Gênese do Pensamento e da Linguagem L. S. Vygotsky.
Próximos SlideShare
Carregando em...5
×

Curtiu isso? Compartilhe com sua rede

Compartilhar

Gênese do Pensamento e da Linguagem L. S. Vygotsky.

  • 30,279 visualizações
Uploaded on

O presente material constitui apontamentos utilizados por mim em minhas aulas de Fundamentos da Teoria Histórico-Cultural.

O presente material constitui apontamentos utilizados por mim em minhas aulas de Fundamentos da Teoria Histórico-Cultural.

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Tem certeza que quer?
    Sua mensagem vai aqui
    Be the first to comment
No Downloads

Visualizações

Visualizações totais
30,279
No Slideshare
30,279
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
0

Ações

Compartilhamentos
Downloads
425
Comentários
0
Curtidas
6

Incorporar 0

No embeds

Conteúdo do relatório

Sinalizado como impróprio Sinalizar como impróprio
Sinalizar como impróprio

Selecione a razão para sinalizar essa apresentação como imprópria.

Cancelar
    No notes for slide

Transcript

  • 1. GÊNESE DA LINGUAGEM NA TEORIA SÓCIO-CULTURAL DE L.S. VIGOTSKY Prof. Me. Ronny M. de Moraes
  • 2. LEV SEMENOVICH VIGOTSKY (1896-1934) ALEXANDER R. LURIA (1902-1977)
  • 3. SISTEMAS FUNCIONAIS DE A.R. LURIA
    • Unidade para regular o tono ou a vigília
    • Unidade para obter, processar e armazenar informações
    • Unidade programar, regular e verificar a atividade mental  
  • 4.
    • (DE REGULAÇÃO TÔNICA, DE ALERTA E DOS ESTADOS MENTAIS)
    • Mantém o tônus cortical ( e o tônus corporal);
    • Experimentam as influências superiores do córtex;
    • Trabalha em íntima relação com os sistemas superiores corticais;
    • Colabora com os sistemas superiores corticais em todas as
    • manifestações da atividade consciente do ser humano – programações
    • de ações voluntárias, processos de decodificação e de codificação simbólica.
    1ª UNIDADE FUNCIONAL
  • 5. 1ª UNIDADE FUNCIONAL
    • As estruturas do tronco cerebral que participam do controle do ciclo sono-vigília são o sistema reticular ascendente, representadas fundamentalmente pelos núcleos colinérgicos, noradrenérgicos, dopaminérgicos e serotoninérgicos. O córtex cerebral também participa, especialmente o córtex pré-frontal.
  • 6.
    • (DE RECEPÇÃO, ANÁLISE E ARMAZENAMENTO DA INFORMAÇÃO)
    • Localiza-se nas divisões posteriores dos hemisférios;
    • Incorpora o lóbulo occipital (visão), o lóbulo parietal (tátilquinestésico) e o lóbulo temporal (audição);
    • Organização hierarquizada e subdividida em:
    • • Zonas nucleares primárias ( projetivas ) – recebem aferências dos analisadores específicos;
    • • Zonas secundárias ( projetivo-associativas ) – responsáveis pela codificação e síntese
    • • Zonas terciárias ( associativas ) – responsáveis pelo co-trabalho dos vários analisadores de sistemas supra modais (simbólicos) – básicas para as atividades gnósicas e cognitivas.
    2ª UNIDADE FUNCIONAL
  • 7.
    • Representada pelos córtices temporal, parietal e occipital, existindo as áreas primárias, secundárias e terciárias.
    2ª UNIDADE FUNCIONAL
  • 8. 3ª UNIDADE FUNCIONAL
    • (REGULAÇÃO E VERIFICAÇÃO DA ATIVIDADE)
    • Localizada nas regiões anteriores do córtex, formando os lóbulos frontais ;
    • Regula os movimentos voluntários;
    • Responsável pela programação, regulação e verificação da atividade;
    • “ Propicia ao ser humano a capacidade de reagir ativamente à informação recebida e, simultaneamente, da capacidade de criar intenções, formar planos e estratégias e programar as suas ações,
    • inspecionando a sua realização e, conseqüentemente, regulando seu comportamento de forma a estar conforme os fins para que foi estruturado e organizado;
    • A ação (área 4) e a coordenação (áreas 6 e 8), são as unidades dialéticas e funcionais da 3ª Unidade Funcional;
    • Governa as funções de expressão – sistemas motores eferentes.
  • 9. 3ª UNIDADE FUNCIONAL
    • É representada pelos lobos frontais, que tornam possível a intencionalidade, a planificação e a organização da conduta em relação a percepção e ao conhecimento do mundo
  • 10. Nome: Lev Semenovich VIGOTSKY Naturalidade: Orsha, Bielo-Rússia Nascimento: 17 novembro 1896 Curso superior: direito (1917) e literatura (estudou psicologia, pedagogia, filosofia e medicina) Morte: 1934 (38 anos) Publicações: 200 trabalhos científicos (neuropsicologia, psicologia, linguagem e educação)
  • 11.
    • SÓCIO-INTERACIONISTA, 1980
    • INTERACIONISTA, 1980
    • CONSTRUTIVISTA, 1980
    • SÓCIO-CONSTRUTIVISTA, 1980
    • COGNITIVISTA
    • HISTÓRICO-CULTURAL, 1990
    • SÓCIO-HISTÓRICO, 1990
    A ESCOLA DE VIGOTSKY
  • 12. A palavra história (psicologia histórica) para mim significa duas coisas: 1) abordagem dialética geral das coisas – neste sentido qualquer coisa tem sua história (...); 2) história no próprio sentido, isto é, a história do homem . Primeira história – materialismo dialético, a segunda – materialismo histórico. As funções superiores, diferentemente das inferiores, no seu desenvolvimento, são subordinadas às regularidades históricas (...). Toda a peculiaridade do psiquismo do homem está em que nele são unidas (síntese) uma e outra história... (2000, p. 23) A HISTÓRIA
  • 13. A palavra social em aplicação no nosso caso tem muitas significações: 1) mais geral – todo cultural é social; 2) sinal – forma do organismo, como instrumento, meio social ; 3) todas as funções superiores constituíram-se na filogênese, não biologicamente, mas socialmente ; 4) mais grosseira – significação – os mecanismos dela são uma cópia do social. (2000, p.26) O SOCIAL
  • 14. ESQUECI A PALAVRA QUE PRETENDIA DIZER, E MEU PENSAMENTO, PRIVADO DE SUA SUBSTÂNCIA, VOLTA AO REINO DAS SOMBRAS. (ÓSSIP MANDELSTAM)
  • 15. OBJETO SUJEITO REALIDADE HISTÓRICO-CULTURAL MEDIAÇÃO SIGNOS
  • 16.
    • Kornilov: Submeter todas as áreas da psicologia aos princípios da dialética marxista. Explicou o comportamento com base no mecanicismo e a consciência com base no idealismo, centrou-se nas reações comportamentais como elementos básicos da sua teoria, desenvolvendo uma teoria eclético-mecanicista, para a qual fatores biológicos e sociais determinam por antecipação o desenvolvimento do comportamento e da personalidade.
    • Blonsky: Trabalhou com VIGOTSKY. Acreditava que as funções mentais complexas só poderiam ser entendidas através da análise do desenvolvimento humano. As pesquisas de Blonsky estavam centradas em determinar a influência do social no desenvolvimento das funções psicológicas, o que contribuiu para que VIGOTSKY percebesse a necessidade de estudar o comportamento humano como fenômeno histórico e socialmente determinado.
    • Thurnwald e Lewy-Bruhlk: (Antropólogos e sociólogos) trabalho sobre a historicidade dos processos mentais.
    • Luria : trabalhou com o autor, sua teoria básica era que os processos psicológicos superiores são mediados pela linguagem e estruturados em sistemas funcionais dinâmicos e historicamente mutáveis.
    • Leontiev: também trabalhou com VIGOTSKY, e ocupou-se com o estudo das relações entre o desenvolvimento da psique e a cultura.
    INFLUÊNCIAS À TEORIA DE VIGOTSKY
  • 17.
    • Hegel: Influência VIGOTSKY indiretamente,  através da influência exercida sobre Marx e Engels. Segundo Hegel, o pensamento e a idéia criam a realidade. A existência do homem passa pelo pensamento. Noção de dialética.
    • Marx: criador da dialética-materialista, utiliza a noção de dialética de Hegel,   como movimento interno de produção da realidade, movimento que tem como motor a contradição. As mudanças históricas na sociedade e na vida material produzem modificações na natureza humana (consciência e comportamento). O pensamento é um reflexo da vida material e se desenvolve paralelamente ao desenvolvimento das relações sociais de trabalho. Atividade de produção como motor do processo histórico. A base da sociedade está no trabalho. É de e pelo trabalho que o homem, ao transformar a natureza, se constitui homem, construindo a sociedade e fazendo a história. São as imagens psíquicas que constituem o conteúdo da consciência.
    • Engels: Influenciado por Hegel, pelo principio dialético, admite que o meio influencia o homem, mas este, por sua vez, age sobre o meio e cria através das mudanças introduzidas, novas condições naturais para sua existências. Engels também estudou o uso de instrumentos por parte do homem como meios do homem transformar a natureza e transformar-se a si mesmo.
    INFLUÊNCIAS À TEORIA DE VIGOTSKY
  • 18. TIPOS DE FPS SEGUNDO LEV VIGOTSKY FUNÇÕES PSICOLÓGICAS SUPERIORES INFERIORES AVANÇADAS RUDIMENTARES FAMÍLIA ESCOLA
  • 19. FUNÇÕES PSICOLÓGICAS
    • INFERIORES
    • PSICOFISIOLÓGICAS
    • (naturais)
    • SENSAÇÃO
    • ATENÇÃO
    • INTEGRAÇÃO MODAL
    • PERCEPÇÃO
    • MEMÓRIA
    • AUDIÇÃO
    • VISÃO
    • SOMESTESIA
    • OLFATO
    • EMOÇÃO
    • LINGUAGEM ANIMAL (EMOTIVA).
    • INTEROCEPÇÃO
    • PROPRIOCEPÇÃO
    • EXTEROCEPÇÃO
    • SUPERIORES
    • NEUROPSICOLÓGICAS
    • (culturais)
    • CONSCIÊNCIA
    • IMAGINAÇÃO (PERCEPÇÃO GLOBAL)
    • COGNIÇÃO
    • MEMÓRIA MEDIADA
    • ATENÇÃO VOLUNTÁRIA
    • ATIVIDADE MEDIADA (USO DE INSTRUMENTOS)
    • LINGUAGEM SOCIAL (RACIONAL)
    • PENSAMENTO
    • LEITURA
    • ESCRITA.
  • 20. CARACTERÍSTICAS DAS FPS
    • Constituídas no contexto social
    • Voluntárias , ao regularem a ação através de um controle voluntário
    • Intencionais , ou seja reguladas conscientemente, mesmo que automatizadas (quando o desenvolvimento se deu num momento histórico muito afastado, a função automatizou-se ou como VIGOTSKY afirma fossilizou-se confundindo o pesquisador com funções automáticas como as funções elementares)
    • Mediatizadas pelo uso de instrumentos (signos).
    • Permitem superar o condicionamento do meio e possibilitam a reversibilidade de estímulos e respostas de maneira indefinida;
    • Implicam um processo de mediação , utilizando certas estratégias, ou por meio de determinados instrumentos psicológicos que em lugar de pretender como objetivo modificar o meio físico, como os utensílios eficientes - o machado, a enxada ou a roda -, tratam de modificar a nós mesmos, alterando diretamente nossa mente e nosso funcionamento psíquico".
  • 21.
    • " O uso de signos conduz os seres humanos a uma estrutura específica de comportamento que se destaca do desenvolvimento biológico e cria novas formas de processo psicológicos enraizados na cultura" (VIGOTSKY, 1998 p.54).
  • 22. CONCEITO DE LINGUAGEM
    • Pelo termo linguagem humana, entendemos um complexo sistema de códigos que designam objetos, características, ações ou relações; códigos que possuem a função de codificar e transmitir a informação, traduzi-la em determinados sistemas. (Luria, 1986, pág. 25)
  • 23. “ Os fundamentos marxistas enfatizam que mudanças históricas na sociedade e na vida material, produzem mudanças na consciência e no comportamento humano”. MARXISMO E A GÊNESE DA CONSCIÊNCIA
  • 24. FUNÇÕES DA LINGUAGEM
    • Forma de acessar o mundo e o pensamento
    • Fator primordial para o desenvolvimento das funções psicológicas superiores
    • Função reguladora dos processos psíquicos superiores
    • Instrumento de mediação (dirigida para dentro e para fora)
    • Forma de comunicação social
    • Função de operação
    • Função de planejamento
    • Forma de generalização e abstração
  • 25.
    • O desenvolvimento da linguagem coloca-se como paradigma para explicar a formação de todas as demais operações mentais que envolvem o uso de signos (ou seja mediadas). Assim como a linguagem todas as funções psicológicas superiores aparecem duas vezes no curso do desenvolvimento da criança. Primeiro nas atividades coletivas (social - interpsíquico) e logo nas atividades individuais (intrapsíquica).
  • 26. PREMISSAS
    • O cérebro é a base biológica das funções psicológicas;
    • A noção de que tais funções fundam-se condições objetivas da vida social (através da construção de instrumentos e signos), necessariamente histórico-culturais;
    • E a interpretação de que as funções psicológicas superiores são mediadas simbolicamente. (OLIVEIRA, 1993)
  • 27.
    • "...toda função no desenvolvimento cultural da criança aparece em cena duas vezes, em dois planos; primeiro no plano social e depois no psicológico, em princípio entre os homens como categoria interpsíquica e logo no interior da criança como categoria intrapsíquica ".
  • 28. Na consciência palavra é precisamente aquilo que, é absolutamente impossível para um homem e possível para dois. Ela é a expressão mais direta da natureza histórica da consciência humana. (Feuerbach)
  • 29. A consciência se reflete na palavra como o sol em gota de água. A palavra está para a consciência como o pequeno mundo está para o grande mundo, como a célula viva está para o organismo, como o átomo para o cosmo. Ela é o pequeno mundo da consciência. A palavra consciente é o microcosmo da consciência humana. (L.S.VIGOTSKY, Construção do pensamento e linguagem, pág. 486)
  • 30. PENSAMENTO VERBALIZADO
  • 31. FASES DA AQUISIÇÃO DA LINGUAGEM
    • LINGUAGEM SOCIAL – tem por função denominar e comunicar, é a primeira linguagem que surge.
    • LINGUAGEM EGOCÊNTRICA – constitui uma linguagem para a pessoa mesma, e não uma linguagem social, com funções de comunicação e interação. Esse “falar sozinho” é essencial porque ajuda a organizar melhor as idéias e planejar melhor as ações.
    • LINGUAGEM INTERIOR - É quando as palavras passam a ser pensadas, sem que necessariamente sejam faladas. É um pensamento em palavras.
  • 32. LINGUAGEM PENSAMENTO FUNÇÕES PSÍQUICAS SUPERIORES PENSAMENTO X LINGUAGEM Fase pré-verbal Vocalização egocêntrica Fase pré-intelectual Internalização da Linguagem ORIGEM GENÉTICA PENSAMENTO VERBAL E FALA RACIONAL Fase intelectual BIOLÓGICO HISTÓRICO-CULTURAL DISCURSO INTERIOR
  • 33.
    • O cérebro é a base biológica das funções psicológicas;
    • As funções psicológicas fundamentam-se nas condições objetivas da vida social (através da construção de instrumentos e signos), necessariamente histórico-culturais;
    • As funções psicológicas superiores são mediadas simbolicamente. (OLIVEIRA, 1993)
    PREMISSAS
  • 34. RESUMINDO...
    • O pensamento e a fala tem raízes genéticas diferentes;
    • No desenvolvimento da fala constata-se duas fases ou estágios: “estágio pré-intelectual” e no desenvolvimento do pensamento , um estágio “pré-lingüístico”;
    • Até certo ponto, fala e desenvolvimento seguem linhas diferentes;
    • Após determinando tempo, as linhas se cruzam, o pensamento se torna verbal e a fala intelectual.
  • 35. DESENVOLVIMENTO PSÍQUICO PRIMAZIA DO PRINCÍPIO SOCIAL
  • 36.  
  • 37. VIGOTSKY, L. S. Aprendizagem e desenvolvimento intelectual na idade escolar. In: VIGOTSKY, L. S. et al. Psicologia e Pedagogia I: bases psicológicas da aprendizagem e do desenvolvimento. 2. ed. Lisboa: Estampa, 1991. ____________ Manuscrito de 1929. Educação & Sociedade, São Paulo, n. 71, p.21-44, 2000. ____________ Pensamento e linguagem. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1999. VYGOTSKI. L. S. A Formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1991. ____________ Obras escogidas. Madrid: Visor; MEC, 1995. v.3, p.11-340. Historia del desarrollo de las funciones psíquicas superiores. ____________ Obras escogidas. Madrid: Visor; MEC, 1993. v. 2, p.11-348. Pensamiento y lenguaje. ___________ La Imaginacion Y El Arte En La Infancia (Ensayo Psicologico). S. de C.V, Hipanicos-Ediciones Y Distribuciones, 1989. VYGOTSKY , Leontiev, Luria. Psicologia e Pedagogia. Lisboa, Estampa, 1977. _______________________ Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. SP, Icone, 1988.