SlideShare uma empresa Scribd logo
1
PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO BERNARDO DO CAMPO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO
DEPARTAMENTO DE AÇÕES EDUCACIONAIS
EMEB JOSÉ CATALDI
PPPPPP
PPRROOJJEETTOO PPOOLLÍÍTTIICCOO
PPEEDDAAGGÓÓGGIICCOO
22001133
2
PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO BERNARDO DO CAMPO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO
DEPARTAMENTO DE AÇÕES EDUCACIONAIS
EMEB JOSÉ CATALDI
SUMÁRIO
I. IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE ESCOLAR...............................................................................03
1. Quadro de Identificação dos Funcionários........................................................................03
2. Quadro de Organização das Modalidades........................................................................05
3. Histórico da Unidade Escolar............................................................................................05
II. CONCEPÇÃO PEDAGÓGICA....................................................................................................06
III. ANÁLISE E REFLEXÃO DAS AVALIAÇÕES REALIZADAS PELA EQUIPE ESCOLAR NO
ANO DE 2012..................................................................................................................................07
IV. CARACTERIZAÇÃO E PLANO DE AÇÃO PARA OS SEGMENTOS DE ATUAÇÃO DA
ESCOLA..........................................................................................................................................09
1. Caracterização da Comunidade........................................................................................09
2. Comunidade Escolar.........................................................................................................09
2.1. Caracterização....................................................................................................09
2.2. Plano de Ação para a Comunidade Escolar.......................................................15
2.3. Avaliação............................................................................................................16
3. Equipe Escolar..................................................................................................................17
3.1. Professores.........................................................................................................17
3.1.1 Caracterização........................................................................................17
3.1.2 Plano de Formação para os Professores...............................................18
3.1.3 Avaliação do Plano de Formação...........................................................20
3.2 Funcionários.........................................................................................................20
3.2.1 Caracterização........................................................................................20
3.2.2 Plano de Formação dos Funcionários....................................................20
3.2.3 Avaliação do Plano de Formação...........................................................21
4. Conselhos.........................................................................................................................21
4.1. Conselho de Escola............................................................................................21
4.1.1. Caracterização do Conselho de Escola ................................................21
4.1.2. Plano de Ação do Conselho de Escola.................................................21
4.1.3. Avaliação Plano de Ação do Conselho de Escola................................22
5. Associação de Pais e Mestres........................................................................................22
5.1. Caracterização..................................................................................................22
5.2. Plano de Ação da APM.....................................................................................22
5.3. Avaliação...........................................................................................................23
V. ORGANIZAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO PEDAGÓGICO...........................23
1. Objetivos...........................................................................................................................23
2. Levantamento dos Objetivos e Conteúdos por Área de Conhecimento..........................24
3. Rotina................................................................................................................................69
4. Avaliação das Aprendizagens dos Alunos........................................................................72
4.1. Ensino Fundamental...........................................................................................72
5. Acompanhamento dos Instrumentos Metodológicos........................................................73
6. Ações Suplementares.......................................................................................................73
6.1. A.E.E. – Atendimento Educacional Especializado.............................................73
6.2. P.A.A. – Plano de Apoio a Aprendizagem.........................................................75
VI. CALENDÁRIO ESCOLAR HOMOLADO..................................................................................76
VII. REFERÊNCIAS.........................................................................................................................76
VIII. ANEXOS..................................................................................................................................77
3
I - IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE ESCOLAR
EMEB “José Cataldi”
Endereço: Rua João Gerbelli nº 330
Bairro Demarchi – Município de São Bernardo do Campo – São Paulo
CEP. 09820-380
Telefone: (0XX11) 4396-8209 / 4347-8702 / 4396-8390
E-mail: jose.cataldi@saobernardo.sp.gov.br
Blog: http://emebjosecataldi.blogspot.com.br
CIE: 082417
Diretora: Márcia da Silva Rocha
Professor de Apoio à Direção: Lílian Arraiol Villa Bartkevicius
Coordenadora Pedagógica: Cláudia do Espírito Santo
Orientadora Pedagógica: Sandra Regina Brito de Macedo
Assistente Social: Telma de Cássia B. Demarchi
Fonoaudióloga: Monica Guedes Carvalhaes de Souza
Psicóloga: Maria Aparecida Rocha Silva
Fisioterapeuta: Êmila Stender de Oliveira
Modalidade de Ensino: Fundamental
Períodos e Horários de Funcionamento da Unidade Escolar:
 Período Manhã: das 7h00 às 12h00
 Período Tarde: das 13h00 às 18h00
 Secretaria: das 7h00 às 18h00
1- Quadro de Identificação dos Funcionários
2- Quadro de Organização das Modalidades
Período
Agrupamento
Ano/ciclo
Termo
Turma Professora
Total de
alunos por
turma
Total de
alunos por
período
Manhã
1º Ano Inicial A Aparecida de C. Casagrande 27
187*
3º Ano Inicial A Rosemeire Nunes Lucero 30
3º Ano Inicial B Dulcinéia Azanha de Souza 27
3º Ano Inicial C Juliana Meire Longo 24
1º Ano/Ciclo II A Marisa Ramos Dias 28
2º Ano/Ciclo II A Maria Cristina Nunes 27
2º Ano/Ciclo II B Sandra Benedita Morassi 24
Tarde
1º Ano Inicial B Gislaine Rodrigues do Nascimento 32
232*
2º Ano Inicial A Juliana Cinti Cunha Matos 32
2º Ano Inicial B Antonia Regilania Roseno de Oliveira 32
3º Ano Inicial D Simone Roldan Serraglia Jaconis 29
3º Ano Inicial E Luíza Islamar Alves Beserra de Morais 30
1º Ano/Ciclo II B Márcia Regina Neves Correia 26
1º Ano/Ciclo II C Célia Harumi Tagawa Cavalcante Barros 24
2º Ano/Ciclo II C Priscila Ribeiro Reis Araújo 27
*Data base: 13/03/2012
4
3 – Histórico da Unidade Escolar
A escola foi fundada por meio do Decreto Nº 14.678, de 18 de março de 2004 (publicada
no jornal Notícias do Município de 19/03/2004, página 03), após o Convênio de Parceria
Educacional Estado-Município para o Ensino Fundamental.
A Prefeitura de São Bernardo do Campo, por meio da Secretaria de Educação e Cultura,
realizou no dia 05 de março de 2004 uma Cerimônia de Assinatura de Ordem de Serviço para
Construção da Escola Municipal de Educação Básica do Jardim Andréa Demarchi.
No início das atividades, em 16 de janeiro de 2004, a escola utilizava o espaço físico
cedido pela Escola Estadual Maria Regina Demarchi Fanani, haja vista que aguardávamos a
construção do prédio. Os primeiros alunos vieram por transferência desta mesma escola.
Em 1º de setembro do ano de 2005 a escola ficou pronta e então houve prosseguimento
das atividades em prédio próprio.
Durante o ano de 2005, desenvolvem-se trabalhos tendo como principal objetivo eleger o
patrono da Biblioteca Escolar Interativa. Após um mês de informações, discussões e consultas a
comunidade, foi denominada Biblioteca Escolar Interativa Mauricio de Sousa.
Em 21 de agosto de 2006 a escola foi inaugurada juntamente com o Laboratório de
Informática e a Biblioteca Escolar Interativa Maurício de Sousa.
Em 2007 a escola sede espaço para uma sala de Educação de Jovens e Adultos (dia) e
em 2008 recebe o Projeto Piloto da Secretaria Municipal de Educação, denominado ALTER 14
vinculado ao Ensino Fundamental e continua o atendimento a uma sala de Educação de Jovens e
Adultos (dia). Neste mesmo ano o projeto é finalizado.
A Unidade Escolar foi denominada pela câmara de vereadores de São Bernardo do Campo
através da aprovação da Lei 5671 de 23 de abril de 2007, publicada no jornal Notícias do
Município de 27 de abril do mesmo ano como “José Cataldi”. Nosso patrono nasceu no dia 23 de
setembro de 1927, em São Paulo.
No ano de 1951, mudou-se para São Bernardo do Campo, foi casado com a senhora
Adelaide Charme Cataldi, desta união nasceu Sonia Regina Cataldi Gonçalves.
Faleceu no dia 23 de setembro de 2004.
A quadra da escola foi coberta em 2008, após repasse financeiro da Secretaria de
Educação para a Associação de Pais e Mestres da EMEB José Cataldi. A obra foi entregue aos
alunos no inicio do ano letivo de 2009.
Em 2011 a APM da EMEB José Cataldi deliberou pela transformação da sala de uso
multifuncional em sala de artes. No 1º semestre de 2012 os alunos já puderam usufruir deste
espaço.
Em 2012 no 2º semestre, teve inicio a intervenção na quadra da escola para readequação
e pintura, estendendo-se até o 1º semestre de 2013.
II. CONCEPÇÃO PEDAGÓGICA
Partimos da premissa de que o aluno/criança é um sujeito em formação, que tem
necessidade de brincar e de ter algumas responsabilidades de acordo com sua faixa etária no
âmbito familiar e social, dentre estas primordialmente deverão reconhecer a importância de
estudar.
Assim, entendemos que o papel da escola é educar para o convívio social, a reflexão, o
senso crítico, para o desenvolvimento de aptidões, do senso de pesquisa e para o exercício pleno
da cidadania. A construção de uma escola depende de toda comunidade escolar, com clareza de
papéis, de objetivos e responsabilidades do processo educacional.
A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional consolida e amplia o dever do poder
público para com a educação em geral e em particular com o ensino fundamental. Assim, vê-se
no art.22 dessa lei que a educação básica, da qual o ensino fundamental é parte integrante, deve
assegurar a todos “a formação comum indispensável para o exercício da cidadania e fornecer-
lhes meios para progredir no trabalho e em estudos posteriores”.
5
A concepção de aprendizagem traz consigo questões metodológicas, de formação
profissional e de identidade. Conceber a aprendizagem é ter como foco o direito de aprendizagem
do educando e a clareza da ação intencional por parte do professor. Proporcionando situações
contextualizadas, bons modelos, estratégias/recursos lúdicos, atividades em grupos e
intervenções pontuais.
O ritmo individual e os interesses do educando se traduz em uma abordagem cultural onde o
educador “age como mediador entre a criança e a cultura”. A escola propicia momentos de
discussões permanentes sobre o atendimento à diversidade, não se esquecendo da reflexão
sobre a prática, visando ações posteriores para seu aprimoramento, buscando igualdade de
oportunidades educacionais a todos e garantindo o pleno exercício da cidadania.
A relação professor-aluno é essencial e permeia todo o processo pedagógico da construção
do conhecimento. Considera o respeito ao ser humano, a diversidade, a divergência de opiniões,
em uma postura ética, investigativa, de troca reflexiva e crítica.
A relação diária com os membros da comunidade escolar é enriquecida atentando aos
observáveis trazidos, transformando-os em contribuições para o aprimoramento do trabalho
desenvolvido pela escola. A escola busca a participação da comunidade, construindo assim uma
relação de confiança e reflexão contínua.
III. ANÁLISE E REFLEXÃO DAS AVALIAÇÕES REALIZADAS PELA EQUIPE ESCOLAR NO
ANO DE 2012
No final do ano letivo de 2012 realizamos reavaliação das dimensões que indicavam
necessidade de qualificação do trabalho da escola. Explicitaremos nos quadros a seguir os
indicativos que nortearão nosso trabalho em 2013.
DIMENSÃO: PRÁTICA PEDAGÓGICA E AVALIAÇÃO
Indicadores Ações Análises Evidencias Indicativos para
2013
Planejamento Necessidade de uma
revisão cuidadosa e
realização de ajustes,
buscando linearidade e
ampliação do repertório
do aluno conforme o
mesmo for efetivando
seu percurso educativo.
Necessidade de uma
revisão cuidadosa
e realização de
ajustes, buscando
linearidade e
ampliação do
repertório do aluno
conforme o mesmo
for efetivando seu
percurso educativo.
Mudanças
significativas
nos
planejamentos
foram
observadas.
Dar
continuidade, no
que se refere à
implementação
dos planos
anuais
modificados,
sugerindo
avaliação do
trabalho
desenvolvido no
ano letivo de
2012, para que
possamos
realizar no início
de 2.013
pequenas
alterações que
se fizerem
necessárias.
Formas
variadas e
transparentes
de avaliação
Percebemos a necessidade
de estabelecer critérios
únicos para elaboração
funcional dos portfólios
Análise/orientações
dos portfólios dos
alunos no que
tange construção
Houve o
conhecimento e
aplicação,
considerando que
Dar
continuidade,
considerando
que muitas das
6
dos alunos dos alunos. funcional do
mesmo.
a maior parte das
atividades
contemplavam
claramente os
objetivos
desenvolvidos no
decorrer do
trimestre.
ações propostas
não foram
efetivadas.
DIMENSÃO: ENSINO E APRENDIZAGEM DA LEITURA E ESCRITA
Indicadores Ações Análises Evidencias Indicativos
para 2013
Atenção ao
processo de
alfabetização
Utilização de
agrupamentos e
estratégias
diferenciadas que
permitam inserção de
atividades
sequenciadas no
planejamento que
contemplem as
diversas hipóteses de
escrita e
consequentemente
avanços dos alunos.
As análises/
discussões terão
como referencial
teórico: material do
Ler e Escrever
Utilização de
agrupamentos e
estratégias
diferenciadas
que permitam
inserção de
atividades
sequenciadas no
planejamento
que contemplem
as diversas
hipóteses de
escrita e
consequentemente
avanços dos
alunos.
As análises/
discussões terão
como referencial
teórico: material
do Ler e
Escrever
Reuniões em
momentos distintos
com cada grupo de
ano/ciclo,
contemplando a
análise/elaboração de
estratégias focando
avanços em relação às
hipóteses de escrita
dos alunos.
Daremos
continuidade
aos trabalhos
desenvolvidos e
acrescentamos
a necessidade
de mensalmen-
te promovermos
encontros com
docentes,
apontando
aqueles alunos
que no decorrer
do período não
apresentaram
avanços no que
se refere à
hipótese de
escrita.
DIMENSÃO: GESTÃO ESCOLAR DEMOCRÁTICA
Indicadores Ações Análises Evidencias Indicativos para
2013
Conselhos
Escolares
atuantes
Capacitação através
de reuniões com a
diretora e PAD.
Discutir com a
comunidade
escolar a
importância da
participação para
o
desenvolvimento
integral das
ações dentro da
U.E.
Ainda há pouca
participação dos
envolvidos.
Há necessidade
de participação
efetiva.
Participação
efetiva de
estudantes,
pais, mães e
Discutir com a
comunidade escolar,
tendo-a como
responsável pela
Planejar com a
comunidade
escolar
atividades
Houve pouca
melhora na
resposta aos
chamados da
Aprimorar a
participação da
comunidade
escolar.
7
comunidade
em geral
construção e
continuação da linha
de ação comum dentro
da organização
escolar.
referentes ao
calendário anual,
Festa Brasileira
e Mix Cultural.
escola para que
a participação da
comunidade se
efetive.
DIMENSÃO: FORMAÇÃO E CONDIÇÕES DE TRABALHO DOS PROFISSIONAIS DA ESCOLA
Indicadores Ações Análises Evidencias Indicativos para
2013
Formação
inicial e
continuada
Necessidade de
discussão sobre as
situações diárias
da escola e das
relações com os
alunos.
Investir mais na
formação
sistematizada
dos profissionais
da escola.
A avaliação realizada em parceria com a OP evidenciou elementos comuns aos que foram
mencionados nos quadros.
IV. CARACTERIZAÇÃO E PLANO DE AÇÃO PARA OS SEGMENTOS DE ATUAÇÃO DE
ESCOLA
1. Caracterização da Comunidade
O bairro Demarchi é conhecido pela gastronomia, com muitos restaurantes tendo como
especialidade, frango com polenta, que remonta dos anos 40, quando viajantes a caminho de
Santos, paravam no bairro e comiam estes pratos, servidos ainda na casa da família Demarchi.
A escola tem como referência à Avenida Maria Servidei Demarchi. O comércio local é
diversificado, atendendo às necessidades dos moradores.
Ao lado da nossa escola encontra-se a Escola Estadual Maria Regina Demarchi Fanani, que
atende alunos de Ensino Fundamental e Médio. Próximo à escola temos ainda a Escola Municipal
de Educação Básica Pedro Morassi que atende alunos de Educação Infantil e uma Unidade
Básica de Saúde que atende a comunidade.
O bairro conta com uma “quadra comunitária” e um “campinho” de futebol, que é pouco
utilizado para o lazer das crianças devido a sua situação precária de conservação.
Encontra-se no bairro a Igreja de Santa Maria, construída em terreno doado pela família
Demarchi e inaugurada em 1954, que teve o imóvel constituído da capela tombada pelo Decreto
nº. 8679 de 16 de janeiro de 1987, assim fazendo parte do patrimônio histórico da nossa cidade.
2. Comunidade Escolar
2.1. Caracterização
Com base em pesquisa nas fichas de levantamento de dados, preenchida pelos
responsáveis no ato da matrícula, podemos observar que a comunidade escolar, praticamente em
sua totalidade, é proveniente da região Sudeste, que a maioria dos nossos alunos mora em outros
bairros. No momento da matricula muitos responsáveis relatam que acreditam no trabalho
realizado por esta Escola Municipal de Educação Básica.
Com relação à informação, muitos têm acesso a jornais, computadores, livros e gibis, a
escola procura aproveitar esses conhecimentos para planejar situações nas quais eles possam
colocar em jogo todo o seu saber e ampliar ainda mais seus conhecimentos.
Quanto ao tipo de lazer, observa-se que, uma minoria frequenta parques e clubes, dados
estes bastante relevantes para que a escola, dentro das possibilidades, organize e proporcione o
contato de nossos alunos com estes locais.
8
Discutimos, e analisamos constantemente tópicos do PPP e formas de articulação destas
informações com o planejamento.
Ao traçar o perfil da comunidade, analisamos as informações das 387 fichas de levantamento
de dados apresentados nos gráficos abaixo:
9
10
11
12
13
14
15
2.2. Plano de Ação para Comunidade Escolar
Entende-se que o plano de ação é um instrumento que deve ser executado, consultado e
valorizado como uma fonte de inspiração, para que se possam construir outros instrumentos de
apoio ao desenvolvimento educacional.
Justificativa
Objetivos
Gerais e específicos
Ações Propostas
(Metodologia)
Responsáveis
Prazo/
Periodicidade
Considerando a
importância da
participação da
comunidade escolar
para o aprimoramento
do trabalho
desenvolvido pela
escola e a necessidade
de maior envolvimento
dos membros,
planejamos as ações
descritas.
Discutir com a
comunidade escolar
quanto à importância da
participação para o
desenvolvimento
integral das ações
dentro da U.E.
Fortalecer a parceria
com a comunidade
escolar.
Planejar com a
comunidade atividades
referentes ao calendário
escolar.
Discutir e encaminhar
com a comunidade as
necessidades e praticas
da escola.
APM e
Conselho Escolar
Anual.
Devido à procura da
comunidade por um
horário para utilizar o
computador para
realizar trabalhos e
atividades pessoais,
disponibilizamos um
horário destinado a
acesso livre.
Promover a inclusão e o
acesso digital através
de oficinas e horários de
acesso livre que
atendam as
necessidades da
clientela;
Promover o uso com
autonomia de alguns
recursos
computacionais;
Proporcionar acesso aos
diversos programas
instalados no
computador;
Proporcionar acesso à
internet (pesquisa e
comunicação).
PAPE Elaine Silva
Rocha Sobreira
Durante o ano letivo de
2013
Terça-feira - 17:40 às
18:40h – Acesso livre.
Devido à procura da
comunidade (ex-alunos)
por cursos relacionados
a projetos já
desenvolvidos na
unidade escolar,
disponibilizamos um
horário destinado a
oficinas que atenda esta
demanda.
Promover o uso com
autonomia de alguns
recursos
computacionais;
Oferecer a oportunidade
de ser autor e criador de
recursos, imagens,
vídeos ou jogos,
utilizando recursos
diferenciados do
computador
Possibilitar a utilização
do computador com
recursos que vão além
do consumo de
informações na internet
e a simples digitação de
dados.
Proporcionar acesso aos
diversos programas
instalados no
computador;
Utilizar aplicativos de
programação, edição de
vídeos, imagens, entre
outros;
Publicação de conteúdos
na internet.
PAPE Elaine Silva
Rocha Sobreira
Turmas: Quarta-feira –
11:00 às 12:00h -
Oficinas
2. 3. Avaliação
O comprometimento com a comunidade e dela com a escola é necessário para efetivamente
promover um trabalho ordenado e significativo. Portanto, é preciso uma avaliação no final da
ação, registrando pontos positivos e negativos, analisando também se as ações estão de acordo
com a realidade da escola. As avaliações norteadoras para as novas ações apontaram para a
necessidade de maiores investimentos na aproximação dos pais e da escola. A participação e o
comprometimento de todos ainda é um desafio.
16
3. Equipe Escolar
3.1 Professores
3.1.1 Caracterização
Somos professores do Ensino Fundamental comprometidos profissionalmente, atuando de
acordo com nossas atribuições e responsabilidades. O grupo se dispõe a acolher e ajudar,
adotando a postura de socializar trocas com o objetivo do aprimoramento da prática pedagógica.
Nossa preocupação está centrada na aprendizagem. Almejamos a ascensão profissional na
carreira do magistério.
Acreditamos no trabalho em equipe, em uma relação pautada na afinidade. Elencamos
como prioridade a viabilização da prática pedagógica, da formação docente prevista dentro da
jornada de trabalho.
Temos a expectativa de reconhecimento profissional e de um bom plano de carreira.
PROFESSORES
Nome
Situação
funcional
Escolaridade
Tempo na
PMSBC
Tempo na
escola
Observação
Graduação Pós-Graduação
Antonia Regilania Roseno
de Oliveira
Estatutária Letras - 01 ano 02 meses -
Aparecida de C.
Casagrande
Conveniada
Pedagogia
- 13 anos 05 anos -
Aurora Fernandes Brito
Munhoz
CLT
Pedagogia
Educação
Inclusiva
05 anos 02 meses -
Célia Harumi Tagawa
Cavalcante Barros
Estatutária Pedagogia - 21 anos 08 anos
02 matrículas na
rede
Cristiane Moro CLT
Pedagogia
- 12 anos 08 anos
02 matrículas na
rede
Dulcinéia Azanha de
Souza
Conveniada
Magistério
Superior
- 13 anos 08 anos -
Elaine Silva Rocha
Sobreira
Estatutária
Pedagogia e
Ciências
Sociais
Tecnologias
Interativas
Aplicadas à
Educação
14 anos 04 anos PAPE
Gislaine Rodrigues do
Nascimento
Estatutária
Pedagogia
Educação
Especial
02 anos 02 meses -
Juliana Cinti Cunha Matos Estatutária Pedagogia - 02 anos 02 meses -
Juliana Meire Longo Estatutária Pedagogia
Psicologia
(em curso)
04 meses 04 meses -
Karen Cristina de F. Perez Estatutária
Pedagogia
Supervisão
Escolar e Ed.
Espec. Def.
Intelectual
03 anos 03 anos
Trabalha na
rede de outro
município
Luíza Islamar Alves
Beserra de Morais
Estatutária
Pedagogia
- 01 ano 02 meses -
Márcia Regina Neves
Correia
CLT Pedagogia - 06 anos 04 anos -
Maria Cristina Nunes Estatutária
Pedagogia
- 10 anos 08 anos
Trabalha na
rede de outro
município
Marisa Ramos Dias
Estatutária
Pedagogia
Especialização
em Ensino
Fundamental
14 anos 08 anos -
Miriam Silva Angelo
Estatutária Pedagogia
Especialização
Inclusiva
10 anos 02 meses -
Priscila Ribeiro Reis
Araújo
Estatutária
Letras e
Pedagogia
Psicopedagogia e
Gestão Escolar
05 anos 02 meses -
Rosemeire Nunes Lucero Estatutária
Pedagogia
Violência
Doméstica Contra
Criança e
Adolescente
21 anos 05 anos
Trabalha na
rede particular
Sandra Benedita Morassi Conveniada Pedagogia - 09 anos 09 anos -
17
Simone Roldan Serraglia
Jaconis
Estatutária Pedagogia - 02 anos 02 meses -
3.1.2. Plano de Formação para os Professores
O plano de formação deverá contemplar necessidades docentes com o intuito de propiciar
reflexos na aprendizagem das crianças, dentro do tempo disponibilizado para tal e tentando
atender as demandas internas e externas, organizamos a seguir assuntos distintos e agrupados
de maneira que consideramos pertinente e que viabilizasse o maior atendimento possível ao que
foi exposto enquanto necessidade formativa.
Justificativa Objetivos gerais
e específicos
Ações propostas
(Metodologia)
Responsáveis Cronograma
A partir da apreciação dos
planos de ação semanais e
atividades trazidas para
análise nos Conselhos de
ano/ciclo, constatamos a
necessidade de
instrumentalizar docentes,
favorecendo planejamento
de sequências didáticas
visando produções de
autoria de determinados
gêneros discursivos.
Melhorar qualidade
das produções de
autoria dos nossos
alunos;
Instrumentalizar
docentes para que
aperfeiçoem a
prática pedagógica;
Reconhecer etapas
imprescindíveis
para a produção de
autoria de gêneros
discursivos;
Apreciar boas
práticas efetivadas
na unidade escolar,
tendo-as como
referências para o
desenvolvimento do
trabalho
pedagógico;
Análise da prática
pedagógica através
do plano de ação
semanal, conversas
agendadas
previamente,
apreciação das
produções dos
alunos, observação
em sala de aula.
Oferta de
estratégias/recursos
possíveis que visam
aprimoramento da
prática;
Socialização de
práticas docentes,
selecionadas
previamente de
acordo com a
qualidade
apresentada pelos
alunos nas produções
de autoria;
CP Claudia No decorrer do ano letivo, CP
organizará encontros
agrupando docentes que
atuam no mesmo ano ciclo,
buscando situar ações/etapas
realizadas e a partir daí
auxiliar através de
contribuições que visam
suplementar trabalho
realizado.
Dando prosseguimento ao
desenvolvimento de ações
que favoreçam o
planejamento de sequência
didática, visando produções
de autoria de determinados
gêneros discursivos e
sabendo das
especificidades da revisão,
trataremos cuidadosamente
desta etapa.
Melhorar qualidade
das produções de
autoria dos nossos
alunos;
Instrumentalizar
docentes para que
aperfeiçoem a
prática pedagógica;
Reconhecer
estratégias/procedi
mentos/recursos
necessários para a
efetivação da
revisão textual;
Apreciar boas
práticas efetivadas
na unidade escolar,
tendo-as como
referências para o
desenvolvimento do
trabalho
pedagógico;
Introdução à
temática,
socializando os
procedimentos
presentes nas
práticas docentes
desta unidade
escolar, nos
diferentes anos dos
ciclos;
Estudo de
referenciais teóricos
que embasarão
prática;
Planejamento do
momento de revisão
textual,
complementando o
trabalho outrora
desenvolvido a partir
do estudo realizado;
Apreciação e
discussão a partir de
filmagens, produções
CP Claudia 5 HTPCs
18
de texto revisadas,
concedidas por
docentes da unidade
escolar (tematizações
de práticas);
Fechamento coletivo,
construindo critérios e
etapas fundamentais
para o trabalho de
revisão textual,
elaborado a partir da
sequência formativa
desenvolvida e que
direcionará
planejamentos
posteriores.
Nos Conselhos de ano/ciclo,
constatamos
frequentemente avaliação
insatisfatória dos alunos no
que se refere ao solucionar
situações-problema
propostas, envolvendo as
quatro operações
fundamentais. Buscando
minimizar tais dificuldades e
potencializar ação docente,
optamos por uma sequência
formativa atendendo a esta
temática.
Aprimorar prática;
Analisar e refletir, a
partir de atividades
elaboradas,
aplicadas e
selecionadas por
amostragem, o
como as crianças
pensam ao
resolverem
situações-problema;
Selecionar
intervenções/propos
tas que favoreçam
avanços a partir dos
observáveis
realizados;
Construir critérios/
etapas que
embasarão
planejamentos
posteriores;
Definir metas a
serem
contempladas em
cada ano/ciclo.
Socialização de
estratégias utilizadas
pelas crianças nas
situações
experimentadas
elencando a partir daí
categorias que darão
suporte para escolha
criteriosa dos
referenciais e
desenvolvimento das
demais etapas
formativas;
Estudo de
referenciais teóricos
que embasarão
prática;
Construção de
sequência didática
organizada por ano/
ciclo;
Construção de
critérios/etapas
imprescindíveis para
o desenvolvimento de
atividades a partir do
estudo realizado.
CP Claudia 5 HTPCs
Constatando que no Ciclo
Inicial, ainda localizamos
alunos não alfabéticos e em
contrapartida, cientes do
direito de aprendizagem dos
mesmos, verificamos a
necessidade de realizar
encontros permanentes com
as docentes abordando
apropriação do sistema de
escrita alfabética.
Potencializar ações
que possibilitem
que todos estejam
alfabéticos findando
o ciclo inicial,
sabendo que tal
competência já
deveria ter sido
contemplada no
final do 1º ano do
CI;
Socializar
estratégias,
atividades e
intervenções
realizadas ou
possíveis de serem
efetivadas, focando
análise do SEA.
Socialização de
propostas entre as
docentes dos
diferentes anos que
compõem o Ciclo
Inicial;
Sugestão de
intervenções/estratégi
as/recursos, para
experimentação e
posterior análise dos
resultados obtidos;
CP Claudia Em HTPs e HTPCs (horário do
planejamento). Serão
realizados encontros durante
todo o ano letivo.
19
Análise dos
resultados obtidos a
partir das ações
realizadas,
buscando refletir e
aprimorar a prática.
3.1.3. Avaliação do Plano de Formação
No decorrer dos encontros formativos, observaremos se as estratégias estão
contemplando objetivos e intenções, retomando questões que se fizerem necessárias. Além
disso, a CP ao analisar os planos de ação semanais das docentes, direcionará olhar para as
estratégias que estejam contemplando as temáticas abordadas nos momentos formativos. Nos
momentos de reunião com os docentes de acordo com o ano/ciclo no qual atuam, expandindo
possibilidade de orientações pontuais, olhares diferenciados e principalmente troca de estratégias,
buscando desta forma incrementar planejamentos posteriores. Tarefas neste sentido, visando
ação, reflexão, ação serão priorizadas.
3.2. Funcionários
3.2.1. Caracterização
Todos desta equipe de funcionários se caracterizam companheiros, compromissados e
dedicados com a realização de suas atribuições nos diferentes cargos, valorizando o bem- estar
da comunidade escolar.
Notamos que a equipe necessita de formações e informações mais detalhadas a respeito
de como agir com os alunos com deficiência e que apresentam questões comportamentais.
Foram apontadas também necessidades formativas na área de primeiros-socorros e na
prevenção e utilização de equipamentos de segurança.
Após discussão com funcionários que apontaram ser participantes do processo educativo,
traçamos o plano de formação:
3.2.2. Plano de Formação dos Funcionários
Justificativa Objetivos
Gerais e específicos
Ações Propostas
(Metodologia)
Responsáveis Cronograma
Visando o aperfeiçoamento
do desenvolvimento das
funções profissionais para
um melhor atendimento a
comunidade escolar,
elencamos algumas
necessidades formativas.
-Discutir ações para
estimular um ambiente
saudável
proporcionando um
melhor desempenho
das funções do
trabalho.
-Dar visibilidade na
forma de
orientar/auxiliar no que
diz respeito ao
atendimento dos
alunos desta U.E.
- Formação de noções
fundamentais para o
atendimento aos alunos.
-Formação de como
considerar as diferenças,
valorizando as
competências de cada
um.
-Formação de como
devemos proceder –
Primeiros –socorros.
Professor de Apoio
a Direção
(organização) e dos
demais funcionários
como publico alvo.
Durante o ano
letivo.
No decorrer do ano letivo, os HTPCs estarão organizados primordialmente pelas necessidades apontadas acima, mas vale
ressaltar que alguns combinados prévios serão efetivados, dentre estes o atendimento aos responsáveis que será realizado todas
as segundas terças-feiras de cada mês, exceto daqueles meses em que são realizadas as reuniões trimestrais. O HTPC contido
na semana em que serão efetivados os Conselhos de ano/ciclo serão destinados para a organização/elaboração dos materiais e
registros referentes ao tal encontro, dentre estes síntese da turma, mapeamento e portfólios dos alunos. No período posterior aos
Conselhos trimestrais a CP atendará subgrupos organizados de acordo com o ano/ciclo no qual atuam, com o intuito de favorecer
discussão pautada em tabulações de dados obtidos, citando objetivos que merecem maior investimento, favorecendo trocas de
experiências, ampliando uso de estratégias diferenciadas, buscando maximizar as possibilidades de aprendizagem. Dentre esta
organização prévia, cabe relembrar que demandas externas e/ou trocas culturais, poderão ser acrescidas, sugerindo pequenas
modificações no cronograma geral descrito anteriormente.
20
-Aprofundar-se nas
questões de prevenção
de acidentes no
trabalho.
3.2.3. Avaliação do Plano de Formação
Ao avaliarmos o plano de formação 2012, concluímos que os temas elencados deverão ser
retomados e que a avaliação acontecerá no final da ação, tendo como parâmetros refletir sobre as
estratégias, a sistematização das discussões, analisando se as ações pensadas estão de acordo
com a realidade da escola e traçando indicativos para as novas ações.
4. Conselhos
4.1. Conselho de Escola
4.1.1. Caracterização do Conselho de Escola
A função do conselho de escola é orientar, opinar e avaliar as ações da escola em seus
diferentes segmentos, sem perder de vista o principal compromisso que a qualidade da educação.
É um fórum permanente de debates, de articulação entre os vários setores da escola, tendo em
vista o atendimento das necessidades comuns em função da melhoria de aprendizagem e do
desempenho da escola.
Nosso Conselho Escolar é constituído por dezesseis membros. Com garantia de
representatividade dos segmentos da comunidade escolar, assegurada a proporcionalidade de
50% (cinquenta por cento) para pais e 50% para professores e demais servidores da escola.
Os segmentos da comunidade têm representatividade no Conselho Escolar, por meio de
eleição direta que ocorre nos quarenta e cinco dias após o início do ano letivo, entre os meses de
fevereiro e março.
As reuniões do Conselho Escolar serão ordinárias e poderão ocorrer reuniões
extraordinárias de acordo com as necessidades surgidas no decorrer do ano letivo por meio de
solicitação de qualquer um dos membros através de requerimento.
CONSELHO DE ESCOLA
Nome Segmento Função no
Conselho
Titular/
Suplente
Márcia da Silva Rocha Equipe de Gestão Membro
Lilian A. Villa Bartkevicius Equipe de Gestão Membro
Cláudia do Espírito Santo Equipe de Gestão Suplente
Priscila Ribeiro Reis Araújo Professor Membro
Marisa Ramos Dias Professor Membro
Antônia Regilânia Roseno de Oliveira Professor Suplente
Silvana Silveira de Oliveira Funcionário Membro
Maria Lourdes da Silva Funcionário Membro
Marcos Aurélio dos Santos Silva Funcionário Suplente
Paula Regina Savana Pais Membro
Vanilde dos Santos Pais Membro
Gislaine Alves da Costa Pais Membro
Daniela Akiyama Menezes Pais Membro
Genizeti C. da Silva Ribeiro Pais Membro
Daiane Aparecida Mariano Pais Membro
Gabriela Aparecida Venerano Pais Suplente
Edna Santos Moraes Pais Suplente
4.1.2. Plano de Ação do Conselho de Escola
A implementação do plano de Ação do Conselho de Escola necessita da mobilização e
participação de representantes de todos os grupos envolvidos com a educação. Considera as
necessidades apontadas pelos membros, visando a melhoria no atendimento da escola.
21
Objetivos Gerais e específicos Ações Propostas (metodologia) Responsáveis Cronograma
Dar continuidade as discussões
dos princípios da gestão
democrática e implantá-la;
Garantir a participação de todos os
segmentos com o intuito de
estabelecer parcerias entre escola e
família
-Participação da comunidade no
planejamento das atividades
escolares.
Diretor e Professor de
Apoio à Direção
Conforme especificado no
calendário escolar
integrante deste
documento.
4.1.3. Avaliação Plano de Ação do Conselho de Escola
O comprometimento com a comunidade e dela com a escola é necessário para efetivamente
promover um trabalho ordenado e com significado. Portanto, é preciso uma avaliação periódica no
final de cada ação proposta, registrando os pontos positivos e negativos para uma reavaliação.
As necessidades apontadas pela comunidade escolar serão incorporadas ao longo do
processo no Projeto Político Pedagógico.
5. Associação de Pais e Mestres
5.1. Caracterização
A Associação de Pais e Mestres é uma pessoa jurídica de direito privado regida pelo
Estatuto Padrão das Associações de Pais e Mestres estabelecida pelo Decreto Municipal nº
16.543 de 24 de junho de 2008.
Em seu estatuto, tem por finalidade, colaborar no processo educacional, na assistência ao
educando e na integração família-escola-comunidade, mobilizando recursos humanos, materiais e
financeiros, visando à melhoria, do ensino, da conservação e manutenção do prédio, dos
equipamentos e das instalações, promovendo atividades culturais e de lazer que envolva a
participação conjunta de pais, professores e alunos.
A Associação de Pais e Mestres administra recursos advindos de convênios com a
Prefeitura Municipal de São Bernardo do Campo, o Governo Federal através do Programa
Dinheiro Direto na Escola e os gerados através de iniciativas próprias. As reuniões são mensais, e
acontecem nas segundas, terças-feiras do mês.
Membros da APM
Nome Segmento Função Mandato
Conselho Deliberativo
Márcia da Silva Rocha Diretora de escola Membro
Abril de 2013 a
março de 2014
Rosângela Alves Babinska Iório Mãe de aluno Presidente
Juliana Cinti Cunha Matos Professora 1ª Secretária
Célia Harumi Tagawa Cavalcante Barros Professora 2ª Secretária
Beatris Benjailma Ferreira Gonçalves Mãe de aluno Membro
Diretoria Executiva
Simone Roldan Serraglia Mãe de aluno Diretora Executiva
Abril de 2013 a
março de 2014
Luís Antonio Dias da Rosa Pai de aluno Vice Diretora Executiva
Angela Maria Similli Mascarenhas Mãe de aluno 1ª Tesoureira
Maria Belém Silva Sousa Mãe de aluno 2ª Tesoureira
Luíza Islamar Alves Beserra de Morais Professora 1ª Secretária
Caren Tesolin Professora 2ª Secretária
Conselho Fiscal
Simone de Moura Mãe de aluno Membro
Abril de 2013 a
março de 2014
Midian Cavalcante Alves Pereira Mãe de aluno Membro
Sandra Benedita Morassi Professora Membro
5.2. Plano de Ação da APM
Objetivos
Gerais e específicos
Ações Propostas
(Metodologia)
Responsáveis Cronograma
Atender as necessidades da Execução do plano de trabalho 2013. Membros da APM Conforme
22
unidade escolar.
Contribuir para a integração
escola comunidade na articulação
das ações.
Participar e colaborar com as ações a
serem desenvolvidas pela escola/APM e
os sábados letivos.
Membros da APM e do
Conselho de Escola
especificado no
calendário
escolar
integrante deste
documento.
5.3. Avaliação
Mensalmente nas reuniões avaliamos os encaminhamentos tomados e reencaminhamos as
necessidades pontuais.
V. ORGANIZAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO PEDAGÓGICO
1. Objetivos
 Lei 9.394, de 20/12/1996 – Lei de Diretrizes e Bases.
 Lei 11.274 de 06/02/2006 que altera a LDB com os artigos:
- Art. 3º que altera a redação do art. 32 da Seção III Do Ensino Fundamental;
- Art. 5º que estabelece: “Os Municípios, Os Estados e o Distrito Federal, terão prazo até 2010
para implementar a obrigatoriedade para o Ensino Fundamental disposto no art. 3º desta lei e a
abrangência da pré-escola de que trata o art. 2º desta lei”.
Objetivos da Educação Básica
 LDB: Título V - Dos Níveis e das Modalidades de Educação e Ensino
Capítulo II
Seção I
Das Disposições Gerais
“Art. 22º. A Educação básica tem por finalidades desenvolver o educando, assegurando-lhe a
formação comum indispensável para o exercício da cidadania e fornecer-lhe meios para progredir
no trabalho e em estudos posteriores”.
Seção III
Do Ensino Fundamental
“Art. 32º. O ensino fundamental obrigatório, com duração de 09 (nove) anos, gratuito na escola
pública, iniciando-se aos 6 (seis) anos de idade, terá por objetivo a formação básica do cidadão,
mediante:
I - o desenvolvimento da capacidade de aprender, tendo como meios básicos o pleno
domínio da leitura, da escrita e do cálculo;
II - a compreensão do ambiente natural e social, do sistema político, da tecnologia, das artes
e dos valores em que se fundamenta a sociedade;
III - o desenvolvimento da capacidade de aprendizagem, tendo em vista a aquisição de
conhecimentos e habilidades e a formação de atitudes e valores;
IV – “o fortalecimento dos vínculos de família, dos laços de solidariedade humana e de
tolerância recíproca em que se assenta a vida social”.
 Lei Municipal nº 5309/2004 - Art. 3º. “O ensino será ministrado com base nos seguintes
princípios:
 Igualdade de condições para o acesso e permanência na escola;
 Liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar o pensamento, a arte e o saber;
 Pluralismo de idéias e de concepções pedagógicas;
 Respeito à liberdade e apreço à tolerância;
 Coexistência de instituições públicas e privadas de ensino;
 Gratuidade do ensino público em estabelecimentos oficiais;
23
 Valorização do profissional da educação escolar;
 Gestão democrática do ensino público, na forma da lei;
 Garantia de padrão de qualidade;
 Valorização da experiência extraescolar;
 “Vinculação entre a educação escolar, o trabalho e as práticas sociais.”
2.Levantamento dos Objetivos e Conteúdos por Área de Conhecimento
 Objetivos Gerais da Rede Municipal de Ensino
A educação, dever da família e do Estado, inspirada nos ideais da solidariedade humana,
tem por finalidade o pleno desenvolvimento do educando, sua formação contínua, o exercício
da cidadania e sua qualificação para o trabalho.
O Sistema Municipal de Ensino, a fim de garantir o cumprimento da finalidade proposta
deverá:
 Universalizar o acesso à escola e assegurar a qualidade do atendimento garantindo a
permanência do aluno com sucesso nas suas aprendizagens;
 Garantir a igualdade de condições a todos e a valorização da diversidade, considerando a
forma singular com que cada aluno se aproxima e se apropria do conhecimento, exercendo no
convívio escolar as relações de respeito e cooperação;
 Socializar o conhecimento historicamente construído, de forma que seja reelaborado, com suas
peculiaridades sócio-culturais;
 Oportunizar aprendizagens para a formação de sujeitos autônomos, críticos e participativos,
capazes de atuar com competência, dignidade, solidariedade, percebendo-se responsável na
sociedade.
(Proposta Curricular Volume I – 2004)
 Objetivos do Ciclo Inicial do Ensino Fundamental de 9 anos
O ciclo inicial do Ensino Fundamental tem como objetivos gerais:
 Assegurar a todas as crianças um tempo de convívio escolar com maiores oportunidades de
aprendizagem;
 Promover o desenvolvimento integral do aluno em diversas habilidades e competências ligadas
às diferentes áreas do currículo de forma integrada;
 Instigar as crianças na busca do conhecimento, encorajando-as a pensar, discutir, conversar,
experimentar, analisar, inferir e levantar hipóteses.
Língua portuguesa: Tem como eixos orientadores a alfabetização e o letramento.
Objetivos principais: Conhecer a natureza e funcionamento do sistema, compreendendo e
se apropriando dos usos e convenções da linguagem escrita nas suas mais diversas funções,
possibilitando práticas discursivas de diferentes gêneros textuais, orais e escritos, de usos,
finalidades e intenções diversos.
É importante que o cotidiano das crianças dos anos iniciais seja pleno de atividades de
produção e recepção de textos orais e escritos.
Ciências Naturais:
Objetivos principais: Ampliar a curiosidade, levantando hipóteses e construindo
conhecimentos sobre os fenômenos físicos e químicos, sobre os seres vivos e sobre a relação
entre o homem e a natureza e entre o homem e as tecnologias.
Matemática:
Objetivos principais: Pensar sobre números e quantidades, registrando-as em situações-
problema, inicialmente de forma espontânea e posteriormente, usando a linguagem matemática.
Promovendo a troca de ideias entre as crianças. Realizando também a abordagem dos seguintes
blocos de conteúdos: espaço e forma, grandezas e medidas e tratamento da informação.
24
História e Geografia:
Objetivos principais: Investigar e intervir sobre a realidade, reconhecendo-se como parte
integrante da natureza e da cultura. Também ampliar a compreensão da sua própria história, da
sua forma de viver e de se relacionar, identificando diferenças e semelhanças entre as histórias.
Arte:
Objetivos principais: Apreciar diferentes produções artísticas e elaborar suas experiências
pelo fazer artístico, ampliando sua sensibilidade e a sua vivência estética.
Educação Física:
Objetivos principais: Vivenciar situações que valorizem a convivência social, que incentivem
e promovam a criatividade, a solidariedade, a cidadania e o desenvolvimento de atitudes de
coletividade. Possibilitando a socialização e a memória das práticas esportivas e corporais.
Objetivos dos Ciclos I e II do Ensino Fundamental
Ao final do Ciclo II do Ensino Fundamental, o aluno deverá ser capaz de:
 Considerar as situações comunicativas e o contexto social para comunicar-se, aprimorando o
uso da linguagem nas suas diferentes formas de expressão: verbal, matemática, gráfica,
corporal e artística;
 Perceber-se como sujeito que depende, integra, atua e modifica a natureza, conscientizando-
se da importância de sua preservação para a melhoria da qualidade de vida;
 Compreender a saúde pessoal, social e ambiental como bens comuns que devem ser
promovidos por ações individuais, coletivas e do poder público;
 Formular e resolver situações-problema a partir da realidade, fazendo uso de estratégias
pessoais, criatividade, análise crítica e pensamento lógico;
 Desenvolver uma visão crítica e participativa no mundo, utilizando-se do diálogo, do respeito,
da cooperação e da solidariedade nas situações cotidianas;
 Construir progressivamente a noção de identidade pessoal e nacional, desenvolvendo atitudes
de participação e transformação da sociedade;
 Conhecer o Brasil nos seus aspectos: econômicos, social, político e cultural, entendendo e
valorizando sua pluralidade, desenvolvendo o sentimento de respeito à diversidade e de
repúdio a todas as formas de discriminação;
 Desenvolver o sentimento de confiança em suas capacidades afetiva, física, cognitiva, ética,
estética, de inter-relação pessoal e social;
 Desenvolver procedimentos de busca e tratamento da informação, tendo acesso às diferentes
fontes e recursos tecnológicos para adquirir e construir conhecimentos.
(Proposta Curricular Volume I – 2004)
Dentre todas as legislações reguladoras do currículo, é importante destacar:
 LDB art. 26 §2º “O ensino da arte constituirá componente curricular obrigatório, nos diversos
níveis da educação básica, de forma a promover o desenvolvimento cultural dos alunos.” e § 4º
“O ensino da História do Brasil levará em conta as contribuições das diferentes culturas e
etnias para a formação do povo brasileiro, especialmente das matrizes indígena, africana e
européia.”
 Lei 11.525 de 25/09/07 que altera o §5º do Art. 1º da LDB estabelecendo: “O currículo do
ensino fundamental incluirá, obrigatoriamente, conteúdo que trate dos direitos das crianças e
dos adolescentes, tendo como diretriz a Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990, que institui o
Estatuto da Criança e do Adolescente, observada a produção e distribuição de material didático
adequado”.
25
 Lei 11.645 de 10/03/2008 art. 1º que altera a LDB no art. 26A: “Nos estabelecimentos de
ensino fundamental e de ensino médio, públicos e privados, torna-se obrigatório o estudo da
história e cultura afro-brasileira e indígena.
 § 1º O conteúdo programático a que se refere este artigo incluirá diversos aspectos da história
e da cultura que caracterizam a formação da população brasileira, a partir desses dois grupos
étnicos, tais como o estudo da história da África e dos africanos, a luta dos negros e dos povos
indígenas no Brasil, a cultura negra e indígena brasileira e o negro e o índio na formação da
sociedade nacional, resgatando as suas contribuições nas áreas social, econômica e política,
pertinentes à história do Brasil.
 § 2º “Os conteúdos referentes à história e cultura afro-brasileira e dos povos indígenas
brasileiros serão ministrados no âmbito de todo o currículo escolar, em especial nas áreas de
educação artística e de literatura e histórias brasileiras.”
 Lei 11.769 de 18/08/2008 Art. 1º altera o Art. 26º da LDB acrescentando: “§ 6º A música deverá
ser conteúdo obrigatório, mas não exclusivo, do componente curricular de que trata o § 2º
deste artigo”.
 Lei 9.795 de 27/04/99 Art. 1º, 2º e 3º com o inciso II.
 Art. 2º “A Educação Ambiental é componente essencial e permanente da Educação Nacional,
devendo estar presente, de forma articulada, em todos os níveis e modalidades do processo
educativo, em caráter formal e não formal”.
O Ensino Fundamental de 9 (nove) anos de duração, com ingresso a partir dos seis anos de
idade foi implantado nas escolas da rede municipal de ensino a partir de 2010. Sendo assim,
até o ano de 2013 teremos os dois sistemas concomitantes (ensino fundamental de 8 e 9
anos).
Seguem os objetivos e conteúdos dos quatro primeiros anos do ensino fundamental de 9 anos
e do 2º Ano do Ciclo II do ensino fundamental de 8 anos.
ENSINO FUNDAMENTAL DE 09 ANOS
PLANEJAMENTO ANUAL
1ºano/Ciclo Inicial
LÍNGUA PORTUGUESA
OBJETIVOS
ORALIDADE
 Usar da linguagem oral para se comunicar em diversas situações de interação presentes
no cotidiano;
 Relatar fatos que compõem episódios cotidianos, ainda que com apoio de recursos e/ou do
professor;
 Escutar atentamente o que os colegas falam em uma roda de conversa, respeitando
opiniões, ocupando seu turno de fala adequadamente;
26
 Usar o repertório de texto de tradição oral, tais como parlendas, quadrinhas e adivinhas
para brincar e jogar;
 Realizar exposições orais, adequando o discurso aos diferentes interlocutores.
LEITURA
 Localizar um nome específico numa lista de palavras do mesmo campo semântico;
 Localizar palavras num texto que sabe de memória;
 Ajustar o falado ao escrito a partir dos textos já memorizados;
 Diferenciar parlendas, quadrinhas, adivinhas e outros textos de tradição oral, apresentados
pelo professor;
 Antecipar significados de um texto escrito a partir das imagens/ilustrações que o
acompanham;
 Recontar uma história que ouviu mantendo uma sequência, recuperando trechos usando
expressões ou termos da linguagem escrita;
 Emitir comentários pessoais e opinativos sobre textos lidos por si ou por outros;
 Localizar informações explícitas em textos lidos por si;
 Demonstrar interesse no empréstimo de livros no acervo da classe e da biblioteca escolar.
ESCRITA
 Associar as letras ao próprio nome e aos dos colegas;
 Escrever o próprio nome completo;
 Reconhecer os nomes próprios dos colegas onde isto se fizer necessário;
 Escrever de maneira mais próxima da convencional, buscando como suporte/consulta
palavras estáveis;
 Avançar na hipótese de escrita;
 Escrever textos memorizados;
 Reconhecer características dos gêneros discursivos trabalhados no decorrer do ano letivo;
 Produzir coerentemente os gêneros discursivos trabalhados no decorrer do ano letivo,
atrelados à função social real;
 Reescrever contos clássicos conhecidos, respeitando sequência temporal de
acontecimentos de acordo com o enredo original.
CONTEÚDOS
ORALIDADE
 Uso da linguagem oral em situações onde haja diferentes interlocutores (professor, colegas
da classe e outros);
 Respeito às opiniões diversas;
 Participação contextualizada;
 Escuta atenta, aguardando o momento correto de expor sua fala, contando ou não com
intervenção docente;
 Gêneros discursivos:
 Quadrinhas, adivinhas e parlendas;
 Poema;
 Entrevista;
27
LEITURA
 Utilização de estratégias elaboradas para reconhecimento de textos memorizados;
 Ajustes de leitura em textos memorizados;
 Localização de palavras em contextos diversos;
 Realização de antecipações e inferências durante escuta de textos lidos pelo professor;
 Reconto de histórias lidas por outro, mantendo algumas características discursivas
utilizadas;
 Socialização de impressões de histórias lidas ou ouvidas;
 Localização de informações explícitas em textos lidos por si.
 Utilização e empréstimo de livros da biblioteca da escola para pesquisas e leituras.
ESCRITA
 Conhecimento sobre a natureza e funcionamento do sistema de escrita;
 Escrita do nome próprio completo;
 Busca com apoio ou não, em palavras estáveis para registrar outras;
 Escrita de textos memorizados;
 Destinatário, finalidade do texto e características do gênero;
 Gêneros discursivos:
 Listas,
 Legendas,
 Bilhetes.
 Reescrita de contos clássicos conhecidos.
MATEMÁTICA
OBJETIVOS
NÚMEROS E OPERAÇÕES
 Realizar contagens orais de objetos usando a sequência numérica;
 Interpretar e produzir escritas numéricas, levantando hipóteses sobre elas, com base na
observação de regularidades;
 Construir procedimentos de agrupamentos a fim de facilitar a contagem e a comparação
entre duas coleções;
 Resolver situações-problema e construir a partir delas os significados das operações
fundamentais;
 Utilizar estratégias convencionais ou não convencionais de cálculo para resolver
problemas.
ESPAÇO E FORMA
 Indicar oralmente a posição onde se encontra no espaço escolar, citando pontos de
referência;
 Representar por meio de desenhos a posição onde se encontra no espaço escolar;
 Perceber semelhanças e diferenças entre figuras planas em situações que envolvam
descrições orais;
 Reconhecer figuras planas em objetos do espaço físico.
28
GRANDEZAS E MEDIDAS
 Identificar dias da semana e meses do ano;
 Identificar alguns instrumentos de medidas convencionais de capacidade, comprimento e
massa;
 Diferenciar uso das medidas padronizadas (quilo, litro e metro);
 Identificar cédulas e moedas do sistema monetário brasileiro;
 Explicitar diferentes possibilidades de obter um mesmo valor monetário;
TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO
 Conhecer formatos diferenciados de gráficos;
 Perceber funcionalidade dos diferentes gráficos, de acordo com o contexto no qual estão
inseridos;
 Ler e interpretar gráficos coletivamente.
CONTEÚDOS
NÚMEROS E OPERAÇÕES
 Compreensão das características do sistema de numeração decimal - unidades, dezenas,
centenas (base, valor posicional);
 Quantificação de elementos;
 Reconhecimento de números dentro e fora de sequência numérica;
 Leitura, escrita, comparação e ordenação de números;
 Análise e interpretação de escritas numéricas;
 Decomposição das escritas numéricas;
 Análise, interpretação, resolução de situações-problema; através de recursos concretos,
estratégias pessoais e/ou técnicas operatórias, compreendendo alguns dos significados das
operações;
 Comunicação de estratégias pessoais na resolução de problemas, através de diferentes
linguagens;
ESPAÇO E FORMA
 Localização de pessoas ou objetos no espaço, com base em diferentes pontos de
referência.
 Observação de figuras planas presentes em elementos naturais e nos objetos criados pelo
homem;
 Percepção de semelhanças e diferenças entre características de figuras planas;
GRANDEZAS E MEDIDAS
 Identificação e localização no calendário de unidades de tempo: dia, semana e mês;
 Conhecimento da evolução histórica de sistemas de medida, utilizados por diferentes
grupos culturais;
 Utilização de instrumentos convencionais de medidas padronizadas;
 Associação do uso das medidas padronizadas em situações da vida diária;
 Reconhecimento das cédulas e moedas do sistema monetário brasileiro;
 Construção de diferentes valores monetários;
29
TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO
 Leitura e interpretação coletiva de informações matemáticas contidas em imagens;
 Compreensão da utilidade dos gráficos;
 Apresentação dos diferentes tipos de gráficos.
 Coleta de dados, organizando coletivamente tais informações em listas/tabelas simples.
CIÊNCIAS
OBJETIVOS
 Desenvolver atitudes de manutenção e preservação dos espaços coletivos;
 Orientar sobre cuidados básicos de higiene pessoal;
 Identificar os cuidados básicos para o crescimento dos vegetais, por meio da sua criação e
cultivo;
 Despertar a curiosidade dos alunos no que se refere à forma de vida de alguns insetos;
 Observar, experimentar e promover procedimentos de pesquisa referentes aos conteúdos
estudados;
 Registrar informações por meio de desenhos, listas e textos coletivos.
CONTEÚDOS
 Orientações que direcionem atividades diárias na escola no que se refere ao uso racional
da água e descarte do lixo;
 Orientações que direcionem atividades diárias na escola no que se refere à higiene bucal,
das mãos e cuidados com o espaço que utiliza;
 Busca de informações que contemplem curiosidades sobre insetos;
 Socialização de informações;
 Experimentações e observações regulares que permitam percepção de cuidados e
mudanças ocorridas no desenvolvimento dos vegetais;
 Registro de informações.
HISTÓRIA
OBJETIVOS
 Resgatar a história de sua vida;
 Resgatar hábitos e costumes da época dos pais e avós;
 Identificar e valorizar povos indígenas, por ser uma das raízes que compõem a identidade
cultural do povo brasileiro;
 Conhecer aspectos do modo de vida dos grupos indígenas de hoje;
 Comparar hábitos de diferentes povos e épocas com os da atual;
CONTEÚDOS
 Busca de informações, em fontes diversas, junto à família que resignifiquem a história
pessoal;
 Resgate de hábitos e costumes de pessoas que viveram em diferentes épocas;
 Modo de vida e costumes de algumas nações indígenas;
 Comparação de hábitos e costumes de diferentes épocas e povos com os de atualmente,
verificando permanências e mudanças;
30
 Valorização da cultura de outros tempos e indígena;
GEOGRAFIA
OBJETIVOS
 Conhecer o ambiente escolar e suas características;
 Resgatar a naturalidade de membros pertencentes à família;
 Iniciar compreensão da linguagem cartográfica;
 Localizar coletivamente diferentes lugares, referentes à naturalidade de familiares;
 Comparar área ocupada por povos indígenas atualmente em relação a épocas anteriores;
 Conhecer diferentes paisagens, identificando elementos naturais e construídos;
 Identificar paisagens naturais ou modificadas que caracterizam os diferentes lugares
localizados no mapa;
CONTEÚDOS
 Exploração dos diferentes ambientes que compõem a unidade escolar;
 Identificação, caracterização e percepção da funcionalidade dos diferentes ambientes que
compõem a unidade escolar;
 Exploração e interpretação coletiva de material cartográfico;
 Localização coletiva de municípios, estados, países referentes à
naturalidade/nacionalidade dos familiares;
 Interpretação de imagens que retratem ocupação indígena em diferentes épocas;
 Comparação das diferentes formas em que a natureza se apresenta na paisagem local
 Transformações nas paisagens provocadas por: ações humanas e/ou fenômenos naturais.
EDUCAÇÃO FÍSICA
OBJETIVOS
 Interagir com as diferentes tradições culturais e utilizá-las em suas brincadeiras e jogos;
 Respeitar regras e combinados;
 Experimentar ritmos diversos;
 Desenvolver estratégias para resolver situações diversas em jogos.
CONTEÚDOS
 Participação em brincadeiras de roda e jogos tradicionais;
 Apreciação e experimentação de ritmos diversos;

ARTE
OBJETIVOS
 Explorar meios e suportes diversos em suas produções;
 Respeitar produções dos colegas;
 Adquirir informações sobre o artista e suas produções;
 Apreciar e analisar coletivamente obras de artes plásticas;
 Realizar releitura de obras;
 Ampliar repertório musical;
31
 Reconhecer diferenças nos ritmos, sons, estilos;
 Construir objetos sonoros;
 Experimentar sons utilizando materiais sonoros convencionais ou não.
CONTEÚDOS
 Utilização de meios e suportes diversos;
 Socialização de produções realizadas;
 Biografia do artista Ivan Cruz;
 Apreciação e análise coletiva de algumas obras de Ivan Cruz;
 Releitura de obras do artista Ivan Cruz;
 Apreciação de músicas de diferentes épocas;
 Construção de objetos sonoros;
 Improvisação de sons e ritmos a partir de materiais diversos.
PLANEJAMENTO ANUAL
2ºano /Ciclo Inicial
LÍNGUA PORTUGUESA
OBJETIVOS
ORALIDADE
 Adequar a linguagem oral a situações comunicativas do dia a dia e aos diferentes
interlocutores;
 Ouvir com atenção formulando e respondendo perguntas;
 Expressar oralmente as ideias de um texto lido por outro;
 Narrar histórias conhecidas, respeitando o encadeamento dos fatos;
 Interagir com os grupos com os quais se relaciona, respeitando as opiniões e diferentes
formas de falar;
 Socializar verbalmente pesquisas realizadas.
LEITURA
 Valorizar a leitura literária como fonte de apreciação e prazer;
 Socializar as experiências de leitura;
 Demonstrar interesse no empréstimo de livros, utilizando adequadamente o espaço da BEI;
 Ampliar autonomia na leitura, sendo capaz de localizar informações explícitas em textos
lidos por si;
 Ler para alcançar diferentes objetivos.
ESCRITA
 Avançar na hipótese de escrita;
 Utilizar a escrita alfabética;
 Segmentar palavras nas frases;
 Reescrever textos conhecidos com coerência, respeitando o enredo original;
 Produzir textos de autoria, dos gêneros previstos, preocupando-se com os aspectos que os
caracterizam, destinatário e finalidade do texto;
 Reconhecer a funcionalidade da utilização de alguns sinais de pontuação;
32
 Identificar algumas regularidades ortográficas;
 Preocupar-se com a diminuição das marcas de oralidade nas produções;
 Participar de situações de revisão textual coletiva, buscando apropriar-se dos
procedimentos necessários.
CONTEÚDOS
ORALIDADE
 Gêneros discursivos:
 Trava-língua,
 Músicas e cantigas;
 Instrucional (receitas).
 Adequação da linguagem às situações comunicativas que acontecem na escola ainda que
com apoio de recursos e/ou do professor;
 Escuta atenta, aguardando o momento correto de expor a fala;
 Participação contextualizada;
 Reconto de histórias conhecidas;
 Interpretação oral de história lida por outro;
 Escuta de textos lidos pelo professor e realização de antecipação e inferências;
 Relato de experiências, ideias e opiniões de forma clara e ordenada;
 Socialização de pesquisas realizadas;
LEITURA
 Utilização e empréstimo de livros da biblioteca da escola para pesquisas e leituras;
 Leitura em voz alta, silenciosa e escuta da leitura realizada por outra pessoa;
 Localização de informações explícitas em textos lidos por si;
 Escuta de textos lidos pelo professor e realização de antecipações e inferências;
 Leitura de textos de gêneros diversos, emitindo opiniões e indicando preferências, ainda
que seja com ajuda.
 Utilização de diferentes modalidades de leitura adequadas a diferentes objetivos, obter
informação rápida, seguir instruções, aprender, aprender a escrever, por prazer e para um
público;
 Observação e análise coletiva especialmente de textos bem escritos.
ESCRITA
 Conhecimento sobre a natureza e funcionamento do sistema de escrita;
 Segmentação das palavras nas frases;
 Reescrita de histórias conhecidas, preocupando-se com os recursos expressivos e a
sequência de ideias;
 Produção de textos de gêneros previstos para o ano/ciclo:
 Curiosidades (Você sabia...);
 Contos de fadas;
 Fábulas.
 Sinais de pontuação: ponto final, interrogação, exclamação, dois pontos e travessão;
 Compreensão da funcionalidade da organização do texto em parágrafos;
 Abordagem de algumas regras ortográficas a serem definidas a partir das necessidades
apontadas;
 Revisão coletiva de texto;
33
 Gradativa diminuição das marcas de oralidade, repetição de conectivos: e, daí, aí, e, etc...
na linguagem escrita;
 Observação e análise de textos impressos de diferentes autores utilizados como referência
ou modelo;
MATEMÁTICA
OBJETIVOS
NÚMEROS E OPERAÇÕES
 Construir o significado do número natural;
 Compreender o valor posicional dos algarismos nos números;
 Interpretar e produzir escritas numéricas;
 Resolver situações – problema, compreendendo alguns dos significados das quatro
operações fundamentais;
 Socializar as soluções encontradas nas situações-problema;
 Desenvolver procedimentos de cálculos mental e escrito;
 Conceituar dobro e metade.
ESPAÇO E FORMA
 Estabelecer pontos de referência para identificar relações de posição entre seres e objetos
no espaço;
 Representar itinerários;
 Identificar figuras geométricas planas;
 Representar figuras geométricas planas;
 Reconhecer outras formas geométricas planas (menos frequentes), percebendo suas
semelhanças e diferenças;
GRANDEZAS E MEDIDAS
 Utilizar instrumentos de medidas convencionais e não convencionais para medir:
comprimento, massa e capacidade;
 Diferenciar uso social das medidas padronizadas (quilo, litro, metro);
 Identificar e relacionar unidades de tempo;
 Identificar cédulas e moedas do sistema monetário brasileiro;
 Explicitar diferentes possibilidades de obter um mesmo valor monetário;
 Realizar estimativas e possibilidades de compras a partir de valores monetários.
TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO
 Ler, interpretar e construir tabelas e gráficos;
 Perceber a funcionalidade dos diferentes gráficos, de acordo com o contexto no qual estão
inseridos;
 Conhecer formatos diferenciados de gráficos.
CONTEÚDOS
NÚMEROS E OPERAÇÕES
34
 Compreensão das características do sistema de numeração decimal ( números compostos
por até quatro ordens);
 Leitura, escrita, comparação e ordenação de números menos frequentes;
 Construção das tabuadas para a construção de um repertório a ser utilizado no cálculo;
 Conceitos: dobro e metade;
 Calculo de adição simples e com reagrupamento na ordem das dezenas, subtração
simples e com recurso nas dezenas, multiplicações com um número no multiplicador e divisão
com um número no divisor;
 Análise, interpretação e resolução de situações-problema;
 Comunicação de estratégias pessoais e/ou técnicas operatórias utilizadas para solucionar
um mesmo problema;
 Utilização da decomposição das escritas numéricas para realização do cálculo mental
exato.
ESPAÇO E FORMA
 Localização de pessoas ou objetos no espaço com base em diferentes pontos de
referência e indicações de direção e sentido;
 Representação de itinerários;
 Representação do espaço por meio de maquetes;
 Identificação de figuras geométricas planas a partir de suas características (quadrado,
círculo, retângulo, triângulo);
 Representação de figuras geométricas planas (quadrado, círculo, retângulo, triângulo);
 Percepção de semelhanças e diferenças entre outras figuras geométricas planas menos
frequentes;
 Observação de formas geométricas presentes em elementos naturais e objetos criados
pelo homem e suas características;
GRANDEZAS E MEDIDAS
 Uso de instrumentos de medidas convencionais;
 Conhecimento das unidades de medidas (comprimento, massa, volume), e suas utilidades
no dia a dia;
 Identificação e relação de unidades de tempo (hora, dia, semana, mês e ano);
 Utilização de calendários.
 Compreensão e uso do sistema monetário brasileiro;
 Reconhecimento de possíveis trocas entre cédulas e moedas em função de seus valores.
TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO
 Leitura e interpretação de informações matemáticas contidas em imagens;
 Leitura, interpretação e construção de tabelas simples;
 Compreensão da utilidade dos gráficos;
 Apresentação de diferentes tipos de gráficos;
 Construção de gráficos de barras e colunas a partir de dados coletados;
CIÊNCIAS
OBJETIVOS
35
 Orientar seu comportamento de modo favorável à promoção da saúde no que se refere à
alimentação e a higiene pessoal;
 Compreender o ciclo vital, como característica comum a todos os seres vivos;
 Diferenciar animais silvestres e domésticos;
 Identificar parte da planta e sua respectiva funcionalidade;
 Pesquisar propriedades de algumas plantas medicinais;
CONTEÚDOS
 Apresentação da pirâmide alimentar;
 Classificação dos alimentos;
 Orientações sobre uma alimentação adequada e saudável;
 Causas da obesidade, desnutrição;
 Higiene física, mental, social;
 Caracterização de alguns animais silvestres e domésticos (habitat, alimentação,
reprodução, e locomoção);
 Apresentação das partes das plantas e sua funcionalidade;
 Plantas medicinais e suas propriedades;
GEOGRAFIA
OBJETIVOS
 Conhecer infraestrutura, hábitos cotidianos, relações de trabalho e formas de lazer da
comunidade local;
 Perceber as transformações causadas pelo homem no ambiente em que vive;
 Comparar características da zona rural e urbana de São Bernardo do Campo;
 Comparar diferentes formas em que a natureza se apresenta na paisagem local de São
Bernardo do Campo;
 Apropriar-se de conceitos que facilitem localização geográfica;
 Situar mudanças ocorridas ao longo do tempo, no que se refere à evolução dos meios de
transporte;
 Situar mudanças ocorridas ao longo do tempo, no que se refere à evolução dos meios de
comunicação;
 Utilizar diferentes linguagens para expressar conhecimento geográfico.
CONTEÚDOS
 Observação, coleta de informações, análise e caracterização de aspectos diversos do
bairro onde está inserida a escola;
 Diferenciação da zona urbana e rural no município de São Bernardo do Campo e das
atividades desenvolvidas pelo homem nos diferentes lugares;
 Percepção da ação do homem na paisagem urbana e rural;
 Relações que indivíduos e sociedade estabelecem com a natureza e suas consequências;
 Aspectos físicos da paisagem do município de São Bernardo do Campo: rios, serras,
córregos, represas, matas e mananciais.
 Relações entre rua, bairro, cidade, Estado e País, através da linguagem cartográfica.
 Leitura e interpretação de imagens, paisagens, plantas de arruamento, mapa do município
de São Bernardo do Campo, mapa do Brasil e do Mundo.
 Evolução dos meios de comunicação ao longo do tempo;
 Evolução dos meios de transporte ao longo do tempo;
36
 Conhecimento de algumas tecnologias domésticas e outras que se referem às interações
entre as pessoas como o rádio, TV, computadores, os vários meios de transporte como os
automóveis, transportes coletivos.
 Construção de desenhos e maquetes.
HISTÓRIA
OBJETIVOS
 Situar historicamente o surgimento da instituição escolar;
 Diferenciar funcionamento das escolas dentro de contextos históricos e culturais
diferenciados;
 Identificar origem e fatos importantes relacionados à história da unidade escolar em que
estudam;
 Valorizar a escola como espaço de convivência e aprendizado;
 Reconhecer origem e importância do ECA;
 Reconhecer Direitos e Deveres das crianças de acordo com o ECA;
 Identificar aspectos da cultura africana e sua influência nos hábitos atuais do povo
brasileiro.
CONTEÚDOS
 Concepção das escolas de outros tempos (indígenas e quilombolas), situando-as no
contexto histórico;
 Comparação de infraestrutura e funcionamento das escolas nos diferentes lugares (zona
rural e urbana);
 Curiosidades relacionadas às instituições escolares situadas em diferentes países;
 Linha do tempo da EMEB José Cataldi (da sua construção até os dias atuais);
 Estatuto da criança e do adolescente (direitos e deveres da criança);
 Identificação de danças, alimentação, música e artesanato de origem africana e sua
influência na cultura brasileira.
EDUCAÇÃO FÍSICA
OBJETIVOS
 Conhecer, vivenciar, usufruir de atividades rítmicas, brincadeiras, atividades desportivas,
cantigas e danças;
 Conhecer aspectos técnicos e táticos do atletismo;
CONTEÚDOS
 Aceitação da disputa, regras como um elemento da competição e não como uma atitude de
rivalidade frente aos demais.
 Percepção do ritmo pessoal e grupal.
 Participação em jogos e brincadeiras;
 Apreciação/Vivência de cantigas e danças;
 Aspectos técnicos e táticos do atletismo;
 Desenvolvimento da capacidade de adaptar espaços, materiais e regras em atividades
desportivas (atletismo).
ARTE
37
OBJETIVOS
 Conhecer e apreciar diferentes modalidades de artes visuais, por meio do contato com
reproduções;
 Experimentar vários meios e suportes nas diferentes modalidades de artes visuais;
 Conhecer e apreciar produções de artistas e aspectos de suas biografias, situando-as no
contexto histórico/cultural;
 Apreciar diferentes gêneros de obras musicais, refletindo sobre suas características;
 Vivenciar movimentos corporais, valorizando e respeitando o jeito de cada um.
CONTEÚDOS
 Apreciação e análise de produções de artes visuais próprias, de colegas e de artistas
renomados;
 Experimentação nas diversas modalidades de artes visuais: pintura, desenho, colagem e
modelagem;
 Exploração de meios e suportes variados;
 Estudo de aspectos da vida do artista Luís Sacilotto, algumas de suas produções e sua
relação com o contexto histórico.
 Apreciação de músicas regionais infantis / folclóricas e ritmos regionais;
 Apreciação de manifestações regionais;
 Experimentação de movimentos corporais, explorando os elementos que compõem a
dança (ritmo, espaço, equilíbrio).
PLANEJAMENTO ANUAL
3ºano/Ciclo Inicial
LÍNGUA PORTUGUESA
OBJETIVOS
ORALIDADE
 Utilizar a linguagem oral com clareza;
 Participar de diferentes situações de comunicação oral, formulando e respondendo
perguntas de acordo com o contexto abordado;
 Realizar exposições orais adequando o discurso aos diferentes interlocutores.
 Respeitar as opiniões diversas.
LEITURA
 Localizar informações explícitas em textos lidos por si;
 Interpretar questões implícitas em textos lidos pela professora;
 Buscar com ajuda, informações em fontes escritas de diferentes tipos (jornais, revistas,
enciclopédias, internet, etc.);
 Ler para alcançar diferentes objetivos;
 Preocupar-se em fazer boas indicações literárias.
38
ESCRITA
 Reescrever e produzir textos dos gêneros previstos para o ciclo, utilizando a escrita
alfabética, preocupando-se com os aspectos que caracterizam o gênero em questão como,
expressão da língua escrita, tempos verbais adequados e elementos que garantam a coerência,
coesão, pontuação, segmentação e ortografia;
 Redigir rascunhos, revisar e cuidar da apresentação do texto com orientação do professor.
CONTEÚDOS
ORALIDADE
 Gêneros discursivos:
 Regras de jogos;
 Entrevista;
 Seminário;
 Uso da linguagem oral em situações onde haja diferentes interlocutores (professor, colegas
da classe e outros);
 Respeito às opiniões diversas;
 Participação contextualizada.
LEITURA
 Escuta de textos lidos pelo professor e realização de antecipações e inferências;
 Leitura silenciosa, leitura em voz alta e escuta da leitura realizada por outra pessoa;
 Localização de informações explícitas em textos lidos por si;
 Interpretação de informações implícitas em textos lidos por si, ainda que com ajuda;
 Busca de informações e consulta a fontes de diferentes tipos (jornais, revistas,
enciclopédias, Internet etc.), com orientação do professor;
 Utilização de diferentes modalidades de leitura adequadas a diferentes objetivos, como ler
para revisar, obter informação rápida, seguir instruções, aprender, aprender a escrever, por
prazer, etc.;
 Socialização de indicações literárias.
 Utilização e empréstimo de livros da biblioteca da escola para pesquisas e leituras.
 Observação e análise coletiva de textos especialmente bem escritos.
ESCRITA
 Segmentação das palavras;
 Destinatário, finalidade do texto e características do gênero;
 Iniciação da estruturação o texto em parágrafos;
 Utilização dos recursos do sistema de pontuação, como: maiúscula inicial, ponto final,
exclamação, interrogação;
 Separação entre os turnos do diálogo, mediante o uso de dois pontos e travessão;
 Utilização de dicionário e outras fontes escritas (com ajuda) para resolver dúvidas
ortográficas;
 Minimização de marcas de oralidade (“e”, “daí” etc.), substituindo por recursos coesivos
39
adequados à linguagem escrita;
 Revisão do próprio texto com orientação, utilizando rascunhos como recurso para organizar
sua intencionalidade na escrita levando em conta os seguintes aspectos: adequação ao
gênero, coerência e coesão textual, ortografia e pontuação;
 Estabelecimento de algumas regularidades ortográficas (inferência de regras) e a
constatação de algumas irregularidades (ausência de regras), partindo de necessidades
detectadas na turma;
 Observação e análise de textos impressos de diferentes autores, utilizados como referência
ou modelo.
 Gêneros discursivos:
 Cartas;
 Contos de suspense/mistério;
 Narrativas de aventura.
MATEMÁTICA
OBJETIVOS
NÚMEROS E OPERAÇÕES
 Observar, ler e interpretar escritas numéricas, levantando hipóteses sobre elas, com base
na observação de regularidades, utilizando-se da linguagem oral, de registros informais e
da linguagem matemática;
 Aprimorar progressivamente a capacidade de fazer cálculos mentais;
 Resolver situações-problema e construir a partir delas os significados das operações
fundamentais, considerando que o mesmo problema pode ser resolvido com diferentes
raciocínios;
 Desenvolver procedimentos de cálculo pela observação das regularidades, pela
antecipação e verificação de resultados.
ESPAÇO E FORMA
 Reconhecer os sólidos geométricos tridimensionais, como: esfera, cone, cilindro, pirâmide,
cubo e paralelepípedo;
 Localizar informações em planos cartesianos, através de um ponto de referência;
 Localizar e descrever trajetos.
GRANDEZAS E MEDIDAS
 Identificar e localizar no calendário informações referentes à: dia, semana, mês, bimestre,
trimestre, semestre e ano;
 Compreender as medidas de tempo em relação a horas e minutos;
 Comparar medidas de comprimento;
 Medir objetos através de instrumentos convencionais, utilizando nomenclatura adequada;
 Compreender o sistema monetário e seu uso social inserido em situações-problema.
TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO
 Interpretar tabelas e gráficos, inseridos em situações-problema;
 Coletar dados e organizá-los em forma de tabelas;
 Organizar dados em forma de gráficos.
CONTEÚDOS
40
NÚMEROS E OPERAÇÕES
 Apropriação de repertório que compreenda números compostos por até cinco ordens;
 Leitura, escrita, comparação e ordenação de notações numéricas pela compreensão das
características do sistema de numeração decimal (base, valor posicional);
 Utilização da decomposição das escritas numéricas para a realização do cálculo mental
exato e aproximado;
 Análise, interpretação, resolução e formulação de situações-problema, compreendendo
alguns dos significados das operações;
 Comunicação de estratégias pessoais na resolução de problemas, através de diferentes
linguagens;
 Reconhecimento de que cada operação pode solucionar diferentes situações-problema, e
que o mesmo problema pode ser resolvido por diferentes operações;
 Cálculos de adição simples e com reagrupamento na ordem das centenas, subtrações
simples e com recurso na ordem das centenas, multiplicações com um algarismo no
multiplicador e divisões exatas e não exatas com um algarismo no divisor por meio de
técnicas convencionais.
 Uso de calculadora para o desenvolvimento de estratégias de verificação e controle de
cálculos;
 Utilização de estimativas para avaliar a adequação de um resultado;
ESPAÇO E FORMA
 Observação de sólidos geométricos (esféricos, cilíndricos, cônicos, cúbicos, piramidais,
prismáticos) presentes em elementos naturais e nos objetos criados pelo homem e de suas
características;
 Estabelecimento de comparações entre objetos do espaço físico e objetos geométricos
(esféricos, cilíndricos, cônicos, cúbicos, piramidais, prismáticos);
 Composição e decomposição de figuras tridimensionais;
 Percepção de semelhanças e diferenças entre cubos e quadrados, paralelepípedos e
retângulos, pirâmides e triângulos, esferas e círculos;
 Localização de pessoas ou objetos no espaço, com base em diferentes pontos de
referência e algumas indicações de posição usando sua própria terminologia.
 Utilização de malhas para representar no plano a posição de uma pessoa ou objeto.
GRANDEZAS E MEDIDAS
 Identificação e localização no calendário de unidades de tempo: dia, semana, mês, ano,
bimestre, trimestre e semestre e utilização de calendários;
 Leitura de horas/minutos no relógio digital e analógico;
 Comparações de medidas de comprimento: milímetro, centímetro e metro;
 Utilização de instrumentos de medidas convencionais: régua, fita métrica, trena, etc.
 Compreensão e uso do sistema monetário brasileiro;
 Resolução de situações-problema envolvendo medidas de capacidade, massa e
comprimento.
TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO
 Leitura e interpretação de informações matemáticas contidas em imagens;
 Apresentação de diferentes tipos de gráficos;
41
 Coleta de dados, informações e elaboração de formas para organizá-los em gráficos de
coluna e setores;
 Elaboração de listas, tabelas simples e de dupla entrada.
CIÊNCIAS
OBJETIVOS
 Pesquisar características dos animais marinhos;
 Comparar informações referentes aos animais marinhos em fontes variadas;
 Socializar informações obtidas em pesquisas;
 Conhecer os planetas do sistema solar;
 Reconhecer peculiaridades dos planetas;
 Comparar características dos planetas.
 Reconhecer as propriedades, utilidades e os diferentes estados físicos da água;
 Conscientizar-se da importância da preservação da água, considerando que esta é um
recurso esgotável;
 Identificar as etapas do processo de tratamento da água trilhado até que ocorra o
abastecimento das residências;
 Conscientizar-se das condições de vida no município de SBC.
CONTEÚDOS
 Habitat, alimentação, locomoção, curiosidades sobre animais que vivem no mar;
 Utilização de fontes variadas com o intuito de buscar informações;
 Socialização de pesquisas efetivadas;
 Planetas que compõem o Sistema Solar;
 Curiosidades peculiares a cada planeta que compõe o Sistema Solar.
 Comparação de características dos planetas.
 Utilidades, propriedades e estados físicos da água.
 Tratamento e distribuição da água.
 Percepção da proporção de água potável e não potável no planeta Terra.
 Identificação das condições de saneamento básico em SBC.
HISTÓRIA
OBJETIVOS
 Conhecer a história do bairro Demarchi, comparando através de imagens as
transformações ocorridas;
 Identificar a formação da freguesia de São Bernardo do Campo;
 Reconhecer a influência africana na cultura brasileira nas danças, culinária, vocabulário,
músicas e brincadeiras.
CONTEÚDOS
 Comparação e identificação, através de imagens/fotografias/vídeos, das transformações
ocorridas no bairro Demarchi;
 Interpretação do por que o bairro recebeu nomes de determinadas pessoas nas ruas,
comércios, escolas, dentre outros;
 Identificação das etnias que constituíram a freguesia de SBC e comparação das
42
semelhanças e diferenças culturais;
 Pesquisa em diversos materiais sobre a cultura africana (danças, culinária, vocabulário,
músicas e brincadeiras);
 Comparação entre a cultura africana e a cultura brasileira, buscando aspectos herdados;
GEOGRAFIA
OBJETIVOS
 Reconhecer diferentes paisagens e compará-las;
 Compreender em nível inicial a ideia de territorialidade;
 Localizar informações em plantas de arruamento;
 Desenvolver noções de cartografia, através da leitura de mapas;
 Utilizar diferentes linguagens como desenhos, mapas, fotos e filmes, para adquirir e
expressar conhecimento geográfico;
 Utilizar procedimentos de observação, descrição, comparação na leitura da paisagem e
construção de explicações sobre os fatos geográficos;
 Desenvolver atitude de responsabilidade consciente no tratamento da natureza;
CONTEÚDOS
 Localização de trajetos específicos no Google mapas;
 Desenhos de trajetos com legenda;
 Interpretação de legendas em plantas de arruamento e mapas;
 Apresentação do mapa mundi, mapa do Brasil e do município.
 Identificação de continentes e oceanos;
 Identificação das regiões brasileiras;
 Localização do Estado pátrio dos alunos nas respectivas regiões.
 Diferenciação da paisagem local nas diferentes regiões;
 Causas que levaram as famílias a migrarem para SBC;
 Identificação de alguns problemas gerados nas diferentes regiões, devido à utilização de
técnicas predatórias que acarretam poluição e desmatamento.
EDUCAÇÃO FÍSICA
OBJETIVOS
 Participar de atividades rítmicas, brincadeiras, jogos e esportes, organizando-os com
autonomia, criando e recriando regras;
 Participar de diferentes atividades corporais ligadas à cultura, especificamente a dança,
adotando uma atitude cooperativa e solidária, sem discriminar os colegas pelas suas
crenças ou por razões sociais, físicas, de gênero ou classe.
CONTEÚDOS
 Respeito a si e ao outro;
 Reconhecimento de regras oficiais pertinentes ao Basquete e Handebol.
 Desenvolvimento da capacidade de adaptar espaços, materiais e regras em atividades
desportivas (basquete, handebol);
 Percepção do ritmo pessoal e grupal;
43
 Pesquisa em diversos materiais sobre brincadeiras de origem africana;
 Participação em brincadeiras de origem africana.
ARTE
OBJETIVOS
 Conhecer e apreciar diferentes produções da artista Tarsila do Amaral, observando e
comparando os elementos que compõem paisagens;
 Criar paisagens com dois planos, utilizando vários meios e suportes;
 Conhecer e apreciar diferentes danças e músicas pertinentes ao histórico cultural da
freguesia de São Bernardo do Campo;
 Conhecer e apreciar a arte africana, mais detalhadamente as máscaras e instrumentos;
 Contextualizar a história cultural das máscaras e instrumentos de origem africana;
 Confeccionar máscaras e objetos sonoros de origem africana.
CONTEÚDOS
 Apreciação e análise de diferentes obras artísticas (Obras para apreciação da Tarsila do
Amaral e Arte Africana);
 Estudo do tempo histórico que contextualiza a criação das obras artísticas apreciadas;
 Apreciação e análise de produções de artes visuais próprias e de colegas;
 Reflexão sobre os processos de criação pessoal, dos colegas e de artistas;
 Experimentação pelos alunos em suas produções artísticas de diferentes meios e suportes;
 Apreciação de músicas;
 Participação de momentos que envolvam dança;
PLANEJAMENTO ANUAL
1ºano / Ciclo II
LÍNGUA PORTUGUESA
OBJETIVOS
ORALIDADE
 Expressar os pensamentos de forma clara e coerente;
 Expressar os pensamentos de forma a defender seu ponto de vista;
 Preparar antecipadamente exposições orais;
 Realizar exposições orais, adequando o discurso aos diferentes interlocutores.
LEITURA
 Localizar informações explícitas em textos lidos por si;
 Interpretar questões implícitas em textos lidos pela professora e por si;
 Ler para alcançar diferentes objetivos.
 Preocupar-se em fazer boas indicações literárias;
 Buscar com ajuda informações em fontes escritas de diferentes tipos.
44
ESCRITA
 Reescrever coerentemente textos narrativos;
 Aprimorar organização do texto em parágrafos;
 Utilizar adequadamente letras maiúsculas e minúsculas;
 Produzir textos de autoria de acordo com as características do gênero;
 Aprimorar utilização dos recursos do sistema de pontuação;
 Minimizar quantidade de erros ortográficos em seus registros, em virtude das regularidades
ortográficas trabalhadas;
 Utilizar o dicionário adequadamente;
 Fazer uso da linguagem formal nas produções, minimizando as marcas de oralidade;
 Ampliar utilização adequada de questões gramaticais específicas;
 Revisar textos a partir de apontamentos feitos pelo docente.
CONTEÚDOS
ORALIDADE
 Gêneros discursivos:
 Poemas
 Piadas
 Debates
 Defesa do ponto de vista e manutenção de coerência;
 Respeito às diferentes opiniões;
 Planejamento e organização do discurso com a finalidade de exposição oral.
LEITURA
 Interpretação de textos diversos;
 Escuta de textos lidos pelo professor e realização de antecipações e inferências;
 Leitura silenciosa, leitura em voz alta e escuta da leitura realizada por outra pessoa;
 Busca de informações e consulta a fontes de diferentes tipos (jornais, revistas,
enciclopédias, Internet etc.), com orientação ou não do professor;
 Utilização de diferentes modalidades de leitura adequadas a diferentes objetivos, como ler
para revisar, obter informação rápida, seguir instruções, aprender, aprender a escrever, por
prazer, etc.;
 Empréstimo de livros na biblioteca da unidade escolar para pesquisas e leituras;
 Observação e análise de textos especialmente bem escritos;
ESCRITA
 Paragrafação;
 Utilização dos recursos do sistema de pontuação como maiúscula inicial, ponto final, ponto
de exclamação, ponto de interrogação, vírgula, dois pontos e travessão;
 Diferenciação entre o discurso direto e indireto;
 Produção de textos de autoria, considerando o destinatário, finalidade e características do
gênero:
 Contos de artimanha
 Cartas ao leitor
 Diário
 Estabelecimento de algumas regularidades ortográficas e constatação de algumas
45
irregularidades (inclusive as de acentuação);
 Uso do dicionário;
 Aprimoramento no emprego da concordância verbal e nominal;
 Introdução de conectivos mais adequados à linguagem escrita;
 Revisão do próprio texto, procurando aprimorá-lo, levando em conta os seguintes aspectos:
adequação ao gênero, coerência e coesão textual, pontuação e ortografia;
MATEMÁTICA
NÚMEROS E OPERAÇÕES
 Ler e comparar números do Sistema de Numeração Decimal compostos por até seis
ordens;
 Resolver situações-problema, envolvendo as quatro operações fundamentais;
 Solucionar situações-problema que envolva o uso de mais de uma técnica operatória;
 Resolver técnicas operatórias;
 Conceituar fração;
 Representar frações;
 Comparar frações com denominador comum;
TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO
 Recolher dados e informações, elaborando formas para organizá-los e expressá-los;
 Interpretar dados apresentados sob forma de tabelas e gráficos;
 Compreender e resolver situações-problema que envolva gráficos e tabelas.
ESPAÇO E FORMA
 Diferenciar retas, segmentos de retas e linhas;
 Classificar ângulos: reto, agudo e obtuso.
 Utilizar transferidor para medir ângulos;
 Identificar polígonos;
 Nomear polígonos;
 Calcular perímetro de polígonos diversos;
GRANDEZAS E MEDIDAS
 Ler horas e minutos;
 Estabelecer relações entre horas e minutos;
 Resolver problemas envolvendo medidas de tempo;
 Resolver problemas envolvendo medidas de capacidade, massa e comprimento;
 Reconhecer submúltiplos e múltiplos do metro, transformando algumas medidas.
CONTEÚDOS
NÚMEROS E OPERAÇÕES
 Reconhecimento dos números naturais compostos por até no mínimo 6 ordens;
 Análise, interpretação, resolução e formulação de situações-problema que envolvam
números naturais e racionais (frações);
46
 Adição com reagrupamento, Subtração com recurso, Multiplicação com dois algarismos no
multiplicador e Divisão com dois algarismos no divisor;
 Desenvolvimento de estratégias de verificação e controle de resultados pelo uso do calculo
mental e calculadora;
 Conceito de frações;
 Leitura, escrita, representação e comparação de frações;
TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO
 Leitura e interpretação de dados apresentados de maneira organizada (por meio de listas,
tabelas, diagramas e gráficos) e construção dessas representações;
 Compreensão e resolução de situações-problema que envolva tabelas e gráficos;
 Identificação das possíveis maneiras de combinar elementos de uma coleção e de
contabilizá-los usando estratégias pessoais;
 Utilização de informações dadas para avaliar probabilidades.
ESPAÇO E FORMA
 Retas, segmentos de retas e linhas;
 Ângulos: reto, agudo e obtuso.
 Procedimentos para utilização do transferidor;
 Identificação de figuras poligonais na planificação de sólidos geométricos;
 Exploração das planificações de algumas figuras tridimensionais;
 Identificação de semelhanças e diferenças entre polígonos (lados, ângulos);
 Perímetro.
GRANDEZAS E MEDIDAS
 Reconhecimento e utilização das unidades de medidas de tempo;
 Resolução de situações-problema envolvendo medidas de tempo;
 Leitura de horas no relógio analógico e digital;
 Reconhecimento e utilização das unidades de medidas de comprimento, massa e
capacidade;
 Resolução de situações-problema envolvendo medidas de comprimento, massa e
capacidade;
 Resolução de situações-problema envolvendo sistema monetário brasileiro;
 Transformações entre KM, M, CM e MM.
 Utilização das medidas de tempo e realização de conversão simples.
CIÊNCIAS
OBJETIVOS
 Reconhecer a importância de uma boa alimentação para o crescimento e desenvolvimento
do organismo;
 Identificar os órgãos envolvidos no processo de digestão;
 Orientar cuidados a fim de evitar doenças relacionadas ao sistema digestório;
 Conceituar solo;
 Compreender o processo de surgimento do solo;
 Identificar os diferentes tipos de solo;
 Reconhecer os cuidados que se deve ter para manter o solo produtivo;
 Reconhecer algumas das causas da destruição do solo;
47
 Identificar elementos que compõem e propriedades do ar;
 Conhecer as funções do sistema respiratório;
 Orientar cuidados a fim de evitar doenças relacionadas ao sistema respiratório.
CONTEÚDOS
 Origem dos alimentos (animal, vegetal e mineral);
 Alimentos e suas funções (energéticos, reguladores e construtores);
 A importância das vitaminas;
 Doenças associadas à carência de determinadas vitaminas;
 O sistema digestório, seus órgãos e respectivas funções;
 Doenças e cuidados em relação ao sistema digestório (úlceras, gastrites, refluxo...)
 Como surgiu o solo;
 Elementos que compõem o solo;
 Tipos de solo;
 A importância do solo para o ser humano;
 A destruição do solo: desmatamento, erosão, poluição e queimada;
 Como manter o solo sempre produtivo (drenagem, irrigação, aração e adubação);
 Composição e propriedades do ar;
 Estudo dos principais órgãos e funções do sistema respiratório;
 A poluição do ar e a nossa saúde.
HISTÓRIA
OBJETIVOS
 Entender e trabalhar com a noção de tempo e as formas de medi-lo;
 Utilizar diferentes fontes de informação e posicionar-se criticamente frente à pesquisa;
 Conhecer o processo histórico de colonização do Brasil;
 Diferenciar descobrimento e conquista de território;
 Reconhecer os indígenas como os primeiros habitantes de nossas terras;
 Reconhecer a importância do escravo para a construção do Brasil;
 Identificar o preconceito racial como um problema social que deve ser discutido e
combatido por todos os cidadãos;
CONTEÚDOS
 Construção de linhas do tempo para entendimento dos fatos históricos dentro de uma
cronologia: a duração do tempo que permite a divisão em períodos para melhor
entendimento de alguns acontecimentos;
 Formas de medidas do tempo: ano, década, século, milênio, A.C, D.C;
 Período das grandes navegações;
 Descobrimento do Brasil;
 Processo histórico da colonização do Brasil;
 Chegada dos portugueses e sua relação com os índios;
 Conflitos entre os portugueses e os indígenas;
 Processo histórico da escravidão no Brasil;
 Chegada do negro africano;
 Conflitos e o movimento quilombola;
 Aspectos da vida dos escravos e os engenhos;
 A importância do açúcar;
PPP 2013 da EMEB José Cataldi
PPP 2013 da EMEB José Cataldi
PPP 2013 da EMEB José Cataldi
PPP 2013 da EMEB José Cataldi
PPP 2013 da EMEB José Cataldi
PPP 2013 da EMEB José Cataldi
PPP 2013 da EMEB José Cataldi
PPP 2013 da EMEB José Cataldi
PPP 2013 da EMEB José Cataldi
PPP 2013 da EMEB José Cataldi
PPP 2013 da EMEB José Cataldi
PPP 2013 da EMEB José Cataldi
PPP 2013 da EMEB José Cataldi
PPP 2013 da EMEB José Cataldi
PPP 2013 da EMEB José Cataldi
PPP 2013 da EMEB José Cataldi
PPP 2013 da EMEB José Cataldi
PPP 2013 da EMEB José Cataldi
PPP 2013 da EMEB José Cataldi
PPP 2013 da EMEB José Cataldi
PPP 2013 da EMEB José Cataldi
PPP 2013 da EMEB José Cataldi
PPP 2013 da EMEB José Cataldi
PPP 2013 da EMEB José Cataldi
PPP 2013 da EMEB José Cataldi
PPP 2013 da EMEB José Cataldi
PPP 2013 da EMEB José Cataldi
PPP 2013 da EMEB José Cataldi
PPP 2013 da EMEB José Cataldi
PPP 2013 da EMEB José Cataldi
PPP 2013 da EMEB José Cataldi
PPP 2013 da EMEB José Cataldi
PPP 2013 da EMEB José Cataldi

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Proposta pedagógica 2013
Proposta pedagógica 2013Proposta pedagógica 2013
Proposta pedagógica 2013
Marcilene Silva Almeida
 
Ppp 2013 atualizado_pós_pedagógico
Ppp 2013 atualizado_pós_pedagógicoPpp 2013 atualizado_pós_pedagógico
Ppp 2013 atualizado_pós_pedagógico
José Vitorino de Medeiros
 
Mip - Dom Bosco Maringá
Mip - Dom Bosco MaringáMip - Dom Bosco Maringá
Mip - Dom Bosco Maringá
Liniker Santos
 
Calendário letivo 2015 completo
Calendário letivo 2015   completoCalendário letivo 2015   completo
Calendário letivo 2015 completo
Jobenemar Carvalho
 
Ata n.º1
Ata n.º1Ata n.º1
Ata n.º1
Agente Adegas
 
Informativo do Governo nº 2
Informativo do Governo nº 2Informativo do Governo nº 2
Informativo do Governo nº 2
prefeitura45
 
PARECER CME/ARAUCÁRIA N.º 10/2007
PARECER CME/ARAUCÁRIA N.º 10/2007PARECER CME/ARAUCÁRIA N.º 10/2007
PARECER CME/ARAUCÁRIA N.º 10/2007
Sandra Luccas
 
Amigos da escola
Amigos da escolaAmigos da escola
Amigos da escola
Eduardojr-professor
 
Relatório
 Relatório Relatório
Relatório
Cleonice Schmitz
 
Ee. takako suzuki plano quadrienal
Ee. takako suzuki   plano quadrienalEe. takako suzuki   plano quadrienal
Ee. takako suzuki plano quadrienal
brgsto
 
Ppp
PppPpp
Regimento interno EEM Arsênio Ferreira Maia
Regimento interno  EEM Arsênio Ferreira MaiaRegimento interno  EEM Arsênio Ferreira Maia
Regimento interno EEM Arsênio Ferreira Maia
otacilioborges1
 
EE Antônia Binato Silva - Plano Quadrienal
EE  Antônia Binato Silva - Plano QuadrienalEE  Antônia Binato Silva - Plano Quadrienal
EE Antônia Binato Silva - Plano Quadrienal
brgsto
 
Projeto Político Pedagógico
Projeto Político PedagógicoProjeto Político Pedagógico
Projeto Político Pedagógico
revistaleire
 
Regiment único das unidades escolares da rede pública minicipal de esnino de ...
Regiment único das unidades escolares da rede pública minicipal de esnino de ...Regiment único das unidades escolares da rede pública minicipal de esnino de ...
Regiment único das unidades escolares da rede pública minicipal de esnino de ...
ceiparaiso
 
Ee. santa rita do pontal plano quadrienal
Ee. santa rita do pontal   plano quadrienalEe. santa rita do pontal   plano quadrienal
Ee. santa rita do pontal plano quadrienal
brgsto
 
Monografia Edivania Pedagogia 2010
Monografia Edivania Pedagogia 2010Monografia Edivania Pedagogia 2010
Monografia Edivania Pedagogia 2010
Biblioteca Campus VII
 
Mara Proposta de Trabalho Jairo
Mara  Proposta de Trabalho JairoMara  Proposta de Trabalho Jairo
Mara Proposta de Trabalho Jairo
guest014d7c
 
Resoluções 2010
Resoluções 2010Resoluções 2010
Resoluções 2010
Sandra Luccas
 

Mais procurados (19)

Proposta pedagógica 2013
Proposta pedagógica 2013Proposta pedagógica 2013
Proposta pedagógica 2013
 
Ppp 2013 atualizado_pós_pedagógico
Ppp 2013 atualizado_pós_pedagógicoPpp 2013 atualizado_pós_pedagógico
Ppp 2013 atualizado_pós_pedagógico
 
Mip - Dom Bosco Maringá
Mip - Dom Bosco MaringáMip - Dom Bosco Maringá
Mip - Dom Bosco Maringá
 
Calendário letivo 2015 completo
Calendário letivo 2015   completoCalendário letivo 2015   completo
Calendário letivo 2015 completo
 
Ata n.º1
Ata n.º1Ata n.º1
Ata n.º1
 
Informativo do Governo nº 2
Informativo do Governo nº 2Informativo do Governo nº 2
Informativo do Governo nº 2
 
PARECER CME/ARAUCÁRIA N.º 10/2007
PARECER CME/ARAUCÁRIA N.º 10/2007PARECER CME/ARAUCÁRIA N.º 10/2007
PARECER CME/ARAUCÁRIA N.º 10/2007
 
Amigos da escola
Amigos da escolaAmigos da escola
Amigos da escola
 
Relatório
 Relatório Relatório
Relatório
 
Ee. takako suzuki plano quadrienal
Ee. takako suzuki   plano quadrienalEe. takako suzuki   plano quadrienal
Ee. takako suzuki plano quadrienal
 
Ppp
PppPpp
Ppp
 
Regimento interno EEM Arsênio Ferreira Maia
Regimento interno  EEM Arsênio Ferreira MaiaRegimento interno  EEM Arsênio Ferreira Maia
Regimento interno EEM Arsênio Ferreira Maia
 
EE Antônia Binato Silva - Plano Quadrienal
EE  Antônia Binato Silva - Plano QuadrienalEE  Antônia Binato Silva - Plano Quadrienal
EE Antônia Binato Silva - Plano Quadrienal
 
Projeto Político Pedagógico
Projeto Político PedagógicoProjeto Político Pedagógico
Projeto Político Pedagógico
 
Regiment único das unidades escolares da rede pública minicipal de esnino de ...
Regiment único das unidades escolares da rede pública minicipal de esnino de ...Regiment único das unidades escolares da rede pública minicipal de esnino de ...
Regiment único das unidades escolares da rede pública minicipal de esnino de ...
 
Ee. santa rita do pontal plano quadrienal
Ee. santa rita do pontal   plano quadrienalEe. santa rita do pontal   plano quadrienal
Ee. santa rita do pontal plano quadrienal
 
Monografia Edivania Pedagogia 2010
Monografia Edivania Pedagogia 2010Monografia Edivania Pedagogia 2010
Monografia Edivania Pedagogia 2010
 
Mara Proposta de Trabalho Jairo
Mara  Proposta de Trabalho JairoMara  Proposta de Trabalho Jairo
Mara Proposta de Trabalho Jairo
 
Resoluções 2010
Resoluções 2010Resoluções 2010
Resoluções 2010
 

Destaque

Escola
EscolaEscola
Elza dias pacheco
Elza dias pachecoElza dias pacheco
Elza dias pacheco
Isabel Santos
 
Sao paulo umaescola_manualbrincadeiras
Sao paulo umaescola_manualbrincadeirasSao paulo umaescola_manualbrincadeiras
Sao paulo umaescola_manualbrincadeiras
Jefferson Tiagolage
 
Metodologia Instituto Brincante
Metodologia  Instituto BrincanteMetodologia  Instituto Brincante
Metodologia Instituto Brincante
institutobrincante
 
Prática de ensino. fundamentos conceituais sobre educação...
Prática de ensino. fundamentos conceituais sobre educação...Prática de ensino. fundamentos conceituais sobre educação...
Prática de ensino. fundamentos conceituais sobre educação...
LuizfmRamos
 
(3) diret..[1]
(3) diret..[1](3) diret..[1]
(3) diret..[1]
Educação Infantil
 
Portfólio
PortfólioPortfólio
Portfólio
angelafrc
 
Slide "As especificidades da ação pedagógica com bebês" Pós Graduação
Slide "As especificidades da ação pedagógica com bebês" Pós Graduação Slide "As especificidades da ação pedagógica com bebês" Pós Graduação
Slide "As especificidades da ação pedagógica com bebês" Pós Graduação
Educação Infantil
 
O brincar e a aprendizagem
O brincar e a aprendizagemO brincar e a aprendizagem
O brincar e a aprendizagem
Educação Infantil
 
Alguns conceitos de avaliação
Alguns conceitos de avaliaçãoAlguns conceitos de avaliação
Alguns conceitos de avaliação
Elis Zampieri
 
Imunização
ImunizaçãoImunização
Programa de imunização
Programa de imunizaçãoPrograma de imunização
Programa de imunização
Lucas Matos
 
Estrategias de suporte para os transtornos ou dificuldades de leitura e escri...
Estrategias de suporte para os transtornos ou dificuldades de leitura e escri...Estrategias de suporte para os transtornos ou dificuldades de leitura e escri...
Estrategias de suporte para os transtornos ou dificuldades de leitura e escri...
EFIGÊNIA NERES
 
Avaliação
AvaliaçãoAvaliação
Avaliação
lucavao2010
 
Slide história da educação - pdf
Slide   história da educação - pdfSlide   história da educação - pdf
Slide história da educação - pdf
Prof. Antônio Martins de Almeida Filho
 
Avaliação tipos e funções 2
Avaliação tipos e funções 2Avaliação tipos e funções 2
Avaliação tipos e funções 2
SimoneHelenDrumond
 
PNAIC - Avaliação
PNAIC - AvaliaçãoPNAIC - Avaliação
PNAIC - Avaliação
ElieneDias
 
Cartilha de leitura lêda
Cartilha de leitura lêdaCartilha de leitura lêda
Cartilha de leitura lêda
Eduardo Lopes
 
10 dicas reforço escolar
10 dicas reforço escolar10 dicas reforço escolar
10 dicas reforço escolar
Terc Cre
 
Leitura e interpretação de texto para alfabetização
Leitura e interpretação de texto para alfabetizaçãoLeitura e interpretação de texto para alfabetização
Leitura e interpretação de texto para alfabetização
Lorena Lopes
 

Destaque (20)

Escola
EscolaEscola
Escola
 
Elza dias pacheco
Elza dias pachecoElza dias pacheco
Elza dias pacheco
 
Sao paulo umaescola_manualbrincadeiras
Sao paulo umaescola_manualbrincadeirasSao paulo umaescola_manualbrincadeiras
Sao paulo umaescola_manualbrincadeiras
 
Metodologia Instituto Brincante
Metodologia  Instituto BrincanteMetodologia  Instituto Brincante
Metodologia Instituto Brincante
 
Prática de ensino. fundamentos conceituais sobre educação...
Prática de ensino. fundamentos conceituais sobre educação...Prática de ensino. fundamentos conceituais sobre educação...
Prática de ensino. fundamentos conceituais sobre educação...
 
(3) diret..[1]
(3) diret..[1](3) diret..[1]
(3) diret..[1]
 
Portfólio
PortfólioPortfólio
Portfólio
 
Slide "As especificidades da ação pedagógica com bebês" Pós Graduação
Slide "As especificidades da ação pedagógica com bebês" Pós Graduação Slide "As especificidades da ação pedagógica com bebês" Pós Graduação
Slide "As especificidades da ação pedagógica com bebês" Pós Graduação
 
O brincar e a aprendizagem
O brincar e a aprendizagemO brincar e a aprendizagem
O brincar e a aprendizagem
 
Alguns conceitos de avaliação
Alguns conceitos de avaliaçãoAlguns conceitos de avaliação
Alguns conceitos de avaliação
 
Imunização
ImunizaçãoImunização
Imunização
 
Programa de imunização
Programa de imunizaçãoPrograma de imunização
Programa de imunização
 
Estrategias de suporte para os transtornos ou dificuldades de leitura e escri...
Estrategias de suporte para os transtornos ou dificuldades de leitura e escri...Estrategias de suporte para os transtornos ou dificuldades de leitura e escri...
Estrategias de suporte para os transtornos ou dificuldades de leitura e escri...
 
Avaliação
AvaliaçãoAvaliação
Avaliação
 
Slide história da educação - pdf
Slide   história da educação - pdfSlide   história da educação - pdf
Slide história da educação - pdf
 
Avaliação tipos e funções 2
Avaliação tipos e funções 2Avaliação tipos e funções 2
Avaliação tipos e funções 2
 
PNAIC - Avaliação
PNAIC - AvaliaçãoPNAIC - Avaliação
PNAIC - Avaliação
 
Cartilha de leitura lêda
Cartilha de leitura lêdaCartilha de leitura lêda
Cartilha de leitura lêda
 
10 dicas reforço escolar
10 dicas reforço escolar10 dicas reforço escolar
10 dicas reforço escolar
 
Leitura e interpretação de texto para alfabetização
Leitura e interpretação de texto para alfabetizaçãoLeitura e interpretação de texto para alfabetização
Leitura e interpretação de texto para alfabetização
 

Semelhante a PPP 2013 da EMEB José Cataldi

Ppp 2014 versão blog
Ppp 2014 versão blogPpp 2014 versão blog
Ppp 2014 versão blog
labjosecataldi
 
PPP 2018 Escola Estadual Aral Moreira
PPP 2018 Escola Estadual Aral MoreiraPPP 2018 Escola Estadual Aral Moreira
PPP 2018 Escola Estadual Aral Moreira
Suziany Ihan Xavier Gaspar
 
Projeto Político Pedagógico
Projeto Político PedagógicoProjeto Político Pedagógico
Projeto Político Pedagógico
professorfj2012
 
Projeto Político Pedagógico da Escola Estadual Cel. José Alves Ribeiro de Aqu...
Projeto Político Pedagógico da Escola Estadual Cel. José Alves Ribeiro de Aqu...Projeto Político Pedagógico da Escola Estadual Cel. José Alves Ribeiro de Aqu...
Projeto Político Pedagógico da Escola Estadual Cel. José Alves Ribeiro de Aqu...
Cejar Ribeiro
 
Ee. paulo coelho plano quadrienal
Ee. paulo coelho   plano quadrienalEe. paulo coelho   plano quadrienal
Ee. paulo coelho plano quadrienal
brgsto
 
Proposta pedagógica 2013
Proposta pedagógica 2013Proposta pedagógica 2013
Proposta pedagógica 2013
Marcilene Silva Almeida
 
ppp_ec_10_-taguatinga (1).pdf
ppp_ec_10_-taguatinga (1).pdfppp_ec_10_-taguatinga (1).pdf
ppp_ec_10_-taguatinga (1).pdf
QUEDMA SILVA
 
Projeto Político Pedagógico da Escola Municipal Joaquim Teixeira Camargos
Projeto Político Pedagógico da Escola Municipal Joaquim Teixeira CamargosProjeto Político Pedagógico da Escola Municipal Joaquim Teixeira Camargos
Projeto Político Pedagógico da Escola Municipal Joaquim Teixeira Camargos
Paula Tannus
 
Jornal Escolar Edição 01 2014
Jornal Escolar Edição 01 2014Jornal Escolar Edição 01 2014
Jornal Escolar Edição 01 2014
Escola Nova Galileia
 
Barroquinha 2010
Barroquinha 2010Barroquinha 2010
Projeto Político Pedagógico 2021 versão final
Projeto Político Pedagógico 2021 versão finalProjeto Político Pedagógico 2021 versão final
Projeto Político Pedagógico 2021 versão final
QUEDMA SILVA
 
Microsoft word correio uacury out 2007 pdf
Microsoft word   correio uacury out 2007 pdfMicrosoft word   correio uacury out 2007 pdf
Microsoft word correio uacury out 2007 pdf
Edson Mamprin
 
Orientações de planejamento iinicio das aulas 2011
Orientações de planejamento iinicio das aulas 2011Orientações de planejamento iinicio das aulas 2011
Orientações de planejamento iinicio das aulas 2011
educacaomesquita
 
Jornal da Educação Fiscal/ 2019
Jornal da Educação Fiscal/ 2019Jornal da Educação Fiscal/ 2019
Jornal da Educação Fiscal/ 2019
Lúcia Maia
 
ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL II
ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL IIESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL II
ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL II
Fábio Ribeiro Silva
 
PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO - PEDREIRA SP. - 2015 a 2024
PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO - PEDREIRA SP.  - 2015 a 2024PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO - PEDREIRA SP.  - 2015 a 2024
PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO - PEDREIRA SP. - 2015 a 2024
Marcelo Celloto
 
Plano de gestão 2014
Plano de gestão 2014Plano de gestão 2014
Plano de gestão 2014
Francisco Oliveira
 
PPPEC10Tag 2023 VF.pdf
PPPEC10Tag 2023 VF.pdfPPPEC10Tag 2023 VF.pdf
PPPEC10Tag 2023 VF.pdf
QUEDMA SILVA
 
Informativo GRE Mata Sul - Pernambuco - Março / 2020
Informativo GRE Mata Sul - Pernambuco - Março / 2020Informativo GRE Mata Sul - Pernambuco - Março / 2020
Informativo GRE Mata Sul - Pernambuco - Março / 2020
Governo do Estado de Pernambuco - Secretaria de Educação
 
Projeto Político Pedagógico (PPP 2014)/EMEF Olavo Bilac
Projeto Político Pedagógico (PPP 2014)/EMEF Olavo BilacProjeto Político Pedagógico (PPP 2014)/EMEF Olavo Bilac
Projeto Político Pedagógico (PPP 2014)/EMEF Olavo Bilac
bilac02
 

Semelhante a PPP 2013 da EMEB José Cataldi (20)

Ppp 2014 versão blog
Ppp 2014 versão blogPpp 2014 versão blog
Ppp 2014 versão blog
 
PPP 2018 Escola Estadual Aral Moreira
PPP 2018 Escola Estadual Aral MoreiraPPP 2018 Escola Estadual Aral Moreira
PPP 2018 Escola Estadual Aral Moreira
 
Projeto Político Pedagógico
Projeto Político PedagógicoProjeto Político Pedagógico
Projeto Político Pedagógico
 
Projeto Político Pedagógico da Escola Estadual Cel. José Alves Ribeiro de Aqu...
Projeto Político Pedagógico da Escola Estadual Cel. José Alves Ribeiro de Aqu...Projeto Político Pedagógico da Escola Estadual Cel. José Alves Ribeiro de Aqu...
Projeto Político Pedagógico da Escola Estadual Cel. José Alves Ribeiro de Aqu...
 
Ee. paulo coelho plano quadrienal
Ee. paulo coelho   plano quadrienalEe. paulo coelho   plano quadrienal
Ee. paulo coelho plano quadrienal
 
Proposta pedagógica 2013
Proposta pedagógica 2013Proposta pedagógica 2013
Proposta pedagógica 2013
 
ppp_ec_10_-taguatinga (1).pdf
ppp_ec_10_-taguatinga (1).pdfppp_ec_10_-taguatinga (1).pdf
ppp_ec_10_-taguatinga (1).pdf
 
Projeto Político Pedagógico da Escola Municipal Joaquim Teixeira Camargos
Projeto Político Pedagógico da Escola Municipal Joaquim Teixeira CamargosProjeto Político Pedagógico da Escola Municipal Joaquim Teixeira Camargos
Projeto Político Pedagógico da Escola Municipal Joaquim Teixeira Camargos
 
Jornal Escolar Edição 01 2014
Jornal Escolar Edição 01 2014Jornal Escolar Edição 01 2014
Jornal Escolar Edição 01 2014
 
Barroquinha 2010
Barroquinha 2010Barroquinha 2010
Barroquinha 2010
 
Projeto Político Pedagógico 2021 versão final
Projeto Político Pedagógico 2021 versão finalProjeto Político Pedagógico 2021 versão final
Projeto Político Pedagógico 2021 versão final
 
Microsoft word correio uacury out 2007 pdf
Microsoft word   correio uacury out 2007 pdfMicrosoft word   correio uacury out 2007 pdf
Microsoft word correio uacury out 2007 pdf
 
Orientações de planejamento iinicio das aulas 2011
Orientações de planejamento iinicio das aulas 2011Orientações de planejamento iinicio das aulas 2011
Orientações de planejamento iinicio das aulas 2011
 
Jornal da Educação Fiscal/ 2019
Jornal da Educação Fiscal/ 2019Jornal da Educação Fiscal/ 2019
Jornal da Educação Fiscal/ 2019
 
ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL II
ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL IIESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL II
ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL II
 
PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO - PEDREIRA SP. - 2015 a 2024
PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO - PEDREIRA SP.  - 2015 a 2024PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO - PEDREIRA SP.  - 2015 a 2024
PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO - PEDREIRA SP. - 2015 a 2024
 
Plano de gestão 2014
Plano de gestão 2014Plano de gestão 2014
Plano de gestão 2014
 
PPPEC10Tag 2023 VF.pdf
PPPEC10Tag 2023 VF.pdfPPPEC10Tag 2023 VF.pdf
PPPEC10Tag 2023 VF.pdf
 
Informativo GRE Mata Sul - Pernambuco - Março / 2020
Informativo GRE Mata Sul - Pernambuco - Março / 2020Informativo GRE Mata Sul - Pernambuco - Março / 2020
Informativo GRE Mata Sul - Pernambuco - Março / 2020
 
Projeto Político Pedagógico (PPP 2014)/EMEF Olavo Bilac
Projeto Político Pedagógico (PPP 2014)/EMEF Olavo BilacProjeto Político Pedagógico (PPP 2014)/EMEF Olavo Bilac
Projeto Político Pedagógico (PPP 2014)/EMEF Olavo Bilac
 

Mais de zezinhojc

Cardapio dezembro
Cardapio dezembroCardapio dezembro
Cardapio dezembro
zezinhojc
 
Calendário - Alimentação Saudável - 2014
Calendário - Alimentação Saudável - 2014Calendário - Alimentação Saudável - 2014
Calendário - Alimentação Saudável - 2014
zezinhojc
 
Insetos 1º ano A
 Insetos 1º ano A Insetos 1º ano A
Insetos 1º ano A
zezinhojc
 
Educação Tecnológica 3º B – 2013
Educação Tecnológica 3º B – 2013Educação Tecnológica 3º B – 2013
Educação Tecnológica 3º B – 2013
zezinhojc
 
Animais marinhos
Animais marinhosAnimais marinhos
Animais marinhos
zezinhojc
 
Cultivo de sementes - 1º ano B - ciclo I
Cultivo de sementes - 1º ano B - ciclo ICultivo de sementes - 1º ano B - ciclo I
Cultivo de sementes - 1º ano B - ciclo I
zezinhojc
 
Regulamento escolar
Regulamento escolarRegulamento escolar
Regulamento escolar
zezinhojc
 
Perfil corpo-humano
Perfil corpo-humanoPerfil corpo-humano
Perfil corpo-humano
zezinhojc
 
Super Trunfo - Animais Silvestres
Super Trunfo - Animais SilvestresSuper Trunfo - Animais Silvestres
Super Trunfo - Animais Silvestres
zezinhojc
 
Jogo da memoria
Jogo da memoriaJogo da memoria
Jogo da memoria
zezinhojc
 
Jogo da memoria
Jogo da memoriaJogo da memoria
Jogo da memoria
zezinhojc
 
Releituras de Luiz Sacilotto
Releituras de Luiz SacilottoReleituras de Luiz Sacilotto
Releituras de Luiz Sacilotto
zezinhojc
 
Calendário medicinal 2 c
Calendário medicinal 2 cCalendário medicinal 2 c
Calendário medicinal 2 c
zezinhojc
 
Calendario medicinal 2b
Calendario medicinal 2bCalendario medicinal 2b
Calendario medicinal 2b
zezinhojc
 
Educação tecnológica
Educação tecnológicaEducação tecnológica
Educação tecnológica
zezinhojc
 
Dentes de vampiro - Contos de assombração
Dentes de vampiro - Contos de assombraçãoDentes de vampiro - Contos de assombração
Dentes de vampiro - Contos de assombração
zezinhojc
 
Conheça nossos espaços!
Conheça nossos espaços!Conheça nossos espaços!
Conheça nossos espaços!
zezinhojc
 
Jogo da memória dos animais
Jogo da memória dos animaisJogo da memória dos animais
Jogo da memória dos animais
zezinhojc
 
Atividades da comunidade
Atividades da comunidadeAtividades da comunidade
Atividades da comunidade
zezinhojc
 
Album de familia
Album de familiaAlbum de familia
Album de familia
zezinhojc
 

Mais de zezinhojc (20)

Cardapio dezembro
Cardapio dezembroCardapio dezembro
Cardapio dezembro
 
Calendário - Alimentação Saudável - 2014
Calendário - Alimentação Saudável - 2014Calendário - Alimentação Saudável - 2014
Calendário - Alimentação Saudável - 2014
 
Insetos 1º ano A
 Insetos 1º ano A Insetos 1º ano A
Insetos 1º ano A
 
Educação Tecnológica 3º B – 2013
Educação Tecnológica 3º B – 2013Educação Tecnológica 3º B – 2013
Educação Tecnológica 3º B – 2013
 
Animais marinhos
Animais marinhosAnimais marinhos
Animais marinhos
 
Cultivo de sementes - 1º ano B - ciclo I
Cultivo de sementes - 1º ano B - ciclo ICultivo de sementes - 1º ano B - ciclo I
Cultivo de sementes - 1º ano B - ciclo I
 
Regulamento escolar
Regulamento escolarRegulamento escolar
Regulamento escolar
 
Perfil corpo-humano
Perfil corpo-humanoPerfil corpo-humano
Perfil corpo-humano
 
Super Trunfo - Animais Silvestres
Super Trunfo - Animais SilvestresSuper Trunfo - Animais Silvestres
Super Trunfo - Animais Silvestres
 
Jogo da memoria
Jogo da memoriaJogo da memoria
Jogo da memoria
 
Jogo da memoria
Jogo da memoriaJogo da memoria
Jogo da memoria
 
Releituras de Luiz Sacilotto
Releituras de Luiz SacilottoReleituras de Luiz Sacilotto
Releituras de Luiz Sacilotto
 
Calendário medicinal 2 c
Calendário medicinal 2 cCalendário medicinal 2 c
Calendário medicinal 2 c
 
Calendario medicinal 2b
Calendario medicinal 2bCalendario medicinal 2b
Calendario medicinal 2b
 
Educação tecnológica
Educação tecnológicaEducação tecnológica
Educação tecnológica
 
Dentes de vampiro - Contos de assombração
Dentes de vampiro - Contos de assombraçãoDentes de vampiro - Contos de assombração
Dentes de vampiro - Contos de assombração
 
Conheça nossos espaços!
Conheça nossos espaços!Conheça nossos espaços!
Conheça nossos espaços!
 
Jogo da memória dos animais
Jogo da memória dos animaisJogo da memória dos animais
Jogo da memória dos animais
 
Atividades da comunidade
Atividades da comunidadeAtividades da comunidade
Atividades da comunidade
 
Album de familia
Album de familiaAlbum de familia
Album de familia
 

Último

Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
edivirgesribeiro1
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
sthefanydesr
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptxForças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Danielle Fernandes Amaro dos Santos
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
Suzy De Abreu Santana
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
DanielCastro80471
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 

Último (20)

Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptxForças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 

PPP 2013 da EMEB José Cataldi

  • 1. 1 PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO BERNARDO DO CAMPO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO DE AÇÕES EDUCACIONAIS EMEB JOSÉ CATALDI PPPPPP PPRROOJJEETTOO PPOOLLÍÍTTIICCOO PPEEDDAAGGÓÓGGIICCOO 22001133
  • 2. 2 PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO BERNARDO DO CAMPO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO DE AÇÕES EDUCACIONAIS EMEB JOSÉ CATALDI SUMÁRIO I. IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE ESCOLAR...............................................................................03 1. Quadro de Identificação dos Funcionários........................................................................03 2. Quadro de Organização das Modalidades........................................................................05 3. Histórico da Unidade Escolar............................................................................................05 II. CONCEPÇÃO PEDAGÓGICA....................................................................................................06 III. ANÁLISE E REFLEXÃO DAS AVALIAÇÕES REALIZADAS PELA EQUIPE ESCOLAR NO ANO DE 2012..................................................................................................................................07 IV. CARACTERIZAÇÃO E PLANO DE AÇÃO PARA OS SEGMENTOS DE ATUAÇÃO DA ESCOLA..........................................................................................................................................09 1. Caracterização da Comunidade........................................................................................09 2. Comunidade Escolar.........................................................................................................09 2.1. Caracterização....................................................................................................09 2.2. Plano de Ação para a Comunidade Escolar.......................................................15 2.3. Avaliação............................................................................................................16 3. Equipe Escolar..................................................................................................................17 3.1. Professores.........................................................................................................17 3.1.1 Caracterização........................................................................................17 3.1.2 Plano de Formação para os Professores...............................................18 3.1.3 Avaliação do Plano de Formação...........................................................20 3.2 Funcionários.........................................................................................................20 3.2.1 Caracterização........................................................................................20 3.2.2 Plano de Formação dos Funcionários....................................................20 3.2.3 Avaliação do Plano de Formação...........................................................21 4. Conselhos.........................................................................................................................21 4.1. Conselho de Escola............................................................................................21 4.1.1. Caracterização do Conselho de Escola ................................................21 4.1.2. Plano de Ação do Conselho de Escola.................................................21 4.1.3. Avaliação Plano de Ação do Conselho de Escola................................22 5. Associação de Pais e Mestres........................................................................................22 5.1. Caracterização..................................................................................................22 5.2. Plano de Ação da APM.....................................................................................22 5.3. Avaliação...........................................................................................................23 V. ORGANIZAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO PEDAGÓGICO...........................23 1. Objetivos...........................................................................................................................23 2. Levantamento dos Objetivos e Conteúdos por Área de Conhecimento..........................24 3. Rotina................................................................................................................................69 4. Avaliação das Aprendizagens dos Alunos........................................................................72 4.1. Ensino Fundamental...........................................................................................72 5. Acompanhamento dos Instrumentos Metodológicos........................................................73 6. Ações Suplementares.......................................................................................................73 6.1. A.E.E. – Atendimento Educacional Especializado.............................................73 6.2. P.A.A. – Plano de Apoio a Aprendizagem.........................................................75 VI. CALENDÁRIO ESCOLAR HOMOLADO..................................................................................76 VII. REFERÊNCIAS.........................................................................................................................76 VIII. ANEXOS..................................................................................................................................77
  • 3. 3 I - IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE ESCOLAR EMEB “José Cataldi” Endereço: Rua João Gerbelli nº 330 Bairro Demarchi – Município de São Bernardo do Campo – São Paulo CEP. 09820-380 Telefone: (0XX11) 4396-8209 / 4347-8702 / 4396-8390 E-mail: jose.cataldi@saobernardo.sp.gov.br Blog: http://emebjosecataldi.blogspot.com.br CIE: 082417 Diretora: Márcia da Silva Rocha Professor de Apoio à Direção: Lílian Arraiol Villa Bartkevicius Coordenadora Pedagógica: Cláudia do Espírito Santo Orientadora Pedagógica: Sandra Regina Brito de Macedo Assistente Social: Telma de Cássia B. Demarchi Fonoaudióloga: Monica Guedes Carvalhaes de Souza Psicóloga: Maria Aparecida Rocha Silva Fisioterapeuta: Êmila Stender de Oliveira Modalidade de Ensino: Fundamental Períodos e Horários de Funcionamento da Unidade Escolar:  Período Manhã: das 7h00 às 12h00  Período Tarde: das 13h00 às 18h00  Secretaria: das 7h00 às 18h00 1- Quadro de Identificação dos Funcionários 2- Quadro de Organização das Modalidades Período Agrupamento Ano/ciclo Termo Turma Professora Total de alunos por turma Total de alunos por período Manhã 1º Ano Inicial A Aparecida de C. Casagrande 27 187* 3º Ano Inicial A Rosemeire Nunes Lucero 30 3º Ano Inicial B Dulcinéia Azanha de Souza 27 3º Ano Inicial C Juliana Meire Longo 24 1º Ano/Ciclo II A Marisa Ramos Dias 28 2º Ano/Ciclo II A Maria Cristina Nunes 27 2º Ano/Ciclo II B Sandra Benedita Morassi 24 Tarde 1º Ano Inicial B Gislaine Rodrigues do Nascimento 32 232* 2º Ano Inicial A Juliana Cinti Cunha Matos 32 2º Ano Inicial B Antonia Regilania Roseno de Oliveira 32 3º Ano Inicial D Simone Roldan Serraglia Jaconis 29 3º Ano Inicial E Luíza Islamar Alves Beserra de Morais 30 1º Ano/Ciclo II B Márcia Regina Neves Correia 26 1º Ano/Ciclo II C Célia Harumi Tagawa Cavalcante Barros 24 2º Ano/Ciclo II C Priscila Ribeiro Reis Araújo 27 *Data base: 13/03/2012
  • 4. 4 3 – Histórico da Unidade Escolar A escola foi fundada por meio do Decreto Nº 14.678, de 18 de março de 2004 (publicada no jornal Notícias do Município de 19/03/2004, página 03), após o Convênio de Parceria Educacional Estado-Município para o Ensino Fundamental. A Prefeitura de São Bernardo do Campo, por meio da Secretaria de Educação e Cultura, realizou no dia 05 de março de 2004 uma Cerimônia de Assinatura de Ordem de Serviço para Construção da Escola Municipal de Educação Básica do Jardim Andréa Demarchi. No início das atividades, em 16 de janeiro de 2004, a escola utilizava o espaço físico cedido pela Escola Estadual Maria Regina Demarchi Fanani, haja vista que aguardávamos a construção do prédio. Os primeiros alunos vieram por transferência desta mesma escola. Em 1º de setembro do ano de 2005 a escola ficou pronta e então houve prosseguimento das atividades em prédio próprio. Durante o ano de 2005, desenvolvem-se trabalhos tendo como principal objetivo eleger o patrono da Biblioteca Escolar Interativa. Após um mês de informações, discussões e consultas a comunidade, foi denominada Biblioteca Escolar Interativa Mauricio de Sousa. Em 21 de agosto de 2006 a escola foi inaugurada juntamente com o Laboratório de Informática e a Biblioteca Escolar Interativa Maurício de Sousa. Em 2007 a escola sede espaço para uma sala de Educação de Jovens e Adultos (dia) e em 2008 recebe o Projeto Piloto da Secretaria Municipal de Educação, denominado ALTER 14 vinculado ao Ensino Fundamental e continua o atendimento a uma sala de Educação de Jovens e Adultos (dia). Neste mesmo ano o projeto é finalizado. A Unidade Escolar foi denominada pela câmara de vereadores de São Bernardo do Campo através da aprovação da Lei 5671 de 23 de abril de 2007, publicada no jornal Notícias do Município de 27 de abril do mesmo ano como “José Cataldi”. Nosso patrono nasceu no dia 23 de setembro de 1927, em São Paulo. No ano de 1951, mudou-se para São Bernardo do Campo, foi casado com a senhora Adelaide Charme Cataldi, desta união nasceu Sonia Regina Cataldi Gonçalves. Faleceu no dia 23 de setembro de 2004. A quadra da escola foi coberta em 2008, após repasse financeiro da Secretaria de Educação para a Associação de Pais e Mestres da EMEB José Cataldi. A obra foi entregue aos alunos no inicio do ano letivo de 2009. Em 2011 a APM da EMEB José Cataldi deliberou pela transformação da sala de uso multifuncional em sala de artes. No 1º semestre de 2012 os alunos já puderam usufruir deste espaço. Em 2012 no 2º semestre, teve inicio a intervenção na quadra da escola para readequação e pintura, estendendo-se até o 1º semestre de 2013. II. CONCEPÇÃO PEDAGÓGICA Partimos da premissa de que o aluno/criança é um sujeito em formação, que tem necessidade de brincar e de ter algumas responsabilidades de acordo com sua faixa etária no âmbito familiar e social, dentre estas primordialmente deverão reconhecer a importância de estudar. Assim, entendemos que o papel da escola é educar para o convívio social, a reflexão, o senso crítico, para o desenvolvimento de aptidões, do senso de pesquisa e para o exercício pleno da cidadania. A construção de uma escola depende de toda comunidade escolar, com clareza de papéis, de objetivos e responsabilidades do processo educacional. A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional consolida e amplia o dever do poder público para com a educação em geral e em particular com o ensino fundamental. Assim, vê-se no art.22 dessa lei que a educação básica, da qual o ensino fundamental é parte integrante, deve assegurar a todos “a formação comum indispensável para o exercício da cidadania e fornecer- lhes meios para progredir no trabalho e em estudos posteriores”.
  • 5. 5 A concepção de aprendizagem traz consigo questões metodológicas, de formação profissional e de identidade. Conceber a aprendizagem é ter como foco o direito de aprendizagem do educando e a clareza da ação intencional por parte do professor. Proporcionando situações contextualizadas, bons modelos, estratégias/recursos lúdicos, atividades em grupos e intervenções pontuais. O ritmo individual e os interesses do educando se traduz em uma abordagem cultural onde o educador “age como mediador entre a criança e a cultura”. A escola propicia momentos de discussões permanentes sobre o atendimento à diversidade, não se esquecendo da reflexão sobre a prática, visando ações posteriores para seu aprimoramento, buscando igualdade de oportunidades educacionais a todos e garantindo o pleno exercício da cidadania. A relação professor-aluno é essencial e permeia todo o processo pedagógico da construção do conhecimento. Considera o respeito ao ser humano, a diversidade, a divergência de opiniões, em uma postura ética, investigativa, de troca reflexiva e crítica. A relação diária com os membros da comunidade escolar é enriquecida atentando aos observáveis trazidos, transformando-os em contribuições para o aprimoramento do trabalho desenvolvido pela escola. A escola busca a participação da comunidade, construindo assim uma relação de confiança e reflexão contínua. III. ANÁLISE E REFLEXÃO DAS AVALIAÇÕES REALIZADAS PELA EQUIPE ESCOLAR NO ANO DE 2012 No final do ano letivo de 2012 realizamos reavaliação das dimensões que indicavam necessidade de qualificação do trabalho da escola. Explicitaremos nos quadros a seguir os indicativos que nortearão nosso trabalho em 2013. DIMENSÃO: PRÁTICA PEDAGÓGICA E AVALIAÇÃO Indicadores Ações Análises Evidencias Indicativos para 2013 Planejamento Necessidade de uma revisão cuidadosa e realização de ajustes, buscando linearidade e ampliação do repertório do aluno conforme o mesmo for efetivando seu percurso educativo. Necessidade de uma revisão cuidadosa e realização de ajustes, buscando linearidade e ampliação do repertório do aluno conforme o mesmo for efetivando seu percurso educativo. Mudanças significativas nos planejamentos foram observadas. Dar continuidade, no que se refere à implementação dos planos anuais modificados, sugerindo avaliação do trabalho desenvolvido no ano letivo de 2012, para que possamos realizar no início de 2.013 pequenas alterações que se fizerem necessárias. Formas variadas e transparentes de avaliação Percebemos a necessidade de estabelecer critérios únicos para elaboração funcional dos portfólios Análise/orientações dos portfólios dos alunos no que tange construção Houve o conhecimento e aplicação, considerando que Dar continuidade, considerando que muitas das
  • 6. 6 dos alunos dos alunos. funcional do mesmo. a maior parte das atividades contemplavam claramente os objetivos desenvolvidos no decorrer do trimestre. ações propostas não foram efetivadas. DIMENSÃO: ENSINO E APRENDIZAGEM DA LEITURA E ESCRITA Indicadores Ações Análises Evidencias Indicativos para 2013 Atenção ao processo de alfabetização Utilização de agrupamentos e estratégias diferenciadas que permitam inserção de atividades sequenciadas no planejamento que contemplem as diversas hipóteses de escrita e consequentemente avanços dos alunos. As análises/ discussões terão como referencial teórico: material do Ler e Escrever Utilização de agrupamentos e estratégias diferenciadas que permitam inserção de atividades sequenciadas no planejamento que contemplem as diversas hipóteses de escrita e consequentemente avanços dos alunos. As análises/ discussões terão como referencial teórico: material do Ler e Escrever Reuniões em momentos distintos com cada grupo de ano/ciclo, contemplando a análise/elaboração de estratégias focando avanços em relação às hipóteses de escrita dos alunos. Daremos continuidade aos trabalhos desenvolvidos e acrescentamos a necessidade de mensalmen- te promovermos encontros com docentes, apontando aqueles alunos que no decorrer do período não apresentaram avanços no que se refere à hipótese de escrita. DIMENSÃO: GESTÃO ESCOLAR DEMOCRÁTICA Indicadores Ações Análises Evidencias Indicativos para 2013 Conselhos Escolares atuantes Capacitação através de reuniões com a diretora e PAD. Discutir com a comunidade escolar a importância da participação para o desenvolvimento integral das ações dentro da U.E. Ainda há pouca participação dos envolvidos. Há necessidade de participação efetiva. Participação efetiva de estudantes, pais, mães e Discutir com a comunidade escolar, tendo-a como responsável pela Planejar com a comunidade escolar atividades Houve pouca melhora na resposta aos chamados da Aprimorar a participação da comunidade escolar.
  • 7. 7 comunidade em geral construção e continuação da linha de ação comum dentro da organização escolar. referentes ao calendário anual, Festa Brasileira e Mix Cultural. escola para que a participação da comunidade se efetive. DIMENSÃO: FORMAÇÃO E CONDIÇÕES DE TRABALHO DOS PROFISSIONAIS DA ESCOLA Indicadores Ações Análises Evidencias Indicativos para 2013 Formação inicial e continuada Necessidade de discussão sobre as situações diárias da escola e das relações com os alunos. Investir mais na formação sistematizada dos profissionais da escola. A avaliação realizada em parceria com a OP evidenciou elementos comuns aos que foram mencionados nos quadros. IV. CARACTERIZAÇÃO E PLANO DE AÇÃO PARA OS SEGMENTOS DE ATUAÇÃO DE ESCOLA 1. Caracterização da Comunidade O bairro Demarchi é conhecido pela gastronomia, com muitos restaurantes tendo como especialidade, frango com polenta, que remonta dos anos 40, quando viajantes a caminho de Santos, paravam no bairro e comiam estes pratos, servidos ainda na casa da família Demarchi. A escola tem como referência à Avenida Maria Servidei Demarchi. O comércio local é diversificado, atendendo às necessidades dos moradores. Ao lado da nossa escola encontra-se a Escola Estadual Maria Regina Demarchi Fanani, que atende alunos de Ensino Fundamental e Médio. Próximo à escola temos ainda a Escola Municipal de Educação Básica Pedro Morassi que atende alunos de Educação Infantil e uma Unidade Básica de Saúde que atende a comunidade. O bairro conta com uma “quadra comunitária” e um “campinho” de futebol, que é pouco utilizado para o lazer das crianças devido a sua situação precária de conservação. Encontra-se no bairro a Igreja de Santa Maria, construída em terreno doado pela família Demarchi e inaugurada em 1954, que teve o imóvel constituído da capela tombada pelo Decreto nº. 8679 de 16 de janeiro de 1987, assim fazendo parte do patrimônio histórico da nossa cidade. 2. Comunidade Escolar 2.1. Caracterização Com base em pesquisa nas fichas de levantamento de dados, preenchida pelos responsáveis no ato da matrícula, podemos observar que a comunidade escolar, praticamente em sua totalidade, é proveniente da região Sudeste, que a maioria dos nossos alunos mora em outros bairros. No momento da matricula muitos responsáveis relatam que acreditam no trabalho realizado por esta Escola Municipal de Educação Básica. Com relação à informação, muitos têm acesso a jornais, computadores, livros e gibis, a escola procura aproveitar esses conhecimentos para planejar situações nas quais eles possam colocar em jogo todo o seu saber e ampliar ainda mais seus conhecimentos. Quanto ao tipo de lazer, observa-se que, uma minoria frequenta parques e clubes, dados estes bastante relevantes para que a escola, dentro das possibilidades, organize e proporcione o contato de nossos alunos com estes locais.
  • 8. 8 Discutimos, e analisamos constantemente tópicos do PPP e formas de articulação destas informações com o planejamento. Ao traçar o perfil da comunidade, analisamos as informações das 387 fichas de levantamento de dados apresentados nos gráficos abaixo:
  • 9. 9
  • 10. 10
  • 11. 11
  • 12. 12
  • 13. 13
  • 14. 14
  • 15. 15 2.2. Plano de Ação para Comunidade Escolar Entende-se que o plano de ação é um instrumento que deve ser executado, consultado e valorizado como uma fonte de inspiração, para que se possam construir outros instrumentos de apoio ao desenvolvimento educacional. Justificativa Objetivos Gerais e específicos Ações Propostas (Metodologia) Responsáveis Prazo/ Periodicidade Considerando a importância da participação da comunidade escolar para o aprimoramento do trabalho desenvolvido pela escola e a necessidade de maior envolvimento dos membros, planejamos as ações descritas. Discutir com a comunidade escolar quanto à importância da participação para o desenvolvimento integral das ações dentro da U.E. Fortalecer a parceria com a comunidade escolar. Planejar com a comunidade atividades referentes ao calendário escolar. Discutir e encaminhar com a comunidade as necessidades e praticas da escola. APM e Conselho Escolar Anual. Devido à procura da comunidade por um horário para utilizar o computador para realizar trabalhos e atividades pessoais, disponibilizamos um horário destinado a acesso livre. Promover a inclusão e o acesso digital através de oficinas e horários de acesso livre que atendam as necessidades da clientela; Promover o uso com autonomia de alguns recursos computacionais; Proporcionar acesso aos diversos programas instalados no computador; Proporcionar acesso à internet (pesquisa e comunicação). PAPE Elaine Silva Rocha Sobreira Durante o ano letivo de 2013 Terça-feira - 17:40 às 18:40h – Acesso livre. Devido à procura da comunidade (ex-alunos) por cursos relacionados a projetos já desenvolvidos na unidade escolar, disponibilizamos um horário destinado a oficinas que atenda esta demanda. Promover o uso com autonomia de alguns recursos computacionais; Oferecer a oportunidade de ser autor e criador de recursos, imagens, vídeos ou jogos, utilizando recursos diferenciados do computador Possibilitar a utilização do computador com recursos que vão além do consumo de informações na internet e a simples digitação de dados. Proporcionar acesso aos diversos programas instalados no computador; Utilizar aplicativos de programação, edição de vídeos, imagens, entre outros; Publicação de conteúdos na internet. PAPE Elaine Silva Rocha Sobreira Turmas: Quarta-feira – 11:00 às 12:00h - Oficinas 2. 3. Avaliação O comprometimento com a comunidade e dela com a escola é necessário para efetivamente promover um trabalho ordenado e significativo. Portanto, é preciso uma avaliação no final da ação, registrando pontos positivos e negativos, analisando também se as ações estão de acordo com a realidade da escola. As avaliações norteadoras para as novas ações apontaram para a necessidade de maiores investimentos na aproximação dos pais e da escola. A participação e o comprometimento de todos ainda é um desafio.
  • 16. 16 3. Equipe Escolar 3.1 Professores 3.1.1 Caracterização Somos professores do Ensino Fundamental comprometidos profissionalmente, atuando de acordo com nossas atribuições e responsabilidades. O grupo se dispõe a acolher e ajudar, adotando a postura de socializar trocas com o objetivo do aprimoramento da prática pedagógica. Nossa preocupação está centrada na aprendizagem. Almejamos a ascensão profissional na carreira do magistério. Acreditamos no trabalho em equipe, em uma relação pautada na afinidade. Elencamos como prioridade a viabilização da prática pedagógica, da formação docente prevista dentro da jornada de trabalho. Temos a expectativa de reconhecimento profissional e de um bom plano de carreira. PROFESSORES Nome Situação funcional Escolaridade Tempo na PMSBC Tempo na escola Observação Graduação Pós-Graduação Antonia Regilania Roseno de Oliveira Estatutária Letras - 01 ano 02 meses - Aparecida de C. Casagrande Conveniada Pedagogia - 13 anos 05 anos - Aurora Fernandes Brito Munhoz CLT Pedagogia Educação Inclusiva 05 anos 02 meses - Célia Harumi Tagawa Cavalcante Barros Estatutária Pedagogia - 21 anos 08 anos 02 matrículas na rede Cristiane Moro CLT Pedagogia - 12 anos 08 anos 02 matrículas na rede Dulcinéia Azanha de Souza Conveniada Magistério Superior - 13 anos 08 anos - Elaine Silva Rocha Sobreira Estatutária Pedagogia e Ciências Sociais Tecnologias Interativas Aplicadas à Educação 14 anos 04 anos PAPE Gislaine Rodrigues do Nascimento Estatutária Pedagogia Educação Especial 02 anos 02 meses - Juliana Cinti Cunha Matos Estatutária Pedagogia - 02 anos 02 meses - Juliana Meire Longo Estatutária Pedagogia Psicologia (em curso) 04 meses 04 meses - Karen Cristina de F. Perez Estatutária Pedagogia Supervisão Escolar e Ed. Espec. Def. Intelectual 03 anos 03 anos Trabalha na rede de outro município Luíza Islamar Alves Beserra de Morais Estatutária Pedagogia - 01 ano 02 meses - Márcia Regina Neves Correia CLT Pedagogia - 06 anos 04 anos - Maria Cristina Nunes Estatutária Pedagogia - 10 anos 08 anos Trabalha na rede de outro município Marisa Ramos Dias Estatutária Pedagogia Especialização em Ensino Fundamental 14 anos 08 anos - Miriam Silva Angelo Estatutária Pedagogia Especialização Inclusiva 10 anos 02 meses - Priscila Ribeiro Reis Araújo Estatutária Letras e Pedagogia Psicopedagogia e Gestão Escolar 05 anos 02 meses - Rosemeire Nunes Lucero Estatutária Pedagogia Violência Doméstica Contra Criança e Adolescente 21 anos 05 anos Trabalha na rede particular Sandra Benedita Morassi Conveniada Pedagogia - 09 anos 09 anos -
  • 17. 17 Simone Roldan Serraglia Jaconis Estatutária Pedagogia - 02 anos 02 meses - 3.1.2. Plano de Formação para os Professores O plano de formação deverá contemplar necessidades docentes com o intuito de propiciar reflexos na aprendizagem das crianças, dentro do tempo disponibilizado para tal e tentando atender as demandas internas e externas, organizamos a seguir assuntos distintos e agrupados de maneira que consideramos pertinente e que viabilizasse o maior atendimento possível ao que foi exposto enquanto necessidade formativa. Justificativa Objetivos gerais e específicos Ações propostas (Metodologia) Responsáveis Cronograma A partir da apreciação dos planos de ação semanais e atividades trazidas para análise nos Conselhos de ano/ciclo, constatamos a necessidade de instrumentalizar docentes, favorecendo planejamento de sequências didáticas visando produções de autoria de determinados gêneros discursivos. Melhorar qualidade das produções de autoria dos nossos alunos; Instrumentalizar docentes para que aperfeiçoem a prática pedagógica; Reconhecer etapas imprescindíveis para a produção de autoria de gêneros discursivos; Apreciar boas práticas efetivadas na unidade escolar, tendo-as como referências para o desenvolvimento do trabalho pedagógico; Análise da prática pedagógica através do plano de ação semanal, conversas agendadas previamente, apreciação das produções dos alunos, observação em sala de aula. Oferta de estratégias/recursos possíveis que visam aprimoramento da prática; Socialização de práticas docentes, selecionadas previamente de acordo com a qualidade apresentada pelos alunos nas produções de autoria; CP Claudia No decorrer do ano letivo, CP organizará encontros agrupando docentes que atuam no mesmo ano ciclo, buscando situar ações/etapas realizadas e a partir daí auxiliar através de contribuições que visam suplementar trabalho realizado. Dando prosseguimento ao desenvolvimento de ações que favoreçam o planejamento de sequência didática, visando produções de autoria de determinados gêneros discursivos e sabendo das especificidades da revisão, trataremos cuidadosamente desta etapa. Melhorar qualidade das produções de autoria dos nossos alunos; Instrumentalizar docentes para que aperfeiçoem a prática pedagógica; Reconhecer estratégias/procedi mentos/recursos necessários para a efetivação da revisão textual; Apreciar boas práticas efetivadas na unidade escolar, tendo-as como referências para o desenvolvimento do trabalho pedagógico; Introdução à temática, socializando os procedimentos presentes nas práticas docentes desta unidade escolar, nos diferentes anos dos ciclos; Estudo de referenciais teóricos que embasarão prática; Planejamento do momento de revisão textual, complementando o trabalho outrora desenvolvido a partir do estudo realizado; Apreciação e discussão a partir de filmagens, produções CP Claudia 5 HTPCs
  • 18. 18 de texto revisadas, concedidas por docentes da unidade escolar (tematizações de práticas); Fechamento coletivo, construindo critérios e etapas fundamentais para o trabalho de revisão textual, elaborado a partir da sequência formativa desenvolvida e que direcionará planejamentos posteriores. Nos Conselhos de ano/ciclo, constatamos frequentemente avaliação insatisfatória dos alunos no que se refere ao solucionar situações-problema propostas, envolvendo as quatro operações fundamentais. Buscando minimizar tais dificuldades e potencializar ação docente, optamos por uma sequência formativa atendendo a esta temática. Aprimorar prática; Analisar e refletir, a partir de atividades elaboradas, aplicadas e selecionadas por amostragem, o como as crianças pensam ao resolverem situações-problema; Selecionar intervenções/propos tas que favoreçam avanços a partir dos observáveis realizados; Construir critérios/ etapas que embasarão planejamentos posteriores; Definir metas a serem contempladas em cada ano/ciclo. Socialização de estratégias utilizadas pelas crianças nas situações experimentadas elencando a partir daí categorias que darão suporte para escolha criteriosa dos referenciais e desenvolvimento das demais etapas formativas; Estudo de referenciais teóricos que embasarão prática; Construção de sequência didática organizada por ano/ ciclo; Construção de critérios/etapas imprescindíveis para o desenvolvimento de atividades a partir do estudo realizado. CP Claudia 5 HTPCs Constatando que no Ciclo Inicial, ainda localizamos alunos não alfabéticos e em contrapartida, cientes do direito de aprendizagem dos mesmos, verificamos a necessidade de realizar encontros permanentes com as docentes abordando apropriação do sistema de escrita alfabética. Potencializar ações que possibilitem que todos estejam alfabéticos findando o ciclo inicial, sabendo que tal competência já deveria ter sido contemplada no final do 1º ano do CI; Socializar estratégias, atividades e intervenções realizadas ou possíveis de serem efetivadas, focando análise do SEA. Socialização de propostas entre as docentes dos diferentes anos que compõem o Ciclo Inicial; Sugestão de intervenções/estratégi as/recursos, para experimentação e posterior análise dos resultados obtidos; CP Claudia Em HTPs e HTPCs (horário do planejamento). Serão realizados encontros durante todo o ano letivo.
  • 19. 19 Análise dos resultados obtidos a partir das ações realizadas, buscando refletir e aprimorar a prática. 3.1.3. Avaliação do Plano de Formação No decorrer dos encontros formativos, observaremos se as estratégias estão contemplando objetivos e intenções, retomando questões que se fizerem necessárias. Além disso, a CP ao analisar os planos de ação semanais das docentes, direcionará olhar para as estratégias que estejam contemplando as temáticas abordadas nos momentos formativos. Nos momentos de reunião com os docentes de acordo com o ano/ciclo no qual atuam, expandindo possibilidade de orientações pontuais, olhares diferenciados e principalmente troca de estratégias, buscando desta forma incrementar planejamentos posteriores. Tarefas neste sentido, visando ação, reflexão, ação serão priorizadas. 3.2. Funcionários 3.2.1. Caracterização Todos desta equipe de funcionários se caracterizam companheiros, compromissados e dedicados com a realização de suas atribuições nos diferentes cargos, valorizando o bem- estar da comunidade escolar. Notamos que a equipe necessita de formações e informações mais detalhadas a respeito de como agir com os alunos com deficiência e que apresentam questões comportamentais. Foram apontadas também necessidades formativas na área de primeiros-socorros e na prevenção e utilização de equipamentos de segurança. Após discussão com funcionários que apontaram ser participantes do processo educativo, traçamos o plano de formação: 3.2.2. Plano de Formação dos Funcionários Justificativa Objetivos Gerais e específicos Ações Propostas (Metodologia) Responsáveis Cronograma Visando o aperfeiçoamento do desenvolvimento das funções profissionais para um melhor atendimento a comunidade escolar, elencamos algumas necessidades formativas. -Discutir ações para estimular um ambiente saudável proporcionando um melhor desempenho das funções do trabalho. -Dar visibilidade na forma de orientar/auxiliar no que diz respeito ao atendimento dos alunos desta U.E. - Formação de noções fundamentais para o atendimento aos alunos. -Formação de como considerar as diferenças, valorizando as competências de cada um. -Formação de como devemos proceder – Primeiros –socorros. Professor de Apoio a Direção (organização) e dos demais funcionários como publico alvo. Durante o ano letivo. No decorrer do ano letivo, os HTPCs estarão organizados primordialmente pelas necessidades apontadas acima, mas vale ressaltar que alguns combinados prévios serão efetivados, dentre estes o atendimento aos responsáveis que será realizado todas as segundas terças-feiras de cada mês, exceto daqueles meses em que são realizadas as reuniões trimestrais. O HTPC contido na semana em que serão efetivados os Conselhos de ano/ciclo serão destinados para a organização/elaboração dos materiais e registros referentes ao tal encontro, dentre estes síntese da turma, mapeamento e portfólios dos alunos. No período posterior aos Conselhos trimestrais a CP atendará subgrupos organizados de acordo com o ano/ciclo no qual atuam, com o intuito de favorecer discussão pautada em tabulações de dados obtidos, citando objetivos que merecem maior investimento, favorecendo trocas de experiências, ampliando uso de estratégias diferenciadas, buscando maximizar as possibilidades de aprendizagem. Dentre esta organização prévia, cabe relembrar que demandas externas e/ou trocas culturais, poderão ser acrescidas, sugerindo pequenas modificações no cronograma geral descrito anteriormente.
  • 20. 20 -Aprofundar-se nas questões de prevenção de acidentes no trabalho. 3.2.3. Avaliação do Plano de Formação Ao avaliarmos o plano de formação 2012, concluímos que os temas elencados deverão ser retomados e que a avaliação acontecerá no final da ação, tendo como parâmetros refletir sobre as estratégias, a sistematização das discussões, analisando se as ações pensadas estão de acordo com a realidade da escola e traçando indicativos para as novas ações. 4. Conselhos 4.1. Conselho de Escola 4.1.1. Caracterização do Conselho de Escola A função do conselho de escola é orientar, opinar e avaliar as ações da escola em seus diferentes segmentos, sem perder de vista o principal compromisso que a qualidade da educação. É um fórum permanente de debates, de articulação entre os vários setores da escola, tendo em vista o atendimento das necessidades comuns em função da melhoria de aprendizagem e do desempenho da escola. Nosso Conselho Escolar é constituído por dezesseis membros. Com garantia de representatividade dos segmentos da comunidade escolar, assegurada a proporcionalidade de 50% (cinquenta por cento) para pais e 50% para professores e demais servidores da escola. Os segmentos da comunidade têm representatividade no Conselho Escolar, por meio de eleição direta que ocorre nos quarenta e cinco dias após o início do ano letivo, entre os meses de fevereiro e março. As reuniões do Conselho Escolar serão ordinárias e poderão ocorrer reuniões extraordinárias de acordo com as necessidades surgidas no decorrer do ano letivo por meio de solicitação de qualquer um dos membros através de requerimento. CONSELHO DE ESCOLA Nome Segmento Função no Conselho Titular/ Suplente Márcia da Silva Rocha Equipe de Gestão Membro Lilian A. Villa Bartkevicius Equipe de Gestão Membro Cláudia do Espírito Santo Equipe de Gestão Suplente Priscila Ribeiro Reis Araújo Professor Membro Marisa Ramos Dias Professor Membro Antônia Regilânia Roseno de Oliveira Professor Suplente Silvana Silveira de Oliveira Funcionário Membro Maria Lourdes da Silva Funcionário Membro Marcos Aurélio dos Santos Silva Funcionário Suplente Paula Regina Savana Pais Membro Vanilde dos Santos Pais Membro Gislaine Alves da Costa Pais Membro Daniela Akiyama Menezes Pais Membro Genizeti C. da Silva Ribeiro Pais Membro Daiane Aparecida Mariano Pais Membro Gabriela Aparecida Venerano Pais Suplente Edna Santos Moraes Pais Suplente 4.1.2. Plano de Ação do Conselho de Escola A implementação do plano de Ação do Conselho de Escola necessita da mobilização e participação de representantes de todos os grupos envolvidos com a educação. Considera as necessidades apontadas pelos membros, visando a melhoria no atendimento da escola.
  • 21. 21 Objetivos Gerais e específicos Ações Propostas (metodologia) Responsáveis Cronograma Dar continuidade as discussões dos princípios da gestão democrática e implantá-la; Garantir a participação de todos os segmentos com o intuito de estabelecer parcerias entre escola e família -Participação da comunidade no planejamento das atividades escolares. Diretor e Professor de Apoio à Direção Conforme especificado no calendário escolar integrante deste documento. 4.1.3. Avaliação Plano de Ação do Conselho de Escola O comprometimento com a comunidade e dela com a escola é necessário para efetivamente promover um trabalho ordenado e com significado. Portanto, é preciso uma avaliação periódica no final de cada ação proposta, registrando os pontos positivos e negativos para uma reavaliação. As necessidades apontadas pela comunidade escolar serão incorporadas ao longo do processo no Projeto Político Pedagógico. 5. Associação de Pais e Mestres 5.1. Caracterização A Associação de Pais e Mestres é uma pessoa jurídica de direito privado regida pelo Estatuto Padrão das Associações de Pais e Mestres estabelecida pelo Decreto Municipal nº 16.543 de 24 de junho de 2008. Em seu estatuto, tem por finalidade, colaborar no processo educacional, na assistência ao educando e na integração família-escola-comunidade, mobilizando recursos humanos, materiais e financeiros, visando à melhoria, do ensino, da conservação e manutenção do prédio, dos equipamentos e das instalações, promovendo atividades culturais e de lazer que envolva a participação conjunta de pais, professores e alunos. A Associação de Pais e Mestres administra recursos advindos de convênios com a Prefeitura Municipal de São Bernardo do Campo, o Governo Federal através do Programa Dinheiro Direto na Escola e os gerados através de iniciativas próprias. As reuniões são mensais, e acontecem nas segundas, terças-feiras do mês. Membros da APM Nome Segmento Função Mandato Conselho Deliberativo Márcia da Silva Rocha Diretora de escola Membro Abril de 2013 a março de 2014 Rosângela Alves Babinska Iório Mãe de aluno Presidente Juliana Cinti Cunha Matos Professora 1ª Secretária Célia Harumi Tagawa Cavalcante Barros Professora 2ª Secretária Beatris Benjailma Ferreira Gonçalves Mãe de aluno Membro Diretoria Executiva Simone Roldan Serraglia Mãe de aluno Diretora Executiva Abril de 2013 a março de 2014 Luís Antonio Dias da Rosa Pai de aluno Vice Diretora Executiva Angela Maria Similli Mascarenhas Mãe de aluno 1ª Tesoureira Maria Belém Silva Sousa Mãe de aluno 2ª Tesoureira Luíza Islamar Alves Beserra de Morais Professora 1ª Secretária Caren Tesolin Professora 2ª Secretária Conselho Fiscal Simone de Moura Mãe de aluno Membro Abril de 2013 a março de 2014 Midian Cavalcante Alves Pereira Mãe de aluno Membro Sandra Benedita Morassi Professora Membro 5.2. Plano de Ação da APM Objetivos Gerais e específicos Ações Propostas (Metodologia) Responsáveis Cronograma Atender as necessidades da Execução do plano de trabalho 2013. Membros da APM Conforme
  • 22. 22 unidade escolar. Contribuir para a integração escola comunidade na articulação das ações. Participar e colaborar com as ações a serem desenvolvidas pela escola/APM e os sábados letivos. Membros da APM e do Conselho de Escola especificado no calendário escolar integrante deste documento. 5.3. Avaliação Mensalmente nas reuniões avaliamos os encaminhamentos tomados e reencaminhamos as necessidades pontuais. V. ORGANIZAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO PEDAGÓGICO 1. Objetivos  Lei 9.394, de 20/12/1996 – Lei de Diretrizes e Bases.  Lei 11.274 de 06/02/2006 que altera a LDB com os artigos: - Art. 3º que altera a redação do art. 32 da Seção III Do Ensino Fundamental; - Art. 5º que estabelece: “Os Municípios, Os Estados e o Distrito Federal, terão prazo até 2010 para implementar a obrigatoriedade para o Ensino Fundamental disposto no art. 3º desta lei e a abrangência da pré-escola de que trata o art. 2º desta lei”. Objetivos da Educação Básica  LDB: Título V - Dos Níveis e das Modalidades de Educação e Ensino Capítulo II Seção I Das Disposições Gerais “Art. 22º. A Educação básica tem por finalidades desenvolver o educando, assegurando-lhe a formação comum indispensável para o exercício da cidadania e fornecer-lhe meios para progredir no trabalho e em estudos posteriores”. Seção III Do Ensino Fundamental “Art. 32º. O ensino fundamental obrigatório, com duração de 09 (nove) anos, gratuito na escola pública, iniciando-se aos 6 (seis) anos de idade, terá por objetivo a formação básica do cidadão, mediante: I - o desenvolvimento da capacidade de aprender, tendo como meios básicos o pleno domínio da leitura, da escrita e do cálculo; II - a compreensão do ambiente natural e social, do sistema político, da tecnologia, das artes e dos valores em que se fundamenta a sociedade; III - o desenvolvimento da capacidade de aprendizagem, tendo em vista a aquisição de conhecimentos e habilidades e a formação de atitudes e valores; IV – “o fortalecimento dos vínculos de família, dos laços de solidariedade humana e de tolerância recíproca em que se assenta a vida social”.  Lei Municipal nº 5309/2004 - Art. 3º. “O ensino será ministrado com base nos seguintes princípios:  Igualdade de condições para o acesso e permanência na escola;  Liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar o pensamento, a arte e o saber;  Pluralismo de idéias e de concepções pedagógicas;  Respeito à liberdade e apreço à tolerância;  Coexistência de instituições públicas e privadas de ensino;  Gratuidade do ensino público em estabelecimentos oficiais;
  • 23. 23  Valorização do profissional da educação escolar;  Gestão democrática do ensino público, na forma da lei;  Garantia de padrão de qualidade;  Valorização da experiência extraescolar;  “Vinculação entre a educação escolar, o trabalho e as práticas sociais.” 2.Levantamento dos Objetivos e Conteúdos por Área de Conhecimento  Objetivos Gerais da Rede Municipal de Ensino A educação, dever da família e do Estado, inspirada nos ideais da solidariedade humana, tem por finalidade o pleno desenvolvimento do educando, sua formação contínua, o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho. O Sistema Municipal de Ensino, a fim de garantir o cumprimento da finalidade proposta deverá:  Universalizar o acesso à escola e assegurar a qualidade do atendimento garantindo a permanência do aluno com sucesso nas suas aprendizagens;  Garantir a igualdade de condições a todos e a valorização da diversidade, considerando a forma singular com que cada aluno se aproxima e se apropria do conhecimento, exercendo no convívio escolar as relações de respeito e cooperação;  Socializar o conhecimento historicamente construído, de forma que seja reelaborado, com suas peculiaridades sócio-culturais;  Oportunizar aprendizagens para a formação de sujeitos autônomos, críticos e participativos, capazes de atuar com competência, dignidade, solidariedade, percebendo-se responsável na sociedade. (Proposta Curricular Volume I – 2004)  Objetivos do Ciclo Inicial do Ensino Fundamental de 9 anos O ciclo inicial do Ensino Fundamental tem como objetivos gerais:  Assegurar a todas as crianças um tempo de convívio escolar com maiores oportunidades de aprendizagem;  Promover o desenvolvimento integral do aluno em diversas habilidades e competências ligadas às diferentes áreas do currículo de forma integrada;  Instigar as crianças na busca do conhecimento, encorajando-as a pensar, discutir, conversar, experimentar, analisar, inferir e levantar hipóteses. Língua portuguesa: Tem como eixos orientadores a alfabetização e o letramento. Objetivos principais: Conhecer a natureza e funcionamento do sistema, compreendendo e se apropriando dos usos e convenções da linguagem escrita nas suas mais diversas funções, possibilitando práticas discursivas de diferentes gêneros textuais, orais e escritos, de usos, finalidades e intenções diversos. É importante que o cotidiano das crianças dos anos iniciais seja pleno de atividades de produção e recepção de textos orais e escritos. Ciências Naturais: Objetivos principais: Ampliar a curiosidade, levantando hipóteses e construindo conhecimentos sobre os fenômenos físicos e químicos, sobre os seres vivos e sobre a relação entre o homem e a natureza e entre o homem e as tecnologias. Matemática: Objetivos principais: Pensar sobre números e quantidades, registrando-as em situações- problema, inicialmente de forma espontânea e posteriormente, usando a linguagem matemática. Promovendo a troca de ideias entre as crianças. Realizando também a abordagem dos seguintes blocos de conteúdos: espaço e forma, grandezas e medidas e tratamento da informação.
  • 24. 24 História e Geografia: Objetivos principais: Investigar e intervir sobre a realidade, reconhecendo-se como parte integrante da natureza e da cultura. Também ampliar a compreensão da sua própria história, da sua forma de viver e de se relacionar, identificando diferenças e semelhanças entre as histórias. Arte: Objetivos principais: Apreciar diferentes produções artísticas e elaborar suas experiências pelo fazer artístico, ampliando sua sensibilidade e a sua vivência estética. Educação Física: Objetivos principais: Vivenciar situações que valorizem a convivência social, que incentivem e promovam a criatividade, a solidariedade, a cidadania e o desenvolvimento de atitudes de coletividade. Possibilitando a socialização e a memória das práticas esportivas e corporais. Objetivos dos Ciclos I e II do Ensino Fundamental Ao final do Ciclo II do Ensino Fundamental, o aluno deverá ser capaz de:  Considerar as situações comunicativas e o contexto social para comunicar-se, aprimorando o uso da linguagem nas suas diferentes formas de expressão: verbal, matemática, gráfica, corporal e artística;  Perceber-se como sujeito que depende, integra, atua e modifica a natureza, conscientizando- se da importância de sua preservação para a melhoria da qualidade de vida;  Compreender a saúde pessoal, social e ambiental como bens comuns que devem ser promovidos por ações individuais, coletivas e do poder público;  Formular e resolver situações-problema a partir da realidade, fazendo uso de estratégias pessoais, criatividade, análise crítica e pensamento lógico;  Desenvolver uma visão crítica e participativa no mundo, utilizando-se do diálogo, do respeito, da cooperação e da solidariedade nas situações cotidianas;  Construir progressivamente a noção de identidade pessoal e nacional, desenvolvendo atitudes de participação e transformação da sociedade;  Conhecer o Brasil nos seus aspectos: econômicos, social, político e cultural, entendendo e valorizando sua pluralidade, desenvolvendo o sentimento de respeito à diversidade e de repúdio a todas as formas de discriminação;  Desenvolver o sentimento de confiança em suas capacidades afetiva, física, cognitiva, ética, estética, de inter-relação pessoal e social;  Desenvolver procedimentos de busca e tratamento da informação, tendo acesso às diferentes fontes e recursos tecnológicos para adquirir e construir conhecimentos. (Proposta Curricular Volume I – 2004) Dentre todas as legislações reguladoras do currículo, é importante destacar:  LDB art. 26 §2º “O ensino da arte constituirá componente curricular obrigatório, nos diversos níveis da educação básica, de forma a promover o desenvolvimento cultural dos alunos.” e § 4º “O ensino da História do Brasil levará em conta as contribuições das diferentes culturas e etnias para a formação do povo brasileiro, especialmente das matrizes indígena, africana e européia.”  Lei 11.525 de 25/09/07 que altera o §5º do Art. 1º da LDB estabelecendo: “O currículo do ensino fundamental incluirá, obrigatoriamente, conteúdo que trate dos direitos das crianças e dos adolescentes, tendo como diretriz a Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990, que institui o Estatuto da Criança e do Adolescente, observada a produção e distribuição de material didático adequado”.
  • 25. 25  Lei 11.645 de 10/03/2008 art. 1º que altera a LDB no art. 26A: “Nos estabelecimentos de ensino fundamental e de ensino médio, públicos e privados, torna-se obrigatório o estudo da história e cultura afro-brasileira e indígena.  § 1º O conteúdo programático a que se refere este artigo incluirá diversos aspectos da história e da cultura que caracterizam a formação da população brasileira, a partir desses dois grupos étnicos, tais como o estudo da história da África e dos africanos, a luta dos negros e dos povos indígenas no Brasil, a cultura negra e indígena brasileira e o negro e o índio na formação da sociedade nacional, resgatando as suas contribuições nas áreas social, econômica e política, pertinentes à história do Brasil.  § 2º “Os conteúdos referentes à história e cultura afro-brasileira e dos povos indígenas brasileiros serão ministrados no âmbito de todo o currículo escolar, em especial nas áreas de educação artística e de literatura e histórias brasileiras.”  Lei 11.769 de 18/08/2008 Art. 1º altera o Art. 26º da LDB acrescentando: “§ 6º A música deverá ser conteúdo obrigatório, mas não exclusivo, do componente curricular de que trata o § 2º deste artigo”.  Lei 9.795 de 27/04/99 Art. 1º, 2º e 3º com o inciso II.  Art. 2º “A Educação Ambiental é componente essencial e permanente da Educação Nacional, devendo estar presente, de forma articulada, em todos os níveis e modalidades do processo educativo, em caráter formal e não formal”. O Ensino Fundamental de 9 (nove) anos de duração, com ingresso a partir dos seis anos de idade foi implantado nas escolas da rede municipal de ensino a partir de 2010. Sendo assim, até o ano de 2013 teremos os dois sistemas concomitantes (ensino fundamental de 8 e 9 anos). Seguem os objetivos e conteúdos dos quatro primeiros anos do ensino fundamental de 9 anos e do 2º Ano do Ciclo II do ensino fundamental de 8 anos. ENSINO FUNDAMENTAL DE 09 ANOS PLANEJAMENTO ANUAL 1ºano/Ciclo Inicial LÍNGUA PORTUGUESA OBJETIVOS ORALIDADE  Usar da linguagem oral para se comunicar em diversas situações de interação presentes no cotidiano;  Relatar fatos que compõem episódios cotidianos, ainda que com apoio de recursos e/ou do professor;  Escutar atentamente o que os colegas falam em uma roda de conversa, respeitando opiniões, ocupando seu turno de fala adequadamente;
  • 26. 26  Usar o repertório de texto de tradição oral, tais como parlendas, quadrinhas e adivinhas para brincar e jogar;  Realizar exposições orais, adequando o discurso aos diferentes interlocutores. LEITURA  Localizar um nome específico numa lista de palavras do mesmo campo semântico;  Localizar palavras num texto que sabe de memória;  Ajustar o falado ao escrito a partir dos textos já memorizados;  Diferenciar parlendas, quadrinhas, adivinhas e outros textos de tradição oral, apresentados pelo professor;  Antecipar significados de um texto escrito a partir das imagens/ilustrações que o acompanham;  Recontar uma história que ouviu mantendo uma sequência, recuperando trechos usando expressões ou termos da linguagem escrita;  Emitir comentários pessoais e opinativos sobre textos lidos por si ou por outros;  Localizar informações explícitas em textos lidos por si;  Demonstrar interesse no empréstimo de livros no acervo da classe e da biblioteca escolar. ESCRITA  Associar as letras ao próprio nome e aos dos colegas;  Escrever o próprio nome completo;  Reconhecer os nomes próprios dos colegas onde isto se fizer necessário;  Escrever de maneira mais próxima da convencional, buscando como suporte/consulta palavras estáveis;  Avançar na hipótese de escrita;  Escrever textos memorizados;  Reconhecer características dos gêneros discursivos trabalhados no decorrer do ano letivo;  Produzir coerentemente os gêneros discursivos trabalhados no decorrer do ano letivo, atrelados à função social real;  Reescrever contos clássicos conhecidos, respeitando sequência temporal de acontecimentos de acordo com o enredo original. CONTEÚDOS ORALIDADE  Uso da linguagem oral em situações onde haja diferentes interlocutores (professor, colegas da classe e outros);  Respeito às opiniões diversas;  Participação contextualizada;  Escuta atenta, aguardando o momento correto de expor sua fala, contando ou não com intervenção docente;  Gêneros discursivos:  Quadrinhas, adivinhas e parlendas;  Poema;  Entrevista;
  • 27. 27 LEITURA  Utilização de estratégias elaboradas para reconhecimento de textos memorizados;  Ajustes de leitura em textos memorizados;  Localização de palavras em contextos diversos;  Realização de antecipações e inferências durante escuta de textos lidos pelo professor;  Reconto de histórias lidas por outro, mantendo algumas características discursivas utilizadas;  Socialização de impressões de histórias lidas ou ouvidas;  Localização de informações explícitas em textos lidos por si.  Utilização e empréstimo de livros da biblioteca da escola para pesquisas e leituras. ESCRITA  Conhecimento sobre a natureza e funcionamento do sistema de escrita;  Escrita do nome próprio completo;  Busca com apoio ou não, em palavras estáveis para registrar outras;  Escrita de textos memorizados;  Destinatário, finalidade do texto e características do gênero;  Gêneros discursivos:  Listas,  Legendas,  Bilhetes.  Reescrita de contos clássicos conhecidos. MATEMÁTICA OBJETIVOS NÚMEROS E OPERAÇÕES  Realizar contagens orais de objetos usando a sequência numérica;  Interpretar e produzir escritas numéricas, levantando hipóteses sobre elas, com base na observação de regularidades;  Construir procedimentos de agrupamentos a fim de facilitar a contagem e a comparação entre duas coleções;  Resolver situações-problema e construir a partir delas os significados das operações fundamentais;  Utilizar estratégias convencionais ou não convencionais de cálculo para resolver problemas. ESPAÇO E FORMA  Indicar oralmente a posição onde se encontra no espaço escolar, citando pontos de referência;  Representar por meio de desenhos a posição onde se encontra no espaço escolar;  Perceber semelhanças e diferenças entre figuras planas em situações que envolvam descrições orais;  Reconhecer figuras planas em objetos do espaço físico.
  • 28. 28 GRANDEZAS E MEDIDAS  Identificar dias da semana e meses do ano;  Identificar alguns instrumentos de medidas convencionais de capacidade, comprimento e massa;  Diferenciar uso das medidas padronizadas (quilo, litro e metro);  Identificar cédulas e moedas do sistema monetário brasileiro;  Explicitar diferentes possibilidades de obter um mesmo valor monetário; TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO  Conhecer formatos diferenciados de gráficos;  Perceber funcionalidade dos diferentes gráficos, de acordo com o contexto no qual estão inseridos;  Ler e interpretar gráficos coletivamente. CONTEÚDOS NÚMEROS E OPERAÇÕES  Compreensão das características do sistema de numeração decimal - unidades, dezenas, centenas (base, valor posicional);  Quantificação de elementos;  Reconhecimento de números dentro e fora de sequência numérica;  Leitura, escrita, comparação e ordenação de números;  Análise e interpretação de escritas numéricas;  Decomposição das escritas numéricas;  Análise, interpretação, resolução de situações-problema; através de recursos concretos, estratégias pessoais e/ou técnicas operatórias, compreendendo alguns dos significados das operações;  Comunicação de estratégias pessoais na resolução de problemas, através de diferentes linguagens; ESPAÇO E FORMA  Localização de pessoas ou objetos no espaço, com base em diferentes pontos de referência.  Observação de figuras planas presentes em elementos naturais e nos objetos criados pelo homem;  Percepção de semelhanças e diferenças entre características de figuras planas; GRANDEZAS E MEDIDAS  Identificação e localização no calendário de unidades de tempo: dia, semana e mês;  Conhecimento da evolução histórica de sistemas de medida, utilizados por diferentes grupos culturais;  Utilização de instrumentos convencionais de medidas padronizadas;  Associação do uso das medidas padronizadas em situações da vida diária;  Reconhecimento das cédulas e moedas do sistema monetário brasileiro;  Construção de diferentes valores monetários;
  • 29. 29 TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO  Leitura e interpretação coletiva de informações matemáticas contidas em imagens;  Compreensão da utilidade dos gráficos;  Apresentação dos diferentes tipos de gráficos.  Coleta de dados, organizando coletivamente tais informações em listas/tabelas simples. CIÊNCIAS OBJETIVOS  Desenvolver atitudes de manutenção e preservação dos espaços coletivos;  Orientar sobre cuidados básicos de higiene pessoal;  Identificar os cuidados básicos para o crescimento dos vegetais, por meio da sua criação e cultivo;  Despertar a curiosidade dos alunos no que se refere à forma de vida de alguns insetos;  Observar, experimentar e promover procedimentos de pesquisa referentes aos conteúdos estudados;  Registrar informações por meio de desenhos, listas e textos coletivos. CONTEÚDOS  Orientações que direcionem atividades diárias na escola no que se refere ao uso racional da água e descarte do lixo;  Orientações que direcionem atividades diárias na escola no que se refere à higiene bucal, das mãos e cuidados com o espaço que utiliza;  Busca de informações que contemplem curiosidades sobre insetos;  Socialização de informações;  Experimentações e observações regulares que permitam percepção de cuidados e mudanças ocorridas no desenvolvimento dos vegetais;  Registro de informações. HISTÓRIA OBJETIVOS  Resgatar a história de sua vida;  Resgatar hábitos e costumes da época dos pais e avós;  Identificar e valorizar povos indígenas, por ser uma das raízes que compõem a identidade cultural do povo brasileiro;  Conhecer aspectos do modo de vida dos grupos indígenas de hoje;  Comparar hábitos de diferentes povos e épocas com os da atual; CONTEÚDOS  Busca de informações, em fontes diversas, junto à família que resignifiquem a história pessoal;  Resgate de hábitos e costumes de pessoas que viveram em diferentes épocas;  Modo de vida e costumes de algumas nações indígenas;  Comparação de hábitos e costumes de diferentes épocas e povos com os de atualmente, verificando permanências e mudanças;
  • 30. 30  Valorização da cultura de outros tempos e indígena; GEOGRAFIA OBJETIVOS  Conhecer o ambiente escolar e suas características;  Resgatar a naturalidade de membros pertencentes à família;  Iniciar compreensão da linguagem cartográfica;  Localizar coletivamente diferentes lugares, referentes à naturalidade de familiares;  Comparar área ocupada por povos indígenas atualmente em relação a épocas anteriores;  Conhecer diferentes paisagens, identificando elementos naturais e construídos;  Identificar paisagens naturais ou modificadas que caracterizam os diferentes lugares localizados no mapa; CONTEÚDOS  Exploração dos diferentes ambientes que compõem a unidade escolar;  Identificação, caracterização e percepção da funcionalidade dos diferentes ambientes que compõem a unidade escolar;  Exploração e interpretação coletiva de material cartográfico;  Localização coletiva de municípios, estados, países referentes à naturalidade/nacionalidade dos familiares;  Interpretação de imagens que retratem ocupação indígena em diferentes épocas;  Comparação das diferentes formas em que a natureza se apresenta na paisagem local  Transformações nas paisagens provocadas por: ações humanas e/ou fenômenos naturais. EDUCAÇÃO FÍSICA OBJETIVOS  Interagir com as diferentes tradições culturais e utilizá-las em suas brincadeiras e jogos;  Respeitar regras e combinados;  Experimentar ritmos diversos;  Desenvolver estratégias para resolver situações diversas em jogos. CONTEÚDOS  Participação em brincadeiras de roda e jogos tradicionais;  Apreciação e experimentação de ritmos diversos;  ARTE OBJETIVOS  Explorar meios e suportes diversos em suas produções;  Respeitar produções dos colegas;  Adquirir informações sobre o artista e suas produções;  Apreciar e analisar coletivamente obras de artes plásticas;  Realizar releitura de obras;  Ampliar repertório musical;
  • 31. 31  Reconhecer diferenças nos ritmos, sons, estilos;  Construir objetos sonoros;  Experimentar sons utilizando materiais sonoros convencionais ou não. CONTEÚDOS  Utilização de meios e suportes diversos;  Socialização de produções realizadas;  Biografia do artista Ivan Cruz;  Apreciação e análise coletiva de algumas obras de Ivan Cruz;  Releitura de obras do artista Ivan Cruz;  Apreciação de músicas de diferentes épocas;  Construção de objetos sonoros;  Improvisação de sons e ritmos a partir de materiais diversos. PLANEJAMENTO ANUAL 2ºano /Ciclo Inicial LÍNGUA PORTUGUESA OBJETIVOS ORALIDADE  Adequar a linguagem oral a situações comunicativas do dia a dia e aos diferentes interlocutores;  Ouvir com atenção formulando e respondendo perguntas;  Expressar oralmente as ideias de um texto lido por outro;  Narrar histórias conhecidas, respeitando o encadeamento dos fatos;  Interagir com os grupos com os quais se relaciona, respeitando as opiniões e diferentes formas de falar;  Socializar verbalmente pesquisas realizadas. LEITURA  Valorizar a leitura literária como fonte de apreciação e prazer;  Socializar as experiências de leitura;  Demonstrar interesse no empréstimo de livros, utilizando adequadamente o espaço da BEI;  Ampliar autonomia na leitura, sendo capaz de localizar informações explícitas em textos lidos por si;  Ler para alcançar diferentes objetivos. ESCRITA  Avançar na hipótese de escrita;  Utilizar a escrita alfabética;  Segmentar palavras nas frases;  Reescrever textos conhecidos com coerência, respeitando o enredo original;  Produzir textos de autoria, dos gêneros previstos, preocupando-se com os aspectos que os caracterizam, destinatário e finalidade do texto;  Reconhecer a funcionalidade da utilização de alguns sinais de pontuação;
  • 32. 32  Identificar algumas regularidades ortográficas;  Preocupar-se com a diminuição das marcas de oralidade nas produções;  Participar de situações de revisão textual coletiva, buscando apropriar-se dos procedimentos necessários. CONTEÚDOS ORALIDADE  Gêneros discursivos:  Trava-língua,  Músicas e cantigas;  Instrucional (receitas).  Adequação da linguagem às situações comunicativas que acontecem na escola ainda que com apoio de recursos e/ou do professor;  Escuta atenta, aguardando o momento correto de expor a fala;  Participação contextualizada;  Reconto de histórias conhecidas;  Interpretação oral de história lida por outro;  Escuta de textos lidos pelo professor e realização de antecipação e inferências;  Relato de experiências, ideias e opiniões de forma clara e ordenada;  Socialização de pesquisas realizadas; LEITURA  Utilização e empréstimo de livros da biblioteca da escola para pesquisas e leituras;  Leitura em voz alta, silenciosa e escuta da leitura realizada por outra pessoa;  Localização de informações explícitas em textos lidos por si;  Escuta de textos lidos pelo professor e realização de antecipações e inferências;  Leitura de textos de gêneros diversos, emitindo opiniões e indicando preferências, ainda que seja com ajuda.  Utilização de diferentes modalidades de leitura adequadas a diferentes objetivos, obter informação rápida, seguir instruções, aprender, aprender a escrever, por prazer e para um público;  Observação e análise coletiva especialmente de textos bem escritos. ESCRITA  Conhecimento sobre a natureza e funcionamento do sistema de escrita;  Segmentação das palavras nas frases;  Reescrita de histórias conhecidas, preocupando-se com os recursos expressivos e a sequência de ideias;  Produção de textos de gêneros previstos para o ano/ciclo:  Curiosidades (Você sabia...);  Contos de fadas;  Fábulas.  Sinais de pontuação: ponto final, interrogação, exclamação, dois pontos e travessão;  Compreensão da funcionalidade da organização do texto em parágrafos;  Abordagem de algumas regras ortográficas a serem definidas a partir das necessidades apontadas;  Revisão coletiva de texto;
  • 33. 33  Gradativa diminuição das marcas de oralidade, repetição de conectivos: e, daí, aí, e, etc... na linguagem escrita;  Observação e análise de textos impressos de diferentes autores utilizados como referência ou modelo; MATEMÁTICA OBJETIVOS NÚMEROS E OPERAÇÕES  Construir o significado do número natural;  Compreender o valor posicional dos algarismos nos números;  Interpretar e produzir escritas numéricas;  Resolver situações – problema, compreendendo alguns dos significados das quatro operações fundamentais;  Socializar as soluções encontradas nas situações-problema;  Desenvolver procedimentos de cálculos mental e escrito;  Conceituar dobro e metade. ESPAÇO E FORMA  Estabelecer pontos de referência para identificar relações de posição entre seres e objetos no espaço;  Representar itinerários;  Identificar figuras geométricas planas;  Representar figuras geométricas planas;  Reconhecer outras formas geométricas planas (menos frequentes), percebendo suas semelhanças e diferenças; GRANDEZAS E MEDIDAS  Utilizar instrumentos de medidas convencionais e não convencionais para medir: comprimento, massa e capacidade;  Diferenciar uso social das medidas padronizadas (quilo, litro, metro);  Identificar e relacionar unidades de tempo;  Identificar cédulas e moedas do sistema monetário brasileiro;  Explicitar diferentes possibilidades de obter um mesmo valor monetário;  Realizar estimativas e possibilidades de compras a partir de valores monetários. TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO  Ler, interpretar e construir tabelas e gráficos;  Perceber a funcionalidade dos diferentes gráficos, de acordo com o contexto no qual estão inseridos;  Conhecer formatos diferenciados de gráficos. CONTEÚDOS NÚMEROS E OPERAÇÕES
  • 34. 34  Compreensão das características do sistema de numeração decimal ( números compostos por até quatro ordens);  Leitura, escrita, comparação e ordenação de números menos frequentes;  Construção das tabuadas para a construção de um repertório a ser utilizado no cálculo;  Conceitos: dobro e metade;  Calculo de adição simples e com reagrupamento na ordem das dezenas, subtração simples e com recurso nas dezenas, multiplicações com um número no multiplicador e divisão com um número no divisor;  Análise, interpretação e resolução de situações-problema;  Comunicação de estratégias pessoais e/ou técnicas operatórias utilizadas para solucionar um mesmo problema;  Utilização da decomposição das escritas numéricas para realização do cálculo mental exato. ESPAÇO E FORMA  Localização de pessoas ou objetos no espaço com base em diferentes pontos de referência e indicações de direção e sentido;  Representação de itinerários;  Representação do espaço por meio de maquetes;  Identificação de figuras geométricas planas a partir de suas características (quadrado, círculo, retângulo, triângulo);  Representação de figuras geométricas planas (quadrado, círculo, retângulo, triângulo);  Percepção de semelhanças e diferenças entre outras figuras geométricas planas menos frequentes;  Observação de formas geométricas presentes em elementos naturais e objetos criados pelo homem e suas características; GRANDEZAS E MEDIDAS  Uso de instrumentos de medidas convencionais;  Conhecimento das unidades de medidas (comprimento, massa, volume), e suas utilidades no dia a dia;  Identificação e relação de unidades de tempo (hora, dia, semana, mês e ano);  Utilização de calendários.  Compreensão e uso do sistema monetário brasileiro;  Reconhecimento de possíveis trocas entre cédulas e moedas em função de seus valores. TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO  Leitura e interpretação de informações matemáticas contidas em imagens;  Leitura, interpretação e construção de tabelas simples;  Compreensão da utilidade dos gráficos;  Apresentação de diferentes tipos de gráficos;  Construção de gráficos de barras e colunas a partir de dados coletados; CIÊNCIAS OBJETIVOS
  • 35. 35  Orientar seu comportamento de modo favorável à promoção da saúde no que se refere à alimentação e a higiene pessoal;  Compreender o ciclo vital, como característica comum a todos os seres vivos;  Diferenciar animais silvestres e domésticos;  Identificar parte da planta e sua respectiva funcionalidade;  Pesquisar propriedades de algumas plantas medicinais; CONTEÚDOS  Apresentação da pirâmide alimentar;  Classificação dos alimentos;  Orientações sobre uma alimentação adequada e saudável;  Causas da obesidade, desnutrição;  Higiene física, mental, social;  Caracterização de alguns animais silvestres e domésticos (habitat, alimentação, reprodução, e locomoção);  Apresentação das partes das plantas e sua funcionalidade;  Plantas medicinais e suas propriedades; GEOGRAFIA OBJETIVOS  Conhecer infraestrutura, hábitos cotidianos, relações de trabalho e formas de lazer da comunidade local;  Perceber as transformações causadas pelo homem no ambiente em que vive;  Comparar características da zona rural e urbana de São Bernardo do Campo;  Comparar diferentes formas em que a natureza se apresenta na paisagem local de São Bernardo do Campo;  Apropriar-se de conceitos que facilitem localização geográfica;  Situar mudanças ocorridas ao longo do tempo, no que se refere à evolução dos meios de transporte;  Situar mudanças ocorridas ao longo do tempo, no que se refere à evolução dos meios de comunicação;  Utilizar diferentes linguagens para expressar conhecimento geográfico. CONTEÚDOS  Observação, coleta de informações, análise e caracterização de aspectos diversos do bairro onde está inserida a escola;  Diferenciação da zona urbana e rural no município de São Bernardo do Campo e das atividades desenvolvidas pelo homem nos diferentes lugares;  Percepção da ação do homem na paisagem urbana e rural;  Relações que indivíduos e sociedade estabelecem com a natureza e suas consequências;  Aspectos físicos da paisagem do município de São Bernardo do Campo: rios, serras, córregos, represas, matas e mananciais.  Relações entre rua, bairro, cidade, Estado e País, através da linguagem cartográfica.  Leitura e interpretação de imagens, paisagens, plantas de arruamento, mapa do município de São Bernardo do Campo, mapa do Brasil e do Mundo.  Evolução dos meios de comunicação ao longo do tempo;  Evolução dos meios de transporte ao longo do tempo;
  • 36. 36  Conhecimento de algumas tecnologias domésticas e outras que se referem às interações entre as pessoas como o rádio, TV, computadores, os vários meios de transporte como os automóveis, transportes coletivos.  Construção de desenhos e maquetes. HISTÓRIA OBJETIVOS  Situar historicamente o surgimento da instituição escolar;  Diferenciar funcionamento das escolas dentro de contextos históricos e culturais diferenciados;  Identificar origem e fatos importantes relacionados à história da unidade escolar em que estudam;  Valorizar a escola como espaço de convivência e aprendizado;  Reconhecer origem e importância do ECA;  Reconhecer Direitos e Deveres das crianças de acordo com o ECA;  Identificar aspectos da cultura africana e sua influência nos hábitos atuais do povo brasileiro. CONTEÚDOS  Concepção das escolas de outros tempos (indígenas e quilombolas), situando-as no contexto histórico;  Comparação de infraestrutura e funcionamento das escolas nos diferentes lugares (zona rural e urbana);  Curiosidades relacionadas às instituições escolares situadas em diferentes países;  Linha do tempo da EMEB José Cataldi (da sua construção até os dias atuais);  Estatuto da criança e do adolescente (direitos e deveres da criança);  Identificação de danças, alimentação, música e artesanato de origem africana e sua influência na cultura brasileira. EDUCAÇÃO FÍSICA OBJETIVOS  Conhecer, vivenciar, usufruir de atividades rítmicas, brincadeiras, atividades desportivas, cantigas e danças;  Conhecer aspectos técnicos e táticos do atletismo; CONTEÚDOS  Aceitação da disputa, regras como um elemento da competição e não como uma atitude de rivalidade frente aos demais.  Percepção do ritmo pessoal e grupal.  Participação em jogos e brincadeiras;  Apreciação/Vivência de cantigas e danças;  Aspectos técnicos e táticos do atletismo;  Desenvolvimento da capacidade de adaptar espaços, materiais e regras em atividades desportivas (atletismo). ARTE
  • 37. 37 OBJETIVOS  Conhecer e apreciar diferentes modalidades de artes visuais, por meio do contato com reproduções;  Experimentar vários meios e suportes nas diferentes modalidades de artes visuais;  Conhecer e apreciar produções de artistas e aspectos de suas biografias, situando-as no contexto histórico/cultural;  Apreciar diferentes gêneros de obras musicais, refletindo sobre suas características;  Vivenciar movimentos corporais, valorizando e respeitando o jeito de cada um. CONTEÚDOS  Apreciação e análise de produções de artes visuais próprias, de colegas e de artistas renomados;  Experimentação nas diversas modalidades de artes visuais: pintura, desenho, colagem e modelagem;  Exploração de meios e suportes variados;  Estudo de aspectos da vida do artista Luís Sacilotto, algumas de suas produções e sua relação com o contexto histórico.  Apreciação de músicas regionais infantis / folclóricas e ritmos regionais;  Apreciação de manifestações regionais;  Experimentação de movimentos corporais, explorando os elementos que compõem a dança (ritmo, espaço, equilíbrio). PLANEJAMENTO ANUAL 3ºano/Ciclo Inicial LÍNGUA PORTUGUESA OBJETIVOS ORALIDADE  Utilizar a linguagem oral com clareza;  Participar de diferentes situações de comunicação oral, formulando e respondendo perguntas de acordo com o contexto abordado;  Realizar exposições orais adequando o discurso aos diferentes interlocutores.  Respeitar as opiniões diversas. LEITURA  Localizar informações explícitas em textos lidos por si;  Interpretar questões implícitas em textos lidos pela professora;  Buscar com ajuda, informações em fontes escritas de diferentes tipos (jornais, revistas, enciclopédias, internet, etc.);  Ler para alcançar diferentes objetivos;  Preocupar-se em fazer boas indicações literárias.
  • 38. 38 ESCRITA  Reescrever e produzir textos dos gêneros previstos para o ciclo, utilizando a escrita alfabética, preocupando-se com os aspectos que caracterizam o gênero em questão como, expressão da língua escrita, tempos verbais adequados e elementos que garantam a coerência, coesão, pontuação, segmentação e ortografia;  Redigir rascunhos, revisar e cuidar da apresentação do texto com orientação do professor. CONTEÚDOS ORALIDADE  Gêneros discursivos:  Regras de jogos;  Entrevista;  Seminário;  Uso da linguagem oral em situações onde haja diferentes interlocutores (professor, colegas da classe e outros);  Respeito às opiniões diversas;  Participação contextualizada. LEITURA  Escuta de textos lidos pelo professor e realização de antecipações e inferências;  Leitura silenciosa, leitura em voz alta e escuta da leitura realizada por outra pessoa;  Localização de informações explícitas em textos lidos por si;  Interpretação de informações implícitas em textos lidos por si, ainda que com ajuda;  Busca de informações e consulta a fontes de diferentes tipos (jornais, revistas, enciclopédias, Internet etc.), com orientação do professor;  Utilização de diferentes modalidades de leitura adequadas a diferentes objetivos, como ler para revisar, obter informação rápida, seguir instruções, aprender, aprender a escrever, por prazer, etc.;  Socialização de indicações literárias.  Utilização e empréstimo de livros da biblioteca da escola para pesquisas e leituras.  Observação e análise coletiva de textos especialmente bem escritos. ESCRITA  Segmentação das palavras;  Destinatário, finalidade do texto e características do gênero;  Iniciação da estruturação o texto em parágrafos;  Utilização dos recursos do sistema de pontuação, como: maiúscula inicial, ponto final, exclamação, interrogação;  Separação entre os turnos do diálogo, mediante o uso de dois pontos e travessão;  Utilização de dicionário e outras fontes escritas (com ajuda) para resolver dúvidas ortográficas;  Minimização de marcas de oralidade (“e”, “daí” etc.), substituindo por recursos coesivos
  • 39. 39 adequados à linguagem escrita;  Revisão do próprio texto com orientação, utilizando rascunhos como recurso para organizar sua intencionalidade na escrita levando em conta os seguintes aspectos: adequação ao gênero, coerência e coesão textual, ortografia e pontuação;  Estabelecimento de algumas regularidades ortográficas (inferência de regras) e a constatação de algumas irregularidades (ausência de regras), partindo de necessidades detectadas na turma;  Observação e análise de textos impressos de diferentes autores, utilizados como referência ou modelo.  Gêneros discursivos:  Cartas;  Contos de suspense/mistério;  Narrativas de aventura. MATEMÁTICA OBJETIVOS NÚMEROS E OPERAÇÕES  Observar, ler e interpretar escritas numéricas, levantando hipóteses sobre elas, com base na observação de regularidades, utilizando-se da linguagem oral, de registros informais e da linguagem matemática;  Aprimorar progressivamente a capacidade de fazer cálculos mentais;  Resolver situações-problema e construir a partir delas os significados das operações fundamentais, considerando que o mesmo problema pode ser resolvido com diferentes raciocínios;  Desenvolver procedimentos de cálculo pela observação das regularidades, pela antecipação e verificação de resultados. ESPAÇO E FORMA  Reconhecer os sólidos geométricos tridimensionais, como: esfera, cone, cilindro, pirâmide, cubo e paralelepípedo;  Localizar informações em planos cartesianos, através de um ponto de referência;  Localizar e descrever trajetos. GRANDEZAS E MEDIDAS  Identificar e localizar no calendário informações referentes à: dia, semana, mês, bimestre, trimestre, semestre e ano;  Compreender as medidas de tempo em relação a horas e minutos;  Comparar medidas de comprimento;  Medir objetos através de instrumentos convencionais, utilizando nomenclatura adequada;  Compreender o sistema monetário e seu uso social inserido em situações-problema. TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO  Interpretar tabelas e gráficos, inseridos em situações-problema;  Coletar dados e organizá-los em forma de tabelas;  Organizar dados em forma de gráficos. CONTEÚDOS
  • 40. 40 NÚMEROS E OPERAÇÕES  Apropriação de repertório que compreenda números compostos por até cinco ordens;  Leitura, escrita, comparação e ordenação de notações numéricas pela compreensão das características do sistema de numeração decimal (base, valor posicional);  Utilização da decomposição das escritas numéricas para a realização do cálculo mental exato e aproximado;  Análise, interpretação, resolução e formulação de situações-problema, compreendendo alguns dos significados das operações;  Comunicação de estratégias pessoais na resolução de problemas, através de diferentes linguagens;  Reconhecimento de que cada operação pode solucionar diferentes situações-problema, e que o mesmo problema pode ser resolvido por diferentes operações;  Cálculos de adição simples e com reagrupamento na ordem das centenas, subtrações simples e com recurso na ordem das centenas, multiplicações com um algarismo no multiplicador e divisões exatas e não exatas com um algarismo no divisor por meio de técnicas convencionais.  Uso de calculadora para o desenvolvimento de estratégias de verificação e controle de cálculos;  Utilização de estimativas para avaliar a adequação de um resultado; ESPAÇO E FORMA  Observação de sólidos geométricos (esféricos, cilíndricos, cônicos, cúbicos, piramidais, prismáticos) presentes em elementos naturais e nos objetos criados pelo homem e de suas características;  Estabelecimento de comparações entre objetos do espaço físico e objetos geométricos (esféricos, cilíndricos, cônicos, cúbicos, piramidais, prismáticos);  Composição e decomposição de figuras tridimensionais;  Percepção de semelhanças e diferenças entre cubos e quadrados, paralelepípedos e retângulos, pirâmides e triângulos, esferas e círculos;  Localização de pessoas ou objetos no espaço, com base em diferentes pontos de referência e algumas indicações de posição usando sua própria terminologia.  Utilização de malhas para representar no plano a posição de uma pessoa ou objeto. GRANDEZAS E MEDIDAS  Identificação e localização no calendário de unidades de tempo: dia, semana, mês, ano, bimestre, trimestre e semestre e utilização de calendários;  Leitura de horas/minutos no relógio digital e analógico;  Comparações de medidas de comprimento: milímetro, centímetro e metro;  Utilização de instrumentos de medidas convencionais: régua, fita métrica, trena, etc.  Compreensão e uso do sistema monetário brasileiro;  Resolução de situações-problema envolvendo medidas de capacidade, massa e comprimento. TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO  Leitura e interpretação de informações matemáticas contidas em imagens;  Apresentação de diferentes tipos de gráficos;
  • 41. 41  Coleta de dados, informações e elaboração de formas para organizá-los em gráficos de coluna e setores;  Elaboração de listas, tabelas simples e de dupla entrada. CIÊNCIAS OBJETIVOS  Pesquisar características dos animais marinhos;  Comparar informações referentes aos animais marinhos em fontes variadas;  Socializar informações obtidas em pesquisas;  Conhecer os planetas do sistema solar;  Reconhecer peculiaridades dos planetas;  Comparar características dos planetas.  Reconhecer as propriedades, utilidades e os diferentes estados físicos da água;  Conscientizar-se da importância da preservação da água, considerando que esta é um recurso esgotável;  Identificar as etapas do processo de tratamento da água trilhado até que ocorra o abastecimento das residências;  Conscientizar-se das condições de vida no município de SBC. CONTEÚDOS  Habitat, alimentação, locomoção, curiosidades sobre animais que vivem no mar;  Utilização de fontes variadas com o intuito de buscar informações;  Socialização de pesquisas efetivadas;  Planetas que compõem o Sistema Solar;  Curiosidades peculiares a cada planeta que compõe o Sistema Solar.  Comparação de características dos planetas.  Utilidades, propriedades e estados físicos da água.  Tratamento e distribuição da água.  Percepção da proporção de água potável e não potável no planeta Terra.  Identificação das condições de saneamento básico em SBC. HISTÓRIA OBJETIVOS  Conhecer a história do bairro Demarchi, comparando através de imagens as transformações ocorridas;  Identificar a formação da freguesia de São Bernardo do Campo;  Reconhecer a influência africana na cultura brasileira nas danças, culinária, vocabulário, músicas e brincadeiras. CONTEÚDOS  Comparação e identificação, através de imagens/fotografias/vídeos, das transformações ocorridas no bairro Demarchi;  Interpretação do por que o bairro recebeu nomes de determinadas pessoas nas ruas, comércios, escolas, dentre outros;  Identificação das etnias que constituíram a freguesia de SBC e comparação das
  • 42. 42 semelhanças e diferenças culturais;  Pesquisa em diversos materiais sobre a cultura africana (danças, culinária, vocabulário, músicas e brincadeiras);  Comparação entre a cultura africana e a cultura brasileira, buscando aspectos herdados; GEOGRAFIA OBJETIVOS  Reconhecer diferentes paisagens e compará-las;  Compreender em nível inicial a ideia de territorialidade;  Localizar informações em plantas de arruamento;  Desenvolver noções de cartografia, através da leitura de mapas;  Utilizar diferentes linguagens como desenhos, mapas, fotos e filmes, para adquirir e expressar conhecimento geográfico;  Utilizar procedimentos de observação, descrição, comparação na leitura da paisagem e construção de explicações sobre os fatos geográficos;  Desenvolver atitude de responsabilidade consciente no tratamento da natureza; CONTEÚDOS  Localização de trajetos específicos no Google mapas;  Desenhos de trajetos com legenda;  Interpretação de legendas em plantas de arruamento e mapas;  Apresentação do mapa mundi, mapa do Brasil e do município.  Identificação de continentes e oceanos;  Identificação das regiões brasileiras;  Localização do Estado pátrio dos alunos nas respectivas regiões.  Diferenciação da paisagem local nas diferentes regiões;  Causas que levaram as famílias a migrarem para SBC;  Identificação de alguns problemas gerados nas diferentes regiões, devido à utilização de técnicas predatórias que acarretam poluição e desmatamento. EDUCAÇÃO FÍSICA OBJETIVOS  Participar de atividades rítmicas, brincadeiras, jogos e esportes, organizando-os com autonomia, criando e recriando regras;  Participar de diferentes atividades corporais ligadas à cultura, especificamente a dança, adotando uma atitude cooperativa e solidária, sem discriminar os colegas pelas suas crenças ou por razões sociais, físicas, de gênero ou classe. CONTEÚDOS  Respeito a si e ao outro;  Reconhecimento de regras oficiais pertinentes ao Basquete e Handebol.  Desenvolvimento da capacidade de adaptar espaços, materiais e regras em atividades desportivas (basquete, handebol);  Percepção do ritmo pessoal e grupal;
  • 43. 43  Pesquisa em diversos materiais sobre brincadeiras de origem africana;  Participação em brincadeiras de origem africana. ARTE OBJETIVOS  Conhecer e apreciar diferentes produções da artista Tarsila do Amaral, observando e comparando os elementos que compõem paisagens;  Criar paisagens com dois planos, utilizando vários meios e suportes;  Conhecer e apreciar diferentes danças e músicas pertinentes ao histórico cultural da freguesia de São Bernardo do Campo;  Conhecer e apreciar a arte africana, mais detalhadamente as máscaras e instrumentos;  Contextualizar a história cultural das máscaras e instrumentos de origem africana;  Confeccionar máscaras e objetos sonoros de origem africana. CONTEÚDOS  Apreciação e análise de diferentes obras artísticas (Obras para apreciação da Tarsila do Amaral e Arte Africana);  Estudo do tempo histórico que contextualiza a criação das obras artísticas apreciadas;  Apreciação e análise de produções de artes visuais próprias e de colegas;  Reflexão sobre os processos de criação pessoal, dos colegas e de artistas;  Experimentação pelos alunos em suas produções artísticas de diferentes meios e suportes;  Apreciação de músicas;  Participação de momentos que envolvam dança; PLANEJAMENTO ANUAL 1ºano / Ciclo II LÍNGUA PORTUGUESA OBJETIVOS ORALIDADE  Expressar os pensamentos de forma clara e coerente;  Expressar os pensamentos de forma a defender seu ponto de vista;  Preparar antecipadamente exposições orais;  Realizar exposições orais, adequando o discurso aos diferentes interlocutores. LEITURA  Localizar informações explícitas em textos lidos por si;  Interpretar questões implícitas em textos lidos pela professora e por si;  Ler para alcançar diferentes objetivos.  Preocupar-se em fazer boas indicações literárias;  Buscar com ajuda informações em fontes escritas de diferentes tipos.
  • 44. 44 ESCRITA  Reescrever coerentemente textos narrativos;  Aprimorar organização do texto em parágrafos;  Utilizar adequadamente letras maiúsculas e minúsculas;  Produzir textos de autoria de acordo com as características do gênero;  Aprimorar utilização dos recursos do sistema de pontuação;  Minimizar quantidade de erros ortográficos em seus registros, em virtude das regularidades ortográficas trabalhadas;  Utilizar o dicionário adequadamente;  Fazer uso da linguagem formal nas produções, minimizando as marcas de oralidade;  Ampliar utilização adequada de questões gramaticais específicas;  Revisar textos a partir de apontamentos feitos pelo docente. CONTEÚDOS ORALIDADE  Gêneros discursivos:  Poemas  Piadas  Debates  Defesa do ponto de vista e manutenção de coerência;  Respeito às diferentes opiniões;  Planejamento e organização do discurso com a finalidade de exposição oral. LEITURA  Interpretação de textos diversos;  Escuta de textos lidos pelo professor e realização de antecipações e inferências;  Leitura silenciosa, leitura em voz alta e escuta da leitura realizada por outra pessoa;  Busca de informações e consulta a fontes de diferentes tipos (jornais, revistas, enciclopédias, Internet etc.), com orientação ou não do professor;  Utilização de diferentes modalidades de leitura adequadas a diferentes objetivos, como ler para revisar, obter informação rápida, seguir instruções, aprender, aprender a escrever, por prazer, etc.;  Empréstimo de livros na biblioteca da unidade escolar para pesquisas e leituras;  Observação e análise de textos especialmente bem escritos; ESCRITA  Paragrafação;  Utilização dos recursos do sistema de pontuação como maiúscula inicial, ponto final, ponto de exclamação, ponto de interrogação, vírgula, dois pontos e travessão;  Diferenciação entre o discurso direto e indireto;  Produção de textos de autoria, considerando o destinatário, finalidade e características do gênero:  Contos de artimanha  Cartas ao leitor  Diário  Estabelecimento de algumas regularidades ortográficas e constatação de algumas
  • 45. 45 irregularidades (inclusive as de acentuação);  Uso do dicionário;  Aprimoramento no emprego da concordância verbal e nominal;  Introdução de conectivos mais adequados à linguagem escrita;  Revisão do próprio texto, procurando aprimorá-lo, levando em conta os seguintes aspectos: adequação ao gênero, coerência e coesão textual, pontuação e ortografia; MATEMÁTICA NÚMEROS E OPERAÇÕES  Ler e comparar números do Sistema de Numeração Decimal compostos por até seis ordens;  Resolver situações-problema, envolvendo as quatro operações fundamentais;  Solucionar situações-problema que envolva o uso de mais de uma técnica operatória;  Resolver técnicas operatórias;  Conceituar fração;  Representar frações;  Comparar frações com denominador comum; TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO  Recolher dados e informações, elaborando formas para organizá-los e expressá-los;  Interpretar dados apresentados sob forma de tabelas e gráficos;  Compreender e resolver situações-problema que envolva gráficos e tabelas. ESPAÇO E FORMA  Diferenciar retas, segmentos de retas e linhas;  Classificar ângulos: reto, agudo e obtuso.  Utilizar transferidor para medir ângulos;  Identificar polígonos;  Nomear polígonos;  Calcular perímetro de polígonos diversos; GRANDEZAS E MEDIDAS  Ler horas e minutos;  Estabelecer relações entre horas e minutos;  Resolver problemas envolvendo medidas de tempo;  Resolver problemas envolvendo medidas de capacidade, massa e comprimento;  Reconhecer submúltiplos e múltiplos do metro, transformando algumas medidas. CONTEÚDOS NÚMEROS E OPERAÇÕES  Reconhecimento dos números naturais compostos por até no mínimo 6 ordens;  Análise, interpretação, resolução e formulação de situações-problema que envolvam números naturais e racionais (frações);
  • 46. 46  Adição com reagrupamento, Subtração com recurso, Multiplicação com dois algarismos no multiplicador e Divisão com dois algarismos no divisor;  Desenvolvimento de estratégias de verificação e controle de resultados pelo uso do calculo mental e calculadora;  Conceito de frações;  Leitura, escrita, representação e comparação de frações; TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO  Leitura e interpretação de dados apresentados de maneira organizada (por meio de listas, tabelas, diagramas e gráficos) e construção dessas representações;  Compreensão e resolução de situações-problema que envolva tabelas e gráficos;  Identificação das possíveis maneiras de combinar elementos de uma coleção e de contabilizá-los usando estratégias pessoais;  Utilização de informações dadas para avaliar probabilidades. ESPAÇO E FORMA  Retas, segmentos de retas e linhas;  Ângulos: reto, agudo e obtuso.  Procedimentos para utilização do transferidor;  Identificação de figuras poligonais na planificação de sólidos geométricos;  Exploração das planificações de algumas figuras tridimensionais;  Identificação de semelhanças e diferenças entre polígonos (lados, ângulos);  Perímetro. GRANDEZAS E MEDIDAS  Reconhecimento e utilização das unidades de medidas de tempo;  Resolução de situações-problema envolvendo medidas de tempo;  Leitura de horas no relógio analógico e digital;  Reconhecimento e utilização das unidades de medidas de comprimento, massa e capacidade;  Resolução de situações-problema envolvendo medidas de comprimento, massa e capacidade;  Resolução de situações-problema envolvendo sistema monetário brasileiro;  Transformações entre KM, M, CM e MM.  Utilização das medidas de tempo e realização de conversão simples. CIÊNCIAS OBJETIVOS  Reconhecer a importância de uma boa alimentação para o crescimento e desenvolvimento do organismo;  Identificar os órgãos envolvidos no processo de digestão;  Orientar cuidados a fim de evitar doenças relacionadas ao sistema digestório;  Conceituar solo;  Compreender o processo de surgimento do solo;  Identificar os diferentes tipos de solo;  Reconhecer os cuidados que se deve ter para manter o solo produtivo;  Reconhecer algumas das causas da destruição do solo;
  • 47. 47  Identificar elementos que compõem e propriedades do ar;  Conhecer as funções do sistema respiratório;  Orientar cuidados a fim de evitar doenças relacionadas ao sistema respiratório. CONTEÚDOS  Origem dos alimentos (animal, vegetal e mineral);  Alimentos e suas funções (energéticos, reguladores e construtores);  A importância das vitaminas;  Doenças associadas à carência de determinadas vitaminas;  O sistema digestório, seus órgãos e respectivas funções;  Doenças e cuidados em relação ao sistema digestório (úlceras, gastrites, refluxo...)  Como surgiu o solo;  Elementos que compõem o solo;  Tipos de solo;  A importância do solo para o ser humano;  A destruição do solo: desmatamento, erosão, poluição e queimada;  Como manter o solo sempre produtivo (drenagem, irrigação, aração e adubação);  Composição e propriedades do ar;  Estudo dos principais órgãos e funções do sistema respiratório;  A poluição do ar e a nossa saúde. HISTÓRIA OBJETIVOS  Entender e trabalhar com a noção de tempo e as formas de medi-lo;  Utilizar diferentes fontes de informação e posicionar-se criticamente frente à pesquisa;  Conhecer o processo histórico de colonização do Brasil;  Diferenciar descobrimento e conquista de território;  Reconhecer os indígenas como os primeiros habitantes de nossas terras;  Reconhecer a importância do escravo para a construção do Brasil;  Identificar o preconceito racial como um problema social que deve ser discutido e combatido por todos os cidadãos; CONTEÚDOS  Construção de linhas do tempo para entendimento dos fatos históricos dentro de uma cronologia: a duração do tempo que permite a divisão em períodos para melhor entendimento de alguns acontecimentos;  Formas de medidas do tempo: ano, década, século, milênio, A.C, D.C;  Período das grandes navegações;  Descobrimento do Brasil;  Processo histórico da colonização do Brasil;  Chegada dos portugueses e sua relação com os índios;  Conflitos entre os portugueses e os indígenas;  Processo histórico da escravidão no Brasil;  Chegada do negro africano;  Conflitos e o movimento quilombola;  Aspectos da vida dos escravos e os engenhos;  A importância do açúcar;