SlideShare uma empresa Scribd logo
 
Diretor:  Daniel Húpalo Auxiliar de Direção: Supervisoras:  Luciana Xavier de Souza Orientadoras:   Aurora A. Zimmermann  Atividades Complementares: Bibliotecário:  Rogério Francisco Fiedler Sala Informatizada:  Eliete França da Luz
Introdução   A Escola  está situada no bairro Jardim Paraíso. Bairro este que possuem muitas diferenças sociais,formado por inúmeros moradores que vem de outros bairros,outros municípios ou estados, mas que constantemente mudam-se e após algum tempo retornam.
Frente a realidade que a cerca ,vêm por sua vez,oportunizar aos educandos um ambiente que seja agradável e de imensuráveis desafios a fim de fornecer uma maneira de transformar o seu cotidiano em novos horizontes. Para que essa prática se consolide é de suma importância :
Desenvolver o senso de responsabilidade e o despertar  de uma visão crítica frente aos novos e presentes desafios; Torna-se democrática abrindo espaços para momentos de refletir sobre a ação e a prática visando uma aprendizagem significativa;
Trabalhar de forma dinâmica sensibilizando e despertando o educando para os valores que regem os relacionamentos intra e interpessoais. Resgatar a ética,aplicando-a no cotidiano  em que  o respeito,as diferenças,possibilite incutir a responsabilidade,respeito mutuo e de autodisciplina.
Sensibilizar a prática  pedagógica para os estilos e preferências de aprendizagem dos alunos a fim de receber e processar informações. Efetuar a sondagem do conhecimento dos alunos ,em cada série e em todas as disciplinas,no início do ano letivo,averiguando  se possuem base de conhecimento para o avanço na aprendizagem.
Promover através do programa de regularização de fluxo escolar,a implantação das classes de aceleração para alunos de 5ª a 8ª série. Assegurar a escolaridade para todas as idades,proporcionando novas oportunidades de educação para a vida e para o mundo de trabalho através  do Ensino de Jovens  e Adultos(EJA).
Garantir o Projeto de leitura que oportunize ao aluno uma reflexão de sua vivência diária,contemplando todos os gêneros literários integrado ao projeto Caráter Conta. Sensibilizar a comunidade escolar para o trabalho continuo de preservação do meio  ambiente para uma melhor qualidade de vida.
Manter e aprimorar o Contrato Didático Pedagógico para uma melhor organização no processo de ensino e aprendizagem. Integrar a Educação Ambiental ao currículo da escola,oferecendo aos docentes experiências e instrumentos para uma prática interdisciplinar  na Educação Ambiental.
Promover a Integração dos alunos na faixa etária,a participação e certificação dos alunos no curso Oficina do Conhecimento,que visa dar oportunidades aos alunos com o apoio de Empresas parceiras,serem encaminhadas para o SENAI .
Justificativa
Diante do comprometimento desta escola em trabalhar numa linha sócio-interacionista com uma educação democrática  e transformadora em que o aluno é visto como ser histórico e social,responsável pela construção de sua própria identidade,esta sente como função promover e proporcionar atividades que levem o educando a desenvolver seu senso critico e participativo.
Pensando neste sentido,é de suma importância  que a escola tenha profissionais em contínua capacitação, abertos a diálogos e ao estudo de novas concepções  teóricas,a fim de estabelecer essa relação entre o que esperamos ser e onde almejamos chegar. Para que essa relação aconteça com maior êxito,a escola oferece as seguintes atividades:
Aulas de Reforço de Matemática, Português e demais disciplinas aos sábados com acadêmicos  da Univille – Ação Educacional. Projeto de leitura integrado com o projeto Classe de Aceleração de Aprendizagem Projeto de Parceria de Curso Profissionalizante.
Projeto Amigo da Escola Kung Fu. PETI-Programa  De Erradicação do Trabalho Infantil (Governo Federal)  NAPE- Núcleo de Apoio Pedagógico.  CERJ – Centro de Educação e Recreação Juvenil. Parceria com a Clínica de Terapia Ocupacional - Terapeuta Educacional: Sônia Regina Gheller Guill.
Missão “ Formar cidadãos, para que desenvolvam valores morais, sociais e educacionais integrados ao meio e à sociedade e que, diante das circunstâncias participem democraticamente, comprometendo-se com  as mudanças ocorridas ao longo do tempo, respeitando as diferenças sociais e individuais” .
Visão “ Ser um centro Educacional de qualidade formando alunos críticos, autônomos e participativos em uma sociedade baseada nos princípios éticos e morais desenvolvendo senso de justiça, fraternidade, respeito, profissionalismo e amor”.
Organização Curricular Ensino Fundamental: Funcionando de 6º ano ao 9º ano nos turnos matutino e vespertino, cujo atendimento está voltando aos educandos de 10 aos 14 anos almejando um ambiente favorável que os leve buscar o aprimoramento de suas habilidades, a aquisição de novas informações formulando novos conhecimentos.
Educação de Jovens e Adultos - Organização através de: Fases de 1ºao 5º ano:Tem por finalidade resgatar os alunos que por alguma eventualidade não teve a oportunidade de poder através da aprendizagem aprimorar seus conhecimentos.Realizada com muito dinamismo,busca despertar,através de trabalhos apoiados com a auto estima,o gosto por estudar e assim poder ofertar uma nova possibilidade de ler o mundo que o cerca.
Ensino Freqüêncial : Funciona no noturno para educandos de 6º ao 9º ano semestralmente,tendo como  clientela pessoas que possuem 15 anos em  diante que sentem a necessidade ou que  desejam  ampliar  o conhecimento adquirindo ao longo do tempo. Oportuniza a facilidade de em pouco tempo o educando poder alcançar seus objetivos.
Ensino Modularizado Realizado através de módulos para  alunos do 6º ano ao 9º ano que leva os Jovens e Adultos a regularizar seus estudos com o comprometimento do mesmo com a finalidade de construir o seu  conhecimento através de informações  adquiridas na troca de informações com os professores .
Enturmação Baseando-se na heterogeneidade das classes é realizada através da averiguação do conhecimento adquirido ao longo da vida escolar, respeitando os diferentes níveis de aprendizagem retidos pelo mesmo durante o processo ensino/aprendizagem (realizado pelos professores).
Alunos Novos Vindos de transferências para as escolas municipais: primeiramente é avaliado o aluno em seu nível de conhecimento/aprendizado independente do certificado de escolaridade; se necessário encaminhá-lo a reforço escolar,com o comprometimento dos pais.
Este diagnóstico é entregue ao professor da serie que o mesmo cursa, para que saiba em que instância de aprendizagem se encontra o aluno; Se necessário  e comprovado for através do diagnóstico, o aluno será encaminhado de acordo  com o que apresenta a um  dos programas de apoio ao educando oferecidos pela SEC:
NAPE- voltada para alunos de 5ª a 8ª série do Ensino Fundamental; Classe de Aceleração para alunos com defasagem de idade série em 2008. NAIPE,Centrinho CERJ
Disciplinas e Objetivos a serem alcançados ao final do Ensino Fundamental
Ser capaz de observar,  refletir,criar e recriar o mundo, interagindo positivamente na sociedade, tornando-se um cidadão capaz de transformar o seu próprio contexto de vida. Língua Portuguesa :
Matemática : Desenvolver a capacidade de resolver  problemas,tomar decisões,criticar e avaliar soluções,raciocinar segundo uma determinada  lógica a fim de aperfeiçoar seu conhecimento .
Entender e compreender os fenômenos sociais,econômicos,políticos,culturais e ambientais relacionando ao conhecimento geográfico e espacial,sendo capaz de estabelecer  comparações com outros países de forma a conectar e contextualizar a realidade brasileira com a dinâmica mundial. Geografia :
História : Ter a capacidade de identificar o próprio grupo de convívio dentre os repertórios histórico-culturais estudados,acontecimentos que o permita se localizar em seu tempo/espaço questionando a realidade que o cerca e compreendendo que as transformações ocorridas consigo e ao redor são frutos de conquistas históricas.
Torna-se parte integrante e agente de transformações do mundo em que vive,identificando as relações entre conhecimento cientifico,produções tecnológicas e condições de vida,utilizando-os como instrumentos para o despertar da conscientização global sob o meio no qual esta inserido . Ciências :
Educação Física : Participar das atividades físicas e corporais, adotando atitudes de respeito mútuos,dignidades e solidariedade em diversos âmbitos das relações humanas existentes,reconhecendo-as como uma necessidade básica do ser humano e um direito do cidadão”(PCN volume 7 pag.43),e conscientizando-se da responsabilidade que há sobre o espaço em que ocupa.
Oportunizar  ao educando a aquisição do conhecimento básico que lhe permita não só compreender e acompanhar as rápidas transformações,possibilitando maior entendimento de um mundo plural e de seu próprio papel como cidadão de seu país e do mundo. Língua Inglesa :
Artes : Expressar e saber comunicar-se mantendo uma atitude de busca  pessoal ou coletiva, articulando a percepção,a imaginação, a emoção, a sensibilidade e a reflexão ao realizar  e ao fluir das produções artísticas.”(PCN vol.6 pag.53)
Metodologia Entendendo-se a escola como um lugar em que cabem formas diferentes de compreender o mundo,um lugar que o conhecer é aprender a vida em seus infinitos aspectos,percebe-se que é preciso que cada professor construa conhecimentos teóricos que lhe permitam uma visão não fragmentada do ato de educar. Baseando-se nessa relação,aluno-sociedade-escola,a ação pedagógica da Escola Municipal Professora Rosa Maria Berezoski Demarchi, tem como fundamento o ato de aprender a pensar,a refletir a estudar,a explorar diferentes habilidades e a estabelecer metas.
Fundamentos este em que o aluno faz parte do processo de ensino e de aprendizagem e este o torna apto a interagir cada vez mais e aprimorar seus conhecimentos. O professor é um mediador capaz de propiciar a aquisição do conhecimento e o crescimento do aluno em seus diversos aspectos (intelectual, emocional, motor e social) e como tal permite o professor/a desenvolver suas potencialidades através da constante reflexão de sua prática pedagógica .
Para que essa relação teórica, aquilo que queremos, com a prática,aquilo que faremos para atingir nossos objetivos, seguem os trabalhos que desenvolveremos durante a execução desta proposta, cabendo ressaltar que surgirão outros durante o ano letivo: Trabalhos com projetos garantindo o trabalho contextualizado e dinâmico; Projeto de leitura;
Parcerias com Ajorpeme; Orientação educacional em parceria com outros Órgãos; Reforço Escolar para alunos de  6º ao 9º ano; Avaliações diagnósticas; Implantação Agenda Escolar;
Planejamento O planejamento é um instrumento que serve para indicar, instruir, demonstrar, avaliar e auto avaliar,contribuir e objetivar suas ações e reflexões constantes sobre a prática pedagógica,buscando atividades que resgatem o passado inferindo no presente tornando eficaz em sua aplicação, acontecendo da seguinte forma :
6º ao 9º ano: Organização por conteúdo, quinzenal ou mensal de acordo com o plano de Ação de cada disciplina através de: Conteúdo ; Cronograma; Público Alvo; Objetivos; Estratégias ou Metodologia; Avaliação e Recuperação; Materiais Didáticos Referências Bibliográficas
Caminhando com os Alunos Frente à questão que o aluno é sujeito histórico no processo ensino/aprendizagem e que  este merece uma educação de qualidade a Escola Municipal Professora Rosa Maria Berezoski Demarchi oferece ao nosso educando:
Recuperação Paralela: Realizado pelos professores com enfoque a recuperação de conteúdos trabalhos a fim de auxiliar no processo de aprendizagem; Recuperação de Matemática com o Suporte Pedagógico no contra turno;
Atendimento do Serviço de Orientação ao Educando atende o aluno em todos os aspectos estabelecendo canais adequado de comunicação,baseando-se na confiança mútua,estimulando no desenvolvimento de hábito de estudo,de leitura e de pesquisa. Apoio aos Estudantes Encaminhamentos a diversos atendimentos a diversos atendimentos oferecidos pela Secretaria da Educação e Cultura,tais como NAPE, NAIPE, APOIA, Conselho Tutelar e Projeto Cidadão  com aulas de tênis de mesa, Voleibol e outras Entidades Não Governamentais.
Sala Informatizada:  Possibilitar ao educando contato com o uso da tecnologia,ampliando sua fonte de pesquisa. Biblioteca:  Ampliar o acervo bibliográfico  para pesquisa como também pra rotatividade de empréstimos de livros,contribuindo para  o despertar pelo prazer de ler.
Acompanhamento  da atividade Docente “ ...é necessário que todo educador domine e tenha conhecimento profundo das teorias que explicam a construção da inteligência e os processos de aprendizagem,para que possam realizar mudanças significativas e eficientes na prática pedagógica e nas suas proposta didáticas.”(Ferrero)
Sendo a educação um processo continuo de aquisição do conhecimento é necessário a escola repensar sua prática pedagógica que não é uma tarefa fácil,mas fundamental para a plena transformação de sua postura mediante ao ensino-aprendizagem. Ao fazer esse repensar,o professor estará dando a si mesmo a oportunidade através de uma analise critica de sua postura em relação com o meio em que esta inserido,buscando assim referencias para modificá-lo.
Nesta busca de reflexão a escola tem como papel auxiliar o professor em sua constante busca de novos referenciais. Para que isso aconteça,a Escola Municipal Professora Rosa Maria Berezoski Demarchi utiliza alguns instrumentos: Observação de aulas: realizado pela equipe administrativa,tem como objetivo acompanhar o professor em suas atividades,realizar diagnósticos para futuras orientações. Como afirma Freire(1996.14)“ observar uma situação pedagógica não é vigiá-la,mas sim,fazer vigília por ela,na cumplicidade da construção do projeto ,na cumplicidade pedagógica.”
Orientação Individualizada –Momento de trocas de reflexões dúvidas e auxilio no processo ensino aprendizagem; Acompanhamento dos instrumentos Avaliativo-Recurso  utilizado para auxilio o/a professor/a em alcançar seus objetivos; Recursos Didáticos- O professor terá todo apoio didático que necessitar para proporcionar uma aprendizagem qualitativa.
Reuniões Pedagógica Momento para refletir em conjunto sobre os objetivos propostos e seu desempenho,abordando temas  que mais tem sentido dificuldade,tais como:Dinâmica de grupo,conteúdo teórico ,troca de experiência , avaliação do trabalho,sugestões da equipe administrativa de temas e estratégias de ensino para a melhoria do processo ensino aprendizagem.  Após a reunião Pedagógica,são observados se os acordos firmados estão sendo cumpridos tanto pelo corpo docente quanto pela  Equipe Administrativa e cobrados quando necessário.
Avaliação   Avaliação ...é de fundamental importância  que cada professor no exercício de sua profissão,tenha clareza quanto ao que ensinar, como ensinar, e da mesma forma, o quê, para que, quando e como avaliar, tendo sempre em mente, que tipo de aluno se quer formar (Joinville,4:5 )
A intervenção direta do professor,durante a realização  das atividades é condição básica para que os alunos avancem em sua aprendizagem. Não basta que a atividade seja interessante,ela precisa favorecer a construção e a utilização do conhecimento...Para que essa aquisição de conhecimento e troca de informações aconteça,a Escola Municipal Professora Rosa Maria Berezoski Demarchi acredita em uma  avaliação formativa.
Avaliação esta que,além de informar em que situação se encontra o aluno no que se refere ao seu desenvolvimento da aprendizagem e no alcance dos objetivos propostos, serve também para corrigir rumos, rever, melhorar, reformar, adequar o ensino, de forma que o aluno atinja os objetivos de aprendizagem.Nesse sentido ela não avalia apenas o aluno, mas usa o desempenho do aluno para avaliar a adequação e eficácia  do ensino.
A avaliação acontece de forma contínua e informal,no dia a dia da sala de aula,e pode ser feita também através de provas, apresentação de relatórios, de trabalhos, competições, jogos e outros... Enfim quando o aluno tiver a chance de desenvolver suas capacidades de auto avaliação , pois este é o objetivo maior da escola, o ato de aprender a aprender se consolidou, entretanto isso somente acontecerá se o professor, em seu papel de mediador deste processo,interfira com ações eficazes, desafiadoras e mobilizadoras de novas informações e novos conhecimentos .
Instrumentos e Critérios Avaliativos Dentro do processo de avaliação é preciso diagnosticar,conhecer os alunos e intervir de forma atuante,avaliando em diferentes oportunidades e de diversas maneiras,utilizando provas escritas,em dupla ou em grupo,trabalhos de pesquisas em grupo,realizado em sala e ou na biblioteca,seminários de acordo com cada série ou com nível de aprendizagem apresentando por cada turma ou individualmente.
Instrumento de Avaliação Participação Trabalhos em grupos ou individuais Critérios Avaliativos Aula dialogada Troca de informações entre professor e aluno; Observações durante as atividades; Participação nas atividades individuais e coletivas. Troca de experiências; Busca de conhecimento; Monitoramento; Socialização do Conteúdo; Produto Final(ESCRITO) Individualidade
Avaliação Escritas individuais ou coletivas Tarefas diárias ; Auto –avaliação; Avaliação Pedagógica realizada pelos professores e alunos Houve aprendizagem do conteúdo; Se os objetivos foram alcançados Se havia clareza em que estava sendo solicitado; Organização; Visto constante como processo avaliativo e acompanhamento do processo ensino-aprendizagem; Aluno: Atividades;construção do conhecimento;participação,conselho de classe na sala em que o aluno pode analisar o andamento do ensino individual e coletivo,opinando democraticamente. Professor:Reflexões,mudanças de estratégias,objetivos almejados Conselho de classe
Critérios Mínimos Necessários para Avaliação por Disciplina. 6º ao 9º ano Quantidade Mínima de Avaliações por disciplina
Português   - Duas avaliações escritas;  - Um trabalho individual ou em dupla; - Nota de participação - Nota de recuperação; - Nota de leitura; Matemática  - Duas avaliações escritas;  - Um trabalho individual ou em  dupla; - Nota de participação - Nota de recuperação;
Ciências,   - Duas avaliações escritas; História,   - Um trabalho individual ou em  Geografia   dupla; - Nota de participação;  - Nota de recuperação. Ensino Religioso ,   - Uma avaliação escrita; Artes, Inglês   - Um trabalho individual ou  em dupla; -  Nota de participação; -  Nota de recuperação .
Educação Física   - Uma avaliação  escrita; - Um trabalho individual  ou em dupla; - Nota de participação; - Nota de desempenho nas aulas;
Classe de Aceleração Os alunos freqüentarão as aulas no turno diurno. As aulas terão duração de 3 (três) horas, sendo a Educação Física  deverá ser realizada antes ou  após o término da aula. Deverão desenvolver atividades  baseadas nos módulos e após avaliações o aluno avançará as etapas previstas e as séries seguintes.
Educação de Jovens e Adultos Nas fases e ensino Frequencial a avaliação ocorre semestralmente e o  aluno necessita obter média  5,0 para a Aprovação. No Ensino Modularizado através de provas dos módulos estudados e a aprovação é mediante a média 8.0.
Conselho de Classe De acordo  com o Regimento Único do Município de Joinville,Art. 124 que cita as atribuições do conselho de classe apontam que é atribuído ao mesmo: “ Emitir parecer sobre assuntos referentes ao processo ensino e aprendizagem, decidindo pela revisão  da nota ou anulação e repetição de testes,provas e trabalhos destinados à avaliação do rendimento escolar”.
“ Serve para avaliar as atividades docentes e discentes possibilitando o replanejamento dos objetivos e dos conteúdos,visando a melhoria do processo de ensino e aprendizagem”. Diante dessas atribuições a Escola Municipal Professora Rosa Maria Berezoski Demarchi,busca discutir:
Conselho Individual com cada Professor: As dificuldades encontradas durante o final de cada bimestre; Propor sugestões para melhorias e alcançar metas; Realiza levantamentos de alunos com notas inferiores a 5,0 para trabalho individualizado realizado pela Orientação Educacional tendo parceria a família que é comunicada para buscar o boletim; Discute-se o índice de notas inferiores com os professores com trabalho de orientação individualizado,estabelecendo metas;
Conselho Coletivo Acontece Bimestralmente e tem como objetivos: Estudo dos objetivos  almejados  pela escola durante o ano letivo; Análise dos gráficos e percentuais adquiridos ao longo do bimestre; Levantamento das causas do baixo rendimento e das situações ocorridas durante o bimestre que possam ter influenciado nesta ocorrência.
Traçar novas metas para solucionar as situações durante o bimestre; Programar reuniões extracurriculares para estudos referentes ao ensino/aprendizagem; Refletir e rever a prática pedagógica e sua eficácia;
Conselho de Classe com os Alunos Realizado pelas Orientadoras Educacionais,tem como objetivo ouvir os alunos e levar até eles o parecer dos professores diante da turma.Este espaço é reservado para levantar o perfil da turma e de seus professores; Recuperação “ ...cabe ao/a professor/a perceber diariamente as dificuldades apresentadas pelos alunos dando especial atenção ao esclarecimento das suas dúvidas.Podendo o professor planejar atividades como trabalho em equipe,grupos por nível de conhecimento para auxiliar os que apresentam maior dificuldade,atendimento individualizado na sala de aula ou contra turno...”(Kohl,1990)
Procedimento para realizar da Recuperação Recuperação paralela do conteúdo  após cada avaliação realizado pelo professor em sala; Aluno Monitor para o auxilio em contra-turno,decidido em Conselho de Classe; Amigo da Escola- Pais e Comunidade envolvidos na aprendizagem; Acompanhamento de notas baixas pela supervisão para auxílio aos professores e notificações aos Pais.
Atividades extra-classe envolvendo os professores e toda a equipe técnico-pedagógico; Reforço Escolar de matemática e Português Professores desta Unidade Escolar e estagiários da Univille, para alunos de 6º ao 9º ano e sala de apoio. Ênfase ao projeto de leitura integrado com Tema História da Africa.
Comunicando os Pais Com a missão de formar cidadãos que sejam participativos na sociedade em que vive,cabe a escola como centro de formação,buscar essa parceria com as famílias,para que tal objetivo seja alcançado.Para que isso ocorra,utilizamos alguns instrumentos: Avisamos os pais sobre o Rendimento Bimestral de seu/sua filho/a;
Comunicado sobre faltas,atrasos,comportamento; Convite para agradecer aos pais pelo esforço do Rendimento Bimestral através da assinatura do Livro Ouro(Estimulo adotado,para os alunos que são destaques.Neste  livro contará a assinatura do aluno  e do pai)
Reuniões para esclarecer dúvidas e apontar metas; Promover Reuniões com horários alternativos a fim de estabelecer um elo entre a escola e a comunidade,como também  notificá-los dos eventos que porventura possam ocorrer durante o período letivo.
Contrato Didático Pedagógico   Segue em anexo o contrato didático pedagógico que será o norteador das ações pedagógicas na Escola,visando o bom andamento de todo processo de ensino e aprendizagem desta Unidade Escolar.
Referências Bibliográficas Parâmetros Curriculares Nacionais –Artes.Brasilia,Mec/Sef,1997 Parâmetros Curriculares Nacionais –Educação Física,Brasilia,MEC/SEF,1997 Parâmetros Curriculares Nacionais –História ,Geografia.Brasilia,MEC/Sef,1997 Parâmetros Curriculares Nacionais –Língua Portuguesa .Brasilia,MEC/SEF,1997 Brasil,Secretaria da Educação Fundamental.Parâmetros Curriculares Nacionais-Introduções.Brasilia,MEC/SEF 1997 Freire,Madalena.Observação,Registro,Reflexões-Instrumento Metodológicos I.Séries Seminários.Artcolor.1997. Oliveira,João B. A. & Chadwick, Clifton. Aprender e Ensinar.São Paulo,Global,2ª edição,2001. Santa Catarina,Proposta Curricular.Secretaria de Educação e Cultura Joinville,2000. Santa Catarina.Regimento Único Escolar.Secretaria de Educação e Cultura.Joinville,Versão Atualizada,2004 Silva,Ezequiel Theodoro Da.O ato de ler.São Paulo,CORTEZ- Autores Associados 6ª ed. 1992
 
Contrato Pedagógico -2009
“  É Preciso insistir que tudo quanto fazemos em aula, por menor que seja, incide em maior ou menor grau na formação de nossos alunos. A maneira de organizar a aula, o tipo de incentivos, as expectativas que depositamos, os materiais que utilizamos, cada uma destas decisões veicula determinadas experiências educativas, e é possível que nem sempre estejam em consonância com o pensamento que temos a respeito do sentido e do papel que hoje em dia tem a educação ” (Proposta Curricular de Santa Catarina)
ALUNO: Ele é a razão do seu trabalho, todo ser humano precisa ser conquistado, respeitado, valorizado, ouvido, motivado, acompanhado, cobrado, exigido...Só assim faremos transformações positivas, sempre utilizando o Dom da paciência, do bom senso e da sinceridade e sabedoria. Lembre-se que a aprendizagem passa primeiramente pela afetividade.
1. DA VERIFICAÇÃO DO RENDIMENTO ESCOLAR A RECUPERAÇÃO PARALELA (LDB Art. 14 inciso V) a) A avaliação contínua e cumulativa do desempenho do aluno, com prevalência dos aspectos qualitativos sobre os quantitativos e dos resultados ao longo do período sobre eventuais provas finais.  b) Obrigatoriedade de estudos de recuperação, de preferência paralelos ao período letivo, para os casos de baixo rendimento escolar, a serem disciplinados pelas instituições em ensino em seus regimentos.
2. SE FAZ NECESSÁRIO UM REGISTRO HISTÓRICO DE ACOMPANHAMENTO ESCOLAR DOS ALUNOS COM MAIORES DIFICULDADES DURANTE O ANO. Conhecimento do aluno;  Acompanhamento diário com observações relevantes; Retomadas e mudanças de estratégias; Pontos positivos e pontos negativos no processo ensino/aprendizagem;  Que se faça os devidos encaminhamentos à orientação e a supervisão.
3. Deverá constar no diário do professor as notas de recuperações paralelas durante o bimestre com clareza no diário. 4. Alternativas   Determinar o dia de recuperação, em que momento em que aula, o conteúdo deve ser reforçado e os alunos trabalhados; Recuperação participativa, individual ou coletiva. No horário oposto o de aula, quando o professor constatar que o aluno precisa de reforço, o professor tiver disponibilidade para fazer recuperação. Esta recuperação se faz necessária, desde que tenha a autorização assinada pelos pais com o dia e horário marcado.
Toda e qualquer recuperação o professor deverá atribuir uma nota de 0 a 10.  Obs: a) Nas recuperações, deverão ser excluídos trabalhos, pesquisas ou qualquer atividade para ser feita em casa com o intuito de aumentar a nota. As atividades deverão ser bem elaboradas, desafiadoras para que o aluno consiga aprender realmente.Toda recuperação deverá ser registrada no Diário de Classe. b) A escola, na medida do possível,proporcionará recuperações extra-turno para os alunos com baixo rendimento escolar através de parcerias, sendo que o professor não deverá ser resistente em encaminhar seus alunos com dificuldades para o reforço, deixando para o final de ano as reclamações que os alunos não querem mais estudar, se você não pode dar a recuperação, dê créditos a outros que se dispõe a fazê-los.
OBSERVAÇÃO IMPORTANTÍSSIMA: A avaliação por si só não tem valor, mas quando empregada no intuito de detectar possíveis falhas no processo de ensino e aprendizagem e com isto corrigi-las, aí sim, de fato a avaliação terá o seu valor.  QUANDO EM SALA DE AULA, EM UMA AVALIAÇÃO, METADE OU MAIS DA METADE DOS ALUNOS TIRAREM NOTAS BAIXAS, O PROFESSOR DEVERÁ REFLETIR SOBRE O SEU PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM, REVENDO AS ESTRATÉGIAS EMPREGADAS, BUSCANDO ALTERNATIVAS PARA TRABALHAR NOVAMENTE O ASSUNTO.
5. CRITÉRIOS QUE DEVERÃO SER ANALIZADOS E SEGUIDOS PARA A APLICAÇÃO DOS INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO.  Identificação da Escola: Escola Municipal Professora Rosa Maria Berezoski Demarchi  Supervisão escolar:  Professor(a):__________________________ Aluno:___________________________nº___ série_______Data:___/___/___ Disciplina:________________________
Estética e legibilidade; Conteúdo, dentro do plano de curso, que tenha sido ministrado e que seja significativo.  Qualidade técnica das questões, clareza no enunciado, seqüência das questões, adequação ao nível da turma, diversidade, valor proporcional da questão.  Que as questões sejam diversificadas (alternativas, completar, associar, relacionar, cruzadinhas, analisar, questões reflexivas, convencionais e não-convencionais).  Obs: A avaliação deve ser bem dosada e não muito carregada de questões, e fazer uma média aritmética para lançar no diário, todas as avaliações (testes, provas) deverão ser vistadas pela supervisão escolar e uma cópia deverá ser arquivada.
IMPORTANTÍSSIMO : Muito cuidado com as notas que seu aluno recebe para não prejudicá-lo e/ou favorecê-lo (sem merecimento) no final de ano, pois conforme o Plano Nacional de Educação o aluno que obtiver média 5,0 (cinco) em todos os bimestres soma 20 pontos anuais poderá ser aprovado por ser média mínima de aprovação com exame. Não deixe para resolver apenas no último bimestre, fique atento desde o 1º bimestre.  Para arredondar média bimestral siga exemplos abaixo:   4,1 - 4,2 = 4,0  4,3 - 4,4 = 4,5  4,6 - 4,7 = 4,5  4,8 - 4,9 = 5,0 Assim sucessivamente
Nas avaliações de Língua Portuguesa e Matemática, mínimo de 3 a 4 notas por bimestre; Nas disciplinas História, Geografia, Ciências, Ensino Religioso, Artes, Inglês e Educação Física, mínimo de 2 a 3 notas por bimestre.  O professor deverá passar bilhete com antecedência, avisando que haverá avaliação e, quais os conteúdos o aluno deverá estudar.
Obs: AGENDA ESCOLAR: A agenda é o veículo de comunicação da Escola com a Família e da Família com a Escola. Nela contém folha de rosto de identificação e um resumo do REGIMENTO ESCOLAR. Todos os bilhetes e comunicados entregues aos alunos deverão estar colados na agenda bem como qualquer comunicado da família (saídas antecipadas, chegadas tardias, justificativas de faltas, etc). Professor é seu dever orientar os alunos para o uso da Agenda bem como cobrar assinaturas nos bilhetes.
O professor é o espelho do aluno, portanto deverá dar exemplo para uma boa ordem; A letra no quadro negro deverá ser legível obedecendo ao traçado correto;  Orientar o aluno quanto: Letra com traçado correto, sinal de pontuação, uso correto do espaço nas linhas do caderno e folha de rosto em todos os cadernos;  Obs: Todos os cadernos deverão ser encapados, ter a folha de rosto com a identificação da escola, professor, aluno, série e disciplina.
O professor deverá organizar estes dados junto com o aluno na sala de aula. Lembrando que organização faz parte da aprendizagem; A correção das atividades deverá ser feita no quadro onde o próprio aluno analisa a resolução da atividade e faz sua correção.  O professor deverá dar visto em todos os cadernos dos alunos e colocar conceitos de estímulos.
6 . DIARIO DE CLASSE O diário de classe é “ o documento oficial ” onde estão registrados os dados da evolução da aprendizagem do aluno. Ele permanece na Escola por 99 (noventa nove) anos, por isso cuide bem dele;  Não deve conter erro de qualquer espécie; Devem ser preenchidos somente a caneta preta. O uso da caneta vermelha é somente para as notas inferiores a 5,0 (cinco).  Registrar nas páginas de atividades os fatos que ocorrerem no cotidiano: dificuldades, chegadas tardias e saídas antecipadas dos alunos (com dia, horário e motivo);
Nas páginas de recuperação paralela é importantíssimo registrar os procedimentos realizados para auxiliar o aluno em suas dificuldades e quais foram os alunos. Todos os registros devem ser datados, bem claros (detalhados) e em ordem;  Todos os diários deverão ser encapados;  A chamada deverá ser feita com “ C ” de comparecimento e “ F ” de falta, e não colocar (pontos). Aguardar a lista de chamada oficial para colocar no Dário;
Somente eliminar (riscar) e/ou acrescentar alunos depois do comunicado dos secretários da Escola. Então torna-se obrigação do professor manter contato com a Secretaria da Escola sempre que necessitar de notas, devido a transferência, e/ou eliminações e acréscimos de alunos, bem como outras dúvidas com relação ao histórico escolar do aluno;
No final de cada bimestre fechar: a) Número de faltas b) Dias Letivos c. Médias  d) Registrar recuperação e) Inutilizar partes que não foram escritos com traços.  f) Datar e assinar;  g) A cada final de bimestre entregar para supervisão para serem vistados.  h) Sempre que solicitado pela equipe pedagógica ou administrativa deverá ser entregue. As notas registradas nos diários e mapões inferior a 5,0, registrar com caneta vermelha e superior a 5 com caneta preta.
  SOMENTE SERÁ TIRADO XÉROX DE AVALIAÇÕES E OUTRAS ATIVIDADES COM AUTORIZAÇÃO DA SUPERVISÃO ESCOLAR.    TODAS AS DOCUMENTAÇÕES ENTREGUE NA SECRETARIA DEVERÃO SER ASSINADAS, SEJA ENTREGA OU RECEBIMENTO.
  AS DOCUMENTAÇÕES, NOTAS, DEVERÃO SER ENTREGUES, RIGOROSAMENTE, NA DATA ESTIPULADA PELA SUPERVISÃO ESCOLAR.   NOTAS BIMESTRAIS DEVERÃO SER ENTREGUES NO DIA 25 DE CADA FINAL DE BIMESTRE. ( 25/04, 25/06, 25/09 E 25/11),  após essa data entregar diretamente à direção da escola,  com justificativa por escrito .
7. POSTURA: Procurar trajar-se adequadamente e de preferência usar guarda-pó;  Seja modelo para seu aluno em todos os aspectos da vida escolar;  Cuidar sempre com os termos usados na sala de aula e principalmente quando um aluno passar dos limites.Pense antes de falar. Só prometa aquilo que realmente pode cumprir, isto é garantia de sua autoridade perante a turma. Procure não perder o controle da situação, desta forma você ganhará créditos perante os alunos e os pais. No caso de agressão verbal ou física, por parte do professor em relação ao aluno, a Direção não poderá interferir em seu favor.
Incentive sempre o progresso na aprendizagem de seus alunos. Evite comentários tais como: “ Você já está reprovado comigo ” , “ Não adianta vir mais na minha aula ” , esta atitude conspira contra você no momento de exercer sua autoridade como “ profissional ” . Lembre-se, poderia ser seu filho que estivesse ouvindo esta frase, então por que não dizer aos alunos que eles tem todas as chances do mundo só depende do esforço deles;
Quando necessitar resolver algum problema com os pais procure alguém do Corpo Administrativo da Escola para acompanhar, evitando assim mal entendidos. Nunca bata boca com seu aluno no coletivo, pois o aluno gosta de desafiar perante os demais.  A preocupação com índice percentual de reprovação deve acontecer a cada bimestre, não deixando somente para o final do ano;  No conselho de Classe entregar as notas no prazo solicitado, observar o mapa de notas, preencher o que for solicitado;
Aluno colocado para fora da sala de aula??? Está é a única solução???Será que há outro meio de resolver a situação???E a sua autoridade perante seus alunos??? Se realmente não há outro jeito não esqueça de chamar a Direção da Escola;  Pequenos atritos, procurem resolvê-los em sala de aula.  Casos mais graves encaminhar para Orientação Escolar.
Casos gravíssimos encaminhar para o auxiliar de Direção e Direção Geral; Os registros de ocorrências ficarão a critério da Orientação Escolar (caderno ou pasta); Seguir rigorosamente as datas pré-estabelecidas pela equipe pedagógica e administrativa
8. CONSELHO DE CLASSE a) O conselho de classe é formado pelos professores, com representação da parte administrativa e pedagógica  (mais interativo) b) Cabe ressaltar que o conselho de classe é soberano. Na ausência de um dos membros no dia do conselho de classe a responsabilidade é dos demais presentes.
c) No último conselho de classe, o aluno que apenas reprovar em uma matéria. O conselho decidirá em uma votação entre todos os participantes do conselho a aprovação ou reprovação do aluno, pois deve-se levar em consideração as habilidades e competência do aluno. (Serão feitos os devidos relatórios por escrito, onde todos os membros do conselho de classe deverão assinar).
d) No conselho do segundo bimestre o professor deverá apresentar uma estimativa de possíveis alunos que poderão ser reprovados, para que se faça um trabalho em parceria supervisão e orientação junto à família.
9. EXAMES a) Os exames finais são de responsabilidade do professor, deixar tudo em ordem para supervisão escolar, com ata, número de cópias para cada aluno e uma gabaritada e outra original para a necessidade de tirar xérox na falta justificada do aluno; b) Caso o aluno falte no exame por qualquer motivo comunicar imediatamente orientação para que as mesmas possam ligar para casa e chamar o aluno para aplicação dos exames.
10. PLANEJAMENTO DO PROFESSOR O planejamento ficará a critério do professor. Poderá ser quinzenal, mensal ou por unidade. a) No planejamento realizado deverá contar: CONTEÚDO, CRONOGRAMA, OBJETIVOS, ESTRATÉGIAS, PROCEDIMENTOS PARA RECUPAERAÇÃO PARALELA, AVALIAÇÕES e REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS (quando estas forem utilizadas);
b) O Planejamento deverá ser apresentado a Supervisão sempre que solicitado;  c) Organize seu tempo e aproveite o máximo, pois somente temos 48 minutos de aula;  d) Se houver necessidade de faltar e souber com antecedência, comunique-nos e deixe o planejamento para aquele dia, pois seu aluno também sentirá a sua falta;
11. INFORMÁTICA Todas as aulas na Sala de Informática deverão ser agendadas antes e o projeto apresentado com antecedência a Supervisão Escolar, através de um formulário com as coordenadoras da sala informatizada.  Quando o aluno for pesquisar na informática em outro turno, o aluno deverá apresentar autorização para as coordenadoras da sala informatizada.  (pegar autorização com as coordenadoras da sala informatizada).
12. BIBLIOTECA A biblioteca é de uso de todas as disciplinas, portanto uma semana será reservado para as aulas de língua portuguesa e a outra semana para as demais disciplinas, com prévio agendamento. Cabe ressaltar que toda semana terá aula de leitura nas aulas de língua portuguesa, uma semana na biblioteca e a outra semana em sala de aula, com caixa de livro que será levado para a sala de aula. Os  bibliotecários em parceria com a Atividades Complementares da escola irão preparar contações de histórias envolvendo nossos alunos e também convidados.
Caberá também aos bibliotecários trabalharem em parceria com as professoras de língua portuguesa com o objetivo de trabalharem gêneros literários. (fora da aula de leitura). Quando o aluno for pesquisar na biblioteca em outro turno, o aluno deverá apresentar autorização para os bibliotecários.  (AUTORIZAÇÃO COM BIBLIOTECÁRIAS).  VÍDEOS E DVDs deverão ser agendados e preenchidos formulário para a supervisão. Formulário com os bibliotecários.
12. EM SALA DE AULA SERÃO ANALISADOS OS INDICADORES O professor apresentou o plano de aula.  (Com seqüência lógica clara e Objetiva). O planejamento está de acordo com plano de curso.  O professor trabalha questões implícitas em suas atividades. (Ler-compreender- interpretar e associar a fatos do cotidiano do aluno).
Percebe-se claramente o objetivo da aula, com informações claras e organizadas.  O professor promove momento de leitura (coletiva, silenciosa ou outras técnicas).  O professor usa linguagem clara e simples para o entendimento do aluno. O professor repete pontos relevantes e essenciais para o aprendizado do aluno .
O professor relaciona os conteúdos da aula as experiências e aos conhecimentos prévios dos alunos.  O professor ilustra sua aula com algum material concreto ou visual.  O professor demonstra entusiasmo e bom humor. O professor vista o caderno de seus alunos.  O professor responde todas as dúvidas dos alunos com paciência.  O professor suscita a participação de todos os alunos.
Em relação à aprendizagem:  a) Trabalhos em grupos, somente deverão ser realizados em sala aproveitando a Biblioteca para pesquisa, salvo as tarefas e atividades individuais. b) Verificar os cadernos, podendo até ser avaliados quanto à organização e outros critérios elencados na Proposta Pedagógica.  c) Organizar os materiais antes de entrar em sala, para que não haja necessidade de sair ou de enviar os alunos para buscarem, só em caso de extrema necessidade. d) Registre todas as ocorrências que acontecerem em sala, pois serão seus materiais mais preciosos em relação à avaliação e desempenho de seu aluno;
Em relação ao aluno: e) Comunicar sempre a Orientação Educacional quando houver algum problema, além do que possa resolver em sala; f) Evite retirar aluno para fora da sala, isso somente prejudicará a relação aluno/professor;  g) Tratar com seriedade as ausências dos alunos, comunicando a falta à orientadora;  h) Siga rápido para fila ou para sala após cada sinal, os/as alunos/as esperam ansiosamente pela sua aula, não os/as deixe muito tempo esperando;  i) Não permita o uso de chicletes, balas ou comer alimentos em sala.
j) Antes de começar sua aula organize a sala, verifique se há papéis no chão, organize as carteiras, pois a falta de organização gera indisciplina.  k) Mantenha a disciplina em todas as suas atividades.  l) Professor/a de Ed. Física – Organize seu tempo para que os alunos não cheguem atrasados à sala ou demorem muito nos banheiros. Acompanhe a turma na volta à sala (sair em fila e voltar em fila). m) Registrar as ocorrências nas pastas dos representantes.
COMBINADOS COM O REGENTE DA SALA Cada regente de sala irá fazer combinados gerais com a turma e será fixado na sala de aula para visualização de todos.
Alguns combinados importantes que não poderão faltar: É dever do aluno:   a) Manter seu material escolar em ordem.  b) Fazer todas as atividades pedidas pelos professores em sala de aula e deveres para casa. c) Respeitar os colegas, professores, funcionários em geral.  d) Usar a agenda escolar para comunicação diária. e) Acompanhar os professores nas saídas de sala seja para a biblioteca, sala informatizada, Educação Física, ou trabalhos foras da sala de aula.
Evitar:  a) Falar palavrões e ofensas preconceituosas.  b) Jogar papéis no chão. c) Mascar chicletes, balas ou comer qualquer alimento durante as aulas.  d) Sair sem a permissão do professor.  e) É extremamente proibido andar pelo pátio durante as aulas de Educação Física ou outras disciplinas.  f) Em hipótese alguma será permitido  agressões verbais ou físicas com os colegas e professores.
Lembre-se: “ O bom andamento do ano letivo depende de cada membro desta Unidade Escolar... Ninguém é mais importante ou menos importante... Temos apenas responsabilidades diferentes... ” .

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

1 power~1
1 power~11 power~1
Boletim Informativo - 002/14
Boletim Informativo - 002/14Boletim Informativo - 002/14
Boletim Informativo - 002/14
Reinaldo Barros
 
Concurso Prefeitura de Corinto em Minas Gerais- 2014
Concurso Prefeitura de Corinto em Minas Gerais- 2014Concurso Prefeitura de Corinto em Minas Gerais- 2014
Concurso Prefeitura de Corinto em Minas Gerais- 2014
Resumo Apostilas
 
Diretrizes curriculares para imprensão
Diretrizes curriculares para imprensãoDiretrizes curriculares para imprensão
Diretrizes curriculares para imprensão
Rosemeri Fazoli Cezarette Lima
 
Concurso da Prefeitura de Cataguases em Minas Gerais - 2014.
Concurso da Prefeitura de Cataguases em Minas Gerais - 2014.Concurso da Prefeitura de Cataguases em Minas Gerais - 2014.
Concurso da Prefeitura de Cataguases em Minas Gerais - 2014.
Resumo Apostilas
 
Ativ port1 descritores l. portuguesa
Ativ port1  descritores l. portuguesaAtiv port1  descritores l. portuguesa
Ativ port1 descritores l. portuguesa
Edileusa Camargo
 
Apresentação do Programa
Apresentação do ProgramaApresentação do Programa
Apresentação do Programa
Vanessa Cestari
 
Lingua portuguesa-3º-ano-com-gabarito
Lingua portuguesa-3º-ano-com-gabaritoLingua portuguesa-3º-ano-com-gabarito
Lingua portuguesa-3º-ano-com-gabarito
Professora Cida
 
Concurso prefeitura de Luz, 2014
Concurso prefeitura de Luz, 2014Concurso prefeitura de Luz, 2014
Concurso prefeitura de Luz, 2014
Resumo Apostilas
 
Educacao no campo_unidade_3_miolo
Educacao no campo_unidade_3_mioloEducacao no campo_unidade_3_miolo
Educacao no campo_unidade_3_miolo
Fabiana Barbom Mendes
 
Concurso Público da prefeitura Municipal de Navegantes - SC 2014
Concurso Público da prefeitura Municipal de Navegantes - SC 2014Concurso Público da prefeitura Municipal de Navegantes - SC 2014
Concurso Público da prefeitura Municipal de Navegantes - SC 2014
Resumo Apostilas
 
Universidade estadual vale do acaraú.docx paic
Universidade estadual vale do acaraú.docx paicUniversidade estadual vale do acaraú.docx paic
Universidade estadual vale do acaraú.docx paic
Adilio Amorim Martins
 
PDDE TRANSPARENTE: COMPARTILHANDO BENEFÍCIOS E RESPONSABILIDADES - Prof. Noe...
PDDE TRANSPARENTE: COMPARTILHANDO BENEFÍCIOS  E RESPONSABILIDADES - Prof. Noe...PDDE TRANSPARENTE: COMPARTILHANDO BENEFÍCIOS  E RESPONSABILIDADES - Prof. Noe...
PDDE TRANSPARENTE: COMPARTILHANDO BENEFÍCIOS E RESPONSABILIDADES - Prof. Noe...
Prof. Noe Assunção
 
3bim 9ano - linguaportuguesa- 07janeiro2014 - professor
3bim   9ano - linguaportuguesa- 07janeiro2014 - professor3bim   9ano - linguaportuguesa- 07janeiro2014 - professor
3bim 9ano - linguaportuguesa- 07janeiro2014 - professor
marilene lúcia rosa
 
Apresentação Saberes da Terra
Apresentação Saberes da TerraApresentação Saberes da Terra
Apresentação Saberes da Terra
Adilson P Motta Motta
 
Slides educação integral 2011
Slides educação integral 2011Slides educação integral 2011
Slides educação integral 2011
Cristiane Dos Santos
 
Apresentação pesquisa qualitativa secad
Apresentação pesquisa qualitativa secadApresentação pesquisa qualitativa secad
Apresentação pesquisa qualitativa secad
Maicon Alentejo
 
concuso prefeitura de João Pinheiro 2014
concuso prefeitura de João Pinheiro 2014concuso prefeitura de João Pinheiro 2014
concuso prefeitura de João Pinheiro 2014
Resumo Apostilas
 
Relatório mais educação – 2013 2014
Relatório mais educação – 2013 2014Relatório mais educação – 2013 2014
Relatório mais educação – 2013 2014
Marlete Della Méa Pesamosca
 
2º encontro pnaic vânia 2015
2º encontro pnaic  vânia 20152º encontro pnaic  vânia 2015
2º encontro pnaic vânia 2015
Wanya Castro
 

Mais procurados (20)

1 power~1
1 power~11 power~1
1 power~1
 
Boletim Informativo - 002/14
Boletim Informativo - 002/14Boletim Informativo - 002/14
Boletim Informativo - 002/14
 
Concurso Prefeitura de Corinto em Minas Gerais- 2014
Concurso Prefeitura de Corinto em Minas Gerais- 2014Concurso Prefeitura de Corinto em Minas Gerais- 2014
Concurso Prefeitura de Corinto em Minas Gerais- 2014
 
Diretrizes curriculares para imprensão
Diretrizes curriculares para imprensãoDiretrizes curriculares para imprensão
Diretrizes curriculares para imprensão
 
Concurso da Prefeitura de Cataguases em Minas Gerais - 2014.
Concurso da Prefeitura de Cataguases em Minas Gerais - 2014.Concurso da Prefeitura de Cataguases em Minas Gerais - 2014.
Concurso da Prefeitura de Cataguases em Minas Gerais - 2014.
 
Ativ port1 descritores l. portuguesa
Ativ port1  descritores l. portuguesaAtiv port1  descritores l. portuguesa
Ativ port1 descritores l. portuguesa
 
Apresentação do Programa
Apresentação do ProgramaApresentação do Programa
Apresentação do Programa
 
Lingua portuguesa-3º-ano-com-gabarito
Lingua portuguesa-3º-ano-com-gabaritoLingua portuguesa-3º-ano-com-gabarito
Lingua portuguesa-3º-ano-com-gabarito
 
Concurso prefeitura de Luz, 2014
Concurso prefeitura de Luz, 2014Concurso prefeitura de Luz, 2014
Concurso prefeitura de Luz, 2014
 
Educacao no campo_unidade_3_miolo
Educacao no campo_unidade_3_mioloEducacao no campo_unidade_3_miolo
Educacao no campo_unidade_3_miolo
 
Concurso Público da prefeitura Municipal de Navegantes - SC 2014
Concurso Público da prefeitura Municipal de Navegantes - SC 2014Concurso Público da prefeitura Municipal de Navegantes - SC 2014
Concurso Público da prefeitura Municipal de Navegantes - SC 2014
 
Universidade estadual vale do acaraú.docx paic
Universidade estadual vale do acaraú.docx paicUniversidade estadual vale do acaraú.docx paic
Universidade estadual vale do acaraú.docx paic
 
PDDE TRANSPARENTE: COMPARTILHANDO BENEFÍCIOS E RESPONSABILIDADES - Prof. Noe...
PDDE TRANSPARENTE: COMPARTILHANDO BENEFÍCIOS  E RESPONSABILIDADES - Prof. Noe...PDDE TRANSPARENTE: COMPARTILHANDO BENEFÍCIOS  E RESPONSABILIDADES - Prof. Noe...
PDDE TRANSPARENTE: COMPARTILHANDO BENEFÍCIOS E RESPONSABILIDADES - Prof. Noe...
 
3bim 9ano - linguaportuguesa- 07janeiro2014 - professor
3bim   9ano - linguaportuguesa- 07janeiro2014 - professor3bim   9ano - linguaportuguesa- 07janeiro2014 - professor
3bim 9ano - linguaportuguesa- 07janeiro2014 - professor
 
Apresentação Saberes da Terra
Apresentação Saberes da TerraApresentação Saberes da Terra
Apresentação Saberes da Terra
 
Slides educação integral 2011
Slides educação integral 2011Slides educação integral 2011
Slides educação integral 2011
 
Apresentação pesquisa qualitativa secad
Apresentação pesquisa qualitativa secadApresentação pesquisa qualitativa secad
Apresentação pesquisa qualitativa secad
 
concuso prefeitura de João Pinheiro 2014
concuso prefeitura de João Pinheiro 2014concuso prefeitura de João Pinheiro 2014
concuso prefeitura de João Pinheiro 2014
 
Relatório mais educação – 2013 2014
Relatório mais educação – 2013 2014Relatório mais educação – 2013 2014
Relatório mais educação – 2013 2014
 
2º encontro pnaic vânia 2015
2º encontro pnaic  vânia 20152º encontro pnaic  vânia 2015
2º encontro pnaic vânia 2015
 

Destaque

Contrato DidáTico
Contrato DidáTicoContrato DidáTico
Contrato DidáTico
edmartino
 
Contrato pedagógico
Contrato pedagógicoContrato pedagógico
Educação em frases
Educação em frasesEducação em frases
Educação em frases
ronawdy
 
O contrato didático que rege as situações de
O contrato didático que rege as situações deO contrato didático que rege as situações de
O contrato didático que rege as situações de
formacaodecoordenadores
 
Contrato DidáTico
Contrato DidáTicoContrato DidáTico
Contrato DidáTico
joana.servilio
 
Contrato didático pedagógico
Contrato didático pedagógicoContrato didático pedagógico
Contrato didático pedagógico
alexandreschulz
 
Código de ética do profissional de Biblioteconomia
Código de ética do profissional de BiblioteconomiaCódigo de ética do profissional de Biblioteconomia
Código de ética do profissional de Biblioteconomia
Sérgio Amaral
 
Código de ética bibliotecário
Código de ética bibliotecárioCódigo de ética bibliotecário
Código de ética bibliotecário
Wellington Correia de Oliveira
 
Gestão de conteúdos no entorno digital
Gestão de conteúdos no entorno digitalGestão de conteúdos no entorno digital
Gestão de conteúdos no entorno digital
Conselho Regional de Biblioteconomia 8ª Região
 
Biblioteconomia
BiblioteconomiaBiblioteconomia
Biblioteconomia
080236019
 
Legislacion contratos del aula
Legislacion contratos del aulaLegislacion contratos del aula
Legislacion contratos del aula
1237894561673
 
Contrato didático
Contrato didáticoContrato didático
Contrato didático
weleslima
 
Aula 1 Matemática III IFRS - Campus Rio Grande
Aula 1 Matemática III IFRS - Campus Rio GrandeAula 1 Matemática III IFRS - Campus Rio Grande
Aula 1 Matemática III IFRS - Campus Rio Grande
Débora Bastos
 
Aula 1 introdução à engenharia de software1 (1)
Aula 1   introdução à engenharia de software1 (1)Aula 1   introdução à engenharia de software1 (1)
Aula 1 introdução à engenharia de software1 (1)
Tiago Vizoto
 
Contrato Pedagogico
Contrato PedagogicoContrato Pedagogico
Contrato Pedagogico
André Ursulino
 
Campos de atuação do bibliotecário
Campos de atuação do bibliotecárioCampos de atuação do bibliotecário
Campos de atuação do bibliotecário
Gustavo Henn
 
Contrato didatico
Contrato didaticoContrato didatico
Contrato didatico
Edna Barba
 
A formação do bibliotecário
A formação do bibliotecárioA formação do bibliotecário
A formação do bibliotecário
Monitor Científico FaBCI
 
Alfabetização e letramento repensando a prática de ensino da língua
Alfabetização e letramento repensando a prática de ensino da línguaAlfabetização e letramento repensando a prática de ensino da língua
Alfabetização e letramento repensando a prática de ensino da língua
Graça Barros
 
Observação de aulas em parceria - uma experiência de formação
Observação de aulas em parceria - uma experiência de formação Observação de aulas em parceria - uma experiência de formação
Observação de aulas em parceria - uma experiência de formação
Alexandra Carneiro
 

Destaque (20)

Contrato DidáTico
Contrato DidáTicoContrato DidáTico
Contrato DidáTico
 
Contrato pedagógico
Contrato pedagógicoContrato pedagógico
Contrato pedagógico
 
Educação em frases
Educação em frasesEducação em frases
Educação em frases
 
O contrato didático que rege as situações de
O contrato didático que rege as situações deO contrato didático que rege as situações de
O contrato didático que rege as situações de
 
Contrato DidáTico
Contrato DidáTicoContrato DidáTico
Contrato DidáTico
 
Contrato didático pedagógico
Contrato didático pedagógicoContrato didático pedagógico
Contrato didático pedagógico
 
Código de ética do profissional de Biblioteconomia
Código de ética do profissional de BiblioteconomiaCódigo de ética do profissional de Biblioteconomia
Código de ética do profissional de Biblioteconomia
 
Código de ética bibliotecário
Código de ética bibliotecárioCódigo de ética bibliotecário
Código de ética bibliotecário
 
Gestão de conteúdos no entorno digital
Gestão de conteúdos no entorno digitalGestão de conteúdos no entorno digital
Gestão de conteúdos no entorno digital
 
Biblioteconomia
BiblioteconomiaBiblioteconomia
Biblioteconomia
 
Legislacion contratos del aula
Legislacion contratos del aulaLegislacion contratos del aula
Legislacion contratos del aula
 
Contrato didático
Contrato didáticoContrato didático
Contrato didático
 
Aula 1 Matemática III IFRS - Campus Rio Grande
Aula 1 Matemática III IFRS - Campus Rio GrandeAula 1 Matemática III IFRS - Campus Rio Grande
Aula 1 Matemática III IFRS - Campus Rio Grande
 
Aula 1 introdução à engenharia de software1 (1)
Aula 1   introdução à engenharia de software1 (1)Aula 1   introdução à engenharia de software1 (1)
Aula 1 introdução à engenharia de software1 (1)
 
Contrato Pedagogico
Contrato PedagogicoContrato Pedagogico
Contrato Pedagogico
 
Campos de atuação do bibliotecário
Campos de atuação do bibliotecárioCampos de atuação do bibliotecário
Campos de atuação do bibliotecário
 
Contrato didatico
Contrato didaticoContrato didatico
Contrato didatico
 
A formação do bibliotecário
A formação do bibliotecárioA formação do bibliotecário
A formação do bibliotecário
 
Alfabetização e letramento repensando a prática de ensino da língua
Alfabetização e letramento repensando a prática de ensino da línguaAlfabetização e letramento repensando a prática de ensino da língua
Alfabetização e letramento repensando a prática de ensino da língua
 
Observação de aulas em parceria - uma experiência de formação
Observação de aulas em parceria - uma experiência de formação Observação de aulas em parceria - uma experiência de formação
Observação de aulas em parceria - uma experiência de formação
 

Semelhante a Proposta+pedagógica111

PPP - e.e. Adolfo
PPP - e.e. AdolfoPPP - e.e. Adolfo
PPP - e.e. Adolfo
heder oliveira silva
 
Metodologia de ensino Colegio Nossa senhora de Osasco
Metodologia de ensino Colegio Nossa senhora de OsascoMetodologia de ensino Colegio Nossa senhora de Osasco
Metodologia de ensino Colegio Nossa senhora de Osasco
lourivalcaburite
 
Venina palma
Venina palmaVenina palma
Venina palma
pibidbio
 
Heterogeneidade nos anos iniciais
Heterogeneidade nos anos iniciaisHeterogeneidade nos anos iniciais
Heterogeneidade nos anos iniciais
renatalguterres
 
PTE_Apresentacao_final_para_ler_o_mundo.pdf
PTE_Apresentacao_final_para_ler_o_mundo.pdfPTE_Apresentacao_final_para_ler_o_mundo.pdf
PTE_Apresentacao_final_para_ler_o_mundo.pdf
danielle50811770
 
Teofanis eja
Teofanis ejaTeofanis eja
Teofanis eja
Sara Cristina
 
Heterogeneidade nos anos iniciais
Heterogeneidade nos anos iniciaisHeterogeneidade nos anos iniciais
Heterogeneidade nos anos iniciais
Rosinara Azeredo
 
Plano de acao_escola_mundo_de_alice
Plano de acao_escola_mundo_de_alicePlano de acao_escola_mundo_de_alice
Plano de acao_escola_mundo_de_alice
Jesica Hencke
 
Plano de acao_escola_mundo_de_alice
Plano de acao_escola_mundo_de_alicePlano de acao_escola_mundo_de_alice
Plano de acao_escola_mundo_de_alice
Jesica Hencke
 
Documento concepcao e-proposta-metodologica final (1)
Documento concepcao e-proposta-metodologica final (1)Documento concepcao e-proposta-metodologica final (1)
Documento concepcao e-proposta-metodologica final (1)
Gelson Rocha
 
Concepção e proposta metodológica da EJA
Concepção e proposta metodológica da EJAConcepção e proposta metodológica da EJA
Concepção e proposta metodológica da EJA
Jeca Tatu
 
Aulas Projeto de Vida 6º ao 9º ano EF 1º bimestre.pdf
Aulas Projeto de Vida  6º ao 9º ano EF 1º bimestre.pdfAulas Projeto de Vida  6º ao 9º ano EF 1º bimestre.pdf
Aulas Projeto de Vida 6º ao 9º ano EF 1º bimestre.pdf
DirceGrein
 
Modelo proposta pedagógica
Modelo proposta pedagógicaModelo proposta pedagógica
Modelo proposta pedagógica
tatyathaydes
 
E.m. jornalista alberto torres tra final
E.m. jornalista alberto torres tra finalE.m. jornalista alberto torres tra final
E.m. jornalista alberto torres tra final
Ester Resende
 
plano-de-acao-escolas-pei-oficial.pdf
plano-de-acao-escolas-pei-oficial.pdfplano-de-acao-escolas-pei-oficial.pdf
plano-de-acao-escolas-pei-oficial.pdf
EduardoAparecidoAmbr
 
Projetos educativo e curricular do agrupamento 2011 13
Projetos educativo e curricular do agrupamento 2011 13Projetos educativo e curricular do agrupamento 2011 13
Projetos educativo e curricular do agrupamento 2011 13
ANA GRALHEIRO
 
Projetos educativo e curricular do agrupamento 2011 13
Projetos educativo e curricular do agrupamento 2011 13Projetos educativo e curricular do agrupamento 2011 13
Projetos educativo e curricular do agrupamento 2011 13
AMG Sobrenome
 
Projeto Político Pedagógico Escola Ney Braga 2014
Projeto Político Pedagógico Escola Ney Braga 2014Projeto Político Pedagógico Escola Ney Braga 2014
Projeto Político Pedagógico Escola Ney Braga 2014
Adilson P Motta Motta
 
Projecto educativo e curricular em consulta para aprovação
Projecto educativo e curricular   em consulta para aprovaçãoProjecto educativo e curricular   em consulta para aprovação
Projecto educativo e curricular em consulta para aprovação
ANA GRALHEIRO
 
Projetos educativo e curricular do agrupamento 2011 13
Projetos educativo e curricular do agrupamento 2011 13Projetos educativo e curricular do agrupamento 2011 13
Projetos educativo e curricular do agrupamento 2011 13
ANA GRALHEIRO
 

Semelhante a Proposta+pedagógica111 (20)

PPP - e.e. Adolfo
PPP - e.e. AdolfoPPP - e.e. Adolfo
PPP - e.e. Adolfo
 
Metodologia de ensino Colegio Nossa senhora de Osasco
Metodologia de ensino Colegio Nossa senhora de OsascoMetodologia de ensino Colegio Nossa senhora de Osasco
Metodologia de ensino Colegio Nossa senhora de Osasco
 
Venina palma
Venina palmaVenina palma
Venina palma
 
Heterogeneidade nos anos iniciais
Heterogeneidade nos anos iniciaisHeterogeneidade nos anos iniciais
Heterogeneidade nos anos iniciais
 
PTE_Apresentacao_final_para_ler_o_mundo.pdf
PTE_Apresentacao_final_para_ler_o_mundo.pdfPTE_Apresentacao_final_para_ler_o_mundo.pdf
PTE_Apresentacao_final_para_ler_o_mundo.pdf
 
Teofanis eja
Teofanis ejaTeofanis eja
Teofanis eja
 
Heterogeneidade nos anos iniciais
Heterogeneidade nos anos iniciaisHeterogeneidade nos anos iniciais
Heterogeneidade nos anos iniciais
 
Plano de acao_escola_mundo_de_alice
Plano de acao_escola_mundo_de_alicePlano de acao_escola_mundo_de_alice
Plano de acao_escola_mundo_de_alice
 
Plano de acao_escola_mundo_de_alice
Plano de acao_escola_mundo_de_alicePlano de acao_escola_mundo_de_alice
Plano de acao_escola_mundo_de_alice
 
Documento concepcao e-proposta-metodologica final (1)
Documento concepcao e-proposta-metodologica final (1)Documento concepcao e-proposta-metodologica final (1)
Documento concepcao e-proposta-metodologica final (1)
 
Concepção e proposta metodológica da EJA
Concepção e proposta metodológica da EJAConcepção e proposta metodológica da EJA
Concepção e proposta metodológica da EJA
 
Aulas Projeto de Vida 6º ao 9º ano EF 1º bimestre.pdf
Aulas Projeto de Vida  6º ao 9º ano EF 1º bimestre.pdfAulas Projeto de Vida  6º ao 9º ano EF 1º bimestre.pdf
Aulas Projeto de Vida 6º ao 9º ano EF 1º bimestre.pdf
 
Modelo proposta pedagógica
Modelo proposta pedagógicaModelo proposta pedagógica
Modelo proposta pedagógica
 
E.m. jornalista alberto torres tra final
E.m. jornalista alberto torres tra finalE.m. jornalista alberto torres tra final
E.m. jornalista alberto torres tra final
 
plano-de-acao-escolas-pei-oficial.pdf
plano-de-acao-escolas-pei-oficial.pdfplano-de-acao-escolas-pei-oficial.pdf
plano-de-acao-escolas-pei-oficial.pdf
 
Projetos educativo e curricular do agrupamento 2011 13
Projetos educativo e curricular do agrupamento 2011 13Projetos educativo e curricular do agrupamento 2011 13
Projetos educativo e curricular do agrupamento 2011 13
 
Projetos educativo e curricular do agrupamento 2011 13
Projetos educativo e curricular do agrupamento 2011 13Projetos educativo e curricular do agrupamento 2011 13
Projetos educativo e curricular do agrupamento 2011 13
 
Projeto Político Pedagógico Escola Ney Braga 2014
Projeto Político Pedagógico Escola Ney Braga 2014Projeto Político Pedagógico Escola Ney Braga 2014
Projeto Político Pedagógico Escola Ney Braga 2014
 
Projecto educativo e curricular em consulta para aprovação
Projecto educativo e curricular   em consulta para aprovaçãoProjecto educativo e curricular   em consulta para aprovação
Projecto educativo e curricular em consulta para aprovação
 
Projetos educativo e curricular do agrupamento 2011 13
Projetos educativo e curricular do agrupamento 2011 13Projetos educativo e curricular do agrupamento 2011 13
Projetos educativo e curricular do agrupamento 2011 13
 

Mais de Eliete

Quiz eliete frança da luz
Quiz eliete frança da luzQuiz eliete frança da luz
Quiz eliete frança da luz
Eliete
 
Ana julia,vanessa,stefani e felipe s.
Ana julia,vanessa,stefani e felipe s.Ana julia,vanessa,stefani e felipe s.
Ana julia,vanessa,stefani e felipe s.
Eliete
 
Apresentação Atividades Proler
Apresentação Atividades ProlerApresentação Atividades Proler
Apresentação Atividades Proler
Eliete
 
Halloween Historia - em Português
Halloween  Historia - em PortuguêsHalloween  Historia - em Português
Halloween Historia - em Português
Eliete
 
Halloween Historia - em Portugues
Halloween Historia - em PortuguesHalloween Historia - em Portugues
Halloween Historia - em Portugues
Eliete
 
1ª Reunião Projeto Fazendo a Diferença Revitalização da Área de Lazer
1ª Reunião Projeto Fazendo a Diferença Revitalização da Área de Lazer1ª Reunião Projeto Fazendo a Diferença Revitalização da Área de Lazer
1ª Reunião Projeto Fazendo a Diferença Revitalização da Área de Lazer
Eliete
 
1ª REunião - Divulgação do Projeto "Fazendo a Diferença Revitalização da Área...
1ª REunião - Divulgação do Projeto "Fazendo a Diferença Revitalização da Área...1ª REunião - Divulgação do Projeto "Fazendo a Diferença Revitalização da Área...
1ª REunião - Divulgação do Projeto "Fazendo a Diferença Revitalização da Área...
Eliete
 
Aula Texto Publicitário
Aula Texto Publicitário Aula Texto Publicitário
Aula Texto Publicitário
Eliete
 
Tema: - Capitalismo Profª Patricia
Tema: - Capitalismo Profª PatriciaTema: - Capitalismo Profª Patricia
Tema: - Capitalismo Profª Patricia
Eliete
 
Amizade sem fronteira
Amizade sem fronteiraAmizade sem fronteira
Amizade sem fronteira
Eliete
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
Eliete
 
Heloiza e douglas getúlio vargas
Heloiza e douglas getúlio vargasHeloiza e douglas getúlio vargas
Heloiza e douglas getúlio vargas
Eliete
 
Kauane e alaine
Kauane e alaineKauane e alaine
Kauane e alaine
Eliete
 
9°ano a nadine,aline,glaukiane
9°ano a nadine,aline,glaukiane9°ano a nadine,aline,glaukiane
9°ano a nadine,aline,glaukiane
Eliete
 
9ªano a jaqueline pereira,daniela campos e dayane publitz
9ªano a jaqueline pereira,daniela campos e dayane publitz9ªano a jaqueline pereira,daniela campos e dayane publitz
9ªano a jaqueline pereira,daniela campos e dayane publitz
Eliete
 
Marcia africa
Marcia africaMarcia africa
Marcia africa
Eliete
 
Marcia africa
Marcia africaMarcia africa
Marcia africa
Eliete
 
Ásia Central
Ásia CentralÁsia Central
Ásia Central
Eliete
 
Ásia Central
Ásia CentralÁsia Central
Ásia Central
Eliete
 
Scheila
ScheilaScheila
Scheila
Eliete
 

Mais de Eliete (20)

Quiz eliete frança da luz
Quiz eliete frança da luzQuiz eliete frança da luz
Quiz eliete frança da luz
 
Ana julia,vanessa,stefani e felipe s.
Ana julia,vanessa,stefani e felipe s.Ana julia,vanessa,stefani e felipe s.
Ana julia,vanessa,stefani e felipe s.
 
Apresentação Atividades Proler
Apresentação Atividades ProlerApresentação Atividades Proler
Apresentação Atividades Proler
 
Halloween Historia - em Português
Halloween  Historia - em PortuguêsHalloween  Historia - em Português
Halloween Historia - em Português
 
Halloween Historia - em Portugues
Halloween Historia - em PortuguesHalloween Historia - em Portugues
Halloween Historia - em Portugues
 
1ª Reunião Projeto Fazendo a Diferença Revitalização da Área de Lazer
1ª Reunião Projeto Fazendo a Diferença Revitalização da Área de Lazer1ª Reunião Projeto Fazendo a Diferença Revitalização da Área de Lazer
1ª Reunião Projeto Fazendo a Diferença Revitalização da Área de Lazer
 
1ª REunião - Divulgação do Projeto "Fazendo a Diferença Revitalização da Área...
1ª REunião - Divulgação do Projeto "Fazendo a Diferença Revitalização da Área...1ª REunião - Divulgação do Projeto "Fazendo a Diferença Revitalização da Área...
1ª REunião - Divulgação do Projeto "Fazendo a Diferença Revitalização da Área...
 
Aula Texto Publicitário
Aula Texto Publicitário Aula Texto Publicitário
Aula Texto Publicitário
 
Tema: - Capitalismo Profª Patricia
Tema: - Capitalismo Profª PatriciaTema: - Capitalismo Profª Patricia
Tema: - Capitalismo Profª Patricia
 
Amizade sem fronteira
Amizade sem fronteiraAmizade sem fronteira
Amizade sem fronteira
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
Heloiza e douglas getúlio vargas
Heloiza e douglas getúlio vargasHeloiza e douglas getúlio vargas
Heloiza e douglas getúlio vargas
 
Kauane e alaine
Kauane e alaineKauane e alaine
Kauane e alaine
 
9°ano a nadine,aline,glaukiane
9°ano a nadine,aline,glaukiane9°ano a nadine,aline,glaukiane
9°ano a nadine,aline,glaukiane
 
9ªano a jaqueline pereira,daniela campos e dayane publitz
9ªano a jaqueline pereira,daniela campos e dayane publitz9ªano a jaqueline pereira,daniela campos e dayane publitz
9ªano a jaqueline pereira,daniela campos e dayane publitz
 
Marcia africa
Marcia africaMarcia africa
Marcia africa
 
Marcia africa
Marcia africaMarcia africa
Marcia africa
 
Ásia Central
Ásia CentralÁsia Central
Ásia Central
 
Ásia Central
Ásia CentralÁsia Central
Ásia Central
 
Scheila
ScheilaScheila
Scheila
 

Último

APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
Marcelo Botura
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdfSistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Falcão Brasil
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
Manuais Formação
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
ProfessoraSilmaraArg
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Miguel Delamontagne
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Falcão Brasil
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
ArapiracaNoticiasFat
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdfSistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 

Proposta+pedagógica111

  • 1.  
  • 2. Diretor: Daniel Húpalo Auxiliar de Direção: Supervisoras: Luciana Xavier de Souza Orientadoras: Aurora A. Zimmermann Atividades Complementares: Bibliotecário: Rogério Francisco Fiedler Sala Informatizada: Eliete França da Luz
  • 3. Introdução A Escola está situada no bairro Jardim Paraíso. Bairro este que possuem muitas diferenças sociais,formado por inúmeros moradores que vem de outros bairros,outros municípios ou estados, mas que constantemente mudam-se e após algum tempo retornam.
  • 4. Frente a realidade que a cerca ,vêm por sua vez,oportunizar aos educandos um ambiente que seja agradável e de imensuráveis desafios a fim de fornecer uma maneira de transformar o seu cotidiano em novos horizontes. Para que essa prática se consolide é de suma importância :
  • 5. Desenvolver o senso de responsabilidade e o despertar de uma visão crítica frente aos novos e presentes desafios; Torna-se democrática abrindo espaços para momentos de refletir sobre a ação e a prática visando uma aprendizagem significativa;
  • 6. Trabalhar de forma dinâmica sensibilizando e despertando o educando para os valores que regem os relacionamentos intra e interpessoais. Resgatar a ética,aplicando-a no cotidiano em que o respeito,as diferenças,possibilite incutir a responsabilidade,respeito mutuo e de autodisciplina.
  • 7. Sensibilizar a prática pedagógica para os estilos e preferências de aprendizagem dos alunos a fim de receber e processar informações. Efetuar a sondagem do conhecimento dos alunos ,em cada série e em todas as disciplinas,no início do ano letivo,averiguando se possuem base de conhecimento para o avanço na aprendizagem.
  • 8. Promover através do programa de regularização de fluxo escolar,a implantação das classes de aceleração para alunos de 5ª a 8ª série. Assegurar a escolaridade para todas as idades,proporcionando novas oportunidades de educação para a vida e para o mundo de trabalho através do Ensino de Jovens e Adultos(EJA).
  • 9. Garantir o Projeto de leitura que oportunize ao aluno uma reflexão de sua vivência diária,contemplando todos os gêneros literários integrado ao projeto Caráter Conta. Sensibilizar a comunidade escolar para o trabalho continuo de preservação do meio ambiente para uma melhor qualidade de vida.
  • 10. Manter e aprimorar o Contrato Didático Pedagógico para uma melhor organização no processo de ensino e aprendizagem. Integrar a Educação Ambiental ao currículo da escola,oferecendo aos docentes experiências e instrumentos para uma prática interdisciplinar na Educação Ambiental.
  • 11. Promover a Integração dos alunos na faixa etária,a participação e certificação dos alunos no curso Oficina do Conhecimento,que visa dar oportunidades aos alunos com o apoio de Empresas parceiras,serem encaminhadas para o SENAI .
  • 13. Diante do comprometimento desta escola em trabalhar numa linha sócio-interacionista com uma educação democrática e transformadora em que o aluno é visto como ser histórico e social,responsável pela construção de sua própria identidade,esta sente como função promover e proporcionar atividades que levem o educando a desenvolver seu senso critico e participativo.
  • 14. Pensando neste sentido,é de suma importância que a escola tenha profissionais em contínua capacitação, abertos a diálogos e ao estudo de novas concepções teóricas,a fim de estabelecer essa relação entre o que esperamos ser e onde almejamos chegar. Para que essa relação aconteça com maior êxito,a escola oferece as seguintes atividades:
  • 15. Aulas de Reforço de Matemática, Português e demais disciplinas aos sábados com acadêmicos da Univille – Ação Educacional. Projeto de leitura integrado com o projeto Classe de Aceleração de Aprendizagem Projeto de Parceria de Curso Profissionalizante.
  • 16. Projeto Amigo da Escola Kung Fu. PETI-Programa De Erradicação do Trabalho Infantil (Governo Federal) NAPE- Núcleo de Apoio Pedagógico. CERJ – Centro de Educação e Recreação Juvenil. Parceria com a Clínica de Terapia Ocupacional - Terapeuta Educacional: Sônia Regina Gheller Guill.
  • 17. Missão “ Formar cidadãos, para que desenvolvam valores morais, sociais e educacionais integrados ao meio e à sociedade e que, diante das circunstâncias participem democraticamente, comprometendo-se com as mudanças ocorridas ao longo do tempo, respeitando as diferenças sociais e individuais” .
  • 18. Visão “ Ser um centro Educacional de qualidade formando alunos críticos, autônomos e participativos em uma sociedade baseada nos princípios éticos e morais desenvolvendo senso de justiça, fraternidade, respeito, profissionalismo e amor”.
  • 19. Organização Curricular Ensino Fundamental: Funcionando de 6º ano ao 9º ano nos turnos matutino e vespertino, cujo atendimento está voltando aos educandos de 10 aos 14 anos almejando um ambiente favorável que os leve buscar o aprimoramento de suas habilidades, a aquisição de novas informações formulando novos conhecimentos.
  • 20. Educação de Jovens e Adultos - Organização através de: Fases de 1ºao 5º ano:Tem por finalidade resgatar os alunos que por alguma eventualidade não teve a oportunidade de poder através da aprendizagem aprimorar seus conhecimentos.Realizada com muito dinamismo,busca despertar,através de trabalhos apoiados com a auto estima,o gosto por estudar e assim poder ofertar uma nova possibilidade de ler o mundo que o cerca.
  • 21. Ensino Freqüêncial : Funciona no noturno para educandos de 6º ao 9º ano semestralmente,tendo como clientela pessoas que possuem 15 anos em diante que sentem a necessidade ou que desejam ampliar o conhecimento adquirindo ao longo do tempo. Oportuniza a facilidade de em pouco tempo o educando poder alcançar seus objetivos.
  • 22. Ensino Modularizado Realizado através de módulos para alunos do 6º ano ao 9º ano que leva os Jovens e Adultos a regularizar seus estudos com o comprometimento do mesmo com a finalidade de construir o seu conhecimento através de informações adquiridas na troca de informações com os professores .
  • 23. Enturmação Baseando-se na heterogeneidade das classes é realizada através da averiguação do conhecimento adquirido ao longo da vida escolar, respeitando os diferentes níveis de aprendizagem retidos pelo mesmo durante o processo ensino/aprendizagem (realizado pelos professores).
  • 24. Alunos Novos Vindos de transferências para as escolas municipais: primeiramente é avaliado o aluno em seu nível de conhecimento/aprendizado independente do certificado de escolaridade; se necessário encaminhá-lo a reforço escolar,com o comprometimento dos pais.
  • 25. Este diagnóstico é entregue ao professor da serie que o mesmo cursa, para que saiba em que instância de aprendizagem se encontra o aluno; Se necessário e comprovado for através do diagnóstico, o aluno será encaminhado de acordo com o que apresenta a um dos programas de apoio ao educando oferecidos pela SEC:
  • 26. NAPE- voltada para alunos de 5ª a 8ª série do Ensino Fundamental; Classe de Aceleração para alunos com defasagem de idade série em 2008. NAIPE,Centrinho CERJ
  • 27. Disciplinas e Objetivos a serem alcançados ao final do Ensino Fundamental
  • 28. Ser capaz de observar, refletir,criar e recriar o mundo, interagindo positivamente na sociedade, tornando-se um cidadão capaz de transformar o seu próprio contexto de vida. Língua Portuguesa :
  • 29. Matemática : Desenvolver a capacidade de resolver problemas,tomar decisões,criticar e avaliar soluções,raciocinar segundo uma determinada lógica a fim de aperfeiçoar seu conhecimento .
  • 30. Entender e compreender os fenômenos sociais,econômicos,políticos,culturais e ambientais relacionando ao conhecimento geográfico e espacial,sendo capaz de estabelecer comparações com outros países de forma a conectar e contextualizar a realidade brasileira com a dinâmica mundial. Geografia :
  • 31. História : Ter a capacidade de identificar o próprio grupo de convívio dentre os repertórios histórico-culturais estudados,acontecimentos que o permita se localizar em seu tempo/espaço questionando a realidade que o cerca e compreendendo que as transformações ocorridas consigo e ao redor são frutos de conquistas históricas.
  • 32. Torna-se parte integrante e agente de transformações do mundo em que vive,identificando as relações entre conhecimento cientifico,produções tecnológicas e condições de vida,utilizando-os como instrumentos para o despertar da conscientização global sob o meio no qual esta inserido . Ciências :
  • 33. Educação Física : Participar das atividades físicas e corporais, adotando atitudes de respeito mútuos,dignidades e solidariedade em diversos âmbitos das relações humanas existentes,reconhecendo-as como uma necessidade básica do ser humano e um direito do cidadão”(PCN volume 7 pag.43),e conscientizando-se da responsabilidade que há sobre o espaço em que ocupa.
  • 34. Oportunizar ao educando a aquisição do conhecimento básico que lhe permita não só compreender e acompanhar as rápidas transformações,possibilitando maior entendimento de um mundo plural e de seu próprio papel como cidadão de seu país e do mundo. Língua Inglesa :
  • 35. Artes : Expressar e saber comunicar-se mantendo uma atitude de busca pessoal ou coletiva, articulando a percepção,a imaginação, a emoção, a sensibilidade e a reflexão ao realizar e ao fluir das produções artísticas.”(PCN vol.6 pag.53)
  • 36. Metodologia Entendendo-se a escola como um lugar em que cabem formas diferentes de compreender o mundo,um lugar que o conhecer é aprender a vida em seus infinitos aspectos,percebe-se que é preciso que cada professor construa conhecimentos teóricos que lhe permitam uma visão não fragmentada do ato de educar. Baseando-se nessa relação,aluno-sociedade-escola,a ação pedagógica da Escola Municipal Professora Rosa Maria Berezoski Demarchi, tem como fundamento o ato de aprender a pensar,a refletir a estudar,a explorar diferentes habilidades e a estabelecer metas.
  • 37. Fundamentos este em que o aluno faz parte do processo de ensino e de aprendizagem e este o torna apto a interagir cada vez mais e aprimorar seus conhecimentos. O professor é um mediador capaz de propiciar a aquisição do conhecimento e o crescimento do aluno em seus diversos aspectos (intelectual, emocional, motor e social) e como tal permite o professor/a desenvolver suas potencialidades através da constante reflexão de sua prática pedagógica .
  • 38. Para que essa relação teórica, aquilo que queremos, com a prática,aquilo que faremos para atingir nossos objetivos, seguem os trabalhos que desenvolveremos durante a execução desta proposta, cabendo ressaltar que surgirão outros durante o ano letivo: Trabalhos com projetos garantindo o trabalho contextualizado e dinâmico; Projeto de leitura;
  • 39. Parcerias com Ajorpeme; Orientação educacional em parceria com outros Órgãos; Reforço Escolar para alunos de 6º ao 9º ano; Avaliações diagnósticas; Implantação Agenda Escolar;
  • 40. Planejamento O planejamento é um instrumento que serve para indicar, instruir, demonstrar, avaliar e auto avaliar,contribuir e objetivar suas ações e reflexões constantes sobre a prática pedagógica,buscando atividades que resgatem o passado inferindo no presente tornando eficaz em sua aplicação, acontecendo da seguinte forma :
  • 41. 6º ao 9º ano: Organização por conteúdo, quinzenal ou mensal de acordo com o plano de Ação de cada disciplina através de: Conteúdo ; Cronograma; Público Alvo; Objetivos; Estratégias ou Metodologia; Avaliação e Recuperação; Materiais Didáticos Referências Bibliográficas
  • 42. Caminhando com os Alunos Frente à questão que o aluno é sujeito histórico no processo ensino/aprendizagem e que este merece uma educação de qualidade a Escola Municipal Professora Rosa Maria Berezoski Demarchi oferece ao nosso educando:
  • 43. Recuperação Paralela: Realizado pelos professores com enfoque a recuperação de conteúdos trabalhos a fim de auxiliar no processo de aprendizagem; Recuperação de Matemática com o Suporte Pedagógico no contra turno;
  • 44. Atendimento do Serviço de Orientação ao Educando atende o aluno em todos os aspectos estabelecendo canais adequado de comunicação,baseando-se na confiança mútua,estimulando no desenvolvimento de hábito de estudo,de leitura e de pesquisa. Apoio aos Estudantes Encaminhamentos a diversos atendimentos a diversos atendimentos oferecidos pela Secretaria da Educação e Cultura,tais como NAPE, NAIPE, APOIA, Conselho Tutelar e Projeto Cidadão com aulas de tênis de mesa, Voleibol e outras Entidades Não Governamentais.
  • 45. Sala Informatizada: Possibilitar ao educando contato com o uso da tecnologia,ampliando sua fonte de pesquisa. Biblioteca: Ampliar o acervo bibliográfico para pesquisa como também pra rotatividade de empréstimos de livros,contribuindo para o despertar pelo prazer de ler.
  • 46. Acompanhamento da atividade Docente “ ...é necessário que todo educador domine e tenha conhecimento profundo das teorias que explicam a construção da inteligência e os processos de aprendizagem,para que possam realizar mudanças significativas e eficientes na prática pedagógica e nas suas proposta didáticas.”(Ferrero)
  • 47. Sendo a educação um processo continuo de aquisição do conhecimento é necessário a escola repensar sua prática pedagógica que não é uma tarefa fácil,mas fundamental para a plena transformação de sua postura mediante ao ensino-aprendizagem. Ao fazer esse repensar,o professor estará dando a si mesmo a oportunidade através de uma analise critica de sua postura em relação com o meio em que esta inserido,buscando assim referencias para modificá-lo.
  • 48. Nesta busca de reflexão a escola tem como papel auxiliar o professor em sua constante busca de novos referenciais. Para que isso aconteça,a Escola Municipal Professora Rosa Maria Berezoski Demarchi utiliza alguns instrumentos: Observação de aulas: realizado pela equipe administrativa,tem como objetivo acompanhar o professor em suas atividades,realizar diagnósticos para futuras orientações. Como afirma Freire(1996.14)“ observar uma situação pedagógica não é vigiá-la,mas sim,fazer vigília por ela,na cumplicidade da construção do projeto ,na cumplicidade pedagógica.”
  • 49. Orientação Individualizada –Momento de trocas de reflexões dúvidas e auxilio no processo ensino aprendizagem; Acompanhamento dos instrumentos Avaliativo-Recurso utilizado para auxilio o/a professor/a em alcançar seus objetivos; Recursos Didáticos- O professor terá todo apoio didático que necessitar para proporcionar uma aprendizagem qualitativa.
  • 50. Reuniões Pedagógica Momento para refletir em conjunto sobre os objetivos propostos e seu desempenho,abordando temas que mais tem sentido dificuldade,tais como:Dinâmica de grupo,conteúdo teórico ,troca de experiência , avaliação do trabalho,sugestões da equipe administrativa de temas e estratégias de ensino para a melhoria do processo ensino aprendizagem. Após a reunião Pedagógica,são observados se os acordos firmados estão sendo cumpridos tanto pelo corpo docente quanto pela Equipe Administrativa e cobrados quando necessário.
  • 51. Avaliação Avaliação ...é de fundamental importância que cada professor no exercício de sua profissão,tenha clareza quanto ao que ensinar, como ensinar, e da mesma forma, o quê, para que, quando e como avaliar, tendo sempre em mente, que tipo de aluno se quer formar (Joinville,4:5 )
  • 52. A intervenção direta do professor,durante a realização das atividades é condição básica para que os alunos avancem em sua aprendizagem. Não basta que a atividade seja interessante,ela precisa favorecer a construção e a utilização do conhecimento...Para que essa aquisição de conhecimento e troca de informações aconteça,a Escola Municipal Professora Rosa Maria Berezoski Demarchi acredita em uma avaliação formativa.
  • 53. Avaliação esta que,além de informar em que situação se encontra o aluno no que se refere ao seu desenvolvimento da aprendizagem e no alcance dos objetivos propostos, serve também para corrigir rumos, rever, melhorar, reformar, adequar o ensino, de forma que o aluno atinja os objetivos de aprendizagem.Nesse sentido ela não avalia apenas o aluno, mas usa o desempenho do aluno para avaliar a adequação e eficácia do ensino.
  • 54. A avaliação acontece de forma contínua e informal,no dia a dia da sala de aula,e pode ser feita também através de provas, apresentação de relatórios, de trabalhos, competições, jogos e outros... Enfim quando o aluno tiver a chance de desenvolver suas capacidades de auto avaliação , pois este é o objetivo maior da escola, o ato de aprender a aprender se consolidou, entretanto isso somente acontecerá se o professor, em seu papel de mediador deste processo,interfira com ações eficazes, desafiadoras e mobilizadoras de novas informações e novos conhecimentos .
  • 55. Instrumentos e Critérios Avaliativos Dentro do processo de avaliação é preciso diagnosticar,conhecer os alunos e intervir de forma atuante,avaliando em diferentes oportunidades e de diversas maneiras,utilizando provas escritas,em dupla ou em grupo,trabalhos de pesquisas em grupo,realizado em sala e ou na biblioteca,seminários de acordo com cada série ou com nível de aprendizagem apresentando por cada turma ou individualmente.
  • 56. Instrumento de Avaliação Participação Trabalhos em grupos ou individuais Critérios Avaliativos Aula dialogada Troca de informações entre professor e aluno; Observações durante as atividades; Participação nas atividades individuais e coletivas. Troca de experiências; Busca de conhecimento; Monitoramento; Socialização do Conteúdo; Produto Final(ESCRITO) Individualidade
  • 57. Avaliação Escritas individuais ou coletivas Tarefas diárias ; Auto –avaliação; Avaliação Pedagógica realizada pelos professores e alunos Houve aprendizagem do conteúdo; Se os objetivos foram alcançados Se havia clareza em que estava sendo solicitado; Organização; Visto constante como processo avaliativo e acompanhamento do processo ensino-aprendizagem; Aluno: Atividades;construção do conhecimento;participação,conselho de classe na sala em que o aluno pode analisar o andamento do ensino individual e coletivo,opinando democraticamente. Professor:Reflexões,mudanças de estratégias,objetivos almejados Conselho de classe
  • 58. Critérios Mínimos Necessários para Avaliação por Disciplina. 6º ao 9º ano Quantidade Mínima de Avaliações por disciplina
  • 59. Português - Duas avaliações escritas; - Um trabalho individual ou em dupla; - Nota de participação - Nota de recuperação; - Nota de leitura; Matemática - Duas avaliações escritas; - Um trabalho individual ou em dupla; - Nota de participação - Nota de recuperação;
  • 60. Ciências, - Duas avaliações escritas; História, - Um trabalho individual ou em Geografia dupla; - Nota de participação; - Nota de recuperação. Ensino Religioso , - Uma avaliação escrita; Artes, Inglês - Um trabalho individual ou em dupla; - Nota de participação; - Nota de recuperação .
  • 61. Educação Física - Uma avaliação escrita; - Um trabalho individual ou em dupla; - Nota de participação; - Nota de desempenho nas aulas;
  • 62. Classe de Aceleração Os alunos freqüentarão as aulas no turno diurno. As aulas terão duração de 3 (três) horas, sendo a Educação Física deverá ser realizada antes ou após o término da aula. Deverão desenvolver atividades baseadas nos módulos e após avaliações o aluno avançará as etapas previstas e as séries seguintes.
  • 63. Educação de Jovens e Adultos Nas fases e ensino Frequencial a avaliação ocorre semestralmente e o aluno necessita obter média 5,0 para a Aprovação. No Ensino Modularizado através de provas dos módulos estudados e a aprovação é mediante a média 8.0.
  • 64. Conselho de Classe De acordo com o Regimento Único do Município de Joinville,Art. 124 que cita as atribuições do conselho de classe apontam que é atribuído ao mesmo: “ Emitir parecer sobre assuntos referentes ao processo ensino e aprendizagem, decidindo pela revisão da nota ou anulação e repetição de testes,provas e trabalhos destinados à avaliação do rendimento escolar”.
  • 65. “ Serve para avaliar as atividades docentes e discentes possibilitando o replanejamento dos objetivos e dos conteúdos,visando a melhoria do processo de ensino e aprendizagem”. Diante dessas atribuições a Escola Municipal Professora Rosa Maria Berezoski Demarchi,busca discutir:
  • 66. Conselho Individual com cada Professor: As dificuldades encontradas durante o final de cada bimestre; Propor sugestões para melhorias e alcançar metas; Realiza levantamentos de alunos com notas inferiores a 5,0 para trabalho individualizado realizado pela Orientação Educacional tendo parceria a família que é comunicada para buscar o boletim; Discute-se o índice de notas inferiores com os professores com trabalho de orientação individualizado,estabelecendo metas;
  • 67. Conselho Coletivo Acontece Bimestralmente e tem como objetivos: Estudo dos objetivos almejados pela escola durante o ano letivo; Análise dos gráficos e percentuais adquiridos ao longo do bimestre; Levantamento das causas do baixo rendimento e das situações ocorridas durante o bimestre que possam ter influenciado nesta ocorrência.
  • 68. Traçar novas metas para solucionar as situações durante o bimestre; Programar reuniões extracurriculares para estudos referentes ao ensino/aprendizagem; Refletir e rever a prática pedagógica e sua eficácia;
  • 69. Conselho de Classe com os Alunos Realizado pelas Orientadoras Educacionais,tem como objetivo ouvir os alunos e levar até eles o parecer dos professores diante da turma.Este espaço é reservado para levantar o perfil da turma e de seus professores; Recuperação “ ...cabe ao/a professor/a perceber diariamente as dificuldades apresentadas pelos alunos dando especial atenção ao esclarecimento das suas dúvidas.Podendo o professor planejar atividades como trabalho em equipe,grupos por nível de conhecimento para auxiliar os que apresentam maior dificuldade,atendimento individualizado na sala de aula ou contra turno...”(Kohl,1990)
  • 70. Procedimento para realizar da Recuperação Recuperação paralela do conteúdo após cada avaliação realizado pelo professor em sala; Aluno Monitor para o auxilio em contra-turno,decidido em Conselho de Classe; Amigo da Escola- Pais e Comunidade envolvidos na aprendizagem; Acompanhamento de notas baixas pela supervisão para auxílio aos professores e notificações aos Pais.
  • 71. Atividades extra-classe envolvendo os professores e toda a equipe técnico-pedagógico; Reforço Escolar de matemática e Português Professores desta Unidade Escolar e estagiários da Univille, para alunos de 6º ao 9º ano e sala de apoio. Ênfase ao projeto de leitura integrado com Tema História da Africa.
  • 72. Comunicando os Pais Com a missão de formar cidadãos que sejam participativos na sociedade em que vive,cabe a escola como centro de formação,buscar essa parceria com as famílias,para que tal objetivo seja alcançado.Para que isso ocorra,utilizamos alguns instrumentos: Avisamos os pais sobre o Rendimento Bimestral de seu/sua filho/a;
  • 73. Comunicado sobre faltas,atrasos,comportamento; Convite para agradecer aos pais pelo esforço do Rendimento Bimestral através da assinatura do Livro Ouro(Estimulo adotado,para os alunos que são destaques.Neste livro contará a assinatura do aluno e do pai)
  • 74. Reuniões para esclarecer dúvidas e apontar metas; Promover Reuniões com horários alternativos a fim de estabelecer um elo entre a escola e a comunidade,como também notificá-los dos eventos que porventura possam ocorrer durante o período letivo.
  • 75. Contrato Didático Pedagógico Segue em anexo o contrato didático pedagógico que será o norteador das ações pedagógicas na Escola,visando o bom andamento de todo processo de ensino e aprendizagem desta Unidade Escolar.
  • 76. Referências Bibliográficas Parâmetros Curriculares Nacionais –Artes.Brasilia,Mec/Sef,1997 Parâmetros Curriculares Nacionais –Educação Física,Brasilia,MEC/SEF,1997 Parâmetros Curriculares Nacionais –História ,Geografia.Brasilia,MEC/Sef,1997 Parâmetros Curriculares Nacionais –Língua Portuguesa .Brasilia,MEC/SEF,1997 Brasil,Secretaria da Educação Fundamental.Parâmetros Curriculares Nacionais-Introduções.Brasilia,MEC/SEF 1997 Freire,Madalena.Observação,Registro,Reflexões-Instrumento Metodológicos I.Séries Seminários.Artcolor.1997. Oliveira,João B. A. & Chadwick, Clifton. Aprender e Ensinar.São Paulo,Global,2ª edição,2001. Santa Catarina,Proposta Curricular.Secretaria de Educação e Cultura Joinville,2000. Santa Catarina.Regimento Único Escolar.Secretaria de Educação e Cultura.Joinville,Versão Atualizada,2004 Silva,Ezequiel Theodoro Da.O ato de ler.São Paulo,CORTEZ- Autores Associados 6ª ed. 1992
  • 77.  
  • 79. “ É Preciso insistir que tudo quanto fazemos em aula, por menor que seja, incide em maior ou menor grau na formação de nossos alunos. A maneira de organizar a aula, o tipo de incentivos, as expectativas que depositamos, os materiais que utilizamos, cada uma destas decisões veicula determinadas experiências educativas, e é possível que nem sempre estejam em consonância com o pensamento que temos a respeito do sentido e do papel que hoje em dia tem a educação ” (Proposta Curricular de Santa Catarina)
  • 80. ALUNO: Ele é a razão do seu trabalho, todo ser humano precisa ser conquistado, respeitado, valorizado, ouvido, motivado, acompanhado, cobrado, exigido...Só assim faremos transformações positivas, sempre utilizando o Dom da paciência, do bom senso e da sinceridade e sabedoria. Lembre-se que a aprendizagem passa primeiramente pela afetividade.
  • 81. 1. DA VERIFICAÇÃO DO RENDIMENTO ESCOLAR A RECUPERAÇÃO PARALELA (LDB Art. 14 inciso V) a) A avaliação contínua e cumulativa do desempenho do aluno, com prevalência dos aspectos qualitativos sobre os quantitativos e dos resultados ao longo do período sobre eventuais provas finais. b) Obrigatoriedade de estudos de recuperação, de preferência paralelos ao período letivo, para os casos de baixo rendimento escolar, a serem disciplinados pelas instituições em ensino em seus regimentos.
  • 82. 2. SE FAZ NECESSÁRIO UM REGISTRO HISTÓRICO DE ACOMPANHAMENTO ESCOLAR DOS ALUNOS COM MAIORES DIFICULDADES DURANTE O ANO. Conhecimento do aluno; Acompanhamento diário com observações relevantes; Retomadas e mudanças de estratégias; Pontos positivos e pontos negativos no processo ensino/aprendizagem; Que se faça os devidos encaminhamentos à orientação e a supervisão.
  • 83. 3. Deverá constar no diário do professor as notas de recuperações paralelas durante o bimestre com clareza no diário. 4. Alternativas Determinar o dia de recuperação, em que momento em que aula, o conteúdo deve ser reforçado e os alunos trabalhados; Recuperação participativa, individual ou coletiva. No horário oposto o de aula, quando o professor constatar que o aluno precisa de reforço, o professor tiver disponibilidade para fazer recuperação. Esta recuperação se faz necessária, desde que tenha a autorização assinada pelos pais com o dia e horário marcado.
  • 84. Toda e qualquer recuperação o professor deverá atribuir uma nota de 0 a 10. Obs: a) Nas recuperações, deverão ser excluídos trabalhos, pesquisas ou qualquer atividade para ser feita em casa com o intuito de aumentar a nota. As atividades deverão ser bem elaboradas, desafiadoras para que o aluno consiga aprender realmente.Toda recuperação deverá ser registrada no Diário de Classe. b) A escola, na medida do possível,proporcionará recuperações extra-turno para os alunos com baixo rendimento escolar através de parcerias, sendo que o professor não deverá ser resistente em encaminhar seus alunos com dificuldades para o reforço, deixando para o final de ano as reclamações que os alunos não querem mais estudar, se você não pode dar a recuperação, dê créditos a outros que se dispõe a fazê-los.
  • 85. OBSERVAÇÃO IMPORTANTÍSSIMA: A avaliação por si só não tem valor, mas quando empregada no intuito de detectar possíveis falhas no processo de ensino e aprendizagem e com isto corrigi-las, aí sim, de fato a avaliação terá o seu valor. QUANDO EM SALA DE AULA, EM UMA AVALIAÇÃO, METADE OU MAIS DA METADE DOS ALUNOS TIRAREM NOTAS BAIXAS, O PROFESSOR DEVERÁ REFLETIR SOBRE O SEU PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM, REVENDO AS ESTRATÉGIAS EMPREGADAS, BUSCANDO ALTERNATIVAS PARA TRABALHAR NOVAMENTE O ASSUNTO.
  • 86. 5. CRITÉRIOS QUE DEVERÃO SER ANALIZADOS E SEGUIDOS PARA A APLICAÇÃO DOS INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO. Identificação da Escola: Escola Municipal Professora Rosa Maria Berezoski Demarchi Supervisão escolar: Professor(a):__________________________ Aluno:___________________________nº___ série_______Data:___/___/___ Disciplina:________________________
  • 87. Estética e legibilidade; Conteúdo, dentro do plano de curso, que tenha sido ministrado e que seja significativo. Qualidade técnica das questões, clareza no enunciado, seqüência das questões, adequação ao nível da turma, diversidade, valor proporcional da questão. Que as questões sejam diversificadas (alternativas, completar, associar, relacionar, cruzadinhas, analisar, questões reflexivas, convencionais e não-convencionais). Obs: A avaliação deve ser bem dosada e não muito carregada de questões, e fazer uma média aritmética para lançar no diário, todas as avaliações (testes, provas) deverão ser vistadas pela supervisão escolar e uma cópia deverá ser arquivada.
  • 88. IMPORTANTÍSSIMO : Muito cuidado com as notas que seu aluno recebe para não prejudicá-lo e/ou favorecê-lo (sem merecimento) no final de ano, pois conforme o Plano Nacional de Educação o aluno que obtiver média 5,0 (cinco) em todos os bimestres soma 20 pontos anuais poderá ser aprovado por ser média mínima de aprovação com exame. Não deixe para resolver apenas no último bimestre, fique atento desde o 1º bimestre. Para arredondar média bimestral siga exemplos abaixo: 4,1 - 4,2 = 4,0 4,3 - 4,4 = 4,5 4,6 - 4,7 = 4,5 4,8 - 4,9 = 5,0 Assim sucessivamente
  • 89. Nas avaliações de Língua Portuguesa e Matemática, mínimo de 3 a 4 notas por bimestre; Nas disciplinas História, Geografia, Ciências, Ensino Religioso, Artes, Inglês e Educação Física, mínimo de 2 a 3 notas por bimestre. O professor deverá passar bilhete com antecedência, avisando que haverá avaliação e, quais os conteúdos o aluno deverá estudar.
  • 90. Obs: AGENDA ESCOLAR: A agenda é o veículo de comunicação da Escola com a Família e da Família com a Escola. Nela contém folha de rosto de identificação e um resumo do REGIMENTO ESCOLAR. Todos os bilhetes e comunicados entregues aos alunos deverão estar colados na agenda bem como qualquer comunicado da família (saídas antecipadas, chegadas tardias, justificativas de faltas, etc). Professor é seu dever orientar os alunos para o uso da Agenda bem como cobrar assinaturas nos bilhetes.
  • 91. O professor é o espelho do aluno, portanto deverá dar exemplo para uma boa ordem; A letra no quadro negro deverá ser legível obedecendo ao traçado correto; Orientar o aluno quanto: Letra com traçado correto, sinal de pontuação, uso correto do espaço nas linhas do caderno e folha de rosto em todos os cadernos; Obs: Todos os cadernos deverão ser encapados, ter a folha de rosto com a identificação da escola, professor, aluno, série e disciplina.
  • 92. O professor deverá organizar estes dados junto com o aluno na sala de aula. Lembrando que organização faz parte da aprendizagem; A correção das atividades deverá ser feita no quadro onde o próprio aluno analisa a resolução da atividade e faz sua correção. O professor deverá dar visto em todos os cadernos dos alunos e colocar conceitos de estímulos.
  • 93. 6 . DIARIO DE CLASSE O diário de classe é “ o documento oficial ” onde estão registrados os dados da evolução da aprendizagem do aluno. Ele permanece na Escola por 99 (noventa nove) anos, por isso cuide bem dele; Não deve conter erro de qualquer espécie; Devem ser preenchidos somente a caneta preta. O uso da caneta vermelha é somente para as notas inferiores a 5,0 (cinco). Registrar nas páginas de atividades os fatos que ocorrerem no cotidiano: dificuldades, chegadas tardias e saídas antecipadas dos alunos (com dia, horário e motivo);
  • 94. Nas páginas de recuperação paralela é importantíssimo registrar os procedimentos realizados para auxiliar o aluno em suas dificuldades e quais foram os alunos. Todos os registros devem ser datados, bem claros (detalhados) e em ordem; Todos os diários deverão ser encapados; A chamada deverá ser feita com “ C ” de comparecimento e “ F ” de falta, e não colocar (pontos). Aguardar a lista de chamada oficial para colocar no Dário;
  • 95. Somente eliminar (riscar) e/ou acrescentar alunos depois do comunicado dos secretários da Escola. Então torna-se obrigação do professor manter contato com a Secretaria da Escola sempre que necessitar de notas, devido a transferência, e/ou eliminações e acréscimos de alunos, bem como outras dúvidas com relação ao histórico escolar do aluno;
  • 96. No final de cada bimestre fechar: a) Número de faltas b) Dias Letivos c. Médias d) Registrar recuperação e) Inutilizar partes que não foram escritos com traços. f) Datar e assinar; g) A cada final de bimestre entregar para supervisão para serem vistados. h) Sempre que solicitado pela equipe pedagógica ou administrativa deverá ser entregue. As notas registradas nos diários e mapões inferior a 5,0, registrar com caneta vermelha e superior a 5 com caneta preta.
  • 97.  SOMENTE SERÁ TIRADO XÉROX DE AVALIAÇÕES E OUTRAS ATIVIDADES COM AUTORIZAÇÃO DA SUPERVISÃO ESCOLAR.  TODAS AS DOCUMENTAÇÕES ENTREGUE NA SECRETARIA DEVERÃO SER ASSINADAS, SEJA ENTREGA OU RECEBIMENTO.
  • 98.  AS DOCUMENTAÇÕES, NOTAS, DEVERÃO SER ENTREGUES, RIGOROSAMENTE, NA DATA ESTIPULADA PELA SUPERVISÃO ESCOLAR.  NOTAS BIMESTRAIS DEVERÃO SER ENTREGUES NO DIA 25 DE CADA FINAL DE BIMESTRE. ( 25/04, 25/06, 25/09 E 25/11), após essa data entregar diretamente à direção da escola, com justificativa por escrito .
  • 99. 7. POSTURA: Procurar trajar-se adequadamente e de preferência usar guarda-pó; Seja modelo para seu aluno em todos os aspectos da vida escolar; Cuidar sempre com os termos usados na sala de aula e principalmente quando um aluno passar dos limites.Pense antes de falar. Só prometa aquilo que realmente pode cumprir, isto é garantia de sua autoridade perante a turma. Procure não perder o controle da situação, desta forma você ganhará créditos perante os alunos e os pais. No caso de agressão verbal ou física, por parte do professor em relação ao aluno, a Direção não poderá interferir em seu favor.
  • 100. Incentive sempre o progresso na aprendizagem de seus alunos. Evite comentários tais como: “ Você já está reprovado comigo ” , “ Não adianta vir mais na minha aula ” , esta atitude conspira contra você no momento de exercer sua autoridade como “ profissional ” . Lembre-se, poderia ser seu filho que estivesse ouvindo esta frase, então por que não dizer aos alunos que eles tem todas as chances do mundo só depende do esforço deles;
  • 101. Quando necessitar resolver algum problema com os pais procure alguém do Corpo Administrativo da Escola para acompanhar, evitando assim mal entendidos. Nunca bata boca com seu aluno no coletivo, pois o aluno gosta de desafiar perante os demais. A preocupação com índice percentual de reprovação deve acontecer a cada bimestre, não deixando somente para o final do ano; No conselho de Classe entregar as notas no prazo solicitado, observar o mapa de notas, preencher o que for solicitado;
  • 102. Aluno colocado para fora da sala de aula??? Está é a única solução???Será que há outro meio de resolver a situação???E a sua autoridade perante seus alunos??? Se realmente não há outro jeito não esqueça de chamar a Direção da Escola; Pequenos atritos, procurem resolvê-los em sala de aula. Casos mais graves encaminhar para Orientação Escolar.
  • 103. Casos gravíssimos encaminhar para o auxiliar de Direção e Direção Geral; Os registros de ocorrências ficarão a critério da Orientação Escolar (caderno ou pasta); Seguir rigorosamente as datas pré-estabelecidas pela equipe pedagógica e administrativa
  • 104. 8. CONSELHO DE CLASSE a) O conselho de classe é formado pelos professores, com representação da parte administrativa e pedagógica (mais interativo) b) Cabe ressaltar que o conselho de classe é soberano. Na ausência de um dos membros no dia do conselho de classe a responsabilidade é dos demais presentes.
  • 105. c) No último conselho de classe, o aluno que apenas reprovar em uma matéria. O conselho decidirá em uma votação entre todos os participantes do conselho a aprovação ou reprovação do aluno, pois deve-se levar em consideração as habilidades e competência do aluno. (Serão feitos os devidos relatórios por escrito, onde todos os membros do conselho de classe deverão assinar).
  • 106. d) No conselho do segundo bimestre o professor deverá apresentar uma estimativa de possíveis alunos que poderão ser reprovados, para que se faça um trabalho em parceria supervisão e orientação junto à família.
  • 107. 9. EXAMES a) Os exames finais são de responsabilidade do professor, deixar tudo em ordem para supervisão escolar, com ata, número de cópias para cada aluno e uma gabaritada e outra original para a necessidade de tirar xérox na falta justificada do aluno; b) Caso o aluno falte no exame por qualquer motivo comunicar imediatamente orientação para que as mesmas possam ligar para casa e chamar o aluno para aplicação dos exames.
  • 108. 10. PLANEJAMENTO DO PROFESSOR O planejamento ficará a critério do professor. Poderá ser quinzenal, mensal ou por unidade. a) No planejamento realizado deverá contar: CONTEÚDO, CRONOGRAMA, OBJETIVOS, ESTRATÉGIAS, PROCEDIMENTOS PARA RECUPAERAÇÃO PARALELA, AVALIAÇÕES e REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS (quando estas forem utilizadas);
  • 109. b) O Planejamento deverá ser apresentado a Supervisão sempre que solicitado; c) Organize seu tempo e aproveite o máximo, pois somente temos 48 minutos de aula; d) Se houver necessidade de faltar e souber com antecedência, comunique-nos e deixe o planejamento para aquele dia, pois seu aluno também sentirá a sua falta;
  • 110. 11. INFORMÁTICA Todas as aulas na Sala de Informática deverão ser agendadas antes e o projeto apresentado com antecedência a Supervisão Escolar, através de um formulário com as coordenadoras da sala informatizada. Quando o aluno for pesquisar na informática em outro turno, o aluno deverá apresentar autorização para as coordenadoras da sala informatizada. (pegar autorização com as coordenadoras da sala informatizada).
  • 111. 12. BIBLIOTECA A biblioteca é de uso de todas as disciplinas, portanto uma semana será reservado para as aulas de língua portuguesa e a outra semana para as demais disciplinas, com prévio agendamento. Cabe ressaltar que toda semana terá aula de leitura nas aulas de língua portuguesa, uma semana na biblioteca e a outra semana em sala de aula, com caixa de livro que será levado para a sala de aula. Os bibliotecários em parceria com a Atividades Complementares da escola irão preparar contações de histórias envolvendo nossos alunos e também convidados.
  • 112. Caberá também aos bibliotecários trabalharem em parceria com as professoras de língua portuguesa com o objetivo de trabalharem gêneros literários. (fora da aula de leitura). Quando o aluno for pesquisar na biblioteca em outro turno, o aluno deverá apresentar autorização para os bibliotecários. (AUTORIZAÇÃO COM BIBLIOTECÁRIAS). VÍDEOS E DVDs deverão ser agendados e preenchidos formulário para a supervisão. Formulário com os bibliotecários.
  • 113. 12. EM SALA DE AULA SERÃO ANALISADOS OS INDICADORES O professor apresentou o plano de aula. (Com seqüência lógica clara e Objetiva). O planejamento está de acordo com plano de curso. O professor trabalha questões implícitas em suas atividades. (Ler-compreender- interpretar e associar a fatos do cotidiano do aluno).
  • 114. Percebe-se claramente o objetivo da aula, com informações claras e organizadas. O professor promove momento de leitura (coletiva, silenciosa ou outras técnicas). O professor usa linguagem clara e simples para o entendimento do aluno. O professor repete pontos relevantes e essenciais para o aprendizado do aluno .
  • 115. O professor relaciona os conteúdos da aula as experiências e aos conhecimentos prévios dos alunos. O professor ilustra sua aula com algum material concreto ou visual. O professor demonstra entusiasmo e bom humor. O professor vista o caderno de seus alunos. O professor responde todas as dúvidas dos alunos com paciência. O professor suscita a participação de todos os alunos.
  • 116. Em relação à aprendizagem: a) Trabalhos em grupos, somente deverão ser realizados em sala aproveitando a Biblioteca para pesquisa, salvo as tarefas e atividades individuais. b) Verificar os cadernos, podendo até ser avaliados quanto à organização e outros critérios elencados na Proposta Pedagógica. c) Organizar os materiais antes de entrar em sala, para que não haja necessidade de sair ou de enviar os alunos para buscarem, só em caso de extrema necessidade. d) Registre todas as ocorrências que acontecerem em sala, pois serão seus materiais mais preciosos em relação à avaliação e desempenho de seu aluno;
  • 117. Em relação ao aluno: e) Comunicar sempre a Orientação Educacional quando houver algum problema, além do que possa resolver em sala; f) Evite retirar aluno para fora da sala, isso somente prejudicará a relação aluno/professor; g) Tratar com seriedade as ausências dos alunos, comunicando a falta à orientadora; h) Siga rápido para fila ou para sala após cada sinal, os/as alunos/as esperam ansiosamente pela sua aula, não os/as deixe muito tempo esperando; i) Não permita o uso de chicletes, balas ou comer alimentos em sala.
  • 118. j) Antes de começar sua aula organize a sala, verifique se há papéis no chão, organize as carteiras, pois a falta de organização gera indisciplina. k) Mantenha a disciplina em todas as suas atividades. l) Professor/a de Ed. Física – Organize seu tempo para que os alunos não cheguem atrasados à sala ou demorem muito nos banheiros. Acompanhe a turma na volta à sala (sair em fila e voltar em fila). m) Registrar as ocorrências nas pastas dos representantes.
  • 119. COMBINADOS COM O REGENTE DA SALA Cada regente de sala irá fazer combinados gerais com a turma e será fixado na sala de aula para visualização de todos.
  • 120. Alguns combinados importantes que não poderão faltar: É dever do aluno: a) Manter seu material escolar em ordem. b) Fazer todas as atividades pedidas pelos professores em sala de aula e deveres para casa. c) Respeitar os colegas, professores, funcionários em geral. d) Usar a agenda escolar para comunicação diária. e) Acompanhar os professores nas saídas de sala seja para a biblioteca, sala informatizada, Educação Física, ou trabalhos foras da sala de aula.
  • 121. Evitar: a) Falar palavrões e ofensas preconceituosas. b) Jogar papéis no chão. c) Mascar chicletes, balas ou comer qualquer alimento durante as aulas. d) Sair sem a permissão do professor. e) É extremamente proibido andar pelo pátio durante as aulas de Educação Física ou outras disciplinas. f) Em hipótese alguma será permitido agressões verbais ou físicas com os colegas e professores.
  • 122. Lembre-se: “ O bom andamento do ano letivo depende de cada membro desta Unidade Escolar... Ninguém é mais importante ou menos importante... Temos apenas responsabilidades diferentes... ” .