SlideShare uma empresa Scribd logo
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
          COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL
          SUPERIOR
          DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL – DEB



ANEXO II
Edital Pibid n° /2012 CAPES
PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID
DETALHAMENTO DO SUBPROJETO (Licenciatura)


1. Nome da Instituição                                              UF
UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE                              PB
2. Subprojeto de Licenciatura em:
LICENCIATURA PLENA EM PEDAGOGIA
3. Coordenador de Área do Subprojeto:
Nome:       ANTONIO             GLAUCIO          DE        SOUSA          GOMES
CPF: 139536054-53
Departamento/Curso/Unidade: UNIDADE ACADÊMICA DE EDUCAÇÃO
Endereço residencial:     RUA CRISTINO COLAÇO 102- CATOLE-CAMPINA
GRANDE
CEP: 58410350
Telefone: DDD (83) 96204543 (83) 21011007
E-mail: AGLAUCIO@GMAIL.COM
Link para o Currículo Lattes: HTTP://Lattes.cnpq.br

4. Plano de Trabalho


4.1 Considerações Iniciais

       A escola pública de Educação Básica, em geral, apresenta deficiências no
ensino de Ciências que passam desde a má formação do professor, faltas de
equipamento adequado ao ensino, baixa remuneração e más condições para
funcionamento de laboratórios.
       É sabido que diversos são os determinantes que favorecem a deterioração da
qualidade da educação ofertada nas escolas públicas e que, muitos deles, estão
diretamente ligados às relações sociais e econômicas as quais está submetida à
grande parte da população. Essa é uma constatação que não pode levar ao
imobilismo dos que fazem a educação, pelo contrário, o sistema educacional deve
buscar sem perder de vista a globalidade e as circunstâncias, desenvolver ações
peculiares que orientem novas práticas educativas. Para isso, torna-se necessário
que as Universidades, enquanto parte desse sistema participe de forma crítica,
exercendo sua função social de conquista e vivência da cidadania dos integrantes da

                                                                                 1
sociedade que se quer democrática e socialmente referenciada.
        Esse desafio, presente, sobretudo nos cursos de formação de professores, une-
se à necessidade desses cursos articularem a formação aos aspectos inovadores que
se apresentam no mundo contemporâneo. No caso específico do pedagogo, ele deve
atuar em espaços escolares e não escolares na docência, gestão educacional e
produção/difusão do conhecimento científico e tecnológico no campo educacional.
        Para isso, urge superar a visão dicotômica, em que de um lado se coloca a
teoria e de outro a prática, historicamente presente no processo ensino-
aprendizagem, sendo fundamental uma concepção de currículo que leve em conta as
experiências vivenciadas no âmbito educacional, de modo a proporcionar aos alunos
a reflexão e a otimização de sua prática profissional.
        A formação docente surge como um dos fatores responsáveis por essa
fragilidade. Os licenciados em Pedagogia estão saindo da universidade, na maioria
das vezes, despreparados para o desafio de assumir uma sala de aula, onde as
escolas em geral não dispõem de laboratório e quando existem, são espaços
esquecidos e não utilizados, ficando o ensino de ciências restrito a informações
teóricas pouco atrativas, que em nada contribuem para a formação do aluno.
        Para as universidades surgem o grande desafio de tornar os futuros
professores capazes de conciliar os conhecimentos teóricos obtidos em sua formação
com novas praticas pedagógicas, buscando alternativas para superar a falta de
entusiasmo dos alunos e as grandes limitações de infraestrutura das escolas publicas.
        Diante desta situação a formação de um grupo de PIBID no Curso de
Pedagogia, área de Ciências Naturais em nossa universidade, formado pelo
coordenador dois supervisores e quatorze bolsistas, em muito contribuirá para
melhorar a formação acadêmica do nosso alunado, como também dos alunos de
educação básica Anos Iniciais (1º ao 5º Ano) nas escolas publicas participantes,
estimulando para que estes alunos adquiram vivência nos ensinamentos práticos da
disciplina, que irá dar suporte na melhoria na qualidade das aulas, procurando
incentivar a visão interdisciplinar abordando assuntos de grandes relevâncias através
da promoção de palestras ou realização de oficinas, viagens de campo, feira de
ciências, criação e/ou recuperação dos laboratórios existentes em suas escolas, bem
como na elaboração de projetos de educação ambiental e material didático de
laboratório “Kits” para realização de atividades experimentais sobre o assunto
previamente escolhido, apresentando a ciência aos alunos como processo de
construção e formação de cidadania.



5. Ações Previstas


   5.1-Analisar através da realização de visitas e da aplicação de um questionário de
   pesquisa as condições de ensino de Ciências Naturais nas escolas selecionadas:
   (infraestrutura, laboratório, material didático utilizado, biblioteca);
   5.2. Realizar encontros com toda a equipe do projeto nas três semanas iniciais a
   partir da implantação do projeto para discutir e refletir com os professores sobre a
   utilização dos recursos de ensino de Ciências Naturais nas escolas participantes;
   5.3. Construir um blog (multi mídia) que servirá de meio de comunicação,
   divulgação e registro das atividades dos participantes do Subprojeto de Ciências
   Naturais, onde irá abrigar os materiais didáticos utilizados e/ou produzidos;
   5.4. Produzir artigos acadêmicos a partir das atividades realizadas durante a
   execução do projeto;
   5.5. Realizar atividades de extensão para a comunidade escolar através de:
   realização de amostras dos materiais produzidos para o ensino de biologia, física e

                                                                                     2
química da área de Ciências Naturais.
  5.6. Confeccionar materiais didáticos para realização de experiências que serão
  utilizados no ensino de Ciências Naturais das Escolas conveniadas, no laboratório
  de ciências do Curso de Pedagogia da UFCG;
  5.7. Realizar seminários mensais para discutir, em equipe, tópicos de Ciências
  Naturais, problemas interessantes e confecção de material didático-pedagógico;
  5.8. Execução de atividades interdisciplinares nas escolas públicas conveniadas
  através da utilização do material concreto produzido;
  5.9. Realização de feira de Ciências nas escolas públicas conveniadas;
  5.10. Acompanhamento e análise, pelos alunos bolsistas, da avaliação dos alunos
  das escolas públicas conveniadas através da utilização de questionários com
  questões objetivas;
  5.11. Divulgação das atividades desenvolvidas no subprojeto de Ciências Naturais
  através de Blogs, Fórum, Portais e páginas.
  5.12. Divulgação das atividades do subprojeto pelo portal PIBID dos materiais
  didáticos (teóricos e práticos) elaborados e das atividades desenvolvidas neste
  subprojeto.
  5.13- Participação do encontro do PIBID/UFCG.
  5.14- Participação no Planejamento do Professor da Escola: os Bolsistas
  participarão com os Professores das turmas dos momentos de planejamento para
  que suas contribuições sejam efetivas.
  5.15- Exercício da docência acompanhado/Prática Pedagógica na Escola: os
  Bolsistas acompanharão, semanalmente, o desenvolvimento das atividades
  didáticas dos Professores em sala de aula e no laboratório nas atividades
  experimentais e contribuirá com intervenções de assunto dentro programa
  abordado sobre a supervisão do professor como uma atividade complementar.
  5.16- Elaboração de Relatório Semestral: todos os participantes do Subprojeto
  construirão sob a responsabilidade do Coordenador um relatório das atividades
  desenvolvidas no período correspondente a cada semestre letivo (contado
  segundo o Calendário Escolar da Escola participante).
  5.17- Excursão didática: os alunos bolsistas junto com o supervisor e coordenador
  realizarão excursões didáticas como complementação de atividades de pesquisa e
  extensão e práticas pedagógicas.




6. Resultados Pretendidos


  6.1- Realizar dois seminários para socializar os resultados da aplicação de um
  questionário de pesquisa sobre as condições de ensino de Ciências Naturais nas
  escolas selecionadas: (infraestrutura, laboratório, material didático utilizado,
  biblioteca);
  6.2. Realizar três encontros com toda a equipe do projeto nas três semanas
  iniciais a partir da implantação do projeto para discutir e refletir com os
  professores sobre a utilização dos recursos de ensino de Ciências Naturais nas
  escolas participantes;
  6.3. Construir um blog (multi mídia) que servirá de meio de comunicação,
  divulgação e registro das atividades dos participantes do Subprojeto de Ciências
  Naturais, onde irá abrigar os materiais didáticos utilizados e/ou produzidos;
  6.4. Produzir quatro artigos acadêmicos a partir das atividades realizadas durante
  a execução do projeto;
  6.5. Realizar quatro amostras como atividade de extensão para apresentar para a

                                                                                  3
comunidade escolar os materiais produzidos para o ensino biologia, física e
   química da área de Ciências Naturais.
   6.6. Confeccionar um conjunto de cerca de 60 materiais didáticos e kits científicos
   para realização de experiências que serão utilizados no ensino de Ciências
   Naturais das Escolas conveniadas, no laboratório de ciências do Curso de
   Pedagogia da UFCG;
   6.7. Realizar oito seminários para discutir em equipe, tópicos de Ciências
   Naturais, problemas interessantes e confecção de material didático-pedagógico;
   6.8. Realização de feira de Ciências nas escolas públicas conveniadas;
   6.9. Divulgar através da produção de cartilha o resultado da análise, realizadas
   pelos alunos bolsistas, da avaliação dos alunos das escolas públicas conveniadas
   através da utilização de questionários com questões objetivas;
   6.10. Divulgação das atividades desenvolvidas no subprojeto de Ciências Naturais
   através de Blogs, Fórum, Portais e páginas.
   6.11. Divulgação das atividades do subprojeto pelo portal PIBID dos materiais
   didáticos (teóricos e práticos) elaborados e das atividades desenvolvidas neste
   subprojeto.
   6.12- Participação do encontro do PIBID/UFCG.
   6.13- Realização de duas Excursões didáticas:
   6.14- Elaboração de Relatório Semestral
   6.15-. Diagnóstico Escolar: Criação de um relatório associado ao diagnóstico de
   cada escola conveniada ao subprojeto. Este diagnóstico deverá conter uma
   impressão dos alunos bolsistas quanto às dificuldades dos professores e alunos
   das escolas de ensino básico e da sua estrutura física e pedagógica;
   6.16- Elaboração de dois relatórios dos resultados das visitas de Campo.
   6.17- Realização de uma feira cultural interdisciplinar em cada uma das Escolas
   Conveniadas.
   6.18- Realização de uma Olimpíada de ciências Naturais nas Escolas Conveniadas.
   6.19- Aplicação de novas metodologias através do uso de modelos didáticos e
   científicos confeccionados no laboratório de Ciências da UFCG para o ensino de
   Biologia, Física e Química.
   6.20- Elaboração de Relatório final


7. Cronograma específico deste subprojeto

       O Cronograma do Subprojeto Licenciatura em Pedagogia na disciplina Ciências
Naturais está organizado por ano correspondendo, aproximadamente, ao calendário
previsto das Escolas Estaduais do Estado da Paraíba.

Atividade                                       Mês      de    Mês de conclusão
                                                início
Organização de um encontro inicial para         Mês 01         Mês 01
apresentação do subprojeto.
Apresentação    das   escolas    aos   alunos   Mês 01         Mês 01
bolsistas.
Análise do cronograma de         atividades da Mês 01          Mês 02
escola e do calendário letivo.
Produção de material sobre       o Ensino de Mês 01            Mês 10
Ciências Naturais - Produzir     Kits didáticos
para os tópicos específicos      do programa

                                                                                    4
Ciências    Naturais    (textos    didáticos,
atividades experimentais, jogos didáticos,
modelos experimentais e materiais áudio
visual).
Sessões     de     Estudo    Coletivas    de    Mês 01   Mês 08
Fundamentação Teórica – Estudo de textos e
Execução de seminários.
Acompanhamento da Prática Pedagógica na         Mês 01   Mês0 nove
Escola.
Construir um blog (multi mídia) que servirá     Mês 06   Mês 10
de meio de comunicação, divulgação e
registro das atividades dos participantes do
Subprojeto de Ciências Naturais, podendo
abrigar materiais didáticos utilizados e/ou
produzidos.
Elaborar projetos, material didático e          Mês 03   Mês 08
experimento didático de Ciências Naturais,
com base na realidade local das escolas,
através da produção e publicação de
trabalhos e da realização de uma feira de
ciências envolvendo toda comunidade das
escolas selecionadas no projeto.
Reunião com toda equipe (uma a cada mês) Mês 01          Mês 12
Planejamento e elaboração dos planos de Mês 02           Mês 02
trabalho dos bolsistas

Realização de atividades de ensino, pesquisa    Mês 03   Mês 08
e extensão voltados para o Ensino de
Ciências naturais.
Melhorar a formação profissional dos            Mês 01   Mês 12
Licenciando em Pedagogia na disciplina de
Ciências     Naturais,    tornando-os     um
profissional ciente de sua tarefa como
educador e capazes de ensinar Ciências
naturais    de     maneira     prazerosa    e
interessante      através     da     docência
acompanhada.
Fortalecer a interação entre a Universidade     Mês 01   Mês 12
Federal de Campina Grande e as escolas
parceiras neste projeto.
Realização de duas Excursões didática           Mês 04   Mês 08
Elaborar relatório anual.                       Mês 11   Mês 12

8. Plano de Trabalho do Bolsista

8.1 Planos de Trabalho do Bolsista

      O Plano de Trabalho deverá ser executado por (14) Bolsistas e consta das
seguintes fases:

8.1. Processos


                                                                            5
8.1.1 Processo de Planejamento, Capacitação e diagnóstico.

       Apresentar o subprojeto de Ciências Naturais para os alunos bolsistas e
        supervisores.
       Realizar um diagnóstico inicial da situação do Ensino de Ciências Naturais nos
        Anos Iniciais, nas Escolas participantes, respeitando e incorporando a
        experiência pedagógica já aplicada nas escolas participantes em particular
        pelos supervisores.
       Investigar a escola e compreendê-la do ponto de vista de seus atores,
        sobretudo de professores dos Anos Iniciais.
       Definir foco de intervenções: o laboratório didático e o ensino experimental –
        Estudar trabalhos de pesquisa em educação que trate da questão da
        experimentação no ensino de Ciências Naturais.
       Discutir os problemas da organização dos espaços e dos acervos dos
        laboratórios, da dinâmica de seus usos nas escolas parceiras.
       Planejar as práticas no ensino de Ciências Naturais e modos de fazer essas
        práticas nas diferentes áreas para Educação Básica Anos Iniciais, além de
        proporem aos agentes educativos, oportunidades de oferecerem aos alunos e
        professores que atuam nessas escolas mini-cursos, palestras, oficinas, etc.,
        objetivando sempre a atualização do diálogo entre as pesquisas realizadas na
        academia e as reais demandas de professores e alunos da Educação Básica.
       Apresentar o subprojeto de Ciências Naturais para os alunos bolsistas e
        supervisores.

8.1.2 Processo de Execução, docência, pesquisa e extensão.

Ações propostas:

       No processo de execução deste subprojeto, pretendemos realizar as seguintes
atividades:

   Vivência Escolar

    1. Os bolsistas realizarão os primeiros contatos com o ambiente escolar – A
       primeira ação será o reconhecimento do espaço escolar, história, organização,
       projetos pedagógicos e formas de atuação de cada escola.

    2. Orientados pelo supervisor e orientador, os bolsistas, procurarão conhecer o
       cotidiano da escola, o perfil sociocultural dos estudantes e professores, as
       relações entre seus agentes (direção, coordenação, professores, alunos e
       funcionários).

   Participação em Seminários Coletivos e Sessões de estudos:

    1. Este será um espaço destinado à exposição de conteúdos, projetos ambientais
       e de modelos didático de forma coletiva. O bolsista será responsável pela
       condução da dinâmica e seleção dos materiais didáticos utilizados em sua
       exposição.

   Recuperação e uso dos Laboratórios de Ensino:

    1. Ativar os laboratórios de Ciências Naturais;
    2. Os bolsistas e professor supervisor irão resgatar o acervo dos laboratórios de

                                                                                    6
ensino recuperando e adquirindo equipamentos.
    3. Atuar no laboratório, preparando os experimentos necessários para o assunto
       visto em sala.

      A implementação e a revitalização dos laboratórios de Ciências Naturais nas
escolas pode funcionar como um grande incentivo aos professores que lá estão e ao
professor supervisor, pois será mais uma ferramenta de trabalho. Os alunos ficarão
mais interessados e aprenderá mais, logo a escola também será beneficiada com tal
ação.

   Produção de material concreto sobre o Ensino de Ciências Naturais

    1. Inserção de materiais audiovisuais, jogos on-line, data-show, despertando
       assim o interesse dos alunos e contribuindo com a formação e/ou capacitação
       do professor;
    2. Aula pratica para melhor facilitar a compreensão dos alunos e a formação e/ou
       capacitação do professor na regência de uma sala de aula;
    3. Confecção de material didático-pedagógico para os tópicos específicos do
       programa de Ciências Naturais (textos didáticos, atividades experimentais,
       jogos didáticos e outros) e Elaboração de projetos ambientais com a
       realização de três oficinas: Oficina de brinquedos, Oficina de fantoches e
       Reciclagem de papel e cartonagem com o intuito de promover a Educação
       Ambiental.

       O desenvolvimento de projetos de Educação Ambiental tendo os bolsistas como
mediadores no processo de conscientização e reflexão dos problemas existentes no
meio em que vive contribuirá no processo de ensino aprendizagem uma vez que,
reúne os conhecimentos prévios dos alunos, incentiva a troca de ideias entre eles,
suscita a dúvida, estimula a solução e traz a necessidade de obter novas
informações, na busca de soluções.

   Acompanhamento da prática pedagógica:

    1. Análise dos projetos e de situações de ensino em sala de aula e laboratório –
       Os alunos acompanharão o projeto, as aulas práticas e teorias de diferentes
       professores. Serão examinados episódios de aulas gravadas em vídeos e
       transcritas que, analisadas do ponto de vista da pesquisa, irá trazer elementos
       importantes sobre o que fazem os professores quando conduzem
       experimentos com alunos em sala de aula.

       Exercício da Docência Acompanhada: O bolsista deverá ministrar, sob
        supervisão do professor da turma, uma aula a cada semana para aprimorar o
        exercício da prática docente. As dificuldades percebidas devem ser relatadas e
        discutidas nas reuniões de equipe.
       Aulas de reforço escolar: as aulas de reforço escolar serão utilizadas para
        melhorar o desempenho dos alunos na disciplina e como ambiente para a
        pratica docente e de experimentação das estratégias metodológicas
        desenvolvidas nas outras ações propostas.

   Atividades de Pesquisa e Extensão Articulada à Prática de Ensino:

    1. Participar dos eventos pedagógicos das escolas: nos eventos pedagógicos das
       escolas, pretendemos desenvolver atividades complementares trabalhando

                                                                                    7
Ciências Naturais de forma interdisciplinar.

    2. Oficinas: Serão ministradas nas escolas oficinas sobre temas como: reciclagem
       (Oficina de brinquedos, Oficina de fantoches e Reciclagem de papel e
       cartonagem.) utilização do computador e livros didáticos e paradidáticos como
       instrumento de Pesquisa e de ensino, e materiais alternativos no ensino de
       Ciências Naturais.
    3. Participação na organização de amostras de Ciências Naturais: apresentação
       de oficinas de reciclagem, modelos didáticos, experimentos e outros. Trabalho
       compartilhado pelo bolsista com o professor da turma de orientação de
       trabalhos para a exposição num evento anual com a participação de todas as
       escolas envolvidas em projetos multidisciplinares. As equipes de projetos,
       preferencialmente, serão formadas por alunos de diferentes séries dos anos
       iniciais e fundamental, fortalecendo o caráter dinâmico e integracional do
       ensino-aprendizagem em uma abordagem construtivista, com a colaboração
       ativa de todos os atores do processo, professores da escola, bolsistas e
       coordenadores.
    4. Palestras: Pretendemos proferir palestras, preferencialmente nos eventos
       pedagógicos das escolas, sobre temas relevantes de Ciências Naturais
       enfocando suas aplicações em outras áreas de conhecimento.
    5. Viagem de campo – Os bolsistas juntamente com os professores supervisores
       e orientadores, realizarão aulas de campo com estudantes das escolas.

   Atividades de Pesquisa:

    1. Publicação de artigo;
    2. Trabalhos apresentados.

   Será atribuída aos bolsistas de iniciação a docência as seguintes tarefas:

    1. Elaboração de relatório mensal;
    2. Acompanhamento de ficha de frequência assinado pelo supervisor da escola.

8.2 Planos de Trabalho do Supervisor: reuniões, relatórios, controle e
encontro final.

Haverá 02 Professores Supervisores no subprojeto, um (01) supervisor em cada
escola participante, que executarão o seguinte Plano de Trabalho:

PARTICIPAÇÃO EM SESSÕES DE ESTUDOS

    •   O supervisor elaborará com os bolsistas um plano semestral de trabalho o qual
        será submetido à aprovação da equipe pedagógica da escola.
       Realização do Diagnóstico Escolar Referente ao Ensino de Ciências Naturais.
    •   Contribuir com o Bolsista na construção de um diagnóstico referente ao ensino
        de Ciências Naturais na Escola participante.
       Participação no Planejamento do Professor da Escola:
    •   Avaliar as considerações feitas pelo Bolsista sobre a utilização do Livro Didático
        adotado.
    •   Avaliar com o Bolsista o trabalho cotidiano de avaliação da aprendizagem em
        Sala de Aula.

PARTICIPAÇÃO EM SESSÕES DE ESTUDOS

                                                                                        8
•   O supervisor elaborará com os bolsistas um plano semestral de trabalho o qual
      será submetido à aprovação da equipe pedagógica da escola.
  •   Realização do Diagnóstico Escolar Referente ao Ensino de Ciências Naturais.
  •   Contribuir com o Bolsista na construção de um diagnóstico referente ao ensino
      de Ciências Naturais na Escola participante.
  •   Participação no Planejamento do Professor da Escola:
  •   Avaliar as considerações feitas pelo Bolsista sobre a utilização do Livro Didático
      adotado.
  •   Avaliar com o Bolsista o trabalho cotidiano de avaliação da aprendizagem em
      Sala de Aula.

EXERCÍCIO DA DOCÊNCIA ACOMPANHADO

  •   Acompanhar a frequência e a participação do Bolsista, no mínimo, a duas aulas
      por semana na condição de assistente.
  •   Participar e colaborar na avaliação do planejamento na elaboração de planos
      de aula e na resolução de questões.
  •   Acompanhar e avaliar as práticas planejadas pelo Bolsista para tornar
      operacional o plano didático quando, sob a supervisão do Professor da turma,
      ministrar aulas.
  •   Participar conjuntamente com os Bolsistas e os outros professores em um
      processo de avaliação mais uniforme e abrangente, no ambiente escolar.
  •   Acompanhar e participar com os bolsistas de um curso referente à utilização de
      novas tecnologias no ensino de Ciências Naturais.
  •   Acompanhar a organização de grupos de estudos referente aos temas de
      Ciências Naturais e sua relação com o ensino.

ATIVIDADES DE EXTENSÃO ARTICULADAS À PRÁTICA DE ENSINO

  •   Participação na organização dos temas de leituras e estudos sobre o ensino de
      Ciências Naturais no processo de formação continuada dos professores das
      escolas conveniadas.
  •   Organizar aula de campo para os bolsistas e professores das escolas
      participantes.
  •   Planejar conjuntamente com os bolsistas as palestras educativas e oficinas
      pedagógicas referentes ao ensino de Ciências Naturais que serão realizadas no
      decorrer do subprojeto.
  •   Participar com os bolsistas e professores da escola participante na organização
      de uma Mostra de Ciências Naturais.
  •   Participar na organização conjuntamente com o coordenador de área de um
      evento para apresentação das atividades acadêmicas e escolares realizadas no
      âmbito do programa PIBID.

ATIVIDADES DE PESQUISA ARTICULADAS À PRÁTICA DE ENSINO

  •   Acompanhar os bolsistas na realização de um perfil da prática pedagógica dos
      professores de Ciências Naturais das escolas participantes.
  •   Confecção de forma conjunta com os bolsistas de materiais didáticos
      contextualizados no ensino de Ciências Naturais.
  •   Acompanhamento dos bolsistas na elaboração de artigos científicos referente
      ao livro didático de Ciências naturais.
  •   Acompanhamento dos bolsistas na produção de artigos científicos referente ao

                                                                                      9
processo de ensino-aprendizagem de Ciências Naturais.
  •   Acompanhamento dos bolsistas na produção de artigos científicos referente à
      prática de ensino do professor de Ciências Naturais.

      Serão atribuídas ao professor supervisor as seguintes tarefas:

  •   Elaborar relatórios mensais das atividades executadas pelos bolsistas e a
      interação dos alunos das escolas;
  •   Acompanhar o bolsista nas atividades do subprojeto de Ciências Naturais;
  •   Avaliar o desempenho do aluno durante a execução do projeto, observando a
      assiduidade, interesse, estímulo na atividade docente e motivação;
  •   Interagir com o coordenador do projeto sobre as atividades que estão sendo
      desenvolvidas nas escolas;
  •   Informar, ao coordenador de área, alterações cadastrais e eventuais mudanças
      nas condições que lhe garantiram inscrição e permanência no PIBID.
  •   Inserir os bolsistas na escola e providenciar, junto à administração, os
      equipamentos e espaços físicos necessários para bom desenvolvimento das
      atividades dos bolsistas.
  •   Controlar a frequência dos bolsistas de iniciação a docência, sob sua
      supervisão, repassando essas informações ao coordenador de área do
      programa.
  •   Acompanhar e fiscalizar as atividades presenciais dos bolsistas PIBID da sua
      escola sob sua orientação, informando ao coordenador de área qualquer
      incoerência no desenvolvimento das atividades.
  •   Informar a direção e os demais integrantes da escola da atuação e boas
      práticas pedagógicas geradas pelo PIBID.

8.3 Planos de Trabalho do Coordenador

  •   Formar e capacitar às equipes que atuaram no subprojeto;
  •   Participar com os supervisores, bolsistas e professores da escola do
      planejamento dos conteúdos que serão trabalhados ao longo dos seis meses
      do subprojeto;
  •   Orientação dos bolsistas na elaboração de um plano semestral de trabalho o
      qual será submetido à aprovação da equipe pedagógica da escola.
  •   Participar na organização de grupos de estudos referente às Ciências Naturais
      e sua relação com o ensino.
  •   Orientação nos estudos de Leitura e Estudos.
  •   Sistematização e Problematização do Ensino de Ciências Naturais na Escola.
  •   Acompanhamento do Bolsista e Supervisor no Planejamento do Professor da
      Escola.
  •   Orientação e Avaliação do Bolsista no Exercício da Docência Acompanhado,
      mediante informações diretas do supervisor e de reuniões com bolsistas.
  •   Coordenação dos Encontros com toda a Equipe Local: reuniões em intervalos
      de 15/20 dias para acompanhamento e avaliação das atividades.
  •   Organizar as rodas de leituras e estudos sobre o ensino de Ciências Naturais.
  •   Organizar aula de campo para os alunos bolsistas, supervisores e professores
      das escolas conveniadas.
  •   Organização de ciclo de palestras e oficinas sobre o ensino de Ciências
      Naturais, que atuem em consonância com o plano de ensino dos professores
      da escola e dos bolsistas, complementando-os e fornecendo uma nova
      dimensão do processo ensino-aprendizagem. As palestras e as oficinas serão
      ministradas por professores convidados ou pelo próprio coordenador,

                                                                                10
alternadamente, nas escolas participantes ao em local público na cidade, fora
       do horário de aula das turmas atendidas.
   •   Organizar curso referente à utilização de novas tecnologias no ensino de
       Ciências Naturais.
   •   Organizar curso de metodologia científica.
   •   Atuação conjunto com o supervisor e demais professores da escola para
       articular os projetos da amostra pedagógica de Ciências Naturais, atuando
       como facilitador para o desenvolvimento dos projetos e auxiliando a interação
       com as outras áreas de conhecimento.
   •   Acompanhamento dos bolsistas na produção de artigos científicos referente ao
       ensino de Ciências Naturais.
   •   Promover evento para apresentação das atividades acadêmicas e escolares
       realizadas no âmbito do programa PIBID.
   •   Coordenação da produção de Relatórios Semestrais do Subprojeto.
   •   Participação no Encontro Geral do PIBID/UFCG.



Serão atribuídas ao coordenador de área as seguintes tarefas:

Processos de controle das Equipes

   •   Reuniões semanais dos bolsistas com os supervisores;
   •   Reuniões quinzenais entre o supervisor e o coordenador de área;
   •   Relatório mensal dos bolsistas para o supervisor;
   •   Reuniões mensais da equipe com o coordenador de área;
   •   Visitas às escolas conveniadas;
   •   Relatório semestral da equipe realizado pelo supervisor.

Controles do Subprojeto

   •   Reuniões mensais da equipe e coordenador de área;
   •   Visitas às escolas conveniadas;
   •   Reuniões trimestrais com o coordenador Institucional;
   •   Relatório semestral do subprojeto realizado pelo coordenador de área.

Processos de Encerramento

   •   Participação de Encontros em cada escola.
   •   Participação de Encontros com todas as escolas.
   •   Participação na Produção de Relatórios Semestrais.
   •   Participação em Encontros com toda a Equipe Local: reuniões em intervalos de
       15/20 dias para acompanhamento e avaliação das atividades.
   •   Participação nos Encontros Gerais do PIBID/UFCG.
   •   Produção de Relatório final.



8.4 Previsão das ações que serão implementadas com os recursos do
Projeto Institucional – a proposta deverá ser detalhada, pois será usada
como parâmetro durante toda a vigência do convênio.
      O subprojeto do Curso de Pedagogia na disciplina de Ciências Naturais
pretende, com a verba de custeio disponível nos dois anos do Subprojeto, distribuir

                                                                                 11
da seguinte maneira:
Natureza da despesa      1º ANO
Aquisição de Material de 1-produção de materiais e recursos didáticos;
consumo                  2-aquisição de livros e materiais pedagógicos, entre
                         outros.
                           3-preparação de oficinas – feira de ciências.
Diárias                    1-participação em eventos pedagógicos;
                           2-participação no encontro anual do PIBID/UFCG.
Passagens e despesas 1-realização de palestras sobre temas relevantes a Meio
com locomoção        Ambiente, enfocando suas aplicações em outras ciências;
                     2-participação em eventos relacionados ao PIBID;
                     3-capacitação das equipes no uso de TICs.
Serviços de terceira – 1-Capacitação das equipes no uso de TICs.
pessoa física ou pessoa 2-Prestação de serviços por técnicos qualificados para
jurídica                executarem    instalação  e,   ou,    manutenção    de
                        equipamentos usados como suporte nas atividades do
                        subprojeto.
                        3-Aquisição de periódicos na área de educação
                        matemática.
8.5 Metodologia

       Esse trabalho será realizado nas escolas públicas de Educação Básica Anos
Iniciais na cidade de Campina Grande e Cuité, localizado no Estado da Paraíba, junto
com a Unidade Acadêmica de Pedagogia – UFCG.
       A maneira na qual pretendemos desenvolver nossas atividades consiste em
seguir de forma sistemática os procedimentos abaixo:
     Dividiremos os bolsistas em dois grupos, onde cada grupo de bolsistas será
        inserido em uma escola para que os mesmos se familiarizem com a equipe
        pedagógica desta escola e, juntos possamos, diagnosticar a real situação do
        ensino de Ciências Naturais nos Anos Iniciais nesta unidade de ensino.
     Uma vez feito o diagnostico do Ensino de Ciências Naturais na escola, os
        bolsistas farão um levantamento bibliográficos dos conteúdos da disciplina
        Ciências Naturais nos Anos Iniciais onde será elaborado o plano de trabalho de
        cada bolsista para ser submetido à aprovação da equipe pedagógica das
        escolas. Tendo em vista a disciplina curricular cursada pelos bolsistas na
        preparação de mostra de Ciências Naturais e em suas atividades
        complementares de ensino.
     Acompanhamento semanal, em sala de aula, pelos Bolsistas, de sessões de
        ensino do (a) Professor (a). Esse acompanhamento poderá se realizar em
        horários variáveis, se alternado as turmas acompanhadas.
     Exercício da docência, pelo (a) Bolsista, assumindo com supervisão do
        professor da Escola ou do Coordenador do Projeto, fora do horário regular das
        aulas do professor, mas em consonância com sua prática pedagógica e
        aliando-se aos temas centrais escolhidos no início do período. Algumas dessas
        aulas acontecerão fora do ambiente escolar, utilizando os laboratórios didáticos
        da Universidade.
     Realização de encontros semanais dos Bolsistas com os Professores,
        coordenado pelo professor Supervisor, para o Planejamento da Prática
        Pedagógica. Esses encontros acontecerão segundo calendário de planejamento
        escolar já existente nas Escolas participantes.

                                                                                     12
   Participação dos Bolsistas em sessões de orientações semanais com o
      professor Coordenador do Subprojeto de Pedagogia na disciplina de Ciências
      Naturais.
     Os bolsistas usarão o Laboratório de Ciências Naturais – LECEN- do Curso de
      Pedagogia da UFCG para procurar desenvolver atividades e para produção de
      material didático.
      Participação do Bolsista em ações de orientação dos estudantes dos Anos
      Iniciais para a produção de trabalhos nas oficinas para Mostra de Ciências
      Naturais. Organizando equipes, selecionando projetos exequíveis e relevantes
      (com o auxílio do coordenador do projeto) e auxiliando no trabalho de pesquisa
      que envolve a preparação da mostra.
     Produção, por todos os participantes do Subprojeto de Relatórios Semestrais
      sobre o seu desenvolvimento; esses relatórios são documentos também para o
      acompanhamento e avaliação das atividades propostas e planejamento das
      atividades do semestre subsequente.
     Participação de todos os participantes do Subprojeto em Encontro geral do
      PIBID na UFCG.
     As palestras do ciclo de palestras, com o coordenador do projeto e professores
      convidados.
     Após um ano de desenvolvimento das atividades do subprojeto, pretendemos
      fazer uma permuta das equipes entre as escolas para que os bolsistas tenham
      contatos com realidades diferentes.


8.6   Objetivos

8.6.1 Objetivos Gerais


     Os objetivos gerais do projeto são definidos pela portaria CAPES Nº250 que
      institui as normas do PIBID:

     I. Incentivar a formação de docentes em nível superior para a Educação
      Básica;
     II. Contribuir para a valorização do magistério;

     III. Elevar a qualidade da formação inicial de professores nos cursos de
      licenciatura, promovendo a integração entre a Educação Superior e a Educação
      Básica;

     IV. Inserir os licenciando no cotidiano de escolas da rede pública de educação,
      proporcionando-lhes oportunidades de criação e participação em experiências
      metodológicas, tecnológicas e práticas docentes de caráter inovador e
      interdisciplinar que busquem a superação de problemas identificados no
      processo de ensino aprendizagem;

     V. incentivar escolas públicas de Educação Básica, mobilizando seus
      professores como coformadores dos futuros docentes e tornando-as
      protagonistas nos processos de formação inicial para o magistério; e.

     VI. Contribuir para a articulação entre teoria e prática necessárias à formação
      dos docentes, elevando a qualidade das ações acadêmicas nos cursos de
      licenciatura.

                                                                                  13
8.6.2 Objetivos Específicos

       Os objetivos do subprojeto de Licenciatura em Pedagogia consistem em:

      Elevar a qualidade da formação inicial de professores no curso de Licenciatura
       Plena em Pedagogia promovendo a integração entre a UFCG e as escolas da
       rede pública de Educação Básica Anos iniciais.
      Contribuir para diminuir a evasão no curso de licenciatura Plena em Pedagogia
       do campo de Campina Grande da UFCG.
      Fomentar experiências metodológicas e práticas docentes de caráter inovador,
       que utilizem recursos de tecnologia da informação e da comunicação.
      Valorizar o espaço da escola pública como campo de experiências para a
       construção do conhecimento na formação de professores para educação básica
       da rede pública nos Anos Iniciais.
      Proporcionar aos futuros professores da UFCG do Curso de Licenciatura Plena
       em Pedagogia a participação em ações, experiências metodológicas e práticas
       docentes inovadoras na área de Ciências Naturais, articuladas com a realidade
       das escolas do ensino da rede pública de Educação Básica ((Anos Iniciais)).
      Utilizar os recursos tecnológicos da informação e comunicação como um
       recurso didático.
      Colaborar com o professor na realização de oficinas, elaboração de projetos,
       trabalhos teóricos e práticos experimentais, na preparação de material didático
       e em atividades de classe e laboratório da área de Ciências Naturais do curso
       de Licenciatura Plena em Pedagogia.
      Contribuir para a formação acadêmica dos alunos bolsistas.
      Valorizar as escolas públicas de Educação Básica - Anos Iniciais como espaço
       social de experiências para a construção do conhecimento.
      Formar grupos de discussão onde os professores possam pensar sobre suas
       práticas e planejar juntamente com os bolsistas as atividades.
      Mobilizar os alunos bolsistas na confecção de novos projetos ambientais e
       experimentação científica e tecnológica.
      Realizar levantamentos de dados na escola para produção de artigos
       acadêmicos, produção de material didático na área de ensino das Ciências
       Naturais.
      Promover eventos de caráter interdisciplinar para apresentação das atividades
       acadêmicas nas escolas de Educação Básica - Anos Iniciais com o objetivo de
       divulgar a importância do Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia na
       comunidade.


9. Outras informações relevantes (quando aplicável)


       O Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia da UFCG do Campus de Campina
Grande Funciona, desde 1979, com o propósito de formar docentes para atuarem nos
anos iniciais do Ensino Fundamental (antes, 1º grau), este curso de Pedagogia amplia
agora sua tarefa, dedicando-se também à formação inicial de professores para os
Anos Iniciais, com base nas determinações expressas na Resolução CNE/CP nº.
01/2006. Além disso, considerando ainda o disposto nas DCN do Curso de Graduação
em Pedagogia, o projeto repensa, entre outros aspectos, a identidade do professor, o
seu campo de atuação e o estágio curricular supervisionado. Tais mudanças, por si
sós, implicaram em reformulações significativas na sua proposta atual.
                                                                                   14
PERFIL DO EGRESSO

       A compreensão de que: 1) o curso de Pedagogia engloba o campo teórico e
investigativo da educação, do ensino, da aprendizagem e do trabalho pedagógico
realizados na práxis social; 2) a docência compreende as atividades pedagógicas
inerentes a processos de ensino e de aprendizagem, a gestão dos processos
educativos, bem como a produção e disseminação de conhecimentos da área da
educação; e de que 3) o professor é agente (re) educador das relações sociais e
redimensionador das funções pedagógicas, inclusive a gestão da escola, torna
necessária uma formação docente que abranja consistente discussão teórica e
diversidade de conhecimentos e práticas, com vistas à constituição do pedagogo
como um profissional que, entre outros aspectos, deverá:
           a) atuar com ética e compromisso objetivando a construção de uma
               sociedade justa, equânime e igualitária;
           b) compreender, cuidar e educar crianças de zero a cinco anos e Anos
               Iniciais (1º e 5º Ano), contribuindo para o seu desenvolvimento físico,
               psicológico, intelectual, social, entre outros;
           c) ensinar língua portuguesa, matemática, ciências, história, geografia,
               artes, educação física, de forma interdisciplinar e adequada às
               diferentes fases do desenvolvimento humano;
           d) promover e facilitar relações de cooperação entre a instituição
               educativa, a família e a comunidade;
           e) participar da gestão das instituições, contribuindo para a elaboração,
               implementação, coordenação, acompanhamento e avaliação do seu
               projeto pedagógico;
           f) realizar pesquisas que proporcionem conhecimentos, entre outros, sobre
               os alunos e a realidade sociocultural em que se inserem; sobre
               processos de ensinar e de aprender; sobre propostas curriculares e
               sobre a organização do trabalho educativo e das práticas pedagógicas.

CAMPO DE ATUAÇÃO DO PROFISSIONAL

     O campo de atuação do formado em Pedagogia abrangerá as seguintes
dimensões:
      • Docência na Educação Infantil e nos anos iniciais do Ensino Fundamental;
      • Planejamento, execução, coordenação, acompanhamento e avaliação de
         tarefas próprias do setor educacional;
      • Gestão      educacional,    incluindo   o  planejamento,     administração,
         coordenação, acompanhamento, avaliação de planos e de projetos
         pedagógicos, bem como a análise, formulação, implementação,
         acompanhamento e avaliação de políticas públicas e institucionais na área
         de educação;
      • Produção e difusão do conhecimento científico e tecnológico no campo
         educacional.

9.1 Execuções Orçamentárias

NATUREZA DAS DESPESAS                                       VALOR R$
Material de Consumo                                         2.262,00
Diárias                                                     3.200,00
Passagens e despesas com locomoção                          1.800,00

                                                                                   15
Serviços de Terceiros - Pessoa Física    1.100,00
Serviços de Terceiro – Pessoa Jurídica   1.200,00
Soma                                     9.562,00
Total da Verba de Custeio                9.562,00




                                                    16
10. BIBLIOGRAFIA:



ALMEIDA, Célia Maria de C. A universidade e o ensino de 1º e 2 graus. A didática das
ciências. Campinas: Papirus, 1988.

ANGOTTI, José André & DELIZOLCOV, Demétrio. Metodologia do Ensino de Ciências.
São Paulo: Cortez editora, 1990.

ASDOLFI, Jean – Pierre & DEVELAY, Michael. A didática das ciências. Campinas:
Papirus, 1990.

BETHELEM, Nilda. Explorando as ciências na escola primaria. Rio de janeiro: José
Olimpio Editora S/A, 1969.

BIZZO, Nelio. Ciências: Fácil ou Difícil? Ed. Ática –1999.

BRASIL, Secretária de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais:
Ciências Naturais, Meio Ambientes e saúde/ Secretaria de Educação Fundamental.
Brasília.

BUSQUETS, Maria Dolors ET AL. Temas transversais em educação – Bases para uma
formação integral. Ed. Ática –1999.

CANIATO, Rodolfo. A terra em que vivemos. Campinas: Papirus, 1987. Consciência
na educação. Campinas: papirus, 1988.

Educação e Saúde CEDEM nº 4 – Cortez Editora e autores associados, 1984.

FERRAZ. Leila Nívea Bruzzi, Formação e profissão docente: a postura investigativa e
o olhar questionador na atuação dos professores. Movimento Revista da Faculdade
de Educação da Universidade Federal Fluminense, Rio de Janeiro, n. 2. 58-66.
set.2000.

FRANCALANZA, Hilário ET al. O Ensino de Ciências – 1º Grau. Sâo Paulo, atual,
1987. Por uma pedagogia da pergunta Paulo Freire e A. Feundez. Ed. Paz na Terra,
1985.

FUNBEC. Laboratório Básico de Ciências para o 1º Grau. Rio de Janeiro, 1983.

HENNIG, George, J.      Metodologia do Ensino de Ciências. Porto Alegre: Mercado
Aberto, 1986.

MELLO, Guiomar Namo de. Magistério de 1º Grau da competência técnica ao
compromisso político. São Paulo: Cortez, 1984.

MORAIS, Artur Gomes de. Ortografia: Ensinar e Aprender, ed. Ática- 1999.

PETEROSSI, HELENA Gemignani & FAZENDA, Ivani Catarina, Arantees. Anotações
sobre Metodologia e Prática de Ensono na Escola de 1º Grau. São Paulo, Ed. Loyola,
1983.



                                                                                  17
PIAGET, Jean. Para onde vai à educação? Porto Alegre: Ed. José Olimpio, 1974.

                          Por uma nova escola – o transitório e o permanente na
educação. . São Paulo, Cortez Editora/ autores associados, 1985.

RAGAN, William S. Currículo primário moderno. Porto Alegre. Editor Globo. 1978.

RATHS, Louis E. et al. Ensinar a pensar. 2ª edição. São Paulo: EPU, 1977.

RODRIGUES, Neidson. Lições do princípio e outras llições. 2ª ed. São Paulo, Cortez
Editora/ autores associados, 1985.

RONCA Antonio Carlos Caruso & ESCOBAR, Virgínia ferreira. Técnicas Pedagógicas;
Domesticação ou desafio à participação 3ª ed. Vozes Petrópolis.

Saúde e Educação Popular – org. NOVA ed. Vozes/ Nova – 1983.

SEVERINO, Antonio Joaquim. Metodologia do Trabalho Científico. São Paulo. Cortez,
1989.

TAILLE, Yves de La. Limites: Três Dimensões Educacionais, ed. Ática – 1999.




                                                                                  18

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Pasta de estágio educação infantil
Pasta de estágio educação infantilPasta de estágio educação infantil
Pasta de estágio educação infantil
Luccia Roccha
 
Plano Anual de Ação da Orientação Escolar
Plano Anual de Ação da Orientação Escolar Plano Anual de Ação da Orientação Escolar
Plano Anual de Ação da Orientação Escolar
LOCIMAR MASSALAI
 
Plano de trabalho em ed especial 2011 (relatório da demanda)
Plano de trabalho em ed especial   2011 (relatório da demanda)Plano de trabalho em ed especial   2011 (relatório da demanda)
Plano de trabalho em ed especial 2011 (relatório da demanda)
Centro Neurológico de Teresópolis
 
Plano de ação para coordenação pedagógica
Plano de ação para coordenação pedagógicaPlano de ação para coordenação pedagógica
Plano de ação para coordenação pedagógica
Blog Amiga da Pedagogia By Nathália
 
relatório da educação especial-estágio
relatório da educação especial-estágiorelatório da educação especial-estágio
relatório da educação especial-estágio
UFMA e UEMA
 
Modelo proposta pedagógica
Modelo proposta pedagógicaModelo proposta pedagógica
Modelo proposta pedagógica
tatyathaydes
 
Estagio regencia de sala
Estagio regencia de salaEstagio regencia de sala
Estagio regencia de sala
Alessandra Alves
 
Relatorio estagio educação infantil
Relatorio estagio educação infantil Relatorio estagio educação infantil
Relatorio estagio educação infantil
filicianunes
 
ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL
ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL
ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL
Arivaldom
 
Ap. plano de ação
Ap. plano de açãoAp. plano de ação
Ap. plano de ação
aparecidalavagnoli521
 
Pauta
PautaPauta
RELATÓRIO DE ESTÁGIO NA EJA-CARUTAPERA
RELATÓRIO DE ESTÁGIO NA EJA-CARUTAPERARELATÓRIO DE ESTÁGIO NA EJA-CARUTAPERA
RELATÓRIO DE ESTÁGIO NA EJA-CARUTAPERA
UFMA e UEMA
 
PLANO DE AÇÃO 2023 cei.docx
PLANO DE AÇÃO 2023 cei.docxPLANO DE AÇÃO 2023 cei.docx
PLANO DE AÇÃO 2023 cei.docx
ssuser6c03a6
 
Relatorio final estágio_não escolar e gestão
Relatorio final estágio_não escolar e gestãoRelatorio final estágio_não escolar e gestão
Relatorio final estágio_não escolar e gestão
mkbariotto
 
Plano de Ação participativo_vol1
Plano de Ação participativo_vol1Plano de Ação participativo_vol1
Plano de Ação participativo_vol1
sitedcoeste
 
Relatório de observação
Relatório de observaçãoRelatório de observação
Relatório de observação
Arte Tecnologia
 
Educação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultosEducação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultos
Linda-maria12
 
Projeto politico pedagogico PPP
Projeto politico pedagogico PPPProjeto politico pedagogico PPP
Projeto politico pedagogico PPP
Profissão Professor
 
Conselho de classe
Conselho de classeConselho de classe
Conselho de classe
Breno Lacerda
 
Projeto o folclore
Projeto o folcloreProjeto o folclore
Projeto o folclore
Francineteproinfo
 

Mais procurados (20)

Pasta de estágio educação infantil
Pasta de estágio educação infantilPasta de estágio educação infantil
Pasta de estágio educação infantil
 
Plano Anual de Ação da Orientação Escolar
Plano Anual de Ação da Orientação Escolar Plano Anual de Ação da Orientação Escolar
Plano Anual de Ação da Orientação Escolar
 
Plano de trabalho em ed especial 2011 (relatório da demanda)
Plano de trabalho em ed especial   2011 (relatório da demanda)Plano de trabalho em ed especial   2011 (relatório da demanda)
Plano de trabalho em ed especial 2011 (relatório da demanda)
 
Plano de ação para coordenação pedagógica
Plano de ação para coordenação pedagógicaPlano de ação para coordenação pedagógica
Plano de ação para coordenação pedagógica
 
relatório da educação especial-estágio
relatório da educação especial-estágiorelatório da educação especial-estágio
relatório da educação especial-estágio
 
Modelo proposta pedagógica
Modelo proposta pedagógicaModelo proposta pedagógica
Modelo proposta pedagógica
 
Estagio regencia de sala
Estagio regencia de salaEstagio regencia de sala
Estagio regencia de sala
 
Relatorio estagio educação infantil
Relatorio estagio educação infantil Relatorio estagio educação infantil
Relatorio estagio educação infantil
 
ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL
ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL
ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO INFANTIL
 
Ap. plano de ação
Ap. plano de açãoAp. plano de ação
Ap. plano de ação
 
Pauta
PautaPauta
Pauta
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO NA EJA-CARUTAPERA
RELATÓRIO DE ESTÁGIO NA EJA-CARUTAPERARELATÓRIO DE ESTÁGIO NA EJA-CARUTAPERA
RELATÓRIO DE ESTÁGIO NA EJA-CARUTAPERA
 
PLANO DE AÇÃO 2023 cei.docx
PLANO DE AÇÃO 2023 cei.docxPLANO DE AÇÃO 2023 cei.docx
PLANO DE AÇÃO 2023 cei.docx
 
Relatorio final estágio_não escolar e gestão
Relatorio final estágio_não escolar e gestãoRelatorio final estágio_não escolar e gestão
Relatorio final estágio_não escolar e gestão
 
Plano de Ação participativo_vol1
Plano de Ação participativo_vol1Plano de Ação participativo_vol1
Plano de Ação participativo_vol1
 
Relatório de observação
Relatório de observaçãoRelatório de observação
Relatório de observação
 
Educação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultosEducação de jovens e adultos
Educação de jovens e adultos
 
Projeto politico pedagogico PPP
Projeto politico pedagogico PPPProjeto politico pedagogico PPP
Projeto politico pedagogico PPP
 
Conselho de classe
Conselho de classeConselho de classe
Conselho de classe
 
Projeto o folclore
Projeto o folcloreProjeto o folclore
Projeto o folclore
 

Destaque

Relatório pibid everton
Relatório pibid evertonRelatório pibid everton
Relatório pibid everton
Regina Helena Souza Ferreira
 
Relatório trimestral elenita2010
Relatório trimestral elenita2010Relatório trimestral elenita2010
Relatório trimestral elenita2010
elenicefonseca
 
Atividade pibid.
Atividade pibid.Atividade pibid.
Atividade pibid.
Lucas Grima
 
Folder pibid
Folder pibidFolder pibid
Folder pibid
Lenivaldo Costa
 
Projeto aprovado pibid
Projeto aprovado pibidProjeto aprovado pibid
Projeto aprovado pibid
ablucio1
 
Silva relatorio pibid_exercicio2010-2011
Silva relatorio pibid_exercicio2010-2011Silva relatorio pibid_exercicio2010-2011
Silva relatorio pibid_exercicio2010-2011
Erick Cavalcante
 
Relato de Experiências do PIBID na UCS
Relato de Experiências do PIBID na UCSRelato de Experiências do PIBID na UCS
Relato de Experiências do PIBID na UCS
Carolina Cerri
 
Apresentação projeto pibid
Apresentação projeto pibidApresentação projeto pibid
Apresentação projeto pibid
pibidbio
 
Subprojeto Pibid-Letras/Ufal
Subprojeto Pibid-Letras/UfalSubprojeto Pibid-Letras/Ufal
Subprojeto Pibid-Letras/Ufal
Pibid Letras Português Ufal
 
Relatório trimestral projetos dep pré-escolar
Relatório trimestral   projetos dep pré-escolarRelatório trimestral   projetos dep pré-escolar
Relatório trimestral projetos dep pré-escolar
Maria João Silva
 
Apresentação pibid
Apresentação   pibidApresentação   pibid
Apresentação pibid
Jack Santana
 
Projeto de pesquisa_-_orientacoes_ifrn
Projeto de pesquisa_-_orientacoes_ifrnProjeto de pesquisa_-_orientacoes_ifrn
Projeto de pesquisa_-_orientacoes_ifrn
Sérgio Ferreira DA Silva
 
Modelo de relatório de atividades
Modelo de relatório de atividadesModelo de relatório de atividades
Modelo de relatório de atividadesCEPMBB
 
Slides apresentação do projeto pibid
Slides apresentação do projeto pibidSlides apresentação do projeto pibid
Slides apresentação do projeto pibid
pibidbio
 
Projeto de formação continuada
Projeto de formação continuadaProjeto de formação continuada
Projeto de formação continuada
Escola Tancredo A. Neves
 
Avaliação 6° ano - 2° b - 2011
Avaliação   6° ano - 2° b - 2011Avaliação   6° ano - 2° b - 2011
Avaliação 6° ano - 2° b - 2011
CLEAN LOURENÇO
 
Planejamento anual de curso de matemática fundamental
Planejamento anual de curso de matemática fundamentalPlanejamento anual de curso de matemática fundamental
Planejamento anual de curso de matemática fundamental
ANAILTON BARROS ARAÚJO
 
Avaliação de história 4ºano
Avaliação de história 4ºanoAvaliação de história 4ºano
Avaliação de história 4ºano
CASA-FACEBOOK-INSTAGRAM
 
Plano de ensino matematica
Plano de ensino  matematicaPlano de ensino  matematica
Plano de ensino matematica
simonclark
 
SIMULADO: POTENCIAÇÃO E RADICIAÇÃO (8º ANO E H2)
SIMULADO: POTENCIAÇÃO E RADICIAÇÃO (8º ANO E H2)SIMULADO: POTENCIAÇÃO E RADICIAÇÃO (8º ANO E H2)
SIMULADO: POTENCIAÇÃO E RADICIAÇÃO (8º ANO E H2)
Hélio Rocha
 

Destaque (20)

Relatório pibid everton
Relatório pibid evertonRelatório pibid everton
Relatório pibid everton
 
Relatório trimestral elenita2010
Relatório trimestral elenita2010Relatório trimestral elenita2010
Relatório trimestral elenita2010
 
Atividade pibid.
Atividade pibid.Atividade pibid.
Atividade pibid.
 
Folder pibid
Folder pibidFolder pibid
Folder pibid
 
Projeto aprovado pibid
Projeto aprovado pibidProjeto aprovado pibid
Projeto aprovado pibid
 
Silva relatorio pibid_exercicio2010-2011
Silva relatorio pibid_exercicio2010-2011Silva relatorio pibid_exercicio2010-2011
Silva relatorio pibid_exercicio2010-2011
 
Relato de Experiências do PIBID na UCS
Relato de Experiências do PIBID na UCSRelato de Experiências do PIBID na UCS
Relato de Experiências do PIBID na UCS
 
Apresentação projeto pibid
Apresentação projeto pibidApresentação projeto pibid
Apresentação projeto pibid
 
Subprojeto Pibid-Letras/Ufal
Subprojeto Pibid-Letras/UfalSubprojeto Pibid-Letras/Ufal
Subprojeto Pibid-Letras/Ufal
 
Relatório trimestral projetos dep pré-escolar
Relatório trimestral   projetos dep pré-escolarRelatório trimestral   projetos dep pré-escolar
Relatório trimestral projetos dep pré-escolar
 
Apresentação pibid
Apresentação   pibidApresentação   pibid
Apresentação pibid
 
Projeto de pesquisa_-_orientacoes_ifrn
Projeto de pesquisa_-_orientacoes_ifrnProjeto de pesquisa_-_orientacoes_ifrn
Projeto de pesquisa_-_orientacoes_ifrn
 
Modelo de relatório de atividades
Modelo de relatório de atividadesModelo de relatório de atividades
Modelo de relatório de atividades
 
Slides apresentação do projeto pibid
Slides apresentação do projeto pibidSlides apresentação do projeto pibid
Slides apresentação do projeto pibid
 
Projeto de formação continuada
Projeto de formação continuadaProjeto de formação continuada
Projeto de formação continuada
 
Avaliação 6° ano - 2° b - 2011
Avaliação   6° ano - 2° b - 2011Avaliação   6° ano - 2° b - 2011
Avaliação 6° ano - 2° b - 2011
 
Planejamento anual de curso de matemática fundamental
Planejamento anual de curso de matemática fundamentalPlanejamento anual de curso de matemática fundamental
Planejamento anual de curso de matemática fundamental
 
Avaliação de história 4ºano
Avaliação de história 4ºanoAvaliação de história 4ºano
Avaliação de história 4ºano
 
Plano de ensino matematica
Plano de ensino  matematicaPlano de ensino  matematica
Plano de ensino matematica
 
SIMULADO: POTENCIAÇÃO E RADICIAÇÃO (8º ANO E H2)
SIMULADO: POTENCIAÇÃO E RADICIAÇÃO (8º ANO E H2)SIMULADO: POTENCIAÇÃO E RADICIAÇÃO (8º ANO E H2)
SIMULADO: POTENCIAÇÃO E RADICIAÇÃO (8º ANO E H2)
 

Semelhante a Projeto pibid

PIBIDCIÊNCIAS: ANALISANDO OS RESULTADOS DE UM PERCURSO FORMATIVO DE INICIAÇÃO...
PIBIDCIÊNCIAS: ANALISANDO OS RESULTADOS DE UM PERCURSO FORMATIVO DE INICIAÇÃO...PIBIDCIÊNCIAS: ANALISANDO OS RESULTADOS DE UM PERCURSO FORMATIVO DE INICIAÇÃO...
PIBIDCIÊNCIAS: ANALISANDO OS RESULTADOS DE UM PERCURSO FORMATIVO DE INICIAÇÃO...
ProfessorPrincipiante
 
Arq 5abb951a24f90
Arq 5abb951a24f90Arq 5abb951a24f90
Arq 5abb951a24f90
Leonardo Ferreira
 
Sessao1 apresentacao da oficina ciencias preciclo1
Sessao1 apresentacao da oficina ciencias preciclo1Sessao1 apresentacao da oficina ciencias preciclo1
Sessao1 apresentacao da oficina ciencias preciclo1
jifonseca
 
Documento
DocumentoDocumento
Apresentação projeto 2013 wal
Apresentação projeto 2013 walApresentação projeto 2013 wal
Apresentação projeto 2013 wal
waldileia do socorro pereira
 
Manual CEPI_Práticas Experimentais 2024.pdf
Manual CEPI_Práticas Experimentais 2024.pdfManual CEPI_Práticas Experimentais 2024.pdf
Manual CEPI_Práticas Experimentais 2024.pdf
glauciamirian5
 
federal reserve
federal reservefederal reserve
federal reserve
Sandro Suzart
 
Grupo ômega quase pronto
Grupo ômega   quase prontoGrupo ômega   quase pronto
Grupo ômega quase pronto
lucienejade
 
2014 egrad geo1-51_egrad_nger100_042
2014 egrad geo1-51_egrad_nger100_0422014 egrad geo1-51_egrad_nger100_042
2014 egrad geo1-51_egrad_nger100_042
Daiane Costa
 
Apresentação power
Apresentação powerApresentação power
Apresentação power
pibidlicfisica2011
 
O uso das tecnologias como ferramentas pedagógicas nas aulas de biologia ma...
O uso das tecnologias como ferramentas pedagógicas nas aulas de biologia   ma...O uso das tecnologias como ferramentas pedagógicas nas aulas de biologia   ma...
O uso das tecnologias como ferramentas pedagógicas nas aulas de biologia ma...
bio_fecli
 
Projeto de pesquis cpead atualizado
Projeto de pesquis cpead atualizadoProjeto de pesquis cpead atualizado
Projeto de pesquis cpead atualizado
Daniela Menezes
 
Livreto quimica
Livreto quimicaLivreto quimica
Plano de ensino ead: Educação Ambiental
Plano de ensino ead: Educação Ambiental Plano de ensino ead: Educação Ambiental
Plano de ensino ead: Educação Ambiental
Israel serique
 
Projeto monografia 2
Projeto monografia 2Projeto monografia 2
Projeto monografia 2
Leonor
 
E:\Other Files\CurríCulo
E:\Other Files\CurríCulo  E:\Other Files\CurríCulo
E:\Other Files\CurríCulo
projovemcampoufc
 
Projeto feira de ciências pdf correto
Projeto feira de ciências pdf corretoProjeto feira de ciências pdf correto
Projeto feira de ciências pdf correto
Michel Eichelberger
 
Projeto Geral I Feira de Ciências e Mostra Científica na Escola
Projeto Geral I Feira de Ciências e Mostra Científica na EscolaProjeto Geral I Feira de Ciências e Mostra Científica na Escola
Projeto Geral I Feira de Ciências e Mostra Científica na Escola
Michel Eichelberger
 
Plano Para Revitalização do Laboratório de Ciências da Escola Estadual Profes...
Plano Para Revitalização do Laboratório de Ciências da Escola Estadual Profes...Plano Para Revitalização do Laboratório de Ciências da Escola Estadual Profes...
Plano Para Revitalização do Laboratório de Ciências da Escola Estadual Profes...
anjalylopes
 
Portfólio
PortfólioPortfólio
Portfólio
wil
 

Semelhante a Projeto pibid (20)

PIBIDCIÊNCIAS: ANALISANDO OS RESULTADOS DE UM PERCURSO FORMATIVO DE INICIAÇÃO...
PIBIDCIÊNCIAS: ANALISANDO OS RESULTADOS DE UM PERCURSO FORMATIVO DE INICIAÇÃO...PIBIDCIÊNCIAS: ANALISANDO OS RESULTADOS DE UM PERCURSO FORMATIVO DE INICIAÇÃO...
PIBIDCIÊNCIAS: ANALISANDO OS RESULTADOS DE UM PERCURSO FORMATIVO DE INICIAÇÃO...
 
Arq 5abb951a24f90
Arq 5abb951a24f90Arq 5abb951a24f90
Arq 5abb951a24f90
 
Sessao1 apresentacao da oficina ciencias preciclo1
Sessao1 apresentacao da oficina ciencias preciclo1Sessao1 apresentacao da oficina ciencias preciclo1
Sessao1 apresentacao da oficina ciencias preciclo1
 
Documento
DocumentoDocumento
Documento
 
Apresentação projeto 2013 wal
Apresentação projeto 2013 walApresentação projeto 2013 wal
Apresentação projeto 2013 wal
 
Manual CEPI_Práticas Experimentais 2024.pdf
Manual CEPI_Práticas Experimentais 2024.pdfManual CEPI_Práticas Experimentais 2024.pdf
Manual CEPI_Práticas Experimentais 2024.pdf
 
federal reserve
federal reservefederal reserve
federal reserve
 
Grupo ômega quase pronto
Grupo ômega   quase prontoGrupo ômega   quase pronto
Grupo ômega quase pronto
 
2014 egrad geo1-51_egrad_nger100_042
2014 egrad geo1-51_egrad_nger100_0422014 egrad geo1-51_egrad_nger100_042
2014 egrad geo1-51_egrad_nger100_042
 
Apresentação power
Apresentação powerApresentação power
Apresentação power
 
O uso das tecnologias como ferramentas pedagógicas nas aulas de biologia ma...
O uso das tecnologias como ferramentas pedagógicas nas aulas de biologia   ma...O uso das tecnologias como ferramentas pedagógicas nas aulas de biologia   ma...
O uso das tecnologias como ferramentas pedagógicas nas aulas de biologia ma...
 
Projeto de pesquis cpead atualizado
Projeto de pesquis cpead atualizadoProjeto de pesquis cpead atualizado
Projeto de pesquis cpead atualizado
 
Livreto quimica
Livreto quimicaLivreto quimica
Livreto quimica
 
Plano de ensino ead: Educação Ambiental
Plano de ensino ead: Educação Ambiental Plano de ensino ead: Educação Ambiental
Plano de ensino ead: Educação Ambiental
 
Projeto monografia 2
Projeto monografia 2Projeto monografia 2
Projeto monografia 2
 
E:\Other Files\CurríCulo
E:\Other Files\CurríCulo  E:\Other Files\CurríCulo
E:\Other Files\CurríCulo
 
Projeto feira de ciências pdf correto
Projeto feira de ciências pdf corretoProjeto feira de ciências pdf correto
Projeto feira de ciências pdf correto
 
Projeto Geral I Feira de Ciências e Mostra Científica na Escola
Projeto Geral I Feira de Ciências e Mostra Científica na EscolaProjeto Geral I Feira de Ciências e Mostra Científica na Escola
Projeto Geral I Feira de Ciências e Mostra Científica na Escola
 
Plano Para Revitalização do Laboratório de Ciências da Escola Estadual Profes...
Plano Para Revitalização do Laboratório de Ciências da Escola Estadual Profes...Plano Para Revitalização do Laboratório de Ciências da Escola Estadual Profes...
Plano Para Revitalização do Laboratório de Ciências da Escola Estadual Profes...
 
Portfólio
PortfólioPortfólio
Portfólio
 

Mais de Lenivaldo Costa

Formulário – requerimento geral
Formulário – requerimento geralFormulário – requerimento geral
Formulário – requerimento geral
Lenivaldo Costa
 
Fuzarca do gordo
Fuzarca do gordoFuzarca do gordo
Fuzarca do gordo
Lenivaldo Costa
 
Região norte
Região norteRegião norte
Região norte
Lenivaldo Costa
 
Atividade regiao centro oeste
Atividade regiao centro oesteAtividade regiao centro oeste
Atividade regiao centro oeste
Lenivaldo Costa
 
Regiao sul
Regiao sulRegiao sul
Regiao sul
Lenivaldo Costa
 
Gabarito - simulado
Gabarito - simulado Gabarito - simulado
Gabarito - simulado
Lenivaldo Costa
 
Prova - Simulado Alvaro Gaudêncio
Prova - Simulado Alvaro Gaudêncio  Prova - Simulado Alvaro Gaudêncio
Prova - Simulado Alvaro Gaudêncio
Lenivaldo Costa
 
Industrialização 3 ano
Industrialização 3 anoIndustrialização 3 ano
Industrialização 3 ano
Lenivaldo Costa
 
Relatorio vi
Relatorio viRelatorio vi
Relatorio vi
Lenivaldo Costa
 
Alvaro
AlvaroAlvaro
Atividades eeefn do rosário
Atividades   eeefn do rosárioAtividades   eeefn do rosário
Atividades eeefn do rosário
Lenivaldo Costa
 
Relatorio v
Relatorio v Relatorio v
Relatorio v
Lenivaldo Costa
 
Enem
EnemEnem
Geografia sudeste-aspectos gerais
Geografia   sudeste-aspectos geraisGeografia   sudeste-aspectos gerais
Geografia sudeste-aspectos gerais
Lenivaldo Costa
 
Geografia sudeste
Geografia   sudesteGeografia   sudeste
Geografia sudeste
Lenivaldo Costa
 
Relatorio quarto encontro
Relatorio quarto encontroRelatorio quarto encontro
Relatorio quarto encontro
Lenivaldo Costa
 
Relatorio da 3ª revisado.
Relatorio da 3ª revisado.Relatorio da 3ª revisado.
Relatorio da 3ª revisado.
Lenivaldo Costa
 
Relatório pibid i
Relatório pibid iRelatório pibid i
Relatório pibid i
Lenivaldo Costa
 
Relatório da 2ª reunião do pibid
Relatório da 2ª reunião do pibidRelatório da 2ª reunião do pibid
Relatório da 2ª reunião do pibid
Lenivaldo Costa
 
Relatorio _esc_rosário
Relatorio _esc_rosário Relatorio _esc_rosário
Relatorio _esc_rosário
Lenivaldo Costa
 

Mais de Lenivaldo Costa (20)

Formulário – requerimento geral
Formulário – requerimento geralFormulário – requerimento geral
Formulário – requerimento geral
 
Fuzarca do gordo
Fuzarca do gordoFuzarca do gordo
Fuzarca do gordo
 
Região norte
Região norteRegião norte
Região norte
 
Atividade regiao centro oeste
Atividade regiao centro oesteAtividade regiao centro oeste
Atividade regiao centro oeste
 
Regiao sul
Regiao sulRegiao sul
Regiao sul
 
Gabarito - simulado
Gabarito - simulado Gabarito - simulado
Gabarito - simulado
 
Prova - Simulado Alvaro Gaudêncio
Prova - Simulado Alvaro Gaudêncio  Prova - Simulado Alvaro Gaudêncio
Prova - Simulado Alvaro Gaudêncio
 
Industrialização 3 ano
Industrialização 3 anoIndustrialização 3 ano
Industrialização 3 ano
 
Relatorio vi
Relatorio viRelatorio vi
Relatorio vi
 
Alvaro
AlvaroAlvaro
Alvaro
 
Atividades eeefn do rosário
Atividades   eeefn do rosárioAtividades   eeefn do rosário
Atividades eeefn do rosário
 
Relatorio v
Relatorio v Relatorio v
Relatorio v
 
Enem
EnemEnem
Enem
 
Geografia sudeste-aspectos gerais
Geografia   sudeste-aspectos geraisGeografia   sudeste-aspectos gerais
Geografia sudeste-aspectos gerais
 
Geografia sudeste
Geografia   sudesteGeografia   sudeste
Geografia sudeste
 
Relatorio quarto encontro
Relatorio quarto encontroRelatorio quarto encontro
Relatorio quarto encontro
 
Relatorio da 3ª revisado.
Relatorio da 3ª revisado.Relatorio da 3ª revisado.
Relatorio da 3ª revisado.
 
Relatório pibid i
Relatório pibid iRelatório pibid i
Relatório pibid i
 
Relatório da 2ª reunião do pibid
Relatório da 2ª reunião do pibidRelatório da 2ª reunião do pibid
Relatório da 2ª reunião do pibid
 
Relatorio _esc_rosário
Relatorio _esc_rosário Relatorio _esc_rosário
Relatorio _esc_rosário
 

Projeto pibid

  • 1. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL – DEB ANEXO II Edital Pibid n° /2012 CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID DETALHAMENTO DO SUBPROJETO (Licenciatura) 1. Nome da Instituição UF UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE PB 2. Subprojeto de Licenciatura em: LICENCIATURA PLENA EM PEDAGOGIA 3. Coordenador de Área do Subprojeto: Nome: ANTONIO GLAUCIO DE SOUSA GOMES CPF: 139536054-53 Departamento/Curso/Unidade: UNIDADE ACADÊMICA DE EDUCAÇÃO Endereço residencial: RUA CRISTINO COLAÇO 102- CATOLE-CAMPINA GRANDE CEP: 58410350 Telefone: DDD (83) 96204543 (83) 21011007 E-mail: AGLAUCIO@GMAIL.COM Link para o Currículo Lattes: HTTP://Lattes.cnpq.br 4. Plano de Trabalho 4.1 Considerações Iniciais A escola pública de Educação Básica, em geral, apresenta deficiências no ensino de Ciências que passam desde a má formação do professor, faltas de equipamento adequado ao ensino, baixa remuneração e más condições para funcionamento de laboratórios. É sabido que diversos são os determinantes que favorecem a deterioração da qualidade da educação ofertada nas escolas públicas e que, muitos deles, estão diretamente ligados às relações sociais e econômicas as quais está submetida à grande parte da população. Essa é uma constatação que não pode levar ao imobilismo dos que fazem a educação, pelo contrário, o sistema educacional deve buscar sem perder de vista a globalidade e as circunstâncias, desenvolver ações peculiares que orientem novas práticas educativas. Para isso, torna-se necessário que as Universidades, enquanto parte desse sistema participe de forma crítica, exercendo sua função social de conquista e vivência da cidadania dos integrantes da 1
  • 2. sociedade que se quer democrática e socialmente referenciada. Esse desafio, presente, sobretudo nos cursos de formação de professores, une- se à necessidade desses cursos articularem a formação aos aspectos inovadores que se apresentam no mundo contemporâneo. No caso específico do pedagogo, ele deve atuar em espaços escolares e não escolares na docência, gestão educacional e produção/difusão do conhecimento científico e tecnológico no campo educacional. Para isso, urge superar a visão dicotômica, em que de um lado se coloca a teoria e de outro a prática, historicamente presente no processo ensino- aprendizagem, sendo fundamental uma concepção de currículo que leve em conta as experiências vivenciadas no âmbito educacional, de modo a proporcionar aos alunos a reflexão e a otimização de sua prática profissional. A formação docente surge como um dos fatores responsáveis por essa fragilidade. Os licenciados em Pedagogia estão saindo da universidade, na maioria das vezes, despreparados para o desafio de assumir uma sala de aula, onde as escolas em geral não dispõem de laboratório e quando existem, são espaços esquecidos e não utilizados, ficando o ensino de ciências restrito a informações teóricas pouco atrativas, que em nada contribuem para a formação do aluno. Para as universidades surgem o grande desafio de tornar os futuros professores capazes de conciliar os conhecimentos teóricos obtidos em sua formação com novas praticas pedagógicas, buscando alternativas para superar a falta de entusiasmo dos alunos e as grandes limitações de infraestrutura das escolas publicas. Diante desta situação a formação de um grupo de PIBID no Curso de Pedagogia, área de Ciências Naturais em nossa universidade, formado pelo coordenador dois supervisores e quatorze bolsistas, em muito contribuirá para melhorar a formação acadêmica do nosso alunado, como também dos alunos de educação básica Anos Iniciais (1º ao 5º Ano) nas escolas publicas participantes, estimulando para que estes alunos adquiram vivência nos ensinamentos práticos da disciplina, que irá dar suporte na melhoria na qualidade das aulas, procurando incentivar a visão interdisciplinar abordando assuntos de grandes relevâncias através da promoção de palestras ou realização de oficinas, viagens de campo, feira de ciências, criação e/ou recuperação dos laboratórios existentes em suas escolas, bem como na elaboração de projetos de educação ambiental e material didático de laboratório “Kits” para realização de atividades experimentais sobre o assunto previamente escolhido, apresentando a ciência aos alunos como processo de construção e formação de cidadania. 5. Ações Previstas 5.1-Analisar através da realização de visitas e da aplicação de um questionário de pesquisa as condições de ensino de Ciências Naturais nas escolas selecionadas: (infraestrutura, laboratório, material didático utilizado, biblioteca); 5.2. Realizar encontros com toda a equipe do projeto nas três semanas iniciais a partir da implantação do projeto para discutir e refletir com os professores sobre a utilização dos recursos de ensino de Ciências Naturais nas escolas participantes; 5.3. Construir um blog (multi mídia) que servirá de meio de comunicação, divulgação e registro das atividades dos participantes do Subprojeto de Ciências Naturais, onde irá abrigar os materiais didáticos utilizados e/ou produzidos; 5.4. Produzir artigos acadêmicos a partir das atividades realizadas durante a execução do projeto; 5.5. Realizar atividades de extensão para a comunidade escolar através de: realização de amostras dos materiais produzidos para o ensino de biologia, física e 2
  • 3. química da área de Ciências Naturais. 5.6. Confeccionar materiais didáticos para realização de experiências que serão utilizados no ensino de Ciências Naturais das Escolas conveniadas, no laboratório de ciências do Curso de Pedagogia da UFCG; 5.7. Realizar seminários mensais para discutir, em equipe, tópicos de Ciências Naturais, problemas interessantes e confecção de material didático-pedagógico; 5.8. Execução de atividades interdisciplinares nas escolas públicas conveniadas através da utilização do material concreto produzido; 5.9. Realização de feira de Ciências nas escolas públicas conveniadas; 5.10. Acompanhamento e análise, pelos alunos bolsistas, da avaliação dos alunos das escolas públicas conveniadas através da utilização de questionários com questões objetivas; 5.11. Divulgação das atividades desenvolvidas no subprojeto de Ciências Naturais através de Blogs, Fórum, Portais e páginas. 5.12. Divulgação das atividades do subprojeto pelo portal PIBID dos materiais didáticos (teóricos e práticos) elaborados e das atividades desenvolvidas neste subprojeto. 5.13- Participação do encontro do PIBID/UFCG. 5.14- Participação no Planejamento do Professor da Escola: os Bolsistas participarão com os Professores das turmas dos momentos de planejamento para que suas contribuições sejam efetivas. 5.15- Exercício da docência acompanhado/Prática Pedagógica na Escola: os Bolsistas acompanharão, semanalmente, o desenvolvimento das atividades didáticas dos Professores em sala de aula e no laboratório nas atividades experimentais e contribuirá com intervenções de assunto dentro programa abordado sobre a supervisão do professor como uma atividade complementar. 5.16- Elaboração de Relatório Semestral: todos os participantes do Subprojeto construirão sob a responsabilidade do Coordenador um relatório das atividades desenvolvidas no período correspondente a cada semestre letivo (contado segundo o Calendário Escolar da Escola participante). 5.17- Excursão didática: os alunos bolsistas junto com o supervisor e coordenador realizarão excursões didáticas como complementação de atividades de pesquisa e extensão e práticas pedagógicas. 6. Resultados Pretendidos 6.1- Realizar dois seminários para socializar os resultados da aplicação de um questionário de pesquisa sobre as condições de ensino de Ciências Naturais nas escolas selecionadas: (infraestrutura, laboratório, material didático utilizado, biblioteca); 6.2. Realizar três encontros com toda a equipe do projeto nas três semanas iniciais a partir da implantação do projeto para discutir e refletir com os professores sobre a utilização dos recursos de ensino de Ciências Naturais nas escolas participantes; 6.3. Construir um blog (multi mídia) que servirá de meio de comunicação, divulgação e registro das atividades dos participantes do Subprojeto de Ciências Naturais, onde irá abrigar os materiais didáticos utilizados e/ou produzidos; 6.4. Produzir quatro artigos acadêmicos a partir das atividades realizadas durante a execução do projeto; 6.5. Realizar quatro amostras como atividade de extensão para apresentar para a 3
  • 4. comunidade escolar os materiais produzidos para o ensino biologia, física e química da área de Ciências Naturais. 6.6. Confeccionar um conjunto de cerca de 60 materiais didáticos e kits científicos para realização de experiências que serão utilizados no ensino de Ciências Naturais das Escolas conveniadas, no laboratório de ciências do Curso de Pedagogia da UFCG; 6.7. Realizar oito seminários para discutir em equipe, tópicos de Ciências Naturais, problemas interessantes e confecção de material didático-pedagógico; 6.8. Realização de feira de Ciências nas escolas públicas conveniadas; 6.9. Divulgar através da produção de cartilha o resultado da análise, realizadas pelos alunos bolsistas, da avaliação dos alunos das escolas públicas conveniadas através da utilização de questionários com questões objetivas; 6.10. Divulgação das atividades desenvolvidas no subprojeto de Ciências Naturais através de Blogs, Fórum, Portais e páginas. 6.11. Divulgação das atividades do subprojeto pelo portal PIBID dos materiais didáticos (teóricos e práticos) elaborados e das atividades desenvolvidas neste subprojeto. 6.12- Participação do encontro do PIBID/UFCG. 6.13- Realização de duas Excursões didáticas: 6.14- Elaboração de Relatório Semestral 6.15-. Diagnóstico Escolar: Criação de um relatório associado ao diagnóstico de cada escola conveniada ao subprojeto. Este diagnóstico deverá conter uma impressão dos alunos bolsistas quanto às dificuldades dos professores e alunos das escolas de ensino básico e da sua estrutura física e pedagógica; 6.16- Elaboração de dois relatórios dos resultados das visitas de Campo. 6.17- Realização de uma feira cultural interdisciplinar em cada uma das Escolas Conveniadas. 6.18- Realização de uma Olimpíada de ciências Naturais nas Escolas Conveniadas. 6.19- Aplicação de novas metodologias através do uso de modelos didáticos e científicos confeccionados no laboratório de Ciências da UFCG para o ensino de Biologia, Física e Química. 6.20- Elaboração de Relatório final 7. Cronograma específico deste subprojeto O Cronograma do Subprojeto Licenciatura em Pedagogia na disciplina Ciências Naturais está organizado por ano correspondendo, aproximadamente, ao calendário previsto das Escolas Estaduais do Estado da Paraíba. Atividade Mês de Mês de conclusão início Organização de um encontro inicial para Mês 01 Mês 01 apresentação do subprojeto. Apresentação das escolas aos alunos Mês 01 Mês 01 bolsistas. Análise do cronograma de atividades da Mês 01 Mês 02 escola e do calendário letivo. Produção de material sobre o Ensino de Mês 01 Mês 10 Ciências Naturais - Produzir Kits didáticos para os tópicos específicos do programa 4
  • 5. Ciências Naturais (textos didáticos, atividades experimentais, jogos didáticos, modelos experimentais e materiais áudio visual). Sessões de Estudo Coletivas de Mês 01 Mês 08 Fundamentação Teórica – Estudo de textos e Execução de seminários. Acompanhamento da Prática Pedagógica na Mês 01 Mês0 nove Escola. Construir um blog (multi mídia) que servirá Mês 06 Mês 10 de meio de comunicação, divulgação e registro das atividades dos participantes do Subprojeto de Ciências Naturais, podendo abrigar materiais didáticos utilizados e/ou produzidos. Elaborar projetos, material didático e Mês 03 Mês 08 experimento didático de Ciências Naturais, com base na realidade local das escolas, através da produção e publicação de trabalhos e da realização de uma feira de ciências envolvendo toda comunidade das escolas selecionadas no projeto. Reunião com toda equipe (uma a cada mês) Mês 01 Mês 12 Planejamento e elaboração dos planos de Mês 02 Mês 02 trabalho dos bolsistas Realização de atividades de ensino, pesquisa Mês 03 Mês 08 e extensão voltados para o Ensino de Ciências naturais. Melhorar a formação profissional dos Mês 01 Mês 12 Licenciando em Pedagogia na disciplina de Ciências Naturais, tornando-os um profissional ciente de sua tarefa como educador e capazes de ensinar Ciências naturais de maneira prazerosa e interessante através da docência acompanhada. Fortalecer a interação entre a Universidade Mês 01 Mês 12 Federal de Campina Grande e as escolas parceiras neste projeto. Realização de duas Excursões didática Mês 04 Mês 08 Elaborar relatório anual. Mês 11 Mês 12 8. Plano de Trabalho do Bolsista 8.1 Planos de Trabalho do Bolsista O Plano de Trabalho deverá ser executado por (14) Bolsistas e consta das seguintes fases: 8.1. Processos 5
  • 6. 8.1.1 Processo de Planejamento, Capacitação e diagnóstico.  Apresentar o subprojeto de Ciências Naturais para os alunos bolsistas e supervisores.  Realizar um diagnóstico inicial da situação do Ensino de Ciências Naturais nos Anos Iniciais, nas Escolas participantes, respeitando e incorporando a experiência pedagógica já aplicada nas escolas participantes em particular pelos supervisores.  Investigar a escola e compreendê-la do ponto de vista de seus atores, sobretudo de professores dos Anos Iniciais.  Definir foco de intervenções: o laboratório didático e o ensino experimental – Estudar trabalhos de pesquisa em educação que trate da questão da experimentação no ensino de Ciências Naturais.  Discutir os problemas da organização dos espaços e dos acervos dos laboratórios, da dinâmica de seus usos nas escolas parceiras.  Planejar as práticas no ensino de Ciências Naturais e modos de fazer essas práticas nas diferentes áreas para Educação Básica Anos Iniciais, além de proporem aos agentes educativos, oportunidades de oferecerem aos alunos e professores que atuam nessas escolas mini-cursos, palestras, oficinas, etc., objetivando sempre a atualização do diálogo entre as pesquisas realizadas na academia e as reais demandas de professores e alunos da Educação Básica.  Apresentar o subprojeto de Ciências Naturais para os alunos bolsistas e supervisores. 8.1.2 Processo de Execução, docência, pesquisa e extensão. Ações propostas: No processo de execução deste subprojeto, pretendemos realizar as seguintes atividades:  Vivência Escolar 1. Os bolsistas realizarão os primeiros contatos com o ambiente escolar – A primeira ação será o reconhecimento do espaço escolar, história, organização, projetos pedagógicos e formas de atuação de cada escola. 2. Orientados pelo supervisor e orientador, os bolsistas, procurarão conhecer o cotidiano da escola, o perfil sociocultural dos estudantes e professores, as relações entre seus agentes (direção, coordenação, professores, alunos e funcionários).  Participação em Seminários Coletivos e Sessões de estudos: 1. Este será um espaço destinado à exposição de conteúdos, projetos ambientais e de modelos didático de forma coletiva. O bolsista será responsável pela condução da dinâmica e seleção dos materiais didáticos utilizados em sua exposição.  Recuperação e uso dos Laboratórios de Ensino: 1. Ativar os laboratórios de Ciências Naturais; 2. Os bolsistas e professor supervisor irão resgatar o acervo dos laboratórios de 6
  • 7. ensino recuperando e adquirindo equipamentos. 3. Atuar no laboratório, preparando os experimentos necessários para o assunto visto em sala. A implementação e a revitalização dos laboratórios de Ciências Naturais nas escolas pode funcionar como um grande incentivo aos professores que lá estão e ao professor supervisor, pois será mais uma ferramenta de trabalho. Os alunos ficarão mais interessados e aprenderá mais, logo a escola também será beneficiada com tal ação.  Produção de material concreto sobre o Ensino de Ciências Naturais 1. Inserção de materiais audiovisuais, jogos on-line, data-show, despertando assim o interesse dos alunos e contribuindo com a formação e/ou capacitação do professor; 2. Aula pratica para melhor facilitar a compreensão dos alunos e a formação e/ou capacitação do professor na regência de uma sala de aula; 3. Confecção de material didático-pedagógico para os tópicos específicos do programa de Ciências Naturais (textos didáticos, atividades experimentais, jogos didáticos e outros) e Elaboração de projetos ambientais com a realização de três oficinas: Oficina de brinquedos, Oficina de fantoches e Reciclagem de papel e cartonagem com o intuito de promover a Educação Ambiental. O desenvolvimento de projetos de Educação Ambiental tendo os bolsistas como mediadores no processo de conscientização e reflexão dos problemas existentes no meio em que vive contribuirá no processo de ensino aprendizagem uma vez que, reúne os conhecimentos prévios dos alunos, incentiva a troca de ideias entre eles, suscita a dúvida, estimula a solução e traz a necessidade de obter novas informações, na busca de soluções.  Acompanhamento da prática pedagógica: 1. Análise dos projetos e de situações de ensino em sala de aula e laboratório – Os alunos acompanharão o projeto, as aulas práticas e teorias de diferentes professores. Serão examinados episódios de aulas gravadas em vídeos e transcritas que, analisadas do ponto de vista da pesquisa, irá trazer elementos importantes sobre o que fazem os professores quando conduzem experimentos com alunos em sala de aula.  Exercício da Docência Acompanhada: O bolsista deverá ministrar, sob supervisão do professor da turma, uma aula a cada semana para aprimorar o exercício da prática docente. As dificuldades percebidas devem ser relatadas e discutidas nas reuniões de equipe.  Aulas de reforço escolar: as aulas de reforço escolar serão utilizadas para melhorar o desempenho dos alunos na disciplina e como ambiente para a pratica docente e de experimentação das estratégias metodológicas desenvolvidas nas outras ações propostas.  Atividades de Pesquisa e Extensão Articulada à Prática de Ensino: 1. Participar dos eventos pedagógicos das escolas: nos eventos pedagógicos das escolas, pretendemos desenvolver atividades complementares trabalhando 7
  • 8. Ciências Naturais de forma interdisciplinar. 2. Oficinas: Serão ministradas nas escolas oficinas sobre temas como: reciclagem (Oficina de brinquedos, Oficina de fantoches e Reciclagem de papel e cartonagem.) utilização do computador e livros didáticos e paradidáticos como instrumento de Pesquisa e de ensino, e materiais alternativos no ensino de Ciências Naturais. 3. Participação na organização de amostras de Ciências Naturais: apresentação de oficinas de reciclagem, modelos didáticos, experimentos e outros. Trabalho compartilhado pelo bolsista com o professor da turma de orientação de trabalhos para a exposição num evento anual com a participação de todas as escolas envolvidas em projetos multidisciplinares. As equipes de projetos, preferencialmente, serão formadas por alunos de diferentes séries dos anos iniciais e fundamental, fortalecendo o caráter dinâmico e integracional do ensino-aprendizagem em uma abordagem construtivista, com a colaboração ativa de todos os atores do processo, professores da escola, bolsistas e coordenadores. 4. Palestras: Pretendemos proferir palestras, preferencialmente nos eventos pedagógicos das escolas, sobre temas relevantes de Ciências Naturais enfocando suas aplicações em outras áreas de conhecimento. 5. Viagem de campo – Os bolsistas juntamente com os professores supervisores e orientadores, realizarão aulas de campo com estudantes das escolas.  Atividades de Pesquisa: 1. Publicação de artigo; 2. Trabalhos apresentados.  Será atribuída aos bolsistas de iniciação a docência as seguintes tarefas: 1. Elaboração de relatório mensal; 2. Acompanhamento de ficha de frequência assinado pelo supervisor da escola. 8.2 Planos de Trabalho do Supervisor: reuniões, relatórios, controle e encontro final. Haverá 02 Professores Supervisores no subprojeto, um (01) supervisor em cada escola participante, que executarão o seguinte Plano de Trabalho: PARTICIPAÇÃO EM SESSÕES DE ESTUDOS • O supervisor elaborará com os bolsistas um plano semestral de trabalho o qual será submetido à aprovação da equipe pedagógica da escola.  Realização do Diagnóstico Escolar Referente ao Ensino de Ciências Naturais. • Contribuir com o Bolsista na construção de um diagnóstico referente ao ensino de Ciências Naturais na Escola participante.  Participação no Planejamento do Professor da Escola: • Avaliar as considerações feitas pelo Bolsista sobre a utilização do Livro Didático adotado. • Avaliar com o Bolsista o trabalho cotidiano de avaliação da aprendizagem em Sala de Aula. PARTICIPAÇÃO EM SESSÕES DE ESTUDOS 8
  • 9. O supervisor elaborará com os bolsistas um plano semestral de trabalho o qual será submetido à aprovação da equipe pedagógica da escola. • Realização do Diagnóstico Escolar Referente ao Ensino de Ciências Naturais. • Contribuir com o Bolsista na construção de um diagnóstico referente ao ensino de Ciências Naturais na Escola participante. • Participação no Planejamento do Professor da Escola: • Avaliar as considerações feitas pelo Bolsista sobre a utilização do Livro Didático adotado. • Avaliar com o Bolsista o trabalho cotidiano de avaliação da aprendizagem em Sala de Aula. EXERCÍCIO DA DOCÊNCIA ACOMPANHADO • Acompanhar a frequência e a participação do Bolsista, no mínimo, a duas aulas por semana na condição de assistente. • Participar e colaborar na avaliação do planejamento na elaboração de planos de aula e na resolução de questões. • Acompanhar e avaliar as práticas planejadas pelo Bolsista para tornar operacional o plano didático quando, sob a supervisão do Professor da turma, ministrar aulas. • Participar conjuntamente com os Bolsistas e os outros professores em um processo de avaliação mais uniforme e abrangente, no ambiente escolar. • Acompanhar e participar com os bolsistas de um curso referente à utilização de novas tecnologias no ensino de Ciências Naturais. • Acompanhar a organização de grupos de estudos referente aos temas de Ciências Naturais e sua relação com o ensino. ATIVIDADES DE EXTENSÃO ARTICULADAS À PRÁTICA DE ENSINO • Participação na organização dos temas de leituras e estudos sobre o ensino de Ciências Naturais no processo de formação continuada dos professores das escolas conveniadas. • Organizar aula de campo para os bolsistas e professores das escolas participantes. • Planejar conjuntamente com os bolsistas as palestras educativas e oficinas pedagógicas referentes ao ensino de Ciências Naturais que serão realizadas no decorrer do subprojeto. • Participar com os bolsistas e professores da escola participante na organização de uma Mostra de Ciências Naturais. • Participar na organização conjuntamente com o coordenador de área de um evento para apresentação das atividades acadêmicas e escolares realizadas no âmbito do programa PIBID. ATIVIDADES DE PESQUISA ARTICULADAS À PRÁTICA DE ENSINO • Acompanhar os bolsistas na realização de um perfil da prática pedagógica dos professores de Ciências Naturais das escolas participantes. • Confecção de forma conjunta com os bolsistas de materiais didáticos contextualizados no ensino de Ciências Naturais. • Acompanhamento dos bolsistas na elaboração de artigos científicos referente ao livro didático de Ciências naturais. • Acompanhamento dos bolsistas na produção de artigos científicos referente ao 9
  • 10. processo de ensino-aprendizagem de Ciências Naturais. • Acompanhamento dos bolsistas na produção de artigos científicos referente à prática de ensino do professor de Ciências Naturais. Serão atribuídas ao professor supervisor as seguintes tarefas: • Elaborar relatórios mensais das atividades executadas pelos bolsistas e a interação dos alunos das escolas; • Acompanhar o bolsista nas atividades do subprojeto de Ciências Naturais; • Avaliar o desempenho do aluno durante a execução do projeto, observando a assiduidade, interesse, estímulo na atividade docente e motivação; • Interagir com o coordenador do projeto sobre as atividades que estão sendo desenvolvidas nas escolas; • Informar, ao coordenador de área, alterações cadastrais e eventuais mudanças nas condições que lhe garantiram inscrição e permanência no PIBID. • Inserir os bolsistas na escola e providenciar, junto à administração, os equipamentos e espaços físicos necessários para bom desenvolvimento das atividades dos bolsistas. • Controlar a frequência dos bolsistas de iniciação a docência, sob sua supervisão, repassando essas informações ao coordenador de área do programa. • Acompanhar e fiscalizar as atividades presenciais dos bolsistas PIBID da sua escola sob sua orientação, informando ao coordenador de área qualquer incoerência no desenvolvimento das atividades. • Informar a direção e os demais integrantes da escola da atuação e boas práticas pedagógicas geradas pelo PIBID. 8.3 Planos de Trabalho do Coordenador • Formar e capacitar às equipes que atuaram no subprojeto; • Participar com os supervisores, bolsistas e professores da escola do planejamento dos conteúdos que serão trabalhados ao longo dos seis meses do subprojeto; • Orientação dos bolsistas na elaboração de um plano semestral de trabalho o qual será submetido à aprovação da equipe pedagógica da escola. • Participar na organização de grupos de estudos referente às Ciências Naturais e sua relação com o ensino. • Orientação nos estudos de Leitura e Estudos. • Sistematização e Problematização do Ensino de Ciências Naturais na Escola. • Acompanhamento do Bolsista e Supervisor no Planejamento do Professor da Escola. • Orientação e Avaliação do Bolsista no Exercício da Docência Acompanhado, mediante informações diretas do supervisor e de reuniões com bolsistas. • Coordenação dos Encontros com toda a Equipe Local: reuniões em intervalos de 15/20 dias para acompanhamento e avaliação das atividades. • Organizar as rodas de leituras e estudos sobre o ensino de Ciências Naturais. • Organizar aula de campo para os alunos bolsistas, supervisores e professores das escolas conveniadas. • Organização de ciclo de palestras e oficinas sobre o ensino de Ciências Naturais, que atuem em consonância com o plano de ensino dos professores da escola e dos bolsistas, complementando-os e fornecendo uma nova dimensão do processo ensino-aprendizagem. As palestras e as oficinas serão ministradas por professores convidados ou pelo próprio coordenador, 10
  • 11. alternadamente, nas escolas participantes ao em local público na cidade, fora do horário de aula das turmas atendidas. • Organizar curso referente à utilização de novas tecnologias no ensino de Ciências Naturais. • Organizar curso de metodologia científica. • Atuação conjunto com o supervisor e demais professores da escola para articular os projetos da amostra pedagógica de Ciências Naturais, atuando como facilitador para o desenvolvimento dos projetos e auxiliando a interação com as outras áreas de conhecimento. • Acompanhamento dos bolsistas na produção de artigos científicos referente ao ensino de Ciências Naturais. • Promover evento para apresentação das atividades acadêmicas e escolares realizadas no âmbito do programa PIBID. • Coordenação da produção de Relatórios Semestrais do Subprojeto. • Participação no Encontro Geral do PIBID/UFCG. Serão atribuídas ao coordenador de área as seguintes tarefas: Processos de controle das Equipes • Reuniões semanais dos bolsistas com os supervisores; • Reuniões quinzenais entre o supervisor e o coordenador de área; • Relatório mensal dos bolsistas para o supervisor; • Reuniões mensais da equipe com o coordenador de área; • Visitas às escolas conveniadas; • Relatório semestral da equipe realizado pelo supervisor. Controles do Subprojeto • Reuniões mensais da equipe e coordenador de área; • Visitas às escolas conveniadas; • Reuniões trimestrais com o coordenador Institucional; • Relatório semestral do subprojeto realizado pelo coordenador de área. Processos de Encerramento • Participação de Encontros em cada escola. • Participação de Encontros com todas as escolas. • Participação na Produção de Relatórios Semestrais. • Participação em Encontros com toda a Equipe Local: reuniões em intervalos de 15/20 dias para acompanhamento e avaliação das atividades. • Participação nos Encontros Gerais do PIBID/UFCG. • Produção de Relatório final. 8.4 Previsão das ações que serão implementadas com os recursos do Projeto Institucional – a proposta deverá ser detalhada, pois será usada como parâmetro durante toda a vigência do convênio. O subprojeto do Curso de Pedagogia na disciplina de Ciências Naturais pretende, com a verba de custeio disponível nos dois anos do Subprojeto, distribuir 11
  • 12. da seguinte maneira: Natureza da despesa 1º ANO Aquisição de Material de 1-produção de materiais e recursos didáticos; consumo 2-aquisição de livros e materiais pedagógicos, entre outros. 3-preparação de oficinas – feira de ciências. Diárias 1-participação em eventos pedagógicos; 2-participação no encontro anual do PIBID/UFCG. Passagens e despesas 1-realização de palestras sobre temas relevantes a Meio com locomoção Ambiente, enfocando suas aplicações em outras ciências; 2-participação em eventos relacionados ao PIBID; 3-capacitação das equipes no uso de TICs. Serviços de terceira – 1-Capacitação das equipes no uso de TICs. pessoa física ou pessoa 2-Prestação de serviços por técnicos qualificados para jurídica executarem instalação e, ou, manutenção de equipamentos usados como suporte nas atividades do subprojeto. 3-Aquisição de periódicos na área de educação matemática. 8.5 Metodologia Esse trabalho será realizado nas escolas públicas de Educação Básica Anos Iniciais na cidade de Campina Grande e Cuité, localizado no Estado da Paraíba, junto com a Unidade Acadêmica de Pedagogia – UFCG. A maneira na qual pretendemos desenvolver nossas atividades consiste em seguir de forma sistemática os procedimentos abaixo:  Dividiremos os bolsistas em dois grupos, onde cada grupo de bolsistas será inserido em uma escola para que os mesmos se familiarizem com a equipe pedagógica desta escola e, juntos possamos, diagnosticar a real situação do ensino de Ciências Naturais nos Anos Iniciais nesta unidade de ensino.  Uma vez feito o diagnostico do Ensino de Ciências Naturais na escola, os bolsistas farão um levantamento bibliográficos dos conteúdos da disciplina Ciências Naturais nos Anos Iniciais onde será elaborado o plano de trabalho de cada bolsista para ser submetido à aprovação da equipe pedagógica das escolas. Tendo em vista a disciplina curricular cursada pelos bolsistas na preparação de mostra de Ciências Naturais e em suas atividades complementares de ensino.  Acompanhamento semanal, em sala de aula, pelos Bolsistas, de sessões de ensino do (a) Professor (a). Esse acompanhamento poderá se realizar em horários variáveis, se alternado as turmas acompanhadas.  Exercício da docência, pelo (a) Bolsista, assumindo com supervisão do professor da Escola ou do Coordenador do Projeto, fora do horário regular das aulas do professor, mas em consonância com sua prática pedagógica e aliando-se aos temas centrais escolhidos no início do período. Algumas dessas aulas acontecerão fora do ambiente escolar, utilizando os laboratórios didáticos da Universidade.  Realização de encontros semanais dos Bolsistas com os Professores, coordenado pelo professor Supervisor, para o Planejamento da Prática Pedagógica. Esses encontros acontecerão segundo calendário de planejamento escolar já existente nas Escolas participantes. 12
  • 13. Participação dos Bolsistas em sessões de orientações semanais com o professor Coordenador do Subprojeto de Pedagogia na disciplina de Ciências Naturais.  Os bolsistas usarão o Laboratório de Ciências Naturais – LECEN- do Curso de Pedagogia da UFCG para procurar desenvolver atividades e para produção de material didático.  Participação do Bolsista em ações de orientação dos estudantes dos Anos Iniciais para a produção de trabalhos nas oficinas para Mostra de Ciências Naturais. Organizando equipes, selecionando projetos exequíveis e relevantes (com o auxílio do coordenador do projeto) e auxiliando no trabalho de pesquisa que envolve a preparação da mostra.  Produção, por todos os participantes do Subprojeto de Relatórios Semestrais sobre o seu desenvolvimento; esses relatórios são documentos também para o acompanhamento e avaliação das atividades propostas e planejamento das atividades do semestre subsequente.  Participação de todos os participantes do Subprojeto em Encontro geral do PIBID na UFCG.  As palestras do ciclo de palestras, com o coordenador do projeto e professores convidados.  Após um ano de desenvolvimento das atividades do subprojeto, pretendemos fazer uma permuta das equipes entre as escolas para que os bolsistas tenham contatos com realidades diferentes. 8.6 Objetivos 8.6.1 Objetivos Gerais  Os objetivos gerais do projeto são definidos pela portaria CAPES Nº250 que institui as normas do PIBID:  I. Incentivar a formação de docentes em nível superior para a Educação Básica;  II. Contribuir para a valorização do magistério;  III. Elevar a qualidade da formação inicial de professores nos cursos de licenciatura, promovendo a integração entre a Educação Superior e a Educação Básica;  IV. Inserir os licenciando no cotidiano de escolas da rede pública de educação, proporcionando-lhes oportunidades de criação e participação em experiências metodológicas, tecnológicas e práticas docentes de caráter inovador e interdisciplinar que busquem a superação de problemas identificados no processo de ensino aprendizagem;  V. incentivar escolas públicas de Educação Básica, mobilizando seus professores como coformadores dos futuros docentes e tornando-as protagonistas nos processos de formação inicial para o magistério; e.  VI. Contribuir para a articulação entre teoria e prática necessárias à formação dos docentes, elevando a qualidade das ações acadêmicas nos cursos de licenciatura. 13
  • 14. 8.6.2 Objetivos Específicos Os objetivos do subprojeto de Licenciatura em Pedagogia consistem em:  Elevar a qualidade da formação inicial de professores no curso de Licenciatura Plena em Pedagogia promovendo a integração entre a UFCG e as escolas da rede pública de Educação Básica Anos iniciais.  Contribuir para diminuir a evasão no curso de licenciatura Plena em Pedagogia do campo de Campina Grande da UFCG.  Fomentar experiências metodológicas e práticas docentes de caráter inovador, que utilizem recursos de tecnologia da informação e da comunicação.  Valorizar o espaço da escola pública como campo de experiências para a construção do conhecimento na formação de professores para educação básica da rede pública nos Anos Iniciais.  Proporcionar aos futuros professores da UFCG do Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia a participação em ações, experiências metodológicas e práticas docentes inovadoras na área de Ciências Naturais, articuladas com a realidade das escolas do ensino da rede pública de Educação Básica ((Anos Iniciais)).  Utilizar os recursos tecnológicos da informação e comunicação como um recurso didático.  Colaborar com o professor na realização de oficinas, elaboração de projetos, trabalhos teóricos e práticos experimentais, na preparação de material didático e em atividades de classe e laboratório da área de Ciências Naturais do curso de Licenciatura Plena em Pedagogia.  Contribuir para a formação acadêmica dos alunos bolsistas.  Valorizar as escolas públicas de Educação Básica - Anos Iniciais como espaço social de experiências para a construção do conhecimento.  Formar grupos de discussão onde os professores possam pensar sobre suas práticas e planejar juntamente com os bolsistas as atividades.  Mobilizar os alunos bolsistas na confecção de novos projetos ambientais e experimentação científica e tecnológica.  Realizar levantamentos de dados na escola para produção de artigos acadêmicos, produção de material didático na área de ensino das Ciências Naturais.  Promover eventos de caráter interdisciplinar para apresentação das atividades acadêmicas nas escolas de Educação Básica - Anos Iniciais com o objetivo de divulgar a importância do Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia na comunidade. 9. Outras informações relevantes (quando aplicável) O Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia da UFCG do Campus de Campina Grande Funciona, desde 1979, com o propósito de formar docentes para atuarem nos anos iniciais do Ensino Fundamental (antes, 1º grau), este curso de Pedagogia amplia agora sua tarefa, dedicando-se também à formação inicial de professores para os Anos Iniciais, com base nas determinações expressas na Resolução CNE/CP nº. 01/2006. Além disso, considerando ainda o disposto nas DCN do Curso de Graduação em Pedagogia, o projeto repensa, entre outros aspectos, a identidade do professor, o seu campo de atuação e o estágio curricular supervisionado. Tais mudanças, por si sós, implicaram em reformulações significativas na sua proposta atual. 14
  • 15. PERFIL DO EGRESSO A compreensão de que: 1) o curso de Pedagogia engloba o campo teórico e investigativo da educação, do ensino, da aprendizagem e do trabalho pedagógico realizados na práxis social; 2) a docência compreende as atividades pedagógicas inerentes a processos de ensino e de aprendizagem, a gestão dos processos educativos, bem como a produção e disseminação de conhecimentos da área da educação; e de que 3) o professor é agente (re) educador das relações sociais e redimensionador das funções pedagógicas, inclusive a gestão da escola, torna necessária uma formação docente que abranja consistente discussão teórica e diversidade de conhecimentos e práticas, com vistas à constituição do pedagogo como um profissional que, entre outros aspectos, deverá: a) atuar com ética e compromisso objetivando a construção de uma sociedade justa, equânime e igualitária; b) compreender, cuidar e educar crianças de zero a cinco anos e Anos Iniciais (1º e 5º Ano), contribuindo para o seu desenvolvimento físico, psicológico, intelectual, social, entre outros; c) ensinar língua portuguesa, matemática, ciências, história, geografia, artes, educação física, de forma interdisciplinar e adequada às diferentes fases do desenvolvimento humano; d) promover e facilitar relações de cooperação entre a instituição educativa, a família e a comunidade; e) participar da gestão das instituições, contribuindo para a elaboração, implementação, coordenação, acompanhamento e avaliação do seu projeto pedagógico; f) realizar pesquisas que proporcionem conhecimentos, entre outros, sobre os alunos e a realidade sociocultural em que se inserem; sobre processos de ensinar e de aprender; sobre propostas curriculares e sobre a organização do trabalho educativo e das práticas pedagógicas. CAMPO DE ATUAÇÃO DO PROFISSIONAL O campo de atuação do formado em Pedagogia abrangerá as seguintes dimensões: • Docência na Educação Infantil e nos anos iniciais do Ensino Fundamental; • Planejamento, execução, coordenação, acompanhamento e avaliação de tarefas próprias do setor educacional; • Gestão educacional, incluindo o planejamento, administração, coordenação, acompanhamento, avaliação de planos e de projetos pedagógicos, bem como a análise, formulação, implementação, acompanhamento e avaliação de políticas públicas e institucionais na área de educação; • Produção e difusão do conhecimento científico e tecnológico no campo educacional. 9.1 Execuções Orçamentárias NATUREZA DAS DESPESAS VALOR R$ Material de Consumo 2.262,00 Diárias 3.200,00 Passagens e despesas com locomoção 1.800,00 15
  • 16. Serviços de Terceiros - Pessoa Física 1.100,00 Serviços de Terceiro – Pessoa Jurídica 1.200,00 Soma 9.562,00 Total da Verba de Custeio 9.562,00 16
  • 17. 10. BIBLIOGRAFIA: ALMEIDA, Célia Maria de C. A universidade e o ensino de 1º e 2 graus. A didática das ciências. Campinas: Papirus, 1988. ANGOTTI, José André & DELIZOLCOV, Demétrio. Metodologia do Ensino de Ciências. São Paulo: Cortez editora, 1990. ASDOLFI, Jean – Pierre & DEVELAY, Michael. A didática das ciências. Campinas: Papirus, 1990. BETHELEM, Nilda. Explorando as ciências na escola primaria. Rio de janeiro: José Olimpio Editora S/A, 1969. BIZZO, Nelio. Ciências: Fácil ou Difícil? Ed. Ática –1999. BRASIL, Secretária de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ciências Naturais, Meio Ambientes e saúde/ Secretaria de Educação Fundamental. Brasília. BUSQUETS, Maria Dolors ET AL. Temas transversais em educação – Bases para uma formação integral. Ed. Ática –1999. CANIATO, Rodolfo. A terra em que vivemos. Campinas: Papirus, 1987. Consciência na educação. Campinas: papirus, 1988. Educação e Saúde CEDEM nº 4 – Cortez Editora e autores associados, 1984. FERRAZ. Leila Nívea Bruzzi, Formação e profissão docente: a postura investigativa e o olhar questionador na atuação dos professores. Movimento Revista da Faculdade de Educação da Universidade Federal Fluminense, Rio de Janeiro, n. 2. 58-66. set.2000. FRANCALANZA, Hilário ET al. O Ensino de Ciências – 1º Grau. Sâo Paulo, atual, 1987. Por uma pedagogia da pergunta Paulo Freire e A. Feundez. Ed. Paz na Terra, 1985. FUNBEC. Laboratório Básico de Ciências para o 1º Grau. Rio de Janeiro, 1983. HENNIG, George, J. Metodologia do Ensino de Ciências. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1986. MELLO, Guiomar Namo de. Magistério de 1º Grau da competência técnica ao compromisso político. São Paulo: Cortez, 1984. MORAIS, Artur Gomes de. Ortografia: Ensinar e Aprender, ed. Ática- 1999. PETEROSSI, HELENA Gemignani & FAZENDA, Ivani Catarina, Arantees. Anotações sobre Metodologia e Prática de Ensono na Escola de 1º Grau. São Paulo, Ed. Loyola, 1983. 17
  • 18. PIAGET, Jean. Para onde vai à educação? Porto Alegre: Ed. José Olimpio, 1974. Por uma nova escola – o transitório e o permanente na educação. . São Paulo, Cortez Editora/ autores associados, 1985. RAGAN, William S. Currículo primário moderno. Porto Alegre. Editor Globo. 1978. RATHS, Louis E. et al. Ensinar a pensar. 2ª edição. São Paulo: EPU, 1977. RODRIGUES, Neidson. Lições do princípio e outras llições. 2ª ed. São Paulo, Cortez Editora/ autores associados, 1985. RONCA Antonio Carlos Caruso & ESCOBAR, Virgínia ferreira. Técnicas Pedagógicas; Domesticação ou desafio à participação 3ª ed. Vozes Petrópolis. Saúde e Educação Popular – org. NOVA ed. Vozes/ Nova – 1983. SEVERINO, Antonio Joaquim. Metodologia do Trabalho Científico. São Paulo. Cortez, 1989. TAILLE, Yves de La. Limites: Três Dimensões Educacionais, ed. Ática – 1999. 18