Your SlideShare is downloading. ×
  • Curtir
Gênese do Pensamento e da Linguagem L. S. Vygotsky.
Próximos SlideShare
Carregando em...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Now you can save presentations on your phone or tablet

Available for both IPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Gênese do Pensamento e da Linguagem L. S. Vygotsky.

  • 29,564 visualizações
Published

O presente material constitui apontamentos utilizados por mim em minhas aulas de Fundamentos da Teoria Histórico-Cultural.

O presente material constitui apontamentos utilizados por mim em minhas aulas de Fundamentos da Teoria Histórico-Cultural.

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Tem certeza que quer?
    Sua mensagem vai aqui
    Seja o primeiro a comentar
Sem downloads

Visualizações

Visualizações totais
29,564
On SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
0

Ações

Compartilhamentos
Downloads
437
Comentários
0
Curtidas
7

Incorporar 0

No embeds

Conteúdo do relatório

Sinalizado como impróprio Sinalizar como impróprio
Sinalizar como impróprio

Selecione a razão para sinalizar essa apresentação como imprópria.

Cancelar
    No notes for slide

Transcript

  • 1. GÊNESE DA LINGUAGEM NA TEORIA SÓCIO-CULTURAL DE L.S. VIGOTSKY Prof. Me. Ronny M. de Moraes
  • 2. LEV SEMENOVICH VIGOTSKY (1896-1934) ALEXANDER R. LURIA (1902-1977)
  • 3. SISTEMAS FUNCIONAIS DE A.R. LURIA
    • Unidade para regular o tono ou a vigília
    • Unidade para obter, processar e armazenar informações
    • Unidade programar, regular e verificar a atividade mental  
  • 4.
    • (DE REGULAÇÃO TÔNICA, DE ALERTA E DOS ESTADOS MENTAIS)
    • Mantém o tônus cortical ( e o tônus corporal);
    • Experimentam as influências superiores do córtex;
    • Trabalha em íntima relação com os sistemas superiores corticais;
    • Colabora com os sistemas superiores corticais em todas as
    • manifestações da atividade consciente do ser humano – programações
    • de ações voluntárias, processos de decodificação e de codificação simbólica.
    1ª UNIDADE FUNCIONAL
  • 5. 1ª UNIDADE FUNCIONAL
    • As estruturas do tronco cerebral que participam do controle do ciclo sono-vigília são o sistema reticular ascendente, representadas fundamentalmente pelos núcleos colinérgicos, noradrenérgicos, dopaminérgicos e serotoninérgicos. O córtex cerebral também participa, especialmente o córtex pré-frontal.
  • 6.
    • (DE RECEPÇÃO, ANÁLISE E ARMAZENAMENTO DA INFORMAÇÃO)
    • Localiza-se nas divisões posteriores dos hemisférios;
    • Incorpora o lóbulo occipital (visão), o lóbulo parietal (tátilquinestésico) e o lóbulo temporal (audição);
    • Organização hierarquizada e subdividida em:
    • • Zonas nucleares primárias ( projetivas ) – recebem aferências dos analisadores específicos;
    • • Zonas secundárias ( projetivo-associativas ) – responsáveis pela codificação e síntese
    • • Zonas terciárias ( associativas ) – responsáveis pelo co-trabalho dos vários analisadores de sistemas supra modais (simbólicos) – básicas para as atividades gnósicas e cognitivas.
    2ª UNIDADE FUNCIONAL
  • 7.
    • Representada pelos córtices temporal, parietal e occipital, existindo as áreas primárias, secundárias e terciárias.
    2ª UNIDADE FUNCIONAL
  • 8. 3ª UNIDADE FUNCIONAL
    • (REGULAÇÃO E VERIFICAÇÃO DA ATIVIDADE)
    • Localizada nas regiões anteriores do córtex, formando os lóbulos frontais ;
    • Regula os movimentos voluntários;
    • Responsável pela programação, regulação e verificação da atividade;
    • “ Propicia ao ser humano a capacidade de reagir ativamente à informação recebida e, simultaneamente, da capacidade de criar intenções, formar planos e estratégias e programar as suas ações,
    • inspecionando a sua realização e, conseqüentemente, regulando seu comportamento de forma a estar conforme os fins para que foi estruturado e organizado;
    • A ação (área 4) e a coordenação (áreas 6 e 8), são as unidades dialéticas e funcionais da 3ª Unidade Funcional;
    • Governa as funções de expressão – sistemas motores eferentes.
  • 9. 3ª UNIDADE FUNCIONAL
    • É representada pelos lobos frontais, que tornam possível a intencionalidade, a planificação e a organização da conduta em relação a percepção e ao conhecimento do mundo
  • 10. Nome: Lev Semenovich VIGOTSKY Naturalidade: Orsha, Bielo-Rússia Nascimento: 17 novembro 1896 Curso superior: direito (1917) e literatura (estudou psicologia, pedagogia, filosofia e medicina) Morte: 1934 (38 anos) Publicações: 200 trabalhos científicos (neuropsicologia, psicologia, linguagem e educação)
  • 11.
    • SÓCIO-INTERACIONISTA, 1980
    • INTERACIONISTA, 1980
    • CONSTRUTIVISTA, 1980
    • SÓCIO-CONSTRUTIVISTA, 1980
    • COGNITIVISTA
    • HISTÓRICO-CULTURAL, 1990
    • SÓCIO-HISTÓRICO, 1990
    A ESCOLA DE VIGOTSKY
  • 12. A palavra história (psicologia histórica) para mim significa duas coisas: 1) abordagem dialética geral das coisas – neste sentido qualquer coisa tem sua história (...); 2) história no próprio sentido, isto é, a história do homem . Primeira história – materialismo dialético, a segunda – materialismo histórico. As funções superiores, diferentemente das inferiores, no seu desenvolvimento, são subordinadas às regularidades históricas (...). Toda a peculiaridade do psiquismo do homem está em que nele são unidas (síntese) uma e outra história... (2000, p. 23) A HISTÓRIA
  • 13. A palavra social em aplicação no nosso caso tem muitas significações: 1) mais geral – todo cultural é social; 2) sinal – forma do organismo, como instrumento, meio social ; 3) todas as funções superiores constituíram-se na filogênese, não biologicamente, mas socialmente ; 4) mais grosseira – significação – os mecanismos dela são uma cópia do social. (2000, p.26) O SOCIAL
  • 14. ESQUECI A PALAVRA QUE PRETENDIA DIZER, E MEU PENSAMENTO, PRIVADO DE SUA SUBSTÂNCIA, VOLTA AO REINO DAS SOMBRAS. (ÓSSIP MANDELSTAM)
  • 15. OBJETO SUJEITO REALIDADE HISTÓRICO-CULTURAL MEDIAÇÃO SIGNOS
  • 16.
    • Kornilov: Submeter todas as áreas da psicologia aos princípios da dialética marxista. Explicou o comportamento com base no mecanicismo e a consciência com base no idealismo, centrou-se nas reações comportamentais como elementos básicos da sua teoria, desenvolvendo uma teoria eclético-mecanicista, para a qual fatores biológicos e sociais determinam por antecipação o desenvolvimento do comportamento e da personalidade.
    • Blonsky: Trabalhou com VIGOTSKY. Acreditava que as funções mentais complexas só poderiam ser entendidas através da análise do desenvolvimento humano. As pesquisas de Blonsky estavam centradas em determinar a influência do social no desenvolvimento das funções psicológicas, o que contribuiu para que VIGOTSKY percebesse a necessidade de estudar o comportamento humano como fenômeno histórico e socialmente determinado.
    • Thurnwald e Lewy-Bruhlk: (Antropólogos e sociólogos) trabalho sobre a historicidade dos processos mentais.
    • Luria : trabalhou com o autor, sua teoria básica era que os processos psicológicos superiores são mediados pela linguagem e estruturados em sistemas funcionais dinâmicos e historicamente mutáveis.
    • Leontiev: também trabalhou com VIGOTSKY, e ocupou-se com o estudo das relações entre o desenvolvimento da psique e a cultura.
    INFLUÊNCIAS À TEORIA DE VIGOTSKY
  • 17.
    • Hegel: Influência VIGOTSKY indiretamente,  através da influência exercida sobre Marx e Engels. Segundo Hegel, o pensamento e a idéia criam a realidade. A existência do homem passa pelo pensamento. Noção de dialética.
    • Marx: criador da dialética-materialista, utiliza a noção de dialética de Hegel,   como movimento interno de produção da realidade, movimento que tem como motor a contradição. As mudanças históricas na sociedade e na vida material produzem modificações na natureza humana (consciência e comportamento). O pensamento é um reflexo da vida material e se desenvolve paralelamente ao desenvolvimento das relações sociais de trabalho. Atividade de produção como motor do processo histórico. A base da sociedade está no trabalho. É de e pelo trabalho que o homem, ao transformar a natureza, se constitui homem, construindo a sociedade e fazendo a história. São as imagens psíquicas que constituem o conteúdo da consciência.
    • Engels: Influenciado por Hegel, pelo principio dialético, admite que o meio influencia o homem, mas este, por sua vez, age sobre o meio e cria através das mudanças introduzidas, novas condições naturais para sua existências. Engels também estudou o uso de instrumentos por parte do homem como meios do homem transformar a natureza e transformar-se a si mesmo.
    INFLUÊNCIAS À TEORIA DE VIGOTSKY
  • 18. TIPOS DE FPS SEGUNDO LEV VIGOTSKY FUNÇÕES PSICOLÓGICAS SUPERIORES INFERIORES AVANÇADAS RUDIMENTARES FAMÍLIA ESCOLA
  • 19. FUNÇÕES PSICOLÓGICAS
    • INFERIORES
    • PSICOFISIOLÓGICAS
    • (naturais)
    • SENSAÇÃO
    • ATENÇÃO
    • INTEGRAÇÃO MODAL
    • PERCEPÇÃO
    • MEMÓRIA
    • AUDIÇÃO
    • VISÃO
    • SOMESTESIA
    • OLFATO
    • EMOÇÃO
    • LINGUAGEM ANIMAL (EMOTIVA).
    • INTEROCEPÇÃO
    • PROPRIOCEPÇÃO
    • EXTEROCEPÇÃO
    • SUPERIORES
    • NEUROPSICOLÓGICAS
    • (culturais)
    • CONSCIÊNCIA
    • IMAGINAÇÃO (PERCEPÇÃO GLOBAL)
    • COGNIÇÃO
    • MEMÓRIA MEDIADA
    • ATENÇÃO VOLUNTÁRIA
    • ATIVIDADE MEDIADA (USO DE INSTRUMENTOS)
    • LINGUAGEM SOCIAL (RACIONAL)
    • PENSAMENTO
    • LEITURA
    • ESCRITA.
  • 20. CARACTERÍSTICAS DAS FPS
    • Constituídas no contexto social
    • Voluntárias , ao regularem a ação através de um controle voluntário
    • Intencionais , ou seja reguladas conscientemente, mesmo que automatizadas (quando o desenvolvimento se deu num momento histórico muito afastado, a função automatizou-se ou como VIGOTSKY afirma fossilizou-se confundindo o pesquisador com funções automáticas como as funções elementares)
    • Mediatizadas pelo uso de instrumentos (signos).
    • Permitem superar o condicionamento do meio e possibilitam a reversibilidade de estímulos e respostas de maneira indefinida;
    • Implicam um processo de mediação , utilizando certas estratégias, ou por meio de determinados instrumentos psicológicos que em lugar de pretender como objetivo modificar o meio físico, como os utensílios eficientes - o machado, a enxada ou a roda -, tratam de modificar a nós mesmos, alterando diretamente nossa mente e nosso funcionamento psíquico".
  • 21.
    • " O uso de signos conduz os seres humanos a uma estrutura específica de comportamento que se destaca do desenvolvimento biológico e cria novas formas de processo psicológicos enraizados na cultura" (VIGOTSKY, 1998 p.54).
  • 22. CONCEITO DE LINGUAGEM
    • Pelo termo linguagem humana, entendemos um complexo sistema de códigos que designam objetos, características, ações ou relações; códigos que possuem a função de codificar e transmitir a informação, traduzi-la em determinados sistemas. (Luria, 1986, pág. 25)
  • 23. “ Os fundamentos marxistas enfatizam que mudanças históricas na sociedade e na vida material, produzem mudanças na consciência e no comportamento humano”. MARXISMO E A GÊNESE DA CONSCIÊNCIA
  • 24. FUNÇÕES DA LINGUAGEM
    • Forma de acessar o mundo e o pensamento
    • Fator primordial para o desenvolvimento das funções psicológicas superiores
    • Função reguladora dos processos psíquicos superiores
    • Instrumento de mediação (dirigida para dentro e para fora)
    • Forma de comunicação social
    • Função de operação
    • Função de planejamento
    • Forma de generalização e abstração
  • 25.
    • O desenvolvimento da linguagem coloca-se como paradigma para explicar a formação de todas as demais operações mentais que envolvem o uso de signos (ou seja mediadas). Assim como a linguagem todas as funções psicológicas superiores aparecem duas vezes no curso do desenvolvimento da criança. Primeiro nas atividades coletivas (social - interpsíquico) e logo nas atividades individuais (intrapsíquica).
  • 26. PREMISSAS
    • O cérebro é a base biológica das funções psicológicas;
    • A noção de que tais funções fundam-se condições objetivas da vida social (através da construção de instrumentos e signos), necessariamente histórico-culturais;
    • E a interpretação de que as funções psicológicas superiores são mediadas simbolicamente. (OLIVEIRA, 1993)
  • 27.
    • "...toda função no desenvolvimento cultural da criança aparece em cena duas vezes, em dois planos; primeiro no plano social e depois no psicológico, em princípio entre os homens como categoria interpsíquica e logo no interior da criança como categoria intrapsíquica ".
  • 28. Na consciência palavra é precisamente aquilo que, é absolutamente impossível para um homem e possível para dois. Ela é a expressão mais direta da natureza histórica da consciência humana. (Feuerbach)
  • 29. A consciência se reflete na palavra como o sol em gota de água. A palavra está para a consciência como o pequeno mundo está para o grande mundo, como a célula viva está para o organismo, como o átomo para o cosmo. Ela é o pequeno mundo da consciência. A palavra consciente é o microcosmo da consciência humana. (L.S.VIGOTSKY, Construção do pensamento e linguagem, pág. 486)
  • 30. PENSAMENTO VERBALIZADO
  • 31. FASES DA AQUISIÇÃO DA LINGUAGEM
    • LINGUAGEM SOCIAL – tem por função denominar e comunicar, é a primeira linguagem que surge.
    • LINGUAGEM EGOCÊNTRICA – constitui uma linguagem para a pessoa mesma, e não uma linguagem social, com funções de comunicação e interação. Esse “falar sozinho” é essencial porque ajuda a organizar melhor as idéias e planejar melhor as ações.
    • LINGUAGEM INTERIOR - É quando as palavras passam a ser pensadas, sem que necessariamente sejam faladas. É um pensamento em palavras.
  • 32. LINGUAGEM PENSAMENTO FUNÇÕES PSÍQUICAS SUPERIORES PENSAMENTO X LINGUAGEM Fase pré-verbal Vocalização egocêntrica Fase pré-intelectual Internalização da Linguagem ORIGEM GENÉTICA PENSAMENTO VERBAL E FALA RACIONAL Fase intelectual BIOLÓGICO HISTÓRICO-CULTURAL DISCURSO INTERIOR
  • 33.
    • O cérebro é a base biológica das funções psicológicas;
    • As funções psicológicas fundamentam-se nas condições objetivas da vida social (através da construção de instrumentos e signos), necessariamente histórico-culturais;
    • As funções psicológicas superiores são mediadas simbolicamente. (OLIVEIRA, 1993)
    PREMISSAS
  • 34. RESUMINDO...
    • O pensamento e a fala tem raízes genéticas diferentes;
    • No desenvolvimento da fala constata-se duas fases ou estágios: “estágio pré-intelectual” e no desenvolvimento do pensamento , um estágio “pré-lingüístico”;
    • Até certo ponto, fala e desenvolvimento seguem linhas diferentes;
    • Após determinando tempo, as linhas se cruzam, o pensamento se torna verbal e a fala intelectual.
  • 35. DESENVOLVIMENTO PSÍQUICO PRIMAZIA DO PRINCÍPIO SOCIAL
  • 36.  
  • 37. VIGOTSKY, L. S. Aprendizagem e desenvolvimento intelectual na idade escolar. In: VIGOTSKY, L. S. et al. Psicologia e Pedagogia I: bases psicológicas da aprendizagem e do desenvolvimento. 2. ed. Lisboa: Estampa, 1991. ____________ Manuscrito de 1929. Educação & Sociedade, São Paulo, n. 71, p.21-44, 2000. ____________ Pensamento e linguagem. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1999. VYGOTSKI. L. S. A Formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1991. ____________ Obras escogidas. Madrid: Visor; MEC, 1995. v.3, p.11-340. Historia del desarrollo de las funciones psíquicas superiores. ____________ Obras escogidas. Madrid: Visor; MEC, 1993. v. 2, p.11-348. Pensamiento y lenguaje. ___________ La Imaginacion Y El Arte En La Infancia (Ensayo Psicologico). S. de C.V, Hipanicos-Ediciones Y Distribuciones, 1989. VYGOTSKY , Leontiev, Luria. Psicologia e Pedagogia. Lisboa, Estampa, 1977. _______________________ Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. SP, Icone, 1988.