SlideShare uma empresa Scribd logo
REALISMO-
         NATURALISMO
         EM PORTUGAL


      REAL+ISMO =REAL (do Latim
                          res)=Fato +
ISMO = crença, doutrina = REALISMO
“... a tendência agora é manter-se dentro do campo dos
fatos e de nada mais do que fatos”.
Gustave Flaubert




           Assim,Realismo é a doutrina do fato, é o
            movimento literário pautado na realidade. O
            Realismo é considerado a estética de reação
            aos ideais românticos, principalmente contrária
            ao seu idealismo e subjetivismo exagerados.
            Como pregava um de seus principais autores:
I - CONTEXTO HISTÓRICO
A Revolução Industrial, iniciada no século
anterior, entra numa segunda fase,marcada
pelo crescente aumento das fábricas e da
mão-de-obra assalariada, do proletariado.
É o período da utilização do petróleo, da
eletricidade, do aço, da construção das
estradas de ferro, da invenção do telégrafo,
entre outras transformações. É o início da
estruturação do capitalismo
O Realismo também reflete uma série de doutrinas filosóficas que eram
muito difundidas na época. Entre elas, destacam-se:



   Positivismo de Augusto Comte, que rejeitava
    interpretações metafísicas da vida e defendia o
    pensamento científico;
   Socialismo de Marx, através de seu Manifesto
    Comunista;
   Evolucionismo de Charles Darwim, através da teoria
    da origem das espécies que punha em cheque as
    verdades pregadas pela igreja;
   Deteminismo de H.Tayne, defendia que o
    comportamento humano é determinado pela
    hereditariedade, pelo meio e pelo momento.
II – PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DO
REALISMO

 OBJETIVISMO
 UNIVERSALISMO

 PERSONAGENS ESFÉRICAS

 CONTEMPORANEIDADE

 DETALHISMO

 VERACIDADE

 DENÚNCIA DAS INJUSTIÇAS SOCIAIS
III- PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DO
NATURALISMO




   CLASSES SOCIAIS INFERIORES
   DETERMINISMO
   CIENTIFICÍSMO
   PERSONAGENS PATOLÓGICAS
   CRÍTICA SOCIAL E REFORMISMO
   ANÁLISE EXTERIOR
Realismo em Portugal (1865-1890)




  Realismo em Portugal tem como
   marco inicial a famosa Questão
               Coimbrã
A PROSA DE EÇA DE QUEIRÓS


Sua obra é dividida em três fases:
-1a. Fase - iniciação literária: resíduos românticos.
  Obra: O Mistério da Estrada de Sintra
 -2a. Fase - adesão às ideias realistas:
  Obras: O Crime do Padre Amaro,O Primo Basílio,Os
   Maias
 -3a. Fase - maturidade intelectual:período otimista, de
   esperança e fé.
 Obras: A Ilustre Casa de Ramires e A Cidade e as
   Serras
A POESIA DE ANTERO DE
QUENTAL



 lideroua Questão Coimbrã, também
  chamada Questão do Bom Senso e Bom
  Gosto. Obras: Sonetos, Beatrice, Odes
  Modernas, Raios de extinta luz.
Poesia: A um poeta
 Tu que dormes, espírito sereno
 Posto à sombra dos cedros seculares,
 Como um levita à sombra dos altares,
 Longe da luta e do fragor terreno.

 Acorda! é tempo! O sol já alto e pleno,
 afugentou as larvas tumulares...
 Para surgir do seio desses mares,
 Um mundo novo espera só um aceno...

 Escuta! é a grande voz das multidões!
 São teus irmãos que se erguem! são canções...
 Mas de guerra... e são vozes de rebate!

 Ergue-te, pois, soldado do Futuro!
 E dos raios de luz do sonho puro,
 Sonhador, faze espada de combate!
O REALISMO- NATURALISMO NO BRASIL
(1881-1893)



 Realismo no Brasil teve seu início,oficialmente,em 1881, com a
 publicação de Memórias Póstumas de Brás Cubas, de seu mais
 célebre autor,Machado de Assis. Esta escola só entra em
 declínio com o surgimento do Parnasianismo,por volta de 1890

  No Brasil, as primeiras obras naturalistas são publicadas
 em1880. O primeiro romance é O mulato(1881) do maranhense
 Aluísio de Azevedo,o escritor que melhor representa a corrente
 literária do naturalismo entre nós.
CONTEXTO HISTÓRICO-SOCIAL
   teorias de nova interpretação da realidade - Positivismo,
    Socialismo Científico e Evolucionismo
   no Brasil, campanha abolicionista a partir de 1850 que culmina
    com a Lei Áurea em 1888
   fundação do Partido Republicano nacional após a Guerra do
    Paraguai
   decadência da monarquia brasileira
   fim da mão-de-obra escrava e sua substituição por trabalho
    assalariado
   imigrantes europeus para a lavoura cafeeira
   economia mais voltada para o mercado externo, sem
    colonialismo
Aluísio Azevedo
   foi o grande representante do Naturalismo
    brasileiro. Para esse autor o homem era fruto
    dos elementos biológicos(raça) e das
    circunstâncias do tempo e do meio em que
    vivia. Veja sua imagem

   Obras Principais:
   Uma Lágrima de Mulher (1879), O Mulato
    (1881), Memórias de um Condenado (1882),
    Mistério da Tijuca (1882), Casa de Pensão
    (1884), Filomena Borges (1884), O Coruja
    (1885), O Homem (1887), O Cortiço (1890), A
    Mortalha de Alzira (1894), Livro de uma Sogra
    (1895) - romances
Os cortiços são habitações coletivas e foram muito comuns no final
do século XIX, habitados principalmente pelos trabalhadores não-
qualificados que vinham para as cidades em busca de melhores
empregos.
MACHADO DE ASSIS




Joaquim Maria Machado de Assis é considerado um dos mais importantes
escritores da literatura brasileira. Nasceu no Rio de Janeiro em 21/6/1839, filho de
uma família muito pobre. Mulato e vítima de preconceito, perdeu na infância sua
mãe e foi criado pela madrasta. Superou todas as dificuldades da época e torno-se
um grande escritor.
1ª FASE (Tendências românticas) Obras: Ressurreição, A mão e a luva, Helena,
Iaiá Garcia
2ª FASE (Tendências realistas)
           - Obras: Memórias Póstumas de Brás Cubas, Quincas Borba, Dom
Casmurro, Esaú e Jacó e Memorial de Aires.
RAUL POMPÉIA



   Sua obra de maior importância é O Ateneu, que tem algum caráter
    autobiográfico e garantiu ao autor lugar entre os maiores romancistas
    brasileiros. Nas passagens a seguir, note a linguagem rebuscada que o
    autor usa.
PARNASIANISMO
   O Parnasianismo surgiu na França em oposição às
    escolas literárias Realismo e Naturalismo, opondo-
    se à prosa, já que foi um movimento
    essencialmente poético.
   A escola teve influência da doutrina “arte pela arte”
    apresentada por Théophile Gautier, poeta e crítico
    literário francês, ainda no período do Romantismo.
    A teoria da “arte pela arte” ressalta o belo e o
    refinamento através da autonomia da arte alheia à
    realidade.
PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS
   Arte pela arte: sem influências da realidade nas formas ou
    conteúdos.
    Objetividade: em oposição ao sentimentalismo exacerbado.
    Culto da forma: ao contrário do descuido formal dos românticos
    Impessoalidade: negação ao sentimentalismo romântico.
    Racionalismo: surge a poesia de meditação, filosófica.
    Visão carnal do amor: em oposição à visão espiritual dos
    românticos..
Alberto de Oliveira, Raimundo Correia e Olavo
Bilac – a tríade brasileira do Parnasianismo.
poema “Profissão de fé” de
Olavo Bilac
 E horas sem conta passo, mudo,
 O olhar atento,
 A trabalhar, longe de tudo
 O pensamento.
 Porque o escrever – tanta perícia
 Tanta requer,
 Que ofício tal... nem há notícia
 De outro qualquer.
 Assim procedo. Minha pena
 Segue esta norma,
 Por servir-te, Deusa serena,
 Serena Forma!
ALGUMAS OBRAS DE BILAC

 Poesias, 1888
 Via Láctea, 1888
 Sarças de Fogo, 1888
 Crônicas e Novelas, 1894
 O Caçador de Esmeraldas, poesia,1902
Veja a poesia “As pombas”, de Raimundo Correia,
na qual há presença da exaltação das formas, da
métrica perfeita e da natureza:

  “Vai-se a primeira pomba despertada ...
   Vai-se outra mais ... mais outra ... enfim dezenas
   De pombas vão-se dos pombais, apenas
   Raia sanguínea e fresca a madrugada ...
   E à tarde, quando a rígida nortada
   Sopra, aos pombais de novo elas, serenas,
   Ruflando as asas, sacudindo as penas,
   Voltam todas em bando e em revoada...
   Também dos corações onde abotoam,
   Os sonhos, um por um, céleres voam,
   Como voam as pombas dos pombais;
   No azul da adolescência as asas soltam,
   Fogem... Mas aos pombais as pombas voltam,
   E eles aos corações não voltam mais...”
SIMBOLISMO

O simbolismo foi um movimento que se
desenvolveu nas artes plásticas, teatro e
literatura. Surgiu na França, no final do
século XIX, em oposição ao Naturalismo e ao
Realismo.
Simbolismo no Brasil

 No Brasil, o simbolismo teve início no ano de
 1893, com a publicação de duas obras de
 Cruz e Souza: Missal (prosa) e Broquéis
 (poesia).
Principais características
 Ênfase  em temas místicos, imaginários e
  subjetivos;
 Preocupação com a forma;

 Musicalidade;

 Linguagem indireta;

 Dubiedade de sentido;

 Linguagem indireta.
Principais artistas simbolistas
 NoBrasil, dois grandes poetas
 destacaram-se dentro do movimento
 simbolista: Cruz e Sousa, e Alphonsus de
 Guimarães.
CRUZ E SOUSA é considerado
o maior simbolista brasileiro
 Ah! Toda a Alma num cárcere anda presa,
 soluçando nas trevas, entre as grades
 do calabouço olhando imensidades,
 mares, estrelas, tardes, natureza.
 Tudo se veste de uma igual grandeza
 quando a alma entre grilhões as liberdades
 sonha e sonhando, as imortalidades
 rasga no etéreo Espaço da Pureza.
 Ó almas presas, mudas e fechadas
 nas prisões colossais e abandonadas,
 da Dor no calabouço, atroz, funéreo!
 Nesses silêncios solitários, graves,
 que chaveiro do Céu possui as chaves
 para abrir-vos as portas do Mistério?!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Realismo x Romantismo
Realismo x RomantismoRealismo x Romantismo
Realismo x Romantismo
Amanda Rodrigues
 
Realismo em Portugal
Realismo em Portugal Realismo em Portugal
Realismo em Portugal
Daniel Gonçalves
 
Romantismo e suas gerações.
Romantismo e suas gerações. Romantismo e suas gerações.
Romantismo e suas gerações.
Jéssica Moresi
 
Romantismo - aula
Romantismo - aulaRomantismo - aula
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
Cláudia Heloísa
 
O que é Literatura?
O que é Literatura?O que é Literatura?
O que é Literatura?
Faell Vasconcelos
 
Romantismo - As 3 gerações - Resumo Completo
Romantismo - As 3 gerações - Resumo CompletoRomantismo - As 3 gerações - Resumo Completo
Romantismo - As 3 gerações - Resumo Completo
Faell Vasconcelos
 
Fernando pessoa
Fernando pessoaFernando pessoa
Fernando pessoa
Colégio Santa Luzia
 
Slide realismo
Slide realismoSlide realismo
Slide realismo
JulianaBibiano
 
Realismo e Naturalismo - Literatura
Realismo e Naturalismo - LiteraturaRealismo e Naturalismo - Literatura
Realismo e Naturalismo - Literatura
Cynthia Funchal
 
Parnasianismo'
Parnasianismo'Parnasianismo'
1ª fase do modernismo
1ª fase do modernismo1ª fase do modernismo
1ª fase do modernismo
Luciene Gomes
 
Romantismo no Brasil
Romantismo no BrasilRomantismo no Brasil
Romantismo no Brasil
CrisBiagio
 
Naturalismo
NaturalismoNaturalismo
Naturalismo
jairanselmo
 
O pré modernismo
O pré modernismoO pré modernismo
O pré modernismo
Ana Batista
 
Parnasianismo de Olavo Bilac
Parnasianismo de Olavo BilacParnasianismo de Olavo Bilac
Parnasianismo de Olavo Bilac
Vitor Morais
 
O cortiço
O cortiçoO cortiço
O cortiço
Cláudia Heloísa
 
Realismo no brasil ll
Realismo no brasil llRealismo no brasil ll
Realismo no brasil ll
Thais Oliveira
 
Realismo
RealismoRealismo
Trovadorismo, Novelas de Cavalaria e Humanismo
Trovadorismo,  Novelas de Cavalaria e HumanismoTrovadorismo,  Novelas de Cavalaria e Humanismo
Trovadorismo, Novelas de Cavalaria e Humanismo
CrisBiagio
 

Mais procurados (20)

Realismo x Romantismo
Realismo x RomantismoRealismo x Romantismo
Realismo x Romantismo
 
Realismo em Portugal
Realismo em Portugal Realismo em Portugal
Realismo em Portugal
 
Romantismo e suas gerações.
Romantismo e suas gerações. Romantismo e suas gerações.
Romantismo e suas gerações.
 
Romantismo - aula
Romantismo - aulaRomantismo - aula
Romantismo - aula
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
 
O que é Literatura?
O que é Literatura?O que é Literatura?
O que é Literatura?
 
Romantismo - As 3 gerações - Resumo Completo
Romantismo - As 3 gerações - Resumo CompletoRomantismo - As 3 gerações - Resumo Completo
Romantismo - As 3 gerações - Resumo Completo
 
Fernando pessoa
Fernando pessoaFernando pessoa
Fernando pessoa
 
Slide realismo
Slide realismoSlide realismo
Slide realismo
 
Realismo e Naturalismo - Literatura
Realismo e Naturalismo - LiteraturaRealismo e Naturalismo - Literatura
Realismo e Naturalismo - Literatura
 
Parnasianismo'
Parnasianismo'Parnasianismo'
Parnasianismo'
 
1ª fase do modernismo
1ª fase do modernismo1ª fase do modernismo
1ª fase do modernismo
 
Romantismo no Brasil
Romantismo no BrasilRomantismo no Brasil
Romantismo no Brasil
 
Naturalismo
NaturalismoNaturalismo
Naturalismo
 
O pré modernismo
O pré modernismoO pré modernismo
O pré modernismo
 
Parnasianismo de Olavo Bilac
Parnasianismo de Olavo BilacParnasianismo de Olavo Bilac
Parnasianismo de Olavo Bilac
 
O cortiço
O cortiçoO cortiço
O cortiço
 
Realismo no brasil ll
Realismo no brasil llRealismo no brasil ll
Realismo no brasil ll
 
Realismo
RealismoRealismo
Realismo
 
Trovadorismo, Novelas de Cavalaria e Humanismo
Trovadorismo,  Novelas de Cavalaria e HumanismoTrovadorismo,  Novelas de Cavalaria e Humanismo
Trovadorismo, Novelas de Cavalaria e Humanismo
 

Destaque

Realismo x Naturalismo
Realismo x NaturalismoRealismo x Naturalismo
Realismo x Naturalismo
adenicio
 
Naturalismo, realismo
Naturalismo, realismo Naturalismo, realismo
Naturalismo, realismo
Ana Barreiros
 
O Realismo e o Naturalismo em Portugal
O Realismo e o Naturalismo em PortugalO Realismo e o Naturalismo em Portugal
O Realismo e o Naturalismo em Portugal
Hipolito Ximenes
 
Realismo
RealismoRealismo
Realismo
martinsramon
 
Naturalismo e Realismo na Pintura
Naturalismo e Realismo na PinturaNaturalismo e Realismo na Pintura
Naturalismo e Realismo na Pintura
Carlos Pinheiro
 
Naturalismo
NaturalismoNaturalismo
Naturalismo
Walace Cestari
 
Realismo Português
Realismo PortuguêsRealismo Português
Realismo Português
Vitor Barreto
 
Romantismo - panorama mundial e Brasileiro
Romantismo - panorama mundial e Brasileiro Romantismo - panorama mundial e Brasileiro
Romantismo - panorama mundial e Brasileiro
Barbara Falcão
 
POESIA REALISTA PORTUGUESA
POESIA REALISTA PORTUGUESAPOESIA REALISTA PORTUGUESA
POESIA REALISTA PORTUGUESA
Italo Delavechia
 
O Realismo no Brasil
O Realismo no BrasilO Realismo no Brasil
O Realismo no Brasil
Israel Ferreira
 
O Realismo em Portugal - Literatura Portuguesa
O Realismo em Portugal - Literatura PortuguesaO Realismo em Portugal - Literatura Portuguesa
O Realismo em Portugal - Literatura Portuguesa
Maria Rebelo
 
O realismo e o naturalismo no brasil
O realismo e o naturalismo no brasilO realismo e o naturalismo no brasil
O realismo e o naturalismo no brasil
hipolitus
 
Realismo e naturalismo no brasil completo
Realismo e naturalismo no brasil completoRealismo e naturalismo no brasil completo
Realismo e naturalismo no brasil completo
lucasmota251
 
Naturalismo
NaturalismoNaturalismo
Naturalismo
David Numeritos
 
Naturalismo
Naturalismo Naturalismo
Naturalismo
Sergio
 
Realismo
RealismoRealismo
Realismo
CrisBiagio
 
Aula 06 naturalismo e realismo
Aula 06 naturalismo e realismoAula 06 naturalismo e realismo
Aula 06 naturalismo e realismo
Marcio Duarte
 
Realismo e naturalismo no brasil
Realismo e naturalismo no brasilRealismo e naturalismo no brasil
Realismo e naturalismo no brasil
Hindemburg Henrique Tamiarana
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
Anjo da Luz
 
Modernismo.
Modernismo.Modernismo.
Modernismo.
Bruna
 

Destaque (20)

Realismo x Naturalismo
Realismo x NaturalismoRealismo x Naturalismo
Realismo x Naturalismo
 
Naturalismo, realismo
Naturalismo, realismo Naturalismo, realismo
Naturalismo, realismo
 
O Realismo e o Naturalismo em Portugal
O Realismo e o Naturalismo em PortugalO Realismo e o Naturalismo em Portugal
O Realismo e o Naturalismo em Portugal
 
Realismo
RealismoRealismo
Realismo
 
Naturalismo e Realismo na Pintura
Naturalismo e Realismo na PinturaNaturalismo e Realismo na Pintura
Naturalismo e Realismo na Pintura
 
Naturalismo
NaturalismoNaturalismo
Naturalismo
 
Realismo Português
Realismo PortuguêsRealismo Português
Realismo Português
 
Romantismo - panorama mundial e Brasileiro
Romantismo - panorama mundial e Brasileiro Romantismo - panorama mundial e Brasileiro
Romantismo - panorama mundial e Brasileiro
 
POESIA REALISTA PORTUGUESA
POESIA REALISTA PORTUGUESAPOESIA REALISTA PORTUGUESA
POESIA REALISTA PORTUGUESA
 
O Realismo no Brasil
O Realismo no BrasilO Realismo no Brasil
O Realismo no Brasil
 
O Realismo em Portugal - Literatura Portuguesa
O Realismo em Portugal - Literatura PortuguesaO Realismo em Portugal - Literatura Portuguesa
O Realismo em Portugal - Literatura Portuguesa
 
O realismo e o naturalismo no brasil
O realismo e o naturalismo no brasilO realismo e o naturalismo no brasil
O realismo e o naturalismo no brasil
 
Realismo e naturalismo no brasil completo
Realismo e naturalismo no brasil completoRealismo e naturalismo no brasil completo
Realismo e naturalismo no brasil completo
 
Naturalismo
NaturalismoNaturalismo
Naturalismo
 
Naturalismo
Naturalismo Naturalismo
Naturalismo
 
Realismo
RealismoRealismo
Realismo
 
Aula 06 naturalismo e realismo
Aula 06 naturalismo e realismoAula 06 naturalismo e realismo
Aula 06 naturalismo e realismo
 
Realismo e naturalismo no brasil
Realismo e naturalismo no brasilRealismo e naturalismo no brasil
Realismo e naturalismo no brasil
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
 
Modernismo.
Modernismo.Modernismo.
Modernismo.
 

Semelhante a Realismo naturalismo

Realismo narturalismo 2016
Realismo narturalismo 2016Realismo narturalismo 2016
Realismo narturalismo 2016
Josi Motta
 
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie (1).ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie (1).pptrealismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie (1).ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie (1).ppt
ANDRESSASILVADESOUSA
 
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.pptrealismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.ppt
AliceEmanuelladeOliv
 
realismo-naturalismo resumo slides.ppt
realismo-naturalismo resumo slides.pptrealismo-naturalismo resumo slides.ppt
realismo-naturalismo resumo slides.ppt
Carlos100coliCoimbra
 
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.pptrealismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.ppt
LeandroBolivar1
 
REALISMO.ppt
REALISMO.pptREALISMO.ppt
REALISMO.ppt
keilaoliveira69
 
Realismo
RealismoRealismo
Realismo
RealismoRealismo
Realismo
Fabio Melo
 
Realismo - Naturalismo
Realismo - NaturalismoRealismo - Naturalismo
Realismo - Naturalismo
Andriane Cursino
 
Língua portuguesa
Língua portuguesaLíngua portuguesa
Língua portuguesa
Lucas Alan
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Trabalho sobre Os Maias - Episódios da Vida Romântica
Trabalho sobre Os Maias - Episódios da Vida RomânticaTrabalho sobre Os Maias - Episódios da Vida Romântica
Trabalho sobre Os Maias - Episódios da Vida Romântica
LuisMagina
 
O realismo e o naturalismo em portugal e no brasil
O realismo e o naturalismo em portugal e no brasilO realismo e o naturalismo em portugal e no brasil
O realismo e o naturalismo em portugal e no brasil
Jose Arnaldo Silva
 
Realismo
Realismo Realismo
Realismo
Clarice Menezes
 
Realismofinal 100118094323-phpapp01 (1)
Realismofinal 100118094323-phpapp01 (1)Realismofinal 100118094323-phpapp01 (1)
Realismofinal 100118094323-phpapp01 (1)
Silmara Braz
 
Simbolismo by trabalho da hora
Simbolismo by trabalho da horaSimbolismo by trabalho da hora
Simbolismo by trabalho da hora
Douglas Maga
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
Jubonizio
 
Literaturas sobre realismo (2)
Literaturas sobre realismo (2)Literaturas sobre realismo (2)
Literaturas sobre realismo (2)
Equipemundi2014
 
ESCOLAS LITERÁRIAS.ppt
ESCOLAS LITERÁRIAS.pptESCOLAS LITERÁRIAS.ppt
ESCOLAS LITERÁRIAS.ppt
CsarMarin3
 
Revisão literária
Revisão literária Revisão literária
Revisão literária
MichellyMadalena1
 

Semelhante a Realismo naturalismo (20)

Realismo narturalismo 2016
Realismo narturalismo 2016Realismo narturalismo 2016
Realismo narturalismo 2016
 
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie (1).ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie (1).pptrealismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie (1).ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie (1).ppt
 
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.pptrealismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.ppt
 
realismo-naturalismo resumo slides.ppt
realismo-naturalismo resumo slides.pptrealismo-naturalismo resumo slides.ppt
realismo-naturalismo resumo slides.ppt
 
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.pptrealismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.ppt
 
REALISMO.ppt
REALISMO.pptREALISMO.ppt
REALISMO.ppt
 
Realismo
RealismoRealismo
Realismo
 
Realismo
RealismoRealismo
Realismo
 
Realismo - Naturalismo
Realismo - NaturalismoRealismo - Naturalismo
Realismo - Naturalismo
 
Língua portuguesa
Língua portuguesaLíngua portuguesa
Língua portuguesa
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
 
Trabalho sobre Os Maias - Episódios da Vida Romântica
Trabalho sobre Os Maias - Episódios da Vida RomânticaTrabalho sobre Os Maias - Episódios da Vida Romântica
Trabalho sobre Os Maias - Episódios da Vida Romântica
 
O realismo e o naturalismo em portugal e no brasil
O realismo e o naturalismo em portugal e no brasilO realismo e o naturalismo em portugal e no brasil
O realismo e o naturalismo em portugal e no brasil
 
Realismo
Realismo Realismo
Realismo
 
Realismofinal 100118094323-phpapp01 (1)
Realismofinal 100118094323-phpapp01 (1)Realismofinal 100118094323-phpapp01 (1)
Realismofinal 100118094323-phpapp01 (1)
 
Simbolismo by trabalho da hora
Simbolismo by trabalho da horaSimbolismo by trabalho da hora
Simbolismo by trabalho da hora
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
 
Literaturas sobre realismo (2)
Literaturas sobre realismo (2)Literaturas sobre realismo (2)
Literaturas sobre realismo (2)
 
ESCOLAS LITERÁRIAS.ppt
ESCOLAS LITERÁRIAS.pptESCOLAS LITERÁRIAS.ppt
ESCOLAS LITERÁRIAS.ppt
 
Revisão literária
Revisão literária Revisão literária
Revisão literária
 

Realismo naturalismo

  • 1. REALISMO- NATURALISMO EM PORTUGAL REAL+ISMO =REAL (do Latim res)=Fato + ISMO = crença, doutrina = REALISMO
  • 2. “... a tendência agora é manter-se dentro do campo dos fatos e de nada mais do que fatos”. Gustave Flaubert Assim,Realismo é a doutrina do fato, é o movimento literário pautado na realidade. O Realismo é considerado a estética de reação aos ideais românticos, principalmente contrária ao seu idealismo e subjetivismo exagerados. Como pregava um de seus principais autores:
  • 3. I - CONTEXTO HISTÓRICO A Revolução Industrial, iniciada no século anterior, entra numa segunda fase,marcada pelo crescente aumento das fábricas e da mão-de-obra assalariada, do proletariado. É o período da utilização do petróleo, da eletricidade, do aço, da construção das estradas de ferro, da invenção do telégrafo, entre outras transformações. É o início da estruturação do capitalismo
  • 4. O Realismo também reflete uma série de doutrinas filosóficas que eram muito difundidas na época. Entre elas, destacam-se:  Positivismo de Augusto Comte, que rejeitava interpretações metafísicas da vida e defendia o pensamento científico;  Socialismo de Marx, através de seu Manifesto Comunista;  Evolucionismo de Charles Darwim, através da teoria da origem das espécies que punha em cheque as verdades pregadas pela igreja;  Deteminismo de H.Tayne, defendia que o comportamento humano é determinado pela hereditariedade, pelo meio e pelo momento.
  • 5. II – PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DO REALISMO  OBJETIVISMO  UNIVERSALISMO  PERSONAGENS ESFÉRICAS  CONTEMPORANEIDADE  DETALHISMO  VERACIDADE  DENÚNCIA DAS INJUSTIÇAS SOCIAIS
  • 6. III- PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DO NATURALISMO  CLASSES SOCIAIS INFERIORES  DETERMINISMO  CIENTIFICÍSMO  PERSONAGENS PATOLÓGICAS  CRÍTICA SOCIAL E REFORMISMO  ANÁLISE EXTERIOR
  • 7. Realismo em Portugal (1865-1890) Realismo em Portugal tem como marco inicial a famosa Questão Coimbrã
  • 8. A PROSA DE EÇA DE QUEIRÓS Sua obra é dividida em três fases: -1a. Fase - iniciação literária: resíduos românticos. Obra: O Mistério da Estrada de Sintra -2a. Fase - adesão às ideias realistas: Obras: O Crime do Padre Amaro,O Primo Basílio,Os Maias -3a. Fase - maturidade intelectual:período otimista, de esperança e fé. Obras: A Ilustre Casa de Ramires e A Cidade e as Serras
  • 9. A POESIA DE ANTERO DE QUENTAL  lideroua Questão Coimbrã, também chamada Questão do Bom Senso e Bom Gosto. Obras: Sonetos, Beatrice, Odes Modernas, Raios de extinta luz.
  • 10. Poesia: A um poeta Tu que dormes, espírito sereno Posto à sombra dos cedros seculares, Como um levita à sombra dos altares, Longe da luta e do fragor terreno. Acorda! é tempo! O sol já alto e pleno, afugentou as larvas tumulares... Para surgir do seio desses mares, Um mundo novo espera só um aceno... Escuta! é a grande voz das multidões! São teus irmãos que se erguem! são canções... Mas de guerra... e são vozes de rebate! Ergue-te, pois, soldado do Futuro! E dos raios de luz do sonho puro, Sonhador, faze espada de combate!
  • 11. O REALISMO- NATURALISMO NO BRASIL (1881-1893) Realismo no Brasil teve seu início,oficialmente,em 1881, com a publicação de Memórias Póstumas de Brás Cubas, de seu mais célebre autor,Machado de Assis. Esta escola só entra em declínio com o surgimento do Parnasianismo,por volta de 1890 No Brasil, as primeiras obras naturalistas são publicadas em1880. O primeiro romance é O mulato(1881) do maranhense Aluísio de Azevedo,o escritor que melhor representa a corrente literária do naturalismo entre nós.
  • 12. CONTEXTO HISTÓRICO-SOCIAL  teorias de nova interpretação da realidade - Positivismo, Socialismo Científico e Evolucionismo  no Brasil, campanha abolicionista a partir de 1850 que culmina com a Lei Áurea em 1888  fundação do Partido Republicano nacional após a Guerra do Paraguai  decadência da monarquia brasileira  fim da mão-de-obra escrava e sua substituição por trabalho assalariado  imigrantes europeus para a lavoura cafeeira  economia mais voltada para o mercado externo, sem colonialismo
  • 13. Aluísio Azevedo  foi o grande representante do Naturalismo brasileiro. Para esse autor o homem era fruto dos elementos biológicos(raça) e das circunstâncias do tempo e do meio em que vivia. Veja sua imagem  Obras Principais:  Uma Lágrima de Mulher (1879), O Mulato (1881), Memórias de um Condenado (1882), Mistério da Tijuca (1882), Casa de Pensão (1884), Filomena Borges (1884), O Coruja (1885), O Homem (1887), O Cortiço (1890), A Mortalha de Alzira (1894), Livro de uma Sogra (1895) - romances
  • 14. Os cortiços são habitações coletivas e foram muito comuns no final do século XIX, habitados principalmente pelos trabalhadores não- qualificados que vinham para as cidades em busca de melhores empregos.
  • 15. MACHADO DE ASSIS Joaquim Maria Machado de Assis é considerado um dos mais importantes escritores da literatura brasileira. Nasceu no Rio de Janeiro em 21/6/1839, filho de uma família muito pobre. Mulato e vítima de preconceito, perdeu na infância sua mãe e foi criado pela madrasta. Superou todas as dificuldades da época e torno-se um grande escritor. 1ª FASE (Tendências românticas) Obras: Ressurreição, A mão e a luva, Helena, Iaiá Garcia 2ª FASE (Tendências realistas) - Obras: Memórias Póstumas de Brás Cubas, Quincas Borba, Dom Casmurro, Esaú e Jacó e Memorial de Aires.
  • 16. RAUL POMPÉIA  Sua obra de maior importância é O Ateneu, que tem algum caráter autobiográfico e garantiu ao autor lugar entre os maiores romancistas brasileiros. Nas passagens a seguir, note a linguagem rebuscada que o autor usa.
  • 17. PARNASIANISMO  O Parnasianismo surgiu na França em oposição às escolas literárias Realismo e Naturalismo, opondo- se à prosa, já que foi um movimento essencialmente poético.  A escola teve influência da doutrina “arte pela arte” apresentada por Théophile Gautier, poeta e crítico literário francês, ainda no período do Romantismo. A teoria da “arte pela arte” ressalta o belo e o refinamento através da autonomia da arte alheia à realidade.
  • 18. PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS  Arte pela arte: sem influências da realidade nas formas ou conteúdos. Objetividade: em oposição ao sentimentalismo exacerbado. Culto da forma: ao contrário do descuido formal dos românticos Impessoalidade: negação ao sentimentalismo romântico. Racionalismo: surge a poesia de meditação, filosófica. Visão carnal do amor: em oposição à visão espiritual dos românticos..
  • 19. Alberto de Oliveira, Raimundo Correia e Olavo Bilac – a tríade brasileira do Parnasianismo.
  • 20. poema “Profissão de fé” de Olavo Bilac E horas sem conta passo, mudo, O olhar atento, A trabalhar, longe de tudo O pensamento. Porque o escrever – tanta perícia Tanta requer, Que ofício tal... nem há notícia De outro qualquer. Assim procedo. Minha pena Segue esta norma, Por servir-te, Deusa serena, Serena Forma!
  • 21. ALGUMAS OBRAS DE BILAC Poesias, 1888 Via Láctea, 1888 Sarças de Fogo, 1888 Crônicas e Novelas, 1894 O Caçador de Esmeraldas, poesia,1902
  • 22. Veja a poesia “As pombas”, de Raimundo Correia, na qual há presença da exaltação das formas, da métrica perfeita e da natureza: “Vai-se a primeira pomba despertada ... Vai-se outra mais ... mais outra ... enfim dezenas De pombas vão-se dos pombais, apenas Raia sanguínea e fresca a madrugada ... E à tarde, quando a rígida nortada Sopra, aos pombais de novo elas, serenas, Ruflando as asas, sacudindo as penas, Voltam todas em bando e em revoada... Também dos corações onde abotoam, Os sonhos, um por um, céleres voam, Como voam as pombas dos pombais; No azul da adolescência as asas soltam, Fogem... Mas aos pombais as pombas voltam, E eles aos corações não voltam mais...”
  • 23. SIMBOLISMO O simbolismo foi um movimento que se desenvolveu nas artes plásticas, teatro e literatura. Surgiu na França, no final do século XIX, em oposição ao Naturalismo e ao Realismo.
  • 24. Simbolismo no Brasil No Brasil, o simbolismo teve início no ano de 1893, com a publicação de duas obras de Cruz e Souza: Missal (prosa) e Broquéis (poesia).
  • 25. Principais características  Ênfase em temas místicos, imaginários e subjetivos;  Preocupação com a forma;  Musicalidade;  Linguagem indireta;  Dubiedade de sentido;  Linguagem indireta.
  • 26. Principais artistas simbolistas  NoBrasil, dois grandes poetas destacaram-se dentro do movimento simbolista: Cruz e Sousa, e Alphonsus de Guimarães.
  • 27. CRUZ E SOUSA é considerado o maior simbolista brasileiro Ah! Toda a Alma num cárcere anda presa, soluçando nas trevas, entre as grades do calabouço olhando imensidades, mares, estrelas, tardes, natureza. Tudo se veste de uma igual grandeza quando a alma entre grilhões as liberdades sonha e sonhando, as imortalidades rasga no etéreo Espaço da Pureza. Ó almas presas, mudas e fechadas nas prisões colossais e abandonadas, da Dor no calabouço, atroz, funéreo! Nesses silêncios solitários, graves, que chaveiro do Céu possui as chaves para abrir-vos as portas do Mistério?!