1
SISTEMAS DE
INFORMAÇÃO
2013.2 Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
CST Sistemas para Internet
BIBLIOGRAFIA
 STAIR, R.M.; REYNOLDS, G.W. Princípios de
sistemas de informação. 6. ed. São Paulo: Thomson
Pioneira, 2005....
CAPÍTULO 1
INTRODUÇÃO AOS SISTEMAS
DE INFORMAÇÃO
Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
SOCIEDADE AGRÍCOLA
Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
SOCIEDADE INDUSTRIAL
Obra-prima do cinema mundial, Tempos Modernos satiriza a vida industrial: Carlitos,
o adorável vagabu...
Sociedade pós-industrial
Sociedade do conhecimento
Valorização das características humanas;
Querer Fazer (atitude, determi...
Organização hoje:
 passa a valorizar a coletividade ao invés do
indivíduo (ex.: Programa de Qualidade Total e
Brainstorm ...
 Para conseguir o diferencial necessário a
informação passa a ser a base para as
transformações operacionais e gerenciais...
E ...monitar o mercado...
 Via coleta de informação é uma maneira de
identificar as direções do mercado permitindo
as org...
Dado
 Dado: cadeia de caracteres ou padrões sem
interpretação.
 É qualquer elemento identificado em sua forma bruta
que ...
Informação
(latim informare – dar forma)
 Conjunto de dados aos quais seres humanos deram
forma para torná-los significat...
 A informação precisa ser:
 Clara-> apresentar o fato com clareza, não o
mascarando entre fatos acessórios;
 Precisa-> ...
Conhecimento
 Capacidade de resolver problemas, inovar e aprender
baseando-se em experiências prévias;
 Esforço de inves...
Dado não é Informação e Informação não é
Conhecimento!
Organizações competem pelo domínio do
conhecimento científico e tec...
NÃO BASTA QUE CADA QUAL ACUMULE
NO COMEÇO DA VIDA UMA
DETERMINADA QUANTIDADE DE
CONHECIMENTOS DE QUE SE POSSA
ABASTECER IN...
DADOS VERSUS INFORMAÇÃO
 Dados: consistem em fatos brutos (não trabalhados).
 Informação: é um dado transformado em algu...
Relatório Mensal
Vendas - Região Oeste
Vendedor: Charles Mann
Emp No. 79154
Item Quant. Preço
Sapatos 1200 100
Dados versu...
DADOS VERSUS INFORMAÇÃO
 O processo de definição dos relacionamentos entre
dados exige conhecimento.
 Conhecimento é a c...
CARACTERÍSTICAS DA INFORMAÇÃO VALIOSA
 Precisa: não contém erro
 Completa: contém todos os fatos importantes
 Econômica...
VALOR DA INFORMAÇÃO
 O valor da informação está diretamente ligado
a como ela ajuda as pessoas a alcançarem as
metas de s...
SISTEMA
 Um sistema é um conjunto de elementos que
interagem para atingir uma meta ou um conjunto
de objetivos.
 Os comp...
SISTEMA
 O feedback é usado pelo sistema para
monitorar e controlar sua operação, a fim de
assegurar que ele continue a a...
SISTEMA
Feedback
Entrada Processamento Saída
Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
O que é um Sistema?
Processos de
Fabricação
Entrada de
Matérias-Primas
Saída de
Produtos Acabados
Ambiente
Outros Sistemas...
EXEMPLOS DE SISTEMAS
Lanchonete:
 Entradas: carne, tomate, alface, pão, batatas,
bebidas, trabalho, gerência
 Mecanismos...
EXEMPLOS DE SISTEMAS
Cinema:
 Entradas: atores, diretor, equipe, cenários,
equipamentos
 Mecanismos de processamento: fi...
EXEMPLOS DE SISTEMAS
Universidade:
 Entradas: estudantes, professores, administradores, livros,
equipamentos
 Mecanismos...
Classificação de Sistemas:
Os sistemas podem ser classificados dentro
de inúmeras visões.
Prof. Francisco de Sousa Lima, M...
Simples: Possuem pouco componentes;
 Relação ou interação entre os componentes é descomplicada;
 Ex.: misturar ingredien...
 Abertos:
 Interagem com o ambiente no qual estão inseridos;
 Ex.: empresas e universidades são sistemas abertos
 Empr...
 Estáveis (Não-Adaptáveis):
 Sofrem pouca influência do ambiente no qual estão inseridos;
 Mudanças no ambiente resulta...
 Permanentes: Existem por muito tempo;
Ex.: Empresas grandes, Universidades (anos);
 Temporários: Existem por pouco temp...
Atividades básicas dos Sistemas:
 Entrada (input) – envolve a captação ou coleta de fontes de
dados brutos de dentro da o...
Atividades básicas dos Sistemas
 Saída (output) –transferência da informação as pessoas ou
atividades que a usarão (gráfi...
Modelo Geral de um sistema:
Exemplos de Sistemas
Fabricante
Universidade
Serviço Saúde
Sistema
Bicicletas
com maior
qualidade
Aquisição
de
Conheci-
me...
PERFORMANCE DE UM SISTEMA
 A performance de um sistema é aferida pela sua
eficiência e eficácia.
 A eficiência é resulta...
PERFORMANCE DE UM SISTEMA
 Eficácia e eficiência são um conjunto de objetivos de
performance para um sistema como um todo...
PADRÃO DE PERFORMANCE
 Um padrão de performance de sistemas é um
objetivo específico. Uma vez estabelecidos esses
padrões...
VARIÁVEIS E PARÂMETROS DE UM SISTEMA
 Uma variável de sistema corresponde à
quantidade ou ao item que pode ser controlado...
MODELO DE UM SISTEMA
 Um modelo é uma abstração ou uma
aproximação usada para representar a
realidade.
 Existem vários t...
TIPOS DE MODELO
 Um modelo narrativo é baseado em palavras, por
exemplo descrições verbais ou escritas, como
relatórios, ...
TIPOS DE MODELO
 Um modelo esquemático é uma representação
gráfica da realidade, por exemplo desenhos,
gráficos, figuras,...
Sistema de Informação
 É um conjunto de partes coordenadas, que buscam
prover a empresa com informações, com o objetivo
d...
SISTEMA DE INFORMAÇÃO
 Um sistema de informação (SI) é um conjunto de elementos inter-
relacionados que coleta (entrada),...
Componentes de SI´s
Realimentam o SI com
novos dados que geram
novas informações;
Interagem diretamente
com o SI.
Utilizam...
Componentes de um Sistema de Informação
Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
Recursos de um Sistema de Informação
Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
Recursos humanos: usuários finais e especialistas em SI
(usuários finais: pessoa que usa a SI e gerentes)
Recursos de Soft...
 Importância dos
Sistemas de Informação
 Sociedade global e
informatizada de hoje
 Ambientes de negócios
globalizado
 ...
SIBC
(Sistema de Informação baseado em computador)
 SI Manual: pode lápis e papel
 SI Computadorizado: utiliza a tecnolo...
Software
Hardware
Pessoas
Banco de Dados Procedimentos
Redes de comunicação
SIBC
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
COMPUTADORIZADOS
 Um sistema de informação computadorizado (SIC)
é composto de hardware, software,...
 Hardware consiste no equipamento de
computador usado para executar as atividades
de entrada, de processamento e de saída...
 Software é o programa para computador que
possibilita a operação do equipamento.
 Software de sistema: controla as oper...
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
COMPUTADORIZADOS
 Banco de dados é uma coleção organizada de
fatos e de informações.
 A maioria d...
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
COMPUTADORIZADOS
 Telecomunicações são as transmissões eletrônicas
de sinais para comunicações que...
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
COMPUTADORIZADOS
 As pessoas representam o elemento mais
importante na maioria dos SIC.
 São as p...
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
COMPUTADORIZADOS
 Os procedimentos abrangem as estratégias, as
políticas, os métodos e as regras p...
vantagens competitivas, melhores serviços,
menos erros, maior precisão, produtos de
melhor qualidade,
aperfeiçoamento, mel...
Tecnologia da Informação (TI)
é o conjunto de recursos tecnológicos e computacionais para
a geração e uso da informação.
o...
Tecnologia da Informação
•A tecnologia aperfeiçoa ou adiciona eficiência a uma
tarefa. A tecnologia é um facilitador, um c...
SISTEMA DE INFORMAÇÃO
Feedback
Entrada Processamento Saída
Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
EXEMPLO DE UM S.I.
Sistema de produção de contracheques salariais:
 Entrada: empregados, quantidade de horas trabalhadas
...
SISTEMA DE INFORMAÇÃO
 Um sistema de informação (SI) pode ser manual ou
computadorizado.
 Por exemplo, alguns analistas ...
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
EMPRESARIAIS
Os tipos mais comuns de sistemas de informação
empresariais são:
 SPT (Sistema de Pro...
SISTEMAS DE PROCESSAMENTO DE
TRANSAÇÕES (SPT)
 Um SPT é uma coleção organizada de pessoas,
procedimentos, software, banco...
SISTEMAS DE PROCESSAMENTO DE
TRANSAÇÕES (SPT)
 Os benefícios gerados por um SPT são tangíveis e podem
ser usados para jus...
SISTEMAS DE PROCESSAMENTO DE
TRANSAÇÕES (SPT)
Horas
trabalhadas
Taxa de
remuneração
Processamento
da folha de
pagamento
Co...
SISTEMAS DE PROCESSAMENTO DE
TRANSAÇÕES (SPT)
Outros exemplos de SPT:
 Controle de estoque;
 Registro e processamento de...
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
GERENCIAIS (SIG)
 Um SIG abrange uma coleção organizada de
pessoas, procedimentos, software, banco...
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
GERENCIAIS (SIG)
Banco de
dados comum
SIG de Produção
Outros SIG
SIG de Marketing
SIG Financeira
SP...
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
GERENCIAIS (SIG)
Os SIG produzem uma variedade de relatórios:
 Relatórios programados contêm infor...
SISTEMAS DE SUPORTE À
DECISÃO (SSD)
 Um SSD é uma coleção organizada de pessoas,
procedimentos, software, bancos de dados...
SISTEMAS DE SUPORTE À
DECISÃO (SSD)
 Por exemplo, um SSD pode ajudar um fabricante de
automóveis na escolha da melhor loc...
SISTEMAS DE SUPORTE À
DECISÃO (SSD)
 Os elementos essenciais de um SSD incluem vários
modelos usados para dar suporte ao ...
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL (IA) E
SISTEMAS ESPECIALISTAS (SE)
 Inteligência artificial: o computador assume as
característic...
 Robótica: área da IA onde as máquinas realizam
tarefas complexas, rotineiras ou entediantes, por
exemplo soldagem de cha...
 Processador de linguagem natural: envolve a
capacidade dos computadores entenderem e atuarem
sob comandos verbais ou por...
 Redes neurais: permitem ao computador reconhecer e
atuar sobre padrões ou tendências. Por exemplo, são
usadas por invest...
 O valor dos sistemas especialistas reside no fato de
eles permitirem que as organizações absorvam e usem
o conhecimento ...
DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS
 Desenvolvimento de sistemas é a atividade de criar ou
modificar os sistemas empresariais exi...
DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS
 Investigação de sistemas: consiste em obter um
entendimento claro da questão a ser resolvida...
DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS
 Projeto de sistemas: determina exatamente como o
novo sistema funcionará para atender as nec...
DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS
 Manutenção e validação: checar e modificar o sistema,
de modo que continue a atender às nece...
APRENDIZADO DE COMPUTADORES E DE S.I.
 O Profissional de Sistemas para Internet precisa
adquirir conhecimento tanto em co...
APRENDIZADO DE COMPUTADORES E DE S.I.
 O aprendizado de sistemas de informação é o
conhecimento de como os dados e as inf...
POR QUE ESTUDAR SISTEMAS DE
INFORMAÇÃO?
 Os SI desempenham um papel fundamental e em
constante expansão em todas as organ...
POR QUE ESTUDAR SISTEMAS DE
INFORMAÇÃO?
 Os sistemas de informação eficazes podem ter um
grande impacto sobre a estratégi...
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
NAS ÁREAS DA EMPRESA
 Os sistemas de informação são usados em todas as
áreas funcionais e divisões...
 Vendas e marketing: análise de produtos (desenvolver
novos produtos e serviços), análise de localização
(melhor local pa...
 Área de fabricação: processar os pedidos dos clientes,
desenvolver programações de produção, controlar os
níveis de esto...
 Além disso, os SI são usados no desenho de produtos
(computer-assisted design – CAD), na fabricação de
itens (computer-a...
 Gerenciamento de recursos humanos: examinar
candidatos, administrar testes de performance em
empregados, monitorar a pro...
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
NA INDÚSTRIA
 Companhias aéreas: fazer reservas de assentos,
determinar as tarifas e planilha de h...
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
NA INDÚSTRIA
 Bancos e instituições de empréstimo e poupança:
ajudar a fazer empréstimos seguros e...
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
NA INDÚSTRIA
 Organizações de assistência médica: diagnosticar
doenças, planejar o tratamento médi...
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
NA INDÚSTRIA
 Empresas de energia: monitorar e controlar a geração
e o uso da energia.
 Firmas de...
Tomada de Decisões e
solução de problemas
Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
Problema:
- situação que ocorre quando o estado atual das coisas é diferente do
estado desejado;
Ex.: situações que alerta...
Abordagens de solução de problemas
 Reativa: o solucionador espera até que o problema venha a superfície ou
se torne apar...
Teoria da decisão
 A nasceu com Herbert Simon, que a utilizou como fundamento para explicar o
comportamento humano nas or...
A solução de problemas começa com a
tomada de decisão.
A solução de problemas é a atividade mais
crucial que uma organizaç...
Estágios da Inteligência
 neste estágio, problemas e/ou oportunidades em potencial são
identificados e definidos. Reúne a...
Estágios da Tomada de Decisão
Estágio de Projeto:
 as soluções alternativas são desenvolvidas.
 São avaliadas a viabilid...
Estágio de implementação:
quando uma ação é executada para efetivar a ação.
Ex.: levar as frutas ao aeroporto e embarcá-la...
A tomada de decisão pode ser
estudada sob duas perspectivas:
 Perspectiva do Processo: se concentra nas etapas do process...
Tipos de Decisão
Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
Tipos de Decisões
Decisões programadas são as caracterizadas pela rotina e repetitividade.
São tomadas mediante uma regra,...
O Grau de certeza na decisão:
As organizações defrontam-se constantemente com problemas que
variam em graus de complexidad...
O problema estruturado tem suas decisões
subdivididas em três categorias:
 Decisões sob certeza: onde as variáveis são co...
 Decisões sob incerteza: onde as variáveis são conhecidas, mas as
probabilidades para determinar a conseqüência de uma aç...
 Um problema não-estruturado é aquele que não
pode ser claramente definido, pois uma ou mais
de suas variáveis são descon...
 Um problema semiestruturado é aquele no qual
somente parte do problema possuem uma
resposta definida fornecida por uma m...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Introdução aos sistemas

393 visualizações

Publicada em

Introdução aos sistemas

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
393
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Introdução aos sistemas

  1. 1. 1 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 2013.2 Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc CST Sistemas para Internet
  2. 2. BIBLIOGRAFIA  STAIR, R.M.; REYNOLDS, G.W. Princípios de sistemas de informação. 6. ed. São Paulo: Thomson Pioneira, 2005. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  3. 3. CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO AOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  4. 4. SOCIEDADE AGRÍCOLA Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  5. 5. SOCIEDADE INDUSTRIAL Obra-prima do cinema mundial, Tempos Modernos satiriza a vida industrial: Carlitos, o adorável vagabundo, é um operário de uma fábrica super moderna. Carlitos entra em crise, perde o emprego e é obrigado a partir para a briga contra um mal da vida moderna: o desemprego. A sátira à industrialização é feita de forma engraçada, mas triste. (Direção Charles Chaplin – 1936) Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  6. 6. Sociedade pós-industrial Sociedade do conhecimento Valorização das características humanas; Querer Fazer (atitude, determinação, interesse); Saber como fazer (habilidade, técnica); Saber o que e porque fazer (Informação e conhecimento); Gestão de pessoas. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  7. 7. Organização hoje:  passa a valorizar a coletividade ao invés do indivíduo (ex.: Programa de Qualidade Total e Brainstorm – que defendem a participação da coletividade);  Precisa de diferenciais para conquistar o consumidor, já que a concorrência aumentou devido: facilidade de produção em larga escala e globalização;  Mercado antes disputado por empresas locais, hoje convive com empresas de diversos lugares do mundo – facilidade de transporte de mercadorias, divulgação de produtos e transferência de dinheiro entre países. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  8. 8.  Para conseguir o diferencial necessário a informação passa a ser a base para as transformações operacionais e gerenciais exigidas pelo mercado atual (produtos e serviços de qualidade e baixo preço). Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  9. 9. E ...monitar o mercado...  Via coleta de informação é uma maneira de identificar as direções do mercado permitindo as organizações se adaptarem as mudanças. Era pós-industrial:Sociedade da Informação...Sociedade do conhecimento Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  10. 10. Dado  Dado: cadeia de caracteres ou padrões sem interpretação.  É qualquer elemento identificado em sua forma bruta que por si só não conduz a uma compreensão de determinado fato ou situação.   Ex.: nome de um funcionário, nº peças em estoque; nº de horas trabalhadas,... Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  11. 11. Informação (latim informare – dar forma)  Conjunto de dados aos quais seres humanos deram forma para torná-los significativos e úteis.  Dado dotado de relevância.  Ex.: quantidade de vendas por produto, total de vendas mensais,... Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  12. 12.  A informação precisa ser:  Clara-> apresentar o fato com clareza, não o mascarando entre fatos acessórios;  Precisa-> deve ter alto padrão de precisão e nunca apresentar termos como “por volta de...” ”cerca de...” “mais ou menos...”; ela precisa não conter erros;  Rápida-> chegar ao ponto de decisão em tempo hábil para que gere efeito na referida decisão;  Dirigida-> a quem tenha necessidade dela e que irá decidir com base nessa informação. INFORMAÇÃO Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  13. 13. Conhecimento  Capacidade de resolver problemas, inovar e aprender baseando-se em experiências prévias;  Esforço de investigação para descobrir aquilo que esta oculto, que não esta compreendido ainda.  Adquirir conhecimento não é reter informação, mas utilizar estas para desvendar o novo e avançar. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  14. 14. Dado não é Informação e Informação não é Conhecimento! Organizações competem pelo domínio do conhecimento científico e tecnológico; COMO ?  Armazenando, processando, acessando e disponibilizando informações por meio de redes de comunicação. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  15. 15. NÃO BASTA QUE CADA QUAL ACUMULE NO COMEÇO DA VIDA UMA DETERMINADA QUANTIDADE DE CONHECIMENTOS DE QUE SE POSSA ABASTECER INDEFINIDAMENTE! É NECESSÁRIO ESTAR À ALTURA DE APROVEITAR E EXPLORAR AO LONGO DA VIDA, TODAS AS OCASIÕES DE ATUALIZAR,APROFUNDAR E ENRIQUECER ESSES CONHECIMENTOS E DE SE ADAPTAR A UM MUNDO EM MUDANÇA. (DÉLORS,2001) Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  16. 16. DADOS VERSUS INFORMAÇÃO  Dados: consistem em fatos brutos (não trabalhados).  Informação: é um dado transformado em alguma forma significativa. É uma coleção de fatos organizados de modo que adquirem um valor adicional além do valor dos próprios dados.  A transformação de dados em informação é um processo, ou seja, um conjunto de tarefas logicamente relacionadas e executadas para atingir um resultado definido. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  17. 17. Relatório Mensal Vendas - Região Oeste Vendedor: Charles Mann Emp No. 79154 Item Quant. Preço Sapatos 1200 100 Dados versus Informações
  18. 18. DADOS VERSUS INFORMAÇÃO  O processo de definição dos relacionamentos entre dados exige conhecimento.  Conhecimento é a consciência e a compreensão de um conjunto de informações e de como elas podem ser usadas para dar suporte a uma tarefa específica. Dados Processo de transformação Informação Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  19. 19. CARACTERÍSTICAS DA INFORMAÇÃO VALIOSA  Precisa: não contém erro  Completa: contém todos os fatos importantes  Econômica de se produzir  Confiável  Relevante  Simples de ser entendida  Pontual: disponível quando necessária  Verificável: pode ser conferida que está correta  Acessível: na forma correta e no tempo correto  Segura: acesso apenas a usuários autorizados Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  20. 20. VALOR DA INFORMAÇÃO  O valor da informação está diretamente ligado a como ela ajuda as pessoas a alcançarem as metas de suas organizações.  Por exemplo, pode ser medido pela diminuição do tempo exigido para tomar uma decisão ou pelo aumento dos lucros da empresa. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  21. 21. SISTEMA  Um sistema é um conjunto de elementos que interagem para atingir uma meta ou um conjunto de objetivos.  Os componentes de um sistema incluem entradas, mecanismos de processamento e saídas.  Os sistemas contém limites que os separam do meio ambiente e uns dos outros. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  22. 22. SISTEMA  O feedback é usado pelo sistema para monitorar e controlar sua operação, a fim de assegurar que ele continue a atingir suas metas e objetivos. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  23. 23. SISTEMA Feedback Entrada Processamento Saída Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  24. 24. O que é um Sistema? Processos de Fabricação Entrada de Matérias-Primas Saída de Produtos Acabados Ambiente Outros Sistemas Controle pela Administração Sinais de Controle Sinais de Controle Sinais de Feedback Sinais de Feedback Fronteira do Sistema Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  25. 25. EXEMPLOS DE SISTEMAS Lanchonete:  Entradas: carne, tomate, alface, pão, batatas, bebidas, trabalho, gerência  Mecanismos de processamento: fritar, cozinhar, aquecer, servir  Saídas: hambúrgeres, batatas fritas, bebidas  Meta: comida rápida e barata Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  26. 26. EXEMPLOS DE SISTEMAS Cinema:  Entradas: atores, diretor, equipe, cenários, equipamentos  Mecanismos de processamento: filmar, editar, efeitos especiais, distribuição do filme  Saídas: filme concluído entregue aos cinemas  Meta: entretenimento, premiações, lucros Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  27. 27. EXEMPLOS DE SISTEMAS Universidade:  Entradas: estudantes, professores, administradores, livros, equipamentos  Mecanismos de processamento: ensinar, pesquisar, atender  Saídas: formação de profissionais, pesquisa importante para a comunidade, estado e país  Meta: aquisição e disseminação de conhecimento Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  28. 28. Classificação de Sistemas: Os sistemas podem ser classificados dentro de inúmeras visões. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  29. 29. Simples: Possuem pouco componentes;  Relação ou interação entre os componentes é descomplicada;  Ex.: misturar ingredientes para fazer um bolo  Entrada: ingredientes, conhecimento sobre proporção e ordem dos ingredientes;  Processamento: misturar os ingredientes e colocar no forno para assar;  Saída: bolo acabado (assado e pronto). Complexos:  Possuem muitos componentes (pessoas, máquinas);  Componentes são altamente relacionados e inter-conectados;  Ex.: fabricação de um automóvel (numerosas peças, componentes, equipamentos e pessoal qualificado);  Entrada: peças do carro – chassi, motor, suspensão;  Processamento: linha de montagem do carro;  Saída: carro pronto; Classificação de Sistemas Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  30. 30.  Abertos:  Interagem com o ambiente no qual estão inseridos;  Ex.: empresas e universidades são sistemas abertos  Empresa (entra matéria prima) saí (bens e serviços);  Plantas, animais, etc. – alto grau de interação com o ambiente  Fechados: Não interagem totalmente com o ambiente no qual estão inseridos. Apresentam um comportamento totalmente determinístico e programado. Classificação de Sistemas Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  31. 31.  Estáveis (Não-Adaptáveis):  Sofrem pouca influência do ambiente no qual estão inseridos;  Mudanças no ambiente resultam em pouca ou nenhuma mudança no ambiente; Ex.: (um pequena empresa que produz brinquedos de blocos de madeira pode ser bastante estável, desde que a fonte de matéria prima e as preferências tenham se mantido).  Dinâmicos (Adaptáveis):  Sofrem constantes modificações devido às mudanças ocorridas no ambiente que estão inseridos;  Flexibilidade;  Ex: Fábrica de computadores /equipamentos eletrônicos (mudanças tecnologia forçam o desenvolvimento de novos produtos); Classificação de Sistemas Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  32. 32.  Permanentes: Existem por muito tempo; Ex.: Empresas grandes, Universidades (anos);  Temporários: Existem por pouco tempo (meses); Ex.: grupos de pesquisa nas disciplina; sociedade que se reúne para obtenção de manuscritos raros e valiosos (depois estes são vendidos e a sociedade é desfeita). Classificação de Sistemas Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  33. 33. Atividades básicas dos Sistemas:  Entrada (input) – envolve a captação ou coleta de fontes de dados brutos de dentro da organização ou de seu ambiente externo (formulários, registros, edição);  Processamento – conversão da entrada bruta em forma mais útil e apropriada (dados classificados, analisados, manipulados através de cálculos, comparações...) Matéria prima Processo industrial Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  34. 34. Atividades básicas dos Sistemas  Saída (output) –transferência da informação as pessoas ou atividades que a usarão (gráficos ou relatórios);  Realimentação (feedback) – é a saída que retorna aos membros adequados da organização para ajudá-los a refinar ou corrigir os dados de entrada ou ao processamento.  Controle – envolve o monitoramento e avaliação do feedback para determinar se o sistema esta se dirigindo para a realização de sua meta. Produto acabado Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  35. 35. Modelo Geral de um sistema:
  36. 36. Exemplos de Sistemas Fabricante Universidade Serviço Saúde Sistema Bicicletas com maior qualidade Aquisição de Conheci- mento Serviço de Saúde com alta qualidade Entradas Processamento Saídas Armação, componentes, suprimentos Estudantes, professores, administradore s livros, equipamentos Armação, componente ssuprimento s. Médicos, enfermeiras, pacientes, equipamentos Solda, pintura, montagem Ensino, pesquisa... Diagnóstico, cirurgia, medicamentos, exames Bicicletas acabadas Estudantes cultos, pesquisa significativa, serviços à comunidade Pacientes saudáveis, serviços a comunidade Atividades básicasMetas/obje tivo.
  37. 37. PERFORMANCE DE UM SISTEMA  A performance de um sistema é aferida pela sua eficiência e eficácia.  A eficiência é resultado do que é produzido dividido pelo que é consumido.  A eficácia é uma medida da extensão em que um sistema alcança suas metas. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  38. 38. PERFORMANCE DE UM SISTEMA  Eficácia e eficiência são um conjunto de objetivos de performance para um sistema como um todo.  Atender a esses objetivos exige a consideração não somente da eficiência e da eficácia desejadas, mas, também, do custo, da complexidade e do nível de controle desejado do sistema.  O controle é a capacidade de um sistema operar dentro de diretrizes predefinidas e o esforço gerencial exigido para manter o sistema operando dentro desses limites. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  39. 39. PADRÃO DE PERFORMANCE  Um padrão de performance de sistemas é um objetivo específico. Uma vez estabelecidos esses padrões, a performance do sistema é comparada com o padrão.  Por exemplo, a performance padrão de um processo de fabricação poderia limitar em 1% a quantidade de peças defeituosas. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  40. 40. VARIÁVEIS E PARÂMETROS DE UM SISTEMA  Uma variável de sistema corresponde à quantidade ou ao item que pode ser controlado pelo tomador de decisões, por exemplo o preço de um produto da empresa.  Um parâmetro de sistema constitui um valor que não pode ser controlado, por exemplo o custo da matéria prima. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  41. 41. MODELO DE UM SISTEMA  Um modelo é uma abstração ou uma aproximação usada para representar a realidade.  Existem vários tipos de modelo: narrativos, físicos, esquemáticos e matemáticos.  Os usuários dos modelos devem estar conscientes das hipóteses sob as quais o modelo foi desenvolvido. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  42. 42. TIPOS DE MODELO  Um modelo narrativo é baseado em palavras, por exemplo descrições verbais ou escritas, como relatórios, documentos ou apresentações.  Um modelo físico é uma representação tangível da realidade, por exemplo protótipos de produtos, modelo em escala de um prédio ou avião. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  43. 43. TIPOS DE MODELO  Um modelo esquemático é uma representação gráfica da realidade, por exemplo desenhos, gráficos, figuras, fotos, fluxogramas.  Um modelo matemático é uma representação aritmética da realidade, por exemplo modelos de estoques ou modelos de Pesquisa Operacional. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  44. 44. Sistema de Informação  É um conjunto de partes coordenadas, que buscam prover a empresa com informações, com o objetivo de melhorar a tomada de decisões. • Conjunto organizado de pessoas, hardware, software, redes de comunicação e recursos de dados que coletam, transformam e disseminam informações em uma organização (O’ Brien, 2001).
  45. 45. SISTEMA DE INFORMAÇÃO  Um sistema de informação (SI) é um conjunto de elementos inter- relacionados que coleta (entrada), manipula e armazena (processo) e dissemina (saída) dados e informações.  A entrada é a atividade de captura e coleta de dados novos.  O processamento envolve a conversão ou a transformação de dados em saídas úteis.  A saída envolve a produção de informação útil.  O feedback é usado para fazer ajustes ou mudanças na entrada ou nas atividades de processamento. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  46. 46. Componentes de SI´s Realimentam o SI com novos dados que geram novas informações; Interagem diretamente com o SI. Utilizam as informações geradas para algum processo de tomada de decisão (ambiente de trabalho); Unidades que exercem diferentes funções, tais como: vendas, produção, educação; Meio pelo qual os dados são transformados em informação; Pode ser: lápis e papel; giz,… computador: hardware, software e comunicações. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  47. 47. Componentes de um Sistema de Informação Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  48. 48. Recursos de um Sistema de Informação Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  49. 49. Recursos humanos: usuários finais e especialistas em SI (usuários finais: pessoa que usa a SI e gerentes) Recursos de Software: programas e procedimentos (procedimentos: manuais, folhetos explicativos, etc) Recursos de Hardware: máquinas, equipamentos e mídia Recursos de Dados: banco de dados e base de conhecimento (experiência anterior da empresa) Recursos de Rede: meios de comunicação e suportes e redes Recursos de um Sistema de Informação
  50. 50.  Importância dos Sistemas de Informação  Sociedade global e informatizada de hoje  Ambientes de negócios globalizado  SI desempenham papel vital nas operações eficientes, administração eficaz e sucesso estratégico  Principal área de administração das empresas  Gerentes de hoje têm que ter uma compreensão do uso e administração dos SI  Empresas precisam de TI  TI apóiam as operações de negócios, a tomada de decisões e vantagem estratégica  TI se tornou ingrediente indispensável nas estratégias para enfrentar ambientes de negócios em rápida transformação  Ajudam nos desafios de conexão à Internet, globalização, reengenharia empresarial e obter vantagem competitiva
  51. 51. SIBC (Sistema de Informação baseado em computador)  SI Manual: pode lápis e papel  SI Computadorizado: utiliza a tecnologia de hardware e software para processar e disseminar informação.  CBIS (Computer-based Information Systems) Componentes:  Hardware;  Software;  Banco de Dados;  Rede de Telecomunicação;  Pessoas;  Procedimentos (práticas de trabalho);
  52. 52. Software Hardware Pessoas Banco de Dados Procedimentos Redes de comunicação SIBC
  53. 53. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO COMPUTADORIZADOS  Um sistema de informação computadorizado (SIC) é composto de hardware, software, banco de dados, telecomunicações, pessoas e procedimentos que são configurados para coletar, manipular, armazenar e processar os dados em informação.  Um SIC é também conhecido como infra-estrutura tecnológica de uma empresa. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  54. 54.  Hardware consiste no equipamento de computador usado para executar as atividades de entrada, de processamento e de saída.  Entrada: teclado, scanners, entre outros.  Processamento: unidade de processamento central e memória principal.  Saída: impressoras, monitores etc. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO COMPUTADORIZADOS Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  55. 55.  Software é o programa para computador que possibilita a operação do equipamento.  Software de sistema: controla as operações básicas do computador, como ligar e imprimir.  Software aplicativo: realização de tarefas específicas como processamento de texto ou planilha eletrônica. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO COMPUTADORIZADOS Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  56. 56. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO COMPUTADORIZADOS  Banco de dados é uma coleção organizada de fatos e de informações.  A maioria dos executivos considera um banco de dados como uma das partes mais importantes e valiosas de um SIC. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  57. 57. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO COMPUTADORIZADOS  Telecomunicações são as transmissões eletrônicas de sinais para comunicações que proporcionam a ligação do SIC a redes.  As redes são usadas para conectar os computadores em um prédio, ou no mundo todo.  A Internet é a maior rede de computadores do mundo, consistindo de milhares de redes interconectadas. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  58. 58. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO COMPUTADORIZADOS  As pessoas representam o elemento mais importante na maioria dos SIC.  São as pessoas que programam, gerenciam, executam e mantêm o sistema.  Um usuário é qualquer pessoa que usa o SIC para obter resultados. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  59. 59. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO COMPUTADORIZADOS  Os procedimentos abrangem as estratégias, as políticas, os métodos e as regras para se usar um SIC.  Por exemplo, definem quem pode ter acesso ao banco de dados, o que deve ser feito em caso de pane no sistema etc. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  60. 60. vantagens competitivas, melhores serviços, menos erros, maior precisão, produtos de melhor qualidade, aperfeiçoamento, melhor eficiência, maior produtividade, maiores oportunidades, administração mais eficiente, automatização de tarefas rotineiras, custos reduzidos, maior e melhor controle sobre as operações, melhores tomadas de decisões. Benefícios que as empresas procuram obter com o uso dos SI: Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  61. 61. Tecnologia da Informação (TI) é o conjunto de recursos tecnológicos e computacionais para a geração e uso da informação. o conjunto de recursos que desempenha uma ou mais tarefas de processamento das informações do SI, tal como coletar, transmitir, armazenar, recuperar, manipular e exibir dados. Que TI estão presentes hoje nas empresas? BD compartilhados; Redes de Comunicação; Ferramentas de Apoio à Decisão; Notebooks e Comunicação sem Fio; fibra ótica; comunicação por satélite; centrais telefônicas inteligentes. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  62. 62. Tecnologia da Informação •A tecnologia aperfeiçoa ou adiciona eficiência a uma tarefa. A tecnologia é um facilitador, um componente, ela não cria diretamente a satisfação. O principal benefício que a TI traz para as organizações é a sua capacidade de melhorar a qualidade e a disponibilidade de informações e conhecimentos importantes para a empresa, seus clientes e fornecedores. A TI é um componente dos SI! Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  63. 63. SISTEMA DE INFORMAÇÃO Feedback Entrada Processamento Saída Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  64. 64. EXEMPLO DE UM S.I. Sistema de produção de contracheques salariais:  Entrada: empregados, quantidade de horas trabalhadas  Processamento: multiplicação das horas trabalhadas pelo valor da hora, deduções  Saída: contracheques para os empregados, relatórios para os gerentes  Feedback: confere se os resultados estão coerentes, relatórios de erros Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  65. 65. SISTEMA DE INFORMAÇÃO  Um sistema de informação (SI) pode ser manual ou computadorizado.  Por exemplo, alguns analistas de investimento elaboram, manualmente, gráficos e curvas de tendência para ajudá- los na tomada de decisões de investimento.  Muitos sistemas de informação começam como sistemas manuais e depois se tornam computadorizados. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  66. 66. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO EMPRESARIAIS Os tipos mais comuns de sistemas de informação empresariais são:  SPT (Sistema de Processamento de Transações);  SIG (Sistema de Informações Gerenciais);  SSD (Sistema de Suporte à Decisão);  IA/SE (Inteligência Artificial/Sistema Especialista). Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  67. 67. SISTEMAS DE PROCESSAMENTO DE TRANSAÇÕES (SPT)  Um SPT é uma coleção organizada de pessoas, procedimentos, software, banco de dados e dispositivos com a finalidade de registrar as transações empresariais realizadas.  Uma transação equivale a qualquer troca relacionada com negócios que ocorra dentro da organização.  Os SPT representam a aplicação dos conceitos de informação e tecnologia para as transações rotineiras, repetitivas, mas críticas para a empresa. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  68. 68. SISTEMAS DE PROCESSAMENTO DE TRANSAÇÕES (SPT)  Os benefícios gerados por um SPT são tangíveis e podem ser usados para justificar seus custos em equipamentos, programas de computador, pessoal e suprimentos.  Os SPT dão velocidade ao processamento das atividades empresariais e reduzem os custos das empresas. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  69. 69. SISTEMAS DE PROCESSAMENTO DE TRANSAÇÕES (SPT) Horas trabalhadas Taxa de remuneração Processamento da folha de pagamento Contra- cheques Exemplo: SPT da folha de pagamento Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  70. 70. SISTEMAS DE PROCESSAMENTO DE TRANSAÇÕES (SPT) Outros exemplos de SPT:  Controle de estoque;  Registro e processamento de vendas;  Emissão de faturas para clientes;  Registro de funcionários. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  71. 71. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAIS (SIG)  Um SIG abrange uma coleção organizada de pessoas, procedimentos, software, banco de dados e dispositivos que fornecem informação rotineira aos gerentes e tomadores de decisão.  Os SIG basicamente fornecem relatórios padronizados com base nos dados e nas informações do sistema de processamento de transações (SPT). Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  72. 72. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAIS (SIG) Banco de dados comum SIG de Produção Outros SIG SIG de Marketing SIG Financeira SPT Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  73. 73. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAIS (SIG) Os SIG produzem uma variedade de relatórios:  Relatórios programados contêm informação preestabelecida e são gerados regularmente (ex.: níveis diários de estoque; itens mais vendidos);  Relatórios de demanda: sob requisição (ex.: nível de estoque para um representante de vendas);  Relatórios de exceção: situações não-usuais ou críticas (ex.: baixos estoques de um item). Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  74. 74. SISTEMAS DE SUPORTE À DECISÃO (SSD)  Um SSD é uma coleção organizada de pessoas, procedimentos, software, bancos de dados e dispositivos usados para dar suporte a um problema específico na tomada de decisões.  O foco de um SSD incide sobre a eficácia da tomada de decisões.  Um SIG ajuda a organização a “fazer as coisas certas”, enquanto que um SSD ajuda o gerente a “fazer a coisa certa” naquele momento. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  75. 75. SISTEMAS DE SUPORTE À DECISÃO (SSD)  Por exemplo, um SSD pode ajudar um fabricante de automóveis na escolha da melhor localização para construir novas instalações.  Ou, ajudar uma companhia de petróleo na pesquisa do local ideal para perfurar.  Nesses casos, um SSD poderá sugerir alternativas e dar suporte à tomada de decisão final. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  76. 76. SISTEMAS DE SUPORTE À DECISÃO (SSD)  Os elementos essenciais de um SSD incluem vários modelos usados para dar suporte ao tomador de decisão (base do modelo), uma coleção de fatos e de informações (banco de dados) e sistemas e procedimentos (interface com o usuário) que ajudam os tomadores de decisão a interagir com o SSD.  A ênfase geral é dar suporte em vez de substituir a tomada de decisão gerencial. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  77. 77. INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL (IA) E SISTEMAS ESPECIALISTAS (SE)  Inteligência artificial: o computador assume as características da inteligência humana.  Áreas da inteligência artificial: robótica, sistemas de visão, processador de linguagem natural, sistemas de aprendizado, redes neurais, sistemas especialistas. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  78. 78.  Robótica: área da IA onde as máquinas realizam tarefas complexas, rotineiras ou entediantes, por exemplo soldagem de chassis de automóveis.  Sistemas de visão: permitem aos robôs e outros dispositivos ter a “visão” e armazenar e processar imagens visuais. INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL (IA) E SISTEMAS ESPECIALISTAS (SE) Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  79. 79.  Processador de linguagem natural: envolve a capacidade dos computadores entenderem e atuarem sob comandos verbais ou por escrito.  Sistemas de aprendizado: dão aos computadores a capacidade de aprender com os erros ou experiências passadas. INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL (IA) E SISTEMAS ESPECIALISTAS (SE) Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  80. 80.  Redes neurais: permitem ao computador reconhecer e atuar sobre padrões ou tendências. Por exemplo, são usadas por investidores para descobrir tendências no mercado futuro de ações.  Sistemas especialistas: conferem ao computador a capacidade de sugerir e agir como um especialista num campo em particular, por exemplo na medicina ou psicologia. Na Administração, são usados para executar avaliação de crédito ou planos de marketing. INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL (IA) E SISTEMAS ESPECIALISTAS (SE) Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  81. 81.  O valor dos sistemas especialistas reside no fato de eles permitirem que as organizações absorvam e usem o conhecimento dos peritos e especialistas.  Quando um especialista humano se aposenta ou muda de emprego, os anos de experiência e habilidades específicas não são totalmente perdidos. INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL (IA) E SISTEMAS ESPECIALISTAS (SE) Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  82. 82. DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS  Desenvolvimento de sistemas é a atividade de criar ou modificar os sistemas empresariais existentes.  As etapas do desenvolvimento de sistemas são: investigação do sistema, análise de sistemas, projeto de sistemas, implementação, manutenção e validação. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  83. 83. DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS  Investigação de sistemas: consiste em obter um entendimento claro da questão a ser resolvida ou oportunidade a ser aproveitada.  “Vale a pena resolver o problema?” (levar em conta limitações orçamentárias e de pessoal)  Análise de sistemas: define o que o sistema precisa fazer para resolver o problema. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  84. 84. DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS  Projeto de sistemas: determina exatamente como o novo sistema funcionará para atender as necessidades empresariais.  Implementação de sistemas: criação ou aquisição dos vários componentes do sistema (hardware, software, banco de dados etc.) definidos na fase de projeto, a sua montagem, e a colocação do novo sistema em operação. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  85. 85. DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS  Manutenção e validação: checar e modificar o sistema, de modo que continue a atender às necessidades empresariais em constante mudança. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  86. 86. APRENDIZADO DE COMPUTADORES E DE S.I.  O Profissional de Sistemas para Internet precisa adquirir conhecimento tanto em computadores como em sistemas de informação para ajudar as organizações atingirem suas metas e objetivos.  O aprendizado de computador é um conhecimento dos sistemas e equipamentos de computadores e seus modos de funcionamento. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  87. 87. APRENDIZADO DE COMPUTADORES E DE S.I.  O aprendizado de sistemas de informação é o conhecimento de como os dados e as informações são usados por indivíduos, grupos e organizações  Conhecer os vários tipos de hardware e de software constitui um exemplo de aprendizado de computador. Saber usá-los para aumentar os lucros, cortar custos ou aumentar a produtividade são exemplos de aprendizado de sistemas de informação. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  88. 88. POR QUE ESTUDAR SISTEMAS DE INFORMAÇÃO?  Os SI desempenham um papel fundamental e em constante expansão em todas as organizações empresariais.  Independente da escolha de seu campo de trabalho na Administração, ou da organização para a qual venha a trabalhar, é provável que use um sistema de informação. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  89. 89. POR QUE ESTUDAR SISTEMAS DE INFORMAÇÃO?  Os sistemas de informação eficazes podem ter um grande impacto sobre a estratégia corporativa e o sucesso organizacional.  As empresas ao redor do globo estão desfrutando de melhores segurança e serviço, de maior eficiência e eficácia, de redução de gastos e de mais facilidades no controle e na tomada de decisão devido aos sistemas de informação. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  90. 90. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NAS ÁREAS DA EMPRESA  Os sistemas de informação são usados em todas as áreas funcionais e divisões operacionais das empresas.  Finanças e contabilidade: prever a receita e a atividade empresarial, determinar as melhores origens e aplicações de recursos, gerenciar o caixa e outros recursos financeiros, analisar investimentos e executar auditorias. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  91. 91.  Vendas e marketing: análise de produtos (desenvolver novos produtos e serviços), análise de localização (melhor local para as instalações de produção e de distribuição), análise de produção (melhores abordagens de propagandas e de vendas) e análise de preços (estabelecer preços de produtos para obter receita mais alta). SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NAS ÁREAS DA EMPRESA Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  92. 92.  Área de fabricação: processar os pedidos dos clientes, desenvolver programações de produção, controlar os níveis de estoque e monitorar a qualidade do produto. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NAS ÁREAS DA EMPRESA Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  93. 93.  Além disso, os SI são usados no desenho de produtos (computer-assisted design – CAD), na fabricação de itens (computer-assisted manufacturing – CAM) e na integração de múltiplas máquinas ou partes de equipamentos (computer-integrated manufacturing – CIM) SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NAS ÁREAS DA EMPRESA Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  94. 94.  Gerenciamento de recursos humanos: examinar candidatos, administrar testes de performance em empregados, monitorar a produtividade dos empregados etc.  Sistemas de informação legais: analisar a responsabilidade e as garantias dos produtos e elaborar documentos e relatórios para fins legais. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NAS ÁREAS DA EMPRESA Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  95. 95. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA INDÚSTRIA  Companhias aéreas: fazer reservas de assentos, determinar as tarifas e planilha de horários, determinar qual avião deverá voar uma rota em particular etc.  Firmas de investimento: analisar ações, contratos, opções, mercados futuros e outros instrumentos financeiros. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  96. 96. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA INDÚSTRIA  Bancos e instituições de empréstimo e poupança: ajudar a fazer empréstimos seguros e bons investimentos.  Indústria de transportes: agendar entrega de produtos e serviços para caminhões e outros meios de transporte a um custo mínimo.  Empresas de editoração: analisar o mercado e para publicar jornais, livros e revistas. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  97. 97. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA INDÚSTRIA  Organizações de assistência médica: diagnosticar doenças, planejar o tratamento médico e cobrar os pacientes.  Seguradoras de saúde: usam os SI para rastrear pagamentos devidos aos médicos e hospitais, e para cobrar as mensalidades de seus associados.  Empresas varejistas: monitorar as necessidades dos clientes e encomendar os produtos corretos. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  98. 98. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA INDÚSTRIA  Empresas de energia: monitorar e controlar a geração e o uso da energia.  Firmas de serviços profissionais: melhorar a velocidade e a qualidade dos serviços que fornecem aos clientes.  Firmas de consultoria: usam o conhecimento de consultores individuais para agregar conhecimento ao coletivo da empresa (sistemas especialistas). Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  99. 99. Tomada de Decisões e solução de problemas Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  100. 100. Problema: - situação que ocorre quando o estado atual das coisas é diferente do estado desejado; Ex.: situações que alertam os administradores para possíveis problemas: desvio em relação a experiência do passado: -Vendas mais baixas; desvio em relação ao plano: -Lucros menores; estouro de orçamento; projeto atrasado; O desempenho de competidores: - melhor atendimento; novos lançamentos; - questão que se propõe para ser resolvida; Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  101. 101. Abordagens de solução de problemas  Reativa: o solucionador espera até que o problema venha a superfície ou se torne aparente antes de tomar qualquer iniciativa. Ex.: esperar que uma peça de equipamento industrial apresente problemas de funcionamento antes de tomar qualquer atitude.  Pró-ativa: o solucionador procura problemas em potencial antes que eles se tornem sérios.  Ex.: uma cia. que faz vistoria e manutenção preventiva de equipamentos, mesmo que esteja operando adequadamente. A maioria das empresas usa uma combinação dessas abordagens.
  102. 102. Teoria da decisão  A nasceu com Herbert Simon, que a utilizou como fundamento para explicar o comportamento humano nas organizações.  Na Teoria Comportamental da Administração a organização é considerada como um sistema de decisões em que cada pessoa participa (racional e conscientemente) escolhendo e tomando decisões a respeito de alternativas. A organização é um complexo sistema de decisões. Decisão é o processo de análise e escolha, entre “várias” alternativas disponíveis, do curso de ação que a pessoa deverá seguir. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  103. 103. A solução de problemas começa com a tomada de decisão. A solução de problemas é a atividade mais crucial que uma organização empresarial executa. Inteligência Projeto Escolha Implementação Monitoramento Estágios da Tomada de Decisão (Herbert Simon) Solução de Problemas (George Huber) Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  104. 104. Estágios da Inteligência  neste estágio, problemas e/ou oportunidades em potencial são identificados e definidos. Reúne a informação relacionada com a causa e o escopo do problema. São investigados os possíveis obstáculos na solução de problemas. Ex.: oportunidade: dê uma empresa enviar uma remessa marítima de frutas tropicais para um novo mercado mais distante. obstáculos: perecibilidade das frutas e o preço que os novos consumidores se dispõem a pagar; regulamentações federais e estaduais relativas ao embarque de produtos comestíveis. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  105. 105. Estágios da Tomada de Decisão Estágio de Projeto:  as soluções alternativas são desenvolvidas.  São avaliadas a viabilidade e as implicações dessas alternativas. Ex.: estudar métodos alternativos de embarque, considerando o tempo de transporte e os custos associados a cada uma delas. Estágio de Escolha:  seleção de um curso de ação.  Ex.: transporte aéreo. Mas... a solução de problemas inclui e vai além da tomada de decisão Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  106. 106. Estágio de implementação: quando uma ação é executada para efetivar a ação. Ex.: levar as frutas ao aeroporto e embarcá-las. Estágio de monitoramento: avaliam a implementação da solução, tanto para determinar se os resultados previstos foram alcançados como para modificar o processo (feedback) Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  107. 107. A tomada de decisão pode ser estudada sob duas perspectivas:  Perspectiva do Processo: se concentra nas etapas do processo (definição do problema, levantar alternativas e escolher a melhor), para decisão.  É uma abordagem criticada por se relacionar muito com o procedimento e não com o conteúdo da decisão. (sobre influência das emoções e impulsos dos decisores). •Perspectiva do Problema: o tomador de decisão pode aplicar métodos quantitativos para tornar o processo decisório mais racional possível, concentrando-se principalmente na determinação e equacionamento do problema a ser resolvido. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  108. 108. Tipos de Decisão Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  109. 109. Tipos de Decisões Decisões programadas são as caracterizadas pela rotina e repetitividade. São tomadas mediante uma regra, procedimento, hábito.  Ex.:  fazer pedido de estoque sempre que o nível cair para 100 unidades; lançamento de pacotes de viagens pelas agências em função das estações do ano;  Dados precisos, Dados repetitivos e Certeza. Decisões não-programadas são as caracterizadas pela não- estruturação e, basicamente, pela novidade. Soluções específicas criadas para resolver problemas não-rotineiros; Exigem cuidado ! Tratam com dados imprecisos e únicos; Incerteza Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  110. 110. O Grau de certeza na decisão: As organizações defrontam-se constantemente com problemas que variam em graus de complexidade.  Os problemas podem ser divididos em dois grandes grupos: os problemas estruturado e os problemas não-estruturados.  Um problema estruturado é aquele que pode ser perfeitamente definido, pois as suas variáveis são conhecidas. É um problema rotineiro e repetitivo para o qual já existe uma metodologia para se chegar a uma solução. SIT são voltados para solução de problemas estruturados. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  111. 111. O problema estruturado tem suas decisões subdivididas em três categorias:  Decisões sob certeza: onde as variáveis são conhecidas e a relação entre a ação e as conseqüências é determinística. A decisão conduz a um resultado específico. – o tomador de decisão sabe exatamente o que vai acontecer.  Os administradores tem informações precisas, mensuráveis e confiáveis sobre os resultados das várias alternativas que estão sendo consideradas.  Decisões sob risco: onde as variáveis são conhecidas e a relação entre a ação e conseqüência é conhecida em termos probabilísticos.  Os administradores conhecem a probabilidade de que uma determinada alternativa leve a um objetivo ou resultado desejado. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  112. 112.  Decisões sob incerteza: onde as variáveis são conhecidas, mas as probabilidades para determinar a conseqüência de uma ação são desconhecidas ou não podem ser determinadas com algum grau de certeza.  As possibilidades associadas aos resultados são desconhecidas.  Os administradores enfrentam situações imprevisíveis ou não tem informações necessárias para estabelecer a probabilidade de determinados eventos. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  113. 113.  Um problema não-estruturado é aquele que não pode ser claramente definido, pois uma ou mais de suas variáveis são desconhecida ou não pode ser determinada com algum grau de confiança. Apresentam sempre uma novidade e não são rotineiros, não apresenta um procedimento padrão para solucioná-los. Geralmente são situações difíceis, freqüentemente únicas, com diversas facetas, alguns dados indisponíveis, necessitam julgamento humano e criativo e são de difícil automação. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc
  114. 114.  Um problema semiestruturado é aquele no qual somente parte do problema possuem uma resposta definida fornecida por uma metodologia aceita.  algumas partes do problema podem ser resolvidas por métodos de decisão formais e automatizados. SIG e SAD tratam com problemas semi- estruturados. Prof. Francisco de Sousa Lima, Msc

×