SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 11
Realismo
Contexto;
Características;
Autores ;
Obras.
Contexto Histórico
 O realismo foi um movimento que trouxe grandes transformações e
novidades, usando a realidade como orientação através de
palavras. Começando pela criação de áreas na literatura (que
eram praticamente inexistentes) como críticas literárias, textos
jornalísticos, estudos históricos, crônicas e contos.
 Se formos estudar bem, veremos que o realismo existe a um bom
tempo, desde as primeiras manifestações da humanidade. Mas foi
só no século XIX que ele de fato, foi considerado. O “ponta pé”
inicial no realismo se deu em 1881, com a publicação de
“Memórias póstumas de Brás Cuba’’, de Machado de Assis e “O
mulato’’, de Aluísio Azevedo.
 O Realismo foi tão fundamental na literatura que fez com que
Machado de Assis fundasse a Academia Brasileira de letras, dando
início ao que chamamos de “literatura brasileira’’.
Contexto Histórico
 O realismo foi um movimento que trouxe
grandes transformações e novidades,
usando a realidade como orientação
através de palavras. Começando pela
criação de áreas na literatura (que eram
praticamente inexistentes) como críticas
literárias, textos jornalísticos, estudos
históricos, crônicas e contos.
 Se formos estudar bem, veremos que o
realismo existe a um bom tempo, desde as
primeiras manifestações da humanidade.
Mas foi só no século XIX que ele de fato, foi
considerado. O “ponta pé” inicial no
realismo se deu em 1881, com a
publicação de “Memórias póstumas de
Brás Cuba’’, de Machado de Assis e “O
mulato’’, de Aluísio Azevedo.
 O Realismo foi tão fundamental na
literatura que fez com que Machado de
Assis fundasse a Academia Brasileira de
letras, dando início ao que chamamos de
“literatura brasileira’’.
Características
 O Realismo apresenta características que refletem o momento em que surge. É fiel ao
representar o mundo exterior, analisa as condições políticas, econômicas e sociais que
influenciam os comportamentos individuais e determinam a organização social.
 Principais características da estética realista :
- Objetivismo
- Retrato fiel da Natureza
- Descrições e adjetivação objetivas, tentando captar o real como ele é
- Linguagem culta e direta
- Mulher não idealizada, mostrada com defeitos e qualidades
- Amor e outros sentimentos subordinados aos interesses sociais
- Casamento como instituição falida, contrato de interesses e convivências
- Herói problemático, cheio de fraquezas, manias e incertezas
- Narrativa lenta, acompanhando o tempo psicológico - Personagens trabalhadas
psicologicamente
- Universalismo
Características
 O objetivismo aparece como negação
do subjetivismo romântico; o
universalismo ocupa o lugar do
personalismo. O sentimentalismo cede
terreno ao materialismo. O Realismo se
preocupava apenas com o presente,
com o contemporâneo.
 Com o desenvolvimento das ciências,
muitos autores foram influenciados no
século XIX, principalmente os naturalistas,
onde se pode falar em cientificismo nas
obras desse período.
 Os autores realistas são antimonárquicos
e negam a burguesia.
 O Realismo é uma denominação
genérica de uma escola literária que
abrange as seguintes tendências:
 Romance realista – Narrativa voltada
para a análise psicológica e que critica
a sociedade e partir do comportamento
de determinados personagens, em geral,
capitalistas. O romance realista tem
caráter documental, sendo o retrato de
uma época.
 O Realismo é a expressão cultural da
burguesia, de suas preocupações,
anseios e aspirações. É o período de
apogeu do romance, pois esse exprime
de modo mais profundo e compreensível
o conflito entre o indivíduo e o mundo,
entre os amores e a vida real.
Principais Autores
Machado de Assis (1839-1908)
Joaquim Maria Machado de Assis é considerado um dos melhores
escritores do país e do continente, com obras que predominam o
pessimismo e a ironia. Esse escritor nasceu no Rio de janeiro e teve seu
primeiro poema publicado em 1855, que se chamava “Ela”. Foi um
dos fundadores da Academia Brasileira de Letras (foi também
presidente da entidade) além de ter trabalhado como tipógrafo,
jornalista e escritor.
Principais obras:
-Crisálidas (1861)
- A mão e a Luva (1874)
-Iaiá Garcia (1878)
-Memórias Póstumas de Brás Cubas (1881)
-Quincas Borba (1891)
-Dom Casmurro (1899)
-Esaú Jacó (1904)
Principais Autores
Raul da Pompéia (1863-1895)
Esse autor nasceu no Rio de janeiro e estudou na capital
federal, graduando-se em Direito na faculdade de Recife.
Era um abolicionista de temperamento forte, o que garantiu
muitas inimizades. Em 1880, lançou seu primeiro romance
intitulado “Uma tragédia no Amazonas”. Passou a trabalhar
como jornalista, escrevendo contos e crônicas. Sua fama
como escritor só deslanchou após o lançamento do livro
“Ateneu”.
Principais obras:
-Uma Tragédia no Amazonas (1880)
-As jóias da coroa (1882)
-Canções sem Metro (1883)
-O Ateneu (1888)
Principais Autores
José Eça de Queiróz (1845-1900)
Eça de Queiróz foi um dos grandes nomes da literatura
portuguesa. O escritor participou de um período de
mudança, em que o romantismo dava lugar ao realismo.
O escritor português escreveu os primeiros textos com
características românticas. A segunda fase, no entanto, foi
marcada pelo realismo. Eça de Queiróz foi um dos
responsáveis pelo início do Realismo em Portugal.
Principais obras:
-O crime do padre amaro (1876)
-O primo Basílio (1878)
-A relíquia (1887)
Principais Obras
 A obra que marca o início do Realismo na literatura é Madame
de Bovary de Gustave Flaubert. Constitui uma das maiores obras
da estética realista da Literatura Francesa.
 Já no Brasil o grande marco é a publicação de Memórias
Póstumas de Brás Cubas de Machado de Assis. Memórias
Póstumas de Brás Cubas retrata a escravidão, as classes sociais, o
cientificismo e o positivismo da época chegando a criar, inclusive,
uma nova filosofia, mais bem desenvolvida posteriormente em
Quincas Borba (1891) — o Humanitismo, sátira à lei do mais forte.
 Continuação de Memórias Póstumas de Brás Cubas, Quincas
Borba este livro é considerado pela crítica moderna o segundo
da trilogia realista de Machado de Assis, em que o autor esteve
preocupado em utilizar o pessimismo e a ironia para criticar os
costumes e a filosofia de seu tempo, embora não subtraia
resíduos românticos da trama. Entre as obras de Raul Pompéia, O
Ateneu é, sobretudo, um exemplo impressionista na literatura
brasileira, também considerada uma obra Naturalista. Visconde
de Taunay destaca-se na literatura regionalista. Sua obra-prima,
Inocência, é transitória entre Romantismo e Realismo.
Créditos...
 Colégio: C.E Visconde De Cairu
 Turma: 2019
 Professora: Clarice
 Grupo: 5
 Alunos: Gabriella Montenegro, Kallyane Cordeiro, Iury Pereira, Felipe
de Oliveira
 Números: 12,18,14,10
Bibliografia
 http://aprovadonovestibular.com/realismo-autores-obras-
caracteristicas.html
 http://www.mundoeducacao.com/literatura/realismo.htm
 http://escritores-
brasileiros.info/mos/view/Escritores_Brasileiros_do_Realismo_e_Natur
alismo/
 http://www.youtube.com/watch?v=VeiuJkzcByU

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Romantismo No Brasil
Romantismo No BrasilRomantismo No Brasil
Romantismo No Brasil
 
Quinhentismo
QuinhentismoQuinhentismo
Quinhentismo
 
Slides Humanismo
Slides   HumanismoSlides   Humanismo
Slides Humanismo
 
O pré modernismo
O pré modernismoO pré modernismo
O pré modernismo
 
Tópicos em literatura maranhense
Tópicos em literatura maranhenseTópicos em literatura maranhense
Tópicos em literatura maranhense
 
Quinhentismo
Quinhentismo Quinhentismo
Quinhentismo
 
Naturalismo brasileiro e português
Naturalismo brasileiro e portuguêsNaturalismo brasileiro e português
Naturalismo brasileiro e português
 
Historia da Literatura
Historia da LiteraturaHistoria da Literatura
Historia da Literatura
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
 
Pré-modernismo
Pré-modernismoPré-modernismo
Pré-modernismo
 
Realismo
RealismoRealismo
Realismo
 
Realismo e Naturalismo - Literatura
Realismo e Naturalismo - LiteraturaRealismo e Naturalismo - Literatura
Realismo e Naturalismo - Literatura
 
Naturalismo no Brasil
Naturalismo no BrasilNaturalismo no Brasil
Naturalismo no Brasil
 
Realismo
RealismoRealismo
Realismo
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
 
Pré modernismo-slides
Pré modernismo-slidesPré modernismo-slides
Pré modernismo-slides
 
Pré modernismo
Pré  modernismoPré  modernismo
Pré modernismo
 
Barroco
Barroco Barroco
Barroco
 
Romantismo - aula
Romantismo - aulaRomantismo - aula
Romantismo - aula
 
Modernismo 2 fase (geração de 30)
Modernismo 2 fase (geração de 30)Modernismo 2 fase (geração de 30)
Modernismo 2 fase (geração de 30)
 

Semelhante a Realismo

Literaturas sobre realismo (2)
Literaturas sobre realismo (2)Literaturas sobre realismo (2)
Literaturas sobre realismo (2)Equipemundi2014
 
Realismo /Naturalismo /Iaia Garcia - Machado de Assis
Realismo /Naturalismo /Iaia Garcia - Machado de AssisRealismo /Naturalismo /Iaia Garcia - Machado de Assis
Realismo /Naturalismo /Iaia Garcia - Machado de AssisMGLAUCIA /LÍNGUA PORTUGUESA
 
Movimento Literário Realismo
Movimento Literário RealismoMovimento Literário Realismo
Movimento Literário RealismoDavid Souza
 
Ideologia mais escolas literarias
Ideologia mais  escolas literariasIdeologia mais  escolas literarias
Ideologia mais escolas literariasUniesp
 
Alunas: Caroline Segall e Gabriela Rovani
 Alunas: Caroline Segall e Gabriela Rovani  Alunas: Caroline Segall e Gabriela Rovani
Alunas: Caroline Segall e Gabriela Rovani Carol Segall
 
O Realismo2 Moises Andre E Felipe
O Realismo2 Moises Andre E FelipeO Realismo2 Moises Andre E Felipe
O Realismo2 Moises Andre E Felipemartinsramon
 
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie (1).ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie (1).pptrealismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie (1).ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie (1).pptANDRESSASILVADESOUSA
 
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.pptrealismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.pptAliceEmanuelladeOliv
 
realismo-naturalismo resumo slides.ppt
realismo-naturalismo resumo slides.pptrealismo-naturalismo resumo slides.ppt
realismo-naturalismo resumo slides.pptCarlos100coliCoimbra
 
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.pptrealismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.pptLeandroBolivar1
 
Realismo narturalismo 2016
Realismo narturalismo 2016Realismo narturalismo 2016
Realismo narturalismo 2016Josi Motta
 
Realismo naturalismo
Realismo   naturalismoRealismo   naturalismo
Realismo naturalismonagelaviana
 
O REALISMO NO BRASIL
 O REALISMO NO BRASIL O REALISMO NO BRASIL
O REALISMO NO BRASILSônia Guedes
 
2ano_machado_de_assis.auladerevisaoparte1ppt
2ano_machado_de_assis.auladerevisaoparte1ppt2ano_machado_de_assis.auladerevisaoparte1ppt
2ano_machado_de_assis.auladerevisaoparte1pptFernandaRibeiro419723
 

Semelhante a Realismo (20)

Literaturas sobre realismo (2)
Literaturas sobre realismo (2)Literaturas sobre realismo (2)
Literaturas sobre realismo (2)
 
Realismo
RealismoRealismo
Realismo
 
O realismo
O realismoO realismo
O realismo
 
Realismo no brasil
Realismo no brasil  Realismo no brasil
Realismo no brasil
 
Naturalismo( apostila)
Naturalismo( apostila)Naturalismo( apostila)
Naturalismo( apostila)
 
Realismo /Naturalismo /Iaia Garcia - Machado de Assis
Realismo /Naturalismo /Iaia Garcia - Machado de AssisRealismo /Naturalismo /Iaia Garcia - Machado de Assis
Realismo /Naturalismo /Iaia Garcia - Machado de Assis
 
Movimento Literário Realismo
Movimento Literário RealismoMovimento Literário Realismo
Movimento Literário Realismo
 
Ideologia mais escolas literarias
Ideologia mais  escolas literariasIdeologia mais  escolas literarias
Ideologia mais escolas literarias
 
Alunas: Caroline Segall e Gabriela Rovani
 Alunas: Caroline Segall e Gabriela Rovani  Alunas: Caroline Segall e Gabriela Rovani
Alunas: Caroline Segall e Gabriela Rovani
 
O Realismo2 Moises Andre E Felipe
O Realismo2 Moises Andre E FelipeO Realismo2 Moises Andre E Felipe
O Realismo2 Moises Andre E Felipe
 
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie (1).ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie (1).pptrealismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie (1).ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie (1).ppt
 
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.pptrealismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.ppt
 
realismo-naturalismo resumo slides.ppt
realismo-naturalismo resumo slides.pptrealismo-naturalismo resumo slides.ppt
realismo-naturalismo resumo slides.ppt
 
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.pptrealismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.ppt
 
Realismo narturalismo 2016
Realismo narturalismo 2016Realismo narturalismo 2016
Realismo narturalismo 2016
 
Realismo naturalismo
Realismo   naturalismoRealismo   naturalismo
Realismo naturalismo
 
O REALISMO NO BRASIL
 O REALISMO NO BRASIL O REALISMO NO BRASIL
O REALISMO NO BRASIL
 
2ano_machado_de_assis.auladerevisaoparte1ppt
2ano_machado_de_assis.auladerevisaoparte1ppt2ano_machado_de_assis.auladerevisaoparte1ppt
2ano_machado_de_assis.auladerevisaoparte1ppt
 
Arte - Realismo
Arte - RealismoArte - Realismo
Arte - Realismo
 
Realismo
RealismoRealismo
Realismo
 

Mais de Clarice Menezes

Cecília Meireles_apres_3008.pptx
Cecília Meireles_apres_3008.pptxCecília Meireles_apres_3008.pptx
Cecília Meireles_apres_3008.pptxClarice Menezes
 
vinicius-de-moraes_apres_3007.pptx
vinicius-de-moraes_apres_3007.pptxvinicius-de-moraes_apres_3007.pptx
vinicius-de-moraes_apres_3007.pptxClarice Menezes
 
A-SEMANA-DE-ARTE-MODERNA_apres.pptx
A-SEMANA-DE-ARTE-MODERNA_apres.pptxA-SEMANA-DE-ARTE-MODERNA_apres.pptx
A-SEMANA-DE-ARTE-MODERNA_apres.pptxClarice Menezes
 
vinicius_de_moraes_apres_3008.pptx
vinicius_de_moraes_apres_3008.pptxvinicius_de_moraes_apres_3008.pptx
vinicius_de_moraes_apres_3008.pptxClarice Menezes
 
Apresentação_celular_1
Apresentação_celular_1Apresentação_celular_1
Apresentação_celular_1Clarice Menezes
 
Apresentação 2 celular_ead
Apresentação 2 celular_eadApresentação 2 celular_ead
Apresentação 2 celular_eadClarice Menezes
 
Apresentação_Projeto_Mitos_e_Lendas
Apresentação_Projeto_Mitos_e_LendasApresentação_Projeto_Mitos_e_Lendas
Apresentação_Projeto_Mitos_e_LendasClarice Menezes
 
10 hábitos de estudos que valem a pena
10 hábitos de estudos que valem a pena10 hábitos de estudos que valem a pena
10 hábitos de estudos que valem a penaClarice Menezes
 

Mais de Clarice Menezes (13)

Cecília Meireles_apres_3008.pptx
Cecília Meireles_apres_3008.pptxCecília Meireles_apres_3008.pptx
Cecília Meireles_apres_3008.pptx
 
vinicius-de-moraes_apres_3007.pptx
vinicius-de-moraes_apres_3007.pptxvinicius-de-moraes_apres_3007.pptx
vinicius-de-moraes_apres_3007.pptx
 
A-SEMANA-DE-ARTE-MODERNA_apres.pptx
A-SEMANA-DE-ARTE-MODERNA_apres.pptxA-SEMANA-DE-ARTE-MODERNA_apres.pptx
A-SEMANA-DE-ARTE-MODERNA_apres.pptx
 
vinicius_de_moraes_apres_3008.pptx
vinicius_de_moraes_apres_3008.pptxvinicius_de_moraes_apres_3008.pptx
vinicius_de_moraes_apres_3008.pptx
 
murilo_mendes_apres.pdf
murilo_mendes_apres.pdfmurilo_mendes_apres.pdf
murilo_mendes_apres.pdf
 
Raquel de Queiroz .pdf
Raquel de Queiroz .pdfRaquel de Queiroz .pdf
Raquel de Queiroz .pdf
 
Apresentação_celular_1
Apresentação_celular_1Apresentação_celular_1
Apresentação_celular_1
 
Realismo
Realismo Realismo
Realismo
 
Naturalismo
Naturalismo Naturalismo
Naturalismo
 
Naturalismo
NaturalismoNaturalismo
Naturalismo
 
Apresentação 2 celular_ead
Apresentação 2 celular_eadApresentação 2 celular_ead
Apresentação 2 celular_ead
 
Apresentação_Projeto_Mitos_e_Lendas
Apresentação_Projeto_Mitos_e_LendasApresentação_Projeto_Mitos_e_Lendas
Apresentação_Projeto_Mitos_e_Lendas
 
10 hábitos de estudos que valem a pena
10 hábitos de estudos que valem a pena10 hábitos de estudos que valem a pena
10 hábitos de estudos que valem a pena
 

Último

TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptxTIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptxMarceloMonteiro213738
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docxGeometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docxlucivaniaholanda
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxRaquelMartins389880
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorialNeuroppIsnayaLciaMar
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"Ilda Bicacro
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalcarlamgalves5
 
Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaanapsuls
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"Ilda Bicacro
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteLeonel Morgado
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfRILTONNOGUEIRADOSSAN
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdfARIANAMENDES11
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfssuserbb4ac2
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasMonizeEvellin2
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....LuizHenriquedeAlmeid6
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Rosana Andrea Miranda
 

Último (20)

TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptxTIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
TIPOS DE CALOR CALOR LATENTE E CALOR SENSIVEL.pptx
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docxGeometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola pública
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 

Realismo

  • 2. Contexto Histórico  O realismo foi um movimento que trouxe grandes transformações e novidades, usando a realidade como orientação através de palavras. Começando pela criação de áreas na literatura (que eram praticamente inexistentes) como críticas literárias, textos jornalísticos, estudos históricos, crônicas e contos.  Se formos estudar bem, veremos que o realismo existe a um bom tempo, desde as primeiras manifestações da humanidade. Mas foi só no século XIX que ele de fato, foi considerado. O “ponta pé” inicial no realismo se deu em 1881, com a publicação de “Memórias póstumas de Brás Cuba’’, de Machado de Assis e “O mulato’’, de Aluísio Azevedo.  O Realismo foi tão fundamental na literatura que fez com que Machado de Assis fundasse a Academia Brasileira de letras, dando início ao que chamamos de “literatura brasileira’’.
  • 3. Contexto Histórico  O realismo foi um movimento que trouxe grandes transformações e novidades, usando a realidade como orientação através de palavras. Começando pela criação de áreas na literatura (que eram praticamente inexistentes) como críticas literárias, textos jornalísticos, estudos históricos, crônicas e contos.  Se formos estudar bem, veremos que o realismo existe a um bom tempo, desde as primeiras manifestações da humanidade. Mas foi só no século XIX que ele de fato, foi considerado. O “ponta pé” inicial no realismo se deu em 1881, com a publicação de “Memórias póstumas de Brás Cuba’’, de Machado de Assis e “O mulato’’, de Aluísio Azevedo.  O Realismo foi tão fundamental na literatura que fez com que Machado de Assis fundasse a Academia Brasileira de letras, dando início ao que chamamos de “literatura brasileira’’.
  • 4. Características  O Realismo apresenta características que refletem o momento em que surge. É fiel ao representar o mundo exterior, analisa as condições políticas, econômicas e sociais que influenciam os comportamentos individuais e determinam a organização social.  Principais características da estética realista : - Objetivismo - Retrato fiel da Natureza - Descrições e adjetivação objetivas, tentando captar o real como ele é - Linguagem culta e direta - Mulher não idealizada, mostrada com defeitos e qualidades - Amor e outros sentimentos subordinados aos interesses sociais - Casamento como instituição falida, contrato de interesses e convivências - Herói problemático, cheio de fraquezas, manias e incertezas - Narrativa lenta, acompanhando o tempo psicológico - Personagens trabalhadas psicologicamente - Universalismo
  • 5. Características  O objetivismo aparece como negação do subjetivismo romântico; o universalismo ocupa o lugar do personalismo. O sentimentalismo cede terreno ao materialismo. O Realismo se preocupava apenas com o presente, com o contemporâneo.  Com o desenvolvimento das ciências, muitos autores foram influenciados no século XIX, principalmente os naturalistas, onde se pode falar em cientificismo nas obras desse período.  Os autores realistas são antimonárquicos e negam a burguesia.  O Realismo é uma denominação genérica de uma escola literária que abrange as seguintes tendências:  Romance realista – Narrativa voltada para a análise psicológica e que critica a sociedade e partir do comportamento de determinados personagens, em geral, capitalistas. O romance realista tem caráter documental, sendo o retrato de uma época.  O Realismo é a expressão cultural da burguesia, de suas preocupações, anseios e aspirações. É o período de apogeu do romance, pois esse exprime de modo mais profundo e compreensível o conflito entre o indivíduo e o mundo, entre os amores e a vida real.
  • 6. Principais Autores Machado de Assis (1839-1908) Joaquim Maria Machado de Assis é considerado um dos melhores escritores do país e do continente, com obras que predominam o pessimismo e a ironia. Esse escritor nasceu no Rio de janeiro e teve seu primeiro poema publicado em 1855, que se chamava “Ela”. Foi um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras (foi também presidente da entidade) além de ter trabalhado como tipógrafo, jornalista e escritor. Principais obras: -Crisálidas (1861) - A mão e a Luva (1874) -Iaiá Garcia (1878) -Memórias Póstumas de Brás Cubas (1881) -Quincas Borba (1891) -Dom Casmurro (1899) -Esaú Jacó (1904)
  • 7. Principais Autores Raul da Pompéia (1863-1895) Esse autor nasceu no Rio de janeiro e estudou na capital federal, graduando-se em Direito na faculdade de Recife. Era um abolicionista de temperamento forte, o que garantiu muitas inimizades. Em 1880, lançou seu primeiro romance intitulado “Uma tragédia no Amazonas”. Passou a trabalhar como jornalista, escrevendo contos e crônicas. Sua fama como escritor só deslanchou após o lançamento do livro “Ateneu”. Principais obras: -Uma Tragédia no Amazonas (1880) -As jóias da coroa (1882) -Canções sem Metro (1883) -O Ateneu (1888)
  • 8. Principais Autores José Eça de Queiróz (1845-1900) Eça de Queiróz foi um dos grandes nomes da literatura portuguesa. O escritor participou de um período de mudança, em que o romantismo dava lugar ao realismo. O escritor português escreveu os primeiros textos com características românticas. A segunda fase, no entanto, foi marcada pelo realismo. Eça de Queiróz foi um dos responsáveis pelo início do Realismo em Portugal. Principais obras: -O crime do padre amaro (1876) -O primo Basílio (1878) -A relíquia (1887)
  • 9. Principais Obras  A obra que marca o início do Realismo na literatura é Madame de Bovary de Gustave Flaubert. Constitui uma das maiores obras da estética realista da Literatura Francesa.  Já no Brasil o grande marco é a publicação de Memórias Póstumas de Brás Cubas de Machado de Assis. Memórias Póstumas de Brás Cubas retrata a escravidão, as classes sociais, o cientificismo e o positivismo da época chegando a criar, inclusive, uma nova filosofia, mais bem desenvolvida posteriormente em Quincas Borba (1891) — o Humanitismo, sátira à lei do mais forte.  Continuação de Memórias Póstumas de Brás Cubas, Quincas Borba este livro é considerado pela crítica moderna o segundo da trilogia realista de Machado de Assis, em que o autor esteve preocupado em utilizar o pessimismo e a ironia para criticar os costumes e a filosofia de seu tempo, embora não subtraia resíduos românticos da trama. Entre as obras de Raul Pompéia, O Ateneu é, sobretudo, um exemplo impressionista na literatura brasileira, também considerada uma obra Naturalista. Visconde de Taunay destaca-se na literatura regionalista. Sua obra-prima, Inocência, é transitória entre Romantismo e Realismo.
  • 10. Créditos...  Colégio: C.E Visconde De Cairu  Turma: 2019  Professora: Clarice  Grupo: 5  Alunos: Gabriella Montenegro, Kallyane Cordeiro, Iury Pereira, Felipe de Oliveira  Números: 12,18,14,10
  • 11. Bibliografia  http://aprovadonovestibular.com/realismo-autores-obras- caracteristicas.html  http://www.mundoeducacao.com/literatura/realismo.htm  http://escritores- brasileiros.info/mos/view/Escritores_Brasileiros_do_Realismo_e_Natur alismo/  http://www.youtube.com/watch?v=VeiuJkzcByU