SlideShare uma empresa Scribd logo
All sections to appear here
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
    Evolução industrial
Contexto mundial- séc. XVIII
 Desenvolvimento do comércio,


 existência de grandes mercados coloniais,


 ascensão da burguesia,


 acumulo de capitais,


 avanços científicos,


 formação dos Estados Nacionais.
ATENÇÃO
Quando se começa a estudar a Revolução
Industrial, a primeira questão a levantar é
sobre que tipo de revolução estamos falando.


  O sentido que usamos    Ao falarmos, então, de
    neste caso é o de         uma "revolução
  revolução como uma        industrial", estamos
                                                    A questão e que tudo isso
transformação profunda,        falamos numa
                                                       corresponde a um
   uma mudança muito      modificação drástica no
                                                            processo.
grande, uma ruptura com   modo de fabricação dos
       o que havia         produtos consumidos
     anteriormente.            pelo homem.
ETAPAS DO MODO DE
                 PRODUÇÃO:
1ª – Artesanato: forma mais simples de produção
industrial. O artesão fazia tudo sozinho.




      2ª – Manufatura: caracteriza-se pela divisão de tarefas.
      Cada pessoa executa uma parte do trabalho, sendo
      que todas as operações essenciais eram feitas à mão
      com ajuda de ferramentas manuais.



            3ª – Mecanização: forma mais complexa de produção
            industrial. Consiste na utilização das máquinas em
            substituição às ferramentas e ao próprio trabalho do
            homem.
Fatores do pioneirismo Inglês
Consolidação de um     • Em função da Revolução Gloriosa
 governo burguês,      • Liberalismo político e econômico;


                       • grande oferta de mão-de-
Lei de Cercamentos,
                         obra, matéria-prima


                       • Tratado de panos e vinhos com
acumulo de capitais,
                         Portugal e o ouro brasileiro


grande oferta carvão
                       • Para alimentar e formar a indústria
   mineral e ferro
Características da
    Revolução Industrial
   Separação entre capital e trabalho (= mercadoria),



               divisão social do trabalho,


              surgimento do proletariado,



produção em larga escala para em mercado desconhecido,



  concentração industrial em grandes centros urbanos.
DIVISÃO SOCIAL DO TRABALHO
Conseqüências da
                Revolução Industrial:




consolidação do
                                      imposição do
   capitalismo
                                         tempo da      alienação do
(através do lucro   Imperialismos,
                                     maquina sobre o   trabalhador.
e da propriedade
                                       trabalhador,
     privada),
MAIS-VALIA
FASES DA REVOLUÇÃO
              INDUDTRIAL

• energia a vapor     •energia elétrica
• ferro               • petróleo e aço
• indústria têxtil.   • diversificação
                      industrial.
 1ª fase da            2ª fase da
 Revolução             Revolução
 Industrial:           Industrial:
RELAÇÕES DE PRODUÇÃO NO
 CAPITALISMO INDUSTRIAL:
   EMPRESÁRIO        BURGUESIA        LIBERALISMO
   • MÁQUINAS
   • INSTALAÇÕES
   • FÁBRICAS
   • TERRAS



   TRABALHADOR           PROLETÁRIO     SOCIALISMO


   • FORÇA DE TRABALHO
CAPITALISMO
Reações operárias:
Reações operárias:

Movimento Cartista
 (Carta ao Povo):


      1830/40; incorporaram idéias de democracia, igualdade e
                           coletivismo.



    Programas apresentados ao parlamento: sufrágio universal
    masculino, igualdade de direitos eleitorais, votos secretos,
         legislaturas anuais, abolição do censo eleitoral e
              remuneração para as funções eleitorais.
Revolução industrial

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Revolucaoindustrial 091220091726
Revolucaoindustrial 091220091726Revolucaoindustrial 091220091726
Revolucaoindustrial 091220091726
Moacir E Nalin
 

Mais procurados (20)

Primeiro Reinado (1822-1831)
Primeiro Reinado (1822-1831)Primeiro Reinado (1822-1831)
Primeiro Reinado (1822-1831)
 
Crise de 1929
Crise de 1929Crise de 1929
Crise de 1929
 
Das Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
Das Revoluções Inglesa à Revolução IndustrialDas Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
Das Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
 
Revoluções Liberais na Europa no Século XIX
Revoluções Liberais na Europa no Século XIXRevoluções Liberais na Europa no Século XIX
Revoluções Liberais na Europa no Século XIX
 
3º ano - Brasil de 1945 a 1964.
3º ano - Brasil de 1945 a 1964.3º ano - Brasil de 1945 a 1964.
3º ano - Brasil de 1945 a 1964.
 
SLIDES – REVOLTAS NA PRIMEIRA REPÚBLICA.
SLIDES – REVOLTAS NA PRIMEIRA REPÚBLICA.SLIDES – REVOLTAS NA PRIMEIRA REPÚBLICA.
SLIDES – REVOLTAS NA PRIMEIRA REPÚBLICA.
 
Crise de 1929
Crise de 1929Crise de 1929
Crise de 1929
 
A Redemocratização do Brasil
A Redemocratização do BrasilA Redemocratização do Brasil
A Redemocratização do Brasil
 
Nacionalismo
NacionalismoNacionalismo
Nacionalismo
 
Imperialismo do século XIX
Imperialismo do século XIXImperialismo do século XIX
Imperialismo do século XIX
 
Neocolonialismo geral2
Neocolonialismo geral2Neocolonialismo geral2
Neocolonialismo geral2
 
Revolução russa
Revolução russaRevolução russa
Revolução russa
 
República Velha (1889-1930) - Primeira Parte
República Velha (1889-1930) - Primeira ParteRepública Velha (1889-1930) - Primeira Parte
República Velha (1889-1930) - Primeira Parte
 
ABSOLUTISMO E MERCANTILISMO
ABSOLUTISMO E MERCANTILISMOABSOLUTISMO E MERCANTILISMO
ABSOLUTISMO E MERCANTILISMO
 
Revoltas Coloniais
Revoltas ColoniaisRevoltas Coloniais
Revoltas Coloniais
 
Proclamação da República
Proclamação da RepúblicaProclamação da República
Proclamação da República
 
2° ano EM - Revolução Industrial.
2° ano EM - Revolução Industrial.2° ano EM - Revolução Industrial.
2° ano EM - Revolução Industrial.
 
Pré História - Ensino Médio
Pré História - Ensino MédioPré História - Ensino Médio
Pré História - Ensino Médio
 
As revoluções inglesas
As revoluções inglesasAs revoluções inglesas
As revoluções inglesas
 
Revolucaoindustrial 091220091726
Revolucaoindustrial 091220091726Revolucaoindustrial 091220091726
Revolucaoindustrial 091220091726
 

Destaque

O processo de industrialização
O processo de industrializaçãoO processo de industrialização
O processo de industrialização
Rodrigo Baglini
 
Aula de historia ditadura militar Parte II 64 pérysson
Aula de historia   ditadura militar Parte II 64 péryssonAula de historia   ditadura militar Parte II 64 pérysson
Aula de historia ditadura militar Parte II 64 pérysson
Pérysson Nogueira
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Zeze Silva
 
Republica do Cafe com Leite ou das Oligarquias
Republica do Cafe com Leite ou das OligarquiasRepublica do Cafe com Leite ou das Oligarquias
Republica do Cafe com Leite ou das Oligarquias
Pérysson Nogueira
 

Destaque (20)

Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
 
Revolucao industrial2
Revolucao industrial2Revolucao industrial2
Revolucao industrial2
 
O processo de industrialização
O processo de industrializaçãoO processo de industrialização
O processo de industrialização
 
Manufatura x maquinofatura/Dica Enem!
Manufatura x maquinofatura/Dica Enem!Manufatura x maquinofatura/Dica Enem!
Manufatura x maquinofatura/Dica Enem!
 
Aula de historia ditadura militar 64 parte i
Aula de historia   ditadura militar 64  parte iAula de historia   ditadura militar 64  parte i
Aula de historia ditadura militar 64 parte i
 
Sugestões de temas para o enem 2011
Sugestões de temas para o enem 2011Sugestões de temas para o enem 2011
Sugestões de temas para o enem 2011
 
Aula de historia ditadura militar 64 pérysson
Aula de historia   ditadura militar 64 péryssonAula de historia   ditadura militar 64 pérysson
Aula de historia ditadura militar 64 pérysson
 
A república populista
A república populistaA república populista
A república populista
 
Era vargas
Era   vargasEra   vargas
Era vargas
 
História fácil
História fácilHistória fácil
História fácil
 
Estados totalitários
Estados totalitáriosEstados totalitários
Estados totalitários
 
Aula de historia ditadura militar Parte II 64 pérysson
Aula de historia   ditadura militar Parte II 64 péryssonAula de historia   ditadura militar Parte II 64 pérysson
Aula de historia ditadura militar Parte II 64 pérysson
 
Ac de história 2 ano
Ac de história 2 anoAc de história 2 ano
Ac de história 2 ano
 
Pré história
Pré históriaPré história
Pré história
 
Egito antigo
Egito antigoEgito antigo
Egito antigo
 
As revoluções inglesas do século xvii rev. puritana
As revoluções inglesas do século xvii   rev. puritanaAs revoluções inglesas do século xvii   rev. puritana
As revoluções inglesas do século xvii rev. puritana
 
Questão judaico palestina
Questão judaico palestinaQuestão judaico palestina
Questão judaico palestina
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Republica do Cafe com Leite ou das Oligarquias
Republica do Cafe com Leite ou das OligarquiasRepublica do Cafe com Leite ou das Oligarquias
Republica do Cafe com Leite ou das Oligarquias
 
Republica do cafe com leite
Republica do cafe com leiteRepublica do cafe com leite
Republica do cafe com leite
 

Semelhante a Revolução industrial

A revolução industrial
A revolução industrialA revolução industrial
A revolução industrial
segundocol
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
joana71
 
Setores de produção
Setores de produçãoSetores de produção
Setores de produção
Italo Alan
 
A INDÚSTRIA NO ESPAÇO GEOGRÁFICO MUNDIAL.doc
A INDÚSTRIA NO ESPAÇO  GEOGRÁFICO MUNDIAL.docA INDÚSTRIA NO ESPAÇO  GEOGRÁFICO MUNDIAL.doc
A INDÚSTRIA NO ESPAÇO GEOGRÁFICO MUNDIAL.doc
AlfredoFilho18
 
Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olhares
Janayna Lira
 
Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olhares
Janayna Lira
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
Marco Santos
 
Revolucao industrial 2013
Revolucao industrial 2013Revolucao industrial 2013
Revolucao industrial 2013
Fabio Salvari
 

Semelhante a Revolução industrial (20)

3 revolução industrial
3   revolução industrial3   revolução industrial
3 revolução industrial
 
Revolucao industrial
Revolucao industrialRevolucao industrial
Revolucao industrial
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
APRESENTACAO_ANDREY el at_PARTE 4 - 21-05.pptx
APRESENTACAO_ANDREY el at_PARTE 4 - 21-05.pptxAPRESENTACAO_ANDREY el at_PARTE 4 - 21-05.pptx
APRESENTACAO_ANDREY el at_PARTE 4 - 21-05.pptx
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
 
Industrialização - Revoluções.ppt
Industrialização - Revoluções.pptIndustrialização - Revoluções.ppt
Industrialização - Revoluções.ppt
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
A revolução industrial
A revolução industrialA revolução industrial
A revolução industrial
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
 
Setores de produção
Setores de produçãoSetores de produção
Setores de produção
 
Slides a revolução industrial 2º. ano
Slides a revolução industrial   2º. anoSlides a revolução industrial   2º. ano
Slides a revolução industrial 2º. ano
 
O Arranque Industrial
O Arranque IndustrialO Arranque Industrial
O Arranque Industrial
 
A INDÚSTRIA NO ESPAÇO GEOGRÁFICO MUNDIAL.doc
A INDÚSTRIA NO ESPAÇO  GEOGRÁFICO MUNDIAL.docA INDÚSTRIA NO ESPAÇO  GEOGRÁFICO MUNDIAL.doc
A INDÚSTRIA NO ESPAÇO GEOGRÁFICO MUNDIAL.doc
 
As Revoluções Industriais.pptx
As Revoluções Industriais.pptxAs Revoluções Industriais.pptx
As Revoluções Industriais.pptx
 
Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olhares
 
Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olhares
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
 
Revolucao industrial 2013
Revolucao industrial 2013Revolucao industrial 2013
Revolucao industrial 2013
 

Mais de Pérysson Nogueira (11)

Ac 3 ano h ii -turma 1
Ac 3 ano h ii -turma 1Ac 3 ano h ii -turma 1
Ac 3 ano h ii -turma 1
 
Segundo reinado completo
Segundo reinado   completoSegundo reinado   completo
Segundo reinado completo
 
Política do café com leite
Política do café com leitePolítica do café com leite
Política do café com leite
 
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
 
Brasil colonia
Brasil coloniaBrasil colonia
Brasil colonia
 
Ac 3 ano h ii -turma 1 - gabaritada
Ac 3 ano h ii -turma 1 - gabaritadaAc 3 ano h ii -turma 1 - gabaritada
Ac 3 ano h ii -turma 1 - gabaritada
 
História do ceará
História do cearáHistória do ceará
História do ceará
 
Hebreus
HebreusHebreus
Hebreus
 
A República Populista
A República PopulistaA República Populista
A República Populista
 
Brasil colonia ou América Portuguesa
Brasil colonia ou América PortuguesaBrasil colonia ou América Portuguesa
Brasil colonia ou América Portuguesa
 
Mineração na América Portuguesa
Mineração na América PortuguesaMineração na América Portuguesa
Mineração na América Portuguesa
 

Último

clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaclubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
LuanaAlves940822
 
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
edjailmax
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
ssuserbb4ac2
 

Último (20)

O carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
O carteiro chegou - Janet & Allan AhlbergO carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
O carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/AcumuladorRecurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docxAtividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
 
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaclubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
 
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
 

Revolução industrial

  • 1. All sections to appear here
  • 2. REVOLUÇÃO INDUSTRIAL Evolução industrial
  • 3. Contexto mundial- séc. XVIII Desenvolvimento do comércio, existência de grandes mercados coloniais, ascensão da burguesia, acumulo de capitais, avanços científicos, formação dos Estados Nacionais.
  • 4. ATENÇÃO Quando se começa a estudar a Revolução Industrial, a primeira questão a levantar é sobre que tipo de revolução estamos falando. O sentido que usamos Ao falarmos, então, de neste caso é o de uma "revolução revolução como uma industrial", estamos A questão e que tudo isso transformação profunda, falamos numa corresponde a um uma mudança muito modificação drástica no processo. grande, uma ruptura com modo de fabricação dos o que havia produtos consumidos anteriormente. pelo homem.
  • 5. ETAPAS DO MODO DE PRODUÇÃO: 1ª – Artesanato: forma mais simples de produção industrial. O artesão fazia tudo sozinho. 2ª – Manufatura: caracteriza-se pela divisão de tarefas. Cada pessoa executa uma parte do trabalho, sendo que todas as operações essenciais eram feitas à mão com ajuda de ferramentas manuais. 3ª – Mecanização: forma mais complexa de produção industrial. Consiste na utilização das máquinas em substituição às ferramentas e ao próprio trabalho do homem.
  • 6. Fatores do pioneirismo Inglês Consolidação de um • Em função da Revolução Gloriosa governo burguês, • Liberalismo político e econômico; • grande oferta de mão-de- Lei de Cercamentos, obra, matéria-prima • Tratado de panos e vinhos com acumulo de capitais, Portugal e o ouro brasileiro grande oferta carvão • Para alimentar e formar a indústria mineral e ferro
  • 7. Características da Revolução Industrial Separação entre capital e trabalho (= mercadoria), divisão social do trabalho, surgimento do proletariado, produção em larga escala para em mercado desconhecido, concentração industrial em grandes centros urbanos.
  • 9. Conseqüências da Revolução Industrial: consolidação do imposição do capitalismo tempo da alienação do (através do lucro Imperialismos, maquina sobre o trabalhador. e da propriedade trabalhador, privada),
  • 11. FASES DA REVOLUÇÃO INDUDTRIAL • energia a vapor •energia elétrica • ferro • petróleo e aço • indústria têxtil. • diversificação industrial. 1ª fase da 2ª fase da Revolução Revolução Industrial: Industrial:
  • 12. RELAÇÕES DE PRODUÇÃO NO CAPITALISMO INDUSTRIAL: EMPRESÁRIO BURGUESIA LIBERALISMO • MÁQUINAS • INSTALAÇÕES • FÁBRICAS • TERRAS TRABALHADOR PROLETÁRIO SOCIALISMO • FORÇA DE TRABALHO
  • 15. Reações operárias: Movimento Cartista (Carta ao Povo): 1830/40; incorporaram idéias de democracia, igualdade e coletivismo. Programas apresentados ao parlamento: sufrágio universal masculino, igualdade de direitos eleitorais, votos secretos, legislaturas anuais, abolição do censo eleitoral e remuneração para as funções eleitorais.