SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 29
Baixar para ler offline
Sugestões para elaboração de
projeto de pesquisa qualitativa
I Workshop
Recife, agosto, 2014
 Lucinea Lima Lacerda:
E-mail: lucinealima1@hotmail.com
Facilitadora
 “É produzir conhecimento”; é um “aprofundamento
consciente na busca de uma resposta ou solução a uma
dúvida ou problema, em geral do quadro de referência
de conhecimentos anteriores. Isto mostra que a
pesquisa está enquadrada dentro de um escopo
limitado, mas dinâmico”.
Neves e Neves, 2010.
O que é pesquisar?
“A pesquisa qualitativa parte da ideia de que os métodos e a
teoria devem ser adequados àquilo que se estuda. E que usa o
texto como material empírico (em vez de números), parte da
noção da construção social das realidades em estudo, e está
interessada nas perspectivas dos participantes, em suas
práticas do dia a dia e em seu conhecimento cotidiano relativo
à questão em estudo”
(FLICK, 2009, p. 9; p. 16).
Pesquisa Qualitativa 1/3
A pesquisa qualitativa também:
“pode ser caracterizada como a tentativa de uma
compreensão detalhada dos significados e características
situacionais apresentadas pelos entrevistados, em lugar da
produção de medidas quantitativas de características
comportamentais”
(RICHARDSON, 2008, p. 326; p. 90).
Pesquisa Qualitativa 2/3
 Em síntese:
“Esse tipo de pesquisa visa a abordar o mundo “lá fora”
(e não em contextos especializados de pesquisa, como
os laboratórios) e entender, descrever e, às vezes,
explicar os fenômenos sociais “de dentro” de diversas
maneiras diferentes”.
(GIBBS, 2009, p.8):
Pesquisa Qualitativa 3/3
 “Podem surgir uma ou várias soluções de um
problema”. Portanto far-se-á necessário:
 “Dominar a realidade do assunto que o certa,
sintetizando as principais abordagens, metodologias
e métodos, e
 Criar meios de solucionar o problema”.
Neves e Neves, 2010.
Desafios para o pesquisador (a)
 Juliatto e Bortolozzi apud Neves e Neves (2010)
definem Projeto de Pesquisa como: um instrumento
básico que situa o problema no tempo e delimita as
ações, define a metodologia a seguir, prevê os
recursos materiais necessários, a análise dos dados, o
período de execução e o destino dos resultados.
O Projeto de Pesquisa
 Resumo
 1. Introdução
 2. Justificativa
 3. Fundamentos Teóricos Conceituais
 4. Problema de Pesquisa
 5. Objetivo Geral
5.1 Objetivos específicos
 6. Metodologia
 7. Cronograma
 8. Referências bibliográficas
1.ESTRUTURA DO PROJETO DE
PESQUISA.docx
 Sugere-se realizar uma contextualização sobre o tema
a ser pesquisado.
 Tem o propósito de “situar” o leitor no tempo, no
espaço, na cultura ou mesmo na história.
 Em outras palavras: introduzir o leitor no tema
proposto pelo pesquisador(a).
Introdução
 “Explicitam-se os motivos de ordem teórica e prática que
justificam a pesquisa”. Ou seja,
 “Por que se deseja fazer a pesquisa?”
Pode ser:
“Modo como foi escolhido o fenômeno para ser pesquisado e
como surgiu o problema levantado para o estudo;
Apresentação das razões em defesa do estudo realizado.”
(Richardson, 2008, p. 55)
Justificativa 1/2
 “Relação do problema a ser estudado com o contexto
social;
 Explicação dos motivos que justifiquem a pesquisa nos
planos teórico e prático. Possíveis contribuições do estudo
para o conhecimento humano e para a solução do
problema em questão;
 Fundamentação da viabilidade de execução da proposta de
estudo...”
(Richardson, 2008, p. 55)
Justificativa 2/2
 “O pesquisador deve decidir a corrente epistemológica que
orientará o trabalho que pretende realizar. Em seguida
estudará em nível macro, dentro da corrente escolhida, as
diversas aproximações ao fenômeno. Isso implica a revisão
do conhecimento acumulado até o momento da pesquisa”.
 “Três principais correntes das ciências sociais no século XX:
o positivismo lógico, o estruturalismo e o materialismo
dialético.”
(RICHARDSON, 2008, p. 60)
Marco Teórico ou Quadro
Referencial
“A amostragem teórica permite introduzir diversidade e
variedade nos dados. Como aponta Glaser e Strauss, bem
como Charmaz, ela deve ser sempre movida pela teoria – o
estado da teoria em desenvolvimento no estudo. Sendo
assim, é basicamente uma abordagem que visa construir uma
ponte entre a estrutura que se desenvolve (na teoria) e a
variância existente (no campo ou fenômeno)”.
(FLICK, 2009, p. 47)
Fundamentos Teóricos Conceituais/
Estado da Arte/ Revisão de Literatura 2/2
 Nesta etapa o pesquisador(a) através da pesquisa
bibliográfica exploratória “acumulou” “referência a tudo o
que se escreveu sobre” o tema que deseja pesquisar;
 “O pesquisador deverá realizar uma interpretação do
fenômeno, historicamente ou apenas na fase atual,
analisando criticamente as diversas concepções e
perspectivas apresentadas[...] levando em consideração:
proposições, leis, princípios e etc.”
(RICHADSON, 2008, p. 60)
Fundamentos Teóricos Conceituais/
Estado da Arte/ Revisão de Literatura 2/2
A formulação do problema prende-se ao tema proposto: ela
esclarece a dificuldade específica com a qual se defronta e que
se pretende resolver por intermédio da pesquisa. Para ser
cientificamente válido, um problema deve passar pelo crivo
das seguintes questões:
- Pode ser o problema enunciado em forma de pergunta?
- Corresponde a interesses pessoais (capacidade), sociais e
científicos, isto é, de conteúdo e metodológicos? Esses
interesses estão harmonizados?
Continua...
Problema de Pesquisa 1/4
- Constitui-se o problema em questão científica, ou seja,
relacionam-se entre si pelo menos duas variáveis?
- Pode ser objeto de investigação sistemática,
controlada e crítica?
- Pode ser empiricamente verificado em suas
consequências? (Shrader, 1974:20)
(LAKATOS, 1992, p. 103-104)
Problema de Pesquisa 2/4
O pesquisador deve fazer uma pergunta baseado na
observação de um fenômeno. Às vezes, a pergunta é
escolhida para resolver um problema específico. Outras vezes,
a pergunta surge da curiosidade. De fato, a curiosidade tem
resultado em importantes contribuições para compreender a
natureza e para criar as bases de uma ciência aplicada. Se
desejamos uma resposta, a pergunta deve ser realista. Não
existe pesquisador ou grupo de pesquisadores que trabalhem
isolados do mundo.
(RICHARDSON, 2008, p. 27).
Problema de Pesquisa 3/4
Para preparar um estudo qualitativo atualizado, é necessário:
desenvolver uma ideia geral e um interesse em uma pergunta
de pesquisa mais ou menos dirigida;
Assumir uma perspectiva de pesquisa (e saber por quê) e
atualizar-se com a teoria e a literatura em vários níveis
(epistemológico, teórico, metódico, sobre a questão em si,
etc.)
(FLICK, 2009).
Problema de Pesquisa 4/4
“Explicitam-se os objetivos gerais e específicos a serem
utilizados durante a investigação. Esses deverão ser extraídos
do problema”.
Objetivo Geral: “Define de um modo geral, o que se pretende
alcançar com a realização da pesquisa”;
Objetivos específicos: “ Define etapas que devem ser
cumpridas para alcançar o objetivo geral.
(RICHARDSON, 2008, p. 62)
Objetivos da Pesquisa
 A metodologia “nas ciências humanas e sociais, bem como
nas ciências naturais, representa um caminho essencial
através do qual se efetua o progresso científico”
(OUTHWAITE, 1996, p. 465). Ou seja, a metodologia
“engloba métodos de abordagem e de procedimento, e
técnicas”
(LAKATOS, 1990, p. 29).
Metodologia 1/4
 “As teorias são muito importantes no processo de
investigação em ciências sociais. Elas proporcionam a
adequada definição de conceitos, bem como o
estabelecimento de sistemas conceituais; indicam lacunas
no conhecimento; auxiliam na construção de hipóteses;
explicam, generalizam e sintetizam os conhecimentos e
sugerem a metodologia apropriada a investigação”
(Trujillo Ferrari, 1982, p. 119 apud GIL, 1987, p. 37)
Metodologia 3/4
 Sugere-se que a elaboração do cronograma seja realizada a
partir do calendário proposto pelo programa, de modo que
o pesquisador (a) possa administrar o seu tempo entre a
pesquisa, as disciplinas, as participações em seminários,
congressos e sobretudo entre a vida pessoal, profissional e
acadêmica (onde esta última requer cada vez mais
dedicação exclusiva). É nesse momento que o
pesquisador(a) utilizará de sua resiliência [...]
CronogramaV2.xlsx
 Esta apresentação é a síntese do resultado da experiência
da elaboração do projeto de pesquisa das facilitadoras para
um programa específico. O mesmo foi elaborado a partir de
conceitos de autores de referência em pesquisa qualitativa
nas ciências sociais.
Continua...
Considerações 1/2
 Recomenda-se a criteriosa observação do
pesquisador(a) do modelo do projeto de
pesquisa do programa ao qual deseja submeter
o projeto de pesquisa para que tenha êxito em
sua avaliação.
(LACERDA, 2014)
Considerações 2/2
.FLICK, Uwe. Desenho da pesquisa qualitativa / tradução
Roberto Cataldo Costa ; consultoria, supervisão e revisão
técnica desta edição Dirceu da Silva. – Porto Alegre : Artmed,
2009.
.FLICK, Uwe. Qualidade na pesquisa qualitativa / Uwe Flick ;
tradução Roberto Cataldo Costa ; consultoria, supervisão e
revisão técnica desta edição Dirceu da Silva. – Porto Alegre :
Artmed, 2009.
Referências bibliográficas 1/3
.GIBBS, Graham. Análise de dados qualitativos. São Paulo:
Bookman, 2009.
.GIL, Antônio Carlos. 1946 – Métodos e técnicas de pesquisa
social / Antônio Carlos Gil. São Paulo : Atlas, 1987.
.LAKATOS, Eva Maria. Sociologia geral / Eva Maria Lakatos,
Marina de Andrade Marconi, colaboradora. 6. ed. rev. e ampl.
– São Paulo : Atlas, 1990.
Referências bibliográficas 2/3
.NEVES, Jane Aparecida Buzzi Pereira. NEVES, Luiz
Antônio Pereira. Como planejar uma Pesquisa
Cientifica. Volume 3 – Número 3 – Dezembro 2010 | SBC
HORIZONTES | 26.
.RICHARDSON, Roberto Jarry. Pesquisa Social :
métodos e técnicas / Roberto Jarry Richardson;
colaboradores José Augusto de Souza Peres...(et al.). –
3. Ed. – 8. reimp. – São Paulo : Atlas, 2008.
Referências bibliográficas 3/3
OBRIGADA!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apresentação metodologia qualitativa
Apresentação metodologia qualitativaApresentação metodologia qualitativa
Apresentação metodologia qualitativaFernando Dantas
 
TÉCNICAS DE COLETA DE DADOS.
TÉCNICAS DE COLETA DE DADOS.TÉCNICAS DE COLETA DE DADOS.
TÉCNICAS DE COLETA DE DADOS.Diego Ventura
 
Metodos de Pesquisa em Psicologia
Metodos de Pesquisa em PsicologiaMetodos de Pesquisa em Psicologia
Metodos de Pesquisa em PsicologiaHilma Khoury
 
Pesquisa qualitativa
Pesquisa qualitativaPesquisa qualitativa
Pesquisa qualitativavamcris
 
Pesquisa Qualitativa e Quantitativa
Pesquisa Qualitativa e QuantitativaPesquisa Qualitativa e Quantitativa
Pesquisa Qualitativa e Quantitativajlpaesjr
 
Como Elaborar Um Projeto De Pesquisa
Como Elaborar Um Projeto De PesquisaComo Elaborar Um Projeto De Pesquisa
Como Elaborar Um Projeto De Pesquisamauricio aquino
 
Pesquisa Qualitativa: procedimentos de análise
Pesquisa Qualitativa: procedimentos de análise Pesquisa Qualitativa: procedimentos de análise
Pesquisa Qualitativa: procedimentos de análise Antônia De Araújo Farias
 
Metodologia Científica - roteiro para projeto de pesquisa
Metodologia Científica - roteiro para projeto de pesquisaMetodologia Científica - roteiro para projeto de pesquisa
Metodologia Científica - roteiro para projeto de pesquisaProfessor Sérgio Duarte
 
Formulação de problemas de pesquisa em psicologia
Formulação de problemas de pesquisa em psicologiaFormulação de problemas de pesquisa em psicologia
Formulação de problemas de pesquisa em psicologiaDiego Fernandes Souza
 
Aula 1 metodologia científica
Aula 1   metodologia científicaAula 1   metodologia científica
Aula 1 metodologia científicaLudmila Moura
 
Pesquisa Experimental
Pesquisa ExperimentalPesquisa Experimental
Pesquisa ExperimentalHilma Khoury
 
Análise e interpratação dos dados
Análise e interpratação dos dadosAnálise e interpratação dos dados
Análise e interpratação dos dadosAdamo Cruz
 
Slides para Apresentação acadêmica
Slides para Apresentação acadêmicaSlides para Apresentação acadêmica
Slides para Apresentação acadêmicaRafaelBorges3
 

Mais procurados (20)

Elaborando uma pesquisa qualitativa
Elaborando uma pesquisa qualitativaElaborando uma pesquisa qualitativa
Elaborando uma pesquisa qualitativa
 
Apresentação metodologia qualitativa
Apresentação metodologia qualitativaApresentação metodologia qualitativa
Apresentação metodologia qualitativa
 
TÉCNICAS DE COLETA DE DADOS.
TÉCNICAS DE COLETA DE DADOS.TÉCNICAS DE COLETA DE DADOS.
TÉCNICAS DE COLETA DE DADOS.
 
Pesquisa Qualitativa
Pesquisa QualitativaPesquisa Qualitativa
Pesquisa Qualitativa
 
O Estudo De Caso
O Estudo De CasoO Estudo De Caso
O Estudo De Caso
 
Metodos de Pesquisa em Psicologia
Metodos de Pesquisa em PsicologiaMetodos de Pesquisa em Psicologia
Metodos de Pesquisa em Psicologia
 
Pesquisa qualitativa
Pesquisa qualitativaPesquisa qualitativa
Pesquisa qualitativa
 
Métodos e técnicas de Pesquisa
Métodos e técnicas de PesquisaMétodos e técnicas de Pesquisa
Métodos e técnicas de Pesquisa
 
Pesquisa Qualitativa e Quantitativa
Pesquisa Qualitativa e QuantitativaPesquisa Qualitativa e Quantitativa
Pesquisa Qualitativa e Quantitativa
 
Estudo de caso
Estudo de casoEstudo de caso
Estudo de caso
 
Como Elaborar Um Projeto De Pesquisa
Como Elaborar Um Projeto De PesquisaComo Elaborar Um Projeto De Pesquisa
Como Elaborar Um Projeto De Pesquisa
 
Classificacao das pesquisas
Classificacao das pesquisasClassificacao das pesquisas
Classificacao das pesquisas
 
Pesquisa Qualitativa: procedimentos de análise
Pesquisa Qualitativa: procedimentos de análise Pesquisa Qualitativa: procedimentos de análise
Pesquisa Qualitativa: procedimentos de análise
 
Metodologia Científica - roteiro para projeto de pesquisa
Metodologia Científica - roteiro para projeto de pesquisaMetodologia Científica - roteiro para projeto de pesquisa
Metodologia Científica - roteiro para projeto de pesquisa
 
Formulação de problemas de pesquisa em psicologia
Formulação de problemas de pesquisa em psicologiaFormulação de problemas de pesquisa em psicologia
Formulação de problemas de pesquisa em psicologia
 
Aula 1 metodologia científica
Aula 1   metodologia científicaAula 1   metodologia científica
Aula 1 metodologia científica
 
Pesquisa Experimental
Pesquisa ExperimentalPesquisa Experimental
Pesquisa Experimental
 
Estudo de caso
Estudo de casoEstudo de caso
Estudo de caso
 
Análise e interpratação dos dados
Análise e interpratação dos dadosAnálise e interpratação dos dados
Análise e interpratação dos dados
 
Slides para Apresentação acadêmica
Slides para Apresentação acadêmicaSlides para Apresentação acadêmica
Slides para Apresentação acadêmica
 

Destaque

Sugestões de temas para o pré projeto
  Sugestões de temas para o pré projeto  Sugestões de temas para o pré projeto
Sugestões de temas para o pré projetoWellington Alves
 
Temas para projetos
Temas para projetosTemas para projetos
Temas para projetosEstado do RS
 
O projeto de pesquisa introdução
O projeto de pesquisa  introduçãoO projeto de pesquisa  introdução
O projeto de pesquisa introduçãorosetol
 
Projeto de Ensino e Projeto de Aprendizagem
Projeto de Ensino e Projeto de AprendizagemProjeto de Ensino e Projeto de Aprendizagem
Projeto de Ensino e Projeto de AprendizagemElaine Pacheco
 
O PRECONCEITO LINGUÍSTICO NO AMBIENTE ESCOLAR: COMO PREVENIR?
O PRECONCEITO LINGUÍSTICO NO AMBIENTE ESCOLAR: COMO PREVENIR?O PRECONCEITO LINGUÍSTICO NO AMBIENTE ESCOLAR: COMO PREVENIR?
O PRECONCEITO LINGUÍSTICO NO AMBIENTE ESCOLAR: COMO PREVENIR?Jididias Rodrigues da Silva
 
Questões norteadoras
Questões norteadorasQuestões norteadoras
Questões norteadorasNaysa Taboada
 
12 formas básicas de enseñar
12 formas básicas de enseñar12 formas básicas de enseñar
12 formas básicas de enseñarPatty LóMar
 
MongoDB EuroPython 2009
MongoDB EuroPython 2009MongoDB EuroPython 2009
MongoDB EuroPython 2009Mike Dirolf
 
Utilizing Social Media to Promote Your Speaking Engagements (ILTA Speakers We...
Utilizing Social Media to Promote Your Speaking Engagements (ILTA Speakers We...Utilizing Social Media to Promote Your Speaking Engagements (ILTA Speakers We...
Utilizing Social Media to Promote Your Speaking Engagements (ILTA Speakers We...InsideLegal
 
Dossier prensa COTIF 2016
Dossier prensa COTIF 2016Dossier prensa COTIF 2016
Dossier prensa COTIF 2016Alba Obscura
 
Lecture 4.2 c++(comlete reference book)
Lecture 4.2 c++(comlete reference book)Lecture 4.2 c++(comlete reference book)
Lecture 4.2 c++(comlete reference book)Abu Saleh
 
Evangelio Ilutsrado, 4º Domingo de Pascua
Evangelio Ilutsrado, 4º Domingo de PascuaEvangelio Ilutsrado, 4º Domingo de Pascua
Evangelio Ilutsrado, 4º Domingo de Pascuacristinamoreubi
 

Destaque (20)

Sugestões de temas para o pré projeto
  Sugestões de temas para o pré projeto  Sugestões de temas para o pré projeto
Sugestões de temas para o pré projeto
 
Temas para projetos
Temas para projetosTemas para projetos
Temas para projetos
 
Pesquisa qualitativa
Pesquisa qualitativaPesquisa qualitativa
Pesquisa qualitativa
 
O projeto de pesquisa introdução
O projeto de pesquisa  introduçãoO projeto de pesquisa  introdução
O projeto de pesquisa introdução
 
Projeto Pedro
Projeto PedroProjeto Pedro
Projeto Pedro
 
Projeto de Ensino e Projeto de Aprendizagem
Projeto de Ensino e Projeto de AprendizagemProjeto de Ensino e Projeto de Aprendizagem
Projeto de Ensino e Projeto de Aprendizagem
 
Pré-Projeto de Pesquisa
Pré-Projeto de PesquisaPré-Projeto de Pesquisa
Pré-Projeto de Pesquisa
 
O PRECONCEITO LINGUÍSTICO NO AMBIENTE ESCOLAR: COMO PREVENIR?
O PRECONCEITO LINGUÍSTICO NO AMBIENTE ESCOLAR: COMO PREVENIR?O PRECONCEITO LINGUÍSTICO NO AMBIENTE ESCOLAR: COMO PREVENIR?
O PRECONCEITO LINGUÍSTICO NO AMBIENTE ESCOLAR: COMO PREVENIR?
 
Questões norteadoras
Questões norteadorasQuestões norteadoras
Questões norteadoras
 
Decimales: Valor Posicional
Decimales: Valor PosicionalDecimales: Valor Posicional
Decimales: Valor Posicional
 
12 formas básicas de enseñar
12 formas básicas de enseñar12 formas básicas de enseñar
12 formas básicas de enseñar
 
Ch15
Ch15Ch15
Ch15
 
MongoDB EuroPython 2009
MongoDB EuroPython 2009MongoDB EuroPython 2009
MongoDB EuroPython 2009
 
Curso deferias
Curso deferiasCurso deferias
Curso deferias
 
Utilizing Social Media to Promote Your Speaking Engagements (ILTA Speakers We...
Utilizing Social Media to Promote Your Speaking Engagements (ILTA Speakers We...Utilizing Social Media to Promote Your Speaking Engagements (ILTA Speakers We...
Utilizing Social Media to Promote Your Speaking Engagements (ILTA Speakers We...
 
Dossier prensa COTIF 2016
Dossier prensa COTIF 2016Dossier prensa COTIF 2016
Dossier prensa COTIF 2016
 
Lecture 4.2 c++(comlete reference book)
Lecture 4.2 c++(comlete reference book)Lecture 4.2 c++(comlete reference book)
Lecture 4.2 c++(comlete reference book)
 
Las 48 leyes del poder
Las 48 leyes del poderLas 48 leyes del poder
Las 48 leyes del poder
 
Cine
CineCine
Cine
 
Evangelio Ilutsrado, 4º Domingo de Pascua
Evangelio Ilutsrado, 4º Domingo de PascuaEvangelio Ilutsrado, 4º Domingo de Pascua
Evangelio Ilutsrado, 4º Domingo de Pascua
 

Semelhante a Como elaborar projeto de pesquisa qualitativa

Modelo projeto-mestrado
Modelo projeto-mestradoModelo projeto-mestrado
Modelo projeto-mestradopery-ap
 
ESCREVER UM ARTIGO CIENTIFICO PASSO-A-PASSO.pdf
ESCREVER UM ARTIGO CIENTIFICO PASSO-A-PASSO.pdfESCREVER UM ARTIGO CIENTIFICO PASSO-A-PASSO.pdf
ESCREVER UM ARTIGO CIENTIFICO PASSO-A-PASSO.pdfREVISTA CIENTIFICA TCHIEZA
 
Pesquisa cientifica i projeto de atuação
Pesquisa cientifica i projeto de atuaçãoPesquisa cientifica i projeto de atuação
Pesquisa cientifica i projeto de atuaçãoMara Salvucci
 
Metodologiacientificajurema 101121114802-phpapp02
Metodologiacientificajurema 101121114802-phpapp02Metodologiacientificajurema 101121114802-phpapp02
Metodologiacientificajurema 101121114802-phpapp02Tarcísio Pedro Chokombonge
 
Metodologia cientifica - projeto de pesquisa
Metodologia cientifica - projeto de pesquisaMetodologia cientifica - projeto de pesquisa
Metodologia cientifica - projeto de pesquisaAlfeu Barreto
 
PALESTRA UEM 28.11-PROJETO VALERIA GAL.ppt
PALESTRA UEM 28.11-PROJETO VALERIA GAL.pptPALESTRA UEM 28.11-PROJETO VALERIA GAL.ppt
PALESTRA UEM 28.11-PROJETO VALERIA GAL.pptPauloHenriqueMartins51
 
Aula 1. metodologia científica
Aula 1. metodologia científicaAula 1. metodologia científica
Aula 1. metodologia científicaMarina Atzingen
 
Metodologia Princípios
Metodologia PrincípiosMetodologia Princípios
Metodologia PrincípiosFriFri
 
Carla Dieguez - Plano de projeto de pesquisa - FESP 2014
Carla Dieguez - Plano de projeto de pesquisa - FESP 2014Carla Dieguez - Plano de projeto de pesquisa - FESP 2014
Carla Dieguez - Plano de projeto de pesquisa - FESP 2014Helio de Miranda
 
Guia de Elaboração de Monografia e Dissertação - final 08.06.16.pdf
Guia de Elaboração de Monografia e Dissertação - final 08.06.16.pdfGuia de Elaboração de Monografia e Dissertação - final 08.06.16.pdf
Guia de Elaboração de Monografia e Dissertação - final 08.06.16.pdfssuserc88486
 

Semelhante a Como elaborar projeto de pesquisa qualitativa (20)

Como elaborar um projeto
Como elaborar um projetoComo elaborar um projeto
Como elaborar um projeto
 
Projeto de pesquisa
Projeto de pesquisa Projeto de pesquisa
Projeto de pesquisa
 
Modelo de Projeto de dissertação
Modelo de Projeto de dissertaçãoModelo de Projeto de dissertação
Modelo de Projeto de dissertação
 
Modelo projeto-mestrado
Modelo projeto-mestradoModelo projeto-mestrado
Modelo projeto-mestrado
 
ESCREVER UM ARTIGO CIENTIFICO PASSO-A-PASSO.pdf
ESCREVER UM ARTIGO CIENTIFICO PASSO-A-PASSO.pdfESCREVER UM ARTIGO CIENTIFICO PASSO-A-PASSO.pdf
ESCREVER UM ARTIGO CIENTIFICO PASSO-A-PASSO.pdf
 
Projeto de Pré-Pesquisa
Projeto de Pré-PesquisaProjeto de Pré-Pesquisa
Projeto de Pré-Pesquisa
 
Projeto de pesquisa 2013
Projeto de pesquisa 2013Projeto de pesquisa 2013
Projeto de pesquisa 2013
 
Pesquisa cientifica i projeto de atuação
Pesquisa cientifica i projeto de atuaçãoPesquisa cientifica i projeto de atuação
Pesquisa cientifica i projeto de atuação
 
Metodologiacientificajurema 101121114802-phpapp02
Metodologiacientificajurema 101121114802-phpapp02Metodologiacientificajurema 101121114802-phpapp02
Metodologiacientificajurema 101121114802-phpapp02
 
Metodologia cientifica - projeto de pesquisa
Metodologia cientifica - projeto de pesquisaMetodologia cientifica - projeto de pesquisa
Metodologia cientifica - projeto de pesquisa
 
PALESTRA UEM 28.11-PROJETO VALERIA GAL.ppt
PALESTRA UEM 28.11-PROJETO VALERIA GAL.pptPALESTRA UEM 28.11-PROJETO VALERIA GAL.ppt
PALESTRA UEM 28.11-PROJETO VALERIA GAL.ppt
 
Metodologia de Pesquisa- Aula 1 - Marisa Rossinholi
Metodologia de Pesquisa- Aula 1 - Marisa RossinholiMetodologia de Pesquisa- Aula 1 - Marisa Rossinholi
Metodologia de Pesquisa- Aula 1 - Marisa Rossinholi
 
P2 noite
P2 noiteP2 noite
P2 noite
 
SLIDE FAEPI.pdf
SLIDE FAEPI.pdfSLIDE FAEPI.pdf
SLIDE FAEPI.pdf
 
Aula 1. metodologia científica
Aula 1. metodologia científicaAula 1. metodologia científica
Aula 1. metodologia científica
 
Metodologia científica
Metodologia científicaMetodologia científica
Metodologia científica
 
Pesquisa
PesquisaPesquisa
Pesquisa
 
Metodologia Princípios
Metodologia PrincípiosMetodologia Princípios
Metodologia Princípios
 
Carla Dieguez - Plano de projeto de pesquisa - FESP 2014
Carla Dieguez - Plano de projeto de pesquisa - FESP 2014Carla Dieguez - Plano de projeto de pesquisa - FESP 2014
Carla Dieguez - Plano de projeto de pesquisa - FESP 2014
 
Guia de Elaboração de Monografia e Dissertação - final 08.06.16.pdf
Guia de Elaboração de Monografia e Dissertação - final 08.06.16.pdfGuia de Elaboração de Monografia e Dissertação - final 08.06.16.pdf
Guia de Elaboração de Monografia e Dissertação - final 08.06.16.pdf
 

Mais de Lucinea Lima Lacerda

Abordagem panorâmica das redes sociais para o público da boa idade
Abordagem panorâmica das redes sociais para o público da boa idadeAbordagem panorâmica das redes sociais para o público da boa idade
Abordagem panorâmica das redes sociais para o público da boa idadeLucinea Lima Lacerda
 
Sacoleiras: Um conceito para agentes de comercialização
Sacoleiras: Um conceito para agentes de comercializaçãoSacoleiras: Um conceito para agentes de comercialização
Sacoleiras: Um conceito para agentes de comercializaçãoLucinea Lima Lacerda
 
Apresentação moda e estética do corpo
Apresentação moda e estética do corpoApresentação moda e estética do corpo
Apresentação moda e estética do corpoLucinea Lima Lacerda
 
Moda vestuário símbolo de distinção na contemporaneidade
Moda vestuário símbolo de distinção na contemporaneidadeModa vestuário símbolo de distinção na contemporaneidade
Moda vestuário símbolo de distinção na contemporaneidadeLucinea Lima Lacerda
 
Evolução do conceito de marketing
Evolução do conceito de marketingEvolução do conceito de marketing
Evolução do conceito de marketingLucinea Lima Lacerda
 
Introdução à administração de vendas
Introdução à administração de vendasIntrodução à administração de vendas
Introdução à administração de vendasLucinea Lima Lacerda
 
Gestão de vendas primeiros conceitos
Gestão de vendas   primeiros conceitosGestão de vendas   primeiros conceitos
Gestão de vendas primeiros conceitosLucinea Lima Lacerda
 

Mais de Lucinea Lima Lacerda (15)

Abordagem panorâmica das redes sociais para o público da boa idade
Abordagem panorâmica das redes sociais para o público da boa idadeAbordagem panorâmica das redes sociais para o público da boa idade
Abordagem panorâmica das redes sociais para o público da boa idade
 
Sacoleiras: Um conceito para agentes de comercialização
Sacoleiras: Um conceito para agentes de comercializaçãoSacoleiras: Um conceito para agentes de comercialização
Sacoleiras: Um conceito para agentes de comercialização
 
Apresentação moda e estética do corpo
Apresentação moda e estética do corpoApresentação moda e estética do corpo
Apresentação moda e estética do corpo
 
Estratégia: Conhecendo conceitos
Estratégia: Conhecendo conceitosEstratégia: Conhecendo conceitos
Estratégia: Conhecendo conceitos
 
Proposta de uma metodologia
Proposta de uma metodologiaProposta de uma metodologia
Proposta de uma metodologia
 
Produtividade
ProdutividadeProdutividade
Produtividade
 
Sobre Startup
Sobre StartupSobre Startup
Sobre Startup
 
Você é um empreendedor?
Você é um empreendedor?Você é um empreendedor?
Você é um empreendedor?
 
Você sabe vender?
Você sabe vender?Você sabe vender?
Você sabe vender?
 
Moda vestuário símbolo de distinção na contemporaneidade
Moda vestuário símbolo de distinção na contemporaneidadeModa vestuário símbolo de distinção na contemporaneidade
Moda vestuário símbolo de distinção na contemporaneidade
 
Evolução do conceito de marketing
Evolução do conceito de marketingEvolução do conceito de marketing
Evolução do conceito de marketing
 
Introdução à administração de vendas
Introdução à administração de vendasIntrodução à administração de vendas
Introdução à administração de vendas
 
Gestão de vendas primeiros conceitos
Gestão de vendas   primeiros conceitosGestão de vendas   primeiros conceitos
Gestão de vendas primeiros conceitos
 
Quem sou eu?
Quem sou eu?Quem sou eu?
Quem sou eu?
 
Dicas de recrutamento e seleção
Dicas de recrutamento e seleçãoDicas de recrutamento e seleção
Dicas de recrutamento e seleção
 

Último

PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basicoPRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basicoSilvaDias3
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfEyshilaKelly1
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfErasmo Portavoz
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mentalADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mentalSilvana Silva
 

Último (20)

PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basicoPRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mentalADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
 

Como elaborar projeto de pesquisa qualitativa

  • 1. Sugestões para elaboração de projeto de pesquisa qualitativa I Workshop Recife, agosto, 2014
  • 2.  Lucinea Lima Lacerda: E-mail: lucinealima1@hotmail.com Facilitadora
  • 3.  “É produzir conhecimento”; é um “aprofundamento consciente na busca de uma resposta ou solução a uma dúvida ou problema, em geral do quadro de referência de conhecimentos anteriores. Isto mostra que a pesquisa está enquadrada dentro de um escopo limitado, mas dinâmico”. Neves e Neves, 2010. O que é pesquisar?
  • 4. “A pesquisa qualitativa parte da ideia de que os métodos e a teoria devem ser adequados àquilo que se estuda. E que usa o texto como material empírico (em vez de números), parte da noção da construção social das realidades em estudo, e está interessada nas perspectivas dos participantes, em suas práticas do dia a dia e em seu conhecimento cotidiano relativo à questão em estudo” (FLICK, 2009, p. 9; p. 16). Pesquisa Qualitativa 1/3
  • 5. A pesquisa qualitativa também: “pode ser caracterizada como a tentativa de uma compreensão detalhada dos significados e características situacionais apresentadas pelos entrevistados, em lugar da produção de medidas quantitativas de características comportamentais” (RICHARDSON, 2008, p. 326; p. 90). Pesquisa Qualitativa 2/3
  • 6.  Em síntese: “Esse tipo de pesquisa visa a abordar o mundo “lá fora” (e não em contextos especializados de pesquisa, como os laboratórios) e entender, descrever e, às vezes, explicar os fenômenos sociais “de dentro” de diversas maneiras diferentes”. (GIBBS, 2009, p.8): Pesquisa Qualitativa 3/3
  • 7.  “Podem surgir uma ou várias soluções de um problema”. Portanto far-se-á necessário:  “Dominar a realidade do assunto que o certa, sintetizando as principais abordagens, metodologias e métodos, e  Criar meios de solucionar o problema”. Neves e Neves, 2010. Desafios para o pesquisador (a)
  • 8.  Juliatto e Bortolozzi apud Neves e Neves (2010) definem Projeto de Pesquisa como: um instrumento básico que situa o problema no tempo e delimita as ações, define a metodologia a seguir, prevê os recursos materiais necessários, a análise dos dados, o período de execução e o destino dos resultados. O Projeto de Pesquisa
  • 9.  Resumo  1. Introdução  2. Justificativa  3. Fundamentos Teóricos Conceituais  4. Problema de Pesquisa  5. Objetivo Geral 5.1 Objetivos específicos  6. Metodologia  7. Cronograma  8. Referências bibliográficas 1.ESTRUTURA DO PROJETO DE PESQUISA.docx
  • 10.  Sugere-se realizar uma contextualização sobre o tema a ser pesquisado.  Tem o propósito de “situar” o leitor no tempo, no espaço, na cultura ou mesmo na história.  Em outras palavras: introduzir o leitor no tema proposto pelo pesquisador(a). Introdução
  • 11.  “Explicitam-se os motivos de ordem teórica e prática que justificam a pesquisa”. Ou seja,  “Por que se deseja fazer a pesquisa?” Pode ser: “Modo como foi escolhido o fenômeno para ser pesquisado e como surgiu o problema levantado para o estudo; Apresentação das razões em defesa do estudo realizado.” (Richardson, 2008, p. 55) Justificativa 1/2
  • 12.  “Relação do problema a ser estudado com o contexto social;  Explicação dos motivos que justifiquem a pesquisa nos planos teórico e prático. Possíveis contribuições do estudo para o conhecimento humano e para a solução do problema em questão;  Fundamentação da viabilidade de execução da proposta de estudo...” (Richardson, 2008, p. 55) Justificativa 2/2
  • 13.  “O pesquisador deve decidir a corrente epistemológica que orientará o trabalho que pretende realizar. Em seguida estudará em nível macro, dentro da corrente escolhida, as diversas aproximações ao fenômeno. Isso implica a revisão do conhecimento acumulado até o momento da pesquisa”.  “Três principais correntes das ciências sociais no século XX: o positivismo lógico, o estruturalismo e o materialismo dialético.” (RICHARDSON, 2008, p. 60) Marco Teórico ou Quadro Referencial
  • 14. “A amostragem teórica permite introduzir diversidade e variedade nos dados. Como aponta Glaser e Strauss, bem como Charmaz, ela deve ser sempre movida pela teoria – o estado da teoria em desenvolvimento no estudo. Sendo assim, é basicamente uma abordagem que visa construir uma ponte entre a estrutura que se desenvolve (na teoria) e a variância existente (no campo ou fenômeno)”. (FLICK, 2009, p. 47) Fundamentos Teóricos Conceituais/ Estado da Arte/ Revisão de Literatura 2/2
  • 15.  Nesta etapa o pesquisador(a) através da pesquisa bibliográfica exploratória “acumulou” “referência a tudo o que se escreveu sobre” o tema que deseja pesquisar;  “O pesquisador deverá realizar uma interpretação do fenômeno, historicamente ou apenas na fase atual, analisando criticamente as diversas concepções e perspectivas apresentadas[...] levando em consideração: proposições, leis, princípios e etc.” (RICHADSON, 2008, p. 60) Fundamentos Teóricos Conceituais/ Estado da Arte/ Revisão de Literatura 2/2
  • 16. A formulação do problema prende-se ao tema proposto: ela esclarece a dificuldade específica com a qual se defronta e que se pretende resolver por intermédio da pesquisa. Para ser cientificamente válido, um problema deve passar pelo crivo das seguintes questões: - Pode ser o problema enunciado em forma de pergunta? - Corresponde a interesses pessoais (capacidade), sociais e científicos, isto é, de conteúdo e metodológicos? Esses interesses estão harmonizados? Continua... Problema de Pesquisa 1/4
  • 17. - Constitui-se o problema em questão científica, ou seja, relacionam-se entre si pelo menos duas variáveis? - Pode ser objeto de investigação sistemática, controlada e crítica? - Pode ser empiricamente verificado em suas consequências? (Shrader, 1974:20) (LAKATOS, 1992, p. 103-104) Problema de Pesquisa 2/4
  • 18. O pesquisador deve fazer uma pergunta baseado na observação de um fenômeno. Às vezes, a pergunta é escolhida para resolver um problema específico. Outras vezes, a pergunta surge da curiosidade. De fato, a curiosidade tem resultado em importantes contribuições para compreender a natureza e para criar as bases de uma ciência aplicada. Se desejamos uma resposta, a pergunta deve ser realista. Não existe pesquisador ou grupo de pesquisadores que trabalhem isolados do mundo. (RICHARDSON, 2008, p. 27). Problema de Pesquisa 3/4
  • 19. Para preparar um estudo qualitativo atualizado, é necessário: desenvolver uma ideia geral e um interesse em uma pergunta de pesquisa mais ou menos dirigida; Assumir uma perspectiva de pesquisa (e saber por quê) e atualizar-se com a teoria e a literatura em vários níveis (epistemológico, teórico, metódico, sobre a questão em si, etc.) (FLICK, 2009). Problema de Pesquisa 4/4
  • 20. “Explicitam-se os objetivos gerais e específicos a serem utilizados durante a investigação. Esses deverão ser extraídos do problema”. Objetivo Geral: “Define de um modo geral, o que se pretende alcançar com a realização da pesquisa”; Objetivos específicos: “ Define etapas que devem ser cumpridas para alcançar o objetivo geral. (RICHARDSON, 2008, p. 62) Objetivos da Pesquisa
  • 21.  A metodologia “nas ciências humanas e sociais, bem como nas ciências naturais, representa um caminho essencial através do qual se efetua o progresso científico” (OUTHWAITE, 1996, p. 465). Ou seja, a metodologia “engloba métodos de abordagem e de procedimento, e técnicas” (LAKATOS, 1990, p. 29). Metodologia 1/4
  • 22.  “As teorias são muito importantes no processo de investigação em ciências sociais. Elas proporcionam a adequada definição de conceitos, bem como o estabelecimento de sistemas conceituais; indicam lacunas no conhecimento; auxiliam na construção de hipóteses; explicam, generalizam e sintetizam os conhecimentos e sugerem a metodologia apropriada a investigação” (Trujillo Ferrari, 1982, p. 119 apud GIL, 1987, p. 37) Metodologia 3/4
  • 23.  Sugere-se que a elaboração do cronograma seja realizada a partir do calendário proposto pelo programa, de modo que o pesquisador (a) possa administrar o seu tempo entre a pesquisa, as disciplinas, as participações em seminários, congressos e sobretudo entre a vida pessoal, profissional e acadêmica (onde esta última requer cada vez mais dedicação exclusiva). É nesse momento que o pesquisador(a) utilizará de sua resiliência [...] CronogramaV2.xlsx
  • 24.  Esta apresentação é a síntese do resultado da experiência da elaboração do projeto de pesquisa das facilitadoras para um programa específico. O mesmo foi elaborado a partir de conceitos de autores de referência em pesquisa qualitativa nas ciências sociais. Continua... Considerações 1/2
  • 25.  Recomenda-se a criteriosa observação do pesquisador(a) do modelo do projeto de pesquisa do programa ao qual deseja submeter o projeto de pesquisa para que tenha êxito em sua avaliação. (LACERDA, 2014) Considerações 2/2
  • 26. .FLICK, Uwe. Desenho da pesquisa qualitativa / tradução Roberto Cataldo Costa ; consultoria, supervisão e revisão técnica desta edição Dirceu da Silva. – Porto Alegre : Artmed, 2009. .FLICK, Uwe. Qualidade na pesquisa qualitativa / Uwe Flick ; tradução Roberto Cataldo Costa ; consultoria, supervisão e revisão técnica desta edição Dirceu da Silva. – Porto Alegre : Artmed, 2009. Referências bibliográficas 1/3
  • 27. .GIBBS, Graham. Análise de dados qualitativos. São Paulo: Bookman, 2009. .GIL, Antônio Carlos. 1946 – Métodos e técnicas de pesquisa social / Antônio Carlos Gil. São Paulo : Atlas, 1987. .LAKATOS, Eva Maria. Sociologia geral / Eva Maria Lakatos, Marina de Andrade Marconi, colaboradora. 6. ed. rev. e ampl. – São Paulo : Atlas, 1990. Referências bibliográficas 2/3
  • 28. .NEVES, Jane Aparecida Buzzi Pereira. NEVES, Luiz Antônio Pereira. Como planejar uma Pesquisa Cientifica. Volume 3 – Número 3 – Dezembro 2010 | SBC HORIZONTES | 26. .RICHARDSON, Roberto Jarry. Pesquisa Social : métodos e técnicas / Roberto Jarry Richardson; colaboradores José Augusto de Souza Peres...(et al.). – 3. Ed. – 8. reimp. – São Paulo : Atlas, 2008. Referências bibliográficas 3/3