Pesquisa De Campo

178.944 visualizações

Publicada em

Pesquisa de Campo, como fazer?

Publicada em: Educação
5 comentários
30 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
178.944
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
48
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1.534
Comentários
5
Gostaram
30
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Pesquisa De Campo

  1. 1. PESQUISA DE CAMPO<br />
  2. 2. PESQUISA DE CAMPO<br />Definição<br /> O interesse da pesquisa de campo está voltado para o estudo de indivíduos, grupos, comunidades, instituições, entre outros campos.<br />Objetivo<br />Compreender os diversos aspectos da sociedade;<br />Conseguir informações e/ou conhecimentos acerca de um problema;<br />Descobrir novos fenômenos e suas relações.<br />Fases da Pesquisa<br />1ª fase: pesquisa bibliográfica<br />2ª fase: determinação, de acordo com a natureza da pesquisa, das técnicas que serão empregadas na coleta de dados e na seleção da amostra;<br />3ª fase: definição das técnicas de registro destes dados e das técnicas que serão utilizadas em sua análise.<br />
  3. 3. PESQUISA DE CAMPO<br />Importância da pesquisa<br />Perceber e compreender a diferença entre as pessoas<br />Descobrir oportunidades para inovação<br />“Botar o pé no chão”<br />
  4. 4. PESQUISA DE CAMPO<br />Métodos de Coleta de Materiais<br />QUALITATIVA<br /><ul><li>A observação direta e intensiva, que possui a observação sistemática e assistemática, participante, não participante, individual, em equipe, em laboratório, na realidade;
  5. 5. As entrevistas estruturadas, não estruturadas, focalizadas, clínicas, não dirigidas, em painel.</li></ul>QUANTITATIVA<br />- A observação direta extensiva, realizada através de aplicação de questionários e/ou formulários.<br />
  6. 6. PESQUISA DE CAMPO<br />
  7. 7. PESQUISA DE CAMPO<br />
  8. 8. ESTUDODE CASO<br />Definição<br />É a realização de uma pesquisa sobre um fenômeno em seu contexto real, através de uma exploração intensiva de uma ÚNICA unidade de estudo. Quando existir mais que uma unidade de estudo, trata-se de uma análise comparativa.<br />Finalidades<br /><ul><li>Explorar situações da vida real, cujos limites não estão claramente definidos;
  9. 9. Descrever situações da realidade em que está sendo feita a pesquisa;
  10. 10. Explicar variáveis causais de fenômenos específicos em situações que não possibilitam a realização de experimentos e levantamentos.</li></li></ul><li>ESTUDO DE CASO<br />Fases para um estudo de caso<br />1ª fase: elaboração de um projeto de pesquisa consistente<br />(objetivando a clareza de definições e justificativas relativas aos objetivos, tema e problema contextualizado)<br />2ª fase: elaboração de um protocolo de estudo;<br />(objetivando a sistematização do processo de registro do material coletado)<br />3ª fase: tratamento do material coletado;<br />(e registrado para viabilizar sua análise de conteúdo)<br />4ª fase: elaboração do relatório de pesquisa.<br />(indicando claramente seus objetivos, recursos metodológicos, caracterização da(s) unidade(s) de estudo(s), discussão do material coletado e apresentação dos resultados)<br />
  11. 11. TÉCNICAS DE PESQUISA<br />1 – OBSERVAÇÃO<br /> Utiliza especialmente os sentidos do observador, através “do ver” e “do ouvir”. Após cada observação, deve-se elaborar uma ficha de registro previamente planejada para que os fenômenos observados sejam registrados.<br />2 – ENTREVISTAS<br /> È utilizada para obtenção de informações sobre o que as pessoas sentem, pensam ou fazem. Pode verificar fatos, opiniões e sentimentos, determinar condutas, averiguar planos de ações. Toda entrevista deve ser preparada antecipadamente e o registro das resposta tem que ser feito no momento da entrevista, para que não se perca.<br />3 – QUESTIONÁRIOS<br /> São usados nas pesquisas de campo quantitativas.<br /> Construir um questionário consiste em traduzir os objetivos(geral e específico) em questões específicas. As respostas a essas questões é que irão proporcionar os dados requeridos para testar as hipóteses ou esclarecer o problema da pesquisa.<br />
  12. 12. PESQUISA<br />
  13. 13. PESQUISA<br />OBJETIVOS<br />Geral – dão uma visão abrangente daquilo que se pretende alcançar.<br />Específicos – são as aplicações dos objetivos gerais a situações bem particulares, concretas.<br />JUSTIFICATIVAS<br />Saber o PORQUÊ dessa escolha. Existem quatro perspectivas fundamentais para avaliação do problema:<br /><ul><li>Importância teórica ou prática do estudo;
  14. 14. Originalidade na forma de abordagem do conteúdo, no enfoque ou nas condições de realização;
  15. 15. O interesse dos executores;
  16. 16. Viabilidade, ou seja, possibilidade de verificação empírica.</li></li></ul><li>Sombrear<br />Acompanhar o entrevistado onde quer que ele vá.<br />Observar tudo o que ele faz<br />Interferir o mínimo possível<br />A presença do pesquisador diminui depois de um tempo<br />Interessante para investigar as sutilezas do comportamento que passam desapercebidas<br />
  17. 17. Equipamentos<br />Nunca gravar sem autorização<br />Muitas pessoas não aceitam<br />Posicionar fora do campo de visão do pesquisado<br />Dar a câmera para o pesquisado examinar<br />Evitar tirar fotos posadas<br />Ficar com a câmera o tempo todo na mão, mas não no olho<br />Tirar muitas fotos, escolher as melhores depois<br />
  18. 18. Equipamentos<br />Melhor câmeras sem ruído e com ajuste automático e rápido<br />Escreva sem olhar<br />Anote o essencial, mas evite taquigrafia<br />Anote o contexto, para ajudar a lembrar<br />Deixar claro como será o uso dos dados<br />
  19. 19. Pesquisa<br />Quem fará?<br /> Alunos da 8 série<br />O que será feito?<br /> Pesquisa bibliográfica e quantitativa (campo), banner cientifico <br />Com que finalidade?<br /> Descobrir as relações econômicas e sociais.<br />Por que será feito este trabalho?<br /> Identificar problemas e propor soluções <br />Em que período de tempo?<br />A definir<br />Com que fundamentos teóricos?<br /> Revistas, livros, internet etc...<br />Como será feito?<br /> Pesquisa “in loco”, análise de dados.<br />Com que recursos?<br /> Gravadores, máquinas fotográficas, questionários, apresentação de banners;<br />Com que fontes de consulta?<br /> Internet, livros e afins.<br />
  20. 20. Banners<br />O pôster de apresentação do projeto deve ter no máximo 0,9m de largura x 1,2m de altura. Para uma boa apresentação algumas dicas úteis são:<br />Verifique se o seu pôster apresenta as linhas principais de seu projeto: o problema ou questão pesquisa, o objetivo ou a hipótese, o método e os procedimentos, a análise e a conclusão.<br />Você pode colocar um fluxograma de sua metodologia científica;<br />Escolha um bom título que represente de forma simples e apurada o projeto, e é capaz de atrair um visitante casual a querer saber mais;<br />O banner deve ser atrativo e explicar o que você fez e o que você descobriu. Certifique-se que o layout é organizado, que as cores escolhidas realçam a mensagem e que o pôster é naturalmente atraente. Use cores para separar ideais e setas para guiar seu público;<br />
  21. 21. Banners<br />Procure explicar o seu projeto visualmente com gráficos, diagramas imagens, fotos e legendas, pois estes mostram seu raciocínio claramente sem equívocos.<br />Ao mostrar fotos contendo pessoas, só poderão aparecer os realizadores do projeto e seus familiares devidamente identificados. Não é permitida a exibição de imagens de outras pessoas;Na exposição de fotos ou qualquer imagem no estande, seja no banner, ou outra ferramenta de apresentação utilizada, deverá constar o autor de cada foto ou a referência da qual esta foi obtida (revistas, jornais, etc.). O projeto será desclassificado na falta destes dados.<br />
  22. 22. Banners<br />
  23. 23.
  24. 24. Tema<br />As relações econômicas, sociais e de trabalho no município de Toritama.<br />

×