SlideShare uma empresa Scribd logo
Revista bem estar-20140615
Editorial
Você valoriza realmente seus sonhos? Dá a eles a
importância que eles merecem ou, mais do que isso,
investe o suficiente para que se tornem realidade? A
reportagem especial deste domingo trata deste tema,
apoiando-se nos depoimentos de dez convidados, que, a
partir do relato de suas experiências, ajudam a clarear
caminhos para quem sente que seus objetivos andam
“empacados”. “Vale a pena lutar pelo que enche de alegria
os nossos dias”, diz a psicóloga Vera Paráboli Milanesi.
“Somos aprendizes da felicidade. Aprendemos a cada dia
que ela é uma conquista diária”, afirma a psicopedagoga e
presidente da AACD, Adriane Albuquerque Cirelli. “Mas é
preciso saber onde quer chegar e como”, pondera o
psiquiatra e escritor Ailton Amélio. Outra reportagem
mostra o poder da imaginação, ou como o exercício da
criatividade se traduz em realizações e conquistas. Você
também lê nesta edição sobre a importância dos amigos
para nossa saúde física, mental e social. Ótima leitura!
24
Croácia conquista visitantes
com suas cidades históricas
à beira do Mar Adriático
16
Um dos grandes sucessos da telinha,
Tatá Werneck está escalada para ser
protagonista da novela “Lady Marizete”
13
Nutricionista escreve sobre os maus
hábitos alimentares na infância, que
contribuem para o aumento dos casos
de diabetes tipo 1 entre as crianças
Poesia
Agência O Globo/Divulgação
Divulgação
Turismo
Hamilton Pavam
Televisão
DIÁRIO DA REGIÃO
Dos sonhos
à realização
Mariana
Corradi
Diretor de Redação
Décio Trujilo
decio.trujilo@diariodaregiao.com.br
Editor-chefe
Fabrício Carareto
fabricio.carareto@diariodaregiao.com.br
Coordenação
Ligia Ottoboni
ligia.ottoboni@diariodaregiao.com.br
Editor de Bem-Estar e TV
Igor Galante
igor.galante@diariodaregiao.com.br
Editora de Turismo
Cecília Demian
cecilia.demian@diariodaregiao.com.br
Editor de Arte
César A. Belisário
cesar.belisario@diariodaregiao.com.br
Pesquisa de fotos
Mara Lúcia de Sousa
Diagramação
Cristiane Magalhães
Tratamento de Imagens
Edson Saito, Luciana Nardelli
e Luis Antonio
Matérias
Agência Estado
Agência O Globo
ESTRADA
Esta estrada onde moro, entre duas
voltas do caminho,
Interessa mais que uma avenida
urbana.
Nas cidades todas as pessoas se
parecem.
Todo o mundo é igual. todo o mundo é
toda a gente.
Aqui, não: sente-se bem que cada um
traz a sua alma.
Cada criatura é única.
Até os cães.
Estes cães da roça parecem homens
de negócios:
Andam sempre preocupados.
E quanta gente vem e vai!
E tudo tem aquele caráter impressivo
que faz meditar:
Enterro a pé ou a carrocinha de leite
puxada por um bodezinho
manhoso.
Nem falta o murmúrio da água, para
sugerir, pela voz dos símbolos,
Que a vida passa! que a vida passa!
E que a mocidade vai acabar.
Manuel Bandeira
2 / São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 DIÁRIO DA REGIÃO
Estresse, o
fantasma que
assombra
Artigo
Marcelle Vecchi
O estresse é um indicador que estamos
agindo num “padrão over”, com pouco res-
peito aos nossos limites, tanto físicos como
emocionais, e que evidencia uma sobrecar-
ga no sistema como um todo. Para exempli-
ficar, imaginemos um carro subindo uma
ladeira íngreme em 5º marcha, o motor es-
tá sendo forçado além da medida. O proble-
ma do estresse é que se instala de forma su-
til e lenta, é o resultado do acúmulo contí-
nuo de situações desgastantes, dia após dia.
Geralmente temos uma estranha mania de
protelar situações que exigem um posicio-
namento, dessa forma há um acúmulo de
pendências que com o tempo se tornam pro-
blemas. Se nesse estágio continuamos a pro-
telar, esses problemas se tornam crises. E
durante todo esse tempo, que se iniciou
com as situações desgastantes e chegou às
crises, nosso sistema interno se desgastou e
se sobrecarregou, nesse ponto automatica-
mente o estresse já assumiu o controle.
É importante frisar que podemos detec-
tar situações desgastantes, e agir para que o
processo todo se interrompa logo no início,
para isso devemos apurar nossa observação
e sensibilidade frente às situações, e evitar
a protelação.
Temos quatro sentimentos básicos, to-
dos os outros têm suas raízes nesses, que
são: Raiva, Medo, Alegria e Tristeza.
A preferência por protelar geralmente
está associada ao medo. Medo de não ser
compreendido, medo de críticas, medo de
não ser aceito, medo do julgamento alheio,
medo de magoar, medo de causar confli-
tos... Não agimos porque o medo está no
controle. Quando esse processo se torna
consciente, reavaliamos nossas posturas, a
fim de diminuir a influência do medo em
nossas vidas, e naturalmente a coragem de
se posicionar se aflora.
O antídoto do estresse é evitar o acúmu-
lo de situações desgastantes, sejam elas pro-
fissionais, pessoais, familiares ou afetivas.
O hormônio do estresse é o cortisol. De-
pendendo da quantidade de cortisol que cir-
cula pelo nosso organismo sentimos ou não
os efeitos do estresse, e temos observado
uma crescente manifestação desse estado
emocional também em crianças a partir de
5 anos. É uma situação preocupante.
Para combater o estresse, e consequente-
mente o cortisol, as mulheres produzem a
oxitocina, hormônio relacionado a ativida-
des prazerosas e amor; já os homens produ-
zem a testosterona, que combate os benefí-
cios da oxitocina, sendo assim, os homens
estão mais sujeitos a maiores níveis de es-
tresse. Além disso, homens e mulheres rea-
gem de diferentes formas frente a esse esta-
do emocional. As mulheres tendem a bus-
car atividades que lhe ocupem a mente de
forma prazerosa e calmante, como cuidar
dos filhos, cuidar da casa, do jardim, con-
versar com amigas, praticar um hobby, en-
fim, o foco está nas atividades prazerosas,
pois a oxitocina amortece as reações de lu-
tar ou fugir, próprias da ansiedade, que é
uma das consequências do estresse. Já os
homens, sob o efeito da testosterona e
baixa oxitocina, estão mais sujeitos à an-
siedade, e os instintos de lutar ou fugir
prevalecem. Preferem remoer pensamen-
tos e se recolher, e tendem a evitar conta-
tos humanos.
Claro que, em se tratando de estados
emocionais, não há lugar para generaliza-
ções, somos únicos, falamos em tendências,
não em padronizações.
Há estudos que comprovam a ação bené-
fica à saúde de interações interpessoais, co-
mo as escolhidas pelas mulheres, no comba-
te ao estresse. Esses estudos explicam obje-
tivamente o porquê das mulheres viverem
mais do que os homens em todas as cultu-
ras conhecidas, mostrando que os relaciona-
mentos sociais diminuem o colesterol e a
pressão alta, a frequência cardíaca e o risco
de infecções em geral.
Menos estresse, mais saúde; mais conta-
to pessoal, mais saúde; menos contato pes-
soal, menos saúde.
O estresse é um mal que pode ser combati-
do com mudanças de padrões comportamen-
tais e mentais. O primeiro passo é identificar o
problema e assumi-lo como tal, para só depois
tomar as providências necessárias. O que não
podemos fazer é não fazer nada. I
Marcelle Vecchi é terapeuta master
practitioner em Programação
Neurolinguística (PNL)
O antídoto é
evitar o acúmulo
de situações
desgastantes,
sejam elas
profissionais,
pessoais, familiares
ou afetivas
Quem é
Guilherme Baffi
DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 / 3
Dez pessoas compartilham lições de
como encontrar a felicidade
por meio do planejamento, da
perseverança e de algumas renúncias
Gisele Bortoleto
gisele.bortoleto@diariodaregiao.com.brs
Não importa qual. Pode ser
a conquista da casa própria,
comprar um carro, fazer uma
faculdade, especialização ou
viajar. Esses são sonhos que fa-
zem os olhos de muita gente
brilhar, mas que, às vezes, pa-
recem distantes. Todo mundo
sabe bem os ingredientes da fe-
licidade, nas nem sempre co-
nhecem os passos necessários
e sacrifícios para chegar lá. So-
nho não é fantasia. Sonho é
um projeto de realização de
um desejo viável. Pode ser difí-
cil, mas não impossível. Fanta-
sia é o espaço do impossível.
Para conquistar seus objeti-
vos, você encontrará alguns
obstáculos, mas com determi-
nação, você consegue.
A primeira pergunta a ser
feita é: você sabe o que quer
conquistar? Quanto mais espe-
cífico e importante for o objeti-
vo, mais fácil será se aproximar
dele. Isso porque se a motiva-
ção for boa, o sacrifício ficará
pequeno perto do desejo de lu-
tar por ele. Você tem de ter ob-
jetivos, porque sem eles não
consegue sair do lugar.
Por que as pessoas têm tan-
ta dificuldade em realizar seus
sonhos? “Felicidade, como di-
zem os sábios, é gostar daquilo
que você já tem”, diz o escritor
Gilberto Cabeggi, coach edito-
rial, autor dos livros “Antes
Tarde do que Nunca”, “Todo
Dia É Dia de Ser Feliz” e “To-
do Dia é Dia de Ter Fé na Vi-
da” (todos pela ed. Gente). O
importante é não focar naquilo
que lhe falta, mas no que já está
à sua disposição no presente.
É gostar do que já tem e
desfrutar do que já tem. Isso
não só traz felicidade, como
sentimento de gratidão, neces-
sário para gerar novas energias
e conquistas.
“As pessoas têm dificulda-
de em realizar seus sonhos, por-
que, na verdade, não dão a eles
a importância que eles mere-
cem. Quando você desdenha,
faz pouco caso, não consegue
reunir energia e ânimo para rea-
lizá-los”, complementa. Por is-
so, é fundamental seguir uma
rotina de procedimentos para
realmente concretizar na vida
aquilo que você sonha.
A revista Bem-Estar ouviu
dez pessoas que ensinam co-
mo chegaram lá, o que pode
ajudá-lo a planejar suas pró-
prias conquistas.
Especial
O que você tem
feito para realizar
seus sonhos?
4 / São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 DIÁRIO DA REGIÃO
“Para realizar meus maiores
sonhos, corro contra o tempo,
porque eles são muitos na vida
profissional e na vida pessoal.
Se eu não conseguir prosperar
na vida profissional, também não
vou conseguir prosperar na
pessoal. Para isso, sempre
tenho um planejamento de vida,
e tenho conseguido as coisas
que eu quero e conciliar as
coisas importantes na minha
vida, onde minha família vem em
primeiro lugar”
Cláudia Bassitt, empresária
“Eu me sinto uma pessoa muito
feliz, pois as circunstâncias
externas às vezes são bem
desafiantes, mas não me tiram
da conexão com Deus, que me
mantém em paz e harmonia. Sou
feliz sendo presidente voluntária
na AACD, pois assim multiplico
com tantos os valores que recebi
no berço e pratiquei na família
que eu formei. Somos aprendizes
da felicidade, aprendemos a
cada dia que a felicidade é uma
conquista diária, às vezes de
algo que muitos consideram
corriqueiro, mas que para alguns
é a maior das conquistas. Somos
aprendizes da felicidade”
Adriane Albuquerque Cirelli,
psicopedagoga e presidente
da AACD
Hamilton Pavam 14/1/2014
Pierre Duarte 13/3/2014
DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 / 5
“Desde criança, meu maior sonho, por
incrível que pareça, era ser cirurgião
plástico e fazer residência com o
professor Ivo Pitanguy. Assim, me
formei na Famerp, fui para o Rio de
Janeiro, fiz residência e mestrado em
cirurgia na Universidade Federal do
Rio de Janeiro (UFRJ), já para ficar perto
do serviço do professor Pitanguy.
Depois, fiquei três anos trabalhando
com ele. A partir daí, comecei a sonhar
em ter uma clínica nos moldes da dele,
ou seja, com segurança de hospital e
total privacidade aos meus clientes. Em
relação à família, hoje me realizo nos
meus filhos, os dois fazendo medicina,
e talvez sigam meus passos. Em relacão
a bens materiais, sempre me realizo em
viagens (conheço quase o mundo todo),
adoro carros e cavalos. Tenho um haras
em Tanabi. E sempre vou cntinuar
sonhando. Como diz Fernando Pessoa:
‘Tenho em mim todos os sonhos
do mundo’”
Ivan Togni, cirurgião plástico
“Tentoadministrarmeusobjetivos
dentro doslimitesque eupossa
alcançar.Eu procuro tambémaceitar
avidaeoque éinevitável,eviver
cada dia,tanto quanto possível. Você
temdeter objetivos, mas,embora
possaparecer contraditório,eles
podemse tornaruminimigo. Sefor
inatingível,elepodeser frustrante e
tirarvocê dopresenteeum objetivo
podeanular opresente. Sem
objetivosvocê nãoconsegue sair do
lugar,mas existe umadosagem.É
precisosaber onde querchegar e
como.Eu estou contente esempre
aprendendo.Existemgrandes
objetivosnavida, evários nodia a
dia,como terdevir trabalhar,
caminhar.É precisoadministrá-los.
Seeunãosouber administrá-los,
acabosaindodo presente,
porqueobjetivo éalgoque
estáno futuro-tanto faz se
daquiacinco minutosou
a10anos-, mas seeu
nãodeixar umespaço
paraopresente os
objetivosmeesvaziam
dopresente.”
AiltonAmélio,
psiquiatraeescritor
“Questiono a mim mesmo com
algumas perguntas como: “É isso
mesmo que eu quero para a minha
vida?”; “Eu continuo querendo
realizar esse sonho, ou tudo foi
apenas ‘fogo de palha’?”; “Realizar
esse sonho vai me tornar mais feliz e
vai ajudar as pessoas que eu amo a
serem mais felizes?”; “Existe algum
outro sonho que eu quero realizar e
que tem a tudo a ver com estes meus
sonhos atuais?”; “O caminho que
estou trilhando me levará à realização
do meu sonho?”. Procuro pensar,
sentir e questionar, para ver se não
estou pegando um desvio no meio do
meu caminho. Se for o caso, procuro
corrigir a rota. O segundo passo é
reforçar em meu coração a crença de
que realmente posso realizar esses
sonhos. Procuro lembrar-me de tudo
o que já realizei e entrar em contato
com minha capacidade de realização.
Depois, procuro me deliciar com a
ideia de realizá-los. A próxima etapa é
orar e entrar em contato com o divino.
Pedir forças e coragem para realizar o
que é preciso realizar, serenidade
para aceitar aquilo que está fora do
meu alcance mudar, e sabedoria
para saber a diferença entre uma
situação e outra. Finalmente,
agradeço pela ajuda e inspiração
divinas, que tenho certeza que virão,
e então me ponho em ação”
Gilberto Cabeggi, coach
editorial e escritor
“Eu me sinto realizada com a vida que
construí, tanto no nível pessoal quanto no
profissional. Em ambos, foram muitas
histórias de superação e longo o caminho
percorrido. No nível profissional, tive de ir
contra padrões e preconceitos para
abandonar meu curso de medicina numa
das faculdades mais cobiçadas do Brasil
(USP) e buscar meu sonho: estudar
literatura e psicologia. Aprendi, com esta
experiência, que vale a pena lutar pelo
que enche de alegria os nossos dias.
Mergulhei nos estudos, buscando
conhecimento e capacitação para realizar
um trabalho digno, do qual pudesse me
orgulhar. Cursei duas faculdades, fiz
mestrado, doutorado e pós-doutorado.
Escrevi livros, artigos científicos e não
científicos, crônicas, poemas. Muito
estudo, renúncia e dedicação. Do ponto
de vista pessoal, sinto-me feliz com a
família que constituí, pois é alicerçada no
verdadeiro amor e partilha do dom da
vida. Vejo que a minha espiritualidade
sempre me fortaleceu: é nos
ensinamentos da Bíblia, na oração e no
amor da família e dos amigos que
encontro forças para persistir quando
cansada; e respostas, quando
angustiada. Pela fé, procuro aprender o
desapego das coisas que passam para
me focar nas que não passam. Vejo a
vida como uma rápida viagem pela Terra,
rumo à Eternidade. Atualmente, esse tem
sido o sonho que mais gosto de sonhar.
Ele me anima, ele me aproxima de Deus,
de mim e dos que me cercam”
Vera Márcia Paráboli Milanesi,
psicóloga clínica
Folha Press/Divulgação
Edvaldo Santos 12/6/2009
Divulgação
Sergio Isso16/7/2013
6 / São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 DIÁRIO DA REGIÃO
“Ser feliz comigo mesmo é o
primeiro passo para realizar
meus sonhos. E para isso, eu
me apego muito à religião.
Todos os dias, ao acordar, eu
agradeço pela vida, e peço
sabedoria e paciência para
encarar os desafios que
aparecem ao longo do dia. São
muitas coisas para administrar e
preciso ter calma para
entendê-las e realizar o que
preciso. Desta forma, eu
consigo realizar meus sonhos.
Eu sou um homem realizado, por
ter uma família maravilhosa e
meus próprios negócios. E tento
melhorar todos os dias, em
todos os sentidos”
Paulo Emílio, empresário e
presidente do Country Bulls
“Tudo o que intentei na vida até o
momento, busquei as oportunidades
disponíveis para realizar. Uma
profissão que amo, me dá prazer,
razão e sentido de existir. Uma boa
relação familiar, fonte de amparo e
proteção emocional. Verdadeiros e
bons amigos, alegria e descontração
até em meio às tempestades da vida.
A liberdade de ir e vir para onde e
quando desejar, o que me exige
renúncias das quais jamais me
arrependo. Por fim, a capacidade de
amar e manter laços afetivos sem
amarras ou contenções, a convicção
da solteirice. Em todas as épocas de
minha vida, quando não há nada que
possa amparar meus sonhos e
minhas decisões, eu crio os meios,
ergo escadas, construo pontes.
Sempre acreditei, mesmo quando
todos duvidavam. Cheguei sempre
onde minha alma desejou estar e
minha mente trabalhou para tanto.
Porém, não me basta chegar. Sinto
necessidade de prosseguir, sempre. Ir
adiante. Avançar é preciso para me
sentir viva e me empolgar. O sonho
atual? Planejo me aposentar aos 65
anos, ter uma renda que garanta meu
sustento com dignidade e me dedicar
à arte de escrever. O que faço para
isso? Uma previdência privada,
cuidados com a saúde, muito estudo,
leitura de grandes e bons autores.
Considero a hipótese de fazer algum
desvio nesse trajeto”
Mara Lúcia Madureira, psicóloga
cognitivo-comportamental
“Meus maiores sonhos são minha
carreira profissional: ser executiva
de uma grande empresa corporativa.
O que fiz para isso? Estudei, me
dediquei, me qualifique. Faculdade,
pós-graduação, cursos,
especializações, além de intercâmbio
fora do país e empregos em grandes
centros como São Paulo, Rio de
Janeiro, Rio Preto. Também tive
experiência de atuar em empresas
líderes no mercado. Meu sonho
pessoal era ser mãe, o maior sonho
da minha vida, um sonho pra vida
toda. Sinto uma alegria grande por
esta escolha, agradeço todos os
dias poder olhar para o meu filho,
hoje com 14 anos de idade. Este
sonho ainda está em construção,
sempre pra frente”
Carla Grama, executiva
de marketing
Fotos: Divulgação
“Desde os meus 14 anos,
trabalho com três frentes muito
claras: propósito de vida,
objetivos e metas e planos de
ação. Propósito de vida é aquilo
que me move, coisas que me
realizam, aquilo que vai fazer
com que eu tenha um orgulho
danado quando olhar para trás.
Isso vale para questões de
realização profissional (carreira),
formação e também questões
materiais. Na vida real, tenho
alguns papéis: o eu pessoal, o
eu profissional (carreira e
trabalho), o eu autor, o eu
conhecimento, o eu-família
(marido e pai) e o eu material.
Diante disso, estabeleço em
cada um dos papéis
onde quero chegar. O
que eu vou fazer para
chegar no fim do ano
feliz e realizado. Aí
coloco o objetivo. Para
ficar mais perto da minha
esposa, coloco que a cada
dois meses vamos tirar um
final de semana e escapar
para um hotel fazenda,
coloco isso na minha agenda,
bloqueio dois ou três dias, e é
um final de semana para o meu
papel de pai e marido. Eu me
organizo de um jeito que não
deixo que meu dia a dia tome
minha agenda e eu não tenha
tempo para as coisas que
realmente são importantes
na minha vida”
Anderson
Cavalcante,
escritor I
Divulgação
Divulgação
Guilherme Baffi 3/4/2011
DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 / 7
Pessoas criativas predispõem a mente a descobrir
o novo. Aprenda como desenvolver essa habilidade
Gisele Bortoleto
gisele.bortoleto@diarioweb.com.br
A imaginação fornece ao ser
humano mecanismos para a ma-
nipulação da realidade e dos
elementos que a compõem. E é,
certamente, uma ferramenta
fundamental na criatividade e
no produto criativo.
O físico alemão Albert Eins-
tein (1879-1955) afirmou: “A
imaginação é mais importante
que o conhecimento”, referin-
do-se à limitação do conheci-
mento científico, enquanto de-
clarava que a imaginação seria
um território ilimitado.
Mas será que a utilidade da
imaginação se resume a uma
ferramenta de manipulação
mental da realidade?
“Atualmente, a neurologia
verificou que, mediante a per-
cepção direta ou a imaginação,
as zonas do cérebro ativadas
são as mesmas. Isto é: o cérebro
não consegue distinguir o que
é real ou o que é imaginado,
pois processa de igual forma”,
diz o psicólogo português Jorge
Elói, fundador e criador do Es-
paço Psicologia Free. Prova dis-
so é o fato de que, em muitos so-
nhos, só constatamos que está-
vamos sonhando depois de
acordar.
A principal diferença entre
os sonhos e a imaginação é que
a imaginação são construções
conscientes e voluntárias da
realidade, enquanto os sonhos
são construções inconscientes
e involuntárias.
A imaginação é útil para
modificar ou ressignificar me-
mórias, diz Elói, mas essa fun-
ção depende essencialmente da
personalidade da pessoa. Pois
pessimistas, tristes ou deprimi-
dos tendem a tornar as memó-
rias más ainda piores e relativi-
zar as boas, quando deveria ser
o contrário.
“Não é errado dizer que tu-
do o que existe de concreto no
mundo e foi feito pelo homem
é fruto direto da imaginação hu-
mana”, disse o escritor, profes-
sor e conferencista Eugenio
Mussak, especialista nas áreas
de liderança e desenvolvimen-
to humano e profissional.
Sem a imaginação, a arte se-
ria manca e monótona, a ciên-
cia seria primitiva e pequena, e
até as relações humanas seriam
primitivas e insatisfatórias. “Se
é que as coisas existiriam”,
complementa. E vai além:
“Imaginar é usar a faculdade
mental de criar imagens com as
quais não se teve uma experiên-
cia direta. E isso tem uma imen-
sa virtude. A de gerar a energia
necessária para que a transfor-
mação da imagem mental em al-
go real aconteça”, garante.
Essa habilidade nos liberta
do real, nos leva para fora das
normas e de tudo aquilo que é
aceito pela nossa sociedade. Is-
so significa que o ato de imagi-
nar é bem mais do que ver um
objeto ou situação de maneira
diferente. É uma predisposição
da mente para almejar alguma
coisa que ainda não tenha vis-
to, que a transporta para uma
realidade paralela, aquela em
que se vive ou até mesmo pa-
ra prever situações que supo-
mos que vamos vivenciar. É
através da imaginação que po-
demos alcançar alguns dos
nossos desejos e idealizar no-
vos desejos. Podemos ver
aquilo que nunca foi visto
por ninguém e descobrir um
novo mundo.
O poder da
imaginação
Autoconhecimento
StockImages/Divulgação
8 / São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 DIÁRIO DA REGIÃO
1º SEJA CURIOSO
Leonardo da Vinci tinha sempre um
caderno em mãos. Assim, podia escrever
as ideias que brotavam na cabeça. Alimente
sua criatividade: ande com um bloquinho na
bolsa ou faça notas no celular. A ordem é não
se limitar: escreva o que quiser, sem a
necessidade de manter uma ordem lógica
2º FAÇA CONEXÕES ENTRE SUAS IDEIAS
Crie links entre itens e assuntos
diferentes. Por exemplo, use a imaginação e
estabeleça conexões para cada dupla: uma
folha de carvalho e uma mão. Matemática e a
Última Ceia. Uma risada e um nó
3º USE O CÉREBRO POR COMPLETO
Balanceie seu modo de pensar fazendo
um mapeamento da sua mente. O objetivo é
unir o racional ao emocional. Os cadernos de
Leonardo da Vinci eram cheios de desenhos
detalhados - com palavras, pensamentos e
gravuras interligados. Para criar seus mapas,
tenha canetas coloridas, papel e um tópico
(um problema ou um objetivo). Coloque no
centro do papel uma figura que represente
seu ponto principal. Escreva palavras-chave
e conecte-as com linhas à imagem central -
cores, desenhos e códigos dão mais
ênfase ao mapa
4º CONVIVA COM A AMBIGUIDADE
Você consegue sentir-se confortável
mesmo sem ter certeza absoluta de um fato?
Dê uma nota de 1 a 10 a si mesmo - sendo
que 1 representa a necessidade pela
certeza a todo momento. Descubra o que
você pode fazer para subir um ponto nessa
escala. Pode ser simplesmente ouvir e
confiar mais em sua intuição
5º DESAFIE SEU CONHECIMENTO
Quais foram suas experiências mais
marcantes? Faça uma lista com sete delas e,
ao lado, escreva uma frase que resuma o que
você aprendeu em cada situação e como usa
as lições no dia a dia. Então, pergunte a si
mesmo se as conclusões às quais você
chegou naquela época mudaram. Deixe que
os pensamentos perturbem sua mente e
reflita durante um dia ou dois
6º AGUCE SEUS SENTIDOS
Estimule sua consciência a ser mais
sinestésica ao ouvir música: enquanto sua
playlist favorita toca, expresse em folhas de
papel suas impressões e sentimentos sobre
o que escuta, desenhando e pintando. Abuse
de formas e cores
7º CUIDE DO CORPO
Siga o conselho de Leonardo da Vinci:
“Mantenha sua mente focada em
pensamentos alegres. Exercite-se
moderadamente. Só coma quando estiver
com fome e em pequenas quantidades.
Mastigue bem. Cuidado com a raiva. E vá ao
banheiro regularmente”
Extraído do livro “Da Vinci Decodificado”
(ed. Bertrand Brasil), de Michael J. Gelb
Sete dicas para
estimular a mente
“Ninguém sabe, mas, por se tratar
de uma operação complexa,
seguramente deve utilizar
diferentes áreas do córtex cerebral,
onde estão guardadas as memórias,
porque a imaginação se baseia em
conhecimentos que o cérebro
já tem”, explica o neurocientista
Ivan Izquierdo, especialista nos
mecanismos da memória
Pense fora
da ‘caixa’
De onde vem a
imaginação?
A imaginação é descrita
comosextaleidotriunfope-
lo norte-americano Napo-
leon Hill (1883-1970), no li-
vro “A Lei do Triunfo” (ed.
José Olympio). Por 20 anos,
Hill pesquisou sobre as 6
mil pessoas mais ricas e po-
derosas do mundo e desco-
briu o que elas tinham em
comum. Hill não só as estu-
dou, como também entre-
vistou pessoalmente cente-
nas delas, incluindo nomes
como Thomas Edson,
Graham Bell, George East-
man, Henry Ford, John
Rockfeller, Theodore
Roosevelt e Woodrow
Wilson. O que ele con-
cluiu? Que essas pessoas
pensavam fora da caixa.
Boa parte desses ho-
mens precisou usar a ima-
ginação para pensar em
um negócio que não exis-
tia, para criar uma solu-
ção na qual ninguém pen-
sou antes, para desenvol-
ver coisas novas.
Existe uma série de téc-
nicas para desenvolver a
imaginação e a criatividade,
mas o ponto principal para
NapoleonHillévocêforçar-
se a mudar suas rotinas de
ações e pensamentos e não
ter receio de experimentar
coisas novas.
O ser humano possui
um poder ilimitado, que é
sua capacidade de imagina-
ção. Quando imaginamos,
nos transportamos para
uma dimensão que vai além
do que é material ou físico.
“Imaginar significa visuali-
zar, sentir o que aparente-
mente esta invisível. É vis-
lumbrar algo futuro com a
certeza e a realidade do pre-
sente, tomando como lição
experiências do passado”,
disse no livro “O Poder da
Imaginação - Você progra-
ma a sua vida” (ed. Leitura)
o cardiologista Lair Ribei-
ro. “Somos frutos da nossa
própriaimaginação.Somoso
resultado de nossos próprios
pensamentos. Criar o futuro
envolveprojetarnossamente
para aquilo que queremos”,
escreveu. I (GB)
DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 / 9
Manter e cultivar amigos é como cuidar
de uma planta: precisa regar, conversar,
de afagos... e, de vez em quando,
também de algumas podas
Gisele Bortoleto
gisele.bortoleto@diariodaregiao.com.br
Amigos na vida terrena são almas que um dia
se encontraram no paraíso, diz um antigo provér-
bio da cabala. E eles são vitais em nossa vida.
Não podemos viver sem amigos, por diferentes
razões. A amizade melhora nosso bem-estar físi-
co, mental e espiritual. Bons relacionamentos
contribuem para manter a saúde e ainda curam
as depressões.
“A amizade, tal como é no fundo e em sua sin-
geleza, equivale ao afeto, que, nascendo no cora-
ção dos seres humanos, emancipa-se de toda
mesquinhez e interesse, enaltecendo e enobre-
cendo o pensamento e o sentimento dos ho-
mens”, disse Carlos Bernardo Gonzalés, o cria-
dor da logosofia.
Não se poderia conceber a amizade se ela não
fosse presidida pelo ternário simpatia-confian-
ça-respeito, indispensável para nutrir o sen-
tir que a constitui. “Ela é o grande ponto de
apoio sobre o qual se concentram as maiores
esperanças do mundo. É pelo signo da amiza-
de que se unem os homens, os povos e as ra-
ças, e é sob seus auspícios que há de haver
paz na Terra”, afirma.
Mas como nascem as amizades, afinal? Ao
longo da vida, nós nos aproximamos de pes-
soas e nos afastamos de outras. Nosso círculo
de amigos dificilmente se mantém o mesmo -
mas seu padrão, esse sim, permanece. Por
exemplo: se você tinha dois amigos próximos
no ensino médio e uma turma maior com cin-
co ou seis pessoas, é provável que esse padrão
se repita depois, na faculdade, e também na
vida adulta, embora não necessariamente
com os mesmos amigos.
Pesquisadores da Aalto University School
of Science, na Finlândia, monitoraram dados
de celulares de adolescentes britânicos desde
o colegial até sua entrada na universidade. A
ideia era analisar quantas relações próximas
eles mantinham. O estudo mostrou que as
pessoas têm “assinaturas” ou “padrões de inti-
midade” com as outras, e isso costuma ser
mantido ao longo da vida.
O cientista da computação Jari Saramaki,
que estuda redes sociais, diz que a maioria
das pessoas mantém um pequeno número de
relacionamentos próximos. Manter relações
próximas é essencial para o nosso bem-estar,
mas isso tem um custo - tempo pessoal, de traba-
lho e outros relacionamentos. Por isso, as dife-
renças individuais refletem como as pessoas li-
dam com recursos finitos de tempo, comunica-
ção e investimento emocional
para sustentar as relações.
“A amizade é um sentimento,
uma atitude baseada ou construí-
da a partir dos alicerces da lealda-
de”, diz o psicólogo rio-pretense Hu-
go Ramón Barbosa Oddone, gestalt-te-
rapeuta de casal e famílias.
SER GREGÁRIO
O conceito de amizade acompanha o
ser humano desde os primórdios. Antiga
discussão filosófica é sobre a natureza selva-
gem/solitária ou gregária do homem. Os defen-
sores da amizade acreditam, e Oddone também,
que há uma natureza gregária do homem, algo
no nosso inconsciente, que sempre vai levar à
aceitação, à compaixão, à bondade e à receptivi-
dade pacífica e amistosa. Em outras palavras:
nosso inconsciente é naturalmente bom. E pode-
mos, em sã consciência, confiar nos desígnios do
nosso inconsciente. “A amizade, neste sentido,
só pode vir da experiência do cotidia-
no de cada ser huma- no em to-
dos os tempos, é al- go arque-
típico, mítico. As-
sim, aprendemos
secularmente a va-
lorizar a amizade
como um bem su-
premo conquistado”,
explica.
Pesquisas mostram que a amizade é capaz
de transformar uma sociedade, mudar trajetó-
rias, encorajar decisões e iluminar pensamentos.
A mídia e os novos costumes estão atualizando
antigos conhecimentos e certezas.
“A amizade, sim, é capaz de transformar
uma sociedade, levando pessoas a mudar tra-
jetórias, encorajando decisões, empurrando
ou segurando-as nos momentos decisivos,
transmutando emoções, diluindo sentimen-
tos, enfim, iluminando pensamentos”,
completa Oddone.
Em nossas histórias pessoais, pode-
mos encontrar inúmeros exemplos de
como atitudes de amigos nos levaram
a grandes mudanças, enobrecendo
ações, resgatando-nos e, muitas ve-
zes, mostrando para nós aquela
“luzinha” no fim do túnel. Ce-
do ou tarde, a energia da
amizade tende a vencer no
nível pessoal, interpessoal,
no campo social e político.
Relacionamento
CULTIVE AMIZADES
10 / São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 DIÁRIO DA REGIÃO
Verifique qual é o motivo da reunião de amigos. Seria um encontro com
“amigos” ou, por exemplo, um encontro de amigos para “beber”? É
fácil perceber isso. Pergunte-se quantos momentos você tem com seus
amigos sem que haja necessidade da cerveja, do cigarro ou daquela
droga que corre pelo grupo. Você poderá se surpreender
- Essa é clássica, mas vale por duas: escolha estar sempre perto de
pessoas que te acrescentem algo, não que te subtraiam. Pessoas que
drenam energia, dinheiro, te enchem de problemas e compartilham
apenas vícios não são amigas, por mais que você queira usá-las como
justificativa para continuar mergulhado em suas dependências. Faça
uma boa reflexão em relação ao seu grupo e, se necessário, inicie uma
reciclagem. Amigos devem ser sustentáveis, não insustentáveis
Fonte: Alexandre Caprio, psicólogo
Pare e reflita
Laços e afinidades
“Não seria ousado afir-
mar que a amizade é um
dos poucos valores de es-
sência superior que ainda
restam no homem, que o
elevam e dignificam, tor-
nando-o generoso e huma-
nitário”, escreveu Carlos
Bernardo Gonzalés.
Amigos são pessoas fun-
damentais na composição
das redes de apoio psicosso-
cial de uma pessoa. A escas-
sez de amigos representa fa-
lha no funcionamento nor-
mal da personalidade, pobre-
za na capacidade de estabele-
cer e manter relações afeti-
vas e de intimidade.
“Amigos são pessoas
com as quais estabelece-
mos laços por afinidades.
Indivíduos que, por suas
características pessoais,
nos inspiram confiança e
desejo de aproximação e
vínculo”, diz a psicóloga
cognitivo-comportamental
Mara Lúcia Madureira.
Relações de amizade são
fundamentais para o desen-
volvimento psicossocial sau-
dável. A escolha das amiza-
des, ressalta, é feita a partir
da identificação de compor-
tamentos e interesses afins.
“Não existem relações desin-
teressadas. As verdadeiras
amizades são representadas
por vínculos afetivos, senti-
mentos de apreço, estima e
valorização da outra pessoa,
estabelecidos a partir do re-
conhecimento das vanta-
gens e benefícios dessas rela-
ções, especialmente a sensa-
ção de amparo, companhei-
rismo, interação, aquisição
de conhecimento, comparti-
lhamento dos conflitos emo-
cionais e ampliação das
ideias”, explica Mara. No
contexto de normalidade, o
ser humano aceita e obedece
ao seu espírito gregário para
obter vantagens competiti-
vas em termos de sobrevivên-
cia individual e evolução da
espécie. Ao associar-se a ou-
tras pessoas, o grupo se forta-
lece e o indivíduo amplia
sua segurança, seu senso de
proteção e de sujeito perten-
cente a um grupo.
Para o neurocientista
Ivan Izquierdo, professor da
PUC do Rio Grande do Sul,
os efeitos que a amizade pro-
voca no cérebro são imen-
sos, já que esses vínculos esti-
mulam diversas áreas, princi-
palmente o córtex frontal e o
hipocampo.
A neurocientista Suzana
Herculano Huzel, professo-
ra do Instituto de Ciências
Biomédicas da Universida-
de Federal do Rio de Janei-
ro, diz que a amizade é uma
das grandes forças que o ser
humano conta para lidar
com os vários problemas do
mundo. “Qualquer proble-
ma que nosso cérebro consi-
dere como estresse, fica mais
tranquilo quando sabemos
que podemos contar com a
ajuda de uma pessoa queri-
da”, diz.
A neurociência moderna
tem descoberto que gestos
de carinho como beijo e abra-
ço têm efeito direto sobre o
cérebro, que produz uma sé-
rie de substâncias com ação
calmante e que permitem
que nos tornemos mais cari-
nhosos também. Receber ca-
rinho faz com que baixemos
a guarda, fiquemos mais re-
ceptivos, mais dispostos a
nos aproximar das pessoas.
Isso significa, segundo Suza-
na, que a amizade pode ser
uma fonte de prazer e de saú-
de para o cérebro. (GB)
DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 / 11
Amigos fortalecem saúde física e mental
De acordo com a Organiza-
ção Mundial de Saúde (OMS),
saúde é o bem-estar físico, men-
tal e social. A princípio, é fácil
compreender a relevância da
saúde física, assim como tam-
bém não é difícil notar os pre-
juízos que uma mente perturba-
da gera, não só para si, mas tam-
bém para outras pessoas. O que
causa estranheza é o peso da es-
fera social dentro desse equilí-
brio. “Tudo o que nós somos
tem a ver com os outros”, diz o
psicólogo cognitivo-comporta-
mental Alexandre Caprio.
Trabalhamos para os ou-
tros, nos relacionamos com os
outros, temos nomes e núme-
ros de celulares para sermos
identificados e chamados pelos
outros. “O homem é um ser
dualista, ou seja, não sobrevive
e sequer possui identidade sem
um segundo membro de sua es-
pécie”, diz ainda.
O isolamento, como pode
ser verificado na história da hu-
manidade, desestabiliza a men-
te e, esta, por sua vez, destrói o
corpo. Quando a OMS diz “so-
cial”, não quer dizer “profissio-
nal”. São palavras diferentes,
com conceitos diferentes e luga-
res diferentes no dicionário. Pa-
ra muitas pessoas, ir do traba-
lho para casa e de casa para o
trabalho é uma rotina que con-
some a maior parte de sua exis-
tência. Limitar-se a um relacio-
namento afetivo sem envolvi-
mento social também torna a
relação claustrofóbica com o
passar dos anos e, cedo ou tar-
de, ela também se desestrutura.
Toda essa lógica nos faz
compreender que a amizade é
mais do que importante. Ela é,
na verdade, crucial para a ma-
nutenção da saúde. “O amigo é
aquele que tem intimidade sufi-
ciente para dar a você o ‘feedba-
ck’ (retorno) necessário para ve-
rificar se seus pensamentos,
emoções e comportamentos
não estão desalinhados”, expli-
ca Caprio. Sem o apoio e fran-
queza de um amigo, temos faci-
lidade de cair em um universo
particular onde nos distancia-
mos cada vez mais da realida-
de. Excentricidade, pensamen-
tos persecutórios, ansiedade e
depressão são alguns riscos. Os
dois últimos são responsáveis
por centenas de milhares de ca-
sos de invalidez e morte. Não
ter amigos, compromete seria-
mente o humor, pode aumen-
tar o número de manias e tor-
nar a vida comunitária e profis-
sional cada vez mais difícil.
Os constantes estímulos
provenientes de conversas, de-
bates, histórias, discussões, pia-
das e convívio exercitam dife-
rentes áreas cerebrais, além do
bom senso. Quem troca expe-
riências através de amizades
possui uma visão mais clara e
mais habilidades para lidar
com as situações, diferentemen-
te de um indivíduo que só pode
contar com seus próprios reper-
tórios. Também acaba perce-
bendo mais oportunidades e re-
cebendo mais ofertas de traba-
lho do que aqueles que se fe-
cham dentro de casa.
“As portas se abrem para
quem é agradável, confiável e
colaborativo à medida que se fe-
cham para aqueles que rara-
mente se revelam aos outros ou
que surgem timidamente no es-
critório com a cara fechada”,
complementa Caprio. Por con-
ta disso, também podemos afir-
mar que a amizade tem relação
íntima com o sucesso e a carrei-
ra profissional, o que ajuda a
aliviar inúmeros pontos de
pressão da vida. A amizade nos
deixa mais leves, menos preocu-
pados e mais felizes. I (GB)
Amizades sinceras
Como fazemos para identifi-
car uma verdadeira amizade?
“Têm dois botões para testá-la
e identificá-la: um botão que fi-
ca dentro, no interior das pes-
soas, e um outro botão que fica
fora, ou seja, no interior do su-
posto amigo”, explica o gestalt-
terapeuta Hugo Oddone. O bo-
tão que está dentro de nós é a
condição de confiabilidade que
oferecemos nessa amizade. De-
pende só de nós. É confiar ou
confiar.
O botão que está no outro
se chama paciência, perseveran-
ça, com a gente, com as nossas
inseguranças e desconfianças.
Realmente, a amizade, como tu-
do na vida, precisa passar por
várias provações.
Assim, amigo é aquele que
fala, sem rodeios, as verdades
que não queremos aceitar, e ao
mesmo tempo é aquele que nos
poupa de tudo para preservar
nosso bem-estar.
“Jamais a amizade pode in-
fluenciar de maneira negativa.
Se por acaso ela se posiciona
abertamente para influenciar
decisões aparentemente negati-
vas pode ser um bom motivo
para desconsiderá-la, pois a
amizade é cautelosa”, recomen-
da Oddone. Mas essa decisão
de desconsiderá-la é extrema-
mente pessoal. Manter e culti-
var uma amizade é como cui-
dar de uma planta, precisa re-
gar, conversar, de afagos. E tam-
bém de podas. (GB)
12 / São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 DIÁRIO DA REGIÃO
A diabetes tipo 1 é uma das doenças endócrinas
e metabólicas mais comuns na infância
Mariana Corradi
Nutricionista e personal diet
Temida como uma das cin-
co maiores causas de morte no
planeta, a diabetes acomete ho-
je cerca de 370 milhões de pes-
soas em todo mundo. A mais
comum é a diabetes tipo 2, pro-
vocada principalmente pela
obesidade e por um estilo de vi-
da desregrado.
Segundo um estudo da Fe-
deração Internacional de Dia-
betes, em média, 78 mil crian-
ças de até 15 anos desenvolvam
a diabetes todos os anos. Des-
tas, 25% são diagnosticadas
quando já se encontram em es-
tado avançado da doença.
Esses dados nos chamam a
atenção para medidas emergen-
ciais de prevenção e controle
da doença. O primeiro passo,
tanto para os profissionais da
saúde quanto para os pais, é fi-
car atento aos sintomas que a
criança e o adolescente apresen-
tam. Sentir muita sede, ir vá-
rias vezes ao banheiro para uri-
nar, manchas marrons pelo cor-
po e, principalmente, o sobrepe-
so, são sinais de alerta.
Normalmente, os pais têm
o costume de ignorar esses fa-
tos e acreditarem que, no caso
do sobrepeso, com o passar
dos anos a criança cresce e
emagrece. Porém, não é tão
simples assim. Os jovens estão
cada vez mais sedentários e
com uma alimentação desequi-
librada, consumindo uma
imensa variedade de itens in-
dustrializados, gordurosos e
de baixa qualidade.
Outro sério problema é a fal-
ta de informação. Muitas pes-
soas ainda não sabem como sur-
ge, como prevenir e como con-
trolar a diabetes.
Todos os alimentos que con-
sumimos são transformados
em açúcar pelo organismo. Por
isso, a insulina ajuda no trans-
porte do açúcar do sangue para
as células do corpo, onde será
usado como energia. Quando
surge a diabetes, o corpo para
de produzir insulina, ou não
produz o suficiente, ou a insuli-
na produzida não funciona ade-
quadamente, pois a doença au-
menta a quantidade de açúcar
no sangue, afetando todos os ór-
gãos do corpo. Neste caso, a ali-
mentação e o estilo de vida, po-
dem fazer toda diferença para
prevenir e, principalmente,
controlar a doença.
Alguns alimentos são essen-
ciais para os pacientes com dia-
betes, e precisam estar sempre
no cardápio de toda a família,
principalmente das crianças.
Os peixes ricos em ômega 3
(salmão, sardinha, atum, aren-
que), a cebola, os alimentos ri-
cos em cromo (brócolis, espi-
nafre, ovo, grãos integrais),
os alimentos ricos em vitami-
na B6 (gérmen de trigo, bana-
na menos madura, nozes, pi-
mentão, repolho e couve) são
importantes na regulação do
açúcar no sangue. O feijão
não pode faltar, pois as fibras
solúveis presentes nele aju-
dam a reduzir a glicose no
sangue, assim como o trigli-
cerídeo e o colesterol. As ver-
duras e frutas em geral, que
são ricas em antioxidantes e
vitaminas, protegem as arté-
rias e consequentemente, o
coração.
O acompanhamento nutri-
cional é parte fundamental no
cuidado da doença e, embora se-
ja um aspecto essencial para o
sucesso do tratamento, repre-
senta um grande desafio, prin-
cipalmente porque deve envol-
ver mudanças nos hábitos ali-
mentares de toda família. I
Infância açucarada
Stock Images/Divulgação
Hamilton Pavam
DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 / 13
Depois de Portugal, Paolla Oliveira vai para Angola divulgar “Amor à Vida”
Agência Estado
A atriz Paolla Olveira revela que ain-
da está vivenciando as aventuras de Pa-
loma, a mocinha de “Amor à Vida”, no-
vela da Globo que acabou no dia 31 de
janeiro. É que ela está fazendo a divulga-
ção internacional da trama. Paolla aca-
ba de chegar de Portugal, onde represen-
tou o elenco do folhetim em uma impor-
tante premiação da televisão portugue-
sa, o “XIX Gala Globos de Ouro”. Mal-
vino Salvador também viajou com ela
na última semana de maio. Agora, Pao-
la vai fazer a divulgação da novela em
Angola, na África.
“Desde ‘Belíssima’ (2005), sinto o ca-
rinho do público português. Mas, desta
vez, foi uma recepção grandiosa. Eu era
muito parada nas ruas, e o mais curioso
é que eu era reconhecida pela voz, pois
meu visual mudou. Eles falam da nove-
la como um todo. É o tipo de assédio
que a gente acha sensacional, porque é
de quem gostado nosso trabalho.”
Paolla não deve voltar à TV neste
ano. “Parece que foi ontem que saí da
novela, porque ainda estou envolvida
com isso. Se a gente não emenda uma
trama em outra, esse intervalo para vol-
tar pode ser maior”, diz Paolla, que es-
tá estudando um projeto de teatro e
também tem outros trabalhos para se-
rem lançados.
O primeiro deles é a estreia de
“Trinta”, longa-metragem sobre a vida
do carnavalesco Joãosinho Trinta
(1933-2011). No filme, ela é Zeni, mu-
lher do mestre do biografado, Fernan-
do Pamplona. “É difícil fazer uma per-
sonagem que existe, mas foi muito gos-
toso conhecê-la e ouvir divertidas his-
tórias. A Zeni observa o que se passa.
Ela teve uma relação quase familiar
com o Joãosinho.”
Joãosinho Trinta é interpretado por
Matheus Nachtergaele. A produção con-
ta a história do primeiro desfile de
Joãosinho no posto de carnavalesco da
escola de samba carioca Salgueiro, em
1974. O lançamento está previsto para
dia 23 de outubro.
E em outubro também será lançado
no Brasil o clássico “A Bela e a Fera”,
que ganhou uma nova versão, com ato-
res reais franceses. Paolla dubla a prin-
cesa. “Foi incrível. É a primeira vez que
faço isso. É diferente para o ator dublar,
porque tive de colocar a emoção de uma
outra forma”, comenta.
Boa forma
Em meio às viagens profissionais,
Paolla afirma que o segredo da boa
forma está ligado em primeiro lugar
ao que se come. “Ao longo do tempo
você aprende a comer melhor. Hoje
em dia, não tenho mais acompanha-
mento nutricional, mas não cometo
os excessos de antes.”
A beldade, que diz ter facilidade
para engordar, conta que faz exercí-
cios no mínimo três vezes por sema-
na. “Na viagem para Lisboa, a malha-
ção não foi deixada de lado. Trinta
minutos de corrida por dia faz a dife-
rença. Sou a prova viva de que isso
mantém a forma e te deixa muito
mais feliz”, finaliza. I
Embaixadora de novela
Globo
Divulgação
TV - 14 / São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 DIÁRIO DA REGIÃO
TRAMA INÉDITA
Estáprevistaparaagostoaestreiade“PlanoAlto”,próxi-
masériedaRecord.Paraisso, aproduçãoestátrabalhan-
do intensamente e já tem o elenco praticamente fecha-
do. Vitor Fasano, Flávia Monteiro, Jussara Freire, Da-
nielaGallieAndré Ramiro sãoalguns dosnomes aguar-
dados na trama assinada por Marcílio Moraes.
TRAMA INÉDITA 2
Ambientada em um universo político, a produção
abordará as recentes manifestações pelo país, o que
deve incluir os “black blocs”. Outros nomes que
completam o elenco são os de Gracindo Jr., Milhem
Cortaz, Ester Góes, Carla Diaz, Juliana Xavier, Fran-
cisca Queiroz, Juan Alba, Paulo Gorgulho, Floriano
Peixoto, Janaína Ávila, Giuseppe Oristânio e Babi
Xaxier.
SUCESSO TARDIO
A torcida em torno do romance entre Clara (Giovan-
na Antonelli) e Marina (Tainá Müller), na novela
“Em Família” (Globo), já tomou as redes sociais.
Frequentemente, o “movimento Clarina”, termo
que une as sílabas dos nomes de ambas, fica entre os
termos mais comentados do Twitter. Isso lembra o
“Clanessa”, feito para Clara e Vanessa na edição
mais recente do “BBB”.
QUERIDA
Susana Vieira, longe das novelas desde “Amor à Vi-
da” (Globo), que terminou no início deste ano, pode
voltar à TV em breve. Dizem nos bastidores que o
escritor João Emanuel Carneiro quer vê-la traba-
lhando em alguma novela dele. Caso isso ocorra, a
loira deve voltar no próximo ano, quando o autor es-
trear sua próxima trama das 21h.
QUERIDA 2
Por sinal, o novo folhetim do autor tem um nome
bastante conhecido no elenco: Cacau Protásio, que
estourou na TV como a Zezé de “Avenida Brasil”
(Globo). A atriz esteve recentemente no elenco de
“Joia Rara” (Globo), na qual interpretou Lindinha.
A direção fica a cargo de Amora Mautner.
MÚLTIPLAS
FUNÇÕES
Elogiada na bancada do humorístico “CQC”
(Band), Dani Calabresa está na mira de canais pagos
para estrelar séries e programas. No entanto, nenhu-
ma atração nova foi confirmada e divulgada aberta-
mente. Enquanto isso,ela se prepara para lançar nos
cinemas a comédia “A Esperança é a Última que
Morre”, ao lado de Katiuscia Canoro.
REPETECO
Longe das novelas desde “Salve Jorge” (2012), Totia
Meirelles deve viver uma médica na novela que Da-
niel Ortiz escreve para o horário das 19h, na Globo.
Vale lembrar que, em 2009, a atriz também fez uma
personagem ligada à saúde. No folhetim “Caminho
das Índias”, ela interpretou Aída, psicóloga que tra-
balhava com o psiquiatra Castanho (Stênio Garcia).
NOVA
OPORTUNIDADE
Após anunciar que estará ao lado do eterno parceiro
Dedé Santana no teatro, em um musical que adapta-
rá o filme “Os Saltimbancos Trapalhões” (1981), Re-
nato Aragão deve agora apresentar um projeto à Glo-
bo. Trata-se de uma série com 13 capítulos que po-
dem ser exibidos em temporadas.
TURMA MISTA
Intitulada “Malhação - Sonhos”, a nova temporada
da novela “teen” será lançada logo depois da Copa
do Mundo. Além de veteranos como Mário Frias,
Danielle Suzuki, Felipe Camargo, Emanuelle Araú-
jo, Eriberto Leão, Guilherme Piva e Patrícia Fran-
ça, o programa contará com os jovens Arthur
Aguiar, Bruna Hamú e Ycaro Tavares.
LIVRO NA TV
A escritora J.K. Rowling, de “Harry Potter”, está de
olho agora na TV. Seu mais recente livro, “Morte Súbi-
ta” (ed. Nova Fronteira), será adaptado para minissérie
numaparceriapelaBBCeHBO.Entresetembroeoutu-
bro, terão início os preparativos. Michael Gambon,
Rory Kinnear e Abigail Lawrie estão no elenco.
MAIS GRINGOS
A série da Netflix com direção do brasileiro José Pa-
dilha (“Tropa de Elite”), “Narcos”, ganhou mais um
nome para o elenco: Boyd Holbrook (“Hatfields &
McCoys”). De acordo com a imprensa norte-ameri-
cana, ele será Steve Murphy, um agente da divisão
de narcóticos da polícia federal nos EUA. Wagner
Moura viverá o protagonista: Pablo Escobar.
TODOS QUEREM
Depois que Luiz Bacci deixou a apresentação do
“Balanço Geral” (Record) para ganhar dois progra-
mas na Band,sua vaga tem sido tema de discussões
entre profissionais de TV. Vários candidatos ao pos-
to já foram cogitados na mídia. Enquanto isso, o jor-
nalista Reinaldo Gottino segue ocupando a cargo.
DO CINEMA
PARA A TV
A série de TV “MaddAddam” (HBO), que vai adap-
tar a trilogia literária da escritora Margaret
Atwood composta pelos livros “Oryx e Crake”,
“O Ano do Dilúvio” (ambos da ed. Rocco) e “Ma-
ddAddam” (sem tradução para o português), po-
de ter direção do cineasta Darren Aronofsky
(“Cisne Negro”). Em princípio, ele seria apenas
produtor da atração.
MAIS UM
Mal estreou no Brasil, a série de terror criada por
Sam Mendes e John Logan, “Penny Dreadful”
(HBO), acaba de ganhar uma segunda temporada
nos EUA. Desta vez, a atração terá mais episódios
do que a encomenda de oito capítulos do primeiro
ano. Eva Green, Timothy Dalton e Josh Hartnett es-
tão no elenco.
MARTELO BATIDO
“Constantine” (NBC), série estrelada por Matt Ryan
e baseada nas HQs do personagem homônimo, já
tem data de estreia: dia 24 de outubro, nos EUA. O
primeiro trailer e clipe da atração já estão circulan-
do na web (http://goo.gl/zKoqcV). O roteiro revela-
rá o dia a dia do personagem do título, um operário
que defende a humanidade contra as forças do além.
MELHOR DA TV
O duelo entre as personagens de Julia Lemmertz e
Bruna Marquezine na novela “Em Família” (Glo-
bo). O conflito entre mãe e filha realmente chama a
atenção do espectador, sobretudo pelo desempenho
das atrizes. As cenas em que ambas disparam ódio,
amor, rancor e muita amargura são algumas das
mais atraentes no folhetim de Manoel Carlos.
PIOR DA TV
A ação de marketing constrangedora exibida pelo
programa “Aprendiz - Celebridades” (Record). Re-
centemente, Michele Birkheuer saiu do reality show
após seu grupo apresentar uma sugestão de ação pro-
mocional para a novela “Vitória”, lançada recente-
mente pela Record. Um cartaz criado pela equipe Fê-
nix dizia: “Se depois de um dia exaustivo você só
pensa em descansar, não assista nossa novela”. Nin-
guém entendeu nada. I
Fique Ligado
Agência Estado
DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 / 15 - TV
Tatá Werneck vai ser protagonista e terá
Caio Castro no seu pé em nova novela
Agência Estado
Tatá Werneck acaba de ser escalada
para viver a protagonista da trama que
Alcides Nogueira e Mário Teixeira es-
crevem para a Globo. A atriz, que es-
treou em novelas no ano passado em
“Amor à Vida”, confessa que ainda nem
acredita que vai viver uma mocinha.
Em “Lady Marizete”, nome provisório
do folhetim que deve entrar no ar no pri-
meiro semestre de 2015 na faixa das
19h, ela será uma mulher batalhadora
da favela de Paraisópolis(zona sul da ca-
pital paulista). Caio Castro fará o bandi-
do da comunidade e terá obsessão por
sua personagem.
“Eunempossofalaraindasobreisso.Es-
tou tão lisonjeada que, se realmente aconte-
cer, tiro esse nariz”, brinca Tatá, que em
suas entrevistas costuma ser mais humoris-
ta do que entrevistada. “Protagonista tem
aquela coisa da beleza. Aí eu pensei: ‘Como
vamos conciliar?’. Mas, bom, falando sério,
não esperava nada nem o sucesso da Valdi-
rene. Faço tudo com muito amor e o que
vem é lucro”, comenta a atriz.
A trama terá direção geral de Wolf
Maya e se passará em São Paulo. O princi-
pal núcleo será o da favela, retratando as di-
ficuldades da vida de quem cresce numam-
biente como esse. A princípio Tatá vai se
chamar Mari,uma jovem que fez teatro, fala
inglês e trabalha como monitora de crian-
ças.“LadyMarizete”teráCaioCastronopa-
pel de um traficante e Nanda Costa tam-
bém foi escalada para o folhetim.
‘Tudo pela audiência’
Tatá Werneck já gravou toda a pri-
meira temporada de “Tudo pela Audiên-
cia”, programa que estreia dia 15 de ju-
lho no canal Multishow. Na atração, ela
e Fábio Porchat recebem convidados e
satirizam programas de TV que fazem tu-
do pela audiência. A segunda temporada
já está confirmada e as gravações devem
acontecer ainda neste ano.
“A gente estava muito livre nas grava-
ções. Beijamos senhoras, colocamos
anões fantasiados de Pablo e de Ellen
(dubladores do quadro ‘Qual é Música?’,
do SBT). Teve muito improviso e é o pro-
grama de diversão que sempre quisemos
fazer juntos”, diz Tatá, referindo-se à
parceria com Porchat.
Copa do Mundo
A humorista não perde o fôlego e tem
outros projetos engatilhados. O próximo
é cobrir a Copa do Mundo como repór-
ter do “Caldeirão do Huck”. “Meu objeti-
vo é ser expulsa das coletivas. Jornalisti-
camente, vou tentar entender sobre fute-
bol, mas não sei se a galera vai entender
o que eu entendi”, diverte-se.
Questionada sobre os protestos que
podem ocorrer durante o Mundial de fu-
tebol, ela volta a brincar. “Só para ga-
rantir, eu vou com um belo colete à
prova de balas”, diz a atriz, repórter e
apresentadora, que continua: “Acho
que as mudanças todas que acontece-
ram por causa da Copa beneficiam a
gente. Pena que teve de ter uma Copa
do Mundo para fazerem essas melho-
rias. Mas eu não quero falar disso. Pos-
so perder o emprego se falar uma bes-
teira, afinal vou cobrir o evento”.
Rock’n roll
Tem uma vertente de Tatá ainda pou-
co conhecida pelo grande público, que
vai “sair do armário”. Ela lançará um
CD com a sua trupe musical, a Banda Re-
natinho, formada só por comediantes.
“Sou eu, Murilo Couto, Maurício
Meirelles, Nil Agra e Marco Gonçal-
ves. O CD vai ser escroto, mas a gente
leva a sério. É uma banda de rock,
com letras que só nós achamos legal.
Fazemos show, nos quais a gente tira
a camisa, faz rodinha de porrada...”,
conta a humorista. I
Globo
LADY
MARIZETE
Divulgação
TV - 16 / São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 DIÁRIO DA REGIÃO
Klebber Toledo viverá
papel polêmico como
amante de José Mayer
em “Império”
Agência Estado
O ator Klebber Toledo vai estrear
no horário nobre da TV Globo com um
papel polêmico em “Império”, novela
das nove que vai substituir “Em Famí-
lia” e que vinha sendo intitulada de
“Falso Brilhante”, a partir do dia 21
de julho. Ele será Leonardo, eterno
candidato a ator que mantém um rela-
cionamento homossexual com Cláu-
dio (José Mayer), um cerimonialista
bem-sucedido, casado e pai de dois fi-
lhos. O caráter do personagem é bem
duvidoso. Ele é um jovem bonito e
manipulador.
Segundo o autor da trama, Aguinal-
do Silva, Leonardo faz parte do “gêne-
ro” que transa com homem por interes-
se e não acha que é gay Ele vê isso so-
mente como um negócio. “Trabalhar
com um autor como Aguinaldo Silva é
uma responsabilidade imensa. Acho
que o personagem traz fatores psicológi-
cos, pois veio de baixo e busca um porto
seguro financeiro nessa relação”, adian-
ta o ator, que trabalha desde 2006 na
Globo. Sua estreia foi em uma pequena
participação em “Sinhá Moça” e, logo
em seguida, entrou para o elenco de
“Malhação”.
Para Klebber, fazer um homosse-
xual em uma época em que se espera
avanços desses personagens é um desa-
fio, mas não por ser o papel de um gay,
mas por ter de mostrar um trabalho que
combata o preconceito. “Qualquer rela-
ção entre homossexuais deve ser encara-
da de forma natural. Ainda há muito
preconceito e isso é um absurdo”, diz
ele, que não teme cenas de intimidade
com o veterano José Mayer. O ator afir-
ma que vai fazer o que for preciso e con-
fiará totalmente na direção e no texto
de Aguinaldo Silva.
O amante de Cláudio deverá ter ca-
sos com mulheres, mas em segredo. Sua
principal preocupação é conseguir virar
um ator de suces- so. Além disso,
Leonardo quer
se manter na
boa vida,
sendo sus-
tentado pe-
lo amante.
A relação
dos dois não
será recente.
Na sinopse
da trama, os
dois estão juntos há dez anos.
Leonardo não é o primeiro homosse-
xual da carreira de Klebber Toledo. Em
2009, ele fez uma participação em “Caras
& Bocas” (novela que está sendo reprisada
no “Vale a Pena Ver de Novo”), na pele de
Sid, um estilista gay e afetado. “Observei
bemostrejeitosdoscabeleireirosemaquia-
dores da Globo”, confessa.
Klebber nasceu em São Paulo, mas
foi criado no interior do Estado. Saiu de
casa com apenas 15 anos, para jogar vô-
lei. Aos 17, já dava os primeiros passos
rumo à arte de interpretar. Atualmente,
ele tem 27 anos e namora a atriz Marina
Ruy Barbosa, que também está no elen-
co de “Império”.
A ruiva será Maria Isis, amante do
José Alfredo (Alexandre Nero), o prota-
gonista da história.
Globo
CONTRA O
PRECONCEITO
Divulgação
DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 / 17 - TV
Beth Goulart fala sobre os desafios de sua personagem em “Vitória”
Agência Estado
Ter que se adaptar a um tra-
tamento psiquiátrico forçado,
vício em remédios controlados
e recuperação da autoconfiança
são alguns dos dramas de Clari-
ce, personagem que Beth Gou-
lart acaba de estrear na TV.
Prestes a completar 40 anos
frente às câmeras, a atriz mos-
tra-se estimulada com o novo
“presente” que lhe foi dado pe-
la novelista de “Vitória” (Re-
cord), Cristianne Fridman.
“Cris botou esse nome nela em
função do trabalho que eu faço
no teatro com Clarice Lispec-
tor (na peça ‘Simplesmente Eu,
Clarice Lispector’). Foi uma
homenagem à escritora, símbo-
lo da feminilidade e de um
mundo introspectivo.”
Apesar da semelhança entre
os nomes, os trabalhos são dife-
rentes e a preparação da intér-
prete para o folhetim não se-
guiu o mesmo caminho do mo-
nólogo sobre a vida da escrito-
ra ucraniana, que ficou em car-
taz até o fim do ano passado.
Desta vez, Beth contou com
uma contribuição extra: “Tive
uma preparação com uma médi-
ca psiquiatra para saber como
funciona uma clínica. Quando
a personagem é internada, os
enfermeiros a dopam e eu tive
de saber como isto funciona, co-
mo a pessoa fica sob os efeitos
desses remédios.”
Há menos de um mês no ar,
Clarice já demonstrou que sua
vida promete sofrer algumas re-
viravoltas. Depois de fugir do
marido, Gregório (Antônio
Grassi), com o filho, Artur
(Bruno Ferrari), ela acaba sen-
do internada. Isso ocorre por-
que o primogênito quer o cami-
nho livre para vingar-se do pai
que sempre o maltratou. Nos
próximos capítulos, para tentar
amenizar essa rivalidade, ela re-
velará ao rapaz que ele é fruto
de uma relação dela com outra
pessoa.
“Quando ela conta isso, ele
resolve desenvolver outra for-
ma de vingança, dizendo: ‘En-
tão eu vou me casar com minha
irmã ‘, mesmo sabendo que am-
bos não são irmãos de sangue”.
Ao mesmo tempo, a persona-
gem tem de lidar com um vício
em remédios controlados que
adquire na clínica. “Quando
não estiver mais internada, ela
vai ter problemas com alguns
remédios controlados É quan-
do nós vamos fazer uma denún-
cia sobre os efeitos colaterais
que esses remédios podem cau-
sar nas pessoas”, adianta
Longa trajetória
Nascida no Rio de Janeiro,
a atriz, aos 53 anos, tem quase
quatro décadas de dedicação às
artes. Sua trajetória começou
em brincadeiras com amigos e
teve apoio dos pais, a atriz Ni-
cette Bruno e o ator Paulo Gou-
lart. “Comecei, profissional-
mente, aos 13 anos, mas, antes,
eu brincava de fazer teatro e de
ler, representar personagens.
Juntava as crianças para fazer
um espetáculo mesmo. Talvez,
se eu fosse filha de outros pais,
tivesse de trilhar outros cami-
nhos antes de chegar ao teatro
como profissão. O que facilitou
foi isso: eu já estava num am-
biente em que minha aptidão
se manifestou.”
De lá pra cá, Beth já esteve
em mais de 20 novelas, diver-
sas peças de teatro e cerca de 15
longas-metragens. A maioria
dos trabalhos na TV foram na
Globo, emissora que a atriz se
desligou em 2010. Logo em se-
guida, a intérprete estreou na
Record com “Vidas em Jogo”
(2011), no papel da vilã Regina
Camargo. “Os dois canais são
profundamente eficientes na
realização de seus trabalhos e,
na verdade, são os mesmos pro-
fissionais. Ire voltar de um ca-
nal para o outro é uma coisa na-
tural, como se fosse em qual-
quer outra profissão.”
Quando questionada sobre
a morte de seu pai em março
deste ano, após uma luta contra
um câncer, a atriz reforça que
deseja que as pessoas se lem-
brem dele pelo caráter que pos-
suía. “Ele sempre foi uma refe-
rência de um homem bom, de
bem, trabalhador, honesto e
com dignidade. São qualidades
que a gente sente diferença ho-
je e gostaríamos de ter. Todo
mundo me falava assim: ‘Você
teve um pai que eu gostaria de
ter ‘. E isso é verdade, porque
ele era meio que um símbolo
desse homem bom, generoso,
justo e correto.” I
Record
Os dramas de Clarice
Divuilgação
TV - 18 / São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 DIÁRIO DA REGIÃO
Canal Universal programa filmes de animação e comédias em tempos de Copa
Agência Estado
Com a exibição dos jogos da Copa do
Mundo na TV e a proliferação de feste-
jos juninos pelo país, o canal Universal
busca chamar a atenção do telespectador
com uma programação de filmes dirigi-
da para toda a família. Entre o dia 20,
uma sexta-feira; e o dia 22, domingo; a
partir das 16h30, o programa “Maratona
Família” exibirá uma série de sete fil-
mes, entre animações de sucessos produ-
zidas para o cinema e comédias estrela-
das por grandes atores. São quatro ses-
sões na sexta-feira, cinco no sábado e qua-
tro no domingo.
A seleção de filmes começa - no dia
20, sexta-feira, às 16h30 - com a sátira
aos filmes policiais “Polícia Desmonta-
da”, uma produção norte-americana de
1999, dirigida por Hugh Wilson e prota-
gonizada por Brendan Fraser, Sarah Jes-
sica Parker e Alfred Molina. Na
sequência, às 18h, a animação “O Bicho
Vai Pegar”, primeira do gênero realizada
pela Sony Pictures em 2006, produzida
por computador e dublada por feras co-
mo Martin Lawrence e Ashton Kutcher.
Uma curiosidade: o astro Ashton Ku-
tcher improvisou metade das falas do
personagem Elliot, um cervo de apenas
um chifre fugindo dos caçadores na flo-
resta. A programação segue com “O Bi-
cho Vai pegar 2”, de 2008, às 19h30; e “O
Bicho vai pegar 3”, de 2010, às 21h - am-
bas as sequências já sem a presença de
Lawrence ou Kutcher, que deram voz
aos bichos aloprados no primeiro filme
dessa já clássica série de animação
No dia 21, sábado, os três filmes da
série “O Bicho Vai Pegar” serão repri-
sados às 16h30, às 18h e às 19h30, se-
guidos por mais duas produções de
animação: “Rugrats: Os Anjinhos - O
Filme”, de 1998, que também está es-
treando na grade de filmes do canal,
às 20h30; e “Rugrats e os Thornberrys
Vão Aprontar”, de 2003, às 22h. Os
dois longas foram realizados nos Esta-
dos Unidos pelos estúdios Nickelo-
deon Animation e Paramount Pictures.
No encerramento da “Maratona Fa-
mília” no domingo (22), o Universal re-
prisa “Rugrats: Os Anjinhos - O Filme”,
às 16h30; e “Rugrats e os Thornberrys
Vão Aprontar”, às 18h. Outra animação
inédita na TV, “Os Thornberrys - O Fil-
me”, produção da Nickelodeon distribuí-
da pela Paramount em 2002, estreia às
19h30 O excelente e mágico “Nanny
McPhee - A Babá Encantada”, produção
britânica para todas as idades, realizada
em 2005 e protagonizada pelos excepcio-
nais atores britânicos Emma Thompson
e Colin Firth, fecha a programação dessa
divertida maratona, às 21h. I
TV por assinaturaTV por assinatura
MARATONAFAMÍLIA Sexta-feira (20)
16h30 - “Polícia
Desmontada”
18h - “O Bicho Vai Pegar”
19h30 - “O Bicho Vai Pegar 2”
21h - “O Bicho Vai Pegar 3”
Sábado (21)
16h30 - “O Bicho Vai Pegar”
18h - “O Bicho Vai Pegar 2”
19h30 - “O Bicho Vai Pegar 3”
20h30 - “Rugrats: Os
Anjinhos - O Filme”
22h - “Os Rugrats e os
Thornberrys Vão Aprontar”
Domingo (22)
16h30 - “Rugrats: Os
Anjinhos - O Filme”
18h - “Os Rugrats e os
Thornberrys vão aprontar”
19h30 - “Os Thornberrys -
O Filme”
21h - “Nanny McPhee -
A Babá Encantada”
Grade dos
filmes
DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 / 19 - TV
Personagem de Vanessa Gerbelli na novela “Em Família” pode ser assassina, dizem psicólogos
Agência Estado
Fantasia versus realidade: o
comportamento de Juliana (Va-
nessa Gerbelli) deixa o telespec-
tador na dúvida se ela foi ou
não capaz de matar Gorete (Ca-
rol Macedo) para ficar com sua
filha, Bia (Bruna Faria), na no-
vela “Em Família”, da Globo.
Obcecada pela menina, a perso-
nagem acabou com o próprio
casamento e se uniu ao pai da
criança, Jairo (Marcello Melo
Jr.) A dona de casa parece
não ter discernimento entre
o que é certo ou errado. Ten-
tou comprar a menina, se-
questrou uma criança na
praia e mais recentemente pa-
rece temer as acusações de ser
a assassina da empregada.
O comportamento de Julia-
na beira à loucura em várias si-
tuações expostas na trama, mas
será que isso existe na vida
real? Psicólogos dizem que
sim, só que em menor escala.
“Ela representa a exacerbação
do papel de mãe, indo às raias
da patologia. Tudo que é exage-
ro pode virar um problema psi-
cológico Isso pode acontecer
com o ciúme ou com o sexo”,
explica o psicoterapeuta e escri-
tor Ailton Amélio da Silva.
Para Jacob Pinheiro Gold-
berg, psicanalista e autor do li-
vro “Psicologia em Curta-me-
tragem”, a obsessão e fixação
de Juliana podem se enqua-
drar em uma síndrome que
existe, mas com casos menos
agudos. “Ela se apropriou da
personalidade da empregada.
A menina foi o gatilho de um
processo de sair de si mesma,
pois o que parece é que Julia-
na não quer viver a sua vida”,
comenta o especialista.
É importante deixar claro
que os dois psicólogos não
acompanham a trama das nove,
e analisaram apenas a descrição
do perfil de Juliana. A irmã de
Chica (Natália do Vale) surgiu
na segunda fase da trama doce,
amiga e disposta a ser mãe. Vin-
te anos depois, ela começou a
agir como se fosse mãe de Bia,
chegando a fazer a menina cha-
má-la de mamãe na frente de
sua verdadeira progenitora, Go-
rete. Quando a empregada esta-
va entre a vida e a morte, Julia-
na já a dava como morta. Dese-
java isso.
Na noite em que Gorete
morreu, minutos antes, Juliana
esteve com ela e a cena deixou
no ar se a empregada teve ou
não sua morte provocada pela
tia de Helena (Julia Lem-
mertz). “Como está sendo apre-
sentada, a situação pode passar
para um nível criminal. A per-
sonagem representa alguém
que perdeu a noção e é, sim, ca-
paz de matar”, diz Ailton.
Essa possibilidade é endos-
sada por Goldberg. “A probabi-
lidade de que ela tenha feito is-
so é enorme. Com esse quadro,
ela pode nem sequer sentir cul-
pa, pois está convicta de que es-
tá correta”, observa o psicana-
lista, que já trabalhou em estu-
dos de comportamento para
personagens da teledramatur-
gia da Record.
Ele diz que a gravidez de Ju-
liana é um fator decisivo para o
futuro da personagem, pois seu
corpo está gestando uma vida.
“É a chance de ela ver que não
pode fugir da sua identidade.
Ela pode voltar a se reconhecer
como Juliana e dar uma virada
ou não”, aponta Goldberg.
Ailton Amélio da Silva tam-
bém diz acreditar que a gravi-
dez possa alterar o caminho da
personagem. “A gestação ajuda
a afastar o sentimento que ela
tem de não ser capaz de ser
mãe, além de ter o peso hormo-
nal aí”, analisa o psicólogo.
Mistério
“Em Família” está na reta fi-
nal. A trama de Manoel Carlos
termina no dia 18 de julho e,
até lá, o público ainda pode ter
uma surpresa com a história de
Juliana. Nos próximos capítu-
los, Guiomar (Jessika Alves)
vai deixar escapar que existe
um segredo e que, por isso,
não tem pena da patroa. Na
cena, vai ficar evidente que
ela manipula Jairo, mas o que
a dona de casa esconde só o
autor deve saber.
Mesmo grávida, Juliana vai
passar a viver separada do mari-
do. Ele se mudará para a comu-
nidade onde vivia antes de
conhecê-la, enquanto ela per-
manecerá em seu apartamen-
to no Leblon (bairro nobre
da zona sul do Rio).A distân-
cia do casal vai proporcionar
o desenvolvimento de novos
conflitos. I
Globo
Obsessão maternal
Divulgação
TV - 20 / São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 DIÁRIO DA REGIÃO
“Issonão tem fundamento.
Isisnem conhece e nunca
foi apresentada a ele (...)”
Trecho de comunicado da assessoria de imprensa da atriz Isis
Valverde, negando que ela tenha qualquer tipo de relaciona-
mento com o jogador Kaká
Frases
“Há nove
anos eu era
virgem, por
incrível que
pareça!”
Jesus Luz, modelo e DJ, no
Instagram, desmentindo
boatos de que seria pai de
uma menina de nove anos
Agência Estado
“Quealegria!”
GabrielBraga Nunes,ator,sobre o
nascimentode suaprimeira filha, Maria
“Já aprendi tudo
sobre orgasmos
múltiplos”
Xuxa,apresentadora,no programa
“AltasHoras”(Globo)
“Sinto mais falta
da Sabrina amiga
do que da
profissional.
Sinto falta da
Sabrina que ia às
reuniões de
pauta”
EmílioSurita, apresentador, ao UOL,
sobrea saída de Sabrina Satodo “Pânico”
“Foram
praticamente três
anos de dor (após
a separação)”
Zilu,no programa“Domingo Show”(Record), so-
brea separaçãode Zezé diCamargo
“Sou ciumento. É
trabalho, mas pô
(...) a gente não é
obrigado a ver”
Neymar,jogadordefutebol,sobreotrabalhodana-
morada, a atriz Bruna Marquezine, no “Caldeirão
doHuck”(Globo)
“Há nove anos
eu era virgem,
por incrível
que pareça!”
Jesus Luz, modelo e DJ, no Instagram,
desmentindo boatos de que seria pai de
umamenina de noveanos
“Cheguei a um
ponto em que
estava
atrapalhando
até minha
atividade
sexual”
Luciano,cantor,sobre terperdido
20quilos,ao site “Ego”
“Acho que os
comentários
foram maiores
do que a
mudança
em si”
Anitta,cantora,sobre as
recentesplásticasquefez
“Aos 40, a
gente já
aprendeu
tanta coisa!
Me sinto
mais bonita,
mais segura
e menos
ansiosa...”
Cláudia Abreu, atriz, em entre-
vista à revista “Cláudia”
Fotos:Divulgação
DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 / 21 - TV
MEU PEDACINHO DE CHÃO - 18H15
Segunda-feira - Helena diz a Luiza
que lhe deu o vestido de noiva co-
mo uma tentativa de alertá-la so-
bre o que está por vir.Ivan dorme
no novo apartamento que Cadu di-
vide com Verônica. Laerte pede a
mão de Luiza em casamento para
Helena e Virgílio. Ceiça se preocu-
pa quando Selma conta que está
conversando com Itamar. Marina
e Clara se divertem na feira. Lui-
za se irrita ao saber que Laerte
convidou Shirley para ser madri-
nha do casamento deles. Felipe
dá seu depoimento ao conselho
de medicina. Laerte vai para
Goiânia ver Selma e encontra
Shirley. O suspeito de estupro
perseguido por Alice invade o
apartamento de Luiza.
Terça-feira - O suspeito ameaça
Alice e Luiza e sai do apartamento
levando as duas como reféns.
Laerte e Shirley vão a um bar em
Goiânia. Luiza consegue mandar
uma mensagem do celular para
Malu. Felipe pede perdão a Regi-
na, mas ela é fria com ele. Malu
consegue interceptar o carro de
Alice. Felipe é condenado à pena
de censura pública, mas não per-
de o direito de exercer a medicina.
Alice consegue desarmar o suspei-
to, que sai algemado. Felipe fica
feliz ao receber o apoio de Silvia.
Shirley dá um beijo em Laerte. Lui-
za discute com Laerte ao saber
que ele esteve com Shirley em
Goiânia. Jairo leva Bia embora da
casa de Juliana.
Quarta-feira - Juliana se desespe-
ra ao ver Bia indo embora com Jai-
ro. Helena guarda o medalhão da
fênix com ela. Gabriel tenta provo-
car Felipe, que se mantém firme.
Iolanda fica feliz com a chegada
de Bia à comunidade. André e Bár-
bara discutem por causa de Luiza.
Marina e Clara vão à casa de Bran-
ca ver as locações para um ensaio
fotográfico. Alice flerta com Vitor
durante as aulas. Silvia fica feliz
porque Cadu a convida para assis-
tir aos jogos do Brasil no Galpão
Cultural.
Quinta-feira - Virgílio chama Benja-
mim para morar de novo com ele e
Helena. Juliana é grosseira com
Nando, que tenta consolá-la. Ivan
pergunta a Cadu se ele e Verônica
são namorados. André tenta se
reaproximar de Bárbara. Branca
tenta interferir no lado artístico do
estúdio, deixando Marina e Vanes-
sa irritadas. Na comunidade, Caro-
laine tenta seduzir Jairo. Gabriel
discute com Silvia por causa de Fe-
lipe, que decide dar um tempo da
clínica. Luiza e Laerte finalmente
marcam a data do casamento.
Sexta-feira - Jairo procura Juliana
e pede que ela vá ver Bia, que se
recusa a comer. Pedro Paulo dá
em cima de Dulce, que começa a
pensar na possibilidade de se en-
volver com o professor. Theo e Nei-
dinha assumem o namoro. Muri-
loe Gisele fazem as pazes. Viriato
e Rafaela fazem planos para o ca-
samento. Branca faz um ensaio fo-
tográfico com Sandro e Vlad em
sua casa. Ivan e Rafael brincam
no Galpão Cultural, para a alegria
de Cadu. Felipe cuida de Selma
em Goiânia.
Sábado - Malu elogia o desempe-
nho de Alice nas aulas da acade-
mia de polícia. Verônica tenta cau-
sar ciúme em Silvia falando do ca-
fé da manhã que Cadu preparou
para ela. Helena e Virgílio discu-
tem ao falar de Luiza. Guiomar se
preocupa com os delírios de Julia-
na, que diz a Bia que vai comprar
uma ilha para elas morarem jun-
tas. Luiza diz a Laerte que resol-
veu mesmo se casar na igreja.
Segunda-feira - Mãe Benta diz a
Tuim que torce para que Renato
se saia bem no atendimento à es-
posa de Jonas. Jandira comenta
com Jonas a respeito da dificulda-
de enfrentada por Renato no par-
to de sua esposa. Juliana garante
a Gina que Ferdinando gosta dela.
Jonas diz para Jandira que atenta-
rá contra Renato caso alguma coi-
sa aconteça à Lurdes durante o
parto. Renato pede a Jonas que
chame Mãe Benta para socorrê-
lo. Milita revela ao pai que gosta
mesmo é de Viramundo. Mãe Ben-
ta chega para ajudar Lurdes a dar
à luz.
Terça-feira - Em função da trans-
missão da Copa do Mundo, a no-
vela não será exibida.
Quarta-feira - Lurdes dá à luz uma
menina. Zelão afirma para Epami-
nondas e Catarina que, se não
fosse sua mãe, a filha de Lurdes
teria morrido. Giácomo avisa para
Epaminondas que o ônibus que le-
varia os empregados do coronel à
cidade das Antas para tirar o títu-
lo eleitoral não apareceu. Ferdi-
nando pergunta para Pedro se Gi-
na pode ir às Antas com ele nova-
mente. Dona Tê avisa para Pedro
que não deixará Gina viajar com
Ferdinando. Pedro enfrenta sua
esposa.
Quinta-feira - Juliana aconselha
Gina a aceitar o convite de Ferdi-
nando apenas se for sua vontade.
Orestes diz ao prefeito que cum-
priu suas ordens ao não enviar o
ônibus para buscar os emprega-
dos de Epaminondas para tirar o
título eleitoral. Catarina revela a
Ferdinando que se apegou a Sere-
lepe e que gostaria de adotá-lo. Gi-
na avisa à mãe que irá para Antas
com Ferdinando. Zelão entrega
sua arma para Ferdinando.
Sexta-feira - Serelepe conta para
Mãe Benta que Zelão deu sua ar-
ma para Ferdinando levar para An-
tas. Padre Santo avisa ao prefeito
que Ferdinando foi à empresa de
ônibus tomar satisfações. Ferdi-
nando ameaça fechar a empresa
de ônibus se for eleito prefeito e
caso o gerente não providencie o
ônibus para buscar os emprega-
dos de Epaminondas na Vila. Julia-
na alerta Gina sobre a possibilida-
de de Ferdinando desistir se ela
continuar a se fazer de difícil.
Sábado - Ferdinando avisa ao pai
que se o ônibus não chegar à Vila
no dia seguinte ele vai até Antas
novamente. Giácomo não recebe
Viramundo em sua casa e o rapaz
busca abrigo na igreja. Juliana
confessa para Gina que está divi-
dida entre Renato e Zelão. Giáco-
mo constata que a conversa que
Ferdinando teve com o gerente da
empresa de ônibus deu certo. Pa-
dre Santo pede a Dona Tê que
acolha Viramundo em sua casa.
Resumo das novelas
GLOBO
Fotos:Divulgação
EM FAMÍLIA - 21H00
TV - 22 / São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 DIÁRIO DA REGIÃO
Segunda-feira - Chico segue Matil-
de, que finge ser Ernestina, até a
igreja. Ele pensava que ela mentia
sobre a igreja e quena verdade es-
tava indo encontrar um novo namo-
rado. Porém, Matilde vai até a igre-
ja tentar se encontrar com o ho-
mem que anda lhe chantageando
(Miguel). Eduarda e Shirley Santa-
na vão até um samba na comunida-
de. Matilde mente para Miguel e
diz que o nome da menina que é
neta de José Ricardo é Marian. Tra-
ta-se de uma menina que já foi ado-
tada, mas que na verdade não é
neta de José Ricardo. A mãe de JP
convida Açucena e Renata para
jantar com a família do garoto. Re-
nata desmascara Mili na frente de
todos ao tirar a peruca dela. No or-
fanato, Bia assume que foi a culpa-
da pela máquina de cheiro ruim.
Miguel decide que precisa ir atrás
de Marian para ter certeza que ela
é sua filha. JP vai atrás de Mili no
orfanato para saber o motivo que a
levou fingir ser Açucena.
Terça-feira - O Café Boutique está
em crise, com poucos clientes. Em
uma reunião, Armando sugere pa-
ra Junior e Maria Cecília fazerem
corte de funcionários. Bel convida
Rafa para ir até a sorveteria Carol
e Carmen discutem na diretoria so-
bre o comportamento das Chiquiti-
tas, que brincam com roupas no
pátio. JP diz para seu pai que esta-
va apaixonado por Açucena e que
agora está confuso em relação a
Mili. Matilde conta para Carmen
que o plano delas em relação a Mi-
guel deu certo. Carmen tenta con-
quistar Bia. JP vai ao orfanato con-
versar com Mili ediz que esse tem-
po todo ele estava apaixonado por
ela. JP pergunta se Mili gosta dele.
Mili diz que está um pouco confu-
sa, mas que sente algo diferente
por ele sim. Armando avisa aos
funcionários do Café Boutique que
acontecerá corte em todas as
áreas da empresa. Armando diz
que o funcionário que não estiver
de acordo com as metas da empre-
sa será mandado embora.
Quarta-feira - Érica discute com
Clarita no Café Boutique. Armando
pressiona todos os funcionários e
os ameaça de serem mandados
embora. Armando diz que se Érica
ajudar ele a sabotar Beto, ela não
será mandada embora. Érica acei-
ta. Mili diz para suas amigas que
está confusa em relação a JP. Bru-
no pede para Carol ajudá-lo a ser
aceito por sua filha, Dani. Carol diz
que fará o possível, mas que ele
precisa ter paciência. Érica troca o
pedido dos clientes que Beto está
atendendo para ajudar Armando,
conforme combinado. Bia anota tu-
do que acha incorreto no orfanato.
Os meninos dizem que Chico ain-
da gosta de Ernestina. Para ajudar
o cozinheiro, Samuca se veste de
mulher para tentar saber se Ernes-
tina, que na verdade é Matilde,
sente ciúme de Chico. Bruno e Ca-
rol levam Dani para passear no par-
que. JP envia flores para Mili. Vivi
ajuda Samuca a se caracterizar de
mulher.
Quinta-feira - Armando leva Beto
até o presidente do Café Boutique,
Junior, diz que o garçom possui vá-
rios pontos negativos e que preci-
sa ser mandado embora. Junior
responde que pela postura de res-
saltar os defeitos de Beto, Arman-
do possui algum problema pes-
soal com ele. Junior diz que está
pensando num jeito para não preci-
sar mandar nenhum funcionário
embora. No orfanato, Matilde fica
de olho em Samuca, que está fin-
gindo ser mulher com nome de Sa-
mi. O foco é saber se Ernestina,
que na verdade é Matilde, tem ciú-
me de Chico Na praça, Bruno (Bru-
no Autran) consegue se aproximar
da filha, Dani. Ele diz que só quer o
bem dela e a pequena aceita pelo
menos tentar ser amiga dele. JP
diz que gosta do olhar de Mili e a
chiquitita diz o mesmo. Matilde
desmascara Samuca e Chico ao
servir comida apimentada para
eles.
Sexta-feira - Vivi e Cris tentam me-
lhorar suas habilidades para o con-
curso “Garota Carisma”. Mili con-
versa com Carol sobre a proposta
de Carmen. Carol diz que ela deve
pensar sobre os pós e contras des-
sa escolha. Beto fala com a direto-
ria do Café Boutique sobre a ideia
do vídeo viral para atrair clientes.
Armando fica irritado que Junior e
Maria Cecília deixam Beto tocar o
projeto. Carmen vai até o quarto
de Matilde contar para ela seu pla-
no para se livrar de Mili. Rafa diz
para Bel que ela só conversa com
ele quando os encrenqueiros, ami-
gos dela, não estão por perto. O
chiquitito diz que ela possui vergo-
nha dele, pois ele é gordo. Bel ga-
rante que não, apenas evita confu-
são por eles serem amigos de tur-
mas diferentes. Os dois decidem
serem amigos em segredo. Mili vai
até a casa de JP e fala sobre a pro-
posta de estudar fora do País.
Segunda-feira - Priscila planeja
com Caio um ataque a um ônibus
com nordestinos. Virgulino espe-
ra ansioso por um primo que está
vindo do nordeste de ônibus. Pris-
cila fala para Paulão se preparar
para a missão. Manel surpreende
Cicinho e diz que vai pagar a ida
dele ao acampamento. Beatriz
conta que voltou a morar com Jor-
ge porque quis e Mossoró fica de-
cepcionado. Ao saber que Manel
vai pagar o passeio, Ednaldo fica
bravo e avisa que Cicinho não vai
mais. Seguindo a ordem de Artur,
Javier faz proposta para Jorge,
que aceita voltar ao haras ganhan-
do aumento. Priscila apressa seu
grupo para que não atrasem a ida
para o ataque. Virgulino vai para a
rodoviária buscar seu primo junto
com Bruno e Anastácia. No cami-
nho para o ataque, Paulão bate
com o carro e Priscila fica nervo-
sa. Marcelo e Caio esperam ten-
sos pela chegada do grupo de
Priscila. Ao chegar ao local marca-
do, Priscila e os grupos neonazis-
tas se preparam atacar o ônibus.
Terça-feira - Priscila fecha a pista
com seu carro impedindo o ôni-
bus de seguir viagem. O ônibus
dá uma freada violenta e os pas-
sageiros ficam apavorados. O ôni-
bus é cercado, passageiros ten-
tam fugir, mas o grupo consegue
impedir. Bárbara não entrega Fir-
mino para os neonazistas. A polí-
cia se aproxima, os agressores fo-
gem e Firmino chora aliviado. Jor-
ge organiza a saída dos cavalos
do Haras Arminho para a competi-
ção e procura por Ziggy. Ao saber
que Diana vai montar Vitória, Ar-
tur exige que Ricardinho a deixe
vencer. Bernardo dá as últimas
instruções para Diana e Luciene.
Pelo telefone, Laíza diz a Iago que
apostou alto em Vitória. Iago avi-
sa que Laíza deve perder, e de ci-
ma do teto da arquibancada, colo-
ca a mira da arma em Vitória.
Quarta-feira - Iago se disfarça e
se posiciona no alto da arquiban-
cada do Jockey Clube tentando co-
locar Diana na mira de sua arma.
Luciene, montando Gregory Se-
gundo, dificulta a ação de Iago. Ia-
go tenta, insistentemente, colo-
car Diana sob sua mira. Artur as-
siste, aflito, à transmissão pela
TV. Bernardo conta para Leo e
Edu que Gregório não autorizou a
participação de Diana na corrida.
O clima é de tensão para o início
da corrida. Sabrina pede ajuda ex-
traoficial ao policial Willian e é sur-
preendida com a chegada de Ra-
miro. Priscila encontra Yonee Dan-
te no bar Dois a Dois e descobre
que o primo de Virgulino estava
no ônibus que foi atacado na Du-
tra. Ramiro fica desconfiado do
encontro entre Sabrina e Willian.
É dado o tiro de largada, começa
a corrida. Iago, do alto do telhado,
se prepara para atirar em Vitória.
Iago atira na direção de Diana.
Quinta-feira - Filho do Vento perce-
be o perigo do tiro desferido por Ia-
go em direção à Vitória e interce-
de o ataque. O cavalo é atingido e
cai derrubando Ricardinho. Diana
vence a corrida seguida por Lucie-
ne. Luciene avisa à Diana sobre a
queda de Ricardinho. Renata con-
ta à Diana que o cavalo foi atingi-
do por uma flecha. Iago, com uma
espécie de arco na mão, conse-
gue escapar com a ajuda de um
helicóptero. Javier avisa a polícia
e Jorge desconfia de que o ataque
tenha sido planejado por alguém
do haras A. Ferreira. O apoio poli-
cial alcança o helicóptero de Iago
e ordena que desça imediatamen-
te. Iago fica furioso com a omis-
são de seu subordinado e atira
no piloto. A aeronave voa des-
controlada e ele salta perigosa-
mente no mar. Iago consegue
nadar até a praia e se disfarça
de vendedor ambulante para ter-
minar sua fuga.
Sexta-feira - Iago consegue che-
gar até sua mansão e liga para
Laíza ordenando que ela volte pa-
ra casa. Virgulino apresenta seu
primo à Priscila. Firmino se lem-
bra da voz da moça na noite do
ataque ao ônibus de retirantes e
passa mal. Firmino se recupera
do mal estar e Virgulino se descul-
pa com Priscila pela atitude do pri-
mo Priscila,Paulão e Enzo aconse-
lham Firmino a voltar para o nor-
deste. Mossoró encontra Diana e
conta que voltou para Beatriz Jor-
ge vai procurar Javier e é ordena-
do a readmitir Renata. Edu vai es-
condido até a casa de Jorge pedir
a readmissão de Renata. Priscila
vai com os amigos até a pista de
motocross em Petrópolis. Beatriz
conta a Mossoró que Laíza procu-
rou Jorge interessada em alugar
uma cocheira no haras Arminho.
Zuzu conta para Matilde que a viu
na televisão durante o Grande Prê-
mio. Enzo, com ciúmes de Bea-
triz, pede a Paulão para provocar
um acidente fatal com Mossoró.
Resumo das novelas
CHIQUITITAS - 20H30
VITÓRIA - 21H30
RECORD
SBT
DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 / 23 - TV
Com cidades medievais ao longo
do Mar Adriático e locações da
série Game of thrones, o país vê
aumentar número de
visitantes brasileiros
Turismo
CROÁCIA
FASCINANTE
TURISMO - 24 / São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 DIÁRIO DA REGIÃO
Agência O Globo
Com cidades históricas lindíssimas e bem
preservadas à beira do Mar Adriático, a Croá-
cia vem despertando o interesse do viajante
brasileiro. Em 2013, foram 56 mil visitantes
do Brasil.
O número não impressiona de imediato, mas
representa quase o dobro do registrado no ano
anterior: 30.900, em 2012, segundo o Escritório
Nacional de Turismo da Croácia. Leve-se em
conta que não há voos diretos entre Brasil e
Croácia, é preciso fazer conexão em alguma cida-
de da Europa.
Duas cidades croatas são imperdíveis: Du-
brovnik, rodeada por muralhas, conhecida co-
mo a “pérola do Adriático”. E Zagreb, a cidade
que tem um coração vermelho como símbolo e
um museu dedicado a relacionamentos que não
deram certo entre suas atrações inusitadas.
AgênciaOGlobo
Uma mistura de
história, cultura e
natureza belíssima
faz da Croácia um
país super procurado
por brasileiros
DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 / 25 - TURISMO
Na cidade murada, as locações são o portão Pile, a rua de Santo Domingo, a Torre Minceta e o
Forte Bokar. No lado de fora, o Forte Lovrijenac, entre outros pontos
Agência O Globo
A muralha do século 12 contorna
os prédios que formam a parte antiga
de Dubrovnik. Ao crepúsculo, a luz
dourada do sol inunda torres e cúpulas
centenárias, entre telhados reconstituí-
dos após a Guerra da Independência,
há duas décadas.
A muralha tem 1.940 metros de exten-
são. Por ela dá-se a volta em toda a cidade
antiga, Patrimônio Mundial pela Unes-
co, ora avistando o mar, ora de frente pa-
ra o Monte São Sérgio e a cadeia de mon-
tanhas que faz fronteira com a Bósnia.
Um ou outro bar com vista para o
mar convida a um drinque, ali mesmo,
entre as pedras históricas. De um lado, as
gaivotas patrulham o Adriático; do ou-
tro, observa-se o movimento intramuros
nos fundos de lojas e restaurantes ou em
quintais de residências.
Dubrovnik faz juz ao título de cená-
rio de Porto Real (ou King’s Landing)
do seriado “Game of thrones” - produção
da HBO, que faz sucesso mundo afora.
Há folhetos com os pontos de loca-
ções marcados no mapa da cidade mura-
da e excursões especializadas nas grava-
ções. Mas basta alguns passos no percur-
so da muralha para identificar ali cenas
protagonizadas por Tyrion Lannister, en-
tre outras passagens do seriado.
Na cidade murada, as locações são o
portão Pile, a rua de Santo Domingo, a
Torre Minceta, o Forte Bokar. No lado
de fora, o Forte Lovrijenac - símbolo da
resistência de Dubrovnik ao império ve-
neziano no século 11 - e o Anfiteatro do
Hotel Belvedere, além do Arboretum
Trsteno, também estão entre os cenários.
A Ilha Lokrum, em frente à cidade
murada, foi usada para cenas protagoniza-
das por Daenerys Targaryen (a Khaleesi)
na cidade de Qarth. A produção do seria-
do ainda tem mais duas temporadas para
filmar em Dubrovnik.
Croácia
Dubrovnik - enredo digno
de ‘Game of thrones’
Em Zagreb,
capital croata, o
bonde circula no
centro
Fotos: Agência O Globo
TURISMO - 26 / São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 DIÁRIO DA REGIÃO
Num dos portões da cidade
murada, Ploce, um painel mos-
tra os pontos de agressão duran-
te a Guerra da Independência.
Lá dentro, o guia aponta
prédios e monumentos históri-
cos, entre cafés e muitas lojas.
Há bares e restaurantes, como
o Grads Kavane, onde até
quem mora lá faz uma parada
para prosear, tomando um café
ou uma pivo (cerveja). Lojas de
suvenires e um mercado de pro-
dutores locais estão no passeio
intramuros.
O Palácio do Reitores abri-
ga o Museu Histórico e Cultu-
ral de Dubrovnik, que foi a se-
de governo na República de
Dubrovnik.
No Palácio Sponza (da Al-
fândega) funciona o arquivo da
cidade, que sobreviveu ao ter-
remoto de 1667. Na Catedral,
logo em frente, estão as relí-
quias de São Brás, que nasceu
no século 3 e morreu na Ar-
mênia no século 4, mas é pa-
droeiro da cidade.
Por volta do século 10, São
Brás teria aparecido a um pa-
dre para avisar que os venezia-
nos atacariam Dubrovnik, e a
cidade pode se precaver.
O Forte Lovrijenac defen-
deu a cidade dos venezianos no
século 11. No dia 3 de feverei-
ro, há procissão em sua home-
nagem.
Na outra ponta, no portão
Pile, onde param os ônibus de
turismo, fica a Fonte Grande
de Onofrio (da qual beber a
água limpinha é ritual), ao lado
da Igreja de São Salvador, que
abriga o antigo mosteiro fran-
ciscano e o Museu da Farmá-
cia, onde funciona uma das
mais antigas farmácias da Euro-
pa, de 1317.
O museu exibe antigos ins-
trumentos médicos, além de
um belo mapa da época da Re-
pública de Ragusa.
Saindo da cidade murada
pelo portão Pile, há um teleféri-
co que leva à Fortaleza Impe-
rial. Além da vista inesquecí-
vel, pode-se visitar o museu da
guerra da Independência e o
ótimo restaurante Panorama.
Com 43 mil habitantes, Du-
brovnik vive do turismo. Popu-
lar desde os anos 1980, tem lo-
calização geográfica privilegia-
da com preços mais baixos que
no restante da Europa, embora
os mais altos da Croácia.
Os passageiros de cruzeiros,
hoje limitados a 8 mil/dia, são
maioria. Agências conduzem
esses visitantes pela cidade mu-
rada, que tem 2 mil habitantes.
Mas há quem aproveite para co-
nhecer as elogiadas praias das
Ilhas Elafites (três ilhas a uma
hora da cidade, com praias pe-
quenas de faixas de areia de no
máximo cem metros) e a Ilha
Lokrum. (AG)
A história de Dubrovnik
tem enredo digno de seriado
medieval, tal qual o de “Ga-
me of thrones”.
Os primeiros registros de
civilização na região são do
século 7. Dubrovnik se de-
senvolveu com a movimenta-
ção das Cruzadas, que estabe-
leceu centros marítimos e co-
merciais nos séculos 12 e 13
nos mares Adriático e Medi-
terrâneo.
No século 13 serviu de ba-
se naval ao Império Venezia-
no. Posteriormente, o Trata-
do de Zadar, em 1358, libe-
rou a cidade do domínio de
Veneza.
Nos séculos 14 e 15, a en-
tão chamada República de
Ragusa ocupava a posição
de principal porto comer-
cial no Adriático, com Vene-
za e Ancona.
Sob tutela do império tur-
co, no século XVI, e com
alianças com Espanha e Vati-
cano, manteve-se indepen-
dente. Prosperou com o co-
mércio marítimo após o declí-
nio do império veneziano.
O terremoto de 6 de abril
de 1667 devastou a cidade,
deixando milhares de mor-
tos. Foi o início do fim da Re-
pública de Ragusa.
Napoleão dissolveu-a em
1808. A região foi integrada à
Dalmácia e à Croácia pelo
Congresso de Viena, em
1815. De 1918 a 1941 fez par-
te do Reino dos Sérvios, Croa-
tas e Eslovanos (chamado de
Reino da Iugoslávia a partir
de 1929).
Com a Segunda Guerra
Mundial, ocupada pelas for-
ças italianas e alemãs, inte-
grou o Estado Independente
da Iugoslávia. A partir de
1944, conquistada por guerri-
lheiros do marechal Josp
Broz Tito, fez parte da Repú-
blica Socialista da Croácia,
Estado da República Socialis-
ta Federativa da Iugoslávia.
Em outubro de 1991, a
Croácia declarou independên-
cia e Dubrovnik passou a ser
atacada por sérvios, iugosla-
vos e montenegrinos. Em 6
dezembro, sofreu o pior bom-
bardeio. (AG)
Vielas
estreitas
reúnem casas,
lojas, cafés e
restaurantes
Produtos típicos à
venda dentro da
cidade murada
Terra de São Brás
Seriado medieval
DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 / 27 - TURISMO
Há casas do século 7, e o
aqueduto da época ainda
hoje abastece parte da
população da cidade
-Agência O Globo
A história de Split se confunde com
a do domínio romano. A cidade teve seu
destinodeterminadopelabaíaàsuafren-
te, palco de guerras sangrentas.
Assistiuaos dálmatas resistirem bra-
vamente por 220 anos ao assédio do Im-
pério Romano, até que eles acabaram
vencendo, e a Dalmácia tornou-se uma
de suas mais famosas províncias.
Diocleciano foi o mais notável entre
os imperadores da Dalmácia. Odiado e
amado,ergueualiopalácioentreosanos
de 295 e 305, a primeira construção de
Split,e viu surgir emseuentorno a cida-
de que hoje atrai milhares de visitantes.
Usando as pedras da Ilha de Brac,
que pode ser visitada deferry boat a par-
tir de Split, Diocleciano construiu seu
palácio combinando aspectos
arquitetônicos de construções campesi-
nas, militares e vilas luxuosas.
Nocentro,hátemplosreligiosos,eas
casasdos nobres estãoposicionadascom
vista para o mar. Colunas foram trazidas
doEgito,alémde18esfinges.Umadelas
estápreservada,aoladodacatedralpróxi-
ma à entrada do palácio.
A entrada era coberta com azulejos
de ouro.Pela cúpulaaberta passavaa luz
naturalquerefletiaacorpúrpuranostra-
jesdoimperador,impondoemsuasapa-
riçõespúblicasobrilhodopoder.Napra-
ça, os súditos reverenciavam o líder
que reluzia à luz dos céus.
Após abdicar do
trono,Dioclecia-
no permaneceu no palácio até sua mor-
te, em 311. Depois o lugar foi usado co-
mo retiro para seus sucessores.
OImpérioRomanodoOcidenteaca-
bounoséculo5.Apósainvasãocroataàs
terras de Salona, berçode Diocleciano, a
populaçãoem fuga chegou a Split. Lojas
eresidênciasforamincorporadasimpon-
do ao palácio um processo de urbaniza-
ção orgânica.
Casasforamconstruídasno século7.
Hoje alguns prédios foram transforma-
dosemhotéisboutique,casasdefamília,
oulugaresdehospedagemmaissimples.
Oaquedutodaépocaaindahojeabas-
tece parte da população da cidade, que é
de 188 mil habitantes.
Nosporõessubterrâneosquesusten-
tamo palácio foramabertas55 salas,que
eram usadas como armazenamento por
Diocleciano.
Com a ocupação medieval, elas fo-
ramtransformadasemdepósitosdelixo,
porque tinham buracos no teto que liga-
va às casas no andar de cima. Os dejetos
preencheram o local e curiosamente, foi
olixopetrificado,quepreservouessases-
truturas que hoje podem ser visitadas.
Na entrada dos fundos do palácio, a
estátua do bispo Gregório de Nin, com
suaexpressão bisonha de olhos arregala-
dos, é uma visita indispensável. O bispo
introduziu, no século 10, o idioma croa-
ta aos ritos religiosos cristãos, que eram
realizados em latim. Não saia de lá sem
esfregar o dedão do pé da estátua, por-
que dizem que dá sorte.
Com arquitetura bem preserva-
da, Split também caiu nas graças da
produção da HBO, que filmou ali ce-
nas de “Game of thrones” para a
quarta temporada.
Os guias mostram em frente ao por-
tão do Museu da Cidade de Split, numa
viela estreita, o ponto onde foi gravada a
cena em que Khaleesi ocupa Meereen e
osescravosencurralamumnobre.Tam-
bém há cenas nos porões do palácio.
Croácia
Split e Brac: palácio
à beira-mar
TURISMO - 28 / São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 DIÁRIO DA REGIÃO
Calcário - o calcário de
Brac, que ergueu o Palácio
de Diocleciano, em Split, te-
ria sido usado em outros pré-
dios imponentes pelo mun-
do, como nas colunas da Ca-
sa Branca e nos parlamentos
de Berlim e Viena.
Gravata - Na guerra dos
3 0 a n o s n a E u r o p a
(1618-1648), soldados croa-
tas foram lutar em Paris em
colaboração com a França,
levando suas echarpes amar-
radas ao pescoço. Os pari-
sienses da corte de Luís 14
adoraram a nova moda.
Sal e ostras - A qualida-
de da água do Adriático pro-
duz, além do sal excelente de
Mali Ston, ostras de sabor ex-
cepcional.
À mesa - Azeite e trufas
da Ístria e vinhos brancos e
tintos de Ístria, Dalmácia e
Eslavônia se destacam na
gastronomia. (AG)
AgênciaOGlobo
Orgulhos croatas
Saindo do porto de Split, vi-
sitado por muitos navios de cru-
zeiro, o ferry Jadronlinija (30
kunas por pessoa, ou R$ 12) le-
va até Brac. A viagem dura
uma hora. As encostas de pedra
que recortam o litoral domi-
nam a paisagem.
O ferry deixa os passageiros
em Supetar, onde se pode alu-
gar uma scooter ou quadriciclo
para explorar a ilha. De lá, par-
te-se para lugares como Vido-
va Gora, o topo de Brac, a 778
metros de altitude, de onde
se tem uma vista panorâmica
da região.
Hora de descer e conhecer
a belezura da ilha, em Bol: é
Zlatni Rat, a faixa de praia
que muda ao sabor das marés
e do vento.
Uma caminhada num calça-
dão arborizado e decorado por
esculturas de pedras brancas le-
va até lá. Há vários restauran-
tes, bares e hotéis à beira-mar.
Se ficar para o almoço, o restau-
rante Vagabundo serve pratos
como risoto e filé de atum com
croquete de batatas e legumes
grelhados no azeite (79 kunas,
R$ 32). (AG)
Telhados de cores
vivas guardam
marcas da guerra
na cidade murada
Litoral rodeado de pedras
DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 / 29 - TURISMO
Revista bem estar-20140615
Revista bem estar-20140615
Revista bem estar-20140615

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Artigo: Conversas sobre Ciência - À procura da felicidade
Artigo: Conversas sobre Ciência - À procura da felicidadeArtigo: Conversas sobre Ciência - À procura da felicidade
Artigo: Conversas sobre Ciência - À procura da felicidade
scmed
 
Palestra: Cuidadores - Nahara Ribeiro
Palestra: Cuidadores  - Nahara RibeiroPalestra: Cuidadores  - Nahara Ribeiro
Palestra: Cuidadores - Nahara Ribeiro
Clínica Neurológica Vida Piracicaba
 
Ansiedade e espiritismo
Ansiedade e espiritismoAnsiedade e espiritismo
Ansiedade e espiritismo
Welington Ernane Porfírio
 
Ansiedade, Depressão & superação
Ansiedade, Depressão & superaçãoAnsiedade, Depressão & superação
Ansiedade, Depressão & superação
Rafael Almeida
 
Transformar e progredir
Transformar e progredirTransformar e progredir
Transformar e progredir
ilidia elisa queiros
 
A Comunicação e os Relacionamentos de Sucesso
A Comunicação e os Relacionamentos de SucessoA Comunicação e os Relacionamentos de Sucesso
A Comunicação e os Relacionamentos de Sucesso
Human Pro Solutions
 
Ansiedade - como reconhecer e evitar os gatilhos emocionais
Ansiedade - como reconhecer e evitar os gatilhos emocionaisAnsiedade - como reconhecer e evitar os gatilhos emocionais
Ansiedade - como reconhecer e evitar os gatilhos emocionais
Daniel Motta
 
Saúde emocional
Saúde emocionalSaúde emocional
Saúde emocional
Alexsandro Prates
 
Ansiedade e estresse
Ansiedade e estresseAnsiedade e estresse
Ansiedade e estresse
Simone Braga
 
UFCD - 6581- Stress em Profissionais de Saúde
UFCD - 6581-   Stress em Profissionais de SaúdeUFCD - 6581-   Stress em Profissionais de Saúde
UFCD - 6581- Stress em Profissionais de Saúde
Nome Sobrenome
 
Saúde Mental na Escola - Cartilha orienta professor@s e alun@s
Saúde Mental na Escola - Cartilha orienta professor@s e alun@sSaúde Mental na Escola - Cartilha orienta professor@s e alun@s
Saúde Mental na Escola - Cartilha orienta professor@s e alun@s
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Ansiedade - como reduzir?
Ansiedade - como reduzir?Ansiedade - como reduzir?
Ansiedade - como reduzir?
Bruno Carrasco
 
Evite o estresse
Evite o estresseEvite o estresse
Evite o estresse
CLESIOANDRADE
 
As 7-armadilhas-que-travam-a-sua-vida
As 7-armadilhas-que-travam-a-sua-vidaAs 7-armadilhas-que-travam-a-sua-vida
As 7-armadilhas-que-travam-a-sua-vida
Joseni Carvalho Ramos
 
Saúde emocional
Saúde emocionalSaúde emocional
Saúde emocional
Josi Borges
 
Como realizar seu sonho de se tornar deputado a estadual deputada o federal ...
Como realizar seu sonho de se tornar deputado a estadual  deputada o federal ...Como realizar seu sonho de se tornar deputado a estadual  deputada o federal ...
Como realizar seu sonho de se tornar deputado a estadual deputada o federal ...
Interidade Cursos Online - Consultoria - Mentoria - Produção Digital
 
Como construir sua imagem pessoal para o marketing político e sua pré campanh...
Como construir sua imagem pessoal para o marketing político e sua pré campanh...Como construir sua imagem pessoal para o marketing político e sua pré campanh...
Como construir sua imagem pessoal para o marketing político e sua pré campanh...
Interidade Cursos Online - Consultoria - Mentoria - Produção Digital
 
Curso rápido de meditacao consciente mindful
Curso rápido de meditacao consciente mindfulCurso rápido de meditacao consciente mindful
Curso rápido de meditacao consciente mindful
Interidade Cursos Online - Consultoria - Mentoria - Produção Digital
 
Terapia conjugal
Terapia conjugalTerapia conjugal
Terapia conjugal
Oficina Psicologia
 

Mais procurados (19)

Artigo: Conversas sobre Ciência - À procura da felicidade
Artigo: Conversas sobre Ciência - À procura da felicidadeArtigo: Conversas sobre Ciência - À procura da felicidade
Artigo: Conversas sobre Ciência - À procura da felicidade
 
Palestra: Cuidadores - Nahara Ribeiro
Palestra: Cuidadores  - Nahara RibeiroPalestra: Cuidadores  - Nahara Ribeiro
Palestra: Cuidadores - Nahara Ribeiro
 
Ansiedade e espiritismo
Ansiedade e espiritismoAnsiedade e espiritismo
Ansiedade e espiritismo
 
Ansiedade, Depressão & superação
Ansiedade, Depressão & superaçãoAnsiedade, Depressão & superação
Ansiedade, Depressão & superação
 
Transformar e progredir
Transformar e progredirTransformar e progredir
Transformar e progredir
 
A Comunicação e os Relacionamentos de Sucesso
A Comunicação e os Relacionamentos de SucessoA Comunicação e os Relacionamentos de Sucesso
A Comunicação e os Relacionamentos de Sucesso
 
Ansiedade - como reconhecer e evitar os gatilhos emocionais
Ansiedade - como reconhecer e evitar os gatilhos emocionaisAnsiedade - como reconhecer e evitar os gatilhos emocionais
Ansiedade - como reconhecer e evitar os gatilhos emocionais
 
Saúde emocional
Saúde emocionalSaúde emocional
Saúde emocional
 
Ansiedade e estresse
Ansiedade e estresseAnsiedade e estresse
Ansiedade e estresse
 
UFCD - 6581- Stress em Profissionais de Saúde
UFCD - 6581-   Stress em Profissionais de SaúdeUFCD - 6581-   Stress em Profissionais de Saúde
UFCD - 6581- Stress em Profissionais de Saúde
 
Saúde Mental na Escola - Cartilha orienta professor@s e alun@s
Saúde Mental na Escola - Cartilha orienta professor@s e alun@sSaúde Mental na Escola - Cartilha orienta professor@s e alun@s
Saúde Mental na Escola - Cartilha orienta professor@s e alun@s
 
Ansiedade - como reduzir?
Ansiedade - como reduzir?Ansiedade - como reduzir?
Ansiedade - como reduzir?
 
Evite o estresse
Evite o estresseEvite o estresse
Evite o estresse
 
As 7-armadilhas-que-travam-a-sua-vida
As 7-armadilhas-que-travam-a-sua-vidaAs 7-armadilhas-que-travam-a-sua-vida
As 7-armadilhas-que-travam-a-sua-vida
 
Saúde emocional
Saúde emocionalSaúde emocional
Saúde emocional
 
Como realizar seu sonho de se tornar deputado a estadual deputada o federal ...
Como realizar seu sonho de se tornar deputado a estadual  deputada o federal ...Como realizar seu sonho de se tornar deputado a estadual  deputada o federal ...
Como realizar seu sonho de se tornar deputado a estadual deputada o federal ...
 
Como construir sua imagem pessoal para o marketing político e sua pré campanh...
Como construir sua imagem pessoal para o marketing político e sua pré campanh...Como construir sua imagem pessoal para o marketing político e sua pré campanh...
Como construir sua imagem pessoal para o marketing político e sua pré campanh...
 
Curso rápido de meditacao consciente mindful
Curso rápido de meditacao consciente mindfulCurso rápido de meditacao consciente mindful
Curso rápido de meditacao consciente mindful
 
Terapia conjugal
Terapia conjugalTerapia conjugal
Terapia conjugal
 

Destaque

Revista dominios quando o corpo todo dói
Revista dominios   quando o corpo todo dóiRevista dominios   quando o corpo todo dói
Revista dominios quando o corpo todo dói
Fernanda Caprio
 
Revista bem estar-261014
Revista bem estar-261014Revista bem estar-261014
Revista bem estar-261014
Fernanda Caprio
 
Revista bem estar-20141228
Revista bem estar-20141228Revista bem estar-20141228
Revista bem estar-20141228
Fernanda Caprio
 
Bem estar o amor muda tudo-20130303
Bem estar o amor muda tudo-20130303Bem estar o amor muda tudo-20130303
Bem estar o amor muda tudo-20130303
Fernanda Caprio
 
Revista bem estar-20140105 o verdadeiro sucesso
Revista bem estar-20140105 o verdadeiro sucessoRevista bem estar-20140105 o verdadeiro sucesso
Revista bem estar-20140105 o verdadeiro sucesso
Fernanda Caprio
 
Revista bem estar-20150201
Revista bem estar-20150201Revista bem estar-20150201
Revista bem estar-20150201
Fernanda Caprio
 
Revista bem estar-20130519
Revista bem estar-20130519Revista bem estar-20130519
Revista bem estar-20130519
Fernanda Caprio
 
JORNAL O QUÊ - participação Alexandre Caprio
JORNAL O QUÊ - participação Alexandre CaprioJORNAL O QUÊ - participação Alexandre Caprio
JORNAL O QUÊ - participação Alexandre Caprio
Fernanda Caprio
 
Revista bem estar-20-07-14
Revista bem estar-20-07-14Revista bem estar-20-07-14
Revista bem estar-20-07-14
Fernanda Caprio
 
Revista bem estar-07-09-14
Revista bem estar-07-09-14Revista bem estar-07-09-14
Revista bem estar-07-09-14
Fernanda Caprio
 
Revista bem estar-20140112 sentimento humano
Revista bem estar-20140112 sentimento humanoRevista bem estar-20140112 sentimento humano
Revista bem estar-20140112 sentimento humano
Fernanda Caprio
 
Bem estar fe na vida-20130127
Bem estar fe na vida-20130127Bem estar fe na vida-20130127
Bem estar fe na vida-20130127
Fernanda Caprio
 
Revista bem estar-20140706
Revista bem estar-20140706Revista bem estar-20140706
Revista bem estar-20140706
Fernanda Caprio
 
Bem estar=a vida do faz de conta
Bem estar=a vida do faz de contaBem estar=a vida do faz de conta
Bem estar=a vida do faz de conta
Fernanda Caprio
 
Bem estar emoçoes a flor da alma 070413
Bem estar emoçoes a flor da alma 070413Bem estar emoçoes a flor da alma 070413
Bem estar emoçoes a flor da alma 070413
Fernanda Caprio
 
Revista bem estar-20150426
Revista bem estar-20150426Revista bem estar-20150426
Revista bem estar-20150426
Fernanda Caprio
 
Revista bem estar-20150208
Revista bem estar-20150208Revista bem estar-20150208
Revista bem estar-20150208
Fernanda Caprio
 
Revista bem estar-acreditar 20130623
Revista bem estar-acreditar 20130623Revista bem estar-acreditar 20130623
Revista bem estar-acreditar 20130623
Fernanda Caprio
 
Revista bem estar-27-07-14
Revista bem estar-27-07-14Revista bem estar-27-07-14
Revista bem estar-27-07-14
Fernanda Caprio
 
Revista bem estar-20140316
Revista bem estar-20140316Revista bem estar-20140316
Revista bem estar-20140316
Fernanda Caprio
 

Destaque (20)

Revista dominios quando o corpo todo dói
Revista dominios   quando o corpo todo dóiRevista dominios   quando o corpo todo dói
Revista dominios quando o corpo todo dói
 
Revista bem estar-261014
Revista bem estar-261014Revista bem estar-261014
Revista bem estar-261014
 
Revista bem estar-20141228
Revista bem estar-20141228Revista bem estar-20141228
Revista bem estar-20141228
 
Bem estar o amor muda tudo-20130303
Bem estar o amor muda tudo-20130303Bem estar o amor muda tudo-20130303
Bem estar o amor muda tudo-20130303
 
Revista bem estar-20140105 o verdadeiro sucesso
Revista bem estar-20140105 o verdadeiro sucessoRevista bem estar-20140105 o verdadeiro sucesso
Revista bem estar-20140105 o verdadeiro sucesso
 
Revista bem estar-20150201
Revista bem estar-20150201Revista bem estar-20150201
Revista bem estar-20150201
 
Revista bem estar-20130519
Revista bem estar-20130519Revista bem estar-20130519
Revista bem estar-20130519
 
JORNAL O QUÊ - participação Alexandre Caprio
JORNAL O QUÊ - participação Alexandre CaprioJORNAL O QUÊ - participação Alexandre Caprio
JORNAL O QUÊ - participação Alexandre Caprio
 
Revista bem estar-20-07-14
Revista bem estar-20-07-14Revista bem estar-20-07-14
Revista bem estar-20-07-14
 
Revista bem estar-07-09-14
Revista bem estar-07-09-14Revista bem estar-07-09-14
Revista bem estar-07-09-14
 
Revista bem estar-20140112 sentimento humano
Revista bem estar-20140112 sentimento humanoRevista bem estar-20140112 sentimento humano
Revista bem estar-20140112 sentimento humano
 
Bem estar fe na vida-20130127
Bem estar fe na vida-20130127Bem estar fe na vida-20130127
Bem estar fe na vida-20130127
 
Revista bem estar-20140706
Revista bem estar-20140706Revista bem estar-20140706
Revista bem estar-20140706
 
Bem estar=a vida do faz de conta
Bem estar=a vida do faz de contaBem estar=a vida do faz de conta
Bem estar=a vida do faz de conta
 
Bem estar emoçoes a flor da alma 070413
Bem estar emoçoes a flor da alma 070413Bem estar emoçoes a flor da alma 070413
Bem estar emoçoes a flor da alma 070413
 
Revista bem estar-20150426
Revista bem estar-20150426Revista bem estar-20150426
Revista bem estar-20150426
 
Revista bem estar-20150208
Revista bem estar-20150208Revista bem estar-20150208
Revista bem estar-20150208
 
Revista bem estar-acreditar 20130623
Revista bem estar-acreditar 20130623Revista bem estar-acreditar 20130623
Revista bem estar-acreditar 20130623
 
Revista bem estar-27-07-14
Revista bem estar-27-07-14Revista bem estar-27-07-14
Revista bem estar-27-07-14
 
Revista bem estar-20140316
Revista bem estar-20140316Revista bem estar-20140316
Revista bem estar-20140316
 

Semelhante a Revista bem estar-20140615

Pais Gestores de sua Felicidade
Pais Gestores de sua FelicidadePais Gestores de sua Felicidade
Pais Gestores de sua Felicidade
Mediar2922
 
Palestra Crença de Heroi
Palestra Crença de Heroi Palestra Crença de Heroi
Palestra Crença de Heroi
Edhyr Motta
 
Aprender a-ser-feliz
Aprender a-ser-felizAprender a-ser-feliz
Aprender a-ser-feliz
sandraisamar
 
Transformar e progredir
Transformar e progredirTransformar e progredir
Transformar e progredir
ilidia elisa queiros
 
Revista bem estar-20130818
Revista bem estar-20130818 Revista bem estar-20130818
Revista bem estar-20130818
Fernanda Caprio
 
Palestra meditação
Palestra meditaçãoPalestra meditação
Palestra meditação
Leonora Mello
 
Os 7 passos do Autoconhecimento
Os 7 passos do AutoconhecimentoOs 7 passos do Autoconhecimento
Os 7 passos do Autoconhecimento
Daniel Santos
 
17. comece depressão na adolescência - 06.2013
17. comece   depressão na adolescência - 06.201317. comece   depressão na adolescência - 06.2013
17. comece depressão na adolescência - 06.2013
comece
 
ELETIVAS – a vida em movimento.pptx
ELETIVAS – a vida em movimento.pptxELETIVAS – a vida em movimento.pptx
ELETIVAS – a vida em movimento.pptx
Suzy De Abreu Santana
 
Fazendo Diferença
Fazendo DiferençaFazendo Diferença
Fazendo Diferença
Daniel de Carvalho Luz
 
AUTO ESTIMA & AUTO CONHECIMENTO.pptx
AUTO ESTIMA & AUTO CONHECIMENTO.pptxAUTO ESTIMA & AUTO CONHECIMENTO.pptx
AUTO ESTIMA & AUTO CONHECIMENTO.pptx
CarlosHenrique686061
 
Ansiedade e Transtorno Depressivo pptx..
Ansiedade e Transtorno Depressivo pptx..Ansiedade e Transtorno Depressivo pptx..
Ansiedade e Transtorno Depressivo pptx..
josytds1
 
cartilha-5-inteligencia-emocional-no-trabalho.docx
cartilha-5-inteligencia-emocional-no-trabalho.docxcartilha-5-inteligencia-emocional-no-trabalho.docx
cartilha-5-inteligencia-emocional-no-trabalho.docx
AuriceliaRosa
 
Aspectos comportamentais e éticos na gestão de pessoas
Aspectos comportamentais e éticos na gestão de pessoasAspectos comportamentais e éticos na gestão de pessoas
Aspectos comportamentais e éticos na gestão de pessoas
Turma_do_Marketing
 
Texto44 P7
Texto44 P7Texto44 P7
Texto44 P7
renatotf
 
Aprendendo a construir qualidade em sua vida - Workshop com Dolores Bordignon
Aprendendo a construir qualidade em sua vida - Workshop com Dolores BordignonAprendendo a construir qualidade em sua vida - Workshop com Dolores Bordignon
Aprendendo a construir qualidade em sua vida - Workshop com Dolores Bordignon
Dolores Bordignon
 
Proj4
Proj4Proj4
Proj4
renatotf
 
contemporaneidade_repercussoes_no_psiquismo_-_andrea_guimaraes_nunes_de_olive...
contemporaneidade_repercussoes_no_psiquismo_-_andrea_guimaraes_nunes_de_olive...contemporaneidade_repercussoes_no_psiquismo_-_andrea_guimaraes_nunes_de_olive...
contemporaneidade_repercussoes_no_psiquismo_-_andrea_guimaraes_nunes_de_olive...
ServiodePsicologia
 
Ansiedade S.A. - Leonardo Tavares - Demonstração
Ansiedade S.A. - Leonardo Tavares - DemonstraçãoAnsiedade S.A. - Leonardo Tavares - Demonstração
Ansiedade S.A. - Leonardo Tavares - Demonstração
Leonardo Tavares
 
A depresso impotencia para viver
A depresso   impotencia para viverA depresso   impotencia para viver
A depresso impotencia para viver
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 

Semelhante a Revista bem estar-20140615 (20)

Pais Gestores de sua Felicidade
Pais Gestores de sua FelicidadePais Gestores de sua Felicidade
Pais Gestores de sua Felicidade
 
Palestra Crença de Heroi
Palestra Crença de Heroi Palestra Crença de Heroi
Palestra Crença de Heroi
 
Aprender a-ser-feliz
Aprender a-ser-felizAprender a-ser-feliz
Aprender a-ser-feliz
 
Transformar e progredir
Transformar e progredirTransformar e progredir
Transformar e progredir
 
Revista bem estar-20130818
Revista bem estar-20130818 Revista bem estar-20130818
Revista bem estar-20130818
 
Palestra meditação
Palestra meditaçãoPalestra meditação
Palestra meditação
 
Os 7 passos do Autoconhecimento
Os 7 passos do AutoconhecimentoOs 7 passos do Autoconhecimento
Os 7 passos do Autoconhecimento
 
17. comece depressão na adolescência - 06.2013
17. comece   depressão na adolescência - 06.201317. comece   depressão na adolescência - 06.2013
17. comece depressão na adolescência - 06.2013
 
ELETIVAS – a vida em movimento.pptx
ELETIVAS – a vida em movimento.pptxELETIVAS – a vida em movimento.pptx
ELETIVAS – a vida em movimento.pptx
 
Fazendo Diferença
Fazendo DiferençaFazendo Diferença
Fazendo Diferença
 
AUTO ESTIMA & AUTO CONHECIMENTO.pptx
AUTO ESTIMA & AUTO CONHECIMENTO.pptxAUTO ESTIMA & AUTO CONHECIMENTO.pptx
AUTO ESTIMA & AUTO CONHECIMENTO.pptx
 
Ansiedade e Transtorno Depressivo pptx..
Ansiedade e Transtorno Depressivo pptx..Ansiedade e Transtorno Depressivo pptx..
Ansiedade e Transtorno Depressivo pptx..
 
cartilha-5-inteligencia-emocional-no-trabalho.docx
cartilha-5-inteligencia-emocional-no-trabalho.docxcartilha-5-inteligencia-emocional-no-trabalho.docx
cartilha-5-inteligencia-emocional-no-trabalho.docx
 
Aspectos comportamentais e éticos na gestão de pessoas
Aspectos comportamentais e éticos na gestão de pessoasAspectos comportamentais e éticos na gestão de pessoas
Aspectos comportamentais e éticos na gestão de pessoas
 
Texto44 P7
Texto44 P7Texto44 P7
Texto44 P7
 
Aprendendo a construir qualidade em sua vida - Workshop com Dolores Bordignon
Aprendendo a construir qualidade em sua vida - Workshop com Dolores BordignonAprendendo a construir qualidade em sua vida - Workshop com Dolores Bordignon
Aprendendo a construir qualidade em sua vida - Workshop com Dolores Bordignon
 
Proj4
Proj4Proj4
Proj4
 
contemporaneidade_repercussoes_no_psiquismo_-_andrea_guimaraes_nunes_de_olive...
contemporaneidade_repercussoes_no_psiquismo_-_andrea_guimaraes_nunes_de_olive...contemporaneidade_repercussoes_no_psiquismo_-_andrea_guimaraes_nunes_de_olive...
contemporaneidade_repercussoes_no_psiquismo_-_andrea_guimaraes_nunes_de_olive...
 
Ansiedade S.A. - Leonardo Tavares - Demonstração
Ansiedade S.A. - Leonardo Tavares - DemonstraçãoAnsiedade S.A. - Leonardo Tavares - Demonstração
Ansiedade S.A. - Leonardo Tavares - Demonstração
 
A depresso impotencia para viver
A depresso   impotencia para viverA depresso   impotencia para viver
A depresso impotencia para viver
 

Mais de Fernanda Caprio

Artigo "Contagem de votos"
Artigo "Contagem de votos"Artigo "Contagem de votos"
Artigo "Contagem de votos"
Fernanda Caprio
 
Artigo "O que é ser pré-candidato" (Fernanda Caprio), Revista Conceito Jurídi...
Artigo "O que é ser pré-candidato" (Fernanda Caprio), Revista Conceito Jurídi...Artigo "O que é ser pré-candidato" (Fernanda Caprio), Revista Conceito Jurídi...
Artigo "O que é ser pré-candidato" (Fernanda Caprio), Revista Conceito Jurídi...
Fernanda Caprio
 
Artigo "Da reforma do Estado à crise Temer" (Fernanda Caprio) Revista Conceit...
Artigo "Da reforma do Estado à crise Temer" (Fernanda Caprio) Revista Conceit...Artigo "Da reforma do Estado à crise Temer" (Fernanda Caprio) Revista Conceit...
Artigo "Da reforma do Estado à crise Temer" (Fernanda Caprio) Revista Conceit...
Fernanda Caprio
 
Artigo "A interferência do direito eleitoral no resultado das eleições" (Fern...
Artigo "A interferência do direito eleitoral no resultado das eleições" (Fern...Artigo "A interferência do direito eleitoral no resultado das eleições" (Fern...
Artigo "A interferência do direito eleitoral no resultado das eleições" (Fern...
Fernanda Caprio
 
Artigo "Captação de recursos" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agosto/2016
Artigo "Captação de recursos" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agosto/2016Artigo "Captação de recursos" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agosto/2016
Artigo "Captação de recursos" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agosto/2016
Fernanda Caprio
 
Artigo "Regras para contratação de militância remunerada" (Fernanda Caprio) R...
Artigo "Regras para contratação de militância remunerada" (Fernanda Caprio) R...Artigo "Regras para contratação de militância remunerada" (Fernanda Caprio) R...
Artigo "Regras para contratação de militância remunerada" (Fernanda Caprio) R...
Fernanda Caprio
 
Artigo "Convenções partidárias" (Fernanda Caprio) Revista Republicana junho/2016
Artigo "Convenções partidárias" (Fernanda Caprio) Revista Republicana junho/2016Artigo "Convenções partidárias" (Fernanda Caprio) Revista Republicana junho/2016
Artigo "Convenções partidárias" (Fernanda Caprio) Revista Republicana junho/2016
Fernanda Caprio
 
Artigo "É hora de planejar sua campanha" (Fernanda Caprio) Revista Republican...
Artigo "É hora de planejar sua campanha" (Fernanda Caprio) Revista Republican...Artigo "É hora de planejar sua campanha" (Fernanda Caprio) Revista Republican...
Artigo "É hora de planejar sua campanha" (Fernanda Caprio) Revista Republican...
Fernanda Caprio
 
Artigo "Prestação de Contas Anual Partidária" (Fernanda Caprio) Revista Repub...
Artigo "Prestação de Contas Anual Partidária" (Fernanda Caprio) Revista Repub...Artigo "Prestação de Contas Anual Partidária" (Fernanda Caprio) Revista Repub...
Artigo "Prestação de Contas Anual Partidária" (Fernanda Caprio) Revista Repub...
Fernanda Caprio
 
Artigo "Desincompatibilização" (Fernanda Caprio) Revista Republicana fevereir...
Artigo "Desincompatibilização" (Fernanda Caprio) Revista Republicana fevereir...Artigo "Desincompatibilização" (Fernanda Caprio) Revista Republicana fevereir...
Artigo "Desincompatibilização" (Fernanda Caprio) Revista Republicana fevereir...
Fernanda Caprio
 
Artigo "Limite de gastos para campanhas" (Fernanda Caprio) Revista Republican...
Artigo "Limite de gastos para campanhas" (Fernanda Caprio) Revista Republican...Artigo "Limite de gastos para campanhas" (Fernanda Caprio) Revista Republican...
Artigo "Limite de gastos para campanhas" (Fernanda Caprio) Revista Republican...
Fernanda Caprio
 
Artigo "Internet na campanha eleitoral" (Fernanda Caprio) Revista Republicana...
Artigo "Internet na campanha eleitoral" (Fernanda Caprio) Revista Republicana...Artigo "Internet na campanha eleitoral" (Fernanda Caprio) Revista Republicana...
Artigo "Internet na campanha eleitoral" (Fernanda Caprio) Revista Republicana...
Fernanda Caprio
 
Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana novembro...
Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana novembro...Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana novembro...
Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana novembro...
Fernanda Caprio
 
Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana outubro/...
Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana outubro/...Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana outubro/...
Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana outubro/...
Fernanda Caprio
 
Artigo "Cota para mulheres" (Fernanda Caprio) Revista Republicana setembro/2015
Artigo "Cota para mulheres" (Fernanda Caprio) Revista Republicana setembro/2015Artigo "Cota para mulheres" (Fernanda Caprio) Revista Republicana setembro/2015
Artigo "Cota para mulheres" (Fernanda Caprio) Revista Republicana setembro/2015
Fernanda Caprio
 
Artigo "Qual o papel da política?" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agos...
Artigo "Qual o papel da política?" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agos...Artigo "Qual o papel da política?" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agos...
Artigo "Qual o papel da política?" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agos...
Fernanda Caprio
 
Artigo "Dupla filiação partidária" (Fernanda Caprio) Revista Republicana maio...
Artigo "Dupla filiação partidária" (Fernanda Caprio) Revista Republicana maio...Artigo "Dupla filiação partidária" (Fernanda Caprio) Revista Republicana maio...
Artigo "Dupla filiação partidária" (Fernanda Caprio) Revista Republicana maio...
Fernanda Caprio
 
Artigo "Mandato pertence ao partido e não ao eleito" (Fernanda Caprio) Revist...
Artigo "Mandato pertence ao partido e não ao eleito" (Fernanda Caprio) Revist...Artigo "Mandato pertence ao partido e não ao eleito" (Fernanda Caprio) Revist...
Artigo "Mandato pertence ao partido e não ao eleito" (Fernanda Caprio) Revist...
Fernanda Caprio
 
Artigo Quem rouba uma caneta, rouba um país (Fernanda Caprio) Revista Republi...
Artigo Quem rouba uma caneta, rouba um país (Fernanda Caprio) Revista Republi...Artigo Quem rouba uma caneta, rouba um país (Fernanda Caprio) Revista Republi...
Artigo Quem rouba uma caneta, rouba um país (Fernanda Caprio) Revista Republi...
Fernanda Caprio
 
Palestra Participação da Mulher na Política 2017
Palestra Participação da Mulher na Política 2017Palestra Participação da Mulher na Política 2017
Palestra Participação da Mulher na Política 2017
Fernanda Caprio
 

Mais de Fernanda Caprio (20)

Artigo "Contagem de votos"
Artigo "Contagem de votos"Artigo "Contagem de votos"
Artigo "Contagem de votos"
 
Artigo "O que é ser pré-candidato" (Fernanda Caprio), Revista Conceito Jurídi...
Artigo "O que é ser pré-candidato" (Fernanda Caprio), Revista Conceito Jurídi...Artigo "O que é ser pré-candidato" (Fernanda Caprio), Revista Conceito Jurídi...
Artigo "O que é ser pré-candidato" (Fernanda Caprio), Revista Conceito Jurídi...
 
Artigo "Da reforma do Estado à crise Temer" (Fernanda Caprio) Revista Conceit...
Artigo "Da reforma do Estado à crise Temer" (Fernanda Caprio) Revista Conceit...Artigo "Da reforma do Estado à crise Temer" (Fernanda Caprio) Revista Conceit...
Artigo "Da reforma do Estado à crise Temer" (Fernanda Caprio) Revista Conceit...
 
Artigo "A interferência do direito eleitoral no resultado das eleições" (Fern...
Artigo "A interferência do direito eleitoral no resultado das eleições" (Fern...Artigo "A interferência do direito eleitoral no resultado das eleições" (Fern...
Artigo "A interferência do direito eleitoral no resultado das eleições" (Fern...
 
Artigo "Captação de recursos" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agosto/2016
Artigo "Captação de recursos" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agosto/2016Artigo "Captação de recursos" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agosto/2016
Artigo "Captação de recursos" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agosto/2016
 
Artigo "Regras para contratação de militância remunerada" (Fernanda Caprio) R...
Artigo "Regras para contratação de militância remunerada" (Fernanda Caprio) R...Artigo "Regras para contratação de militância remunerada" (Fernanda Caprio) R...
Artigo "Regras para contratação de militância remunerada" (Fernanda Caprio) R...
 
Artigo "Convenções partidárias" (Fernanda Caprio) Revista Republicana junho/2016
Artigo "Convenções partidárias" (Fernanda Caprio) Revista Republicana junho/2016Artigo "Convenções partidárias" (Fernanda Caprio) Revista Republicana junho/2016
Artigo "Convenções partidárias" (Fernanda Caprio) Revista Republicana junho/2016
 
Artigo "É hora de planejar sua campanha" (Fernanda Caprio) Revista Republican...
Artigo "É hora de planejar sua campanha" (Fernanda Caprio) Revista Republican...Artigo "É hora de planejar sua campanha" (Fernanda Caprio) Revista Republican...
Artigo "É hora de planejar sua campanha" (Fernanda Caprio) Revista Republican...
 
Artigo "Prestação de Contas Anual Partidária" (Fernanda Caprio) Revista Repub...
Artigo "Prestação de Contas Anual Partidária" (Fernanda Caprio) Revista Repub...Artigo "Prestação de Contas Anual Partidária" (Fernanda Caprio) Revista Repub...
Artigo "Prestação de Contas Anual Partidária" (Fernanda Caprio) Revista Repub...
 
Artigo "Desincompatibilização" (Fernanda Caprio) Revista Republicana fevereir...
Artigo "Desincompatibilização" (Fernanda Caprio) Revista Republicana fevereir...Artigo "Desincompatibilização" (Fernanda Caprio) Revista Republicana fevereir...
Artigo "Desincompatibilização" (Fernanda Caprio) Revista Republicana fevereir...
 
Artigo "Limite de gastos para campanhas" (Fernanda Caprio) Revista Republican...
Artigo "Limite de gastos para campanhas" (Fernanda Caprio) Revista Republican...Artigo "Limite de gastos para campanhas" (Fernanda Caprio) Revista Republican...
Artigo "Limite de gastos para campanhas" (Fernanda Caprio) Revista Republican...
 
Artigo "Internet na campanha eleitoral" (Fernanda Caprio) Revista Republicana...
Artigo "Internet na campanha eleitoral" (Fernanda Caprio) Revista Republicana...Artigo "Internet na campanha eleitoral" (Fernanda Caprio) Revista Republicana...
Artigo "Internet na campanha eleitoral" (Fernanda Caprio) Revista Republicana...
 
Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana novembro...
Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana novembro...Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana novembro...
Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana novembro...
 
Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana outubro/...
Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana outubro/...Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana outubro/...
Artigo "Reforma Política 2015" (Fernanda Caprio) Revista Republicana outubro/...
 
Artigo "Cota para mulheres" (Fernanda Caprio) Revista Republicana setembro/2015
Artigo "Cota para mulheres" (Fernanda Caprio) Revista Republicana setembro/2015Artigo "Cota para mulheres" (Fernanda Caprio) Revista Republicana setembro/2015
Artigo "Cota para mulheres" (Fernanda Caprio) Revista Republicana setembro/2015
 
Artigo "Qual o papel da política?" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agos...
Artigo "Qual o papel da política?" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agos...Artigo "Qual o papel da política?" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agos...
Artigo "Qual o papel da política?" (Fernanda Caprio) Revista Republicana agos...
 
Artigo "Dupla filiação partidária" (Fernanda Caprio) Revista Republicana maio...
Artigo "Dupla filiação partidária" (Fernanda Caprio) Revista Republicana maio...Artigo "Dupla filiação partidária" (Fernanda Caprio) Revista Republicana maio...
Artigo "Dupla filiação partidária" (Fernanda Caprio) Revista Republicana maio...
 
Artigo "Mandato pertence ao partido e não ao eleito" (Fernanda Caprio) Revist...
Artigo "Mandato pertence ao partido e não ao eleito" (Fernanda Caprio) Revist...Artigo "Mandato pertence ao partido e não ao eleito" (Fernanda Caprio) Revist...
Artigo "Mandato pertence ao partido e não ao eleito" (Fernanda Caprio) Revist...
 
Artigo Quem rouba uma caneta, rouba um país (Fernanda Caprio) Revista Republi...
Artigo Quem rouba uma caneta, rouba um país (Fernanda Caprio) Revista Republi...Artigo Quem rouba uma caneta, rouba um país (Fernanda Caprio) Revista Republi...
Artigo Quem rouba uma caneta, rouba um país (Fernanda Caprio) Revista Republi...
 
Palestra Participação da Mulher na Política 2017
Palestra Participação da Mulher na Política 2017Palestra Participação da Mulher na Política 2017
Palestra Participação da Mulher na Política 2017
 

Último

Cirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdf
Cirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdfCirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdf
Cirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdf
BrunaNeves80
 
Electrocardiografia - Manual AMIR - ENARM
Electrocardiografia - Manual AMIR - ENARMElectrocardiografia - Manual AMIR - ENARM
Electrocardiografia - Manual AMIR - ENARM
dantemalca
 
9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf
9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf
9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf
KauFelipo
 
Relação de Médicos e Prestadores 2023.pdf
Relação de Médicos e Prestadores 2023.pdfRelação de Médicos e Prestadores 2023.pdf
Relação de Médicos e Prestadores 2023.pdf
maripinkmarianne
 
TREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das Mãos
TREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das MãosTREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das Mãos
TREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das Mãos
Anderson1783
 
NR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdf
NR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdfNR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdf
NR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdf
guilhermefontenele8
 
mini curso de suturas para enfermeiros 2024
mini curso de suturas para enfermeiros 2024mini curso de suturas para enfermeiros 2024
mini curso de suturas para enfermeiros 2024
OttomGonalvesDaSilva
 
Posicionamento dos ombros para avalizaçao por RX
Posicionamento dos ombros para avalizaçao por RXPosicionamento dos ombros para avalizaçao por RX
Posicionamento dos ombros para avalizaçao por RX
paathizinhya
 
Mini curso Análise de LCR Liquorologia.pptx
Mini curso Análise de LCR Liquorologia.pptxMini curso Análise de LCR Liquorologia.pptx
Mini curso Análise de LCR Liquorologia.pptx
GleenseCartonilho
 

Último (9)

Cirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdf
Cirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdfCirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdf
Cirurgia Bucomaxilofacial - Roberto Prado _ OCR.pdf
 
Electrocardiografia - Manual AMIR - ENARM
Electrocardiografia - Manual AMIR - ENARMElectrocardiografia - Manual AMIR - ENARM
Electrocardiografia - Manual AMIR - ENARM
 
9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf
9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf
9 - Nutrição e Longevidade - apóstila.pdf
 
Relação de Médicos e Prestadores 2023.pdf
Relação de Médicos e Prestadores 2023.pdfRelação de Médicos e Prestadores 2023.pdf
Relação de Médicos e Prestadores 2023.pdf
 
TREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das Mãos
TREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das MãosTREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das Mãos
TREINAMENTO PROTEÇÃO DAS MÃOS.ppt Proteção das Mãos
 
NR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdf
NR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdfNR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdf
NR 12 - OPERADOR DE CESTO AÉREO elet.pdf
 
mini curso de suturas para enfermeiros 2024
mini curso de suturas para enfermeiros 2024mini curso de suturas para enfermeiros 2024
mini curso de suturas para enfermeiros 2024
 
Posicionamento dos ombros para avalizaçao por RX
Posicionamento dos ombros para avalizaçao por RXPosicionamento dos ombros para avalizaçao por RX
Posicionamento dos ombros para avalizaçao por RX
 
Mini curso Análise de LCR Liquorologia.pptx
Mini curso Análise de LCR Liquorologia.pptxMini curso Análise de LCR Liquorologia.pptx
Mini curso Análise de LCR Liquorologia.pptx
 

Revista bem estar-20140615

  • 2. Editorial Você valoriza realmente seus sonhos? Dá a eles a importância que eles merecem ou, mais do que isso, investe o suficiente para que se tornem realidade? A reportagem especial deste domingo trata deste tema, apoiando-se nos depoimentos de dez convidados, que, a partir do relato de suas experiências, ajudam a clarear caminhos para quem sente que seus objetivos andam “empacados”. “Vale a pena lutar pelo que enche de alegria os nossos dias”, diz a psicóloga Vera Paráboli Milanesi. “Somos aprendizes da felicidade. Aprendemos a cada dia que ela é uma conquista diária”, afirma a psicopedagoga e presidente da AACD, Adriane Albuquerque Cirelli. “Mas é preciso saber onde quer chegar e como”, pondera o psiquiatra e escritor Ailton Amélio. Outra reportagem mostra o poder da imaginação, ou como o exercício da criatividade se traduz em realizações e conquistas. Você também lê nesta edição sobre a importância dos amigos para nossa saúde física, mental e social. Ótima leitura! 24 Croácia conquista visitantes com suas cidades históricas à beira do Mar Adriático 16 Um dos grandes sucessos da telinha, Tatá Werneck está escalada para ser protagonista da novela “Lady Marizete” 13 Nutricionista escreve sobre os maus hábitos alimentares na infância, que contribuem para o aumento dos casos de diabetes tipo 1 entre as crianças Poesia Agência O Globo/Divulgação Divulgação Turismo Hamilton Pavam Televisão DIÁRIO DA REGIÃO Dos sonhos à realização Mariana Corradi Diretor de Redação Décio Trujilo decio.trujilo@diariodaregiao.com.br Editor-chefe Fabrício Carareto fabricio.carareto@diariodaregiao.com.br Coordenação Ligia Ottoboni ligia.ottoboni@diariodaregiao.com.br Editor de Bem-Estar e TV Igor Galante igor.galante@diariodaregiao.com.br Editora de Turismo Cecília Demian cecilia.demian@diariodaregiao.com.br Editor de Arte César A. Belisário cesar.belisario@diariodaregiao.com.br Pesquisa de fotos Mara Lúcia de Sousa Diagramação Cristiane Magalhães Tratamento de Imagens Edson Saito, Luciana Nardelli e Luis Antonio Matérias Agência Estado Agência O Globo ESTRADA Esta estrada onde moro, entre duas voltas do caminho, Interessa mais que uma avenida urbana. Nas cidades todas as pessoas se parecem. Todo o mundo é igual. todo o mundo é toda a gente. Aqui, não: sente-se bem que cada um traz a sua alma. Cada criatura é única. Até os cães. Estes cães da roça parecem homens de negócios: Andam sempre preocupados. E quanta gente vem e vai! E tudo tem aquele caráter impressivo que faz meditar: Enterro a pé ou a carrocinha de leite puxada por um bodezinho manhoso. Nem falta o murmúrio da água, para sugerir, pela voz dos símbolos, Que a vida passa! que a vida passa! E que a mocidade vai acabar. Manuel Bandeira 2 / São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 DIÁRIO DA REGIÃO
  • 3. Estresse, o fantasma que assombra Artigo Marcelle Vecchi O estresse é um indicador que estamos agindo num “padrão over”, com pouco res- peito aos nossos limites, tanto físicos como emocionais, e que evidencia uma sobrecar- ga no sistema como um todo. Para exempli- ficar, imaginemos um carro subindo uma ladeira íngreme em 5º marcha, o motor es- tá sendo forçado além da medida. O proble- ma do estresse é que se instala de forma su- til e lenta, é o resultado do acúmulo contí- nuo de situações desgastantes, dia após dia. Geralmente temos uma estranha mania de protelar situações que exigem um posicio- namento, dessa forma há um acúmulo de pendências que com o tempo se tornam pro- blemas. Se nesse estágio continuamos a pro- telar, esses problemas se tornam crises. E durante todo esse tempo, que se iniciou com as situações desgastantes e chegou às crises, nosso sistema interno se desgastou e se sobrecarregou, nesse ponto automatica- mente o estresse já assumiu o controle. É importante frisar que podemos detec- tar situações desgastantes, e agir para que o processo todo se interrompa logo no início, para isso devemos apurar nossa observação e sensibilidade frente às situações, e evitar a protelação. Temos quatro sentimentos básicos, to- dos os outros têm suas raízes nesses, que são: Raiva, Medo, Alegria e Tristeza. A preferência por protelar geralmente está associada ao medo. Medo de não ser compreendido, medo de críticas, medo de não ser aceito, medo do julgamento alheio, medo de magoar, medo de causar confli- tos... Não agimos porque o medo está no controle. Quando esse processo se torna consciente, reavaliamos nossas posturas, a fim de diminuir a influência do medo em nossas vidas, e naturalmente a coragem de se posicionar se aflora. O antídoto do estresse é evitar o acúmu- lo de situações desgastantes, sejam elas pro- fissionais, pessoais, familiares ou afetivas. O hormônio do estresse é o cortisol. De- pendendo da quantidade de cortisol que cir- cula pelo nosso organismo sentimos ou não os efeitos do estresse, e temos observado uma crescente manifestação desse estado emocional também em crianças a partir de 5 anos. É uma situação preocupante. Para combater o estresse, e consequente- mente o cortisol, as mulheres produzem a oxitocina, hormônio relacionado a ativida- des prazerosas e amor; já os homens produ- zem a testosterona, que combate os benefí- cios da oxitocina, sendo assim, os homens estão mais sujeitos a maiores níveis de es- tresse. Além disso, homens e mulheres rea- gem de diferentes formas frente a esse esta- do emocional. As mulheres tendem a bus- car atividades que lhe ocupem a mente de forma prazerosa e calmante, como cuidar dos filhos, cuidar da casa, do jardim, con- versar com amigas, praticar um hobby, en- fim, o foco está nas atividades prazerosas, pois a oxitocina amortece as reações de lu- tar ou fugir, próprias da ansiedade, que é uma das consequências do estresse. Já os homens, sob o efeito da testosterona e baixa oxitocina, estão mais sujeitos à an- siedade, e os instintos de lutar ou fugir prevalecem. Preferem remoer pensamen- tos e se recolher, e tendem a evitar conta- tos humanos. Claro que, em se tratando de estados emocionais, não há lugar para generaliza- ções, somos únicos, falamos em tendências, não em padronizações. Há estudos que comprovam a ação bené- fica à saúde de interações interpessoais, co- mo as escolhidas pelas mulheres, no comba- te ao estresse. Esses estudos explicam obje- tivamente o porquê das mulheres viverem mais do que os homens em todas as cultu- ras conhecidas, mostrando que os relaciona- mentos sociais diminuem o colesterol e a pressão alta, a frequência cardíaca e o risco de infecções em geral. Menos estresse, mais saúde; mais conta- to pessoal, mais saúde; menos contato pes- soal, menos saúde. O estresse é um mal que pode ser combati- do com mudanças de padrões comportamen- tais e mentais. O primeiro passo é identificar o problema e assumi-lo como tal, para só depois tomar as providências necessárias. O que não podemos fazer é não fazer nada. I Marcelle Vecchi é terapeuta master practitioner em Programação Neurolinguística (PNL) O antídoto é evitar o acúmulo de situações desgastantes, sejam elas profissionais, pessoais, familiares ou afetivas Quem é Guilherme Baffi DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 / 3
  • 4. Dez pessoas compartilham lições de como encontrar a felicidade por meio do planejamento, da perseverança e de algumas renúncias Gisele Bortoleto gisele.bortoleto@diariodaregiao.com.brs Não importa qual. Pode ser a conquista da casa própria, comprar um carro, fazer uma faculdade, especialização ou viajar. Esses são sonhos que fa- zem os olhos de muita gente brilhar, mas que, às vezes, pa- recem distantes. Todo mundo sabe bem os ingredientes da fe- licidade, nas nem sempre co- nhecem os passos necessários e sacrifícios para chegar lá. So- nho não é fantasia. Sonho é um projeto de realização de um desejo viável. Pode ser difí- cil, mas não impossível. Fanta- sia é o espaço do impossível. Para conquistar seus objeti- vos, você encontrará alguns obstáculos, mas com determi- nação, você consegue. A primeira pergunta a ser feita é: você sabe o que quer conquistar? Quanto mais espe- cífico e importante for o objeti- vo, mais fácil será se aproximar dele. Isso porque se a motiva- ção for boa, o sacrifício ficará pequeno perto do desejo de lu- tar por ele. Você tem de ter ob- jetivos, porque sem eles não consegue sair do lugar. Por que as pessoas têm tan- ta dificuldade em realizar seus sonhos? “Felicidade, como di- zem os sábios, é gostar daquilo que você já tem”, diz o escritor Gilberto Cabeggi, coach edito- rial, autor dos livros “Antes Tarde do que Nunca”, “Todo Dia É Dia de Ser Feliz” e “To- do Dia é Dia de Ter Fé na Vi- da” (todos pela ed. Gente). O importante é não focar naquilo que lhe falta, mas no que já está à sua disposição no presente. É gostar do que já tem e desfrutar do que já tem. Isso não só traz felicidade, como sentimento de gratidão, neces- sário para gerar novas energias e conquistas. “As pessoas têm dificulda- de em realizar seus sonhos, por- que, na verdade, não dão a eles a importância que eles mere- cem. Quando você desdenha, faz pouco caso, não consegue reunir energia e ânimo para rea- lizá-los”, complementa. Por is- so, é fundamental seguir uma rotina de procedimentos para realmente concretizar na vida aquilo que você sonha. A revista Bem-Estar ouviu dez pessoas que ensinam co- mo chegaram lá, o que pode ajudá-lo a planejar suas pró- prias conquistas. Especial O que você tem feito para realizar seus sonhos? 4 / São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 DIÁRIO DA REGIÃO
  • 5. “Para realizar meus maiores sonhos, corro contra o tempo, porque eles são muitos na vida profissional e na vida pessoal. Se eu não conseguir prosperar na vida profissional, também não vou conseguir prosperar na pessoal. Para isso, sempre tenho um planejamento de vida, e tenho conseguido as coisas que eu quero e conciliar as coisas importantes na minha vida, onde minha família vem em primeiro lugar” Cláudia Bassitt, empresária “Eu me sinto uma pessoa muito feliz, pois as circunstâncias externas às vezes são bem desafiantes, mas não me tiram da conexão com Deus, que me mantém em paz e harmonia. Sou feliz sendo presidente voluntária na AACD, pois assim multiplico com tantos os valores que recebi no berço e pratiquei na família que eu formei. Somos aprendizes da felicidade, aprendemos a cada dia que a felicidade é uma conquista diária, às vezes de algo que muitos consideram corriqueiro, mas que para alguns é a maior das conquistas. Somos aprendizes da felicidade” Adriane Albuquerque Cirelli, psicopedagoga e presidente da AACD Hamilton Pavam 14/1/2014 Pierre Duarte 13/3/2014 DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 / 5
  • 6. “Desde criança, meu maior sonho, por incrível que pareça, era ser cirurgião plástico e fazer residência com o professor Ivo Pitanguy. Assim, me formei na Famerp, fui para o Rio de Janeiro, fiz residência e mestrado em cirurgia na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), já para ficar perto do serviço do professor Pitanguy. Depois, fiquei três anos trabalhando com ele. A partir daí, comecei a sonhar em ter uma clínica nos moldes da dele, ou seja, com segurança de hospital e total privacidade aos meus clientes. Em relação à família, hoje me realizo nos meus filhos, os dois fazendo medicina, e talvez sigam meus passos. Em relacão a bens materiais, sempre me realizo em viagens (conheço quase o mundo todo), adoro carros e cavalos. Tenho um haras em Tanabi. E sempre vou cntinuar sonhando. Como diz Fernando Pessoa: ‘Tenho em mim todos os sonhos do mundo’” Ivan Togni, cirurgião plástico “Tentoadministrarmeusobjetivos dentro doslimitesque eupossa alcançar.Eu procuro tambémaceitar avidaeoque éinevitável,eviver cada dia,tanto quanto possível. Você temdeter objetivos, mas,embora possaparecer contraditório,eles podemse tornaruminimigo. Sefor inatingível,elepodeser frustrante e tirarvocê dopresenteeum objetivo podeanular opresente. Sem objetivosvocê nãoconsegue sair do lugar,mas existe umadosagem.É precisosaber onde querchegar e como.Eu estou contente esempre aprendendo.Existemgrandes objetivosnavida, evários nodia a dia,como terdevir trabalhar, caminhar.É precisoadministrá-los. Seeunãosouber administrá-los, acabosaindodo presente, porqueobjetivo éalgoque estáno futuro-tanto faz se daquiacinco minutosou a10anos-, mas seeu nãodeixar umespaço paraopresente os objetivosmeesvaziam dopresente.” AiltonAmélio, psiquiatraeescritor “Questiono a mim mesmo com algumas perguntas como: “É isso mesmo que eu quero para a minha vida?”; “Eu continuo querendo realizar esse sonho, ou tudo foi apenas ‘fogo de palha’?”; “Realizar esse sonho vai me tornar mais feliz e vai ajudar as pessoas que eu amo a serem mais felizes?”; “Existe algum outro sonho que eu quero realizar e que tem a tudo a ver com estes meus sonhos atuais?”; “O caminho que estou trilhando me levará à realização do meu sonho?”. Procuro pensar, sentir e questionar, para ver se não estou pegando um desvio no meio do meu caminho. Se for o caso, procuro corrigir a rota. O segundo passo é reforçar em meu coração a crença de que realmente posso realizar esses sonhos. Procuro lembrar-me de tudo o que já realizei e entrar em contato com minha capacidade de realização. Depois, procuro me deliciar com a ideia de realizá-los. A próxima etapa é orar e entrar em contato com o divino. Pedir forças e coragem para realizar o que é preciso realizar, serenidade para aceitar aquilo que está fora do meu alcance mudar, e sabedoria para saber a diferença entre uma situação e outra. Finalmente, agradeço pela ajuda e inspiração divinas, que tenho certeza que virão, e então me ponho em ação” Gilberto Cabeggi, coach editorial e escritor “Eu me sinto realizada com a vida que construí, tanto no nível pessoal quanto no profissional. Em ambos, foram muitas histórias de superação e longo o caminho percorrido. No nível profissional, tive de ir contra padrões e preconceitos para abandonar meu curso de medicina numa das faculdades mais cobiçadas do Brasil (USP) e buscar meu sonho: estudar literatura e psicologia. Aprendi, com esta experiência, que vale a pena lutar pelo que enche de alegria os nossos dias. Mergulhei nos estudos, buscando conhecimento e capacitação para realizar um trabalho digno, do qual pudesse me orgulhar. Cursei duas faculdades, fiz mestrado, doutorado e pós-doutorado. Escrevi livros, artigos científicos e não científicos, crônicas, poemas. Muito estudo, renúncia e dedicação. Do ponto de vista pessoal, sinto-me feliz com a família que constituí, pois é alicerçada no verdadeiro amor e partilha do dom da vida. Vejo que a minha espiritualidade sempre me fortaleceu: é nos ensinamentos da Bíblia, na oração e no amor da família e dos amigos que encontro forças para persistir quando cansada; e respostas, quando angustiada. Pela fé, procuro aprender o desapego das coisas que passam para me focar nas que não passam. Vejo a vida como uma rápida viagem pela Terra, rumo à Eternidade. Atualmente, esse tem sido o sonho que mais gosto de sonhar. Ele me anima, ele me aproxima de Deus, de mim e dos que me cercam” Vera Márcia Paráboli Milanesi, psicóloga clínica Folha Press/Divulgação Edvaldo Santos 12/6/2009 Divulgação Sergio Isso16/7/2013 6 / São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 DIÁRIO DA REGIÃO
  • 7. “Ser feliz comigo mesmo é o primeiro passo para realizar meus sonhos. E para isso, eu me apego muito à religião. Todos os dias, ao acordar, eu agradeço pela vida, e peço sabedoria e paciência para encarar os desafios que aparecem ao longo do dia. São muitas coisas para administrar e preciso ter calma para entendê-las e realizar o que preciso. Desta forma, eu consigo realizar meus sonhos. Eu sou um homem realizado, por ter uma família maravilhosa e meus próprios negócios. E tento melhorar todos os dias, em todos os sentidos” Paulo Emílio, empresário e presidente do Country Bulls “Tudo o que intentei na vida até o momento, busquei as oportunidades disponíveis para realizar. Uma profissão que amo, me dá prazer, razão e sentido de existir. Uma boa relação familiar, fonte de amparo e proteção emocional. Verdadeiros e bons amigos, alegria e descontração até em meio às tempestades da vida. A liberdade de ir e vir para onde e quando desejar, o que me exige renúncias das quais jamais me arrependo. Por fim, a capacidade de amar e manter laços afetivos sem amarras ou contenções, a convicção da solteirice. Em todas as épocas de minha vida, quando não há nada que possa amparar meus sonhos e minhas decisões, eu crio os meios, ergo escadas, construo pontes. Sempre acreditei, mesmo quando todos duvidavam. Cheguei sempre onde minha alma desejou estar e minha mente trabalhou para tanto. Porém, não me basta chegar. Sinto necessidade de prosseguir, sempre. Ir adiante. Avançar é preciso para me sentir viva e me empolgar. O sonho atual? Planejo me aposentar aos 65 anos, ter uma renda que garanta meu sustento com dignidade e me dedicar à arte de escrever. O que faço para isso? Uma previdência privada, cuidados com a saúde, muito estudo, leitura de grandes e bons autores. Considero a hipótese de fazer algum desvio nesse trajeto” Mara Lúcia Madureira, psicóloga cognitivo-comportamental “Meus maiores sonhos são minha carreira profissional: ser executiva de uma grande empresa corporativa. O que fiz para isso? Estudei, me dediquei, me qualifique. Faculdade, pós-graduação, cursos, especializações, além de intercâmbio fora do país e empregos em grandes centros como São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Preto. Também tive experiência de atuar em empresas líderes no mercado. Meu sonho pessoal era ser mãe, o maior sonho da minha vida, um sonho pra vida toda. Sinto uma alegria grande por esta escolha, agradeço todos os dias poder olhar para o meu filho, hoje com 14 anos de idade. Este sonho ainda está em construção, sempre pra frente” Carla Grama, executiva de marketing Fotos: Divulgação “Desde os meus 14 anos, trabalho com três frentes muito claras: propósito de vida, objetivos e metas e planos de ação. Propósito de vida é aquilo que me move, coisas que me realizam, aquilo que vai fazer com que eu tenha um orgulho danado quando olhar para trás. Isso vale para questões de realização profissional (carreira), formação e também questões materiais. Na vida real, tenho alguns papéis: o eu pessoal, o eu profissional (carreira e trabalho), o eu autor, o eu conhecimento, o eu-família (marido e pai) e o eu material. Diante disso, estabeleço em cada um dos papéis onde quero chegar. O que eu vou fazer para chegar no fim do ano feliz e realizado. Aí coloco o objetivo. Para ficar mais perto da minha esposa, coloco que a cada dois meses vamos tirar um final de semana e escapar para um hotel fazenda, coloco isso na minha agenda, bloqueio dois ou três dias, e é um final de semana para o meu papel de pai e marido. Eu me organizo de um jeito que não deixo que meu dia a dia tome minha agenda e eu não tenha tempo para as coisas que realmente são importantes na minha vida” Anderson Cavalcante, escritor I Divulgação Divulgação Guilherme Baffi 3/4/2011 DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 / 7
  • 8. Pessoas criativas predispõem a mente a descobrir o novo. Aprenda como desenvolver essa habilidade Gisele Bortoleto gisele.bortoleto@diarioweb.com.br A imaginação fornece ao ser humano mecanismos para a ma- nipulação da realidade e dos elementos que a compõem. E é, certamente, uma ferramenta fundamental na criatividade e no produto criativo. O físico alemão Albert Eins- tein (1879-1955) afirmou: “A imaginação é mais importante que o conhecimento”, referin- do-se à limitação do conheci- mento científico, enquanto de- clarava que a imaginação seria um território ilimitado. Mas será que a utilidade da imaginação se resume a uma ferramenta de manipulação mental da realidade? “Atualmente, a neurologia verificou que, mediante a per- cepção direta ou a imaginação, as zonas do cérebro ativadas são as mesmas. Isto é: o cérebro não consegue distinguir o que é real ou o que é imaginado, pois processa de igual forma”, diz o psicólogo português Jorge Elói, fundador e criador do Es- paço Psicologia Free. Prova dis- so é o fato de que, em muitos so- nhos, só constatamos que está- vamos sonhando depois de acordar. A principal diferença entre os sonhos e a imaginação é que a imaginação são construções conscientes e voluntárias da realidade, enquanto os sonhos são construções inconscientes e involuntárias. A imaginação é útil para modificar ou ressignificar me- mórias, diz Elói, mas essa fun- ção depende essencialmente da personalidade da pessoa. Pois pessimistas, tristes ou deprimi- dos tendem a tornar as memó- rias más ainda piores e relativi- zar as boas, quando deveria ser o contrário. “Não é errado dizer que tu- do o que existe de concreto no mundo e foi feito pelo homem é fruto direto da imaginação hu- mana”, disse o escritor, profes- sor e conferencista Eugenio Mussak, especialista nas áreas de liderança e desenvolvimen- to humano e profissional. Sem a imaginação, a arte se- ria manca e monótona, a ciên- cia seria primitiva e pequena, e até as relações humanas seriam primitivas e insatisfatórias. “Se é que as coisas existiriam”, complementa. E vai além: “Imaginar é usar a faculdade mental de criar imagens com as quais não se teve uma experiên- cia direta. E isso tem uma imen- sa virtude. A de gerar a energia necessária para que a transfor- mação da imagem mental em al- go real aconteça”, garante. Essa habilidade nos liberta do real, nos leva para fora das normas e de tudo aquilo que é aceito pela nossa sociedade. Is- so significa que o ato de imagi- nar é bem mais do que ver um objeto ou situação de maneira diferente. É uma predisposição da mente para almejar alguma coisa que ainda não tenha vis- to, que a transporta para uma realidade paralela, aquela em que se vive ou até mesmo pa- ra prever situações que supo- mos que vamos vivenciar. É através da imaginação que po- demos alcançar alguns dos nossos desejos e idealizar no- vos desejos. Podemos ver aquilo que nunca foi visto por ninguém e descobrir um novo mundo. O poder da imaginação Autoconhecimento StockImages/Divulgação 8 / São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 DIÁRIO DA REGIÃO
  • 9. 1º SEJA CURIOSO Leonardo da Vinci tinha sempre um caderno em mãos. Assim, podia escrever as ideias que brotavam na cabeça. Alimente sua criatividade: ande com um bloquinho na bolsa ou faça notas no celular. A ordem é não se limitar: escreva o que quiser, sem a necessidade de manter uma ordem lógica 2º FAÇA CONEXÕES ENTRE SUAS IDEIAS Crie links entre itens e assuntos diferentes. Por exemplo, use a imaginação e estabeleça conexões para cada dupla: uma folha de carvalho e uma mão. Matemática e a Última Ceia. Uma risada e um nó 3º USE O CÉREBRO POR COMPLETO Balanceie seu modo de pensar fazendo um mapeamento da sua mente. O objetivo é unir o racional ao emocional. Os cadernos de Leonardo da Vinci eram cheios de desenhos detalhados - com palavras, pensamentos e gravuras interligados. Para criar seus mapas, tenha canetas coloridas, papel e um tópico (um problema ou um objetivo). Coloque no centro do papel uma figura que represente seu ponto principal. Escreva palavras-chave e conecte-as com linhas à imagem central - cores, desenhos e códigos dão mais ênfase ao mapa 4º CONVIVA COM A AMBIGUIDADE Você consegue sentir-se confortável mesmo sem ter certeza absoluta de um fato? Dê uma nota de 1 a 10 a si mesmo - sendo que 1 representa a necessidade pela certeza a todo momento. Descubra o que você pode fazer para subir um ponto nessa escala. Pode ser simplesmente ouvir e confiar mais em sua intuição 5º DESAFIE SEU CONHECIMENTO Quais foram suas experiências mais marcantes? Faça uma lista com sete delas e, ao lado, escreva uma frase que resuma o que você aprendeu em cada situação e como usa as lições no dia a dia. Então, pergunte a si mesmo se as conclusões às quais você chegou naquela época mudaram. Deixe que os pensamentos perturbem sua mente e reflita durante um dia ou dois 6º AGUCE SEUS SENTIDOS Estimule sua consciência a ser mais sinestésica ao ouvir música: enquanto sua playlist favorita toca, expresse em folhas de papel suas impressões e sentimentos sobre o que escuta, desenhando e pintando. Abuse de formas e cores 7º CUIDE DO CORPO Siga o conselho de Leonardo da Vinci: “Mantenha sua mente focada em pensamentos alegres. Exercite-se moderadamente. Só coma quando estiver com fome e em pequenas quantidades. Mastigue bem. Cuidado com a raiva. E vá ao banheiro regularmente” Extraído do livro “Da Vinci Decodificado” (ed. Bertrand Brasil), de Michael J. Gelb Sete dicas para estimular a mente “Ninguém sabe, mas, por se tratar de uma operação complexa, seguramente deve utilizar diferentes áreas do córtex cerebral, onde estão guardadas as memórias, porque a imaginação se baseia em conhecimentos que o cérebro já tem”, explica o neurocientista Ivan Izquierdo, especialista nos mecanismos da memória Pense fora da ‘caixa’ De onde vem a imaginação? A imaginação é descrita comosextaleidotriunfope- lo norte-americano Napo- leon Hill (1883-1970), no li- vro “A Lei do Triunfo” (ed. José Olympio). Por 20 anos, Hill pesquisou sobre as 6 mil pessoas mais ricas e po- derosas do mundo e desco- briu o que elas tinham em comum. Hill não só as estu- dou, como também entre- vistou pessoalmente cente- nas delas, incluindo nomes como Thomas Edson, Graham Bell, George East- man, Henry Ford, John Rockfeller, Theodore Roosevelt e Woodrow Wilson. O que ele con- cluiu? Que essas pessoas pensavam fora da caixa. Boa parte desses ho- mens precisou usar a ima- ginação para pensar em um negócio que não exis- tia, para criar uma solu- ção na qual ninguém pen- sou antes, para desenvol- ver coisas novas. Existe uma série de téc- nicas para desenvolver a imaginação e a criatividade, mas o ponto principal para NapoleonHillévocêforçar- se a mudar suas rotinas de ações e pensamentos e não ter receio de experimentar coisas novas. O ser humano possui um poder ilimitado, que é sua capacidade de imagina- ção. Quando imaginamos, nos transportamos para uma dimensão que vai além do que é material ou físico. “Imaginar significa visuali- zar, sentir o que aparente- mente esta invisível. É vis- lumbrar algo futuro com a certeza e a realidade do pre- sente, tomando como lição experiências do passado”, disse no livro “O Poder da Imaginação - Você progra- ma a sua vida” (ed. Leitura) o cardiologista Lair Ribei- ro. “Somos frutos da nossa própriaimaginação.Somoso resultado de nossos próprios pensamentos. Criar o futuro envolveprojetarnossamente para aquilo que queremos”, escreveu. I (GB) DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 / 9
  • 10. Manter e cultivar amigos é como cuidar de uma planta: precisa regar, conversar, de afagos... e, de vez em quando, também de algumas podas Gisele Bortoleto gisele.bortoleto@diariodaregiao.com.br Amigos na vida terrena são almas que um dia se encontraram no paraíso, diz um antigo provér- bio da cabala. E eles são vitais em nossa vida. Não podemos viver sem amigos, por diferentes razões. A amizade melhora nosso bem-estar físi- co, mental e espiritual. Bons relacionamentos contribuem para manter a saúde e ainda curam as depressões. “A amizade, tal como é no fundo e em sua sin- geleza, equivale ao afeto, que, nascendo no cora- ção dos seres humanos, emancipa-se de toda mesquinhez e interesse, enaltecendo e enobre- cendo o pensamento e o sentimento dos ho- mens”, disse Carlos Bernardo Gonzalés, o cria- dor da logosofia. Não se poderia conceber a amizade se ela não fosse presidida pelo ternário simpatia-confian- ça-respeito, indispensável para nutrir o sen- tir que a constitui. “Ela é o grande ponto de apoio sobre o qual se concentram as maiores esperanças do mundo. É pelo signo da amiza- de que se unem os homens, os povos e as ra- ças, e é sob seus auspícios que há de haver paz na Terra”, afirma. Mas como nascem as amizades, afinal? Ao longo da vida, nós nos aproximamos de pes- soas e nos afastamos de outras. Nosso círculo de amigos dificilmente se mantém o mesmo - mas seu padrão, esse sim, permanece. Por exemplo: se você tinha dois amigos próximos no ensino médio e uma turma maior com cin- co ou seis pessoas, é provável que esse padrão se repita depois, na faculdade, e também na vida adulta, embora não necessariamente com os mesmos amigos. Pesquisadores da Aalto University School of Science, na Finlândia, monitoraram dados de celulares de adolescentes britânicos desde o colegial até sua entrada na universidade. A ideia era analisar quantas relações próximas eles mantinham. O estudo mostrou que as pessoas têm “assinaturas” ou “padrões de inti- midade” com as outras, e isso costuma ser mantido ao longo da vida. O cientista da computação Jari Saramaki, que estuda redes sociais, diz que a maioria das pessoas mantém um pequeno número de relacionamentos próximos. Manter relações próximas é essencial para o nosso bem-estar, mas isso tem um custo - tempo pessoal, de traba- lho e outros relacionamentos. Por isso, as dife- renças individuais refletem como as pessoas li- dam com recursos finitos de tempo, comunica- ção e investimento emocional para sustentar as relações. “A amizade é um sentimento, uma atitude baseada ou construí- da a partir dos alicerces da lealda- de”, diz o psicólogo rio-pretense Hu- go Ramón Barbosa Oddone, gestalt-te- rapeuta de casal e famílias. SER GREGÁRIO O conceito de amizade acompanha o ser humano desde os primórdios. Antiga discussão filosófica é sobre a natureza selva- gem/solitária ou gregária do homem. Os defen- sores da amizade acreditam, e Oddone também, que há uma natureza gregária do homem, algo no nosso inconsciente, que sempre vai levar à aceitação, à compaixão, à bondade e à receptivi- dade pacífica e amistosa. Em outras palavras: nosso inconsciente é naturalmente bom. E pode- mos, em sã consciência, confiar nos desígnios do nosso inconsciente. “A amizade, neste sentido, só pode vir da experiência do cotidia- no de cada ser huma- no em to- dos os tempos, é al- go arque- típico, mítico. As- sim, aprendemos secularmente a va- lorizar a amizade como um bem su- premo conquistado”, explica. Pesquisas mostram que a amizade é capaz de transformar uma sociedade, mudar trajetó- rias, encorajar decisões e iluminar pensamentos. A mídia e os novos costumes estão atualizando antigos conhecimentos e certezas. “A amizade, sim, é capaz de transformar uma sociedade, levando pessoas a mudar tra- jetórias, encorajando decisões, empurrando ou segurando-as nos momentos decisivos, transmutando emoções, diluindo sentimen- tos, enfim, iluminando pensamentos”, completa Oddone. Em nossas histórias pessoais, pode- mos encontrar inúmeros exemplos de como atitudes de amigos nos levaram a grandes mudanças, enobrecendo ações, resgatando-nos e, muitas ve- zes, mostrando para nós aquela “luzinha” no fim do túnel. Ce- do ou tarde, a energia da amizade tende a vencer no nível pessoal, interpessoal, no campo social e político. Relacionamento CULTIVE AMIZADES 10 / São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 DIÁRIO DA REGIÃO
  • 11. Verifique qual é o motivo da reunião de amigos. Seria um encontro com “amigos” ou, por exemplo, um encontro de amigos para “beber”? É fácil perceber isso. Pergunte-se quantos momentos você tem com seus amigos sem que haja necessidade da cerveja, do cigarro ou daquela droga que corre pelo grupo. Você poderá se surpreender - Essa é clássica, mas vale por duas: escolha estar sempre perto de pessoas que te acrescentem algo, não que te subtraiam. Pessoas que drenam energia, dinheiro, te enchem de problemas e compartilham apenas vícios não são amigas, por mais que você queira usá-las como justificativa para continuar mergulhado em suas dependências. Faça uma boa reflexão em relação ao seu grupo e, se necessário, inicie uma reciclagem. Amigos devem ser sustentáveis, não insustentáveis Fonte: Alexandre Caprio, psicólogo Pare e reflita Laços e afinidades “Não seria ousado afir- mar que a amizade é um dos poucos valores de es- sência superior que ainda restam no homem, que o elevam e dignificam, tor- nando-o generoso e huma- nitário”, escreveu Carlos Bernardo Gonzalés. Amigos são pessoas fun- damentais na composição das redes de apoio psicosso- cial de uma pessoa. A escas- sez de amigos representa fa- lha no funcionamento nor- mal da personalidade, pobre- za na capacidade de estabele- cer e manter relações afeti- vas e de intimidade. “Amigos são pessoas com as quais estabelece- mos laços por afinidades. Indivíduos que, por suas características pessoais, nos inspiram confiança e desejo de aproximação e vínculo”, diz a psicóloga cognitivo-comportamental Mara Lúcia Madureira. Relações de amizade são fundamentais para o desen- volvimento psicossocial sau- dável. A escolha das amiza- des, ressalta, é feita a partir da identificação de compor- tamentos e interesses afins. “Não existem relações desin- teressadas. As verdadeiras amizades são representadas por vínculos afetivos, senti- mentos de apreço, estima e valorização da outra pessoa, estabelecidos a partir do re- conhecimento das vanta- gens e benefícios dessas rela- ções, especialmente a sensa- ção de amparo, companhei- rismo, interação, aquisição de conhecimento, comparti- lhamento dos conflitos emo- cionais e ampliação das ideias”, explica Mara. No contexto de normalidade, o ser humano aceita e obedece ao seu espírito gregário para obter vantagens competiti- vas em termos de sobrevivên- cia individual e evolução da espécie. Ao associar-se a ou- tras pessoas, o grupo se forta- lece e o indivíduo amplia sua segurança, seu senso de proteção e de sujeito perten- cente a um grupo. Para o neurocientista Ivan Izquierdo, professor da PUC do Rio Grande do Sul, os efeitos que a amizade pro- voca no cérebro são imen- sos, já que esses vínculos esti- mulam diversas áreas, princi- palmente o córtex frontal e o hipocampo. A neurocientista Suzana Herculano Huzel, professo- ra do Instituto de Ciências Biomédicas da Universida- de Federal do Rio de Janei- ro, diz que a amizade é uma das grandes forças que o ser humano conta para lidar com os vários problemas do mundo. “Qualquer proble- ma que nosso cérebro consi- dere como estresse, fica mais tranquilo quando sabemos que podemos contar com a ajuda de uma pessoa queri- da”, diz. A neurociência moderna tem descoberto que gestos de carinho como beijo e abra- ço têm efeito direto sobre o cérebro, que produz uma sé- rie de substâncias com ação calmante e que permitem que nos tornemos mais cari- nhosos também. Receber ca- rinho faz com que baixemos a guarda, fiquemos mais re- ceptivos, mais dispostos a nos aproximar das pessoas. Isso significa, segundo Suza- na, que a amizade pode ser uma fonte de prazer e de saú- de para o cérebro. (GB) DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 / 11
  • 12. Amigos fortalecem saúde física e mental De acordo com a Organiza- ção Mundial de Saúde (OMS), saúde é o bem-estar físico, men- tal e social. A princípio, é fácil compreender a relevância da saúde física, assim como tam- bém não é difícil notar os pre- juízos que uma mente perturba- da gera, não só para si, mas tam- bém para outras pessoas. O que causa estranheza é o peso da es- fera social dentro desse equilí- brio. “Tudo o que nós somos tem a ver com os outros”, diz o psicólogo cognitivo-comporta- mental Alexandre Caprio. Trabalhamos para os ou- tros, nos relacionamos com os outros, temos nomes e núme- ros de celulares para sermos identificados e chamados pelos outros. “O homem é um ser dualista, ou seja, não sobrevive e sequer possui identidade sem um segundo membro de sua es- pécie”, diz ainda. O isolamento, como pode ser verificado na história da hu- manidade, desestabiliza a men- te e, esta, por sua vez, destrói o corpo. Quando a OMS diz “so- cial”, não quer dizer “profissio- nal”. São palavras diferentes, com conceitos diferentes e luga- res diferentes no dicionário. Pa- ra muitas pessoas, ir do traba- lho para casa e de casa para o trabalho é uma rotina que con- some a maior parte de sua exis- tência. Limitar-se a um relacio- namento afetivo sem envolvi- mento social também torna a relação claustrofóbica com o passar dos anos e, cedo ou tar- de, ela também se desestrutura. Toda essa lógica nos faz compreender que a amizade é mais do que importante. Ela é, na verdade, crucial para a ma- nutenção da saúde. “O amigo é aquele que tem intimidade sufi- ciente para dar a você o ‘feedba- ck’ (retorno) necessário para ve- rificar se seus pensamentos, emoções e comportamentos não estão desalinhados”, expli- ca Caprio. Sem o apoio e fran- queza de um amigo, temos faci- lidade de cair em um universo particular onde nos distancia- mos cada vez mais da realida- de. Excentricidade, pensamen- tos persecutórios, ansiedade e depressão são alguns riscos. Os dois últimos são responsáveis por centenas de milhares de ca- sos de invalidez e morte. Não ter amigos, compromete seria- mente o humor, pode aumen- tar o número de manias e tor- nar a vida comunitária e profis- sional cada vez mais difícil. Os constantes estímulos provenientes de conversas, de- bates, histórias, discussões, pia- das e convívio exercitam dife- rentes áreas cerebrais, além do bom senso. Quem troca expe- riências através de amizades possui uma visão mais clara e mais habilidades para lidar com as situações, diferentemen- te de um indivíduo que só pode contar com seus próprios reper- tórios. Também acaba perce- bendo mais oportunidades e re- cebendo mais ofertas de traba- lho do que aqueles que se fe- cham dentro de casa. “As portas se abrem para quem é agradável, confiável e colaborativo à medida que se fe- cham para aqueles que rara- mente se revelam aos outros ou que surgem timidamente no es- critório com a cara fechada”, complementa Caprio. Por con- ta disso, também podemos afir- mar que a amizade tem relação íntima com o sucesso e a carrei- ra profissional, o que ajuda a aliviar inúmeros pontos de pressão da vida. A amizade nos deixa mais leves, menos preocu- pados e mais felizes. I (GB) Amizades sinceras Como fazemos para identifi- car uma verdadeira amizade? “Têm dois botões para testá-la e identificá-la: um botão que fi- ca dentro, no interior das pes- soas, e um outro botão que fica fora, ou seja, no interior do su- posto amigo”, explica o gestalt- terapeuta Hugo Oddone. O bo- tão que está dentro de nós é a condição de confiabilidade que oferecemos nessa amizade. De- pende só de nós. É confiar ou confiar. O botão que está no outro se chama paciência, perseveran- ça, com a gente, com as nossas inseguranças e desconfianças. Realmente, a amizade, como tu- do na vida, precisa passar por várias provações. Assim, amigo é aquele que fala, sem rodeios, as verdades que não queremos aceitar, e ao mesmo tempo é aquele que nos poupa de tudo para preservar nosso bem-estar. “Jamais a amizade pode in- fluenciar de maneira negativa. Se por acaso ela se posiciona abertamente para influenciar decisões aparentemente negati- vas pode ser um bom motivo para desconsiderá-la, pois a amizade é cautelosa”, recomen- da Oddone. Mas essa decisão de desconsiderá-la é extrema- mente pessoal. Manter e culti- var uma amizade é como cui- dar de uma planta, precisa re- gar, conversar, de afagos. E tam- bém de podas. (GB) 12 / São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 DIÁRIO DA REGIÃO
  • 13. A diabetes tipo 1 é uma das doenças endócrinas e metabólicas mais comuns na infância Mariana Corradi Nutricionista e personal diet Temida como uma das cin- co maiores causas de morte no planeta, a diabetes acomete ho- je cerca de 370 milhões de pes- soas em todo mundo. A mais comum é a diabetes tipo 2, pro- vocada principalmente pela obesidade e por um estilo de vi- da desregrado. Segundo um estudo da Fe- deração Internacional de Dia- betes, em média, 78 mil crian- ças de até 15 anos desenvolvam a diabetes todos os anos. Des- tas, 25% são diagnosticadas quando já se encontram em es- tado avançado da doença. Esses dados nos chamam a atenção para medidas emergen- ciais de prevenção e controle da doença. O primeiro passo, tanto para os profissionais da saúde quanto para os pais, é fi- car atento aos sintomas que a criança e o adolescente apresen- tam. Sentir muita sede, ir vá- rias vezes ao banheiro para uri- nar, manchas marrons pelo cor- po e, principalmente, o sobrepe- so, são sinais de alerta. Normalmente, os pais têm o costume de ignorar esses fa- tos e acreditarem que, no caso do sobrepeso, com o passar dos anos a criança cresce e emagrece. Porém, não é tão simples assim. Os jovens estão cada vez mais sedentários e com uma alimentação desequi- librada, consumindo uma imensa variedade de itens in- dustrializados, gordurosos e de baixa qualidade. Outro sério problema é a fal- ta de informação. Muitas pes- soas ainda não sabem como sur- ge, como prevenir e como con- trolar a diabetes. Todos os alimentos que con- sumimos são transformados em açúcar pelo organismo. Por isso, a insulina ajuda no trans- porte do açúcar do sangue para as células do corpo, onde será usado como energia. Quando surge a diabetes, o corpo para de produzir insulina, ou não produz o suficiente, ou a insuli- na produzida não funciona ade- quadamente, pois a doença au- menta a quantidade de açúcar no sangue, afetando todos os ór- gãos do corpo. Neste caso, a ali- mentação e o estilo de vida, po- dem fazer toda diferença para prevenir e, principalmente, controlar a doença. Alguns alimentos são essen- ciais para os pacientes com dia- betes, e precisam estar sempre no cardápio de toda a família, principalmente das crianças. Os peixes ricos em ômega 3 (salmão, sardinha, atum, aren- que), a cebola, os alimentos ri- cos em cromo (brócolis, espi- nafre, ovo, grãos integrais), os alimentos ricos em vitami- na B6 (gérmen de trigo, bana- na menos madura, nozes, pi- mentão, repolho e couve) são importantes na regulação do açúcar no sangue. O feijão não pode faltar, pois as fibras solúveis presentes nele aju- dam a reduzir a glicose no sangue, assim como o trigli- cerídeo e o colesterol. As ver- duras e frutas em geral, que são ricas em antioxidantes e vitaminas, protegem as arté- rias e consequentemente, o coração. O acompanhamento nutri- cional é parte fundamental no cuidado da doença e, embora se- ja um aspecto essencial para o sucesso do tratamento, repre- senta um grande desafio, prin- cipalmente porque deve envol- ver mudanças nos hábitos ali- mentares de toda família. I Infância açucarada Stock Images/Divulgação Hamilton Pavam DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 / 13
  • 14. Depois de Portugal, Paolla Oliveira vai para Angola divulgar “Amor à Vida” Agência Estado A atriz Paolla Olveira revela que ain- da está vivenciando as aventuras de Pa- loma, a mocinha de “Amor à Vida”, no- vela da Globo que acabou no dia 31 de janeiro. É que ela está fazendo a divulga- ção internacional da trama. Paolla aca- ba de chegar de Portugal, onde represen- tou o elenco do folhetim em uma impor- tante premiação da televisão portugue- sa, o “XIX Gala Globos de Ouro”. Mal- vino Salvador também viajou com ela na última semana de maio. Agora, Pao- la vai fazer a divulgação da novela em Angola, na África. “Desde ‘Belíssima’ (2005), sinto o ca- rinho do público português. Mas, desta vez, foi uma recepção grandiosa. Eu era muito parada nas ruas, e o mais curioso é que eu era reconhecida pela voz, pois meu visual mudou. Eles falam da nove- la como um todo. É o tipo de assédio que a gente acha sensacional, porque é de quem gostado nosso trabalho.” Paolla não deve voltar à TV neste ano. “Parece que foi ontem que saí da novela, porque ainda estou envolvida com isso. Se a gente não emenda uma trama em outra, esse intervalo para vol- tar pode ser maior”, diz Paolla, que es- tá estudando um projeto de teatro e também tem outros trabalhos para se- rem lançados. O primeiro deles é a estreia de “Trinta”, longa-metragem sobre a vida do carnavalesco Joãosinho Trinta (1933-2011). No filme, ela é Zeni, mu- lher do mestre do biografado, Fernan- do Pamplona. “É difícil fazer uma per- sonagem que existe, mas foi muito gos- toso conhecê-la e ouvir divertidas his- tórias. A Zeni observa o que se passa. Ela teve uma relação quase familiar com o Joãosinho.” Joãosinho Trinta é interpretado por Matheus Nachtergaele. A produção con- ta a história do primeiro desfile de Joãosinho no posto de carnavalesco da escola de samba carioca Salgueiro, em 1974. O lançamento está previsto para dia 23 de outubro. E em outubro também será lançado no Brasil o clássico “A Bela e a Fera”, que ganhou uma nova versão, com ato- res reais franceses. Paolla dubla a prin- cesa. “Foi incrível. É a primeira vez que faço isso. É diferente para o ator dublar, porque tive de colocar a emoção de uma outra forma”, comenta. Boa forma Em meio às viagens profissionais, Paolla afirma que o segredo da boa forma está ligado em primeiro lugar ao que se come. “Ao longo do tempo você aprende a comer melhor. Hoje em dia, não tenho mais acompanha- mento nutricional, mas não cometo os excessos de antes.” A beldade, que diz ter facilidade para engordar, conta que faz exercí- cios no mínimo três vezes por sema- na. “Na viagem para Lisboa, a malha- ção não foi deixada de lado. Trinta minutos de corrida por dia faz a dife- rença. Sou a prova viva de que isso mantém a forma e te deixa muito mais feliz”, finaliza. I Embaixadora de novela Globo Divulgação TV - 14 / São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 DIÁRIO DA REGIÃO
  • 15. TRAMA INÉDITA Estáprevistaparaagostoaestreiade“PlanoAlto”,próxi- masériedaRecord.Paraisso, aproduçãoestátrabalhan- do intensamente e já tem o elenco praticamente fecha- do. Vitor Fasano, Flávia Monteiro, Jussara Freire, Da- nielaGallieAndré Ramiro sãoalguns dosnomes aguar- dados na trama assinada por Marcílio Moraes. TRAMA INÉDITA 2 Ambientada em um universo político, a produção abordará as recentes manifestações pelo país, o que deve incluir os “black blocs”. Outros nomes que completam o elenco são os de Gracindo Jr., Milhem Cortaz, Ester Góes, Carla Diaz, Juliana Xavier, Fran- cisca Queiroz, Juan Alba, Paulo Gorgulho, Floriano Peixoto, Janaína Ávila, Giuseppe Oristânio e Babi Xaxier. SUCESSO TARDIO A torcida em torno do romance entre Clara (Giovan- na Antonelli) e Marina (Tainá Müller), na novela “Em Família” (Globo), já tomou as redes sociais. Frequentemente, o “movimento Clarina”, termo que une as sílabas dos nomes de ambas, fica entre os termos mais comentados do Twitter. Isso lembra o “Clanessa”, feito para Clara e Vanessa na edição mais recente do “BBB”. QUERIDA Susana Vieira, longe das novelas desde “Amor à Vi- da” (Globo), que terminou no início deste ano, pode voltar à TV em breve. Dizem nos bastidores que o escritor João Emanuel Carneiro quer vê-la traba- lhando em alguma novela dele. Caso isso ocorra, a loira deve voltar no próximo ano, quando o autor es- trear sua próxima trama das 21h. QUERIDA 2 Por sinal, o novo folhetim do autor tem um nome bastante conhecido no elenco: Cacau Protásio, que estourou na TV como a Zezé de “Avenida Brasil” (Globo). A atriz esteve recentemente no elenco de “Joia Rara” (Globo), na qual interpretou Lindinha. A direção fica a cargo de Amora Mautner. MÚLTIPLAS FUNÇÕES Elogiada na bancada do humorístico “CQC” (Band), Dani Calabresa está na mira de canais pagos para estrelar séries e programas. No entanto, nenhu- ma atração nova foi confirmada e divulgada aberta- mente. Enquanto isso,ela se prepara para lançar nos cinemas a comédia “A Esperança é a Última que Morre”, ao lado de Katiuscia Canoro. REPETECO Longe das novelas desde “Salve Jorge” (2012), Totia Meirelles deve viver uma médica na novela que Da- niel Ortiz escreve para o horário das 19h, na Globo. Vale lembrar que, em 2009, a atriz também fez uma personagem ligada à saúde. No folhetim “Caminho das Índias”, ela interpretou Aída, psicóloga que tra- balhava com o psiquiatra Castanho (Stênio Garcia). NOVA OPORTUNIDADE Após anunciar que estará ao lado do eterno parceiro Dedé Santana no teatro, em um musical que adapta- rá o filme “Os Saltimbancos Trapalhões” (1981), Re- nato Aragão deve agora apresentar um projeto à Glo- bo. Trata-se de uma série com 13 capítulos que po- dem ser exibidos em temporadas. TURMA MISTA Intitulada “Malhação - Sonhos”, a nova temporada da novela “teen” será lançada logo depois da Copa do Mundo. Além de veteranos como Mário Frias, Danielle Suzuki, Felipe Camargo, Emanuelle Araú- jo, Eriberto Leão, Guilherme Piva e Patrícia Fran- ça, o programa contará com os jovens Arthur Aguiar, Bruna Hamú e Ycaro Tavares. LIVRO NA TV A escritora J.K. Rowling, de “Harry Potter”, está de olho agora na TV. Seu mais recente livro, “Morte Súbi- ta” (ed. Nova Fronteira), será adaptado para minissérie numaparceriapelaBBCeHBO.Entresetembroeoutu- bro, terão início os preparativos. Michael Gambon, Rory Kinnear e Abigail Lawrie estão no elenco. MAIS GRINGOS A série da Netflix com direção do brasileiro José Pa- dilha (“Tropa de Elite”), “Narcos”, ganhou mais um nome para o elenco: Boyd Holbrook (“Hatfields & McCoys”). De acordo com a imprensa norte-ameri- cana, ele será Steve Murphy, um agente da divisão de narcóticos da polícia federal nos EUA. Wagner Moura viverá o protagonista: Pablo Escobar. TODOS QUEREM Depois que Luiz Bacci deixou a apresentação do “Balanço Geral” (Record) para ganhar dois progra- mas na Band,sua vaga tem sido tema de discussões entre profissionais de TV. Vários candidatos ao pos- to já foram cogitados na mídia. Enquanto isso, o jor- nalista Reinaldo Gottino segue ocupando a cargo. DO CINEMA PARA A TV A série de TV “MaddAddam” (HBO), que vai adap- tar a trilogia literária da escritora Margaret Atwood composta pelos livros “Oryx e Crake”, “O Ano do Dilúvio” (ambos da ed. Rocco) e “Ma- ddAddam” (sem tradução para o português), po- de ter direção do cineasta Darren Aronofsky (“Cisne Negro”). Em princípio, ele seria apenas produtor da atração. MAIS UM Mal estreou no Brasil, a série de terror criada por Sam Mendes e John Logan, “Penny Dreadful” (HBO), acaba de ganhar uma segunda temporada nos EUA. Desta vez, a atração terá mais episódios do que a encomenda de oito capítulos do primeiro ano. Eva Green, Timothy Dalton e Josh Hartnett es- tão no elenco. MARTELO BATIDO “Constantine” (NBC), série estrelada por Matt Ryan e baseada nas HQs do personagem homônimo, já tem data de estreia: dia 24 de outubro, nos EUA. O primeiro trailer e clipe da atração já estão circulan- do na web (http://goo.gl/zKoqcV). O roteiro revela- rá o dia a dia do personagem do título, um operário que defende a humanidade contra as forças do além. MELHOR DA TV O duelo entre as personagens de Julia Lemmertz e Bruna Marquezine na novela “Em Família” (Glo- bo). O conflito entre mãe e filha realmente chama a atenção do espectador, sobretudo pelo desempenho das atrizes. As cenas em que ambas disparam ódio, amor, rancor e muita amargura são algumas das mais atraentes no folhetim de Manoel Carlos. PIOR DA TV A ação de marketing constrangedora exibida pelo programa “Aprendiz - Celebridades” (Record). Re- centemente, Michele Birkheuer saiu do reality show após seu grupo apresentar uma sugestão de ação pro- mocional para a novela “Vitória”, lançada recente- mente pela Record. Um cartaz criado pela equipe Fê- nix dizia: “Se depois de um dia exaustivo você só pensa em descansar, não assista nossa novela”. Nin- guém entendeu nada. I Fique Ligado Agência Estado DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 / 15 - TV
  • 16. Tatá Werneck vai ser protagonista e terá Caio Castro no seu pé em nova novela Agência Estado Tatá Werneck acaba de ser escalada para viver a protagonista da trama que Alcides Nogueira e Mário Teixeira es- crevem para a Globo. A atriz, que es- treou em novelas no ano passado em “Amor à Vida”, confessa que ainda nem acredita que vai viver uma mocinha. Em “Lady Marizete”, nome provisório do folhetim que deve entrar no ar no pri- meiro semestre de 2015 na faixa das 19h, ela será uma mulher batalhadora da favela de Paraisópolis(zona sul da ca- pital paulista). Caio Castro fará o bandi- do da comunidade e terá obsessão por sua personagem. “Eunempossofalaraindasobreisso.Es- tou tão lisonjeada que, se realmente aconte- cer, tiro esse nariz”, brinca Tatá, que em suas entrevistas costuma ser mais humoris- ta do que entrevistada. “Protagonista tem aquela coisa da beleza. Aí eu pensei: ‘Como vamos conciliar?’. Mas, bom, falando sério, não esperava nada nem o sucesso da Valdi- rene. Faço tudo com muito amor e o que vem é lucro”, comenta a atriz. A trama terá direção geral de Wolf Maya e se passará em São Paulo. O princi- pal núcleo será o da favela, retratando as di- ficuldades da vida de quem cresce numam- biente como esse. A princípio Tatá vai se chamar Mari,uma jovem que fez teatro, fala inglês e trabalha como monitora de crian- ças.“LadyMarizete”teráCaioCastronopa- pel de um traficante e Nanda Costa tam- bém foi escalada para o folhetim. ‘Tudo pela audiência’ Tatá Werneck já gravou toda a pri- meira temporada de “Tudo pela Audiên- cia”, programa que estreia dia 15 de ju- lho no canal Multishow. Na atração, ela e Fábio Porchat recebem convidados e satirizam programas de TV que fazem tu- do pela audiência. A segunda temporada já está confirmada e as gravações devem acontecer ainda neste ano. “A gente estava muito livre nas grava- ções. Beijamos senhoras, colocamos anões fantasiados de Pablo e de Ellen (dubladores do quadro ‘Qual é Música?’, do SBT). Teve muito improviso e é o pro- grama de diversão que sempre quisemos fazer juntos”, diz Tatá, referindo-se à parceria com Porchat. Copa do Mundo A humorista não perde o fôlego e tem outros projetos engatilhados. O próximo é cobrir a Copa do Mundo como repór- ter do “Caldeirão do Huck”. “Meu objeti- vo é ser expulsa das coletivas. Jornalisti- camente, vou tentar entender sobre fute- bol, mas não sei se a galera vai entender o que eu entendi”, diverte-se. Questionada sobre os protestos que podem ocorrer durante o Mundial de fu- tebol, ela volta a brincar. “Só para ga- rantir, eu vou com um belo colete à prova de balas”, diz a atriz, repórter e apresentadora, que continua: “Acho que as mudanças todas que acontece- ram por causa da Copa beneficiam a gente. Pena que teve de ter uma Copa do Mundo para fazerem essas melho- rias. Mas eu não quero falar disso. Pos- so perder o emprego se falar uma bes- teira, afinal vou cobrir o evento”. Rock’n roll Tem uma vertente de Tatá ainda pou- co conhecida pelo grande público, que vai “sair do armário”. Ela lançará um CD com a sua trupe musical, a Banda Re- natinho, formada só por comediantes. “Sou eu, Murilo Couto, Maurício Meirelles, Nil Agra e Marco Gonçal- ves. O CD vai ser escroto, mas a gente leva a sério. É uma banda de rock, com letras que só nós achamos legal. Fazemos show, nos quais a gente tira a camisa, faz rodinha de porrada...”, conta a humorista. I Globo LADY MARIZETE Divulgação TV - 16 / São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 DIÁRIO DA REGIÃO
  • 17. Klebber Toledo viverá papel polêmico como amante de José Mayer em “Império” Agência Estado O ator Klebber Toledo vai estrear no horário nobre da TV Globo com um papel polêmico em “Império”, novela das nove que vai substituir “Em Famí- lia” e que vinha sendo intitulada de “Falso Brilhante”, a partir do dia 21 de julho. Ele será Leonardo, eterno candidato a ator que mantém um rela- cionamento homossexual com Cláu- dio (José Mayer), um cerimonialista bem-sucedido, casado e pai de dois fi- lhos. O caráter do personagem é bem duvidoso. Ele é um jovem bonito e manipulador. Segundo o autor da trama, Aguinal- do Silva, Leonardo faz parte do “gêne- ro” que transa com homem por interes- se e não acha que é gay Ele vê isso so- mente como um negócio. “Trabalhar com um autor como Aguinaldo Silva é uma responsabilidade imensa. Acho que o personagem traz fatores psicológi- cos, pois veio de baixo e busca um porto seguro financeiro nessa relação”, adian- ta o ator, que trabalha desde 2006 na Globo. Sua estreia foi em uma pequena participação em “Sinhá Moça” e, logo em seguida, entrou para o elenco de “Malhação”. Para Klebber, fazer um homosse- xual em uma época em que se espera avanços desses personagens é um desa- fio, mas não por ser o papel de um gay, mas por ter de mostrar um trabalho que combata o preconceito. “Qualquer rela- ção entre homossexuais deve ser encara- da de forma natural. Ainda há muito preconceito e isso é um absurdo”, diz ele, que não teme cenas de intimidade com o veterano José Mayer. O ator afir- ma que vai fazer o que for preciso e con- fiará totalmente na direção e no texto de Aguinaldo Silva. O amante de Cláudio deverá ter ca- sos com mulheres, mas em segredo. Sua principal preocupação é conseguir virar um ator de suces- so. Além disso, Leonardo quer se manter na boa vida, sendo sus- tentado pe- lo amante. A relação dos dois não será recente. Na sinopse da trama, os dois estão juntos há dez anos. Leonardo não é o primeiro homosse- xual da carreira de Klebber Toledo. Em 2009, ele fez uma participação em “Caras & Bocas” (novela que está sendo reprisada no “Vale a Pena Ver de Novo”), na pele de Sid, um estilista gay e afetado. “Observei bemostrejeitosdoscabeleireirosemaquia- dores da Globo”, confessa. Klebber nasceu em São Paulo, mas foi criado no interior do Estado. Saiu de casa com apenas 15 anos, para jogar vô- lei. Aos 17, já dava os primeiros passos rumo à arte de interpretar. Atualmente, ele tem 27 anos e namora a atriz Marina Ruy Barbosa, que também está no elen- co de “Império”. A ruiva será Maria Isis, amante do José Alfredo (Alexandre Nero), o prota- gonista da história. Globo CONTRA O PRECONCEITO Divulgação DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 / 17 - TV
  • 18. Beth Goulart fala sobre os desafios de sua personagem em “Vitória” Agência Estado Ter que se adaptar a um tra- tamento psiquiátrico forçado, vício em remédios controlados e recuperação da autoconfiança são alguns dos dramas de Clari- ce, personagem que Beth Gou- lart acaba de estrear na TV. Prestes a completar 40 anos frente às câmeras, a atriz mos- tra-se estimulada com o novo “presente” que lhe foi dado pe- la novelista de “Vitória” (Re- cord), Cristianne Fridman. “Cris botou esse nome nela em função do trabalho que eu faço no teatro com Clarice Lispec- tor (na peça ‘Simplesmente Eu, Clarice Lispector’). Foi uma homenagem à escritora, símbo- lo da feminilidade e de um mundo introspectivo.” Apesar da semelhança entre os nomes, os trabalhos são dife- rentes e a preparação da intér- prete para o folhetim não se- guiu o mesmo caminho do mo- nólogo sobre a vida da escrito- ra ucraniana, que ficou em car- taz até o fim do ano passado. Desta vez, Beth contou com uma contribuição extra: “Tive uma preparação com uma médi- ca psiquiatra para saber como funciona uma clínica. Quando a personagem é internada, os enfermeiros a dopam e eu tive de saber como isto funciona, co- mo a pessoa fica sob os efeitos desses remédios.” Há menos de um mês no ar, Clarice já demonstrou que sua vida promete sofrer algumas re- viravoltas. Depois de fugir do marido, Gregório (Antônio Grassi), com o filho, Artur (Bruno Ferrari), ela acaba sen- do internada. Isso ocorre por- que o primogênito quer o cami- nho livre para vingar-se do pai que sempre o maltratou. Nos próximos capítulos, para tentar amenizar essa rivalidade, ela re- velará ao rapaz que ele é fruto de uma relação dela com outra pessoa. “Quando ela conta isso, ele resolve desenvolver outra for- ma de vingança, dizendo: ‘En- tão eu vou me casar com minha irmã ‘, mesmo sabendo que am- bos não são irmãos de sangue”. Ao mesmo tempo, a persona- gem tem de lidar com um vício em remédios controlados que adquire na clínica. “Quando não estiver mais internada, ela vai ter problemas com alguns remédios controlados É quan- do nós vamos fazer uma denún- cia sobre os efeitos colaterais que esses remédios podem cau- sar nas pessoas”, adianta Longa trajetória Nascida no Rio de Janeiro, a atriz, aos 53 anos, tem quase quatro décadas de dedicação às artes. Sua trajetória começou em brincadeiras com amigos e teve apoio dos pais, a atriz Ni- cette Bruno e o ator Paulo Gou- lart. “Comecei, profissional- mente, aos 13 anos, mas, antes, eu brincava de fazer teatro e de ler, representar personagens. Juntava as crianças para fazer um espetáculo mesmo. Talvez, se eu fosse filha de outros pais, tivesse de trilhar outros cami- nhos antes de chegar ao teatro como profissão. O que facilitou foi isso: eu já estava num am- biente em que minha aptidão se manifestou.” De lá pra cá, Beth já esteve em mais de 20 novelas, diver- sas peças de teatro e cerca de 15 longas-metragens. A maioria dos trabalhos na TV foram na Globo, emissora que a atriz se desligou em 2010. Logo em se- guida, a intérprete estreou na Record com “Vidas em Jogo” (2011), no papel da vilã Regina Camargo. “Os dois canais são profundamente eficientes na realização de seus trabalhos e, na verdade, são os mesmos pro- fissionais. Ire voltar de um ca- nal para o outro é uma coisa na- tural, como se fosse em qual- quer outra profissão.” Quando questionada sobre a morte de seu pai em março deste ano, após uma luta contra um câncer, a atriz reforça que deseja que as pessoas se lem- brem dele pelo caráter que pos- suía. “Ele sempre foi uma refe- rência de um homem bom, de bem, trabalhador, honesto e com dignidade. São qualidades que a gente sente diferença ho- je e gostaríamos de ter. Todo mundo me falava assim: ‘Você teve um pai que eu gostaria de ter ‘. E isso é verdade, porque ele era meio que um símbolo desse homem bom, generoso, justo e correto.” I Record Os dramas de Clarice Divuilgação TV - 18 / São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 DIÁRIO DA REGIÃO
  • 19. Canal Universal programa filmes de animação e comédias em tempos de Copa Agência Estado Com a exibição dos jogos da Copa do Mundo na TV e a proliferação de feste- jos juninos pelo país, o canal Universal busca chamar a atenção do telespectador com uma programação de filmes dirigi- da para toda a família. Entre o dia 20, uma sexta-feira; e o dia 22, domingo; a partir das 16h30, o programa “Maratona Família” exibirá uma série de sete fil- mes, entre animações de sucessos produ- zidas para o cinema e comédias estrela- das por grandes atores. São quatro ses- sões na sexta-feira, cinco no sábado e qua- tro no domingo. A seleção de filmes começa - no dia 20, sexta-feira, às 16h30 - com a sátira aos filmes policiais “Polícia Desmonta- da”, uma produção norte-americana de 1999, dirigida por Hugh Wilson e prota- gonizada por Brendan Fraser, Sarah Jes- sica Parker e Alfred Molina. Na sequência, às 18h, a animação “O Bicho Vai Pegar”, primeira do gênero realizada pela Sony Pictures em 2006, produzida por computador e dublada por feras co- mo Martin Lawrence e Ashton Kutcher. Uma curiosidade: o astro Ashton Ku- tcher improvisou metade das falas do personagem Elliot, um cervo de apenas um chifre fugindo dos caçadores na flo- resta. A programação segue com “O Bi- cho Vai pegar 2”, de 2008, às 19h30; e “O Bicho vai pegar 3”, de 2010, às 21h - am- bas as sequências já sem a presença de Lawrence ou Kutcher, que deram voz aos bichos aloprados no primeiro filme dessa já clássica série de animação No dia 21, sábado, os três filmes da série “O Bicho Vai Pegar” serão repri- sados às 16h30, às 18h e às 19h30, se- guidos por mais duas produções de animação: “Rugrats: Os Anjinhos - O Filme”, de 1998, que também está es- treando na grade de filmes do canal, às 20h30; e “Rugrats e os Thornberrys Vão Aprontar”, de 2003, às 22h. Os dois longas foram realizados nos Esta- dos Unidos pelos estúdios Nickelo- deon Animation e Paramount Pictures. No encerramento da “Maratona Fa- mília” no domingo (22), o Universal re- prisa “Rugrats: Os Anjinhos - O Filme”, às 16h30; e “Rugrats e os Thornberrys Vão Aprontar”, às 18h. Outra animação inédita na TV, “Os Thornberrys - O Fil- me”, produção da Nickelodeon distribuí- da pela Paramount em 2002, estreia às 19h30 O excelente e mágico “Nanny McPhee - A Babá Encantada”, produção britânica para todas as idades, realizada em 2005 e protagonizada pelos excepcio- nais atores britânicos Emma Thompson e Colin Firth, fecha a programação dessa divertida maratona, às 21h. I TV por assinaturaTV por assinatura MARATONAFAMÍLIA Sexta-feira (20) 16h30 - “Polícia Desmontada” 18h - “O Bicho Vai Pegar” 19h30 - “O Bicho Vai Pegar 2” 21h - “O Bicho Vai Pegar 3” Sábado (21) 16h30 - “O Bicho Vai Pegar” 18h - “O Bicho Vai Pegar 2” 19h30 - “O Bicho Vai Pegar 3” 20h30 - “Rugrats: Os Anjinhos - O Filme” 22h - “Os Rugrats e os Thornberrys Vão Aprontar” Domingo (22) 16h30 - “Rugrats: Os Anjinhos - O Filme” 18h - “Os Rugrats e os Thornberrys vão aprontar” 19h30 - “Os Thornberrys - O Filme” 21h - “Nanny McPhee - A Babá Encantada” Grade dos filmes DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 / 19 - TV
  • 20. Personagem de Vanessa Gerbelli na novela “Em Família” pode ser assassina, dizem psicólogos Agência Estado Fantasia versus realidade: o comportamento de Juliana (Va- nessa Gerbelli) deixa o telespec- tador na dúvida se ela foi ou não capaz de matar Gorete (Ca- rol Macedo) para ficar com sua filha, Bia (Bruna Faria), na no- vela “Em Família”, da Globo. Obcecada pela menina, a perso- nagem acabou com o próprio casamento e se uniu ao pai da criança, Jairo (Marcello Melo Jr.) A dona de casa parece não ter discernimento entre o que é certo ou errado. Ten- tou comprar a menina, se- questrou uma criança na praia e mais recentemente pa- rece temer as acusações de ser a assassina da empregada. O comportamento de Julia- na beira à loucura em várias si- tuações expostas na trama, mas será que isso existe na vida real? Psicólogos dizem que sim, só que em menor escala. “Ela representa a exacerbação do papel de mãe, indo às raias da patologia. Tudo que é exage- ro pode virar um problema psi- cológico Isso pode acontecer com o ciúme ou com o sexo”, explica o psicoterapeuta e escri- tor Ailton Amélio da Silva. Para Jacob Pinheiro Gold- berg, psicanalista e autor do li- vro “Psicologia em Curta-me- tragem”, a obsessão e fixação de Juliana podem se enqua- drar em uma síndrome que existe, mas com casos menos agudos. “Ela se apropriou da personalidade da empregada. A menina foi o gatilho de um processo de sair de si mesma, pois o que parece é que Julia- na não quer viver a sua vida”, comenta o especialista. É importante deixar claro que os dois psicólogos não acompanham a trama das nove, e analisaram apenas a descrição do perfil de Juliana. A irmã de Chica (Natália do Vale) surgiu na segunda fase da trama doce, amiga e disposta a ser mãe. Vin- te anos depois, ela começou a agir como se fosse mãe de Bia, chegando a fazer a menina cha- má-la de mamãe na frente de sua verdadeira progenitora, Go- rete. Quando a empregada esta- va entre a vida e a morte, Julia- na já a dava como morta. Dese- java isso. Na noite em que Gorete morreu, minutos antes, Juliana esteve com ela e a cena deixou no ar se a empregada teve ou não sua morte provocada pela tia de Helena (Julia Lem- mertz). “Como está sendo apre- sentada, a situação pode passar para um nível criminal. A per- sonagem representa alguém que perdeu a noção e é, sim, ca- paz de matar”, diz Ailton. Essa possibilidade é endos- sada por Goldberg. “A probabi- lidade de que ela tenha feito is- so é enorme. Com esse quadro, ela pode nem sequer sentir cul- pa, pois está convicta de que es- tá correta”, observa o psicana- lista, que já trabalhou em estu- dos de comportamento para personagens da teledramatur- gia da Record. Ele diz que a gravidez de Ju- liana é um fator decisivo para o futuro da personagem, pois seu corpo está gestando uma vida. “É a chance de ela ver que não pode fugir da sua identidade. Ela pode voltar a se reconhecer como Juliana e dar uma virada ou não”, aponta Goldberg. Ailton Amélio da Silva tam- bém diz acreditar que a gravi- dez possa alterar o caminho da personagem. “A gestação ajuda a afastar o sentimento que ela tem de não ser capaz de ser mãe, além de ter o peso hormo- nal aí”, analisa o psicólogo. Mistério “Em Família” está na reta fi- nal. A trama de Manoel Carlos termina no dia 18 de julho e, até lá, o público ainda pode ter uma surpresa com a história de Juliana. Nos próximos capítu- los, Guiomar (Jessika Alves) vai deixar escapar que existe um segredo e que, por isso, não tem pena da patroa. Na cena, vai ficar evidente que ela manipula Jairo, mas o que a dona de casa esconde só o autor deve saber. Mesmo grávida, Juliana vai passar a viver separada do mari- do. Ele se mudará para a comu- nidade onde vivia antes de conhecê-la, enquanto ela per- manecerá em seu apartamen- to no Leblon (bairro nobre da zona sul do Rio).A distân- cia do casal vai proporcionar o desenvolvimento de novos conflitos. I Globo Obsessão maternal Divulgação TV - 20 / São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 DIÁRIO DA REGIÃO
  • 21. “Issonão tem fundamento. Isisnem conhece e nunca foi apresentada a ele (...)” Trecho de comunicado da assessoria de imprensa da atriz Isis Valverde, negando que ela tenha qualquer tipo de relaciona- mento com o jogador Kaká Frases “Há nove anos eu era virgem, por incrível que pareça!” Jesus Luz, modelo e DJ, no Instagram, desmentindo boatos de que seria pai de uma menina de nove anos Agência Estado “Quealegria!” GabrielBraga Nunes,ator,sobre o nascimentode suaprimeira filha, Maria “Já aprendi tudo sobre orgasmos múltiplos” Xuxa,apresentadora,no programa “AltasHoras”(Globo) “Sinto mais falta da Sabrina amiga do que da profissional. Sinto falta da Sabrina que ia às reuniões de pauta” EmílioSurita, apresentador, ao UOL, sobrea saída de Sabrina Satodo “Pânico” “Foram praticamente três anos de dor (após a separação)” Zilu,no programa“Domingo Show”(Record), so- brea separaçãode Zezé diCamargo “Sou ciumento. É trabalho, mas pô (...) a gente não é obrigado a ver” Neymar,jogadordefutebol,sobreotrabalhodana- morada, a atriz Bruna Marquezine, no “Caldeirão doHuck”(Globo) “Há nove anos eu era virgem, por incrível que pareça!” Jesus Luz, modelo e DJ, no Instagram, desmentindo boatos de que seria pai de umamenina de noveanos “Cheguei a um ponto em que estava atrapalhando até minha atividade sexual” Luciano,cantor,sobre terperdido 20quilos,ao site “Ego” “Acho que os comentários foram maiores do que a mudança em si” Anitta,cantora,sobre as recentesplásticasquefez “Aos 40, a gente já aprendeu tanta coisa! Me sinto mais bonita, mais segura e menos ansiosa...” Cláudia Abreu, atriz, em entre- vista à revista “Cláudia” Fotos:Divulgação DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 / 21 - TV
  • 22. MEU PEDACINHO DE CHÃO - 18H15 Segunda-feira - Helena diz a Luiza que lhe deu o vestido de noiva co- mo uma tentativa de alertá-la so- bre o que está por vir.Ivan dorme no novo apartamento que Cadu di- vide com Verônica. Laerte pede a mão de Luiza em casamento para Helena e Virgílio. Ceiça se preocu- pa quando Selma conta que está conversando com Itamar. Marina e Clara se divertem na feira. Lui- za se irrita ao saber que Laerte convidou Shirley para ser madri- nha do casamento deles. Felipe dá seu depoimento ao conselho de medicina. Laerte vai para Goiânia ver Selma e encontra Shirley. O suspeito de estupro perseguido por Alice invade o apartamento de Luiza. Terça-feira - O suspeito ameaça Alice e Luiza e sai do apartamento levando as duas como reféns. Laerte e Shirley vão a um bar em Goiânia. Luiza consegue mandar uma mensagem do celular para Malu. Felipe pede perdão a Regi- na, mas ela é fria com ele. Malu consegue interceptar o carro de Alice. Felipe é condenado à pena de censura pública, mas não per- de o direito de exercer a medicina. Alice consegue desarmar o suspei- to, que sai algemado. Felipe fica feliz ao receber o apoio de Silvia. Shirley dá um beijo em Laerte. Lui- za discute com Laerte ao saber que ele esteve com Shirley em Goiânia. Jairo leva Bia embora da casa de Juliana. Quarta-feira - Juliana se desespe- ra ao ver Bia indo embora com Jai- ro. Helena guarda o medalhão da fênix com ela. Gabriel tenta provo- car Felipe, que se mantém firme. Iolanda fica feliz com a chegada de Bia à comunidade. André e Bár- bara discutem por causa de Luiza. Marina e Clara vão à casa de Bran- ca ver as locações para um ensaio fotográfico. Alice flerta com Vitor durante as aulas. Silvia fica feliz porque Cadu a convida para assis- tir aos jogos do Brasil no Galpão Cultural. Quinta-feira - Virgílio chama Benja- mim para morar de novo com ele e Helena. Juliana é grosseira com Nando, que tenta consolá-la. Ivan pergunta a Cadu se ele e Verônica são namorados. André tenta se reaproximar de Bárbara. Branca tenta interferir no lado artístico do estúdio, deixando Marina e Vanes- sa irritadas. Na comunidade, Caro- laine tenta seduzir Jairo. Gabriel discute com Silvia por causa de Fe- lipe, que decide dar um tempo da clínica. Luiza e Laerte finalmente marcam a data do casamento. Sexta-feira - Jairo procura Juliana e pede que ela vá ver Bia, que se recusa a comer. Pedro Paulo dá em cima de Dulce, que começa a pensar na possibilidade de se en- volver com o professor. Theo e Nei- dinha assumem o namoro. Muri- loe Gisele fazem as pazes. Viriato e Rafaela fazem planos para o ca- samento. Branca faz um ensaio fo- tográfico com Sandro e Vlad em sua casa. Ivan e Rafael brincam no Galpão Cultural, para a alegria de Cadu. Felipe cuida de Selma em Goiânia. Sábado - Malu elogia o desempe- nho de Alice nas aulas da acade- mia de polícia. Verônica tenta cau- sar ciúme em Silvia falando do ca- fé da manhã que Cadu preparou para ela. Helena e Virgílio discu- tem ao falar de Luiza. Guiomar se preocupa com os delírios de Julia- na, que diz a Bia que vai comprar uma ilha para elas morarem jun- tas. Luiza diz a Laerte que resol- veu mesmo se casar na igreja. Segunda-feira - Mãe Benta diz a Tuim que torce para que Renato se saia bem no atendimento à es- posa de Jonas. Jandira comenta com Jonas a respeito da dificulda- de enfrentada por Renato no par- to de sua esposa. Juliana garante a Gina que Ferdinando gosta dela. Jonas diz para Jandira que atenta- rá contra Renato caso alguma coi- sa aconteça à Lurdes durante o parto. Renato pede a Jonas que chame Mãe Benta para socorrê- lo. Milita revela ao pai que gosta mesmo é de Viramundo. Mãe Ben- ta chega para ajudar Lurdes a dar à luz. Terça-feira - Em função da trans- missão da Copa do Mundo, a no- vela não será exibida. Quarta-feira - Lurdes dá à luz uma menina. Zelão afirma para Epami- nondas e Catarina que, se não fosse sua mãe, a filha de Lurdes teria morrido. Giácomo avisa para Epaminondas que o ônibus que le- varia os empregados do coronel à cidade das Antas para tirar o títu- lo eleitoral não apareceu. Ferdi- nando pergunta para Pedro se Gi- na pode ir às Antas com ele nova- mente. Dona Tê avisa para Pedro que não deixará Gina viajar com Ferdinando. Pedro enfrenta sua esposa. Quinta-feira - Juliana aconselha Gina a aceitar o convite de Ferdi- nando apenas se for sua vontade. Orestes diz ao prefeito que cum- priu suas ordens ao não enviar o ônibus para buscar os emprega- dos de Epaminondas para tirar o título eleitoral. Catarina revela a Ferdinando que se apegou a Sere- lepe e que gostaria de adotá-lo. Gi- na avisa à mãe que irá para Antas com Ferdinando. Zelão entrega sua arma para Ferdinando. Sexta-feira - Serelepe conta para Mãe Benta que Zelão deu sua ar- ma para Ferdinando levar para An- tas. Padre Santo avisa ao prefeito que Ferdinando foi à empresa de ônibus tomar satisfações. Ferdi- nando ameaça fechar a empresa de ônibus se for eleito prefeito e caso o gerente não providencie o ônibus para buscar os emprega- dos de Epaminondas na Vila. Julia- na alerta Gina sobre a possibilida- de de Ferdinando desistir se ela continuar a se fazer de difícil. Sábado - Ferdinando avisa ao pai que se o ônibus não chegar à Vila no dia seguinte ele vai até Antas novamente. Giácomo não recebe Viramundo em sua casa e o rapaz busca abrigo na igreja. Juliana confessa para Gina que está divi- dida entre Renato e Zelão. Giáco- mo constata que a conversa que Ferdinando teve com o gerente da empresa de ônibus deu certo. Pa- dre Santo pede a Dona Tê que acolha Viramundo em sua casa. Resumo das novelas GLOBO Fotos:Divulgação EM FAMÍLIA - 21H00 TV - 22 / São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 DIÁRIO DA REGIÃO
  • 23. Segunda-feira - Chico segue Matil- de, que finge ser Ernestina, até a igreja. Ele pensava que ela mentia sobre a igreja e quena verdade es- tava indo encontrar um novo namo- rado. Porém, Matilde vai até a igre- ja tentar se encontrar com o ho- mem que anda lhe chantageando (Miguel). Eduarda e Shirley Santa- na vão até um samba na comunida- de. Matilde mente para Miguel e diz que o nome da menina que é neta de José Ricardo é Marian. Tra- ta-se de uma menina que já foi ado- tada, mas que na verdade não é neta de José Ricardo. A mãe de JP convida Açucena e Renata para jantar com a família do garoto. Re- nata desmascara Mili na frente de todos ao tirar a peruca dela. No or- fanato, Bia assume que foi a culpa- da pela máquina de cheiro ruim. Miguel decide que precisa ir atrás de Marian para ter certeza que ela é sua filha. JP vai atrás de Mili no orfanato para saber o motivo que a levou fingir ser Açucena. Terça-feira - O Café Boutique está em crise, com poucos clientes. Em uma reunião, Armando sugere pa- ra Junior e Maria Cecília fazerem corte de funcionários. Bel convida Rafa para ir até a sorveteria Carol e Carmen discutem na diretoria so- bre o comportamento das Chiquiti- tas, que brincam com roupas no pátio. JP diz para seu pai que esta- va apaixonado por Açucena e que agora está confuso em relação a Mili. Matilde conta para Carmen que o plano delas em relação a Mi- guel deu certo. Carmen tenta con- quistar Bia. JP vai ao orfanato con- versar com Mili ediz que esse tem- po todo ele estava apaixonado por ela. JP pergunta se Mili gosta dele. Mili diz que está um pouco confu- sa, mas que sente algo diferente por ele sim. Armando avisa aos funcionários do Café Boutique que acontecerá corte em todas as áreas da empresa. Armando diz que o funcionário que não estiver de acordo com as metas da empre- sa será mandado embora. Quarta-feira - Érica discute com Clarita no Café Boutique. Armando pressiona todos os funcionários e os ameaça de serem mandados embora. Armando diz que se Érica ajudar ele a sabotar Beto, ela não será mandada embora. Érica acei- ta. Mili diz para suas amigas que está confusa em relação a JP. Bru- no pede para Carol ajudá-lo a ser aceito por sua filha, Dani. Carol diz que fará o possível, mas que ele precisa ter paciência. Érica troca o pedido dos clientes que Beto está atendendo para ajudar Armando, conforme combinado. Bia anota tu- do que acha incorreto no orfanato. Os meninos dizem que Chico ain- da gosta de Ernestina. Para ajudar o cozinheiro, Samuca se veste de mulher para tentar saber se Ernes- tina, que na verdade é Matilde, sente ciúme de Chico. Bruno e Ca- rol levam Dani para passear no par- que. JP envia flores para Mili. Vivi ajuda Samuca a se caracterizar de mulher. Quinta-feira - Armando leva Beto até o presidente do Café Boutique, Junior, diz que o garçom possui vá- rios pontos negativos e que preci- sa ser mandado embora. Junior responde que pela postura de res- saltar os defeitos de Beto, Arman- do possui algum problema pes- soal com ele. Junior diz que está pensando num jeito para não preci- sar mandar nenhum funcionário embora. No orfanato, Matilde fica de olho em Samuca, que está fin- gindo ser mulher com nome de Sa- mi. O foco é saber se Ernestina, que na verdade é Matilde, tem ciú- me de Chico Na praça, Bruno (Bru- no Autran) consegue se aproximar da filha, Dani. Ele diz que só quer o bem dela e a pequena aceita pelo menos tentar ser amiga dele. JP diz que gosta do olhar de Mili e a chiquitita diz o mesmo. Matilde desmascara Samuca e Chico ao servir comida apimentada para eles. Sexta-feira - Vivi e Cris tentam me- lhorar suas habilidades para o con- curso “Garota Carisma”. Mili con- versa com Carol sobre a proposta de Carmen. Carol diz que ela deve pensar sobre os pós e contras des- sa escolha. Beto fala com a direto- ria do Café Boutique sobre a ideia do vídeo viral para atrair clientes. Armando fica irritado que Junior e Maria Cecília deixam Beto tocar o projeto. Carmen vai até o quarto de Matilde contar para ela seu pla- no para se livrar de Mili. Rafa diz para Bel que ela só conversa com ele quando os encrenqueiros, ami- gos dela, não estão por perto. O chiquitito diz que ela possui vergo- nha dele, pois ele é gordo. Bel ga- rante que não, apenas evita confu- são por eles serem amigos de tur- mas diferentes. Os dois decidem serem amigos em segredo. Mili vai até a casa de JP e fala sobre a pro- posta de estudar fora do País. Segunda-feira - Priscila planeja com Caio um ataque a um ônibus com nordestinos. Virgulino espe- ra ansioso por um primo que está vindo do nordeste de ônibus. Pris- cila fala para Paulão se preparar para a missão. Manel surpreende Cicinho e diz que vai pagar a ida dele ao acampamento. Beatriz conta que voltou a morar com Jor- ge porque quis e Mossoró fica de- cepcionado. Ao saber que Manel vai pagar o passeio, Ednaldo fica bravo e avisa que Cicinho não vai mais. Seguindo a ordem de Artur, Javier faz proposta para Jorge, que aceita voltar ao haras ganhan- do aumento. Priscila apressa seu grupo para que não atrasem a ida para o ataque. Virgulino vai para a rodoviária buscar seu primo junto com Bruno e Anastácia. No cami- nho para o ataque, Paulão bate com o carro e Priscila fica nervo- sa. Marcelo e Caio esperam ten- sos pela chegada do grupo de Priscila. Ao chegar ao local marca- do, Priscila e os grupos neonazis- tas se preparam atacar o ônibus. Terça-feira - Priscila fecha a pista com seu carro impedindo o ôni- bus de seguir viagem. O ônibus dá uma freada violenta e os pas- sageiros ficam apavorados. O ôni- bus é cercado, passageiros ten- tam fugir, mas o grupo consegue impedir. Bárbara não entrega Fir- mino para os neonazistas. A polí- cia se aproxima, os agressores fo- gem e Firmino chora aliviado. Jor- ge organiza a saída dos cavalos do Haras Arminho para a competi- ção e procura por Ziggy. Ao saber que Diana vai montar Vitória, Ar- tur exige que Ricardinho a deixe vencer. Bernardo dá as últimas instruções para Diana e Luciene. Pelo telefone, Laíza diz a Iago que apostou alto em Vitória. Iago avi- sa que Laíza deve perder, e de ci- ma do teto da arquibancada, colo- ca a mira da arma em Vitória. Quarta-feira - Iago se disfarça e se posiciona no alto da arquiban- cada do Jockey Clube tentando co- locar Diana na mira de sua arma. Luciene, montando Gregory Se- gundo, dificulta a ação de Iago. Ia- go tenta, insistentemente, colo- car Diana sob sua mira. Artur as- siste, aflito, à transmissão pela TV. Bernardo conta para Leo e Edu que Gregório não autorizou a participação de Diana na corrida. O clima é de tensão para o início da corrida. Sabrina pede ajuda ex- traoficial ao policial Willian e é sur- preendida com a chegada de Ra- miro. Priscila encontra Yonee Dan- te no bar Dois a Dois e descobre que o primo de Virgulino estava no ônibus que foi atacado na Du- tra. Ramiro fica desconfiado do encontro entre Sabrina e Willian. É dado o tiro de largada, começa a corrida. Iago, do alto do telhado, se prepara para atirar em Vitória. Iago atira na direção de Diana. Quinta-feira - Filho do Vento perce- be o perigo do tiro desferido por Ia- go em direção à Vitória e interce- de o ataque. O cavalo é atingido e cai derrubando Ricardinho. Diana vence a corrida seguida por Lucie- ne. Luciene avisa à Diana sobre a queda de Ricardinho. Renata con- ta à Diana que o cavalo foi atingi- do por uma flecha. Iago, com uma espécie de arco na mão, conse- gue escapar com a ajuda de um helicóptero. Javier avisa a polícia e Jorge desconfia de que o ataque tenha sido planejado por alguém do haras A. Ferreira. O apoio poli- cial alcança o helicóptero de Iago e ordena que desça imediatamen- te. Iago fica furioso com a omis- são de seu subordinado e atira no piloto. A aeronave voa des- controlada e ele salta perigosa- mente no mar. Iago consegue nadar até a praia e se disfarça de vendedor ambulante para ter- minar sua fuga. Sexta-feira - Iago consegue che- gar até sua mansão e liga para Laíza ordenando que ela volte pa- ra casa. Virgulino apresenta seu primo à Priscila. Firmino se lem- bra da voz da moça na noite do ataque ao ônibus de retirantes e passa mal. Firmino se recupera do mal estar e Virgulino se descul- pa com Priscila pela atitude do pri- mo Priscila,Paulão e Enzo aconse- lham Firmino a voltar para o nor- deste. Mossoró encontra Diana e conta que voltou para Beatriz Jor- ge vai procurar Javier e é ordena- do a readmitir Renata. Edu vai es- condido até a casa de Jorge pedir a readmissão de Renata. Priscila vai com os amigos até a pista de motocross em Petrópolis. Beatriz conta a Mossoró que Laíza procu- rou Jorge interessada em alugar uma cocheira no haras Arminho. Zuzu conta para Matilde que a viu na televisão durante o Grande Prê- mio. Enzo, com ciúmes de Bea- triz, pede a Paulão para provocar um acidente fatal com Mossoró. Resumo das novelas CHIQUITITAS - 20H30 VITÓRIA - 21H30 RECORD SBT DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 / 23 - TV
  • 24. Com cidades medievais ao longo do Mar Adriático e locações da série Game of thrones, o país vê aumentar número de visitantes brasileiros Turismo CROÁCIA FASCINANTE TURISMO - 24 / São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 DIÁRIO DA REGIÃO
  • 25. Agência O Globo Com cidades históricas lindíssimas e bem preservadas à beira do Mar Adriático, a Croá- cia vem despertando o interesse do viajante brasileiro. Em 2013, foram 56 mil visitantes do Brasil. O número não impressiona de imediato, mas representa quase o dobro do registrado no ano anterior: 30.900, em 2012, segundo o Escritório Nacional de Turismo da Croácia. Leve-se em conta que não há voos diretos entre Brasil e Croácia, é preciso fazer conexão em alguma cida- de da Europa. Duas cidades croatas são imperdíveis: Du- brovnik, rodeada por muralhas, conhecida co- mo a “pérola do Adriático”. E Zagreb, a cidade que tem um coração vermelho como símbolo e um museu dedicado a relacionamentos que não deram certo entre suas atrações inusitadas. AgênciaOGlobo Uma mistura de história, cultura e natureza belíssima faz da Croácia um país super procurado por brasileiros DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 / 25 - TURISMO
  • 26. Na cidade murada, as locações são o portão Pile, a rua de Santo Domingo, a Torre Minceta e o Forte Bokar. No lado de fora, o Forte Lovrijenac, entre outros pontos Agência O Globo A muralha do século 12 contorna os prédios que formam a parte antiga de Dubrovnik. Ao crepúsculo, a luz dourada do sol inunda torres e cúpulas centenárias, entre telhados reconstituí- dos após a Guerra da Independência, há duas décadas. A muralha tem 1.940 metros de exten- são. Por ela dá-se a volta em toda a cidade antiga, Patrimônio Mundial pela Unes- co, ora avistando o mar, ora de frente pa- ra o Monte São Sérgio e a cadeia de mon- tanhas que faz fronteira com a Bósnia. Um ou outro bar com vista para o mar convida a um drinque, ali mesmo, entre as pedras históricas. De um lado, as gaivotas patrulham o Adriático; do ou- tro, observa-se o movimento intramuros nos fundos de lojas e restaurantes ou em quintais de residências. Dubrovnik faz juz ao título de cená- rio de Porto Real (ou King’s Landing) do seriado “Game of thrones” - produção da HBO, que faz sucesso mundo afora. Há folhetos com os pontos de loca- ções marcados no mapa da cidade mura- da e excursões especializadas nas grava- ções. Mas basta alguns passos no percur- so da muralha para identificar ali cenas protagonizadas por Tyrion Lannister, en- tre outras passagens do seriado. Na cidade murada, as locações são o portão Pile, a rua de Santo Domingo, a Torre Minceta, o Forte Bokar. No lado de fora, o Forte Lovrijenac - símbolo da resistência de Dubrovnik ao império ve- neziano no século 11 - e o Anfiteatro do Hotel Belvedere, além do Arboretum Trsteno, também estão entre os cenários. A Ilha Lokrum, em frente à cidade murada, foi usada para cenas protagoniza- das por Daenerys Targaryen (a Khaleesi) na cidade de Qarth. A produção do seria- do ainda tem mais duas temporadas para filmar em Dubrovnik. Croácia Dubrovnik - enredo digno de ‘Game of thrones’ Em Zagreb, capital croata, o bonde circula no centro Fotos: Agência O Globo TURISMO - 26 / São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 DIÁRIO DA REGIÃO
  • 27. Num dos portões da cidade murada, Ploce, um painel mos- tra os pontos de agressão duran- te a Guerra da Independência. Lá dentro, o guia aponta prédios e monumentos históri- cos, entre cafés e muitas lojas. Há bares e restaurantes, como o Grads Kavane, onde até quem mora lá faz uma parada para prosear, tomando um café ou uma pivo (cerveja). Lojas de suvenires e um mercado de pro- dutores locais estão no passeio intramuros. O Palácio do Reitores abri- ga o Museu Histórico e Cultu- ral de Dubrovnik, que foi a se- de governo na República de Dubrovnik. No Palácio Sponza (da Al- fândega) funciona o arquivo da cidade, que sobreviveu ao ter- remoto de 1667. Na Catedral, logo em frente, estão as relí- quias de São Brás, que nasceu no século 3 e morreu na Ar- mênia no século 4, mas é pa- droeiro da cidade. Por volta do século 10, São Brás teria aparecido a um pa- dre para avisar que os venezia- nos atacariam Dubrovnik, e a cidade pode se precaver. O Forte Lovrijenac defen- deu a cidade dos venezianos no século 11. No dia 3 de feverei- ro, há procissão em sua home- nagem. Na outra ponta, no portão Pile, onde param os ônibus de turismo, fica a Fonte Grande de Onofrio (da qual beber a água limpinha é ritual), ao lado da Igreja de São Salvador, que abriga o antigo mosteiro fran- ciscano e o Museu da Farmá- cia, onde funciona uma das mais antigas farmácias da Euro- pa, de 1317. O museu exibe antigos ins- trumentos médicos, além de um belo mapa da época da Re- pública de Ragusa. Saindo da cidade murada pelo portão Pile, há um teleféri- co que leva à Fortaleza Impe- rial. Além da vista inesquecí- vel, pode-se visitar o museu da guerra da Independência e o ótimo restaurante Panorama. Com 43 mil habitantes, Du- brovnik vive do turismo. Popu- lar desde os anos 1980, tem lo- calização geográfica privilegia- da com preços mais baixos que no restante da Europa, embora os mais altos da Croácia. Os passageiros de cruzeiros, hoje limitados a 8 mil/dia, são maioria. Agências conduzem esses visitantes pela cidade mu- rada, que tem 2 mil habitantes. Mas há quem aproveite para co- nhecer as elogiadas praias das Ilhas Elafites (três ilhas a uma hora da cidade, com praias pe- quenas de faixas de areia de no máximo cem metros) e a Ilha Lokrum. (AG) A história de Dubrovnik tem enredo digno de seriado medieval, tal qual o de “Ga- me of thrones”. Os primeiros registros de civilização na região são do século 7. Dubrovnik se de- senvolveu com a movimenta- ção das Cruzadas, que estabe- leceu centros marítimos e co- merciais nos séculos 12 e 13 nos mares Adriático e Medi- terrâneo. No século 13 serviu de ba- se naval ao Império Venezia- no. Posteriormente, o Trata- do de Zadar, em 1358, libe- rou a cidade do domínio de Veneza. Nos séculos 14 e 15, a en- tão chamada República de Ragusa ocupava a posição de principal porto comer- cial no Adriático, com Vene- za e Ancona. Sob tutela do império tur- co, no século XVI, e com alianças com Espanha e Vati- cano, manteve-se indepen- dente. Prosperou com o co- mércio marítimo após o declí- nio do império veneziano. O terremoto de 6 de abril de 1667 devastou a cidade, deixando milhares de mor- tos. Foi o início do fim da Re- pública de Ragusa. Napoleão dissolveu-a em 1808. A região foi integrada à Dalmácia e à Croácia pelo Congresso de Viena, em 1815. De 1918 a 1941 fez par- te do Reino dos Sérvios, Croa- tas e Eslovanos (chamado de Reino da Iugoslávia a partir de 1929). Com a Segunda Guerra Mundial, ocupada pelas for- ças italianas e alemãs, inte- grou o Estado Independente da Iugoslávia. A partir de 1944, conquistada por guerri- lheiros do marechal Josp Broz Tito, fez parte da Repú- blica Socialista da Croácia, Estado da República Socialis- ta Federativa da Iugoslávia. Em outubro de 1991, a Croácia declarou independên- cia e Dubrovnik passou a ser atacada por sérvios, iugosla- vos e montenegrinos. Em 6 dezembro, sofreu o pior bom- bardeio. (AG) Vielas estreitas reúnem casas, lojas, cafés e restaurantes Produtos típicos à venda dentro da cidade murada Terra de São Brás Seriado medieval DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 / 27 - TURISMO
  • 28. Há casas do século 7, e o aqueduto da época ainda hoje abastece parte da população da cidade -Agência O Globo A história de Split se confunde com a do domínio romano. A cidade teve seu destinodeterminadopelabaíaàsuafren- te, palco de guerras sangrentas. Assistiuaos dálmatas resistirem bra- vamente por 220 anos ao assédio do Im- pério Romano, até que eles acabaram vencendo, e a Dalmácia tornou-se uma de suas mais famosas províncias. Diocleciano foi o mais notável entre os imperadores da Dalmácia. Odiado e amado,ergueualiopalácioentreosanos de 295 e 305, a primeira construção de Split,e viu surgir emseuentorno a cida- de que hoje atrai milhares de visitantes. Usando as pedras da Ilha de Brac, que pode ser visitada deferry boat a par- tir de Split, Diocleciano construiu seu palácio combinando aspectos arquitetônicos de construções campesi- nas, militares e vilas luxuosas. Nocentro,hátemplosreligiosos,eas casasdos nobres estãoposicionadascom vista para o mar. Colunas foram trazidas doEgito,alémde18esfinges.Umadelas estápreservada,aoladodacatedralpróxi- ma à entrada do palácio. A entrada era coberta com azulejos de ouro.Pela cúpulaaberta passavaa luz naturalquerefletiaacorpúrpuranostra- jesdoimperador,impondoemsuasapa- riçõespúblicasobrilhodopoder.Napra- ça, os súditos reverenciavam o líder que reluzia à luz dos céus. Após abdicar do trono,Dioclecia- no permaneceu no palácio até sua mor- te, em 311. Depois o lugar foi usado co- mo retiro para seus sucessores. OImpérioRomanodoOcidenteaca- bounoséculo5.Apósainvasãocroataàs terras de Salona, berçode Diocleciano, a populaçãoem fuga chegou a Split. Lojas eresidênciasforamincorporadasimpon- do ao palácio um processo de urbaniza- ção orgânica. Casasforamconstruídasno século7. Hoje alguns prédios foram transforma- dosemhotéisboutique,casasdefamília, oulugaresdehospedagemmaissimples. Oaquedutodaépocaaindahojeabas- tece parte da população da cidade, que é de 188 mil habitantes. Nosporõessubterrâneosquesusten- tamo palácio foramabertas55 salas,que eram usadas como armazenamento por Diocleciano. Com a ocupação medieval, elas fo- ramtransformadasemdepósitosdelixo, porque tinham buracos no teto que liga- va às casas no andar de cima. Os dejetos preencheram o local e curiosamente, foi olixopetrificado,quepreservouessases- truturas que hoje podem ser visitadas. Na entrada dos fundos do palácio, a estátua do bispo Gregório de Nin, com suaexpressão bisonha de olhos arregala- dos, é uma visita indispensável. O bispo introduziu, no século 10, o idioma croa- ta aos ritos religiosos cristãos, que eram realizados em latim. Não saia de lá sem esfregar o dedão do pé da estátua, por- que dizem que dá sorte. Com arquitetura bem preserva- da, Split também caiu nas graças da produção da HBO, que filmou ali ce- nas de “Game of thrones” para a quarta temporada. Os guias mostram em frente ao por- tão do Museu da Cidade de Split, numa viela estreita, o ponto onde foi gravada a cena em que Khaleesi ocupa Meereen e osescravosencurralamumnobre.Tam- bém há cenas nos porões do palácio. Croácia Split e Brac: palácio à beira-mar TURISMO - 28 / São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 DIÁRIO DA REGIÃO
  • 29. Calcário - o calcário de Brac, que ergueu o Palácio de Diocleciano, em Split, te- ria sido usado em outros pré- dios imponentes pelo mun- do, como nas colunas da Ca- sa Branca e nos parlamentos de Berlim e Viena. Gravata - Na guerra dos 3 0 a n o s n a E u r o p a (1618-1648), soldados croa- tas foram lutar em Paris em colaboração com a França, levando suas echarpes amar- radas ao pescoço. Os pari- sienses da corte de Luís 14 adoraram a nova moda. Sal e ostras - A qualida- de da água do Adriático pro- duz, além do sal excelente de Mali Ston, ostras de sabor ex- cepcional. À mesa - Azeite e trufas da Ístria e vinhos brancos e tintos de Ístria, Dalmácia e Eslavônia se destacam na gastronomia. (AG) AgênciaOGlobo Orgulhos croatas Saindo do porto de Split, vi- sitado por muitos navios de cru- zeiro, o ferry Jadronlinija (30 kunas por pessoa, ou R$ 12) le- va até Brac. A viagem dura uma hora. As encostas de pedra que recortam o litoral domi- nam a paisagem. O ferry deixa os passageiros em Supetar, onde se pode alu- gar uma scooter ou quadriciclo para explorar a ilha. De lá, par- te-se para lugares como Vido- va Gora, o topo de Brac, a 778 metros de altitude, de onde se tem uma vista panorâmica da região. Hora de descer e conhecer a belezura da ilha, em Bol: é Zlatni Rat, a faixa de praia que muda ao sabor das marés e do vento. Uma caminhada num calça- dão arborizado e decorado por esculturas de pedras brancas le- va até lá. Há vários restauran- tes, bares e hotéis à beira-mar. Se ficar para o almoço, o restau- rante Vagabundo serve pratos como risoto e filé de atum com croquete de batatas e legumes grelhados no azeite (79 kunas, R$ 32). (AG) Telhados de cores vivas guardam marcas da guerra na cidade murada Litoral rodeado de pedras DIÁRIO DA REGIÃO São José do Rio Preto, 15 de junho de 2014 / 29 - TURISMO