SlideShare uma empresa Scribd logo
ELEMENTOS DO
PROJETO DE PESQUISA
Profª. Drª. Valéria Silva Galdino Cardin
PESQUISA EM GERAL E PESQUISA JURÍDICA
A atividade básica da ciência é a pesquisa. Pesquisa é
a atividade científica que procura desvendar a realidade
além da superfície. Contudo qualquer esquema
explicativo jamais esgota a realidade.
Em função do objeto a investigar e da abordagem
teórica, a pesquisa pode ter diferentes classificações:
a) pesquisa bibliográfica: é aquela pesquisa que
procura explicar um problema a partir de referências teóricas
publicadas em documentos. Exemplos: livros, monografias,
dissertações, teses,etc.
b) pesquisa descritiva: tem como objetivo
descrever, registrar, analisar, interpretar e correlacionar
fatos ou fenômenos. Este tipo de pesquisa trabalha com
dados ou fatos colhidos da própria realidade. Para
visualizar a coleta de dados são utilizados como
instrumentos a observação, a entrevista, o questionário e
o formulário.
c) pesquisa experimental: caracteriza-se por
manipular variáveis relacionadas com o objeto de estudo,
buscando estabelecer relações de causa e efeito. A busca
dessas relações dá-se através da criação de situações
artificiais de controle, denominada experimentação.
Pode-se citar como exemplo a pesquisa realizada em
laboratório e a pesquisa médica.
PESQUISA JURÍDICA
A pesquisa é deveras necessária àqueles que
desejam iniciar a produção científica na área jurídica. O
Direito só evolui como ciência, quando há pesquisadores.
O estudo doutrinário, a compilação de textos, a leitura de
artigos, a atualização jurisprudencial são passos
indispensáveis para a pesquisa.
A pesquisa, contudo, é apenas a encetadura da
produção científica. Após ela vem o plano da obra e
finalmente a redação, que exige linguagem adequada e
precisa.
A metodologia da aprendizagem e da pesquisa
jurídica são fundamentais para tornar viável e eficaz o
tencionado plano de obra. Sem elas, a sistematização não
se verifica. E sem sistematização o trabalho não obterá
coloração científica, permanecendo numa dimensão
ordinária vulgar.
O PROJETO DE PESQUISA JURÍDICA
O projeto de pesquisa jurídica é um documento
sucinto (normalmente entre 3 e 8 páginas) que especifica
qual o problema de pesquisa a ser estudado, a justificativa
acerca da importância desse estudo, um levantamento
básico das idéias e autores ligados ao tema, dentre outras
informações.
O projeto de pesquisa é a primeira grande etapa do
processo de elaboração, execução e apresentação da
pesquisa.
Todo projeto de pesquisa é um esquema de coleta, de
mensuração e de análise de dados. Serve como um
instrumento ao cientista, auxiliando-o na distribuição de seus
recursos, que, na maioria das vezes, são limitados. Auxilia
também a estabelecer uma abordagem mais focalizada
sobre um determinado problema, caminhando da definição
do problema às metas gerais e específicas da pesquisa,
além de se indicar os procedimentos metodológicos
necessários para a consecução de tais metas.
É bom enfatizar que o ato de projetar significa antever
e metodizar as etapas ou fases para a operacionalização de
um trabalho dado.
De certa maneira, o projeto de pesquisa trará
elementos para responder às questões fundamentais: O que
pesquisar? Por que se deseja fazer a pesquisa? Como
pesquisar? Com quais recursos? Em que período?
Diante do exposto, pode-se afirmar que a elaboração
de um projeto de pesquisa seguro envolve, em primeiro
lugar, uma pesquisa e leitura genérica de material acerca do
tema escolhido. Isso se realiza através de um levantamento
bibliográfico preliminar, no qual se elabora relatório de leitura
do material coletado e avaliado.
Como bases, para elaboração do projeto, deverão
ser utilizadas as NBR 10520, NBR 14724, NBR 15287,
NBR 6023, NBR 6024, NBR 6027 e NBR 6028.
ELABORAÇÃO DO PROJETO DE PESQUISA
Antes de redigir um projeto de pesquisa, alguns
passos devem ser dados. Em primeiro lugar, para se
determinar em torno de que assunto a pesquisa será
projetada, é preciso proceder a uma precisa delimitação
do tema, ou seja, do assunto específico, dentro de certa
área de conhecimento, que será objeto de estudo na
dissertação.
Num primeiro momento, deve-se escolher um tema
genérico, uma área do conhecimento jurídico da qual se
extrairá o assunto específico a ser especificado através da
delimitação.
A escolha do tema deve se adequar à vocação, à
qualificação e aos objetivos profissionais do pesquisador.
Na elaboração do projeto de pesquisa, bem como
em todos os momentos posteriores de realização do
trabalho científico ali proposto, não se deve perder de
vista, em hipótese alguma, as normas formais
estabelecidas pela Associação Brasileira de Normas
Técnicas (ABNT).
CONSTRUÇÃO DO PROJETO DE PESQUISA
Em primeiro lugar, é importante estabelecer uma
estrutura formal básica a ser seguida.
Na Universidade Estadual de Maringá os projetos
devem obedecer a formulários próprios, disponibilizados na
internet pela instituição.
ELEMENTOS DO PROJETO DE
PESQUISA
INTRODUÇÃO
A apresentação do projeto de pesquisa destina-se a
identificar o trabalho a ser realizado, bem como o
indivíduo, ou indivíduos, que se propõe a realizar a
pesquisa projetada, qualificando-o da forma mais
completa e direta possível.
Tem início com a boa elaboração da capa do
projeto, onde se indicam os elementos essenciais à
identificação do estudo que se pretende realizar,
mormente a instituição a que, de alguma forma, se vincula
a proposta de trabalho; o título do trabalho que se projeta;
e o nome do pesquisador (ou pesquisadores) que propõe
a pesquisa.
RESUMO
O Resumo deve apresentar, de forma
clara e concisa, o objetivo da pesquisa, a
essência da proposta de pesquisa: a
identificação e caracterização do(s)
problema(s), objetivos, síntese da metodologia
e resultados esperados. Deve ser elaborado
em um único parágrafo e digitado com
espaçamento simples entre linhas.
Palavras-chave são as palavras que
indiquem a natureza ou objetos de pesquisa e
que não estejam contidas no título do projeto.
PALESTRA UEM 28.11-PROJETO VALERIA GAL.ppt
OBJETIVOS
A especificação dos objetivos de uma pesquisa
consiste em indicar os fins a que a mesma se destina,
apresentando, em primeiro lugar, o tema da pesquisa, ou
seja, o assunto que nela será desenvolvido.
Esse tema, entretanto, deve ser objeto, também na
exposição de objetivos da pesquisa, de uma clara
delimitação, isto é, de uma especificação de quais os
aspectos, dentro do tema geral, que serão efetivamente
abordados na pesquisa. Tal especificação se dá a partir das
variáveis verificadas nos estudos que precederam a
elaboração do projeto.
Por outro lado, pode-se dividir os objetivos (ou
finalidades da pesquisa) expostos em:
-objetivos gerais, envolvendo os resultados que se pretende
obter numa visão teórica mais global do tema; e
- objetivos específicos, com caráter mais prático e mais
concreto. Estes últimos têm uma função intermediária e
instrumental, permitindo, de um lado, atingir o objetivo geral
e, de outro, aplicá-lo a situações particulares.
PALESTRA UEM 28.11-PROJETO VALERIA GAL.ppt
JUSTIFICATIVA
É o único item do projeto que apresenta respostas à
questão “por quê?” Consiste numa exposição sucinta, das
razões de ordem teórica e dos motivos de ordem prática que
tornam importante a realização da pesquisa. Deve enfatizar:
a) O estágio em que se encontra a teoria respeitante ao
tema;
b) As contribuições teóricas que a pesquisa pode
trazer; especificação para os casos particulares,
resolução de pontos obscuros, etc.;
c) Importância do tema do ponto de vista geral;
d) Importância do tema para os casos particulares em
questão;
e) Pertinência e orientações na busca de soluções
para a problemática do tema;
f) Possibilidade de sugerir modificações no âmbito da
realidade abarcada pelo tema.
Este item deve:
a)Apresentar elementos que responderão à pergunta “por
quê se pretende realizar a pesquisa?”. Nessa
apresentação o pesquisador pode demonstrar a
relevância da pesquisa em relação ao contexto social
atual, por exemplo.
b) Explicação dos motivos que indicam a viabilidade de
execução da proposta. Aqui são incluídos os itens
relacionados à viabilidade técnica, financeira e política.
c) Referência aos aspectos que garantem a originalidade do
trabalho. Ressaltar os elementos inovadores do trabalho
do pesquisador, em relação ao quadro referencial teórico
anteriormente elaborado.
PALESTRA UEM 28.11-PROJETO VALERIA GAL.ppt
METODOLOGIA
Responde às questões “Como?”, “Com quê?”,
“Onde?”, “Quanto?”. Corresponde aos seguintes
componentes:
– Método de abordagem: se caracteriza por uma
abordagem mais ampla, em nível de abstração mais
elevado, dos fenômenos da natureza e da sociedade. É
portanto, denominado método de abordagem que engloba o
indutivo, o dedutivo, o hipotético-dedutivo e o dialético.
PALESTRA UEM 28.11-PROJETO VALERIA GAL.ppt
Métodos de procedimento
Nas ciências sociais os principais métodos de
procedimento são: comparativo, estatístico, histórico,
monográfico ou estudo de caso, tipológico, funcionalista,
estruturalista.
Verificaremos, aqui, apenas os principais métodos
atinentes a ciência como o Direito.
Método indutivo
Processo mental por intermédio do qual, partindo de
dados particulares, infere-se uma verdade geral ou
universal, não contida nas partes examinadas.
Método dedutivo
O ponto de partida é o antecedente, que afirma uma
verdade universal, e o ponto de chegada é o conseqüente,
que afirma uma verdade menos geral ou particular contida
implicitamente no primeiro.
Método dialético
A dialética é um método que considera todo e qualquer
objeto de estudo como algo em movimento, direcionando o
objeto das ciências às contradições formadas por esse
movimento da realidade, enquanto composta por fatores
opostos.
Método histórico
Consiste em investigar os acontecimentos, os fatos e as
instituições estabelecidas no passado e que sirvam de
referência, panorama e origem sobre o que pretende
investigar.
Método comparativo
Consiste em realizar comparações possíveis de serem
realizadas sobre o tema/problema a fim de verificar
semelhanças e explicar as divergências existentes sobre o
assunto a ser tratado.
Método estatístico
Os processos estatísticos permitem obter, de
conjuntos complexos, representações simples, e constatar
se essas verificações simplificadas têm relações entre si.
Método teórico
Este método é fundamentado na bibliografia existente
sobre o tema/problema da pesquisa, sua finalidade é
colocar o pesquisador em contato com o que já foi
produzido e registrado sobre o assunto (tema/problema).
Método de compilação
O pesquisador deve demonstrar que examinou o
maior número possível de obras publicadas sobre o assunto
versado, sendo capaz de organizar as varias opiniões,
antepô-las logicamente quando se apresentarem
antagônicas ou, harmonizar os pontos de vista existentes na
mesma direção.
Método teórico-empírico
E ste método é caracterizado pela junção do método
teórico (pautados nas obras e publicações existentes) e a
chamada pesquisa de campo, isto é, estudos exploratórios
que incorporem o tema/problema a ser pesquisado, em sua
realidade efetiva, como existe no mundo fático, na prática
real.
Método de estudo de caso
Sugere uma análise especifica da relação entre um
caso real e hipóteses, modelos teóricos e padrões de
comportamentos. Sua característica maior é propor uma
solução ou mudanças no contexto analisado.
Método estatístico
Também chamado de quantitativo, fundamenta-se na
utilização de teoria estatística das probabilidades que
permitem comprovar as relações entre os fenômenos, obter
generalizações sobre sua natureza, ocorrência ou
significado.
PLANO INDIVIDUAL DE TRABALHO
Caso o projeto seja executado por mais de um
pesquisador, importante detalhar as atividades que
serão desenvolvidas por cada um deles com a
distribuição das responsabilidades e atribuições
individuais e da metas a serem atingidas pelo
membro da equipe.
REFERÊNCIAS
A lista de referências ao final do projeto
deverão seguir as normas da ABNT.
As referências podem ser identificadas por duas
categorias de componentes: elementos essenciais e elementos
complementares.
PALESTRA UEM 28.11-PROJETO VALERIA GAL.ppt
CRONOGRAMA
A pesquisa deve ser dividida em partes, fazendo-se a
previsão do tempo necessário para passar de uma fase a
outra.
PALESTRA UEM 28.11-PROJETO VALERIA GAL.ppt
Elaborado esse cronograma, é conveniente que se
o faça acompanhar por um esboço de orçamento,
especificando de forma clara os gastos envolvidos em
cada fase da pesquisa projetada. Esses gastos dividem-
se, basicamente, em três categorias:
a) Materiais fixos: livros, computadores, aparelhos de
telefone, etc.
b) Materiais consumíveis: papel, tinta de impressora, etc.
c) Pessoal: referentes aos realizadores da pesquisa, no
exercício da atividade.
PALESTRA UEM 28.11-PROJETO VALERIA GAL.ppt
PALESTRA UEM 28.11-PROJETO VALERIA GAL.ppt
Só aqueles que têm paciência
para fazer coisas simples com
perfeição é que irão adquirir
habilidade para fazer coisas
difíceis com facilidade.
(Johann Christoph Von Schiller)

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a PALESTRA UEM 28.11-PROJETO VALERIA GAL.ppt

Classificacao das pesquisas
Classificacao das pesquisasClassificacao das pesquisas
Classificacao das pesquisas
Andreza Patrícia Martins
 
Como elaborar-um-projeto-de-pesquisa-de-iniciação-científica
Como elaborar-um-projeto-de-pesquisa-de-iniciação-científicaComo elaborar-um-projeto-de-pesquisa-de-iniciação-científica
Como elaborar-um-projeto-de-pesquisa-de-iniciação-científica
roupanova
 
Modelo de Projeto de dissertação
Modelo de Projeto de dissertaçãoModelo de Projeto de dissertação
Modelo de Projeto de dissertação
Carlos Alberto Monteiro
 
Modelo projeto-mestrado
Modelo projeto-mestradoModelo projeto-mestrado
Modelo projeto-mestrado
pery-ap
 
Os processos metodológicos da pesquisa científica
Os processos metodológicos da pesquisa científicaOs processos metodológicos da pesquisa científica
Os processos metodológicos da pesquisa científica
Precioso Clique (Oficial)
 
TCC- Capacitação de Treinamento Físico Militar
TCC- Capacitação de Treinamento Físico MilitarTCC- Capacitação de Treinamento Físico Militar
TCC- Capacitação de Treinamento Físico Militar
Hudson Junior
 
Tecnicas de pesquisa em administracao
Tecnicas de pesquisa em administracaoTecnicas de pesquisa em administracao
Tecnicas de pesquisa em administracao
Universidade Pedagogica
 
Pesquisa
PesquisaPesquisa
Projecto de elaboração de projetos de energia renováveis
Projecto de elaboração de projetos de energia renováveisProjecto de elaboração de projetos de energia renováveis
Projecto de elaboração de projetos de energia renováveis
MrioRondinho
 
Carla Dieguez - Plano de projeto de pesquisa - FESP 2014
Carla Dieguez - Plano de projeto de pesquisa - FESP 2014Carla Dieguez - Plano de projeto de pesquisa - FESP 2014
Carla Dieguez - Plano de projeto de pesquisa - FESP 2014
Helio de Miranda
 
Diretrizes avaliativas 2014_2_ped_projeto_integrador_i_ii
Diretrizes avaliativas 2014_2_ped_projeto_integrador_i_iiDiretrizes avaliativas 2014_2_ped_projeto_integrador_i_ii
Diretrizes avaliativas 2014_2_ped_projeto_integrador_i_ii
Soeli Marques
 
Aula 1. metodologia científica
Aula 1. metodologia científicaAula 1. metodologia científica
Aula 1. metodologia científica
Marina Atzingen
 
Projeto de pesquisa
Projeto de pesquisa Projeto de pesquisa
Projeto de pesquisa
Ednaura Andrade
 
Aula 18 03
Aula 18 03Aula 18 03
Aula 18 03
katiagomide
 
Projeto de Pré-Pesquisa
Projeto de Pré-PesquisaProjeto de Pré-Pesquisa
Projeto de Pré-Pesquisa
Jesrayne Nascimento
 
Projeto de pesquisa 2013
Projeto de pesquisa 2013Projeto de pesquisa 2013
Projeto de pesquisa 2013
Jesrayne Nascimento
 
Sugestões para elaboração de projeto de pesquisa qualitativa
Sugestões para elaboração de projeto de pesquisa qualitativaSugestões para elaboração de projeto de pesquisa qualitativa
Sugestões para elaboração de projeto de pesquisa qualitativa
Lucinea Lima Lacerda
 
Manual TCC Estácio disponível no site AlunoExpert
Manual TCC Estácio disponível no site AlunoExpertManual TCC Estácio disponível no site AlunoExpert
Manual TCC Estácio disponível no site AlunoExpert
Fabio Frossard
 
Aula4 _ Metodologia de Pesquisa
Aula4 _ Metodologia de PesquisaAula4 _ Metodologia de Pesquisa
Aula4 _ Metodologia de Pesquisa
Silvia Dotta
 
Metodologia de Pesquisa- Aula 1 - Marisa Rossinholi
Metodologia de Pesquisa- Aula 1 - Marisa RossinholiMetodologia de Pesquisa- Aula 1 - Marisa Rossinholi
Metodologia de Pesquisa- Aula 1 - Marisa Rossinholi
ETEC Monsenhor Antonio Magliano
 

Semelhante a PALESTRA UEM 28.11-PROJETO VALERIA GAL.ppt (20)

Classificacao das pesquisas
Classificacao das pesquisasClassificacao das pesquisas
Classificacao das pesquisas
 
Como elaborar-um-projeto-de-pesquisa-de-iniciação-científica
Como elaborar-um-projeto-de-pesquisa-de-iniciação-científicaComo elaborar-um-projeto-de-pesquisa-de-iniciação-científica
Como elaborar-um-projeto-de-pesquisa-de-iniciação-científica
 
Modelo de Projeto de dissertação
Modelo de Projeto de dissertaçãoModelo de Projeto de dissertação
Modelo de Projeto de dissertação
 
Modelo projeto-mestrado
Modelo projeto-mestradoModelo projeto-mestrado
Modelo projeto-mestrado
 
Os processos metodológicos da pesquisa científica
Os processos metodológicos da pesquisa científicaOs processos metodológicos da pesquisa científica
Os processos metodológicos da pesquisa científica
 
TCC- Capacitação de Treinamento Físico Militar
TCC- Capacitação de Treinamento Físico MilitarTCC- Capacitação de Treinamento Físico Militar
TCC- Capacitação de Treinamento Físico Militar
 
Tecnicas de pesquisa em administracao
Tecnicas de pesquisa em administracaoTecnicas de pesquisa em administracao
Tecnicas de pesquisa em administracao
 
Pesquisa
PesquisaPesquisa
Pesquisa
 
Projecto de elaboração de projetos de energia renováveis
Projecto de elaboração de projetos de energia renováveisProjecto de elaboração de projetos de energia renováveis
Projecto de elaboração de projetos de energia renováveis
 
Carla Dieguez - Plano de projeto de pesquisa - FESP 2014
Carla Dieguez - Plano de projeto de pesquisa - FESP 2014Carla Dieguez - Plano de projeto de pesquisa - FESP 2014
Carla Dieguez - Plano de projeto de pesquisa - FESP 2014
 
Diretrizes avaliativas 2014_2_ped_projeto_integrador_i_ii
Diretrizes avaliativas 2014_2_ped_projeto_integrador_i_iiDiretrizes avaliativas 2014_2_ped_projeto_integrador_i_ii
Diretrizes avaliativas 2014_2_ped_projeto_integrador_i_ii
 
Aula 1. metodologia científica
Aula 1. metodologia científicaAula 1. metodologia científica
Aula 1. metodologia científica
 
Projeto de pesquisa
Projeto de pesquisa Projeto de pesquisa
Projeto de pesquisa
 
Aula 18 03
Aula 18 03Aula 18 03
Aula 18 03
 
Projeto de Pré-Pesquisa
Projeto de Pré-PesquisaProjeto de Pré-Pesquisa
Projeto de Pré-Pesquisa
 
Projeto de pesquisa 2013
Projeto de pesquisa 2013Projeto de pesquisa 2013
Projeto de pesquisa 2013
 
Sugestões para elaboração de projeto de pesquisa qualitativa
Sugestões para elaboração de projeto de pesquisa qualitativaSugestões para elaboração de projeto de pesquisa qualitativa
Sugestões para elaboração de projeto de pesquisa qualitativa
 
Manual TCC Estácio disponível no site AlunoExpert
Manual TCC Estácio disponível no site AlunoExpertManual TCC Estácio disponível no site AlunoExpert
Manual TCC Estácio disponível no site AlunoExpert
 
Aula4 _ Metodologia de Pesquisa
Aula4 _ Metodologia de PesquisaAula4 _ Metodologia de Pesquisa
Aula4 _ Metodologia de Pesquisa
 
Metodologia de Pesquisa- Aula 1 - Marisa Rossinholi
Metodologia de Pesquisa- Aula 1 - Marisa RossinholiMetodologia de Pesquisa- Aula 1 - Marisa Rossinholi
Metodologia de Pesquisa- Aula 1 - Marisa Rossinholi
 

Último

Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdfRelatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Falcão Brasil
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
Estuda.com
 
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdfIntendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Falcão Brasil
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
SheylaAlves6
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptxAdministração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
helenawaya9
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Falcão Brasil
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdfRelatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
 
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdfIntendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptxAdministração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
 

PALESTRA UEM 28.11-PROJETO VALERIA GAL.ppt

  • 1. ELEMENTOS DO PROJETO DE PESQUISA Profª. Drª. Valéria Silva Galdino Cardin
  • 2. PESQUISA EM GERAL E PESQUISA JURÍDICA A atividade básica da ciência é a pesquisa. Pesquisa é a atividade científica que procura desvendar a realidade além da superfície. Contudo qualquer esquema explicativo jamais esgota a realidade.
  • 3. Em função do objeto a investigar e da abordagem teórica, a pesquisa pode ter diferentes classificações: a) pesquisa bibliográfica: é aquela pesquisa que procura explicar um problema a partir de referências teóricas publicadas em documentos. Exemplos: livros, monografias, dissertações, teses,etc.
  • 4. b) pesquisa descritiva: tem como objetivo descrever, registrar, analisar, interpretar e correlacionar fatos ou fenômenos. Este tipo de pesquisa trabalha com dados ou fatos colhidos da própria realidade. Para visualizar a coleta de dados são utilizados como instrumentos a observação, a entrevista, o questionário e o formulário.
  • 5. c) pesquisa experimental: caracteriza-se por manipular variáveis relacionadas com o objeto de estudo, buscando estabelecer relações de causa e efeito. A busca dessas relações dá-se através da criação de situações artificiais de controle, denominada experimentação. Pode-se citar como exemplo a pesquisa realizada em laboratório e a pesquisa médica.
  • 7. A pesquisa é deveras necessária àqueles que desejam iniciar a produção científica na área jurídica. O Direito só evolui como ciência, quando há pesquisadores. O estudo doutrinário, a compilação de textos, a leitura de artigos, a atualização jurisprudencial são passos indispensáveis para a pesquisa.
  • 8. A pesquisa, contudo, é apenas a encetadura da produção científica. Após ela vem o plano da obra e finalmente a redação, que exige linguagem adequada e precisa.
  • 9. A metodologia da aprendizagem e da pesquisa jurídica são fundamentais para tornar viável e eficaz o tencionado plano de obra. Sem elas, a sistematização não se verifica. E sem sistematização o trabalho não obterá coloração científica, permanecendo numa dimensão ordinária vulgar.
  • 10. O PROJETO DE PESQUISA JURÍDICA O projeto de pesquisa jurídica é um documento sucinto (normalmente entre 3 e 8 páginas) que especifica qual o problema de pesquisa a ser estudado, a justificativa acerca da importância desse estudo, um levantamento básico das idéias e autores ligados ao tema, dentre outras informações.
  • 11. O projeto de pesquisa é a primeira grande etapa do processo de elaboração, execução e apresentação da pesquisa. Todo projeto de pesquisa é um esquema de coleta, de mensuração e de análise de dados. Serve como um instrumento ao cientista, auxiliando-o na distribuição de seus recursos, que, na maioria das vezes, são limitados. Auxilia também a estabelecer uma abordagem mais focalizada sobre um determinado problema, caminhando da definição do problema às metas gerais e específicas da pesquisa, além de se indicar os procedimentos metodológicos necessários para a consecução de tais metas.
  • 12. É bom enfatizar que o ato de projetar significa antever e metodizar as etapas ou fases para a operacionalização de um trabalho dado. De certa maneira, o projeto de pesquisa trará elementos para responder às questões fundamentais: O que pesquisar? Por que se deseja fazer a pesquisa? Como pesquisar? Com quais recursos? Em que período?
  • 13. Diante do exposto, pode-se afirmar que a elaboração de um projeto de pesquisa seguro envolve, em primeiro lugar, uma pesquisa e leitura genérica de material acerca do tema escolhido. Isso se realiza através de um levantamento bibliográfico preliminar, no qual se elabora relatório de leitura do material coletado e avaliado.
  • 14. Como bases, para elaboração do projeto, deverão ser utilizadas as NBR 10520, NBR 14724, NBR 15287, NBR 6023, NBR 6024, NBR 6027 e NBR 6028.
  • 15. ELABORAÇÃO DO PROJETO DE PESQUISA Antes de redigir um projeto de pesquisa, alguns passos devem ser dados. Em primeiro lugar, para se determinar em torno de que assunto a pesquisa será projetada, é preciso proceder a uma precisa delimitação do tema, ou seja, do assunto específico, dentro de certa área de conhecimento, que será objeto de estudo na dissertação.
  • 16. Num primeiro momento, deve-se escolher um tema genérico, uma área do conhecimento jurídico da qual se extrairá o assunto específico a ser especificado através da delimitação. A escolha do tema deve se adequar à vocação, à qualificação e aos objetivos profissionais do pesquisador.
  • 17. Na elaboração do projeto de pesquisa, bem como em todos os momentos posteriores de realização do trabalho científico ali proposto, não se deve perder de vista, em hipótese alguma, as normas formais estabelecidas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).
  • 18. CONSTRUÇÃO DO PROJETO DE PESQUISA Em primeiro lugar, é importante estabelecer uma estrutura formal básica a ser seguida. Na Universidade Estadual de Maringá os projetos devem obedecer a formulários próprios, disponibilizados na internet pela instituição.
  • 19. ELEMENTOS DO PROJETO DE PESQUISA
  • 20. INTRODUÇÃO A apresentação do projeto de pesquisa destina-se a identificar o trabalho a ser realizado, bem como o indivíduo, ou indivíduos, que se propõe a realizar a pesquisa projetada, qualificando-o da forma mais completa e direta possível. Tem início com a boa elaboração da capa do projeto, onde se indicam os elementos essenciais à identificação do estudo que se pretende realizar, mormente a instituição a que, de alguma forma, se vincula a proposta de trabalho; o título do trabalho que se projeta; e o nome do pesquisador (ou pesquisadores) que propõe a pesquisa.
  • 21. RESUMO O Resumo deve apresentar, de forma clara e concisa, o objetivo da pesquisa, a essência da proposta de pesquisa: a identificação e caracterização do(s) problema(s), objetivos, síntese da metodologia e resultados esperados. Deve ser elaborado em um único parágrafo e digitado com espaçamento simples entre linhas. Palavras-chave são as palavras que indiquem a natureza ou objetos de pesquisa e que não estejam contidas no título do projeto.
  • 23. OBJETIVOS A especificação dos objetivos de uma pesquisa consiste em indicar os fins a que a mesma se destina, apresentando, em primeiro lugar, o tema da pesquisa, ou seja, o assunto que nela será desenvolvido. Esse tema, entretanto, deve ser objeto, também na exposição de objetivos da pesquisa, de uma clara delimitação, isto é, de uma especificação de quais os aspectos, dentro do tema geral, que serão efetivamente abordados na pesquisa. Tal especificação se dá a partir das variáveis verificadas nos estudos que precederam a elaboração do projeto.
  • 24. Por outro lado, pode-se dividir os objetivos (ou finalidades da pesquisa) expostos em: -objetivos gerais, envolvendo os resultados que se pretende obter numa visão teórica mais global do tema; e - objetivos específicos, com caráter mais prático e mais concreto. Estes últimos têm uma função intermediária e instrumental, permitindo, de um lado, atingir o objetivo geral e, de outro, aplicá-lo a situações particulares.
  • 26. JUSTIFICATIVA É o único item do projeto que apresenta respostas à questão “por quê?” Consiste numa exposição sucinta, das razões de ordem teórica e dos motivos de ordem prática que tornam importante a realização da pesquisa. Deve enfatizar:
  • 27. a) O estágio em que se encontra a teoria respeitante ao tema; b) As contribuições teóricas que a pesquisa pode trazer; especificação para os casos particulares, resolução de pontos obscuros, etc.; c) Importância do tema do ponto de vista geral; d) Importância do tema para os casos particulares em questão; e) Pertinência e orientações na busca de soluções para a problemática do tema; f) Possibilidade de sugerir modificações no âmbito da realidade abarcada pelo tema.
  • 28. Este item deve: a)Apresentar elementos que responderão à pergunta “por quê se pretende realizar a pesquisa?”. Nessa apresentação o pesquisador pode demonstrar a relevância da pesquisa em relação ao contexto social atual, por exemplo. b) Explicação dos motivos que indicam a viabilidade de execução da proposta. Aqui são incluídos os itens relacionados à viabilidade técnica, financeira e política. c) Referência aos aspectos que garantem a originalidade do trabalho. Ressaltar os elementos inovadores do trabalho do pesquisador, em relação ao quadro referencial teórico anteriormente elaborado.
  • 30. METODOLOGIA Responde às questões “Como?”, “Com quê?”, “Onde?”, “Quanto?”. Corresponde aos seguintes componentes: – Método de abordagem: se caracteriza por uma abordagem mais ampla, em nível de abstração mais elevado, dos fenômenos da natureza e da sociedade. É portanto, denominado método de abordagem que engloba o indutivo, o dedutivo, o hipotético-dedutivo e o dialético.
  • 32. Métodos de procedimento Nas ciências sociais os principais métodos de procedimento são: comparativo, estatístico, histórico, monográfico ou estudo de caso, tipológico, funcionalista, estruturalista. Verificaremos, aqui, apenas os principais métodos atinentes a ciência como o Direito.
  • 33. Método indutivo Processo mental por intermédio do qual, partindo de dados particulares, infere-se uma verdade geral ou universal, não contida nas partes examinadas. Método dedutivo O ponto de partida é o antecedente, que afirma uma verdade universal, e o ponto de chegada é o conseqüente, que afirma uma verdade menos geral ou particular contida implicitamente no primeiro.
  • 34. Método dialético A dialética é um método que considera todo e qualquer objeto de estudo como algo em movimento, direcionando o objeto das ciências às contradições formadas por esse movimento da realidade, enquanto composta por fatores opostos. Método histórico Consiste em investigar os acontecimentos, os fatos e as instituições estabelecidas no passado e que sirvam de referência, panorama e origem sobre o que pretende investigar.
  • 35. Método comparativo Consiste em realizar comparações possíveis de serem realizadas sobre o tema/problema a fim de verificar semelhanças e explicar as divergências existentes sobre o assunto a ser tratado. Método estatístico Os processos estatísticos permitem obter, de conjuntos complexos, representações simples, e constatar se essas verificações simplificadas têm relações entre si.
  • 36. Método teórico Este método é fundamentado na bibliografia existente sobre o tema/problema da pesquisa, sua finalidade é colocar o pesquisador em contato com o que já foi produzido e registrado sobre o assunto (tema/problema). Método de compilação O pesquisador deve demonstrar que examinou o maior número possível de obras publicadas sobre o assunto versado, sendo capaz de organizar as varias opiniões, antepô-las logicamente quando se apresentarem antagônicas ou, harmonizar os pontos de vista existentes na mesma direção.
  • 37. Método teórico-empírico E ste método é caracterizado pela junção do método teórico (pautados nas obras e publicações existentes) e a chamada pesquisa de campo, isto é, estudos exploratórios que incorporem o tema/problema a ser pesquisado, em sua realidade efetiva, como existe no mundo fático, na prática real.
  • 38. Método de estudo de caso Sugere uma análise especifica da relação entre um caso real e hipóteses, modelos teóricos e padrões de comportamentos. Sua característica maior é propor uma solução ou mudanças no contexto analisado. Método estatístico Também chamado de quantitativo, fundamenta-se na utilização de teoria estatística das probabilidades que permitem comprovar as relações entre os fenômenos, obter generalizações sobre sua natureza, ocorrência ou significado.
  • 39. PLANO INDIVIDUAL DE TRABALHO Caso o projeto seja executado por mais de um pesquisador, importante detalhar as atividades que serão desenvolvidas por cada um deles com a distribuição das responsabilidades e atribuições individuais e da metas a serem atingidas pelo membro da equipe.
  • 40. REFERÊNCIAS A lista de referências ao final do projeto deverão seguir as normas da ABNT. As referências podem ser identificadas por duas categorias de componentes: elementos essenciais e elementos complementares.
  • 42. CRONOGRAMA A pesquisa deve ser dividida em partes, fazendo-se a previsão do tempo necessário para passar de uma fase a outra.
  • 44. Elaborado esse cronograma, é conveniente que se o faça acompanhar por um esboço de orçamento, especificando de forma clara os gastos envolvidos em cada fase da pesquisa projetada. Esses gastos dividem- se, basicamente, em três categorias:
  • 45. a) Materiais fixos: livros, computadores, aparelhos de telefone, etc. b) Materiais consumíveis: papel, tinta de impressora, etc. c) Pessoal: referentes aos realizadores da pesquisa, no exercício da atividade.
  • 48. Só aqueles que têm paciência para fazer coisas simples com perfeição é que irão adquirir habilidade para fazer coisas difíceis com facilidade. (Johann Christoph Von Schiller)