SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 21
Vygotsky
Vygotsky- linguagem e
        desenvolvimento
• A criança, desde o seu nascimento, é
  imersa em um mundo social, onde toda a
  atividade humana é mediada pela
  linguagem.
• Através de sua interação com o mundo, a
  criança, gradativamente, vai apropriando-
  se da linguagem em suas relações com
  os objetos e com o outro, seja criança ou
  adulto.
• Vygotsky considera a linguagem como
  constituidora das funções mentais
  superiores, sendo que o conhecimento
  é adquirido nas relações entre as
  pessoas, através da linguagem e da
  interação social.
• Vygotsky apresenta uma argumentação
  elaborada, demonstrando que a
  Linguagem é um processo pessoal ao
  mesmo tempo em que é um processo
  social. Assim, a fala humana é o
  comportamento do uso de signos mais
  importante ao longo do
  desenvolvimento da espécie humana.
• Pode-se considerar a linguagem como
  um instrumento complexo que viabiliza
  a comunicação e a vida em sociedade.
  Sem ela, o ser humano não é social,
  nem cultural.
• Vygotsky acredita que a linguagem, a
  partir dos dois anos (quando a criança
  aprende a falar)até por volta dos sete,
  apresenta duas funções
  simultaneamente, sem que a criança
  seja capaz de diferenciá-la com
  clareza;
• a função interna, de coordenar e dirigir
  o pensamento;
• e a externa, de comunicar o
  pensamento ao interlocutor.
• No desenvolvimento humano, a aquisição da
  linguagem passa por diversas fases: a
  linguagem social, a linguagem egocêntrica e
  a linguagem interior:
• A linguagem social- tem a função de
  comunicar, sendo a primeira linguagem que
  surge;
• A egocêntrica e a interior estão intimamente
  ligadas ao pensamento.
• Segundo Vigotski, exatamente porque a
  criança não distingue essas duas funções,
  dá-se origem ao que Piaget chama de fala
  egocêntrica, isto é, a criança fala alto a
  respeito de seus planos interiores, não
  fazendo distinção entre a fala para si mesma
  e a social dirigida para o outro.
A Mediação Simbólica
• Um ponto crucial de seu pensamento é a
  mediação simbólica, uma vez que esse
  conceito é o ponto central da teoria
  vygotskyana sobre o funcionamento
  psicológico, sendo que este se baseia na
  interação do homem com o mundo.
• Vygotsky diz que essa interação não é
  direta, mas sim mediada, a qual corresponde
  a um estímulo incorporado ao impulso direto
  de modo a facilitar a complementação da
  operação.
• Segundo Vygotsky, existem dois tipos de
  elementos mediadores: os instrumentos e os
  signos, sendo que o primeiro corresponde a
  um objeto social e mediador da relação entre
  o indivíduo e o mundo, diferentemente dos
  animais que também usam instrumentos, o
  ser humano tem a capacidade de criar seus
  instrumentos para determinados fins, os
  guardam para seu futuro e transmitem a sua
  função e metodologia de construção para
  outros membros do grupo social.
• O segundo (os signos), correspondem
  a instrumentos da atividade
  psicológica, com papel semelhante ao
  dos instrumentos no trabalho, ou seja,
  auxiliam a nossa mente a tornar-se
  mais sofisticada, possibilitando um
  comportamento mais controlado.
• Vygotsky relaciona os sistemas simbólicos
  (são sistemas que organizam os signos em
  estruturas complexas e articuladas) com o
  processo de internalização (transformação
  das marcas externas em processos
  internos), sendo que esses dois são
  considerados essenciais para o
  desenvolvimento dos processos mentais
  superiores, além de mostrarem a importância
  das relações sociais entre os indivíduos.
• Vygotsky também defende que a
  interação entre os seres humanos (face
  a face ou sócio-culturalmente) é
  fundamental na construção do ser
  humano, pois é através dessa forma de
  interação que o indivíduo vai chegar a
  interiorizar as formas culturalmente
  estabelecidas, sendo que este se dá
  “de fora para dentro”.
• Finalmente, agora temos uma relação entre
  linguagem e pensamento, pois como a
  linguagem representa o sistema simbólico
  mais básico, ela ocupa lugar central na teoria
  de Vygotsky. A primeira função básica da
  linguagem para o autor é a de intercâmbio
  social: ou seja, o homem a utiliza para se
  comunicar com seus semelhantes e a
  segunda função seria a de servir como
  pensamento generalizante, ou seja, para
  ordenar o real, agrupando-os em conjuntos
  que possuam as mesmas características
  gerais.
PAPEL DO BRINQUEDO NO
 DESENVOLVIMENTO INFANTIL
• O mundo da criança difere qualitativamente
  do mundo adulto, nele há o encanto da
  fantasia, do faz-de-conta, do sonhar e do
  descobrir. É através das brincadeiras,
  atividade mais nobre da infância, que a
  criança irá se conhecer e terá a oportunidade
  de se constituir socialmente.
• É também a partir da espontaneidade do
  brincar que a criança poderá expressar as
  diferentes impressões vivenciadas em seu
  contexto familiar e social.
• É o brinquedo que proporciona o maior avanço na
  capacidade cognitiva da criança. É por meio do
  brinquedo que a criança se apropria do mundo real,
  domina conhecimentos, se relaciona e se integra
  culturalmente.
• Ao brincar e criar uma situação imaginária, a criança
  pode assumir diferentes papéis: ela pode se tornar
  um adulto, outra criança, um animal, ou um herói
  televisivo; ela pode mudar o seu comportamento e
  agir e se comportar como se ela fosse mais velha do
  que realmente é, pois ao representar o papel de
  “mãe”, ela irá seguir as regras de comportamento
  maternal, porque agora ela pode ser a “mãe”, e ela
  procura agir como uma mãe age.
• É no brinquedo que a criança consegue ir além do
  seu comportamento habitual, atuando num nível
  superior ao que ela realmente se encontra.
• Através do brincar ocorre uma diferenciação
  entre os campos do significado e da visão, e
  o pensamento que antes era determinado
  pelos objetos do exterior, passa a ser
  determinado pelas idéias.
• A criança pode, por exemplo, utilizar um
  palito de madeira como uma seringa, folhas
  de árvore como dinheiro, enfim, ela pode
  utilizar diversos materiais que venham a
  representar uma outra realidade.
• Ao observarmos uma criança em idade pré-
  escolar exercendo algum tipo de atividade, é
  fácil perceber que o brincar de faz-de-conta é
  constante em suas ações e atitudes.
• ela sente a necessidade de agir não apenas com os
• objetos que fazem parte de seu ambiente físico e
  que são acessíveis a ela, mas com objetos a
• que ela ainda não tem acesso, e que são objetos
  pertencentes ao mundo dos adultos. Para
• superar essa necessidade a criança brinca, e
  durante a atividade lúdica ela vai compreendendo a
• sua maneira o que faz parte desse mundo,
  esforçando-se para agir como um adulto, por
• exemplo, dirigir um carro, andar a cavalo, preparar
  uma comida, ou atender um paciente. A
• contradição existente entre a necessidade da
  criança agir com os objetos do mundo adulto e a
• impossibilidade de operar de acordo com tais ações,
  vem a ser solucionada pela criança através
• de suas brincadeiras. É na atividade e, sobretudo,
  no brinquedo que a criança supera os limites
• da manipulação dos objetos que a cercam e se
  insere num mundo mais amplo.
O PROFESSOR COMO
          MEDIADOR
• A Zona de Desenvolvimento Proximal é
  tomada, muitas vezes, como um dos
  níveis de desenvolvimento, porém,
  trata-se precisamente do campo
  intermediário do processo.
• Sendo o desenvolvimento potencial uma
  incógnita, já que não foi ainda atingido,
  Vygotsky postula sua identificação através
  do entendimento da Zona de
  Desenvolvimento Proximal. Tomando-se
  como premissa o desenvolvimento real como
  aquilo que o sujeito consolidou de forma
  autônoma, o potencial pode ser inferido com
  base no que o indivíduo consegue resolver
  com a ajuda de um mediador.
• Para Vygotsky, portanto, o professor é
  o mediador entre o aluno e o meio
  social e precisa oferecer as
  experiências adequadas, dentro da
  capacidade de assimilação do aluno.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A teoria de ensino-aprendizagem de Vygotsky
A teoria de ensino-aprendizagem de VygotskyA teoria de ensino-aprendizagem de Vygotsky
A teoria de ensino-aprendizagem de VygotskyJoel Neto Pereira
 
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagemPsicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagemDébora Silveira
 
Psicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimentoPsicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimentoThiago de Almeida
 
Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemMarcelo Assis
 
Vygotsky e a Teoria da Zona de Desenvolvimento Proximal
Vygotsky e a Teoria da Zona de Desenvolvimento ProximalVygotsky e a Teoria da Zona de Desenvolvimento Proximal
Vygotsky e a Teoria da Zona de Desenvolvimento ProximalCícero Quarto
 
Vygotsky - Desenvolvimento psicológico
Vygotsky - Desenvolvimento psicológicoVygotsky - Desenvolvimento psicológico
Vygotsky - Desenvolvimento psicológicoNuap Santana
 
Teoria da aprendizagem de vygotsky
Teoria da aprendizagem de vygotskyTeoria da aprendizagem de vygotsky
Teoria da aprendizagem de vygotskyflaviamarquesmarques
 
Teorias da aprendizagem de Piaget: equilibração e fases de aprendizagem
Teorias da aprendizagem de Piaget: equilibração e fases de aprendizagemTeorias da aprendizagem de Piaget: equilibração e fases de aprendizagem
Teorias da aprendizagem de Piaget: equilibração e fases de aprendizagemLucas Vinícius
 
Desenvolvimento Cognitivo: Piaget
Desenvolvimento Cognitivo: PiagetDesenvolvimento Cognitivo: Piaget
Desenvolvimento Cognitivo: PiagetManô Araújo
 
Biografia de Lev Vygotsky
Biografia de Lev VygotskyBiografia de Lev Vygotsky
Biografia de Lev VygotskyKleber Saraiva
 
Henri wallon biografia conceitos
Henri wallon biografia conceitosHenri wallon biografia conceitos
Henri wallon biografia conceitosFabiano Santos
 
Psicologia da aprendizagem
Psicologia da aprendizagemPsicologia da aprendizagem
Psicologia da aprendizagemna educação
 
1 - Jean Piaget - Histórias e suas Teorias
1 - Jean Piaget - Histórias e suas Teorias 1 - Jean Piaget - Histórias e suas Teorias
1 - Jean Piaget - Histórias e suas Teorias Bruno Djvan Ramos Barbosa
 
Piaget x Vygotsky
Piaget x VygotskyPiaget x Vygotsky
Piaget x VygotskyElcielle .
 
Piaget - Desenvolvimento Cognitivo 1
Piaget - Desenvolvimento Cognitivo 1Piaget - Desenvolvimento Cognitivo 1
Piaget - Desenvolvimento Cognitivo 1Jorge Barbosa
 

Mais procurados (20)

A teoria de ensino-aprendizagem de Vygotsky
A teoria de ensino-aprendizagem de VygotskyA teoria de ensino-aprendizagem de Vygotsky
A teoria de ensino-aprendizagem de Vygotsky
 
HENRI WALLON
HENRI WALLONHENRI WALLON
HENRI WALLON
 
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagemPsicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
 
Psicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimentoPsicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimento
 
Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagem
 
Henry wallon
Henry wallonHenry wallon
Henry wallon
 
Vygotsky e a Teoria da Zona de Desenvolvimento Proximal
Vygotsky e a Teoria da Zona de Desenvolvimento ProximalVygotsky e a Teoria da Zona de Desenvolvimento Proximal
Vygotsky e a Teoria da Zona de Desenvolvimento Proximal
 
Vygotsky - Desenvolvimento psicológico
Vygotsky - Desenvolvimento psicológicoVygotsky - Desenvolvimento psicológico
Vygotsky - Desenvolvimento psicológico
 
Teoria de piaget (slides)
Teoria de piaget (slides)Teoria de piaget (slides)
Teoria de piaget (slides)
 
Teoria da aprendizagem de vygotsky
Teoria da aprendizagem de vygotskyTeoria da aprendizagem de vygotsky
Teoria da aprendizagem de vygotsky
 
Teorias da aprendizagem de Piaget: equilibração e fases de aprendizagem
Teorias da aprendizagem de Piaget: equilibração e fases de aprendizagemTeorias da aprendizagem de Piaget: equilibração e fases de aprendizagem
Teorias da aprendizagem de Piaget: equilibração e fases de aprendizagem
 
Desenvolvimento Cognitivo: Piaget
Desenvolvimento Cognitivo: PiagetDesenvolvimento Cognitivo: Piaget
Desenvolvimento Cognitivo: Piaget
 
Biografia de Lev Vygotsky
Biografia de Lev VygotskyBiografia de Lev Vygotsky
Biografia de Lev Vygotsky
 
Henri wallon biografia conceitos
Henri wallon biografia conceitosHenri wallon biografia conceitos
Henri wallon biografia conceitos
 
Desenvolvimento Humano Piaget 1
Desenvolvimento Humano Piaget 1Desenvolvimento Humano Piaget 1
Desenvolvimento Humano Piaget 1
 
Psicologia da aprendizagem
Psicologia da aprendizagemPsicologia da aprendizagem
Psicologia da aprendizagem
 
1 - Jean Piaget - Histórias e suas Teorias
1 - Jean Piaget - Histórias e suas Teorias 1 - Jean Piaget - Histórias e suas Teorias
1 - Jean Piaget - Histórias e suas Teorias
 
Jean Piaget
Jean PiagetJean Piaget
Jean Piaget
 
Piaget x Vygotsky
Piaget x VygotskyPiaget x Vygotsky
Piaget x Vygotsky
 
Piaget - Desenvolvimento Cognitivo 1
Piaget - Desenvolvimento Cognitivo 1Piaget - Desenvolvimento Cognitivo 1
Piaget - Desenvolvimento Cognitivo 1
 

Semelhante a Aula sobre vygotsky

Interacionismo
InteracionismoInteracionismo
Interacionismodrycaaa
 
Vygotsky - aula 3 Signo Pensamento e linguagem.ppt
Vygotsky - aula 3 Signo Pensamento e linguagem.pptVygotsky - aula 3 Signo Pensamento e linguagem.ppt
Vygotsky - aula 3 Signo Pensamento e linguagem.pptclaudiagmagalhaes33
 
A Teoria Sociocultural de Vygotsky
A Teoria Sociocultural de VygotskyA Teoria Sociocultural de Vygotsky
A Teoria Sociocultural de VygotskyThaíse Marcião
 
Sócio-interacionismo de Vygotsky
Sócio-interacionismo de VygotskySócio-interacionismo de Vygotsky
Sócio-interacionismo de VygotskyLucila Pesce
 
Piaget e Vygotsky Convergências e Divergências
Piaget e Vygotsky Convergências e DivergênciasPiaget e Vygotsky Convergências e Divergências
Piaget e Vygotsky Convergências e DivergênciasCoach Jean Carlos Souza
 
Artigo2 papel do brinquedo
Artigo2 papel do brinquedoArtigo2 papel do brinquedo
Artigo2 papel do brinquedoTheicy
 
Referencial teorico--_vygostsky
Referencial  teorico--_vygostskyReferencial  teorico--_vygostsky
Referencial teorico--_vygostskyangelafreire
 
Artigo o desenvolvimento infantil simone helen drumond
Artigo o desenvolvimento infantil simone helen drumondArtigo o desenvolvimento infantil simone helen drumond
Artigo o desenvolvimento infantil simone helen drumondSimoneHelenDrumond
 
Curso vygotsky 20h
Curso vygotsky 20hCurso vygotsky 20h
Curso vygotsky 20hdeismachadoo
 
TEORICOS_DA_EDUCAÇÃO_PIAGET_ VYGOTSKY_WALLON_PARTE1.pptx
TEORICOS_DA_EDUCAÇÃO_PIAGET_ VYGOTSKY_WALLON_PARTE1.pptxTEORICOS_DA_EDUCAÇÃO_PIAGET_ VYGOTSKY_WALLON_PARTE1.pptx
TEORICOS_DA_EDUCAÇÃO_PIAGET_ VYGOTSKY_WALLON_PARTE1.pptxAnieleSousa4
 
Piaget,vygotsky e wallon
Piaget,vygotsky e wallonPiaget,vygotsky e wallon
Piaget,vygotsky e wallonLuciana Almeida
 
Aquisição da linguagem
Aquisição da linguagemAquisição da linguagem
Aquisição da linguagemElisms88
 
SLIDES PSICOLOGIA (1).pptx
SLIDES PSICOLOGIA (1).pptxSLIDES PSICOLOGIA (1).pptx
SLIDES PSICOLOGIA (1).pptxTharykBatatinha
 
Apresentacao vygotsky 1
Apresentacao vygotsky 1Apresentacao vygotsky 1
Apresentacao vygotsky 1Nuap Santana
 

Semelhante a Aula sobre vygotsky (20)

Interacionismo
InteracionismoInteracionismo
Interacionismo
 
Vygotsky - aula 3 Signo Pensamento e linguagem.ppt
Vygotsky - aula 3 Signo Pensamento e linguagem.pptVygotsky - aula 3 Signo Pensamento e linguagem.ppt
Vygotsky - aula 3 Signo Pensamento e linguagem.ppt
 
Vygotski
VygotskiVygotski
Vygotski
 
A Teoria Sociocultural de Vygotsky
A Teoria Sociocultural de VygotskyA Teoria Sociocultural de Vygotsky
A Teoria Sociocultural de Vygotsky
 
Sócio-interacionismo de Vygotsky
Sócio-interacionismo de VygotskySócio-interacionismo de Vygotsky
Sócio-interacionismo de Vygotsky
 
Piaget e Vygotsky Convergências e Divergências
Piaget e Vygotsky Convergências e DivergênciasPiaget e Vygotsky Convergências e Divergências
Piaget e Vygotsky Convergências e Divergências
 
Artigo2 papel do brinquedo
Artigo2 papel do brinquedoArtigo2 papel do brinquedo
Artigo2 papel do brinquedo
 
Linguagem
LinguagemLinguagem
Linguagem
 
Referencial teorico--_vygostsky
Referencial  teorico--_vygostskyReferencial  teorico--_vygostsky
Referencial teorico--_vygostsky
 
Artigo o desenvolvimento infantil simone helen drumond
Artigo o desenvolvimento infantil simone helen drumondArtigo o desenvolvimento infantil simone helen drumond
Artigo o desenvolvimento infantil simone helen drumond
 
Curso vygotsky 20h
Curso vygotsky 20hCurso vygotsky 20h
Curso vygotsky 20h
 
TEORICOS_DA_EDUCAÇÃO_PIAGET_ VYGOTSKY_WALLON_PARTE1.pptx
TEORICOS_DA_EDUCAÇÃO_PIAGET_ VYGOTSKY_WALLON_PARTE1.pptxTEORICOS_DA_EDUCAÇÃO_PIAGET_ VYGOTSKY_WALLON_PARTE1.pptx
TEORICOS_DA_EDUCAÇÃO_PIAGET_ VYGOTSKY_WALLON_PARTE1.pptx
 
Vygostky ...
Vygostky ...Vygostky ...
Vygostky ...
 
Piaget,vygotsky e wallon
Piaget,vygotsky e wallonPiaget,vygotsky e wallon
Piaget,vygotsky e wallon
 
Aquisição da linguagem
Aquisição da linguagemAquisição da linguagem
Aquisição da linguagem
 
SLIDES PSICOLOGIA (1).pptx
SLIDES PSICOLOGIA (1).pptxSLIDES PSICOLOGIA (1).pptx
SLIDES PSICOLOGIA (1).pptx
 
Brincar de brincar
Brincar de brincarBrincar de brincar
Brincar de brincar
 
Aprendizado e desenvolvimento
Aprendizado e desenvolvimentoAprendizado e desenvolvimento
Aprendizado e desenvolvimento
 
Família
FamíliaFamília
Família
 
Apresentacao vygotsky 1
Apresentacao vygotsky 1Apresentacao vygotsky 1
Apresentacao vygotsky 1
 

Mais de Diego Alvarez

Aula sobre violência contra crianças
Aula sobre violência contra criançasAula sobre violência contra crianças
Aula sobre violência contra criançasDiego Alvarez
 
Função social do direito
Função social do direitoFunção social do direito
Função social do direitoDiego Alvarez
 
O USO DO ESPAÇO PUBLICO COMO PRIVADO
O USO DO ESPAÇO PUBLICO COMO PRIVADOO USO DO ESPAÇO PUBLICO COMO PRIVADO
O USO DO ESPAÇO PUBLICO COMO PRIVADODiego Alvarez
 

Mais de Diego Alvarez (7)

Aula sobre wallon
Aula sobre wallonAula sobre wallon
Aula sobre wallon
 
Aula sobre wallon
Aula sobre wallonAula sobre wallon
Aula sobre wallon
 
Aula sobre violência contra crianças
Aula sobre violência contra criançasAula sobre violência contra crianças
Aula sobre violência contra crianças
 
Aula sobre o eca
Aula sobre o ecaAula sobre o eca
Aula sobre o eca
 
Função social do direito
Função social do direitoFunção social do direito
Função social do direito
 
O jornal na escola
O jornal na escolaO jornal na escola
O jornal na escola
 
O USO DO ESPAÇO PUBLICO COMO PRIVADO
O USO DO ESPAÇO PUBLICO COMO PRIVADOO USO DO ESPAÇO PUBLICO COMO PRIVADO
O USO DO ESPAÇO PUBLICO COMO PRIVADO
 

Aula sobre vygotsky

  • 2. Vygotsky- linguagem e desenvolvimento • A criança, desde o seu nascimento, é imersa em um mundo social, onde toda a atividade humana é mediada pela linguagem. • Através de sua interação com o mundo, a criança, gradativamente, vai apropriando- se da linguagem em suas relações com os objetos e com o outro, seja criança ou adulto.
  • 3. • Vygotsky considera a linguagem como constituidora das funções mentais superiores, sendo que o conhecimento é adquirido nas relações entre as pessoas, através da linguagem e da interação social.
  • 4. • Vygotsky apresenta uma argumentação elaborada, demonstrando que a Linguagem é um processo pessoal ao mesmo tempo em que é um processo social. Assim, a fala humana é o comportamento do uso de signos mais importante ao longo do desenvolvimento da espécie humana.
  • 5. • Pode-se considerar a linguagem como um instrumento complexo que viabiliza a comunicação e a vida em sociedade. Sem ela, o ser humano não é social, nem cultural.
  • 6. • Vygotsky acredita que a linguagem, a partir dos dois anos (quando a criança aprende a falar)até por volta dos sete, apresenta duas funções simultaneamente, sem que a criança seja capaz de diferenciá-la com clareza; • a função interna, de coordenar e dirigir o pensamento; • e a externa, de comunicar o pensamento ao interlocutor.
  • 7. • No desenvolvimento humano, a aquisição da linguagem passa por diversas fases: a linguagem social, a linguagem egocêntrica e a linguagem interior: • A linguagem social- tem a função de comunicar, sendo a primeira linguagem que surge; • A egocêntrica e a interior estão intimamente ligadas ao pensamento.
  • 8. • Segundo Vigotski, exatamente porque a criança não distingue essas duas funções, dá-se origem ao que Piaget chama de fala egocêntrica, isto é, a criança fala alto a respeito de seus planos interiores, não fazendo distinção entre a fala para si mesma e a social dirigida para o outro.
  • 9. A Mediação Simbólica • Um ponto crucial de seu pensamento é a mediação simbólica, uma vez que esse conceito é o ponto central da teoria vygotskyana sobre o funcionamento psicológico, sendo que este se baseia na interação do homem com o mundo. • Vygotsky diz que essa interação não é direta, mas sim mediada, a qual corresponde a um estímulo incorporado ao impulso direto de modo a facilitar a complementação da operação.
  • 10. • Segundo Vygotsky, existem dois tipos de elementos mediadores: os instrumentos e os signos, sendo que o primeiro corresponde a um objeto social e mediador da relação entre o indivíduo e o mundo, diferentemente dos animais que também usam instrumentos, o ser humano tem a capacidade de criar seus instrumentos para determinados fins, os guardam para seu futuro e transmitem a sua função e metodologia de construção para outros membros do grupo social.
  • 11. • O segundo (os signos), correspondem a instrumentos da atividade psicológica, com papel semelhante ao dos instrumentos no trabalho, ou seja, auxiliam a nossa mente a tornar-se mais sofisticada, possibilitando um comportamento mais controlado.
  • 12. • Vygotsky relaciona os sistemas simbólicos (são sistemas que organizam os signos em estruturas complexas e articuladas) com o processo de internalização (transformação das marcas externas em processos internos), sendo que esses dois são considerados essenciais para o desenvolvimento dos processos mentais superiores, além de mostrarem a importância das relações sociais entre os indivíduos.
  • 13. • Vygotsky também defende que a interação entre os seres humanos (face a face ou sócio-culturalmente) é fundamental na construção do ser humano, pois é através dessa forma de interação que o indivíduo vai chegar a interiorizar as formas culturalmente estabelecidas, sendo que este se dá “de fora para dentro”.
  • 14. • Finalmente, agora temos uma relação entre linguagem e pensamento, pois como a linguagem representa o sistema simbólico mais básico, ela ocupa lugar central na teoria de Vygotsky. A primeira função básica da linguagem para o autor é a de intercâmbio social: ou seja, o homem a utiliza para se comunicar com seus semelhantes e a segunda função seria a de servir como pensamento generalizante, ou seja, para ordenar o real, agrupando-os em conjuntos que possuam as mesmas características gerais.
  • 15. PAPEL DO BRINQUEDO NO DESENVOLVIMENTO INFANTIL • O mundo da criança difere qualitativamente do mundo adulto, nele há o encanto da fantasia, do faz-de-conta, do sonhar e do descobrir. É através das brincadeiras, atividade mais nobre da infância, que a criança irá se conhecer e terá a oportunidade de se constituir socialmente. • É também a partir da espontaneidade do brincar que a criança poderá expressar as diferentes impressões vivenciadas em seu contexto familiar e social.
  • 16. • É o brinquedo que proporciona o maior avanço na capacidade cognitiva da criança. É por meio do brinquedo que a criança se apropria do mundo real, domina conhecimentos, se relaciona e se integra culturalmente. • Ao brincar e criar uma situação imaginária, a criança pode assumir diferentes papéis: ela pode se tornar um adulto, outra criança, um animal, ou um herói televisivo; ela pode mudar o seu comportamento e agir e se comportar como se ela fosse mais velha do que realmente é, pois ao representar o papel de “mãe”, ela irá seguir as regras de comportamento maternal, porque agora ela pode ser a “mãe”, e ela procura agir como uma mãe age. • É no brinquedo que a criança consegue ir além do seu comportamento habitual, atuando num nível superior ao que ela realmente se encontra.
  • 17. • Através do brincar ocorre uma diferenciação entre os campos do significado e da visão, e o pensamento que antes era determinado pelos objetos do exterior, passa a ser determinado pelas idéias. • A criança pode, por exemplo, utilizar um palito de madeira como uma seringa, folhas de árvore como dinheiro, enfim, ela pode utilizar diversos materiais que venham a representar uma outra realidade. • Ao observarmos uma criança em idade pré- escolar exercendo algum tipo de atividade, é fácil perceber que o brincar de faz-de-conta é constante em suas ações e atitudes.
  • 18. • ela sente a necessidade de agir não apenas com os • objetos que fazem parte de seu ambiente físico e que são acessíveis a ela, mas com objetos a • que ela ainda não tem acesso, e que são objetos pertencentes ao mundo dos adultos. Para • superar essa necessidade a criança brinca, e durante a atividade lúdica ela vai compreendendo a • sua maneira o que faz parte desse mundo, esforçando-se para agir como um adulto, por • exemplo, dirigir um carro, andar a cavalo, preparar uma comida, ou atender um paciente. A • contradição existente entre a necessidade da criança agir com os objetos do mundo adulto e a • impossibilidade de operar de acordo com tais ações, vem a ser solucionada pela criança através • de suas brincadeiras. É na atividade e, sobretudo, no brinquedo que a criança supera os limites • da manipulação dos objetos que a cercam e se insere num mundo mais amplo.
  • 19. O PROFESSOR COMO MEDIADOR • A Zona de Desenvolvimento Proximal é tomada, muitas vezes, como um dos níveis de desenvolvimento, porém, trata-se precisamente do campo intermediário do processo.
  • 20. • Sendo o desenvolvimento potencial uma incógnita, já que não foi ainda atingido, Vygotsky postula sua identificação através do entendimento da Zona de Desenvolvimento Proximal. Tomando-se como premissa o desenvolvimento real como aquilo que o sujeito consolidou de forma autônoma, o potencial pode ser inferido com base no que o indivíduo consegue resolver com a ajuda de um mediador.
  • 21. • Para Vygotsky, portanto, o professor é o mediador entre o aluno e o meio social e precisa oferecer as experiências adequadas, dentro da capacidade de assimilação do aluno.