenção para a confecção de diversos tipos de alimentos. Gramíneas – base de todas as civilizações do mundo. Trigo: serviu de sustento para as civilizações da Mesopotâmia e do Nilo; Arroz: base das civilizações asiáticas; Sorgo: na África; Milho: nas Américas Além dos carboidratos serem facilmente industrialiuzáveis; São alimentos calóricos (sensação de saciedade); Em gramíneas, por ex., ocorrem em proporções superiores à 60%
  17. 17. Importância das sementes As sementes foram, e ainda são, a maneira mais fácil e mais barata de alimentação de um povo. - Em 1972, Kozlowski & Gunn: composição percentual na dieta humana de grãos (cereais e leguminosas) e produtos de origem animal (carne, leite, ovos, etc). Países subdesenvolvidos: 65-75% (grãos) / 25-35% (origem animal) Países desenvolvidos: +35% (grãos) / +65% (origem animal) Além do valor como alimento (direta/indiretamente), também constitui matéria-prima para a produção de vários artigos essenciais ou representam os materiais de multiplicação de plantas importantes para a produção de: - vestuário; - produtos medicinais; - bebidas; - madeira; - papel; - combustíveis; - rações para animais; - etc.
  18. 18. Importância das sementes 4. Como material de pesquisa Tamanho e forma: recipientes pequenos; armazenadas em grande quantidade. Desidratação: conservar por longos períodos de tempo. Organização fisiológica e bioquímica. Tecnologia de armazenamento de sementes Bancos de germoplasma
  19. 19. Importância das sementes Melhoramento genético de plantas  via sexuada As sementes constituem o centro das alterações genéticas naturais ou das planejadas pelos melhoristas. Características de concentram nas sementes  obtenção e difusão das características incorporadas aos novos cultivares. Mecanismo mais rápido e eficiente de difusão de novos cultivares.
  20. 20. Importância das sementes 5. Como inimigo do homem  problemas causados por sementes Mecanismos de dispersão e de dormência Conquista da Terra x controle de plantas daninhas Sementes produzidas com cuidado e de origem idônea  - sementes de plantas daninhas, que podem hospedar organismos nocivos, causar dificuldades à colheita e ao beneficiamento, impedir a comercialização dos lotes - queda de 5-10% da produção mundial de grãos. Disseminação de pragas e doenças
  21. 21. - Principal veículo de reprodução das plantas através do tempo e no espaço. - Forma de distribuir os melhoramentos genéticos às sucessivas gerações. - Importância econômica como alimento (correspondem a 60-70% dos alimentos consumidos mundialmente). - Transformadas pela agroindústria em uma variedade de produtos. (EMBRAPA, 2005) Importância da semente
  22. 22. O mercado de sementes Semente  MAIS IMPORTANTE INSUMO AGRÍCOLA 1. Conduz ao campo as características genéticas determinantes do desempenho do cultivar; 2. Responsável ou contribui decisivamente para o sucesso do estabelecimento do estande desejado, fornecendo a base para a produção rentável.
  23. 23. O mercado de sementes Novos desafios da AGRICULTURA  Crescimento populacional;  Aumento da renda média nos países em desenvolvimento;  Aumento da demanda por alimentos;  Aumento da produtividade;  Produção sustentável;  Novas fontes de energia.
  24. 24. Kg/ha
  25. 25. Considerações Finais  Percebe-se a importância da semente, desde os primórdios da humanidade até os dias atuais. Semente insumo básico em qualquer produção agrícola;  Uma das soluções para alimentar a crescente população mundial passa pelo aumento na produção de grãos, proporcionado pela utilização de sementes de alta qualidade.

×