Trabalho de TSPD - Sistemas (Escrito)

1.886 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.886
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
36
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trabalho de TSPD - Sistemas (Escrito)

  1. 1. Colégio Técnico Industrial Sistemas Caio Rocha Gobbi . 07 Cláudio Germano Vasconcellos Fraga . 10 Fabrizio Croce Turtelli . 11 José Guilherme Gomes Castro Magalhães . 17 Milena de Mendonça Fonseca . 27 Sérgio Silva Rodrigues Junior . 31 Tulio Belem de Andrade . 32 73A 2011
  2. 2. Colégio Técnico Industrial Índice Índice................................................................................................................................21 Sistemas de Informação..................................................................................................3 1.1 Conceitos de Sistemas de Informação.....................................................................3 1.2 Classificação............................................................................................................3 1.2.1 Sistemas de Informação Operacional...............................................................3 Tratam das transações rotineiras da organização; comumente encontrados em todas as empresas automatizadas...............................................................................3 1.2.2 Sistemas de Informação Gerencial...................................................................3 1.2.3 Sistemas de Informação Estratégicos...............................................................3 1.2.4 Sistemas de Informação Comerciais/Negociais ..............................................4 1.3 Evolução dos Sistemas de Informação....................................................................4 1.3.1 Antes de 1940...................................................................................................4 1.3.2 De 1940 a 1952.................................................................................................4 1.3.3 De 1952 a 1964.................................................................................................5 1.3.4 De 1964 a 1971.................................................................................................5 1.3.5 De 1971 a 1981.................................................................................................5 1.3.6 1981 - atual.......................................................................................................6 1.4 A importância dos Sistemas de Informação............................................................6 1.5 Vantagens da Tecnologia Unida aos Sistemas de Informação................................72 Dados e Informações......................................................................................................7 2.1 Dados.......................................................................................................................7 2.2 Informação...............................................................................................................7 2.3 Conhecimento..........................................................................................................8 2.4 Processo...................................................................................................................8 2.5 Dados x Informações...............................................................................................8 2.6 Processamento de Dados.........................................................................................9 2.6.1 Ações Básicas do Processamento...................................................................12 2.7 Informação x Conhecimento.................................................................................123 Tecnologia de Informação............................................................................................13 3.1 Introdução..............................................................................................................13 3.2 Informação.............................................................................................................14 3.3 O que é Tecnologia de Informação?......................................................................14 3.4 O impacto dos Sistemas de Informação e das Tecnologias de Informação nas organizações................................................................................................................16 3.5 Tecnologia da Informação e seu impacto na segurança empresarial.....................174 Sistemas........................................................................................................................18 4.1 Fronteiras de Sistemas...........................................................................................18 4.2 Configuração de um Sistema.................................................................................195 Tipos de Sistemas.........................................................................................................196 Eficiência e Eficácia de um Sistema.............................................................................20 6.1 Eficácia de sistemas de informação e percepção de mudança organizacional: um estudo de caso..............................................................................................................20 6.2 Os objetivos organizacionais em face dos processos de informatização...............20 6.3 O processo de escolha de um sistema de informação............................................21 6.4 Avaliação de eficácia dos sistemas de informação................................................217 Variáveis de Sistema....................................................................................................24 2
  3. 3. Colégio Técnico Industrial8 Parâmetros de Sistema..................................................................................................249 Modelagem de um Sistema...........................................................................................2410 Infografia....................................................................................................................251 Sistemas de Informação1.1 Conceitos de Sistemas de Informação Sistema de Informação é a expressão utilizada para descrever um sistemaautomatizado ou manual, que envolve pessoas, máquinas e métodos paraorganizar, coletar, processar e distribuir dados para os usuários do sistemaenvolvido. Um Sistema de Informação poder ser usado então para proverinformação, qualquer que seja o uso feito dessa informação. Sistemas de Informação são processos administrativos que envolvemprocessos menores que interagem entre si. O sistema é dividido emsubsistemas que podem ser: produção/serviço, venda, distribuição, materiais,financeiro, recursos humanos e outros, dependendo do tipo de empresa. Odepartamento de informática da empresa cruza esses subsistemas, o que levaa uma abordagem sistemática integrativa, envolvendo questões deplanejamento estratégico da empresa.1.2 Classificação Podemos ter a classificação dos Sistemas de Informação baseados em TIde acordo com o tipo de informação processada:1.2.1 Sistemas de Informação Operacional Tratam das transações rotineiras da organização; comumente encontrados em todas as empresas automatizadas.1.2.2 Sistemas de Informação Gerencial Agrupam e sintetizam os dados das operações da organização para facilitara tomada de decisão pelos gestores da organização.1.2.3 Sistemas de Informação Estratégicos Integram e sintetizam dados de fontes internas e externas à organização,utilizando ferramentas de análise e comparação complexas, simulação e outrasfacilidades para a tomada de decisão da cúpula estratégica da organização. 3
  4. 4. Colégio Técnico Industrial1.2.4 Sistemas de Informação Comerciais/Negociais Referem-se ao processo de coleta, análise, compartilhamento emonitoramento de informações que oferecem suporte à gestão de negócios deuma organização, tanto em relação ao comércio e colaboração com outrasempresas, como ao atendimento direto com o cliente.1.3 Evolução dos Sistemas de Informação1.3.1 Antes de 1940 Antes da popularização dos computadores, os sistemas de informação nasorganizações se baseavam basicamente em técnicas de arquivamento erecuperação de informações de grandes arquivos. Geralmente existia a figurado "arquivador", que era a pessoa responsável em organizar os dados,registrá-los, catalogá-los e recuperá-los quando necessário. Esse método, apesar de simples, exigia um grande esforço para manteros dados atualizados bem como para recuperá-los. As informações em papéistambém não possibilitavam a facilidade de cruzamento e análise dos dados.Por exemplo, o inventário de estoque de uma empresa não era uma tarefatrivial nessa época, pois a atualização dos dados não era uma tarefa prática equase sempre envolvia muitas pessoas, aumentando a probabilidade deocorrerem erros.1.3.2 De 1940 a 1952 Nessa época os computadores eram constituídos de válvulas eletrônicas(são componentes grandes e caros), era uma técnica lenta e pouco durável.Nessa época os computadores só tinham utilidade científica, para poder fazercálculos mais rápidos (algumas vezes a mais que nossa capacidade decalcular). A Mão de obra utilizada era muito grande para manter o computadorfuncionando, para fazer a manutenção de válvulas e fios (quilômetros), queeram trocados e ligados todos manualmente. Essas máquinas ocupavam áreasgrandes, como salas ou galpões. A programação era feita diretamente, nalinguagem de máquina. A forma de colocar novos dados era por papelperfurado. 4
  5. 5. Colégio Técnico Industrial1.3.3 De 1952 a 1964 E destacado pela origem dos transistores, e uma grande diminuição decabos e fios, e diminuição de tamanho das máquinas e com isso fazendo queela execute mais cálculos que a geração anterior. O começo dacomercialização dos computadores foi marcado pela compra por parte dasgrandes empresas. E foi utilizada a técnica de integração, que era uma pequena cápsulaque continha vários transistores (alguns com milhares de elementos), numespaço menor que a unha. Era o começo do microprocessador, e da linguagemde programação feita por códigos mnemônicos (comandos abreviados). Alinguagem dominante era ASSEMBLY e nessa época os cálculos estavam nacasa dos milionésimos de segundo. Surgiram formas de armazenamento cadavez maiores: as fitas e tambores magnéticos (para uso de memória).1.3.4 De 1964 a 1971 Uma nova técnica de Circuitos Integrados foi criada, o SLT (Solid LogicTechnology) e uma técnica de microcircuitos. Com isso, puderam-se fazerprocessos simultâneos, dando um grande salto nos processamentos. Astécnicas de integração evoluíram de SSI (integração em pequena escala), LSI(integração em grande escala) e VLSI (integração em muito grande escala). Aslinguagens utilizadas na época eram linguagens orientadas (universais eassemelhavam-se cada vez mais com linguagem humana). Esses processoschegaram a ponto de se bilionésimos de segundos.1.3.5 De 1971 a 1981 Nessa geração surgiram os microprocessadores, e com isso a redução doscomputadores (microcomputadores). Isso com o surgimento de linguagens dealto-nível e o nascimento da transmissão de dados entre computadores atravésde redes. 5
  6. 6. Colégio Técnico Industrial1.3.6 1981 - atual Com essa nova geração, surgiu o VLSI. Surgiram também InteligênciaArtificial, com altíssima velocidade (com um ou mais núcleos porprocessadores, grande freqüência e transferência de dados entre oscomponentes do computador), programas com alto grau de interatividade como usuário e uma grande rede mundial (Internet), que impulsionou mais ainda ainformática.1.4 A importância dos Sistemas de Informação A informação é tudo na administração. Todos confirmam e concordam comessa assertiva. No entanto, é unânime também o conjunto de característicasnecessárias para que esse fundamental “instrumento de trabalho” realmenteatenda às necessidades dos gestores: agilidade (disponível no tempo certo) econfiabilidade (coesa e correta). A computação corporativa tem uma linha evolutiva particular, tendo comouma de suas principais metas possibilitar que a informação tenha esseconjunto de características, criando novos e melhores instrumentos de apoio àtomada de decisões. Um exemplo disso é a tecnologia ERP (EnterpriseResource Planning), que otimiza o tráfego de dados dentro da corporação (on-line), minimiza a manipulação e como conseqüência, assegura uma maiorconfiabilidade para as informações. Apesar de sua recente popularização, o conceito de sistemas integradosnão é novidade. Ele sempre existiu, mesmo quando a informatização era umsonho distante, afinal, os Sistemas de Informação não dependem deinformática ou tecnologia para serem elaborados; eles dependem deconhecimentos administrativos e operacionais. Houve uma época em que ainformática era um privilégio para poucos, os equipamentos eram muito caros,havia pouca disponibilidade de mão-de-obra e sua instalação exigia grandesinvestimentos em infra-estrutura. Mas os Sistemas de Informação sempreexistiram, de uma maneira ou outra, os dados eram processados etransformados em informações, ainda que de uma forma muito maistrabalhosa. 6
  7. 7. Colégio Técnico Industrial1.5 Vantagens da Tecnologia Unida aos Sistemas de Informação A principal vantagem proporcionada pela tecnologia aos Sistemas deInformação é a capacidade de processar um gigantesco número de dadossimultaneamente, tornando a disponibilização das informações demandadaspraticamente on-line. Mas de pouco adianta esse potencial se os sistemas(rotinas, processos, métodos) não estiverem muito bem coordenados eanalisados. Informatizar sistemas ruins traz novos problemas e nenhumasolução, além de possivelmente nublar as causas dessas falhas. Essa situaçãoinfelizmente é bastante comum nas empresas, pois existe uma grandeconfusão sobre análise de sistemas operacionais/corporativos e programaçãodesses sistemas.2 Dados e Informações2.1 Dados Dados são códigos que constituem a matéria prima da informação, ou seja,é a informação não tratada. Os dados representam um ou mais significadosque isoladamente não podem transmitir uma mensagem ou representar algumconhecimento. Em uma pesquisa eleitoral, por exemplo, são coletados dados, isto é, cadaparticipante da pesquisa fornece suas opiniões e escolhas sobre determinadoscandidatos, mas essas opiniões não significam muita coisa no âmbito daeleição. Só depois de ser integrada com as demais opiniões é que teremosalgo significativo.2.2 Informação Informações são dados tratados. O resultado do processamento de dadossão as informações. As informações tem significado, podem ser tomadasdecisões ou fazer afirmações considerando as informações. No exemplo da pesquisa eleitoral, os pesquisadores retêm dados dosentrevistados, mas quando inseridos nos sistemas e processados produzeminformações. Essas informações dizem quem tem mais chance de ser eleito,entre outras coisas. 7
  8. 8. Colégio Técnico Industrial2.3 Conhecimento O conhecimento vai além de informações, pois tem um significado etambém uma aplicação. Conhecimento é o ato ou efeito de abstrair idéia ou noção de alguma coisa,como por exemplo: conhecimento das leis; conhecimento de um fato (obterinformação); conhecimento de um documento; termo de recibo ou nota em quese declara ou aceita um produto ou serviço; saber, instrução ou cabedalcientífico (grande quantidade de conhecimento). As informações são valiosas, mas o conhecimento constitui um saber.Produz idéias e experiências que as informações por si só não serão capazesde mostrar. Se informação é o dado trabalhado, então conhecimento éinformação trabalhada.2.4 Processo Na Engenharia de Software, processo é um conjunto de passosparcialmente ordenados, cujo objetivo é atingir uma meta: entregar um produtode software de maneira eficiente, previsível e que atinja as necessidades denegócio. Geralmente inclui análise de requisitos, programação e testes, entreoutras tarefas.2.5 Dados x Informações Lidamos com esses aspectos o tempo todo, seja em casa, nas empresas,escolas, igreja, etc. Ouvimos muitos termos relacionados como processamentode dados, sistemas de informação, gestão de conhecimento, entre outros. Um computador é uma máquina que tem por fim processar dados. Ésimples assim; ou não? Começando por definir máquina, que, nesse contexto, é um conjunto decomponentes elétricos, eletrônicos e eletromecânicos destinado a umdeterminado fim (no caso, processar dados). O primeiro computador fabricado comercialmente foi o UNIVAC (UniversalAutomatic Computer), concebido, projetado e construído por John PresperEckert e John Mauchly (que previamente haviam construído o ENIAC,Electronic Numeric Integrator And Calculator, na Universidade da Pensilvânia).A primeira unidade foi fabricada em 1951. 8
  9. 9. Colégio Técnico Industrial Mas o que são dados e em que consiste seu processamento? Um dado é qualquer característica de um objeto, ser ou sistema que possaser registrado. Por exemplo: uma sala de aula contém um determinado número de alunos.Esse número é um dado. O número de lugares (carteiras) existentes na salatambém é um dado. Assim como são dados: idade, data de nascimento, nome,endereço e demais características de cada aluno. É claro que todos esses dados podem ser coletados e armazenados comou sem a ajuda de um computador. Por exemplo: podem ser coletados atravésde observação direta e do preenchimento de questionários; e podem serarmazenados anotando os resultados em fichas que seriam arquivadas(armazenadas) em pastas. Esses são os chamados dados brutos. Dados brutos, se manejados convenientemente e organizados segundocertas diretrizes (ou seja, se submetidos a um processo), podem servir de basea tomadas de decisão.2.6 Processamento de Dados Mas o que é um processo? Segundo o dicionário Houaiss, um dossignificados do termo (justamente aquele que nos interessa) é “modo de fazeralguma coisa, método, maneira, procedimento”. Então, entende-se porprocesso um procedimento que consiste, por exemplo, em aplicar operaçõesaritméticas ou lógicas (como comparações) aos dados brutos coletados. No contexto da sala de aula que estávamos discutindo, poderemos somaros dados referentes às idades de cada aluno e dividir o total pelo número dealunos da sala (ou seja, efetuar um procedimento que consiste em aplicar duasoperações aritméticas aos dados brutos, portanto um processo) para obter aidade média dos alunos daquela sala. Esta idade média, resultado desteprocesso aplicado aos dados, é uma informação. Portanto, informação é aquilo que se obtém ao processar dados, oresultado do processamento de dados, um elemento que pode ser usado paratomar decisões. A idade média dos alunos, por exemplo, pode ser usada paradecidir o tamanho das carteiras e do restante do mobiliário das salas. 9
  10. 10. Colégio Técnico Industrial Outro exemplo de informação sendo usada em um processo decisório: sedividirmos o número de alunos que ocuparão a sala pelo número de carteirasexistentes na sala obteremos um novo número fracionário (entre zero e um,presumindo-se que o número de carteiras seja igual ou maior que o de alunos)que representa o coeficiente de ocupação da sala. Esse coeficiente (que é umainformação), já que resultou de uma operação aplicada aos dados brutos, oude um processamento de dados, pode orientar os administradores da escola nadistribuição de novos alunos pelas salas já ocupadas. Então, existe uma diferença essencial entre um dado e uma informação.Um dado é uma característica qualquer obtida diretamente de um objeto, umser ou um sistema. Uma informação é a conseqüência do processamentoaplicado a esses dados, ou seja, é o resultado dos dados trabalhados eorganizados. E processar dados consiste em aplicar aos dados um conjunto deoperações lógicas e matemáticas que produzam uma informação que pode serusada para tomar decisões. Como você vê, o conceito de processamento de dados é muito simples. E éfácil concluir que não é imprescindível o uso de máquinas para processardados. Nos exemplos citados, qualquer pessoa que saiba efetuar as operaçõesaritméticas necessárias pode transformar dados em informações, portantoprocessá-los. A diferença é que efetuar este processamento de dados usandoum computador, especialmente nos casos em que ele exige o encadeamentode operações complexas e utiliza grandes quantidades de dados brutos, fazcom que o resultado seja obtido mais rapidamente e menos passível de erros. Algo parecido acontece com muitos dos artefatos usados no mundomoderno. Por exemplo: roupas podem ser feitas manualmente, com a ajudaapenas de tesoura, agulha, linha e alguma perícia da parte de quem as faz.Uma boa costureira pode produzir diariamente um número limitado de camisas.Mas a moderna indústria têxtil, com suas máquinas pesadas, pode produzirdezenas de milhares delas no mesmo período. A função de um computador é, então, processar dados. Para isso énecessário obter os dados brutos no mundo exterior, ou seja, fora docomputador, introduzi-los no computador, armazená-los enquanto aguardam oprocessamento, efetuar as operações que consistem neste processamento e 10
  11. 11. Colégio Técnico Industrialarmazenar (ou encaminhar para o mundo exterior) os resultados parciais efinais do processamento. Os dados são obtidos no mundo exterior e introduzidos no computadoratravés de mecanismos de transferência de dados conhecidos comoDispositivos de Entrada. O exemplo mais evidente de dispositivo de entrada é oteclado, mas há diversos outros, como o mouse, telas sensíveis ao toque,mesas digitalizadoras, escâneres e até mesmo microfones e câmaras de vídeo.E são devolvidos ao mundo exterior pelos Dispositivos de Saída, dos quais oexemplo mais óbvio é o monitor de vídeo (teclado e monitor de vídeo sãoconsiderados a entrada padrão e a saída padrão e, em conjunto, constituem oconsole). Mas também há diversos outros, como a impressora, alto-falantes,projetores tipo data show e televisores. O conjunto de todos esses dispositivos forma uma unidade funcionalconhecida como Dispositivos de Entrada e Saída, E/S ou I/O (do inglêsInput/Output). Depois de introduzidos, os dados podem ser encaminhados diretamenteà Unidade Central de Processamento (UCP ou CPU, sigla da expressão eminglês Central Processing Unit) para serem processados ou armazenados naMemória Principal para processamento posterior. O componente restante, a Unidade Central de Processamento, é o maisimportante de todo o conjunto. Ele é um circuito integrado razoavelmentecomplexo, capaz de efetuar todas as operações necessárias ao processamentode dados. Como seu nome indica, é ali que os dados serão processados. Um computador, então, é formado por três elementos principais,Dispositivos de Entrada e Saída, Unidade Central de Processamento eMemória Principal, interligados e trocando dados entre si através de umdispositivo de interconexão denominado Barramento. 11
  12. 12. Colégio Técnico Industrial2.6.1 Ações Básicas do Processamento Para que um computador processe dados, é preciso movê-los até a unidadecentral de processamento, armazenar resultados intermediários e finais emlocais onde eles possam ser encontrados posteriormente e controlar estasfunções de transporte, armazenamento e processamento. Portanto, tudo queum computador faz pode ser classificado como uma dessas quatro açõeselementares: processar, armazenar, mover dados e controlar estas atividades.Por mais complexas que pareçam as ações executadas por um computador,elas nada mais são que combinações destas quatro funções básicas.2.7 Informação x Conhecimento O problema é muito mais complexo entre Informação x Conhecimento. Aquia dialética (sem qualquer intenção ideológico-política) tem toda a sua força. Hátanto informação dentro do Conhecimento quanto conhecimento dentro daInformação. Talvez haja uma assimetria, como em toda complexidade,havendo mais informação no Conhecimento do que o contrário.Novamente, claro, o contexto é fundamental para discernir Informação deConhecimento, mas agora não é suficiente. Há, por exemplo, o Nível deAbstração. Para um determinado contexto e objetivo (declarado ou não), oConhecimento tende a ter um nível de abstração maior, enquanto que aInformação um nível menor. Dessa forma, e aí entra novamente a dialética, oque é conhecimento pode ser, num outro momento do processo (conhecimentoé essencialmente um processo), informação para níveis mais abstratos dopensamento. Mas ainda não é suficiente (há que se considerar o padrão depensamento). Padrão de pensamento é uma espécie de inter-relacionamentode informações ou mesmo de conhecimentos adquiridos que possam serreconhecidos, sempre dentro de um contexto e num nível de abstraçãodesejado ou necessário, e claro, que tenham significado. Assim, quandoformamos um padrão de pensamento sobre qualquer coisa, assunto, processopassado ou em andamento, etc, estamos adquirindo conhecimento. Quando ousamos em um novo processo de pensamento, os padrões adquiridosutilizados são informações e o novo padrão, conhecimento. Pode ocorrer (enormalmente ocorre), que os padrões reconhecidos (informações qualificadas) 12
  13. 13. Colégio Técnico Industrialnecessitem de uma nova contextualização ou refinamento para que se possaatingir um outro padrão de pensamento e, assim, estaremos, neste mesmoprocesso, também transformando “velhas” informações em conhecimento. Mas, assim, geramos outro problema: não conseguimos diferenciar essesdois conceitos realmente. Bem, esse é o problema da dialética, mas aí entra aanálise tradicional (lógica formal): informação é o que entra para formar umentendimento e conhecimento é o entendimento estruturado e inter-relacionadocom outros entendimentos prévios. Porém, não podemos esquecer que é umprocesso dinâmico, como foi descrito. Porém, interagindo com outras opiniões, muito mais aspectos serãoadicionados ou esse processo será revisto e criticado. Assim é o verdadeiroconhecimento – ESTÁ SEMPRE EM MOVIMENTO.3 Tecnologia de Informação3.1 Introdução Inicialmente, a computação era tida como um mecanismo que automatizavadeterminadas tarefas em grandes empresas e nos meios governamentais.Conforme a tecnologia foi avançando, as enormes máquinas que eram osprimeiros computadores começaram a perder espaço para equipamentos cadavez menores e mais poderosos. A evolução das telecomunicações permitiuque, aos poucos, os computadores passassem a se comunicar, mesmoestando em lugares muito distantes geograficamente. Como conseqüência, taismáquinas deixaram de simplesmente automatizar tarefas e passaram a lidarcom Informação. As tecnologias que foram desenvolvidas aceleraram e intensificaram acomunicação pessoal através de editores de texto, formação de bancos dedados, e de tecnologias que permitem acesso a computadores remotos, comoé o caso da internet. O conceito de TI não abrange somente componentesfísicos do computador propriamente dito. Existem “tecnologias intelectuais”,que podem ser utilizadas em programas ou para lidar com o ciclo dainformação. A TI é importantíssima em áreas de atuação como finanças, planejamentode transportes, na imprensa, atividades editoriais, e em diversas outras áreas, 13
  14. 14. Colégio Técnico Industrialintroduzindo novas formas de organização e acesso aos dados e obrasarmazenadas. Reduziu custos e acelerou a produção dos jornais e outrosmeios de informação e entretenimento.3.2 Informação A informação não é simplesmente um aglomerado de bytes, mas sim umpatrimônio, um conjunto de dados organizados e classificados, de modo quepossibilita uma pessoa ou empresa tirar proveito. A informação é inclusive umfator que pode determinar a sobrevivência ou a descontinuidade das atividadesde um negócio. E isso não é difícil de ser entendido. Basta imaginar o queaconteceria se uma instituição financeira perdesse todas as informações deseus clientes. Mesmo sendo possível, muito dificilmente uma empresa de grande porteperde suas informações, principalmente quando tratamos de bancos, cadeiasde lojas, entre outros. No entanto, o que ocorre com mais freqüência é o usoinadequado das informações adquiridas ou, ainda, a sub-utilização destas. Énesse ponto que a Tecnologia da Informação pode ajudar.3.3 O que é Tecnologia de Informação? A Tecnologia da Informação pode ser definida como um conjunto detodas as atividades e soluções providas por recursos de computação. Naverdade, as aplicações para TI são tantas, e estão ligadas às mais diversasáreas, que existem várias definições e nenhuma consegue determiná-la porcompleto. Sendo a informação um bem que agrega valor a uma empresa ou a umindivíduo, é necessário fazer uso de recursos de TI de maneira apropriada, ouseja, é preciso utilizar ferramentas, sistemas ou outros meios que façam dasinformações um diferencial competitivo. Além disso, é necessário buscarsoluções que tragam bons resultados, mas que tenham o menor custopossível. A questão é que não existe "fórmula mágica" para determinar comoutilizar da melhor maneira as informações. Tudo depende da cultura, domercado, do segmento e de outros aspectos relacionados ao negócio ou àatividade. As escolhas precisam ser bem feitas. Do contrário, gastos 14
  15. 15. Colégio Técnico Industrialdesnecessários ou, ainda, perda de desempenho e competitividade podemocorrer. Tome como base o seguinte exemplo: se uma empresa renova seuparque de computadores comprando máquinas com processadores velozes,muita memória e placa de vídeo 3D para funcionários que apenas precisamutilizar a internet, trabalhar com pacotes de escritório ou acessar a rede, acompanhia fez gastos desnecessários. Comprar máquinas de boa qualidadenão significa comprar as mais caras, mas aquelas que possuem os recursosnecessários. Por outro lado, imagine que uma empresa comprou computadorescom vídeo integrado à placa-mãe (onboard) e monitor de 15" para profissionaisque trabalham com Autocad. Para esses funcionários, o correto seria fornecercomputadores que suportassem aplicações pesadas e um monitor de, pelomenos, 17". Máquinas mais baratas certamente conseguiriam rodar oprograma Autocad, porém com lentidão, e o monitor com área de visão menordaria mais trabalho aos profissionais. Neste caso, percebe-se que a aquisiçãodas máquinas reflete diretamente no desempenho dos funcionários. Por isso, épreciso saber quais as necessidades de cada setor, de cada departamento, decada usuário. Veja este outro exemplo: uma empresa com 50 funcionários, cada umcom um PC, adquiriu um servidor de rede que suporta 500 usuáriosconectados ao mesmo tempo. Se a empresa não tem expectativa de aumentarseu quadro de funcionários, comprar um servidor deste porte é o mesmo quecomprar um ônibus para uma família de 5 pessoas. Mas o problema não éapenas este. Se este servidor, por alguma razão, parar de funcionar, a redeficará indisponível e certamente atrapalhará as atividades da empresa. Alémdisso, se a rede não estiver devidamente protegida, dados sigilosos poderãoser acessados externamente ou mesmo um ataque pode ocorrer. Com os exemplos citados anteriormente, é possível ver o quanto écomplicado generalizar o que é TI. Há ainda vários outros aspectos a seremconsiderados que não foram citados. Por exemplo, a empresa deve saber lidartambém com segurança, com disponibilidade, com o uso de sistemas (elesrealmente devem fazer o que foi proposto), com tecnologias (qual é a melhorpara determinada finalidade), com recursos humanos qualificados, enfim. 15
  16. 16. Colégio Técnico Industrial A TI é algo cada vez mais comum no dia-a-dia das pessoas e dasempresas. Tudo gira em torno da informação. Portanto, quem souberreconhecer a importância disso, certamente se tornará um profissional comqualificação para as necessidades do mercado. Da mesma forma, a empresaque melhor conseguir lidar com a informação, certamente terá vantagenscompetitivas em relação aos concorrentes.3.4 O impacto dos Sistemas de Informação e das Tecnologias de Informação nas organizações A introdução de um SI ou TI numa organização irá provocar um conjunto dealterações, nomeadamente em nível das relações da organização com o meioenvolvente e em nível de impactos internos na organização. A TI é um recurso valioso e provoca repercussão nos níveis estruturaisorganizacionais: 1. A nível estratégico, quando uma ação é suscetível de aumentar a coerência entre a organização e o meio envolvente, que por sua vez se traduz num aumento de eficácia em termos de cumprimento da missão organizacional; 2. A nível operacional e administrativo, quando existem efeitos endógenos, traduzidos em aumento da eficiência organizacional em termos de opções estratégicas. No entanto, ao ser feita essa distinção, não significa que ela seja estanque, independente, pois existem impactos simultâneos nos vários níveis: estratégico, operacional e tático. Assim, temos que os SI permitem às organizações a oferta de produtos apreços mais baixos, que, aliados a um bom serviço e à boa relação com osclientes, resultam numa vantagem competitiva adicional, através de elementosde valor acrescentado cujo efeito será a fidelidade dos clientes. A utilização de SI pode provocar, também, alterações nas condiçõescompetitivas de determinado mercado, em termos de alteração do equilíbriodentro do setor de atividade, dissuasão e criação de barreiras à entrada denovos concorrentes. Os SI e TI permitem, ainda, desenvolver novosprodutos/serviços aos clientes ou diferenciar os já existentes dos da 16
  17. 17. Colégio Técnico Industrialconcorrência e que atraem o cliente de forma preferencial em relação àconcorrência. A utilização de alta tecnologia vai permitir uma relação mais estreita epermanente entre empresa e fornecedores, na medida em que qualquerpedido/sugestão da parte da empresa é passível de ser atendido/testado pelosfornecedores. A tecnologia permitiu uma modificação na maneira de pensar ede agir dos produtores e consumidores. As Tecnologias de Informação têm reconhecidamente impactos no nívelinterno das organizações: na estrutura orgânica e no papel de enquadramento/coordenação na organização; em nível psicossociológico e das relaçõespessoais; no subsistema de objetivos e valores das pessoas que trabalham nasorganizações; bem como no subsistema tecnológico. Os maiores benefícios aparecem quando as estratégias organizacionais, asestruturas e os processos são alterados conjuntamente com os investimentosem TI. As TI’s permitem, assim, ultrapassar todo um conjunto de barreiras namedida em que existe uma nova maneira de pensar, pois em tempo real épossível às empresas agirem e reagirem rapidamente aos clientes, mercados econcorrência.3.5 Tecnologia da Informação e seu impacto na segurança empresarial A Tecnologia da Informação segue em avanço constante, mas ao mesmotempo sua gestão no quesito segurança não acompanha o mesmo ritmo daspolíticas de segurança e não está ainda em um patamar que pode serconsiderado eficiente. Com tantos recursos disponíveis e possibilidades quaseilimitadas, os gestores esquecem que agora sua empresa possui mais umaporta para o mundo, porta esta que, se aberta, pode dar a um individuovaliosas informações sobre sua organização. Temos então um caso em que a tecnologia da informação se torna um riscodevido a problemas de gerenciamento, é importante ressaltar os problemasque a tecnologia traz para as empresas além de seus benefícios, poissegurança também gera custos e, quando lidamos com alta tecnologia, osinvestimentos nunca são pequenos nessa área. 17
  18. 18. Colégio Técnico Industrial4 Sistemas Sistema pode ser definido como um conjunto de elementosinterdependentes que interagem com objetivos comuns formando um todo, eonde cada um dos elementos componentes comporta-se, por sua vez, comoum sistema cujo resultado é maior do que o resultado que as unidadespoderiam ter se funcionassem independentemente. Qualquer conjunto departes unidas entre si pode ser considerado um sistema, desde que asrelações entre as partes e o comportamento do todo sejam o foco de atenção(ALVAREZ, 1990, p. 17). Vindo do grego sietemiun, o termo significa "combinar", "ajustar", "formarum conjunto". Por exemplo, considere um lava-rápido automatizado. Obviamente, asentradas tangíveis para o processo são um carro sujo, água e os diversosingredientes de limpeza usados. Tempo, energia, habilidade e conhecimentotambém são necessários como entradas no sistema. Tempo e energia sãorequeridos para operar o sistema. Habilidade é exigida para operar de maneiraadequada os sprays líquidos, as escovas e os secadores. Conhecimento éusado para definir os passos na lavagem de carros e a ordem de execuçãodesses passos. Os mecanismos de processamento consistem em inicialmenteselecionar as opções desejadas de limpeza (somente lavagem, lavagem comcera, lavagem com cera e secagem manual etc.) e comunicar essas opções aooperador do lava-rápido. Note que existe um mecanismo de realimentação (suaavaliação do quão limpo está o carro). Sprays líquidos emitem água limpa,sabão líquido ou cera, dependendo do estágio de seu carro no processo e dasopções selecionadas. A saída é um carro limpo. É importante notar queelementos ou componentes independentes de um sistema (spray líquido,escova e secador) interagem para criar um carro limpo.4.1 Fronteiras de Sistemas São as linhas imaginárias que servem para marcar o que está dentro e oque está fora do sistema, ou seja, elas o definem e diferenciam de tudo o mais.Nem sempre essas fronteiras existem fisicamente. 18
  19. 19. Colégio Técnico Industrial4.2 Configuração de um Sistema Configuração é a forma como elementos do sistema são organizados ouarranjados. Na maioria dos casos, conhecer o propósito ou resultado desejadode um sistema é o primeiro passo na definição da configuração de elementosdo sistema. Por exemplo, com base em experiências anteriores, sabemos queseria ilógico inverter a ordem de um processo que só pode ser realizado emdeterminada ordem. É preciso conhecimento tanto para definir as relaçõesentre as entradas de um sistema como para organizar os elementos do sistemausados para processar as entradas.5 Tipos de Sistemas Simples Tem poucos componentes, e a relação ou interação entre os elementos édescomplicada e direta. Complexo Tem muitos elementos que são altamente relacionados e interconectados. Aberto Interage com o ambiente. Fechado Não interage com o ambiente. Estável Sofre muito poucas mudanças ao longo do tempo. Dinâmico Sofre mudanças rápidas e constantes ao longo do tempo. Adaptativo Pode mudar em resposta a mudanças no ambiente. Não adaptativo Não pode mudar em resposta a mudanças no ambiente. Permanente Existe por um período de tempo relativamente longo. Temporário Existe por um período de tempo relativamente curto. 19
  20. 20. Colégio Técnico Industrial6 Eficiência e Eficácia de um Sistema6.1 Eficácia de sistemas de informação e percepção de mudança organizacional: um estudo de caso A tecnologia de informação (TI) também tem merecido uma atençãoespecial no que tange ao apoio administrativo. No mundo de hoje, seja qual foro ramo de negócio, a empresa competitiva precisa saber usar estrategicamentea informação e a Tecnologia da Informação, pois ambas têm-se tornadorecursos estratégicos para qualquer tipo de organização.6.2 Os objetivos organizacionais em face dos processos de informatização O sucesso ou fracasso de um sistema de informação (SI) pode estarrelacionado ao seu próprio processo de implantação, que envolve outrosaspectos, além daqueles meramente tecnológicos, entre os quais a forteparticipação dos usuários. O "SI tem se tornado um componente crítico doplanejamento estratégico e da vantagem competitiva das organizações,levando os executivos a uma maior preocupação com a administração deinformática". Após o período mais crítico de desenvolvimento, testes,adaptação e/ou implantação de um sistema de informação, como saber se tudovaleu a pena? Os benefícios compensam os custos? Os objetivos inicialmentedefinidos foram atingidos? Qual o nível de satisfação dos usuários?Na opinião de Marinho (1990), a organização moderna caracteriza-se pelapresença de objetivos organizacionais e por um esforço conjunto por váriosindivíduos que buscam atingi-los. A maior parte das atividades desenvolvidasem uma organização pode ser relacionada aos seus objetivos. Essa autoraanalisa os objetivos organizacionais sob cinco perspectivas sociológicas:racional, funcionalista, tecnológica, na abordagem da teoria do processodecisório e na abordagem da economia política, destacando-se aqui as trêsprimeiras. 20
  21. 21. Colégio Técnico Industrial6.3 O processo de escolha de um sistema de informação (1) Definição da instituição: objetivos a serem alcançados com ainformatização; (2) Análise do mercado de sistemas: contato com váriosfornecedores para um estudo preliminar das características de cada produto,independentemente de seu ajuste ou não à instituição; (3) Avaliação dosprodutos: máximo empenho para se chegar à escolha do produto que melhoratenda aos objetivos pré-definidos da informatização; isso envolve verificarreferências dos candidatos, demonstração do produto, visitas a locais jáinformatizados e avaliação de impactos.6.4 Avaliação de eficácia dos sistemas de informação A norma ISO 9126 descreve o modelo de qualidade de software, incluindocritérios objetivos e também subjetivos, numa escala menor. Ela define seiscaracterísticas de qualidade e subcaracterísticas associadas a essascaracterísticas (vide Quadro 1). 21
  22. 22. Colégio Técnico Industrial 22
  23. 23. Colégio Técnico Industrial 23
  24. 24. Colégio Técnico Industrial7 Variáveis de Sistema Variáveis do sistema são as entradas ou saídas que podem sercontroladas. Exemplificando, podemos dizer que variável do sistema seria como o preçodo produto final de uma companhia, pois é estabelecido pelo controladoratravés de alguns parâmetros a serem considerados.8 Parâmetros de Sistema Parâmetros do sistema são as entradas que não podem ser controladas,uma vez que não dependem de fatores internos e sim dos usuários do sistemaou de terceiros. Um exemplo seria o preço da matéria-prima necessária para aconfecção do produto final.9 Modelagem de um Sistema Modelagem seria montar um modelo de algum sistema a fim de melhoranalisá-lo. Modelo é uma abstração ou aproximação usada para representar arealidade, que em nosso caso, seria algum programa ou sistema. Existem quatro principais tipos de modelo: 1. Modelo Narrativo Por se basear na fala, em palavras, trata-se de um modelo lógico e nãofísico. Descrições verbais ou escritas da realidade são consideradas modelosnarrativos. Alguns tipos de narrativas seriam relatórios, documentos econversas a respeito de um sistema. 2. Modelo Físico Ele é uma representação tangível da realidade, sendo que muito delessão projetados ou construídos usando computadores. Um exemplo de modelofísico seriam as maquetes, muito comuns para representações de construçõese estruturas em geral. 3. Modelo Esquemático Diferentemente do modelo físico, o esquemático se refere mais a partegráfica dos dados que estão sendo analisados. Gráficos, diagramas, figuras eilustrações são tipos de modelos esquemáticos, que são muito usados paradesenvolver projeções financeiras e sistemas computacionais. 24
  25. 25. Colégio Técnico Industrial 4. Modelo Matemático Principalmente focado na análise de dados e informações numéricas, omodelo matemático é uma representação aritmética da realidade. Seria o casode planilhas de gastos, custos, valores, etc. A construção de modelos sobre algum sistema deve ser sempre muitoprecisa, pois sua análise irá gerar várias hipóteses sobre o que está sendoavaliado.10 Infografia • http://www.bonde.com.br/bonde.php?id_bonde=1-14--1646-20050407 • http://www.biblioteca.sebrae.com.br/bds/BDS.nsf/3C2E350DD8BEA3D8 03256F11004F66CB/$File/NT00099396.pdf • http://pt.wikipedia.org/wiki/Sistema_de_informa%C3%A7%C3%A3o • http://www.administradores.com.br/informe-se/producao- academica/sistemas-de-informacao-sistemas-de-gestao- empresarial/358/ • http://www.infowester.com/col150804.php • http://blogs.forumpcs.com.br/bpiropo/2005/07/03/computadores-i-dados- e-informacoes/ • http://www.luis.blog.br/qual-a-diferenca-entre-dados-informacao-e- conhecimento.aspx • http://pt.wikipedia.org/wiki/Processo • http://mygc.wordpress.com/2010/03/08/dado-x-informacao-x- conhecimento-x-sabedoria-segundo-a-hbr/ • http://pt.wikipedia.org/wiki/Tecnologia_da_informa%C3%A7%C3%A3o • http://www.scielo.br/scielo.php? script=sci_arttext&pid=S1415-65552001000300004 • http://pt.wikipedia.org/wiki/Sistema • http://www.ebah.com.br/apostila-i-tgs-doc-a72054.html • http://pt.wikipedia.org/wiki/Teoria_de_sistemas • http://pt.wikipedia.org/wiki/Teoria_geral_de_sistemas 25
  26. 26. Colégio Técnico Industrial• http://www.cengage.com.br/detalheLivro.do?id=106902 26

×