SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 13
Brasil Colônia
   Economia e Sociedade
Brasil açucareiro
• Nunca esquecer que o Brasil foi uma colônia de
  exploração: mão-de-obra escrava, latifúndio,
  monocultura e produção para o mercado externo.
 Primeiro engenho brasileiro: Em São Vicente por
  Martim Afonso de Sousa.
• Auge da cultura: região Nordeste na Zona da
  Mata.
Brasil açucareiro
• Escolha do açúcar: adaptado ao solo, grande
  procura, bom preço e mercado garantido na
  Europa.
• ATENÇÃO: Quebra do mito do monopólio
  português. O financiamento da produção coube
  aos bancos holandeses, que também passaram a
  distribuir a produção.
• Tráfico negreiro: solução para a falta de mão-de-
  obra e forma de a metrópole alcançar mais lucro
  com a colônia.
Economia canavieira
• Produção monocultora para o mercado
  externo.
• Economia     subsidiaria  ao     açúcar:
  aguardente ( + o tabaco era trocado por
  escravos) e pecuária.
• Auge: dominação holandesa (era Nassau)
• Decadência: expulsão dos holandeses
Sociedade açucareira
• Titulo de Senhor de Engenho:
  riquezas e privilégios sociais.
• Família Patriarcal (extensão do
  direito de propriedade sobre
  familiares), aristocrática e
  escravista.
• Casa Grande: extensão e
  símbolo da riqueza do Senhor
  de Engenho. Composta de
  senzalas e capela.
• Pouca diversidade social:
  Senhor de Engenho, homens
  brancos (trabalhadores do
  engenho pequenos lavradores e
  sem terras) e escravos.
A pecuária
• No inicio era atividade subsidiária
  (auxiliar) da cana-de-açúcar.
• Com a Carta Regia de 1701 (que o
  obrigava a ser criado a 10 léguas da cana-
  de-açúcar) afastou-se da zona açucareira
  penetrando pelo interior do Nordeste.
Quadro esquemático sobre a
       pecuária no Brasil
NORDESTE                     SUL
• Correntes de               • No inicio, praticava-se
  povoamento: Sertão de        mais a caça ao gado do
  Dentro e Sertão de Fora.     que sua criação.
• Predomino da mão-de-       • Ganhou força com o
                               aumento do mercado
  obra livre, relações         consumidor oriundo da
  paternalistas,               da atividade mineradora,
• algumas possibilidades       passando a ser criado
  de ascensão social,          nas estâncias.
• surgimento de uma          • Predomino da mão-de-
  “sociedade do couro”         obra assalariada.
A mineração
Conseqüências                 da
  descoberta do ouro no Brasil:
• aumento populacional, e do
  mercado consumidor interno,
• crescimento urbano e das
  relações interprovinciais,
• deslocamento       do      eixo
  econômico para a região Sul
  e da capital para o Rio de
  Janeiro,
• arrocho colonial.
A mineração
• Criação da Superintendência
  das Minas: órgão responsável
  pelo controle da região das
  minas, subordinada apenas a
  Coroa.
• Impostos: Quinto (20 %
  produção, depois passou a ser
  10 arroubas anuais = 15 mil
  quilos), Capitação (imposto
  pago     por    “cabeça    de
  escravos”).        DERRAMA:
  cobrança     dos     impostos
  atrasados.     Para     evitar
  contrabandos foram criadas as
A mineração
• Exploração: faiscadores e lavras.
• Exploração dos Diamantes: contratadores.
• Caminho das riquezas minerais no Brasil:
  Portugal ( por conta da exploração
  colonial) → Inglaterra (por conta do
  Tratado de Methuen ou “panos e
  vinhos”de 1703).
Quadro explocativo da
 mineraçao colonial
outras atividades

• Tabagista: usado para o escambo na áfrica (por
  escravo). Auge: século XVII (coincidindo com o
  auge do açúcar).

• Algodão: recuperação da economia tropical no
  século XVIII. Expansão da produção: revolução
  industrial, Guerra de Independência Americana
  (1774-83) e Guerra de Secessão americana
  (1861-65).

• Mandioca: para a alimentação local
  (principalmente dos escravos). Ganhou impulso
  com a dominação holandesa. LEMBRAR DA
  “CONSTITUIÇÃO DA MANDIOCA” DE 1823
Mapa das atividade coloniais

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

EUA no século XIX
EUA no século XIXEUA no século XIX
EUA no século XIXeiprofessor
 
Revolucão Francesa
Revolucão FrancesaRevolucão Francesa
Revolucão Francesaeiprofessor
 
culturas pre-colombianas
culturas pre-colombianasculturas pre-colombianas
culturas pre-colombianasIzaac Erder
 
Ditadura Militar
Ditadura MilitarDitadura Militar
Ditadura Militarguest12728e
 
Redemocratização do brasil 1970-1980
Redemocratização do brasil  1970-1980Redemocratização do brasil  1970-1980
Redemocratização do brasil 1970-1980CesarDestro
 
Revolução russa slide
Revolução russa slideRevolução russa slide
Revolução russa slideIsabel Aguiar
 
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencialFelipe Silva
 
Primeira República
Primeira RepúblicaPrimeira República
Primeira Repúblicaisameucci
 
República Velha (1889-1930) - Primeira Parte
República Velha (1889-1930) - Primeira ParteRepública Velha (1889-1930) - Primeira Parte
República Velha (1889-1930) - Primeira ParteValéria Shoujofan
 
Da espada a república oligarquica
Da espada a república oligarquicaDa espada a república oligarquica
Da espada a república oligarquicaDouglas Barraqui
 
Independencia america espanhola
Independencia america espanholaIndependencia america espanhola
Independencia america espanhola7 de Setembro
 
Slides a revolução industrial 2º. ano
Slides a revolução industrial   2º. anoSlides a revolução industrial   2º. ano
Slides a revolução industrial 2º. anoFatima Freitas
 
A proclamação da república no brasil
A proclamação da república no brasilA proclamação da república no brasil
A proclamação da república no brasilLucas Degiovani
 

Mais procurados (20)

EUA no século XIX
EUA no século XIXEUA no século XIX
EUA no século XIX
 
Revolucao russa
Revolucao russaRevolucao russa
Revolucao russa
 
Revolucão Francesa
Revolucão FrancesaRevolucão Francesa
Revolucão Francesa
 
culturas pre-colombianas
culturas pre-colombianasculturas pre-colombianas
culturas pre-colombianas
 
Revolução russa
Revolução russaRevolução russa
Revolução russa
 
Ditadura Militar
Ditadura MilitarDitadura Militar
Ditadura Militar
 
Redemocratização do brasil 1970-1980
Redemocratização do brasil  1970-1980Redemocratização do brasil  1970-1980
Redemocratização do brasil 1970-1980
 
Revolução russa slide
Revolução russa slideRevolução russa slide
Revolução russa slide
 
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
 
Primeira República
Primeira RepúblicaPrimeira República
Primeira República
 
Grandes Navegações
Grandes NavegaçõesGrandes Navegações
Grandes Navegações
 
República Velha (1889-1930) - Primeira Parte
República Velha (1889-1930) - Primeira ParteRepública Velha (1889-1930) - Primeira Parte
República Velha (1889-1930) - Primeira Parte
 
Da espada a república oligarquica
Da espada a república oligarquicaDa espada a república oligarquica
Da espada a república oligarquica
 
O Coronelismo
O CoronelismoO Coronelismo
O Coronelismo
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Independencia america espanhola
Independencia america espanholaIndependencia america espanhola
Independencia america espanhola
 
Expansão territorial
Expansão territorialExpansão territorial
Expansão territorial
 
Slides a revolução industrial 2º. ano
Slides a revolução industrial   2º. anoSlides a revolução industrial   2º. ano
Slides a revolução industrial 2º. ano
 
A proclamação da república no brasil
A proclamação da república no brasilA proclamação da república no brasil
A proclamação da república no brasil
 
A Revolução Mexicana (1910)
A Revolução Mexicana (1910)A Revolução Mexicana (1910)
A Revolução Mexicana (1910)
 

Destaque

Mineração na América Portuguesa
Mineração na América PortuguesaMineração na América Portuguesa
Mineração na América PortuguesaPérysson Nogueira
 
Brasil colonia ou América Portuguesa
Brasil colonia ou América PortuguesaBrasil colonia ou América Portuguesa
Brasil colonia ou América PortuguesaPérysson Nogueira
 
América portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasilAmérica portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasilDouglas Barraqui
 
Termos da Indústria canavieira do século XVIII na fala de agricultores de can...
Termos da Indústria canavieira do século XVIII na fala de agricultores de can...Termos da Indústria canavieira do século XVIII na fala de agricultores de can...
Termos da Indústria canavieira do século XVIII na fala de agricultores de can...Luis Serra
 
Brasil colônia 2º ano - economia inv.holandesa
Brasil colônia   2º ano - economia inv.holandesaBrasil colônia   2º ano - economia inv.holandesa
Brasil colônia 2º ano - economia inv.holandesaMarilia Pimentel
 
A colonização da América portuguesa
A colonização da América portuguesaA colonização da América portuguesa
A colonização da América portuguesaEdenilson Morais
 
Mineração no Brasil Colônia
Mineração no Brasil ColôniaMineração no Brasil Colônia
Mineração no Brasil ColôniaJerry Guimarães
 
Ciclo do açúcar no brasil colonial by Ernandez Oliveira
Ciclo do açúcar no brasil colonial by Ernandez OliveiraCiclo do açúcar no brasil colonial by Ernandez Oliveira
Ciclo do açúcar no brasil colonial by Ernandez OliveiraErnandez Oliveira
 
Historia do brasil pg188
Historia do brasil pg188Historia do brasil pg188
Historia do brasil pg188kisb1337
 
Caderno pedagc3b3gico-histc3b3ria-7c2ba-ano-4-bim-2012-aluno
Caderno pedagc3b3gico-histc3b3ria-7c2ba-ano-4-bim-2012-alunoCaderno pedagc3b3gico-histc3b3ria-7c2ba-ano-4-bim-2012-aluno
Caderno pedagc3b3gico-histc3b3ria-7c2ba-ano-4-bim-2012-alunoocg50
 
População - séc. XVII e XVIII
População - séc. XVII e XVIIIPopulação - séc. XVII e XVIII
População - séc. XVII e XVIIIHistoria2000
 
antonio inacio ferraz-breve história da cana de açúcar no Brasil
antonio inacio ferraz-breve história da cana de açúcar no Brasilantonio inacio ferraz-breve história da cana de açúcar no Brasil
antonio inacio ferraz-breve história da cana de açúcar no BrasilAntonio Inácio Ferraz
 
172 abcd brasil colonial 1580 1644 dominio espanhol, brasil holandes
172 abcd brasil colonial 1580 1644 dominio espanhol, brasil holandes172 abcd brasil colonial 1580 1644 dominio espanhol, brasil holandes
172 abcd brasil colonial 1580 1644 dominio espanhol, brasil holandescristianoperinpissolato
 

Destaque (20)

Mineração na América Portuguesa
Mineração na América PortuguesaMineração na América Portuguesa
Mineração na América Portuguesa
 
Brasil colonia ou América Portuguesa
Brasil colonia ou América PortuguesaBrasil colonia ou América Portuguesa
Brasil colonia ou América Portuguesa
 
América portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasilAmérica portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasil
 
Termos da Indústria canavieira do século XVIII na fala de agricultores de can...
Termos da Indústria canavieira do século XVIII na fala de agricultores de can...Termos da Indústria canavieira do século XVIII na fala de agricultores de can...
Termos da Indústria canavieira do século XVIII na fala de agricultores de can...
 
Brasil colônia 2º ano - economia inv.holandesa
Brasil colônia   2º ano - economia inv.holandesaBrasil colônia   2º ano - economia inv.holandesa
Brasil colônia 2º ano - economia inv.holandesa
 
A colonização da América portuguesa
A colonização da América portuguesaA colonização da América portuguesa
A colonização da América portuguesa
 
Mineração no Brasil Colônia
Mineração no Brasil ColôniaMineração no Brasil Colônia
Mineração no Brasil Colônia
 
Brasil colônia
Brasil colônia Brasil colônia
Brasil colônia
 
Brasil séc. xviii
Brasil   séc. xviiiBrasil   séc. xviii
Brasil séc. xviii
 
Brasil Colônia
Brasil ColôniaBrasil Colônia
Brasil Colônia
 
Brasil colonia
Brasil coloniaBrasil colonia
Brasil colonia
 
Ciclo do açúcar no brasil colonial by Ernandez Oliveira
Ciclo do açúcar no brasil colonial by Ernandez OliveiraCiclo do açúcar no brasil colonial by Ernandez Oliveira
Ciclo do açúcar no brasil colonial by Ernandez Oliveira
 
P. brasil 1
P. brasil 1P. brasil 1
P. brasil 1
 
Brasil Colônia II
Brasil Colônia IIBrasil Colônia II
Brasil Colônia II
 
Historia do brasil pg188
Historia do brasil pg188Historia do brasil pg188
Historia do brasil pg188
 
Caderno pedagc3b3gico-histc3b3ria-7c2ba-ano-4-bim-2012-aluno
Caderno pedagc3b3gico-histc3b3ria-7c2ba-ano-4-bim-2012-alunoCaderno pedagc3b3gico-histc3b3ria-7c2ba-ano-4-bim-2012-aluno
Caderno pedagc3b3gico-histc3b3ria-7c2ba-ano-4-bim-2012-aluno
 
População - séc. XVII e XVIII
População - séc. XVII e XVIIIPopulação - séc. XVII e XVIII
População - séc. XVII e XVIII
 
antonio inacio ferraz-breve história da cana de açúcar no Brasil
antonio inacio ferraz-breve história da cana de açúcar no Brasilantonio inacio ferraz-breve história da cana de açúcar no Brasil
antonio inacio ferraz-breve história da cana de açúcar no Brasil
 
172 abcd brasil colonial 1580 1644 dominio espanhol, brasil holandes
172 abcd brasil colonial 1580 1644 dominio espanhol, brasil holandes172 abcd brasil colonial 1580 1644 dominio espanhol, brasil holandes
172 abcd brasil colonial 1580 1644 dominio espanhol, brasil holandes
 
Brasil Colônia III
Brasil Colônia IIIBrasil Colônia III
Brasil Colônia III
 

Semelhante a Brasil colonia

Brasil colônia II economia
Brasil colônia II   economiaBrasil colônia II   economia
Brasil colônia II economiaEduard Henry
 
A economia do brasil colonial
A economia do brasil colonialA economia do brasil colonial
A economia do brasil colonialhistoriando
 
História do Brasil - Colônia - Expansão territorial [www.gondim.net]
História do Brasil - Colônia - Expansão territorial [www.gondim.net]História do Brasil - Colônia - Expansão territorial [www.gondim.net]
História do Brasil - Colônia - Expansão territorial [www.gondim.net]Marco Aurélio Gondim
 
001 2º ano história rafael - américa portuguesa até mineração 2015
001  2º ano  história   rafael  - américa portuguesa até mineração 2015001  2º ano  história   rafael  - américa portuguesa até mineração 2015
001 2º ano história rafael - américa portuguesa até mineração 2015Rafael Noronha
 
3° ano - Brasil colônia - aula 3 e 4 - apostila 1 c
3° ano  - Brasil colônia - aula 3 e 4 - apostila 1 c3° ano  - Brasil colônia - aula 3 e 4 - apostila 1 c
3° ano - Brasil colônia - aula 3 e 4 - apostila 1 cDaniel Alves Bronstrup
 
Módulo 5 - Mineração e revoltas nativistas
Módulo 5 - Mineração e revoltas nativistasMódulo 5 - Mineração e revoltas nativistas
Módulo 5 - Mineração e revoltas nativistasBreno Girotto
 
Brasil Colonial - expansao e diversidade economica
Brasil Colonial - expansao e diversidade economicaBrasil Colonial - expansao e diversidade economica
Brasil Colonial - expansao e diversidade economicaAlexandre Protásio
 
Sistema e economia colonial parte 2
Sistema e economia colonial parte 2Sistema e economia colonial parte 2
Sistema e economia colonial parte 2Eliphas Rodrigues
 
ciculo do ouro.pdf
ciculo do ouro.pdfciculo do ouro.pdf
ciculo do ouro.pdfDenisBrito16
 
Aspecto culturais da colônia e revolta de beckman
Aspecto culturais da colônia e revolta de beckmanAspecto culturais da colônia e revolta de beckman
Aspecto culturais da colônia e revolta de beckmanEliphas Rodrigues
 
Brasil colonial
Brasil colonialBrasil colonial
Brasil colonialUFES
 

Semelhante a Brasil colonia (20)

Brasil colônia II economia
Brasil colônia II   economiaBrasil colônia II   economia
Brasil colônia II economia
 
Mineração 8º ano
Mineração 8º anoMineração 8º ano
Mineração 8º ano
 
A economia do brasil colonial
A economia do brasil colonialA economia do brasil colonial
A economia do brasil colonial
 
A economia do brasil colonial
A economia do brasil colonialA economia do brasil colonial
A economia do brasil colonial
 
História do Brasil - Colônia - Expansão territorial [www.gondim.net]
História do Brasil - Colônia - Expansão territorial [www.gondim.net]História do Brasil - Colônia - Expansão territorial [www.gondim.net]
História do Brasil - Colônia - Expansão territorial [www.gondim.net]
 
001 2º ano história rafael - américa portuguesa até mineração 2015
001  2º ano  história   rafael  - américa portuguesa até mineração 2015001  2º ano  história   rafael  - américa portuguesa até mineração 2015
001 2º ano história rafael - américa portuguesa até mineração 2015
 
Mineracao no brasil
Mineracao no brasilMineracao no brasil
Mineracao no brasil
 
3° ano - Brasil colônia - aula 3 e 4 - apostila 1 c
3° ano  - Brasil colônia - aula 3 e 4 - apostila 1 c3° ano  - Brasil colônia - aula 3 e 4 - apostila 1 c
3° ano - Brasil colônia - aula 3 e 4 - apostila 1 c
 
Módulo 5 - Mineração e revoltas nativistas
Módulo 5 - Mineração e revoltas nativistasMódulo 5 - Mineração e revoltas nativistas
Módulo 5 - Mineração e revoltas nativistas
 
Economia
EconomiaEconomia
Economia
 
BRASIL COLÔNIA - PARTE I
BRASIL COLÔNIA - PARTE IBRASIL COLÔNIA - PARTE I
BRASIL COLÔNIA - PARTE I
 
Economia açucareira na América Portuguesa.
Economia açucareira na América Portuguesa.Economia açucareira na América Portuguesa.
Economia açucareira na América Portuguesa.
 
Brasil Colonial - expansao e diversidade economica
Brasil Colonial - expansao e diversidade economicaBrasil Colonial - expansao e diversidade economica
Brasil Colonial - expansao e diversidade economica
 
REVOLTA DE VILA RICA
REVOLTA DE VILA RICAREVOLTA DE VILA RICA
REVOLTA DE VILA RICA
 
Ciclo do ouro
Ciclo do ouroCiclo do ouro
Ciclo do ouro
 
Sistema e economia colonial parte 2
Sistema e economia colonial parte 2Sistema e economia colonial parte 2
Sistema e economia colonial parte 2
 
ciculo do ouro.pdf
ciculo do ouro.pdfciculo do ouro.pdf
ciculo do ouro.pdf
 
Aspecto culturais da colônia e revolta de beckman
Aspecto culturais da colônia e revolta de beckmanAspecto culturais da colônia e revolta de beckman
Aspecto culturais da colônia e revolta de beckman
 
A época do ouro no brasil
A época do ouro no brasilA época do ouro no brasil
A época do ouro no brasil
 
Brasil colonial
Brasil colonialBrasil colonial
Brasil colonial
 

Mais de Pérysson Nogueira (20)

Ac de história 2 ano
Ac de história 2 anoAc de história 2 ano
Ac de história 2 ano
 
Ac 3 ano h ii -turma 1
Ac 3 ano h ii -turma 1Ac 3 ano h ii -turma 1
Ac 3 ano h ii -turma 1
 
Segundo reinado completo
Segundo reinado   completoSegundo reinado   completo
Segundo reinado completo
 
Era vargas
Era   vargasEra   vargas
Era vargas
 
Política do café com leite
Política do café com leitePolítica do café com leite
Política do café com leite
 
Republica do cafe com leite
Republica do cafe com leiteRepublica do cafe com leite
Republica do cafe com leite
 
A república populista
A república populistaA república populista
A república populista
 
Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
 
Estados totalitários
Estados totalitáriosEstados totalitários
Estados totalitários
 
Pré história
Pré históriaPré história
Pré história
 
Ac 3 ano h ii -turma 1 - gabaritada
Ac 3 ano h ii -turma 1 - gabaritadaAc 3 ano h ii -turma 1 - gabaritada
Ac 3 ano h ii -turma 1 - gabaritada
 
História fácil
História fácilHistória fácil
História fácil
 
História do ceará
História do cearáHistória do ceará
História do ceará
 
Revolução industrial
Revolução industrialRevolução industrial
Revolução industrial
 
Questão judaico palestina
Questão judaico palestinaQuestão judaico palestina
Questão judaico palestina
 
Aula de historia ditadura militar Parte II 64 pérysson
Aula de historia   ditadura militar Parte II 64 péryssonAula de historia   ditadura militar Parte II 64 pérysson
Aula de historia ditadura militar Parte II 64 pérysson
 
Sugestões de temas para o enem 2011
Sugestões de temas para o enem 2011Sugestões de temas para o enem 2011
Sugestões de temas para o enem 2011
 
Aula de historia ditadura militar 64 pérysson
Aula de historia   ditadura militar 64 péryssonAula de historia   ditadura militar 64 pérysson
Aula de historia ditadura militar 64 pérysson
 
Aula de historia ditadura militar 64 parte i
Aula de historia   ditadura militar 64  parte iAula de historia   ditadura militar 64  parte i
Aula de historia ditadura militar 64 parte i
 
Hebreus
HebreusHebreus
Hebreus
 

Último

História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfGisellySobral
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja Mary Alvarenga
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteLeonel Morgado
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoIlda Bicacro
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxCarolineWaitman
 
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...GisellySobral
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAbdLuxemBourg
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdfaulasgege
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASricardo644666
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasBibliotecaViatodos
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na Áfricajuekfuek
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024azulassessoria9
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 

Último (20)

História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 

Brasil colonia

  • 1. Brasil Colônia Economia e Sociedade
  • 2. Brasil açucareiro • Nunca esquecer que o Brasil foi uma colônia de exploração: mão-de-obra escrava, latifúndio, monocultura e produção para o mercado externo. Primeiro engenho brasileiro: Em São Vicente por Martim Afonso de Sousa. • Auge da cultura: região Nordeste na Zona da Mata.
  • 3. Brasil açucareiro • Escolha do açúcar: adaptado ao solo, grande procura, bom preço e mercado garantido na Europa. • ATENÇÃO: Quebra do mito do monopólio português. O financiamento da produção coube aos bancos holandeses, que também passaram a distribuir a produção. • Tráfico negreiro: solução para a falta de mão-de- obra e forma de a metrópole alcançar mais lucro com a colônia.
  • 4. Economia canavieira • Produção monocultora para o mercado externo. • Economia subsidiaria ao açúcar: aguardente ( + o tabaco era trocado por escravos) e pecuária. • Auge: dominação holandesa (era Nassau) • Decadência: expulsão dos holandeses
  • 5. Sociedade açucareira • Titulo de Senhor de Engenho: riquezas e privilégios sociais. • Família Patriarcal (extensão do direito de propriedade sobre familiares), aristocrática e escravista. • Casa Grande: extensão e símbolo da riqueza do Senhor de Engenho. Composta de senzalas e capela. • Pouca diversidade social: Senhor de Engenho, homens brancos (trabalhadores do engenho pequenos lavradores e sem terras) e escravos.
  • 6. A pecuária • No inicio era atividade subsidiária (auxiliar) da cana-de-açúcar. • Com a Carta Regia de 1701 (que o obrigava a ser criado a 10 léguas da cana- de-açúcar) afastou-se da zona açucareira penetrando pelo interior do Nordeste.
  • 7. Quadro esquemático sobre a pecuária no Brasil NORDESTE SUL • Correntes de • No inicio, praticava-se povoamento: Sertão de mais a caça ao gado do Dentro e Sertão de Fora. que sua criação. • Predomino da mão-de- • Ganhou força com o aumento do mercado obra livre, relações consumidor oriundo da paternalistas, da atividade mineradora, • algumas possibilidades passando a ser criado de ascensão social, nas estâncias. • surgimento de uma • Predomino da mão-de- “sociedade do couro” obra assalariada.
  • 8. A mineração Conseqüências da descoberta do ouro no Brasil: • aumento populacional, e do mercado consumidor interno, • crescimento urbano e das relações interprovinciais, • deslocamento do eixo econômico para a região Sul e da capital para o Rio de Janeiro, • arrocho colonial.
  • 9. A mineração • Criação da Superintendência das Minas: órgão responsável pelo controle da região das minas, subordinada apenas a Coroa. • Impostos: Quinto (20 % produção, depois passou a ser 10 arroubas anuais = 15 mil quilos), Capitação (imposto pago por “cabeça de escravos”). DERRAMA: cobrança dos impostos atrasados. Para evitar contrabandos foram criadas as
  • 10. A mineração • Exploração: faiscadores e lavras. • Exploração dos Diamantes: contratadores. • Caminho das riquezas minerais no Brasil: Portugal ( por conta da exploração colonial) → Inglaterra (por conta do Tratado de Methuen ou “panos e vinhos”de 1703).
  • 11. Quadro explocativo da mineraçao colonial
  • 12. outras atividades • Tabagista: usado para o escambo na áfrica (por escravo). Auge: século XVII (coincidindo com o auge do açúcar). • Algodão: recuperação da economia tropical no século XVIII. Expansão da produção: revolução industrial, Guerra de Independência Americana (1774-83) e Guerra de Secessão americana (1861-65). • Mandioca: para a alimentação local (principalmente dos escravos). Ganhou impulso com a dominação holandesa. LEMBRAR DA “CONSTITUIÇÃO DA MANDIOCA” DE 1823
  • 13. Mapa das atividade coloniais