SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 24
Maria Teresa A. Freitas
O eixo central deste texto é  a concepção de desenvolvimento de Vygotsky que integra  o natural e o cultural.  Desse ponto de partida situo as questões da  mediação e da relação linguagem-pensamento  que se refletem na  formação dos conceitos , para uma melhor compreensão da  relação da aprendizagem com o desenvolvimento , ponto focal do fazer do professor. Fundamentos da Abordagem Histórico-cultural
[object Object],[object Object],[object Object],FUNÇÕES MENTAIS ELEMENTARES (FME):   determinadas imediatamente e automaticamente pelos estímulos externos ou pelos estímulos internos baseados nas necessidades biológicas. As FME nos são dadas.  FUNÇÕES MENTAIS SUPERIORES (FMS):   funções tipicamente humanas: ações controladas tais como, atenção voluntária, memória lógica, pensamento abstrato, ação intencional. FMS são funções construídas a partir das interações entre as pessoas e o meio cultural.  É nas relações sociais, via linguagem, que o sujeito constitui suas formas de ação e sua consciência, deixando de ser um ser biológico (com FME) para se transformar em um ser sócio-histórico (com FMS). Fundamentos da Abordagem Histórico-cultural
[object Object],[object Object],[object Object],Fundamentos da Abordagem Histórico-cultural
Vygotsky (1995b) define o desenvolvimento não como uma acumulação gradual de mudanças individuais, mas como um complexo processo dialético que se distingue por uma complicada periodicidade, a desproporção no desenvolvimento das diversas funções, a metamorfose ou transformação qualitativa de umas formas em outras, um entrelaçamento complexo de processos evolutivos e involutivos, o complexo  cruzamento de fatores externos e internos, um  processo adaptativo de superação de dificuldades. (p.141) Fundamentos da Abordagem Histórico-cultural
Quando a educação chega a esse ponto, quer dizer, quando o educador dialoga com o educando, a relação se complica, a atividade educativa muda, porque não há dúvida de que há sujeitos de ambos os lados. O movimento que vai de mim para o outro  passa a ser o mesmo movimento que vem  do outro para mim. O educador, esforçando-se por persuadir, por convencer seu interlocutor, participa de um processo que os envolve, que altera ambos. Por conseguinte, o educador também é educado. (Leandro Konder, Jornal do Brasil, B8, 2002.)  Fundamentos da Abordagem Histórico-cultural
Mediação: conceito chave O homem não tem um acesso direto aos objetos do conhecimento mas um acesso mediado que é possibilitado por  sistemas semióticos, destacando-se aí o papel da linguagem.  Os seres humanos criaram instrumentos psicológicos e sistemas de signos ujo uso lhes permite transformar e conhecer o mundo, comunicar suas experiências e desenvolver novas funções psicológicas. A mediação dos sistemas de signos constitui o que denominamos mediação semiótica.  (Pino,1991,p.33). Fundamentos da Abordagem Histórico-cultural
Assim, ao operar com os sistemas simbólicos trabalhando a abstração e a generalização, o ser humano vai desenvolvendo formas de pensamento impossíveis sem estes processos representacionais, construindo as FMS, tipicamente humanas. (Oliveira, 1992) Fundamentos da Abordagem Histórico-cultural
Pensamento pré-verbal Linguagem pré-intelectual Pensamento verbal Linguagem racional Fundamentos da Abordagem Histórico-cultural
Unidade de análise :  significado da palavra Contém em si mesmo dois tópicos essenciais: comunicação e generalização.    Fenômeno verbal: comunicação A palavra sem significado não é palavra, mas um som vazio, portanto, o significado é um traço constitutivo indispensável da palavra. Daí  que o significado é  um fenômeno do discurso.    Fenômeno do pensamento: generalização O significado da palavra não é senão uma generalização ou um conceito.  Toda a formação de conceitos é um ato do pensamento.    A palavra funciona como o  meio  para a formação do conceito, tornando-se depois o seu  símbolo . Fundamentos da Abordagem Histórico-cultural
Percurso genético do pensamento conceitual Vygotsky estabelece três tipos de pensamento: 1) Pensamento Sincrético a) ensaio e erro b) vínculos subjetivos da percepção c) significado único para os diferentes grupos unificados na percepção da criança 2)  Pensamento por Complexos Cinco sub-tipos: a) organizações associativas,  b) por coleções,  c) em cadeia,  d) difusas,  e) pseudo-conceito.  3) Pensamento por Conceitos Três sub-tipos:  a) generalizações com base no máximo de semelhanças b) conceitos potenciais que realizam agrupamentos  com referência a um único atributo   c) finalmente o conceito propriamente dito. Fundamentos da Abordagem Histórico-cultural
Pensamento sincrético : caracteriza-se pela capacidade da criança realizar agrupamentos de objetos desiguais como amontoados desorganizados agrupados sem qualquer fundamento tendo como base nexos vagos, subjetivos ligados a fatores perceptivos sem relação com os atributos relevantes dos objetos.  Pensamento por complexos : os objeto isolados associam-se na mente da criança, não apenas devido às impressões subjetivas mas devidos às relações que de fato existem entre esses objetos. È um tipo de pensamento que já demostra uma certa coerência e objetividade. Entretanto, as ligações que a criança estabelece entre seus componentes são concretas e fatuais e não abstratas e lógicas. Essas ligações fatuais são descobertas por meio da experiência direta. Pode-se dizer que o pensamento por complexo é pois, um agrupamento concreto de objetos unidos por ligações fatuais.  Pensamento por conceitos : supõe não só a combinação e a generalização de determinados elementos concretos da experiência mas também a discriminação, a abstração e o isolamentos de determinados elementos discriminados e abstraídos fora do vínculo concreto e fatual em que são dados na experiência. Fundamentos da Abordagem Histórico-cultural
Pensamento por Complexos Conceitos verdadeiros Pensamento por Complexos Fundamentos da Abordagem Histórico-cultural
O estudo sobre conceitos concretiza a concepção de Vygotsky sobre o processo de desenvolvimento caracterizado pelas duas linhas natural e cultural:  O indivíduo humano, dotado de um aparato biológico que estabelece limites e possibilidades para seu funcionamento  psicológico, interage simultaneamente com o mundo real em que vive e com as formas de organização desse real dadas pela cultura. Essas formas culturalmente dadas serão, ao longo do processo de desenvolvimento, internalizadas pelo indivíduo e se constituirão no material simbólico que fará a mediação entre o  sujeito e o objeto de conhecimento. No caso de formação dos conceitos, fundamental no desenvolvimento dos processos psicológicos superiores, a criança interage com os atributos presentes nos elementos do mundo real, sendo essa interação direcionada pelas palavras que designam categorias culturalmente organizadas. A linguagem internalizada, passa a representar essas categorias e a funcionar como instrumento de organização do conhecimento.(Oliveira, 1992, p.30-31). Fundamentos da Abordagem Histórico-cultural
Conceitos espontâneos : são formados pela criança em sua experiência cotidiana, no contato com as pessoas de seu meio, de sua cultura, em confronto com uma situação concreta . Fundamentos da Abordagem Histórico-cultural
Conceitos espontâneos Relação direta com o objeto Atenção para o aluno está orientada para o objeto e não para o ato de pensar Fundamentos da Abordagem Histórico-cultural
Conceitos científicos :  não são diretamente acessíveis à observação ou ação imediata da criança sendo portanto  adquiridos  por meio do ensino, como parte de um sistema organizado de conhecimentos, através de processos deliberados de instrução escolar. A aprendizagem é pois, uma das principais fontes de desenvolvimento dos conceitos científicos.  Fundamentos da Abordagem Histórico-cultural
Conceitos científicos Relação indireta com o objeto mediada por outros conceitos Exige, portanto generalização, tomada de consciência e sistematização de conceitos Fundamentos da Abordagem Histórico-cultural
Os conceitos científicos descem ao concreto, aos espontâneos , enquanto estes procuram ascender, subir ao nível de abstração, de consciência e de uso deliberado dos conceitos científicos. Este movimento é assim explicado por Vygotsky:  Poder-se-ia dizer que o desenvolvimento dos conceitos espontâneos da criança é ascendente, enquanto o desenvolvimento dos seus conceitos científicos é descendente, para um nível mais elementar e concreto. Isso decorre das diferentes formas pelas quais os dois tipos de conceitos surgem. (1991, p.93)   Fundamentos da Abordagem Histórico-cultural
Conceitos científicos (movimento descendente) Conceitos espontâneos (movimento ascendente) Fundamentos da Abordagem Histórico-cultural
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Fundamentos da Abordagem Histórico-cultural
Aprendizagem NÃO É: - Algo externo e posterior ao desenvolvimento (Teoria 1) - Igual ao desenvolvimento (Teoria 2)   MAS É: Condição prévia ao processo de desenvolvimento   Desenvolvimento das FMS exige: - Um contexto de interação - Internalização de instrumentos e signos - Apropriação Isto é aprendizagem Fundamentos da Abordagem Histórico-cultural
    1)    DESENVOLVIMENTO X APRENDIZAGEM Aprendizagem  precede  o desenvolvimento Consequências     da Escola: lugar da prendizagem  para o aluno;  da produção de conceitos  científicos    Importância:    do professor     æ       Das relações interpessoais     Sujeito  Objeto      Outro      Linguagem   Fundamentos da Abordagem Histórico-cultural
2)    ZONA DE DESENVOLVIMENTO PROXIMAL        nível de desenvolvimento real (solução  .  .  .  independente) Distância entre:     nível de desenvolvimento potencial  .  (solução sob orientação)   Bom ensino    direcionado às funções potenciais para  o       que o aluno ainda não é capaz de fazer   Prospectivo Fundamentos da Abordagem Histórico-cultural

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

1.processo de ensino e aprendizagem
1.processo de ensino e aprendizagem1.processo de ensino e aprendizagem
1.processo de ensino e aprendizagemAlba Mate Mate
 
Vygotsky e a Teoria da Zona de Desenvolvimento Proximal
Vygotsky e a Teoria da Zona de Desenvolvimento ProximalVygotsky e a Teoria da Zona de Desenvolvimento Proximal
Vygotsky e a Teoria da Zona de Desenvolvimento ProximalCícero Quarto
 
Fases do desenvolvimento - Piaget
Fases do desenvolvimento -  PiagetFases do desenvolvimento -  Piaget
Fases do desenvolvimento - PiagetElisms88
 
Correntes Pedagógicas
Correntes PedagógicasCorrentes Pedagógicas
Correntes PedagógicasKogen Gouveia
 
Slide introduçao a pedagogia
Slide introduçao a pedagogiaSlide introduçao a pedagogia
Slide introduçao a pedagogiaCamilla Follador
 
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagemPsicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagemDébora Silveira
 
Didática relação professor /aluno
Didática relação professor /alunoDidática relação professor /aluno
Didática relação professor /alunotaniaamorim23
 
Teorias da Aprendizagem e Modelos Pedagógicos
Teorias da Aprendizagem e Modelos PedagógicosTeorias da Aprendizagem e Modelos Pedagógicos
Teorias da Aprendizagem e Modelos PedagógicosInstituto Consciência GO
 
Epistemologia genética de jean piaget primeira parte
Epistemologia genética de jean piaget primeira parteEpistemologia genética de jean piaget primeira parte
Epistemologia genética de jean piaget primeira parteAnaí Peña
 
Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemThais1976
 
David ausubel - Aprendizagem Significativa
David ausubel - Aprendizagem SignificativaDavid ausubel - Aprendizagem Significativa
David ausubel - Aprendizagem SignificativaKete Martins Rufino
 
Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemMarcelo Assis
 
Psicologia Da EducaçãO Aula IntrodutóRia
Psicologia Da EducaçãO  Aula IntrodutóRiaPsicologia Da EducaçãO  Aula IntrodutóRia
Psicologia Da EducaçãO Aula IntrodutóRiaSilvia Marina Anaruma
 

Mais procurados (20)

1.processo de ensino e aprendizagem
1.processo de ensino e aprendizagem1.processo de ensino e aprendizagem
1.processo de ensino e aprendizagem
 
Vygotsky e a Teoria da Zona de Desenvolvimento Proximal
Vygotsky e a Teoria da Zona de Desenvolvimento ProximalVygotsky e a Teoria da Zona de Desenvolvimento Proximal
Vygotsky e a Teoria da Zona de Desenvolvimento Proximal
 
Fases do desenvolvimento - Piaget
Fases do desenvolvimento -  PiagetFases do desenvolvimento -  Piaget
Fases do desenvolvimento - Piaget
 
Correntes Pedagógicas
Correntes PedagógicasCorrentes Pedagógicas
Correntes Pedagógicas
 
Slide introduçao a pedagogia
Slide introduçao a pedagogiaSlide introduçao a pedagogia
Slide introduçao a pedagogia
 
Vygotsky
VygotskyVygotsky
Vygotsky
 
Aprendizagem significativa 1
Aprendizagem significativa   1Aprendizagem significativa   1
Aprendizagem significativa 1
 
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagemPsicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
 
Didática relação professor /aluno
Didática relação professor /alunoDidática relação professor /aluno
Didática relação professor /aluno
 
Teorias da Aprendizagem e Modelos Pedagógicos
Teorias da Aprendizagem e Modelos PedagógicosTeorias da Aprendizagem e Modelos Pedagógicos
Teorias da Aprendizagem e Modelos Pedagógicos
 
Epistemologia genética de jean piaget primeira parte
Epistemologia genética de jean piaget primeira parteEpistemologia genética de jean piaget primeira parte
Epistemologia genética de jean piaget primeira parte
 
Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagem
 
Pedagogia Diretiva
Pedagogia DiretivaPedagogia Diretiva
Pedagogia Diretiva
 
Neurociência e aprendizagem
Neurociência e aprendizagemNeurociência e aprendizagem
Neurociência e aprendizagem
 
David ausubel - Aprendizagem Significativa
David ausubel - Aprendizagem SignificativaDavid ausubel - Aprendizagem Significativa
David ausubel - Aprendizagem Significativa
 
Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagem
 
Vygotsky
VygotskyVygotsky
Vygotsky
 
Psicologia Da EducaçãO Aula IntrodutóRia
Psicologia Da EducaçãO  Aula IntrodutóRiaPsicologia Da EducaçãO  Aula IntrodutóRia
Psicologia Da EducaçãO Aula IntrodutóRia
 
A criança e a infância
A criança e a infância A criança e a infância
A criança e a infância
 
Abordagem comportamentalista
Abordagem comportamentalistaAbordagem comportamentalista
Abordagem comportamentalista
 

Semelhante a Fundamentos da Abordagem Histórico-Cultural

Uma teoria social do desenvolvimento e da aprendizagem
Uma teoria social do desenvolvimento e da aprendizagemUma teoria social do desenvolvimento e da aprendizagem
Uma teoria social do desenvolvimento e da aprendizagemVygotsky2011
 
Teoriasocialdodesenvolvimentoedaaprendizagem
TeoriasocialdodesenvolvimentoedaaprendizagemTeoriasocialdodesenvolvimentoedaaprendizagem
TeoriasocialdodesenvolvimentoedaaprendizagemPatrícia Lílian
 
Artigo TeóRico
Artigo TeóRicoArtigo TeóRico
Artigo TeóRicojanloterio
 
Referencial teorico--_vygostsky
Referencial  teorico--_vygostskyReferencial  teorico--_vygostsky
Referencial teorico--_vygostskyangelafreire
 
Revista da Educação: CONCEITOS CENTRAIS DE VYGOSTKY: IMPLICAÇÕES PEDAGÓGICAS
Revista da Educação: CONCEITOS CENTRAIS DE VYGOSTKY: IMPLICAÇÕES PEDAGÓGICASRevista da Educação: CONCEITOS CENTRAIS DE VYGOSTKY: IMPLICAÇÕES PEDAGÓGICAS
Revista da Educação: CONCEITOS CENTRAIS DE VYGOSTKY: IMPLICAÇÕES PEDAGÓGICASElisms88
 
Seminario Pat Sayonara
Seminario Pat SayonaraSeminario Pat Sayonara
Seminario Pat Sayonarataniamoreirabr
 
Psicologia da educação e desenvolvimento humano_aula.pptx
Psicologia da educação e desenvolvimento humano_aula.pptxPsicologia da educação e desenvolvimento humano_aula.pptx
Psicologia da educação e desenvolvimento humano_aula.pptxLaryssaMendes17
 
Teóricos
TeóricosTeóricos
TeóricosShopem
 
Apresentacao vygotsky 1
Apresentacao vygotsky 1Apresentacao vygotsky 1
Apresentacao vygotsky 1Nuap Santana
 
Teóricos
TeóricosTeóricos
TeóricosShopem
 
Teóricos
TeóricosTeóricos
TeóricosShopem
 
Psicologia da educação
Psicologia da educaçãoPsicologia da educação
Psicologia da educaçãoCarlos Tesch
 

Semelhante a Fundamentos da Abordagem Histórico-Cultural (20)

Slides
SlidesSlides
Slides
 
Slides
SlidesSlides
Slides
 
Uma teoria social do desenvolvimento e da aprendizagem
Uma teoria social do desenvolvimento e da aprendizagemUma teoria social do desenvolvimento e da aprendizagem
Uma teoria social do desenvolvimento e da aprendizagem
 
Teoriasocialdodesenvolvimentoedaaprendizagem
TeoriasocialdodesenvolvimentoedaaprendizagemTeoriasocialdodesenvolvimentoedaaprendizagem
Teoriasocialdodesenvolvimentoedaaprendizagem
 
Artigo TeóRico
Artigo TeóRicoArtigo TeóRico
Artigo TeóRico
 
Teoria De Vygotyski
Teoria De VygotyskiTeoria De Vygotyski
Teoria De Vygotyski
 
Apresenta..
Apresenta..Apresenta..
Apresenta..
 
Referencial teorico--_vygostsky
Referencial  teorico--_vygostskyReferencial  teorico--_vygostsky
Referencial teorico--_vygostsky
 
Concepção sociointeracionista
Concepção sociointeracionistaConcepção sociointeracionista
Concepção sociointeracionista
 
Revista da Educação: CONCEITOS CENTRAIS DE VYGOSTKY: IMPLICAÇÕES PEDAGÓGICAS
Revista da Educação: CONCEITOS CENTRAIS DE VYGOSTKY: IMPLICAÇÕES PEDAGÓGICASRevista da Educação: CONCEITOS CENTRAIS DE VYGOSTKY: IMPLICAÇÕES PEDAGÓGICAS
Revista da Educação: CONCEITOS CENTRAIS DE VYGOSTKY: IMPLICAÇÕES PEDAGÓGICAS
 
Vygotsky slides
Vygotsky slidesVygotsky slides
Vygotsky slides
 
8.teorias psicogeneticas
8.teorias psicogeneticas8.teorias psicogeneticas
8.teorias psicogeneticas
 
Seminario Pat Sayonara
Seminario Pat SayonaraSeminario Pat Sayonara
Seminario Pat Sayonara
 
Psicologia da educação e desenvolvimento humano_aula.pptx
Psicologia da educação e desenvolvimento humano_aula.pptxPsicologia da educação e desenvolvimento humano_aula.pptx
Psicologia da educação e desenvolvimento humano_aula.pptx
 
Teóricos
TeóricosTeóricos
Teóricos
 
Aprendizado e desenvolvimento
Aprendizado e desenvolvimentoAprendizado e desenvolvimento
Aprendizado e desenvolvimento
 
Apresentacao vygotsky 1
Apresentacao vygotsky 1Apresentacao vygotsky 1
Apresentacao vygotsky 1
 
Teóricos
TeóricosTeóricos
Teóricos
 
Teóricos
TeóricosTeóricos
Teóricos
 
Psicologia da educação
Psicologia da educaçãoPsicologia da educação
Psicologia da educação
 

Mais de Adriana Bruno

Live: Entre a raiz e a flor
Live: Entre a raiz e a florLive: Entre a raiz e a flor
Live: Entre a raiz e a florAdriana Bruno
 
Edu online didaticaonline
Edu online didaticaonlineEdu online didaticaonline
Edu online didaticaonlineAdriana Bruno
 
Do pos moderno pos colonial boaventura_santos
Do pos moderno pos colonial boaventura_santosDo pos moderno pos colonial boaventura_santos
Do pos moderno pos colonial boaventura_santosAdriana Bruno
 
Edu online introducao abordagens
Edu online introducao abordagensEdu online introducao abordagens
Edu online introducao abordagensAdriana Bruno
 
Criacao do site trabalho final
Criacao do site   trabalho finalCriacao do site   trabalho final
Criacao do site trabalho finalAdriana Bruno
 
Rotina de trabalho - EI - crianças especiais
Rotina de trabalho - EI - crianças especiaisRotina de trabalho - EI - crianças especiais
Rotina de trabalho - EI - crianças especiaisAdriana Bruno
 
As tic e as neurociencias
As tic e as neurociencias As tic e as neurociencias
As tic e as neurociencias Adriana Bruno
 
Modelo Roteiro curta
Modelo Roteiro curtaModelo Roteiro curta
Modelo Roteiro curtaAdriana Bruno
 
Como criar um_curta
Como criar um_curta Como criar um_curta
Como criar um_curta Adriana Bruno
 
Atividade Caminhada Fotografica
Atividade Caminhada FotograficaAtividade Caminhada Fotografica
Atividade Caminhada FotograficaAdriana Bruno
 
Conteudo programatico oficinas-et-iespe-2018 (1)
Conteudo programatico oficinas-et-iespe-2018 (1)Conteudo programatico oficinas-et-iespe-2018 (1)
Conteudo programatico oficinas-et-iespe-2018 (1)Adriana Bruno
 
Apresentacao oficina-iespe-mai2018
Apresentacao oficina-iespe-mai2018Apresentacao oficina-iespe-mai2018
Apresentacao oficina-iespe-mai2018Adriana Bruno
 
Como criar um_curta - ok2017-Dri
Como criar um_curta - ok2017-DriComo criar um_curta - ok2017-Dri
Como criar um_curta - ok2017-DriAdriana Bruno
 
#Partiuprofessor docência-s contemporâneas no ensino (2)
 #Partiuprofessor  docência-s contemporâneas no ensino  (2) #Partiuprofessor  docência-s contemporâneas no ensino  (2)
#Partiuprofessor docência-s contemporâneas no ensino (2)Adriana Bruno
 
Adriana Bruno letramentos
Adriana Bruno letramentos Adriana Bruno letramentos
Adriana Bruno letramentos Adriana Bruno
 
Texto teorias educ dri_lu_joao_bertomeu_rev teias_ppge (2)
Texto teorias educ dri_lu_joao_bertomeu_rev teias_ppge (2)Texto teorias educ dri_lu_joao_bertomeu_rev teias_ppge (2)
Texto teorias educ dri_lu_joao_bertomeu_rev teias_ppge (2)Adriana Bruno
 
Grupar conceitos 2015
Grupar conceitos 2015Grupar conceitos 2015
Grupar conceitos 2015Adriana Bruno
 

Mais de Adriana Bruno (20)

Live: Entre a raiz e a flor
Live: Entre a raiz e a florLive: Entre a raiz e a flor
Live: Entre a raiz e a flor
 
Edu online didaticaonline
Edu online didaticaonlineEdu online didaticaonline
Edu online didaticaonline
 
Do pos moderno pos colonial boaventura_santos
Do pos moderno pos colonial boaventura_santosDo pos moderno pos colonial boaventura_santos
Do pos moderno pos colonial boaventura_santos
 
Edu online introducao abordagens
Edu online introducao abordagensEdu online introducao abordagens
Edu online introducao abordagens
 
Atividade memes
Atividade   memes Atividade   memes
Atividade memes
 
Criacao do site trabalho final
Criacao do site   trabalho finalCriacao do site   trabalho final
Criacao do site trabalho final
 
Rotina de trabalho - EI - crianças especiais
Rotina de trabalho - EI - crianças especiaisRotina de trabalho - EI - crianças especiais
Rotina de trabalho - EI - crianças especiais
 
As tic e as neurociencias
As tic e as neurociencias As tic e as neurociencias
As tic e as neurociencias
 
Modelo Roteiro curta
Modelo Roteiro curtaModelo Roteiro curta
Modelo Roteiro curta
 
Como criar um_curta
Como criar um_curta Como criar um_curta
Como criar um_curta
 
Atividade Caminhada Fotografica
Atividade Caminhada FotograficaAtividade Caminhada Fotografica
Atividade Caminhada Fotografica
 
Conteudo programatico oficinas-et-iespe-2018 (1)
Conteudo programatico oficinas-et-iespe-2018 (1)Conteudo programatico oficinas-et-iespe-2018 (1)
Conteudo programatico oficinas-et-iespe-2018 (1)
 
Apresentacao oficina-iespe-mai2018
Apresentacao oficina-iespe-mai2018Apresentacao oficina-iespe-mai2018
Apresentacao oficina-iespe-mai2018
 
Como criar um_curta - ok2017-Dri
Como criar um_curta - ok2017-DriComo criar um_curta - ok2017-Dri
Como criar um_curta - ok2017-Dri
 
#Partiuprofessor docência-s contemporâneas no ensino (2)
 #Partiuprofessor  docência-s contemporâneas no ensino  (2) #Partiuprofessor  docência-s contemporâneas no ensino  (2)
#Partiuprofessor docência-s contemporâneas no ensino (2)
 
Adriana Bruno letramentos
Adriana Bruno letramentos Adriana Bruno letramentos
Adriana Bruno letramentos
 
Texto teorias educ dri_lu_joao_bertomeu_rev teias_ppge (2)
Texto teorias educ dri_lu_joao_bertomeu_rev teias_ppge (2)Texto teorias educ dri_lu_joao_bertomeu_rev teias_ppge (2)
Texto teorias educ dri_lu_joao_bertomeu_rev teias_ppge (2)
 
Grupar conceitos 2015
Grupar conceitos 2015Grupar conceitos 2015
Grupar conceitos 2015
 
Ensinar aprender
Ensinar aprenderEnsinar aprender
Ensinar aprender
 
Didatica dri
Didatica driDidatica dri
Didatica dri
 

Último

O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfQueleLiberato
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesGilbraz Aragão
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsxGilbraz Aragão
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdfmúsica paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdfWALDIRENEPINTODEMACE
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.azulassessoria9
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfRafaela Vieira
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
8 ano - Congruência e Semelhança e Angulos em Triangulos.ppt
8 ano - Congruência e Semelhança e  Angulos em Triangulos.ppt8 ano - Congruência e Semelhança e  Angulos em Triangulos.ppt
8 ano - Congruência e Semelhança e Angulos em Triangulos.pptDaniloConceiodaSilva
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdfSandra Pratas
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...MANUELJESUSVENTURASA
 

Último (20)

O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das Religiões
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdfmúsica paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
8 ano - Congruência e Semelhança e Angulos em Triangulos.ppt
8 ano - Congruência e Semelhança e  Angulos em Triangulos.ppt8 ano - Congruência e Semelhança e  Angulos em Triangulos.ppt
8 ano - Congruência e Semelhança e Angulos em Triangulos.ppt
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
 

Fundamentos da Abordagem Histórico-Cultural

  • 1. Maria Teresa A. Freitas
  • 2. O eixo central deste texto é a concepção de desenvolvimento de Vygotsky que integra o natural e o cultural. Desse ponto de partida situo as questões da mediação e da relação linguagem-pensamento que se refletem na formação dos conceitos , para uma melhor compreensão da relação da aprendizagem com o desenvolvimento , ponto focal do fazer do professor. Fundamentos da Abordagem Histórico-cultural
  • 3.
  • 4.
  • 5. Vygotsky (1995b) define o desenvolvimento não como uma acumulação gradual de mudanças individuais, mas como um complexo processo dialético que se distingue por uma complicada periodicidade, a desproporção no desenvolvimento das diversas funções, a metamorfose ou transformação qualitativa de umas formas em outras, um entrelaçamento complexo de processos evolutivos e involutivos, o complexo cruzamento de fatores externos e internos, um processo adaptativo de superação de dificuldades. (p.141) Fundamentos da Abordagem Histórico-cultural
  • 6. Quando a educação chega a esse ponto, quer dizer, quando o educador dialoga com o educando, a relação se complica, a atividade educativa muda, porque não há dúvida de que há sujeitos de ambos os lados. O movimento que vai de mim para o outro passa a ser o mesmo movimento que vem do outro para mim. O educador, esforçando-se por persuadir, por convencer seu interlocutor, participa de um processo que os envolve, que altera ambos. Por conseguinte, o educador também é educado. (Leandro Konder, Jornal do Brasil, B8, 2002.) Fundamentos da Abordagem Histórico-cultural
  • 7. Mediação: conceito chave O homem não tem um acesso direto aos objetos do conhecimento mas um acesso mediado que é possibilitado por sistemas semióticos, destacando-se aí o papel da linguagem. Os seres humanos criaram instrumentos psicológicos e sistemas de signos ujo uso lhes permite transformar e conhecer o mundo, comunicar suas experiências e desenvolver novas funções psicológicas. A mediação dos sistemas de signos constitui o que denominamos mediação semiótica. (Pino,1991,p.33). Fundamentos da Abordagem Histórico-cultural
  • 8. Assim, ao operar com os sistemas simbólicos trabalhando a abstração e a generalização, o ser humano vai desenvolvendo formas de pensamento impossíveis sem estes processos representacionais, construindo as FMS, tipicamente humanas. (Oliveira, 1992) Fundamentos da Abordagem Histórico-cultural
  • 9. Pensamento pré-verbal Linguagem pré-intelectual Pensamento verbal Linguagem racional Fundamentos da Abordagem Histórico-cultural
  • 10. Unidade de análise : significado da palavra Contém em si mesmo dois tópicos essenciais: comunicação e generalização.   Fenômeno verbal: comunicação A palavra sem significado não é palavra, mas um som vazio, portanto, o significado é um traço constitutivo indispensável da palavra. Daí que o significado é um fenômeno do discurso.   Fenômeno do pensamento: generalização O significado da palavra não é senão uma generalização ou um conceito. Toda a formação de conceitos é um ato do pensamento.   A palavra funciona como o meio para a formação do conceito, tornando-se depois o seu símbolo . Fundamentos da Abordagem Histórico-cultural
  • 11. Percurso genético do pensamento conceitual Vygotsky estabelece três tipos de pensamento: 1) Pensamento Sincrético a) ensaio e erro b) vínculos subjetivos da percepção c) significado único para os diferentes grupos unificados na percepção da criança 2) Pensamento por Complexos Cinco sub-tipos: a) organizações associativas, b) por coleções, c) em cadeia, d) difusas, e) pseudo-conceito. 3) Pensamento por Conceitos Três sub-tipos: a) generalizações com base no máximo de semelhanças b) conceitos potenciais que realizam agrupamentos com referência a um único atributo c) finalmente o conceito propriamente dito. Fundamentos da Abordagem Histórico-cultural
  • 12. Pensamento sincrético : caracteriza-se pela capacidade da criança realizar agrupamentos de objetos desiguais como amontoados desorganizados agrupados sem qualquer fundamento tendo como base nexos vagos, subjetivos ligados a fatores perceptivos sem relação com os atributos relevantes dos objetos. Pensamento por complexos : os objeto isolados associam-se na mente da criança, não apenas devido às impressões subjetivas mas devidos às relações que de fato existem entre esses objetos. È um tipo de pensamento que já demostra uma certa coerência e objetividade. Entretanto, as ligações que a criança estabelece entre seus componentes são concretas e fatuais e não abstratas e lógicas. Essas ligações fatuais são descobertas por meio da experiência direta. Pode-se dizer que o pensamento por complexo é pois, um agrupamento concreto de objetos unidos por ligações fatuais. Pensamento por conceitos : supõe não só a combinação e a generalização de determinados elementos concretos da experiência mas também a discriminação, a abstração e o isolamentos de determinados elementos discriminados e abstraídos fora do vínculo concreto e fatual em que são dados na experiência. Fundamentos da Abordagem Histórico-cultural
  • 13. Pensamento por Complexos Conceitos verdadeiros Pensamento por Complexos Fundamentos da Abordagem Histórico-cultural
  • 14. O estudo sobre conceitos concretiza a concepção de Vygotsky sobre o processo de desenvolvimento caracterizado pelas duas linhas natural e cultural: O indivíduo humano, dotado de um aparato biológico que estabelece limites e possibilidades para seu funcionamento psicológico, interage simultaneamente com o mundo real em que vive e com as formas de organização desse real dadas pela cultura. Essas formas culturalmente dadas serão, ao longo do processo de desenvolvimento, internalizadas pelo indivíduo e se constituirão no material simbólico que fará a mediação entre o sujeito e o objeto de conhecimento. No caso de formação dos conceitos, fundamental no desenvolvimento dos processos psicológicos superiores, a criança interage com os atributos presentes nos elementos do mundo real, sendo essa interação direcionada pelas palavras que designam categorias culturalmente organizadas. A linguagem internalizada, passa a representar essas categorias e a funcionar como instrumento de organização do conhecimento.(Oliveira, 1992, p.30-31). Fundamentos da Abordagem Histórico-cultural
  • 15. Conceitos espontâneos : são formados pela criança em sua experiência cotidiana, no contato com as pessoas de seu meio, de sua cultura, em confronto com uma situação concreta . Fundamentos da Abordagem Histórico-cultural
  • 16. Conceitos espontâneos Relação direta com o objeto Atenção para o aluno está orientada para o objeto e não para o ato de pensar Fundamentos da Abordagem Histórico-cultural
  • 17. Conceitos científicos : não são diretamente acessíveis à observação ou ação imediata da criança sendo portanto adquiridos por meio do ensino, como parte de um sistema organizado de conhecimentos, através de processos deliberados de instrução escolar. A aprendizagem é pois, uma das principais fontes de desenvolvimento dos conceitos científicos. Fundamentos da Abordagem Histórico-cultural
  • 18. Conceitos científicos Relação indireta com o objeto mediada por outros conceitos Exige, portanto generalização, tomada de consciência e sistematização de conceitos Fundamentos da Abordagem Histórico-cultural
  • 19. Os conceitos científicos descem ao concreto, aos espontâneos , enquanto estes procuram ascender, subir ao nível de abstração, de consciência e de uso deliberado dos conceitos científicos. Este movimento é assim explicado por Vygotsky: Poder-se-ia dizer que o desenvolvimento dos conceitos espontâneos da criança é ascendente, enquanto o desenvolvimento dos seus conceitos científicos é descendente, para um nível mais elementar e concreto. Isso decorre das diferentes formas pelas quais os dois tipos de conceitos surgem. (1991, p.93) Fundamentos da Abordagem Histórico-cultural
  • 20. Conceitos científicos (movimento descendente) Conceitos espontâneos (movimento ascendente) Fundamentos da Abordagem Histórico-cultural
  • 21.
  • 22. Aprendizagem NÃO É: - Algo externo e posterior ao desenvolvimento (Teoria 1) - Igual ao desenvolvimento (Teoria 2)   MAS É: Condição prévia ao processo de desenvolvimento   Desenvolvimento das FMS exige: - Um contexto de interação - Internalização de instrumentos e signos - Apropriação Isto é aprendizagem Fundamentos da Abordagem Histórico-cultural
  • 23.     1)    DESENVOLVIMENTO X APRENDIZAGEM Aprendizagem precede o desenvolvimento Consequências  da Escola: lugar da prendizagem para o aluno; da produção de conceitos científicos Importância:  do professor   æ       Das relações interpessoais   Sujeito Objeto  Outro  Linguagem   Fundamentos da Abordagem Histórico-cultural
  • 24. 2)    ZONA DE DESENVOLVIMENTO PROXIMAL    nível de desenvolvimento real (solução . . . independente) Distância entre:  nível de desenvolvimento potencial . (solução sob orientação)   Bom ensino  direcionado às funções potenciais para o  que o aluno ainda não é capaz de fazer Prospectivo Fundamentos da Abordagem Histórico-cultural