A Abordagem Histórico-
Cultural de Lev Vigotski
Prof. Pedro Victor
Vida e Obra
Lev Seminovich Vigotski (1896-1934)
 Nasceu em Orsha, cidade provinciana
da Bielo-Rússia;
 Graduou-se em Dir...
 Publicou artigos sobre problemas da
prática educacional, tratando sobre a
educação de pessoas com deficiência;
 Em 1924...
 Desenvolveu com outros cientistas,
estudos nas áreas de Psicologia e
anormalidades físicas e mentais;
 Ao concluir o cu...
Concepção de Homem
Diferentemente do animal, cujo comportamento tem
apenas duas fontes - 1) os programas hereditários de
c...
Aportes Teóricos
 Mediação;
 Internalização;
 Zona de Desenvolvimento Proximal;
 Aprendizagem x Desenvolvimento;
Mediação
A aranha realiza operações que lembram o tecelão, e
as caixas suspensas que as abelhas constroem
envergonham o tr...
• A invenção e o uso de signos como meios auxiliares
para solucionar um dado problema psicológico
(lembrar, comparar coisa...
• As funções psicológicas humanas aparecem duas vezes na
vida das pessoas: primeiro intermental – intersubjetivamente
- e,...
• A ZDP define aquelas funções que ainda não
amadureceram, mas que estão em processo de maturação,
funções que amadurecerã...
 Aprendizado humano pressupõe uma natureza
social específica e um processo através do
qual as crianças penetram na vida i...
Os processos de aprendizagem e
desenvolvimento
 Sistematizou uma nova abordagem
acerca dos processos de
desenvolvimento d...
ESSES PLANOS SÃO:
 Filogênese (história da espécie
humana);
 Sociogênese (história cultural);
 Ontogênese (percurso de ...
 O aprendizado adequadamente
organizado resulta em desenvolvimento
mental e põe em movimento vários
processos de desenvol...
• Educação [formal] propicia novas ‘ferramentas
para o intelecto’ ...mas sem os contextos de uso,
estas ferramentas revela...
• O conceito de zona de desenvolvimento
proximal nos possibilita abordar o processo de
aprendizado e de desenvolvimento da...
• O processo de aprendizado dos conteúdos escolares não se
esgota num tempo determinado, mas ele se consolida e se
amplia ...
A abordagem histórico cultural de lev vigotski
A abordagem histórico cultural de lev vigotski
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A abordagem histórico cultural de lev vigotski

978 visualizações

Publicada em

Psicologia da Educação

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
978
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
35
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A abordagem histórico cultural de lev vigotski

  1. 1. A Abordagem Histórico- Cultural de Lev Vigotski Prof. Pedro Victor
  2. 2. Vida e Obra Lev Seminovich Vigotski (1896-1934)  Nasceu em Orsha, cidade provinciana da Bielo-Rússia;  Graduou-se em Direito e Filologia pela Universidade de Moscou;  Entre 1917 e 1923 atuou como professor e pesquisador no campo das Artes, Literatura e Psicologia;
  3. 3.  Publicou artigos sobre problemas da prática educacional, tratando sobre a educação de pessoas com deficiência;  Em 1924 aprofundou seus estudos sobre Psicologia, questionando a educação de pessoas com deficiência;  Fundou em Moscou o Instituto de Estudos das Deficiências;  Entre os anos de 1925 a 1935 lecionou Psicologia e Pedagogia em Moscou e Leningrado;
  4. 4.  Desenvolveu com outros cientistas, estudos nas áreas de Psicologia e anormalidades físicas e mentais;  Ao concluir o curso de Medicina é convidado a dirigir o Departamento de Psicologia do Instituto Soviético de Medicina Experimental;  Vigotski liderou um grupo de pesquisadores soviéticos que fundaram a base da Escola de Psicologia da União Soviética. Entre eles estavam Aleksei Leontiev (1904-1979) e Aleksander Luria
  5. 5. Concepção de Homem Diferentemente do animal, cujo comportamento tem apenas duas fontes - 1) os programas hereditários de comportamento, subjacente no genótipo e 2) os resultados da experiência individual - a atividade consciente do homem possui ainda uma terceira fonte: a grande maioria dos conhecimentos e habilidades do homem se forma por meio da asssimilação da experiência de toda a humanidade, acumulada no processo da história social e transmissível no processo de aprendizagem. (...) A grande maioria de conhecimentos, habilidades e procedimentos do comportamento de que dispõe o homem não são o resultado de sua experiência própria mas adquiridos pela assimilação da experiência histórica-social de gerações. Este traço diferencia radicalmente a atividade consciente do homem do comportamento animal. (Luria, 1979, p. 73)
  6. 6. Aportes Teóricos  Mediação;  Internalização;  Zona de Desenvolvimento Proximal;  Aprendizagem x Desenvolvimento;
  7. 7. Mediação A aranha realiza operações que lembram o tecelão, e as caixas suspensas que as abelhas constroem envergonham o trabalho de muitos arquitetos. Mas até mesmo o pior dos arquitetos difere, de início, da mais hábil das abelhas, pelo fato de que, antes de fazer uma caixa de madeira, ele já a construiu mentalmente. No final do processo do trabalho, ele obtém um resultado que já existia em sua mente antes de ele começar a construção. O arquiteto não só modifica a forma que lhe foi dada pela natureza, dentro das restrições impostas pela natureza, como também realiza um plano que lhe é próprio, definindo os meios e o caráter da atividade aos quais ele deve subordinar sua vontade. Marx
  8. 8. • A invenção e o uso de signos como meios auxiliares para solucionar um dado problema psicológico (lembrar, comparar coisas, relatar, escolher, etc.), é análoga à invenção e uso de instrumentos, só que agora no campo psicológico. O signo age como um instrumento da atividade psicológica de maneira análoga ao papel do instrumento no trabalho. (Vigotski, 1991, p. 59-60). • Os signos têm a função de controlar não só o comportamento de outras pessoas, mas o comportamento do próprio indivíduo. Mediação
  9. 9. • As funções psicológicas humanas aparecem duas vezes na vida das pessoas: primeiro intermental – intersubjetivamente - e, em seguida, intramental - subjetivamente. Primeiro entre as pessoas e depois no interior da própria pessoa. • Este movimento é caracterizado por Vigotski como internalização: reconstrução interna de uma atividade externa. Isto implica numa reorganização das atividades sobre a base das operações com signos, o que pressupõe a incorporação da cultura pelo sujeito e, ao mesmo tempo, a configuração do próprio sujeito e a reestruturação das atividades reflexas do organismo. LINGUAGEM - comunicativa comunicativa x egocêntrica fala interiorizada Internalização
  10. 10. • A ZDP define aquelas funções que ainda não amadureceram, mas que estão em processo de maturação, funções que amadurecerão, mas que estão presentemente em estado embrionário. • Perspectiva histórica do aprendizado x desenvolvimento: o NDR caracteriza o desenvolvimento mental retrospectivamente, enquanto a ZDP caracteriza o desenvolvimento prospectivamente. • A ZDP permite-nos delinear o futuro imediato da criança e seu estado dinâmico de desenvolvimento, propiciando não somente ao que já foi atingido através do desenvolvimento, como também àquilo que está em processo de maturação. Zona de Desenvolvimento Proximal
  11. 11.  Aprendizado humano pressupõe uma natureza social específica e um processo através do qual as crianças penetram na vida intelectual daquelas que o cercam.  Aprendizado cria ZDP, desperta vários processos internos de desenvolvimento que são capazes de operar somente quando a criança interage com pessoas em seu ambiente e quando em cooperação com seus companheiros.  Uma vez internalizados, esses processos tornam-se parte das aquisições do desenvolvimento independente da criança. Aprendizado x Desenvolvimento
  12. 12. Os processos de aprendizagem e desenvolvimento  Sistematizou uma nova abordagem acerca dos processos de desenvolvimento do pensamento e das funções cognitivas de um Sujeito histórico.  Explica sua teoria através de quatro planos que em interação constituem o psiquismo de cada indivíduo.
  13. 13. ESSES PLANOS SÃO:  Filogênese (história da espécie humana);  Sociogênese (história cultural);  Ontogênese (percurso de vida do indivíduo);  Microgênese (história das aprendizagens particulares).
  14. 14.  O aprendizado adequadamente organizado resulta em desenvolvimento mental e põe em movimento vários processos de desenvolvimento que, de outra forma, seriam impossíveis de acontecer.  O “bom aprendizado” é somente aquele que se adianta ao desenvolvimento. Aprendizado x Desenvolvimento
  15. 15. • Educação [formal] propicia novas ‘ferramentas para o intelecto’ ...mas sem os contextos de uso, estas ferramentas revelam-se `enferrujadas’ e caem no desuso. (Cole, 1990, p. 106). • Compreendermos o processo educacional formal sob esta ótica implica levarmos em consideração, no processo de avaliação, as maneiras como os alunos/professores se apropriam (cognitiva e socialmente) dos conteúdos escolares e como eles os operacionalizam na interpretação da realidade social em que estão inseridos (pois, caso isso não venha ocorrer, eles se tornarão "enferrujados"). No contexto educacional
  16. 16. • O conceito de zona de desenvolvimento proximal nos possibilita abordar o processo de aprendizado e de desenvolvimento das crianças numa perspectiva histórica • Ao operacionalizarmos tal conceito em nossa prática pedagógica, estaremos estabelecendo um diagnóstico e um prognóstico das crianças, o que nos possibilitará planejarmos estratégias educacionais para que elas consigam superar seu nível de desenvolvimento real.
  17. 17. • O processo de aprendizado dos conteúdos escolares não se esgota num tempo determinado, mas ele se consolida e se amplia à medida que é oferecido aos alunos situações para exercitarem tais conteúdos. Ao oportunizar situações em que isso é possível, o professor possibilita aos alunos darem novos significados para os conceitos aprendidos. • O aprendizado dos conteúdos escolares não se dá exclusivamente a partir da relação professor x aluno que se estabelece dentro da sala de aula, mas a partir do exercício social dos mesmos, no contato com a realidade em que os professores e alunos estão envolvido, ou seja, é o exercício social do conhecimento que permitirá aos alunos darem um sentido próprio para o conhecimento oferecido pela escola.

×