SlideShare uma empresa Scribd logo
Serviço Social e Educação
uma interlocução e algumas interfaces




    Prof. Adnilson José da Silva
          prof.adnilson@ig.com.br
Interlocução é
uma fala entre sujeitos,
ou seja, é uma conversa.
O que diz a Educação?
-   que ela se dá em contextos sociais;
-   que ela está condicionada a situações
    econômicas, políticas e culturais;
-   que ela está imersa em relações de poder;
-   que ela se dá formalmente com o aval do
    Estado;
-   que ela visa promover alterações
    atitudinais nos sujeitos a que se destina.
O que diz o Serviço Social?
-   que ele se dá em contextos sociais;
-   que ele está condicionada a situações
    econômicas, políticas e culturais;
-   que ele está imerso em relações de poder;
-   que ele se dá formalmente com o aval do
    Estado;
-   que entre outras coisas ele também visa
    promover alterações atitudinais nos
    sujeitos a que se destina.
A Educação diz mais:
- ela tem algumas bandeiras e destaca
  as da inclusão, das justas relações
  entre os gêneros e do esclarecimento
  das consciências.
O Serviço Social continua:
- ele também tem algumas bandeiras
  e destaca as da inclusão, das justas
  relações entre os gêneros e do
  esclarecimento das consciências.
A Educação comenta:
- sua atuação não é fácil, pois há falta
  de recursos materiais, simbólicos e
  espirituais que afetam as famílias, e
  estas procuram a escola como
  instituição salvadora para quase
  tudo, enquanto muitos chegam a
  desdenhar de sua verdadeira missão:
  educar.
O Serviço Social comenta:
- sua atuação também não é fácil, pois
  há falta de recursos materiais,
  simbólicos e espirituais que afetam
  as famílias, e estas procuram o
  Serviço Social como instituição
  salvadora para quase tudo, enquanto
  muitos manipulam sua verdadeira
  missão: incluir e organizar os
  sujeitos socialmente.
A Educação continua:
- resulto como ação institucional, tal
  como me apresento hoje, em uma
  conjuntura capitalista. Tenho,
  portanto, vícios capitalistas. Mas
  também tenho perspectivas
  diferentes daquelas de meu
  nascedouro. Contudo, meus vícios
  têm mecanismos de renovação e de
  reforçamento dentro de mim mesma.
O Serviço Social revela:
- também resulto como ação
  institucional, tal como me apresento
  hoje, em uma conjuntura capitalista.
  Tenho, portanto, vícios capitalistas.
  Mas também tenho perspectivas
  diferentes daquelas de meu
  nascedouro. Contudo, meus vícios
  têm mecanismos de renovação e de
  reforçamento dentro de mim mesmo.
Mas a Educação conclui:
-   a luta contra os vícios requer de mim
    autocrítica e sempre maior
    esclarecimento dos meus sujeitos.
    Para superar meus vícios preciso
    refletir sobre as possibilidades e
    determinismos afetos a mim.
O Serviço Social confirma:
-   a luta contra os vícios requer
    também de mim autocrítica e sempre
    maior esclarecimento dos meus
    sujeitos. Para superar meus vícios
    preciso refletir sobre as
    possibilidades e determinismos
    afetos a mim.
As possibilidades e determinismos se
revelam primeiramente pelo estudo
dos fundamentos filosófico-políticos e
científicos da Educação e do Serviço
Social.

Há aspectos comuns entre os
fundamentos da Educação e do
Serviço Social?
A Educação e o Serviço Social têm
1. marcos político-filosóficos

2. marcos científicos

3. marcos tecnológicos
Marcos político-filosóficos
Compreendem o estudo da Filosofia
e da Política, que respondem à
questão
             PARA QUÊ ?

e oferecem os sentidos das ações.
Marcos científicos
Compreendem o estudo da História,
da Sociologia, da Economia, da
Psicologia, da Antropologia e de
outras que proporcionam responder

       COM BASE EM QUÊ?

     e revelam os contextos
    em que ocorrem as ações.
Marcos tecnológicos
Correspondem a metodologias,
técnicas, estratégias e instrumentos
que orientam sobre

              COMO

         realizar as ações.
Práticas sem fundamentação são
  destituídas de atitude e redundam
  em espontaneísmo.

Teorias sem perspectivas práticas são
 opiniões bem rebuscadas, ou pior,
 dogmas.
Um pouco de
   provocação

filosófico-política
Ajustamento social x transformação
              social
Humanismo               Humanismo
fundamentado no         fundamentado no
sentido de orientar     sentido de
(controlar) ou manter   transformação da
a realidade.            realidade.
Ajustamento social x transformação
              social
Universidade dos        Determinação
valores, aplicáveis a   histórica dos valores
qualquer realidade      decorrentes da
social.                 estrutura social da
                        qual emergem.
Ajustamento social x transformação
              social
Neutralidade            Compromisso com a
ideológica e prática    praxis e reflexão
a-política. Atuação     sobre a realidade. A
sobre realidades com    inserção e o
aceitação dos valores   engajamento na
vigentes.               realidade implica
                        conhecimento crítico
                        da mesma.
Um pouco de
 provocação

 científica
Ajustamento social x transformação
              social
O processo social se dá        O que garante a
mediante movimento circular    transformação social é a
em torno de uma posição        constatação de que a
central de equilíbrio, que     hegemonia em uma formação
provoca pequenas mudanças      social se dá em dois modos:
de ordem setorial, as quais    domínio (acesso ao poder e
vêm reforçar este equilíbrio   uso da força) e direção
espontâneo gerado pelo         intelectual e moral (adesão
acordo básico-consensual.      por meio ideológico).
                               Destacando a segunda função
                               da primeira, fica aberta a
                               possibilidade de pensar a
                               hegemonia também quanto às
                               classes dominadas, quando
                               conseguem constituir forças
                               autônomas face à ideologia.
Ajustamento social x transformação
              social
A marginalidade é uma    sociedade.A
situação caracterizada   marginalidade é
basicamente por          encarada como um
problemas de             elemento inerente e
integração de seus       necessário à própria
elementos com os         estruturação da
demais elementos de      sociedade capitalista,
uma determinada          refletindo as
estrutura global da      contradições próprias
                         dos interesses
                         antagônicos das classes
                         sociais.
Um pouco de
   provocação

sobre metodologia
Ajustamento social x transformação
              social
Do real (objeto) para a   Da razão (sujeito) para
razão (sujeito) o         o real (objeto) e do real
conhecimento da           para a razão. A reflexão
realidade se baseia em    e a ação constituem
fatos empíricos.          uma unidade. O
                          movimento da reflexão
                          integrado ao da ação é
                          circular e ascendente e
                          se dá orientado por uma
                          teoria sem reduzir-se a
                          ela.
Ajustamento social x transformação
              social
O processo privilegia o        O processo parte do
procedimento indutivo.         abstrato, conceitos
Inicia-se com a observação     construídos, rumo ao
dos fatos singulares no real   concreto com atitude crítica
e vai ao geral mediante        e de confronto com a
formulação de hipóteses.       realidade. O conceito é a
Realiza-se através de          síntese de muitas
etapas distintas e             determinações e não o
interligadas de forma          ponto de partida.
linear, pela coleta de         Compreende unidades
dados, análise e síntese       inter-relacionadas que
para chegar à hipótese         comportam momentos
diagnóstica, prosseguindo      contraditórios.
pela previsão de tendências
para ação interventiva.
Educação e ascensão epistemológica



  SOPHÓI           Diz respeito às atitudes adotadas pelo
                sujeito, com conhecimento e valores, tendo
 sabedoria
               em vista suas intenções pessoais e políticas.




                                                                        EDUCAÇÃO
 EPISTÉME       Compreende o conhecimento científico e
                 cultural acumulado pela humanidade e
conhecimento   ensinados sistematicamente (pela escola).




                                                               ENSINO
  científico


   DOXA          Compreende as opiniões aprendidas
senso comum            assistematicamente.

Constituição Federal de 1988, Artigo 205: “A educação, direito
de todos e dever do Estado e da família”
LDB 9394/96, Artigo 2º: “A educação, dever da família e do
Estado”
É função social da escola: participar da Educação


 Constituição
 Federal de 1988,
 Artigo 205: “A
 educação,




                                                     EDUCAÇÃO
                 Estatuto da Criança e
 direito de todosdo Adolescente, Artigo
 e dever do      54: “É dever do Estado
 Estado e da




                                            ENSINO
                 assegurar à criança e ao
 família”        adolescente: I – ensino
 LDB 9394/96,    fundamental,
                 obrigatório e gratuito,
 Artigo 2º: “A
                 inclusive para os que a
 educação, dever
                 ele não tiveram acesso
 da família e do na idade própria”.
 Estado”
Critérios de
RESPONSABILIDADE
                                           relação de
                                           coerência

   sala de aula    escola                 sociedade



       Professores, alunos, equipe       Família, Estado e
          pedagógica e famílias          sociedade (LDB)


    curto prazo        médio prazo         longo prazo

     Saberes factuais, conceituais e
            procedimentais
                   Saberes atitudinais
Critérios de
LEGITIMIDADE
                                        relação de
                                        coerência

sala de aula     escola                 sociedade



                Ensino

                                         Educação

  curto prazo        médio prazo        longo prazo

   Saberes factuais, conceituais e
          procedimentais
                  Saberes atitudinais
Uma última provocação, do Millôr:
“Os reformadores sociais afastados
da realidade sempre me lembram o
conselho de segurança para pregar
um prego sem o perigo de se
machucar: basta pegar o martelo
com as duas mãos.”

          em conversa com o comerciante Olavo Ramos, em 1968.
Referências:

AZEVEDO, Janete M. Lins de. A educação como política pública. 2. ed.
Campinas: Autores Associados, 2001.

CARDOSO, Elizete. Elementos essenciais e contraditórios nas perspectivas de
ajustamento social e transformação social. São Paulo: Cortez, 1980.

CHEPTULIN, A. A dialética materialista: Categorias e leis da dialética. Trad.:
Leda Rita Cintra Ferraz. São Paulo: Alfa-Omega, 1982.
FREITAG, Bárbara. Escola, Estado e Sociedade. 6. ed. São Paulo: Moraes, 1986.

FERNANDES, Millôr. O livro vermelho dos pensamentos de Millôr. Porto Alegre:
L&PM, 2005.

FULLAT, Octavi. Filosofias da Educação. Petrópolis, RJ: Vozes, 1994.
LÖWY, Michael. As aventuras de Karl Marx contra o Barão de Münchhausen:
marxismo e positivismo na sociologia do conhecimento. 6. ed. Trad. Juarez
Guimarães e Suzzane Léwy. São Paulo: Cortez, 1998.

NORONHA, Olinda Maria. Políticas neoliberais, conhecimento e educação.
Campinas, SP: Alínea, 2002.

SAVIANI, Dermeval. Escola e democracia. 35. ed. Campinas, SP: Autores
Associados, 2002.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

OS INSTRUMENTAIS TÉCNICO-OPERATIVOS NA PRÁTICA PROFISSIONAL DO SERVIÇO SOCIAL
OS INSTRUMENTAIS TÉCNICO-OPERATIVOS NA PRÁTICA PROFISSIONAL DO SERVIÇO SOCIALOS INSTRUMENTAIS TÉCNICO-OPERATIVOS NA PRÁTICA PROFISSIONAL DO SERVIÇO SOCIAL
OS INSTRUMENTAIS TÉCNICO-OPERATIVOS NA PRÁTICA PROFISSIONAL DO SERVIÇO SOCIAL
Conceição Amorim
 
OFICINA DE SERVIÇO SOCIAL - ELABORAÇÃO DE RELATÓRIOS E LAUDOS.
OFICINA DE SERVIÇO SOCIAL - ELABORAÇÃO DE RELATÓRIOS E LAUDOS.OFICINA DE SERVIÇO SOCIAL - ELABORAÇÃO DE RELATÓRIOS E LAUDOS.
OFICINA DE SERVIÇO SOCIAL - ELABORAÇÃO DE RELATÓRIOS E LAUDOS.
Rosane Domingues
 
Intervenção social
Intervenção social Intervenção social
Intervenção social
Aline Chencarek
 
Apresentação educação
Apresentação educaçãoApresentação educação
Apresentação educação
lane
 
Apresentação politica de assistencia social 2
Apresentação politica de assistencia social 2Apresentação politica de assistencia social 2
Apresentação politica de assistencia social 2
Alinebrauna Brauna
 
Trajetória do Serviço Social
Trajetória do Serviço SocialTrajetória do Serviço Social
Trajetória do Serviço Social
Conceição Amorim
 
TCC - Serviço social
TCC - Serviço socialTCC - Serviço social
TCC - Serviço social
Gui Souza A
 
O papel do assistente social na saúde pública
O papel do assistente social na saúde públicaO papel do assistente social na saúde pública
O papel do assistente social na saúde pública
Rosane Domingues
 
VISITA DOMICILIAR
VISITA DOMICILIARVISITA DOMICILIAR
VISITA DOMICILIAR
ivone guedes borges
 
A atuação do Assistente Social no CAPS
A atuação do Assistente Social no CAPSA atuação do Assistente Social no CAPS
A atuação do Assistente Social no CAPS
Isabela Ferreira
 
Paif e scfv
Paif e scfvPaif e scfv
Paif e scfv
Joelson Honoratto
 
Cras
CrasCras
Oficina de serviço social elaboração de relatórios e laudos.
Oficina de serviço social   elaboração de relatórios e laudos.Oficina de serviço social   elaboração de relatórios e laudos.
Oficina de serviço social elaboração de relatórios e laudos.
Rosane Domingues
 
O trabalho do assistente social no caps ad
O trabalho do assistente social no caps adO trabalho do assistente social no caps ad
O trabalho do assistente social no caps ad
Alinebrauna Brauna
 
Serviço Social e Saúde Mental
Serviço Social e Saúde MentalServiço Social e Saúde Mental
Serviço Social e Saúde Mental
Carol Alves
 
18 de maio
18 de maio18 de maio
18 de maio
Ivanílson Santos
 
Suas, cras, creas
Suas, cras, creasSuas, cras, creas
Suas, cras, creas
Rosane Domingues
 
Visita domiciliar
Visita domiciliarVisita domiciliar
Apresentação do Sistema Único de Assistência Social (SUAS) UNOPAR
Apresentação do Sistema Único  de Assistência Social (SUAS)  UNOPARApresentação do Sistema Único  de Assistência Social (SUAS)  UNOPAR
Apresentação do Sistema Único de Assistência Social (SUAS) UNOPAR
Ana Patricia Fernandes Oliveira
 
serviço social na educação infantil
serviço social na educação infantilserviço social na educação infantil
serviço social na educação infantil
Camila Montezano
 

Mais procurados (20)

OS INSTRUMENTAIS TÉCNICO-OPERATIVOS NA PRÁTICA PROFISSIONAL DO SERVIÇO SOCIAL
OS INSTRUMENTAIS TÉCNICO-OPERATIVOS NA PRÁTICA PROFISSIONAL DO SERVIÇO SOCIALOS INSTRUMENTAIS TÉCNICO-OPERATIVOS NA PRÁTICA PROFISSIONAL DO SERVIÇO SOCIAL
OS INSTRUMENTAIS TÉCNICO-OPERATIVOS NA PRÁTICA PROFISSIONAL DO SERVIÇO SOCIAL
 
OFICINA DE SERVIÇO SOCIAL - ELABORAÇÃO DE RELATÓRIOS E LAUDOS.
OFICINA DE SERVIÇO SOCIAL - ELABORAÇÃO DE RELATÓRIOS E LAUDOS.OFICINA DE SERVIÇO SOCIAL - ELABORAÇÃO DE RELATÓRIOS E LAUDOS.
OFICINA DE SERVIÇO SOCIAL - ELABORAÇÃO DE RELATÓRIOS E LAUDOS.
 
Intervenção social
Intervenção social Intervenção social
Intervenção social
 
Apresentação educação
Apresentação educaçãoApresentação educação
Apresentação educação
 
Apresentação politica de assistencia social 2
Apresentação politica de assistencia social 2Apresentação politica de assistencia social 2
Apresentação politica de assistencia social 2
 
Trajetória do Serviço Social
Trajetória do Serviço SocialTrajetória do Serviço Social
Trajetória do Serviço Social
 
TCC - Serviço social
TCC - Serviço socialTCC - Serviço social
TCC - Serviço social
 
O papel do assistente social na saúde pública
O papel do assistente social na saúde públicaO papel do assistente social na saúde pública
O papel do assistente social na saúde pública
 
VISITA DOMICILIAR
VISITA DOMICILIARVISITA DOMICILIAR
VISITA DOMICILIAR
 
A atuação do Assistente Social no CAPS
A atuação do Assistente Social no CAPSA atuação do Assistente Social no CAPS
A atuação do Assistente Social no CAPS
 
Paif e scfv
Paif e scfvPaif e scfv
Paif e scfv
 
Cras
CrasCras
Cras
 
Oficina de serviço social elaboração de relatórios e laudos.
Oficina de serviço social   elaboração de relatórios e laudos.Oficina de serviço social   elaboração de relatórios e laudos.
Oficina de serviço social elaboração de relatórios e laudos.
 
O trabalho do assistente social no caps ad
O trabalho do assistente social no caps adO trabalho do assistente social no caps ad
O trabalho do assistente social no caps ad
 
Serviço Social e Saúde Mental
Serviço Social e Saúde MentalServiço Social e Saúde Mental
Serviço Social e Saúde Mental
 
18 de maio
18 de maio18 de maio
18 de maio
 
Suas, cras, creas
Suas, cras, creasSuas, cras, creas
Suas, cras, creas
 
Visita domiciliar
Visita domiciliarVisita domiciliar
Visita domiciliar
 
Apresentação do Sistema Único de Assistência Social (SUAS) UNOPAR
Apresentação do Sistema Único  de Assistência Social (SUAS)  UNOPARApresentação do Sistema Único  de Assistência Social (SUAS)  UNOPAR
Apresentação do Sistema Único de Assistência Social (SUAS) UNOPAR
 
serviço social na educação infantil
serviço social na educação infantilserviço social na educação infantil
serviço social na educação infantil
 

Destaque

Desenvolvimento pessoal e social
Desenvolvimento pessoal e socialDesenvolvimento pessoal e social
Desenvolvimento pessoal e social
VeraFerreiraclara
 
Violência Escolar
Violência EscolarViolência Escolar
Violência Escolar
annokax
 
TCC - Pedagogia
TCC - PedagogiaTCC - Pedagogia
TCC - Pedagogia
Anna Barros
 
TCC 2011-PEDAGOGIA Sobre VIOLÊNCIA NA ESCOLA
TCC 2011-PEDAGOGIA Sobre VIOLÊNCIA NA ESCOLATCC 2011-PEDAGOGIA Sobre VIOLÊNCIA NA ESCOLA
TCC 2011-PEDAGOGIA Sobre VIOLÊNCIA NA ESCOLA
regina luzia barros
 
Apresentação unopar modelo 3
Apresentação unopar modelo 3Apresentação unopar modelo 3
Apresentação unopar modelo 3
Rogerio Sena
 
Apresentação unopar modelo 2
Apresentação unopar modelo 2Apresentação unopar modelo 2
Apresentação unopar modelo 2
Rogerio Sena
 
TCC SLIDE DE APRESENTAÇÃO
TCC SLIDE DE APRESENTAÇÃOTCC SLIDE DE APRESENTAÇÃO
TCC SLIDE DE APRESENTAÇÃO
professsorcarlinho
 

Destaque (7)

Desenvolvimento pessoal e social
Desenvolvimento pessoal e socialDesenvolvimento pessoal e social
Desenvolvimento pessoal e social
 
Violência Escolar
Violência EscolarViolência Escolar
Violência Escolar
 
TCC - Pedagogia
TCC - PedagogiaTCC - Pedagogia
TCC - Pedagogia
 
TCC 2011-PEDAGOGIA Sobre VIOLÊNCIA NA ESCOLA
TCC 2011-PEDAGOGIA Sobre VIOLÊNCIA NA ESCOLATCC 2011-PEDAGOGIA Sobre VIOLÊNCIA NA ESCOLA
TCC 2011-PEDAGOGIA Sobre VIOLÊNCIA NA ESCOLA
 
Apresentação unopar modelo 3
Apresentação unopar modelo 3Apresentação unopar modelo 3
Apresentação unopar modelo 3
 
Apresentação unopar modelo 2
Apresentação unopar modelo 2Apresentação unopar modelo 2
Apresentação unopar modelo 2
 
TCC SLIDE DE APRESENTAÇÃO
TCC SLIDE DE APRESENTAÇÃOTCC SLIDE DE APRESENTAÇÃO
TCC SLIDE DE APRESENTAÇÃO
 

Semelhante a Serviço Social e Educação:

Serviosocialeeducao 121109181036-phpapp02
Serviosocialeeducao 121109181036-phpapp02Serviosocialeeducao 121109181036-phpapp02
Serviosocialeeducao 121109181036-phpapp02
Thiago Garcez
 
Capítulo 04 resumo
Capítulo 04 resumoCapítulo 04 resumo
Capítulo 04 resumo
Marina Lopes
 
Atividade semana dois teorias sociocríticas
Atividade semana dois teorias sociocríticasAtividade semana dois teorias sociocríticas
Atividade semana dois teorias sociocríticas
rosiane sangali
 
Atividade semana dois teorias sociocríticas
Atividade semana dois teorias sociocríticasAtividade semana dois teorias sociocríticas
Atividade semana dois teorias sociocríticas
rosiane sangali
 
Os Valores Morais No âMbito Da Escola Capitalista
Os Valores Morais No âMbito Da Escola CapitalistaOs Valores Morais No âMbito Da Escola Capitalista
Os Valores Morais No âMbito Da Escola Capitalista
REDEM
 
durkheim
durkheimdurkheim
Conceitos sociologia
Conceitos sociologiaConceitos sociologia
Conceitos sociologia
passsgc
 
Planejamento de ensino e aprendizagem 2 ano
Planejamento de ensino e aprendizagem 2 anoPlanejamento de ensino e aprendizagem 2 ano
Planejamento de ensino e aprendizagem 2 ano
Dany Pereira
 
01.-Super-Apostila-1-Conhecimentos-Pedagógicos.pdf
01.-Super-Apostila-1-Conhecimentos-Pedagógicos.pdf01.-Super-Apostila-1-Conhecimentos-Pedagógicos.pdf
01.-Super-Apostila-1-Conhecimentos-Pedagógicos.pdf
ssuserdd552c1
 
Sociologia da educaçáo 1
Sociologia da educaçáo 1Sociologia da educaçáo 1
Sociologia da educaçáo 1
greghouse48
 
A relação educação e sociedade
A relação educação e sociedadeA relação educação e sociedade
A relação educação e sociedade
Manayra Monteiro Tjpe
 
Etica e educacao
Etica e educacaoEtica e educacao
Etica e educacao
Susanne Messias
 
O papel do professor nas diferentes concepções de escola e educação escolar
O papel do professor nas diferentes concepções de escola e educação escolarO papel do professor nas diferentes concepções de escola e educação escolar
O papel do professor nas diferentes concepções de escola e educação escolar
INSTITUTO GENS
 
Teorias pedagógicas modernas revisitadas com base em Libâneo
Teorias pedagógicas modernas revisitadas com base em LibâneoTeorias pedagógicas modernas revisitadas com base em Libâneo
Teorias pedagógicas modernas revisitadas com base em Libâneo
R.A Gomes
 
Sociologiadaeducao1 110325113112-phpapp02
Sociologiadaeducao1 110325113112-phpapp02Sociologiadaeducao1 110325113112-phpapp02
Sociologiadaeducao1 110325113112-phpapp02
Rosimay Monteiro
 
Resumo - CAP1 - As regras do método sociológico[Durkheim]
Resumo - CAP1 - As regras do método sociológico[Durkheim]Resumo - CAP1 - As regras do método sociológico[Durkheim]
Resumo - CAP1 - As regras do método sociológico[Durkheim]
Matheus Alves
 
Teorias sociológicas na história da humanidade
Teorias sociológicas na história da humanidadeTeorias sociológicas na história da humanidade
Teorias sociológicas na história da humanidade
Prof. Antônio Martins de Almeida Filho
 
Apostila sociologia
Apostila sociologiaApostila sociologia
Apostila sociologia
Allan Almeida de Araújo
 
Apostila sociologia (1)
Apostila sociologia (1)Apostila sociologia (1)
Apostila sociologia (1)
Allan Almeida de Araújo
 
Educação na sociedade informática
Educação na sociedade informáticaEducação na sociedade informática
Educação na sociedade informática
Mara Salvucci
 

Semelhante a Serviço Social e Educação: (20)

Serviosocialeeducao 121109181036-phpapp02
Serviosocialeeducao 121109181036-phpapp02Serviosocialeeducao 121109181036-phpapp02
Serviosocialeeducao 121109181036-phpapp02
 
Capítulo 04 resumo
Capítulo 04 resumoCapítulo 04 resumo
Capítulo 04 resumo
 
Atividade semana dois teorias sociocríticas
Atividade semana dois teorias sociocríticasAtividade semana dois teorias sociocríticas
Atividade semana dois teorias sociocríticas
 
Atividade semana dois teorias sociocríticas
Atividade semana dois teorias sociocríticasAtividade semana dois teorias sociocríticas
Atividade semana dois teorias sociocríticas
 
Os Valores Morais No âMbito Da Escola Capitalista
Os Valores Morais No âMbito Da Escola CapitalistaOs Valores Morais No âMbito Da Escola Capitalista
Os Valores Morais No âMbito Da Escola Capitalista
 
durkheim
durkheimdurkheim
durkheim
 
Conceitos sociologia
Conceitos sociologiaConceitos sociologia
Conceitos sociologia
 
Planejamento de ensino e aprendizagem 2 ano
Planejamento de ensino e aprendizagem 2 anoPlanejamento de ensino e aprendizagem 2 ano
Planejamento de ensino e aprendizagem 2 ano
 
01.-Super-Apostila-1-Conhecimentos-Pedagógicos.pdf
01.-Super-Apostila-1-Conhecimentos-Pedagógicos.pdf01.-Super-Apostila-1-Conhecimentos-Pedagógicos.pdf
01.-Super-Apostila-1-Conhecimentos-Pedagógicos.pdf
 
Sociologia da educaçáo 1
Sociologia da educaçáo 1Sociologia da educaçáo 1
Sociologia da educaçáo 1
 
A relação educação e sociedade
A relação educação e sociedadeA relação educação e sociedade
A relação educação e sociedade
 
Etica e educacao
Etica e educacaoEtica e educacao
Etica e educacao
 
O papel do professor nas diferentes concepções de escola e educação escolar
O papel do professor nas diferentes concepções de escola e educação escolarO papel do professor nas diferentes concepções de escola e educação escolar
O papel do professor nas diferentes concepções de escola e educação escolar
 
Teorias pedagógicas modernas revisitadas com base em Libâneo
Teorias pedagógicas modernas revisitadas com base em LibâneoTeorias pedagógicas modernas revisitadas com base em Libâneo
Teorias pedagógicas modernas revisitadas com base em Libâneo
 
Sociologiadaeducao1 110325113112-phpapp02
Sociologiadaeducao1 110325113112-phpapp02Sociologiadaeducao1 110325113112-phpapp02
Sociologiadaeducao1 110325113112-phpapp02
 
Resumo - CAP1 - As regras do método sociológico[Durkheim]
Resumo - CAP1 - As regras do método sociológico[Durkheim]Resumo - CAP1 - As regras do método sociológico[Durkheim]
Resumo - CAP1 - As regras do método sociológico[Durkheim]
 
Teorias sociológicas na história da humanidade
Teorias sociológicas na história da humanidadeTeorias sociológicas na história da humanidade
Teorias sociológicas na história da humanidade
 
Apostila sociologia
Apostila sociologiaApostila sociologia
Apostila sociologia
 
Apostila sociologia (1)
Apostila sociologia (1)Apostila sociologia (1)
Apostila sociologia (1)
 
Educação na sociedade informática
Educação na sociedade informáticaEducação na sociedade informática
Educação na sociedade informática
 

Mais de profadnilson

Serviço social e educação
Serviço social e educaçãoServiço social e educação
Serviço social e educação
profadnilson
 
Sobre leitura
Sobre leituraSobre leitura
Sobre leitura
profadnilson
 
Projeto Político Pedagógico e perspectivas de cidadania
Projeto Político Pedagógico e perspectivas de cidadaniaProjeto Político Pedagógico e perspectivas de cidadania
Projeto Político Pedagógico e perspectivas de cidadania
profadnilson
 
Sessão coletiva de informação profissional
Sessão coletiva de informação profissionalSessão coletiva de informação profissional
Sessão coletiva de informação profissional
profadnilson
 
Educação e Dialética
Educação e DialéticaEducação e Dialética
Educação e Dialética
profadnilson
 
Teleologia e mediação pedagógica tomista
Teleologia e mediação pedagógica tomistaTeleologia e mediação pedagógica tomista
Teleologia e mediação pedagógica tomista
profadnilson
 
Fenomenologia de Husserl
Fenomenologia de HusserlFenomenologia de Husserl
Fenomenologia de Husserl
profadnilson
 
Curso de iniciação à Pedagogia Histórico-Crítica
Curso de iniciação à Pedagogia Histórico-CríticaCurso de iniciação à Pedagogia Histórico-Crítica
Curso de iniciação à Pedagogia Histórico-Crítica
profadnilson
 

Mais de profadnilson (8)

Serviço social e educação
Serviço social e educaçãoServiço social e educação
Serviço social e educação
 
Sobre leitura
Sobre leituraSobre leitura
Sobre leitura
 
Projeto Político Pedagógico e perspectivas de cidadania
Projeto Político Pedagógico e perspectivas de cidadaniaProjeto Político Pedagógico e perspectivas de cidadania
Projeto Político Pedagógico e perspectivas de cidadania
 
Sessão coletiva de informação profissional
Sessão coletiva de informação profissionalSessão coletiva de informação profissional
Sessão coletiva de informação profissional
 
Educação e Dialética
Educação e DialéticaEducação e Dialética
Educação e Dialética
 
Teleologia e mediação pedagógica tomista
Teleologia e mediação pedagógica tomistaTeleologia e mediação pedagógica tomista
Teleologia e mediação pedagógica tomista
 
Fenomenologia de Husserl
Fenomenologia de HusserlFenomenologia de Husserl
Fenomenologia de Husserl
 
Curso de iniciação à Pedagogia Histórico-Crítica
Curso de iniciação à Pedagogia Histórico-CríticaCurso de iniciação à Pedagogia Histórico-Crítica
Curso de iniciação à Pedagogia Histórico-Crítica
 

Serviço Social e Educação:

  • 1. Serviço Social e Educação uma interlocução e algumas interfaces Prof. Adnilson José da Silva prof.adnilson@ig.com.br
  • 2. Interlocução é uma fala entre sujeitos, ou seja, é uma conversa.
  • 3. O que diz a Educação? - que ela se dá em contextos sociais; - que ela está condicionada a situações econômicas, políticas e culturais; - que ela está imersa em relações de poder; - que ela se dá formalmente com o aval do Estado; - que ela visa promover alterações atitudinais nos sujeitos a que se destina.
  • 4. O que diz o Serviço Social? - que ele se dá em contextos sociais; - que ele está condicionada a situações econômicas, políticas e culturais; - que ele está imerso em relações de poder; - que ele se dá formalmente com o aval do Estado; - que entre outras coisas ele também visa promover alterações atitudinais nos sujeitos a que se destina.
  • 5. A Educação diz mais: - ela tem algumas bandeiras e destaca as da inclusão, das justas relações entre os gêneros e do esclarecimento das consciências.
  • 6. O Serviço Social continua: - ele também tem algumas bandeiras e destaca as da inclusão, das justas relações entre os gêneros e do esclarecimento das consciências.
  • 7. A Educação comenta: - sua atuação não é fácil, pois há falta de recursos materiais, simbólicos e espirituais que afetam as famílias, e estas procuram a escola como instituição salvadora para quase tudo, enquanto muitos chegam a desdenhar de sua verdadeira missão: educar.
  • 8. O Serviço Social comenta: - sua atuação também não é fácil, pois há falta de recursos materiais, simbólicos e espirituais que afetam as famílias, e estas procuram o Serviço Social como instituição salvadora para quase tudo, enquanto muitos manipulam sua verdadeira missão: incluir e organizar os sujeitos socialmente.
  • 9. A Educação continua: - resulto como ação institucional, tal como me apresento hoje, em uma conjuntura capitalista. Tenho, portanto, vícios capitalistas. Mas também tenho perspectivas diferentes daquelas de meu nascedouro. Contudo, meus vícios têm mecanismos de renovação e de reforçamento dentro de mim mesma.
  • 10. O Serviço Social revela: - também resulto como ação institucional, tal como me apresento hoje, em uma conjuntura capitalista. Tenho, portanto, vícios capitalistas. Mas também tenho perspectivas diferentes daquelas de meu nascedouro. Contudo, meus vícios têm mecanismos de renovação e de reforçamento dentro de mim mesmo.
  • 11. Mas a Educação conclui: - a luta contra os vícios requer de mim autocrítica e sempre maior esclarecimento dos meus sujeitos. Para superar meus vícios preciso refletir sobre as possibilidades e determinismos afetos a mim.
  • 12. O Serviço Social confirma: - a luta contra os vícios requer também de mim autocrítica e sempre maior esclarecimento dos meus sujeitos. Para superar meus vícios preciso refletir sobre as possibilidades e determinismos afetos a mim.
  • 13. As possibilidades e determinismos se revelam primeiramente pelo estudo dos fundamentos filosófico-políticos e científicos da Educação e do Serviço Social. Há aspectos comuns entre os fundamentos da Educação e do Serviço Social?
  • 14. A Educação e o Serviço Social têm 1. marcos político-filosóficos 2. marcos científicos 3. marcos tecnológicos
  • 15. Marcos político-filosóficos Compreendem o estudo da Filosofia e da Política, que respondem à questão PARA QUÊ ? e oferecem os sentidos das ações.
  • 16. Marcos científicos Compreendem o estudo da História, da Sociologia, da Economia, da Psicologia, da Antropologia e de outras que proporcionam responder COM BASE EM QUÊ? e revelam os contextos em que ocorrem as ações.
  • 17. Marcos tecnológicos Correspondem a metodologias, técnicas, estratégias e instrumentos que orientam sobre COMO realizar as ações.
  • 18. Práticas sem fundamentação são destituídas de atitude e redundam em espontaneísmo. Teorias sem perspectivas práticas são opiniões bem rebuscadas, ou pior, dogmas.
  • 19. Um pouco de provocação filosófico-política
  • 20. Ajustamento social x transformação social Humanismo Humanismo fundamentado no fundamentado no sentido de orientar sentido de (controlar) ou manter transformação da a realidade. realidade.
  • 21. Ajustamento social x transformação social Universidade dos Determinação valores, aplicáveis a histórica dos valores qualquer realidade decorrentes da social. estrutura social da qual emergem.
  • 22. Ajustamento social x transformação social Neutralidade Compromisso com a ideológica e prática praxis e reflexão a-política. Atuação sobre a realidade. A sobre realidades com inserção e o aceitação dos valores engajamento na vigentes. realidade implica conhecimento crítico da mesma.
  • 23. Um pouco de provocação científica
  • 24. Ajustamento social x transformação social O processo social se dá O que garante a mediante movimento circular transformação social é a em torno de uma posição constatação de que a central de equilíbrio, que hegemonia em uma formação provoca pequenas mudanças social se dá em dois modos: de ordem setorial, as quais domínio (acesso ao poder e vêm reforçar este equilíbrio uso da força) e direção espontâneo gerado pelo intelectual e moral (adesão acordo básico-consensual. por meio ideológico). Destacando a segunda função da primeira, fica aberta a possibilidade de pensar a hegemonia também quanto às classes dominadas, quando conseguem constituir forças autônomas face à ideologia.
  • 25. Ajustamento social x transformação social A marginalidade é uma sociedade.A situação caracterizada marginalidade é basicamente por encarada como um problemas de elemento inerente e integração de seus necessário à própria elementos com os estruturação da demais elementos de sociedade capitalista, uma determinada refletindo as estrutura global da contradições próprias dos interesses antagônicos das classes sociais.
  • 26. Um pouco de provocação sobre metodologia
  • 27. Ajustamento social x transformação social Do real (objeto) para a Da razão (sujeito) para razão (sujeito) o o real (objeto) e do real conhecimento da para a razão. A reflexão realidade se baseia em e a ação constituem fatos empíricos. uma unidade. O movimento da reflexão integrado ao da ação é circular e ascendente e se dá orientado por uma teoria sem reduzir-se a ela.
  • 28. Ajustamento social x transformação social O processo privilegia o O processo parte do procedimento indutivo. abstrato, conceitos Inicia-se com a observação construídos, rumo ao dos fatos singulares no real concreto com atitude crítica e vai ao geral mediante e de confronto com a formulação de hipóteses. realidade. O conceito é a Realiza-se através de síntese de muitas etapas distintas e determinações e não o interligadas de forma ponto de partida. linear, pela coleta de Compreende unidades dados, análise e síntese inter-relacionadas que para chegar à hipótese comportam momentos diagnóstica, prosseguindo contraditórios. pela previsão de tendências para ação interventiva.
  • 29. Educação e ascensão epistemológica SOPHÓI Diz respeito às atitudes adotadas pelo sujeito, com conhecimento e valores, tendo sabedoria em vista suas intenções pessoais e políticas. EDUCAÇÃO EPISTÉME Compreende o conhecimento científico e cultural acumulado pela humanidade e conhecimento ensinados sistematicamente (pela escola). ENSINO científico DOXA Compreende as opiniões aprendidas senso comum assistematicamente. Constituição Federal de 1988, Artigo 205: “A educação, direito de todos e dever do Estado e da família” LDB 9394/96, Artigo 2º: “A educação, dever da família e do Estado”
  • 30. É função social da escola: participar da Educação Constituição Federal de 1988, Artigo 205: “A educação, EDUCAÇÃO Estatuto da Criança e direito de todosdo Adolescente, Artigo e dever do 54: “É dever do Estado Estado e da ENSINO assegurar à criança e ao família” adolescente: I – ensino LDB 9394/96, fundamental, obrigatório e gratuito, Artigo 2º: “A inclusive para os que a educação, dever ele não tiveram acesso da família e do na idade própria”. Estado”
  • 31. Critérios de RESPONSABILIDADE relação de coerência sala de aula escola sociedade Professores, alunos, equipe Família, Estado e pedagógica e famílias sociedade (LDB) curto prazo médio prazo longo prazo Saberes factuais, conceituais e procedimentais Saberes atitudinais
  • 32. Critérios de LEGITIMIDADE relação de coerência sala de aula escola sociedade Ensino Educação curto prazo médio prazo longo prazo Saberes factuais, conceituais e procedimentais Saberes atitudinais
  • 33. Uma última provocação, do Millôr: “Os reformadores sociais afastados da realidade sempre me lembram o conselho de segurança para pregar um prego sem o perigo de se machucar: basta pegar o martelo com as duas mãos.” em conversa com o comerciante Olavo Ramos, em 1968.
  • 34. Referências: AZEVEDO, Janete M. Lins de. A educação como política pública. 2. ed. Campinas: Autores Associados, 2001. CARDOSO, Elizete. Elementos essenciais e contraditórios nas perspectivas de ajustamento social e transformação social. São Paulo: Cortez, 1980. CHEPTULIN, A. A dialética materialista: Categorias e leis da dialética. Trad.: Leda Rita Cintra Ferraz. São Paulo: Alfa-Omega, 1982. FREITAG, Bárbara. Escola, Estado e Sociedade. 6. ed. São Paulo: Moraes, 1986. FERNANDES, Millôr. O livro vermelho dos pensamentos de Millôr. Porto Alegre: L&PM, 2005. FULLAT, Octavi. Filosofias da Educação. Petrópolis, RJ: Vozes, 1994. LÖWY, Michael. As aventuras de Karl Marx contra o Barão de Münchhausen: marxismo e positivismo na sociologia do conhecimento. 6. ed. Trad. Juarez Guimarães e Suzzane Léwy. São Paulo: Cortez, 1998. NORONHA, Olinda Maria. Políticas neoliberais, conhecimento e educação. Campinas, SP: Alínea, 2002. SAVIANI, Dermeval. Escola e democracia. 35. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2002.