SlideShare uma empresa Scribd logo
Psicogênese da Língua Escrita:
contribuições, equívocos e consequências para a alfabetização
Onaide Schwartz Mendonça
Olympio Correa de Mendonça
No artigo “Psicogênese da Língua Escrita: contribuições, equívocos e
consequências para a alfabetização” são apresentados resultados da pesquisa de
Ferreiro e Teberosky, pertinente à alfabetização, e se discute a aplicação dessa teoria
com suas contribuições, equívocos e consequências.
Segundo Ferreiro e Teberosky, os níveis que o aluno percorre no processo de
alfabetização são níveis pré-silábico, silábico, silábico-alfabético e alfabético.
Os três grandes períodos que seguem a construção da teoria de Ferreiro e
Teberosky são:
1º) o da distinção entre o modo de representação icônica
(imagens) ou não icônica (letras, números, sinais);
2º) o da construção de formas de diferenciação, controle
progressivo das variações sobre o eixo qualitativo (variedade
de grafias) e o eixo quantitativo (quantidade de grafias). Esses
dois períodos configuram a fase pré-linguística ou pré-silábica;
3º) o da fonetização da escrita, quando aparecem suas atribuições
de sonorização, iniciado pelo período silábico e terminando no alfabético.
O pressuposto no qual Ferreiro e Teberosky desenvolveram suas pesquisas foi que a
escrita é uma construção real como sistema de representação historicamente acumulada pela
humanidade, e pela criança que se alfabetiza, embora não reinvente as letras e os números.
As pesquisas realizadas por Ferreiro e Teberosky buscaram superar o artificialismo dos
textos das cartilhas e as práticas mecânicas dos métodos tradicionais de tal forma que o
próprio aprendiz construísse e adquirisse conhecimentos.
A consequência da inadequada compreensão da teoria de
Ferreiro e Teberosky foi a exclusão de conteúdos específicos da
alfabetização (discriminação entre letras e sons, análise e síntese de
palavras e sílabas etc.) em detrimento de práticas que valorizam
apenas a função social da escrita.
Ferreiro e Teberosky iniciaram seus estudos sobre a
psicogênese da linguagem escrita partindo da concepção de que a
aquisição do conhecimento se baseia na atividade do sujeito em
interação com o objeto de conhecimento e demonstraram que a criança, já antes de chegar à escola, tem
ideias e faz hipóteses sobre o código escrito, descrevendo os estágios linguísticos que percorre até a aquisição
da leitura e da escrita.
Ferreiro e Teberosky desenvolveram sua pesquisa com fundamentos psicolinguísticos quando
recapitulam o construtivismo, deixando claro que a teoria piagetiana acumulava pesquisas insuficientes para
dar conta da linguagem.
Os questionamentos fundamentais que deram o norte aos estudos de Ferreiro e Teberosky foram:
a) Quais as formas iniciais do conhecimento da língua?
b) Quais os processos de conceitualização do sujeito (ideias do sujeito + realidade do objeto de
conhecimento)?
c) Como a criança chega a ser um leitor, no sentido das formas terminais de domínio da base
alfabética da língua escrita?
Ferreiro e Teberosky descrevem a criança, imersa em um mundo onde há
a presença de sistemas simbolicamente elaborados, como a escrita, procurando
compreender a natureza dessas marcas especiais.
Neste contexto, a criança vai elaborando um sistema de representação
através de um processo construtivo. Há uma progressão regular nos problemas
que enfrenta e nas soluções que encontra, para descobrir a natureza da escrita
(ordem de progressão de condutas, determinadas pela forma como o aluno
vivencia, no momento, o conhecimento).
A descoberta do processo de aquisição da língua escrita, por crianças, levou
Ferreiro a indagar sobre a condição dos analfabetos adultos. Sua pesquisa aplicada
a adultos analfabetos parte do pressuposto de que, se há saberes sobre a língua
escrita que as crianças já dominam antes mesmo de entrar na escola, os
analfabetos adultos também deveriam apresentar suas ideias e hipóteses sobre a
escrita.
Segundo Fuck, “Diferente das crianças, começamos a observar que o
analfabetizando (sic) adulto já superou o nível pré-silábico. Ele tem muito claro que
se escreve com letras e qual a função social da escrita, (mas esta é uma observação
ainda prematura).”
No nível pré-silábico, em um primeiro momento, o aprendiz pensa que
pode escrever com desenhos, rabiscos, letras ou outros sinais gráficos,
imaginando que a palavra assim inscrita representa a coisa a que se refere.
Há um avanço quando a criança percebe que a palavra escrita representa
não a coisa diretamente, mas o nome da coisa. Ao aprender as letras o
aprendiz percebe que letras são diferentes de desenhos.
O resultado decorrente da percepção de que as letras não são desenhos,
no processo de alfabetização é: o aluno avança para
o próximo nível de escrita, o silábico, sem valor
sonoro, pois de início, grafará uma letra para cada sílaba, entretanto, seu registro
não terá correspondência sonora.
A passagem para o nível silábico é feita com
atividades de vinculação do discurso oral com o texto
escrito, da palavra escrita com a palavra falada. O
aprendiz descobre que a palavra escrita representa a
palavra falada, mas só entrará para o nível silábico, à
medida que seus registros apresentarem esta relação.
Nesse nível alfabético, o aprendiz analisa na pala-
vra suas vogais e consoantes. Acredita que as palavras escritas devem representar
as palavras faladas, com correspondência absoluta de letras e sons.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Projeto ler e escrever compromisso de todas as áreas LÍNGUA ESTRANGEIRA
Projeto ler e escrever compromisso de todas as áreas LÍNGUA ESTRANGEIRAProjeto ler e escrever compromisso de todas as áreas LÍNGUA ESTRANGEIRA
Projeto ler e escrever compromisso de todas as áreas LÍNGUA ESTRANGEIRA
Adriana Melo
 
Métodos de alfabetização: Método Global x Método Fônico x Construtivismo s ls...
Métodos de alfabetização: Método Global x Método Fônico x Construtivismo s ls...Métodos de alfabetização: Método Global x Método Fônico x Construtivismo s ls...
Métodos de alfabetização: Método Global x Método Fônico x Construtivismo s ls...
Leitor Adiantado
 
Acentuação gráfica
Acentuação gráficaAcentuação gráfica
Acentuação gráfica
vinivs
 
O DESENVOLVIMENTO DA LEITURA E ESCRITA NA ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL GUIBSO...
O DESENVOLVIMENTO DA LEITURA E ESCRITA NA ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL GUIBSO...O DESENVOLVIMENTO DA LEITURA E ESCRITA NA ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL GUIBSO...
O DESENVOLVIMENTO DA LEITURA E ESCRITA NA ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL GUIBSO...
Dalva Maria Bento
 
Slides 1 ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO
Slides 1 ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTOSlides 1 ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO
Slides 1 ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO
Edna Monteiro
 
Resolução 05 2009 DCNEI Profª. BEATRIZ DORNELAS
Resolução 05 2009 DCNEI Profª. BEATRIZ DORNELASResolução 05 2009 DCNEI Profª. BEATRIZ DORNELAS
Resolução 05 2009 DCNEI Profª. BEATRIZ DORNELAS
Beatriz Dornelas
 
Língua portuguesa
Língua portuguesaLíngua portuguesa
Língua portuguesa
Moniechico Pureza
 
Consciência Fonológica
Consciência FonológicaConsciência Fonológica
Consciência Fonológica
Ananda Lima
 
A formacao continuada_do_professor_de_linguagem
A formacao continuada_do_professor_de_linguagemA formacao continuada_do_professor_de_linguagem
A formacao continuada_do_professor_de_linguagem
joanasinop30
 
Alfabetização e Letramento
Alfabetização e LetramentoAlfabetização e Letramento
Alfabetização e Letramento
Márcia Miranda
 
Linguistica slides
Linguistica slidesLinguistica slides
Linguistica slides
facope
 
Apresentação alfabetização e letramento
Apresentação alfabetização e letramentoApresentação alfabetização e letramento
Apresentação alfabetização e letramento
Vivi Veloso
 
HISTÓRIA DA ALFABETIZAÇÃO
HISTÓRIA DA ALFABETIZAÇÃOHISTÓRIA DA ALFABETIZAÇÃO
HISTÓRIA DA ALFABETIZAÇÃO
Edlauva Santos
 
Alfabetização e letramento (slide)
Alfabetização e letramento (slide)Alfabetização e letramento (slide)
Alfabetização e letramento (slide)
PamelaAschoff
 
EJA
EJA EJA
Sistema de Escrita Alfabética - PNAIC
Sistema de Escrita Alfabética - PNAICSistema de Escrita Alfabética - PNAIC
Sistema de Escrita Alfabética - PNAIC
Vera Marlize Schröer
 
Sintese síntese do livro “psicogênese da língua escrita”
Sintese síntese do livro “psicogênese da língua escrita”   Sintese síntese do livro “psicogênese da língua escrita”
Sintese síntese do livro “psicogênese da língua escrita”
♥Marcinhatinelli♥
 
alfabetizacao_letramento.pdf
alfabetizacao_letramento.pdfalfabetizacao_letramento.pdf
alfabetizacao_letramento.pdf
israelf3
 
Legislação Educacional Brasileira
Legislação Educacional BrasileiraLegislação Educacional Brasileira
Legislação Educacional Brasileira
Messias Mota Vieira
 
Alfabetização e letramento
Alfabetização e letramentoAlfabetização e letramento
Alfabetização e letramento
Helena Zanotto
 

Mais procurados (20)

Projeto ler e escrever compromisso de todas as áreas LÍNGUA ESTRANGEIRA
Projeto ler e escrever compromisso de todas as áreas LÍNGUA ESTRANGEIRAProjeto ler e escrever compromisso de todas as áreas LÍNGUA ESTRANGEIRA
Projeto ler e escrever compromisso de todas as áreas LÍNGUA ESTRANGEIRA
 
Métodos de alfabetização: Método Global x Método Fônico x Construtivismo s ls...
Métodos de alfabetização: Método Global x Método Fônico x Construtivismo s ls...Métodos de alfabetização: Método Global x Método Fônico x Construtivismo s ls...
Métodos de alfabetização: Método Global x Método Fônico x Construtivismo s ls...
 
Acentuação gráfica
Acentuação gráficaAcentuação gráfica
Acentuação gráfica
 
O DESENVOLVIMENTO DA LEITURA E ESCRITA NA ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL GUIBSO...
O DESENVOLVIMENTO DA LEITURA E ESCRITA NA ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL GUIBSO...O DESENVOLVIMENTO DA LEITURA E ESCRITA NA ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL GUIBSO...
O DESENVOLVIMENTO DA LEITURA E ESCRITA NA ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL GUIBSO...
 
Slides 1 ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO
Slides 1 ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTOSlides 1 ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO
Slides 1 ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO
 
Resolução 05 2009 DCNEI Profª. BEATRIZ DORNELAS
Resolução 05 2009 DCNEI Profª. BEATRIZ DORNELASResolução 05 2009 DCNEI Profª. BEATRIZ DORNELAS
Resolução 05 2009 DCNEI Profª. BEATRIZ DORNELAS
 
Língua portuguesa
Língua portuguesaLíngua portuguesa
Língua portuguesa
 
Consciência Fonológica
Consciência FonológicaConsciência Fonológica
Consciência Fonológica
 
A formacao continuada_do_professor_de_linguagem
A formacao continuada_do_professor_de_linguagemA formacao continuada_do_professor_de_linguagem
A formacao continuada_do_professor_de_linguagem
 
Alfabetização e Letramento
Alfabetização e LetramentoAlfabetização e Letramento
Alfabetização e Letramento
 
Linguistica slides
Linguistica slidesLinguistica slides
Linguistica slides
 
Apresentação alfabetização e letramento
Apresentação alfabetização e letramentoApresentação alfabetização e letramento
Apresentação alfabetização e letramento
 
HISTÓRIA DA ALFABETIZAÇÃO
HISTÓRIA DA ALFABETIZAÇÃOHISTÓRIA DA ALFABETIZAÇÃO
HISTÓRIA DA ALFABETIZAÇÃO
 
Alfabetização e letramento (slide)
Alfabetização e letramento (slide)Alfabetização e letramento (slide)
Alfabetização e letramento (slide)
 
EJA
EJA EJA
EJA
 
Sistema de Escrita Alfabética - PNAIC
Sistema de Escrita Alfabética - PNAICSistema de Escrita Alfabética - PNAIC
Sistema de Escrita Alfabética - PNAIC
 
Sintese síntese do livro “psicogênese da língua escrita”
Sintese síntese do livro “psicogênese da língua escrita”   Sintese síntese do livro “psicogênese da língua escrita”
Sintese síntese do livro “psicogênese da língua escrita”
 
alfabetizacao_letramento.pdf
alfabetizacao_letramento.pdfalfabetizacao_letramento.pdf
alfabetizacao_letramento.pdf
 
Legislação Educacional Brasileira
Legislação Educacional BrasileiraLegislação Educacional Brasileira
Legislação Educacional Brasileira
 
Alfabetização e letramento
Alfabetização e letramentoAlfabetização e letramento
Alfabetização e letramento
 

Semelhante a Psicogênese da língua escrita 1

Resumo psicogênese da língua escrita
Resumo psicogênese da língua escritaResumo psicogênese da língua escrita
Resumo psicogênese da língua escrita
Jullyanna Da Silva
 
Psicog
PsicogPsicog
Psicog
katialessa
 
Psicogênese da língua escrita ana teberosky e emilia ferrero
Psicogênese da língua escrita ana teberosky e emilia ferreroPsicogênese da língua escrita ana teberosky e emilia ferrero
Psicogênese da língua escrita ana teberosky e emilia ferrero
Elaine Dourado
 
Aquino consciência fonológica na educação infantil
Aquino   consciência fonológica na educação infantilAquino   consciência fonológica na educação infantil
Aquino consciência fonológica na educação infantil
adridaleffi121212
 
Emilia ferreiro e a psicogênese da língua escrita
Emilia ferreiro e a psicogênese da língua escritaEmilia ferreiro e a psicogênese da língua escrita
Emilia ferreiro e a psicogênese da língua escrita
Dennyse Azevedo
 
Bicicleta+se+escreve+com+c+ou+com+s
Bicicleta+se+escreve+com+c+ou+com+sBicicleta+se+escreve+com+c+ou+com+s
Bicicleta+se+escreve+com+c+ou+com+s
pedagogia para licenciados
 
Anexos relatório pibid pedagogia cianorte 2014
Anexos relatório pibid pedagogia cianorte 2014Anexos relatório pibid pedagogia cianorte 2014
Anexos relatório pibid pedagogia cianorte 2014
Keila Marcelo
 
Portifolio digital TASSIA
Portifolio digital TASSIAPortifolio digital TASSIA
Portifolio digital TASSIA
Tassia Turcatto
 
A piscogênese da lingua escrita
A piscogênese da lingua escritaA piscogênese da lingua escrita
A piscogênese da lingua escrita
Kualo Kala
 
PSICOGÊNESE DA LÍNGUA ESCRITA
PSICOGÊNESE DA LÍNGUA ESCRITAPSICOGÊNESE DA LÍNGUA ESCRITA
PSICOGÊNESE DA LÍNGUA ESCRITA
Terapia online
 
Formação sindical
Formação sindicalFormação sindical
Formação sindical
Willian Gonçalves
 
Revista peb1
Revista peb1Revista peb1
Revista peb1
Armazém Do Educador
 
Alfabetização letramento
Alfabetização  letramentoAlfabetização  letramento
Alfabetização letramento
Micheli Rader
 
xxxzxxcvgfbvgjnhnfgherytryhjyujkfghjth
xxxzxxcvgfbvgjnhnfgherytryhjyujkfghjthxxxzxxcvgfbvgjnhnfgherytryhjyujkfghjth
xxxzxxcvgfbvgjnhnfgherytryhjyujkfghjth
Ítalo Mário
 
Níveis de escrita.pptx
Níveis de escrita.pptxNíveis de escrita.pptx
Níveis de escrita.pptx
FERNANDABRAVIN3
 
Alfabetização e letramento
Alfabetização e letramentoAlfabetização e letramento
Alfabetização e letramento
LianeMagnolia
 
UNIDADE 3, ENCONTRO 02
UNIDADE 3, ENCONTRO 02UNIDADE 3, ENCONTRO 02
UNIDADE 3, ENCONTRO 02
Eliane Beatriz Silva
 
Emilia ferreira nega o letramento
Emilia ferreira nega o letramentoEmilia ferreira nega o letramento
Emilia ferreira nega o letramento
Vaz Neto
 
Dificuldade de aprendizagem na escrita em crianças de escola pública oriundos...
Dificuldade de aprendizagem na escrita em crianças de escola pública oriundos...Dificuldade de aprendizagem na escrita em crianças de escola pública oriundos...
Dificuldade de aprendizagem na escrita em crianças de escola pública oriundos...
oficinadeaprendizagemace
 
Curso introdução à alfabetização infantil
Curso introdução à alfabetização infantilCurso introdução à alfabetização infantil
Curso introdução à alfabetização infantil
Vanesa Silva
 

Semelhante a Psicogênese da língua escrita 1 (20)

Resumo psicogênese da língua escrita
Resumo psicogênese da língua escritaResumo psicogênese da língua escrita
Resumo psicogênese da língua escrita
 
Psicog
PsicogPsicog
Psicog
 
Psicogênese da língua escrita ana teberosky e emilia ferrero
Psicogênese da língua escrita ana teberosky e emilia ferreroPsicogênese da língua escrita ana teberosky e emilia ferrero
Psicogênese da língua escrita ana teberosky e emilia ferrero
 
Aquino consciência fonológica na educação infantil
Aquino   consciência fonológica na educação infantilAquino   consciência fonológica na educação infantil
Aquino consciência fonológica na educação infantil
 
Emilia ferreiro e a psicogênese da língua escrita
Emilia ferreiro e a psicogênese da língua escritaEmilia ferreiro e a psicogênese da língua escrita
Emilia ferreiro e a psicogênese da língua escrita
 
Bicicleta+se+escreve+com+c+ou+com+s
Bicicleta+se+escreve+com+c+ou+com+sBicicleta+se+escreve+com+c+ou+com+s
Bicicleta+se+escreve+com+c+ou+com+s
 
Anexos relatório pibid pedagogia cianorte 2014
Anexos relatório pibid pedagogia cianorte 2014Anexos relatório pibid pedagogia cianorte 2014
Anexos relatório pibid pedagogia cianorte 2014
 
Portifolio digital TASSIA
Portifolio digital TASSIAPortifolio digital TASSIA
Portifolio digital TASSIA
 
A piscogênese da lingua escrita
A piscogênese da lingua escritaA piscogênese da lingua escrita
A piscogênese da lingua escrita
 
PSICOGÊNESE DA LÍNGUA ESCRITA
PSICOGÊNESE DA LÍNGUA ESCRITAPSICOGÊNESE DA LÍNGUA ESCRITA
PSICOGÊNESE DA LÍNGUA ESCRITA
 
Formação sindical
Formação sindicalFormação sindical
Formação sindical
 
Revista peb1
Revista peb1Revista peb1
Revista peb1
 
Alfabetização letramento
Alfabetização  letramentoAlfabetização  letramento
Alfabetização letramento
 
xxxzxxcvgfbvgjnhnfgherytryhjyujkfghjth
xxxzxxcvgfbvgjnhnfgherytryhjyujkfghjthxxxzxxcvgfbvgjnhnfgherytryhjyujkfghjth
xxxzxxcvgfbvgjnhnfgherytryhjyujkfghjth
 
Níveis de escrita.pptx
Níveis de escrita.pptxNíveis de escrita.pptx
Níveis de escrita.pptx
 
Alfabetização e letramento
Alfabetização e letramentoAlfabetização e letramento
Alfabetização e letramento
 
UNIDADE 3, ENCONTRO 02
UNIDADE 3, ENCONTRO 02UNIDADE 3, ENCONTRO 02
UNIDADE 3, ENCONTRO 02
 
Emilia ferreira nega o letramento
Emilia ferreira nega o letramentoEmilia ferreira nega o letramento
Emilia ferreira nega o letramento
 
Dificuldade de aprendizagem na escrita em crianças de escola pública oriundos...
Dificuldade de aprendizagem na escrita em crianças de escola pública oriundos...Dificuldade de aprendizagem na escrita em crianças de escola pública oriundos...
Dificuldade de aprendizagem na escrita em crianças de escola pública oriundos...
 
Curso introdução à alfabetização infantil
Curso introdução à alfabetização infantilCurso introdução à alfabetização infantil
Curso introdução à alfabetização infantil
 

Mais de Israel serique

UA 02.pdf
UA 02.pdfUA 02.pdf
UA 02.pdf
Israel serique
 
Políticas públicas - EJA
Políticas públicas - EJAPolíticas públicas - EJA
Políticas públicas - EJA
Israel serique
 
Tendências pedagógicas
Tendências pedagógicasTendências pedagógicas
Tendências pedagógicas
Israel serique
 
Psicogênese da Língua Escrita 2
Psicogênese da Língua Escrita 2Psicogênese da Língua Escrita 2
Psicogênese da Língua Escrita 2
Israel serique
 
Alfabetização e letramento 04
Alfabetização e letramento 04Alfabetização e letramento 04
Alfabetização e letramento 04
Israel serique
 
Edu básica 04
Edu básica 04Edu básica 04
Edu básica 04
Israel serique
 
Edu básica 03
Edu básica 03Edu básica 03
Edu básica 03
Israel serique
 
Edu básica 01
Edu básica 01Edu básica 01
Edu básica 01
Israel serique
 
Edu básica 02:
Edu básica 02: Edu básica 02:
Edu básica 02:
Israel serique
 
Desenv e linguagem
Desenv e linguagemDesenv e linguagem
Desenv e linguagem
Israel serique
 
Alfabetização e letramento 02
Alfabetização e letramento 02Alfabetização e letramento 02
Alfabetização e letramento 02
Israel serique
 
Alfabetização e letramento 01
Alfabetização e letramento 01Alfabetização e letramento 01
Alfabetização e letramento 01
Israel serique
 
Novas tecnologias cap 3 slide
Novas tecnologias cap 3 slideNovas tecnologias cap 3 slide
Novas tecnologias cap 3 slide
Israel serique
 
Novas tecnologias cap 2 final slide
Novas tecnologias cap 2 final slideNovas tecnologias cap 2 final slide
Novas tecnologias cap 2 final slide
Israel serique
 
Assistivos slide cap 2
Assistivos slide cap 2Assistivos slide cap 2
Assistivos slide cap 2
Israel serique
 
Novas tecnologias slide cap 1
Novas tecnologias slide cap 1Novas tecnologias slide cap 1
Novas tecnologias slide cap 1
Israel serique
 
Aula 04: equipamentos e materiais didáticos
Aula 04: equipamentos e materiais didáticosAula 04: equipamentos e materiais didáticos
Aula 04: equipamentos e materiais didáticos
Israel serique
 
tecnologias assistivas e educação
tecnologias assistivas e educaçãotecnologias assistivas e educação
tecnologias assistivas e educação
Israel serique
 
Aula 03: equipamentos didáticos
Aula 03: equipamentos didáticosAula 03: equipamentos didáticos
Aula 03: equipamentos didáticos
Israel serique
 
Aula 04: ESTATÍSTICA
Aula 04: ESTATÍSTICAAula 04: ESTATÍSTICA
Aula 04: ESTATÍSTICA
Israel serique
 

Mais de Israel serique (20)

UA 02.pdf
UA 02.pdfUA 02.pdf
UA 02.pdf
 
Políticas públicas - EJA
Políticas públicas - EJAPolíticas públicas - EJA
Políticas públicas - EJA
 
Tendências pedagógicas
Tendências pedagógicasTendências pedagógicas
Tendências pedagógicas
 
Psicogênese da Língua Escrita 2
Psicogênese da Língua Escrita 2Psicogênese da Língua Escrita 2
Psicogênese da Língua Escrita 2
 
Alfabetização e letramento 04
Alfabetização e letramento 04Alfabetização e letramento 04
Alfabetização e letramento 04
 
Edu básica 04
Edu básica 04Edu básica 04
Edu básica 04
 
Edu básica 03
Edu básica 03Edu básica 03
Edu básica 03
 
Edu básica 01
Edu básica 01Edu básica 01
Edu básica 01
 
Edu básica 02:
Edu básica 02: Edu básica 02:
Edu básica 02:
 
Desenv e linguagem
Desenv e linguagemDesenv e linguagem
Desenv e linguagem
 
Alfabetização e letramento 02
Alfabetização e letramento 02Alfabetização e letramento 02
Alfabetização e letramento 02
 
Alfabetização e letramento 01
Alfabetização e letramento 01Alfabetização e letramento 01
Alfabetização e letramento 01
 
Novas tecnologias cap 3 slide
Novas tecnologias cap 3 slideNovas tecnologias cap 3 slide
Novas tecnologias cap 3 slide
 
Novas tecnologias cap 2 final slide
Novas tecnologias cap 2 final slideNovas tecnologias cap 2 final slide
Novas tecnologias cap 2 final slide
 
Assistivos slide cap 2
Assistivos slide cap 2Assistivos slide cap 2
Assistivos slide cap 2
 
Novas tecnologias slide cap 1
Novas tecnologias slide cap 1Novas tecnologias slide cap 1
Novas tecnologias slide cap 1
 
Aula 04: equipamentos e materiais didáticos
Aula 04: equipamentos e materiais didáticosAula 04: equipamentos e materiais didáticos
Aula 04: equipamentos e materiais didáticos
 
tecnologias assistivas e educação
tecnologias assistivas e educaçãotecnologias assistivas e educação
tecnologias assistivas e educação
 
Aula 03: equipamentos didáticos
Aula 03: equipamentos didáticosAula 03: equipamentos didáticos
Aula 03: equipamentos didáticos
 
Aula 04: ESTATÍSTICA
Aula 04: ESTATÍSTICAAula 04: ESTATÍSTICA
Aula 04: ESTATÍSTICA
 

Último

Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
edivirgesribeiro1
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AntonioVieira539017
 

Último (20)

Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
 

Psicogênese da língua escrita 1

  • 1. Psicogênese da Língua Escrita: contribuições, equívocos e consequências para a alfabetização Onaide Schwartz Mendonça Olympio Correa de Mendonça
  • 2. No artigo “Psicogênese da Língua Escrita: contribuições, equívocos e consequências para a alfabetização” são apresentados resultados da pesquisa de Ferreiro e Teberosky, pertinente à alfabetização, e se discute a aplicação dessa teoria com suas contribuições, equívocos e consequências. Segundo Ferreiro e Teberosky, os níveis que o aluno percorre no processo de alfabetização são níveis pré-silábico, silábico, silábico-alfabético e alfabético. Os três grandes períodos que seguem a construção da teoria de Ferreiro e Teberosky são: 1º) o da distinção entre o modo de representação icônica (imagens) ou não icônica (letras, números, sinais); 2º) o da construção de formas de diferenciação, controle progressivo das variações sobre o eixo qualitativo (variedade de grafias) e o eixo quantitativo (quantidade de grafias). Esses dois períodos configuram a fase pré-linguística ou pré-silábica; 3º) o da fonetização da escrita, quando aparecem suas atribuições de sonorização, iniciado pelo período silábico e terminando no alfabético. O pressuposto no qual Ferreiro e Teberosky desenvolveram suas pesquisas foi que a escrita é uma construção real como sistema de representação historicamente acumulada pela humanidade, e pela criança que se alfabetiza, embora não reinvente as letras e os números. As pesquisas realizadas por Ferreiro e Teberosky buscaram superar o artificialismo dos textos das cartilhas e as práticas mecânicas dos métodos tradicionais de tal forma que o próprio aprendiz construísse e adquirisse conhecimentos.
  • 3. A consequência da inadequada compreensão da teoria de Ferreiro e Teberosky foi a exclusão de conteúdos específicos da alfabetização (discriminação entre letras e sons, análise e síntese de palavras e sílabas etc.) em detrimento de práticas que valorizam apenas a função social da escrita. Ferreiro e Teberosky iniciaram seus estudos sobre a psicogênese da linguagem escrita partindo da concepção de que a aquisição do conhecimento se baseia na atividade do sujeito em interação com o objeto de conhecimento e demonstraram que a criança, já antes de chegar à escola, tem ideias e faz hipóteses sobre o código escrito, descrevendo os estágios linguísticos que percorre até a aquisição da leitura e da escrita. Ferreiro e Teberosky desenvolveram sua pesquisa com fundamentos psicolinguísticos quando recapitulam o construtivismo, deixando claro que a teoria piagetiana acumulava pesquisas insuficientes para dar conta da linguagem. Os questionamentos fundamentais que deram o norte aos estudos de Ferreiro e Teberosky foram: a) Quais as formas iniciais do conhecimento da língua? b) Quais os processos de conceitualização do sujeito (ideias do sujeito + realidade do objeto de conhecimento)? c) Como a criança chega a ser um leitor, no sentido das formas terminais de domínio da base alfabética da língua escrita?
  • 4. Ferreiro e Teberosky descrevem a criança, imersa em um mundo onde há a presença de sistemas simbolicamente elaborados, como a escrita, procurando compreender a natureza dessas marcas especiais. Neste contexto, a criança vai elaborando um sistema de representação através de um processo construtivo. Há uma progressão regular nos problemas que enfrenta e nas soluções que encontra, para descobrir a natureza da escrita (ordem de progressão de condutas, determinadas pela forma como o aluno vivencia, no momento, o conhecimento). A descoberta do processo de aquisição da língua escrita, por crianças, levou Ferreiro a indagar sobre a condição dos analfabetos adultos. Sua pesquisa aplicada a adultos analfabetos parte do pressuposto de que, se há saberes sobre a língua escrita que as crianças já dominam antes mesmo de entrar na escola, os analfabetos adultos também deveriam apresentar suas ideias e hipóteses sobre a escrita. Segundo Fuck, “Diferente das crianças, começamos a observar que o analfabetizando (sic) adulto já superou o nível pré-silábico. Ele tem muito claro que se escreve com letras e qual a função social da escrita, (mas esta é uma observação ainda prematura).”
  • 5. No nível pré-silábico, em um primeiro momento, o aprendiz pensa que pode escrever com desenhos, rabiscos, letras ou outros sinais gráficos, imaginando que a palavra assim inscrita representa a coisa a que se refere. Há um avanço quando a criança percebe que a palavra escrita representa não a coisa diretamente, mas o nome da coisa. Ao aprender as letras o aprendiz percebe que letras são diferentes de desenhos. O resultado decorrente da percepção de que as letras não são desenhos, no processo de alfabetização é: o aluno avança para o próximo nível de escrita, o silábico, sem valor sonoro, pois de início, grafará uma letra para cada sílaba, entretanto, seu registro não terá correspondência sonora. A passagem para o nível silábico é feita com atividades de vinculação do discurso oral com o texto escrito, da palavra escrita com a palavra falada. O aprendiz descobre que a palavra escrita representa a palavra falada, mas só entrará para o nível silábico, à medida que seus registros apresentarem esta relação. Nesse nível alfabético, o aprendiz analisa na pala- vra suas vogais e consoantes. Acredita que as palavras escritas devem representar as palavras faladas, com correspondência absoluta de letras e sons.