SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 34
Baixar para ler offline
Gestão Sistêmica Baseada nos Valores Humanos DISCIPLINA: Como Montar um Sistema de Informações e de Documentação  PROFESSOR: CLÁUDIO HENRIQUE DE BRITO E-mail:chbritotqc@yahoo.com.br Blog: http://nospassosdaqualidade.blogspot.com /
Sistemas Informação Informação e Conhecimento Sistemas Documentação Conhecimento Gestão do Conhecimento
1998  2000  2002  2004  2006  2008  2010 |  |  |  |  |  |  |  Quantidade de Dados Sendo analisados Informações para a tomada de decisões Conhecimento que pode e deve ser compartilhado, se transformando em ativo de conhecimento para a organização Quantidade Dados cada vez em maior e mais relevante
Diferença entre dados e informação Qualquer elemento identificado em sua forma bruta, que por si só não conduz a compreensão de determinado fato.   Dado ,[object Object],[object Object],[object Object],É o resultado da analise destes dados Informação ,[object Object],[object Object],[object Object]
Utilização da Informação de Forma Produtiva Para Isso nós devemos Coletar (Dados) Gaurdar (Dados) Tratar (Dados) Disponibilizar (Informações) Sistemas de Informações - SI
Utilização da Informação de Forma Produtiva Sistemas de Informações De acordo com Wikipédia (2007), Sistemas de Informação é a expressão utilizada para descrever um sistema automatizado ou manual, que envolve pessoas, máquinas, e métodos para organizar, coletar, processar e distribuir informações para os usuários do sistema envolvido. Um Sistema de Informação poder ser usado então para prover informação, qualquer que seja o uso feito dessa informação.
A importância de termos critérios para a gestão em Sistemas de Informações Utilização da Informação de Forma Produtiva Atividade Complexa Para atividades de baixo nível de complexidade podemos ter sistemas manuais diminuindo drasticamente o custo Para Sistemas de grande porte o Custo é extremamente alto
Utilizaremos como critério  Utilização da Informação de Forma Produtiva Caderno de Excelência  - Informações e Conhecimento Fundação Nacional da Qualidade Site -  www.fnq.org.br
Utilização da Informação de Forma Produtiva A FNQ – Fundação Nacional da Qualidade é uma entidade privada e sem fins lucrativos que foi criada em outubro de 1991 por representantes de 39 organizações brasileiras dos setores público e privado. Sua principal função era administrar o Prêmio Nacional da Qualidade® (PNQ) e as atividades decorrentes do processo de premiação em todo o território nacional, bem como fazer a representação institucional externa do PNQ nos fóruns internacionais.
Utilização da Informação de Forma Produtiva Em 2004, ao completar 13 ciclos de premiação, a até então chamada de FPNQ - Fundação para o Prêmio Nacional da Qualidade havia cumprido seu papel inicial, voltado ao estabelecimento do PNQ, seguindo as melhores práticas internacionais. Em 2005, a FPNQ lançou projeto a fim de se tornar, até 2010, um dos principais centros mundiais de estudo, debate e irradiação de conhecimento sobre Excelência em Gestão. Nesse sentido, passou a se chamar FNQ – Fundação Nacional da Qualidade, nomenclatura que mantém até hoje.
Modelo de Excelência da Gestão (MEG)  O Critério  Informações   e   Conhecimento  é um elo de ligação entre todos os demais.  Examina a Gestão das Informações e como a organização compartilha, amplia e protege seu conhecimento
Os temas que compõem este critério são  Critério - 5 INFORMAÇÕES E CONHECIMENTO  Informações da Organização Informações Comparativas Ativos Intangíveis.
Critério-5  Tema: Informações da Organização As organizações podem e devem utilizar os seguintes tipos de informações:  Informações para apoiar as operações diárias  Informações de acompanhamento dos planos de ações. Informações para a tomada de decisões
Critério-5  Tema: Informações da Organização Informações para apoiar as operações diárias  São informações exigidas na execução da rotina dos profissionais envolvidos nos processos da organização.  ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Critério-5  Tema: Informações da Organização Informações de acompanhamento dos planos de ações São geradas sistematicamente de tal forma que a direção e demais lideranças possam acompanhar o status dos projetos para cada plano de ação.  ,[object Object],[object Object]
Critério-5  Tema: Informações da Organização Informações para a tomada de decisões São Geradas por sistemas que compilam dados de diversas etapas dos processos da organização e produzem informações quantitativas e qualitativas para a avaliar a evolução de resultados e alcance de metas.  ,[object Object],[object Object]
A informatização ajuda na produtividade, integração e qualidade da informação, na sua produção e entrega  Um plano de informatização deve ser: Elaborado, Mantido atualizado, Implementado periodicamente. Considerando as necessidades dos clientes.  A atualização deste plano geralmente é feita com as atualizações das estratégias da organização  Identificação da Necessidade de Lidar com as Informações  Critério-5 – Tema Informações da Organização
Critério-5 – Tema Informações da Organização ESTRUTURAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO  Para cada uma destas etapas o emprego de mecanismos gerenciais assume um papel importante para evitar desperdícios e atender às necessidades da organização com sucesso.
Critério-5 – Tema Informações da Organização Exemplos de Identificação da necessidade de informações  O Departamento de Tecnologia da Informação (DTI) da  Dana Albarus – Divisão de Cardans  (PNQ 2003), por meio do formulário eletrônico “Justificativa de Desenvolvimento”,  identifica as necessidades de informação dos usuários, considerando-se, também, as modificações que os processos e o planejamento sofrem.
Critério-5 – Tema Informações da Organização Exemplos de Identificação da necessidade de informações  No Escritório de Engenharia  Joal Teitelbaum  (PNQ 2003), a prática de definição e desenvolvimento dos sistemas de informação ocorre no ciclo anual de formulação das estratégias. São revisados pelo Conselho de Excelência por meio de reuniões quinzenais ou mensais, as quais controlam os indicadores de desempenho e planos de ação.
Critério-5 – Tema Informações Comparativas Estratégias diferentes Alguém seja referência Resultados Diferentes Informações Comparativas Possibilitam  Isso faz com que Devemos considerar as
Critério-5 – Tema Informações Comparativas Permitem a organização saber: ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Critério-5 – Tema Informações Comparativas Por Que Comparar? Avaliar o desempenho da organização Estabelecer metas Conhecer novas práticas para refinar processos e melhorar resultados Inserir organização no mercado Motivos e orientações para a busca da informação comparativa.
Critério-5 – Tema Informações Comparativas O Que Comparar? Informações relacionadas aos Principais Processos Informações relacionadas a Indicadores Estratégicos Informações relacionadas a Metas de Desempenho Global da Organização Motivos e orientações para a busca da informação comparativa.
Critério-5 – Tema Informações Comparativas Com O que ou com Quem Comparar Referenciais Comparativos Pertinentes Motivos e orientações para a busca da informação comparativa. INFORMAÇÃO COMPARATIVA PERTINENTE Informação comparativa advinda de uma organização considerada como um referencial apropriado para efeitos de comparação considerando as estratégias da própria organização que busca a informação.
De resultados:  Os indicadores de desempenho dos processos críticos e indicadores estratégicos são identificados e comparados com os de organizações, que adotam indicadores semelhantes. De produtos e processos:  Estuda o desenvolvimento de produtos e processos com finalidade similar em outras organizações. Identificação das Fontes de Informações Comparativa Critério-5 – Tema Informações Comparativas
Ciclo de uso de informações comparativas
Requer dos Gestores disciplina e método  Obtenção e Atualização das Informações comparativas Critério-5 – Tema Informações Comparativas Requer um exame detalhado das diferenças entre as organizações. Não transferir diretamente as práticas da organização comparada sem um estudo das suas particularidades.
Critério-5 – Tema Ativos Intangíveis são bens e direitos não palpáveis reconhecidos pelas partes interessadas como “patrimônio” da organização. Os ativos intangíveis
Critério-5 – Tema Ativos Intangíveis potencial que a empresa possui que estão relacionados ao mercado, tais como: marca, clientes, lealdade dos clientes, negócios recorrentes, canais de distribuição, franquias etc. Ativos de Mercado: compreendem os benefícios que o indivíduo pode proporcionar para as organizações por meio da sua expertise, criatividade, conhecimento, habilidade para resolver problemas, tudo visto de forma coletiva e dinâmica. Ativos Humanos:
Critério-5 – Tema Ativos Intangíveis incluem os ativos que necessitam de proteção legal para proporcionar às organizações benefícios tais como: know-how, segredos industriais, patentes, designs etc. Ativos de Propriedade Intelectual:  compreendem as tecnologias, as metodologias e os processos empregados como, sistema de informação, métodos gerenciais, bancos de dados, etc. Ativos de Infra-Estrutura:
Critério-5 – Tema Ativos Intangíveis Exemplos O capital intelectual da  Belgo Juiz de Fora  (PNQ 2004) está subdividido em: ativos estruturais, que compreendem os sistemas de informação; ativos humanos, relacionados aos especialistas em processos, em tecnologia da informação e em atendimento ao cliente; ativos tecnológicos, que compreendem os processos e produtos patenteados pela empresa; e os ativos mercadológicos, referentes à marca dos produtos da empresa. Sua estruturação é encadeada focalizando-se o cliente e o mercado.
Exercício Pessoal, para fazerem este exercício, utilizem como referência o seu local de trabalho ou a instituição onde vocês estão desenvolvendo o trabalho voluntário ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Exercício Pessoal, para fazerem este exercício, utilizem como referência o seu local de trabalho ou a instituição onde vocês estão desenvolvendo o trabalho voluntário ,[object Object],Utilizar como referência os Materiais: Caderno de excelência – Informações e Conhecimento (foi fornecido em sala ou pode ser adquirido no site:  https :// www.fnq.org.br/pdf/CadernosExcelencia2008_05_informacoes.pdf Critérios de Excelência 2009 site: http://www.fnq.org.br/Portals/_FNQ/Documents/web_CriteriosExcelencia2009_mais_recente.pdf

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sistema de Informação Gerencial – SIG
Sistema de Informação Gerencial – SIGSistema de Informação Gerencial – SIG
Sistema de Informação Gerencial – SIGMúsicaParaense.Org
 
Conceitos Iniciais de Sistemas da Informação
Conceitos Iniciais de Sistemas da InformaçãoConceitos Iniciais de Sistemas da Informação
Conceitos Iniciais de Sistemas da Informaçãocarllos.souza
 
Fundamentos de sistemas de informação
Fundamentos de sistemas de informaçãoFundamentos de sistemas de informação
Fundamentos de sistemas de informaçãoLeonardo Melo Santos
 
Sistema de Informação
Sistema de InformaçãoSistema de Informação
Sistema de InformaçãoAntonio Cruz
 
Sistemas de Informação Empresariais na Era do Conhecimento: uma arquitetura d...
Sistemas de Informação Empresariais na Era do Conhecimento: uma arquitetura d...Sistemas de Informação Empresariais na Era do Conhecimento: uma arquitetura d...
Sistemas de Informação Empresariais na Era do Conhecimento: uma arquitetura d...Rafael Marinho
 
Transparências Sistemas de Informação
Transparências Sistemas de InformaçãoTransparências Sistemas de Informação
Transparências Sistemas de InformaçãoLuis Borges Gouveia
 
Sistema de informação nas Empresas
Sistema de informação nas EmpresasSistema de informação nas Empresas
Sistema de informação nas EmpresasDiolene Sampaio
 
Fundamentos de Sistemas de Informacao - Aula 1
Fundamentos de Sistemas de Informacao - Aula 1Fundamentos de Sistemas de Informacao - Aula 1
Fundamentos de Sistemas de Informacao - Aula 1Ismar Silveira
 
Introdução à Sistemas de Informação
Introdução à Sistemas de InformaçãoIntrodução à Sistemas de Informação
Introdução à Sistemas de InformaçãoÁlvaro Farias Pinheiro
 
Sistemas de informações: um estudo comparativo das vantagens e desvantagens d...
Sistemas de informações: um estudo comparativo das vantagens e desvantagens d...Sistemas de informações: um estudo comparativo das vantagens e desvantagens d...
Sistemas de informações: um estudo comparativo das vantagens e desvantagens d...Rafael Arthur Batista
 
Aula 4 - Sistemas de Informação
Aula 4 - Sistemas de InformaçãoAula 4 - Sistemas de Informação
Aula 4 - Sistemas de InformaçãoJocelma Rios
 
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 1
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 1SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 1
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 1R D
 
Apostila principios-de-sistemas-de-informacao
Apostila principios-de-sistemas-de-informacaoApostila principios-de-sistemas-de-informacao
Apostila principios-de-sistemas-de-informacaoMarcia Abrahim
 
Parte9 - Fundamentos de Sistema de Informação
Parte9 - Fundamentos de Sistema de InformaçãoParte9 - Fundamentos de Sistema de Informação
Parte9 - Fundamentos de Sistema de InformaçãoGabriel Faustino
 
Sistemas empresariais gerenciais
Sistemas empresariais gerenciaisSistemas empresariais gerenciais
Sistemas empresariais gerenciaisfevechi
 
INTRODUÇÃO FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
INTRODUÇÃO FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃOINTRODUÇÃO FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
INTRODUÇÃO FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃOEdson Lima
 
Introdução aos Sistemas de Informações
Introdução aos Sistemas de InformaçõesIntrodução aos Sistemas de Informações
Introdução aos Sistemas de InformaçõesMatheus Beleboni
 
Tipos de Sistemas de Informação Resumo
Tipos de Sistemas de Informação ResumoTipos de Sistemas de Informação Resumo
Tipos de Sistemas de Informação ResumoRobson Santos
 
Sistemas de informações para executivos sie
Sistemas de informações para executivos sieSistemas de informações para executivos sie
Sistemas de informações para executivos sieAna Faracini
 

Mais procurados (20)

Sistema de Informação Gerencial – SIG
Sistema de Informação Gerencial – SIGSistema de Informação Gerencial – SIG
Sistema de Informação Gerencial – SIG
 
Conceitos Iniciais de Sistemas da Informação
Conceitos Iniciais de Sistemas da InformaçãoConceitos Iniciais de Sistemas da Informação
Conceitos Iniciais de Sistemas da Informação
 
Fundamentos de sistemas de informação
Fundamentos de sistemas de informaçãoFundamentos de sistemas de informação
Fundamentos de sistemas de informação
 
Sistema de Informação
Sistema de InformaçãoSistema de Informação
Sistema de Informação
 
Sistemas de Informação Empresariais na Era do Conhecimento: uma arquitetura d...
Sistemas de Informação Empresariais na Era do Conhecimento: uma arquitetura d...Sistemas de Informação Empresariais na Era do Conhecimento: uma arquitetura d...
Sistemas de Informação Empresariais na Era do Conhecimento: uma arquitetura d...
 
Transparências Sistemas de Informação
Transparências Sistemas de InformaçãoTransparências Sistemas de Informação
Transparências Sistemas de Informação
 
Sistema de informação nas Empresas
Sistema de informação nas EmpresasSistema de informação nas Empresas
Sistema de informação nas Empresas
 
Fundamentos de Sistemas de Informacao - Aula 1
Fundamentos de Sistemas de Informacao - Aula 1Fundamentos de Sistemas de Informacao - Aula 1
Fundamentos de Sistemas de Informacao - Aula 1
 
Introdução à Sistemas de Informação
Introdução à Sistemas de InformaçãoIntrodução à Sistemas de Informação
Introdução à Sistemas de Informação
 
Sistemas de informações: um estudo comparativo das vantagens e desvantagens d...
Sistemas de informações: um estudo comparativo das vantagens e desvantagens d...Sistemas de informações: um estudo comparativo das vantagens e desvantagens d...
Sistemas de informações: um estudo comparativo das vantagens e desvantagens d...
 
O Sistema de informação
O Sistema de informaçãoO Sistema de informação
O Sistema de informação
 
Aula 4 - Sistemas de Informação
Aula 4 - Sistemas de InformaçãoAula 4 - Sistemas de Informação
Aula 4 - Sistemas de Informação
 
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 1
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 1SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 1
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 1
 
Apostila principios-de-sistemas-de-informacao
Apostila principios-de-sistemas-de-informacaoApostila principios-de-sistemas-de-informacao
Apostila principios-de-sistemas-de-informacao
 
Parte9 - Fundamentos de Sistema de Informação
Parte9 - Fundamentos de Sistema de InformaçãoParte9 - Fundamentos de Sistema de Informação
Parte9 - Fundamentos de Sistema de Informação
 
Sistemas empresariais gerenciais
Sistemas empresariais gerenciaisSistemas empresariais gerenciais
Sistemas empresariais gerenciais
 
INTRODUÇÃO FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
INTRODUÇÃO FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃOINTRODUÇÃO FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
INTRODUÇÃO FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
 
Introdução aos Sistemas de Informações
Introdução aos Sistemas de InformaçõesIntrodução aos Sistemas de Informações
Introdução aos Sistemas de Informações
 
Tipos de Sistemas de Informação Resumo
Tipos de Sistemas de Informação ResumoTipos de Sistemas de Informação Resumo
Tipos de Sistemas de Informação Resumo
 
Sistemas de informações para executivos sie
Sistemas de informações para executivos sieSistemas de informações para executivos sie
Sistemas de informações para executivos sie
 

Destaque

Sistema de Informação Gerencial
Sistema de Informação GerencialSistema de Informação Gerencial
Sistema de Informação GerencialLoham Silva
 
Aula 01 - Sistemas de informação em saúde para gestão do SUS
Aula 01 - Sistemas de informação em saúde para gestão do SUSAula 01 - Sistemas de informação em saúde para gestão do SUS
Aula 01 - Sistemas de informação em saúde para gestão do SUSGhiordanno Bruno
 
Manual de Cadastro Online 2015
Manual de Cadastro Online 2015Manual de Cadastro Online 2015
Manual de Cadastro Online 2015AcessaSP
 
Informação e Conhecimento nas organizações - Gestão
Informação e Conhecimento nas organizações - GestãoInformação e Conhecimento nas organizações - Gestão
Informação e Conhecimento nas organizações - GestãoLeonardo Moraes
 
Conceitos de Tecnologia da Informação
Conceitos de Tecnologia da InformaçãoConceitos de Tecnologia da Informação
Conceitos de Tecnologia da InformaçãoRobson Santos
 
Dados, Informação e Conhecimento
Dados, Informação e ConhecimentoDados, Informação e Conhecimento
Dados, Informação e ConhecimentoRobson Santos
 
4 Conceitos para a Nova Dinâmica da Informação
4 Conceitos para a Nova Dinâmica da Informação4 Conceitos para a Nova Dinâmica da Informação
4 Conceitos para a Nova Dinâmica da InformaçãoMichel Lent Schwartzman
 
Sistemas infgerencial3
Sistemas infgerencial3Sistemas infgerencial3
Sistemas infgerencial3Nauber Gois
 
Dados, informação e conhecimento
Dados, informação e conhecimentoDados, informação e conhecimento
Dados, informação e conhecimentoFrancisco Restivo
 
Dados, informação e conhecimento no contexto dos catálogos das bibliotecas un...
Dados, informação e conhecimento no contexto dos catálogos das bibliotecas un...Dados, informação e conhecimento no contexto dos catálogos das bibliotecas un...
Dados, informação e conhecimento no contexto dos catálogos das bibliotecas un...Ana Glenyr
 
Workshop Colaboração & Gestao do Conhecimento
Workshop Colaboração & Gestao do ConhecimentoWorkshop Colaboração & Gestao do Conhecimento
Workshop Colaboração & Gestao do ConhecimentoJose Claudio Terra
 
10 maneiras de conduzir a administração de dados ao fracasso
10 maneiras de conduzir a administração de dados ao fracasso10 maneiras de conduzir a administração de dados ao fracasso
10 maneiras de conduzir a administração de dados ao fracassoBergson Lopes Rêgo, PMP
 
Gestão do Conhecimento – Setor Público
Gestão do Conhecimento – Setor PúblicoGestão do Conhecimento – Setor Público
Gestão do Conhecimento – Setor Públicoredeintegrarh
 
Gestão do Conhecimento
Gestão do ConhecimentoGestão do Conhecimento
Gestão do ConhecimentoBruno
 
SIG - Sistema de Informação Gerencial - Técnico em RH
SIG - Sistema de Informação Gerencial - Técnico em RHSIG - Sistema de Informação Gerencial - Técnico em RH
SIG - Sistema de Informação Gerencial - Técnico em RHAntonio Pinto Pereira
 

Destaque (20)

Sistema de Informação Gerencial
Sistema de Informação GerencialSistema de Informação Gerencial
Sistema de Informação Gerencial
 
Aula 01 - Sistemas de informação em saúde para gestão do SUS
Aula 01 - Sistemas de informação em saúde para gestão do SUSAula 01 - Sistemas de informação em saúde para gestão do SUS
Aula 01 - Sistemas de informação em saúde para gestão do SUS
 
Manual de Cadastro Online 2015
Manual de Cadastro Online 2015Manual de Cadastro Online 2015
Manual de Cadastro Online 2015
 
Informação e Conhecimento nas organizações - Gestão
Informação e Conhecimento nas organizações - GestãoInformação e Conhecimento nas organizações - Gestão
Informação e Conhecimento nas organizações - Gestão
 
Conceitos de Tecnologia da Informação
Conceitos de Tecnologia da InformaçãoConceitos de Tecnologia da Informação
Conceitos de Tecnologia da Informação
 
Dados, Informação e Conhecimento
Dados, Informação e ConhecimentoDados, Informação e Conhecimento
Dados, Informação e Conhecimento
 
4 Conceitos para a Nova Dinâmica da Informação
4 Conceitos para a Nova Dinâmica da Informação4 Conceitos para a Nova Dinâmica da Informação
4 Conceitos para a Nova Dinâmica da Informação
 
Sistemas infgerencial3
Sistemas infgerencial3Sistemas infgerencial3
Sistemas infgerencial3
 
Gestão Do Conhecimento
Gestão Do  ConhecimentoGestão Do  Conhecimento
Gestão Do Conhecimento
 
Dados, informação e conhecimento
Dados, informação e conhecimentoDados, informação e conhecimento
Dados, informação e conhecimento
 
Dados, informação e conhecimento no contexto dos catálogos das bibliotecas un...
Dados, informação e conhecimento no contexto dos catálogos das bibliotecas un...Dados, informação e conhecimento no contexto dos catálogos das bibliotecas un...
Dados, informação e conhecimento no contexto dos catálogos das bibliotecas un...
 
Workshop Colaboração & Gestao do Conhecimento
Workshop Colaboração & Gestao do ConhecimentoWorkshop Colaboração & Gestao do Conhecimento
Workshop Colaboração & Gestao do Conhecimento
 
10 maneiras de conduzir a administração de dados ao fracasso
10 maneiras de conduzir a administração de dados ao fracasso10 maneiras de conduzir a administração de dados ao fracasso
10 maneiras de conduzir a administração de dados ao fracasso
 
Gestão do Conhecimento – Setor Público
Gestão do Conhecimento – Setor PúblicoGestão do Conhecimento – Setor Público
Gestão do Conhecimento – Setor Público
 
Constructing competitive advantage
 Constructing competitive advantage Constructing competitive advantage
Constructing competitive advantage
 
Gestão do Conhecimento
Gestão do ConhecimentoGestão do Conhecimento
Gestão do Conhecimento
 
SIG - Sistema de Informação Gerencial - Técnico em RH
SIG - Sistema de Informação Gerencial - Técnico em RHSIG - Sistema de Informação Gerencial - Técnico em RH
SIG - Sistema de Informação Gerencial - Técnico em RH
 
Aula 3 dado, informação e conhecimento
Aula 3   dado, informação e conhecimentoAula 3   dado, informação e conhecimento
Aula 3 dado, informação e conhecimento
 
Dados x informação
Dados x informaçãoDados x informação
Dados x informação
 
Evolução pós parto
Evolução pós partoEvolução pós parto
Evolução pós parto
 

Semelhante a Aula 1 - Sistema de Informação

Cadernos de Excelência - Informação e Conhecimento
Cadernos de Excelência - Informação e ConhecimentoCadernos de Excelência - Informação e Conhecimento
Cadernos de Excelência - Informação e ConhecimentoAdeildo Caboclo
 
Painel Inde sistemas-de-gestão-empresarial-2011-06-21
Painel Inde sistemas-de-gestão-empresarial-2011-06-21Painel Inde sistemas-de-gestão-empresarial-2011-06-21
Painel Inde sistemas-de-gestão-empresarial-2011-06-21Claudio Seixas
 
Tomada de Decisão e Cenários - Módulo 5 - Noite
Tomada de Decisão e Cenários - Módulo 5 - NoiteTomada de Decisão e Cenários - Módulo 5 - Noite
Tomada de Decisão e Cenários - Módulo 5 - NoiteDafne Morais
 
Engenharia Organizacional
Engenharia OrganizacionalEngenharia Organizacional
Engenharia OrganizacionalLeonardo Pinto
 
Sistema de informação gerencial
Sistema de informação gerencialSistema de informação gerencial
Sistema de informação gerencialNayron Fernandes
 
Inteligência competitiva como instrumento de gestão para tomadas
Inteligência competitiva como instrumento de gestão para tomadasInteligência competitiva como instrumento de gestão para tomadas
Inteligência competitiva como instrumento de gestão para tomadasMariana Gotti
 
Tomada de Decisão e Cenários - Módulo 5
Tomada de Decisão e Cenários - Módulo 5Tomada de Decisão e Cenários - Módulo 5
Tomada de Decisão e Cenários - Módulo 5Dafne Morais
 
Seminário Sistemas de Informação
Seminário Sistemas de InformaçãoSeminário Sistemas de Informação
Seminário Sistemas de Informaçãolucascolette
 
PROPOSTA DE UM MODELO DE GOVERNANÇA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PARA UMA EMPR...
PROPOSTA DE UM MODELO DE GOVERNANÇA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PARA UMA EMPR...PROPOSTA DE UM MODELO DE GOVERNANÇA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PARA UMA EMPR...
PROPOSTA DE UM MODELO DE GOVERNANÇA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PARA UMA EMPR...dgovs_pucrs
 
Sim ic 2 inteligência competitiva - introdução
Sim ic 2 inteligência competitiva - introduçãoSim ic 2 inteligência competitiva - introdução
Sim ic 2 inteligência competitiva - introduçãoPedro Camara da Silva
 
Cultura de informacao.v0
Cultura de informacao.v0Cultura de informacao.v0
Cultura de informacao.v0paulocsm
 
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DE MARKETING
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DE MARKETING SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DE MARKETING
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DE MARKETING Luiz Felipe Silva
 

Semelhante a Aula 1 - Sistema de Informação (20)

Modelo elaboracao tcc_monografia_2016
Modelo elaboracao tcc_monografia_2016Modelo elaboracao tcc_monografia_2016
Modelo elaboracao tcc_monografia_2016
 
Cadernos de Excelência - Informação e Conhecimento
Cadernos de Excelência - Informação e ConhecimentoCadernos de Excelência - Informação e Conhecimento
Cadernos de Excelência - Informação e Conhecimento
 
Painel Inde sistemas-de-gestão-empresarial-2011-06-21
Painel Inde sistemas-de-gestão-empresarial-2011-06-21Painel Inde sistemas-de-gestão-empresarial-2011-06-21
Painel Inde sistemas-de-gestão-empresarial-2011-06-21
 
Portfolio em grupo ads - 6. semestre enviar
Portfolio em grupo  ads - 6. semestre enviarPortfolio em grupo  ads - 6. semestre enviar
Portfolio em grupo ads - 6. semestre enviar
 
Processo Ic
Processo IcProcesso Ic
Processo Ic
 
Tomada de Decisão e Cenários - Módulo 5 - Noite
Tomada de Decisão e Cenários - Módulo 5 - NoiteTomada de Decisão e Cenários - Módulo 5 - Noite
Tomada de Decisão e Cenários - Módulo 5 - Noite
 
Engenharia Organizacional
Engenharia OrganizacionalEngenharia Organizacional
Engenharia Organizacional
 
Sistema de informação gerencial
Sistema de informação gerencialSistema de informação gerencial
Sistema de informação gerencial
 
Inteligência competitiva como instrumento de gestão para tomadas
Inteligência competitiva como instrumento de gestão para tomadasInteligência competitiva como instrumento de gestão para tomadas
Inteligência competitiva como instrumento de gestão para tomadas
 
Tomada de Decisão e Cenários - Módulo 5
Tomada de Decisão e Cenários - Módulo 5Tomada de Decisão e Cenários - Módulo 5
Tomada de Decisão e Cenários - Módulo 5
 
ASI aula3
ASI aula3ASI aula3
ASI aula3
 
Seminário Sistemas de Informação
Seminário Sistemas de InformaçãoSeminário Sistemas de Informação
Seminário Sistemas de Informação
 
PROPOSTA DE UM MODELO DE GOVERNANÇA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PARA UMA EMPR...
PROPOSTA DE UM MODELO DE GOVERNANÇA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PARA UMA EMPR...PROPOSTA DE UM MODELO DE GOVERNANÇA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PARA UMA EMPR...
PROPOSTA DE UM MODELO DE GOVERNANÇA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PARA UMA EMPR...
 
Sim ic 2 inteligência competitiva - introdução
Sim ic 2 inteligência competitiva - introduçãoSim ic 2 inteligência competitiva - introdução
Sim ic 2 inteligência competitiva - introdução
 
Sig i
Sig iSig i
Sig i
 
Cultura de informacao.v0
Cultura de informacao.v0Cultura de informacao.v0
Cultura de informacao.v0
 
Slides trabalho final
Slides trabalho finalSlides trabalho final
Slides trabalho final
 
Capitulo3 eb
Capitulo3 ebCapitulo3 eb
Capitulo3 eb
 
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DE MARKETING
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DE MARKETING SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DE MARKETING
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DE MARKETING
 
Artigo sig
Artigo sigArtigo sig
Artigo sig
 

Último

CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTEJoaquim Colôa
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoJayaneSales1
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Pizza_literaria.pdf projeto de literatura
Pizza_literaria.pdf projeto de literaturaPizza_literaria.pdf projeto de literatura
Pizza_literaria.pdf projeto de literaturagomescostamma
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptx
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptxRomero Britto - biografia 6º ano (1).pptx
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptxLuisCarlosAlves10
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdfAula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdfaulasgege
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Mary Alvarenga
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfRafaela Vieira
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 

Último (20)

CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
 
Pizza_literaria.pdf projeto de literatura
Pizza_literaria.pdf projeto de literaturaPizza_literaria.pdf projeto de literatura
Pizza_literaria.pdf projeto de literatura
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
 
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptx
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptxRomero Britto - biografia 6º ano (1).pptx
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptx
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdfAula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
 

Aula 1 - Sistema de Informação

  • 1. Gestão Sistêmica Baseada nos Valores Humanos DISCIPLINA: Como Montar um Sistema de Informações e de Documentação PROFESSOR: CLÁUDIO HENRIQUE DE BRITO E-mail:chbritotqc@yahoo.com.br Blog: http://nospassosdaqualidade.blogspot.com /
  • 2. Sistemas Informação Informação e Conhecimento Sistemas Documentação Conhecimento Gestão do Conhecimento
  • 3. 1998 2000 2002 2004 2006 2008 2010 | | | | | | | Quantidade de Dados Sendo analisados Informações para a tomada de decisões Conhecimento que pode e deve ser compartilhado, se transformando em ativo de conhecimento para a organização Quantidade Dados cada vez em maior e mais relevante
  • 4.
  • 5. Utilização da Informação de Forma Produtiva Para Isso nós devemos Coletar (Dados) Gaurdar (Dados) Tratar (Dados) Disponibilizar (Informações) Sistemas de Informações - SI
  • 6. Utilização da Informação de Forma Produtiva Sistemas de Informações De acordo com Wikipédia (2007), Sistemas de Informação é a expressão utilizada para descrever um sistema automatizado ou manual, que envolve pessoas, máquinas, e métodos para organizar, coletar, processar e distribuir informações para os usuários do sistema envolvido. Um Sistema de Informação poder ser usado então para prover informação, qualquer que seja o uso feito dessa informação.
  • 7. A importância de termos critérios para a gestão em Sistemas de Informações Utilização da Informação de Forma Produtiva Atividade Complexa Para atividades de baixo nível de complexidade podemos ter sistemas manuais diminuindo drasticamente o custo Para Sistemas de grande porte o Custo é extremamente alto
  • 8. Utilizaremos como critério Utilização da Informação de Forma Produtiva Caderno de Excelência - Informações e Conhecimento Fundação Nacional da Qualidade Site - www.fnq.org.br
  • 9. Utilização da Informação de Forma Produtiva A FNQ – Fundação Nacional da Qualidade é uma entidade privada e sem fins lucrativos que foi criada em outubro de 1991 por representantes de 39 organizações brasileiras dos setores público e privado. Sua principal função era administrar o Prêmio Nacional da Qualidade® (PNQ) e as atividades decorrentes do processo de premiação em todo o território nacional, bem como fazer a representação institucional externa do PNQ nos fóruns internacionais.
  • 10. Utilização da Informação de Forma Produtiva Em 2004, ao completar 13 ciclos de premiação, a até então chamada de FPNQ - Fundação para o Prêmio Nacional da Qualidade havia cumprido seu papel inicial, voltado ao estabelecimento do PNQ, seguindo as melhores práticas internacionais. Em 2005, a FPNQ lançou projeto a fim de se tornar, até 2010, um dos principais centros mundiais de estudo, debate e irradiação de conhecimento sobre Excelência em Gestão. Nesse sentido, passou a se chamar FNQ – Fundação Nacional da Qualidade, nomenclatura que mantém até hoje.
  • 11. Modelo de Excelência da Gestão (MEG) O Critério Informações e Conhecimento é um elo de ligação entre todos os demais. Examina a Gestão das Informações e como a organização compartilha, amplia e protege seu conhecimento
  • 12. Os temas que compõem este critério são Critério - 5 INFORMAÇÕES E CONHECIMENTO Informações da Organização Informações Comparativas Ativos Intangíveis.
  • 13. Critério-5 Tema: Informações da Organização As organizações podem e devem utilizar os seguintes tipos de informações: Informações para apoiar as operações diárias Informações de acompanhamento dos planos de ações. Informações para a tomada de decisões
  • 14.
  • 15.
  • 16.
  • 17. A informatização ajuda na produtividade, integração e qualidade da informação, na sua produção e entrega Um plano de informatização deve ser: Elaborado, Mantido atualizado, Implementado periodicamente. Considerando as necessidades dos clientes. A atualização deste plano geralmente é feita com as atualizações das estratégias da organização Identificação da Necessidade de Lidar com as Informações Critério-5 – Tema Informações da Organização
  • 18. Critério-5 – Tema Informações da Organização ESTRUTURAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Para cada uma destas etapas o emprego de mecanismos gerenciais assume um papel importante para evitar desperdícios e atender às necessidades da organização com sucesso.
  • 19. Critério-5 – Tema Informações da Organização Exemplos de Identificação da necessidade de informações O Departamento de Tecnologia da Informação (DTI) da Dana Albarus – Divisão de Cardans (PNQ 2003), por meio do formulário eletrônico “Justificativa de Desenvolvimento”, identifica as necessidades de informação dos usuários, considerando-se, também, as modificações que os processos e o planejamento sofrem.
  • 20. Critério-5 – Tema Informações da Organização Exemplos de Identificação da necessidade de informações No Escritório de Engenharia Joal Teitelbaum (PNQ 2003), a prática de definição e desenvolvimento dos sistemas de informação ocorre no ciclo anual de formulação das estratégias. São revisados pelo Conselho de Excelência por meio de reuniões quinzenais ou mensais, as quais controlam os indicadores de desempenho e planos de ação.
  • 21. Critério-5 – Tema Informações Comparativas Estratégias diferentes Alguém seja referência Resultados Diferentes Informações Comparativas Possibilitam Isso faz com que Devemos considerar as
  • 22.
  • 23. Critério-5 – Tema Informações Comparativas Por Que Comparar? Avaliar o desempenho da organização Estabelecer metas Conhecer novas práticas para refinar processos e melhorar resultados Inserir organização no mercado Motivos e orientações para a busca da informação comparativa.
  • 24. Critério-5 – Tema Informações Comparativas O Que Comparar? Informações relacionadas aos Principais Processos Informações relacionadas a Indicadores Estratégicos Informações relacionadas a Metas de Desempenho Global da Organização Motivos e orientações para a busca da informação comparativa.
  • 25. Critério-5 – Tema Informações Comparativas Com O que ou com Quem Comparar Referenciais Comparativos Pertinentes Motivos e orientações para a busca da informação comparativa. INFORMAÇÃO COMPARATIVA PERTINENTE Informação comparativa advinda de uma organização considerada como um referencial apropriado para efeitos de comparação considerando as estratégias da própria organização que busca a informação.
  • 26. De resultados: Os indicadores de desempenho dos processos críticos e indicadores estratégicos são identificados e comparados com os de organizações, que adotam indicadores semelhantes. De produtos e processos: Estuda o desenvolvimento de produtos e processos com finalidade similar em outras organizações. Identificação das Fontes de Informações Comparativa Critério-5 – Tema Informações Comparativas
  • 27. Ciclo de uso de informações comparativas
  • 28. Requer dos Gestores disciplina e método Obtenção e Atualização das Informações comparativas Critério-5 – Tema Informações Comparativas Requer um exame detalhado das diferenças entre as organizações. Não transferir diretamente as práticas da organização comparada sem um estudo das suas particularidades.
  • 29. Critério-5 – Tema Ativos Intangíveis são bens e direitos não palpáveis reconhecidos pelas partes interessadas como “patrimônio” da organização. Os ativos intangíveis
  • 30. Critério-5 – Tema Ativos Intangíveis potencial que a empresa possui que estão relacionados ao mercado, tais como: marca, clientes, lealdade dos clientes, negócios recorrentes, canais de distribuição, franquias etc. Ativos de Mercado: compreendem os benefícios que o indivíduo pode proporcionar para as organizações por meio da sua expertise, criatividade, conhecimento, habilidade para resolver problemas, tudo visto de forma coletiva e dinâmica. Ativos Humanos:
  • 31. Critério-5 – Tema Ativos Intangíveis incluem os ativos que necessitam de proteção legal para proporcionar às organizações benefícios tais como: know-how, segredos industriais, patentes, designs etc. Ativos de Propriedade Intelectual: compreendem as tecnologias, as metodologias e os processos empregados como, sistema de informação, métodos gerenciais, bancos de dados, etc. Ativos de Infra-Estrutura:
  • 32. Critério-5 – Tema Ativos Intangíveis Exemplos O capital intelectual da Belgo Juiz de Fora (PNQ 2004) está subdividido em: ativos estruturais, que compreendem os sistemas de informação; ativos humanos, relacionados aos especialistas em processos, em tecnologia da informação e em atendimento ao cliente; ativos tecnológicos, que compreendem os processos e produtos patenteados pela empresa; e os ativos mercadológicos, referentes à marca dos produtos da empresa. Sua estruturação é encadeada focalizando-se o cliente e o mercado.
  • 33.
  • 34.